Você está na página 1de 8
UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETROTÉCNICA GERAL (FEELT49041) Lab 7 – MIT

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE ENGENHARIA ELÉTRICA ELETROTÉCNICA GERAL (FEELT49041)

Lab 7 – MIT - Partida Direta e Chave Estrela-Triângulo

(ROTEIRO)

1. Objetivo

Executar a partida de um MIT (Motor de Indução Trifásico) observando-se as dificuldades e as lógicas de funcionamento, bem como apresentar o conceito de selo e monitoramento de tensões e correntes durante os processos de acionamento de motores de indução trifásicos.

2. Partida de Motores de Indução Trifásicos

trifásicos. 2. Partida de Motores de Indução Trifásicos Figura 1 – Diagrama do Selo O contato

Figura 1 – Diagrama do Selo

O contato de selo, contato auxiliar 13-14 do contator K1, nomalmente

aberto (NA) é sempre ligado em paralelo com o contato 1-2 de fechamento

da botoeira S1 (normalmente aberto - NA). Sua finalidade é de manter a

corrente circulando pelo contator, mesmo após o operador ter retirado o

dedo do botão de pulso S1.

2.1 Partida DIRETA de Motores de Indução Trifásicos

No diagrama de força apresentado na Figura 2, as três fases R, S e T são protegidas por três fusíveis, um por fase, sendo ligadas ao contator K1 que está diretamente acoplado ao relé térmico RT1, que interliga os cabos até o motor de indução trifásico.

O diagrama de comando é alimentado pelas fases (R-S) protegidas por dois fusíveis e, logo abaixo, está representado um contato do relé térmico (95/96-RT1) que comanda a interrupção do circuito de força no caso de uma sobrecarga no motor. Assim, a parte lógica do circuito funciona da seguinte maneira:

1. O botão de Impulso S1 (Verde), ao ser pressionado, energiza a bobina A1-A2 do contator K1 que fecha o contator 13-14 de K1, realizando o selo do mesmo e, ao mesmo tempo, alimenta o motor com as três fases R, S e T através dos contatos principais 1-2, 3-4 e5-6 de K1;

2. A lâmpada (SH1) em paralelo à bobina A1-A2 do contator K1 sinaliza o fechamento do contator K1;

3. Ao pressionar o botão de impulso S2 (Preto), a bobina do contator K1 é desenergizada e, dessa forma, o motor é desligado.

a bobina do contator K1 é desenergizada e, dessa forma, o motor é desligado. Figura 2

Figura 2 – Chave de partida Direta

1

Eletrotécnica Geral (FEELT49041) - Lab 7 – MIT: Partida Direta e Chave Estrela-Triângulo

2.2 Partida ESTRELA-TRIÂNGULO de Motores de Indução Trifásicos

Este método de partida consiste na alimentação do motor com uma redução de tensão nas bobinas durante sua partida. O motor parte em estrela, isto é, com uma tensão de 57,7% da tensão nominal e, após certo tempo ajustado, a ligação é convertida em triângulo, aplicando-se a tensão nominal nas bobinas do motor.

Essa chave proporciona uma redução na corrente de partida para aproximadamente 33,3% de seu valor com partida direta.

A chave estrela-triângulo é utilizada, na prática, quase que exclusivamente para partidas de máquinas a vazio, isto é, sem carga. Uma vez que o conjugado de partida é proporcional ao quadrado da tensão de alimentação, teremos um conjugado de mais ou menos 33% do conjugado nominal. Somente depois de ter atingido a tensão nominal é que a carga pode ser aplicada.

atingido a tensão nominal é que a carga pode ser aplicada. Figura 3 – Comportamento da

Figura 3 – Comportamento da corrente de partida.

aplicada. Figura 3 – Comportamento da corrente de partida. Figura 4 – Curva do conjugado em

Figura 4 – Curva do conjugado em função da velocidade.

A velocidade do motor estabiliza-se

quando os conjugados motor e resistente se equilibram, geralmente entre 85% e 95% da velocidade nominal. Aí, então, os enrolamentos são ligados em triângulo e o motor recupera suas características nominais. A passagem da ligação estrela para a ligação em triângulo é controlada por um temporizador, Relé de Tempo. Ao lado, temos um gráfico que mostra o conjugado para esse tipo de partida.

Para ser possível a ligação em estrela- triângulo, os motores devem ter a possibilidade de ligação em dupla tensão (220/380V, 380/660V), os motores devem ter no mínimo seis bornes de ligação e sua tensão menor deverá corresponde-se a tensão de linha da rede de alimentação.

No diagrama do circuito de potência ilustrado na Figura 5 as três fases R, S e T estão protegidas por

três fusíveis, um em cada fase, e alimenta os contatores K1 e K2. Observe que apenas K1 está diretamente acoplado ao relé térmico RT1, que conecta os cabos até o motor. O circuito de comando é alimentado pelas fases (R-S) e, logo abaixo de R, está representado o contato do relé térmico (95/96-RT1) que comanda a interrupção do circuito de potência no caso de sobrecargas no motor. O relé de tempo Estrela-Triângulo K10 controla as aberturas e fechamentos dos contatores K2 e K3 permitindo, dessa forma, realizar a partida do motor de indução trifásico pelo processo estrela-triângulo. Quando o botão pulsador S1 é pressionado, acionam-se o relé de tempo K10 juntamente com o contator K1 que os retém energizados através do seu contato de selo 13-14. O relé de tempo K10 energiza a bobina do contator K3 através de seu contato 15-18, normalmente fechado, durante o tempo pré-determinado para o acionamento do motor com a ligação estrela. O contator K2 é mantido aberto através do contato 21-22 de K3 não sendo possível sua energização acidental. Com os contatores K1 e K3 energizados o motor inicia a sua partida em estrela.

Eletrotécnica Geral (FEELT49041) - Lab 7 – MIT: Partida Direta e Chave Estrela-Triângulo

- Lab 7 – MIT: Partida Direta e Chave Estrela-Triângulo Figura 5 – Diagramas de força
- Lab 7 – MIT: Partida Direta e Chave Estrela-Triângulo Figura 5 – Diagramas de força

Figura 5 – Diagramas de força e de comando da chave de partida estrela-triângulo

Decorrido o tempo que foi ajustado em K10, o contato 15-18 é aberto, desenergizando K3 e fechando seu contato auxiliar 21-22. Decorrido um tempo fixo de 100 ms, o contato 15-28 do relé de tempo K10 se fecha, energizando o contator K2, efetivando-se a ligação do motor em triângulo. Com K2 energizado, ele abre seu contato auxiliar 51-52, impedindo a alimentação acidental do contator K3. Ao ser pressionado o botão de impulso S2, os circuitos das bobinas dos contatores K1 e K2 são desligados, desenergizando-se o circuito.

3. Parte Experimental

3.1 Anote os parâmetros de placa do Motor de Indução Trifásico na Tabela 1

Tabela 1 - Parâmetros de placa do Motor de Indução Trifásico.

Fabricante:

Norma:

Motor:

Data de fabricação:

 

Mod:

N

o :

 

CV:

kW:

 

Hz:

RPM:

I

P /I N :

ISOL.:

 

CAT.:

REG. S:

 

IP:

FS:

RENDIMENTO:

Cos :

Eletrotécnica Geral (FEELT49041) - Lab 7 – MIT: Partida Direta e Chave Estrela-Triângulo

ROL LA.:

ROL LOA.:

Esquema de Ligação

Esquema de Ligação

Para ligação Tensão Menor

Para ligação Tensão Maior

Tensão:

Tensão:

Corrente:

Corrente:

3.2 Motor de Indução Trifásico com Ligação Estrela (Y)

a) Efetue a montagem do Diagrama Força e de Comando indicados na Figura 2;

b) Ligue e desligue o MIT através das botoeiras S1 e S2 anotando-se, na Tabela 2, os valores de:

Corrente inicial de partida (A);

Corrente do motor a vazio (A);

Tempo de partida (s);

Tensão de linha da alimentação (V).

3.3 Motor de Indução Trifásico com Ligação Triângulo ()

a) No Diagrama Força indicado na Figura 2, faça os ajustes necessários nas conexões dos terminais do

e que o amperímetro perceba a corrente de

motor de modo a transformar a ligação linha;

em ligação

b) Ligue e desligue o MIT através das botoeiras S1 e S2 anotando-se, na Tabela 2, os valores de:

Corrente inicial de partida (A);

Corrente do motor a vazio (A);

Tempo de partida (s);

Tensão de linha da alimentação (V).

3.4 Partida de Motor de Indução Trifásico com Ligação Estrela-Triângulo

a) Efetue a montagem do Diagrama Força e de Comando indicados na Figura 5;

b) Ajuste o Relé de Tempo em 12 s;

c) Ligue e desligue o MIT através das botoeiras S1 e S2 anotando-se, na Tabela 2, os valores de:

Tempo de atuação do relé de tempo – duração de tempo da ligação estrela;

Tempo da comutação - - duração de tempo transcorrido entre o momento da desconexão da ligação estrela até a conexão da ligação triângulo;

- tempo que levou para estabilização da corrente de partida na

Tempo de partida na ligação ligação Y;

- tempo que levou para estabilização da corrente de partida na

Tempo de partida na ligação ligação ;

Eletrotécnica Geral (FEELT49041) - Lab 7 – MIT: Partida Direta e Chave Estrela-Triângulo

Corrente inicial de partida (A) na ligação ;

Corrente do motor a vazio (A) na ligação ;

Corrente inicial de partida (A) na ligação ;

Corrente do motor a vazio (A) na ligação ;

Tensão de linha da alimentação (V).

3.5 Valores Medidos e Estimados Tabela 2 – Valores Medidos e Estimados.

1. Partida DIRETA – Ligação ESTRELA

Corrente inicial de partida (A);

Corrente do motor a vazio (A);

Tempo de partida (s);

Tensão de linha da alimentação (V).

2. Partida DIRETA – Ligação TRIÂNGULO

Corrente inicial de partida (A);

Corrente do motor a vazio (A);

Tempo de partida (s);

Tensão de linha da alimentação (V).

3. Partida ESTRELA – TRIÂNGULO

Tempo de atuação do relé de tempo (s);

Tempo da comutação - (ms);

Tempo de partida na ligação

(s);

Tempo de partida na ligação (s);

Corrente inicial de partida (A) na ligação ;

Corrente do motor a vazio (A) na ligação ;

Corrente inicial de partida (A) na ligação ;

Corrente do motor a vazio (A) na ligação ;

Tensão de linha da alimentação (V).

Eletrotécnica Geral (FEELT49041) - Lab 7 – MIT: Partida Direta e Chave Estrela-Triângulo

4. Questionamentos 4.1 Com relação aos parâmetros de placa do Motor de Indução Trifásico, pede-se:

a) Considerando o motor de indução trifásico e, também, a RPM informada, qual é o número de pares de

pólos / fase deste motor? Justifique sua resposta;

b) Qual é o seu escorregamento percentual (s%) a plena carga?

c) Considerando-se que a rede de alimentação seja trifásica 380/220 V, pede-se:

1. Qual é o tipo de ligação correta para este motor (ligação estrela ou ligação triângulo)? Justifique sua resposta;

2. Considerando a potência em CV, seu rendimento e o fator de potência, determine a corrente nominal para esta situação. Confronte o valor calculado com aquele informado na placa;

3. Determine o valor da impedância da bobina,

4. Determine os valores equivalentes da resistência (

5. Apresente o triângulo de potência para o motor a plena carga;

6. Qual é o valor da corrente para o rotor travado?

7. Apresente o triângulo de potência para o motor a plena carga.

&

Z

B

=

Z

B

B

;

R

B

) e da Indutância ( L ) da bobina do motor;

B

d) Similar ao item anterior, considerando-se que a rede de alimentação seja trifásica 220/127 V;

&

e) Justifique os valores encontrados para Z

f) O valor informado na placa para a potência real (kW) é potência elétrica ou potência mecânica?

B

= Z

B

nos itens anteriores (c.3) e (d.3);

B

Justifique sua resposta;

g) Para a classe de isolamento informada e uma temperatura ambiente de 40∞∞∞∞C, pedem-se os valores limites:

1. Da elevação média de temperatura do motor;

2. Da diferença da temperatura do ponto mais quente e da temperatura média;

3. Da temperatura do ponto mais quente;

4. Classifique a qualidade deste isolamento com relação às demais classes: A, E, B e F.

h) Defina o Regime de Serviço 1 (S1);

i) Defina IP. Qual é o significado para IP=55? Classifique este grau de proteção (péssimo, ruim, regular,

bom, ótimo, excepcional) para um motor que irá trabalhar em um ambiente fechado, coberto;

j) Defina Fator de Serviço de um motor elétrico. Qual é o significado de F.S.=1,0;

k) Segundo a norma NBR 7094, caracterize os três tipos de curvas “Conjugados x Rotação”. Para este

motor, apresente a sua curva característica de Conjugado x Rotação;

l) Mostra-se que a relação entre a Potência Mecânica P

mec

(CV )

e o Conjugado Nominal C (kgf

N

m)

de

um motor elétrico é

P

Mec

=

conjugado nominal C (kgf

N

C

N

n

716,9

m)

onde, n é a rotação nominal do motor (em RPM). Determine o

m)

deste motor.

e o conjugado de partida C (kgf

P

m) Baseando-se na relação do item anterior pode-se afirmar que para motores similares de mesma potência,

o conjugado daquele com dois pares de pólos é, aproximadamente, o dobro daquele com um par de

pólos. Justifique sua resposta;

Eletrotécnica Geral (FEELT49041) - Lab 7 – MIT: Partida Direta e Chave Estrela-Triângulo

n) A partir da relação mostrada no item (l), determine as expressões que relacionam:

1. A Potência Mecânica P (CV )

2. A Potência Mecânica

3. A Potência Mecânica

mec

P

mec

P

mec

(kW )

(kW )

e o Conjugado Nominal C

e o Conjugado Nominal C

e o Conjugado Nominal C

N

N

N

(N

(N

(kgf

m)

m)

;

;

m)

.

o) Tendo como referência os esquemas de ligações informados na placa para as ligações

esquemas elétricos:

e

, faça os

1. Indicando as bobinas 1, 2 e 3 (

B

1

, B

2

e

B ) desse motor, desconectadas, e identificadas por dois

3

terminais dentre os seis informados: U, V, W, X, Y e Z.;

2. Mostre as três bobinas ligadas em ;

3. Mostre as três bobinas ligadas em .

4.2 Para o Diagrama de Força (Figura 2), explique a função dos componentes elétricos:

a) Fusíveis (F1, F2 e F3);

b) Contator K1;

c) Relé térmico RT1.

4.3 Para o Diagrama de Comando (Figura 2), explique a função dos componentes elétricos:

a) Fusíveis (F1, F2);

b) Contato auxiliar do relé térmico RT1;

c) Botoeira S2;

d) Botoeira S1;

e) Contato auxiliar 13-14 do contator K1;

f) Bobinas A1-A2 do contator K1;

g) Lâmpada SH1.

4.4 Para as medições realizadas no item (3.2), ligação

com alimentação 220/127 V, pede-se:

&

a) Considerando a impedância calculada para a bobina

corrente nominal do motor nesta situação. Confronte este valor com o medido experimentalmente. Justifique possíveis discrepâncias entre o valor calculado e o medido;

no item (4.1.c.3), determine a

Z

B

= Z

B

B

b) Qual seria a corrente calculada para o rotor travado? Confronte este valor com o medido (estimado) experimentalmente. Justifique possíveis discrepâncias entre o valor calculado e o medido;

c) Qual foi o valor medido (estimado) para o tempo de partida? Qual a justificativa para este tempo ter sido muito pequeno?

4.5 Transformação da ligação

para ligação no item (3.3)

Quais foram os ajustes necessários nas conexões dos terminais do motor neste item.

4.6 Para as medições realizadas no item (3.3), ligação com alimentação 220/127 V, pede-se:

a) Confronte o valor calculado para a corrente nominal do motor no item (4.1.d.3) com o medido experimentalmente. Justifique possíveis discrepâncias entre o valor calculado e o medido;

b) Confronte o valor calculado para a corrente do motor com rotor travado no item (4.1.d.6) com a corrente medida (estimada) de partida. Justifique possíveis discrepâncias entre o valor calculado e o medido;

c) Qual foi o valor medido (estimado) para o tempo de partida? Qual a justificativa para este tempo ter sido muito pequeno?

Eletrotécnica Geral (FEELT49041) - Lab 7 – MIT: Partida Direta e Chave Estrela-Triângulo

4.7 Com relação à Partida Direta de MIT, pede-se:

a) Explicar a seqüência de operações manual LIGA / DESLIGA;

b) Explicar a seqüência de operação automática DESLIGA (atuação do relé térmico).

4.8 Para o Circuito de Potência (Figura 5.b), explique a função dos componentes elétricos:

a) Contator K3;

b) Contator K2.

4.9 Para o Circuito de Comando (Figura 5.a), explique a função dos componentes elétricos:

a) Bobinas A1-A2 dos contatores K2 e K3;

b) Lâmpadas SH2 e SH3;

c) Bobinas A1-A2 do relé de tempo K10;

d) Contato auxiliar 15-18 do relé de tempo K10;

e) Contato auxiliar 15-28 do relé de tempo K10;

f) Contato auxiliar 51-52 do contator K2 em série com a bobina A1-A2 do contator K3;

g) Contato auxiliar 21-22 do contator K3 em série com a bobina A1-A2 do contator K2.

4.10 Para a partida de Motor de Indução Trifásico com Ligação Estrela-Triângulo, pede-se:

a) Explicar a seqüência de operações manual LIGA / DESLIGA;

b) Explicar a seqüência de operação automática DESLIGA (atuação do relé térmico);

c) Justifique o fato de que a corrente medida do motor a vazio na ligação triângulo (na partida Estrela- Triângulo) foi menor do que aquela na ligação triângulo no caso de partida direta. Confronte a relação entre os valores medidos e o valor teórico esperado.

5. CONCLUSÕES

6. BIBLIOGRAFIA

[1] MÜNCHOL, R.; NEVES, E. G. de C. Eletrotécnica: conceitos básicos. INTERNET. Disponível em:

http://www.feelt.ufu.br/. Links: Arquivos de professores; Mauro Guimarães; ELT. Arquivo: Unid_05.1 -

Motores de Indução (Rubi Münchol-Eurico Neves).pdf. Acesso em: 13 jun. 2011. Apostila, cap. 7. p. 60-

75.

[2] WEG. Transformando Energia em Soluções. Disponível em: http://www.feelt.ufu.br/. Links:

Arquivos de professores; Mauro Guimarães; ELT. Arquivo: Unid_05.3 - Motor Elétrico-Material Complementar_(WEG).pdf. Acesso em: 13 jun. 2011. [3] WEG. Motores Elétricos em Corrente Alternada. Disponível em: http://www.feelt.ufu.br/. Links:

Arquivos de professores; Mauro Guimarães; ELT. Arquivo: Unid_05.6 - Especificação de Motores Elétricos - WEG (nov_2009).pdf. Acesso em: 13 jun. 2011.