Você está na página 1de 3

Comparar na letra e na prática:

Poder Executivo nas Constituições de 1891 e 1969 (com a sua 1ª emenda)

Comparação

1.

A Constituição de 1891 coloca apenas o Presidente da República como aquele que exerce o Poder Executivo, enquanto a de 69 também coloca os ministros de Estado.

2.

Em ambas, o vice-presidente é eleito simultaneamente com o presidente, e ele deve ter mais de 35 anos, estar no exercício de direitos políticos e ser brasileiro nato. Mas, na de 69, a eleição ocorre por meio de Colégio Eleitoral. Na de 1891, o Presidente e o

Vice-Presidente da República serão eleitos por sufrágio direto da Nação e maioria absoluta de votos.

3.

O tempo de mandato do presidente era de 4 anos na 1ª Constituição e de 6 na 2ª

4.

Em ambas, presidente e vice-presidente não poderiam sair do país sem permissão do Congresso sob pena de perderem o mandato.

5.

Nas duas era possível nomear e demitir livremente os ministros de Estado, mas apenas

na de 69 o Presidente da República poderia nomear e exonerar os Ministros de Estado, o Governador do Distrito Federal e os dos Territórios, e aprovar a nomeação dos prefeitos dos municípios declarados de interêsse da segurança nacional.

6.

Na Constituição de 1891, o presidente administraria as forças armadas sob as limitações da legislação, mas, na de 1969, o presidente poderia exercer o comando

supremo das fôrças armadas.

7.

Diferente da Constituição de 1891, a de 69 fala sobre o Conselho de Segurança Nacional, cuja presidência é exercida pelo Presidente da República e é auxiliado pelo

vice-presidente e ministros. Ele poderia estabelecer os objetivos nacionais permanentes e as bases para a política nacional, estudar, no âmbito interno e externo, os assuntos que interessem à segurança nacional, indicar as áreas indispensáveis à segurança nacional e os municípios considerados de seu interêsse e conceder licença para o funcionamento de órgãos ou representações de entidades sindicais estrangeiras, bem como autorizar a filiação das nacionais a essas entidades. A lei indicará os municípios de interêsse da segurança nacional e as áreas a esta indispensáveis, cuja utilização regulará, sendo assegurada, nas indústrias nelas situadas, predominância de capitais e trabalhadores brasileiros.

8.

Também diferente da Constituição de 1891, a de 69 estabelece o Ministério Público, mas ele estava totalmente subjugado ao poder do presidente. O Ministério Público federal

tem por chefe o Procurador-Geral da República, nomeado pelo Presidente da República, dentre cidadãos maiores de trinta e cinco anos, de notável saber jurídico e reputação ilibada. Os membros do Ministério Público da União, do Distrito Federal e dos Territórios ingressarão nos cargos iniciais de carreira, mediante concurso público de provas e títulos; após dois anos de exercício, não poderão ser demitidos senão por sentença judiciária ou em virtude de processo administrativo em que se lhes faculte ampla defesa, nem removidos a não ser mediante representação do Procurador-Geral, com fundamento em conveniência do serviço.

9.

Os membros do poder Executivo seriam eleitos pelo voto popular direito na Constituição de 1891, diferente da Constituição de 1969 que adotou a eleição indireta para presidente, governadores e prefeitos de cidades de segurança nacional.

10. A Constituição de 1967 foi a sexta do Brasil e a quinta da República. Buscou institucionalizar e legalizar o regime militar, aumentando a influência do Poder Executivo sobre o Legislativo e Judiciário e criando desta forma, uma hierarquia constitucional centralizadora. As emendas constitucionais que eram atribuições do Poder Legislativo, com o aval do Poder Executivo e Judiciário, passaram a ser iniciativas únicas e exclusivas dos que exerciam o Poder Executivo, ficando os demais relevados à meros espectadores das aprovações dos pacotes, como seriam posteriormente nominadas as emendas e legislações baixadas pelo Presidente da República.

11. 1969 - Concentra no Poder Executivo a maior parte do poder de decisão; Confere somente ao

Executivo o poder de legislar em matéria de segurança e orçamento.

12. Ato Institucional Número Cinco – Fechou o Congresso, suspende garantias constitucionais e deu

poder ao executivo para legislar sobre todos os assuntos.

Ordem econômica nas Constituições de 1934 e 1967

Comparação

1.

As duas Constituições visam organizar a economia objetivando a justiça para efetivar a dignidade e a liberdade econômica. Entretanto, a de 67 é mais completa neste quesito, acrescendo a função social da propriedade e a repressão ao abuso do poder econômico.

2.

A Constituição de 34 prevê a destituição de determinada indústria ou atividade econômica assegurando as indenizações, enquanto a de 69 fala sobre a desapropriação de propriedade rural também sob indenização. A Constituição de 34 prevê a

nacionalização de algumas empresas: A lei promoverá o fomento da economia popular, o desenvolvimento do crédito e a nacionalização progressiva dos bancos de depósito. Igualmente providenciará sobre a nacionalização das empresas de seguros em todas as suas modalidades, devendo constituir-se em sociedades brasileiras as estrangeiras que atualmente operam no País.

3.

1969 - Não será permitida greve nos serviços públicos e atividades essenciais, definidas em lei.

Mas é livre a associação profissional ou sindical; a sua constituição, a representação legal nas convenções coletivas de trabalho e o exercício de funções delegadas de Poder Público serão regulados em lei. 1934 - Os sindicatos e as associações profissionais serão reconhecidos de conformidade com a lei.

4.

As duas Constituições determinam direitos aos trabalhadores, que inclui salário mínimo capaz de satisfazer o trabalhador, proibição de diferença salarial por sexo e estado civil, trabalho diário não superior a oito horas, férias anuais remuneradas, férias anuais remuneradas, assistência médica e sanitária, proibição da distinção entre trabalho manual e técnico, dentre outros. Entretanto, a Constituição de 69 ainda proíbe diferença salarial por cor, adverte que o salário de emprego noturno deve ser maior que o

equivalente diurno e seguro obrigatório pelo empregador contra acidentes do trabalho. A de 34

garante a organização de colônias agrícolas, para onde serão encaminhados os habitantes de zonas empobrecidas, que o desejarem, e os sem trabalho.

5.

1934 - O aproveitamento industrial das minas e das jazidas minerais, bem como das águas e da energia hidráulica, ainda que de propriedade privada, depende de autorização ou concessão federal, na forma da lei. 1969 - A exploração e o aproveitamento das jazidas, minas e demais recursos

minerais e dos potenciais de energia hidráulica dependem de autorização ou concessão federal, na forma da lei, dada exclusivamente a brasileiros ou a sociedades organizadas no País.

6. Diferente da Constituição de 34, a de 69 possui determinações sobre o petróleo. A

pesquisa e a lavra de petróleo em território nacional constituem monopólio da União, nos termos da lei.

7. As duas Constituições afirmam que deve haver fixação das percentagens de empregados

brasileiros nos serviços públicos

Poder Legislativo nas Constituições de 1946 e 1967

Comparação

1.

A organização e atribuições de a legislativos são bastante semelhantes nas duas constituições.

2.

Enquanto a Constituição de 46 afirma que deputados e senadores perderão mandato

cujo procedimento seja reputado, pelo voto de dois terços dos membros de sua Câmara,

incompatível com o decoro parlamentar, a de 67 é mais rígida, pois também perde mandato

aquele que deixar de comparecer a mais de metade das sessões ordinárias da Câmara a que pertencer em cada período de sessão legislativa, salvo doença comprovada, licença ou missão autorizada pela respectiva Casa ou outro motivo relevante previsto no Regimento Interno e também

que perder os direitos políticos, e, nesta constituição, só perde mandato por votação secreta.

3.

A seção sobre a câmera dos deputados das duas Constituições é praticamente idêntica.