Você está na página 1de 2
Ano XXIII - Edição 242
Ano XXIII - Edição 242

Aeromot/Fibraer promove calote e demissões

- Edição 242 Aeromot/Fibraer promove calote e demissões A Aeromot possa desrespeitar sua categoria, é ilegal,

A Aeromot

possa desrespeitar sua categoria, é ilegal, pois as verbas rescisórias não podem ser parceladas.

O Sindicato alertou à empresa

que qualquer entendimento deve primar pelo cumprimento da lei, e isso significa a readmissão imediata dos trabalhadores com estabilidade.

O Sindicato já está

ingressando com as ações de reintegração dos trabalhadores com estabilidade e, no prazo de dez dias, irá entrar com ações individuais para conseguir tanto

as verbas rescisórias, quanto quaisquer outros valores devidos.

A entidade já encaminhou

denúncia ao Ministério Público do Trabalho, à SRTE (antiga DRT), à Anac e ao Ministério Público Federal sobre a irregularidade nas demissões e sobre o atraso de salários.

Aeroespaço/Fibraer

anunciou a demissão de dezesseis

trabalhadores esta semana, sendo quatro deles aeroviários com direito à estabilidade no emprego. Após as demissões, os representantes da empresa Marcelo Della Barba, Luiz Fernando Garcia Chiamente

e Claudio Ricardo Kieser,

acompanhados de advogados, procuraram o Sindicato para informar que a empresa está passando por dificuldades financeiras e não poderá pagar

as rescisões. Eles propuseram um acordo, em juizo, de parcelamento das rescisões em vinte meses. A expectativa da empresa em fechar um acordo destes com

o Sindicato, além de absurda,

por acreditar que a entidade

Sindicato reúne-se com direção da TAP e Aerus no Rio

O Sindicato participou de reunião, no Rio de Janeiro, com representantes da TAP, do Aerus e do Sindicato Nacional dos Aeroviários, para debater a situação do plano da TAP/VEM no Instituto. Segundo o Aerus, a estimativa da dívida da TAP chega a R$ 40 milhões. Este valor é contestado pela

empresa, que argumenta que não há documentação comprovando o montante. Como resultado da reunião, foi deliberado que será formulada uma proposta de conciliação, visando a transferência do fundo dos aeroviários da TAP/VEM do Aerus para outra administradora de aposentadoria complementar.

Gol deve VTs a funcionários

A Gol, até o

complementar. Gol deve VTs a funcionários A Gol, até o momento, não forneceu o vale- transporte

momento, não forneceu o vale- transporte aos trabalhadores. Ela contratou uma prestadora de serviço para realizar o cadastro e a emissão dos cartões e diz que já pagou pelos vales, mas os funcionários ainda não receberam nada. Ao ser questionado, o gerente geral de Recursos Humanos, Jean Carlo, confirmou que a empresa pagou pelos vales, mas enfrenta

um problema na emissão desses cartões junto à ATP. Segundo ele,

a cidade não estaria preparada para atender à demanda. Para a direção do Sindicato,

a alegação de Jean não justifica

a falta dos vts, pois empresas

maiores, como a TAM, ou mesmo

a TAP/VEM - que tem quatro

vezes o número de funcionários da Gol em Porto Alegre -, não tiveram este problema.

O Sindicato ressalta que é um

direito do trabalhador ter acesso

aos vales no início do mês, e um dever da empresa viabilizá-los.

A responsável pelo RH da Gol

em Porto Alegre, Sra. Gabriela, informou que a companhia irá ressarcir os trabalhadores através de depósito em conta corrente. Para o Sindicato, o problema revela desordem dentro da Gol, fruto da sua política de terceirização, que segue na contramão de suas concorrentes.

AGENDE-SE - ABRIL 28 - Dia Internacional em Memória das Vítimas em Acidentes no Trabalho
AGENDE-SE - ABRIL
28 - Dia Internacional em Memória
das Vítimas em Acidentes no Trabalho
30 - Dia Nacional da Mulher

Sindicato tem nova reunião com direção nacional da TAP

Suspensão do intervalo para o café e descumprimento do ACT foram alguns dos problemas debatidos com a empresa. Dificuldades podem levar a não renovação do acordo.

Nesta terça- feira (7/4), o Sindicato participou de uma reunião com a direção da TAP, por videoconferência, com a sede da empresa no Rio. Representando a TAP, participaram da reunião o presidente Nestor Koch, a vice- presidente de Finanças, Gláucia Loureiro, e o gerente de Recursos Humanos, João Marcos.Dificuldades podem levar a não renovação do acordo. Na ocasião, foram avaliados os problemas que estão

Na ocasião, foram avaliados os problemas que estão ocorrendo na implementação do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT). A empresa esclareceu que, apesar da suspensão do turno da noite, mantém entre as bases de Porto Alegre e Rio de Janeiro cerca de 50 trabalhadores em horário noturno,

a fim de cumprir com contratos

já firmados. O Sindicato cobrou

da TAP que os trabalhadores que desempenharem atividades

noturnas sejam oriundos do antigo turno da noite. A empresa comprometeu-se a enviar uma cópia da nova escala de trabalho, para que a entidade possa acompanhá-la. Outro problema apontado pelo Sindicato foi a supressão da pausa de dez minutos para o intervalo do café. Desde o início da negociação do acordo, a entidade ressaltou sua posição contrária à suspensão do horário do café. A decisão, todavia, foi tomada de forma unilateral pela TAP. A direção da empresa prometeu estudar a questão e dar uma resposta até o dia 20 de abril. A TAP também comprometeu- se a anunciar a reestruturação do plano de concessão de passagens para funcionários, que no momento só está disponível para trechos da própria companhia, o que, de acordo com Gláucia Loureiro, torna o

programa muito restrito. A empresa confirmou também que o ticket do acordo será depositado no mesmo dia do pagamento do salário, e que o trabalhador que sair de férias no período do acordo não terá

nenhuma redução em seu salário.

O Sindicato ainda questionou a

TAP sobre denúncia de pressão contra os trabalhadores para que optem pelo sistema de folgas

2x1, devido a baixa demanda em alguns setores. A direção da empresa negou o fato e informou que a orientação das chefias

é para conciliar necessidades.

O Sindicato ressalta que o trabalhador não é obrigado a

folgar se não for do seu interesse,

e qualquer pressão deve ser denunciada.

A reunião foi a primeira de uma

série, cujo objetivo é constituir um canal de comunicação permanente entre empresa e os sindicatos.

CNTT realiza congresso nacional em abril

O Sindicato irá participar, entre os dias 16 a 19 de abril, do 7º Congresso da Confederação Nacional dos dias 16 a 19 de abril, do 7º Congresso da Confederação Nacional dos

Trabalhadores em Transporte (CNTT/CUT). O evento será realizado em Votorantim (SP), a 106 km da capital paulista. Além de renovar a direção da Confederação, o Congresso vai traçar as linhas de atuação da entidade nos próximos três anos. Segundo o presidente do Sindicato, Celso Klafke, vice-presidente da CNTT/CUT,

o grande desafio da entidade

é tornar-se reconhecida pelo Ministério do Trabalho, para que tenha maior arrecadação, seja auto-suficiente financeiramente e consiga superar dificuldades de infraestrutura. Outro desafio é buscar unificar os trabalhadores do Transporte na campanha salarial deste ano. Com exceção do setor aéreo, cuja data-base é em 1º de dezembro, os demais trabalhadores do ramo têm sua data-base em 1º de maio. A iniciativa visa evitar que, com a crise, os patrões tentem fazer caixa arrochando os salários.

Imposto sindical é descontado em março

O desconto relativo ao

imposto sindical, conforme rege a legislação vigente, foi realizado no contracheque de março. Os recursos serão

repassados para o governo federal, Sindicato, Federação e Confederação de trabalhadores do setor. Historicamente, nossa entidade é contrária ao desconto compulsório, defendendo a criação de um mecanismo de financiamento espontâneo, como

a contribuição negocial. A CUT

também tem lutado para alterar a legislação nesse sentido.

EXP EDI ENT E

Aerofolha é uma publicação do Sindicato dos Aeroviários de Porto Alegre Rua Augusto Severo, 82 - São João - Porto Alegre - RS - CEP 90240-480 - Fone/Fax: 51 3343-4302 www.aeroviarios.org.br - info@aeroviarios.org.br - Diretor de Imprensa: Henri Rupp (comunica@aeroviarios.org.br) Projeto gráfico e editoração: Agência Virya (www.virya.net - info@virya.net - Tel.: 51 4062-9991). O conteúdo deste veículo é de inteira responsabilidade da direção do Sindicato. Editado em 08/04/2009. Tiragem: 1,5 mil exemplares.