Você está na página 1de 2

-

Ciência

AS PEDRASRESPIRAM
Cientistasdescobrem natureza surpreende a ciên- absorvem, porque precisam absorver

A
queparaelaso gás
carbônicoé vital
cia. Alguns gases, para nós,
são a morte. Esses mesmos
gases, para pedras e rochas,
são a vida - e funcionam como ali-
para sobreviver, enormes quantidades
de gás carbônico (C02), o principal
causador do efeito estufa. Melhor do
que isso, novamente para nós, é saber
e planejamacelerar mento essencial para o seu crescimen- que o mundo está repleto dessas rochas
esseprocesso to. Essa é a constatação de cientistas
americanos da Universidade de Co-
e pedras. Em um amplo mapeamento
feito na semana passada, os pesquisa-
deabsorçãopara lúmbia que acabam de descobrir o dores apontam que só nos EUA são
aliviara poluição potencial de determinadas cordilheiras
conhecidas como peridotito, ricas nos
15,5 mil quilômetros de peridotitos
que "respiram" toneladas de CO2, Em
Luclana Sgarbl minerais olivina e serpentina - elas outros lugares do mundo como as ilhas

1
,
Emfasede
"crescimento",
as
rochasabsorvemC02

t~
"fo
# 1 ~~ tP:it
o:(

:~{.." ~
~: '

~ (1;]," \w .,
I ~ ~~I:i). ~
I ~,,/ "
" ..
12
I Emseuinterior,o gásse
,. misturacomosminerais
olivinae serpentina,
I formandoplacas
I

"
sólidascomomármore

...

---- --
3 absorveraté100
Esseprocessonaturalchegaa
mil tonela-
das degáscarbônlcoaoano,
4 vezes,
Paraaceleraro processo
deabsorçãodasrochasem50 mil
ospesquisadores vão perfurar
5 Aágua quente é impor-
tante porque o calor
acelera a reação,
o equivalenteaoque800 mil o solosedimentare injetarágua forçando a rocha a
carrospoluememoito dias quenteeCO2pressurizado sugar mais CO2

\ .
do Pacífico, Grécia e Arábia existem talisador (citrato de sódio) para dis-
aproximadamente 46 mil quilômetros solvê-Ias. "Imediatamente as rochas
desse material geológico. Somente em voltaram a se formar e tudo aconteceu
Omã, por exemplo, uma área do ta- em questão de minutos com a absor-
manho do Estado de Alagoas é ocu- ção do gás carbônico", diz Krevor.
pada por peridotitos que, antes de Para que esse ambicioso plano dê
chegarem à superfície, crescem sob a certo, os cientistas sugerem a perfuração
crosta terrestre alimentando-se de do solo e a injeção de água quente com
nossa poluição - e dela precisando. gás carbônico pressurizado. A ideia é
° estudofoi publicadona revista armazenar em cilindros, por exemplo,
americana PNAS (Proceedings of the o gás poluente de uma indústria e,
National Academy of Sciences) e já então, pressurizá-lo. ° calor acelera a
está sendo indicado por muitos cien- reação, fraturando grandes volumes de
tistas como uma das prováveis alter- rochas, forçando-as sucessivamente a
nativas ao aquecimento global. Segun- reagir com mais água enriquecida com
do eles, o fenômeno começa na região CO2.Osdentistas afirmamqueas pedras
conhecida como manto terrestre, isso localizadas em Omã podem absorver
a 20 quilômetros de profundidade. Ali, anualmente algo em torno de quatro bi.
quando a rocha está em fase de cres- Ihõesde toneladasdocarbonoqueestão
cimento, algumas lascas de peridotito na atmosfera - uma parte substancial A poluição
extra
se desprendem e são empurradas pela dos 30 bilhões de toneladas emitidos da Amazônia
pressão dos gases internos para a sobretudo pela queima de combustíveis
crosta terrestre, absorvendo o gás fósseis. Entupir o interior da Terra Arevistaamericana Sclence
carbônico que reage com os minerais. com poluentes, formando um aterro divulgounasemanapassadaum
Forma-se então um carbonato sólido de CO2 pode, no entanto, gerar pro- estudocoordenadopelaUniversida-
tal como mármore ou calcário. Natu- blemas que são ressaltados pelos pró- dede Leeds,na Inglaterra,afirman-
ralmente, esse processo absorve cerca prios pesquisadores. Com a formação do quea secade2005 naAmazô-
de 100 mil toneladas de poluentes por de grandes quantidades de sólidos no nia teveumimpactodecinco
ano. "Isso é pouco para ajudar o pla- subsolo corre-se o risco de se produzir bilhõesdetoneladasextrasde
neta, mas podemos fazer com que fendas que darão origem a pequenos dióxidodecarbonona atmosfera
muito mais CO2 seja absorvido", diz terremotos. Como tudo na natureza, - o quesuperaasemissõesanuais
o coordenador do estudo, o geólogo há prós e contras. E não é diferente da Europae doJapão.Segundoos
Sam Krevor. Em laboratório, ele e sua com a formação de pedras, rochas e cientistas,o fenômenoexcepcional
equipe aceleraram esse processo mo- cordilheiras específicas que precisam reverteudrasticamenteo processo
endo rochas e acrescentando um ca- degáscarbônico
paraexistir. . deabsorçãodecarbonopela
floresta,quevinhaocorrendohá
pelomenos25anose auxiliavana
reduçãodosefeitosdasmudanças
climáticas.A Amazôniaabsorve
anualmentedoisbilhõesdetonela-
dasdedióxidodecarbono.Devidoà
mortedeárvores,alertaa pesquisa,
a secade2005 fezcomqueessa
quantidadedegáspermanecesse
naatmosfera.E aindalevou
a florestaa gerartrês bilhões
detoneladasextrasdepoluentes.

FOTO: AHDRé DUSEKlAG. tS~ INFOGRÁFICO: BRUM

6 0s cientistas estimam Queem um ano as rochas


"modificadas" sejam capazes de absorver cerca
de 4 bilhões de toneladas de gás carbônico -
parte substancial dos 30 bilhões de toneladas
emitidos anualmente pelo homem