EXERCÍCIOS FISIOLOGIA

1) O que é bioeletricidade e quais as células excitáveis? A Bioeletricidade ou Bioeletromagnetismo (algumas vezes também chamado de biomagnetismo) refere-se à voltagem estática de células biológicas e às correntes elétricas que fluem em tecidos vivos, tal como nervos e músculos, em conseqüência de potenciais de ação. A existência de potenciais elétricos através das membranas de todas as células do corpo é comprovada cientificamente, e algumas células como as do sistema nervoso (neurais) e as musculares são excitáveis, em outra palavras, são capazes de autogerar impulsos eletroquímicos em suas membranas. 2) O que é potencial de repouso da membrana e que mecanismos o mantém? O potencial eletronegativo criado no interior da fibra nervosa devido à bomba de sódio e potássio é chamado potencial de repouso da membrana, ficando o exterior da membrana positivo e o interior negativo. Dizemos, então, que a membrana está polarizada. Potencial de Repouso da membrana (PRM): Esse potencial tem sua origem em um mecanismo simples, de alternância entre o transporte ativo e o transporte passivo de pequenos íons. É causado pela distribuição desigual de íons carregados (carga positiva ou negativa) na membrana celular. A célula nervosa (neurônio) mantém o potencial de repouso da membrana através da bomba de sódio e potássio, "expulsando" 3 Na+ e absorvendo 2K+. A parte externa da membrana fica carregada positivamente e parte interna negativamente. Qdo há um estímulo eficiente p/ desparar um impulso nervoso, há abertura dos canais (passivo) de sódio c/ a entrada deste íon na célula... Assim, há uma inversão localizada da polaridade da membrana (chamada despolarização _a parte interior fica positiva e a exterior negativa)... Este é o potencial de ação da membrana. Esse impulso se propaga pela membrana, provocando sucessivamente a abertura de um posterior canal de sódio. Á medida que ocorre a abertura de um posterior canal de sódio, o anterior se fecha, retornando a polarização inicial (repolarização). O potencial de repouso da membrana desempenha papel central na excitabilidade das células nervosas e musculares, bem como em algumas outras respostas celulares, já que a modificação desse potencial (os chamados potenciais de ação) resulta em diversas alterações nas células vivas. A membrana celular em repouso possui uma diferença de potencial de aproximadamente –70mV, o interior da célula é mais negativo em relação ao exterior. Essa diferença de potencial é conhecida como Potencial de Repouso da Membrana ou PRM, e é causado pela distribuição desigual de íons carregados (carga positiva ou negativa) na membrana celular. Quando há diferença de cargas através da membrana, considera-se que a membrana se encontra polarizada. As proteínas, os grupos fosfatos e outros nucleotídeos são carregados

ocorrendo quando os canais de potássio voltagem dependentes ficam abertos mais tempo que o normal. 2ª . Isso acarreta um acúmulo de carga positiva na superfície externa da membrana e uma carga negativa na superfície interna. e pode ser dividido nas seguintes fazes: 1ª . O potencial de repouso da membrana é mantido por dois fatores: a permeabilidade da membrana plasmática aos diferentes íons e a diferença de concentração iônica dos líquidos intra e extracelular. (positivo no interior e negativo no seu exterior) O potencial de membrana nesta fase é de aproximadamente +45mV.  Despolarização: aumento da permeabilidade da membrana ao íon sódio através da abertura dos canais de sódio voltagem dependentes e o influxo de sódio para dentro da célula.negativamente (anions) e mantidos no interior da célula. ou seja -90mV. que geram ritmamente o potencial de ação. Fases do potencial de ação:  Repouso: é o potencial de repouso da membrana que se encontra polarizada. pois não podem ultrapassar a membrana celular. por um processo de difusão simples. com o conseqüente efluxo de potássio. isso ocorre. Potencial de Ação: É uma variação brusca do potencial de membrana . como batimentos cardíacos e freqüência respiratória. 4. provocada por estímulos externos.Repolarização: . 3) O que é potencial de ação? Descreva suas fases baseado na permeabilidade a íons pela membrana. Como resultado do fenômeno. e até mecânicos.  Hiperpolarização: não ocorre em todas as células. eletromagnéticos. elétricos. auto-excitáveis. Essas moléculas atraem íons carregados positivamente (cátions) do líquido extracelular. o líquido intracelular se carrega positivamente e a membrana passa a apresentar um potencial inverso daquele encontrado nas condições de repouso.  Repolarização: diminuição da permeabilidade da membrana ao íon sódio e aumento da permeabilidade ao íon potássio.Despolarização: Abertura dos canais de sódio. Tomamos como exemplo um neurônio. Vários estímulos podem deflagrar o potencial de ação: como químicos. Há células especiais. em seguida. sódio e outros íons é regulada pelas proteínas da membrana. A permeabilidade da membrana neural ao potássio. ele possui uma alta concentração de íons de potássio (K+) no seu interior e uma alta concentração de íons de sódio (Na+) no seu exterior. isso propicia um fluxo intenso de íons Na+ de fora para dentro da células. retorna rapidamente ao seu valor de repouso. e é tão forte após percorrer a extensão do axônio quanto era no ponto inicial do estímulo. pois os canais de sódio voltagem dependentes começam a fechar e os canais de potássio voltagem dependentes começam a abrir. Potencial de ação é uma despolarização rápida e substancial da membrana do neurônio. O potencial de ação de uma célula excitável dura apenas alguns milésimos de segundo. O PRM de –70mV altera para um valor de +30mV e. Essas céluLas são responsáveis pelo início dos movimentos repetitivos biológicos. Dura aproximadamente 1ms. que funcionam como canais reguladores.

deixando o axônio não isolado nesses pontos. uma substância gordurosa que isola a membrana celular. 3ª . significando que são recobertos por uma bainha composta por mielina. Nesta fase a permeabilidade aos íons potássio retorna ao normal e a célula retorna as condições iniciais com potencial de membrana em torno de -90mV. 4) Quais as propriedades do potencial de ação? Potenciais de ação. Os axônios da maioria dos neurônios motores são mielinizados. por sua vez. . simultaneamente. a permeabilidade aos íons sódio retorna ao normal e. Esse fenômeno é denominado condução saltatória. cujo potencial de ação varia de 1. tais como limiar. Esses espaços são denominados nódulos de Ranvier. As fases ativas da propagação ocorrem em máculas da bainha de mielina. Além disso. a bainha de mielina apresenta espaços entre células de Schvann adjacentes. O sistema nervoso periférico. Este processo como um todo perdura por aproximadamente. pela bomba de sódio-potássio. etc. são produtos de canais dependentes de voltagem. O potencial nesta fase passa a ser de aproximadamente de -95mV (pouco mais negativo que no potencial de repouso). um tipo de condução muito mais rápido do que os das fibras não-mielinizadas. Ao longo do axônio. com suas propriedades características. duração. Mas existe células excitáveis como por exemplo células do músculo cardíaco. depende de certas características físicas do axônio: a velocidade de condução do potencial de ação aumenta com o diâmetro axonal. essa bainha de mielina é formada por células especializadas denominadas células de Schvann. vão sendo transportados ativamente para o exterior.) 5) Qual a importância da mielina na transmissão dos potenciais de ação? A bainha de mielina permite uma maior velocidade da fase passiva da propagação do potencial de ação (diminui a capacitância de membrana e aumenta a resistência de membrana). Já os íons sódio que estavam em grande quantidade no interior da célula. tais potenciais ocorrem na fase em que a célula está despolarizada. A bainha não é contínua.Durante este espaço de tempo.15 a 0. devido ao excesso de cargas positivas encontradas no interior da célula (maior concentração de potássio dentro da célula). ocorre um aumento na permeabilidade aos íons potássio (saída). tornando a propagação mais veloz ainda.Repouso: É a fase em que a célula volta a situação anterior a excitação. (A velocidade com a qual o potencial de ação se propaga ao longo do axônio depende de quão longe a despolarização é projetada à frente do potencial de ação. diminui o número de fases ativas da propagação do potencial de ação. o que. os nódulos da Ranvier. velocidade de propagação. Esses potenciais são denominados Potenciais de Platô. 2 a 3 mili-segundos na grande maioria das células do corpo humano. Todo este processo faz com que o potencial da membrana celular volte a ser negativo.3 segundos. O potencial de ação salta de um nódulo ao nódulo seguinte quando ele percorre uma fibra mielinizada.

o que diminui o retardosináptico. A sinapse é o ponto de contato entre um neurônio e o seu vizinho . Nas sinapses químicas a fenda sináptica é maior exatamente porque as duas células não se tocam. São importantes.um local próprio para a transmissão de sinais. além de serem quase instantâneas. há um espaço entre as membranas de duas células. desencadeando um potencial de ação no segundo neurônio. enquanto alguns elementos estão em dos dentritos pré-sináptica ou corpo celular em um. Permitem não só a passagem de íons como também de moléculas maiores. e a transmissão se dá demaneira direta por fluxo de corrente iônica. A sinapse química possui membrana pré e pós-sináptica e é propagada por meio de neurotransmissores. e não possuem um sentido preferencial de fluxo. Através das sinapses. enquanto a sinapse elétrica é feita por meio das Junções Comunicantes ou tipo GAP (através de Conexinas. e existe muita coisa neles). é possível a integração de todo o Sistema Nervoso. proteínas integrais de membrana que formam um "canal" entre os neurônios). Nas sinapses elétricas há continuidade citoplasmática entre as células pré e póssinápticas. que viajam pelo meio intercelular. que interagem com o neurotransmissor. Os receptores são. As sinapses. por isto a fenda sináptica é menor. 6) O que é sinapse e quais os seus elementos? Sinapse é o local de comunicação de um neurônio com outro ou com células efetoras (de glândulas ou músculos). servem como meio de comunicação entre as células e é através delas que o potencial de ação(impulso elétrico que leva uma informação) é transmitido. Neste caso. é um dendrito. ou 5 a 50 vezes mais rápida do que a das fibras nãomielinizadas do mesmo tamanho. sinapse é a apenas o ponto de união entre duas células. Sinapse: Basicamente. 7) Diferencie sinapse elétrica de sinapse química. o elemento pré-sináptica é em um axônio. não há terminal pré e pós-sinaptico. na propagação do impulso nervoso no tálamo (sono e vigília) e na manutenção das frequências respiratória e cardíaca (promove a sincronização das células). provocando uma alteração conformacional em algumas regiões da membrana (como canais de sódio ou cloro). proteínas situadas na membrana celular do neurônio. na verdade. até os receptores sinápticos do neurônio seguinte (o pós-sináptico). Isto produz uma polarização ou despolarização da membrana celular deste neurônio . que permitem a comunicação entre os neurônios. das diferentes áreas do córtex e dos núcleos subcorticais. aquele espaçozinho que existe entre as membranas (sim. um neurônio (o pré-sináptico) libera neurotransmissores. de até 100m/s. por isso. logo não há continuidade citoplasmática entre as células pré e pós-sinápticas. Na sinapse.é o impulso elétrico gerado por uma sinapse química! Elementos pré-sináptica e pós-sináptico são separados por um espaço (conhecido como fenda sináptica) e contêm uma série de mecanismos moleculares que ligam as duas membranas para realizar o processo de sinalização. Em muitas sinapses. .A velocidade da transmissão do impulso nervoso nas fibras mielinizadas grandes pode ser elevada. por exemplo.

Elas podem ser de dois tipos: Sinapse química: O potencial de ação é transmitido através de proteínas especiais chamadas de neurotransmissores. ou seja. Esse tipo de sinapse é encontrada em todo o sistema nervoso. onde a contração ocorre por um todo em todos os sentidos. caem em um espaço (fenda sináptica) e interagem com a próxima célula (célula pós-sináptica). é a forma com que os neurônios se comunicam. Esse tipo de sinapse é encontrada em todo o sistema nervoso. Sinapse química: Acontece quando o potencial de ação. dessa forma a informação é repassada. o impulso e transmitido em uma única direção. Quase todas sinapses do SNC são químicas. 8) Descreva uma sinapse química. Quase todas sinapses do SNC são químicas. na membrana pós-sinaptica. ou seja. Essa é a sinapse utilizada pelos músculos. podendo ser bloqueado e em comparação com sinapse elétricas é a sinapse química é muito mais lenta. esses canais são chamados de junções comunicantes. Os neurotransmissores saem de uma célula (célula présináptica). neurotransmissores. Sinapse elétrica: Nesse tipo. desta maneira o potencial de ação passa de uma célula para outra muito mais rápido que na sinapse química não podendo ser bloqueado. que une as membranas. é a forma com que os neurônios se comunicam.Acetilcolina . Ocorre em músculo liso e cardíaco. caem em um espaço (fenda sináptica) e interagem com a próxima célula (célula pós-sináptica).Portanto. impulso é transmitido através mensageiro químico. EX: neurotransmissores Histamina Acetilcolina Sinapse elétrica: Neste tipo de sinapse as células possuem um intimo contato através junções abertas ou do tipo gap que permite o livre transito de íons de uma membrana a outra. para fazer com que todas as fibras contraiam ao mesmo tempo de modo ritmado. inclusive o próprio coração utiliza-se da incrível velocidade proporcionada pelas junções. O potencial de ação é transmitido através de proteínas especiais chamadas de neurotransmissores. O potencial de ação corre diretamente de uma membrana para outra. através de substâncias químicas. que se liga a um receptor (proteína). Os neurotransmissores saem de uma célula (célula pré-sináptica). através de substâncias químicas. mas nem por isso essas são menos importantes. EX: neurotransmissores Histamina . sem precisar do auxílio de mediadores químicos. existem muito mais sinapses químicas no corpo humano que as elétricas. dessa forma a informação é repassada. como um canal. elas são bem diferentes. as células estão praticamente coladas e existe uma abertura.

a ação desencadeada pelos receptores metabotrópicos é designada neuromodulação. O influxo de cálcio causa a fusão das vesículassinápticas com a m embrana plasmática e consequentemente aliberaçãodo neurotransmissor na fenda sináp tica. Receptores ionotrópicos: Função: induz a uma alteração rápida direta na permeabilidade iônica relativa da membrana. ou através de ação enzimática intracelular efetuada pelo próprio receptor. Assim. dispostas de maneira a formar um poro na membrana. não estão exclusivamente localizados na região da sinapse e. que poderá gerar um novo potencial de ação. ainda de modo mais distinto. não geram potenciais de ação. isto faz com que haja um influxo de íons cálcio pela abertura de canais de cálcio voltagem depende que existem nas terminações dosbotões sinápticos. A ligação do transmissor (a chave) com os receptores (a fechadura) causa geralmente a abertura de um canal iónico. acarretando alteração local no potencial de membrana Constituição: São canais iônicos formados por macromoléculas(proteínas). pela abertura ou fechamento de canais (geração de potenciais póssinápticos excitatórios ou inibitórios) o que através de um processo de integração sináptica levará a geração ou não de um novo potencial de ação na célula pós sináptica. que atravessam a membrana. e consequentemente ao influxo deste íon e a despolarização da célula pós-sináptica. Constituição: compostos de uma única proteína que atravessa a membrana cruzando a dupla camada lipídica uma ou mais vezes.O agente de transmissão é o neurotransmissor que é uma molécula química liberada pela célula pré-sináptica e que se liga a receptores específicos na célula póssináptica onde vão levar a mudanças na condutância da membrana. 10) O que é PEPS E PIPS? Potencial Excitatório Pós-sináptico (PEPS) . Receptores metabotrópicos: Função: Seus efeitos sobre o neurônio pós-sináptico são produzidos indiretamente através de uma proteína intracelular (proteína G). estes receptores designam-se receptores ionotrópicos. O mecanismo de transmissão das sinapses químicas ocorre da seguinte maneira: Primeiro o potencial de ação invade a terminação pré-sináptica. Estes receptores são vistos hoje em dia como receptores envolvidos na regulação ou modulação dos diversos processos intracelulares. A interacção entre os neurotransmissores e os receptores ocorre por um processo do tipo “chave e fechadura”. 9) Explique receptores ianotrópicos e metabotrópicos. Todo este processo leva a um retardo sináptico maior. Ha á ligação dos neurotransmissores com receptores específicos nas células póssinápticas levando a abertura de canais de sódio. Receptores metabotrópicos: Estes receptores não possuem canais iónicos.

. Somação Temporal São estimulações repetidas inferiores ao limiar de excitação. ou ainda pelo fechamento dos canais de Na+/Ca+. provocada por impulsos exitatórios de atividades neurais. a célula muscular esquelética dispara um potencial de ação. se o gradiente de Na+ for suficiente para tanto. que é o que ocorre nos canais muscarinícos das células do coração na presença de acetilcolina. portanto. muito mais que o limiar. se deve à redução na concentração do mediador. Duas entradas pré-sinápticas chegam à célula pós-sináptica ao mesmo tempo. aumentando a força de seu sinal. A abertura desses canais do tipo nicotínicos. como ocorre na junção neuromuscular. podendo geram um potencial de ação. por hidrólise ou difusão. pois apenas 1mv de diferença que eles possam produzir é capaz de impedir a formação de um potencial de Ação. Os PEPS podem ser formados por sinapses axossosomáticas ou axodendríticas PEPS .O Potencial Excitatório Pós-sináptico é gerado quando há despolarização ou excitação da célula pós-sináptica. Duas entradas pré-sinápticas chegam à célula póssináptica em rápida sucessão. O PIPS pode acontecer tanto pela saída de K+ da célula. Os PIPS também se beneficiam do Sistema de Limiar de Excitação (tudo ou nada). A duração do PIPS é curta e o potencial da célula rapidamente retorna ao normal. por exemplo. Essa oscilação de potencial se propaga com decremento. como ocorre em toda propagação eletrotônica. As sinapses que geram esses potenciais inibitórios geralmente são do tipo axossomáticas. apenas na parte onde os neurotransmissores agiram. permite a passagem de Na+ e outros pequenos cátions para o interior da célula. O decaimento do PEPS no tempo. e quanto mais canais forem abertos.Potencial Inibitório Pós-Sinaptico O efeito observável destas sinapses é uma hiperpolarização da membrana. onde o neurônio pré-sinaptico libera acetilcolina e abre os canais Na+/K+ acetilcolinadependentes no músculo esquelético. denominada PIPS. Para cada PEPS. essa despolarização não ocorre em toda a membrana da célula. 11) Diferencie somação temporal de espacial. O Potencial Inibitório Pós-sináptico (PIPS) O Potencial Inibitório Pós-sináptico é gerado quando há hiperpolarização da célula póssináptica. onde a acetilcolina é um neurotransmissor excitatório. despolarizando-a. Somação Espacial São diferentes terminais pré-sinápticos no mesmo neurônio que são estimulados ao mesmo tempo. que leva o potencial de membrana de -90 mV a -20 mV.Potencial Excitatório Pós-Sinaptico O PEPS é uma despolarização de 70 mV. dessa forma os PIPS compensam seu menor número. PIPS . além de perderem menos energia em seu trajeto. tornando mais difícil a geração de um potencial de ação. como pode acontecer pela entrada de Clˉ . mais Na+ entrará na célula. Um PEPS pode ser gerado também por fechamento dos canais de K+. pois chegam mais rapidamente à zona de disparo. Porém. junto da placa.

Ele é formado. . Através desses circuitos. auto-reforçando a propagação do impulso excitatório na cadeia.Somação Espacial: somação de potenciais pós-sinápticos causados por diferentes neurônios pré-sinapticos. maior vai ser o de inibição e o circuito é denominado de feedback negativo inibitório. Essa modificação comportamental é chamada de aprendizado. Entretanto. o organismo é capaz de produzir respostas estereotipadas que constituem os comportamentos fixos e invariantes (por exemplo. e desencadeia as respostas musculares e glandulares. Assim. e ocorre no sistema nervoso através da propriedade chamada plasticidade cerebral. a informação é reverberada por um certo tempo que depende do número e tipos de associação dos componentes da cadeia. ou então. por células nervosas. formando os chamados circuitos neurais. propiciam a recorrência ou reverberação do impulso nervoso. os reflexos). é responsável pela integração do organismo com o seu meio ambiente. um neurônio motor eo órgão efetuador. produzir comportamentos variáveis em maior ou menor grau. ao contrário. basicamente. a presença de um neurônio inibitório neste tipo de circuito. Todo ser vivo dotado de um sistema nervoso é capaz de modificar o seu comportamento em função de experiências passadas. autocontrola o nível de excitabilidade da própria cadeia: quanto maior o nível de excitação. 12) Fale sobre circuitos neurais e seus tipos? Entende-se por circuito neural o arranjo sináptico entre mais de dois neurônios. Nos circuitos divergentes os neurônios estão arranjados de tal modo que uma célula pode redistribuir a informação para vários neurônios situados em diferentes locais do sistema nervoso. Somação Temporal: somação de potenciais pós-sinápticos em rápida sucessão deflagrados pelo mesmo neurônio pré-sináptico. Denominamos este tipo de circuito de feedback positivo ou facilitatório. Os circuitos neurais podem ser cadeias de neurônios abertas ou fechadas. Tipos de circuitos fechados Circuitos neuronais como vemos na figura ao lado. tanto físicos quanto químicos. Tipos de circuitos abertos Circuito convergente: arranjo no qual vários neurônios convergem para um único neurônio. O sistema nervoso detecta estímulos externos e internos. que se interconectam de forma específica e precisa. Assim. Um arco reflexo é um circuito que pode ter no mínimo um neurônio sensorial. Repare que este neurônio constitui uma via final comum de vários impulsos nervosos que podem chegar de diferentes regiões do SNC.

Tanto a insulina quanto hormônios carcinóides produzidos por praticamente todas as células do organismo estão sob controle da alimentação. já que controlam a ação dos outros produzidos pelas glândulas. Quando aumenta no sangue. a reação inflamatória do organismo. a membrana plasmática da célula muscular será despolarizada com maior freqüência. que dão ordens ao organismo à distância. Quais as conseqüências disso sobre o processo de transmissão do impulso nervoso? A redução da bainha de mielina tornará a transmissão dos impulsos nervosos mais lenta c) Alguns tipos de inseticidas orgânicos. porque ela usa um mensageiro totalmente diferente. que é responsável pela ação do estrogênio. responda as questões a seguir. regulam o calibre dos vasos sanguíneos. há três sistemas bem descritos de segundos mensageiros. Qual é a relação entre o bloqueio desses canais e o efeito anestésico? Com o bloqueio dos canais de sódio. impedem a degradação da acetilcolina na sinapse neuromuscular. Considerando o funcionamento dessas células. Em termos clássicos. mantendo os níveis de cálcio citoplasmático altos e. eles fazem parte da nossa Internet biológica. como os fosforados e os carbamatos. 14) Porque a sinalização por segundos mensageiros é vantajosa? Basicamente são os "mensageiros” bioquímicos. conseqüentemente. a proliferação celular. não haverá a transmissão do impulso nervoso e nem a liberação do neurotransmissor. Sem a degradação da acetilcolina. o do Ca 2+ (e calmodulina) e o dos . Explique por que ocorre essa contração muscular contínua. Os carcinóides são considerados super-hormônios. inativando temporatiamente esta via de sinalização. entre outras funções. o que provoca a contração contínua dos músculos afetados. o processo de contração. bloqueia o segundo mensageiro na célula. a função imunológica e a síntese de neurotransmissores nos sistema nervoso central. Existem bons e maus carcinóides que. não ocorrerá a despolarização da membrana plasmática e o conseqüente disparo do potencial de ação. quem diz o que fazer à célula não é o próprio hormônio. Em conseqüência disto. a) A maioria dos anestésicos locais age bloqueando os canais de sódio dos neurônios. Muitas vezes. b) O diabetes mellitus reduz a mielinização dos neurônios. o que acarretará mais abertura de canais de cálcio do retículo sarcoplasmático. mas sim o “mensageiro”. que deu origem ao conceito de 2º mensageiro). Extremamente importantes em termos fisiológicos. Os segundos mensageiros são moléculas envolvidas na transdução do sinal. suscitam respostas distintas a nível celular. hormônio produzido em resposta à ingestão de carboidratos.13) Há diversas drogas e doenças que afetam o funcionamento dos neurônios. que se associam a acções intracelulares distintas: o do AMPc (o primeiro sistema a ser descrito. por variação das suas concentrações. Certos carcinódes também controlam o segundo mensageiro. DHEA e hormônio do crescimento. progesterona. Portanto. ela permanecerá por mais tempo na fenda sináptica se associando aos seus receptores. a insulina. Ele transmite ao receptor da célula que vai mandar um segundo mensageiro para dar as ordens a ela.

Este tipo de receptores é o que. nestes.situado no crânio e formado pelos seguintes órgãos: cérebro. 15) Como se divide o sistema nervoso? Se divide em Sistema Nervoso central o SNC e Sistema Nervoso Periférico.rinencéfalo. noutra fonte.também denominada raque) e por membranas denominadas meninges. (fosfatidilinositol bifosfato ou derivados do ácido Alguns receptores não estão associados a proteínas G.rinencéfalo.diencéfalo(o diencéfalo e dividido por glandula pineal. fosforilando enzimas e proteínas. cuja actividade pode ser aumentada ou diminuída. os receptores dimerizam e adquirem actividade de cínases da tirosina. a porção intracelular do receptor sofre autofosforilação. por exemplo. vulgarmente. Não é pretensão deste texto de apoio rever os mecanismos de sinalização intracelular. protegendo o encéfalo. a resposta ao ANP (peptídeo auricular natriurético) envolve o GMPc.mesencéfalo… e bulbo) e medula espinhal.cerebelo. cerebelo. e coluna vertebral. quanto a este tema. hipotalamo e fórnix).       . O SNC se subdivide em medula espinhal e encéfalo. Resta dizer que já foram descritos outros sistemas de segundos mensageiros envolvidos na transdução do sinal. talamo. Entre as meninges aracnóide e pia-máter há um espaço preenchido por um líquido denominado líquido cefalorraquidiano ou líquor. ponte ou protuberância e bulbo Medula espinhal tebral . aracnóide (a do meio) e pia-máter (a interna). se associa a factores de crescimento. Nosso sistema nervoso central divide-se em duas partes: Encéfalo . Após ligação da hormona. 17) Descreva as partes e as funções do encéfalo. telencéfalo. O encéfalo e a medula formam o sistema nervoso central Partes do encéfalo Suas partes fundamentais são: Lobo olfativo Cérebro Tálamo Lobo óptico Cerebelo Bulbo raquidiano (ou medula oblonga).O encéfalo se divide em:Cérebro(cortex. situadas sob a proteção esquelética: dura-máter (a externa).fosfolípidos membranares araquidónico). 16) Descreva as estruturas de proteção do Sistema Nervoso Central Os órgãos do SNC são protegidos por estruturas esqueléticas (caixa craniana.localizada no canal vertebral. sendo o aluno aconselhado a documentar-se. a transdução do sinal depende da porção intracelular dos receptores. protegendo a medula .

promovendo aumento da secreção de adrenalina. O hormônio secretado pelos neurônios pós-ganglionares do sistema nervoso parassimpático é a acetilcolina. como as reduções do ritmo cardíaco e da pressão arterial. até ao órgão efetor. da concentração de açúcar no sangue e pela ativação do metabolismo geral do corpo. 20) Diferencie os sistemas nervosos simpático do parassimpático.  Nervos Mistos: tem o mesmo papel que os nervos sensitivos e motores ao mesmo tempo. É composto pelos nervos espinhais e cranianos. (1858) é constituído por fibras (nervos). consciente ou não. Uma das principais diferenças entre os nervos simpáticos e parassimpáticos é que as fibras pós-ganglionares dos dois sistemas normalmente secretam diferentes hormônios. pelo aumento da pressão arterial. São as fibras nervosas dos nervos que fazem a ligação dos diversos tecidos do organismo com o sistema nervoso central.) 19) De que é formado o sistema nervoso periférico? O sistema nervoso periférico é constituído pelos nervos. de modo geral.[1] Os nervos se dividem em três tipos:  Nervos Sensitivos: são os nervos que tem o papel de transmitir os impulsos nervosos do órgão receptor até ao SNC. Os atos reflexos são comandados pela substância cinzenta da medula espinhal e do bulbo. gânglios nervosos e órgãos terminais. antes deste comandar uma resposta. o sistema simpático é responsável pela aceleração dos batimentos cardíacos. que visa uma proteção ou adaptação do organismo sendo de originado de um estímulo externo antes mesmo do cérebro tomar conhecimento do estímulo periférico. entre outras. Essas reações de emergência são chamadas reflexos. estimula ações que mobilizam energia. conseqüentemente. (As fibras adrenérgicas ligam o sistema nervoso central à glândula supra-renal.  Nervos Motores: conduzem o impulso codificado no encéfalo (SNC). Segundo o Gray. . sem esperar instruções. mas em algumas situações é necessário que o corpo reaja muito rapidamente. Já o SNP autônomo parassimpático estimula principalmente atividades relaxantes. Em que parte do sistema nervoso central elas acontecem? Descreva. permitindo ao organismo responder a situações de estresse.18) O controle cerebral é essencial para muitas de nossas funções. O SNP autônomo simpático. Por exemplo. hormônio que produz a resposta de "luta ou fuga" em situações de stress. razão pela qual esses neurônios são chamados colinérgicos. que são representantes dos axônios (fibras motoras) ou dos dendritos (fibras sensitivas). na verdade. analisando suas reações em diferentes órgãos. O ato reflexo é a reação do involuntária rápida.

Controle da pressão arterial. .nos nervos vago e glossofaríngeo controlam a secreção salivar. . de origem sacral.Gânglio Ciliar: situado por trás do globo ocular. .Inibição das secreções e dos movimentos gastrintestinais. controlam o esvaziamento da bexiga e do reto. . Função parasimpática: . o que permite o controle da perda de calor pelo corpo. a secreção pancreática e muitas das contrações da parte superior do tubo gastrintestinal. . o que também é parte do controle de perda de calor.as fibras parassimpáticas. . a secreção gástrica.Gânglio Ótico: situado pouco adiante da orelha e inervando as glândulas parótidas.no nervo oculomotor controlam a focalização e a dilatação das pupilas.As principais funções simpáticas são: . As fibras parassimpáticas controlam: .Controle da intensidade da sudorese pelas glândulas sudoríparas. . . O sistema parassimpático tem ação vasodilatadora mediante a libertação de acetilcolina.Gânglio Esfenopalatino: situado por detrás do nariz e inervando as glândulas lacrimais e nasais.Controle da freqüência cardíaca. . enviando fibras pós-ganglionares para as estruturas oculares.Aumento do metabolismo na maior parte das células do corpo. . a freqüência cardíaca. .Controlar o grau de vasoconstrição na pele.Gânglio Submandibular: situado sob a parte lateral da mandíbula e inervando as glândulas submandibulares.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful