Trabalho apresentado como requisito parcial de avaliação da disciplina de Instalações Elétricas I, ministrado ao 7º período noturno, Curso de Engenharia Elétrica

, do Centro de Ensino Superior dos Campos Gerais – CESCAGE. Prof.: Mauricio Biczkowski PONTA GROSSA 2011 1 INTRODUÇÃO 2 TRANSFORMADORES À ÓLEO 2.1 PRINCIPAIS COMPONENTES 2.1.1 Enrolamento (Bobinas) 2.1.2 Núcleo 2.1.3 Óleo Isolante 2.1.4 Tanque principal 2.1.5 Radiadores 2.1.6 Tanque de Expansão (Balonete) 2.1.7 Indicador de nível de óleo 2.1.8 Secador de Ar (Tubo de Silica-Gel) 2.1.9 Termômetro 2.1.10 Imagem Térmica (Termômetro do Enrolamento) 2.1.1 Tubo de Explosão (Válvula de Alívio) 2.1.12 Relé de Gás (Buchholz) 2.1.13 Buchas (Isoladores) 2.1.14 Sistema de Refrigeração 2.2 FUNÇÕES DOS ÓLEOS ISOLANTES 2.2.1 Características e Estrutura 2.2.2 Verificações 3 ENSAIOS 3.1 ENSAIOS DE ROTINA 3.2 ENSAIOS DE TIPO 3.3 ENSAIOS DIELÉTRICOS 3.4 ENSAIOS ESPECIAIS (EXATIDÃO) 4 TRANSFORMADORES À SECO 4.1 NÚCLEO 4.2 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS 6 CONCLUSÃO 1 2 2 2 3 4 4 4 4 5 6 6 7 8 9 9 10 1 1 12 13 13 13 14 14 15 16 17 20

5 TRANSFORMADORES À ÓLEO X TRANSFORMADORES À SECO19 SUMÁRIO BIBLIOGRAFIA ........................................................................................................ 21 1 INTRODUÇÃO O transformador é uma máquina estática que, por meio de indução eletromagnética, transfere energia elétrica de um circuito (primário), para outros circuitos (secundário e/ou terciário), mantendo a mesma freqüência, mas geralmente com valores de tensões e correntes

com o objetivo de transmitir potência elétrica. cuja utilização em território nacional é proibida por lei. este conjunto tem a função de garantir a rigidez dielétrica e mecânica do bobinado. transforma um sistema de tensão e corrente alternadas em outro sistema de tensão e corrente.1.1 Enrolamento (Bobinas) Primário e secundário são condutores elétricos enrolados ordenadamente sobre um núcleo de ferro. Silicone. Quanto à classificação os transformadores podem ser classificados de elevador (eleva a tensão do enrolamento secundário em relação ao primário) e abaixador (abaixa a tensão do enrolamento secundário em relação ao enrolamento primário). abaixadores e suas ligações são em triângulo (enrolamento primário) . Obs.1 PRINCIPAIS COMPONENTES 2. Relativo à sua refrigeração. Ascarel. já o enrolamento secundário é sempre conectado a carga e sua fonte de energia é induzida do primário. por indução eletromagnética. eles podem ser a óleo ou a seco. os transformadores são trifásicos.diferentes. 2 TRANSFORMADORES À ÓLEO Os transformadores a óleo possuem seu sistema isolante composto por uma parte sólida (papel isolante) e uma parte líquida (óleo isolante). transmissão e em plantas industriais comuns. Existem três tipos de líquidos isolantes que são usados em transformadores: Óleo mineral. São de emprego generalizado em sistemas de distribuição.Transformador é um equipamento estático com dois ou mais enrolamentos que. . Normalmente nas estações primárias.estrela (enrolamento secundário). Definição de Transformador de Potência Segundo NBR 5356-1/2008 . triângulo (delta) ou zig-zag. O enrolamento primário está sempre conectado a fonte de energia. Na prática a relação de transformação depende exclusivamente do número de espiras nas bobinas primária (N1) e secundária (N2). São os mais comuns e amplamente utilizados em diversas áreas. de valores geralmente diferentes. mas à mesma freqüência. Quanto à ligação os transformadores podem ser ligados em estrela. 2. Quanto aos tipos podem ser monofásico ou trifásico.: Experimentalmente aparece o óleo vegetal.

Figura 1. Transformador de Potência e Bobinas .

Todo este material deve esta bem fixo e prensado para evitar ruídos e vibração. formando um bloco de ferro concentrado. para isto. pois é através dele que flui o fluxo magnético do enrolamento primário para o secundário. É composta de chapas de ferro-silício isolada. Os principais líquidos usados como meio isolante . que tem a finalidade de proporcionar um meio isolante entre as partes energizadas.1. madeira. Transformador em Partes A importância do núcleo no transformador é grande. sobreposta uma sobre a outra. Isoladores e Bobinas Figura 3.Figura 2.3 Óleo Isolante Em geral os transformadores de média e alta tensão são imersos em óleo isolante. são empregados papel. Tanto as bobinas como o núcleo devem estar isoladas entre si e. 2. papelão e verniz. e para sua sustentação. e como transferência de calor do núcleo para o exterior do tanque.

1. Os radiadores são fixados na parte externa do tanque e tem como finalidade ajudar na refrigeração do óleo isolante. o balonete recebe o volume de óleo após sua dilatação e o libera após sua contração. 2. já que sua função também é de sustentação da parte ativa do transformador. recebendo o óleo com temperatura mais elevada na parte superior e retornando o óleo com temperatura menor pela parte inferior. é liberado. o que possibilita o movimento do óleo em seu interior. em decorrência da mudança de temperatura no interior do transformador e em função da carga e da temperatura ambiente. . transferindo o calor para fora do tanque. para o tanque. São confeccionados em chapas. o nível do óleo vem acompanhado de um contato (tipo micro-chave). com paletas abertas em suas extremidades. Em transformadores com balonete. ajudado pelo deslocamento do óleo. através do óleo isolante. com finalidade de sinalizar com alarme caso o volume do óleo atinja ponto crítico para a operação do transformador. Os tanques são confeccionados em chapas de ferro reforçados.6 Tanque de Expansão (Balonete) O balonete é utilizado com a finalidade de compensar as variações do volume do óleo no tanque. através de gravidade (geralmente o volume do óleo no balonete deve ficar em torno de 25 a 50% de sua capacidade).7 Indicador de nível de óleo Tem a finalidade de indicar o volume de óleo no interior do tanque.1. 2.4 Tanque principal É através do tanque que o calor transferido do núcleo e do enrolamento.são: o ascarel (hoje proibido seu uso. Instalado na parte externa e no ponto mais alto do transformador. devido à agressão que o mesmo provoca ao meio ambiente). o silicone e o óleo isolante mineral (derivado do petróleo).1. 2. Pode ser instalado na extremidade do balonete ou no próprio tanque (quando o transformador não possuir balonete).

Quando em condições normais a silica-gel é de cor azul. podendo ser recuperada após ser aquecida em estufas. que possui a propriedade de absolver a umidade. Indicadores de Nível de Óleo – Visão Externa 2.1. após sua saturação. adquirindo a tonalidade rosa.Figura 4. passa pelo secador de ar. O secador de ar é um tubo que vai até a parte superior do balonete. é retida em outro recipiente com óleo localizado na parte inferior do tubo. ela muda de cor. pela absorção da umidade. O ar que entra vem do meio ambiente. acompanhando as variações do volume de óleo. Indicador de Nível de Óleo – Mecanismo Interno Figura 5. .8 Secador de Ar (Tubo de Silica-Gel) O ar que entra e sai do balonete. Já a sujeira. e com uma quantidade de cristais de silicagel. deixando nele a umidade. vindo a diminuir sua propriedade dielétrica. traz consigo umidade e sujeira. esta não deve chegar até o óleo para não contaminá-lo.

também é lá o ponto mais quente do equipamento e o que mais rápido aquece (esta temperatura é relacionada à carga do transformador).10 Imagem Térmica (Termômetro do Enrolamento) É uma proteção contra alta temperatura nos enrolamentos do transformador. A diferença fundamental está no processo de medição desta temperatura (como o custo da leitura direta é alto. Como o óleo é um elemento de transmissão da temperatura no interior do transformador. Esta temperatura deve ser acompanhada e controlada para não provocar um desgaste maior nas partes internas do mesmo. tende a sofrer aquecimento durante seu funcionamento. Secador de ar (tubo de sílica-gel) 2. Normalmente. é idêntico ao termômetro de óleo. Figura 7. Indicador de Temperatura do Óleo 2. este controle é feito através do termômetro de óleo.9 Termômetro O transformador. É fundamental o controle desta temperatura. outro com contato para acionar os ventiladores (caso o transformador tenha refrigeração forçada). assim como o bulbo e o tubo capilar. optou-se pela leitura indireta através da relação carga/temperatura). O termômetro consiste de um bulbo contendo mercúrio. por se tratar de uma máquina. deteriora o material isolante. que ao sofrer aquecimento se expande através de um tubo capilar pressionando os ponteiros que registram a temperatura. É instalado um transformador de .Figura 6. O termômetro do enrolamento. quando ela atinge valores elevados.1. no termômetro de temperatura do óleo existe um ponteiro para registrar a temperatura.1. Como é no enrolamento que o processo de transformação da tensão acontece. já que.

também em série. provocando. caso a temperatura persista em aumentar. aumentando também no TC. o transformador é desligado através de outro contato.1. com uma resistência.1 Tubo de Explosão (Válvula de Alívio) . portanto o deslocamento do ponteiro no termômetro. que por sua. Quando esta temperatura atinge valores elevados. Com o aumento da carga no transformador. que aciona o sistema de proteção desligando o disjuntor e isolando o transformador. Termômetro de Imagem térmica 2. a corrente elétrica que circula no enrolamento tende a aumentar. Figura 8. seus terminais secundários estão ligados.corrente (TC) em série com o enrolamento principal do transformador. um contato é acionado emitindo alarmes. A resistência fica dentro de uma cuba com óleo. dilatando o mercúrio do tubo capilar. vez aquece a resistência e o óleo da cuba.

a outra bóia.12 Relé de Gás (Buchholz) É um dispositivo com a finalidade de proteger os transformadores imersos em óleo e com conservador (balonete). . contra defeitos internos. Localizado entre o tanque e o balonete. o qual aciona um alarme sonoro ou luminoso. Válvula de alívio 2. quando acionada pelo alto e constante fluxo de gases ou ar.1.O tubo de explosão tem como finalidade proteger o transformador contra pressões excessivas que possam ocorrer no seu interior. desliga o transformador através do disjuntor. Atualmente nos transformadores de alta tensão estes tubos estão sendo substituídos por válvulas de segurança (válvula de alivio). Com o curto-circuito. gerando bolhas de gases (algumas vezes inflamável). dentro do transformador. o relé é equipado com duas bóias (balancim): uma para registrar baixo e passageiro fluxo de gases ou ar. isolando e evitando sua queima. rompe uma membrana de vidro vindo a despressurizar o tanque. Figura 9. há uma queima do material isolante. que se fazem sentir por movimento brusco do óleo ou curto-circuito. montado na tampa superior do transformador que ao sofrer a pressão interna. devido à formação de um arco elétrico ou queima de isolante. O tipo mais simples e mais utilizado consiste de um tubo curvado.

O outro sistema é a ventilação forçada e nestes casos existem ventiladores fixos nos radiadores. Relé de Gás (Buchholz) 2. que é feita pela circulação natural do óleo. com resfriamento por ventilação. quando da passagem da corrente. Assim.14 Sistema de Refrigeração Para evitar que a temperatura nos transformadores atinja valores perigosos aos isolamentos. Este processo é chamado “líquido natural” (ONAN). ou auto-refrigeração.2 FUNÇÕES DOS ÓLEOS ISOLANTES O isolamento elétrico entre as espiras é feito por meio de papel ou outro isolante sólido (como os vernizes). Os materiais mais empregados na sua construção são porcelana e vidro. aumentando a transferência do calor do óleo para o exterior do tanque. circulação forçada do óleo (OFAF) e refrigeração à água (OFWF). suporte e de passagem. o seu aquecimento. tais como: refrigeração natural (ONAN). 2. E o transformador é classificado como transformador a banho de óleo.1. com a finalidade de aumentar a circulação do ar nos radiadores. os sistemas. A resistência elétrica dos condutores das bobinas causa. assim gerado. portanto. Nos transformadores de média tensão. pedestal.1.Figura 10. vemos que a . O calor. Isoladores e Buchas Quanto às características podem ser: rígidos e de suspensão. Figura 1. é fácil observar que quanto mais eficientemente for removido maior será a vida útil do sistema. utilizam-se processos de resfriamento. mais usados são: refrigeração natural.13 Buchas (Isoladores) A função básica das buchas ou isoladores nos equipamentos elétricos é proporcionar um isolamento elétrico entre o condutor energizado e a carcaça do equipamento. irá causar a degradação térmica do material isolante e. Este processo é chamado “Líquido com ventilação forçada” (ONAF) e o transformador é classificado como transformador a banho de óleo. ventilação forçada (ONAF). transferindoo ao meio ambiente. 2. colocado sobre a superfície do condutor. que retira o calor do conjunto núcleo-bobina. Quanto à forma eles são: isolador de pino.

isto é.Boa Estabilidade Térmica Sabendo que a principal função dos fluidos isolantes é a refrigeração das bobinas.Isolamento Elétrico 2.Boas Características de Isolamento Elétrico. . Estes materiais não devem sofrer ataque químico por parte do líquido isolante de forma a não perder suas propriedades originais. é fácil observar que estes materiais não devem sofrer a ação da temperatura.Baixa Reatividade Química Durante a operação dos transformadores os isolantes líquidos.2.1 Características e Estrutura Os óleos para transformadores devem possuir: .Boa Condutibilidade Térmica. é necessário que o líquido a ser utilizado tenha uma viscosidade tal que permita a sua rápida circulação entre as fontes de calor e o meio externo. .Boa Condutibilidade Térmica Neste ponto. Além disso. . entre bobinas e núcleo e entre estes e as partes aterradas. em resumo.principal função dos isolantes fluidos é a refrigeração das espiras de material condutor. os materiais isolantes elétricos são também isolantes térmicos. . . podemos observar que o material a ser empregado deve atender a duas exigências opostas. mais econômico poderá ser o projeto do sistema pela redução da quantidade do isolante sólido e pela diminuição das distâncias entre espiras.Boa Estabilidade Térmica. . estarão em contato com todos os demais materiais presentes nos equipamentos. vemos que os líquidos isolantes devem cumprir duas funções principais nos transformadores: .Baixa Viscosidade Para compensar esta deficiência natural (acima citada).Baixa Viscosidade.Resistência ao fogo. por circularem em todo o sistema. os óleos isolantes para transformadores devem apresentar as seguintes características fundamentais: . . é fácil observar que quanto melhores forem as características isolantes do fluido utilizado. . Portanto. Assim.Refrigeração . .Baixa Reatividade Química.

2 Verificações Nos transformadores deve-se verificar: se não existem vazamentos. limpar.2 ENSAIOS DE TIPO Constituem ensaios de tipo os seguintes: a) todos os ensaios especificados em 3. (na caixa. • Ensaios de Tipo. chaves térmicas e contadores. 3. • Ensaios Dielétricos. instalações industriais internas e veículos. a frio. e) exatidão. c) corrente de excitação e perdas em vazio. executados nas instalações do fabricante ou em outro laboratório devidamente credenciado. Os ensaios aplicados em transformadores de potência (ou distribuição) podem ser classificados em. 3 ENSAIOS Através da realização de ensaios as condições de funcionamento. condições da silica-gel (caso esteja rosada substituí-la). d) polaridade. apontar que os transformadores instalados em locais onde o risco de incêndios e explosões deve ser minimizado. segundo a NBR-6855: • Ensaios de Rotina. Verifica-se. o nível do óleo do balonete. b) resistência dos enrolamentos. e) tensão suportável de impulso atmosférico. Na caixa de fiação é necessário verificar. 3. devendo os ensaios de “a” a “f” ser realizados na ordem indicada: a) tensão Induzida. seja também retardante de chama. devem ter um meio isolante que. d) impedância de curto-circuito. a eficiência e a capacitação de um transformador são verificadas. f) tensão suportável de impulso de . Assim. f) fator de perdas dielétricas do isolamento.É importante ainda. como prédios residenciais e comerciais.1 ENSAIOS DE ROTINA Constituem ensaios de retina os abaixo relacionados. além das propriedades básicas já descritas.1. e reapertar os blocos de fiação. ligações a terra. 2. • Ensaios Especiais. g) estanqueidade. os transformadores instalados em locais de circulação de pessoas. isoladores (buchas). ventiladores. b) tensão suportável a freqüência Industrial a seco. c) descargas parciais. Os ensaios são procedimentos de avaliação de um transformador.2. radiadores e balonete) e se os registros dos mesmos estão abertos. exigem uma propriedade especial do isolante a ser empregado: a propriedade de resistência ao fogo.

g) curto-circuito.3 ENSAIOS DIELÉTRICOS a) tensão Induzida. c) tensão suportável de impulso atmosférico. f) fator de perdas dielétricas do isolamento. l) elevação da temperatura. segura. Com o objetivo do desenvolvimento plenamente atingido. corrente de excitação. e) estanqueidade. atestando a sua excepcional confiabilidade. 4 TRANSFORMADORES À SECO O desenvolvimento dos transformadores a seco. j) tensão suportável a freqüência industrial. b) tensão suportável a freqüência industrial. e com isto também atender às normas internacionais IEC 76. milhares de transformadores neste padrão têm sido fornecidos por indústrias de projetos e construção de transformadores a seco. e) descargas parciais (DP). moldados em resina. h) tensão de radiointerferência. confiável e ecológica. d) estanqueidade. ocorreu no início dos anos 60 e teve um grande avanço com estudos inovadores das características convencionais. 3. d) tensão suportável de impulso de manobra. f) tensão de radiointerferência.manobra. a frio. de forma mais econômica. corrente de curto-circuito e perdas em vazio. bem como os níveis de tensões de ensaio como os transformadores em óleo. c) curto-circuito. i) estanqueidade a quente. a seco e sob chuva. . Transformadores moldados em resina epóxi reúnem todas as vantagens para a distribuição de energia elétrica. além da sua característica ímpar de ser ecologicamente irrestrito. g) Condições específicas de TPI projetado para altitude superior a 1000 m. 3. sob chuva. conforme ABNT.4 ENSAIOS ESPECIAIS (EXATIDÃO) a) resistência dos enrolamentos. as especificações para transformadores e reatores. b) elevação da temperatura. O projeto e construção dos transformadores a seco devem atender às normas da ABNT. com aplicações nas mais diversas condições e instalações. a quente. além de estudos de substâncias vantajosas e de qualidades elétricas aplicadas a ele.

poços de recolhimento de fluídos e sistemas de combate a incêndios.1 NÚCLEO O núcleo utilizado em sua maioria é do tipo convencional envolvido. especialmente na proximidade dos pontos de consumo. 4. não necessitam de manutenção e são ecológicos. Figura 14. sem restrições ao meio ambiente. Os transformadores a seco em resina epóxi são compactos. Transformadores requerem espaço. permitindo com isso ser colocado praticamente em qualquer local. Em geral. o qual normalmente é escasso e valioso. os transformadores devem ser seguros e confiáveis. caso não atendam a essas premissas. Transformador Trifásico em Resina Epóxi Quanto mais próxima for à fonte de energia do ponto de consumo e quanto mais alta for a tensão. o tipo de núcleo envolvente é mais econômico para transformadores a seco de baixa tensão. menores serão as perdas no transporte da energia e mais simples a rede elétrica. mas pode ser também projetado e construído na forma envolvente. Sua instalação dispensa portas corta-fogo. A diferença entre os dois tipos pode ser observada nas figuras 12 e 13. versáteis tanto no que se referem às conexões e aumento da potência com o emprego de ventilação forçada. seguros. enquanto o tipo de núcleo envolvido é mais econômico para os de tensão elevada. representam perigo às pessoas e equipamentos.Figura 12. Figura 13. Transformador trifásico do tipo núcleo envolvido . pois. Para atender essas exigências. Transformador trifásico do tipo núcleo envolvente Os transformadores do tipo de núcleo envolvente têm sido construídos para tensões até 230kV.

mesmo estando desligados por longos períodos. operavam em carga parcial e/ou a temperatura máxima ambiente inferior a 40ºC. além de ocuparem menor espaço. sistemas de combate a incêndio. pois não requerem manutenção nem apresentam os instrumentos de proteção e controle. não poluindo o ar nem o solo.). ecológicos e em plena sintonia com o meio ambiente. necessária para os recintos de instalação destes transformadores é o mesmo que o aplicado para transformadores em líquidos isolantes. • Apresentam baixo custo operacional. A temperatura do enrolamento não deve ultrapassar um dado valor correspondente à classe do material isolante empregado no mesmo. antes da mesma. A parte mais sensível do transformador quanto à temperatura é o seu enrolamento. adicionalmente. não produzem nenhum gás ou cinza tóxicos. • Suportam fortes sobrecargas e apresentam excelente resistência a curtocircuito devido à configuração e construção das bobinas. a sua vida útil esperada é igual ou superior à dos transformadores em óleo isolante. • Quando envolvidos em incêndios. • Devido à inexistência de fluído isolante. paredes corta-fogo.Considerando o dimensionamento térmico favorável dos transformadores a seco. De qualquer maneira. simplificam as obras civis que são necessárias com os transformadores em líquido isolante (dispensam a execução de poços de recolhimento de líquido. não propagam ou intensificam o fogo tendo em vista o material isolante ser auto-extinguível. . • Projetos com transformadores a seco. e a resistência ao envelhecimento dos materiais isolantes empregados. não há risco de explosão e incêndio e. típicos de transformadores com líquido isolante. O cálculo da ventilação natural ou forçada. 4. Sem ultrapassar as elevações máximas de temperatura.2 PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS De uma forma geral. a sobrecarga deve ser interrompida quando atingida a temperatura máxima permitida ao isolamento. um transformador a seco foco desta dissertação apresenta as seguintes características principais: • Ocupa aproximadamente 45% da área de um transformador isolado com óleo isolante. São. etc. simplificam a instalação elétrica pela dispensa dos acessórios de supervisão do transformador. permitindo a energização a qualquer momento. os transformadores a seco podem ser submetidos a sobrecargas quando. portanto. • São insensíveis à umidade.

• Fator de diversidade. indústrias químicas. • Fator de utilização. transportes. . logo que não utilizam óleo isolante. 5 TRANSFORMADORES À ÓLEO x TRANSFORMADORES À SECO Os transformadores a óleo possuem seu sistema isolante composto por uma parte sólida (papel isolante) e uma parte líquida (óleo isolante). As vantagens dos transformadores a seco são: a maior robustez mecânica. os mesmos possuem menor dimensão e são recomendados para instalações internas que exigem segurança e confiabilidade. podemos observar que existem restrições. menor nível de descargas parciais internas e a possibilidade de instalação mais próxima ao ponto de carga diminuindo assim as perdas com os cabos de alimentação. devido ao menor risco de combustão. • Curva de carga. Os transformadores a seco não utilizam óleo e possuem seu bobinado encapsulado em resina. Este tipo de transformador é indicado para áreas onde há a presença de pessoas. este tipo de transformador possui limitações de potência e tensão. Portanto. relativas à custos e segurança. quando da escolha do tipo e potência de transformadores. hospitais. Os transformadores a óleo são os mais comuns e amplamente utilizados em diversas áreas. shopping centers. • Admitem uma elevação de tem peratura superior aos transformadores isolados a óleo. etc. proporcionam uma sobrecarga de no mínimo 40%. como fábricas em geral. prédios residenciais. é de fundamental importância a análise dos seguintes fatores relacionados às cargas que serão atendidas: • Demanda. Porém. petroquímicas. além do custo mais elevado que os transformadores a óleo. este conjunto tem a função de garantir a rigidez dielétrica e mecânica do bobinado. 6 CONCLUSÃO Dependendo da necessidade.• Quando equipados com ventilação forçada adequada. • Fator de demanda.

bem como a legislação e normas vigentes. • Potência nominal e fator de potência. • Escolha dos níveis de tensão. de menor custo. . • Conservação e uso racional da energia elétrica.• Fator de carga. • Lay-out da planta (indústrias). Destra forma é indispensável a avaliação destes fatores para que exista um projeto eficiente. seguro e que atenda as necessidades do usuário.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful