Você está na página 1de 68

A Liahona

A I g r e j a d e J e s u s C r i s t o d o s Sa n t o s d o s Ú l t i m o s Dia s • A b r i l d e 2 0 0 9

Ele Vive! página 8


Aprendizado: Uma Busca
Sagrada, página 26
Uma Fórmula Simples para o
Sucesso na Escola, página 36
adultos
A Liahona, Abril de 2009


Mensagem da Primeira Presidência
2 Ensinar a Doutrina Verdadeira 
Presidente Henry B. Eyring

Mensagem das Professoras Visitantes


25 Examinar as Escrituras Diligentemente
jovens
Artigos
Artigos
8 Ele Ressuscitou 32 Caminhar a Segunda Milha Paul VanDenBerghe
Pinturas do Senhor Ressuscitado no Velho e no Novo Até onde pode influenciar um esforço a mais?
Mundo testificam que Ele é a Ressurreição e a Vida. 36 Sem Queimar as Pestanas 
14 O Que a Expiação Significa para Você?  Cinthya Verónica Salazar Márquez
A obediência a um princípio do evangelho me
Élder Cecil O. Samuelson Jr.
É o único remédio universal para nossos pecados, ajudou na escola e na busca de equilíbrio na vida.
nossas dores, tentações e decepções.
Seções
20 A Voz do Bom Pastor Sherry Cartwright Zipperian 21 Pôster: Aprendei de Mim
Aprender a reconhecer a voz do Bom Pastor é
algo essencial para nossa segurança eterna. 22 Perguntas e Respostas
Meus pais não são ativos na Igreja. Como faço para
26 O Aprendizado e os Santos dos Últimos Dias  permanecer firme sem o apoio deles?
Élder Dallin H. Oaks e Kristen M. Oaks
Com base em experiências de vida muito diversas, 24 Linha sobre Linha: Tiago 1:5–6
o Élder e a irmã Oaks ensinam a importância do A escritura que levou o Profeta Joseph ao bosque
aprendizado para os santos dos últimos dias. pode ajudar você também a encontrar respostas.

38 Acender a Luz da Esperança Michael R. Morris 43 Você Sabia?


Os santos dos últimos dias brasileiros contam como
o Fundo Perpétuo de Educação abençoou-lhes a
vida.

Seções
44 Vozes da Igreja
Cantar e contar histórias; conhecimento das escri-
turas; decisão de servir em uma missão; oração por
meu pai em seu leito de morte.
48 Como Utilizar Esta Edição
Ideias para a noite familiar; tópicos desta edição;
uma noite familiar bem-sucedida.

Na capa
Primeira capa: Cristo em Emaús, de Walter Rane.
Última capa: Fotografia: John Luke.

Aprendei de Mim
O conhecimento do evangelho de Jesus Cristo é o maior de todos os
APRENDIZADOS (ver Mateus 11:29).
crianças
Abril de 2009 Vol. 62 Nº 4
A LIAHONA 04284 059
Revista Oficial da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos
Últimos Dias
A Primeira Presidência: Thomas S. Monson,
Henry B. Eyring, Dieter F. Uchtdorf
Quórum dos Doze Apóstolos: Boyd K. Packer, L. Tom Perry,
Russell M. Nelson, Dallin H. Oaks, M. Russell Ballard,
Richard G. Scott, Robert D. Hales, Jeffrey R. Holland,
David A. Bednar, Quentin L. Cook e D. Todd Christofferson
Editor: Spencer J. Condie Vinde ao Profeta Escutar
Consultores: Gary J. Coleman, Kenneth Johnson,
Yoshihiko Kikuchi, W. Douglas Shumway A2 Retornar em Segurança à Presença do O Amigo
Diretor Gerente: David L. Frischknecht
Diretor Editorial: Victor D. Cave Pai Celestial Presidente Dieter F. Uchtdorf
Editor Sênior: Larry Hiller
Diretor Gráfico: Allan R. Loyborg
Artigos
Gerente Editorial: R. Val Johnson
Gerente Editorial Assistentes: Jenifer L. Greenwood,
Adam C. Olson
A8 Perguntas e Respostas sobre a
Editore Associado: Ryan Carr Organização da Igreja

A12 Pressa em Aprender Lena Harper


Editora Adjunta: Susan Barrett
Equipe Editorial: David A. Edwards, Matthew D. Flitton,
LaRene Porter Gaunt, Annie Jones, Carrie Kasten, Jennifer Capa de O Amigo
Maddy, Melissa Merrill, Michael R. Morris, Sally J. Odekirk, Ilustração: Jim Madsen.
Judith M. Paller, Joshua J. Perkey, Chad E. Phares, Jan
Pinborough, Richard M. Romney, Don L. Searle, Janet Seções
Thomas, Paul VanDenBerghe, Julie Wardell
Secretária Sênior: Laurel Teuscher A4 Tempo de Compartilhar: Jesus Cristo É Meu
Gerente Gráfico da Revista: M. M. Kawasaki Salvador Cheryl Esplin
Diretor de Arte: Scott Van Kampen
Gerente de Produção: Jane Ann Peters
Equipe de Diagramação e Produção: Cali R. Arroyo, A6 De um Amigo para Outro:
Collette Nebeker Aune, Howard G. Brown, Julie Burdett, As Promessas de um
Thomas S. Child, Reginald J. Christensen, Kim Fenstermaker,
Kathleen Howard, Eric P. Johnsen, Denise Kirby, Scott M. Profeta  Veja se consegue
Mooy, Ginny J. Nilson
Élder Octaviano Tenorio encontrar o anel
Pré-impressão: Jeff L. Martin
do CTR cebuano
Diretor de Impressão: Craig K. Sedgwick
Diretor de Distribuição: Randy J. Benson A10 Da Vida do Profeta Joseph oculto nesta
Para assinaturas e preços para fora dos Estados Unidos e do Smith: Fazer as Pazes com edição. Escolha a
Canadá, consulte o centro de distribuição local em seu país os Inimigos página certa!
ou o líder da ala ou ramo.
Envie manuscritos e perguntas para A Liahona, Room
2420, 50 E. North Temple St., Salt Lake City, UT 84150-
A15 Música: Eu Quero o Batismo
0024, USA; ou mande e-mail para: liahona@ldschurch.org.
A ­Liahona, termo do Livro de Mórmon que significa A16 Página para Colorir
“bússola” ou “orientador”, é publicada em albanês,
alemão, armênio, bislama, búlgaro, cambojano, cebuano,
chinês, coreano, croata, dinamarquês, esloveno, espanhol,

comentários
estoniano, fijano, finlandês, francês, grego, haitiano, hindi,
húngaro, holandês, indonésio, inglês, islandês, italiano,
japonês, letão, lituano, malgaxe, marshalês, mongol,
norueguês, polonês, português, quiribati, romeno, russo,
samoano, sinhala, sueco, tagalo, tailandês, taitiano, tâmil,
tcheco, télugo, tonganês, ucraniano, urdu e vietnamita.
(A periodicidade varia de um idioma para outro.) Leitura Espiritual Ajudar a Melhorar
© 2009 Intellectual Reserve, Inc. Todos os direitos
reservados. Impresso nos Estados Unidos da América. A ­Liahona é uma grande bênção, e Sinto-me grato por ter A Liahona
O texto e o material visual encontrados na revista A L­iahona sinto muita alegria ao lê-la. Às vezes, em minha vida. Minha família usa
podem ser copiados para uso eventual, na Igreja ou no lar,
não para uso comercial. O material visual não poderá ser dou a L­ iahona de presente para que A ­Liahona nas lições da reunião
copiado se houver qualquer restrição indicada nos créditos
constantes da obra. As dúvidas sobre direitos autorais outras pessoas tenham uma experi- familiar e para ajudar os pesquisado-
devem ser encaminhadas para Intellectual Property Office,
50 E. North Temple St., Salt Lake City, UT 84150, USA; ência espiritual ao lê-la. Gostei muito res a conhecer mais sobre a Igreja. O
e-mail: cor-intellectualproperty@ldschurch.org.
do discurso do Presidente Thomas S. principal é que A L­ iahona me ajuda a
A ­Liahona pode ser encontrada na Internet, em vários idiomas,
no site www.lds.org. Para vê-la em inglês, clique em “Gospel Monson chamado “Três Pontes”, na ser melhor. Graças aos artigos, tenho
Library”. Para os demais idiomas, clique em “Languages”.
For Readers in the United States and Canada:
seção infantil da revista de abril de imenso desejo de melhorar e faço
April 2009 Vol. 62 No. 4. LIAHONA (USPS 311-480)
Portuguese (ISSN 1044-3347) is published monthly by
2008. Tudo que ele nos diz é essencial metas em relação aos ensinamen-
The Church of Jesus Christ of Latter-day Saints, 50 E. North
Temple St., Salt Lake City, UT 84150. USA subscription
para termos paz e vivermos de acordo tos encontrados nos artigos. Amo o
price is $10.00 per year; Canada, $12.00 plus applicable
taxes. Periodicals Postage Paid at Salt Lake City, Utah. Sixty
com os mandamentos do Senhor. A evangelho restaurado de Jesus Cristo
days’ notice required for change of address. Include address
label from a recent issue; old and new address must be
Liahona é uma maravilhosa leitura e a oportunidade que ele nos dá de
included. Send USA and Canadian subscriptions to Salt Lake
Distribution Center at address below. Subscription help line:
espiritual. melhorar a cada dia.
1-800-537-5971. Credit card orders (Visa, MasterCard, Eleanor Grimaldi, República Graziele Luiza Ramos de Freitas, Brasil
American Express) may be taken by phone. (Canada Poste
Information: Publication Agreement #40017431)
Dominicana
POSTMASTER: Send address changes to Salt Lake
Distribution Center, Church Magazines, PO Box 26368,
Salt Lake City, UT 84126-0368.
M e n s a g e m d a P r i m e i r a P r e s i d ê n c i a

Ensinar a Doutrina
Verdadeira
Presidente Henry B. Eyring justo — sim, surtia um efeito mais poderoso
Primeiro Conselheiro na Primeira Presidência sobre a mente do povo do que a espada ou

S
qualquer outra coisa que lhe houvesse acon-
empre houve guerra entre a luz e as tecido — Alma, portanto, pensou que seria
trevas, entre o bem e o mal, mesmo aconselhável pôr à prova a virtude da palavra
antes da criação do mundo. A batalha de Deus” (Alma 31:5).
entre o bem e o mal continua, e parece que
o número de baixas é crescente. Todos nós Abrir a Mente e o Coração
temos membros da família a quem amamos A palavra de Deus é a doutrina ensinada
e que estão sendo atormentados pelas forças por Jesus Cristo e por Seus profetas. Alma
do destruidor, que deseja que todos os filhos sabia que as palavras da doutrina têm grande
de Deus se tornem infelizes. Muitos de nós poder. Podem abrir a mente das pessoas para Diante de grande
já passaram noites em claro. Existem forças que vejam as coisas espirituais, invisíveis aos perigo, Alma deci-
invisíveis do bem e do mal que envolvem olhos naturais. Abrem também o coração diu tentar primeiro
as pessoas que estão em perigo, e tentamos para o amor de Deus e para o amor à ver- algo espiritual para
fazer com que as forças do bem aumen- dade. O Salvador utilizou essas duas fontes fortalecer seu povo:
tem ao máximo. Nós os amamos. Demos de poder, que são abrir a mente e o cora- “Como a pregação
o melhor exemplo que podíamos. Oramos ção, na seção 18 de Doutrina e Convênios, da palavra exercia
suplicando por eles. Há muito tempo, um ao ensinar Sua doutrina a quem escolhera uma grande influ-
sábio profeta deu-nos um conselho a respeito para ser missionários. Ao lerem estas pala- ência sobre o povo,
de outra força que, às vezes, subestimamos e vras, pensem nos rapazes de sua família que levando-o a praticar
por isso utilizamos muito pouco. estão agora hesitando em se preparar para a o que era justo —
Alma foi o líder de um povo que enfren- missão. Foi assim que o Mestre ensinou dois (…) Alma, portanto,
tou a destruição infligida por inimigos de Seus servos, e é uma maneira de ensinar a pensou que seria
terríveis. Diante do perigo, teve de escolher, doutrina Dele aos jovens que vocês amam: aconselhável pôr à
pois não podia fazer tudo. Ele poderia ter “E agora, Oliver Cowdery, dirijo-me a ti prova a virtude da
construído fortalezas, criado armamentos e também a David Whitmer, por meio de palavra de Deus”.
ou treinado exércitos. No entanto, sua única mandamento; pois eis que ordeno a todos os
esperança de vitória era receber o auxílio homens de todos os lugares que se arrepen-
Ilustrações: Michael T. Malm

de Deus, e sabia que, para isso, o povo teria dam; e falo a vós como falei a Paulo, meu
que se arrepender. Então, decidiu tentar algo apóstolo, porque sois chamados pelo mesmo
espiritual primeiro: “Ora, como a pregação chamado que ele.
da palavra exercia uma grande influência Lembrai-vos de que o valor das almas é
sobre o povo, levando-o a praticar o que era grande à vista de Deus” (D&C 18:9–10).

A Liahona Abril de 2009 3


Ele começa dizendo o quanto confia neles. Em seguida, tenham o desejo de acreditar. Mais do que isso, podem
conquista-lhes o coração, dizendo o quanto Ele e Seu Pai receber a segurança fundamentada na segunda força da
amam cada alma. Depois explica a base de Sua doutrina e doutrina. A verdade prepara seu próprio caminho. Basta
descreve as razões que temos para amá-Lo: ouvir as palavras da doutrina para que a semente da fé
“Pois eis que o Senhor vosso Redentor sofreu a morte seja plantada no coração. Mesmo uma sementinha de fé
na carne; portanto sofreu a dor de todos os homens, para em Jesus Cristo serve de convite ao Espírito.
que todos os homens se arrependessem e viessem a ele. Temos mais controle sobre nossa preparação.
E ressuscitou dentre os mortos, para trazer a si todos os Banqueteamo-nos com a palavra de Deus encontrada
homens, sob condição de arrependimento. nas escrituras e estudamos as palavras dos profetas
E quão grande é sua alegria pela alma que se arrepende!” vivos. Jejuamos e oramos para pedir que o Espírito esteja
(D&C 18:11–13). conosco e com a pessoa a quem ensinamos.
Depois de tocar-lhes o coração ensinando a doutrina Como precisamos da ajuda do Espírito Santo, devemos
concernente a Sua missão, Ele dá-lhes o mandamento: ser prudentes e cuidadosos para não ensinarmos o que
“Portanto sois chamados para clamar arrependimento a não seja doutrina verdadeira. O Espírito Santo é o Espírito
este povo” (D&C 18:14). da Verdade. Ele confirmará o que ensinamos, se evitarmos
Finalmente, abre-lhes os olhos para que vejam além do a especulação e a interpretação pessoal — o que pode
véu. Remete-nos todos a uma existência futura, descrita ser difícil fazer. Amamos a pessoa a quem estamos ten-
no grande plano de salvação, ao lugar onde poderemos, tando influenciar. Ela pode ter ignorado a doutrina que
um dia, estar. Fala-nos de amizades tão maravilhosas, que ouviu anteriormente. A ideia de experimentar algo novo
valeriam todos os sacrifícios que fizéssemos para tê-las: ou sensacional é tentadora. Contudo, é quando tomamos
“E, se trabalhardes todos os vossos dias clamando arre- o cuidado de ensinar somente a doutrina verdadeira que
pendimento a este povo e trouxerdes a mim mesmo que convidamos o Espírito Santo a estar presente.
seja uma só alma, quão grande será vossa alegria com ela Uma das maneiras mais certas de não incorrermos em
no reino de meu Pai! doutrina falsa é ensinarmos com simplicidade. A segu-
E agora, se vossa alegria é grande com uma só alma rança está na simplicidade, e não se perde nada com isso.
que tiverdes trazido a mim no reino de meu Pai, quão Sabemos disso porque o Salvador nos disse que ensinás-
grande será vossa alegria se me trouxerdes muitas almas!” semos a doutrina mais importante às criancinhas. Ouçam
(D&C 18:15–16). Seu mandamento: “E também, se em Sião ou em qualquer
Nessas poucas passagens, Ele ensina a doutrina para de suas estacas organizadas houver pais que, tendo filhos,
que abramos o coração ao Seu amor. Ensina a doutrina não os ensinarem a compreender a doutrina do arre-
para que vejamos as realidades espirituais, invisíveis à pendimento, da fé em Cristo, o Filho do Deus vivo, e do
mente que não esteja iluminada pelo Espírito da Verdade. batismo e do dom do Espírito Santo pela imposição das
mãos, quando tiverem oito anos, sobre a cabeça dos pais
Como Devemos Ensinar seja o pecado” (D&C 68:25).
A necessidade de abrir olhos e tocar corações mostra- Podemos ensinar até mesmo uma criança a entender a
nos como devemos ensinar a doutrina. Ela só tem força doutrina de Jesus Cristo. Portanto, com a ajuda de Deus é
quando o Espírito Santo confirma que é verdadeira. possível ensinar a doutrina de salvação com simplicidade.
Preparamos aqueles a quem ensinamos da melhor
maneira possível para ouvirem o sussurro suave da voz Começar Cedo
mansa e delicada. Isso exige, pelo menos, um pouco de fé Nossa probabilidade de sucesso é maior com as crian-
em Jesus Cristo. Exige, pelo menos, um pouco de humil- ças pequenas. O melhor momento de ensiná-las é bem
dade e desejo de colocar-nos à disposição do Salvador. cedo, enquanto ainda são imunes às tentações de seu ini-
Talvez as pessoas a quem estejam ensinando tenham migo mortal, e bem antes que o barulho das dificuldades
pouca fé e humildade, mas vocês podem fazer com que pessoais as impeça de ouvir as palavras da verdade.

4
O
Os pais sábios jamais perderiam uma opor- lembraram-se das palavras do pai, as palavras melhor
tunidade de reunir os filhos para aprenderem da doutrina de Cristo (ver Enos 1:1–4; Alma momento de
a doutrina de Jesus Cristo. Esses momentos são 36:16–19); e isso os salvou. Os seus ensina- ensinar as
raríssimos quando comparados ao trabalho do mentos da doutrina sagrada também serão crianças é bem cedo,
inimigo. Para cada hora de ensino de doutrina lembrados. enquanto ainda são
na vida de uma criança, é possível que haja imunes às tenta-
centenas de horas de mensagens e imagens Os Efeitos Duradouros do Ensino ções de seu inimigo
que negam e ignoram as verdades de salvação. Poderão surgir duas dúvidas. Talvez se mortal, e bem antes
Não nos devemos perguntar se estamos perguntem se sabem a doutrina o suficiente que o barulho das
ou não muito cansados para prepararmo-nos para ensinar; e, caso já tenham tentado dificuldades pessoais
para ensinar a doutrina; ou se não seria melhor ensiná-la, talvez se perguntem por que não a as impeça de ouvir as
aproximar-nos dos filhos com brincadeiras, veem surtir efeito. palavras da verdade.
ou se eles não estariam começando a pensar Em minha família, houve uma jovem que
que fazemos sermões demais. Deveríamos é teve a coragem de começar a ensinar a dou-
perguntar: “Como tenho tão pouco tempo e trina quando ainda era membro recém-con-
tão poucas oportunidades, o que poderia dizer verso, e não tinha muita instrução. O fato de
para fortalecê-los quando sua fé for atacada, o seus ensinamentos continuarem produzindo
que por certo acontecerá?” Pode ser que eles efeito dá-me paciência para esperar os frutos
se lembrem das palavras que vocês dizem do meu próprio trabalho.
hoje; e o dia de hoje logo terá fim. Minha bisavó chamava-se Mary Bommeli.
Os anos passam, e nós ensinamos a dou- Não cheguei a conhecê-la. Uma de suas netas
trina da melhor maneira possível, e mesmo escreveu uma história que a ouviu contar.
assim, nem todos correspondem. Isso é triste. Mary nasceu em 1830. Os missionários
Mas, nas escrituras, encontramos histórias de ensinaram sua família na Suíça quando ela
famílias que nos dão esperanças. Pensem em estava com vinte e quatro anos. Ela morava
Alma, o filho, e Enos. No momento de crise, com a família numa pequena fazenda e

A Liahona Abril de 2009 5


N
aquela época, ajudava no sustento da casa fabricando e da moça suíça para ouvi-la ensinar. Ela falou
era contra a vendendo tecidos. Quando a família ouviu a da aparição do Pai Celestial e de Jesus Cristo
lei ensinar a doutrina do evangelho restaurado de Jesus a Joseph Smith, da visita de anjos e do Livro
doutrina da Igreja, Cristo, logo soube que era verdadeira. Foram de Mórmon. Quando chegou aos registros de
em Berlim. Mas Mary todos batizados. Os irmãos de Mary serviram Alma, ensinou a doutrina da Ressurreição.
não conseguiu guar- como missionários sem bolsa nem alforje. O Isso atrapalhou o trabalho dela. Naquela
dar as boas-novas só restante da família vendeu tudo o que possuía época, muitas crianças morriam bem peque-
para si. para se unir aos santos nos Estados Unidos. nas. As mulheres que estavam ao redor do
Não havia dinheiro suficiente para todos tear tiveram filhos que morreram, vários até.
irem. Mary propôs-se a ficar para trás, porque Quando Mary explicou que as crianças eram
achava que, tecendo, poderia ganhar dinheiro herdeiras do reino celestial e que aquelas
suficiente para manter-se e economizar para mulheres voltariam a encontrar os filhos,
a viagem. Ficou na casa de uma mulher em o Salvador e o Pai Celestial, todas chora-
Berlim, que a contratou para tecer roupas para ram, inclusive Mary. Todas aquelas lágrimas
sua família. Morava em um quarto de empre- molharam o tecido que ela estava fazendo.
gados e tecia na área social da casa. Os ensinamentos de Mary criaram proble-
Era contra a lei ensinar a doutrina da Igreja mas ainda mais graves. Apesar de ter supli-
de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias em cado às mulheres que não mencionassem a
Berlim; mas Mary não conseguiu guardar as ninguém o que lhes tinha dito, ainda assim,
boas-novas só para si. A dona da casa e suas elas o fizeram. Falaram da boa doutrina a
amigas reuniam-se ao redor do tear seus amigos. Então, certa noite, alguém bateu

6
Ideias para os
M e s t r e s F am i l i a r e s

D epois de estudar esta mensagem em espírito de oração,


transmita-a utilizando um método que incentive a partici-
pação daqueles que você ensinar. Seguem-se alguns exemplos:
declarado a doutrina do arrependimento ao juiz fez com
1. Leia o primeiro parágrafo do artigo. Explique como
que fosse libertada. 1
um coração e uma mente abertos podem ajudar as pessoas
a sair das trevas para a luz. Conte a história da bisavó do
Moldar Seus Descendentes
Presidente Eyring, Mary Bommeli. Discuta como ela ajudou
Os ensinamentos de Mary Bommeli não tocaram
as pessoas a descobrirem a luz. Convide os membros da
somente as mulheres ao redor do tear e o juiz. Meu
família a expressarem maneiras pelas quais podem ajudar a
pai, neto dela, conversou muito comigo nas noites
ensinar a verdadeira doutrina a outras pessoas.
que precederam sua morte e falou das alegres reuni-
2. Mostre um objeto ou auxílio visual que possa ajudá-lo a
ões que em breve aconteceriam no mundo espiritual.
ensinar brevemente uma doutrina que considere significativa
Falava com tamanha certeza que eu quase podia ver
(por exemplo: mostre uma semente de mos-
o brilho do sol e o sorriso no rosto das pessoas que
tarda para falar de fé ou um pedaço de
estavam no paraíso.
pão para falar do Pão da Vida). Explique
Em dado momento, perguntei-lhe se tinha algo de que se
como essa doutrina influenciou sua vida.
deveria arrepender. Ele sorriu. Deu uma risadinha e disse:
Convide os membros da família a compar-
“Não, Hal, venho-me arrependendo ao longo da vida”. A
tilharem doutrinas que sejam significativas para eles.
Fotografia: Christina Smith

doutrina do paraíso que Mary Bommeli ensinou àquelas


3. Ajude a família a compreender os princípios de ensino
mulheres era real para seu neto. Até a doutrina que ela ensi-
da seção “Como Devemos Ensinar”. Convide-os a aplicar
nara ao juiz influenciou a vida de meu pai para sempre. Esse
esses princípios numa próxima reunião de noite familiar.
não será o fim dos ensinamentos de Mary Bommeli. O regis-
tro de suas palavras ensinará a doutrina verdadeira a muitas
gerações futuras de sua família. Como ela acreditava que
à porta. Era a polícia. Mary foi presa. A caminho da prisão, mesmo os membros novos soubessem doutrina suficiente
perguntou ao policial o nome do juiz a quem deveria para ensinar, a mente e o coração de seus descendentes
apresentar-se na manhã seguinte. Perguntou se ele tinha serão tocados e eles serão fortalecidos na hora da batalha.
família e se era bom pai e marido. O policial sorriu ao Vocês ensinaram a doutrina a seus descendentes, e
dizer que o juiz era um homem mundano. eles vão ensiná-la uns aos outros. A doutrina pode fazer
Na prisão, Mary pediu lápis e papel e escreveu uma muito mais do que abrir a mente para as coisas espi-
carta ao juiz. Escreveu sobre a Ressurreição de Jesus Cristo rituais e o coração para o amor de Deus. Quando traz
conforme descrita no Livro de Mórmon, sobre o mundo alegria e paz, a doutrina também tem o poder de fazer
espiritual e quanto tempo o juiz teria antes do julgamento as pessoas falarem. Assim como aquelas mulheres de
final, para considerar e pensar sobre sua vida. Disse que Berlim, seus descendentes não conseguirão guardar as
sabia que ele tinha muito de que se arrepender, coisas boas-novas para si.
que iriam magoar seus familiares e causar grande tristeza Sou grato por viver em uma época em que nós e nossa
a ele também. Mary passou a noite toda escrevendo. Pela família temos a plenitude do evangelho restaurado. Sou
manhã, pediu ao policial que levasse sua carta ao juiz, e grato pela missão de amor do Salvador, e pelas palavras
ele o fez. de vida que nos deu. Oro para que transmitamos essas
Mais tarde, o policial foi chamado à sala do juiz. palavras àqueles a quem amamos. Testifico que Deus,
A carta de Mary era uma prova irrefutável de que ela nosso Pai, vive e ama a todos os Seus filhos. Jesus Cristo é
vinha ensinando o evangelho e, portando, infringindo Seu Filho Unigênito na carne e nosso Salvador. Sei que Ele
a lei. Contudo, o policial não tardou a voltar à cela de ressuscitou e sei que podemos ser purificados por inter-
Mary. Disse-lhe que todas as acusações haviam sido médio da obediência às leis e ordenanças do evangelho
retiradas e que ela estava livre. Ao ensinar a doutrina de Jesus Cristo. ◼
do evangelho restaurado de Jesus Cristo, ela tocou Nota
1. Ver Theresa Snow Hill, Life and Times of Henry Eyring and Mary
tantos corações que acabou sendo presa. O fato de ter Bommeli , 1997, pp. 15–22.

A Liahona Abril de 2009 7


Ele Ressuscitou
D
epois da Ressurreição do
Salvador, o Senhor ministrou
a muitos na Terra Santa (ver
páginas 8–11) e nas Américas (ver
páginas 12–13). Na antiguidade, muitos
prestaram testemunho do Cristo vivo,
tal como fez o Profeta Joseph Smith, em
tempos modernos: “E agora, depois dos
muitos testemunhos que se prestaram
dele, este é o testemunho, último de
todos, que nós damos dele: Que ele
vive!” (D&C 76:22).

No alto: Ele Ressuscitou, de Del Parson


Os principais dos sacerdotes e escribas “[entregarão Cristo] aos gentios para
que dele escarneçam, e o açoitem e crucifiquem, e ao terceiro dia ressuscitará”
(Mateus 20:19).

À direita: Ele Não Está


Fundo © Dover Publications Inc.

Aqui, de Walter Rane


“Ele não está aqui,
porque já ressuscitou”
(Mateus 28:6).
No alto: Quando Despontava o Dia,
de Elspeth Young
“E, no fim do sábado, quando já despontava o
8 primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra
Maria foram ver o sepulcro” (Mateus 28:1).
Abaixo: As Três Marias
Junto ao Sepulcro,
de William-Adolphe
Bouguereau
“E, entrando no
sepulcro, viram um jovem
assentado à direita,
vestido de uma roupa
comprida, branca; e
ficaram espantadas”
(Marcos 16:5).

No alto: Manhã de Páscoa, de William F. Whitaker Jr.


“Disse-lhe Jesus: Maria! Ela, voltando-se, disse-lhe: Raboni
(que quer dizer, Mestre)” ( João 20:16).
© 2000 IRI

No alto: O Jardim do Sepulcro, de Linda


Curley Christensen
“Um anjo do Senhor, descendo do céu,
chegou, removendo a pedra da porta”
(Mateus 28:2).

À direita: Os Discípulos Pedro e João Correm


para o Sepulcro, de Dan Burr
“Pedro saiu com o outro discípulo (…)
E os dois corriam juntos, mas o outro
discípulo correu mais apressadamente do
que Pedro, e chegou primeiro ao sepulcro”
( João 20:3–4).
No alto: Apascenta as Minhas Ovelhas,
de Kamille Corry
“Simão, filho de Jonas, amas-me? Disse-lhe:
Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe:
Apascenta as minhas ovelhas” ( João 21:16).

No alto: O Descrente Tomé,


de Carl Heinrich Bloch
Cristo disse a Tomé: “Põe aqui o teu
dedo, e vê as minhas mãos; (…) e não sejas
incrédulo, mas crente” ( João 20:27).

À direita: O Cristo Ressuscitado


na Galileia de Gary Smith
“E, chegando-se Jesus,
falou [aos onze discípulos],
dizendo: (…)
Portanto ide, fazei discípulos
de todas as nações” (Mateus
28:18–19).

10
© 1998 IRI
Abaixo: Cristo na Estrada para Emaús,
de Greg Olsen
“E eles o constrangeram, dizendo: Fica
conosco, porque já é tarde, e já declinou o
dia. E entrou para ficar com eles” (Lucas
24:29).

© 1989, reprodução proibida

© IRI
À direita: A Ascensão
de Jesus, de Harry
Anderson
“E aconteceu que,
abençoando-os ele,
se apartou deles e foi
elevado ao céu” (Lucas
24:51).
Abaixo: Cristo Aparece no Hemisfério Ocidental, de Arnold Friberg
“E aconteceu que, ao entenderem, voltaram outra vez os olhos para o céu;
e eis que viram [Cristo] descendo do céu” (3 Néfi 11:8).
© 1951 IRI

© 1951 IRI
No alto: Samuel, o Lamanita,
Profetiza, de Arnold Friberg
Os nefitas que não creram
“jogaram-lhe pedras sobre a muralha
e também muitos lhe atiraram flechas”
(Helamã 16:2).

À direita: Cristo na Terra de Abundância, de Simon Dewey


“E aconteceu que a multidão se adiantou e (…) apalpou as
marcas dos cravos em suas mãos (…), testemunhando que
© 2003 IRI

ele era [Cristo]” (3 Néfi 11:15).


12
À esquerda: Trazei o Registro, de
Robert T. Barrett
“Sim, Senhor, Samuel profetizou de acordo
com tuas palavras e todas elas se cumpriram.
E Jesus disse-lhes: Por que razão não escrevestes
[essas coisas]?” (3 Néfi 23:10–11).

Abaixo: Cristo e as Crianças do Livro de


Mórmon, de Del Parson
“[Cristo] chorou e a multidão testificou

© 1996 IRI
isso; e pegou as criancinhas, uma a uma, e
abençoou-as” (3 Néfi 17:21).

© 1995
À esquerda: Cristo Ora com
© IRI

os Nefitas, de Ted Henninger


“Ninguém pode calcular
a extraordinária alegria
que nos encheu a alma na
ocasião em que (…) vimos
[Cristo] orar por nós ao Pai”
(3 Néfi 17:17).

Abaixo: Jesus Cristo Visita


as Américas, de John Scott
“E [os nefitas] lançaram-se
aos pés de Jesus e adoraram-
no” (3 Néfi 11:17).
© IRI
O Que a Expiação Significa
para Você?
É l d e r C e ci l O . Sa m u e l s o n J r .
Dos Setenta

O
Profeta Joseph Smith ensinou: “Os único homem perfeito e o Filho Unigênito
princípios fundamentais de nossa reli- de Deus, o Pai. Ele recebeu de Seu Pai o
gião são o testemunho dos Apóstolos encargo de realizar essa obra essencial antes
e Profetas a respeito de Jesus Cristo, que Ele que o mundo fosse criado. Sua perfeita vida
morreu, foi sepultado, ressuscitou no terceiro mortal isenta de pecados, o derramamento
dia e ascendeu ao céu; todas as outras coisas de Seu sangue, Seu sofrimento no jardim
de nossa religião são meros apêndices disso”. 1 e na cruz, Sua morte voluntária e a Ressur-
Esses princípios fundamentais baseiam-se reição de Seu corpo do sepulcro tornaram
na Expiação de Jesus Cristo. A palavra Expia- possível a plena Expiação pelas pessoas de
ção “descreve uma reconciliação daqueles que todas as gerações e épocas.
se distanciaram e refere-se à reconciliação do A Expiação torna a Ressurreição uma
homem com Deus. O pecado é a causa desse realidade para todos. Contudo, em relação A Expiação é extre-
distanciamento e, portanto, o propósito da a nossos pecados e transgressões pessoais, mamente pessoal e
Expiação é corrigir ou vencer as consequên- alguns aspectos condicionais da Expiação foi especificamente
cias do pecado”. 2 Creio que também é possí- exigem que tenhamos fé no Senhor Jesus moldada a nossas
vel distanciar-nos de Deus por muitos outros Cristo, arrependamo-nos e cumpramos as próprias circunstân-
motivos além do pecado manifesto. leis e ordenanças do evangelho. cias e situações.
Os riscos de distanciar-nos de nosso Pai
Celestial e do Salvador são significativos e Imortalidade e Vida Eterna
estão constantemente ao nosso redor. Feliz- Talvez o versículo mais citado em nos-
mente, a Expiação também tinha em vista sas reuniões e em nossos escritos seja este
todas essas situações. É por isso que Jacó, maravilhoso e esclarecedor versículo do livro
À esquerda: Oração no Getsêmani, de Del Parson

irmão de Néfi, descreveu a Expiação como de Moisés: “Pois eis que esta é minha obra e
“infinita” (2 Néfi 9:7), que significa sem limites minha glória: Levar a efeito a imortalidade e
ou restrições externas. É por isso que a Expia- vida eterna do homem” (Moisés 1:39).
ção é tão extraordinária e necessária. Não Graças à Ressurreição, todos nós teremos
admira, portanto, que não apenas precisemos a imortalidade. Graças à Expiação, aqueles
valorizar essa incomparável dádiva, mas tam- que tiverem fé suficiente no Senhor Jesus
bém compreendê-la claramente. Cristo para tomar sobre si o nome Dele, que
Jesus Cristo era o único capaz de rea- se arrependerem e viverem de acordo com
lizar a magnífica Expiação porque era o Seu evangelho, que guardarem os convênios

A Liahona Abril de 2009 15


dos Doze Apóstolos, perguntou: “Será que
estamos crendo erroneamente que devemos
progredir e tornar-nos santos por nós mes-
mos, empregando esforço próprio, força de
vontade e disciplina”? 3
Se nossa salvação fosse apenas uma
questão de esforço pessoal, estaríamos em
graves apuros porque todos nós somos
imperfeitos e incapazes de obedecer ple-
namente, em todos os sentidos, o tempo
todo. Como, então, conseguimos a ajuda e o
auxílio de que necessitamos? Néfi esclareceu
o dilema da relação entre graça e obras, ao
testificar: “Pois sabemos que é pela graça
que somos salvos, depois de tudo o que
pudermos fazer” (2 Néfi 25:23).
O Bible Dictionary nos lembra que graça
significa um mecanismo ou dispositivo divino

P
que proporciona força ou ajuda por meio
odemos ser da misericórdia e do amor de Jesus Cristo
gratos pelo colocados ao nosso alcance pela Expiação. 4
fato de que Portanto, é pela graça de Cristo que somos
o Salvador, por que fizeram com Ele e com Seu Pai e que ressuscitados, e é Sua graça, amor e Expiação
compreender-nos participarem das ordenanças de salvação, que nos ajudam a realizar as boas obras e
melhor do que nós que são realizadas em lugares sagrados e atingir o progresso necessário, que de outro
mesmos, instituiu o de modo sagrado, terão a oportunidade de modo nos seriam impossíveis, se dependêsse-

A Última Ceia, de Simon Dewey, cortesia de Altus Fine Art, American Fork, Utah
sacramento para que desfrutar a vida eterna. mos somente de nossa capacidade e de nossos
pudéssemos renovar Não me recordo de ter conhecido uma recursos.
regularmente nossos pessoa que professasse uma forte fé em Jesus
convênios, parti- Cristo e que estivesse muito preocupada com Felicidade por Meio da Expiação
lhando os sagrados a Ressurreição. É verdade que todos temos Entre as muitas coisas que admiro em
emblemas. muitas perguntas a respeito de detalhes, mas Néfi está sua atitude. Sua vida não foi fácil,
compreendemos que a promessa fundamen- principalmente quando comparada aos
tal inclui todas as pessoas e será cumprida. confortos aos quais a maioria de nós deixa
Como a vida eterna é condicional e exige de dar o devido valor. Néfi e sua família
esforço e obediência de nossa parte, a viveram anos no deserto, antes de chega-
maioria de nós se preocupa, de tempos em rem à terra da promissão. Sofreram longos
tempos, talvez regularmente — e até cons- períodos de fome, sede e perigo. Néfi teve
tantemente — com dúvidas sobre estarmos de lidar com graves problemas familiares,
ou não vivendo da maneira que deveríamos. exacerbados por Lamã e Lemuel; e, por fim,
Como o Élder David A. Bednar, do Quórum precisou se isolar, com seus seguidores,

16
daqueles que ficaram do lado de Lamã e Lemuel. Tampouco podemos ou iremos conhecer o significado
Diante de todas essas privações e dificuldades, Néfi de todas as coisas, mas podemos e precisamos saber que
foi capaz de dizer: “E aconteceu que vivemos felizes” Deus ama Seus filhos e que podemos ser beneficiários da
(2 Néfi 5:27). plena medida da graça e Expiação de Cristo em nossa vida
Ele compreendia que havia um padrão de vida que e em nossas dificuldades. Da mesma forma, conhecemos e
resulta em felicidade, independentemente das dificul- precisamos lembrar a insensatez e o risco de dar lugar ao
dades, obstáculos e desapontamentos que ocorrem mal em nosso coração.
na vida de todos. Foi capaz de concentrar-se na visão Mesmo que compreendamos plenamente e nos
geral do plano de Deus para ele e seu povo, não se comprometamos a eliminar o mal e o maligno de nosso
deixando abater pelas frustrações ou pela correta com- coração e de nossa vida, falhamos muito frequentemente
preensão de que a vida não é justa. Apesar de tudo porque somos homens e mulheres “naturais” (ver Mosias
isso, ele e seu povo foram felizes. Compreenderam 3:19). Assim sendo, precisamos ser gratos pelo princí-
que haveria uma Expiação e que podiam confiar que pio do arrependimento e colocá-lo em prática. Embora
estariam incluídos nela. frequentemente nos refiramos ao arrependimento como
Néfi fez a si mesmo importantes perguntas que pode- um acontecimento, como de fato ele às vezes é, para
mos igualmente fazer-nos ao refletirmos sobre o papel da a maioria de nós trata-se de um processo constante ao
Expiação de Cristo em nossa vida: longo de toda a vida.
“Oh! Então se vi coisas tão grandes e se o Senhor, em Evidentemente, há pecados tanto de omissão quanto
sua condescendência para com os filhos dos homens, de ação pelos quais podemos imediatamente iniciar o
visitou os homens com tanta misericórdia, por que, pois, processo de arrependimento. Há exemplos específicos
deveria meu coração chorar e minha alma padecer no vale de iniquidade e erros que podemos abandonar agora
da tristeza e minha carne definhar e minhas forças diminu- e jamais voltar a cometer. Podemos, por exemplo,
írem por causa de minhas aflições? ser dizimistas integrais pelo restante de nossos dias,
E por que eu cederia ao pecado por causa de minha mesmo que nem sempre tenhamos sido no passado.
carne? Sim, por que sucumbiria a tentações, para que o Mas outras dimensões de nossa vida exigem nosso
maligno tivesse lugar em meu coração a fim de destruir contínuo esforço de aperfeiçoamento e constante
minha paz e afligir minha alma? Por que estou irado por atenção, como nossa espiritualidade, caridade, sen-
causa de meu inimigo?” (2 Néfi 4:26–27). sibilidade em relação às pessoas, consideração pelos
Depois de seu lamento, ele respondeu à própria per- familiares, preocupação com o próximo, compreensão
gunta, sabendo como deveria abordar seus problemas: das escrituras, participação no templo e qualidade de
“Desperta, minha alma! Não te deixes abater pelo pecado. nossas orações pessoais.
Regozija-te, ó meu coração, e não dês mais lugar ao ini- Podemos ser gratos pelo fato de que o Salvador, por
migo de minha alma. (…) Ó Senhor, confiei em ti e em ti compreender-nos melhor do que nós mesmos, instituiu o
confiarei sempre” (2 Néfi 4:28, 34). sacramento para que pudéssemos renovar regularmente
Será que isso significa que Néfi não teve mais problemas? nossos convênios, partilhando os sagrados emblemas
Será que significa que ele compreendia plenamente o que com o compromisso de tomar sobre nós Seu santo nome,
lhe estava acontecendo? Lembrem a resposta que ele deu sempre lembrar-nos Dele e guardar Seus mandamentos.
ao anjo, vários anos antes, quando lhe foi feita uma impor- Se seguirmos o padrão que nos permite “viver felizes”,
tante pergunta referente à Expiação de Cristo, que acontece- nosso arrependimento e nosso desempenho assumem uma
ria no futuro: “Sei que [Deus] ama seus filhos; não conheço, qualidade superior, e nossa capacidade de compreender e
no entanto, o significado de todas as coisas” (1 Néfi 11:17). valorizar a Expiação também aumentará.

A Liahona Abril de 2009 17


S
e quisermos
honrar e amar
o Salvador em Arrependimento e Obediência sangrasse por todos os poros; e sofresse, tanto
retribuição, jamais Nas semanas que antecederam a organi- no corpo como no espírito — e desejasse não
podemos esquecer zação da Igreja, em 1830, o Profeta Joseph ter de beber a amarga taça e recuar —
que Ele realizou a Smith recebeu uma extraordinária revelação Todavia, glória seja para o Pai; eu bebi e
Expiação para que que aumenta nossa compreensão da Expia- terminei meus preparativos para os filhos dos
não precisássemos ção, porque se tratava do próprio Salvador homens” (D&C 19:16–19).
sofrer no nível que a manifestar-Se e a ensinar. Ele Se descre- Que lição notável! Tenho certeza de que
seria exigido de nós veu como “o Redentor do mundo” (D&C nenhum de nós pode imaginar o significado
exclusivamente pela 19:1), reconhecendo que estava cumprindo e a intensidade da dor sofrida pelo Senhor,
justiça. a vontade do Pai, e disse: “ordeno que te enquanto realizava a grandiosa Expiação.
arrependas e guardes os mandamentos que Duvido que Joseph Smith, na época, tivesse
recebeste” (D&C 19:13). uma noção plena do sofrimento do Salva-
Esse simples padrão de arrependimento e dor, embora o Profeta tenha adquirido maior
obediência é realmente a base para “vivermos compreensão e entendimento por meio de
felizes”. Sabemos que é isso que precisamos suas próprias tribulações e sofrimento nos
fazer, embora às vezes esqueçamos o motivo. anos seguintes. Pense na instrução corretiva
O Senhor nos lembra esse motivo nas seguin- dada pelo próprio Jesus ao aconselhar e
tes palavras dessa mesma revelação: consolar Joseph nas tenebrosas horas em
“Pois eis que eu, Deus, sofri essas coisas que esteve preso na Cadeia de Liberty. O
por todos, para que não precisem sofrer caso Senhor disse simplesmente: “O Filho do
se arrependam; Homem desceu abaixo de todas elas. És tu
Mas se não se arrependerem, terão que maior do que ele?” (D&C 122:8).
sofrer assim como eu sofri; Essa pergunta feita a Joseph também é
Sofrimento que fez com que eu, Deus, o feita a cada um de nós em nossas dificulda-
mais grandioso de todos, tremesse de dor e des e desafios pessoais. Ninguém deve

18
jamais duvidar de qual seja a resposta correta. a compreender o suficiente para cantar: “Assombro me
É verdadeiramente tocante saber que Jesus passou por causa o amor que me dá Jesus”. 5
tudo isso, não porque não pudesse evitá-lo, mas porque O que a Expiação significa para você e para mim? Signi-
nos amava. Jesus também ama e honra Seu Pai com uma fica tudo. Como Jacó explicou, podemos “[reconciliar-nos
intensidade e lealdade que somente podemos imaginar. Se com o Pai] pela expiação de Cristo, seu Filho Unigênito”
quisermos honrar e amar o Salvador em retribuição, jamais ( Jacó 4:11).  Isso significa que podemos arrepender-nos,
podemos esquecer que Ele realizou a Expiação para que entrando em plena harmonia com Ele, sendo totalmente
não precisássemos sofrer no nível que seria exigido de nós aceitos por Ele, evitando os erros e mal-entendidos que
Ilustração fotográfica: Frank Helmrich

exclusivamente pela justiça. “[negam] as misericórdias de Cristo e [desprezam] a sua


Flagelos, privações, maus-tratos, cravos e inconcebível expiação e o poder de sua redenção” (Morôni 8:20).
aflição e sofrimento, tudo isso levou a Sua dolorosa ago- Abstemo-nos de desonrar e desrespeitar a Expiação do
nia, que só poderia ser tolerada por alguém que tivesse Salvador seguindo o conselho de Helamã, que é válido
Seus poderes e Sua determinação de permanecer no cami- tanto hoje quanto nos anos que antecederam o advento
nho correto e suportar tudo o que tivesse de enfrentar. terreno do Senhor: “Oh! Lembrai-vos, lembrai-vos, meus
filhos, (…) de que nenhum outro caminho ou meio há
A Abrangência da Expiação pelo qual o homem possa ser salvo, a não ser por meio do
Ao ponderarmos a abrangência da Expiação e a dispo- sangue expiatório de Jesus Cristo, que virá; sim, lembrai-
sição do Redentor de sofrer por todos os nossos pecados, vos de que ele vem para redimir o mundo” (Helamã 5:9).
devemos reconhecer com gratidão que o sacrifício expia- Sua Expiação realmente abrange o mundo e todas as
tório também cobre muitas outras coisas. Reflitam sobre pessoas desde o princípio até o fim. Não esqueçamos,
estas palavras de Alma ao fiel povo de Gideão, quase um porém, que sua abrangência e plenitude também são
século antes de a Expiação ser efetuada: extremamente pessoais e especificamente personalizadas
“E [ Jesus] seguirá, sofrendo dores e aflições e tentações para adequar-se com perfeição a cada uma de nossas
de toda espécie; e isto para que se cumpra a palavra que circunstâncias pessoais. O Pai e o Filho conhecem-nos
diz que ele tomará sobre si as dores e as enfermidades de melhor do que nós mesmos e prepararam uma Expiação
seu povo. para nós que está plenamente de acordo com nossas
E tomará sobre si a morte, para soltar as ligaduras da necessidades, possibilidades e dificuldades.
morte que prendem o seu povo; e tomará sobre si as suas Agradeçamos a Deus pela dádiva de Seu Filho e agra-
enfermidades, para que se lhe encham de misericórdia as deçamos ao Salvador por Sua Expiação. Ela é verdadeira e
entranhas, segundo a carne, para que saiba, segundo a carne, válida e vai-nos conduzir para onde precisamos e deseja-
como socorrer seu povo, de acordo com suas enfermidades. mos estar. ◼
Ora, o Espírito sabe todas as coisas; não obstante, o Filho Extraído de um discurso proferido na Conferência das Mulheres da
de Deus padece segundo a carne para tomar sobre si os Universidade Brigham Young, em 5 de maio de 2006.
pecados de seu povo, para apagar-lhes as transgressões, de
Notas
acordo com seu poder de libertação; e eis que agora este é 1. Joseph Smith, Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith
o testemunho que está em mim” (Alma 7:11–13). (curso de estudos do Sacerdócio de Melquisedeque e da Sociedade de
Socorro, 2007), pp. 52–53.
Pense num alívio completo e abrangente para nossas 2. Bible Dictionary, “Atonement”, p. 617; ver também Guia para Estudo
dores, aflições, tentações, enfermidades, pecados, desa- das Escrituras, “Expiação, Expiar”, pp. 83–84.
3. David A. Bednar, “In the Strength of the Lord”, em Brigham Young
pontamentos e transgressões. Pode imaginar qualquer University 2001–2002 Speeches 2002, p. 123.
4. Ver Bible Dictionary, “Grace”, p. 697; ver também Guia para Estudo
coisa que substitua a Expiação de Jesus? Além disso, das Escrituras, “Graça”, p. 93.
acrescente a incomparável Ressurreição, e começaremos 5. “Assombro Me Causa”, Hinos, nº 112.

A Liahona Abril de 2009 19


A Voz do
Bom Pastor
T
Sherry Cartwright Zipperian
endo morado em uma fazenda em Montana a maior em sua direção, exigindo seu leite ruidosamente.

O Senhor É Meu Pastor, de Simon Dewey, cortesia de Altus Fine Art, American Fork, Utah
parte de meus 70 anos, gosto imensamente da Intrigadas, Alice e eu fizemos uma experiência. Indo até
parábola do bom pastor, que se encontra em João meu curral, Alice imitou meu chamado: “Aqui, cordeirinho!
10:1–18, porque eu a vivi. As experiências a seguir foram Aqui, cordeirinho!” mas não recebeu nenhuma resposta.
particularmente vigorosas para dar vida a essa parábola. Mas quando eu gritei essas mesmas palavras, minhas ove-
Nos tempos bíblicos, cada pastor chamava seu próprio lhas me cercaram. Embora as palavras que usamos para
rebanho do meio de muitos animais que eram reunidos chamar as ovelhas fossem idênticas, nossa voz desconhe-
para passar a noite juntos (ver vv. 3–4). Da mesma forma, cida ficou sem resposta. As ovelhas só seguiram fielmente
para levar minhas ovelhas de um lugar para outro, eu sim- o seu verdadeiro pastor (ver v. 4).
plesmente as chamo, e elas me seguem. João 10 diferencia um pastor de um mercenário. Um
Há vários anos, minha ativa vizinha de 96 anos, Alice, pastor, que é proprietário das ovelhas, tem uma preocu-
que também criava ovelhas, ficou doente na época de as pação amorosa com a segurança delas. Por outro lado, o
ovelhas darem cria, por isso ofereci-me para cuidar de mercenário é apenas contratado e “não tem cuidado das
suas ovelhas à noite. Quando dirigi-me ao curral para meu ovelhas” (v. 13). A parábola também ensina que o mercená-
primeiro “turno” da noite, as quase cem ovelhas da Alice rio foge e abandona suas ovelhas (ver v. 12), ao passo que o
estavam tranquilamente acomodadas para passar a noite. pastor está disposto a dar a vida por suas ovelhas (ver v. 11).
Mas quando apareci, elas imediatamente sentiram que Isso, sem dúvida, é verdade em relação a nosso Bom Pastor
havia alguém estranho no meio delas. Aterrorizadas, — nosso Salvador Jesus Cristo — que
correram em busca de proteção, amontoando-se em amorosamente deu a vida por nós
um canto distante (ver v. 5). {ver vv. 15, 17–18).
Aquilo continuou acontecendo por várias noites. Por Para mim, essas experiências
mais silenciosamente que eu entrasse, as ovelhas sempre confirmaram uma das mensa-
entravam em pânico e fugiam. Falei de modo tranquiliza- gens fundamentais da parábola:
dor para os cordeiros recém-nascidos, enquanto cuidava nosso empenho pessoal em
deles. Na quinta noite, as ovelhas já não se assustavam conhecer o Bom Pastor e pron-
enquanto eu trabalhava no meio delas. Elas passaram a tamente reconhecer Sua voz
reconhecer minha voz e a confiar em mim. vai proteger-nos do risco de
Algum tempo depois, eu disse para a Alice que gos- erroneamente seguir o merce-
taria de alimentar seus cordeiros órfãos com mamadeira. nário. Se seguirmos fiel-
(Os cordeiros órfãos, mais ou menos doze, eram aque- mente a voz de nosso
les cuja mãe havia morrido ou não conseguia produzir Bom Pastor — e de
leite suficiente.) Imitando Alice, eu chamei seus cordei- ninguém mais —
ros: “Venham, bé, bé! Venham, bé, bé!” Esperava que os seremos guiados
cordeiros famintos corressem para junto de mim, como para a segurança
faziam com ela. Mas nenhum cordeiro sequer ergueu a eterna. ◼
cabeça. Alice, então, apareceu na porta da cozinha e
gritou. Ouvindo a voz dela, eles avidamente correram

20
Detalhe de A Segunda Vinda, de Grant Romney Clawson

Aprendei de Mim
O conhecimento do evangelho de Jesus Cristo é o maior de todos os
APRENDIZADOS (ver Mateus 11:29).

A Liahona Abril de 2009 21


Perguntas e Respostas

ã o s ã o a t i v o s n a
“Meus p a i s n
s s o p e r m a n e c e r
Igreja. Com o p o
o a p o i o d e l e s ? ”
firme s e m
Ore por Seus Pais

E
Convide seus pais para realizar a oração
ssa é uma situação difícil, pois os pais são familiar. Convide-os para as atividades da
aqueles a quem geralmente recorremos para Igreja. Organize reuniões familiares. Ore
receber orientação e direção. Mas há coisas muito por eles, e se esforce para dar um bom
que você pode fazer para permanecer firme, e exemplo. Desse modo, você vai fortalecer sua
elas vão ajudá-lo a ser um bom exemplo para família e seu próprio testemunho, vai sentir-se melhor, e o
seus pais. Senhor vai ajudá-lo a permanecer firme na Igreja. Faça isso
Para convidar a inspiração em sua vida, com fé e dedicação, e Ele vai responder a suas orações.
continue a orar e a estudar as escrituras. O Pai Sonia B., 20 anos, Yucatán, México
Celestial ouve suas orações e vai respondê-las.
Volte-se para outros parentes ou membros da Não Desista
Igreja para encontrar o exemplo e apoio de que Meu pai não é membro, e minha mãe e minhas irmãs não são
necessita. Peça, por exemplo, a seus mestres ativas. É doloroso ver que não dão valor a minhas crenças.
familiares ou ao bispo ou presidente do ramo Mas minha fé cresceu ao frequentar o seminário, as reuniões
que lhe deem uma bênção do sacerdócio, se da Igreja e a Mutual, e ao orar e ler as escrituras. O melhor
não houver portadores dignos do sacerdócio conselho que posso dar é não desistir.
em sua casa. Amanda B., 16 anos, Nevada, EUA
Você pode fortalecer seus irmãos e seus pais
pelo exemplo de sua fé. Você pode realizar a Maneiras de Permanecer Ativo
reunião familiar, a oração familiar ou o estudo Conheço uma moça admirável que é extremamente firme na
das escrituras em família com seus irmãos. Igreja, embora seus pais sejam menos ativos. Ela é uma inspi-
Seus pais até podem querer participar. ração para as outras moças, pois já conquistou seu medalhão
O mais importante é que você continue das Moças. Ela diz que o apoio das outras moças, a frequência
a amar seus pais. Não os condene. Em vez regular às reuniões da Igreja e uma verdadeira comunicação com
disso, seja bondoso e paciente. Eles ainda seu Pai Celestial sempre são maneiras muito eficazes de ajudá-la
precisam de seu amor e apoio, assim como a permanecer ativa.
você precisa do amor e apoio deles. Chelsea C., 17 anos, Oklahoma, EUA

22 As respostas são auxílios e pontos de vista, não pronunciamentos de doutrina da Igreja.


PR Ó X I M A PER G U NT A
“Como posso ter pensamentos puros
se tantas pessoas se vestem com tão
pouco recato?”

Um Porto Seguro você ir à Igreja. Peça a seus líderes Envie sua resposta até 15 de maio de
Confio na oração e no que o ajudem com o transporte 2009 para:
estudo das escrituras e tente fazer com que seu bispo ­Liahona, Questions & Answers 5/09
para fortalecer meu converse com seus pais. Ore e peça 50 E. North Temple St., Rm. 2420
testemunho e descobri ao Pai Celestial que lhe dê apoio e Salt Lake City, UT 84150-0024, USA
um porto seguro na ore para que seus pais comecem a Ou envie um e-mail para:
participação do programa dos escotei- ver que permanecer ativo na Igreja é liahona@ldschurch.org
ros e dos Rapazes, e também no uma coisa importante para você. Você
cumprimento de meus chamados. também pode ficar mais forte lendo O seu e-mail ou a sua carta deve
Também é importante seguir o o Livro de Mórmon diariamente e conter as informações e a permissão
conselho dos profetas e escolher guardando os mandamentos. a seguir:
bons amigos. Lembre-se sempre de Craig L., 16 anos, Missouri, EUA NOME COMPLETO
dar um bom exemplo para sua família,
demonstrando amor sincero, atenção Dois Sistemas de Apoio DATA DE NASCIMENTO

e respeito. Se você fizer sua parte, o Encontro muitas situações semelhan-


ALA (ou ramo)
Senhor fará a Dele. tes na missão, e os jovens que enfren-
Élder Whigham, 21 anos, Missão Califórnia tam isso são muito corajosos. Como ESTACA (ou distrito)
San Francisco
eles conseguem? Eles desenvolvem
Adquirir Coragem pelo um sistema de apoio dentro da Igreja Dou permissão para a publicação da
Exemplo Deles por meio de amigos e líderes, além de resposta e da fotografia:
Minha mãe é menos ativa e meus um sistema de apoio com o Senhor ASSINATURA
outros parentes não são membros. O por meio da oração, leitura diária das
que faço é confiar em meus líderes escrituras e frequência às reuniões ASSINATURA DOS PAIS (para menores de 18 anos)

e amigos. Eles sempre me ajudam. da Igreja. Você vai conseguir se fizer


Foram muito importantes em minha essas coisas!
vida, pois me ajudaram a moldar Élder Jones, 21 anos, Missão Taiti Papeete
meu estilo de vida e minha meta de
servir em uma missão. Eles me deram
muita coragem por meio do exemplo. Você Pode Fortalecer Sua Família
Você precisa valorizar a amizade das “Para o Vigor da Juventude nos lembra que ‘ser parte
pessoas que ajudam a edificá-lo como de uma família é uma grande bênção. (…) Nem todas as
membro e passar mais tempo com famílias são iguais, mas cada uma delas é importante
eles, porque sem dúvida você sempre para o plano do Pai Celestial’ [(livreto, 2001), p. 10].
terá algo mais a aprender. Todas as famílias precisam-se fortalecer, da ideal à
Ivana S., 20 anos, Buenos Aires, Argentina mais problemática. Esse fortalecimento pode vir de você.
Na verdade, em algumas famílias, você pode ser a única fonte de força espi-
Expresse Amor a Seus Pais ritual. O Senhor conta com você para trazer as bênçãos do evangelho a sua
Continue falando com seus pais família.
e tente conseguir o apoio deles. É importante estabelecer padrões de retidão em sua própria vida; com isso,
Expresse a eles seu amor e gratidão você conseguirá ser um bom exemplo para sua família, seja qual for o modo
e diga-lhes como é importante para como ela esteja constituída.”
Mary N. Cook, primeira conselheira na presidência geral das Moças, “Fortalecer o Lar e a
Família”, A ­Liahona e ­Ensign, novembro de 2007, p. 11.

A Liahona Abril de 2009 23


L i n h a s o b r e L i n h a

Tiago 1:5–6
O Apóstolo Tiago nos ensinou a chave para receber sabedoria de Deus.

Pedir a Deus Liberalmente


A leitura desse versículo fez com que Joseph Smith Liberalmente — livremente, generosamente,
fosse orar no Bosque Sagrado, onde teve a Primeira Visão abundantemente.
(ver Joseph Smith—História 1:11–17). Você consegue se
lembrar de exemplos de experiências de sua família ou Lançar em rosto
de suas próprias experiências nas quais uma pessoa que Lançar em rosto — criticar, repreender, reprovar. Em
buscava conhecimento recebeu resposta a uma oração? outras palavras, Deus vai responder a você e jamais vai
Escreva a respeito disso em seu diário. reprová-lo por sua oração sincera a Ele para que esclareça
uma dúvida.

A Todos Peça com Fé


“É privilégio dos “O Profeta [ Joseph
filhos de Deus ache- Smith] disse que,
gar-se a Ele e receber depois de ler esse
revelação. (…) Deus versículo, soube com
não faz acepção de certeza que precisava
pessoas; todos temos colocar à prova a pala-
o mesmo privilégio.” vra do Senhor e perguntar a Ele, ou
Profeta Joseph Smith, Ensinamentos dos permanecer nas trevas para sempre.
Presidentes da Igreja: Joseph Smith (curso
de estudos do Sacerdócio de Melquisedeque
(…) Ele havia lido a escritura e a
e da Sociedade de Socorro, 2007), p. 138. compreendido, ele havia confiado em
Ser-lhe-á Dada Deus, seu Pai Eterno. Então, ele se
O Pai Celestial ouve e responde suas orações. Suas respostas virão no devido ajoelhou e orou, sabendo que Deus
Detalhe de Irmão Joseph, de David Lindsley; fotografia: David Newman

tempo Dele e de várias maneiras: por exemplo, nas coisas que acontecem em lhe daria o entendimento que since-
sua vida, por meio de atos bondosos de outras pessoas ou por meio da voz ramente buscava. O Profeta Joseph
mansa e delicada do Espírito Santo. Eis algumas maneiras pelas quais você Smith ensinou-nos o princípio da fé
pode receber orientação por meio do Espírito (extraído de “Revelação”, — pelo exemplo”.
Sempre Fiéis [2004], pp. 155–158: Presidente Thomas S. Monson, “The Pro-
phet Joseph Smith: Teacher by Example”,
• Ore pedindo orientação. • Reserve tempo para ponderar. Tambuli, junho de 1994, p. 5; ­Ensign, junho
de 1994, p. 4.
• Seja reverente. • Quando procurar orientação
• Seja humilde. específica, estude a questão em sua
• Guarde os mandamentos. mente.
• Participe dignamente do • Busque pacientemente conhecer a
sacramento. vontade de Deus.
• Estude as escrituras diariamente.

24 Nota do Editor: Esta página não se destina a trazer uma explicação abrangente da escritura selecionada,
mas sim, a ser um ponto de partida para o seu estudo pessoal.
M e n s a g e m d a s P r o f e s s o r a s V i s i t a n t e s

Examinar as Escrituras
maneira de começar a estudar as escri-
turas é a de ‘aplicá-las’ a nós mesmos

Diligentemente
(ver 1 Néfi 19:23). Algumas pessoas
começam escolhendo no Guia para
Estudo das Escrituras um assunto que
Ensine as escrituras e Presidente Spencer W. Kimball precisam aprender. Ou leem um livro
citações que vão ajudar (1895–1985): “À medida que conhe- de escritura desde o início e buscam
as irmãs que você visita cerem cada vez mais as verdades ensinamentos específicos enquanto o
a compreender esses das escrituras, vocês se tornarão fazem. (…)
princípios. Peça às pessoas a quem mais eficazes no cumprimento do Seja qual for a maneira como
você ensina que compartilhem o que segundo grande mandamento de alguém começa a estudar as escri-
sentiram e aprenderam. amar seu próximo como a si mesmos. turas, a chave para a revelação de
conhecimentos importantes é con-
Por Que Examinar as Escrituras? tinuar a estudar. Jamais me canso
Presidente Howard W. Hunter de descobrir os preciosos tesouros
(1907–1995): “Recomendo a vocês de verdade nas escrituras, porque
as revelações de Deus como o padrão elas ensinam com ‘clareza, sim, tão
pelo qual precisamos conduzir nossa claramente quanto o podem ser
vida e pelo qual precisamos avaliar cada as palavras’ (2 Néfi 32:7). As escri-
decisão e ação. Consequentemente, turas testificam de Cristo (ver João
quando tiverem preocupações e dificul- 5:39). Elas dizem todas as coisas que
dades, enfrentem-nas consultando as devemos fazer (ver 2 Néfi 32:3). Elas
escrituras e os profetas” (“Fear Not, Little ‘podem fazer-[nos] sábios para a sal-
Flock”, em 1988–1989 Devotional and vação’ (II Timóteo 3:15).
Fireside Speeches 1989, p. 112). Por meio da leitura das escrituras
Presidente Ezra Taft Benson (1899– e da oração que acompanha meu
1994): “O sucesso em retidão, a capa- Tornem-se estudiosos das escrituras, estudo, adquiro um conhecimento
cidade de não ser enganados e resistir não para humilhar as pessoas, mas que me traz paz e ajuda a manter
à tentação, a orientação em nossa vida para edificá-las! Afinal, quem mais minhas energias voltadas para as
diária, a cura da alma — essas são precisa ‘entesourar’ as verdades do prioridades eternas. Por ter come-
apenas algumas das promessas que o evangelho (para poder relembrá-las çado a ler as escrituras diariamente,
Ilustração fotográfica: Craig Dimond; fundo: Shannon Gygi Christensen

Senhor fez para os que buscarem Sua nos momentos de necessidade) do aprendi a respeito de meu Pai
palavra. (…) Certas bênçãos só são que as mulheres e mães que tanto Celestial, de Seu Filho Jesus Cristo e
encontradas nas escrituras, só são rece- fazem para nutrir e ensinar?” (“The do que preciso fazer para tornar-me
bidas quando buscamos a palavra do Role of Righteous Women”, ­Ensign, como Eles” (“Minha Alma Se Deleita
Senhor e nos apegamos a ela. (…) novembro de 1979, p. 102). nas Escrituras”, A L­ iahona e E ­ nsign,
 Renovem seu compromisso de maio de 2004, pp. 108–109).
estudar as escrituras. Aprofundem-se Como Posso Entesourar as Escrituras? Presidente Thomas S. Monson: “As
no estudo diário delas para terem o 2 Néfi 4:15: “Porque minha alma santas escrituras adornam nossas estan-
poder do Espírito com vocês em seus se deleita nas escrituras e meu coração tes de livros. Cuidem para que elas
chamados. Leiam-nas em família e nelas medita e escreve-as para instru- proporcionem sustento para a mente
ensinem seus filhos a amar e ente- ção e proveito de meus filhos.” e orientação para a vida” (“The Mighty
sourá-las (“The Power of the Word”, Julie B. Beck, presidente geral Strength of the Relief Society”, ­Ensign,
­Ensign, maio de 1986, p. 82). da Sociedade de Socorro: “Uma boa novembro de 1997, p. 95). ◼

A Liahona Abril de 2009 25


O Aprendizado
e os Santos dos Últimos Dias

É l d e r Da l l i n H . Oa k s
Do Quórum dos Doze Apóstolos
e K r i s t e n M . Oa k s

T
“ odo aquele que invade o domínio do conheci-
mento deve fazê-lo tal como Moisés diante da sarça
ardente: está pisando em solo sagrado, querendo
obter coisas sagradas”, disse o Presidente J. Reuben Clark
Jr. (1876–1961), membro da Primeira Presidência, falando
na solenidade de posse de um novo reitor da Universidade
A aquisição de conhecimento é uma Brigham Young. “Precisamos iniciar essa jornada em busca
atividade sagrada que dura a vida da verdade, em toda e qualquer área do conhecimento
inteira e é agradável a nosso Pai humano, não apenas com reverência, mas com espírito de
Celestial e incentivada por Seus adoração.” 1
servos. Como santos dos últimos dias, cremos em ser instruí-
dos e temos uma filosofia sobre como e por que devemos
buscar essa instrução. Nossa fé religiosa nos ensina que
devemos buscar conhecimento pelo Espírito e que temos
o encargo de usar nosso conhecimento em benefício da
humanidade.

Nossa Jornada em Busca da Verdade


“[Nossa] religião (…) [nos] insta a buscar conhecimento
diligentemente”, ensinou o Presidente Brigham Young
(1801–1877). “Não existe outro povo mais ávido de ver,
ouvir, aprender e compreender a verdade.” 2
Nossa jornada em busca da verdade deve ser tão ampla
quanto as atividades de nossa vida e tão profunda quanto
permitam nossas circunstâncias. Um santo dos últimos
dias instruído deve procurar compreender os importantes
problemas religiosos, seculares, sociais e políticos de sua
época. Quanto mais conhecimento tivermos a respeito

26
das leis do céu e das coisas terrenas, maior
influência poderemos exercer para o bem
nas pessoas a nosso redor e mais protegidos
estaremos das influências torpes e malignas
que podem confundir-nos e destruir-nos.
Em nossa jornada em busca da verdade,
precisamos procurar a ajuda de nosso amo-
roso Pai Celestial. Seu Espírito pode guiar-nos
e intensificar nossos esforços de aprendizado
e magnificar nossa capacidade de assimilar a
verdade. Esse aprendizado pelo Espírito não
À esquerda: Fotografia: Craig Dimond; à direita: ilustrações fotográficas: John Luke, Matthew Reier e Christina Smith

se restringe às salas de aula nem à preparação


para os exames acadêmicos. Aplica-se a tudo
o que fazemos na vida e a todo lugar em que
o fazemos: no lar, no trabalho e na Igreja.
Ao procurarmos receber e aplicar a orienta-
ção do Espírito num mundo conduzido pelas
tendências e questões de nossa época, somos
confrontados por uma avalanche de informa-
ções erradas e triviais que chegam a nós pela
tecnologia moderna. Estamos sob risco de
tornar-nos “‘pessoas rasas’, com conhecimento
bastante diversificado porém muito superfi-
cial, ao conectar-nos com a imensa rede de
informações que pode ser acessada com um
simples toque de botão”. 3
Também somos bombardeados por pro-
gramas de entrevistas, psicólogos de televisão,
revistas de moda e comentaristas da mídia,
cujos valores distorcidos e práticas questio-
náveis podem conduzir nossas opiniões e
influenciar nosso comportamento. Como
exemplo, o Presidente Spencer W. Kimball

A Liahona Abril de 2009 27


(1895–1985) disse: “Jamais houve uma época na história do Espírito Santo. Precisamos abster-nos da impureza sexual,
mundo em que o papel [dos homens e das mulheres] tenha pornografia ou vícios, bem como de sentimentos negati-
sido vítima de tantos mal-entendidos”. 4 vos em relação aos outros ou a nós mesmos. O pecado
Nessa situação, a confusão, o desânimo ou a dúvida afasta o Espírito do Senhor, e quando isso acontece, a
podem começar a minar nossa fé e afastar-nos do Salvador iluminação especial do Espírito é perdida, e a lâmpada do
e da edificação de Seu reino na Terra. Se concentrarmos aprendizado começa a fraquejar.
nossas decisões nas tendências e orientações do mundo, Na revelação moderna temos a promessa de que, se
seremos “levados em roda por todo o vento de doutrina, tivermos os olhos fitos na glória de Deus, o que inclui a
pelo engano dos homens que com astúcia enganam frau- dignidade pessoal, “todo o [nosso] corpo se encherá de luz
dulosamente” (Efésios 4:14). e em [nós] não haverá trevas; e o corpo que é cheio de luz
Sem ser influenciada pela opinião popular, A Igreja de compreende todas as coisas” (D&C 88:67).
Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias ensina princípios. Podemos comprovar imediatamente esse princípio
A diferença é profunda. As tendências, a moda e a ideolo- eterno por experiência própria. Lembra-se de uma ocasião
gia popular são fugazes e efêmeras. Os princípios servem em que você se sentia ressentido ou com vontade de
como âncoras de segu- discutir ou brigar? Você conseguia estudar eficazmente?
rança, orientação e ver- Recebeu alguma iluminação naquele período de sua vida?
dade. Se fixarmos nossos O pecado e a raiva obscurecem a mente. Produzem
ideais e nosso rumo na uma condição oposta à luz e verdade que caracteriza a
doutrina e em princípios inteligência, que é a glória de Deus (ver D&C 93:36). O
como ter fé no Senhor arrependimento, que pode purificar-nos do pecado por
Jesus Cristo e seguir o meio do sacrifício expiatório de Jesus Cristo, portanto,
profeta, teremos um guia é um passo essencial no caminho do aprendizado para
totalmente confiável e todos os que buscam luz e verdade por meio do poder
imutável para as decisões que o Espírito Santo tem para ensinar.
de nossa vida. 5 Somos seres imperfeitos, mas todos podemos nos esfor-
Não precisamos temer. çar para ser mais dignos da companhia do Espírito, que
O Presidente Henry B. vai magnificar nosso discernimento pessoal e preparar-nos
Eyring, Primeiro Con- para ser melhores ao defender a verdade, suportar as pres-
selheiro na Primeira sões sociais e fazer contribuições positivas.
Presidência, ensinou:
“O Senhor sabe o que Educação

Ilustrações fotográficas: Robert Casey, Marina Lukach e Craig Dimond


vocês precisam fazer e o que precisam conhecer. Ele é Em nossas escolhas educacionais, devemos preparar-
bondoso e onisciente. Por isso, você pode ter certeza de nos para prover o sustento para nós mesmos e para
que Ele proveu oportunidades para que você aprenda, aqueles que serão nossos dependentes. É necessário que
em preparação para o serviço que vai prestar. Você tenhamos habilidades que possam prover-nos rendimen-
não reconhecerá perfeitamente essas oportunidades. tos. A instrução é obrigatória para nossa segurança e
(…) Mas, se colocar as coisas espirituais em primeiro nosso bem-estar pessoais.
lugar na vida, será abençoado para sentir-se guiado em Nosso Pai Celestial espera que usemos nosso arbítrio e
direção a certo tipo de aprendizado e será motivado a nossa inspiração para avaliar quem somos e quais são nos-
trabalhar mais arduamente”. 6 sas habilidades, a fim de decidir o curso educacional que
devemos seguir. Isso é particularmente importante para os
Dignidade Pessoal jovens que terminaram o curso médio e o serviço mis-
Nossos esforços para aprender precisam estar aliados sionário e agora precisam tomar decisões quanto a seus
à dignidade pessoal, para que recebamos a orientação do estudos e emprego. Como as escolhas que as pessoas têm

28
diante de si podem diferir muito, começa- muito das dos homens.
mos analisando nossas experiências diversas, Fui criada numa época
acreditando que sejam semelhantes às de em que as mulheres
muitos santos dos últimos dias. aparentemente só
Élder Oaks: Como acontece com a maioria tinham duas opções
de nossos rapazes, minha busca de instrução para sustento pessoal:
formal foi muito intensa, constante e moti- ser professora ou enfer-

O
vada pela necessidade de qualificar-me para meira. Meu “problema”
sustentar uma família. Depois da faculdade, era que eu não pretendia seguir nenhuma aprendizado
veio a pós-graduação, que foi financiada por dessas profissões. Conseguir sustentar-me pelo Espí-
um emprego de meio-período e por emprés- financeiramente era algo que eu não con- rito não se
timos que seriam pagos quando eu pudesse siderava possível nem necessário. Adorava restringe às salas de
ganhar mais por ter adquirido mais instrução. aprender e sabia trabalhar. Na verdade, aula nem à prepara-
Nesse ínterim, casei-me e começamos a ter adorava trabalhar. Tive muitos empregos de ção para os exames
filhos. O apoio de uma esposa e a responsa- verão, e tirava boas notas na escola. Quando acadêmicos. Aplica-
bilidade de uma família crescente melhora- me dei conta do fato de que precisava me se a tudo o que
ram meu desempenho na escola e deram-me sustentar integralmente, fiquei com medo, fazemos na vida e a
uma motivação vigorosa para formar-me e quase paralisada pelos desafios imprevistos todo lugar em que o
progredir em minha carreira profissional. Ao que pareciam ameaçar-me. Eu não tinha fazemos: no lar, no
terminar os cursos formais, dediquei parte nenhuma formação profissional. Meus estu- trabalho e na Igreja.
de meu recém-adquirido tempo livre prosse- dos em artes tinham-me alimentado a alma,
guindo em meus estudos na minha profissão mas eu precisava de algo que me rendesse
e lendo outras coisas que há muito desejava algum sustento.
ler referentes à história da Igreja e a conheci- Fui fazer pós-graduação para aprender
mentos gerais. algo que me ajudasse a sustentar-me. Adorei
Irmã Oaks: As metas e experiências edu- cada minuto de aprendizado e encontrei não
cacionais das mulheres geralmente diferem apenas novas ideias, mas descobri minhas
aptidões. Tendo antes me sentido tímida e
um tanto vulnerável, passei a sentir-me capaz
e competente para enfrentar a vida por conta
própria.

Encruzilhadas
Sabemos que nada é mais frustrante do que
não saber o que fazer com seu futuro, mas
nada traz mais satisfação pessoal do que des-
cobrir suas aptidões. Leia sua bênção patriar-
cal, pondere suas aptidões e talentos naturais
e, então, siga em frente. Dê o primeiro passo,
e as portas se abrirão. Por exemplo, quando
a irmã Oaks começou a estudar literatura
inglesa, nem sequer sonhava que isso a levaria
para uma editora de Boston. Quando o Élder
Oaks estudava contabilidade, ele nunca supôs

A Liahona Abril de 2009 29


que isso o levaria escreveu pedindo conselhos. Ela confiden-
a estudar Direito, a ciou que havia procurado uma autoridade
trabalhar na Universi- eclesiástica para pedir conselhos sobre a
dade Brigham Young possibilidade de estudar Direito, e ele a havia
e, depois, na Suprema desencorajado. Não conhecemos suas habi-
Corte de Utah. Com o lidades ou limitações. O conselho que ela
Senhor, “todas as coisas recebeu pode ter sido dado com base nelas
contribuem juntamente ou na inspiração específica para sua situação.
para o [nosso] bem” Mas lendo a carta dessa jovem, pudemos
(Romanos 8:28), e nossa sentir sua determinação, ficando claro que
instrução é adquirida ela devia ser aconselhada a atingir seu pleno
passo a passo com o potencial.
desenrolar da vida. O Presidente Thomas S. Monson, como
Precisamos decidir parte de sua mensagem na reunião geral
o que estudaremos, da Sociedade de Socorro, realizada em 29
porque o aprendizado de setembro de 2007, disse às mulheres:
dura para sempre, e “Não orem por tarefas que não excedam
todo conhecimento útil, sua capacidade, mas orem por capacidade
sabedoria ou “princípio para cumprir suas tarefas. Então a realização
de inteligência” que de suas tarefas não será um milagre, vocês
adquirirmos nesta vida serão o milagre”. 8

A
“surgirá conosco na Advertimos que, devido à necessidade de
instrução ressurreição” (D&C 130:18). terminar os estudos e assegurar estabilidade
não se limita É preocupante ver que tantas pessoas, financeira, os homens e as mulheres podem
aos cursos especialmente as mulheres, têm dúvidas ficar tentados a dar menor prioridade ao
formais. O aprendi- em relação à própria capacidade de ter casamento. É falta de visão eterna seguir
zado por toda a vida sucesso na vida. Dirigindo-se às mulhe- um rumo profissional que torne a pessoa
aumenta nossa capa- res que estudavam matemática, ciências indisponível para o casamento, que é um
cidade de valorizar e engenharia, em março de 2005, o reitor valor eterno, por não ser condizente com
e apreciar o funcio- da Universidade Brigham Young, o Élder seu cronograma profissional, que é um
namento e a beleza Cecil O. Samuelson Jr., dos Setenta, disse: valor mundano.
do mundo ao nosso “Um de seus professores comentou comigo Uma amiga acompanhou a filha para
redor. (…) que algumas de vocês têm menos
confiança em sua capacidade e potencial
do que seus colegas do sexo masculino,
mesmo que haja evidências de que essa
preocupação não seja justificada. Vocês
precisam reconhecer seus talentos, habi-
lidades, aptidões e pontos fortes e não
duvidar dos dons que Deus lhes deu”. 7
As mulheres, em especial, podem sofrer
pressões negativas quando aspiram a cargos
profissionais. Uma jovem irmã que estava
com quase 30 anos e precisava sustentar-se

30
conhecer os cursos de pós-graduação oferecidos no Leste continuar nossa instrução espiritual estudando as escri-
dos Estados Unidos. Sua filha, que era muito motivada e turas e as publicações da Igreja e frequentando as reu-
talentosa, sabia que se frequentasse a melhor escola que niões da Igreja e o templo. Banquetear-nos nas palavras
havia escolhido, isso representaria imensos gastos em da vida vai enriquecer-nos, aumentar nossa capacidade
educação. Em geral, vale a pena procurar o melhor, em ter- de ensinar nossos entes queridos e preparar-nos para a
mos educacionais, mas naquele caso, a filha orou e sentiu vida eterna.
que, embora uma grande dívida não a impedisse de casar, O principal objetivo de adquirir instrução é tornar-
poderia impedi-la de parar de trabalhar para ficar em casa nos melhores pais e servos no reino. Ao longo prazo,
com os filhos. Sejam sábios. Todos somos diferentes. Se é o crescimento, o conhecimento e a sabedoria que
buscarem o conselho Dele, o Senhor vai mostrar-lhes o que adquirimos que vão ampliar-nos a alma e preparar-nos
é melhor para vocês. para a eternidade, e não as nossas notas nos boletins
escolares. As coisas do Espírito são coisas eternas, e
Sede de Aprender
O Élder Jay E. Jensen, da Presidência dos Setenta, ensi-
nou que precisamos “manter-nos sempre afiados na capa-
cidade de aprender”. 9 Essa capacidade precisa ser afiada
pelo desejo de aprender, guiado por prioridades eternas.
Além de aumentar nossas qualificações profissionais,
devemos ter o desejo de aprender a tornar-nos mais emo-
cionalmente realizados, mais hábeis em nossos relaciona-
mentos pessoais e melhores pais e cidadãos. Há poucas
coisas mais gratificantes e agradáveis do que aprender
algo novo. Isso proporciona grande felicidade, satisfação e
recompensas financeiras. A instrução não se limita aos cur-
sos formais. O aprendizado por toda a vida aumenta nossa
capacidade de valorizar e apreciar o funcionamento e a
beleza do mundo ao nosso redor. Esse tipo de aprendi- nosso relacionamento familiar, selado pelo poder do
zado vai muito além dos livros e do uso seletivo de novas sacerdócio, é o principal fruto do Espírito. A instrução é
tecnologias, como a Internet. Inclui atividades artísticas. um dom de Deus: é a pedra angular de nossa religião,
Também inclui experiências pessoais com lugares e pes- se a usarmos em benefício das pessoas. ◼
soas: conversas com amigos, visitas a museus e concertos
Notas
e oportunidades de serviço. Devemos expandir-nos e 1. J. Reuben Clark Jr., “Charge to President Howard S. McDonald”,
desfrutar a jornada. Improvement Era, janeiro de 1946, p. 15.
2. Brigham Young, “Remarks by President Brigham Young”, Deseret
Talvez tenhamos de nos esforçar para alcançar nossas
Ilustrações fotográficas: Matthew Reier, Craig Dimond

News, 14 de março de 1860, p. 11.


metas, mas nossas dificuldades podem promover nosso 3. Richard Foreman, citado por Nicholas Carr, “Is Google Making Us
Stupid?” Atlantic Monthly, julho/agosto de 2008, p. 63.
crescimento tanto quanto o aprendizado. Os pontos 4. Spencer W. Kimball, Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Spencer
fortes que desenvolvemos ao superar obstáculos estarão W. Kimball (curso de estudos do Sacerdócio de Melquisedeque e da
Sociedade de Socorro, 2006), p. 247.
conosco nas eternidades futuras. Não devemos invejar as 5. O conteúdo deste parágrafo e de vários outros deste artigo foram
pessoas cujos recursos financeiros ou intelectuais tornam Extraídos de Kristen M. Oaks, A Single Voice (2008).
6. Henry B. Eyring, “Education for Real Life”, ­Ensign, outubro de 2002,
a jornada fácil. O crescimento nunca foi fácil, e as pessoas pp. 18–19.
7. Cecil O. Samuelson Jr., “What Will Be Relevant”, discurso não
que têm facilidade na jornada terão de crescer por meio publicado.
e Christina Smith

de outros sacrifícios ou deixarão de vivenciar o progresso 8. Thomas S. Monson, “Três Metas para Guiá-las”, ­Ensign e A ­Liahona,
novembro de 2007, p. 118.
que é o propósito da vida. 9. Carta de Jay E. Jensen para Dallin H. Oaks, datada de 23 de abril
Mais importante ainda, temos a obrigação de de 2008.

A Liahona Abril de 2009 31


32
Caminhar a Segunda Milha
Pa u l Va n D e n B e r g h e
Revistas da Igreja

Q
uando Stein Arthur Andersen tinha uns 15 ativos do lugar onde morava. Tor Lasse diz: “Senti imedia-
anos, não era ativo na Igreja. Nem sua família. tamente que devia visitar Stein Arthur”.
Mudaram-se várias vezes para diversas regiões da “Eu era provavelmente um dos nomes da lista”, diz
Noruega. Naquela época, estavam morando em Stavanger. Stein. Mas para Tor Lasse, Stein era muito mais do que
É a quarta maior cidade do país e localiza-se apenas um nome na lista. Tor Lasse lembra que ficou
na costa sudoeste. Stein estivera impressionado com a inteligência de Stein e
algumas vezes na Igreja, em seu caráter sereno e determinado. Por isso,
Stavanger, e conhecera alguns dos Tor Lasse decidiu fazer uma visita pessoal
outros jovens santos dos últimos Às vezes, um para convidar Stein a participar do novo
dias que moravam na região. Um rapaz,
em particular, deixou em Stein uma impressão
pouco mais de programa do seminário.
Tor Lasse telefonou antes e conversou
muito forte: seu nome era Tor Lasse Bjerga. esforço produz com os pais de Stein, para assegurar-se de
Foi durante uma dessas raras visitas à Igreja que ele estaria em casa quando fosse visitá-
que Stein conheceu Tor Lasse. “Ele era alguns grandes coisas. lo. Para ir à casa de Stein, Tor Lasse teve
anos mais velho do que eu e realmente me de viajar uns 35 minutos de ônibus para
impressionou”, diz Stein. “Eu sentia um bom chegar a uma balsa. Depois, fez a travessia
espírito quando estava perto dele e achei que de balsa, que durava 45 minutos. Por fim,
era uma ótima pessoa”. Se Stein não tivesse teve de andar mais meia hora. “Penso nisso o
ficado impressionado com Tor Lasse, provavelmente tempo todo”, diz Stein. “O que Tor Lasse fez foi realmente
não teria tido disposição de ouvir quando o rapaz foi caminhar a segunda milha.”
até sua casa para fazer um convite especial. Os dois ainda se lembram muito bem do espírito que
Esse convite foi feito em meados da década sentiram naquele dia, há 35 anos. Ao sentarem-se na sala
de 1970, quando o programa do seminário teve de jantar, Stein refletia sobre todas as coisas com as quais
início na Noruega, e Tor Lasse foi chamado estava envolvido. “Eu estava muito ocupado jogando fute-
como o primeiro professor do seminário. bol, participando do escotismo e tocando trompete, e fazia
Como só tinha 18 anos na época, Tor todo tipo de coisa. Achava-me bastante atarefado.”
Lasse estava um pouco preocupado “Tor Lasse falou comigo sobre o seminário e disse:
em assumir essa responsabilidade ‘Stein Arthur, gostaria de matricular-se no programa do
tão grande. “Orei muito a respeito seminário e começar a estudar as escrituras conosco?’ Eu
disso”, relembra ele. Uma coisa estava sentado junto à lareira e disse que sim. O lógico
que ele sabia com certeza era que seria que eu recusasse o convite por não ter tempo. Mas
desejava envolver os jovens menos eu disse que sim. E isso foi o início de tudo.”
Ilustrações: Gregg Thorkelson A Liahona Abril de 2009 33
Esse “tudo” incluía acordar bem cedo todas as manhãs aceitar seu convite. É assim que o Senhor trabalha.”
para estudar as escrituras e as lições do seminário em sua Um ano ou mais depois, Tor Lasse decidiu servir
própria casa. Depois, o pequeno grupo de quatro ou cinco em uma missão e foi chamado para servir na Noruega.
alunos se reunia todas as semanas. “Aos poucos, come- Durante esse tempo, Stein continuou a fortalecer o próprio
cei a sentir o Espírito naquelas manhãs, lendo sozinho, testemunho do evangelho. “Quando Tor voltou da missão,
e acordava cedo todas as manhãs”, diz Stein. “Depois de comecei a pensar em servir em uma missão também”,
algum tempo, senti que o dia não era o mesmo se eu não diz Stein. “Cheguei à conclusão de que deveria ir porque
estudasse pela manhã. Comecei a adquirir um testemunho queria servir ao Senhor, e achei que se não fosse, eu me
sem mesmo saber o que era isso.” arrependeria pelo resto da vida.”
Stein explica que “depois de algum tempo, compreendi Stein lembra que, depois de conversar com seus líderes
o que eram aqueles sentimentos. Senti-me bem com o do sacerdócio sobre a missão, sentiu que os pés mal toca-
que estava aprendendo e senti o Espírito. Senti que aquilo vam o chão quando caminhava de volta para casa. Antes de
estava certo. E soube que era algo sobre o qual queria partir para sua missão (também na Noruega), Stein conhe-
edificar minha vida”. ceu sua futura esposa, Hilde, numa conferência de jovens
Mas por que Stein disse que sim, quando se sentia em Oslo. Eles trocaram cartas durante sua missão e, depois
tão atarefado? “Acho que a influência do Espírito Santo que ele voltou para casa, eles se casaram. Agora eles têm
agiu sobre mim”, diz ele. “Devo ter sido preparado de quatro filhos: dois filhos, que se casaram no templo, e duas
alguma forma. Por isso, quando Tor Lasse veio com fé, filhas, que ainda estão em casa e são ativas no seminário.
caminhando a segunda milha, eu estava pronto para “Aquela noite em que Tor Lasse foi até nossa casa prati-
camente mudou toda a minha vida”, diz Stein. Aquela visita
fez com que ele iniciasse o caminho que o levaria a conhe-
cer sua esposa, servir em uma missão e criar
uma família, tudo com os pés firmemente
plantados no solo do evangelho. “Já
fui presidente de ramo, presidente de
distrito e bispo — porque Tor Lasse foi
até nossa casa e eu comecei a participar
do programa do seminário.” Tudo
isso porque Tor Lasse se dispôs a
caminhar a segunda milha. ◼

“Aquela noite em que Tor


Lasse foi até nossa casa
praticamente mudou toda
a minha vida.”
Fotografia: Paul VanDenBerghe

Ida Andersen (à direita) com sua irmã, Ane, e seus pais, Hilde e Stein.

Ergui a várias esposas. Expliquei que havia alguns


grupos nos Estados Unidos que praticavam
sobre o que deveria dizer. Até pedi que meu
pai me desse uma bênção para ajudar-me.

Mão a poligamia, mas que eles não faziam parte


da Igreja.
Minha professora disse para a classe
que eu falaria sobre a Igreja. Quando me
No dia seguinte, aquela professora ergui, todos ficaram em silêncio. Comecei

O que você faria se sua professora da


escola começasse a ensinar algumas
coisas sobre a Igreja que não são verda-
me parou no corredor e disse ter ficado
impressionada com o que eu disse. Pediu
desculpas por dizer coisas erradas sobre
a falar, e todos os meus colegas estavam
fazendo anotações. Falei por cerca de 30
minutos. Contei-lhes sobre como era a
deiras? A filha caçula de Stein, Ida, viu-se a Igreja. Disse que não conhecia muito Igreja hoje, sobre a Restauração, o plano
diante dessa situação. A professora de Ida sobre a Igreja, mas que queria saber mais, de salvação, os missionários e os padrões
tinha mencionado os mórmons diversas e tinha certeza de que havia muitos alunos da Igreja. Depois, meus colegas fizeram
vezes, ensinando que eles praticavam a da minha turma que também gostariam muitas perguntas. Antes disso, eu sempre
poligamia. Como Ida não sabia o que dizer de conhecer mais. Foi então que ela me ficava nervosa quando as pessoas me
na ocasião, não fez nada. Mas quando a pediu que fizesse uma apresentação sobre faziam perguntas sobre a Igreja, porque
professora começou novamente a ensinar a Igreja para a minha turma. não tinha certeza se saberia dar as res-
coisas erradas sobre a Igreja, Ida sabia que Quatro dias depois, fiz a apresentação postas certas. Mas daquela vez, não fiquei
precisava fazer algo. para a classe. Estava bem nervosa. Nunca nervosa nem tive problemas para respon-
“Ergui a mão e disse que aquilo estava tinha falado muito sobre a Igreja na escola, der às perguntas.
errado”, diz Ida. “Eu disse que era membro exceto para minhas melhores amigas. A Meus colegas ficaram muito surpresos.
da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos maioria dos alunos da minha classe sabia Todos disseram que sentiram orgulho
Últimos Dias. Minha professora insistiu, que eu era membro da Igreja, mas não sabia de mim por defender as coisas em que
dizendo que em Utah os mórmons tinham mais nada. Pensei muito e orei bastante acreditava.”

A Liahona Abril de 2009 35


Sem Queimar
Quando eu estava para me formar na
faculdade, descobri que os princípios
do evangelho tinham abençoado tanto
minha vida secular quanto a espiritual.

C i n t h ya V e r ó n i c a S a l a z a r M á r q u e z

M
esmo quando eu era moça, a maioria de
meus chamados na Igreja envolviam ensi-
nar as crianças da Primária, e isso influen-
ciou minha decisão de formar-me em pedagogia
infantil. Mas a escolha do curso universitário não foi
a única maneira pela qual os ensinamentos da Igreja
afetaram minha educação. Isso ficou bem claro
quando eu me preparava para a formatura.
O último trabalho que tive de realizar era uma
dissertação que eu teria de apresentar como exame
oral perante três juízes. Os juízes eram professores
que me deram aulas.
Com a dissertação cuidadosamente concluída,
passei parte da véspera do exame oral com a família
de meu namorado. Quando estava voltando para
casa, a mãe dele me disse que esperava que tudo
desse certo e citou: “Se estiverdes preparados, não
temereis” (D&C 38:30).
O dia seguinte chegou. Dezenas de lembranças
me passaram pela cabeça. Lembrei-me de quando
decidira deixar a cidade em que fui criada para estu-
dar. Lembrei-me de todos os sacrifícios que minha
família fez para pagar meus estudos. Não podia

36
as Pestanas
desapontá-los. Meu exame final tinha que ser um sucesso. “Oh, sim, conheço essa igreja”, replicou um deles.
Meus colegas também estavam esperando para rea- “E somos ensinados a dormir cedo para que possamos
lizar seus exames. Todos estávamos preocupados com começar o dia seguinte revigorados.”
as perguntas que os juízes fariam, mas senti-me segura Senti-me calma e segura ao falar do evangelho, mesmo
porque havia orado pedindo ajuda e porque sabia que que ficasse surpresa por ser questionada a respeito de
Deus estava ciente de todos os esforços que eu fizera para religião em um exame profissional.
organizar, pesquisar e escrever minha dissertação. “Sua dissertação foi escrita com muito sentimento. Está
Chegou a minha vez. Depois de explicar minha disser- excelente. Suponho que isso também seja devido aos
tação para a banca examinadora, comecei a responder às hábitos que lhe foram incutidos por sua igreja.”
perguntas. Depois de fazer várias perguntas sobre o tópico “Sim”, respondi. “Aprendi a ensinar crianças na Igreja, e
que abordei, um dos juízes indagou: “Quanto você traba- isso realmente me ajudou em meu curso.”
lhou para realizar essa dissertação?” “Você se saiu muito bem”, disse um dos juízes. “Espera-
“Muito”, respondi. “Dediquei tudo o que tinha porque mos que você não pare de ir à igreja, porque deve muito
queria que ela fosse inovadora.” aos valores que adquiriu ali.”
“Queimou as pestanas, à noite?” Pouco depois, fui liberada da sala para que os juízes
“Não, geralmente não fico acordada até tarde da noite pudessem chegar a uma decisão. Dois minutos depois,
fazendo trabalhos da escola”, disse eu. “Organizo meu dia chamaram-me de volta.
para conseguir terminar meu trabalho.” “Não foi difícil chegarmos a um consenso. Em vista de
Os juízes claramente se mostraram surpresos. O mesmo sua conduta exemplar, suas notas excelentes e a disser-
juiz comentou: “Acho estranho você admitir que não ficou tação que defendeu hoje, nosso veredicto foi unânime a
acordada até tarde da noite. Sabemos que seus colegas favor de sua aprovação, com menção honrosa. Parabéns!”
ficaram, por muitas noites”. Quando contei para minha família, eles choraram de
Um dos outros juízes disse: “Quero dizer algo sobre alegria.
Ilustração fotográfica: Christina Smith

esta aluna. Ela tem tempo para tudo. Sei disso porque a Testifico que quando o Pai Celestial nos ordenou,
conheço. Ela tem tempo para seus estudos, seus amigos, dizendo: “Recolhei-vos cedo, para que não vos canseis;
sua família e até frequenta a igreja”. levantai-vos cedo, para que vosso corpo e vossa mente
“É mesmo?” disse o outro juiz, novamente surpreso. sejam fortalecidos” (D&C 88:124), Ele o fez para nos
“Que igreja você frequenta?” abençoar. Sinto-me grata a Ele por permitir que o evan-
“Sou membro da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos gelho nos proporcione felicidade em todas as áreas de
Últimos Dias.” nossa vida. ◼

A Liahona Abril de 2009 37


Acender a Luz
da Esperança
Para milhares de santos dos últimos dias do Brasil,
o Fundo Perpétuo de Educação é uma bênção que muda vidas.

Micha e l R . M o r r i s
Revistas da Igreja

Q
uando Dilson Maciel de Castro Jr. perdeu seu Uma Resposta do Senhor
emprego em São Paulo, ele e a esposa mudaram- Quando os membros da Igreja no Brasil descrevem o
se para Recife, uma grande cidade portuária no Fundo Perpétuo de Educação, não podem deixar de usar
nordeste do Brasil, para morar com os pais dele. Apesar da superlativos: miraculoso, inspirado, maravilhoso. Isso
experiência que Dilson tinha no setor de telecomunicações, acontece porque o fundo está cumprindo o que o Presi-
só conseguia encontrar empregos temporários em Recife. dente Gordon B. Hinckley (1910–2008) previu que faria:
“As coisas estavam muito difíceis para nós naquela “Ele será uma bênção para todos os envolvidos: para os
época”, relembra Dilson. Suas dificuldades tornaram-se rapazes e moças, para suas futuras famílias, para a Igreja
ainda piores quando o casal perdeu tudo o que tinha em que será abençoada com uma forte liderança local”, e
uma inundação. elevará “milhares de pessoas das garras da pobreza [para
A essa altura, Dilson, que havia servido na Missão a] luz do conhecimento e da prosperidade”. 1
Brasil São Paulo Sul, procurou o Élder Gutenberg Amorim, Quando o Presidente Hinckley anunciou o programa,
Setenta de Área e diretor do instituto de religião, para con- alguns líderes da Igreja como Paulo R. Grahl, diretor de área
versar sobre sua carreira e opções educacionais. Enquanto dos seminários e institutos de religião do Brasil, estavam
Dilson discutia seus interesses, ele teve a inspiração de se debatendo com problemas referentes à educação e
que deveria estudar algo na área de medicina. Graças ao emprego dos santos dos últimos dias brasileiros — especial-
então recém-implantado Fundo Perpétuo de Educação mente dos jovens missionários que retornavam do campo.
(FPE) da Igreja, em 2003, Dilson transformou aquela ins- “Mas não tínhamos uma resposta até que o Senhor
piração em profissão, fazendo um curso de enfermagem revelou ao Presidente Hinckley que deveríamos criar esse
com 18 meses de duração. maravilhoso fundo”, diz o irmão Grahl. “Antes, muitos de
“Sem o fundo, seria, para mim, impossível fazer os nossos jovens voltavam da missão sem poder estudar ou
cursos necessários”, diz Dilson, que trabalha num hospital ter uma profissão. Agora, eles sabem que quando volta-
público de Recife. Da mesma forma, sua mulher Alexsan- rem, o fundo estará ali, se precisarem dele. É uma grande
Fotografias: Michael R. Morris

dra não teria sido capaz de conseguir um empréstimo para bênção e benefício para os jovens. Ele oferece esperança.”
pagar os cursos necessários para tornar-se professora. Aproximadamente 10.000 santos dos últimos dias do
“Há seis anos, estávamos desempregados”, diz Dilson. Brasil dependem atualmente de empréstimos do FPE para
“O FPE foi essencial em tudo o que conseguimos realizar. ampliar sua instrução e, por sua vez, suas perspectivas
Ele mudou nossa vida.” de emprego. O Brasil tem uma economia forte e muitas

38
Com a ajuda do Fundo
Perpétuo de Educação,
Dilson Maciel de Cas-
tro Jr. transformou uma
inspiração em profissão,
tornando-se enfermeiro
em Recife, Brasil. Abaixo:
Vista do Recife a partir da
cidade colonial de Olinda.

A Liahona Abril de 2009 39


A partir do alto: Lojas do Largo
da Ordem, centro histórico de
Curitiba. O Fundo Perpétuo de
Educação foi um ponto-chave
para o progresso educacional e
profissional de Ricardo Auré- oportunidades para as pessoas instruídas — especialmente
lio da Silva Fiuza; Mauricio A. quando a formação educacional está aliada às qualidades
Araújo aparece aqui dirigindo que os jovens desenvolvem no campo missionário.
uma reunião empresarial com
seus colegas SUD Renato A. Abrir Portas
Romero (à esquerda) e João B. O Élder Pedro Penha, Setenta de Área e diretor do
Moreira (centro); e Silvia O. H. Instituto de Religião Recife Norte, diz que os missioná-
Parra, que aparece aqui com rios que retornam do campo têm as qualificações que os
Adan Tallmann, secretário de empregadores procuram. “As portas das oportunidades de
área de seminários e institutos emprego se abrem rapidamente por causa de sua expe-
de religião. riência, seu hábito de estudo, sua aparência e conduta
pura”, diz ele. “Eles progridem rapidamente, e sua conduta
atrai pessoas para a Igreja.”
Depois de terminar seu serviço na Missão Brasil São
Paulo Norte, em 2002, Ricardo Aurélio da Silva Fiuza usou
o empréstimo do FPE para conseguir formar-se em um
curso de 4 anos em administração de empresas.
“O fundo me ajudou a crescer, a preparar-me para o
trabalho e para o casamento e a servir melhor na Igreja”,
diz Ricardo. Como muitos que foram ajudados pelo FPE,
ele recebeu ofertas de emprego antes mesmo de se formar.
“O fundo foi uma bênção em minha vida. Sinto-me grato
por fazer os pagamentos mensais do meu empréstimo para
que outras pessoas possam usar o fundo também.”
Em sua missão, Ricardo aprendeu a conversar com as
pessoas, a estudar arduamente e a obedecer — qualidades
essas que o tornaram um bom estudante e bom empregado.
“Muitos de meus professores disseram que havia algo
diferente em mim que não conseguiam explicar”, diz
Ricardo, que trabalha na área de logística para uma empresa
do Porto de Suape, ao sul de Recife. “Eu disse a eles que
isso se devia a meus princípios religiosos.” Essa resposta
proporcionou oportunidades para que Ricardo conversasse
com seus professores e outras pessoas a respeito da Igreja.
Maurício A. Araújo, um dos missionários brasileiros que
retornou do campo e foi abençoado pelo FPE, acrescenta:
“Com o desenvolvimento da minha carreira, tenho mais
oportunidades de influenciar pessoas pelo meu exemplo.
Às vezes, as pessoas me dizem: ‘Ei, você é diferente. Você
é fiel a sua esposa. Você faz o que prega’. Tirando proveito
do FPE e fazendo nossa parte, recebemos bênçãos e aben-
çoamos as pessoas.”
Maurício, que serviu na Missão Brasil Rio de Janeiro no
final da década de 1990, recebeu uma série de promoções

40
Como o Fundo
Perpétuo de
E d uca ç ã o
Abençoa Vidas

O
desde que terminou um curso de Fundo Perpétuo de Educação, em “A maioria das mulheres no Brasil
gestão de relacionamento com conjunto com os centros de recursos trabalha, não porque queiram com-
os clientes, financiado pelo FPE. de empregos da Igreja e os institutos prar um carro novo ou roupas caras,
Passou de representante de vendas de religião de mais de duas dezenas de mas por necessidade”, diz Lorival
para integrante da equipe de lide- nações, ajuda missionários que retornam Viana de Aguira, gerente do centro
rança, depois para a gerência e em do campo e outros jovens santos dos últi- de recursos de emprego de Curitiba,
seguida para a junta de diretores mos dias a receberem instrução profissio- no sul do Brasil. “Querem que sua
de uma empresa internacional de nal e técnica e a ampliarem sua formação família tenha melhor alimentação
treinamento de gestão do tempo, acadêmica. Os candidatos ao FPE primeiro e que seus filhos tenham roupas
em São Paulo. matriculam-se no instituto e em oficinas adequadas e uma educação de
“O Fundo Perpétuo de Educação de treinamento profissional e de autossufi- qualidade.”
foi inspirado por Deus”, diz ele. “O ciência oferecidas pelos centros de empre-
fundo foi a chave de que eu preci- gos. As oficinas ajudam tanto membros Mais Felicidade,
sava para completar meus estudos quanto não membros a identificar talentos Testemunhos Mais Fortes
e progredir na carreira.” e habilidades e a descobrir novas oportu- Keite de Lima A. Ahmed e
nidades de estudos e de emprego. Depois Viviana Torres Noguera lutavam
Um Bom Investimento de concluir o treinamento ou o curso, os para pagar suas contas embora
Embora Gabriel Salomão Neto beneficiários do FPE devolvem o emprés- cada respectivo marido trabalhasse
não seja santo dos últimos dias, ele timo em pequenas prestações mensais. arduamente para sustentar a família.
também se sente abençoado pelo As doações para o Fundo Perpétuo Para as duas, o FPE foi uma grande
Fundo Perpétuo de Educação. “É de Educação podem ser feitas por meio bênção.
uma grande coisa que sua igreja está das alas e ramos, usando o formulário de Quando Keite se matriculou em
fazendo”, diz ele, falando em nome Dízimo e Outras Ofertas. um curso de técnico de segurança
de muitos empregadores do Brasil. de 18 meses, os membros menos
O Sr. Salomão, gerente e copro- ativos da família expressaram suas
prietário de uma grande empresa dúvidas. Mas ela se saiu muito bem
de máquinas de vendas automáticas de São Paulo, tem nos estudos e, em 2007, recebeu uma oferta de emprego
motivos para sentir-se grato. Ele ficou tão impressionado de tempo integral em sua área.
com as qualificações de Silvia O. H. Parra, que é membro “O fundo fez mais do que apenas ajudar-me a receber
da Igreja e formou-se em administração de empresas com instrução e conseguir um emprego. Também me ajudou
a ajuda do empréstimo do FPE, que a contratou como sua a me sentir melhor comigo mesma e a confiar mais em
secretária executiva. minha capacidade”, diz Keite, uma das primeiras mulheres
“Adoramos o trabalho que ela faz. Ela trabalha ardua- a serem contratadas para realizar inspeções de segurança,
mente e é eficiente. Acreditamos nela e confiamos nela”, treinamento e implementação por uma empresa de São
diz o Sr. Salomão. “O investimento que sua igreja fez valeu José dos Pinhais, perto de Curitiba. “Esse programa inspi-
a pena: para vocês, para ela e para nós.” rado trouxe mais felicidade e um testemunho mais forte
Grata pelo Fundo Perpétuo de Educação e por ser para nossa família”, diz ela.
membro da Igreja, Silvia dá aulas de inglês em sua ala de Os pais e irmãos de Keite, impressionados com seu
Logotipo do FPE: Beth M. Whittaker

São Paulo, tanto para membros quanto para não membros. desempenho e determinação, e com as bênçãos propor-
“Assim como recebi”, diz ela, “quero também doar.” cionadas pelo FPE, voltaram a ser ativos na Igreja. “Eles se
Como ilustra o sucesso de Silvia, os rapazes não são os lembraram de que a Igreja eleva as pessoas e as ajuda a
únicos que estão tirando proveito do Fundo Perpétuo de crescer de muitas maneiras, não apenas espiritualmente,
Educação no Brasil. Por motivos financeiros, muitas mulhe- mas também em todos os aspectos importantes para a
res SUD no Brasil também precisam procurar emprego. plena realização na vida”, diz ela.

A Liahona Abril de 2009 41


Viviana e seu marido Rafael mudaram-se português, e seu espanhol fluente a tornou
da Colômbia para Manaus, importante centro inestimável na realização de transações
industrial no norte do Brasil, em 2002, em comerciais com os países vizinhos de língua
busca de oportunidades financeiras. “Oração, espanhola.
conselhos de família, orientação dos líderes “Quando recebi a oferta de emprego, eu
do sacerdócio e oficinas profissionais nos disse: ‘Tenho quatro filhos. Não posso me
No alto: Keite de ajudaram a saber o que nosso Pai Celestial comprometer a trabalhar das 8h da manhã
Lima A. Ahmed discute queria de nós e a tomar a decisão correta no até as 6h da tarde”, diz Viviana. “Meu patrão
questões de segurança momento certo”, diz Viviana, que se sentiu me disse que tinha muita confiança em
com Lorival Viana inspirada a usar o empréstimo do FPE para minha capacidade: ‘Preciso de alguém com
de Aguirra, gerente estudar comércio internacional. quem eu possa contar. Trabalhe em casa’.
do centro de recur- Em 2007, Viviana começou a trabalhar Isso me surpreendeu.”
sos de emprego da supervisionando importações em um super- Usando a Internet e um computador,
Igreja em Curitiba. mercado de Manaus. A família precisava Viviana trabalha em casa, enquanto seus
Abaixo: Viviana Torres dessa renda a mais, mas, por estar esperando filhos mais velhos estão na escola e o bebê
Noguera trabalha em um bebê, ela teve que sair do emprego. está dormindo. Só ocasionalmente ela precisa
sua casa, em Manaus. Poucos meses depois de nascer a criança — ir até o escritório.
Detalhe: Viviana com o quarto filho da família — Viviana recebeu Rafael atribui as bênçãos da família a
o marido, Rafael, uma oferta de emprego como diretora de mais do que uma coincidência. “As bênçãos
e os filhos. comércio internacional de outra empresa. que recebemos resultaram de uma série de
Nessa época, ela havia aprendido a falar decisões tomadas em espírito de oração e
de ações que nos foram possibilitadas pelos
instrumentos que a Igreja forneceu”, diz ele.

A Luz da Esperança
Gilmar Dias da Silva, diretor do FPE no
Brasil, diz que alguns santos dos últimos dias
brasileiros enfrentam dificuldades no emprego
depois de concluir seus estudos, “mas a
maioria de nossos participantes do FPE estão
progredindo em seus empregos e melhorando
de vida. O fundo é um sucesso aqui.”
Esse sucesso, nas palavras do Presidente
Thomas S. Monson, acendeu “a luz da espe-
rança nos olhos daqueles que antes pareciam
fadados a uma vida medíocre, mas que agora
têm a oportunidade de alcançar um futuro
mais brilhante”. 2 ◼
Notas
1. Gordon B. Hinckley, “Fundo Perpétuo para Educa-
ção”, A ­Liahona, julho de 2001, p. 62; ­Ensign, maio
de 2001, p. 52; “A Necessidade de Mais Bondade”,
A ­Liahona e ­Ensign, maio de 2006, p. 58.
2. Thomas S. Monson, “Eles Traçaram o Caminho para
Nós”, A ­Liahona, outubro de 2007, p. 6; ­Ensign,
outubro de 2007, p. 8.

42
Você Sabia?
Da Série Resgate em Bondi para Blake McKeown,
‘Resgate’ em Baguio da série de televisão
Bondi Rescue, acei-
Blake McKeown, popularmente tou um chamado
A Igreja na Hungria conhecido como o salva-vidas para servir em
uma missão nas
Em 1887, o húngaro Mischa novato do programa de televisão Filipinas.
Markow foi convertido perto de australiano Bondi Rescue [Resgate
Constantinopla (Istambul), Turquia. em Bondi], deixou seu posto na
Em 1899, ele serviu como missioná- praia, em maio passado, para realizar
rio em sua terra natal, mas foi preso outro tipo de resgate. Ele aceitou um é o melhor emprego do mundo —
e exilado da Hungria por causa de chamado missionário para servir em mas, nos próximos dois anos, não há
suas pregações. Tentou compartilhar Baguio, Filipinas. Ele compartilhou a nada que eu queira mais do quer servir
o evangelho nos países vizinhos, mas notícia e seus sentimentos com seus em uma missão. Na Igreja de Jesus
A partir do alto: fotografia de Budapeste, Hungria © Getty Images; fotografia: cortesia de Network Ten; fotografia: Craig Dimond; fotografia: cortesia de Laura S.

depois de enfrentar dificuldades ali, colegas e o público do programa. Cristo dos Santos dos Últimos Dias, não
o Élder Markow e seu companheiro “Quando descobri que iria para as basta você apenas dizer que faz parte
pregaram em Temesvár, Hungria, até Filipinas, fiquei entusiasmado”, disse dela; essa é uma religião que você
que o governo os forçou a sair do ele. “Sem dúvida vou sentir falta da precisa colocar em prática. É a minha
país. Um dia antes de partir, eles bati- praia, mas servir em uma missão é vida. Eu seria uma pessoa muitíssimo
zaram e confirmaram doze pessoas e muito importante para mim. É algo diferente se não fosse pela Igreja”.
nomearam líderes para uma congre- para o qual venho preparando-me a
gação de 31 membros. vida inteira.”
Antes da Primeira Guerra Mundial, Blake diz: “Não há nada que eu Diretrizes
para a
um total de 106 pessoas filiou-se à preferiria ter feito nos últimos dois Vida

Igreja na Hungria. O trabalho missio- anos do que trabalhar na praia — “Algumas da


s diretri-
nário ficou então limitado por restri- zes mais imp
ortantes
ções políticas até a década de 1980. para sua vida
encon-
Em junho de 1988, a Hungria Em Números tram-se no livr
eto Para
o Vigor da Juve
58.809
reconheceu legalmente a Igreja. Um Presidente ntude.”
Dieter F. U
ano depois, o Presidente Thomas S. Conselheir chtdorf, Se
o na Prim gundo
Fim Desde eira Presid
o Princípi ên
Monson dedicou a primeira capela do maio de 20 o”, A L­ iaho cia, “Ver o
Número de toneladas de alimentos 06, p. 44. na e ­Ensig
n,
país. A Missão Hungria Budapeste foi
distribuídos pela Igreja no mundo
criada em junho de 1990.
inteiro de 1985 a 2007.
Seguem-se alguns fatos sobre a
Igreja na Hungria hoje:
Minha Escritura Favorita
Número de membros 4.253 “Porque minha alma se deleita com o canto do
1 coração; sim, o canto dos justos é uma prece a
Missões
mim e será respondido com uma bênção sobre
Alas e ramos 19
sua cabeça” (D&C 25:12).
Centros de história da 5 Essa escritura nos ensina que a música é impor-
família tante para o Pai Celestial. É maravilhoso que a
música possa ser uma coisa tão bela e desempenhe um
Informações tiradas da página Newsroom,
em www.lds.org. papel no evangelho.
Laura S., 16 anos, Miskolc, Hungria

A Liahona Abril de 2009 43


V o z e s d a I g r e j a

Cantar e Contar Histórias O povo zulu adora cantar, por


isso acrescentamos alguns hinos
Stephen T. Case e versos a nossa hora de contar

Q
histórias. No final de nossa missão,
uando minha esposa, na cidade. Os jovens élderes nos estávamos realizando duas ou três
Sandra, e eu fomos chama- apresentaram à diretora da biblioteca. sessões de cantar e contar histórias
dos para servir na Missão Explicamos a ela que gostaríamos por semana para acomodar as mais
África do Sul Durbam, começamos de realizar semanalmente uma hora de 100 crianças que compareciam.
a procurar um projeto de serviço de contar histórias para as crianças. Que bênção era quando víamos as
comunitário. Fui membro do Coro do Ela não acreditou muito, mas depois crianças em outros lugares e elas
Tabernáculo Mórmon por mais de 20 de pensar um pouco, concordou começavam a cantar nossos hinos e
anos, e minha mulher, que era auxi- em divulgar a notícia e permitiu que recitar nossos versinhos para nós!
liar de bibliotecária, tinha trabalhado fizéssemos a tentativa. Outra bênção foi fruto de nosso
como contadora de histórias em No primeiro dia, cinco crianças serviço naquela região. À medida
uma escola do curso fundamental. apareceram. Aos poucos, outras que o número de membros da
Quando nosso presidente de missão vieram. Depois de vários meses, Igreja foi crescendo e precisáva-

D
decidiu abrir a obra convocamos uma jovem mos de um lugar para começar a
missionária em um epois de senhora recém-conversa, realizar nossas reuniões dominicais,
município vizinho, pedirmos que falava muito bem inglês a diretora da biblioteca insistiu que
sabíamos que aquela a ajuda de e zulu. A frequência da usássemos a biblioteca sem cobrar
era nossa chance. uma irmã recém- hora de contar histórias foi nada.
Visitamos a cidade conversa que aumentando, e a diretora Somos imensamente gratos
e descobrimos que falava inglês e e os pais ficaram entusias- ao Senhor por ter-nos ajudado a
não havia bibliotecas zulu, a frequência mados com o que estava encontrar um meio de usar nossos
nas escolas, apenas da hora de contar acontecendo. talentos, servir a comunidade
uma pequena biblio- histórias aumen- e ajudar a abrir uma área da
teca comunitária tou muito. missão. ◼
M
eu marido e eu desa-
fiamos nosso filho a
ler sozinho o Livro de
Mórmon todos os dias.

Pouco depois, ele passou a sublinhar


a palavra Jesus. Depois disso, ele esco-
lhia algumas palavras que
tinha visto e perguntava o
que eram. Ele foi diligente
em sua leitura diária, e ao
fim de um ano seu nível
de leitura havia superado
nossas expectativas.
Agora nosso filho está no
sexto ano. Ele lê excepcional-
mente bem e ajuda a ensinar
seus cinco irmãos menores
sobre o dom que recebeu por
meio da leitura do Livro de Mórmon.
Cada um de nossos filhos desenvolveu
boa leitura e o hábito de ler o Livro

O Dom de Saber Ler de Mórmon. Estão começando a sentir


seu vigoroso espírito de verdade,
Lynnette McConkie à medida que o testemunho deles

N
cresce. ◼
osso filho mais velho ado- o Livro de Mórmon em russo todos

Devo Deixar os
rava o jardim de infância e os dias. Prometeu-nos que o poder
parecia estar indo bem na do Livro de Mórmon nos ajudaria em
escola. No primeiro ano, porém, ficou
evidente para nós que ele não estava
nossa capacidade de comunicar-nos
em russo. Ele estava certo. Ao longo Estudos para
conseguindo ler. Podia ler algumas
palavras aqui e ali, mas tinha muita
do tempo, fui melhorando minha
capacidade de falar e compreender a Servir em uma
dificuldade até para começar a ler os
textos designados. Meses se passa-
língua, e meu testemunho cresceu.
Anos depois da minha missão,
Missão?
ram, e a leitura de nosso filho quase parei para pensar: “Se funcionou para Onyebuchi Okoro

T
não progrediu. Meu marido e eu fica- mim em russo, por que não funciona-
mos cada vez mais preocupados. ria para meu filho em inglês?” Depois erminei o ensino médio em
Certo dia, lembrei-me de algo que de contar a nosso filho as dificuldades 1992 e imediatamente enviei
meu presidente de missão me ensi- que tive para aprender russo e o con- meus papéis para servir em uma
nara, muitos anos antes. Eu tinha sido selho do meu presidente de missão, missão de tempo integral. Quando o
chamada para uma missão de língua meu marido e eu o desafiamos a ler chamado chegou, eu tinha acabado
Ilustrações: Daniel Lewis

estrangeira. Aprender o idioma russo o Livro de Mórmon todos os dias. Ele de ser aprovado em uma das melho-
era um desafio que variava de nível passava algum tempo sublinhando as res universidades da Nigéria para
para cada missionário, e nosso presi- palavras Deus e Senhor toda vez que estudar medicina.
dente de missão nos aconselhou a ler as encontrava nas páginas do livro. Na Nigéria, entrar em uma

A Liahona Abril de 2009 45


confirmou para mim que o Pai
Celestial não me abandonara e que
eu precisava confiar Nele. O emprego
foi um trampolim para outros
empregos.
As bênçãos divinas não são medi-
das apenas por realizações seculares.
Lutei por muitos anos depois da minha
missão para conseguir estabilidade
financeira, mas o Senhor me abençoou
faculdade de medicina espiritualmente. Minha

A
é algo muito competitivo e não pode bênção patriarcal me
ser desconsiderado. Quando fui pres- ssim que con- orientou a casar e disse-
sionado por amigos e familiares para fiei no Senhor, me que eu teria oportuni-
abandonar meu chamado missionário, as coisas começaram a dades para adquirir instrução superior.
expliquei que tinha a responsabilidade dar certo para mim, mas não da Foi isso que aconteceu.
de servir e esperava ansiosamente maneira que eu havia planejado. Embora eu não tenha feito a
fazê-lo desde que me filiara à Igreja, faculdade de medicina, conquistei
seis anos antes. Tinha certeza de que consegui encontrar emprego. Fiquei diplomas equivalentes em contabi-
conseguiria ser readmitido na facul- tentado a acreditar que alguns de lidade e em matemática. O Senhor
dade de medicina depois da missão, meus amigos e familiares poderiam me abençoou, por fim, com sufi-
mas muitos acharam que eu me arre- ter tido razão e que tinha sido um ciente estabilidade financeira para
penderia dessa decisão. erro deixar de lado minha admissão que eu pudesse me casar.
Sinto-me grato pelos mestres na faculdade de medicina. Se servirmos honrosamente em
familiares, parentes e amigos da Na minha missão, aprendi a confiar uma missão, o Senhor está obrigado
Igreja que apoiaram minha decisão no Senhor, por isso deixei que Ele a abençoar-nos quando procuramos
de servir. A frequência ao seminário, dirigisse minha vida de acordo com oportunidades para adquirir instru-
o estudo das escrituras e o cumpri- Sua vontade. Assim que fiz isso, as ção superior depois da missão. Nada
mento do evangelho permitiram que coisas começaram a dar certo para na vida de um rapaz ou moça pode
eu defendesse minhas convicções. mim, mas não da maneira que eu superar as experiências, aprendizado
Como missionário, estabeleci havia planejado. e bênçãos do serviço missionário de
metas pessoais e trabalhei ardua- Num domingo de jejum, decidi tempo integral. ◼
mente. Vinte e quatro meses depois, jejuar e orar com fervor pedindo

Por Favor,
fui desobrigado honrosamente. O a ajuda do Senhor. Naquela noite,
Senhor abençoa os missionários que alguém bateu à porta. Quando abri,

Salva Meu Pai


retornam do campo, mas Ele não fiquei surpreso de ver uma pessoa que
prometeu que seriam imunes a pro- tinha conhecido em um treinamento
vações. Para o missionário nigeriano de segurança do qual havia participado Bernadette Garcia Sto. Domingo

F
que retorna do campo, essas prova- seis meses antes. Ele disse que havia
ções incluem o desemprego e a falta surgido uma vaga de agente de segu- oi meu pai quem buscou a verdade
de dinheiro para pagar os estudos. rança na empresa em que seu irmão e encontrou os missionários. Eles
Durante os três primeiros anos mais velho trabalhava e que ela preci- nos ensinaram o evangelho e,
depois da minha missão, fiz três sava ser urgentemente preenchida. Fui pouco depois, fomos batizados: meus
exames vestibulares e passei nos três, a única pessoa que lhe veio à mente. pais e cinco irmãos e irmãs. Nosso tes-
mas não fui readmitido na faculdade No dia seguinte, a empresa me temunho ficou mais forte. Aprendemos
de medicina. Naqueles três anos, não contratou. Aquela experiência muitas coisas, especialmente a respeito

46
do Salvador e da família. antes, porque me vi forçada a enfren- que meu pai traçou para nós.
Em 1992, enquanto servia como tar essas mudanças e a amadurecer. Por meio da Expiação e da
bispo de nossa ala, nas Filipinas, meu Quando o Pai Celestial não atendeu Ressurreição de Jesus Cristo, sei que
pai teve um ataque cardíaco e foi a minha oração, jamais me ocorreu que um dia nossa família estará reunida
levado às pressas de seu escritório Ele não tenha me escutado. Sei que Ele novamente. Ainda temos uma longa
para o hospital. Quando recebemos a estava ouvindo. Ele sabia exatamente o jornada pela frente, mas sinto-me feliz
notícia de que ele estava na UTI, foi que estava acontecendo. Sabia exata- em pensar que verei meu pai no fim
um grande choque para minha famí- mente do que nossa família necessitava dessa jornada. ◼
lia. O medo afligiu-nos o coração. As na época, e foi por isso que Ele nos
chances de sobrevivência de meu pai deu forças para vencer os desafios da
eram mínimas. Minha mãe chorou e vida e para enfrentar a realidade. Ele
pediu que todos orássemos. nos ensinou a enfrentar nossas prova-
Perdi a noção do tempo depois ções com fé.
disso. Muitas lembranças me vieram Mais de 15 anos se passaram
à mente. Com lágrimas correndo pelo desde aquele dia doloroso.
rosto, ajoelhei-me para orar. Sentia um Ainda estou aprendendo
grande peso no coração, meu peito e ainda estou crescendo
parecia que ia explodir. Eu queria no evangelho. Agora
gritar para aliviar a dor e eliminar o tenho minha própria
medo que me dominava naquele dia. família e sinto-
Em vez disso, simplesmente orei: “Por me muito feliz
favor, salva meu pai”. Foi uma oração por termos
sincera, feita para ser ouvida. sido selados no
Naquela noite, deixaram-me entrar templo. Nunca
na UTI. Meu pai tinha entrado em tiro os olhos do
coma, e minha mãe, meus irmãos e caminho
eu nos preparamos para o pior. Foi

O
uma experiência muito dolorosa
para nossa família. O futuro pare- Pai
cia sombrio e incerto. Enquanto Celestial
nos despedíamos dele em sabia
silêncio, lembrei-me de nossa pri- exatamente do
meira reunião familiar. Assistimos que nossa famí-
a um filme da Igreja: As Famílias lia necessitava.
São Eternas. Ele nos ensinou a
Antes de irmos dormir, enfrentar nossas
naquela noite, meu pai terreno provações com fé.
silenciosamente voltou para a
presença de seu Pai Celestial.
A morte de meu pai, quando
eu tinha 22 anos de idade,
marcou o início de centenas de
mudanças em minha vida. Em sua
ausência, aprendi que tinha forças
das quais não me dera conta. Fiz
mais coisas na vida do que teria feito
C o m o U t i l i z a r E s t a E d i ç ã o
T ó p i c o s d e s ta E d i ç ã o
Os números representam a primeira página de
cada artigo.
A = O Amigo Imortalidade, 14
Arrependimento, 14, A2 Jesus Cristo, 8, 14, 20,

idEias para a Noite Familiar Atividade na Igreja, 22


Batismo, A15
21, A4
Obediência, 14, 36

A
Chamados, 32 Obra missionária, 2, 32,
s sugestões didáticas a seguir para sua família. Peça aos membros Educação, 21, 26, 36, 38, 44, 45
44, 45, A12 Oração, 24, 46
podem ser usadas na sala da família que leiam os parágrafos
Ensino, 2, 32, 44 Organização da Igreja,
de aula e no lar. Elas selecionados e discutam o que leram. Esperança, 38 22, A8
podem ser adaptadas para Conclua lendo os dois últimos pará- Espírito Santo, 26 Primária, A4
sua família ou sua classe. grafos do artigo. Estudo das escrituras, 25, Professoras visitantes, 25
“O Que a Expiação “As Promessas de um 45, A6 Ressurreição, 8, 14
Expiação, 14, A2 Sacramento, 14
Significa para Você?” p. 14: Profeta”,
p. A6: Depois de ler
Família, 2, 22, A6 Seminário, 32
Convide os membros da o artigo, peça aos membros Família eterna, 46 Smith, Joseph, A10
família a contar tudo o da família que abram Felicidade, 14 Testemunho, 22, 32
que sabem sobre Néfi. as escrituras ao acaso e Fundo Perpétuo de Verdade, 26
Pergunte por que eles acham que tentem ler um versículo de cabeça Educação, 38 Vida eterna, 14
Hungria, 43
ele foi feliz, embora passasse por para baixo. Discuta como a leitura
provações difíceis (ver 2 Néfi 5:27). regular das escrituras pode ser uma
Faça um resumo da seção “Felicidade bênção para cada membro da famí-
por meio da Expiação”. Discuta como lia. Releiam a promessa feita pelo crianças adivinhem qual é. Discuta
Néfi lidou com seus problemas e Presidente Ezra Taft Benson (veja o que os membros da família pre-
como sua abordagem pode ser apli- o início do artigo) e estabeleçam a cisariam aprender para trabalhar
cada em sua família. Conclua lendo meta de continuar a ler as escrituras nessa profissão. Leia a história.
os dois últimos parágrafos do artigo. juntos regularmente. Identifique as coisas que Russell
“O Aprendizado e os Santos Pressa em Aprender”, p. A12: precisou saber antes de poder
dos Últimos Dias”, p. 26: Leia com Faça com que as crianças se reve- aprender a respeito de dinossau-
antecedência o artigo e selecione os zem representando uma profissão ros. Conclua lendo Doutrina e
parágrafos que terão mais significado por mímica, para que as outras Convênios 88:118.

Aprender com o Profeta Joseph

U
ma de nossas reuniões fami- cadeira e uma Bíblia para “Joseph” Celestial ou Jesus Cristo, e todos
liares favoritas foi a dramati- estudar. ficávamos reverentes quando cada
zação da história de Joseph Cada um dos pregadores dizia “Joseph” ia ao bosque orar. Cada
Smith e a Primeira Visão. Contei a Joseph: “A minha igreja é a certa. criança teve sua vez de ser um
a história, depois meus netos a Filie-se a minha, Joseph.” E Joseph pregador ou ser Joseph.
representaram, assumindo o papel respondia: “Não sei”, ou “Preciso Depois, conversamos sobre o que
dos pregadores e de Joseph Smith. pensar”. Depois que todos os prega- Joseph Smith aprendeu na Primeira
Desenhei árvores de papel para dores conversaram com ele, Joseph Visão, como podemos receber res-
representar o bosque e colei-as sentava-se na cadeira e lia Tiago posta para nossas orações, mesmo
na parede do canto da sala, fiz 1:5 em voz alta. Depois, ele ia ao que não tenhamos visões, e como
alguns letreiros dizendo “Pregador” “bosque” e se ajoelhava para orar. as escrituras podem guiar-nos.
para os pregadores e arrumei uma Ninguém representou o papel do Pai Sue Barrett, Revistas da Igreja

S u a N o i t e F a mi l i a r P r e d i l e t a
48
Mande a descrição de sua noite familiar predileta para liahona@ldschurch.org.
O Amigo
P a r a a s C r ia n ç a s • A I g r e j a d e J e s u s C r i s t o d o s Sa n t o s d o s Ú l t i m o s Dia s • A b r i l d e 2 0 0 9
V i n d e a o P r o f e t a E s c u t a r

Retornar em Segurança à
Presença do Pai Celestial
P r e s i d e n t e Di e t e r F. Uch t d o r f depois de passar
Segundo Conselheiro na Primeira Presidência o ponto de retorno
seguro, o capitão não tem mais
O Ponto de Retorno Seguro essa opção, e precisa continuar. É por
Durante meu treinamento para ser piloto isso que muitas vezes se diz que esse é o
de aviação comercial, tive de aprender a ponto sem retorno.
conduzir uma aeronave por longas distân-
cias. Voos sobre oceanos imensos, traves- Nunca É Tarde Demais
sias por extensos desertos e viagens de um Satanás quer que pensemos que,
O Presidente Uchtdorf
continente a outro exigem um cuidadoso quando pecamos, chegamos ao “ponto
ensina que, graças à
planejamento para garantir uma chegada Expiação, podemos
sem retorno” — e que é tarde demais
segura ao destino programado. Alguns arrepender-nos e para mudar de curso. A Expiação de
desses voos sem paradas podem durar até sempre ter esperança. Jesus Cristo é a dádiva de Deus a Seus
14 horas e cobrir uma distância de cerca de filhos para corrigir e sobrepujar as con-
14.500 quilômetros. sequências do pecado. Cristo veio para
Há um importante momento de decisão durante nos salvar. Se seguirmos o curso
esses longos voos, geralmente conhecido como o errado, a Expiação de
ponto de retorno seguro. Até esse ponto, a aeronave Jesus Cristo
tem combustível suficiente para fazer a volta e retor-
nar com segurança ao aeroporto de partida. Mas,
garante-nos que o pecado não é um ponto sem
retorno. O retorno seguro é possível se seguirmos o Coisas em que Pensar
plano de Deus para nossa salvação. 1. Toda vez que você se arrepende e toma o sacramento,
você está tão puro quanto no dia em que foi batizado e
Sempre Há Esperança confirmado. Durante o sacramento, pense em como Jesus
Onde quer que nos encontremos nessa jornada da ama você e fez com que lhe fosse possível arrepender-se e
vida, sejam quais forem as provações que enfrentarmos, ser feliz.
sempre haverá um ponto de retorno seguro, sempre 2. Pense numa ocasião em que você fez algo que sabia ser
haverá esperança. Nós estamos no comando da nossa errado. O que o Pai Celestial quer que você faça quando isso
própria vida, e Deus preparou um plano para levar-nos acontece? Por que é tão importante arrepender-se assim que
em segurança de volta a Sua presença; esse é o nosso você percebe que fez algo errado?
destino divino. 3. Como o cumprimento dos mandamentos o ajuda a
O dom da Expiação de Jesus Cristo concede-nos em seguir o plano do Pai Celestial para sua salvação? Quais são
todos os momentos e em todos os lugares as bênçãos algumas maneiras pelas quais a obediência mantém você
do arrependimento e do perdão. Graças a esse dom, a seguro?
oportunidade de deixar o curso desastroso do pecado
e fazer um retorno seguro está ao alcance de todos nós.
Ilustração: Scott Greer

A felicidade nesta vida e a alegria eterna na vida futura


serão nossa recompensa, se decidirmos aceitar e aplicar
essa dádiva de nosso Pai Celestial. ●
Extraído de um discurso da conferência geral de abril de 2007.

O Amigo Abril de 2009 A3


T e m p o d e C o m p a r t i l h a r

Jesus Cristo É Meu Salvador


“Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; a respeito do Conselho no Céu, quando o Pai
ninguém vem ao Pai, senão por mim” Celestial apresentou Seu plano. Explique às crian-
(João 14:6). ças que o uso do arbítrio é uma parte importante
desse plano. Ajude as crianças a compreender que
Satanás quis alterar o plano e tirar de nós a capa-
C h e r y l Es p l i n
cidade de escolher. Jesus Cristo quis seguir o plano
Antes de o Pai Celestial enviar-nos à do Pai Celestial e Se apresentou voluntariamente
Terra, Ele escolheu Jesus Cristo para para ser nosso Salvador. Saliente para as crianças
ser nosso líder e Salvador. Você decidiu que elas decidiram seguir Jesus Cristo (ver Primária 6, lição
seguir Jesus Cristo antes de nascer. 2). Escreva perguntas para ajudar as crianças a revisarem
Quando veio à Terra, Jesus ensinou o evangelho e o que aprenderam. Coloque as perguntas dentro de um
estabeleceu Sua Igreja. Ele cumpriu Sua promessa de recipiente. Escolha uma criança para tirar uma pergunta do
ser nosso Salvador. Sofreu, morreu e ressuscitou para recipiente e dar a resposta. Depois, peça à criança que esco-
que possamos ser ressuscitados e viver de novo com o lha outra pessoa para tirar uma pergunta e dar a resposta.
Pai Celestial e nossa família. Repita a atividade tantas vezes quantas o tempo permitir.
As escrituras ensinam sobre muitas bênçãos que se Preste testemunho da importância de continuarmos a seguir
tornaram possíveis graças a Jesus Cristo. Lembra-se da Jesus Cristo.
história do sonho de Leí? Ele viu uma árvore. A árvore 2. Minha família e eu seremos ressuscitados. Com
representa o amor do Pai Celestial e de Jesus Cristo. antecedência e com a aprovação do bispo ou presidente
Havia um fruto na árvore que tornava as pessoas de ramo, convide um membro que tenha testemunhado o
felizes. Leí provou do fruto, e isso o encheu de grande falecimento de um ente querido, para que preste testemu-
alegria. Leí queria que toda a sua família provasse do nho do que a Ressurreição significa para ele. Coloque as
fruto (ver 1 Néfi 8:10–12). seguintes gravuras do Pacote de Gravuras do Evangelho
O fruto da árvore representa as bênçãos que recebe- em uma pilha, na seguinte ordem, com a de número 227
mos graças a Jesus Cristo e Sua Expiação. Provamos do no alto: 227 ( Jesus Orando no Getsêmani), 228 (A Traição
fruto quando confiamos em Jesus Cristo, quando somos de Jesus), 230 (A Crucificação), 231 (O Sepultamento de
batizados e recebemos o Espírito Santo, e quando vive- Jesus), 233 (Maria e o Senhor Ressuscitado), 234 ( Jesus
mos o evangelho e sentimos o amor do Salvador. Mostra os Ferimentos), e 316 ( Jesus Ensina no Hemisfério
Ocidental). Enquanto a pianista toca uma música, peça
Atividade às crianças que passem uma pedra umas para as outras.
Remova a página A5 e cole-a em cartolina. Abra Diga-lhes que isso simboliza a pedra que foi rolada da
fendas na árvore, cortando-as nas linhas brancas. entrada do sepulcro de Cristo. Quando a música parar,
Recorte os frutos. Para cada fruto, procure a escritura, peça à criança que estiver segurando a pedra que pegue a
identifique a bênção que o Pai Celestial nos deu e gravura que estiver no alto da pilha e conte algo a respeito
escreva-a na linha. Coloque a etiqueta dos frutos nas dela ou peça que alguém a ajude. Continue a atividade,
fendas da árvore. para cada gravura, fazendo uma pausa na gravura 234
para ler Lucas 24:39 com todas as crianças. Ajude as
Ideias para o Tempo de Compartilhar crianças a compreender que depois que Jesus ressuscitou,
1. Na vida pré-mortal, escolhi seguir Jesus Cristo. Peça os Apóstolos puderam tocar as mãos Dele assim como elas
às crianças que digam algumas escolhas que tiveram de conseguem sentir suas próprias mãos. Continue a atividade
fazer neste dia (o que vestir, o que comer, etc.). Escreva as com o restante das gravuras. Ensine que, graças à Expiação
respostas no quadro. Explique às crianças que o Pai Celestial de Jesus Cristo, todos que viveram na Terra serão ressusci-
nos deu o arbítrio: a capacidade de fazer escolhas. Ensine tados. Peça ao convidado que preste seu testemunho. ●

A4
Morôni 6:8 Mosias 16:7–8 João 14:27 Hebreus 12:2
_____________ _____________ _____________ _____________

2 Néfi 31:20 3 Néfi 19:21


_____________ _____________

João 8:12

Morôni 8:17 _____________

_____________

Observação: Esta atividade


pode ser copiada ou impressa Morôni 7:41
3 Néfi 27:13 a partir da Internet no site _____________
_____________ www.lds.org. Para o inglês,
clique em Gospel Library.
Para outros idiomas, clique
em Languages.
D e u m Am i g o p a r a O u t r o

As Promessas de
um Profeta
É l d e r O c tav i a n o T e n o r i o conjunto regularmente, o Espírito enche-

D
Dos Setenta ria seus lares. 1
“Examinai estes urante toda a vida aprendi que, Minha querida esposa e eu decidimos
mandamentos, por- quando seguimos os ensinamen- seguir esse conselho. Estabelecemos a
que são verdadeiros tos de nossos profetas, recebemos meta de ler um capítulo do Livro de Mór-
e fiéis; e as profe- as bênçãos prometidas. Na conferência mon por dia com nossos três filhos: Jorge,
cias e as promessas geral de abril de 1986, o Presidente Ezra 10 anos; Susi, 9 anos; e Luis, 3 anos. Lemos
neles contidas serão Taft Benson (1899–1994) prometeu que, todos os dias, cada um lendo um versículo
todas cumpridas” se as famílias lessem as escrituras em por vez. Embora Luis não conseguisse
(D&C 1:37). ler ainda, queríamos que ele participasse.
Ele se sentava no meu colo, de frente
para mim, com o Livro de Mórmon entre
nós. Quando era minha vez de ler, nós
dois seguíamos meu dedo enquanto eu

Com uns 16 anos,


pouco depois de seu
batismo.

A6
Seu filho Luis, aos quatro anos.

apontava cada palavra, e Luis repetia em Testifico-lhes que, se vocês começarem


voz alta cada palavra que eu lia, enquanto a ler as escrituras desde a época em que
olhava para as palavras de cabeça para são crianças, compreenderão melhor as
baixo. promessas do Senhor e saberão o que Ele
Pouco antes de fazer cinco anos, Luis espera de vocês. Um dia, vocês serão pai
perguntou: “Quando será minha vez de ler?” ou mãe de seus próprios filhinhos. Ensi-
Fotografias: cortesia de Élder Octaviano Tenorio. Ilustração: Robert A. McKay

Explicamos que quando fosse mais nem seus filhos a ler as escrituras e verão
velho, ele iria para a escola e aprenderia o cumprimento da promessa contida em
a ler. Provérbios 22:6: “Educa a criança no cami-
Ele respondeu: “Mas eu já sei ler!” nho em que deve andar; e até quando
Admirado, entreguei-lhe um Livro de Mórmon. Ele envelhecer não se desviará dele”.
abriu o livro de cabeça para baixo, olhou para o alto Luis está terminando a faculdade e tem um emprego
da página e começou a ler perfeitamente. Ele havia de tempo integral. Por mais tarde que volte do trabalho,
aprendido a ler só por acompanhar a leitura do Livro de da escola ou de um encargo da Igreja, ele ainda lê um
Mórmon! capítulo do Livro de Mórmon antes de dormir. A pro-
Quando tinha seis anos, Luis às vezes ia comigo messa do profeta foi realmente cumprida: como resul-
visitar os membros da Igreja. Eu pedia que ele também tado de nossa leitura desse livro sagrado, nossa família
prestasse seu testemunho e transmitisse uma breve foi ricamente abençoada, e somos mais unidos.
mensagem que eu lhe ensinara. Sempre que lia o Livro Convido vocês a lerem as escrituras todos os dias. Se
de Mórmon, ele o segurava de cabeça para baixo e possível, leiam-nas em família. Peço a vocês, meninos,
olhava para o alto da página. que se preparem para servir em uma missão. Convido
todos vocês a terem a meta de serem selados no templo
para toda a eternidade. E, por fim, quero lembrar a
vocês o conselho inspirado do Presidente Gordon B.
Hinckley (1910–2008), que nos disse: “Vocês precisarão
de toda a instrução que puderem obter. (…) Quer con-
sertando geladeiras ou realizando cirurgias delicadas,
vocês precisam receber treinamento”.2
Minhas queridas crianças, ouçam suas professoras,
sejam obedientes na sala de aula, façam o melhor que
puderem e aprendam tudo o que puderem. O Senhor
tem ricas bênçãos reservadas para vocês e sua família.
Nosso dever é “[seguir] o profeta, sem hesitar”. 3 ●
Notas
1. Ver Ezra Taft Benson, “The Power of the Word”, ­Ensign, maio de 1986,
p. 81.
2. Gordon B. Hinckley, “Conselhos e Oração do Profeta para os Jovens”,
A L­ iahona, abril de 2001, pp. 34, 35; E
­ nsign, janeiro de 2001, pp. 4, 7.
3. “Segue o Profeta”, Músicas para Crianças, pp. 58–59.

O Amigo Abril de 2009 A7


Perguntas e Respostas sobre a

Organização da Igreja
Por que a Igreja tem o nome de Jesus? O que significa “últimos dias”? O que significa “santos”?
Jesus disse que ela deve ter o Jesus disse: “Pois assim será a “Santos” significa membros da Igreja de Cristo. As escrituras
nome Dele porque é a Igreja Dele minha igreja chamada nos últimos falam dos santos de muitas épocas.
(ver 3 Néfi 27:8). Ele a organizou dias, sim, A Igreja de Jesus Cristo Época do Velho Testamento: Deuteronômio 33:3; Salmos 30:4
para ajudar-nos a voltar à presença dos Santos dos Últimos Dias” (D&C Época do Novo Testamento: I Coríntios 1:2
do Pai Celestial. Jesus Cristo é o 115:4). “Últimos dias” significa dias Época do Livro de Mórmon: 1 Néfi 14:14; Morôni 8:26
cabeça da Igreja. finais, a época em que vivemos hoje. Época de Joseph Smith: Doutrina e Convênios 57:1; 84:2
Hoje em dia, os membros da Igreja também são chamados de
santos.

Os Profetas Modernos

Como Jesus Cristo organizou Sua Igreja?


Jesus organizou Sua Igreja quando viveu na Terra,
quando visitou o continente americano e quando a restau-
Joseph Smith, o primeiro Thomas S. Monson,
rou por intermédio do Profeta Joseph Smith. Em cada vez, Presidente da Igreja 16º Presidente da Igreja
Ele escolheu Doze Apóstolos ou discípulos para ajudá-Lo
a edificar o reino de Deus na Terra ensinando o evangelho Smith como o primeiro profeta dos últimos dias. Tho-
(ver Marcos 16:14–15; 3 Néfi 12:1). mas S. Monson é o 16º Presidente da Igreja. O profeta
Jesus também chama um profeta para liderar a Igreja. é a única pessoa que pode receber revelação para
O Presidente da Igreja é o profeta. Jesus chamou Joseph toda a Igreja.
Como nossos líderes da Igreja ajudam Jesus? Nas alas e ramos, os bispos e presidentes
Todos os líderes da Igreja ajudam Jesus de ramo dirigem a presidente da Sociedade de
servindo a outros membros da Igreja. Socorro, o presidente dos Rapazes e a presidente
O profeta dirige os Doze Apóstolos. das Moças, a presidente da Primária, o presidente
Os Apóstolos dirigem os Quóruns dos da Escola Dominical, os mestres familiares e as
Setenta. professoras visitantes e outros líderes.
Os Quóruns dos Setenta ajudam os Os líderes e professores das alas e
Apóstolos a ensinar os presidentes ramos servem a todos nós.
Doze Apóstolos na época do Novo Testamento
de estaca e distrito.
Os presidentes de estaca e Como podemos ajudar
distrito ajudam os Jesus?
bispos e presidentes Ajudamos Jesus
de ramo. quando guardamos
Seus mandamen-
tos. Nós O ajudamos
seguindo o profeta.
Nós O ajudamos quando
aprendemos a respeito
Dele, assistindo às reuniões
da Igreja e lendo as escrituras.
Nós O ajudamos quando esco-
lhemos fazer o certo. Fazendo
essas coisas, estamos nos
preparando para ser futuros
líderes em Sua Igreja, A
Doze discípulos na época do Livro de Mórmon Igreja de Jesus Cristo
dos Santos dos
Últimos Dias. ●
Welden C. Anderson; detalhe de Joseph Smith Jr., cortesia de Community of Christ Archives, Independence, Missouri; fotografia do Presidente Monson: David Newman
VEDE AS MINHAS MÃOS E OS MEUS PÉS, de Harry Anderson; CRISTO ORDENANDO OS APÓSTOLOS, DE harry anderson; Três Nefitas, de Gary L. Kapp; ilustração fotográfica:
Da V i d a d o P r o f e ta J os e p h S m i t h

Fazer as Pazes
com os Inimigos

Qual de vocês Estamos aqui


Certo dia, quando o Profeta
é Joe Smith? para matá-lo!
estava visitando a casa de seus
pais, em Far West, um grupo
de milicianos entrou brusca-
mente pela porta.

Os homens ficaram olhando para o Profeta enquanto


Joseph imediatamente deu um passo à frente, sorriu para os falava, sem poder acreditar no que viam.
soldados e apertou a mão deles.

Nós, mórmons, acreditamos em Jesus Cristo e só quere-


Eu sou Joseph. Prazer em mos paz. Mas sofremos muitas perseguições nos últimos
conhecê-los. Por meses, desde que nos mudamos para Missouri. Pelo que
favor, entrem e sei, nenhum de nós violou lei alguma. Mas se tivermos
sentem-se. violado, estamos prontos para ser julgados pela lei.

Ilustrações: Sal Velluto e Eugenio Mattozzi

A10
Você não deve ir sozinho, Prometemos dissolver a milícia sob
Mãe, acho que vou nosso comando e voltar para casa.
não é seguro.
para casa. Emma está me
esperando.

Nós vamos com você


para protegê-lo.
Se precisar de nós
para qualquer coisa,
voltaremos e faremos
tudo o que for preciso.
Obrigado.

Fora da casa dos Você não sentiu uma coisa


pais de Joseph, estranha quando ele apertou Senti como se não conseguisse me
o restante dos sua mão? Nunca me senti assim mover. Eu não arrancaria um fio de
homens conversava em toda a vida. cabelo da cabeça daquele homem por
sobre seu encontro nada neste mundo.
com o Profeta.

Essa foi a última vez


que me viram tentar matar
Joe Smith ou qualquer
mórmon.

Adaptado de Ensinamentos dos Presidentes da Igreja: Joseph Smith (curso de estudos do O Amigo Abril de 2009 A11
Sacerdócio de Melquisedeque e da Sociedade de Socorro, 2007), pp. 358–359.
Press a em
Aprender
Lena M. Harper
Inspirado em uma história verídica
“Procurai conhecimento, sim, pelo estudo

R
e também pela fé” (D&C 88:118).
ussell colocou cuidadosamente “Quem sabe vamos aprender sobre dinossau-
seus dois lápis e seu caderno ros primeiro”, pensou Russell.
na mochila da escola. Penteou “Bem-vindos à escola”, disse a Sra. Wilson.
o cabelo e viu se a roupa que vestia “Vamos nos apresentar e dizer alguma coisa
estava em ordem. Depois de despedir-se sobre nós mesmos.”
da mãe com um abraço, correu para a Russell franziu a testa. “Ora, temos que
parada de ônibus. Sentiu que ia explodir, conhecer todo mundo”, pensou ele. “Quem
se o ônibus não chegasse logo. Estava sabe vamos aprender sobre dinossauros depois
ansioso por começar seu primeiro dia na disso.”
escola. Quando foi a vez de Russell se apresentar,
Todo ano, Russell via seus irmãos e ele disse: “Meu nome é Russell. Estou entusias-
irmãs mais velhos irem até a parada de mado para aprender de tudo: especialmente
ônibus, onde tomavam o ônibus para sobre trens e dinossauros.”
a escola. Ele queria ir com eles. Ainda “Que ótimo, Russell”, disse a Sra. Wilson.
mais, ele queria aprender as coisas que Russell sorriu. Ele tinha certeza de que iriam
eles estavam aprendendo. Queria apren- aprender sobre trens e dinossauros logo em
der mais sobre dinossauros. Queria saber seguida.
como os trens funcionavam. Queria Mas não foi isso que aconteceu. Comeram a
aprender a ler. Sabia que ia gostar muito merenda e brincaram com blocos em forma de
da escola. círculo, triângulo e quadrado.
A professora de Russell, a Sra. Wil-
Ilustrações: Jim Madsen

son, sorriu quando ele entrou na sala de


aula. Ela mostrou a Russell onde ficava a
carteira dele. Também mostrou onde ele
devia pendurar sua mochila.

A12
O Amigo Abril de 2009 A13
e para seu
“Não há limit
prendizado,
potencial de a
Deus.”
como filho de eiro
ring, Prim
esidente Henry B. Ey es idên cia,
Pr eira Pr
o na Prim u Can’t Do”
,
Conselheir Think Yo
They
“Do What de 19 89 , p. 6.
tubro
New Era, ou

“Sra. Wilson, quando é que vamos aprender sobre


dinossauros e trens?” perguntou Russell.
“Não será agora, Russell”, disse ela. “Agora é hora de
ler uma história.”
“Ela fala de dinossauros?”
“Não, Russell.” “Ora, você precisa aprender o alfabeto antes de
Depois da história, aprenderam o alfabeto. Depois, poder aprender a ler. E precisa aprender a ler antes de
era hora de voltar para casa. poder ler sobre as coisas que lhe interessam”, disse ela.
Russell ficou muito bravo. Russell pensou naquilo. Talvez haja outras coisas
Ficou olhando pela janela do ônibus, emburrado. para aprender além de dinossauros e trens. “Bem,
Correu do ponto de ônibus para casa e entrou brus- acho que vou tentar ir de novo para a escola amanhã”,
camente pela porta da frente. Correu para o quarto e disse ele.
enfiou a cabeça debaixo do cobertor. A mãe lhe sorriu.
A mãe chegou e colocou a mão na cabeça de Rus- “Mas, mãe, acha que podemos pegar um livro sobre
sell. “Como foi seu primeiro dia?” perguntou ela. dinossauros na biblioteca?”
“Horrível. Nunca vou aprender nada e não quero vol- “Certamente que sim!” ●
tar lá. Tudo o que fizemos foi brincar com bloquinhos e
ler histórias.”
“Ora, Russell, foi só o seu primeiro dia”, disse
a mãe.
Russell ergueu-se na cama e olhou para a
mãe. “Eu queria aprender sobre dinossau-
ros e trens, e aprender a ler — logo!”
A mãe sentou-se ao lado de Russell
na cama. “Você não pode aprender tudo
de uma vez. O aprendizado leva tempo.
E quanto mais você aprender agora, mais
conseguirá aprender depois.”
“Como assim?” perguntou Russell.

A14
Ilustração fotográfica: Christina Smith; fundo © Dynamic Graphics Inc.

Eu Quero o Batismo

O Amigo Abril de 2009


A15
P á g i n a p a r a
C o l o r i r

Ilustração: Apryl Stott

Jesus Cristo me possibilitou voltar a viver com meu Pai Celestial


“Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai,
senão por mim” ( João 14:6).
A16
Maria e o Senhor Ressuscitado, de Harry Anderson
“Disse-lhe Jesus [a Maria]: Mulher, por que choras? Quem buscas? Ela, cuidando que era o hortelão, disse-lhe:
Senhor, se tu o levaste, dize-me onde o puseste, e eu o levarei.
Disse-lhe Jesus: Maria! Ela, voltando-se, disse-lhe: Raboni (que quer dizer, Mestre)” ( João 20:15–16).
Aparecendo a Seus Apóstolos após Sua Ressurreição,
o Salvador perguntou:
“Por que estais perturbados, e por que sobem tais pensamentos
aos vossos corações?
Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo;
apalpai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos,
como vedes que eu tenho. (…)
Então eles apresentaram-lhe parte de um peixe assado,
e um favo de mel” (Lucas 24:38–39, 42).

Ver “Ele Ressuscitou”, página 8.