Você está na página 1de 2

‘E, então, lhes direi abertamente: Nunca vos conheci; apartai-vos

de mim, vós

que praticais a iniqüidade.’ (Mt 7:23)

O crente em Cristo Jesus não pode ter a menor dúvida quando o assunto em
questão for a salvação da sua preciosa alma. É evidente que, segundo as
Escrituras Sagradas, não basta ser um religioso, profundo conhecedor da Bíblia
Sagrada, ou mesmo um dos pregadores mais eloqüentes da Palavra de Deus,
conforme o texto acima transcrito.

O julgamento do Senhor virá e muitos dirão naquele Dia: Senhor, Senhor,


não profetizamos, expulsamos demônios e em teu nome fizemos também
muitas maravilhas? (Mt 7:22).

O Senhor Jesus nos assegura que não entrarão no Reino dos Céus, senão os
que fazem a vontade do Deus Pai, que está nos céus.

As Sagradas Escrituras apontam outras condições para que se possa entrar


no Reino dos Céus ou de Deus. Uma delas é que o homem se converta dos
seus maus caminhos ao Senhor e que se faça como uma criança, pois sem
humildade infantil “de modo algum” entrará no Reino dos Céus (Mt 18:3).

Oportuno lembrar a definição de humildade da lavra de um anônimo:


“Humildade é a graça que, quando você sabe que a possui, acabou de perdê-
la.”

Quem não pensa em si está mais próximo da humildade, do que o que


pensa em si e se julga um coitado.

Outra condição para quem pretende ver o Reino de Deus é nascer de


novo, pois, segundo as palavras do próprio Salvador, “Aquele que não nascer
da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus.” (Jo 3:3-5).

Segundo o entendimento do pregador inglês George Whitefield, o estudo


acerca do mistério do novo nascimento é de grande importância e muito
recompensador.

Ora, o nascimento espiritual é do alto e quem deseja ir para o céu deve,


necessariamente, passar por ele.

Ter fé e amor a Deus é mais uma inarredável condição preceituada nos


Textos Sagrados, para quem deseja ser herdeiro do Reino de Deus, segundo
S.Tiago, cap.2:5.

Quem não permanece firme na fé, quando está sendo provado ou mesmo
atribulado, torna-se impedido de entrar no Reino de Deus, conforme o texto
escrito em Atos dos Apóstolos, 14:22: “ confirmando o ânimo dos discípulos,
exortando-os a permanecer na fé, pois que por muitas tribulações nos importa
entrar no Reino de Deus.”

A sublime epístola aos Hebreus nos encoraja a corrermos, “com paciência, a


carreira que nos está proposta, olhando para Jesus, autor e consumador da fé,
o qual pelo gozo que lhe estava proposto suportou a cruz, desprezando a
afronta, e assentou-se a destra do trono de Deus.” (Hb 12:1-2).

Salta aos olhos, com uma clareza solar, que o crente em Cristo que desiste
da corrida é naturalmente reprovado e não recebe prêmio algum. Que pena!
Ora, todos os obstáculos podem e devem ser superados pelo crente que está
em Cristo. E não são poucos. Veja mais uma condição para entrar no Reino de
Deus: compromisso total com Cristo, pois “Ninguém que lança mão do
arado e olha para trás é apto para o Reino de Deus.”

Há, ainda, outra condição que não pode ser atendida, senão pelos que tem
fome e sede de justiça (Mt 5:6), porque assim disse o Salvador: “Se a vossa
justiça não exceder a dos escribas e fariseus, de modo nenhum entrareis no
Reino dos Céus.” (Mt 5:20). É, portanto, indispensável que se tenha desejo
espiritual.

Somos, em verdade, mendigos espirituais olhando para o alto, esperando


uma tigela de sopa do fogão do céu. É pela misericórdia de Deus que um dia
poderemos dizer: Aqui é o céu e ele é nosso.

Finalmente, mais uma condição que não pode passar em brancas nuvens
sob hipótese alguma, é a santificação: “segui a paz com todos e a
santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor.” (Hb 12:14). Aleluia!

“quem poderá, pois, salvar-se? Aos homens é isso impossível, mais para
Deus tudo é possível.” Amém!