Você está na página 1de 2

Cultivo da Seringueira: excelente opção para o agricultor familiar.

Jodelse Dias Duarte*

A seringueira (Hevea brasiliensis Muell Arg.) é uma árvore produtora de látex, do qual
é extraída a borracha natural. Esse gênero ocorre naturalmente entre as latitudes 3º N e 15º S no
continente americano, incluso aí a Região Amazônica, em uma área superior a quatro milhões de km². A
substância denominada “borracha” foi mencionada como curiosidade em livro de Ovíedo y Valle no
Século XVIII, como uma substância elástica que os ameríndios da Amazônia usavam para várias
finalidades.
O aumento do consumo interno e o controle da doença que mais ataca os
seringais (“Mal das Folhas”), a obtenção de clones mais resistentes e produtivos e a elevação do preço do
petróleo, levaram o governo a incentivar a produção da borracha natural a partir de seringais cultivados,
incrementando o plantio de novas área e recuperação das existentes.

Hoje a fixação do homem no campo, através de incentivos e recursos do


Programa Nacional da Agricultura Familiar com a implantação dos SAF (Sistema de Cultivo Agro-
Florestal), onde é feita a consorciação da cultura onde ele poderá adotar a sistemática de implantar,
conjuntamente, um cultivo de ciclo curto, um cultivo semi-perene, e dois cultivos perenes na mesma área,
não deixando, portanto, de obter receitas durante a fase improdutiva do seringal, e da cultura escolhida
como consórcio perene.

Se ele assim optar, deverá efetuar a implantação de abacaxi, banana da terra,


cacau ou cupuaçu e seringueira, no sistema de fileira duplas, seguindo os espaçamentos de 13 m x 3 m x
2,5 m para seringueira, três fileiras de cacau no espaçamento 3 m x 3 m, afastados 2 m da fileira de
seringueira, e banana da terra entre fileiras de cacaueiros no espaçamento de 3m x 3m. Na entrelinhas da
seringueira, feijão ou abacaxi nos espaçamentos regulares desses cultivos, assim sendo, abre-se uma nova
perspectiva no aumento da área plantada, consequentemente levando um aumento da produção nacional de
borracha natural.

Foto SISTEMA AGROFLORESTAL – Jodelse Duarte.2007

Nesse patamar, além de fixar o homem ao campo por ser uma cultura de ciclo longo, (começa a produzir
em torno de 6-7 anos e produz até ± 40 anos), em alguns seringais com manejo técnico podemos
encontrar uma maior precocidade de início de sangria (menos de 7 anos) e produtividades maiores que as
estimadas na projeção anterior, além de uma estabilização com produção por hectare superior a 1.500 kg
de borracha seca, com preço médio de venda em torno de R$ 1,70 por kg. A seringueira é uma planta
considerada reflorestadora, haja vista que sua densa área foliar protege o solo do impacto direto da
chuva, evitando a lixiviação de nutrientes e erosão.
Erroneamente acostumou-se a tratar a seringueira como seringa, o que vem
de encontro ao dicionário, que nos diz que seringa “é uma bomba portátil de formato cilíndrico, para
aplicar injeções ou retirar líquidos do organismo”. O que na verdade acontece com os caminhões que
transportam coágulos de borracha natural, é que a borracha neste estado contém soro e este soro derrama
e exala cheiro de amônia, daí o mau cheiro característico.