Você está na página 1de 3

ESCOLA EB 2,3 DE VILA VERDE

FICHA-RESUMO DE GEOGRAFIA
9.º ANO

Nome: ___________________________________ N.º ___ Turma: ___

CAUSAS DA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA

CAUSAS NATURAIS: erupções vulcânicas, decomposição da matéria orgânica (algas e pântanos),


decomposição do húmus no solo e incêndios.

CAUSAS HUMANAS: consumo de combustíveis fósseis, incêndios florestais, fumos industriais, gases
dos escapes dos automóveis, aquecimentos domésticos, pulverização com pesticidas, dejectos industriais
e urbanos.

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA ATMOSFERA E RESPECTIVAS CONSEQUÊNCIAS

1 - AUMENTO DO EFEITO DE ESTUFA: O efeito estufa não é mais do que a função natural e
reguladora da atmosfera que contribui para o aquecimento da parte inferior da troposfera e evita o seu
arrefecimento. Por outras palavras, a atmosfera permite a absorção de parte da radiação solar pela Terra e
impede que parte dessa radiação se perca para fora do espaço.
Devido a esta função a temperatura média da Terra é de 15ºC e se a mesma não se efectuasse passaria a
ser de -18ºC. Acontece que como a poluição atmosférica está a aumentar, aumenta também a quantidade
de gases responsáveis pelo efeito estufa – os GEE1 – o que tem provocado um aumento da temperatura
média do planeta, vulgarmente designado pela expressão “Aquecimento Global”. As acções e
actividades humanas ou antrópicas são as principais responsáveis pela emissão dos GEE, a saber: as
indústrias, os meios de transporte, a agricultura moderna, os sistemas de transmissão de electricidade, etc,
factos agravados pela desflorestação maciça do planeta.

As consequências do aumento do efeito estufa são:


a) Subida da temperatura média da Terra provoca a dilatação térmica das águas superficiais dos oceanos e
o degelo dos glaciares (polares e nas áreas de montanha), o que por sua vez contribui para a subida do
nível médio da águas do mar;
b) A subida do nível médio das águas do mar, aumenta a erosão do mar sobre a costa levando estas
transgressões e invasões marinhas à submersão e ao desaparecimento de algumas ilhas e áreas costeiras;
1
GEE (metano, dióxido de carbono, óxido nitroso, os hidrofluorcarbonetos -HFC’s- os perfluorcarbonetos, vapor de
água e o ozono)
c) Diminuição das reservas de água doce devido à salinização das mesmas, porque como os glaciares
estão a derreter rapidamente as águas doces ao cair no mar vão tornar-se salgadas;
d) Ocorrência de alterações climáticas registando-se o aumento da temperatura sobretudo no hemisfério
norte do planeta e aumento da precipitação, devido à maior evaporação das águas dos oceanos provocada
pelo calor;
e) Aumento da ocorrência de situações meteorológicas extremas (inundações, furacões, ondas de calor,
seca e frio) e dos incêndios;
f) Aumento e maior facilidade de propagação de doenças nos seres vivos, não só porque o seu sistema
imunológico está mais debilitado devido ao calor, mas também porque os ambientes mais quentes são
mais propícios ao seu contágio e transmissão;
g) Alterações genéticas ou morte de alguns seres vivos que têm que se adaptar às novas condições
climáticas.

2 - AS CHUVAS ÁCIDAS: estas chuvas formam-se a partir da emissão de dióxido de enxofre e óxido de
azoto para a atmosfera (provenientes do aquecimento doméstico, comércio, indústria, veículos
motorizados e centrais eléctricas) que vão reagir com o vapor de água, originando respectivamente o
ácido sulfúrico e ácido nítrico diluídos. Quando as nuvens atingem o seu ponto de saturação e precipita,
acaba por ocorrer as chuvas ácidas, tendo as seguintes consequências: acidificação e contaminação dos
recursos hídricos (rios, lagos, albufeiras e aquíferos); destruição das florestas; modificação das
propriedades químicas do solo; distúrbios nas cadeias alimentares; desaparecimento de algumas plantas e
peixes; erosão dos solos; corrosão dos monumentos e dos edifícios; e aparecimento de problemas
respiratórios/pulmonares e dermatológicos.

3 - A DESTRUIÇÃO DA CAMADA DE OZONO: Os CFC’s (Clorofluorcarbonetos), que na sua


essência possuem cloro e são gases provenientes dos frigoríficos, ar condicionado, aerossóis, extintores
de incêndios e lâmpadas de halogéneo, provocam a destruição da camada de ozono, deixando passar
quantidades crescentes de radiação ultravioleta, prejudicial à vida na Terra. O “buraco do ozono” como
lhe chamam tem o tamanho dos EUA e aparece todas as primaveras por cima da Antárctida. As
consequências mais imediatas da destruição da camada do ozono reflectem-se no aquecimento global
e nas alterações climáticas, mas podemos salientar outras:
a) aumento do número de casos de cancro de pele (carcinoma);
b) aumento do número de casos de cegueira e outros problemas com a visão;
c) danificação do sistema imunológico dos seres humanos tornando-os mais vulneráveis a doenças
infecciosas.

4 - O CLIMA URBANO: as grandes aglomerações urbanas possuem um clima com características


diferentes das do meio rural envolvente, já que se verificam: temperaturas mais altas.
As principais causas da elevada temperatura em meio urbano são:
a) aumento do efeito de estufa resultante da concentração de poluentes e partículas sólidas na atmosfera,
com origem nos automóveis, indústria e usos domésticos;
b) uso generalizado, na construção de edifícios, de materiais com grande capacidade de absorção da
radiação solar (tijolo e cimento) o que provoca a condutibilidade térmica;
c) ocupação dos espaços urbanos com edifícios altos e posições variadas, o que facilita a reflexão da
radiação solar entre os prédios, acumulando calor;
d) impermeabilização do solo urbano (ruas alcatroadas, passeios), que reforça a absorção de radiação
solar, acumulando calor;
e) energia calorífica libertada pelos transportes, sistemas de climatização e pela iluminação de ruas e
edifícios.

5 - O SMOG: O Smog e a ocorrência de um maior número de dias de nevoeiro durante o ano são
uma realidade no clima urbano. O Smog resulta da combinação das palavras inglesas smoke (fumo) e fog
(nevoeiro) e não é mais do que a descrição de um intenso nevoeiro causado pelos fumos oriundos das
actividades humanas. É muito vulgar ocorrer em cidades cujos níveis de lançamento de Dióxido de
Carbono são altíssimos e podemos salientar as seguintes consequências principais:
a) dificuldades respiratórias e consequente aparecimento de um maior número de casos de cancro do
pulmão;
b) e problemas de visão, marcado por lacrimejar constante dos olhos

SOLUÇÕES PARA ATENUAR AS CONSEQUÊNCIAS DA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA

- filtros nas chaminés das fábricas;


- filtros nos escapes dos automóveis;
- não utilizar produtos com CFC;
- multas aos infractores, aplicando o princípio do poluidor- pagador;
- rede de transportes públicos organizada e eficaz, de forma a diminuir o uso do automóvel particular;
- gasolina sem chumbo;
- uso de energias renováveis.