Você está na página 1de 3

QUEM ÉS TU, SENHOR?

Atc. 9, 1-19

1. Paulo fica “apanhado” por Cristo

Por volta dos 28 anos, houve um acontecimento que revolucionou completamente a vida de Paulo.
Deu-se pela estrada de Damasco.
Saíra de Jerusalém com cartas do Sinédrio na mão. Tinha a liderança da perseguição dos cristãos da
comunidade de Damasco. Mais ou menos 200km de distância de Jerusalém. Uma viagem de sete
dias.

Estava disposto a percorrer os quilómetros que fosse preciso, com tal de acabar completamente com
a “seita” dos cristãos.
Afinal, é Paulo quem fica “apanhado”. É-lhe atirado o laço. Caiu por terra. E ouviu uma voz:
“Saulo, Saulo porque me persegues? Ele perguntou: Quem és Tu, Senhor? E a resposta: Eu sou
Jesus, a quem tu persegues?” (At. 9, 4-5).

Neste encontro misterioso a caminho de Damasco, Saulo experimenta que, afinal, o cristianismo
não é uma seita. Não é uma mera filosofia. É uma Pessoa. Alguém que tinha sido morto pelos seus
concidadãos. E que agora vive. Afinal, Jesus de Nazaré, o filho de Maria, é Filho de Deus. È essa
Pessoa de Jesus Ressuscitado que vai fazer mudar a vida de Paulo.

A partir de então para Paulo, viver é Cristo. O seu grande desejo é conhecer e amar cada vez mais
Cristo. Esta é a razão da sua vida. Começa nele um processo de “cristificação” que o vai
acompanhar até ao fim da sua existência. Um processo que se desencadeou a caminho de Damasco,
aos 28 anos. E irá terminar a caminho de Roma, com o martírio, pelos 62 anos.

2. Quem és Tu, Senhor?

A esta pergunta Paulo encontra estas duas respostas:


- Eu sou Jesus a quem tu persegues
- Eu sou aquele que se entregou por ti

a) Eu sou Jesus a quem tu persegues (At. 9, 4-5)

Paulo descobre que Cristo se identifica com o cristão. Ele é a Cabeça do Corpo que é a Igreja.
Compreende que não pode amar Cristo e perseguir os cristãos. Por isso, a sua paixão por Cristo
converte-se em entrega à Igreja.
Como Paulo, também eu não posso dizer: amo Cristo mas não quero nada com padres, com grupos,
com Igreja…
A Igreja é Corpo de Cristo. E cada um de nós é membro desse Corpo (cfr. 1 Cor. 6, 15; 12,27; Rom.
12,6).

b) Jesus é Aquele que se entregou por mim (Gal. 2,20)

Segundo o livro do Levítico, o parente mais próximo pode pagar o resgate para libertar da
escravidão o seu familiar (cfr. Lv.25, 35-55).
No cativeiro nasce a esperança que Deus vai pagar o resgate de Israel. Ele enviará o seu Servo que
se entregará a si mesmo como resgate do seu povo (cfr. Is. 53, 1-12).
Paulo compreende que Jesus é o parente mais próximo, é o Servo de Deus que se entregou a si
mesmo como resgate.
Jesus é o Primogénito de uma multidão de irmãos. É Aquele que não se envergonha de nos chamar
irmãos (Hb.1,11).
Paulo, antes de Damasco considerava-se o dono da sua vida. Agora, entrega as chaves da sua
existência a Cristo. O cidadão romano, o homem livre faz-se escravo de Cristo (Rm. 1,1; Gal. 1,10).
Pertence ao Senhor (Rom. 14,8).
E acredita que nada nem ninguém poderão jamais separá-lo de Cristo.
Por isso, ele canta no seu hino ao amor de Deus:

Quem nos separará do amor de Cristo?


A tribulação, a angústia, a perseguição, a fome, a nudez, o perigo, a espada? Segundo está escrito:
por tua causa somos postos á morte o dia todo, somos considerados como ovelhas destinadas ao
matadouro.
Mas em tudo isto somos mais que vencedores, graças àquele que nos amou.
Estou convencido que nem a morte nem a vida, nem os anjos nem os principados, nem o presente
nem o futuro, nem os poderes nem a altura, nem a profundeza, nem qualquer outra criatura poderá
nos separar do amor de deus manifestado em Cristo Jesus, nosso Senhor (Rom. 8, 31-39).

Se Cristo me amou e se entregou a si mesmo por mim, eu também amá-Lo-ei e entregarei a minha
vida pelos irmãos.

Para Reflexão Pessoal: Quem és Tu, Senhor?

1. Lê e medita algumas das seguintes passagens bíblicas e escreve alguns pensamentos que mais te
tenham tocado.

At. 9, 1-19
Gal. 2,20
Rom. 8, 31-39

2. Já te sentiste “apanhado” por Cristo alguma vez? Podes descrever esse encontro forte que tiveste
com Cristo?

3. Medita neste pensamento que S. Daniel Comboni escreveu para os jovens que desejavam ser
missionários:

Terão sempre os olhos fixos em Jesus Cristo, amando-O ternamente e procurando entender cada
vez melhor o que significa um Deus morto na cruz pela salvação das almas.
Se com viva fé contemplam e saboreiam u mistério de tão grande amor, serão felizes por se
oferecerem e perderem tudo e morrer com Ele e por Ele. Ao separarem-se da família e do mundo,
deram apenas o primeiro passo: procurarão ir cada vez mais longe, até consumarem o seu
holocausto, renunciando a todo o afecto terreno, habituando-se a prescindir das suas comodidades,
dos seus pequenos interesses da sua opinião e de tudo o que lhes diz respeito, pois até um ténue fio
que permaneça pode impedir uma alma generosa de se elevar até Deus (E.2271-2272).
PARA TRABALHO DE GRUPOS: Quem és Tu, Senhor?
Cada grupo procura a resposta que Jesus dá nos Evangelhos:

Grupo1
Eu sou……………………………Jo. 8, 12 (luz do mundo)
Eu sou……………………………Jo. 10,11 (bom pastor)

Grupo 2
Eu sou……………………………………Jo. 15,5
Eu sou…………………………………….Jo. 18,37

Grupo 3
Eu sou……………………………………Jo. 14,6
Eu sou……………………………………Jo. 13,14

Grupo 4
Eu sou……………………………………..Jo. 6, 34
Eu sou……………………………………..Jo.11, 25

Já experimentaste alguma vez estes atributos de Jesus na tua vida?

O grupo procura exprimir em três cartolinas os três títulos de Jesus.