Você está na página 1de 12

As Sete Igrejas do Apocalipse

Jorge Medeiros

Introdução
O estudo do livro apocalipse é um pouco difícil, já que se refere aos
acontecimentos relacionados com o transcurso da história humana, fatos, que pelo
decorrer dos anos, aconteceram e outros que ainda devem acontecer. Outros
complicadores são a linguagem utilizada, o momento histórico, e o contexto no
qual está inserido seu autor. O apocalipse é a revelação que Deus deu a Jesus, e
este manifestou a João por intermédio de um mensageiro ou “Anjo”. Os símbolos
revelam alguns objetivos: evitar as adulterações, exprimir imagens que não
pertencem ao tempo escrito,entre outros.
A palavra apocalipse significa revelação, isto é, visões e profecias sobre o
futuro do mundo e não fim do mundo como pensam alguns. Dentro deste contexto
temos a linguagem utilizada por João, que era Judeu, logo algumas explicações
devem ser feitas, principalmente sobre os números cabalísticos utilizados, como
por exemplo, o 7, 10, 12, 70, 40, etc...
10 significa diversos, 12 representa as doze tribos de Israel, 40 muitos, 7 grande
número ou perfeito, 70 todos ou sempre, por isso que choveu 40 dias e 40 noites
no dilúvio, isto é muitos dias, Moisés ficou 40 anos no deserto ou muitos anos,
Jesus jejuou 40 dias, muitos dias, Paulo levou 39 chibatadas, porque 40 era muito.
Esses números são abundantes no livro profético (ex: 42 meses ou 3anos e meio;
1260 dias também quer dizer 3 anos e meio ou um período bom mas não muito
longo; 144 ou 12 X 12, etc). Por isso sete igrejas, isto é, a totalidade. Não entrarei
a fundo na questão do cumprimento desta ou daquela profecia; não tenho a
pretensão de ser o interpretador oficial do livro das revelações, apesar de conhecer
alguns com muito mais capacidade, como Caibar Schutel, Allan Kardec e outros.
Entrarei no estudo das Sete igrejas do apocalipse, que chamarei das sete
personalidades religiosas, porque traçarei um paralelo que existe entre essas e nós.

Algumas personagens:

JEZABEL
Filha de Etbaal, rei de SIDOM. Acabe se casou com ela e dela teve um
filho chamado Jorão {#1Rs 16.31; 2Rs 3.1; 9.22}. Promoveu o culto a
BAAL, matou os profetas de Javé e obrigou Elias a fugir {#1Rs 18.4-
19.18}. Tomou a vinha de NABOTE para Acabe {#1Rs 21$}. Foi morta 11
anos depois por ordem de Jeú, e os cães comeram a sua carne {#2Rs
9$}. Em #Ap 2.20 Jezabel é o símbolo de alguém que leva as pessoas a
adorarem deuses pagãos.

ANTIPAS - Mártir de Pérgamo {#Ap 2.13}.`Esse Antipas não é o Herodes, é


um personagem que viveu segundo os historiadores em um tempo depois do
Cristo.

BALAÃO - Profeta da cidade de Petor, na MESOPOTÂMIA. Ele abençoou o


povo de Israel, mas depois o levou ao pecado {#Nm 22.5-24.25; 31.8,16; 2Pe
2.15; Jd 1.11}.

BALAQUE - Rei de Moabe que contratou Balaão para que amaldiçoasse os


israelitas {#Nm 22$-24$}.

DAVI [Amado] - O segundo rei do reino unido de Israel. Ele reinou de 1010 a
970 a.C. Tomou Jerusalém e a tornou a capital religiosa do reino. Levou a arca
para lá {#2Sm 6$} e organizou os serviços de adoração {#1Cr 15$-16$}. Ampliou
o reino {#2Sm 8$; 10$; 12$} e ajuntou materiais para a construção do TEMPLO
{#1Cr 22}. Foi governador, guerreiro, músico e poeta. E foi um dos antepassados
de Jesus {#Mt 1.1}. V. SAMUEL, SEGUNDO LIVRO DE.

A primeira personalidade religiosa

À igreja de Éfeso
1A o anjo da igreja em Éfeso escreve: Estas coisas diz aquele que conserva na mão direita as
sete estrelas e que anda no meio dos sete candeeiros de ouro:
2 Conheço as tuas obras, tanto o teu labor como a tua perseverança, e que não podes suportar
homens maus, e que puseste à prova os que a si mesmos se declaram apóstolos e não são, e os
achaste mentirosos;
3 e tens perseverança, e suportaste provas por causa do meu nome, e não te deixaste
esmorecer.
4 Tenho, porém, contra ti que abandonaste o teu primeiro amor.
5 Lembra-te, pois, de onde caíste, arrepende-te e volta à prática das primeiras obras; e, se não,
venho a ti e moverei do seu lugar o teu candeeiro, caso não te arrependas.
6 Tens, contudo, a teu favor que odeias as obras dos nicolaítas, as quais eu também odeio.
7Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao vencedor, dar-lhe-ei que se
alimente da árvore da vida que se encontra no paraíso de Deus. Ap. 2 1 a 7.

O anjo ou mensageiro envia a mensagem de Jesus para todas as


congregações da Ásia Menor, simbolizando todas as congregações. Essas
igrejas formavam um semicírculo junto de Éfeso, a cidade principal,
onde esteve Paulo, e onde morou João com Maria mãe de Jesus. Essa
cidade era uma das mais idólatras da região.
João começa com uma apresentação da personalidade e estatura
espiritual de Jesus dizendo: “Aquele que tem em sua destra as sete
estrelas e anda sobre os sete castiçais ou candeeiros de ouro”, isto é,
aquele que transita entre os perfeitos ou entre os puros, que tem
autoridade moral.
No versículo 2, apresenta a capacidade espiritual do trabalhador,
afirmando que ele é paciente, não dá abrigo aos maus, evita e trabalha
contra a mentira e é um trabalhador incansável, mas esqueceu o
principal, a caridade primeira. Quando encontramos a Doutrina do Cristo,
nos alegramos, encontramos paz, respostas e quando percebemos que as
coisas não estão de acordo com o que foi estabelecido, nos
transformamos em defensores abertos da codificação vinda de Jesus, que
segundo o Mestre de todos nós, é o certo, pois que ele também não aceita
o erro e a mentira. Se temos conhecimento, temos por dever trabalhar
para que não se destrua o que foi construído com o suor e a vida de
muitos, mas adverte Jesus: Tenho porem contra ti que deixaste a
caridade primitiva! Aí está a pedra de tropeço! Não podemos jamais
deixar de fazer a caridade, não viemos à Terra para sermos os guardiões
da obra dos espíritos pura e simplesmente. O amor ao próximo não deve
ser perdido de vista NUNCA! Todas as advertências devem permanecer
no campo das idéias e com amor, não é questão de dar cestas básicas por
desencargo de consciência, é fazer aos outros o que gostaria que esses
nos fizessem, é ter ternura, instruir, principalmente, pelo exemplo sem se
acovardar; infelizmente, muitos só querem lutar por suas idéias, certas ou
erradas, tomando os outros por inimigos,e fazendo isso, terminam por
sair do caminho traçado pelo Senhor de nossas vidas. Mas Ele disse:
“Lembra, pois, onde caíste, arrepende-te, pratica as obras de antes”, é
só lembrarmos que a batalha é interior e que mais cedo ou mais tarde
todos irão se converter por si próprios, ou não se agaste demais com os
erros alheios, mesmo quando Ele diz: “Detestas as obras dos nicolaítas
como Eu”. Detestas a heresia, a idolatria, a simonia e qualquer obra fora
dos parâmetros religiosos, a exemplo dos palestrantes isso é bom, diz
Jesus, mas não é tudo, quem vencer comerá da arvore da vida, quem
vencer suas dificuldades interiores, combater o mal, lutar pelo seu
próximo com amor e caridade ganhará a vida como ganhou Eurípides
Barsanulfo e muitos outros. Que ouça quem tem ouvidos de ouvir!

Segunda personalidade religiosa

À igreja que está em Esmirna


8 Ao anjo da igreja em Esmirna escreve: Estas coisas diz o primeiro e o último,
que esteve morto e tornou a viver:
9 Conheço a tua tribulação, a tua pobreza (mas tu és rico) e a blasfêmia dos que
a si mesmos se declaram judeus e não são, sendo, antes, sinagoga de Satanás.
10 Não temas as coisas que tens de sofrer. Eis que o diabo está para lançar em
prisão alguns dentre vós, para serdes postos à prova, e tereis tribulação de dez
dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida.
11Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: O vencedor de nenhum
modo sofrerá dano da segunda morte. AP. 2 vv8 a 11.

Jesus é o Cristo antes que houvesse o Mundo, por isso é o primeiro


e o último, o primeiro a chegar e que estará até o fim.
Essa mensagem é para os que passam por dificuldades por servir ao
Mestre, e deixam suas satisfações e realizações pessoais em prol da causa
do bem, fatalmente, sofrendo pela cobrança dos mais covardes que se
sentem incomodados com a fé de quem realiza. Quem é pobre
materialmente e mesmo assim faz a caridade beneficente e a caridade
benevolente, que é a mais importante, ganha muito mais, esses são ricos
do espírito. Essa riqueza e pobreza vão muito além das questões
monetárias. Tem a riqueza aparente, dos detentores de cargos, das
posições em instituições religiosas que desempenham obras aos olhos
vistos, parecendo homens e mulheres caridosos, que oprimem os que
parecem pobres ao mundo, mas Jesus vê tudo isso. A maldade dos
hipócritas atinge os primeiros, mas os elevam pelos sofrimentos e
tribulações que passam. Toda instituição que se diz religiosa, mas faz
obras contrárias a do Cristo, são Sinagogas de satanás, isto é, contra a
moral ensinada pelo Cristo, e contra Deus. Tem como arma a hipocrisia,
a falácia, usa a perseguição, impõe falsas doutrinas para dominar, abusam
do poder econômico, gostam de pompas, usam de tirania e com isso se
afastam de seu objetivo primeiro, instituindo o culto ao bezerro de ouro,
pregando a paz do mar morto ou a paz de pantanal. Os pobres aparentes
nada devem temer, pois que o Senhor é com eles. A massa sempre segue
os que fazem obras faraônicas, grandes festas e trazem de volta o
cabresto que foi dado aos Judeus, aos Cristãos e agora aos espíritas,
afirmando que esses não devem pensar, não podem debater, não podem
evocar os espíritos, só ler ou beber do que eles derem, de preferência os
romances água com açúcar, para que, com seus cérebros atrofiados, não
pensem se essa ou aquela atitude está errada. Sejamos fiéis até a morte!
Q uem trabalhar com o Cristo, não verá em vida o benefício do bem
que pratica, se trabalha verdadeiramente na linha; mas os vencedores
ganharão a coroa da vida, esses dez dias simbolizam os anos que passam,
como as estações do ano parecem demorar no corpo, porém o espírito é
que sabe; suportando não sofrerá o dano da segunda morte, que significa
não sofrer o dano do ressurgimento de novo na carne, como diz o
Espírito de Verdade: “a morte é a ressurreição”, isto é, não terá que
resgatar suas faltas.
Terceira personalidade religiosa

À igreja que está em Pérgamo


12 Ao anjo da igreja em Pérgamo escreve: Estas coisas diz aquele que tem a espada afiada de
dois gumes:
13 Conheço o lugar em que habitas, onde está o trono de Satanás, e que conservas o meu
nome e não negaste a minha fé, ainda nos dias de Antipas, minha testemunha, meu fiel, o qual
foi morto entre vós, onde Satanás habita.
14 Tenho, todavia, contra ti algumas coisas, pois que tens aí os que sustentam a doutrina de
Balaão, o qual ensinava a Balaque a armar ciladas diante dos filhos de Israel para comerem
coisas sacrificadas aos ídolos e praticarem a prostituição.
15 Outrossim, também tu tens os que da mesma forma sustentam a doutrina dos nicolaítas.
16 Portanto, arrepende-te; e, se não, venho a ti sem demora e contra eles pelejarei com a
espada da minha boca.
17 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: Ao vencedor, dar-lhe-ei do maná
escondido, bem como lhe darei uma pedrinha branca, e sobre essa pedrinha escrito um nome
novo, o qual ninguém conhece, exceto aquele que o recebe

A espada de dois gumes é a verdade que pode ferir o ofensor e o


ofendido, justos e maus. A verdade é como a luz, quem dela se aproxima,
não sendo luz, projeta sombra, e quanto mais perto mais acontece, por
isso ela é como uma espada de dois gumes, pois quem pode se dizer
portador da verdade? Quem pode se dizer A VERDADE? Só o Cristo,
sua palavra tem o aval de Deus, e seu testemunho é fiel. Essa mensagem
é enviada para os que vivem em situações adversas na Terra onde a
idolatria habita; trabalham pelo bem, não renegam os ensinos do Cristo,
amam sua doutrina; são aquelas pessoas que acham que o importante é
fazer o bem, não importa como, estando na doutrina do Cristo já é o
suficiente. Mas contra esses que geralmente caem na idolatria de
médiuns, oradores, “santos”, utilizam todas as práticas para sustentar
suas obras, muito em moda em alguns centros espíritas como bingo, rifas,
venda de bebidas alcoólicas, com a desculpa de ser por bom motivo,
fazem da mediunidade um palco, um show para atrair prosélitos, se
preocupando com a quantidade e não com a qualidade, por isso se
prostituem. A prostituição significa a promiscuidade moral, a relação
estreita com as coisas do mundo acima citadas. Não necessitamos nos
prostituir para alcançarmos os objetivos, nem vender nossa alma, isto é,
fazer de tudo para alcançar de um só golpe nossas metas; aprendamos
com a espiritualidade que age naturalmente sem se precipitar. O que
vencer receberá o poder de identificar a “pedra” que é o próprio Cristo, a
pedra angular que foi rejeitada e se tornou a pedra angular da nova era.
Quem tem ouvidos ouça!

Quarta personalidade religiosa

À igreja de Tiatira
18 Ao anjo da igreja em Tiatira escreve: Estas coisas diz o Filho de Deus, que tem os olhos
como chama de fogo e os pés semelhantes ao bronze polido:
19 Conheço as tuas obras, o teu amor, a tua fé, o teu serviço, a tua perseverança e as tuas
últimas obras, mais numerosas do que as primeiras.
20 Tenho, porém, contra ti o tolerares que essa mulher, Jezabel, que a si mesma se declara
profetisa, não somente ensine, mas ainda seduza os meus servos a praticarem a prostituição e a
comerem coisas sacrificadas aos ídolos.
21 Dei-lhe tempo para que se arrependesse; ela, todavia, não quer arrepender-se da sua
prostituição.
22 Eis que a prostro de cama, bem como em grande tribulação os que com ela adulteram, caso
não se arrependam das obras que ela incita.
23 Matarei os seus filhos, e todas as igrejas conhecerão que eu sou aquele que sonda mentes e
corações, e vos darei a cada um segundo as vossas obras.
24 Digo, todavia, a vós outros, os demais de Tiatira, a tantos quantos não têm essa doutrina e
que não conheceram, como eles dizem, as coisas profundas de
25 tão-somente conservai o que tendes, até que eu venha.
26 Ao vencedor, que guardar até ao fim as minhas obras, eu lhe darei autoridade sobre as
nações,
27 e com cetro de ferro as regerá e as reduzirá a pedaços como se fossem objetos de barro;
28 assim como também eu recebi de meu Pai, dar-lhe-ei ainda a estrela da manhã.
29 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas. AP 2 vv18 a 29

Jesus tem os olhos semelhantes a línguas de fogo, pois que penetra


com sua perfeição em todas as coisas. Quem é digno o suficiente para
encarar-lhe olhos nos olhos? Daí vem a expressão olhos semelhantes a
língua de fogo; quem se sentiria à vontade para dar aulas de espiritismo
com Kardec na assembléia? É uma simbologia que representa tal
situação, seu pé é como o bronze incandescente tirado da fornalha, por
imprimir sua marca em tudo que está presente. Se tendes o Cristo, os
frutos são inconfundíveis. Esses têm fé, caridade, paciência e suas obras
têm aumentado visivelmente, com isso têm novas necessidades, novas
prioridades, para isso têm de agradar todo mundo, para sustentar essa
obra maior, ou vendendo livros se for autor, buscando cada vez mais
público, se for orador, ou pior, fazendo acordo com pessoas de reputação
duvidosa, só para sustentar suas obras faraônicas de caridade material,
pois que a espiritual não carece de dinheiro, só de amor. Com a demanda
de público promove a idolatria, a bajulação e a adulação que são as
primas irmãs das manifestações inferiores, mas temos sempre
oportunidade de nos arrependermos e como os de ÉFESO, voltarmos a
caridade primeira. Essas práticas serão abolidas, simbolizadas pelo leito
de dor, e todos que utilizarem desses subterfúgios sofrerão a vergonha
das más obras, já que cada um é dado segundo suas obras.

Quinta personalidade religiosa

À igreja de SARDES

1 Ao anjo da igreja em Sardes escreve: Estas coisas diz aquele que tem os sete Espíritos de Deus e as sete
estrelas: Conheço as tuas obras, que tens nome de que vives e estás morto.
2 Sê vigilante e consolida o resto que estava para morrer, porque não tenho achado íntegras as tuas obras na
presença do meu Deus.
3 Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido, guarda-o e arrepende-te. Porquanto, se não vigiares, virei
como ladrão, e não conhecerás de modo algum em que hora virei contra ti.
4 Tens, contudo, em Sardes, umas poucas pessoas que não contaminaram as suas vestiduras e andarão de
branco junto comigo, pois são dignas.
5 O vencedor será assim vestido de vestiduras brancas, e de modo nenhum apagarei o seu nome do Livro da
Vida; pelo contrário, confessarei o seu nome diante de meu Pai e diante dos seus anjos.
6 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.
Aquele que chegou a condição de penetrar e sentir o amor divino diz:
“Se pensa que vive, mas pratica obras de iniqüidade, está morto”. Viver
com Jesus é amar, é sofrer, é doar sempre, viver do espírito e não da
matéria. Para os que preferem o mundo, que amam os prazeres e a
luxúria do mundo, que são tidos pelos mortos do espírito como vivos,
mas são mortos para Deus, como muitos religiosos que preferem curtir a
vida, não se percebendo que o tempo implacável passa e passa ligeiro,
logo se depararão com a verdade. Primeiro recebem a consolação, a cura
do corpo e do espírito; saciam suas sedes da alma e logo depois se voltam
para o deus da riqueza e da comodidade, abandonando, em parte, seus
trabalhos, alegando dificuldades para se sustentar, educar seus filhos,
consolidar sua educação com mais três ou quatro PÓS-DOUTORADOS,
deixando de viver na íntegra sua tarefa (não que não devemos buscar o
melhor para nós, mas que não devemos eleger essas coisas como
prioridade em nossas vidas), nas vistas do mundo fazem o certo, mas na
de Deus são mortos, e Jesus adverte: “Arrependes, e forje nas massas
infelizes a idéia verdadeira do que é trabalho com o Mestre da Terra, não
dê mais mau exemplo, fortifica os fracos no bem, viva plenamente, pois
que como um ladrão que vem furtivamente, a morte chega, e só restará o
remorso de não ter cumprido a parte que lhe cabe na criação”. Quem
prevalecer sobre o mundo não terá em si as marcas da vergonha interior,
representada pelas vestes, simbolizando seu próprio perispírito reluzente,
e Jesus confessará diante de Deus em favor de suas próximas tribulações
sobre a Terra em novas existências.

Sexta personalidade religiosa

À igreja de Filadélfia
7 Ao anjo da igreja em Filadélfia escreve: Estas coisas diz o santo, o verdadeiro, aquele que
tem a chave de Davi, que abre, e ninguém fechará, e que fecha, e ninguém abrirá:
8 Conheço as tuas obras—eis que tenho posto diante de ti uma porta aberta, a qual ninguém
pode fechar—que tens pouca força, entretanto, guardaste a minha palavra e não negaste o meu
nome.
9 Eis farei que alguns dos que são da sinagoga de Satanás, desses que a si mesmos se
declaram judeus e não são, mas mentem, eis que os farei vir e prostrar-se aos teus pés e
conhecer que eu te amei.
10 Porque guardaste a palavra da minha perseverança, também eu te guardarei da hora da
provação que há de vir sobre o mundo inteiro, para experimentar os que habitam sobre a terra.
11 Venho sem demora. Conserva o que tens, para que ninguém tome a tua coroa.
12 Ao vencedor, fá-lo-ei coluna no santuário do meu Deus, e daí jamais sairá; gravarei
também sobre ele o nome do meu Deus, o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém
que desce do céu, vinda da parte do meu Deus, e o meu novo nome.
13 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.

Jesus tem a chave de todo o conhecimento que a Terra pode suportar e


tudo o que uma criatura suportará, simbolizada pela chave de David que
quando fechada ninguém abre e aberta ninguém fecha, assim foi em toda
história da humanidade, todas as revelação vieram dEle e por seu
intermédio e dos seus enviados. Com o nome FILADÉLFIA, não poderia
encontrar tropeços, pois que significa “amor fraterno” se há esse amor,
não tem como dar errado, seguindo seus ensinos logicamente. Os que
fielmente seguem o caminho reto têm a proteção dos bons espíritos mais
particularmente, já que em sua maioria são perseguidos pelos da
sinagoga de satanás, isto é, os falsos irmãos, ou os que se acham
representantes de Deus, Jesus e do Espiritismo na Terra, mas por suas
próprias obras de discórdias e ensinos errôneos, quem vencer terá o
apoio. Pois o que é o mundo senão motivos para superarmos a matéria?
Se já consegues viver com plenitude o cristianismo, permaneça, para que
o comodismo e os caprichos deste século não roube a coroa que
compraste com vossas boas obras! Poucas casas espíritas não se
deixaram levar pelas novidades que a pseudo-ciência espírita traz. Sê fiel,
diz o Senhor: “Para que se torne coluna do meu templo, para que se torne
baliza para as próximas gerações, o sustentáculo de minha doutrina” Essa
doutrina, que é a Doutrina espírita, deve ser preservada das mazelas
humanas e da força das coisas do mundo. Só quem compreender sua
extensão, seu alcance, sua autoridade e seu ascendente espiritual poderá
trabalhar sério para que não se perca, pois que Ele veio com seu novo
nome.
Sétima personalidade religiosa
À igreja de Laodicéia
Ao anjo da igreja em Laodicéia escreve: Estas coisas diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio
da criação de Deus:
15 Conheço as tuas obras, que nem és frio nem quente. Quem dera fosses frio ou quente!
16 Assim, porque és morno e nem és quente nem frio, estou a ponto de vomitar-te da minha boca;
17 pois dizes: Estou rico e abastado e não preciso de coisa alguma, e nem sabes que tu és infeliz, sim,
miserável, pobre, cego e nu.
18 Aconselho-te que de mim compres ouro refinado pelo fogo para te enriqueceres, vestiduras brancas para te
vestires, a fim de que não seja manifesta a vergonha da tua nudez, e colírio para ungires os olhos, a fim de que
vejas.
19 Eu repreendo e disciplino a quantos amo. Sê, pois, zeloso e arrepende-te.
20 Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei
com ele, e ele, comigo.
21 Ao vencedor, dar-lhe-ei sentar-se comigo no meu trono, assim como também eu venci e me sentei com
meu Pai no seu trono.
22 Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas.

O testemunho de Jesus é verdadeiro. Essa mensagem é para os que


querem agradar a todo o mundo, para aqueles que dizem “eu me dou bem
com todos os pensamentos, sou amigo de todo mundo, gosto de todas as
doutrinas, e isso é bom”, mas a que preço? O que não se faz para ser
convidado para as festas, congressos, seminários e, em muitos casos, com
passagem de graça? A adulação em alguns casos é a arma, tendo que
fazer corte e gracejos a torto e a direito, se fazer de santo, alimentar a
mentira, aceitar despautérios ou “vender a alma”. Esses são os mornos
que Jesus representa. O frio não sabe, não conhece ou não quer nem
saber, não está nem aí para nada, só vive da matéria. Os vivos amam,
servem, devotam suas vidas à prática do bem com sinceridade, não
ensinam o erro, ao contrário, o combatem, mesmo que tenham que sofrer
represálias dos da sinagoga de satanás ou dos poderosos da religião. Os
quentes são fiéis até o fim, por isso é que não se ouve falar deles, porque
a exemplo de João, O batista, não se encontram em palácios, nem
ornados com lindas vestes. Esses sofrem o poder desses bispos
reencarnados que querem reviver de forma velada e mais branda, porém
não menos insidiosa, a inquisição com seus medos e perseguições. Os
mornos, ao contrário, são os políticos, agradam todas as partes, servem
todos os senhores, são ricos do mundo em termos materiais ou temporais,
estão sempre no meio termo, são sempre comedidos, não perdem nunca,
sempre ganham, estão em todas, não se posicionam em suma, estão em
cima do muro, e a esses Jesus diz que é melhor ser ou frio ou quente, mas
por serem mornos serão VOMITADOS. Essa falsa moralidade é que faz
dos homens hipócritas e fingidos. Sobre esses o Mestre chamou: “Raça
de víboras!” Aliada à sede de poder que transforma os indivíduos em
mornos, esses perceberão suas vergonhas mais cedo ou mais tarde, serão
repreendidos pelas próprias consciências e por Jesus que os rebaixará por
amor, não por castigo.

Artigo recebido do autor com autorização de reproduzi-lo