Você está na página 1de 2

O QUE É POESIA?

Trata-se de uma questão para a qual não existe uma resposta única e
definitiva, muito menos satisfatória, pois desde a Antiguidade até nossa época
atual, vários intelectuais e filósofos desenvolveram inúmeras teorias sobre a
sistematização do estudo da Poesia, bem como a sua definição propriamente dita.

Partindo do princípio de que a palavra "poesia" vem do grego poíesis, que


significa ação de fazer, criar alguma coisa, podemos começar pela teoria proposta
pelo filósofo Aristóteles em sua Arte poética. Para ele, a poesia está intimamente
ligada à idéia de imitação, pois esta seria "instintiva no homem, desde a infância",
adquirindo através dela "seus primeiros conhecimentos”.

Ainda, segundo Aristóteles: "sendo o poeta um imitador, como o é o pintor


ou qualquer outro criador de figuras, perante as coisas será induzido a assumir
uma das três maneiras de as imitar: como elas eram ou são, como os outros dizem
que são ou como devem ser, ou como deveriam ser", exprimindo-as "por meio da
elocução, que comporta a glosa, a metáfora e muitas outras modificações dos
termos, visto como as admitimos nos poetas".

Segundo o Dicionário Aurélio, Poesia é: 1. Arte de escrever em verso. 2.


Composição poética de pequena extensão. 3. Entusiasmo criador; inspiração. 4.
Aquilo que desperta o sentimento do belo. 5. O que há de elevado ou comovente
nas pessoas e nas coisas. 6. Encanto, graça, atrativo.

Enquanto expressão artística Poesia é uma forma de linguagem mais


direcionada à imaginação e à sensibilidade do que propriamente ao raciocínio
lógico. Em vez de comunicar principalmente apenas informações objetivas e
precisas, a poesia transmite sobretudo emoções, trabalhando-as e/ou
transfigurando-as através das palavras. As metáforas, a linguagem conotativa (a
abstração, a associação de ideias) são recursos constantes na arte poética.

Quanto às suas origens, no aspecto que a conhecemos hoje, a Poesia surgiu


intimamente ligada à música. A poesia dos aedos gregos e trovadores medievais
promovia a união entre a letra do poema e o som. Ao longo dos anos, este
vínculo foi se intensificando, mas houve uma distinção técnica entre a música
(que passou a ser escrita em pautas) e a poesia que preservou a rítmica
natural, e passou a ser construída por meios gramaticais. Posteriormente, a
poesia ganhou fundamentos e regras próprias.
Existe alguma divergência entre o que significa poema e poesia. Para efeito
geral, considera-se que são sinônimos; mas para a definição acadêmica, poesia
é o gênero de composição poética e poema é a obra deste gênero.
Aprofundando um pouquinho mais: o poema é um objeto empírico e a poesia
é uma substância imaterial – é que o primeiro tem uma existência concreta e a
segunda não. Ou seja: o poema, depois de criado, existe per se, em si mesmo, ao
alcance de qualquer leitor, mas a poesia só existe em outro ser. Em ambos os
casos – poema, resultado do fazer poético e poesia, gênero literário – pelas
simbologias e linguagens próprias podem desdobrar-se em infindáveis
interpretações, tanto para o leitor comum como para os estudiosos do tema.

Quanto ao gênero literário “poesia” em sua expressão é possível encontrar o


uso da rima, bem como a construção em formas determinadas como o soneto, a
trova, o cordel; versos livres (sem métricas e rimas), o haikai, o poetrix (apenas três
versos) etc. Ou a própria desconstrução do texto dando ênfase ao grafismo (como
o poema–visual, a poesia concreta) visando à elaboração de novas linguagens,
tendo como referência uma das das principais características da Poesia: dizer
menos é dizer mais.

Definição de Poesia de acordo com alguns poetas:

Álvaro de Campos (heterônimo de Fernando Pessoa): É isto a poesia: cantar sem


música.

Garcia Lorca: Todas as coisas têm seu mistério, e a poesia é o mistério que todas
as coisas têm.

Jean Cocteau: Sei que a poesia é indispensável, mas não sei a quê.

João Cabral de Melo Neto: A poesia é a linguagem para a sensibilidade.

José Luis Hidalgo: A poesia não é nem pode ser lógica. A raiz da poesia assenta
precisamente no absurdo.

Pablo Neruda: A poesia tem comunicação secreta com o sofrimento do homem.

Robert Frost: é tudo aquilo que ficou para trás na tradução (ou: tudo que não pode
ser traduzido ao pé da letra).

Victor Hugo: A poesia é tudo o que há de íntimo em tudo.

Simônides: A pintura é poesia silenciosa, a poesia é pintura que fala.

T. S. Eliot: Aprendemos o que é poesia lendo poesia.

Pesquisa e texto: Raimundo de Moraes


raimundodemoraes@interpoetica.com