Você está na página 1de 1

ESCALAPB PB ESCALACOR COR

Produto: EST_SUPL1 - INFORMATICA - 4 - 20/04/09 L4-L5 - CYANMAGENTAAMARELOPRETO Produto: EST_SUPL1 - INFORMATICA - 4 - 20/04/09 L4-L5 - CYANMAGENTAAMARELOPRETO

%HermesFileInfo:L-4:20090420:

SEGUNDA-FEIRA, 20 DE ABRIL DE 2009 SEGUNDA-FEIRA, 20 DE ABRIL DE 2009


L4 LINK O ESTADO DE S.PAULO O ESTADO DE S. PAULO LINK L5

EXPERIÊNCIAS ESTRANGEIRAS ■■■ Desconstruçãodoespaçoe dotempo, misturadelinguagens,fimdalinearidade,ausênciadeumamensagem fechada:um teatrofeitode partes,comoarealidadedehoje EXPERIÊNCIAS BRASILEIRAS
NELSON KAO/DIVULGAÇÃO

Vida fragmentada do século


21 ganha espelho no teatro

RICARDO FERREIRA/DIVULGAÇÃO
DIVULGAÇÃO
pedeChoqueéumbomexem-
Teatro plo disso. Eles unem compro-
misso social, cultura livre e Texto de peça digital é ‘linkável’
:LUCAS PRETTI tecnologiapara discutir,num
● Grupo - La Fura dels Baus síveisentre homenstendo a in- espetáculo esperado para se- Amelhorformadeexplicaro
●● ● lhade acompanhá-loevê-loreali- ● Grupo - Phila 7 ca)eFoucault(espaçoshetero-
● Origem- Barcelona,Espanha ternet como meio e fim. Usa tembro, a condição do ho- hiperdramaéoexemplodadopelo zandoaçõesextrasàpeçaoriginal ● Origem - São Paulo tópicos). O próximo espetácu-
● Site - www.lafura.com transmissõesaovivocomoele- Asduas principaisbesteirasou- mem no atual sistema capita- autordoconceito,oescritorameri- nobanheiro,na cozinha,noquarto. ● Site - www.gag.art.br lo,sem nome,sebaseianapes-
● Vídeo - tinyurl.com/dlzkw5 mento cênico de grandes pro- vidas quando se fala em teatro lista da informação. canoCharlesDeemer,professorda Quemficassena sala,assistiriaà ● Vídeo - tinyurl.com/cmnkxx quisaDesesperandoGodot,in-
● Pesquisas - É o grupo autor duções e lidera o movimento digital são especulações sobre a A abordagem é tão com- PortlandStateUniversity.Imagine- peçacomoAlbeeapensou. ● Pesquisas - Os espetáculos versão contemporânea do tex-
do Manifesto Binário que deu do novo teatro com as peças “morte” das peças tradicionais plexa que lá se vão três anos mos“QuemtemmedodeVirginia Éaaplicaçãodoconceitodehiper- foram avançando na discus- to de Beckett. Godot chegar ou
origem ao nome “teatro digi- Imperium (foto), Metamorfo- eaironiatípicadospuristas:“Is- de pesquisa no Hospital Psi- Woolf?”,peçade1962deEdward linksaotextodramático.Nãoape- são da presença, sob as teo- não pouco importaria para o
tal”. Investiga as relações pos- sis, XXX, Obit e Naumon. so não é teatro”. Não é mesmo e quiátrico Pinel, em Pirituba, Albee,clássicodorealismonorte- nasvariaaformadecontarahistó- rias de Flusser (imagem técni- mundo conectado de hoje.
nenhum dos envolvidos com es- e na Usina de Compostagem americano.Apeçasepassanacasa riacomoaenriquecee“complexifi-
sa proposta artística sustenta o de São Mateus, na zona leste deGeorgeeMartha,queconvidam ca”,deixandoparaopúblicodiver-
contrário, embora se mante- da capital. O trabalho inclui NickeHoney,outrocasal,e oscolo- sasescolhas.Qualquerumaserá,
nha a tríade atores, público e pacientes do hospital e cata- camemsituaçõesconstrangedo- necessariamente,partedotodo.O
mensagem, que define teorica- dores de lixo num espetáculo ras.Aaçãoéfixadanasaladeestar. exemplonãousouainternet.Imagi-
mente o teatro. que unirá os dois locais pela NaacepçãodeDeemer,apeçapo- neoquefazerquandooespaçofor
“Ainternetdescentralizouos internet e terá uma terceira deriamuitobemserremontada ociberespaço.
meios de produção, abriu a fase versão transmitida online. comumtextohiperdramáticonu- Interessadospodemleraversão
de colaboração e fez explodir a “Estamosdiscutindo a cen-
RICARDO FERREIRA/DIVULGAÇÃO

macasadeverdade.Quandohou- hiperdramáticadeDeemerpara“A
mistura de linguagens em todas tralidade do homem contem- vesseentradaesaídadepersona- Gaivota”,deAntonChekhov,no
as áreas profissionais. Então o porâneo pela desconstrução gensdasala,opúblicoteriaaesco- sitetinyurl.com/dleksd. ● L.P.
quefazemosnãoéteatro.Équal- do espaço. Se há três ações ao AO VIVO, DE LONGE - Cena de 121.023 J, encenada no projeto Teatro Para Alguém, o primeiro virtual do País. A câmera é o olhar do público na internet
quer outra coisa misturada. mesmotempo,nãoháumacen-
Mas isso, na verdade, pouco im- tral.Ésempreparte,nuncato-

JF DIORIO/AE
porta. É fluxo”, afirma o diretor do. Assim processamos as in-

● Grupo - Station House Opera


● Origem - Londres, Inglaterra
● Site- www.stationhouseope-
teumgrupode performers,pa-
ra explorar as relações entre
as pessoas e o meio ambiente
da companhia paulista Phila 7,
Rubens Velloso.
Ele dirige a trupe brasileira
com mais visibilidade entre as in-
teressadas na conversa entre ar-
tes cênicas e tecnologia, com três
formações hoje”, afirma um
dos atores da companhia, Fa-
brício Muriana.
A parte pelo todo é o obje-
to de pesquisa de uma cor-
rente dramatúrgica contem-

O digital traz para as artes a falta de defini-
ção. A tendência é misturar tudo, o que cha-
mamos de sistemas híbridos. A linguagem
● Grupo - II Trupe de Choque
● Origem - São Paulo
● Site - trupedechoque.org
asteoriasdeMarxedaEscolade
Frankfurtaplicadasaocapitalis-
mo da informação. O espetácu-
ra.com – o digital também. Em What’s espetáculos tratados sob a ótica porânea, dedicada à produ- se torna quântica de certa forma, com um ● Pesquisas - Os 26 atores se lo,emsetembro,unirálocaispe-
● Vídeo - tinyurl.com/d2d665 Wrong With the World? (foto), digitaldesde2006:PlayOnEarth, ção de textos hiperdramáti- dividememnúcleosparapesqui- la internet para discutir o “cen-
● Pesquisas - Julian Smith é o rosto projetado de um perso- A Verdade Relativa da Coisa em Si cos. O termo foi cunhado em mesmo signo tendo vários ou nenhum sig- sar tecnologia e vídeo. São qua- tro” das coisas com a pretensão
filha de um geneticista e fun- nagem é formado por dois ato- e What’s Wrong With the World?. 2002 pelo escritor norte- nificado ou função. se três anos de estudos em de fissurar o modelo hegemôni-
douacompanhia,originalmen- res atuando ao mesmo tempo. Em todas houve ação à distância, americano Charles Deemer. áreas periféricas da cidade sob co e alterar mentalidades.
com atores contracenando ao É o texto do teatro digital Lucia Santaella,
mesmo tempo em locais diferen- (leia mais no box ao lado). semioticista autora do livro ‘Cultura e Artes do Pós-Humano’
tes,atépaíses.Afotoaoladoevita Se há a abstração quase to-
muitas linhas de explicação. tallevadaàpráticaporcompa-
OpróximoespetáculodaPhila nhias alternativas, também já TEATRO DIGITAL NA ESTANTE
7,emjulho,pretenderompercom tem gente fazendo teatro pela
o palco italiano e outros cânones internet com uma cara mais
do teatro convencional, como os próxima do público de hoje.
momentos em que começa e ter- O projeto Teatro Para Al-
minaoespetáculoealinearidade, guém, idealizado pela atriz e
que será abandonada. Uma com- diretora Renata Jesion, des-

NELSON KAO/DIVULGAÇÃO
paração feita pelo pesquisador de novembro mantém na in-
Rodolfo Araújo situa o leitor me- ternet produções periódicas
nosacostumadocomperforman- de peças transmitidas ao vi-
REPRODUÇÃO

ces. “Na música eletrônica pouco vo e arquivadas no YouTube.


importaoinícioeofim,nãoéobri- “Os atores interpretam para
gatório dançar e também nin- a câmera, mas na verdade há
guém está interessado numa centenas de pessoas ali
● Quem - Paul Sermon mance que do teatro, mas inspi- ‘mensagem’ fechada.” É o que atrás. Estamos experimen- ● Grupo - Cia. Automecânica montarpeçasetransmiti-laspe-
● Origem - Salford, Inglaterra rou atores e diretores a pesqui- ocorre com esse novo teatro. tando essa nova relação de ● Origem - São Paulo laweb.Osespetáculospassados
● Site - www.hgb-leipzig.de/ sar,nosanos90,apresençadodi- Entãoestamosdiantedeuma presença”, afirma Renata. ● Livro - Hamlet no Holodeck ● Livro - Computers as Theatre ● Site - www.teatroparaal- ficam disponíveis para sempre,
~sermon gitalnavidadaspessoas.Umaca- revolução da forma? Não. O mo- O teatro flexível, palpável ● Autor - Janet Murray ● Autor - Brenda Laurel guem.com.br num banco de dados que se fará
● Vídeo - tinyurl.com/c75bkm ma serve de palco para qualquer dodesefazeréalteradosubstan- aberto, mixável só está come- ● Sobre - A autora teoriza sobre ● Sobre - O livro trata da relação ● Vídeo - tinyurl.com/c5nmxf riquíssimocomotempo.Aprinci-
● Pesquisas - AinstalaçãoTele- um, inclusive atores, interagirem cialmente pela tecnologia, mas çando. Para o público – que já as novas formas de narrativa con- entre o teatro contemporâneo e ● Pesquisas- Acompanhiacon- pal pesquisa é de linguagem e
matic Dreaming, do artista britâ- comprojeçõesdevídeocujasfon- não faz sentido se não estiver re- não é mais apenas público, temporânease a necessidade da osvideogames.Eles sãoexperiên- vida autores contemporâneos, modelo de negócios, que mistu-
nico, está mais perto da perfor- testambémsãoainternet. lacionado ao conteúdo. O traba- mas ator também – sobrou a interrelaçãodas artes. cias dramáticas de certa forma. como Lourenço Mutarelli, para ra TV, teatro, cinema e internet.
lhodacompanhiapaulistaIITru- função de ligar os pontos. ●

ODIÁLOGOTEATRO-TECNOLOGIA
Eletricidade
Encenação hi-tech
Aluzelétricacausoufervornoséculo19.Orecursofoi
muitoaproveitadopelonaturalismo,originouomovi-
nem sempre é digital
mentofuturistamodernoepossibilitouentãoformas
menosfigurativasdearte.FoiquandoEdwardGordonCraigeAdolf Damesmaformaquearelati- Skype não funcionou no dia,
Appiarevolucionaramacenografiacomas“esculturasdeluz”.A vização trazida pelo digital pois o Memorial Oscar Nie-
iluminaçãopassouaserumdospilaresdoabstracionismoteatral. pode ser altamente benéfica meyer não tem rede de internet
para a criatividade e a arte disponível no anfiteatro –, sem
contemporânea sem barrei- nenhum ganho para a história.
A dança de Loïe Fuller ras, é perigoso encará-la co- Era a tecnologia pela tecnolo-
mo uma abertura sem crité- gia, um recurso que poderia ser
Espetáculosdedançadaamericana rios.Nemtudoqueusatecno- substituído criativamente por
derambases,apartirde1890,apes- logia é inovador. Nem todo algo ali fisicamente no palco.
quisasmaisprofundassobreilumi- teatrocomelementos eletrô- OSonodoFaunotambémser-
nação.NascoreografiasdeLoïe,a nicos é digital. vede exemploparaasdificulda-
luzatuavaaoladodabailarina.Ape- Um exemplo claro dessa des técnicas encaradas diaria-
çaOP1,daPhila7,éumareleituradis- confusão ocorreu no Festival mentepeloteatrodigital.Éa mi-
soapartirdacomplexidadecontemporânea. de Curitiba deste ano, um dos noria dos teatros que está equi-
eventos mais influentes do padahojecom a infra-estrutura
País.Umadaspeçasapresenta- necessária para um espetáculo
‘Arte total’ de Wagner das na mostra Fringe, O Sono com internet.
do Fauno, da companhia A precariedade atinge inclu-
Ocompositor alemão Richard Wagner produzia ópe- piauienseOsShakespirados,ti- sive as companhias de pesqui-
ras grandiosas no século 19 e foi um dos primeiros a nha como atração dois atores sa. No Pinel, onde ensaia a II
falar em “arte total” (Gesamtkunstwerk), a origem contracenandoporSkype.Um Trupe de Choque, não há rede
dos movimentos híbridos potencializados de forma gigante pelas delesnoJapão,outronoBrasil. banda larga.Para umespetácu-
novas tecnologias e a internet. O filósofo Friedrich Nietzsche anali- A peça usava palco italia- lo da Phila 7 existir, é preciso
sou todos os movimentos artísticos e a natureza da arte a partir da no e todas as premissas do redededicadaeuma paraferná-
obra de Wagner, no livro O Nascimento da Tragédia. teatro tradicional, mas com lia técnica de câmeras e micro-
texto e proposta cênica inin- fones.Tudoissosignificadinhei-
teligíveis. Um telão no fundo ro, um tema delicado ao teatro,
Contracultura e happening mostrava a gravação do ator cujo fomento estatal está longe
no outro lado do mundo – o do ideal no Brasil. ● L.P.
A contracultura dos anos 1950 e 60 DIVULGAÇÃO
assistiu ao aparecimento do happe-
ning, que mais tarde originaria a per-
formance. Mantém a tríade do tea-
tro(pessoa,texto, público),mas rela-
tiviza o espaço cênico e usa qual-
quer recurso para dar a mensagem.

Avatares
Coma popularização da internet e o desenvolvimen-
to das tecnologias gráficas, apareceu nos anos
2000 o conceito de avatar, a representação virtual
utilizada em jogos e mundos virtuais. Qualquer um no controle de
um avatar está representando,com fins dramáticos ou não. A no-
ção de presença é ampliada, e as artes começam a se valer dela.
DEU SONO - Em Curitiba, encenação por Skype nada teve de inovação