O que é o Washington?

Consenso

de

A expressão Consenso de Washington, chamada também de neoliberalismo, nasceu em 1989, criada pelo economista inglês John Williamson, ex-funcionário do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional (FMI). Numa conferência do Institute for Intemational Economics (IIE), em Washington, Williamson listou políticas que o governo dos Estados Unidos preconizava para a crise econômica dos países da América Latina. Por decisão do Congresso norte-americano, as medidas do Consenso de Washington foram adotadas como imposições na negociação das dívidas externas dos países latinoamericanos. Acabaram se tornando o modelo do FMI e do Banco Mundial para todo o planeta. De outro lado, movimentos nacionalistas e de esquerda criticam essa política e protestam contra sua aplicação. O neoliberalismo prega que o funcionamento da economia deve ser entregue às leis de mercado. Segundo seus defensores, a presença estatal na economia inibe o setor privado e freia o desenvolvimento. Algumas de suas características são: Abertura da economia por meio da liberalização financeira e comercial e da eliminação de barreiras aos investimentos estrangeiros; Amplas privatizações; Redução de subsídios e gastos sociais por parte dos governos; Desregulamentação do mercado de trabalho, para permitir novas formas de contratação que reduzam os custos das empresas. Historicamente, as idéias do neoliberalismo se contrapõem ao keynesianismo – ideário formulado pelo economista John Keynes(1883-1946), dominante no período do pós-guerra,a partir de 1945, que defendia um papel determinante e uma presença ativa do Estado na economia como forma de impulsionar o desenvolvimento.Os mais conhecidos elaboradores do neoliberalismo são os economistas Friedrich Hayek, austríaco, e Milton Friedman, norte-americano, ambos vencedores do Prêmio Nobel de Economia na década de 1970.

Globalização
Outra palavra que passou a designar a atual fase da economia mundial é globalização. A palavra indica que há crescente interdependência entre mercados, governos, empresas e movimentos sociais em nível global. Se é verdade que as economias dos países estão hoje mais integradas do que nunca, o fenômeno em si começou há muito tempo. Os primeiros passos rumo à conformação de um mercado mundial e a uma economia global remontam aos séculos XV e XVI, com a expansão ultramarina européia. Quando Cristóvão Colombo chegou à América, em 1492, deu início ao que alguns historiadores chamam de primeira globalização. O desenvolvimento do mercantilismo estimulou a procura de diferentes rotas comerciais da Europa para a Ásia e a África, cujas riquezas iriam somar-se aos tesouros extraídos das minas de prata e ouro do continente americano. Essas riquezas forneceram a base para a Revolução Industrial no fim do século XVIII. As descobertas científicas e as invenções provocaram enorme expansão dos setores industrializados e ampliaram o mercado para a exportação de produtos.

industriais e financeiras. Esse mecanismo é globalmente usado para cortar gastos com mão-de-obra. no fim do século XIX. a depressão econômica norte-americana teve conseqüências negativas em todo o mundo. que é basicamente o estabelecido pelo Consenso de Washington. A integração acentuou-se a partir dos anos 1990. Não é isso. novas tecnologias e métodos gerenciais promoveriam o aumento geral da produtividade. a miséria cresceu. que irão se reforçar e crescer no século seguinte. A interdependência econômica entre as nações tornou-se mais evidente em 1929: após a quebra da Bolsa de Valores de Nova York. encerrando a produção em países nos quais os salários são maiores para organizar a produção onde há custos menores. O problema é que. Cria-se uma divisão na qual os países ricos concentram as empresas de alta tecnologia. além de muitas vezes penalizar as populações carentes. logo ao sul dos EUA. uma elevação no número de desempregados que não é causada por fatores passageiros (como uma recessão). ocorreu a intensificação do fluxo de capitais entre os países. Com freqüência.nome que se dá ao fechamento de unidades de produção em um local e sua abertura em outra região ou outro país. Quando os países se tornam excessivamente vulneráveis a esses movimentos bruscos de capital. Esse fenômeno influencia no "desemprego estrutural". A busca de maior lucratividade levou as empresas a investir cada vez mais no mercado financeiro. do congelamento de investimentos públicos e da elevação dos juros. Um exemplo são as "maquiladoras". A atual mobilidade do mercado mundial permite que grandes empresas façam relocalizações de fábricas .Começaram a surgir. especialmente no setor de telecomunicações. espalhando pelo resto do mundo as indústrias que exigem grande quantidade de mão-de-obra. Em muitas nações. marco da derrocada dos regimes comunistas na União Soviética e no Leste Europeu. . como mostra o relatório citado sobre a América Latina. o que acelerou em muito o fechamento de negócios. com o simples acesso ao computador de um banco. Com a expansão do comércio. os governos beneficiados ficam obrigados a obedecer ao receituário ditado pela instituição. por força da maior carga tributária. que se vê no mundo. rede mundial de computadores. que se beneficiam dos baixos salários locais. Atualmente. Em contra partida. essas políticas tendem a frear o crescimento econômico. retirar milhões de dólares de nações nas quais vislumbram problemas econômicos. com alto faturamento. ou seja. as reformas neoliberais não trouxeram progresso nem melhoraram a distribuição de renda. os maiores investidores internacionais podem. Nos anos seguintes. voz e imagens) tornaram-se quase instantâneas. Imaginou-se um mundo integrado economicamente e sem fronteiras. mas por motivos estruturais da própria economia mundial. empresas abertas no norte do México. Em 1989 ocorre a queda do Muro de Berlim. porém. o bem-estar dos indivíduos e a redução das desigualdades entre as nações. A internet. Pelas previsões de seus propagandistas. O fim do século XX assiste a um salto nesse processo. Grande parte da recente industrialização da China também ocorre com a abertura de fábricas de multinacionais. que apenas montam uma série de produtos. utilizando trabalhadores que recebem salários bem mais baixos que os pagos no mercado norte-americano. por causa da desativação ou da desaceleração dos investimentos sociais. que se tornou o epicentro da economia globalizada. As trocas de informações (dados. esses países serão integrados ao sistema econômico mundial. as corporações multinacionais. os organismos internacionais como o FMI podem liberar empréstimos para que possam enfrentar a fuga de dólares. por intermédio da revolução tecnológica. A globalização acenou com perspectivas que não se concretizaram. revelou-se a mais inovadora tecnologia de comunicação e informação do planeta.

Nessa região. desde 1981. de 164 milhões para 314 milhões. os países industrializados continuaram prosperando mais que os emergentes. a pobreza cresceu muito nesse período. em 1999 ela passou a ser 74 vezes maior. esse percentual era quase zero. Nos países do Leste Europeu. antes. FONTE: Atualidades Vestibulares – Editora Abril . Se em 1990 a renda média dos 20%mais ricos da economia mundial era 60 vezes maior que a dos 20% mais pobres.Na África Subsaariana (países ao sul do Saara). Na verdade. o número de pessoas na miséria atingiu 6%em 2000. a redução de 13% no PIB per capita fez com que dobrasse o número de pessoas que vivem com menos de 1dólar por dia.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful