Ed. 2 - ano II - mai/jun 2013 | www.bpsp.org.

br Uma publicação da Beneficência Portuguesa de São Paulo

Mudar de atitude: garantia de saúde agora e no futuro

MULHERES na História
Relembre algumas das mulheres que contribuíram para o desenvolvimento social, científico e cultural do Brasil e do mundo.

Dico Barbosa / Shutterstock

Na ciência: Florence R. Sabin

Há anos, a mulher luta para conquistar direitos e privilégios iguais aos dos homens. No campo profissional, entrou na disputa por cargos antes exercidos apenas por eles e reivindicou salários equiparados. Deixou de ser subordinada ao marido e tornou-se tomadora de decisões, inclusive na economia familiar. As mulheres brasileiras estão na frente nos estudos. De acordo com dados da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e da consultoria Grant Thornton, 12% delas têm diplomas universitários, ante 10% dos homens. As mulheres brasileiras estão acima da média global quando o assunto é liderança, com 27% dos cargos, ante os 21% nos outros países. Segundo pesquisa do Instituto Data Popular, em 2012, elas movimentaram na economia nacional cerca de R$ 717 bilhões. Diante da crescente atuação da mulher em diversos setores, percebe-se que, devido ao acúmulo de tarefas, ela faz malabarismos para gerenciar a sua vida, não tendo tempo de cuidar da sua saúde. A seguir, veja a análise de especialistas da Beneficência sobre algumas das principais doenças que afetam as mulheres modernas.

Por que as mulheres estão estressadas?

Cientista médica norte-americana, pioneira na ciência, foi a primeira a ocupar uma cátedra na Universidade Johns Hopkins de Medicina, a primeira eleita para a Academia Nacional de Ciências, e a primeira mulher a chefiar um departamento no Instituto Rockefeller de Pesquisa Médica.

por Armando Ribeiro, Egle Bellintani, Maria Cristina Oda e Renata Cassis, do Centro de Estudos e Assistência em Psicologia Hospitalar (Ceap) da Beneficência

Na literatura e na poesia: Clarice Lispector e Cora Carolina

Na prática clínica no Hospital, verifica-se que aproximadamente 90% das mulheres que procuram terapia têm queixas relacionadas a problemas no relacionamento ou a questões sobre carreira e família. O pouco tempo com os filhos, as demandas do casamento ou mesmo o excesso de dedicação ao trabalho às levam à exaustão física e emocional, aumentando as chances do aparecimento de quadros de ansiedade, pânico e depressão. Pesquisa realizada pelo Programa de Avaliação do Estresse da Beneficência apontou que as principais fontes de estresse ocupacional são: a sobrecarga de trabalho, a falta de retorno sobre seu desempenho profissional e o estresse interpessoal. Sobrecarga de trabalho é uma das principais causas de estresse entre as mulheres

Clarice chegou da Ucrânia ainda bebê e se tornou a dama da literatura; enquanto Cora lançou seu 1° livro aos 76 anos e foi uma das principais escritoras do Brasil.

Na benemerência: Ruth Cardoso
A antropóloga fugia dos holofotes de primeira-dama do País para dedicar-se totalmente ao seu programa de combate à pobreza.

Na caridade e fé: Irmã Dulce

Ganhou notoriedade por suas obras de caridade e de assistência aos pobres e necessitados. Foi indicada ao Prêmio Nobel da Paz em 1988 e, em 2011, foi beatificada (último passo antes da canonização).

No esporte: Marta da Silva

A alagoana foi eleita a melhor jogadora de futebol do mundo cinco vezes. É comparada ao rei Pelé.

Na medicina: Rita Lobato

Foi a primeira mulher a exercer a Medicina no Brasil, formada pela Faculdade de Salvador.

Na política: Dilma Rousseff

A mineira de 65 anos foi a primeira mulher a tornar-se presidente do País nas eleições de 2010.

Ed. 2 - ano II - mai/jun 2013

Cidade Saúde

Editorial

Um mundo mais feminino
Caros leitores, Olhando para o momento em que vivemos não dá para acreditar que, por tanto tempo, as mulheres foram privadas de dedicar-se a uma profissão. Na área da Saúde, por exemplo, eram poucos os papéis que as mulheres podiam exercer, entre eles, o de parteira. Aprendiam com suas avós e mães a preparar os chás, as infusões e as compressas milagrosas para os momentos de agonia. Hoje o cenário mudou. Segundo o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), as universidades nunca tiveram tantas mulheres na graduação de Medicina. Os cursos de Enfermagem e Auxiliares de Enfermagem também têm suas salas cheias de mulheres. Nossos corredores são uma prova da entrada massiva das mulheres na Saúde. Dos mais de 7 mil colaboradores da Beneficência Portuguesa de São Paulo, 5 mil são mulheres. Administradoras, Auxiliares de Serviços Gerais, Enfermeiras, Farmacêuticas, Médicas, Nutricionistas e Recepcionistas. Mulheres que ao mesmo tempo são mães, estudantes, donas de casa, esposas, filhas e profissionais. E elas fazem toda a diferença, por sua competência e pela forma abrangente de enxergar o Paciente. Não é a toa que a “humanização” vem ao encontro da participação ativa da mulher na Saúde. Com a cooperação delas, podemos fazer da nossa Cidade Dedicada à Saúde um lugar mais fraterno. Boa leitura.
Presidente da Diretoria Administrativa da Beneficência Portuguesa de São Paulo

Segundo dados do Programa, 75,1% das mulheres afirmam perceber estresse excessivo em suas vidas. O Estudo, realizado no final de 2012, contou com 177 participantes, sendo 133 mulheres e 44 homens, com 34 anos em média.

al cada vez mais precoce, menopausa ou gravidez tardia e diminuição do número de gestações.
A doença afeta de 5% a 10% das mulheres em idade reprodutiva. Em adolescentes, esse número pode chegar a 50%

Cuide mais do seu coração
por Dr. Victor Luiz Santos Haddad, Cardiologista da Beneficência Atualmente, as doenças cardiovasculares correspondem à primeira causa de morte no mundo – cerca de 30%, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Na mulher, o risco aumenta consideravelmente após a menopausa em função da queda na produção do hormônio estrogênio. Esse hormônio diminui o colesterol LDL e aumenta o colesterol HDL (bom e ruim, respectivamente). Por esse motivo, o índice de doenças coronarianas após a menopausa é de duas a três vezes maior. 21 milhões de mulheres brasileiras são consideradas pacientes de alto risco cardíaco Entretanto, devido a sua rotina, a mulher moderna passa a ter que considerar outros fatores, além da queda hormonal. Mulheres que associam cigarro a anticoncepcional, que são sedentárias e que ingerem muito sal e gordura, aumentam a probabilidade de sofrerem um infarto ou apresentarem um acidente vascular cerebral (AVC). Por isso, os cuidados com os fatores de risco devem começar na juventude.

Mas, o que é endometriose? É uma inflamação provocada por células do endométrio que, em vez de serem expelidas na menstruação, migram no sentido oposto e caem nos ovários ou na cavidade abdominal, onde voltam a multiplicar-se e a sangrar. Por isso, é fundamental fazer visitas regulares ao ginecologista e exames periódicos para prevenir-se da doença.

A osteoporose

por Prof. Dr. Alberto Tesconi Croci, Chefe da equipe de Ortopedia e Traumatologia da Beneficência A osteoporose é uma doença que atinge principalmente as mulheres, normalmente após a menopausa. É a diminuição da massa óssea, os ossos ficam mais fracos e podem sofrer fraturas com facilidade. O uso de certas medicações (como os corticoides); a falta de atividade física; períodos de imobilização prolongada; o café e o fumo também são exemplos importantes que contribuem para o aparecimento da doença.
A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o consumo de 800 a 1200 mg de cálcio por dia, o que representa quatro porções (xícaras) de leite

Faça o teste online e descubra o que você sabe sobre o colesterol. Acesse: www.seucoracao.com.br

Rubens Ermírio de Moraes

Beneficência na web:
/beneficencia.sp @beneficencia_sp youtube.com/beneficenciasp

Endometriose: saiba mais sobre essa doença
por Dr. Ricardo Freire, ginecologista e obstetra do Hospital Santo Antônio A incidência da endometriose vem aumentando nos últimos anos em consequência da mudança do perfil reprodutivo da mulher, que tem um maior número de ciclos menstruais. Esse aumento ocorre devido ao ciclo menstru-

2

A prevenção da osteoporose é muito importante e deve começar muito cedo. Para isso, programas de atividade física devem ser incentivados e pensados para cada faixa etária. É indicado o consumo de alimentos ricos em cálcio, como leite, queijo, iogurtes e vegetais de folhas verde-escuro, e em vitamina D, como salmão, fígado e gema de ovo. No caso da doença já estabelecida, indicam-se medicações específicas, a complementação de cálcio ou, quando possível, e necessário, a realização de reposição hormonal no caso das pacientes na menopausa.

Ed. 2 - ano II - mai/jun 2013

Cidade Saúde

Curiosidades

Qual a função do

FÍGADO?
O fígado é o maior órgão do corpo humano e ninguém vive sem ele mais que um dia. Mesmo quando é sobrecarregado, resiste bravamente sem dar sinais de desgaste. Porém, quando chega ao seu limite, pode ser tarde para tratá-lo. Apesar de tão importante para a vida, muitos não entendem suas inúmeras funcionalidades. Segundo Dr. Ben-Hur Ferraz Neto, Cirurgião e Diretor do Instituto do Fígado da Beneficência, esse órgão tem a função de:

• Metabolizar praticamente todas as substâncias que recebe da digestão. Ele pode armazená-las, eliminá-las ou distribuí-las para atender as necessidades do corpo; • Produzir a bili, fluído que atua na digestão, especialmente de gorduras; • Controlar a glicemia e processar boa parte de toda a glicose; • Produzir proteínas fundamentais para manter os líquidos do corpo de forma organizada, principalmente o sangue; • Equilibrar a coagulação do sangue, mantendo a normalidade na fluidez ou gerando a possibilidade da coagulação em caso de sangramento ou no risco de um.
Dico Barbosa

Cuide bem do seu fígado: não abuse do álcool, evite alimentos gordurosos e informe-se sobre as doenças hepáticas.

Utilidade Pública
Mot Santos

Perfil

Dengue
A Dengue afeta, anualmente, mais de 100 milhões de pessoas no mundo. No Brasil, é mais comum entre os meses de janeiro e maio, devido ao calor e às chuvas, especialmente nas grandes cidades. Febre alta, dor de cabeça, náuseas, dores no corpo e no fundo dos olhos são os principais sintomas. Medicamentos com ácido acetilsalicílico (Aspirina, por exemplo) e anti-inflamatórios (como Cataflan e Voltarem), podem aumentar o risco de hemorragias. Por isso, cuidado com a automedicação. Em caso de suspeitas, procure um médico.

Mitos sobre a doença
Tomar vitamina B e comer alho afasta o mosquito
Fonte: Ministério da Saúde

Ar-condicionado e ventiladores matam os mosquito Para matar os ovos dos mosquitos basta secar os reservatórios de água parada
O Pronto-Socorro da Beneficência Portuguesa de São Paulo está preparado para lhe atender: (11) 3505-5155.

A psicóloga Rosa Moraes iniciou o Voluntariado no Hospital São José com a intenção de proporcionar aos pacientes oncológicos um canal alternativo de comunicação e apoio. “É quando eles podem conversar sobre assuntos pessoais e que não estejam ligados à doença”, afirma. Sua iniciativa logo atraiu pessoas próximas e, aos poucos e com o apoio dos profissionais do Hospital, o grupo foi sendo formado. Ao todo, são 20 voluntárias que, após um curso de capacitação, dedicam ao projeto quatro horas semanais. Para familiarizar-se com a rotina de um Paciente no Hospital, a psicóloga conta que, antes de chegarem ao último estágio, visitar os leitos, todas atuaram na Recepção, no Centro Diagnóstico e na Quimioterapia. “É gratificante ver o nosso trabalho proporcionando momentos agradáveis a pessoas que passam por situações tão delicadas”, diz. E uma de suas alegrias é que esse ano o projeto será expandido para os hospitais São Joaquim e o Santo Antônio. Rosa tem uma relação antiga com a Beneficência. Seu avô José Ermírio de Moraes, seu pai Antônio Ermírio de Moraes e seu irmão Mario Ermírio de Moraes, foram Presidentes da Diretoria Administrativa da Instituição e, seu outro irmão, Rubens Ermírio de Moraes, ocupa o cargo atualmente.

Rosa Moraes fala sobre o Voluntariado da Beneficência

3

Ed. 2 - ano II - mai/jun 2013

Cidade Saúde

Saúde em foco
ção do bebê. Se algo estiver diferente, ele deve solicitar uma ecocardiografia fetal. Nesse exame, um especialista fará um ultrassom específico do coração do feto e dirá se o bebê precisa do acompanhamento de um cardiologista. A ecocardiografia também é necessária quando as gestantes têm mais de 35 anos, já tiveram filhos ou outros familiares com cardiopatia congênita, têm diabetes ou lúpus, tiveram doenças como toxoplasmose ou rubéola durante a gestação, estão esperando gêmeos ou múltiplos, apresentaram alteração nos exames de translucência nucal (ultrassom de 12 semanas) e de cariótipo ou foi detectada qualquer anormalidade em outro órgão do bebê. O diagnóstico precoce pode salvar a vida da criança, principalmente em cardiopatias mais graves, quando o parto deve ser planejado e a criança precisa ser operada nos primeiros dias de vida.
Shutterstock / Yuri Arcurs

Ondimentum arcu, id cursus mauris s Ondimentum arcu, id semcursuc. d cursus mauris s Ondimentum arcu, id semcursuc.

Sintomas
Bebês
• Pontas dos dedos ou lábios roxos; • Transpiração excessiva e cansaço durante as mamadas; • Respiração acelerada enquanto descansa; • Pouco apetite associado a baixo ganho de peso; • Irritação frequente, sem consolo.

Sinais e

O que é cardiopatia congênita?
É comum alertar os adultos sobre os riscos de desenvolver uma doença cardíaca. Mas não basta alertá-los apenas para sua própria saúde, é preciso que fiquem atentos aos pequenos, pois eles podem sofrer de cardiopatia congênita. Trata-se de qualquer anormalidade na estrutura ou função do coração que surge nas primeiras oito semanas de gestação, quando se forma o coração do bebê. Ocorre por uma alteração no desenvolvimento embrionário da estrutura cardíaca, mesmo que descoberto no nascimento ou anos mais tarde. A cardiopatia é a doença congênita mais comum e uma das principais causas de óbitos relacionadas a malformações congênitas. Nascem no Brasil aproximadamente 23 mil crianças com problemas cardíacos por ano, ou seja, a cada 100 bebês nascidos vivos um é cardiopata. Segundo dados divulgados no 38º Congresso Brasileiro de Cardiologia, realizado em 2011, desses 23 mil cardiopatas que nascem anualmente, pelo menos 80% necessitarão de uma cirurgia cardíaca, mas infelizmente cerca de 13 mil não recebem o tratamento. De acordo com a Dra. Lilian Lopes, chefe do Serviço de Ecocardiografia Fetal da Beneficência, a mortalidade decorrente das cardiopatias congênitas seria drasticamente reduzida se todos os cuidados pré e pós-natais fossem devidamente praticados. Portanto, é importante ficar atento aos sintomas (no quadro à direita). De acordo com Dra. Lilian, as cardiopatias congênitas podem ser descobertas ainda na gestação, a partir do segundo trimestre de gravidez. Ao realizar o ultrassom morfológico de segundo trimestre, o médico ultrassonografista deve olhar o cora-

Crianças

• Cansaço em atividades físicas e dificuldade em acompanhar o ritmo dos amigos; • Não cresce e não ganha peso Cansaço em atividades de forma adequada;físicas e dificuldade em acompanhar o ritmo Infecções respiratórias dos• amigos; não cresce e não ganha com peso de frequência; forma adequada; infecções respiratórias com frequência; lábios • Lábios roxos e a pele mais roxos e a pele mais pálida quando pálida quando brinca muito; brinca muito; coração com ritmo • Coração com ritmo acelerado (taquicardia). acelerado (taquicardia).

4

Ed. 2 - ano II - mai/jun 2013

Cidade Saúde

Entrevista

Café da manhã é fundamental para crescer com saúde
A vida corrida, o sedentarismo e a mudança de hábitos alimentares de crianças e adolescentes têm preocupado cada vez mais pais, educadores e, principalmente, médicos. Pesquisa realizada pela Universidade Estadual Paulista, com cerca de mil crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos, mostra que apenas 47,5% dos meninos e 45,3% das meninas tomam café da manhã diariamente. Os resultados? Crianças que pulam a refeição apresentavam aumento de aproximadamente 2,5% na taxa de glicose, 3,6% na de triglicérides e de 4,4% na de colesterol. A substituição de hábitos cotidianos, como passar horas no computador ou jogando videogame, e, consequentemente, o aumento do sedentarismo, têm favorecido o cresimento de doenças que antes estavam ligadas aos adultos. A seguir, confira a entrevista do Dr. Américo Tângari, Cardiologista da Beneficência. peso pode levar também a diabetes, hipertensão e doenças cardiológicas em geral. Segundo o Ministério da Saúde, o excesso de peso entre crianças de 5 a 9 anos é preocupante: 35% dos meninos e 32% das meninas estão acima do peso. Se considerarmos a média do hábito alimentar no Brasil, quais as carências mais preocupantes? O Brasil é o maior produtor de alimentos naturais do mundo e, teoricamente, não deveria haver carência nutricional alguma. Por exemplo, há alguns anos o tradicional arroz e feijão estava presente diariamente na mesa de todas as famílias. Hoje, não mais! Essa nova realidade está diretamente ligada aos novos hábitos. Ao invés de buscar uma variedade alimentar saudável, o brasileiro consome cada vez mais gorduras e açúcares. Por isso, é muito importante ter uma alimentação que não se baseie em alimentos industrializados, e que seja diversificada ao máximo, dando atenção especial às frutas, legumes, verduras e cereais.
Giovanna Zanaroli Shutterstock

Dr. Américo Tângari Jr. Cardiologista da Beneficência

cardápio
por Simone Spadaro M. de Freitas

dica de

Nutricionista do Hospital São José

Qual a relação da modernidade com a má alimentação? Em si, a modernidade não deveria ser uma vilã, mas no Brasil ocasionou um efeito colateral. Insistimos em adotar padrões estrangeiros, como o fast food, que disseminam uma cultura de mais por menos, ou seja, mais quantidade por menos nutrientes, o que gerou uma epidemia de obesidade infantil e adolescente. Quais as maiores consequências desse hábito para essas crianças? Podemos comparar o nosso corpo a uma máquina e, por isso, devemos mantê-lo sempre abastecido. Ao considerar que a última refeição foi realizada no dia anterior, o café da manhã torna-se essencial para que o organismo tenha a energia necessária para começar o dia. O que temos percebido é que essas mudanças na alimentação no curto prazo podem causar irritabilidade, déficit na aprendizagem e, no médio e longo prazos, gerar obesidade. Estar acima do

MENU Opção 1
• 200 ml de leite semidesnatado ou 1 fatia (20g) queijo minas; • 1/2 xícara de cereais ou 3 biscoitos salgados; • 2 fatias de pão de forma com 1 colher de sopa de margarina (20 g) ou 4 biscoitos cream cracker; • 1 fatia de mamão (maçã ou banana).

Opção 2
• 200 ml leite integral; • 2 fatias de pão de forma integral com 1 fatia de peito de peru (20 gramas) ou 1 fatia de bolo de chocolate simples (30 gramas); • 200 ml de suco de laranja pêra.

Opção 3
• 200 ml de vitamina de fruta (com 200 ml leite integral); • 1 fatia de bolo de laranja, 3 biscoitos salgados ou 1 fatia de pão de forma integral com 1 colher de sopa de geleia de morango (20g); • 1 unidade de banana prata, 1 laranja pêra ou 6 unidades de morango.

Fique atento!
De acordo com a Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), cerca de 3,5 milhões (5%) de crianças e adolescentes do País são portadores de pressão alta. A obesidade infantil é o principal fator de risco para desenvolver a patologia nos pequenos.

Shutterstock

5

Ed. 2 - ano II - mai/jun 2013

Cidade Saúde

Obras em destaque
Fernando Favoretto

Divirta-se

Atrações em São Paulo
Se você acha que para aproveitar as programações de cultura e lazer que São Paulo oferece é preciso gastar muito, está enganado. Em diversos museus da Cidade, há dias da semana nos quais a entrada é gratuita. Conheça alguns lugares: MASP (Museu de Arte de São Paulo) Às terças-feiras Avenida Paulista, 1578 Bela Vista (11) 3251-5644 Museu do Futebol Às quintas-feiras Praça Charles Miller, S/N - Estádio do Pacaembu (11) 3664-3848 Pinacoteca do Estado de São Paulo Aos sábados Praça da Luz, 2 – Luz (11) 3324-1000 MAM (Museu de Arte Moderna) Aos domingos Parque do Ibirapuera, Portão 3 (11) 5085-1300 Museu de Arte Sacra Aos sábados Av. Tiradentes, 676 - Luz (Estação Tiradentes do Metrô) (11) 3326-5393/1373

Portaria

Portaria e recepção dos blocos III, IV e V
Com o intuito de ampliar e modernizar a principal entrada da Beneficência, a portaria da Rua Maestro Cardim foi reformada e passa a atender aos padrões de acessibilidade para pessoas com deficiência, incluindo a rampa e os corrimãos de segurança. Em continuidade, estão sendo finalizadas as obras para a ampliação do saguão de entrada dos blocos III, IV e V. As mudanças prevêem a implementação do controle de acesso e a modernização das áreas de atendimento. A primeira etapa, que contempla a nova Recepção, a Internação, a Hospitalidade e o Caixa, está em fase de finalização. Em seguida, será criado um novo espaço para os Associados.

Hemodinâmica
Considerada a maior do Brasil, de março de 2012 a março de 2013, a Hemodinâmica da Beneficência passou por melhorias significativas. Para evitar interrupções no atendimento, a reforma desse setor foi realizada por etapas. Foram construídas duas novas recepções, com consultórios para triagem e vestiários para Pacientes, novos postos de enfermagem e áreas de apoio. As salas de exames receberam equipamentos modernos e passaram a contar com acesso restrito, com novos vestiários e farmácia, garantindo mais conforto às equipes e mais agilidade nos procedimentos realizados. As áreas de repouso também passaram por completa reestruturação, com destaque para as áreas de acomodação dos Pacientes, onde todas as macas foram substituídas por equipamentos modernos e muito mais confortáveis.

VOCÊ

A PERGUNT

Estou sempre insegura, pois tenho prolapso mitral e o médico diz que não é grave, mas tenho arritmia cardíaca a ponto de já ter sido internada. Tomo os medicamentos Ritmonorm e Inderal. Gostaria saberda se é Pergunta da Maria da Penha Pergunta da de Maria Penha normal arritmia em casos como o meu. Obrigada! Nubia Cornachioni - São Carlos/SP

Dúvidas sobre a saúde do coração? No site da campanha Seu Coração (www.seucoracao.com.br), você pode enviá-las à nossa equipe de cardiologia e, a cada edição, uma pergunta é selecionada para essa seção:

Nubia, O prolapso da valva mitral é uma alteração anatômica que, na maioria das vezes, transcorre sem grandes complicações, mas que pode variar desde um comprometimento leve, até alterações degenerativas mais graves. Geralmente, o prolapso da valva mitral causa arritmias leves. Entende-se como arritmia todo batimento fora do ciclo cardíaco normal. Na cardiologia, há vários tipos de arritmias com diferentes tipos de causas e tratamentos. O ideal, no seu caso, seria consultar um cardiologista com os exames realizados até o momento para que possa ser identificado qual tipo de arritmia que gera toda a sua angústia. Nome do o especialista Nome do especialista
Dr. Marcelo Sobral - Cirurgião Cardíaco

6

Ed. 2 - ano II - mai/jun 2013

Cidade Saúde

Crônica

Coração

de

Augusto dos Santos

por Dra. Viviane Cordeiro Veiga

mulher
acidente vascular cerebral (o popular “derrame cerebral”). Por isso, devemos estabelecer meta ZERO para o cigarro. Além disso, o colesterol e o diabetes também devem ser controlados por meio de uma dieta saudável. Por vezes, é necessário associar medicamentos para garantir o controle adequado dessas situações. Ufa! Parece tão difícil lembrar-se de tantas recomendações. Mas, o melhor a fazer, são pequenas transformações no cotidiano para que os hábitos saudáveis tornem-se rotineiros. E para as Coras, Suelys, Anas, Marias, Beneditas, mulheres vitoriosas, pessoal e profissionalmente, este é só mais um desafio dos tantos que enfrentam diariamente. Como dizia Cora Coralina, passar a vida “quebrando pedras e plantando flores...”, pode tornar mais florido o caminho de todos nós.

Médica Assistente da UTI Neurológica e Coordenadora do Grupo PCR (Time de Resposta Rápida) da Beneficência. Recentemente, defendeu sua tese de doutorado na Unicamp

Quando se escreve sobre mulheres penso em duas referências: Cora Coralina, uma mulher à frente do seu tempo, que na década de 60, aos 75 anos, publicou seu primeiro livro; e em minha mãe, grande fonte de inspiração e um retrato da mulher do século XXI, que se desdobra em sua dupla jornada, ou melhor, múltiplas jornadas: o cuidado com a casa, a família, o marido, os filhos, o escritório... Todas realizadas com muito amor. Mas, com tudo isso, vem também os grandes males da modernidade: o estresse e a falta de tempo. O desafio é como conciliar todas estas tarefas e ainda cuidar da saúde. Esta é uma batalha a ser vencida diariamente. A começar pela alimentação. Garantir uma alimentação equilibrada é fundamental, de preferência associada à atividade física, assim como um acompanhamento médico para garantir que se faça um programa de exercícios adequado à sua condição física. Também não podemos esquecer do cigarro, um grande vilão, a quem não devemos dar trégua. Além de ser um desencadeador de problemas pulmonares e diversos tipos de câncer, ataca o coração de forma silenciosa. Quando percebemos, pode ser tarde demais, ele pode provocar infarto do miocárdio ou

e pedi “Fechei os olhos leve o: nt um favor ao ve ecessário. tudo que for desn gagens ba Ando cansada de ra frente pa ui aq pesadas... D e couber no levo apenas o qu o.” bolso e no coraçã Cora Coralina

7

Ed. 2 - ano II - mai/jun 2013

Cidade Saúde

Serviços

Conte com os nossos especialistas
Os profissionais da Beneficência estão à disposição para atendê-lo. Confira a lista de contatos dos profissionais que colaboraram para essa edição:
Prof. Dr. Prof. Alberto Croci Ortopedista (11) 3505-5278/5279 Dr. Américo Tângari Junior Cardiologista clínico (11) 3262-1915 Dr. Ben-Hur Ferraz Neto Hepatologista do Instituto do Fígado (11) 3505-6656/6555 Dra. Lilian Lopes Cardiologista especializada em ecocardiografia fetal, pediátrica e materna (11) 3505-4000 Dr. Marcelo Sobral Cirurgião Cardíaco Equipe Prof. Dr. Noedir Stolf (11) 3505-5262/5263 Dr. Ricardo Freire Ginecologista e obstetra (11) 3889-0111 Dr. Victor Luiz Santos Haddad Cardiologista clínico (11) 3287-9430 Dra. Viviane Cordeiro Veiga Cardiologista clínica (11) 3286-0525 Ceap - Centro de Estudos e Assistência em Psicologia Hospitalar (11) 3505-6060/6061

Para realizar exames ou consultas com outros especialistas, entre em contato pelos telefones:
Beneficência Portuguesa • 3505-4000 Hospital São José • 3505-5000 Seg. a Sexta 7h às 21h Sábados 7h às 19h

Expediente
Jornal Cidade Saúde - edição 2 - ano II Conselho editorial: Gilmar Marques, Sandra Bichuette e Sula Zaleski / E-mail: comunicacao@bpsp.org.br Realização: Cobram / Direção de Conteúdo: Andréia Porto / Edição: Renata Garzon Redação: Patrícia Peniche e Mayra Bortone / Direção de arte: Rodrigo Dorini / Design: Diego Barbosa Jornalista Responsável: Renata Garzon (MTB 39.283)

8

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful