Você está na página 1de 2

Sociedade, Tecnologia e Ciência

Educação e Formação de Adultos (EFA – C)


Ano Lectivo: 2008/2009

Nome: Jorge Roldão, Vladimiro Galvão, Conceição Paur

SOCIEDADE E CULTURA

Durante o ano de 2008,os colaboradores da secção de controlo de qualidade, que é composta por
seis elementos, da firma, Gallo Vidro, dos quais foram seleccionados três foram para frequentarem
uma acção de formação de qualidade, a realizar na Bélgica, numa empresa do mesmo grupo durante
dez dias.
É claro que, nós, profissionais responsáveis e interessados, não tivemos dúvidas em agarrar a
oportunidade.
Chegado o dia da viagem, lá partimos, cheios de expectativa em relação ao que iríamos aprender.
Ao chegarmos à Bélgica, tínhamos um representante da Empresa a receber-nos para nos levar até
ao local da nossa estadia.
Depois de estarmos alojados, começamos por explorar o local, vindo a constatar, que o candeeiro
com 60W da cozinha não dava luz, porque não havia corrente eléctrica. Tendo o Jorge e o Vladimiro
alguns conhecimentos de electricidade, não tivemos grandes dificuldades em repará-lo.
Quando ligamos o interruptor que fecha o circuito eléctrico houve um corte total de energia, dado que
o disjuntor disparou.
Procuramos saber se no apartamento havia algum tipo de ferramenta. Encontramos uma caixa onde
estava uma chave de fendas busca-pólos e um alicate universal.
Constatamos então que a avaria não tinha sido bem reparada, tendo ficado dois fios em contacto.
Uma vez que íamos frequentar uma formação e como o tempo era reduzido começamos por partilhar
as tarefas domésticas.
Atendendo a isso, achámos por bem, que o Jorge ficasse responsável por ligar a máquina do café, o
fogão e o frigorífico, para a preparação do pequeno-almoço.
O Vladimiro ficou responsável por arrumar a loiça na máquina de lavar, após as refeições.
A Conceição ficou responsável por aspirar o apartamento.
Com o decorrer do tempo fomos vendo que nenhum de nós tinha dificuldades em manusear, os
electrodomésticos, o que nos levou a alternar as tarefas.
No dia em que a formação nos permitiu algum tempo de lazer, aproveitámos e fomos visitar uma
superfície comercial.
Ao entrar na área de venda de electrodomésticos, ficamos surpreendidos, com alguns equipamentos
que estão pouco divulgados no nosso País, sendo alguns bastante avançados tecnologicamente.
Também nos impressionou favoravelmente, o modo como estão distribuídas as tarefas pelos
funcionários, não havendo restrição de tarefas entre homens e mulheres, como em Portugal,
havendo polivalência de funções.
Foi-nos apresentado um Robot aspirador de seu nome “Roomba 560”. e explicado seu
funcionamento, por um operador, que teria tido, uma excelente formação, dado que se analisarmos,
a maneira, a qualidade e o interesse demonstrado na apresentação do Roomba, aspirador robot, nos
deixou deverás surpreendidos, pois com a sua explicação, poderemos dizer que saímos da
superfície comercial, bastante conhecedores do aparelho em si.
“O roomba, é o robot aspirador mais vendido no mundo (mais de três milhões)”, e foi desenvolvido
nos E.U.A., pela iRobot.
O Roomba limpa automaticamente todos os tipos de chão e utiliza diferentes funções para se
deslocar pela casa, sem que alguém tenha de estar presente.
Tem uma transição automática entre, tijoleira / soalho e carpetes, tem a particularidade de aceder a
locais onde outros aspiradores não chegam, tem sensores no caso de escadas que evitam a queda e
faz uma aspiração eficaz até de pelos de animais.
Depois de assistirmos a esta demonstração regressamos ao apartamento.
No dia seguinte, assistimos a última sessão de formação profissional.
Tínhamos assim terminado a nossa formação, estando prontos para regressar a casa. Fizemos
todos, um balanço bastante positivo da viagem, tanto no plano social como no profissional.
Durante a viagem de regresso a Portugal fomos conversando uns com os outros e fizemos a
seguinte reflexão: Os trabalhos domésticos sempre foram uma tarefa complexa para o agregado
familiar embora isso não signifique que tais responsabilidades sejam compartilhadas de forma
igualitária entre diferentes membros.
Diversas pesquisas demonstram que as mulheres tendem a envolver-se mais do que os homens
nas tarefas do dia-a-dia, observa-se no entanto um número crescente de homens que partilham com
a mulher ou até mesmo assumem as tarefas domésticas e também incentivar os nossos filhos a
contribuírem para a realização das mesmas, procurando adequarem-se às exigências da sociedade
actual.
A partir da década de 1980 ocorrem transformações mais consistentes, embora ainda marcadas por
modelos tradicionais importantes fenómenos e movimentos sociais, tais como a entrada das
mulheres no mercado de trabalho e sua maior participação no sistema financeira familiar acabaram
por imprimir um novo perfil á família.