Você está na página 1de 115

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL

DAS DIFICULDADES DE
APRENDIZAGEM

CENTRO DE
DESENVOLVIMENTO
INFANTIL DIFERENÇAS

MIGUEL PALHA
PORTO
ABRIL DE 2007
HISTÓRIA CLÍNICA
(PEDIATRA) FAMÍLIA
ANÁLISE
FENOMENOLÓGICA
(PEDIATRA)

HISTÓRIA CLÍNICA
(PEDIATRA) FAMÍLIA
ANÁLISE
FENOMENOLÓGICA
(PEDIATRA)

HISTÓRIA CLÍNICA
(PEDIATRA) FAMÍLIA
DIAGNÓSTICO
SINDROMÁTICO ANÁLISE
(PEDIATRA) FENOMENOLÓGICA
(PEDIATRA)

HISTÓRIA CLÍNICA
(PEDIATRA) FAMÍLIA
DIAGNÓSTICO
SINDROMÁTICO ANÁLISE
(PEDIATRA) FENOMENOLÓGICA
(PEDIATRA)

HISTÓRIA CLÍNICA
(PEDIATRA) FAMÍLIA
A

SINDROMOLOGIA

DO

DESENVOLVIMENTO

INFANTIL
DÉFICE COGNITIVO
CASO 1
• Motricidade grosseira.. ↓ • Compreensão Linguística:
• Motricidade fina............ ↓ Semântica........... ↓
• Socialização.................. ↓Q Morfo-sintaxe...... ↓
• Estereotipias................. ? Consc. fonol........ ↓
• Interesses específ........ 0 Pragmática.......... ↓
• Interesse por parte de
objectos......................... 0
• Expressão Linguística:
• Rotinas........................... 0
Fonética............... ↓
• Autonomia..................... ↓
Léxico.................. ↓
• Cognição verbal............ ↓
• Cognição não-verbal.... ↓ Semântica........... ↓
• Percepção visual.......... ↓ Morfo-sintaxe...... ↓
• Percepção (outras)....... ↓ Consc. fonol........ ↓
• Atenção conjunta.......... ↓ Pragmática........... ↓
• Atenção focalizada........ ↓ Discurso............... ↓
AUTISMO
CASO 2
• Motricidade grosseira.. ↓Q • Compreensão Linguística:
• Motricidade fina............ ↓Q Semântica........... ↓
• Socialização.................. ↓ Morfo-sintaxe...... ↓
• Estereotipias................. S Consc. fonol........ ↓
• Interesses específ........ S Pragmática.......... ↓
• Interesse por parte de
objectos......................... S
• Expressão Linguística:
• Rotinas........................... S
Fonética............... ↓
• Autonomia..................... ↓
Léxico.................. ↓
• Cognição verbal............ ↓
• Cognição não-verbal.... ↓ Semântica........... ↓
• Percepção visual.......... ↓ Morfo-sintaxe...... ↓
• Percepção (outras)....... ↓ Consc. fonol........ ↓
• Atenção conjunta.......... ↓ Pragmática........... ↓
• Atenção focalizada........ Q Discurso............... ↓
SÍNDROME DE ASPERGER
CASO 3
• Motricidade grosseira.. ↓ • Compreensão Linguística:
• Motricidade fina............ NQ Semântica........... ↓
• Socialização.................. ↓ Morfo-sintaxe...... N
• Estereotipias................. S Consc. fonol........ V
• Interesses específ........ S Pragmática.......... ↓
• Interesse por parte de
objectos......................... S
• Expressão Linguística:
• Rotinas........................... S
Fonética............... ↓
• Autonomia..................... NQ
• Léxico.................. N
Cognição verbal............ NQ
• Cognição não-verbal.... N Semântica........... ↓
• Percepção visual.......... N Morfo-sintaxe...... N
• Percepção (outras)....... ↓Q Consc. fonol........ V
• Atenção conjunta.......... ↓ Pragmática........... ↓
• Atenção focalizada........ ↑ Discurso............... ↓
PDD-NOS
CASO 4
• Motricidade grosseira.. N • Compreensão Linguística:
• Motricidade fina............ N Semântica........... ↓Q
• Socialização.................. ↓Q Morfo-sintaxe...... N
• Estereotipias................. 0 Consc. fonol........ V
• Interesses específ........ 0 Pragmática.......... ↓
• Interesse por parte de
objectos......................... 0
• Expressão Linguística:
• Rotinas........................... ?
Fonética............... N
• Autonomia..................... N
• Léxico.................. N
Cognição verbal............ NQ
• Cognição não-verbal.... N Semântica........... ↓
• Percepção visual.......... N Morfo-sintaxe...... N
• Percepção (outras)....... N Consc. fonol........ V
• Atenção conjunta.......... ↓N Pragmática........... ↓
• Atenção focalizada........ N Discurso............... ↓
PERT. COGNITIVA NÃO-VERBAL
• Défices da percepção visual (vísuo-espaciais;
coordenação olho-mão; ...)
• Défices da motricidade (G e F)
• Eulexia
• Discalculia
• Disgrafia
• Trocas sociais (= SA)
• Défices da percepção táctil
• Bom desempenho linguístico (prosódia peculiar e
pragmática pobre)
• Persistem até à adultícia
CASO 5
• Motricidade grosseira.. ↓ • Compreensão Linguística:
• Motricidade fina............ ↓ Semântica........... N
• Socialização.................. ↓Q Morfo-sintaxe...... N
• Estereotipias................. 0 Consc. fonol........ N
• Interesses específ........ 0 Pragmática.......... N
• Interesse por parte de
objectos......................... 0
• Expressão Linguística:
• Rotinas........................... 0
Fonética............... N
• Autonomia..................... ↓Q
• Léxico.................. N
Cognição verbal............ N
• Cognição não-verbal.... ↓ Semântica........... N
• Percepção visual.......... ↓ Morfo-sintaxe...... N
• Percepção (outras)....... N Consc. fonol........ N
• Atenção conjunta.......... N Pragmática........... N
• Atenção focalizada........ N Discurso............... N
PDCM
CASO 6
• Motricidade grosseira.. ↓ • Compreensão Linguística:
• Motricidade fina............ ↓ Semântica........... N
• Socialização.................. N Morfo-sintaxe...... N
• Estereotipias................. 0 Consc. fonol........ N
• Interesses específ........ 0 Pragmática.......... N
• Interesse por parte de
objectos......................... 0
• Expressão Linguística:
• Rotinas........................... 0
Fonética............... ↓Q
• Autonomia..................... ↓Q
• Léxico.................. N
Cognição verbal............ N
• Cognição não-verbal.... N Semântica........... N
• Percepção visual.......... N Morfo-sintaxe...... N
• Percepção (outras)....... N Consc. fonol........ N
• Atenção conjunta.......... N Pragmática........... N
• Atenção focalizada........ N Discurso............... N
PERT. DA ART. VERBAL
CASO 7
• Motricidade grosseira.. N • Compreensão Linguística:
• Motricidade fina............ N Semântica........... N
• Socialização.................. N Morfo-sintaxe...... N
• Estereotipias................. 0 Consc. fonol........ N
• Interesses específ........ 0 Pragmática.......... N
• Interesse por parte de
objectos......................... 0
• Expressão Linguística:
• Rotinas........................... 0
Fonética............... ↓
• Autonomia..................... N
• Léxico.................. N
Cognição verbal............ N
• Cognição não-verbal.... N Semântica........... N
• Percepção visual.......... N Morfo-sintaxe...... N
• Percepção (outras)....... N Consc. fonol........ N
• Atenção conjunta.......... N Pragmática........... N
• Atenção focalizada........ N Discurso............... N
PEL EXPRESSIVO
CASO 8
• Motricidade grosseira.. N • Compreensão Linguística:
• Motricidade fina............ N Semântica........... N
• Socialização.................. N Morfo-sintaxe...... N
• Estereotipias................. 0 Consc. fonol........ N
• Interesses específ........ 0 Pragmática.......... N
• Interesse por parte de
objectos......................... 0
• Expressão Linguística:
• Rotinas........................... 0
Fonética............... ↓Q
• Autonomia..................... N
Léxico.................. ↓
• Cognição verbal............ ↓
• Cognição não-verbal.... N Semântica........... NQ
• Percepção visual.......... N Morfo-sintaxe...... ↓
• Percepção (outras)....... N Consc. fonol........ ↓
• Atenção conjunta.......... N Pragmática........... NQ
• Atenção focalizada........ N Discurso............... ↓
PEL MISTO
CASO 9
• Motricidade grosseira.. N • Compreensão Linguística:
• Motricidade fina............ N Semântica........... ↓
• Socialização.................. N Morfo-sintaxe...... ↓
• Estereotipias................. 0 Consc. fonol........ ↓
• Interesses específ........ 0 Pragmática.......... ↓
• Interesse por parte de
objectos......................... 0
• Expressão Linguística:
• Rotinas........................... 0
Fonética............... ↓
• Autonomia..................... NQ
Léxico.................. ↓
• Cognição verbal............ ↓
• Cognição não-verbal.... N Semântica........... ↓
• Percepção visual.......... N Morfo-sintaxe...... ↓
• Percepção (outras)....... ↓ Consc. fonol........ ↓
• Atenção conjunta.......... N Pragmática........... ↓
• Atenção focalizada........ N Discurso............... ↓
PHDA
CASO 10
• Motricidade grosseira.. N • Compreensão Linguística:
• Motricidade fina............ N Semântica........... N
• Socialização.................. ↓Q Morfo-sintaxe...... N
• Estereotipias................. 0 Consc. fonol........ N
• Interesses específ........ 0 Pragmática.......... N
• Interesse por parte de
objectos......................... 0
• Expressão Linguística:
• Rotinas........................... 0
Fonética............... N
• Autonomia..................... N
• Léxico.................. N
Cognição verbal............ N
• Cognição não-verbal.... N Semântica........... N
• Percepção visual.......... N Morfo-sintaxe...... N
• Percepção (outras)....... N Consc. fonol........ N
• Atenção conjunta.......... N Pragmática........... N
• Atenção focalizada........ ↓ Discurso............... N
DAMP
CASO 11
• Motricidade grosseira.. ↓ • Compreensão Linguística:
• Motricidade fina............ ↓ Semântica........... N
• Socialização.................. N Morfo-sintaxe...... N
• Estereotipias................. 0 Consc. fonol........ N
• Interesses específ........ 0 Pragmática.......... N
• Interesse por parte de
objectos......................... 0
• Expressão Linguística:
• Rotinas........................... 0
Fonética............... N
• Autonomia..................... ↓Q
• Léxico.................. N
Cognição verbal............ N
• Cognição não-verbal.... ↓ Semântica........... N
• Percepção visual.......... ↓ Morfo-sintaxe...... N
• Percepção (outras)....... ↓ Consc. fonol........ N
• Atenção conjunta.......... N Pragmática........... N
• Atenção focalizada........ ↓ Discurso............... N
DISLEXIA
CASO 12
• Motricidade grosseira.. N • Compreensão Linguística:
• Motricidade fina............ N Semântica........... ↓
• Socialização.................. N Morfo-sintaxe...... N
• Estereotipias................. 0 Consc. fonol........ ↓
• Interesses específ........ 0 Pragmática.......... N
• Interesse por parte de
objectos......................... 0
• Expressão Linguística:
• Rotinas........................... 0
Fonética............... N
• Autonomia..................... N
Léxico.................. ↓Q
• Cognição verbal............ ↓Q
• Cognição não-verbal.... N Semântica........... ↓Q
• Percepção visual.......... V Morfo-sintaxe...... N
• Percepção (outras)....... ↓Q Consc. fonol........ ↓
• Atenção conjunta.......... N Pragmática........... N
• Atenção focalizada........ N Discurso............... ↓
DAMP + DISLEXIA
CASO 13
• Motricidade grosseira.. ↓ • Compreensão Linguística:
• Motricidade fina............ ↓ Semântica........... N
• Socialização.................. NQ Morfo-sintaxe...... N
• Estereotipias................. 0 Consc. fonol........ ↓
• Interesses específ........ 0 Pragmática.......... N
• Interesse por parte de
objectos......................... 0
• Expressão Linguística:
• Rotinas........................... 0
Fonética............... NV
• Autonomia..................... ↓Q
Léxico.................. ↓ Q
• Cognição verbal............ ↓
• Cognição não-verbal.... ↓ Semântica........... ↓Q
• Percepção visual.......... ↓ Morfo-sintaxe...... ↓
• Percepção (outras)....... ↓ Consc. fonol........ ↓
• Atenção conjunta.......... N Pragmática........... N
• Atenção focalizada........ ↓ Discurso............... ↓
DÉF. COGNITIVO
+
AUTISMO
CASO 14
• Motricidade grosseira.. ↓ • Compreensão Linguística:
• Motricidade fina............ ↓ Semântica........... ↓
• Socialização.................. ↓ Morfo-sintaxe...... ↓
• Estereotipias................. S Consc. fonol........ ↓
• Interesses específ........ S Pragmática.......... ↓
• Interesse por parte de
objectos......................... S
• Expressão Linguística:
• Rotinas........................... S
Fonética............... ↓
• Autonomia..................... ↓
Léxico.................. ↓
• Cognição verbal............ ↓
• Cognição não-verbal.... ↓ Semântica........... ↓
• Percepção visual.......... ↓ Morfo-sintaxe...... ↓
• Percepção (outras)....... ↓ Consc. fonol........ ↓
• Atenção conjunta.......... ↓ Pragmática........... ↓
• Atenção focalizada........ ↓ Discurso............... ↓
S. DE ASPERGER + PHDA
CASO 15
• Motricidade grosseira.. ↓Q • Compreensão Linguística:
• Motricidade fina............ ↓Q Semântica........... ↓
• Socialização.................. ↓ Morfo-sintaxe...... N
• Estereotipias................. S Consc. fonol....... ↓NV
• Interesses específ........ S Pragmática.......... ↓
• Interesse por parte de
objectos......................... S
• Expressão Linguística:
• Rotinas........................... S
Fonética............... ↓
• Autonomia..................... ↓
Léxico.................. N
• Cognição verbal............ ↓
• Cognição não-verbal.... N Semântica........... ↓
• Percepção visual.......... N Morfo-sintaxe...... N
• Percepção (outras)....... ↓ Consc. fonol........ ↓NV
• Atenção conjunta.......... ↓ Pragmática........... ↓
• Atenção focalizada........ ↓ Discurso............... ↓
S. DE ASPERGER + DISLEXIA
CASO16
• Motricidade grosseira.. ↓Q • Compreensão Linguística:
• Motricidade fina............ ↓Q Semântica........... ↓
• Socialização.................. ↓ Morfo-sintaxe...... N
• Estereotipias................. S Consc. fonol........ ↓
• Interesses específ........ S Pragmática.......... ↓
• Interesse por parte de
objectos......................... S
• Expressão Linguística:
• Rotinas........................... S
Fonética............... ↓ Q
• Autonomia..................... ↓Q
Léxico.................. ↓ Q
• Cognição verbal............ ↓
• Cognição não-verbal.... N Semântica........... ↓
• Percepção visual.......... N Morfo-sintaxe...... N
• Percepção (outras)....... ↓ Consc. fonol........ ↓
• Atenção conjunta.......... ↓ Pragmática........... ↓
• Atenção focalizada........ N Discurso............... ↓
DIAGNÓSTICO
SINDROMÁTICO ANÁLISE
(PEDIATRA) FENOMENOLÓGICA
(PEDIATRA)

HISTÓRIA CLÍNICA
(PEDIATRA) FAMÍLIA
DIAGNÓSTICO
SINDROMÁTICO ANÁLISE
(PEDIATRA) FENOMENOLÓGICA
(PEDIATRA)

PROGRAMAS
ESTRUTURADOS
HISTÓRIA CLÍNICA (PEDIATRA)
(PEDIATRA) FAMÍLIA
DIAGNÓSTICO
SINDROMÁTICO ANÁLISE
(PEDIATRA) FENOMENOLÓGICA
(PEDIATRA)

PROGRAMAS
ESTRUTURADOS
HISTÓRIA CLÍNICA (PEDIATRA)
(PEDIATRA) FAMÍLIA
DIAGNÓSTICO
SINDROMÁTICO ANÁLISE
(PEDIATRA) FENOMENOLÓGICA
(PEDIATRA)

PROGRAMAS
ESTRUTURADOS
HISTÓRIA CLÍNICA (PEDIATRA)
(PEDIATRA) FAMÍLIA

ANÁLISE
DESENVOLVIMENTAL
(TÉCNICO + PEDIATRA?)
DIAGNÓSTICO
SINDROMÁTICO ANÁLISE
(PEDIATRA) FENOMENOLÓGICA
(PEDIATRA)

PROGRAMAS
ESTRUTURADOS
HISTÓRIA CLÍNICA (PEDIATRA)
(PEDIATRA) FAMÍLIA

ANÁLISE
DESENVOLVIMENTAL
(TÉCNICO + PEDIATRA?)
DIAGNÓSTICO
SINDROMÁTICO ANÁLISE
(PEDIATRA) FENOMENOLÓGICA
(PEDIATRA)

PROGRAMAS
ESTRUTURADOS
HISTÓRIA CLÍNICA (PEDIATRA)
(PEDIATRA) FAMÍLIA

ANÁLISE
DESENVOLVIMENTAL
(TÉCNICO + PEDIATRA?)

EXECUÇÃO DO
PROGRAMA
(TÉCNICO)
DIAGNÓSTICO
SINDROMÁTICO ANÁLISE
(PEDIATRA) FENOMENOLÓGICA
(PEDIATRA)

PROGRAMAS
ESTRUTURADOS
HISTÓRIA CLÍNICA (PEDIATRA)
(PEDIATRA) FAMÍLIA

CONSULTA DE
SEGUIMENTO ANÁLISE
(PEDIATRA + TÉCNICO) DESENVOLVIMENTAL
(TÉCNICO + PEDIATRA?)

EXECUÇÃO DO
PROGRAMA
(TÉCNICO)
DIAGNÓSTICO
SINDROMÁTICO ANÁLISE
(PEDIATRA) FENOMENOLÓGICA
(PEDIATRA)

PROGRAMAS
ESTRUTURADOS
HISTÓRIA CLÍNICA (PEDIATRA)
(PEDIATRA) FAMÍLIA

CONSULTA DE
SEGUIMENTO ANÁLISE
(PEDIATRA + TÉCNICO) DESENVOLVIMENTAL
(TÉCNICO + PEDIATRA?)

EXECUÇÃO DO
PROGRAMA
(TÉCNICO)
DIAGNÓSTICO
SINDROMÁTICO ANÁLISE
(PEDIATRA) FENOMENOLÓGICA
(PEDIATRA)

PROGRAMAS
ESTRUTURADOS
HISTÓRIA CLÍNICA (PEDIATRA)
(PEDIATRA) FAMÍLIA

CONSULTA DE
SEGUIMENTO ANÁLISE
(PEDIATRA + TÉCNICO) DESENVOLVIMENTAL
(TÉCNICO + PEDIATRA?)

EXECUÇÃO DO
PROGRAMA
(TÉCNICO)
REDEFINIÇÃO DO
DIAGNÓSTICO REANÁLISE
SINDROMÁTICO FENOMENOLÓGICA
(PEDIATRA) (PEDIATRA)

PROGRAMAS
ESTRUTURADOS
HISTÓRIA CLÍNICA (PEDIATRA)
(PEDIATRA) FAMÍLIA

CONSULTA DE
SEGUIMENTO ANÁLISE
(PEDIATRA + TÉCNICO) DESENVOLVIMENTAL
(TÉCNICO + PEDIATRA?)

EXECUÇÃO DO
PROGRAMA
(TÉCNICO)
OBRIGADO PELA
ATENÇÃO
NOSOLOGIA E NOSOGRAFIA DO
DESENVOLVIMENTO = NOSOLOGIA E
NOSOGRAFIA MÉDICAS CONVENCIONAIS

NOSOLOGIA NOSOLOGIA GERAL


DESENVOLVIMENTAL (DOENÇA vs SÍNDROME)
(SEMPRE SÍNDROME)

• Défice cognitivo • Enfarte do miocárdio


• Síndrome de Asperger • Meningite a mening.
• PHDA • Síndrome meníngeo
• … • Doença celíaca
• Síndrome da veia cava
sup.
• …
SÍNDROMES
• O termo SÍNDROME aplica-se a um
conjunto de sintomas e sinais de
etiologias diferentes

• Os Programas para determinadas


perturbações (SA, SK, SH, DG, …) são,
tão-somente, orientações genéricas
(apesar de úteis…), pelo que não pode
haver Programas de Intervenção
específicos para as mesmas (mas antes
Programas Operacionais desenvolvidos
por determinada instituição).
ELABORAÇÃO DO DIAGNÓSTICO
SINDROMÁTICO
• O Pediatra Desenvolvimentalista, ou um outro
médico com formação na área do
Desenvolvimento Infantil, é o profissional
responsável pela elaboração do diagnóstico
sindromático (uma vez que se baseia numa
análise fenomenológica clínica e,
consequentemente, numa especulação
nosológica);

• A formulação do diagnóstico sindromático está


interdita a outros profissionais não médicos, bem
como a médicos não especializados no assunto.
ANÁLISE FENOMENOLÓGICA = SEMIOLOGIA E
INTERPRETAÇÃO DOS SINTOMAS E SINAIS

ANÁLISE SEMIOLOGIA E
FENOMENOLÓGICA: INTERPRETAÇÃO:

• Desajeitamento motor • Bradicardia


• Léxico pobre

• Dispneia
Desatenção
• Estereotipias • Dor pré-cordial
• Agressividade • Edema dos MI
• Irritabilidade • Cefaleias
• Dif. na nomeação das cores • Estridor laríngeo
• …
• …
FENOMENOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO
E DO COMPORTAMENTO

• Para se identificar e interpretar uma


disfunção (sintoma ou sinal),
sobretudo subtil, são fundamentais
conhecimentos profundos em
matéria de Desenvolvimento e de
Comportamento.
GRANDES ÁREAS DESENVOLVIMENTAIS E
COMPORTAMENTAIS

• Trata-se de uma mera tentativa de


sistematização, tal como acontece
com os grandes sistemas na
Fisiologia
GRANDES ÁREAS DESENVOLVIMENTAIS =
FISIOLOGIA (SISTEMAS)

GRANDES ÁREAS FISIOLOGIA


DESENVOLVIMENTAIS: (SISTEMAS):

• Motricidade grosseira • Circulatório


• Motricidade fina • Digestivo
• Linguagem • Respiratório
• Cognição verbal • SNC
• Cognição não-verbal • …
• Autonomia
GRANDES ÁREAS
DESENVOLVIMENTAIS

• Motricidade
grosseira
• Motricidade fina
• Linguagem
• Socialização
• Autonomia
• Cognição verbal
• Cognição não-verbal
GRANDES ÁREAS
COMPORTAMENTAIS
• Socialização
• Afecto
• Sexualidade
• Alimentação
• Sono
• Personalidade
• Adaptação
• Relação
• …
Cognição não-verbal (realização)
(análise funcional)
 Discriminação visual
 Discriminação espacial
 Discriminação dos dedos
 Comparações
 Semelhanças
 Noções de quantidade
 Competências vísuo-espaciais
 Competências vísuo-gráficas
 Imitação de gestos
 Memória visual a curto prazo
• Memória visual sequencial
 Memória visual a longo prazo
 Reconhecimento táctil
 Grafestesia
 ...
PROGRAMAS ESTRUTURADOS

• Os Sintomas e Sinais do
Desenvolvimento e do
Comportamento, identificados e
devidamente interpretados, geram os
Programas Estruturados de
Intervenção (com inventários,
estratégias e metodologias de
avaliação específicos)
ELABORAÇÃO DO GUIÃO
• O Pediatra Desenvolvimentalista deve
elaborar para cada criança um GUIÃO DE
INTERVENÇÃO, baseado em Programas
Estruturados.

• A selecção dos Programas Estruturados a


incluir no GUIÃO DE INTERVENÇÃO é
feita a partir das alterações
fenomenológicas significativas
identificadas em cada criança (e não da
nosografia).
INVENTÁRIO DA FENOMENOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO E DO
COMPORTAMENTO ALTAMENTE PREVALENTE NA SÍNDROME DE
ASPERGER (NÃO NECESSARIAMENTE COINCIDENTE COM OS
CRITÉRIOS NOSOGRÁFICOS PROPOSTOS PARA A SA)

• DESAJEITAMENTO MOTOR GROSSEIRO SEMÂNTICAS


• PERTURBAÇÕES
• • PRAGMÁTICA
DESAJEITAMENTO MOTOR FINO POBRE
• • DIFICULDADES
PERTURBAÇÕES DA ARTICULAÇÃO NA LEITURA (FL
VERBAL
• PROSÓDIA PECULIAR • ALTERAÇÕES GRAFOMOTORAS
• DIFICULDADES ORTOGRÁFICAS
• LÉXICO PEDÂNTICO
• DIFICULDADES NA COMPOSIÇÃO
• LÉXICO POBRE
• ERROS MORFO-SINTÁCTICOS
– PROGRAMA EDUCATIVO INDIVIDUAL: PROPÕEM-SE ADAPTAÇÕES DAS CONDIÇÕES
EM QUE SE PROCESSA O ENSINO-APRENDIZAGEM, DESIGNADAMENTE:
• CONDIÇÕES ESPECIAIS DE AVALIAÇÃO
• ADEQUAÇÃO NA ORGANIZAÇÃO DE CLASSES OU TURMAS
• APOIO PEDAGÓGICO ACRESCIDO EM CONTEÚDOS CURRICULARES
ESPECÍFICOS:
– PROGRAMA ESTRUTURADO PARA O TREINO DA DISCRIMINAÇÃO
AUDITIVA
– PROGRAMA ESTRUTURADO PARA O ENSINO DA LEITURA NAS
PERTURBAÇÕES DA COMUNICAÇÃO: Ensino fonomímico, multissensorial,
sistemático e cumulativo; Propõe-se MÉTODO DISTEMA, MIMOCAS, Ficheiros
POWERPOINT, software TOM, montagens VÌDEO, ...
– PROGRAMA ESTRUTURADO PARA O TREINO DA CONSCIÊNCIA
FONOLÓGICA NAS PERTURBAÇÕES DA COMUNICAÇÃO
– PROGRAMA ESTRUTURADO PARA O TREINO DAS COMPETÊNCIAS
SEMÂNTICAS
– PROGRAMA ESTRUTURADO PARA O TREINO DA MEMÓRIA
– PROGRAMA ESTRUTURADO PARA O TREINO DA PERCEPÇÃO
– PROGRAMA ESTRUTURADO PARA O TREINO DA COMPREENSÃO
LEITORA
– PROGRAMA ESTRUTURADO PARA O TREINO DA ORALIDADE
• MÉTODOS E TÉCNICAS DE ESTUDO
• SALA DE ESTUDO/APOIO A TRABALHOS ESCOLARES
– EXPRESSÕES PELA ARTE E ACTIVIDADES AFINS: PONDERAR, ENTRE OUTRAS
HIPÓTESES:
• Oficina de Música
• Oficina de Teatro/Fantoches
ELABORAÇÃO DO GUIÃO
• O Pediatra Desenvolvimentalista é o
profissional responsável pela elaboração
do GUIÃO DE INTERVENÇÃO (uma vez
que se baseia numa avaliação
fenomenológica e, consequentemente,
numa especulação nosológica)

• As famílias deverão aceder a este GUIÃO


e devem apresentá-lo em todas as
consultas e actos afins.
A EXECUÇÃO DO GUIÃO

• Deve ter em conta a análise sócio-


familiar da criança.
A EXECUÇÃO DO GUIÃO
• Para cada Programa Estruturado de
Intervenção indicado no GUIÃO, o Técnico
de Desenvolvimento deverá definir:
– a lista de objectivos a partir das
descontinuidades encontradas na análise
desenvolvimental (processo muito difícil, mas
imprescindível);
– as estratégias para cada objectivo;
– as metodologias de avaliação para cada
objectivo.
QUATRO DIMENSÕES

• ANÁLISE DESENVOLVIMENTAL
E COMPORTAMENTAL
• ANÁLISE FENOMENOLÓGICA
• NOSOGRAFIA
DESENVOLVIMENTAL (E
ESPECULAÇÃO NOSOLÓGICA)
• INTERVENÇÃO
ANÁLISE FUNCIONAL DE UMA GRANDE ÁREA
DESENVOLVIMENTAL = FISIOLOGIA DE UM ÓRGÃO
PERTENCENTE A UM SISTEMA
ANÁLISE FISIOLOGIA
DE UMA GRANDE ÁREA DESENVOLVIMENTAL:

COGNIÇÃO NÃO-VERBAL • SISTEMA DIGESTIVO

 Discriminação visual • Esófago


 Discriminação espacial • Estômago
 Discriminação dos dedos • Jejuno
 Comparações • Íleon
 Semelhanças • Cólon
 Noções de quantidade • …
 Competências vísuo-espaciais
 Competências vísuo-gráficas
 Imitação de gestos
 Memória visual a curto prazo
• Memória visual sequencial
 Memória visual a longo prazo
 Reconhecimento táctil
 Grafestesia
 ...
ANÁLISE DESENVOLVIMENTAL = FISIOLOGIA

ANÁLISE FISIOLOGIA
DESENVOLVIMENTAL: (FISIOLOGIA CELULAR E
BIOQUÍMICA):

• Apontar • Células hepáticas


• Fazer um círculo • Células da retina
• Categorização da cor • Células gástricas
vermelha • …
• Nomeação da cor amarela
• Pegar num copo
• …
ÁREA DA LINGUAGEM
1. Fonética 1. Som “Be”
2. Léxico 2. 10 palavras aos
18 m
4. Semântica 3. Significado da
palavra “interior”
6. Morfo-Sintaxe 4. Utilização do
pronome pessoal
8. Consciência 5. Delecção do
Fonológica fonema inicial
ANÁLISE
DESENVOLVIMENTAL

• INPUT

• PROCESSAMENTO

• OUTPUT
ANÁLISE DESENVOLVIMENTAL
DA DISCRIMINAÇÃO DAS CORES

• INPUT: VISUAL

• PROCESSAMENTO: COGNITIVO
NÃO-VERBAL (COGNITIVO
VERBAL)

• OUTPUT: MOTOR FINO (CONTACTO


OCULAR/VERBAL/?)
A ANÁLISE
DESENVOLVIMENTAL
• Processo muito difícil, mas absolutamente
imprescindível para uma execução técnica e
eticamente rigorosa do GUIÃO DE
INTERVENÇÃO (a partir das descontinuidades
encontradas nos objectivos emergentes dos
inventários dos Programas Estruturados)

• Nos casos-problema, o Pediatra


Desenvolvimentalista deverá ser consultado;

• Em caso de dúvida, deverá ser convocada uma


reunião com os especialistas da instituição ou do
exterior.
PROCESSAMENTO
INPUT OUTPUT
COGNITIVO

Conversão Intencão
em sinais comunicativa Programação
Audição cognitivos motora
(símbolos) Programação verbal
conversão cognitiva
de sons em verbal
sinais Intencão
fisiológicos comunicativa

COMPREENSÃO EXPRESSÃO
AVALIAÇÃO DA
INTERVENÇÃO
• Nas consultas seguintes, o Pediatra
Desenvolvimentalista deverá auditar,
numa perspectiva técnico-científica, a
execução do GUIÃO DE INTERVENÇÃO,
sobretudo a partir das modificações
encontradas na reavaliação
fenomenológica
• O Pediatra Desenvolvimentalista deverá
rever e redefinir o GUIÃO DE
INTERVENÇÃO sempre que este se
encontre desactualizado.
CONSULTAS DE SEGUIMENTO
• Inventariação de problemas (canhoto)
• Redefinição do diagnóstico
• Selecção de objectivos
• Definição de estratégias (médicas,
educativas, sociais, …)
• Reavaliação (novas consultas, testes,
exames auxiliares de diagnóstico, …)
• Prognóstico
• Relatório para as partes
ANÁLISE
FENOMENOLÓGICA

ATRASO NA
LINGUAGEM
população %

Falador precoce Falador tardio

linguagem linguagem linguagem linguagem


DIF. GLOBAL DA LINGUAGEM

PERT. ORL PERT. DO DESENV.

PEL DC PEA
PROBLEMA:

A CRIANÇA QUE
APRESENTA
DESATENÇÃO
ATENÇÃO

• Atenção é a capacidade cognitiva complexa de


seleccionar e de focalizar um estímulo sensorial
particular num dado momento. Se não fosse essa
capacidade selectiva da atenção, a quantidade de
informações não seleccionadas seria tão grande e
desorganizada que nenhuma actividade se tornaria
possível.
ATENÇÃO

Em suma:
1) capacidade de reagir aos estímulos do meio
2) capacidade de sustentar o foco da consciência nesse
determinado estímulo, enquanto isso é necessário em
face de um determinado fim
3) capacidade de filtrar outros estímulos simultâneos e
perturbadores, por serem menos significativos
4) capacidade de dividir o foco da consciência de forma
a manter-se receptivo a outros estímulos igualmente
significativos
5) capacidade de remover o foco de um determinado
estímulo quando surge outro mais significativo
ATENÇÃO
• Os processos de atenção parecem ocorrer em
estádios sucessivos, mediados por diferentes
sistemas cerebrais, organizados de forma hierárquica

• Sistema reticular activador - nível de consciência e


mecanismos de alerta
• Tálamo - mediação entre estruturas cerebrais
"superiores"(córtex associativo, sensorial e
motor) com estruturas "inferiores"(núcleos
subcorticais, vias ascendentes e descendentes
• Córtex das regiões pré-frontais - atenção selectiva

• Concentração é a capacidade de manter o foco da


atenção ao longo do tempo.
NEUROTRANSMISSORES

A dopamina é um neurotransmissor que tem como


uma das funções manter a atenção, inibir as
funções motoras e modular o temperamento e o
comportamento.
ATENÇÃO
• Subtipos Clínicos:
• Atenção focalizada, dirigida ou selectiva;
• 3-12 A
• PDAH
• Metilfenidato

• Atenção conjunta ou relacional;


• >= 9 M
• Olhar
• Envolvimento conjunto
• Referência social
• Cognição social
• PEA
ATENÇÃO - AVALIAÇÃO

• Anamnese
• Observação
• Escalas de pontuação (Conners, etc.)
• Sequência de dígitos (ordem e ordem inversa)
• Fluência fonética e semântica
• Testes de perfomance contínua (Conners CPT, Teste
de variáveis de atenção, Sistema diagnóstico de
Gordon)
•…
DESATENÇÃO
FALTA ATENÇÃO
DIFICULDADES NA CONCENTRAÇÃO
população %

atento desatento

desatenção desatenção desatenção desatenção


DESATENÇÃO

Idade

Locais

Intensidade

Duração

Repercussão
DESATENÇÃO - ETIOLOGIA
Causas orgânicas
Disfunção tiroideia
Anemia ferropénica
Deficiência auditiva
Medicamentos
Abuso de substâncias

Perturbações de desenvolvimento
PDAH
DAMP
Perturbação espectro autismo (SA, PDD-NOS, síndrome autista, etc)
Défice cognitivo (p. xs, com fenótipos comportamentais típicos (SXF))
Perturbação cognitiva não-verbal
Entidade autónoma (não sindromática)

DESATENÇÃO - ETIOLOGIA

Perturbações psiquiátricas
Depressão
Perturbação de ansiedade
Perturbação bipolar
Perturbações psicóticas
Perturbação múltipla e complexa do desenvolvimento

METILFENIDATO E DOPAMINA

Mecanismo acção: bloqueio da recaptação pré-


sináptica da NA e DA (córtex pré-frontal)
PROBLEMA:

A CRIANÇA QUE
APRESENTA
HIPERACTIVIDADE
HIPERACTIVIDADE
• DEFINIÇÃO:
A Hiperactividade (ou excesso de actividade)
pode manifestar-se por estar inquieto ou
mover-se quando está sentado, não ficar
sentado qd se espera que o faça, correr ou
saltar excessivamente em situações em que é
inadequado fazê-lo, ter dificuldades em brincar
ou dedicar-se tranquilamente a actividades de
lazer, frequentemente andar ou actuar “como
se estivesse ligados a um motor” ou
frequentemente falar em excesso.
HIPERACTIVIDADE
• CARACTERÍSTICAS:
A Hiperactividade (ou excesso de
actividade motora) pode variar em
função da idade do sujeito e do seu
nível de desenvolvimento e o
diagnóstico deve ser feito
cautelosamente em crianças abaixo
dos 5 anos de idade
HIPERACTIVIDADE
• CARACTERÍSTICAS:
As crianças com hiperactividade abaixo
de 5 anos de idade estão
constantemente a andar e a mexer em
tudo; precipitam-se para qualquer
lado, saem de casa antes de vestirem o
casaco, e sobem e saltam sobre os
móveis, correm por toda a casa, têm
dificuldades em participar em
actividades sedentárias de grupo (por
exemplo, ouvir uma história)
HIPERACTIVIDADE
• CARACTERÍSTICAS:
As crianças com hiperactividade em idade escolar
revelam comportamentos semelhantes aos
anteriores, mas habitualmente com menos
frequência do que as crianças abaixo dos 5 anos.
Têm dificuldade em estar sentadas, levantam-se
constantemente, mexem-se nas cadeiras, ficam
sentadas na borda das cadeiras. Transportam
objectos de um lado para o outro, batem palmas e
mexem os pés e as pernas excessivamente.
Levantam-se frequentemente da mesa durante as
refeições, qd estão a ver TV ou a fazer os trabalhos
escolares. Falam em excesso e fazem muito barulho
durante actividades tranquilas.
população %

hipoactivo hiperactivo

actividade actividade actividade actividade


PERTURBAÇÕES
– PERTURBAÇÕES PERTURBAÇÕES
DESENVOLVIMENTAIS
DESENVOLVIMENTAIS PSIQUIÁTRICAS

• PHDA
• Depressão
• DAMP
• Perturbação de
• Síndrome de Asperger
Ansiedade
• PDD-NOS • Pert. Bipolar
• Síndrome Autista • Pert. Psicóticas
• Pert. Mov. Estereotipados • Pert. Múltipla e
• Déf. Cog. (por vezes, com Complexa do
fenótipos compor-tamentais Desenvolvimento
típicos, como o SXF, ...) •Pert. Psicótica
• Utilização de subst • …
• Padrão familiar
• Comportamentos adequados à
idade
• Entidade Autónoma?
DEPRESSÃO

 Critérios de diagnóstico propostos para a


Depressão Major na idade pré-escolar

Preschool MDD: Modified DSM IV Criteria


in
J. Am. Acad. Child Adolesc. Psychiatry, 41:8,
August 2002
DEPRESSÃO MAJOR
• Cinco ou mais dos seguintes sintomas estiveram
presentes (mas não necessariamente de uma
forma persistente) por um período superior a 2
semanas e correspondem a uma modificação
relativamente ao prévio funcionamento
comportamental e emocional. Pelo menos, um
dos sintomas corresponderá a:
1. Perda do interesse ou prazer nas actividades ou
brincadeiras.
2. Humor Deprimido;
• Se ambos estão presentes (1 + 2), bastarão, tão-
somente, 4 sintomas para se poder formular o
diagnóstico.
DEPRESSÃO MAJOR
1. Humor deprimido durante uma parte do
dia, por diversos dias, observado (ou
relatado) no comportamento.
Nota: pode ser humor irritável
3. Diminuição marcada do interesse ou
prazer em todas, ou quase todas,
actividades ou brincadeiras durante uma
parte do dia, por diversos dias;
4. Perda significativa do peso (sem dieta), ou
ganho de peso, ou perda ou aumento do
apetite quase todos os dias;
DEPRESSÃO MAJOR
1. Insónia ou hipersónia quase todos os dias;
2. Agitação
Agitaçãoououlentidão
lentidão psicomotora
psicomotora quase
quase todos
todos os dias;
os dias
3. Fadiga ou perda de energia quase todos os dias;
4. Sentimentos de baixa auto-estima ou de culpa excessiva
ou inapropriada, que podem ser evidentes nos temas das
brincadeiras;
5. Capacidade diminuída para pensar ou para se concentrar;
ou indecisão, por diversos dias;
6. Pensamentos recorrentes acerca da morte (não medo de
morrer), ideação suicida recorrente sem planos
específicos, ou tentativa de suicídio. Temas suicidários
ou auto-destrutivos são persistentemente evidentes nas
brincadeiras.
MANIA
1. Auto-estima aumentada ou grandiosidade;
2. Diminuição da necessidade de dormir;
3. Mais falador do que o habitual;
4. Fuga de ideias ou experiência subjectiva de
aceleração do pensamento;
5. Distractibilidde;
6. Aumento da actividade dirigida a determinados
objectivos;
7. Envolvimento excessivo em determinadas
actividades agradáveis que podem ter
consequências desagradáveis
MANIA vs PHDA
– Em ambas, há actividade excessiva,
comportamento impulsivo, reduzida
capacidade para efectuar julgamentos e
negação dos problemas;

– Todavia, a PHDA tem um início precoce,


uma evolução crónica e não episódica, uma
ausência de períodos relativamente claros
de início e de fim, e uma ausência de humor
anormalmente elevado ou expansivo.
PROBLEMA:

A CRIANÇA QUE
APRESENTA
DIFICULDADES DA
LEITURA
população %

hiperlexia dislexia

dificuldades dificuldades dificuldades dificuldades


leitura leitura leitura leitura
DIFIC. DE LEITURA
PERTURBAÇÕES PERTURBAÇÕES
DESENVOLVIMENTAIS PSIQUIÁTRICAS/SOCIAIS

• Dislexia
• Desadequação
• Estado-Limite do pedagógica
Funcionamento Cognitivo • Falta de oportunidades
• Défice Cognitivo (cotejar • …
com os outros
desempenhos, sbt
cognitivos)
• Variante do normal (até
aos 8 anos?)
DAMP DISLEXIA
DISLEXIA SÍNDROME
DE
ASPERGER
PERT.
DISLEXIA
OPOSIÇÃO
DISLEXIA SÍNDROME DE
ASPERGER

PHDA
PC/O
SÍNDROME DE
ASPERGER
DISLEXIA

PHDA