Você está na página 1de 7

O que é conta salário? Você sabe?

Resolvemos publicar esse artigo para levar esclarecimentos a todos os servidores públicos que recebem seus salários em conta-salário ou conta-registro e que vem sofrendo cobranças de taxas por parte dos bancos, na maioria das vezes de forma abusiva e ilegal. Esse artigo tem objetivo de trazer o máximo de informações para que todos fiquem bem informados e se for o caso exigir que parem de ser cobradas essas taxas e inclusive que sejam ressarcidas as que já foram cobradas. Saiba que isso é perfeitamente possível e fácil de conseguir. Não permita ser explorado ou levarem seu dinheiro duramente conquistado, clique no leia mais e saiba tudo sobre conta-salário

Nem toda conta usada para recebimento de salário é uma conta-salário. Se o contrato foi assinado entre o banco e o correntista, mesmo que a pedido da empresa empregadora, trata-se de conta-corrente normal, sujeita à cobrança das tarifas permitidas pela regulamentação em vigor.

A abertura da conta-salário é prerrogativa do empregador e não do empregado. Nessas

contas, o contrato é firmado entre a instituição financeira e a entidade pagadora (empregador), que também é responsável pela identificação dos beneficiários (empregados). No caso da prefeitura Municipal de Juina foi aberta uma conta-salario para todos os servidores públicos municipais no banco Bradesco. Os servidores não foram devidamente esclarecidos sobre essas contas. Portanto, a conta-salário não fica no banco escolhido pelo empregado, mas no banco que o empregador decidiu se relacionar e no qual será depositado o crédito salarial dos empregados. A conta-salário é um tipo de conta destinada ao pagamento de salários, aposentadorias e similares com algumas características especiais. O cliente não assina nenhum contrato de abertura de conta-salário. Isso porque a conta prevê limitações

como a possibilidade de se ter apenas um cartão magnético de débito e efetuar, no máximo, 5 (cinco) saques por evento de crédito, não admitindo outro tipo de depósito além dos créditos da entidade pagadora (empregador) e não ser movimentável por cheques. Qualquer movimentação acima dos limites estabelecidos, a conta deixa de ser conta-salário e o banco poderá cobrar as tarifas mensais normalmente.

LEGISLAÇÃO

A Resolução 3.402/06 concomitante com a Resolução 3.424/06, que dispõe sobre a

prestação de serviços de pagamento de salários, aposentadorias e similares sem cobrança de tarifas, revogou a partir de 02 de abril de 2007 a Resolução 2.718/00.

A Resolução 3.424/06 estabelece que as instituições financeiras estarão obrigadas, na

prestação serviços de pagamento de salários, proventos, soldos, vencimentos, aposentadorias, pensões e similares, a proceder aos respectivos créditos em nome dos

beneficiários mediante utilização de contas não movimentáveis por cheques destinadas ao registro e controle do fluxo de recursos.

A obrigação por parte das instituições financeiras de que trata esta resolução foi

estabelecida a partir de 02 de abril de 2007 somente para os empregados de empresas

que tinham assinado contrato para pagamento de salário a partir de 06 de setembro de

2006.

Para os empregados de empresas que tinham assinado contrato para pagamento de salário até 05 de setembro de 2006, esta obrigação será a partir de 02 de janeiro de

2009.

Considera-se efetivamente implementada a prestação de serviços quando tiver sido processado, pela instituição financeira contratada, o pagamento de, pelo menos, uma folha de salários, proventos, soldos, vencimentos, aposentadorias, pensões ou similares, aos respectivos beneficiários. Conforme a Resolução é vedada a cobrança de tarifas dos beneficiários pelas instituições financeiras, a qualquer título, destinadas ao ressarcimento pela realização dos serviços, devendo ser observadas a legislação específica referente a cada espécie de pagamento e as demais normas aplicáveis. Não é permitida a utilização destas contas para fins de pagamentos a pessoas jurídicas, ou seja, somente as pessoas físicas (trabalhadores) poderão se utilizar deste benefício.

CONTA-SALÁRIO AGORA É CONTA-REGISTRO Com a resolução 3.402 do Banco Central (BC), que cria novas regras para a conta- salário ou conta-registro, seu novo nome, o trabalhador ganha autonomia e segurança. A resolução, que entrou em vigor no dia 2 de abril deste ano, vale para os contratos firmados a partir de setembro do ano passado, entre empresas e bancos, para pagamento de salários. Os contratos firmados anteriormente terão, no caso de companhias privadas, até janeiro de 2009 para se adaptarem às normas. No setor público, até 2012. Uma das vantagens da resolução é que, a partir de agora, o usuário pode receber seus vencimentos no banco de sua preferência e sem custo. Com isso, a concorrência tende a aumentar e as tarifas devem cair. Eventuais transferências também não têm custos.

Isenções

Essas contas são isentas de tarifas, inclusive CPMF, uma vez que servem exclusivamente para crédito de salários, soldos, pensões, aposentadorias ou similares. A medida também garante a abertura da conta-registro aos trabalhadores com restrições no CPF. Cabe ao empregador sua abertura e fechamento com as devidas anuências do contratado. Citemos um exemplo: se as regras da conta-salário já estivessem em vigor quando o trabalhador saiu da empresa, em dezembro, ele não teria sido, surpreendido, em março, com a sua conta ainda ativa e já acumulando saldo devedor. Por que ao deixar o serviço,

o empregado acha que , como a conta tinha sido aberta pela empresa, seria encerrada.

Mas quando vai conferir percebe que o saldo está devedor, dadas as cobranças de taxas

e juros. O cancelamento tem de ser informado pelo usuário, mesmo que por telefone.

Segundo, Antônio Mallet, presidente da Associação de proteção e Assistência aos Direitos da Cidadania e do Consumidor (Apadic), “muitas vezes o consumidor descobre que está devendo no banco só na hora de abrir um crediário”. Por isso, atenção especial na hora de assinar o contrato.

COMO FUNCIONA

A conta-registro se destina exclusivamente ao recebimento de salários soldos vencimentos, aposentadorias, pensões e similares. Não pode ser movimentada por cheque e nem receber depósito sem origem empregatícia. A identificação do beneficiário dos pagamentos é de responsabilidade da entidade pagadora. * O trabalhador não precisa tomar providência alguma para a abertura da conta- salário. A iniciativa deve ser dos bancos, que firmam convênio com o empregador. Eles

têm obrigação de comunicar a abertura da conta ao correntista. A conta salário passa a ser denominada conta-registro.

* O trabalhador tem a opção de receber o salário no banco que preferir, se não quiser aceitar aquele conveniado ao patrão. A transferência do salário deve ser feita sem custos.

* O consumidor pode comunicar abuso ao BC pelo 0800 9792345. É importante que

a reclamação seja detalhada. A instituição traz disponível as tarifas em seu site www.bc.gov.br.

* O correntista prejudicado pela recusa de abertura da conta-registro ou por sua manutenção após o fim do contrato de trabalho poderá entrar com ação de

responsabilidade civil, buscando indenização por dano material e moral. A falta de informação também pode ser alegada por quem tem conta normal.

* A conta-registro é isenta de tarifas nos seguintes casos: fornecimento de cartão

magnético; cinco saques a cada crédito do salário; transferência para outras instituições

financeiras, desde que pelo valor total creditado; duas consultas mensais ao saldo; dois extratos e manutenção da conta mesmo sem movimentação.

* A Medida Provisória 340 estabeleceu alíquota zero para lançamentos a débito

decorrentes de transferência para a conta de depósito, conjunta ou não, de titularidade do mesmo beneficiário.

Conta salário. Um direito do Trabalhador!

1. O que é "conta-salário"?

A "conta-salário" é um tipo especial de conta de registro e controle de fluxo de recursos,

destinada a receber salários, proventos, soldos, vencimentos, aposentadorias, pensões e

similares. A "conta-salário" não admite outro tipo de depósito além dos créditos da entidade pagadora e não é movimentável por cheques. É regulada pela Resolução 3.424 do Conselho Monetário Nacional (CMN), de 21 de dezembro de 2006.

2. Posso abrir uma "conta-salário"? Os bancos são obrigados a abrir "conta-salário"?

A partir de 2 de janeiro de 2009, todo o trabalhador do setor privado tem o direito de

exigir a abertura de conta-salário no banco de sua escolha, não ficando mais obrigado a aceitar o banco no qual a empresa tem convênio. Os bancos também estão obrigados a abrir "conta-salário" para os servidores e empregados públicos, sendo, entretanto, observadas as seguintes condições e prazos específicos para esse caso:

* Para os contratos novos, assim considerados aqueles firmados entre o banco e órgãos do setor público a partir de 21 de dezembro de 2006, a implementação da "conta-

salário" é obrigatória desde 2 de abril de 2007. Entretanto, tal implementação poderá ser postergada para até 2 de janeiro de 2012, se os contratos forem realizados sob as condições estabelecidas pela Lei 8.666, de 21 de junho de 1993 (Lei das Licitações), e também previrem isenção à cobrança de tarifas dos beneficiários para os seguintes

procedimentos:

- transferência, total ou parcial, dos créditos para outras instituições;

- saques, totais ou parciais, dos créditos; e

- fornecimento de cartão magnético e de talonário de cheques para movimentação dos

créditos;

* Para os contratos existentes anteriormente a 21 de dezembro de 2006, a "conta-

salário" deve ser implementada a partir de 2 de janeiro de 2009. Entretanto, os bancos podem adiar essa implementação para até 2 de janeiro de 2012, caso os contratos contenham as mesmas cláusulas contratuais referidas no item anterior, ou venham a ser aditados, com vistas a serem neles incluídas essas mesmas cláusulas até 31 de dezembro de 2008.

3. Qual a vantagem de se ter uma "conta-salário"?

Um benefício trazido pela "conta-salário" é a possibilidade de o empregado transferir o seu salário para outra conta diferente daquela aberta pelo empregador, sem precisar

pagar tarifa por isso. Caso o empregado formalize o pedido no banco contratado pela empresa pagadora, os recursos devem ser transferidos para o banco escolhido pelo empregado, no mesmo dia do crédito, até as 12h. O empregado também pode optar pelo saque dos recursos da própria "conta-salário" ou pela sua transferência para conta- corrente de depósitos aberta no mesmo banco. Outro benefício é a isenção de tarifas sobre essas contas.

4. Quais tarifas não podem ser cobradas sobre a "conta-salário"?

Sobre esse tipo de conta é vedada a cobrança de tarifa nas transferências dos recursos para outra instituição financeira, para crédito à conta de depósito de titularidade do beneficiário, conjunta ou não, desde que esses valores sejam transferidos pelo valor total creditado, admitida a dedução de parcelas de empréstimo, de financiamento ou de arrendamento mercantil, contratados na "conta-salário". Na transferência parcial do crédito para outra instituição financeira pode ser cobrada tarifa, mesmo que seja uma só transferência. Se a transferência for para outra conta na mesma instituição financeira, é vedada a cobrança de tarifa nas transferências pelo valor total ou parcial dos créditos. Também não podem ser cobradas tarifas por:

* fornecimento de cartão magnético, a não ser nos casos de pedidos de reposição

decorrentes de perda, roubo, danificação e outros motivos não imputáveis à instituição

financeira;

* realização de até cinco saques, por evento de crédito;

* acesso a pelo menos duas consultas mensais ao saldo nos terminais de auto- atendimento ou diretamente no guichê de caixa;

* fornecimento, por meio dos terminais de auto-atendimento ou diretamente no guichê de caixa, de pelo menos dois extratos contendo toda a movimentação da conta nos últimos trinta dias;

*

manutenção da conta, inclusive no caso de não haver movimentação.

5.

Posso ter cheque?

Não. A conta salário só pode ser movimentada por meio de cartão magnético (fornecido gratuitamente pelo banco). Ou seja, seu titular não pode passar cheques. Também não pode receber créditos de outras fontes (nem depósitos) a não ser o próprio salário enviado pelo empregador.

Fica restrito a no máximo cinco (5) saques e duas (2) consultas em terminais de auto- atendimento.

O crédito na conta do trabalhador (tanto no próprio banco quanto em outro banco)

deverá ser efetuado na mesma data do débito na conta da empresa empregadora. Não terá direito a cheque especial.

E não pode realizar aplicações financeiras.

6.

Como posso sacar os recursos de minha "conta-salário"?

As condições para a efetivação dos pagamentos aos beneficiários da "conta-salário" devem constar no contrato firmado entre o banco e a entidade pagadora. As normas do Banco Central admitem que os recursos sejam sacados com cartão magnético em terminais de auto-atendimento, diretamente em guichê de caixa, inclusive em ponto de atendimento de correspondente no País, ou por qualquer outro meio previsto no referido contrato.

7. Diárias podem ser pagas por meio de "conta-salário"?

Sim. As "contas-salário" se destinam ao pagamento de salários, proventos, soldos, vencimentos, aposentadorias, pensões e similares. Ou seja, devem ser pagas por meio da “conta-salário” todas as verbas provenientes de remuneração do trabalho prestado, devidas pelo empregador, e que efetivamente transitem em folha de pagamento.

Quais tarifas são gratuitas? Os serviços bancários considerados "essenciais" são gratuitos, observado, em alguns casos, o número de ocorrências (utilização) máximo previsto na regulamentação. Devem ser oferecidos ao consumidor, sem cobrança. Entre eles estão o fornecimento de cartão de débito, o fornecimento de dez folhas de cheque por mês, a compensação de cheques.

De acordo com a Resolução CMN 3.518, de 2007, são os seguintes os "serviços bancários essenciais" a pessoas físicas:

Relativos à conta corrente de depósito à vista:

a.fornecimento de cartão com função débito; b.fornecimento de dez folhas de cheques por mês, desde que o cliente reúna os requisitos para utilização de cheque, conforme a regulamentação em vigor e condições pactuadas; c.fornecimento de segunda via do cartão de débito, exceto nos casos decorrentes de perda, roubo, danificação e outros motivos não imputáveis à instituição emitente; d.realização de até quatro saques, por mês, em guichê de caixa, inclusive por meio de cheque ou de cheque avulso, ou em terminal de auto-atendimento; e.fornecimento de até dois extratos contendo a movimentação do mês por meio de terminal de auto-atendimento; f.realização de consultas mediante utilização da internet; g.realização de duas transferências de recursos entre contas na própria instituição, por mês, em guichê de caixa, em terminal de auto-atendimento e/ou pela internet; h.compensação de cheques; i.fornecimento, até 28 de fevereiro de cada ano, de extrato consolidado, discriminando, mês a mês, as tarifas cobradas no ano anterior.

· relativos à conta de depósito de poupança:

1. fornecimento de cartão com função movimentação;

2. fornecimento de segunda via do cartão com função movimentação, exceto nos casos decorrentes de perda, roubo, danificação e outros motivos não imputáveis à instituição emitente;

4.

realização de até duas transferências para conta de depósitos de mesma titularidade;

5. fornecimento de até dois extratos contendo a movimentação do mês;

6. realização de consultas mediante utilização da internet;

7. fornecimento, até 28 de fevereiro de cada ano, de extrato consolidado, discriminando, mês a mês, as tarifas cobradas no ano anterior.

Nos casos de quitação antecipada de operações de crédito ou de arrendamento mercantil, para os contratos firmados a partir de 10.12.2007, a Resolução CMN 3.516, de 2007, veda a cobrança de tarifa pela liquidação antecipada e estabelece a forma de cálculo do valor presente dos pagamentos previstos. Para os contratos firmados até 9.12.2007, pode ser cobrada tarifa por liquidação antecipada, desde que haja previsão contratual.

6. Os bancos continuam livres para criar qualquer tarifa? Não. A partir de 30 de abril de 2008, na prestação de serviços a pessoas físicas, só poderão ser cobradas tarifas referentes:

1 - aos serviços prioritários (padronizados pelo Banco Central do Brasil);

2 - aos serviços especiais (determinados em outras normas do Banco Central do Brasil e

do Conselho Monetário Nacional, como, por exemplo, a tarifa de administração de contratos do Sistema Financeiro da Habitação, limitada a R$ 25,00 mensais);

3 - a serviços diferenciados, que incluem, entre outros, aqueles vinculados a cartão de

crédito, entrega e coleta de documentos e valores em domicílio. A alteração da lista de

serviços passíveis de cobrança de pessoas físicas depende de deliberação do Conselho Monetário Nacional ou do Banco Central do Brasil (Resolução 3.518 e Circular 3.371).

Ultimas informações

CONTA SALÁRIO

A chamada "conta salário" começou a valer a partir do dia 2 de abril, mas somente para

os contratos de pagamento de salário assinados a partir de 6 de setembro de 2006. Para os contratos assinados anteriormente a essa data, a conta salário valerá a partir de 2

de janeiro de 2009. E para os servidores públicos, somente em 2012.

Esse instrumento permite ao trabalhador do setor privado escolher em qual banco prefere receber seu salário, podendo solicitar ao banco em que a empresa deposita seus vencimentos para transferir à instituição de sua escolha com:

Isenção da Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras (CPMF) sobre a

transferência da conta salário para a conta corrente, para a conta da mesma titularidade, seja no próprio banco ou para outro banco, e Isenção de tarifa na transferência da conta salário para outro banco;

O trabalhador também pode optar por receber o seu salário e movimentá-lo na própria

conta salário. Mas atenção para as seguintes limitações:

A conta salário só pode ser movimentada por meio de cartão magnético (fornecido

gratuitamente pelo banco). Ou seja, seu titular não pode passar cheques Também não pode receber créditos de outras fontes (nem depósitos) a não ser o próprio salário enviado pelo empregador Fica restrito a no máximo cinco (5) saques e duas (2) consultas em terminais de auto-

atendimento

O crédito na conta do trabalhador (tanto no próprio banco quanto em outro banco)

deverá ser efetuado na mesma data do débito na conta da empresa empregadora Não terá direito a cheque especial

E não pode realizar aplicações financeiras

Os prazos para a obrigatoriedade de abertura de conta salário por parte dos bancos, foram regulados pela Resolução 3.424 do Conselho Monetário Nacional (CMN), de 21 de dezembro de 2006:

02.04.2007 - para os contratos de pagamento de salário, assinados pelas empresas com

os bancos, a partir de 6.9.2006;

02.01.2009 - para os contratos de pagamento de salários, assinados pelas empresas com

os bancos, até 5.9.2006;

02.01.2012 - para os Servidores Públicos (Federal, estaduais ou municipais) cujos

contratos de folha de pagamento tenham sido firmados em decorrência de procedimento

realizado pelo Poder Público, nos termos da Lei nº 8.666, de 21.06.1993, que institui normas para licitações e contratos da Administração Pública e estabeleçam vedação à cobrança de tarifas dos beneficiários para, no mínimo, os seguintes serviços:

a) transferência, total ou parcial, dos créditos para outras instituições

b) saques, totais ou parciais, dos créditos

c) fornecimento de cartão magnético e de talonário de cheques para movimentação de

crédito

Confira abaixo alguns serviços isentos na conta salário

Fornecimento de cartão magnético

Cinco saques parciais ou totais, por evento de crédito

Transferência de crédito do salário da conta salário para conta corrente em outro banco

Dois saldos mensais nos terminais de auto-atendimento ou nos guichês

Dois extratos mensais contendo a movimentação dos últimos 30 dias

Manutenção da conta salário

Finalizando, informo que vamos estar disponibilizando na seção ARQUIVOS um formulário para você requerer junto ao gerente do banco que sejam devolvidas todas as taxas e tarifas cobradas indevidamente da sua conta.

Fontes:

http://www.bcb.gov.br/pre/bc_atende/port/servicos5.asp?idPai=portalbcb#5

http://www.guiatrabalhista.com.br/tematicas/contasalario.htm

http://www.endividado.com.br/faq_det.php?id=449