Formador: Eng.

Susana Marques Maio 2012

Preliminary Hazard Analysis (PHA)

  Aplicar a técnica de análise preliminar de riscos.No final desta unidade os participantes deverão ser capazes de: Conhecer as caraterísticas da técnica de Análise Preliminar de Riscos. AVALIAÇÃO DE RISCOS 3 .

  Enquadramento e caraterísticas da técnica. Metodologia de análise preliminar de riscos. AVALIAÇÃO DE RISCOS 4 .

Definição » Técnica estruturada para identificar os perigos potenciais decorrentes da instalação de novas ou antigas instalações/ sistemas de trabalho. medidas de prevenção ou correção e caracterizando-se os riscos para priorização de ações. » Revisão geral de aspectos de segurança através de um formato padrão. AVALIAÇÃO DE RISCOS 5 .Tipo » Análise inicial. » Técnica Indutiva e Qualitativa. levantado-se causas e efeitos de cada risco.

no evitar de acidentes graves ou. AVALIAÇÃO DE RISCOS 6 . porque é um método utilizado como primeira abordagem do objeto em estudo. produto ou sistema.Uso e aplicações » Fase de projeto ou desenvolvimento de qualquer novo processo. » Este método. revelando aspectos às vezes despercebidos. mitigar as suas consequências. apesar de preliminar pode ser relevante na redução de custos e preocupações desnecessárias. pelo menos. » É muito útil como revisão geral de segurança em sistemas/instalações já operacionais. » É designada de Preliminar.  A APP é a técnica percursora de outras análises.

Permite » Os resultados obtidos são qualitativos. » Priorização das medidas propostas para a redução dos riscos da instalação analisada. AVALIAÇÃO DE RISCOS 7 . não fornecendo estimativas numéricas. » Ordenação qualitativa dos cenários de acidentes identificados.

Análise Preliminar de Riscos Subsistema: Consequências ou Efeitos Data: Categoria de Risco Medidas de Prevenção Perigo Causas Propriedade ou capacidade intrínseca de um componente de trabalho potencialmente causador de danos Causas relacionadas com: .Organização do trabalho e gestão da prevenção . .Ambiente e local de trabalho.A APP é realizada para cada módulo de análise da instalação (subdivisões. . II. normalmente feita para fins de simplificação e ordenação do trabalho).Lesões nos trabalhadores ou morte I. equipamentos) .Causas Humanas Descrição dos: .Condições materiais do trabalho.Danos patrimoniais (instalações. III ou IV Medidas de prevenção e de proteção AVALIAÇÃO DE RISCOS 8 .

Sistema de combate a incêndio. Sistema de controlo da pressão e da temperatura. AVALIAÇÃO DE RISCOS 9 . Proteção contra a corrosão/isolar o tanque.Exemplo: Análise Preliminar de Riscos Subsistema: Consequências ou Efeitos Data: Categoria do Risco Perigo Causas Medidas de Prevenção Formação de atmosfera explosiva Deficiência da válvula de segurança. Corrosão no tanque. III Pressão elevada. Explosão do tanque: Assegurar a qualidade da válvula de segurança. .Danos nos equipamentos. -Lesão nos trabalhadores.

) » A formação recebida pelos trabalhadores para a execução das suas tarefas. » Os procedimentos de trabalho escritos e/ou autorizações de trabalho. recolher: » As tarefas a realizar. Tanto de forma permanente como ocasional. subempreiteiros. » Os locais onde se realiza o trabalho. AVALIAÇÃO DE RISCOS 10 . » Quem realiza o trabalho. público. » Outras pessoas que possam vir a ser afetadas (visitantes. etc. A sua duração e frequência.Para cada atividade de trabalho.

). vapor. » O estado físico das substâncias utilizadas (sólido. » As distâncias e alturas a que se tem que movimentar manualmente os materiais.Para cada atividade de trabalho. características das superfícies e peso dos materiais a manipular. máquinas e equipamentos. forma. » O volume. » As ferramentas utilizadas (manuais/movidas). liquido. » As instruções dos fabricantes e fornecedores sobre o funcionamento das instalação. » As energias utilizadas (ex. recolher: » As instalações. » As substâncias utilizadas e produzidas.: ar comprimido. máquinas e equipamentos utilizados. gasoso). etc. AVALIAÇÃO DE RISCOS 11 .

g.LISTAS DE VERIFICAÇÃO » Utilização de questionários. AVALIAÇÃO DE RISCOS 12 . • os diversos órgãos e funções de um equipamento. estruturados de acordo com a lógica do objeto observado: • a sequência das operações de um processo produtivo.: manuais de equipamentos. fichas de segurança de produtos) • Códigos de boas práticas. » Avaliação do cumprimento de referenciais: • Legislação • Normas técnicas • Instruções dos fabricantes (e. • as diversas áreas das instalações. etc.

AVALIAÇÃO DE RISCOS 13 .

INSPEÇÕES DE SEGURANÇA » Finalidade: identificar as condições de segurança de uma instalação e/ou os procedimentos de operação que possam conduzir ao acidente. consequentemente. a identificação e implementação das medidas preventivas correspondentes. » Consiste no apuramento de desvios que permitam a análise de riscos existentes e. em procedimentos internos. » Baseia-se na verificação de conformidade das práticas com os referenciais correspondentes (legislação. LISTAS DE VERIFICAÇÃO AVALIAÇÃO DE RISCOS 14 .). etc. normas.

Sequência da Análise – 1ª Fase: Identificação dos Perigos (1ª coluna) Identificação das Causas (2ª coluna) Identificação dos Efeitos (3ª coluna) AVALIAÇÃO DE RISCOS 15 .

» Existe uma fonte de dano (de perigo/fator de risco)? » Quem (ou quê) pode ser lesado? » Como pode ocorrer o dano (acidente)? Grupos distintos de perigos: » » » » » » » » » Mecânicos. Exposição a agentes físicos. Organizacionais. Condições físicas do local de trabalho. Incêndios e explosões. Etc. AVALIAÇÃO DE RISCOS 16 . Trabalhos em altura. Posturas. Elétricos. químicos e biológicos.

AMBIENTE E LOCAL DE TRABALHO CONDIÇÕES MATERIAIS DO TRABALHO CAUSAS ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO E GESTÃO DA PREVENÇÃO HUMANAS AVALIAÇÃO DE RISCOS 17 .

amputações. formação de nuvem tóxica. equipamentos. » Lesões nos trabalhadores (cortes. golpes. queimaduras. » Danos patrimoniais (instalações. etc. AVALIAÇÃO DE RISCOS 18 . explosão. » Morte.). fraturas. etc..).» Incêndio. etc.

Sequência da Análise – 2ª Fase: Determinação da Categoria de risco Elaboração das Medidas de prevenção AVALIAÇÃO DE RISCOS 19 .

Lesões de gravidade moderada em trabalhadores. . prestadores de serviços ou em membros da comunidade). .Não ocorrem lesões/mortes dos trabalhadores.A priorização das medidas é determinada pela categoria dos riscos: Categoria Denominação Descrição / Características . prestadores de serviço ou em membros da comunidade (probabilidade remota de morte).Sem danos ou danos insignificantes nos equipamentos. . o máximo que pode ocorrer são casos de primeiros socorros ou tratamento médico menor. na propriedade e/ou no meio ambiente (os danos materiais são controláveis e/ou de baixo custo de reparação). na propriedade e/ou no meio ambiente. . . na propriedade e/ou no meio ambiente. prestadores de serviço ou em membros da comunidade.Exige ações corretivas imediatas para evitar seu desdobramento em catástrofe. I DESPREZÍVEL II MARGINAL III CRÍTICA IV CATASTRÓFICA AVALIAÇÃO DE RISCOS 20 .Danos irreparáveis nos equipamentos. . prestadores de serviços ou em membros da comunidade.Danos leves nos equipamentos.Danos severos nos equipamentos.Provoca mortes ou lesões graves em várias pessoas (trabalhadores. na propriedade e/ ou no meio ambiente (reparação lenta ou impossível). .Lesões leves nos trabalhadores. .

AVALIAÇÃO DE RISCOS 21 .

AVALIAÇÃO DE RISCOS 22 .

AVALIAÇÃO DE RISCOS 23 .Diagrama Esquemático de Interfaces e Conexões do Sistema de Transferência de Ácido Sulfúrico do Camião para o Tanque.

AVALIAÇÃO DE RISCOS 24 .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful