Você está na página 1de 72

ROBÔS

www.embalagemmarca.com.br
Eles prometem invadir
e revolucionar as linhas
de embalagem

Últimas semanas para inscrever seus cases


EDITORIAL  A ESSÊNCIA DA EDIÇÃO DO MÊS, NAS PALAVRAS DO EDITOR

Reflexões sobre esta edição


presentamos aqui nosso No exemplar que tem em mãos, o

A
pedido de desculpas aos leitor dispõe de variado material infor-
leitores pelo atraso na mativo. Na impossibilidade de destacar
entrega da edição de junho diferentes pontos interessantes, devido à
último de EMBALAGEM- limitação de espaço, chamamos a aten-
MARCA, motivada pela greve dos cor- ção para a reportagem de capa, sobre o
reios. Deixamos de lado considerações uso de robôs em linhas de embalagem,
sobre o fato de os prejuízos causados à de autoria de Guilherme Kamio. A nosso
economia e aos cidadãos em geral com a ver, ela abre campo para reflexões a res-
paralisação desse serviço público essen- peito de mais um dilema que pode influir
cial terem se encerrado com uma recom- no futuro do país. Investir em tecnologia
pensa aos grevistas: os dias parados não de ponta, acompanhando o mundo que
serão descontados, mas compensados cresce, resulta em desemprego de mão-
com uma espécie de “esforço concentra- de-obra não qualificada. Do lado oposto,
do” nos dias normais de trabalho. manter emprego em alto volume mas de
Ao que interessa: o atraso na entrega baixa qualificação inibe a formação de
da edição de junho obrigou-nos a dilatar operadores de máquinas sofisticadas – o
o prazo de fechamento desta edição, que reduz o potencial de expansão do
para evitar que ambas chegassem pra- parque. Embora óbvia, entendemos que “Investir em tecnologia
ticamente juntas às mãos dos leitores.
Imaginamos que a leitura do exemplar
a solução é investir em tecnologia e em
treinamento profissional.
e desempregar
anterior a este exigiria tempo maior Ainda nesta edição, destacamos a mão-de-obra ou
para a leitura, visto conter 100 páginas publicação do regulamento do PRÊMIO
no total, incluindo o Caderno Especial EMBALAGEMMARCA – GRANDES CASES DE manter empregos
com o conteúdo completo, editado, do
SEMINÁRIO ESTRATÉGICO DE EMBALAGENS
EMBALAGEM, com novidades (ver página
35) que contribuem para superar este
sem qualificação,
FLEXÍVEIS: DA MATÉRIA-PRIMA AO PON- ano a edição de lançamento e firmar a inibindo assim
iniciativa como a principal referência
TO-DE-VENDA. Como a presente edição
também está expressivamente densa em entre as premiações da cadeia produtiva a formação de
conteúdo editorial, acreditamos que essa de embalagem no Brasil. bons profissionais
providência será proveitosa para o públi- Até agosto.
co da revista. Wilson Palhares e a expansão
do parque?”

Diretor de Redação:
EMBALAGEMMARCA é Wilson Palhares | palhares@embalagemmarca.com.br Público-Alvo
uma publicação mensal da Reportagem: redacao@embalagemmarca.com.br EMBALAGEMMARCA é dirigida a profissionais que
Bloco de Comunicação Ltda. Flávio Palhares | flavio@embalagemmarca.com.br
Rua Arcílio Martins, 53 ocupam cargos de direção, gerência e super-
Guilherme Kamio | guma@embalagemmarca.com.br
CEP 04718-040 Marcella Freitas | marcella@embalagemmarca.com.br visão em empresas integrantes da cadeia de
São Paulo, SP Departamento de arte: arte@embalagemmarca.com.br
embalagem. São profissionais envolvidos com
Tel.: (11) 5181-6533 Diretor de arte: Carlos Gustavo Curado | carlos@embalagemmarca.com.br o desenvolvimento de embalagens e com poder
Fax: (11) 5182-9463 Assistente de arte: José Hiroshi Taniguti | hiroshi@embalagemmarca.com.br de decisão colocados principalmente nas indús-
www.embalagemmarca.com.br Administração: trias de bens de consumo, tais como alimentos,
Eunice Fruet | eunice@embalagemmarca.com.br bebidas, cosméticos e medicamentos.
Filiada ao Marcos Palhares | marcos@embalagemmarca.com.br
Departamento Comercial: comercial@embalagemmarca.com.br
O conteúdo editorial de EMBALAGEMMARCA é
João Tichauer | tichauer@embalagemmarca.com.br
Juliana Lenz | juliana@embalagemmarca.com.br resguardado por direitos autorais. Não é
ILUSTRAÇÃO DE CAPA: TOM-B

Karin Trojan | comercial@embalagemmarca.com.br permitida a reprodução de matérias editoriais


Filiada à Wagner Ferreira | wagner@embalagemmarca.com.br publicadas nesta revista sem autorização
Circulação e Assinaturas (Assinatura anual: R$ 99,00): da Bloco de Comunicação Ltda. Opiniões
assinaturas@embalagemmarca.com.br expressas em matérias assinadas não refletem
Ciclo de Conhecimento: necessariamente a opinião da revista.
Ivan Darghan | ivan@embalagemmarca.com.br
SUMÁRIO  Nº 107  JULHO 2008

10 Cinco perguntas para


Reportagem
12
João Cesar Rando, presidente
do inpEV – Instituto Nacional de
Processamento de Embalagens de capa: Robôs
Vazias de defensivos agrícolas
Engenhosos amálgamas de mecânica e
eletrônica, os robôs industriais pleiteiam

Entrevista: oportunidades nas linhas de embalagem

24
de bens de altíssimo consumo
Vítor Mallmann

30
Presidente da Quattor, novo colosso
em resinas, fala dos problemas e das
oportunidades do setor petroquímico Cereais matinais
Kellogg inova ao lançar cartucho
com janela e sistema exclusivo
para guardar conteúdo restante

Prêmio
EMBALAGEMMARCA 32
Segunda edição da premia-
ção tem tudo para ser mais
abrangente do que foi a ação
44 Atomatados
Stand-up pouch angaria importante
inaugural, em 2007 adepto no mercado de derivados
de tomate: o molho Pomarola

Ciclo de Conhecimento 46 56
Problemas com local reservado
levam a mudar a data e o local do
Cervejas 48 Tampas
Fornecedores de
Seminário de Sustentabilidade Multipacks eco- fechamentos têm novidades
nômicas, com para o setor farmacêutico
mais de doze la-

58
tinhas, começam

Redesign
a ganhar força
no mercado
Depois de 34 anos
no mercado com a
mesma cara, emba-
Internacional 62
60
lagens de Neutrox Com o apoio de jarra plásti-
são reformuladas
Internacional ca, saquinho de leite do tipo
“barriga mole” tenta decolar
Na Romênia, long neck no mercado britânico
de cerveja, com LED
embutido, acende no
momento do consumo

4 EmbalagemMarca julho 2008


Editorial 3
A essência da edição do mês, nas palavras do editor

Na web 8
O que a seção de notícias de www.embalagemmarca.com.br
e a e-newsletter semanal levam aos internautas

Espaço aberto 9
Opiniões, críticas e sugestões de nossos leitores

Panorama 38
Movimentação do mundo das embalagens e das marcas

Painel gráfico 52
Produtos e processos da área gráfica para a produção de
rótulos e embalagens

Display 64
Lançamentos e novidades – e seus sistemas de embalagens

Almanaque 70
Fatos e curiosidades do mundo das marcas e das embalagens

www.embalagemmarca.com.br
JUNTE COM B
A

Esta pode ser


separa sua
PRÊMIO EMBAL
GRANDES CASES
E, convenh
nada intra
Inscreva-se hoje
www.grande
Mais info
Cerimônia
de premiação
1º/10/2008, no
premio@embalag
Centro Fecomércio
de Eventos, em São
Paulo, SP.
ou pelo telefone
Na ocasião será Patrocínio Premium Patrocínio
sorteado um pacote
de viagens para o
Salão Emballage 2008,
em Paris, entre as
empresas vencedoras.
Inscreva já!

* Inscrições abertas até 22/08/2008.


JUNTE COM A
B

a distância que
empresa do
AGEMMARCA –
DE EMBALAGEM.
amos, não é
nsponível.
mesmo* pelo site
scases.com.br.
rmações:
emmarca.com.br
(11) 5181-6533.
Master Patrocínio Especial

Reconhecimento e
Organização Apoio Operacional divulgação para quem
ajuda a melhorar a
embalagem no Brasil.
SÓ NA WEB
Uma amostra do que a seção diária de notícias de www.embalagemmarca.com.br e a e-newsletter semanal da
revista levam aos internautas
aniversário
marcas
Pitú comemora 70 anos
Coca-Cola reestiliza marca da Leão Júnior
A cachaça Pitú ganhou embalagem
Cerca de um ano após ser adquirida pela Coca-Cola, a fabrican-
especial como parte das comemorações
te de chás Leão Júnior promove mudanças no visual da marca
de seus 70 anos. A bebida é comerciali-
Matte Leão, que surgiu em 1901. Ela será substituída pelo nome
zada em latas de 350 mililitros e de 473
Leão nas linhas de chás secos e,
mililitros produzidas pela Rexam.
futuramente, também nas de líquidos.
O layout é da Extra Comunicação.
A marca Matte Leão será mantida
Leia mais em
nos produtos que levam a erva-mate.
www.embalagemmarca.com.br/pitu70
Nas novas embalagens, a figura do
Leão foi reestilizada (à direita).
Leia mais em www.embalagemmarca.com.br/matteleao

lançamento

Garrafinhas em alta
As tradicionais garrafas do Salton Moscatel
e do Prosecco Salton ganharam novas ver-
sões: garrafas de 187 mililitros, denomina-
das Moscatel Mini e Prosecco Night. Serão
comercializadas 60 000 garrafinhas de cada
versão. panorama

Leia mais em Dow Chemical compra Rohm & Haas


www.embalagemmarca.com.br/saltonmini
A Dow Chemical anunciou a compra da rival Rohm
& Haas por 15,3 bilhões de dólares. A estratégia da
empresa é ampliar a oferta de produtos em mercados
de margens mais altas, como tintas, revestimentos e
display materiais eletrônicos. Incluindo a dívida da Rohm &
Haas, de 3,5 bilhões de dólares, o negócio chega a
Dama lança camarão empanado 18,8 bilhões de dólares.
A Dama Frutos do Mar, Leia mais em
marca da BR Nauttilus www.embalagemmarca.com.br/dowcomprarohm
Maricultura, coloca no mer-
cado o primeiro camarão
empanado semipronto pro-
duzido industrialmente no
Brasil. Embalado em cartu-
chos de 200 gramas, só pre-
RECEBA A E-NEWSLETTER
cisa ser aquecido por alguns
SEMANAL DE EMBALAGEMMARCA
minutos. A embalagem é produzida pela Ibratec Artes Gráficas com Visite www.embalagemmarca.com.br/newsletter
o papel cartão da Klabin 298g/Klafold Fiz. O design é a DA-DPA e cadastre seu e-mail.
Comunicação Integrada. Nosso boletim eletrônico, gratuito, é
publicado todas as quintas-feiras.
Leia mais em www.embalagemmarca.com.br/camaraodama

8 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


ESPAÇO ABERTO  OPINIÕES, CRÍTICAS E SUGESTÕES DE NOSSOS LEITORES

Ciclo de Conhecimento bem o objetivo planejado. detalhadas. Ler as matérias foi como estar

Acabo de receber a revista E


Marco Antônio Alonso na Alemanha e presenciar a Interpack com
MBALAGEM- Gerente de vendas – áreas SP e MG os próprios olhos. Uma obra-prima para
MARCA e mais uma vez estou surpreso com Bosch Sigpack quem não pôde comparecer.
sua qualidade editorial. Noto que vocês São Paulo, SP Gusmán Laurich
estão desenvolvendo conteúdo, como ações Buenos Aires, Argentina
como o CICLO DE CONHECIMENTO, e sua Prêmio

Gostaria de parabenizá-los pela organiza-


contribuição para o desenvolvimento da Memória
embalagem brasileira está se ampliando
também com o PRÊMIO EMBALAGEMMARCA ção do PRÊMIO EMBALAGEMMARCA – GRAN- Excelente a seção Almanaque, tanto em
– GRANDES CASES DE EMBALAGEM. DES CASES DE EMBALAGEM. Temos percebido termos de pesquisa como de memória,
Fabio Mestriner grande mobilização em torno dele. enaltecendo o mundo das embalagens
Professor Coordenador do Núcleo de Mario Pallares como um todo.
Estudos da Embalagem da Escola Superior Diretor de Desenho Gilson Batista
de Propaganda e Marketing – ESPM Matriz Escritório de Desenho Sócio gerente comercial
São Paulo, SP São Paulo, SP Metaplastic Embalagens Ltda

Para a Bosch e para mim foi uma honra


São Paulo, SP
Interpack

Desejo felicitá-los pela cobertura magis-


e um prazer ter o privilégio de participar TELEFONE CORRETO
de um evento da magnitude do SEMINÁ-
Na reportagem “Sustentabilidade na prática”
RIO ESTRATÉGICO DE EMBALAGENS FLEXÍVEIS. tralmente bem feita da feira Interpack
(EMBALAGEMMARCA nº 106, pág. 16), o telefone
Com uma infra-estrutura, organização e 2008. As notas e todo o conteúdo, desde
da empresa Innovia Films estava incorreto.
coordenação muito profissionais, dosadas o início até o fim, estavam brilhantes. As
O telefone certo é (11) 5053-9948.
com simpatia e proximidade, atingiu muito reportagens foram muito bem ilustradas e
perguntas
para João Cesar Rando
m termos de coleta e reciclagem de embalagens usadas, não é

E
só nas feitas de alumínio que o Brasil é líder. No campo dos
Presidente do inpEV produtos fitossanitários – ou “agrotóxicos”, como preferem os

– Instituto Nacional de inimigos dos defensivos agrícolas – o país é referência mundial:


responde por mais de 50% do total de recipientes plásticos pri-

Processamento de mários devolvidos para reprocessamento após o uso a 31 fabricantes congrega-


dos no Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (inpEV).
Embalagens Vazias fala Com 376 postos de recolhimento no país, a entidade impediu que só no primei-
ro semestre deste ano 12 000 toneladas de embalagens fossem descartadas sem
da liderança do Brasil critério. Com o material resultante da reciclagem das embalagens são fabri-
cados doze diferentes artigos, como barricas, conduítes, caixas de passagem
no processamento de fios elétricos e frascos para óleo lubrificante, entre outros. O presidente do
inpEV, João Cesar Rando, engenheiro agrônomo com 28 anos de experiência
de recipientes de no setor e cursos de pós-graduação em defesa fitossanitária e administração
rural, orgulha-se de que o instituto dá emprego direto a cerca de 2 000 pessoas
defensivos agrícolas e caminha para consolidar-se de forma auto-sustentável. (WP)

De acordo com o inpEV, o volume de embalagens de defensi-

1 vos agrícolas encaminhados para reciclagem ou incineração


no Brasil cresceu 9,8% no primeiro semestre de 2008 em
relação ao mesmo período de 2007, atingindo 12 000 tonela-
das. Isso coloca o Brasil em que posição no ranking mundial?
O Brasil hoje está na liderança mundial na retirada de embalagens vazias de pro-
dutos fitossanitários. Fazemos parte de um grupo de cerca de trinta países que
estão trabalhando um sistema similar ao brasileiro. Esses trinta países retiraram
cerca de 47 000 toneladas do meio ambiente em 2007. O Brasil sozinho retirou
25 500 toneladas, o que o coloca à frente dos outros 29 países juntos. Estamos
falando de Estados Unidos, Canadá, França, Alemanha, Austrália – ou seja, de
países que têm produção agrícola expressiva. Também estão nessa lista países
da América Latina, como Argentina, Colômbia e México. O Brasil é hoje o país
que mais retira embalagens de fitossanitários no mundo e o que mais recicla.

Quais são o segundo e o terceiro colocados?

2 O segundo é o Canadá, que retira cerca de 70% do volume das


embalagens plásticas colocadas. Depois temos um grupo com
Alemanha, um pouco à frente, França e Austrália.

Como surgiu o inpEV, como funciona? Por que sua ação dá

3 tão certo num campo em que o Brasil não tem coisas muito
positivas a mostrar?
O inpEV é conseqüência de um trabalho que começou com
os fabricantes de agroquímicos por volta de 1992. Antes de qualquer
legislação, houve uma ação da indústria a fim de buscar uma
solução para as embalagens que ficavam na propriedade
agrícola. Foi uma junção de esforços entre entidades

10 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


como a Associação Nacional de Defesa Vegetal, a Secretaria no tanque de pulverização e esvaziar a embalagem, o agricultor
de Agricultura do Estado de São Paulo e a Cooperativa dos deve colocar nela um quarto de água, chacoalhar por 30 segun-
Plantadores de Cana de Guariba, que iniciaram um projeto para dos e jogar o líquido no tanque. Ele faz isso três vezes, daí o
gerenciar as embalagens vazias. Também começou um pilo- nome. Tem também a lavagem sob pressão. Os equipamentos
to com a Dinoplast, de Louveira, para reciclagem do material. de pulverização fabricados a partir de 2002 devem ter um meca-
Quando se iniciou a discussão sobre uma legislação específica, a nismo acoplado ao pulverizador, e o agricultor, em vez de fazer
experiência da indústria ajudou. O Brasil é um dos únicos países, a tríplice lavagem, usa os jatos de água sob pressão para lavar a
senão o único, que tem leis para a gestão da destinação final das embalagem. Essa água retorna ao tanque.
embalagens vazias de produtos fitossanitários. A lei foi publicada
em duas etapas: a primeira, em 2000, definia responsabilidades Outros setores industriais que enfrentam dile-
ao agricultor, como lavar, inutilizar e armazenar as embalagens.
Em 2002, a segunda parte da lei estabeleceu responsabilidades
a toda a cadeia. O agricultor precisa lavar, inutilizar e devolver as
5 mas parecidos com os dos defensivos agrícolas
quanto ao descarte de embalagens procuram o
instituto para lançar iniciativas semelhantes?
embalagens. O comerciante deve informar – e disponibilizar – o Sim. O resultado que estamos conseguindo tem provocado a
local de entrega. Temos 376 unidades de recebimento no país. curiosidade de outros setores, que também são cobrados quanto
Onde não se justifica montar uma central, associações fazem a aos resíduos pós-consumo. Participamos de reuniões transmi-
coleta itinerante. Aí entra o fabricante, que retira as embalagens tindo nosso conhecimento e nossa experiência. O trabalho tem
e dá a destinação final ambientalmente correta. Foi nessa esteira de ser compartilhado, porque mostra um caminho – o de que é
que o inpEV nasceu, em dezembro de 2001, e começou a operar possível fazer. Isso tem um custo, mas perto do benefício é insig-
em março de 2002. É uma entidade sem fins lucrativos que faz a nificante. Há maneiras de transformar o sistema em auto-susten-
ligação entre os elos da cadeia. tável, porque se constrói uma cadeia de valores, que é todo o
processo de reciclagem, industrialização e transformação em um

4
O que é a tríplice lavagem? produto novamente. Ao longo da cadeia, através da agregação de
Temos dois sistemas para lavar a embalagem. valores, pode-se gerar recursos. Esse é o atual desafio do inpEV:
Um é a tríplice lavagem: após colocar o produto criar mecanismos para tornar o sistema auto-sustentável.
 REPORTAGEM DE CAPA

A lógica versus a situação


Robôs querem invadir linhas de embalagem. Mão-de-obra barata, porém, atrapalha
Por Guilherme Kamio

E
squeça os arquétipos. Pelo menos
nos chãos de fábrica, onde prolife-
ram com grande rapidez, robôs estão
longe de lembrar aqueles andróides
astutos, com traços de gente, dos
clássicos da ficção científica. É justamente essa a
razão de seu sucesso nas indústrias. Robôs não são
humanos; logo, não erram. Robôs não se cansam.
Robôs não se atrasam nem adoecem. Robôs não
têm problemas em casa e tampouco reclamam. Já
empregados em larga escala por setores como o
automotivo, o aeronáutico e o de eletroeletrônicos,
esses funcionários exemplares vêm crescentemen-
te obtendo vagas numa outra seara: a das linhas de
embalagem de alimentos, bebidas, cosméticos e
demais artigos de largo consumo.
Segundo o mais recente censo da Federação
Internacional de Robótica (IFR), cujos resultados
foram divulgados em junho último, no fim de
2007 o mundo contabilizava 1 milhão de robôs
industriais em operação. Desse total, 36 000 uni-
dades foram identificadas cumprindo tarefas
relativas ao acondicionamento de produ-
tos. “O número parece irrisório, porém
era quatro vezes menor há quatro anos”,
disse a EMBALAGEMMARCA a alemã
Gudrun Litzenberger, do departamento
de estatísticas da IFR. “Existe uma
verdadeira febre em torno do uso da
robótica em packaging na Ásia, na
Europa e nos Estados Unidos, e a
expectativa é de que, a despeito
: TO
M-B de idiossincrasias, países emer-
ÃO
ILU
S TRA
Ç
gentes como o Brasil também se
entusiasmem.”
A profissional da IFR não hesita em
apontar como particularidade brasileira que trava
a difusão dos robôs – na verdade, de qualquer
projeto de automação industrial – a mão-de-obra

12 EmbalagemMarca
Embalagem julho 2008 www.embalagemmarca.com.br
barata. “Mas ela não pode ser encarada como
um impeditivo absoluto”, atenta Gudrun, “pois
o capital variável também é barato e abundante
em países como a China, onde a robotização de
processos fabris evolui em ritmo frenético.” Em
comparação com outros países, a defasagem do
Brasil no campo da robótica industrial é imensa.
Na falta de varreduras precisas, calcula-se que
mais ou menos 5 000 robôs industriais estejam em
atividade no mercado interno. A maioria é encar-
regada de trabalhos como montagem, pintura e
solda. Pouquíssimos cuidam do acondicionamen-
to de produtos.
“Em apenas nove meses vendemos nos Esta-
dos Unidos o que o Brasil acumulou em base O MUNDO
instalada de robôs ao longo da história”, comenta
Wagner Bello, gerente de vendas da operação
nacional de uma referência em robótica, a japo-
1 milhão

FONTE: IFR E ESTIMATIVAS DO MERCADO


de robôs industriais
nesa FANUC Robotics. “Nos últimos dois anos em operação
as vendas aumentaram muito, mas a maioria
delas seguiu para clientes tradicionais, como as
montadoras de automóveis.” A sucursal brasi-
leira de outra potência em robôs, a sueco-suíça
36 000
robôs trabalhando em
ABB, estima que dos seus cerca de 2 800 dispo- linhas de embalagem
sitivos operantes no mercado interno apenas 5%
estejam internados em parques de embalagem.
Rejane Lobo, gerente de consumo da área de
robótica da ABB local, conta que, de 35% a 40% O BRASIL
dos mais de 160 000 robôs industriais instalados
pela empresa mundo afora operam em linhas de
acondicionamento.
5 000
robôs industriais
em operação
Compactos buscam usos
Lá fora, a produção de bens de altíssimo giro mais
e mais utiliza um ou dois robôs para gerenciar pouquíssimos
tarefas ainda delegadas a esquadrões de opera- robôs trabalhando em
linhas de embalagem
dores no Brasil. “É o caso das saídas das linhas
de acondicionamento primário”, aponta Marcelo
Fazenda, engenheiro da Perpack, representante
para o Brasil dos robôs da suíça Bosch Sigpa-
ck, para desfiar um paradoxo: muitas empresas
nacionais já possuem embaladoras automáticas
de última geração, velocíssimas e de altíssima
eficiência, mas ainda destacam multidões para
recolher manualmente, em mesas acumuladoras, a
produção despejada. “Resultado: gargalo”, afirma
o profissional da Perpack.
A Bosch Sigpack foca sua atuação numa
categoria de robôs ainda pouquíssimo explorada

www.embalagemmarca.com.br julho 2008 EmbalagemMarca 13


no mercado nacional: a dos modelos leves, a preço europeu.”
compactos e ultravelozes, destinados ao cha- Assim como a Perpack, a
mado pick-and-place – o manuseio para fases M.A.R. Automação Industrial
intermediárias das operações fabris. Na praia também deposita fichas nos mani-
do packaging, usos já triviais desse tipo de robô puladores leves, do tipo delta. Há
em outros países são o posicionamento de produ- quase dois anos a empresa represen-
tos semi-acabados nas entradas de máquinas de ta a fabricante americana de robôs
embalagem e a acomodação de itens já prima- Adept Technologies, cujo carro-chefe
riamente acondicionados em embalagens secun- na classe delta é o modelo Viper Quattro,
dárias, como caixas-display. Para tais tarefas, a capaz de realizar 240 ciclos por minuto
Bosch Sigpack dispõe de robôs de dois eixos do manuseando cargas de até 2 quilos. “Trata-se
Brandido
tipo top loader e de três eixos do tipo delta (cujo como o mais do robô mais rápido do mundo”, brande André
formato lembra o de uma aranha). rápido robô Constantinou, gerente técnico da distribuidora.
delta do mundo,
Fazenda, entretanto, destaca que robôs dessa Quattro, da Adept, Constantinou relata que a M.A.R. já concretizou
categoria são capazes de operações muito mais pode realizar diversas 22 projetos no Brasil com robôs da Adept – quase
tarefas de packaging
complexas. Modelos leves da Bosch Sigpack são a totalidade deles relativa a artifícios para embala-
utilizados na Europa e nos Estados Unidos, por gem. “A mais sofisticada aplicação é a montagem
exemplo, para manipular bombons e biscoitos de caixas de fio dental, com a bobinagem roboti-
de diferentes formatos, fabricados zada do produto ocorrendo no interior da emba-
simultaneamente e expulsados dos lagem”, destrincha o gerente técnico da M.A.R.,
fornos de modo aleatório, acondi- sem identificar o cliente, devido a um acordo de
cionando-os em berços para itens confidencialidade.
sortidos. “Sistemas de visão dos À espera de uma procura maior por parte de
robôs identificam as geometrias e os indústrias alimentícias, progressivamente pres-
braços dos robôs e fazem compensa- sionadas por normas sanitárias e por padrões de
ções para aninhar, em alta velocida- qualidade exigidos pelo mercado, a ABB destaca
de, cada unidade – seja de formato que seu robô delta IRB 360, capaz de movimentar
circular, de estrela ou de língua de cargas de até 3 quilos, conta com uma variante
gato – numa cavidade apropriada lavável, construída em aço inoxidável. “A versão
da embalagem”, descreve o profis- compacta tem uma base de apenas 800 milímetros
sional da Perpack. O mercado bra- quadrados, ocupando um espaço mínimo”, ressal-
sileiro ainda é virgem para a Bosch, ta Rejane Lobo. “Assim, é possível montá-la em
mas Fazenda aposta no apelo desses máquinas e linhas de produção para uma ampla
robôs para as marcas locais de cho- diversidade de aplicações pick-and-place.”
colates finos, “cujo grama é vendido
Na Europa, Pesos-pesados: mais chances
robôs leves da
Bosch Sigpack Se os robôs menores e aptos a operações delicadas
já cumprem ainda aguardam pelo convencimento do empresa-
tarefas de
pick-and-place riado nacional de suas vantagens, o cenário muda
de alimentos um pouco de figura na área dos fins de linha de
embalagem. Parecendo geralmente braços gigan-
tes, os modelos mais robustos de robôs, voltados
a trabalhos pesados como encaixotamento e pale-
tização, são aqueles que mais têm proliferado no
Brasil – embora em proporção acanhada no cotejo
com outros mercados.
FOTOS: DIVULGAÇÃO

Se ainda encontra dificuldade para prospec-


tar usuários de exemplares delta no país, a ABB
comemora a instalação de robôs paletizadores em

14 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


clientes como Unilever (para caixas de xampus,

FOTOS: DIVULGAÇÃO
Capazes de movimentar
condicionadores e desodorantes), Nestlé (para grandes cargas, robôs
bandejas de latas de cereais), Cemil (para caixas como este da FANUC
Robotics são ideais
de leite UHT) e Nova América (para fardos de para paletização
açúcar). Robôs heavy duty da FANUC Robotics já
paletizam resmas de papel para a Suzano Papel e
Celulose, caixas de margarina para a Sadia, paco-
tes de fraldas e de outros produtos para a Procter
& Gamble e, no negócio de embalagens, caixas
de garrafas para a vidraria Owens-Illinois. Outro
nome forte em robótica com escritório no Brasil, a
alemã Kuka Roboter, viu seus robôs paletizadores
conquistarem clientes como Nestlé, a fabricante
de produtos hospitalares Baxter e a fabricante de
fertilizantes Nortox.
É fácil entender por que a preparação de pro-
dutos para a expedição tem sido o campo mais
receptivo aos robôs. Caracterizada por movimen-
tações de cargas pesadas, a paletização, quando
realizada manualmente, é um convite às LER
(lesões por esforços repetitivos). Os custos com
afastamentos, reposições e indenizações de fun-
cionários acabam justificando a compra do robô.
“Ainda são comuns, na indústria alimentícia bra- de novos produtos da Sunnyvale, empresa que
sileira, os sacos com 50 ou 60 quilos, banidos em acaba de fechar acordo para distribuição dos robôs
outros países em favor de cargas mais leves”, lem- paletizadores da japonesa Fuji Robotics no país.
bra Milton Bonano, da área de desenvolvimento Bonano realça que, além de evitar lesões de
funcionários, os robôs para fins de linha se encai-
xam na tendência de segmentação e conseqüente
redução dos outputs produtivos. “Com uma só
alteração na programação, o robô pode manejar
mais de um item ao mesmo tempo, direcionando
diferentes produtos a diferentes estrados”, diz o
profissional da Sunnyvale, lembrando que com
a robotização os paletes saem sempre uniformes,
sem irregularidades causadas pelo homem que
possam comprometer a embalagem. “A devolução
de um lote de um produto caro, como um impor-
tado, já é capaz de custear o investimento num
robô”, adverte Bonano.

Bebidas aborvem o conceito


Enquanto as indústrias nacionais de alimentos, de
cosméticos, farmacêuticas, de produtos de limpe-
za, de pet food e diversas outras reservam manás
para os robôs paletizadores, uma parcela razoável
do setor de bebidas já assimilou as vantagens des-
sas engenhocas. “Nessa área, os robôs não estão
ABB é outra empresa que aposta na difusão dos robôs
compactos para manipulações em indústrias alimentícias substituindo pessoas, mas sim mesas acumula-

16 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


doras mecânicas que já eram disseminadas no
mercado”, explica Silvio Rotta, diretor comercial
do braço brasileiro da alemã Krones, importante
fornecedora de sistemas de embalagem para bebi-
das que também atua com oferta de robôs.
Utilizadas para agrupar pacotes de bebidas
enlatadas ou engarrafadas em camadas prontas
para a deposição em paletes, as mesas mecânicas,
fundadas em engrenagens, são inflexíveis. “Elas
não aceitam mudanças nos tamanhos dos pacotes
nem eventuais migrações de embalagem, como

FOTOS: DIVULGAÇÃO
a troca de garrafas de vidro por embalagens de
PET”, explica Rotta. Com robôs, não há enges-
samento. Bastam simples trocas de coordenadas
ou periféricos e eles se adaptam a novos desenhos
Robô paletizador da Fuji
de camadas, girando e posicionando pacotes de Robotics: agora no Brasil,
acordo com o programado. “Temos assistido a via Sunnyvale
mudanças freqüentes do volume das multipacks
de bebidas (a propósito, veja reportagem sobre o desvenda a acolhida mais calorosa dos robôs para
assunto na pág. 48), e empresas que investiram 1,5 carga/descarga. “Hoje, dependendo da solução e
milhão ou 2 milhões de reais em mesas mecânicas do nível de automação requerido no entorno, os
podem ter dificuldade de acompanhar tendências robôs paletizadores podem custar até mais barato
mercadológicas”, assinala o dirigente da Krones. que as soluções puramente mecânicas”, informa
Outra empresa top em sistemas de embalagem Marcelo Nascimento, gerente técnico de vendas
para bebidas, a francesa Sidel, também vislumbra do escritório nacional da Kuka Roboter.
um aumento da exigência por parques flexíveis, e Além da paletização, outra operação robotiza-
não por outra razão vem turbinando a promoção da para fins de linhas de embalagem
de soluções turnkey com robótica integrada nas que a cada dia atrai mais adeptos é
saídas de linha – no seu caso, com robôs fabrica- a do encaixotamento. “Os sistemas
dos por parceiros. “Os robôs eliminam desperdí- robotizados nos auxiliam numa tarefa
cios, pois incidem em menos crítica, a colocação de garrafas de 600
quebras e rompimentos de mililitros em caixas de despacho para
Robô paletizador
embalagens, e conferem mais da alemã Kuka 24 unidades”, relata Bart Borremans, engenhei-
agilidade quando uma mesma Roboter: vagas ro cervejeiro e gerente de processos da Casa di
conquistadas no
linha trabalha com diferentes mercado nacional Conti (Contini), que fabrica a cerveja Conti Bier
tipos de embalagens”, obser- em linhas dotadas de robôs encaixotadores da
va Tadeu Lorenzi, gerente de Krones. “Nessa fase, que implica no manuseio de
marketing da Sidel para a Amé- vidro com conteúdo quente, zeramos os riscos de
rica do Sul. Na Fispal Tecnologia acidentes com operadores.”
2008, feira de embalagens realizada
em junho em São Paulo, a Sidel des- Cenário propício
tacava em seu estande uma solução Em coro, os fornecedores salientam que nunca
com robô paletizador houve cenário tão propício para a difusão dos
vendida à Spaipa, engar- robôs industriais no Brasil. Como muitas indús-
rafadora de Coca-Cola trias estão com suas capacidades instaladas quase
com atuação no Paraná e todas ocupadas, e não só para atender à crescente
no interior paulista. demanda do mercado interno, mas também para
Naturalmente, o requisito responder à pressão por eficiência detonada pela
da flexibilidade, por si só, não crescente concorrência local e pela internacionali-

18 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


FOTOS: DIVULGAÇÃO
Robôs ajeitam pacotes de bebidas em linha totalmente automatizada da Sidel. Soluções completas com robôs são cada vez mais exigidas pela clientela

zação de suas atividades, robôs podem ser aliados


providenciais. “O real valorizado também é um
grande incentivo, e vale lembrar que os robôs são
contemplados por ex-tarifário (NR: mecanismo
que isenta os bens de capital importados sem
similares nacionais dos impostos de importa-
ção)”, coloca Marcelo Fazenda, da Perpack, capaz
de importar robôs da Bosch Sigpack da Suíça ou
dos Estados Unidos.
Como nem tudo são flores, alguns velhos
estigmas atrapalham o deslanche da robótica
industrial no país. Um deles é o de que robôs são
caros, inacessíveis. “Robôs são baratos pelo retor-
no que oferecem, e chegam a custar 10% daquilo
que normalmente os clientes imaginam”, garante
Wagner Bello, da FANUC Robotics. “Para se ter
Com robôs de terceiros,
idéia, modelos que custavam 250 000 dólares há afirmando que qualquer pessoa é hoje capaz de Sidel também oferece
cinco anos hoje podem ser encontrados a 120 000 programar facilmente robôs, seja pelos seus CLPs pacotes com paletização
reais. A parte eletrônica barateou muito”. Marcelo (Controladores Lógicos Programáveis) ou, numa
Nascimento acrescenta que empresas pequenas forma ainda mais amigável, pela transmissão às ABB
e médias já adquiriram robôs da Kuka Roboter, máquinas de parâmetros pré-definidos em progra- (11) 3688-9111
www.abb.com
pagando em 24 ou 36 meses através de leasing. mas nativos de computadores convencionais.
“Depois da primeira parcela, a produção já paga Por fim, o que definitivamente já não é mais FANUC Robotics
cada prestação”, ele assegura. aceito pelo mercado é o ranço de que robôs (11) 3619-0599
www.fanucrobotics.com.br
Outro incômodo para os concessionários é o industriais usurpam postos de trabalho. “Robôs
paradigma de que os robôs são de difícil opera- substituem pessoas em atividades causticantes, Krones
(11) 4075-9500
ção. Todos os entrevistados rechaçam essa noção, insalubres e com pouco teor intelectual agregado”,
www.krones.com.br
resume Rejane Lobo, da ABB. Segundo ela, ao
Krones quer difundir vantagens das mesas robotizadas eliminar cargos impopulares, que trazem enormes Kuka Roboter
(11) 2984-4900
prejuízos tanto para os funcionários – na forma www.kuka-roboter.com.br
de doenças ocupacionais – quanto para os empre-
gadores – quando há custos de afastamento – a M.A.R. Automação (Adept)
(11) 4727-5858
robótica propicia às empresas divisar tarefas mais www.mar.ind.br
nobres ao seu pessoal, como a supervisão de uma
automação de alta tecnologia, em vez do envol- Perpack (Bosch Sigpack)
(11) 5533-9353
vimento ativo no processo de embalagem. “Em www.perpack.com.br
suma, robôs abrem portas para uma verdadeira
Sidel
revolução na gestão de pessoas em processos pro- (11) 4668-7000
dutivos”, arremata a executiva. www.sidel.com

Acompanhe, na seqüência, reportagem sobre os robôs Sunnyvale


utilizados na decoração de embalagens por in-mold (11) 3048-0147
www.sunnyvale.com.br

20 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


 REPORTAGEM DE CAPA

Na área da decoração
Robôs mais acessíveis tendem a facilitar a difusão da rotulagem in-mold no Brasil

E
m packaging, robôs não podem ter
serventia apenas nas linhas de acon-
dicionamento. A automação avançada
também pode auxiliar a produção de
embalagens plásticas. Acoplados a
máquinas injetoras ou sopradoras, robôs são cada
vez mais utilizados para a retirada de peças mol-
dadas, substituindo com agilidade e assepsia as Exemplos de
embalagens
operações manuais. Mas, nesse terreno, a grande decoradas em
in-mold com
aposta é o in-mold labeling (IML) – decoração auxílio de robô
baseada na adesão de rótulos a peças plásticas por manipulador da
nipo-coreana
calor, durante suas ardentes fases de transformação. Star Seiki.
Fundamental para o processo, o robô insere e posi-
ciona o rótulo no interior do molde, garantindo a
precisão da aplicação.
Garantindo decorações nobres e indeléveis, o
in-mold já é largamente aplicado em embalagens
de outros países. Apontado como promessa para
o Brasil, o sistema até hoje não se massificou. Aí
entram os robôs, muitas vezes alegados como fator
de entrave por seus supostos preços altos. Os for-
necedores de robôs adequados para IML, porém,
fazem questão de rebater a pecha. “Com o dólar
baixo, o preço do robô vem caindo”, diz Roberto
Kimura, gerente-geral da subsidiária brasileira da
produtora nipo-coreana de robôs Star Seiki. “Mas,
acima de tudo, falta o mercado realizar estudos crite-
riosos para perceber que, com folgas, o equipamento

Robô da Wittmann
(à esq.) já é
empregado para a
decoração de potes
de sorvete, como
o da linha Kibon
Carte D’Or

22 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


traz retorno rápido e certeiro através da maior pro-
dutividade e da elimnação de mão-de-obra.”
“O estigma do custo está acabando”, entende
Reinaldo Carmo Milito, diretor-geral da operação
local da austríaca Wittmann, importante nome em
robôs para a indústria plástica. Em julho, dois robôs
para IML da empresa iniciaram operações na fabri-
cante de embalagens Pavão, que também possui
robôs da Star Seiki. A transformadora decora potes
de sorvete, aplicação que um robô da Wittmann já
desempenha há alguns anos na Huhtamaki – pro-
dutora dos potes rotulados com in-mold da linha
Carte D’Or, da Kibon. Milito e Kimura contam que
a procura por seus robôs cresceu nos últimos meses,
abrindo a perspectiva de uma real popularização do
IML no país.
A expectativa é corroborada pela DM Robótica,
filial brasileira da italiana Dal Maschio e única fabri-
cante local de robôs para in-mold. Só neste ano, a
empresa forneceu robôs para projetos de in-mold de
convertedores de embalagens como Fibrasa, Bomix,
Maghfran, Jaguar e Massucato. “São projetos basi-
camente centrados na decoração de baldes e potes”,
detalha José Luiz Galvão Gomes, diretor comercial
da DM Robótica. O executivo garante que o retorno
de investimento num robô para IML acontece no
máximo em um ano, e não se furta de destacar um
diferencial da DM. “Por serem nacionais, nossos
robôs são ‘finamizáveis’”, ressalta Galvão, aludindo
ao FINAME, programa facilitador de aquisição de
bens de capital apoiado pelo BNDES . (GK)

Única fabricante nacional de robôs para in-mold, DM Robótica


recentemente vendeu robôs para a decoração de baldes
FOTOS: DIVULGAÇÃO

DM Robótica Star Seiki Wittmann


(11) 4057-4063 (11) 3326-3349 (19) 3234-9464
www.dalmaschio.com.br www.starseiki.com.br www.wittmann.com.br

www.embalagemmarca.com.br julho 2008 EmbalagemMarca 23


ENTREVISTA  VÍTOR MALLMANN

Um novo colosso em plásticos

FOTO: DIVULGAÇÃO
Reunindo os ativos da
Unipar e da antiga
Suzano Petroquímica,
a Quattor nasce
como superpotência
brasileira em resinas.
Vítor Mallmann,
presidente da nova
empresa, explica como
ela aproveitará as
oportunidades e como
reagirá aos desafios
do setor petroquímico

E
m junho último, com Um dos desafios postos para a empre- te Quattor”.
a formação da Quattor sa recém-formada, que atinge, entre Engenheiro químico formado pela Uni-
– resultado da combina- outros setores, a cadeia usuária de versidade Federal do Rio de Janeiro,
ção dos ativos da Unipar embalagens plásticas em toda sua especializado em processos catalíticos,
(Petroquímica União, extensão, desde a matéria-prima até o Mallman, de 46 anos, é familiarizado
Polietilenos União, Rio Polímetros e ponto-de-venda, é a questão do preço com o setor, no qual atuava até recen-
Unipar Química), com 60% do capital das resinas petroquímicas. Elas depen- temente como vice-presidente de rela-
votante, e da Suzano Petroquímica, dem de duas matérias-primas básicas, ções com investidores da Unipar. Entre
recentemente adquiridos pela Petrobras a nafta e o gás natural, fornecidas os problemas que enfrentará certamen-
(detentora dos 40% restantes) – conso- justamente pela sócia que é minoritária te está o do atual nível de câmbio, que
lidou-se o processo da Petroquímica mas super-relevante, na medida em que favorece as importações, impactando
do Sudeste, iniciado no ano passado é monopolista. Nesta entrevista con- negativamente a balança comercial.
sob a égide da estatal. A empresa já cedida via internet devido a pressões Mas ele acredita que, “no médio prazo,
nasce com faturamento estimado em de sua agenda, o presidente da nova o fornecedor local apresenta um pacote
9 bilhões de reais por ano e com um empresa, Vítor Mallmann, diz ver essa de serviços mais atrativo e de menor
plano de 2 bilhões de reais de investi- questão como uma natural negociação volatilidade de preço que o fornecedor
mentos em andamento. “entre o fornecedor Petrobras e o clien- do exterior”. A conferir. (WP)

24 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


A Quattor entra em cena já com nas, e a perspectiva de o Brasil se Como poderá ser enfrentada a ame-
um pesado desafio: gerar resultados tornar exportador líquido de petróleo. aça representada pela crescente
num momento de alta sem prece- Essas alterações deveriam levar a importação de resinas vindas dos
dentes nos preços da nafta e do gás uma mudança do conceito com o qual Estados Unidos, pelos atuais níveis
natural, matérias-primas básicas das está fundamentada a fórmula atual. do câmbio e pela anunciada ins-
resinas petroquímicas. As indústrias talação de novas petroquímicas no
convertedoras de resinas queixam-se O fato de a Petrobras ser sócia Oriente Médio, que aumentarão a
de que “a nafta brasileira é a mais relevante da empresa, com 40% do oferta?
cara do mundo”. No entanto, ela é capital, facilita ou dificulta o enca- O atual nível de câmbio favorece
exportada a preços favorecidos para minhamento desse pleito da cadeia a importação, mas o próprio cres-
países vizinhos, que acabam inter- produtiva de embalagens plásticas? cimento das importações impacta
nando no Brasil embalagens até 25% A questão do preço da nafta é uma negativamente a balança comercial
mais baratas. Como pano de fundo, negociação entre o fornecedor Petro- e o câmbio. No médio prazo, o for-
a Petrobras, principal fornecedor, bras e o cliente Quattor. necedor local apresenta um pacote
usa uma fórmula de preço basea- de serviços mais atrativo e de menor
da no mercado europeu, importador Percebemos, em conversas informais volatilidade de preço que o fornece-
de nafta, enquanto o Brasil hoje é com profissionais do setor trans- dor do exterior.
exportador. Recentemente foi noti- formador e de indústrias usuárias
ciado que é cogitada para dezembro de produtos plásticos, uma natural Já foi traçado um plano de internacio-
deste ano a desvinculação dos con- apreensão com a concentração do nalização da Quattor? Falta alguma
tratos de compra da nafta com preços mercado de resinas. Na sua opinião, coisa para a empresa poder competir
internacionais. Isso se confirma? quais serão os impactos, nessa área, em nível mundial? Aliás, a criação da
O que está em curso é uma nego- da competição local basicamente marca e da identidade Quattor levou
ciação com a Petrobras para que restrita a dois megafornecedores? isso em consideração?
a fórmula-preço de nafta reflita as A criação da Quattor aumenta a con- A Quattor já tem uma posição no mer-
mudanças ocorridas na dinâmica do corrência no setor à medida que cria cado internacional baseada nas expor-
mercado, em especial do mercado um outro player em condição de dis- tações. A atuação no exterior pode
europeu, importador de nafta e resi- puta com os já existentes. se dar por meio de exportações em

O que é a Quattor
Fusão entre cinco empresas: Petroquímica União, Unipar Química, Polietilenos União, Rio Polímeros (Riopol) e Suzano Petroquímica.

Nome é inspirado na alquimia, e remete aos quatro elementos da natureza: água, terra,
fogo e ar. O nome e a identidade visual da companhia foram criados pela agência MPM.

Acionistas da empresa • Deve faturar, já a partir de 2009, 9 bilhões de reais, o que a coloca
entre as 20 maiores empresas do país e a oitava no Rio de Janeiro
Unipar Petrobras • Conta com 2000 colaboradores

60% 40% • Capacidade instalada de 1,9 milhão de toneladas de resinas/ano


• Responderá por 40% da produção nacional de polietileno e polipropileno

26 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


regime spot, a definição do mercado problema que, simplificando, resu- riais substituírem a resina termoplás-
externo como mercado alvo e a inter- mimos numa equação: numa ponta, tica, mas consideramos que mesmo
nacionalização da produção. Estamos pressão de preços das matérias-pri- no atual nível de preço – e o preço
nos configurando como exportado- mas para cima; na outra, pressão da da energia influencia todos os setores
ra perene no mercado internacional. indústria usuária e do varejo para – o plástico ainda se mantém como o
Nossa estimativa é que em 2009 esta- baixar os preços das embalagens. O produto de maior arco de aplicação e
remos exportando cerca de 500 000 resultado é perda de competitividade menor custo. Entretanto continuare-
toneladas de resinas. O nome Quattor das embalagens flexíveis perante as mos buscando uma precificação de
inclusive foi concebido já com essa feitas de outros materiais no Brasil nossa matéria-prima que considere a
visão de empresa de atuação no mer- e em relação às flexíveis de outros nova dinâmica do mercado.
cado internacional. Por isso optamos países. O consenso obtido foi de que
por um nome com origem no latim. a competitividade precisa ser de toda Além de preços melhores para as
Foi realizado um trabalho de locução a corrente, não só de seus elos. A matérias-primas, outro ponto con-
em diferentes línguas e a escolha está Quattor está aberta para a busca de sensual naquele evento foi o da
alinhada com essa estratégia de pre- uma solução nessa direção? necessidade de inovação como forma
sença internacional. Ao longo dos últimos dois anos houve de sustentar os negócios. Em sua
uma profunda mudança na partilha gestão, que ênfase será dada à ques-
Recentemente, organizamos em das margens dentro da cadeia de tão da inovação?
São Paulo um evento, denomina- produção, com o petróleo saindo do Trabalharemos próximo a nossos
do S EMINÁRIO E STRATÉGICO DE patamar de 40 dólares e alcançando clientes estratégicos de forma a
EMBALAGENS FLEXÍVEIS: DA MATÉRIA- 140 dólares, sem impacto nos índices suportar iniciativas que resultem na
PRIMA AO PONTO-DE-VENDA, com a de preços. Isso deixa claro que ocor- agregação de nova demanda. Nesse
presença de mais de 300 empresários reu uma maior apropriação pela etapa contexto, a inovação é uma questão
e profissionais representativos de de produção e refino de petróleo em fundamental.
todos os elos daquela cadeia produ- relação ao valor agregado total. Esse
tiva. O objetivo do evento foi buscar feito não é local, é global. Estaremos Aí estão incluídos projetos ligados
uma posição de consenso para um atentos à capacidade de outros mate- à produção de resinas a partir de
fontes renováveis? A propósito, a
Quattor tem projetos para ingressar
Na concorrente, comando novo na produção de resinas à base de
Bernardo Gradin assume a presidência da Braskem etanol?
A Quattor tem duas iniciativas na uti-
A potência em produção de resinas que a Quattor
lização de fontes renováveis de maté-
DIVULGAÇÃO

nasce para peitar, a Braskem, anunciou no início


de junho uma troca no seu principal posto exe-
rias-primas: a Unidade de Básicos está
cutivo. O engenheiro civil Bernardo Gradin foi avaliando tecnologias para a produção
nomeado presidente da petroquímica. Gradin tra- de eteno de álcool junto a licenciado-
balha no grupo Odebrecht, acionista controlador res, dentre eles a própria Petrobras.
da Braskem, desde 1987, já tendo ocupado, na E a Unidade de Polipropileno vem
empresa petroquímica, os cargos de vice-presi- desenvolvendo um trabalho inédito de
dente da Unidade de Vinílicos e de vice-presidente utilização de glicerina para a produção
da Unidade de Insumos Básicos. No passado, de propeno, o que nos permitiria pro-
Gradin também comandou a produtora de vinílicos duzir um polipropileno “verde”.
Trikem, incorporada pela Braskem em 2004. José
Carlos Grubisich, que presidiu a Braskem nos últi-
A Suzano Petroquímica, depois Nova
mos sete anos, irá assumir a presidência da ETH
Petroquímica, tinha um expressivo
Bioenergia S.A., empresa que consolida os investi- Gradin: missão de capitanear uma
mentos da Odebrecht no setor de açúcar e álcool. Braskem pós-Grubisich trabalho no campo das pesquisas
para o desenvolvimento de nanotec-

28 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


nologia em plásticos. Essa linha será Não, em função do estágio inicial de nova unidade que utilizará, de forma
mantida, ampliada? Há previsões de desenvolvimento em que se encontra. inédita no país, gás de refinaria. A
investimentos? De que porte? diversidade de matérias-primas utili-
Os trabalhos na Unidade de Polipro- A Quattor inicia suas atividades zadas busca essencialmente aumentar
pilenos, a exemplo dos estudos de capacitada a produzir polietilenos, a competitividade da produção da
nanotecnologia e do desenvolvimento as resinas mais consumidas para Quattor e, por conseqüência, a com-
do polipropileno verde já comentado, a transformação de embalagens, a petitividade da cadeia produtiva.
terão ênfase nesse novo ciclo. partir de eteno de nafta e de gás
natural. No entanto, a empresa está A Quattor participará do Comperj
A tecnologia utilizando glicerina já investindo numa terceira rota, a do – Complexo Petroquímico do Rio de
está consolidada? gás de refinaria. Que impactos essa Janeiro? Em que condição?
Está na fase inicial de laboratório, iniciativa poderá trazer à indústria Definir o interesse e a forma de parti-
temos ainda um caminho para uma petroquímica e, mais à frente, ao cipação da Quattor no Comperj é uma
tecnologia no nível de engenharia mercado de embalagens? das primeiras tarefas a serem executa-
básica. A Quattor nasce com um portfólio das pela nossa companhia. Um projeto
diversificado de matérias-primas que que disponibiliza matéria–prima para
Há previsão para o início de oferta contempla a unidade de nafta em São a produção de polietileno e polipropi-
desse produto em volumes indus- Paulo, o único pólo com base em gás leno, nosso core business, certamente
triais? do Brasil, no Rio de Janeiro, e uma merece a nossa avaliação.
 CEREAIS MATINAIS

Fácil de guardar
– e de visualizar
Produzida com cartão reciclado, Lateral da

embalagem da Kellogg tem novo


caixa traz
instruções
sobre o
sistema de fechamento e janela fechamento

que possibilita ver o conteúdo

“Vitrine” na parte frontal


mostra o produto ao
consumidor

Depois de
aberto, car-
tucho vira
“gable top”;
no verso da
embalagem,
inscrições
em braile

Brasilgrafica Matriz Escritório de Desenho Papirus


(11) 4133-7777 (11) 5081-8399 (11) 2125-3900
www.brasilgrafica.com.br www.matrizdesenho.com.br www.papirus.com

A
Kellogg investiu em colocação de uma janela na parte frontal cartucho com topo do tipo “gable top”
mudanças na fórmula, na da embalagem, que possibilita ao con- (cumeeira).
embalagem e no posicio- sumidor visualizar o conteúdo da caixa. O verso das embalagens traz infor-
namento do cereal mati- Isso é possível graças ao uso de uma mações sobre os benefícios do produto,
nal Kellness, carro-chefe bolsa plástica transparente, que “mos- dicas de alimentação e sugestões sobre
da sua linha para adultos. A empresa tra” o produto através da janela. “A vitri- como relacionar-se com o seu entorno
aumentou o tamanho dos grãos e a ne permite aos consumidores apreciar a de forma sustentável. O objetivo é infor-
quantidade de fibras dos cereais. Com a textura dos grãos, o que gera impacto e mar e incentivar as pessoas a usarem
nova formulação do produto, a Kellogg diferenciação no ponto-de-venda”, diz os recursos naturais de forma racional.
investiu também em uma nova embala- Mario Pallares, diretor de Desenho e Inscrições em braile permitem a iden-
gem, produzida pela Brasilgrafica com Atendimento da Matriz. tificação do produto para deficientes
papel cartão reciclado Vidacarta 350 O sistema de fechamento da embala- visuais. De acordo com Pallares, “a
gramas/m2, da Papirus. gem é mais uma novidade. Após a aber- embalagem teve sua função estendida,
Reformulado pela Matriz Escritório tura, as abas laterais da caixa devem gerando uma positiva dinâmica de rela-
de Desenho, o design gráfico das emba- ser arrancadas e a aba do verso dobrada cionamento entre marca e consumidor”.
lagens agora conta com traços mais para dentro; depois, as laterais devem A linha Kellness é composta pelas
leves e modernos. Acompanhando as ser empurradas para dentro e a tampa versões Müslix Tradicional, Müslix
mudanças, o logotipo da marca também deve ser dobrada no vinco, encaixan- Chocolate, Granola Tradicional e
foi revitalizado. Outra mudança foi a do a trava num corte. Resultado: um Granola Amêndoas & Canela. (FP)

30 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


 PRÊMIO EMBALAGEMMARCA

Ampla visibilidade e INSCRIÇÕES


ATÉ 22 DE
uma viagem grátis a Paris AGOSTO.
NÃO DEIXE
Além de troféu, vencedores podem ganhar passagem à Europa PARA A

C
om seus preparativos em pleno
andamento, a segunda edição do
tivo de tornar mais ágil e ao mesmo tempo mais
acurado o trabalho dos jurados, é a preparação
ÚLTIMA
PRÊMIO EMBALAGEMMARCA – GRAN- dos resumos dos cases pela equipe da revista, HORA.
DES CASES DE EMBALAGEM tem tudo com base nas descrições feitas nas fichas de ins-
para ser mais abrangente do que foi crição. Assim, além de terem em mãos as fichas www.grandescases.com.br
em sua ação inaugural, realizada em setembro completas, os membros do júri terão à disposição
de 2007. Além de preverem para este ano êxito uma folha com cada case apresentado de maneira
maior do que o alcançado naquela oportunidade, sintética e objetiva.
os organizadores introduziram alguns aperfeiço-
amentos na premiação. O principal deles refere- Visão e visibilidade
se a uma solicitação recorrente de profissionais e Como na edição anterior, os cases vencedores
empresários dos segmentos de matérias-primas serão descritos para o público na ocasião da
e equipamentos, no sentido de que produtos por entrega dos troféus, em cerimônia a ser realizada
eles fornecidos pudessem vir a ser premiados. nas modernas instalações do Centro Fecomercio
Ao conceberem o regulamento, os organiza- de Eventos, em São Paulo. Essa providência é
dores do prêmio estabeleceram que somente for- um dos aspectos que contribuíram para fazer
necedores de máquinas e de materiais da ponta do PRÊMIO EMBALAGEMMARCA – GRANDES CASES
inicial da cadeia produtiva de embalagens pode-
riam adquirir cotas de patrocínio, sem direito a
serem premiados. Só poderiam inscrever cases
concorrentes ao prêmio indústrias fabricantes e
“Sintonia com o pensamento estratégico”
usuárias de embalagens, além de empresas pres- “Nosso apoio ao PRÊMIO EMBALAGEMMARCA – GRANDES CASES
tadoras de serviços, como agências de design e DE EMBALAGEM guarda sintonia com o próprio pensamento
escritórios de projetos de embalagem. No entan- estratégico da Quattor: trabalho de parceria, qualifica-
do e voltado para um segmento importante e de forte
to, os concorrentes estavam – e estão – impedi-
competitividade. A embalagem já é percebida como
dos de patrocinar o prêmio. O objetivo dessas
elemento vital nas estratégias comerciais. Trata-se de
restrições foi deixar clara a garantia de imparcia-
um agente determinante na decisão de compra dos con-
lidade no julgamento dos cases inscritos. sumidores. O design, o material utilizado e a inovação
O que mudou no regulamento é que, embora são componentes que oferecem às embalagens o dife-
continuem impedidos de inscrever cases, patro- rencial competitivo. Estimular os profissionais do setor
cinadores poderão ter premiadas suas máquinas de embalagem para a pesquisa e a descoberta de tais
e as matérias-primas que fornecem, desde que diferenciais em seus produtos está no DNA da Quattor.
sejam citadas nas fichas por seus clientes res- Desejamos aos participantes muito sucesso.”
ponsáveis pela inscrição, se estes entenderem Armando Bighetti
que uma ou outra, ou ambas, tenham contri- Vice-Presidente Unidade PP – Quattor
buído para o êxito do case. O regulamento está
disponível em forma impressa nesta edição de
EMBALAGEMMARCA e no site www.grandescases.
com.br, de onde pode ser facilmente baixado.
Outra providência tomada, esta com o obje-

32 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


DE EMBALAGEM, já em sua primeira edição, uma Outro aspecto de valorização do prêmio
referência nas premiações da área. – que para esta edição acaba de fechar contrato
Idealizada para homenagear e incentivar o de patrocínio premium com a recém-criada Quat-
aperfeiçoamento e o crescimento da cadeia pro- tor (veja quadro ao lado) – é a ampla visibilidade
dutiva de embalagens, evitando concorrer com dada aos cases ganhadores por EMBALAGEMMAR-
os prêmios já existentes, a ação organizada pela CA, na cobertura da premiação. Cada um deles
Bloco de Comunicação e por sua parceira SPR é descrito – sem cobrança de “taxas de colabo-
International é formatada de modo a ser diferente ração” – numa página da revista, cuja edição se
das iniciativas similares. Assim, em vez de se transforma naquele mês num didático estudo
premiar categorias de produtos ou suas emba- de cases, sem prejuízo da cobertura normal dos
lagens isoladamente, estas são estudadas pelos negócios de embalagem. Para ampliar a visibili-
jurados de maneira abrangente. O critério é o de dade, as embalagens dos cases vencedores serão
visão sistêmica da embalagem. expostas, entre 7 e 11 de outubro, no saguão do
Na análise são levadas em conta todas as campus do Centro Universitário Belas Artes de
formas com que a embalagem de um produto São Paulo da Rua José Antônio Coelho, nº 879,
contribui para seu êxito – ambiental, indus- em São Paulo.
trial, logístico, do impacto que pode causar no
ponto-de-venda e de seu peso nos resultados Além das fronteiras
comerciais. A beleza da embalagem e outras A visibilidade propiciada pelo PRÊMIO EMBALA-
propriedades do design, como a ergonomia GEMMARCA vai, literalmente, muito além des-
e os grafismos, também são considerados, mas sas fronteiras. Durante o jantar de premiação,
não são decisivos isoladamente. será sorteada entre os cases ganhadores uma

www.embalagemmarca.com.br julho 2008 EmbalagemMarca 33


passagem de ida e volta a Paris, com direito a EMBALAGEM devem considerar que a data de
hospedagem por quatro noites e ingressos para encerramento das inscrições – 22 de agosto – é
o salão Emballage, que ocorrerá entre 17 e 21 o chamado deadline, ou, em bom português, o
de novembro próximo. O sorteado terá direito prazo final. Fazê-las antes dessa data oferece
também a apresentar o case premiado no Pack. duas vantagens: elimina correrias de última hora
Vision, simpósio de tendências de embalagem e permite que sejam feitas eventuais correções
organizado pelos organizadores do salão e em caso de falhas nas inscrições.
ao qual comparecem profissionais, scholars e No aspecto formal, a organização vem se
empresários ligados ao universo da embalagem empenhando para que não só o concurso, mas
do mundo inteiro. também a festa de anúncio dos cases ganha-
O sorteio é cortesia de um dos patrocinadores dores seja no mínimo tão agradável quanto a
máster do PRÊMIO EMBALAGEMMARCA – GRANDES da primeira edição. Com base na credibilidade
CASES DE EMBALAGEM, o salão Emballage, através alcançada por aquela edição, os organizadores
do Promosalons, seu representante no Brasil. Na prevêem que este ano o número de inscrições de
primeira edição do prêmio, o sorteado foi a Ama- cases ultrapassará de longe as 130 feitas no ano
zon Comércio Importação e Exportação, com o passado. Igualmente, projetam que a lotação do
case da tampa para pote de vidro Massucap do Fecomercio, de pouco mais de 500 pessoas, será
Palmito Equador. A apresentação desse case no completada, ultrapassando assim as 300 pessoas
Pack.Vision será feita pelos representantes da que compareceram à cerimônia e ao jantar de
indústria responsável pela inscrição, a Massucat- premiação no ano passado. Será, no mínimo,
to, que forneceu a tampa (EMBALAGEMMARCA nº uma boa oportunidade para estreitar relaciona-
98, outubro de 2007). mentos, numa festa objetiva do ponto de vista
Os interessados em fazer inscrições no PRÊ- dos negócios e muito agradável do ponto de
MIO EMBALAGEMMARCA – GRANDES CASES DE vista social. (WP)

Patrocínio Premium Patrocínio Master

Patrocínio Especial Organização

Apoio Operacional

34 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


Regulamento

Objetivo R$ 150,00 para os subseqüentes. Valerá para este fim o nome da empresa


Incentivar e valorizar a busca da excelência nas embalagens brasileiras, constante como responsável pela inscrição.
premiando aquelas que se destacarem pela otimização do conjunto de seus 3. O pagamento da taxa de inscrição deverá ser efetuado por boleto bancário, a
elementos ou, isoladamente, de um ou mais deles que tenham peso decisivo ser enviado aos cuidados do responsável pela inscrição. O vencimento do boleto
para a obtenção de resultados positivos para a empresa usuária. será de 15 (quinze) dias corridos a contar da data do recebimento do formulário.
Para emissão de recibo serão usados os dados cadastrais constantes da ficha de
Conceitos inscrição. Em nenhuma hipótese as taxas de inscrição serão reembolsadas.
 Desempenho mercadológico 4. No valor da taxa de inscrição está incluída a produção de foto ou fotos para
 Praticidade de fabricação, manuseio e utilização uso em edição da revista EmbalagemMarca posterior à cerimônia de premiação,
 Inovação tecnológica com a cobertura do evento e com os resultados do concurso. Se solicitadas,
 Segurança (proteção do produto e do consumidor) as fotos produzidas das embalagens vencedoras serão cedidas gratuitamente
 Design (artístico e técnico) às empresas envolvidas, para divulgação. Não está incluído nessa taxa convite
 Acabamento para a cerimônia de premiação. As empresas inscritas terão, contudo, 20% de
 Impacto ambiental desconto sobre o valor dos convites.
 Outros atributos que gerem resultados positivos. 5. As inscrições poderão ser feitas por empresas atuantes em quaisquer dos
elos da cadeia de embalagem, com exceção de fornecedores de matérias-
primas, equipamentos e insumos básicos, como resinas, papéis e filmes para
REGULAMENTO embalagens, chapas metálicas etc.
6. Os participantes concordam automaticamente, no ato da inscrição, com
1. A finalidade deste regulamento é estabelecer as normas relativas às condi- a utilização gratuita de seu nome, fotos e dados relativos às embalagens
ções de participação, inscrições, formato de apresentação das peças inscritas, apresentadas, para divulgação em qualquer meio de comunicação, nacional e
critérios de julgamento e premiação que regerão o Prêmio EmbalagemMarca internacional, impresso ou eletrônico, em português ou em tradução para outros
– Grandes Cases de Embalagem 2008. idiomas, bem como para exposições e para exemplos de cases em cursos,
2. O prêmio será realizado anualmente, sendo que a premiação da segunda palestras, seminários e outros eventos semelhantes.
edição (2008) ocorrerá em 1º de outubro de 2008. 7. As fichas de inscrições e os respectivos arquivos digitais deverão ser enca-
3. Poderão concorrer ao Prêmio: minhados (via SEDEX ou portador) ao seguinte endereço:
 Embalagens primárias, secundárias e de transporte, exclusivas ou Bloco Comunicação Ltda. (A/C Marcella de Freitas Monteiro)
padronizadas, e seus componentes (tampas, válvulas, rótulos, decoração, Rua Arcílio Martins, 53 (Chácara Santo Antônio)
adereços, matérias-primas e outros insumos). São Paulo – SP - CEP 04718-040
 As embalagens concorrentes têm de conter, pelo menos, um compo- Os materiais (embalagens) deverão ser encaminhados de 4 a 22 de agosto de
nente produzido no Brasil (design, embalagem, insumo e/ou complemento). 2008, devidamente acondicionados e protocolados, ao seguinte endereço:
 As embalagens precisam ter sido lançadas no mercado no período de Centro Universitário Belas Artes de São Paulo (A/C. do prof. Eddy Pires Stephan)
1º de julho de 2007 a 30 de junho de 2008. Rua José Antônio Coelho, 879 (Vila Mariana)
São Paulo – SP – CEP 04011-062
I – Condições para participação 8. As peças inscritas e os demais documentos e materiais que as acompanha-
1 – Para participar do prêmio os interessados deverão apresentar sua inscrição rem não serão devolvidos. Caso a empresa deseje receber de volta esses itens,
no endereço indicado no capítulo II deste regulamento acompanhada de ficha é necessário explicitar isso na ficha de inscrição. A devolução será feita após a
específica para esse fim, disponível no site www.grandescases.com.br realização da cerimônia de premiação, por Sedex a cobrar.
2 – A data final para entrega das inscrições é improrrogável. Recomenda-se
que sejam levados em conta, no momento da postagem, os prazos requeridos III – Formato de apresentação
pelas transportadoras e/ou pelo correio para a efetiva entrega dos materiais 1. Os cases deverão ser apresentados em arquivo digital e em texto impresso
no local estabelecido no item 8 do capítulo II deste regulamento, e tomamos a em uma ou mais folhas de papel formato A4, contendo:
liberdade de sugerir que as entregas sejam feitas no início do prazo estipulado • A descrição do cenário de mercado (desafio) que levou à concepção da
no item anterior. embalagem;
3 – Para ter validade a inscrição deverá: • o conceito desta, suas características e peculiaridades que justificam sua
A) Ser acompanhada da ficha de inscrição preenchida, contendo: participação;
• Identificação da empresa usuária; • os resultados obtidos com a implementação da embalagem.
• identificação do responsável pelas informações; 2. É facultativo o envio de imagens que ilustrem o case e eventualmente
• descrição do conceito da embalagem e das características e peculiaridades facilitem o julgamento por parte dos jurados.
que justificam sua participação, de acordo com os objetivos do prêmio e confor- 3. As peças deverão ser enviadas acondicionadas em caixas resistentes.
me descrito no capítulo III deste regulamento. Avarias, violações ou extravios nos trabalhos antes de seu recebimento são de
B) Ter encaminhadas ao endereço especificado 1 (uma) amostra das embala- responsabilidade de cada participante.
gens concorrentes, em perfeito estado e devidamente acondicionadas. No caso
de produtos refrigerados as embalagens deverão estar vazias. Na eventualidade IV – Critérios de Julgamento
de se tratar de case de redesenho de embalagem, deve ser enviada uma foto 1. Todos os trabalhos que tenham sido classificados serão julgados com base
em tamanho grande e alta resolução (10 x 15 cm e 300 DPI) da embalagem em um dos seguintes aspectos e/ou de seu conjunto:
anterior. Em se tratando de linha de produtos, não é necessário enviar todos os • Conceito global;
itens, mas apenas aqueles que dêem aos jurados a noção do conjunto. Nesse • utilização de tecnologias e soluções inovadoras;
caso, enviar também uma imagem da linha completa. • produtividade em linha;
• praticidade de uso;
II – Inscrições • segurança;
1. As inscrições poderão ser feitas de 1º de março a 22 de agosto de 2008. • desempenho comercial;
2. O número de produtos inscritos para concorrer é ilimitado, sendo que o • design artístico e técnico;
valor da taxa de inscrição é de R$ 250,00 para o primeiro item inscrito e de • impacto no meio ambiente (matérias-primas utilizadas, reaproveitamento,
Regulamento

reciclagem, redução de materiais, etc.); as empresas usuárias das embalagens que o Júri reputar merecedoras, não
• acabamento. havendo qualquer tipo de classificação ordinal entre elas.
2. O júri não terá obrigação de selecionar, para premiação, quantidades míni- 2. Serão premiados também os fornecedores e prestadores de serviços inte-
mas de casos inscritos. Dada a qualidade e o nível de excelência atingido pelas grantes dos cases vencedores que tenham sido citados no anexo descritivo da
embalagens brasileiras, é difícil ocorrer a possibilidade de não haver premia- respectiva ficha de inscrição.
ção, mas essa hipótese não estará eliminada, se o Júri entender que nenhuma 3. Os troféus serão entregues aos representantes das empresas vencedoras
das embalagens apresentadas é merecedora de prêmio. O júri é soberano em que estiverem presentes na cerimônia de premiação. Exceções serão anali-
suas decisões, que são irrecorríveis. sadas caso a caso, e vencedores que não tiverem comparecido à cerimônia
podem, a critério dos organizadores, ser autorizados a retirar troféu e certifica-
V – Julgamento do na sede da Bloco de Comunicação (Rua Arcílio Martins, 53 - Chácara Santo
1. O julgamento será realizado em duas etapas: Antônio - São Paulo, SP).
A. Fase eliminatória, a ser concluída em 29 de agosto de 2008, na qual serão
desclassificadas as inscrições que não atenderem aos termos do objetivo do VII – Premiação
prêmio, bem como os termos deste regulamento. 1. A cerimônia de premiação será realizada na cidade de São Paulo, no dia 1º
B. Julgamento final – Será realizado no dia 1º de setembro de 2008, quando de outubro de 2008, no Centro Fecomércio de Eventos, na Rua Dr. Plínio Barreto,
serão definidas as embalagens e os componentes merecedores de prêmio. 285, São Paulo, SP.
2. O julgamento ocorrerá nas instalações do campus de design do Centro
Universitário Belas Artes de São Paulo, situado na rua Rua José Antônio Coelho, VIII – Considerações finais
897, Vila Mariana. São Paulo (SP). 1. Os casos omissos neste regulamento serão sanados pelos organizadores.
3. Os jurados, em número de 5 (cinco), serão especialistas do setor de
embalagem, que elegerão dentre si o presidente do júri e terão seus nomes _________________________________________________
divulgados posteriormente à data de escolha dos cases vencedores. Para esclarecimentos adicionais:
e-mail: premio@embalagemmarca.com.br
VI – Prêmios Telefones (11) 5181-6533 e (11) 5521-4325
1. Receberão o prêmio EmbalagemMarca – Grandes Cases de Embalagem A ficha de inscrição está disponível no site www.grandescases.com.br

Checklist
Os jurados do Prêmio EmbalagemMarca - Grandes Cases de Emblagem avaliam a embalagem como um case, ou seja, analisam aspectos relativos ao manuseio,
proteção, design, produção, respeito ao meio ambiente, entre outros. Por isso, a descrição detalhada dos cases é muito importante. Para ajudá-lo a confirmar se a
sua inscrição atende ao regulamento, confira o checklist abaixo. Ainda tem dúvida? Entre em contato conosco pelo e-mail premio@embalagemmarca.com.br.

 Sua inscrição traz todos os dados cadastrais da sua empresa solicitados?


 Sua inscrição traz o nome da pessoa responsável pelas informações, bem como dados para contato, se necessário?
 Sua inscrição especifica qual o produto inscrito e fornece as informações sobre a embalagem, tais como material, capacidade, fornecedor(es)?
 Na descrição do case foi explicitado qual o cenário-problema que a embalagem visava resolver?
 Na descrição do case foi explicado com detalhes qual o tipo de solução de embalagem dado para o problema enfrentado?
 Na descrição do case foram apresentados os resultados obtidos com a solução implementada?
 Na descrição do case foram fornecidos números que servirão de parâmetro para o júri avaliar o case?
 No caso de haver números e/ou informações confidenciais na sua inscrição, foi explicitado quais números não podem ser divulgados?
 Foi anexado 1 exemplar da embalagem que está concorrendo ao prêmio, devidamente acondicionado e limpo?
 Os endereços para os quais as embalagens e a ficha de inscrição estão sendo enviados é o mesmo solicitado no Regulamento?
 As embalagens foram lançadas entre 1º de julho de 2007 e 30 de junho de 2008?

Patrocínio Premium Patrocínio Master Patrocínio Especial Organização

Apoio Operacional
PANORAMA  MOVIMENTAÇÃO NO MUNDO DAS EMBALAGENS E DAS MARCAS

Edição: GUILHERME KAMIO  guma@embalagemmarca.com.br

FOTOS: DIVULGAÇÃO
ROTULAGEM RECICLAGEM

À espera de um sinal Reuso fashion


Idec pleiteia indicação do valor nutricional de alimentos por cores Roupas de PET reciclado da Coca-Cola
ganham uma nova passarela no Wal-Mart
Com o intuito de querer facilitar a vermelho alerta para a ingestão,
percepção pelo público da quan- acima daquela recomendada por No ano passado, sem grande alarde, a matriz
tidade e da qualidade nutricional, estudos científicos, de deter- americana da Coca-Cola lançou camisetas
o Instituto Brasileiro de Defesa minado componente. A Anvisa, confeccionadas com PET reciclado de suas
do Consumidor (Idec) sugeriu à porém, parece não se entusiasmar garrafas. Agora, um acordo com o Wal-Mart
Agência Nacional com o pleito do promete turbinar as vendas dessa linha de
de Vigilância Idec. “Esse tipo de roupas, nomeada Drink 2 Wear (“Beba para
Sanitária (Anvisa) rotulagem requer vestir”, em tradução livre do inglês). “Se os
a adoção no Brasil a definição de 200 milhões de compradores do Wal-Mart nos
dos “semáforos parâmetros para a Estados Unidos comprarem as camisetas, nos
nutricionais” nas classificação dos ajudarão a desviar mais de 700 milhões de
embalagens de nutrientes, e é difícil garrafas da rota tradicional de descarte”, diz
alimentos. Já uti- fechar um con- Stuart Kronauge, vice-presidente de marketing
lizados em larga senso sobre esses da Coca-Cola na América do Norte. Algumas
Simulação, feita pelo Idec, de camisetas são estampadas com desenhos e
escala na Espanha tabela aplicada em pacote de valores”, declarou
e, principalmente, macarrão a gerente-geral slogans que incentivam o consumo consciente
no Reino Unido, de alimentos da e têm etiquetas que indicam quantas garrafas
onde são conhecidos como “tra- Anvisa, Denise Resende, à Revista de PET são consumidas na sua produção –
ffic light systems” os “semáforos” do Idec. “A compreensão das quatro, nas masculinas, e três, nas femininas.
consistem em tabelas onde a informações disponibilizadas na
carga de cada um dos principais embalagem é uma preocupação
nutrientes do produto é destacada da Anvisa, mas é preciso avaliar
FOTO: REPRODUÇÃO

e classificada como baixa, regular qual é a forma mais adequada e


ou alta de acordo com as cores eficaz para melhorar esse enten-
verde, amarela e vermelha. O dimento.”

PET

Pró-atividade.com
Site mostra como a Sidel tenta reduzir o
impacto ambiental das garrafas plásticas
Garrafas plásticas democratizaram equipamentos para envasamento
o consumo de bebidas, mas são dessas embalagens, a francesa Sidel
oriundas de recursos finitos e vêem- colocou no ar o www.no-bottle.
se diante de crescentes retaliações com, que condensa suas iniciativas
dos ecologistas. Ciente da situação em prol da fabricação de garrafas Wal-Mart vende
e de seu papel como referência em plásticas ambientalmente mais ami- roupas da Coca-Cola
gáveis. A estrela do site é o produzidas com PET
reciclado. Etiquetas
conceito NoBottle de emba- das camisetas
lagens ultraleves de PET, que ilustram o processo
(no detalhe abaixo)
propicia reduções de 25% a
40% em material empregado
por garrafa. O portal calcula
quanto PET vem sendo eco-
nomizado graças à tecno-
logia. No fechamento desta
edição, o contador marcava
37 000 toneladas “salvas”.

38 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


PANORAMA  MOVIMENTAÇÃO NO MUNDO DAS EMBALAGENS E DAS MARCAS

PLÁSTICOS

Hicks compra a Graham Packaging


Magnata americano põe a mão numa das maiores
Envoltório para transformadoras de embalagens plásticas rígidas do mundo
frutas: uma das
aplicações-tema do A firma de investimentos Hicks de participação na transforma-
congresso sobre PLA
Acquisition, do magnata texa- dora – e já anunciou que quer
no Tom Hicks, adquiriu o con- abrir o capital da empresa,
trole da Graham Packaging, listando-a na Bolsa de Nova
uma das maiores fabricantes York. O plano é dar novo fôle-
de embalagens plásticas rígi- go à Graham Packaging, que
das do mundo. Dono do time em 2007 registrou queda de
de beisebol Texas Rangers e 71% no lucro em comparação
um dos principais investido- a 2006. A empresa opera 87
res do clube inglês de futebol fábricas em 16 países – quatro
Liverpool, Hicks desembolsou delas no Brasil – e emprega
3,2 bilhões de dólares por 66% 8 700 pessoas.

PAPELÃO ONDULADO

Um sexto motor
Araçatuba abrigará nova fábrica de embalagens da Rigesa
EVENTO A Rigesa confirmou: irá inau- da nova planta industrial, que
Só para o plástico de milho gurar mais uma fábrica de
embalagens de papelão ondu-
deverá gerar 180 empregos
diretos e 550 indiretos, é a
PLA terá um congresso próprio na Alemanha lado, sua sexta no Brasil. Com aproximação dos clientes do
O ácido polilactídeo (PLA), bioplástico derivado do início das operações previsto interior de São Paulo, do norte
milho tido como grande promessa para a produção para fevereiro de 2009, a nova do Paraná e do Centro-Oeste.
de embalagens, terá um congresso só para si. O instalação ficará em Araçatuba “A nova fábrica capacitará a
primeiro PLA World Congress ocorrerá em Munique, (SP). O projeto é de um prédio nossa empresa a melhor aten-
Alemanha, nos dias 9 e 10 de setembro. Organizado de 25 000 metros quadrados der às necessidades de nossos
pela Polymedia Publisher, o evento promete abordar, utilizado sob o modelo “build to clientes”, resume o executivo.
entre outros tópicos, panorama do mercado, desen- suit” – a empreendedora Bracor Subsidiária do grupo america-
volvimentos recentes, questões de performance e comprará o terreno e cuidará da no MeadWestvaco, a Rigesa
opções de processamento pós-consumo. construção, alugando-a para a também atua nos mercados de
Mais informações sobre o evento: Rigesa. Segundo Paulo Tilkian, embalagens de papel cartão e
www.pla-world-congress.com. presidente da Rigesa, o objetivo de plásticos semi-rígidos.

O NÚMERO É a produção anual mundial de filmes

4,6
de polipropileno biorientado (BOPP),
material cada vez mais utilizado nas
produções de embalagens flexíveis e
de rótulos. O volume permite
envolver toda a Terra com
um filme de 15 micra
milhões de
STUDIO AG – ANDRÉ GODOY

de espessura.
Caixas de papelão
toneladas ondulado da Rigesa:
FONTE: AMI CONSULTING

nova matriz no
interior paulista

40 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


PANORAMA  MOVIMENTAÇÃO NO MUNDO DAS EMBALAGENS E DAS MARCAS

PRÊMIO

GENTE Os destaques para o setor farma


O alemão Andreas Nobis Laboratórios elegem os melhores fornecedores de embalagens e máquinas
(foto) é o novo presidente
da Robert Bosch América Em festa realizada no xo, os premiados nas Ciro Mortella,
Latina, empresa que en- dia 27 de maio último categorias Material presidente da
no Tom Brasil Nações de Embalagem Febrafarma,
globa as divisões Bosch discursa na
Rexroth e a Bosch Tecnologia em Embala- Unidas, em São e Máquinas e cerimônia de
Paulo, a Federação da Equipamentos). Por premiação
gem, fortes atuantes do setor de tecnolo-
gia industrial. Nobis substitui Edgar Silva Indústria Farmacêutica sua vez, os fornece-
Garbade, que passa a compor o conselho (Febrafarma) divulgou dores elegem os fabri-
administrativo da empresa e a dirigir o os vencedores da 13ª cantes de medicamen-
Instituto Robert Bosch. edição do seu Prêmio tos que apresentaram
de Qualidade. No a melhor interação e
Presidente da Associação Brasileira da concurso, laboratórios que se destacaram
Indústria Gráfica (Abigraf), o empresário apontam os forne- nos processos de qua-
Alfried Karl Plöger, alemão naturalizado cedores que mais os lificação e orientação.
brasileiro, recebeu no fim de junho o título ajudaram a alcançar Neste ano, os eleitos
de Cidadão Paulistano, outorgado pela melhores níveis de foram os laboratórios
Câmara Municipal de São Paulo. qualidade (veja, abai- Aché e EMS.

Egresso da multinacional Material de Embalagem


americana RR Donnelley
Ampolas e Frascos para Produtos
Moore, Jorge Serpa (foto) Schott Brasil
Parenterais (Tipo I)
foi contratado para geren-
Bisnagas de Alumínio Bisfarma Indústria de Embalagens
ciar os departamentos de
Vendas, Atendimento ao Cliente e Marke- Laramara – Associação Brasileira de Assistência ao
Bulas e Rótulos Deficiente Visual
ting da Uvpack, especializada em acaba-
mentos especiais no setor gráfico. Caixas de Papelão Ondulado Fábrica de Papel e Papelão Nossa Senhora da Penha
Cartuchos Mácron Indústria Gráfica
Referência em tecnologias de segurança
para a prevenção de perdas em ambiente Etiquetas Auto-Adesivas Gráficos Sangar
de varejo, a Plastrom Sensormatic anun- Filmes Plásticos para Blister (PVC, PVDC Klöckner Pentaplast do Brasil
ciou seu novo CEO: Luis Antonio Alves etc.)
de Oliveira. O executivo tem mais de 25 Frascos de Vidro Wheaton Brasil Vidros
anos de experiência nos mercados de TI
Frascos e Tampas Plásticas Védat Tampas Herméticas
e de telecom.
Laminados de Alumínio Alcan Embalagens do Brasil
Braço da Associação Brasileira da Indús- Tampas de Borracha, Selos e Lacres de
tria do Plástico (Abiplast), o Comitê dos West Pharmaceutical Services
Alumínio
Fabricantes de Embalagens Industriais
Tampas para Frascos de Vidro Védat Tampas Herméticas
Sopradas (Cofeis), criado em 2007, tem
novo comando. Ricardo Jamil Hajaj, da Máquinas e Equipamentos
Cimplast, foi eleito coordenador do grupo.
Blistadoras Fabrima Máquinas Automáticas
Francisco S. Filho, da Supertainer, Luiz
Cláudio Tavares, da Emplas, e Níveo Maluf, Encapsuladoras Almapal S.A. – PAM
da Mauser, serão seus suplentes. O novo Enchedoras de Líquidos Wada Indústria de Máquinas e Equipamentos
secretário e tesoureiro do
Cofeis é Daniel Antônio Misturadores de Pós Máquinas Neuberger Ind. Com.
Pereira (foto), diretor de Basim Máquinas Ltda. – Bausch Advanced
Rotuladeira/Etiquetadoras
marketing e negócios da Technologies Group
Loop Embalagens. Encartuchadeiras Fabrima Máquinas Automáticas

42 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


 ATOMATADOS

Amparo de uma top of mind


Stand-up pouch ganha um forte aliado no avanço em atomatados: Pomarola

E
les estrearam no mercado brasileiro
de atomatados no final de 2003 e,
desde então, vêm beliscando com

DIVULGAÇÃO
força cada vez maior os calcanhares
das latas, caixinhas longa vida e
potes de vidro que há mais tempo acondicionam
os derivados de tomate no mercado nacional. Os
stand-up pouches (SUPs), bolsas plásticas capazes
de parar em pé, conseguiram amealhar importan-
tes usuárias na seara dos atomatados em quase
cinco anos – entre elas Sofruta, Predilecta, Fugini
e Quero Alimentos. Mas talvez a mais eloqüente
adesão seja esta: a Unilever acaba de lançar uma
versão em SUP de Pomarola, marca top of mind
(de grande lembrança) no segmento de molhos.
“Verificamos que o sachê é atrativo para o
consumidor e está ganhando espaço significativo
no mercado de derivados de tomate”, comenta
Janine Dodge, diretora da marca Knorr, “tutora”
Novo Pomarola 100%
de Pomarola. Batizado de Knorr Pomarola 100% Natural: envase a quente
Natural, o novo molho da Unilever é feito com do stand-up pouch garantiu
dispensa de conservantes
ingredientes naturais e dispensa os conservantes e
aromas artificiais. “O sachê possui multicamadas empresas e pelos líderes em venda nessa catego-
protetoras que abrigam o produto contra luz e ar, ria demonstra o crescimento e o interesse nesse
garantindo a conservação natural dos ingredien- mercado”, afirma Marcia Sato, diretora da Trade
tes”, assinala Janine. De acordo com a Unilever, Pack. As embalagens do Knorr Pomarola 100%
que já utilizara SUPs para acondicionar atomata- Natural contam com um sistema de solda por
dos da marca Arisco, as embalagens flexíveis já ultra-som, que possibilitou a criação de uma sela-
detêm 30% do mercado de molhos de tomate. gem sem pontos de contaminação, contribuindo
para a integridade do molho.
Naturalidade reforçada A Usina Escritório de Desenho, que assina o
Confeccionados em filme de PET laminado com design dos sachês, aboliu o uso dos tons verme-
alumínio e com filme de polietileno (PE), os pou- lhos, tradicionais na categoria, para apostar em
ches do novo Pomarola são envasados a quente tons claros, com a ilustração de uma paisagem
num sistema que permitiu dispensar o emprego de ao fundo. “O background do céu e do campo e a
conservantes. As bobinas dos filmes, impressas cesta de tomates transmitem o principal atributo
por rotogravura em oito cores, são fornecidas à do produto: sua naturalidade”, comenta Patrícia
Unilever pela argentina Aluflex, subsidiária da Coser, diretora da agência. “Dessa forma, a man-
Trade Pack (Aluflex)
chilena Alusa representada no Brasil pela Trade cha cromática que vai do azul claro para o verde, (11) 5093-6511
Pack. Os SUPs são formados e envasados na além de trazer mais naturalidade, proporciona www.aluflex.com.ar
fábrica da Unilever de Goiânia, na mesma linha maior destaque do produto na gôndola, quando
Usina Escritório de Desenho
de produção da Arisco. inserido no universo vermelho dos tradicionais (11) 5571-6788
“A adoção do stand-up pouch pelas grandes atomatados.” (MF) www.usinadesenho.com.br

44 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


 CICLO DE CONHECIMENTO

Mudança de data, a contragosto


Agenda e endereço do Seminário de Sustentabilidade são postergados

O
Seminário Estratégico de Susten-
tabilidade, programado para o dia
26 de agosto próximo, dentro da
agenda de atividades do CICLO DE
CONHECIMENTO, precisou ter a data
e o local postergados, ambos ainda sem defini-
ção, devido a problemas com a reserva do Villa
Noah Espaço de Eventos. Tanto o dia quanto o
local já haviam sido divulgados em anúncios em
EMBALAGEMMARCA, no site e na newsletter da
revista, e ainda em inúmeros e-mails enviados
a potenciais interessados. Surpreendentemente,
no dia 11 de julho a Ieni Comércio de Alimentos
Ltda., empresa que administra aquele ponto de
eventos, informou a Bloco de Comunicação,
organizadora do seminário, que a reserva do siderou-se que quaisquer outras datas situadas
espaço, previamente agendada, tinha sido cedida entre 26 de agosto e 21 de outubro para realizar
a outra empresa. o Seminário de Sustentabilidade poderiam pre-
Dessa forma, enquanto buscam encaminhar judicar os resultados dos seguintes eventos, ao Apoio:
entre as duas partes uma solução satisfatória para mesmo tempo em que teria os seus prejudicados
aquela má surpresa, os organizadores do evento por eles: Trends of Print (17 a 19 de setembro),
estão se empenhando para ajustar as agendas Congresso Brasileiro de Embalagem (24 e 25 de
dos palestrantes – dentre eles três que viriam da setembro), Congraf – Congresso Brasileiro da
Europa e dos Estados Unidos – a uma nova data, Indústria Gráfica (14 a 17 de outubro), Fispal
possivelmente na segunda quinzena de outubro Nordeste (28 a 31 de outubro). Supõe-se que
próximo. Ocorre que não se conseguiu encon- ninguém deseja isso. (WP)
trar locais livres para 26 de agosto que tenham
o padrão de conforto e de serviços à altura do
público que o CICLO DE CONHECIMENTO pretende
reunir no Seminário de Sustentabilidade. Outras
datas alternativas disponíveis foram descartadas
por coincidirem ou estarem muito próximas de
eventos relacionados ao setor de embalagem
anteriormente agendados, a começar pelo PRÊMIO
EMBALAGEMMARCA – GRANDES CASES DE EMBALA-
GEM, que ocorrerá em 1º de outubro próximo (ver
página 32).
Da parte da Bloco de Comunicação não há
interesse em dividir públicos, mas sim em orga-
FOTO: DANIEL BRANCO

nizar seus eventos e outras atividades de forma


a que os interessados possam ter um bom leque
de opções em sua busca de conhecimento e de
relacionamento com o mercado. Assim, con-

46 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


 CERVEJAS

Por mais vendas, mais por menos


Shrinks econômicos com mais de doze latinhas caem nas graças das cervejarias
Por Luiz de França

N
a busca por uma tática de venda
mais agressiva, as cervejarias resol-
veram oferecer mais por menos.
AmBev, Femsa e Schincariol, as
potências do setor, vêm investindo
em multipacks maiores de filme plástico termo-
encolhível (shrinks), com 15, 18 ou até 24 latas
de cervejas. Com chamadas para a quantidade
de latas a mais que o tamanho standard – com 12
latas – e para vantagens econômicas, elas estão
Femsa aposta no
impulsionando as vendas, principalmente para os “leve mais por menos”
chamados heavy users de cerveja, isto é, os bebe- para Bavaria e Kaiser
dores contumazes.
A inovação no sistema de venda de cerveja no
varejo começou com o lançamento, pela AmBev,
do pack de 18 latinhas da Skol, em 2007. Sucesso
constatado, a cervejaria estendeu a iniciativa
dos packs maiores para a Brahma, hoje também
encontrada na versão com 18 unidades. Mais

recentemente, a AmBev lançou um pack de Skol


com 24 latas. Este último, por enquanto, é comer-
cializado somente nos estados do Rio de Janeiro e
de Minas Gerais.
Seguindo a tendência, a Femsa Cerveja Brasil
AmBev teve sucesso com os colocou no mercado, no ano passado, multipacks
packs com 18 latas de Skol...
com 15 latas para Kaiser e Bavaria Pilsen. Para
o gerente de marketing da Femsa Cerveja Brasil,
Marcelo Liberado, o diferencial de custo do novo
pack em relação ao standard varia entre 3% e 5%,
levando em consideração o preço individual da
lata, “o que garante um atrativo para quem quer
levar mais e pagar menos.”
Além da mudança na quantidade unitária,
a embalagem para múltiplas latinhas de Kaiser
FOTOS: DIVULGAÇÃO

...e estendeu a também mudou de cor. Antes branca, a multipack


tática para outra
filha, a Brahma agora chama mais a atenção dos compradores na
cor vermelha. “O pack chegou ao mercado acom-

48 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


panhando a mudança, feita pouco tempo antes, da

DIVULGAÇÃO
identidade da marca”, diz Liberado. Com design Pacote com 18 latas de Nova
Schin: por enquanto, só para
gráfico elaborado pela DIL Brands, o envoltório recifenses e soteropolitanos
é produzido pela Packtec. A mesma convertedora
fornece o shrink da Bavaria com 15 unidades,
desenhado pela Duplo Design. De acordo com
a Femsa Cerveja Brasil, as novas embalagens
ajudaram a alavancar as vendas das duas marcas
em cerca de 10% desde suas adoções, em agosto
de 2007.
Mesmo a “lei seca” – o endurecimento, pelo
Governo Federal, das punições aos motoristas
flagrados alcoolizados – não ameaça jogar água
no chope dos packs maiores de cerveja. Em
comunicado oficial, a Femsa se diz a favor do
Decreto nº 6.488 e lembra que desenvolve diver-
sos programas de consumo responsável de álcool, pesquisa desenvolvida pela Nielsen sobre o cres-
como a campanha “18 É Legal”, com o intuito de cimento da importância desta embalagem e do
conscientizar os jovens a beber com moderação. canal auto-serviço em alguns mercados. A versão
“Diferentemente de uma ação que vá estimular o com 18 latas de Nova Schin, por ora, tem vendas
consumo no bar, os novos packs de 15 são direcio- restritas a Recife e Salvador, sem previsão para
nados para o consumo caseiro”, afirma Liberado. entrar em outros mercados.
Na opinião do especialista em marketing
Schin também experimenta Adalberto Viviani, da consultoria Concept, o
A Schincariol não deixou essa onda mercadológi- aumento da quantidade de unidades oferecidas por
ca passar em brancas nuvens. Conforme explica embalagens de bebidas pode incentivar a venda
a diretora do Grupo de Cervejas da empresa, Ana por dois fatores. Primeiro, por comodidade, pois
Coutinho, a multipack com 18 latinhas da cerveja o consumidor vê a possibilidade de comprar mais
Nova Schin resulta da percepção do aumento em um único volume. Em segundo lugar, por
de vendas das latas de 473 mililitros (os chama- impulso, quando continua havendo a percepção
dos latões) e dos shrinks com mais unidades. A de que a compra é de uma mesma quantidade
embalagem é estampada com os dizeres “Pega (um pacote). A relação entre aumento de vendas
leve. Pega mais. Paga menos”. Nesse jogo, ela e consumo individual de produto não parece estar
garante, ganham os dois lados. “É uma vantagem diretamente ligada nesse caso. “As pessoas estão
para o consumidor, por comprar com uma melhor comprando mais e vão beber por mais tempo”,
relação custo/beneficio, e para a indústria que, afirma Viviani. “Não há aumento de consumo
Concept
obviamente, faz com que o público leve mais de individual de produtos.” (11) 5539-1129
sua marca, bloqueando o volume da concorrên- Para o consultor, a importância da embalagem www.conceptnet.com.br
cia”, entende Ana. de bebidas na decisão de compra do consumidor
DIL Brands
O shrink de 18 da Nova Schin tem uma arte também é ressaltada quando ela concentra um (11) 4191-9711
distinta para se diferenciar do pack de 12 e faci- volume maior de itens porque a visibilidade do www.dilbrands.com
litar a escolha do consumidor no ponto-de-venda produto – e da marca – ganha mais destaque
Duplo Design
(procurada, a Schincariol preferiu resguardar o no ponto-de-venda. “Ganhar exposição, por si (11) 5535-3866
nome do fornecedor das multipacks). O respon- só, gera maior oportunidade de venda”, lembra www.duplonline.com.br
sável pelo design foi Tomás Lorente, vice-presi- Viviani. O especialista confia plenamente na efi-
Young & Rubicam
dente de criação da agência Young & Rubicam. cácia de ações de venda apoiadas em embalagens www.yrbrasil.com.br
Diferentemente da Femsa, que diz ter se baseado com vantagens econômicas claras. “Bebemos e
Packtec
em observações de comportamento de consumo comemos com os olhos. O teste de sabor é cego, (19) 3881-8600
nos supermercados, a Schincariol se apoiou em mas o consumidor não.” www.packtec.com.br

50 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


Se você se preocupa com a saúde do planeta
e dos negócios, não pode ficar de fora.

Seminário Estratégico de Sustentabilidade


na Área de Embalagem.

Profissionais de alta projeção na cadeia produtiva de embalagens, do Brasil e do Exterior, debaterão o impacto
das políticas de sustentabilidade no fornecimento de embalagens. A questão já não é QUANDO, mas COMO.

Em outubro. Em São Paulo.

Informações sobre
• Palestras e palestrantes
• Como patrocinar o evento
• Como participar do seminário
ciclo@embalagemmarca.com.br

O Ciclo de Conhecimento é um programa abrangente e permanente de análise, estudo e difusão de informações


relacionadas à cadeia de embalagens, desde o fornecimento de matérias-primas até a indústria usuária e o varejo.
Trata-se de uma ação contínua para promover eventos que podem ser classificados como “de transformação”.
Sua missão é contribuir para o desenvolvimento de profissionais e empresas do setor.
O que oferecemos ao setor é mais informação com valor agregado.
PAINEL GRÁFICO  MERCADO DE CONVERSÃO E IMPRESSÃO DE RÓTULOS E EMBALAGENS
Edição:
Edição:Guilherme
Leandro Haberli
Kamio

Ecologicamente correto
Heidelberg lança prêmio ambiental
A Heidelberg lançou a O prêmio ambiental é pré-impressão, impressão,
primeira premiação inter- focado no uso de recur- acabamento, logística e
nacional para impressão sos e energia de forma cultura corporativa.
offset ecologicamente sustentável, proteção A comissão julgadora para
correta e sustentabilida- climática e práticas cons- o Eco Printing Award 2008
de, o Eco Printing Award cientes de preservação será formada por repre-
2008. A premiação de em seus negócios. Os sentantes da indústria
50 000 euros é dividida aspectos de sustentabi- gráfica, cientistas da IFEU
em duas categorias: lidade, um dos critérios (Instituto de Pesquisa de
“Sustainable companies” julgados na premiação Energia e Meio-Ambiente
(“Companhias sustentá- deste ano, podem consi- da Alemanha) e membros
veis”) e “Forward-looking derar a empresa como um de associações ligadas

DIVULGAÇÃO
solutions” (Soluções volta- todo ou soluções sepa- à preservação do meio
das para o futuro). radas para as áreas de ambiente.

Klabin vende créditos de carbono Fornecedores


Negócio, baseado em projeto de MDL, está de acordo com o Protocolo de Quioto
qualificados
Suzano e IEL lançam programa
A Klabin anunciou a conclusão da sua sua Unidade de Piracicaba (SP). O volume
de qualificação na Bahia
segunda venda de créditos de carbono, comercializado agora é resultado de redu-
pela qual recebeu cerca de 1,5 milhão ções geradas a partir de janeiro de 2001, A Suzano Papel e Celulose e o
de euros. Foi a primeira venda feita pela quando o projeto foi implantado, até maio IEL – Instituto Euvaldo Lodi lança-
empresa com base em um projeto de MDL de 2007. Este é o primeiro MDL implanta- ram o Programa de Qualificação
(Mecanismo de Desenvolvimento Limpo) do pela Klabin, que foi registrado na United de Fornecedores na região do
e de acordo com o preconizado pelo Nations Framework Convention on Climate Extremo Sul da Bahia. A inicia-
Protocolo de Quioto. Change (UNFCCC) em julho de 2006. tiva faz parte de um projeto da
A Klabin vendeu a uma empresa européia O projeto tem capacidade de reduzir as empresa para aproximação com
do setor de energia – que, por contrato, emissões de CO2 em 26% em relação às seus fornecedores regionais. Com
não pode ser identificada – 87 000 tonela- emissões de óleo combustível e, conse- a entrada em operação da Linha
das de CO2, a 17,05 euros cada tonelada, qüentemente, gerar aproximadamente 2 da Unidade Mucuri, a Suzano
geradas por um MDL que substitui óleo 150 000 toneladas de créditos de praticamente triplicou o volume
combustível por gás natural, instalado em carbono até 2010. de produção.
Para garantir a prática do comér-
cio justo e o desenvolvimento
de relações de qualidade com
todos que, de alguma forma, são
influenciados pelas atividades da
empresa, incluindo os fornecedo-
res, a Suzano investiu na qualifi-
cação de cerca de 20 empresas
regionais para capacitá-las na
gestão de Segurança e Saúde
Ocupacional, Meio Ambiente,
Qualidade, Gestão Estratégica e
Financeira e Responsabilidade
Social.

52 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


Edição: FLÁVIO PALHARES  flavio@embalagemmarca.com.br

Congressos movimentam semestre da indústria gráfica


Eventos são realizados pela Afeigraf e pela Abigraf
Dois grandes eventos movimentam o mercado gráfico no segun- Abigraf, em São Paulo, contou com a presença do presidente
do semestre. Em setembro será realizada a 1ª Conferência da Abigraf São Paulo, Fabio Arruda Mortara; do coordenador
Trends of Print Latin America, organizada pela Afeigraf do Grupo Empresarial de Impressão Digital (GE-DIGI), Flávio
– Associação dos Agentes de Fornecedores de Equipamentos Medeiros; e do vice-coordenador, Arno Witte, que falaram sobre
e Insumos para a Indústria Gráfica. Da mesma forma que a a importância da criação deste congresso, já que as gráficas
ExpoPrint Latin America, a Trends of Print acontecerá a cada digitais têm sido consideradas um dos principais sistemas de
quatro anos, sempre nos anos da Drupa. Através desses dois impressão no futuro. Witte explicou que a tendência é o grau de
eventos a Afeigraf pretende oferecer uma plataforma ideal para escolaridade do profissional gráfico aumentar. “Não haverá um
que os profissionais da indústria gráfica fiquem informados profissional especializado em offset e outro em digital. As esco-
sobre as tecnologias e tendências em um mercado cada vez las deverão dar formação completa.”
mais globalizado, mais competitivo e dinâmico. Palestras infor- A Abigraf também anunciou a realização do “1° Prêmio Condigi”,
mativas e um fórum com representantes do mercado consumi- que vai premiar os melhores trabalhos com uso de tecnologia
dor darão uma visão clara da indústria gráfica. digital desenvolvidos por estudantes.
Em outubro acontece o 14° Congresso Brasileiro da Indústria
Gráfica (Congraf), organizado pela Abigraf – Associação 1ª Conferência Trends 14º Congraf/1º Condigi
Brasileira da Indústria Gráfica, que terá como evento paralelo of Print Latin America
o 1º Congresso de Impressão Digital (Condigi). O Condigi terá 14 a 17 de outubro
palestras de profissionais nacionais e internacionais, entre os 17 a 19 de setembro Palácio das Convenções
Novotel Center Norte do Parque Anhembi
quais Frank Romano, um dos maiores especialistas mundiais em São Paulo, SP
São Paulo, SP
impressão digital. www.trendsofprint.com.br www.abigraf.org.br
O lançamento oficial do Condigi, em 16 de julho, na sede da
Expansão com requinte
Cromus muda de olho em embalagens sofisticadas
Finalizando um projeto de três anos, a Cromus
Solução em Embalagens, referência em embalagens
flexíveis para produtos artesanais e sazonais, prepara
as malas para mudar de casa no início de agosto. A
nova fábrica de 17 000 m² em Mauá, na Grande São
Paulo, substituta da planta paulistana com 8 000 m²
e fruto de investimento não-revelado, será aberta ofi-
cialmente em setembro. Uma das metas da expansão
é fortalecer a atuação em embalagens personalizadas,
com estruturas, impressão e acabamentos requin-
tados. Hoje, as embalagens genéricas (sem marca
impressa) respondem por cerca de 65% da produção
da Cromus, de 400 toneladas/mês. Eduardo Aguila
Cincinato, diretor-presidente da empresa, diz que a
busca de trabalhos com mais valor agregado será
apoiada por uma recém-adquirida impressora híbrida
(flexografia e rotogravura) da italiana Omet. “É uma
máquina versátil que nos permitirá, por exemplo,
converter folhas finas de alumínio para chocolates
com formatos complexos, coisa que o mercado não
pratica”, antecipa Cincinato. Segundo ele, a Cromus
também tende a mergulhar mais fundo nos segmentos
de rótulos e de cartonagem, este último focado em
“baixas tiragens de cartuchos com alta sofisticação”.

Novo convertedor
de auto-adesivos
Contiflex é a divisão de rótulos da Contiplan
A Contiplan, empresa especializada em formulá-
rios contínuos, lança a Contiflex, nova empresa
convertedora de rótulos auto-adesivos. A Contiflex
passa a oferecer um sistema de consultoria, apre-
sentando sugestões de design e customização
dos rótulos de seus clientes de acordo com suas
necessidades. A nova empresa produz rótulos em
variados substratos, como polietileno, papel cou-
chê, transtérmico e laminado.

www.embalagemmarca.com.br
Afeigraf tem nova diretoria
Mandato vai até 2010
A Associação dos Agentes
de Fornecedores de
Equipamentos e Insumos para
a Indústria Gráfica (Afeigraf)
elegeu, em assembléia-geral
realizada em 24 de junho,
a diretoria para o biênio
2008/2010. Dieter Brandt,
presidente da Heidelberg para
a América do Sul, foi eleito presidente da entidade.
A vice-presidência ficou com Karl Klökler, diretor da
Solna do Brasil. José Carlos Barone, da Müller-Martini,
deixa a presidência, porém continua na diretoria
da Afeigraf. Os demais membros da diretoria são
Jonathan Graicar (Day Brasil) e Klaus Tiedemann
(Gutenberg).

Incremento de produção
Prakolar adquire impressora Nilpeter
A Prakolar apresentou em sua fábrica, no dia 16
de junho, sua mais nova aquisição, a impressora
MO 3300S da Nilpeter. A empresa recebeu con-
vidados com um café da manhã, apresentou um
vídeo institucional com as novas instalações da
empresa e apresentou o novo equipamento. A MO
3300S é uma impressora offset rotativa combinada
com 8 cores e capacidade de impressão em offset
UV, flexografia UV, serigrafia UV, stamping e verniz
UV. A máquina possui tecnologia de transmissão
tipo servo, o que proporciona um setup mais rápi-
do, com menos perdas no processo, melhorando
a produtividade.
FOTOS: DIVULGAÇÃO
 TAMPAS

Para fármacos também


CSI estréia na área de tampas para o setor farmacêutico

M
ais conhecida por sua atuação
junto ao mercado de bebidas, a
Closure Systems International CSI Closures
(11) 4134-2500
(CSI), ex-Alcoa CSI, acaba de www.csiclosures.com
lançar sua linha de tampas para o
Vedapack
setor farmacêutico. O anúncio foi feito duran- (21) 2702-8900
te a FCE Pharma, evento ocorrido no fim de www.vedapack.com.br
maio em São Paulo. “Estamos entrando defi-
nitivamente nesse mercado”, avisa Rodolfo
Haenni, supervisor de marketing da CSI
na América do Sul.
A estréia chega temperada pelos Com lacre integrado, tampas
da CSI brigarão por quinhões
lançamentos das tampas Pharma em frascos de laboratórios
Lok 24 milímetros e Pharma Lok
18 milímetros. Desenvolvidas para
serem utilizadas em frascos plásti-
cos ou de vidro, as tampas Pharma
Lok são fabricadas em ambiente
asséptico (sala limpa). Elas podem
ser fornecidas com ou sem vedante
e incorporam sistema antiviolação, com
lacre que emite um som característico quando
se separa do corpo da tampa. A linha Pharma
Lok será produzida na unidade da CSI de

FOTOS: DIIVULGAÇÃO
Alphaville (SP). Outra aposta em 24 e em 28
Haenni informa que os lançamentos das Vedapack descortina tampas para frascos de medicamentos
tampas não é uma ação isolada para explorar o
A fluminense Vedapack aproveitou a FCE Pharma, feira ocorrida em
mercado farmacêutico. A CSI também investiu
São Paulo no fim de abril, para apresentar algumas novidades em sua
na formação de uma equipe especializada em
carteira de tampas para o setor farmacêutico. Entre elas, desta-
serviços técnicos, para identificação de proble- que para as novas tampas de rosca com lacre para frascos com
mas e proposição de melhorias de produtividade terminações 28 milímetros (PCO) e 24 milímetros. Indicadas para
nas linhas de embalagem de medicamentos. “A as linhas de suspensões e produtos viscosos, as tampas são de
idéia é oferecer sempre o menor custo total de polipropileno (PP) moldado por compressão em máquinas italia-
operação, reduzindo perdas e aumentando a efi- nas recém-adquiridas pela empresa. Paola Cardoso, analista de
ciência operacional”, diz o executivo da CSI. marketing da Vedapack, informa que as novas tampas podem ser
Paralelamente ao anúncio das novas tampas, fornecidas com vedante de polietileno (PE)
a CSI também apresentou copos dosadores, que ou EVA, além de opções como polexan
podem ser acoplados a quaisquer tampas de 24 e selo de indução, “a fim de oferecer a
segurança necessária a cada produto do
milímetros e 28 milímetros disponíveis no mer-
cliente”. Em tempo: assim como a CSI,
cado. Os copos são graduados à marca de cada
a Vedapack lançou na FCE Pharma uma
2,5 mililitros, e são encontrados em dois tama-
linha de copos dosadores, para acopla-
nhos: 10 mililitros e 15 mililitros – aplicáveis, mento nas tampas 24 e 28.
respectivamente, às tampas 24 e 28. (GK)

56 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


 REDESIGN

Alterações com sutileza

FOTOS: DIVULGAÇÃO
Neutrox muda de embalagem depois de 34 anos

D
epois de 34 anos com a mesma cara e a mesma
apresentação, os produtos para cabelos Neutrox
acabam de ter suas fórmulas e suas embalagens
modernizadas. Lançada em 1974 pelo laborató-
rio Coper, a marca foi comprada em 2006 pela
divisão Bertin Higiene e Beleza, do Grupo Bertin, dona da
Ox Cosméticos, que decidiu reformular totalmente a linha
Neutrox, hoje formada por 42 itens, entre xampus, condicio-
nadores, cremes para pentear e cremes de tratamento em sete
linhas diferentes.
Com a reformulação, as embalagens ganharam nova cara,
em trabalho da agência Cornerstone Strategic Branding, de
Nova York. A forma cilíndrica dos frascos, que se tornou
famosa com o Neutrox 1 Clássico, foi estendida para toda a
linha e as embalagens ganharam cores mais vibrantes e tampa Novas embalagens
(acima) do carro-
flip-top. “A mudança de Neutrox não foi só de embalagem”, chefe da marca,
conta Lucia Rolla, gerente de Marketing para Mercados de Neutrox 1 Clássico,
tiveram os equities
Massa da divisão Bertin Higiene e Beleza. “Ocorreu uma dos frascos antigos
renovação completa de conceito, layout, formulação e fra- (à esquerda)
grâncias.” Os produtos, antes identificados por números e
nomes, agora têm só nome.
Segundo a executiva, pesquisas indicaram que a marca
precisava se modernizar. Isso foi feito em todas as linhas, mas
sem descaracterizar os equities da marca, isto é, as caracte-
rísticas que tornam facilmente identificáveis suas especifi-
cidades. É o caso do shape da embalagem de Neutrox, que
foi mantido por ser o que Lucia Rolla define como “um
propertie da marca”. Nesse enquadramento, o recipiente do
Neutrox 1 Clássico, com sua cor amarela e vermelha, passou
por mudanças muito sutis, não obstante ocupar lugar de proa
entre as embalagens mais imitadas do Brasil. Outra novidade Frascos com formatos
é que o condicionador concentrado agora tem a tampa na diferenciados (acima)
foram substituídos pelos
base do frasco, para facilitar o escoamento do creme. cilíndricos (ao lado)
O destaque da nova linha Neutrox, segundo a gerente, é a
fórmula “0% Sal”, “única na sua categoria e que proporciona
aos cabelos mais brilho e hidratação com menos química”.
As embalagens de polietileno de alta densidade (PEAD)
são produzidas pela Igaratiba e pela Bertin Embalagens
Plásticas, uma das empresas do Grupo Bertin. (FP)

Bertin Embalagens Cornerstone Igaratiba


Plásticas Strategic Branding (19) 3821-8000
(14) 3533 2000 No Brasil (11) 3081 5224 www.igaratiba.com.br
www.bertin.com.br www.cornerstonebranding.com

58 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


 INTERNACIONAL

Long neck com luz própria


Na Romênia, garrafa de cerveja equipada com LED pisca na mão do consumidor

T
radicionalíssima cer- piente é retirado de uma multipack;

FOTOS: DIVULGAÇÃO
Dispositivo luminoso é
veja romena, a Ursus e até por som, com possibilidade de acionado por barmen ou
ganhou um cintilante o piscar do dispositivo ser sincroni- garçons no momento de
servir a clientela
aliado para a estréia zado com batidas musicais em dan-
de sua versão super- ceterias”, disse a EMBALAGEMMARCA
premium, acondicionada em exclu- Bryn Griffiths, CEO da Cognifex.
sivas long necks de vidro verde,
com gravações do logotipo em rele- Luz nas promoções
vo. Ocorre que as garrafas da novi- Griffiths informa que a tecnologia
dade destinadas a bares, restauran- LightPad não mira somente garra-
tes e clubes noturnos são dotadas de fas, mas também outras embalagens
um dispositivo luminoso que as faz como caixas de papel cartão e potes
piscar como se fossem vaga-lumes. plásticos. “Já estão sendo desenvol-
A iluminação resulta de um LED vidos rótulos eletrônicos luminosos
(diodo emissor de luz) componente e uma solução sem fio que, por
de um circuito encaixado no sulco exemplo, permitirá a embalagens
da base das garrafas. As long necks de fast food ‘acender’ automatica-
de 330 mililitros da Ursus começam mente numa determinada área ou
a pirilampear quando barmen ou em diferentes lugares, num horário
garçons retiram um selo do acessó- pré-determinado”, diz o executivo,
rio. “O apetrecho luminoso realça o cheio de idéias. “Produtos em gôn-
novo design da embalagem, refor- dolas de supermercados poderiam
çando a percepção de alta classe, se iluminar em certas ocasiões, evi-
estilo e originalidade”, comenta denciando ações promocionais.” Cinta auto-adesiva
Cezar Dumitru, gerente-sênior da É possível decorar os LightPads prende o circuito
à base das
marca Ursus. com logotipos, transformando-os garrafas (à esq.).
O dispositivo adotado pela cer- num campo extra de comunicação Modelo para long
necks se encaixa
vejaria romena, chamado LightPad, para marcas. Os dispositivos podem perfeitamente
é patenteado e fornecido pela empre- ser aplicados manualmente, para no sulco das
embalagens
sa britânica Cognifex. Ele é acopla- testes de mercado ou canais especí- (abaixo)
do às garrafas por meio de uma ficos, ou em máquinas automáticas,
cinta auto-adesiva de forte aderên- para grandes volumes de produção.
LightPad da Ursus
cia e é resistente à àgua. De acordo Fabricados, segundo Griffiths, no é decorado com
com a inventora, os efeitos podem Oriente (“não posso ser mais espe- logomarca: uma
mídia a mais
ter diversas cores, freqüências e cífico que isso”), os circuitos da
modos de ativação. “Além da liga- Cognifex para embalagens agora
ção manual, a iluminação pode ser procuram novos usuários ao redor
disparada quando a garrafa atinge do mundo. “Já temos projetos com
uma temperatura programada num garrafas de tequila nos Estados
expositor refrigerado; por detecção Unidos e no México e estamos
de movimento; por mudanças na luz ansiosos por desenvolvimentos na
Cognifex
ambiente, por exemplo quando uma América do Sul”, comenta o diri- +44 (0) 870 199-5515
geladeira é aberta ou quando o reci- gente da fornecedora. (GK) www.cognifex.com

60 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


 INTERNACIONAL

Sem apelo desatendido


No Reino Unido, jarra engenhosa busca complementar com praticidade
as supostas vantagens econômicas e ecológicas de novo leite em saquinho

E
nquanto o mercado nacional de leites das maiores fornecedoras européias de embalagens
acompanha uma investida de sofisti- plásticas rígidas.
cadas embalagens flexíveis contra a Comercializada nas lojas da Sainsbury’s a 2,49
supremacia das caixinhas longa vida libras esterlinas (cerca de 8 reais), a jarra, com uma
(veja EMBALAGEMMARCA nº 105, maio engenhosa tampa de duas peças, é o grande atrativo
de 2008), um caso no Reino Unido mostra que, com da nova linha de leites. Uma das partes da tampa, a
a entrega de um extra ao consumidor e sobretudo maior, é dotada de clipes de segurança que permitem
apoio do varejo, até os chamados “barrigas-moles” prender o topo da bolsa plástica acomodada na jarra.
– os saquinhos mais simples de filme de polietileno, É aí que entra em ação a segunda peça. Dotada de
que no passado já gozaram de uma posição hegemô- uma cânula, ela fura o pouch quando encaixada ao
nica como embalagem para leites no Brasil – podem corpo da tampa. Seu topo, basculante, transforma-se
Glopak
ganhar apelo premium. num bico dosador abre-e-fecha. Como toque final, a
+1 (905) 305-0671
Novidade da rede supermercadista Sainsbury’s, jarra permite o encaixe de uma alça, para facilitar o www.glopak.com
a linha JUGIT consiste em leites acondicionados em despejo do leite.
RPC Containers
pouches de polietileno de baixa densidade (PEBD) “A adoção de pouches em larga escala por leites +44 (0) 1673 84-0200
confeccionados pela canadense Glopak. Com capaci- sempre encontrou uma barreira na questão da abertu- www.rpc-containers.co.uk
dade para 1 litro, os saquinhos são desenhados para ra e do despejo do produto. Estamos tentando respon-
Vibrandt 1 HQ
a acomodação numa jarra especial, toda injetada der a isso”, diz Richard Pryor, gerente de Inovação +44 (0) 1753 62-4242
em polipropileno (PP) pela RPC Containers – uma da Dairy Crest, processadora do leite utilizado na www.vibrandt.co.uk

Peça da tampa da
FOTOS: DIIVULGAÇÃO

jarra perfura o pouch


de leite (à esq.) e
depois funciona como
dosador flip top

62 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


nova linha. A idéia do conceito JUGIT nasceu de um
projeto do laticínio com a agência britânica de design
Vibrandt 1 HQ.
A fim de estimular o uso freqüente da jarra pelo
consumidor, a única peça que pede limpeza após
substituições dos saquinhos é a cânula. Cada jarra
é acompanhada por duas unidades do bico abridor/
dosador, que não preciso ser lavado a cada substitui-
ção do pouch de leite, vendido pelo preço unitário de
80 pence (cerca de 2,5 reais) – valor de 10% a 15%
menor que os de outras embalagens de 1 litro de leite
encontrados nas lojas Sainsbury’s.
Assim como no caso dos pouches assépticos para
leite oferecidos no Brasil, os saquinhos da família
JUGIT são brandidos como um meio de consumo
mais consciente. Lá, no entanto, as embalagens car-
tonadas assépticas não são encaradas como adver-
sárias número 1. A rivalidade é com as garrafas
plásticas, bastante populares no mercado britânico.
“Os pouches requerem apenas 25% do plástico
empregado em recipientes para a mesma quantida-
de de leite, o que os torna extremamente atraentes
do ponto de vista da sustentabilidade”, argumenta
Pryor. A precária barreira oferecida pelo filme de
baixa densidade não foi incluída na argumentação
tanto de fabricantes quanto de usuários. (GK)

Concorrência atenta
Tesco e Waitrose também apóiam saquinho
Rivais da Sainsbury’s no da Tesco no País de Gales
varejo britânico, a Tesco e a e em 60 lojas da Waitrose
Waitrose parecem também no território britânico. A
inclinadas a apoiar a venda Waitrose, aliás, comercializa
de leites em embalagens uma jarra de plástico para
plásticas flexíveis. Ambas utilizar os saquinhos como
começaram recentemente refis. Ela não tem, contudo,
a oferecer o leite orgânico a sofisticação daquela utili-
em pouch da cooperativa zada pela Sainsbury’s.
galesa Calon Wen. O
produto – cuja embala-
gem de filme de polieti-
leno de baixa densidade
(PEBD), batizada de Eco
Pak, é fabricada pela
canadense Glopak, a
mesma fornecedora dos Leite em
pouches da linha JUGIT, pouch:
difusão
da Sainsbury’s – é no Reino
encontrado em 43 lojas Unido

www.embalagemmarca.com.br
DISPLAY  LANÇAMENTOS E NOVIDADES – E SEUS SISTEMAS DE EMBALAGEM

FOTOS: DIVULGAÇÃO
Laranja na lata e na caixa Coloridos até à tampa
Suco pronto para beber ganha duas versões de embalagem Água de Cheiro lança colônias Colour You

O suco de laranja pronto para 335 mililitros, fornecidas pela A Água de Cheiro lança as
beber da Beba Brasil, recente- Crown Cork, e em embalagens colônias femininas e mas-
mente adquirida pela General cartonadas assépticas Tetra culinas Colour You 1
Brands, chega aos pontos- Brik, de um litro, da Tetra Pak. e Colour You 2, que
de-venda com a marca Top O projeto gráfico das embala- têm as embalagens
Orange. O suco é acondicio- gens foi criado pela equipe de em tons de verme-
nado em latas de alumínio de design da General Brands. lho e verde, respec-
tivamente. As duas
versões são acondi-
cionadas em frascos
Crown Cork de vidro supridos
(11) 4529-1000
www.crowncork.com.br pela Wheaton com
válvulas spray da Aptar Group. Recobrindo a
Tetra Pak
(11) 5501-3200
válvula há uma tampa de resina Naz, fornecida
www.tetrapak.com.br pela MBF. As colônias têm também um cartu-
cho de cartão – impresso pela Kingraf – e um
protetor interno de papelão ondulado, fornecido
pela Tecnopapel. O design das embalagens é da
Hardy Design.

Aptar Group
(11) 4196-7500
Sofisticação no mercado de águas www.aptargroup.com

Versant, de Porto Alegre, ganha garrafas de PET com traços modernos Hardy Design
(31) 3275-3095
Garrafas de PET com formas alongadas Venâncio Aires. O projeto gráfico dos www.hardydesign.com.br

e base ligeiramente bojuda acondicionam rótulos leva a assinatura da Verdi Design. Kingraf
a água mineral da gaúcha Versant. As As garrafas de 500 mililitros e 1,25 litro (41) 3072-6262
www.kingraf.com.br
embalagens, cujo design estrutural foi são fechadas por tampas de polipropileno
criado pela Archimedia, são decoradas (PP) da Crown. A água também é vendida MBF Embalagens
(44) 3220-6617
com rótulos de polipropileno biorien- em garrafão de 5 litros. As embalagens www.augros.com.br
tado (BOPP) fornecidos pela Plásticos são sopradas pela própria Versant.
Tecnopapel
(11) 4156-3159
www.tecnopapel.com.br

Wheaton
(11) 4355-1800
www.wheatonbrasil.com.br

Archimedia Plásticos
(51) 3019-7397 Venâncio Aires
www.archimedia.com.br (51) 3741-1041
www.pva.ind.br
Crown
(11) 5054-4015 Verdi Design
www.crowntampas.com.br (51) 3061-7677
www.verdi.com.br

64 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


Edição: FLÁVIO PALHARES  flavio@embalagemmarca.com.br

Homenagem ao centenário
da imigração japonesa

Embalagem de arroz faz alusão à data


Produzidas em polietileno (PE)
pela Cristal Embalagens, as
embalagens comemorativas ao
centenário da imigração japone-
sa do arroz Momiji chegam às
gôndolas com layout assinado
pela Spice Design. As novas
embalagens, de 1 e de 5 quilos,
ganharam um selo inserido em
uma faixa vertical dourada
com desenhos das folhas
da marca.

Cristal Embalagens Spice Design


(48) 3434-8000 (11) 2977-2203
www.cristalembalagens.com.br www.spicedesign.com.br

Kaiser lança lata comemorativa


Para homenagear os 100 anos da imigração japonesa,
a Kaiser, produzida pela Femsa, lançou uma embala-
gem temática com a imagem da descendente nipônica
Sabrina Sato. A apresentadora do Pânico na TV teve
a foto estampada nas latas da cerveja. Além da foto,
a embalagem exibe o autógrafo da celebridade e ins-
crições em português e japonês alusivas
à data comemorativa. Desenvolvida pela
Rexam com tecnologia
que conta com grava-
ção a laser na placa de
impressão, a imagem
na lata apresenta quali-
dade fotográfica.

Rexam
(21) 2104-3300
www.rexam.com

www.embalagemmarca.com.br julho 2008 EmbalagemMarca 65


DISPLAY  LANÇAMENTOS E NOVIDADES – E SEUS SISTEMAS DE EMBALAGEM

FOTOS: DIVULGAÇÃO
Jogada de efeito
Olé amplia seu portfólio de produtos em potes de vidro com geléias e vegetais em conserva

Potes de vidro de 180 gramas, por tampas de aço Abre-Fácil da conserva, que há três anos migrou
produzidos pela Owens-Illinois, Metalgráfica Rojek, as embalagens das latas de aço para potes de vidro
abrigam as novas geléias de moco- têm rótulos auto-adesivos de poli- de 180 gramas. Ervilha e milho verde
tó das Conservas Olé, nos sabo- propileno biorientado (BOPP) impres- ganharam potes de 120 gramas. O
res Chocolate, Natural, Morango, sos pela Mack Color. A Olé também layout foi desenvolvidos pela Base
Framboesa e Tutti-frutti. Fechadas diversifica sua linha de vegetais em SN Publicidade e Design.

Base SN Publicidade e Design Mack Color Metalgráfica Rojek Owens-Illinois


(11) 3885-3655 (11) 2095-4499 (11) 4447-7900 (11) 2542-8000
www.basesn.com.br www.mackcolor.com.br www.rojek.com.br www.oidobrasil.com.br

Para agradar atletas Fraldas inteligentes


Lançamento informa hora da troca
Embalagens de suplemetos são reformuladas
Cristal Embalagens
(48) 3434-8000 Embalagens flexíveis
A Integralmedica, empresa que comercializa
www.cristalembalagens.com.br de polietileno de baixa
suplementos nutricionais, altera a identidade
Polimark Design densidade (PEBD) supri-
visual de suas embalagens e o seu logotipo. As
& Comunicação dos pela Cristal acondi-
embalagens dos produtos Natubolic e L.A. são polimark@polimark.com.br
www.polimark.com.br cionam as fraldas descar-
confeccionadas em papel cartão pela Lavezzo.
táveis Qualy Disney Time
O novo projeto gráfico é assinado pela Design
& Comfort, lançamento
Integrado Agency.
Design Integrado Agency da Tecnicare. A fralda traz
(11) 4781-8109 como diferencial linhas
www.designintegradoagency.com.br
que mudam de cor quan-
Lavezzo do o bebê urina, avisando
(11) 3392-2555
www.lavezzo.com.br
que precisa ser trocada.
O layout das embalagens,
estampadas com persona-
gens da Disney, foi criado
pela Polimark Design &
Comunicação. O destaque
é a alça que facilita o transporte.

66 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


Soja em tubos
Bisnagas acondicionam produtos de higiene pessoal

Com produtos elabo- e condicionadores elabo-


rados à base de soja, rados com matéria-prima
chega ao mercado a linha orgânica são acondicio-
Clini de cuidados pesso- nados em tubos plásti-
ais. Os cremes, xampus cos flexíveis, fornecidos
pela C-Pack,
decorados
com rótulos
C-Pack
auto-adesi- (11) 5547-1299
vos de BOPP, www.c-pack.com.br
estilo no-label
Hi Design
look, impressos (11) 3375-9434
digitalmente
Setprint
pela Setprint. O (11) 3865-5506
layout das emba- www.setprint.com.br
lagens é da Hi
Design.

Guardanapos chiques
Melhoramentos moderniza embalagens de Lips

A Melhoramentos Papéis inves- colorido, acompanhado da refor-


te no relançamento da linha de mulação do logotipo, é assinado
guardanapos Lips, disponíveis pela M Design. Outra novidade
em invólucros de polipropileno são as dicas de etiqueta de
biorientado (BOPP) supridos pela Claudia Matarazzo, que passam a
Mazda Embalagens. O layout fazer parte das embalagens.

M Design Mazda Embalagens


(11) 3839-0969 (11) 4441-6500
www.mdesign.com.br www.mazdaembalagens.com.br

www.embalagemmarca.com.br julho 2008 EmbalagemMarca 67


 ÍNDICE DE ANUNCIANTES

Anunciante Página Telefone Site


43SA Gráfica 2ª capa (11) 3578-3606 www.43sagrafica.com.br
Abeaço 63 (11) 3842-9512 www.abeaco.org.br
Afeigraf 59 (11) 3074-9724 www.trendsofprint.com.br
Antilhas 47 (11) 4152-1100 www.antilhas.com.br
Arco Convert 27 e 49 (11) 2061-8099 www.arco.ind.br
ATS Color 49 (11) 4072-1170 atscolor@atscolorbr.com.br
Avery Dennison 15 0800 701 7660 www.fasson.com.br
BIC Label 53 0800 260 434 www.biclabel.com.br
Braga 17 (19) 3897-9720 www.braga.com.br
Braskem 45 (11) 3576-9000 www.braskem.com.br
Cobrirel 67 (11) 6291-3155 www.cobrirel.com.br
Comprint 19 (11) 3371-3371 www.comprint.com.br
Converplast 37 (11) 6462-1177 www.converplast.com.br
EMCR / Polipaper 67 (11) 5934-3183 www.emcrinducao.com.br
Frasquim 65 (11) 6412-8261 www.frasquim.com.br
Gironews 69 (11) 3675-1311 www.gironews.com.br
Greenfield 54 e 55 (11) 3567-1890 www.embalaweb.com.br
Heidelberg 31 (11) 5525-4500 www.heidelberg.com.br
Indemetal 25 (11) 4013-9600 www.indemetal.com.br
Indexflex 43 (11) 3618-7100 www.indexflex.com.br
Kromos 13 (19) 3879-9500 www.kromos.com.br
Labelexpo 43 (11) 3218-7911 www.labelexpo-americas.com
Limer-Cart 5 (19) 3404-3900 www.limer-cart.com.br
Loop 65 (19) 3404-6700 www.loop.ind.br
Metrolabel 33 (11) 3603-3888 www.metrolabel.com.br
Moltec 67 (11) 5693-4600 www.moltec.com.br
Nielsen Business Media 41 (11) 4613-2000 www.nielsenbm.com.br
Novelprint 65 (11) 3760-1500 www.noveltech.com.br
Paraibuna Embalagens 9 (32) 2102-4000 www.paraibuna.com.br
Prakolar 11 (11) 2291-6033 www.prakolar.com.br
Propack 63 (11) 4785-3700 www.propack.com.br
Quattor 4ª capa (11) 3583-5900 www.quattor.com.br
Simbios-Pack 67 (11) 5687-1781 www.simbios-pack.com.br
Sonoco For-Plas 23 (11) 5097-2750 www.sonocoforplas.com.br
Suzano 3ª capa 0800 722 7008 www.suzano.com.br
Tetra Pak 39 (11) 5501-3205 www.tetrapak.com.br
Tom-B 61 (11) 3255-7214 www.tom-b.eu
Union Pack 29 0800 707 9533 www.unionpack.com.br
Videojet 21 (11) 4689-8800 www.videojet.com

68 EmbalagemMarca julho 2008 www.embalagemmarca.com.br


Almanaque
Comida que virou bebida
O saquê, vinho japonês obtido de sem recursos para preparar o ali- medir as quantidades do arroz na
arroz fermentado há mais de 2 000 mento. Certo dia, um camponês forma de alimento, os camponeses
anos, teria nascido como bebida esqueceu de tampar um barril e o utilizavam o masu, o copo quadrado
por acaso. No Japão, a lenha era arroz mofou. O dono da fazenda onde a bebida passou a ser servida.
escassa, e o arroz, alimento básico obrigou-o a comê-lo fermentado Hoje a bebida, cuja produção casei-
no país, só podia ser cozido pelos mesmo, já transformado numa pasta ra é proibida, é acondicionada em
ricos. Pré-cozido e guardado em quase liquefeita. O gosto agradou ao diversos tipos de embalagens, desde
barris de madeira, era vendido homem punido e a todos que assis- as tradicionais garrafas de porcelana
assim à população tiam ao castigo – e assim teria sur- até as de vidro, latas de alumínio e
giu a bebida símbolo do Japão. Para caixas cartonadas.

FOTOS: ARQUIVO
O pioneiro diz adeus Você sabia?
Primeiro absorvente descartável lan- tos de higiene da mulher brasileira, A Coca-Cola já teve uma
garrafa totalmente pratea-
çado no Brasil, o Modess foi retirado acostumada ao uso de toalhinhas de
da. De vidro e jateada por
do mercado pela Johnson & Johnson pano até o lançamento da novida- dentro, uma edição limitada
em junho deste ano. Ao longo dos de, em 1933. No início Modess era da embalagem
anos, o produto revolucionou os hábi- importado dos Estados Unidos, e em de 185 milili-
1945 passou a ser fabricado no Brasil, tros circulou
vindo a tornar-se, até hoje, sinônimo apenas no Rio
Grande do Sul
da categoria. Nos últimos dez anos,
entre 1985 e
a J&J focou todos os investimentos 1986. Pouca
na marca Sempre Livre, que em maio gente de fora
último detinha 25,9% de participação do Estado teve
no mercado brasileiro de absorventes acesso à gar-
em volume. Modess fechou o mês rafa, hoje um
item de cole-
com apenas 0,1%.
cionador.

70 EmbalagemMarca www.embalagemmarca.com.br/almanaque julho 2008