Você está na página 1de 7

1ª CONFERÊNCIA IBEROAMERICANA DE PUBLICAÇÕES ELETRÔNICAS NO

CONTEXTO DA COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA


Universidade de Brasília, 25 a 28 de abril de 2006.

PROJETO ALFA/RELACION2-REVISTAS : CONTEXTO E VIABILIDADE PARA A


CRIAÇÃO DE UMA BIBLIOTECA DIGITAL DE PERIÓDICOS EM CIÊNCIA DA
INFORMAÇÃO E BIBLIOTECONOMIA

Patricia Zeni Marchiori1


Ligia L. Bartz Kraemer2

Descreve o Projeto de Intercâmbio entre Universidades da União Européia e da América Latina,


apoiado pela Comissão Européia (ALFA Programme), intitulado ALFA/Relacion2-REVISTAS. O objetivo
geral da proposta foi o de verificar a viabilidade da criação de uma biblioteca digital de periódicos em
Ciência da Informação e Biblioteconomia, publicados nas duas principais línguas da região latino-
americana, de modo a apoiar atividades colaborativas de pesquisa e de educação continuada, tanto no
escopo dos próprios países, como entre eles. Dados obtidos junto aos editores das revistas científicas
em Ciência da Informação e Biblioteconomia no Brasil são descritos e discutidos de forma mais
específica.

Palavras-Chave: Periódicos científicos – Biblioteconomia; Periódicos científicos - Ciência da


Informação; Periódicos científicos – Bibliotecas digitais.

PROPOSTA, MÉTODOS E RESULTADOS

Em 2004, o Programa Alfa da Comunidade Européia ofereceu apoio para um estudo de


factibilidade voltado à digitalização de revistas publicadas no idioma espanhol e português no campo
da Ciência da Informação e da Biblioteconomia. Esse projeto, intitulado ALFA/Relacion 2 - REd VIrtual
Sobre Todas las AméricaS (REVISTAS) (EUROPEAN...2003), buscou identificar as revistas de Ciência
da Informação e Biblioteconomia, publicadas nos dois principais idiomas na Região Latino-Americana e
do Caribe, assim como descrever os padrões de editoração e uso dessas revistas. Incluiu-se
igualmente no estudo revistas publicadas em Portugal e Espanha, a fim de se obter um panorama o
mais completo possível em ambos os idiomas.

A título de esclarecimento, o Programa Alfa (América Latina - Formação Acadêmica) oferece


apoio aos esforços de colaboração institucional entre universidades européias e latino-americanas. O
Projeto ALFA/Relacion2-REVISTAS contou com três parceiros latino-americanos, a saber: Universidad

1 Professora do Departamento de Ciência e Gestão da Informação (DECiGI) da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Doutora em

Ciências/Ciência da Informação e Documentação – ECA/USP. pzeni@ufpr.br

2 Professora do Departamento de Ciência e Gestão da Informação (DECiGI) da Universidade Federal do Paraná (UFPR). Mestre em

Tecnologia - PPGTE/CEFET-PR. kligia@onda.com.br


1ª CONFERÊNCIA IBEROAMERICANA DE PUBLICAÇÕES ELETRÔNICAS NO
CONTEXTO DA COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA
Universidade de Brasília, 25 a 28 de abril de 2006.

Nacional del Sur (UNS/Bahia Blanca/Argentina); Universidade Federal do Paraná


(UFPR/Curitiba/Brasil) e Universidad Nacional Autónoma de México (UNAM/Cidade do México/México).
Os parceiros europeus foram: Hogskolan i Boras (Boras/Suécia); Universidad Carlos III
(UCIII/Madri/Espanha) e Queen Margaret University College (QMUC/Edinburgo/Escócia). A
coordenação geral do projeto foi desempenhada por um sétimo parceiro, a The Robert Gordon
University (RGU/Aberdeen/Escócia).

A proposta originou-se como conseqüência de uma prévia coleta de informação apoiada pelo
Programa Alfa, pela International Federation of Library Associations and Institutions (IFLA/FID), pelo
Programa de Participação da UNESCO; pelo Conselho Britânico e pelo Consejo Nacional de
Investigaciones Científicas y Tecnológicas (CONICYT/Chile). Tais organizações patrocinaram um
encontro na cidade de Valparaíso (Chile) em 1998. Neste evento, foi recorrentemente mencionado que,
devido aos problemas de comunicação existentes na Região Latino-Americana e do Caribe, os
avanços na prática profissional em Biblioteconomia e Ciência da Informação são prejudicados (senão
impedidos) pela falta de atualização sobre o que ocorre na comunidade profissional internacional e,
mais gravemente, nos outros países da mesma Região e, muitas vezes, dentro do próprio país. Os
participantes ainda destacaram que se fazia necessário encontrar uma maneira de manter os
profissionais da área informados quanto ao desenvolvimento pedagógico-curricular das escolas e
cursos de Ciência da Informação e Biblioteconomia da Região.

Com base em tais considerações, a RGU aproveitou outros eventos ocorridos no Brasil e em
demais países originalmente representados no evento de Valparaiso, para amadurecer uma proposta
de trabalho que foi aceita pela Comissão Européia apenas ao final de 2003. Como ponto de partida, o
projeto visou a colaborar com as ações práticas voltadas ao aprendizado contínuo dos profissionais
envolvidos com a Ciência da Informação e a Biblioteconomia. Viabilizar a digitalização de periódicos
especializados, formando uma biblioteca/repositório digital em Ciência da Informação e
Biblioteconomia, publicados nas duas línguas principais da região latino-americana, poderia servir
como plataforma para embasar atividades colaborativas de pesquisa; divulgar competências e
confiança na criação e uso de informação digitalizada e recursos de aprendizagem; intensificar a
educação continuada nos campos da Ciência da Informação e da Biblioteconomia e entre os países de
fala portuguesa e espanhola e, ainda, servir como veículo para o compartilhamento das “melhores
práticas” entre pesquisadores e escolas.
1ª CONFERÊNCIA IBEROAMERICANA DE PUBLICAÇÕES ELETRÔNICAS NO
CONTEXTO DA COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA
Universidade de Brasília, 25 a 28 de abril de 2006.

Os encaminhamentos do Projeto, notadamente a divisão de tarefas e os resultados obtidos,


ocorreram em quatro ocasiões nos dois anos de vigência da proposta. A última reunião dos parceiros3,
realizada em Curitiba em novembro de 2005, deu destaque aos objetivos atingidos, pesquisas
desenvolvidas, dificuldades de execução e outros impactos e desdobramentos da proposta inicial, tais
como estudos bibliométricos e infométricos e a Gestão do Conhecimento.

Considerando-se que os sete parceiros trabalharam em regime de divisão de tarefas, coube à


UFPR, na figura do Departamento de Ciência e Gestão da Informação (DECiGI), auxiliar na construção
dos instrumentos de coleta de dados a serem aplicados aos universos de editores das revistas
científicas nos diferentes países da América Central, América Latina, Portugal e Espanha, e mais
especificamente, desenvolver estudos relativos à motivação de autores no uso e produção de literatura
científica4, e aos componentes de custos para a produção de periódicos científicos.

No que diz respeito à coleta de dados no âmbito brasileiro, a equipe de trabalho do


DECiGI/UFPR remeteu um formulário (em 2004) e um questionário (2005) aos editores das revistas
científicas identificados primeiramente por uma lista retirada da base Información y Bibliotecología
Latino Americana (INFOBILA). O primeiro formulário constava de dados disponíveis inicialmente na
INFOBILA, aos quais foram acrescentados outros (revista a revista) retirados do Catálogo Coletivo
Nacional de Publicações Seriadas (CCN), dos sítios web das próprias revistas (quando existentes) e
das contracapas dos números mais recentes (quando acessíveis). Filtraram-se apenas os títulos
correntes e cada formulário foi remetido ao editor de cada revista (à época) para revisão e ajustes.
Nesse primeiro momento foram contatados 18 editores, número que se reduziu a 16, dada a
confirmação de cancelamento de um título e pelo fato de outro ser de uma publicação seriada. Destes
16 editores, sete (43,7%) efetuaram consistência dos dados inseridos no primeiro formulário (enviado
entre março e abril de 2004). O questionário enviado entre outubro e novembro de 2005 foi respondido
por onze editores (68,7%).

Da mesma forma, os outros seis parceiros no Projeto coletaram dados das revistas científicas
de Ciência da Informação e Biblioteconomia nos demais países. A compilação de tais dados está a
cargo da RGU, enquanto Coordenadora do Projeto, que brevemente concluirá o relatório final a ser

3I Encontro Internacional em Gestão da Informação (http://www.cccgi.ufpr.br)


4Tema que deu origem a um trabalho de conclusão de curso (disponível em
http://www.prppg.ufpr.br/documentos/stricto/monografia_ANDERSON_2005.pdf) e a um capítulo de livro: ADAMI, Anderson; MARCHIORI,
Patricia Zeni. Autoria e leitura de artigos por docentes pesquisadores: motivações e barreiras. In: FERREIRA, Sueli Mara Soares Pinto;
TARGINO, Maria das Graças (Org.). Preparação de revistas científicas: teoria e prática. São Paulo: Reichmann & Autores, 2005. p.73-
100.
1ª CONFERÊNCIA IBEROAMERICANA DE PUBLICAÇÕES ELETRÔNICAS NO
CONTEXTO DA COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA
Universidade de Brasília, 25 a 28 de abril de 2006.

distribuído aos editores das revistas científicas que foram identificados e participaram efetivamente do
estudo. Especificamente para o conjunto de informações coletadas no contexto brasileiro, esta é uma
primeira abordagem frente às diferentes variáveis previstas tanto no formulário como no questionário
submetidos aos editores.

Portanto, os resultados e considerações abaixo não esgotam a potencialidade de descrição e


análise, mas – de momento – permitem um primeiro patamar para a discussão de aspectos
relacionados tanto à proposta de factibilidade para a criação de uma biblioteca digital de periódicos em
Biblioteconomia e Ciência da Informação, como as condições para a digitalização de fascículos das
coleções retrospectivas impressas.

Quanto ao reconhecimento das revistas científicas, com base em indicadores de qualidade,


das 16 revistas científicas correntes identificadas, 6 (37,5%) estão disponíveis no Portal de Periódicos
da CAPES (correspondendo aos critérios definidos pelo programa Qualis/CAPES). Ao se considerarem
os critérios atribuídos pelo SciELO Brasil à área de Ciência da Informação e Biblioteconomia, apenas
uma revista (6,2%) está ali representada. Nesse sentido, é oportuno destacar que a definição dos
critérios que embasam os indicadores de qualidade tanto do Programa Qualis/CAPES, como do
SciELO Brasil, correspondem aos objetivos específicos de cada iniciativa, ainda que os preceitos de
visibilidade e acessibilidade estejam presentes em ambas. Se, por um lado, a existência de critérios
visa a garantir e explicitar a qualidade da revista e seu conteúdo, aquelas que ainda não atingiram as
condições mínimas para serem incluídas nesses espaços são recuperadas com base em ferramentas
de busca ou em listagens disponibilizadas em portais e sítios web. Em alguns casos em que não existe
uma contrapartida digital da revista, a visibilidade pode não ser imediata, segregando-se,
inevitavelmente algumas revistas, tanto pela ausência de acesso via rede, como pela não inserção em
portais/programas que oferecem “chancela de qualidade”.

O estudo revelou que, das 16 revistas contatadas, 15 (93,7%) disponibilizam algum tipo de
informação na Internet, variando desde sumários até o texto completo (em HTML e/ou PDF). Durante
os dois anos de duração do Projeto ALFA/Relacion2-REVISTAS, pelo menos quatro revistas
inicialmente veiculadas de forma impressa ou em sítios web com texto em HTML migraram para a
plataforma OJS/SEER do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT),
totalizando, em novembro de 2005, cinco títulos (31,2%). Percebeu-se, em observações feitas nos
formulários e questionários, que outras seguirão pelo mesmo caminho, inclusive descontinuando a
publicação impressa. Ainda assim, há – pelo menos – quatro títulos que privilegiam a publicação em
1ª CONFERÊNCIA IBEROAMERICANA DE PUBLICAÇÕES ELETRÔNICAS NO
CONTEXTO DA COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA
Universidade de Brasília, 25 a 28 de abril de 2006.

papel e, ainda que possa ser tomado como coincidência, pode-se especular que são, justamente,
aqueles que têm mais dificuldade de manter sua periodicidade e, conseqüentemente, de ampliar suas
condições de serem incluídos em propostas como o Programa Qualis e o SciELO Brasil. A eleição de
outras ferramentas para garantir a presença da revista na Internet que não sejam baseadas no
protocolo OAI-PMH, igualmente, impedirá a “colheita” dos artigos por agregadores e provedores de
serviços. Isto sem contar que o OJS/SEER agrega funcionalidades críticas para a gestão do processo
editorial, desde a submissão de trabalhos até a indexação em mecanismos internacionais, o que
reforça tanto a amplitude de acesso, como a geração de indicadores que sejam consistentes e que
possam ser reconhecidos pelas agências de fomento.

No tocante à indexação, oito revistas (50%) constam do INFOBILA, quatro (25%) do Sistema
Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y
Portugal (LATINDEX). Tal cenário é coerente com o foco do Projeto ALFA/Relacion2-REVISTAS,
relativamente aos idiomas definidos em seu escopo. Em menor número, algumas destas revistas são
também indexadas em bases internacionais, destacando-se a Library and Information Science
Abstracts (LISA). Constatou-se que aquelas revistas que migraram (ou foram criadas) sob a plataforma
OJS/SEER têm seus artigos na íntegra (e seus metadados), disponíveis via o Open Archive Harvester
do Public Knowledge Project (PKP) da University of British Columbia/Simon Fraser University,
reforçando o comentário anterior sobre as condições de recuperação e visibilidade de artigos em fontes
secundárias.

Questionados sobre a composição de custos, os editores de revistas impressas (ou que


mantém ambos os formatos – eletrônico e em papel) destacaram que a impressão pode consumir de
80% a 100% da receita destinada à publicação, além de custos de composição, diagramação, revisão
dos originais, que absorvem entre 10% a 70% das receitas obtidas. Essa foi a variação mais ampla
entre os itens apresentados aos editores, pois, no que diz respeito ao marketing/promoção, distribuição
(caso impresso) e armazenamento (físico/virtual), os editores foram praticamente unânimes em dizer
que os custos não passam de 10% do total das despesas. Neste particular, dos 16 editores
consultados, apenas dez (62,5%) responderam o questionário (segundo momento da investigação) e,
destes dez, cinco (50%) concordariam em tornar disponível todos os números da revista (incluindo os
fascículos impressos), caso fosse possível transferi-los para o formato digital. Todavia, neste mesmo
universo de dez editores, oito (80%) declararam não terem condições de auxiliar na cobertura de
custos para a digitalização. Quando questionados em relação à origem dos recursos existentes para a
produção da revista, oito (80%) editores declararam que estes são provenientes da própria
1ª CONFERÊNCIA IBEROAMERICANA DE PUBLICAÇÕES ELETRÔNICAS NO
CONTEXTO DA COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA
Universidade de Brasília, 25 a 28 de abril de 2006.

instituição/organização responsável pela revista; uma (10%) revista recebe financiamento de agências
(fundações) do governo estadual, e uma (10%) é apoiada por recursos internos e de instituições
parceiras. As assinaturas, quando existentes, cobrem entre 5% e 10% dos custos totais de produção.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

O Projeto ALFA/Relacion2-REVISTAS originalmente pretendia encaminhar outras


contribuições, tais como: a) explorar possibilidades de acordos com os editores para a efetiva
digitalização e posterior publicação eletrônica das revistas; b) examinar mecanismos necessários para
o desenvolvimento de uma biblioteca eletrônica cooperativa de revistas em texto completo; c) discutir
estratégias que assegurassem a indexação e resumo dos futuros números destas revistas em
ambiente web; e d) identificar fontes potenciais para o financiamento de projetos de digitalização.

Além disso, os parceiros coletaram informações sobre as temáticas discutidas no escopo do


Projeto, visando a alimentar um inventário online trilingüe (português, espanhol e inglês), que serviria
como um repositório de fontes de informação para uso de projetos de digitalização em outras áreas do
conhecimento. A seqüência desses encaminhamentos ainda está sendo discutida entre os parceiros.

De qualquer forma, a preocupação com o desenvolvimento de sistemas de publicação


eletrônica tem crescido de forma significativa, em que tanto o IBICT como a BIREME/OPAS/OMS
buscam encontrar soluções e definir encaminhamentos. Nesse particular, “desde julho de 2005, a
BIREME vem promovendo a mudança no sistema SciELO de publicação com a adoção dos sistema
OJS [...], para assegurar uma transição de convivência entre o sistema atual e o novo de forma a não
afetar a atualização das coleções de revistas científicas da rede SciELO” (BIREME..., 2006). Vale a
pena destacar que alguns dos objetivos dessa iniciativa, tais como: “Aumentar a eficiência, eficácia e
qualidade no processo de publicação científica nos países da América Latina, Caribe, Portugal e
Espanha; Desenvolver uma rede de serviços públicos de publicação eletrônica com vistas a maximizar
a interoperabilidade no fluxo de comunicação científica e minimizar os custos de publicação [...]”
(BIREME..., 2006) são consonantes com as iniciativas do IBICT e se assemelham ao proposto pelo
Projeto ALFA/Relacion2-REVISTAS.

Em que pesem as diferenças entre o modelo e a metodologia SciELO, e as funcionalidades


específicas de inúmeras revistas publicadas em diferentes áreas em todo o Brasil, já se consolidam -
nas mais diversas comunidades científicas – condições reais de acesso e visibilidade da produção
acadêmica com base em ferramentas e procedimentos de baixo custo. O Projeto ALFA/Relacion2-
1ª CONFERÊNCIA IBEROAMERICANA DE PUBLICAÇÕES ELETRÔNICAS NO
CONTEXTO DA COMUNICAÇÃO CIENTÍFICA
Universidade de Brasília, 25 a 28 de abril de 2006.

REVISTAS parece apontar – pelo menos no caso brasileiro – que os periódicos científicos em Ciência
da Informação e Biblioteconomia devem ser vistos com cuidado e atenção, pois, paradoxalmente,
essas áreas investigam e propõem políticas e soluções para “terceiros” sem, muitas vezes, utilizar tais
recursos para seus próprios propósitos.

Por outro lado, ainda que a questão do acesso, visibilidade e impacto na produção corrente das
revistas possa ser incrementada, resta saber como proceder com as coleções retrospectivas.

O Projeto ALFA/Relacion2-REVISTAS levantou ponderações quanto aos custos e


procedimentos relativos à digitalização dos números retrospectivos das coleções de revistas que não
“nasceram” diretamente no formato digital. Neste particular, onze revistas (68,7%) têm coleções
impressas (algumas com mais de 30 anos) quer sob a tutela de bibliotecas, quer armazenadas pelos
próprios editores. De acordo com retorno dos responsáveis contatados, há disposição para encampar
um projeto de digitalização, ainda que apenas um editor tenha se manifestado positivamente quanto a
apoiar financeiramente uma proposta neste sentido. Outro editor informou já estar digitalizando a
coleção retrospectiva.

O assunto está longe de se esgotar e as soluções normalmente tendem a polarizar decisões


tecnológicas por um lado, e decisões de cunho cultural e político por outro. O primeiro grupo de
decisões repousa em aspectos financeiros e operacionais, o segundo carrega um alto grau de
complexidade.

A Ciência da Informação e a Biblioteconomia não diferem de outras áreas do conhecimento


quanto ao ciclo de produção da comunicação científica. Na verdade, são áreas privilegiadas no
entendimento dos impactos e na crítica construtiva das inovações tecnológicas. Voltar-se para seu
próprio ambiente é não apenas salutar como necessário para confirmar e expandir habilidades e
competências para o trabalho com informação.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BIREME lança novo Sistema de Publicação SciELO. Disponível em:


<http://espacio.bvsalud.org/boletim.php?&lang=pt&style=search&articleId=01101956200608>. Acesso
em: 04 abr. 2006. Escrito em 19 jan. 2006 . Atualizado em: 20 jan. 2006.

EUROPEAN COMISSION. ALFA/Latin America Academic Trainning - Exchange Programme


between Universities of the European Union and Latin América: RELACION II – REVISTAS.
Bruxelas, 2003.