Você está na página 1de 4

Atrito

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Ir para: navegação, pesquisa

O atrito resulta da interacção entre dois corpos

Em física, o atrito é uma força natural que atua apenas quando um objecto está em
contacto com outro e sofre a ação de outra força que tende a colocá-lo em movimento.
Esta força é causada pelo contacto dos dois corpos ou meio em que se move o corpo em
movimento - neste caso especial, designado por viscosidade.

O atrito com uma superfície depende da Força Normal entre o objeto e a superfície;
quanto maior for a Força Normal maior será o atrito. Passar um dedo pelo tampo de
uma mesa pode ser usado como exemplo prático: se se pressionar com força o dedo, o
atrito aumenta e o dedo pára.

Embora se oponham ao sentido do deslizamento entre as superfícies de contato, todas as


formas de transporte que se deslocam sobre rodas não poderiam mover-se sem o atrito:
é o atrito entre as rodas e o solo que permite às primeiras agarrarem-se ao solo,
produzindo movimento pela troca de forças.Assim, a força de atrito pode assumir
características de força motora,quando a sua ação proporciona o movimento de
translação do corpo em relação a superfície, quanto de força resistente quando atua de
modo a se opor ao movimento relativo das superfíces de contato. Pode parecer estranho
afirmar que nenhuma força é precisa para manter um corpo em movimento quando um
avião a jato se desloca a uma velocidade constante utilizando os seus poderosos
motores. A razão é que a força dos motores que impelem o avião para frente é igualada
pelo atrito com o ar através do qual o avião se movimenta; as duas forças equilibram-se
de tal modo que nenhuma atua sobre o avião e ele, portanto continua a mover-se com
uma velocidade constante. Ao aumentar o poder dos motores, o avião mover-se-á mais
depressa, até que o atrito aumente de modo a corresponder à força desejada, movendo-
se então, a uma maior mas constante velocidade.

Índice
[esconder]

• 1 Coeficiente de atrito
• 2 Atrito dinâmico
• 3 Atrito estático
• 4 Alguns Casos de Atrito
o 4.1 Rolha de champanhe
o 4.2 Atrito no plano inclinado

• 5 Ver também

[editar] Coeficiente de atrito


Demonstra o grau de rugosidade entre dois corpos. Trata-se de uma grandeza
adimensional, ou seja, não apresenta unidade. Pode ser diferenciado em dinâmico, ou
estático, de acordo com a situação que se encontra o sistema:

• Coeficiente de atrito dinâmico: presente a partir do momento que o corpo efetua


deslocamento. Representado por .
• Coeficiente de atrito estático: presente quando o corpo se encontra na iminência
do movimento, ou seja, no princípio da atuação da força externa. Para efeito de
diferenciação, é representado por .

A associação dos módulos de cada um implica que o coeficiente de atrito dinâmico será
menor ou igual ao coeficiente de atrito estático:

[editar] Atrito dinâmico


Chama-se de força de atrito dinâmico a força que surge entre as as superfícies que
apresentam movimento relativo. A força de atrito dinâmico se opõe a este deslizamento
entre as superfícies, não necessáriamente oposta ao movimento do corpo. Por exemplo:
Quando um caixote está deslizando sobre uma superfície horizontal para a direita, a
força de atrito dinâmico estará aplicada na superficie de contato do caixote e a
superfície de apoio paralelamente a superfície e apontando para a esquerda.

Outro exemplo é quando um carro está se movimentando em uma estrada e decide frear
bruscamente, de modo que as rodas são travadas. O carro irá parar por causa da força de
atrito, que atua entre os pneus e o solo, nesse caso contrário ao deslizamento dos pneus
e a pista. Já para o caso de um homem empurrando uma caixa deve-se considerar que:
se a caixa está em repouso enquanto o homem aplica a força, a força de atrito entre a
caixa e o plano de apoio será de atrito estático sendo contrária ao deslizamento da caixa
para frente. Já para os pés do homem, a força de atrito estara atuando no sentido a
impedir o deslizamento dos pés para trás, nesse caso a força de atrito estático está
apontando para frente.

Caso a caixa esteja deslizando, a força de atrito entre a caixa e o plano será dinâmica e
estará se opondo ao deslizamento, que nesse caso coincide com a oposição ao
movimento da caixa. Para o caso dos pés do homem,considerando que mesmo
empurrando a caixa não haja deslizamento em relação à superfície, a força de atrito
continua sendo de caráter estático e nesse caso ela estará apontando para frente, ou seja,
se opondo ao deslizamento dos pés e consequntemente favorável ao movimento do
caixote. Essa força de atrito pode ser calculada pela seguinte expressão:
• Fat = μd.N, onde Fat, medida em Newtons, μd é o coeficiente de atrito dinâmico e
N a força que é normal à direção do movimento (no caso de o corpo estar em um
plano horizontal, tem a mesma intensidade do peso do corpo, ou seja, P = m.g e
N=P somente em um plano horizontal, onde m é a massa do objeto e g é a
aceleração do campo gravitacional no local).

[editar] Atrito estático


Chamamos de força de atrito estático a força que se opõe a deslizamento entre as
superfícies. Por exemplo, podemos citar o deslizamento de uma caixa sobre uma
superfície ou também o atrito entre o pneu de um carro quando este não está se
movendo sobre a superfície. Quando se tenta empurrar uma caixa em repouso em
relação ao solo, nota-se que dependendo da força que é aplicada sobre a caixa, esta não
sai do lugar. Assim, pode-se concluir que há uma força que atua contra o movimento.
Ela é denominada força de atrito estático.Há que se ter cuidado para não relacionar a
força de atrito estático com um corpo necessariamente parado.

Ora, para mover a caixa, se for feita uma força igual ao atrito dinâmico, ela não sairá do
lugar, pois as forças irão se anular. Então, conclue-se com isso que a força de atrito
estático é maior que a de atrito dinâmico. Porém, na maioria dos casos, os seus valores
são tão próximos que podemos considera-las aproximadamente iguais.

• Fat = μe.N (análogo ao atrito dinâmico)

[editar] Alguns Casos de Atrito


Em alguns casos, como exercícios de vestibulares, é necessário calcular a força de atrito
em situações especiais. Observe a seguir alguns exemplos:

[editar] Rolha de champanhe

Nesse exemplo, para acharmos a força que o atrito exerce na rolha sobre a boca da
garrafa de vidro quando se tenta praticar a soltura da rolha de cortiça, precisamos antes
achar a área de contato entre a rolha e o bocal. Após obtermos esse dado por contas
matemáticas (superfície interna de um cilindro), é preciso achar também a pressão
exercida pela rolha no bocal. A pressão da rolha atua como a Força Normal sob a área
de contato, e, sabendo essas duas informações e possuindo os coeficientes de atrito,
basta utilizar a fórmula para obter a Força de Atrito quando se tenta abrir tal garrafa.

[editar] Atrito no plano inclinado

Quando um corpo está sobre um plano inclinado e sob ação exclusiva da gravidade, a
intensidade da Força Normal que utiliza-se para calcular a Força de Atrito corresponde à
componente perpendicular ao plano de contato, que pode ser calculada segundo a
expressão:

, onde θ é o ângulo de inclinação em relação à


horizontal.Vale ressaltar que quando se trata de um plano inclinado, o ângulo
formado pelo plano inclinado e a horizontal corresponde ao ângulo formado pelo
peso do corpo sobre o plano e a sua componente perpendicular ao plano
inclinado, rotineiramente chamada de Py. Nesse circunstância, a força de atrito
que atuará sobre o corpo irá se opor ao deslizamento para baixo e, portanto,
estará orientada paralelamente ao plano para cima.

A direção do atrito é sempre perpendicular à reta tangente à circunferência no ponto em


que o carro se encontra e o sentido aponta para o centro. Para calcular a Intensidade do
Atrito usa-se a seguinte fórmula, desde que esteja-se em Movimento Circular Uniforme:

Fat = Massa do Automóvel Aceleração centrípeta.

a formula geral, que mede o atrito de uma superfície é: .m = g.sen θ