GASOLINA

POESIA
Para Edward Hopper

J.T.PARREIRA

GASOLINA
Poemas sobre Edward Hopper

COMPARTIMENTO C, CARRUAGEM 293 Lendo a revista, real

por fora uma paisagem, na superfície da poltrona, a passageira alheia, à distância do seu próprio silêncio.

GASOLINA Mobil Gas ao alto três colunas num velódromo grego, espera em um fundo a gasolina e ao longe a vegetação é uma linha sinuosa

do horizonte, de ninguém.

NIGHTHAWKS/ AVES DA NOITE Onde duas ruas se encontram vazias, na tela de Hopper, Phillies prepara uma resposta qualquer, derrete um chocolate, batido perante um olhar anónimo. No aquário nada, Três clientes perdidos, e apenas a luz espalhada na esquina.

The painting reveals three customers lost in their own private thoughts. The anonymous and uncommunicative night owls seem as remote from the viewer as they are from one another. A tensão entre o homem e a mulher.

NEW YORK MOVIE
Like most of his fellow Am ericans, Hopper was an avid moviegoer, and by the late 1930s both movies them selves and cinem atic effects occasionally made their way into his paintings. The setting for this image of an attractive usherette, absorbed in her own thoughts, was based primaril y on the gaudy interior of the Palace Theater in Times Square. The structure of the composition may also owe a debt to the movies, for its spatial arrangem ent—a near view on the right next to deep space on the left—echoes a montage effect in film, juxtaposing a close-up and a shot into deep space to establish an association bet ween the two.

NEW YORK MOVIE /CINEMA DE NOVA IORQUE A arrumadora divide pelas filas os olhos, faz sentar fantasias,

depois comparte seus pensamentos com os dedos espera mais ninguém nas escadas Move-se a cena enquanto na atmosfera escura do cinema as estrelas tremem por trás de lágrimas. 16/6/2008

“Room in New York” (1932) peers in at a couple in their living room through the open window of a city apartment. The pair are separated by space both physical and psychological, each preoccupied. Hopper conveys a palpable disquiet by the angle of the woman’s starkly lit shoulder as she turns away from her companion to plunk a solitary note on a piano.

ROOM IN NEW YORK

O sol é o mais alto sítio de Nova Iorque Movidas a vazio as figuras aquecem sofás bancos de piano um vestido vermelho lança para a imaginação o corpo O interruptor acendeu a solidão Pessoas sentadas na sala Sorrisos para dentro

AUTOMAT Isolada do mundo Sob o reflexo das lâmpadas Néon no espelho Para fora da noite

Automat A exposição com obras do pintor americanos Edward Hopper na Tate Modern, em Londres, era uma das mais aguardadas do ano. O artista é conhecido pela expressão da alienação e isolamento das pessoas no mundo moderno. O quadro ao lado, de 1927, mostra uma mulher em um Automat, lanchonete com máquinas de auto-serviço, comum em estradas dos Estados Unidos.

EARLY SUNDAY MORNING / DOMINGO DE MANHÃ CEDO Domingo de manhã, cada Janela à frente Do seu próprio silêncio Só um sol à janela Cada janela cega Para o exterior Domingo de manhã ninguém no sol/nas janelas sem caras Ninguém aparece para acordar A manhã, tocar piano É muito cedo, talvez se um caminhante destruir a perspectiva do silêncio, bater na calçada, abrir na barbearia um sorriso, um rosto no sol sólido, toda a rua esquecerá uma solidão.

The deep serenity of this painting must have been what led this city child to write a sort of urban pastoral.

Chop Suey (1929) is a painting by Edward Hopper which portrays two women in conversation at a café. According to some art scholars, one "striking detail of Chop Suey is that its female subject faces her doppelgänger."

CHOP SUEY Outras mesas rodeadas de pernas, conversas e um olhar à procura de uma palavra que alimente, duas mulheres espelham uma na outra revêem-se.

14/6/2008
These fashionable women are dining at a modest Chinese restaurant not unlike one the Hoppers frequented. Characteristically, Hopper depicts a moment before or after the main event—here, the meal—takes place. Also typical is the isolation and am biguous relationship between the figures: it is not clear whether the dining companions are even looking at or conversing with one another.

Although this is clearl y a figurative work, Hopper flirts with abstraction. The wom en are surrounded by a balance of geometric forms: the angular table between them, the layers of rectangles that animate the foreground window, and the blue and yellow patches visible through the far window that suggest shafts of light on the adjacent building.

NEW YORK MOVIE CINEMA DE NOVA IORQUE A arrumadora divide pelas filas os olhos, faz sentar

fantasias, depois comparte seus pensamentos com os dedos espera mais ninguém nas escadas Move-se a cena enquanto na atmosfera escura do cinema as estrelas tremem por trás de lágrimas. 16/6/2008

HOUSE BY THE RAILROAD
CASA PELO CAMINHO DE FERRO Out here in the exact middle of the day Edward Hirsch

No meio do dia lá para diante a estranha casa escuta os carris dentro de si Quatro janelas com as cortinas do sol expostas num lado como uma lua quadrada do outro lado sempre sombra e o seu telhado burlesco de mansarda.

Edward Hopper Night Shadows 1921

A NOITE URBANA Brilham no vento as luzes vigilantes dos candeeiros públicos, fogueiras para as noites húmidas, agitam-se as cortinas da janela que tosse, enquanto dois vultos se esquivam enlaçados dos últimos olhares, entre as varandas dos prédios

há quem procure num quarto nu a intimidade.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful