Você está na página 1de 13

CAPÍTULO II

ARQUITECTURA DE COMPUTADORES

OBJECTIVOS:

CAPÍTULO II ARQUITECTURA DE COMPUTADORES OBJECTIVOS: 2-Arquitectura de Computadores (Von Neumann Computer)

2-Arquitectura de Computadores (Von Neumann Computer) 2.1-Componentes de um Sistema Computacional

2.1.1-CPU

2.1.2-Memória

2.1.3-Unidades de Entrada e Saída

2.1.4-Barramentos

2.2-Unidade Central de Processamento 2.2.1-Unidade Aritmética Lógica (ALU) 2.2.2-Unidade de Controle (UL)

2.2.3-Registos

2.2.3.1-Contador de Programa (PC) 2.2.3.2-Registo de Instruções (IR) 2.2.3.3-Registo de endereço de Memória (MAR) 2.2.3.4-Registo de Buffer de Memória (MBR) 2.2.3.5-Acomulador (ACC) 2.2.3.6-Registo de Dados (DR) 2.3-Unidade de Memória 2.3.1-Memória de Acesso Aleatório (RAM) 2.3.2-DRAM VS SRAM 2.3.3-Tamanho e Endereços de Memória 2.3.4-Memório Somente de Leitura (ROM) 2.3.4.1-PROM VS EPROM

2.3.4.2-BIOS

2.3.5-Memória Segundaria

CAPÍTULO II

ARQUITECTURA DE COMPUTADORES

OBJECTIVOS:

CAPÍTULO II ARQUITECTURA DE COMPUTADORES OBJECTIVOS: 2.4-Unidades de Entrada e Saída 2.4.1-Periféricos de Entrada

2.4-Unidades de Entrada e Saída 2.4.1-Periféricos de Entrada 2.4.2-Periféricos de Saída

2.5-Barramentos

2.5.1-Barramento de Dados 2.5.2-Barramento de Endereço 2.5.3-Barramento de Controle 2.6-Instruções do Processador (CPU) 2.6.1-Formato de Instruções 2.6.2-Conjunto de Instruções 2.6.2-Cíclo de Instruções 2.7-Exercícios de Capítulo ( Teórico e Prático )

CAPÍTULO II

ARQUITECTURA DE COMPUTADORES

Arquitetura Concepcional de um Computador

DE COMPUTADORES Arquitetura Concepcional de um Computador Modelo de Von Neumann ISUTIC – Instituto Superior para

Modelo de Von Neumann

Concepcional de um Computador Modelo de Von Neumann ISUTIC – Instituto Superior para Tecnologias de

CAPÍTULO II

ARQUITECTURA DE COMPUTADORES

Componentes de um Sistema Computacional

DE COMPUTADORES Componentes de um Sistema Computacional Todos os computadores têm quatro partes principais:

Todos os computadores têm quatro partes principais:

Componente

Função

Unidade Central de Processamento (CPU)

O CPU é tido como o cérebro do computador, pela função que desempenha. É o componente responsável pelo controle e execução das instruções no computador .

Unidade de Memória

A memória é onde os dados e instruções de programa são armazenados, enquanto são processadas pelo CPU.

Unidades de Entrada e Saída

As unidades de E/S, são usadas para comunicar informações entre os humanos e o computador e vice-versa

Barramentos

São canais de comunicação, usados pelo CPU e dispositivos E/S para busca e armazenamento de dados e intruções na memória.

CAPÍTULO II

ARQUITECTURA DE COMPUTADORES

Unidade Central de Processamento

DE COMPUTADORES Unidade Central de Processamento A unidade de central de processamento (CPU) ou o

A unidade de central de processamento (CPU) ou o microprocessador (ou, simplesmente, processador) é referida como o "cérebro" de um sistema de computador. É um chip VLSI no interior do sistema, ligado à placa-mãe. Um processador controla todos os dispositivos internos e externos, e executa operações aritméticas e lógicas. Um processador opera apenas em dados binários, ou seja, dados compostas de 1s e 0s. Estes 1s e 0s correspondem aos interruptores elétricos sendo ligado ou desligado.

aos interruptores elétricos sendo ligado ou desligado. ISUTIC – Instituto Superior para Tecnologias de

CAPÍTULO II

ARQUITECTURA DE COMPUTADORES

Unidade Central de Processamento (Cont.)

DE COMPUTADORES Unidade Central de Processamento (Cont.) As funções de um processador pode ser resumida da

As funções de um processador pode ser resumida da seguinte forma:

Realização de funções aritméticas e lógicas. Controlar o uso de memória de armazenamento principal para armazenar dados e instruções. Controlar a sequência de operações. controlar todas as partes do sistema de computador.

O CPU é constituído por três subsistemas principais: a unidade aritmética / lógica (ALU), a unidade de controlo (CU) e os registos. Estes três subsistemas trabalham juntos para fornecer capacidades

i

i

t

d

operac ona s para o compu a or.

Unidade Aritmética/Lógica

A unidade aritmética / lógica (ALU) contém o circuito eletrônico que executa todas operações aritméticas e lógicas sobre os dados disponíveis. Os dados necessários para realizar as funções aritméticas e lógicas são as entradas do registo designado. A ALU compreende duas unidades: uma unidade aritmética e uma unidade lógica.

Unidade aritmética

A unidade aritmética contém o circuito que é responsável por executar os cálculos aritméticos, como adição, subtração, multiplicação e divisão. Tais operações são realizadas auma velocidade muito alta (nano segundos).

CAPÍTULO II

ARQUITECTURA DE COMPUTADORES

Unidade Central de Processamento (Cont.)

DE COMPUTADORES Unidade Central de Processamento (Cont.) Unidade lógica A unidade lógica e permite que a

Unidade lógica

A unidade lógica e permite que a CPU para fazer operações lógicas com base nas instruções

fornecidas. Estas operações são a comparação lógica entre os itens de dados. A unidade lógica pode comparar números, letras ou caracteres especiais e poderá então agir com base no resultado da

comparação. As operações lógicas de uma lógica de teste de unidade três condições:

Igual a: Em um teste para esta condição, a unidade aritmética / lógica compara dois valores para

determinar se eles são iguais. Por exemplo, se o número de ingressos vendidos é igual ao número de

t

l

assen os em uma sa a

d

i

e c nema, en

t

o a casa es a c

h

i

e a.

Menos do que: Para testar esta condição, a ALU compara valores para determinar se um é menor do que o outro. Por exemplo, se uma pessoa compra menos de duas passagens, então não é dada taxa

de desconto.

Maior que: Neste tipo de comparação, o computador determina se um valor é maior do que o outro. Por exemplo, se uma pessoa compra mais de 2 passagens, então a taxa de desconto é de 5%.

CAPÍTULO II

ARQUITECTURA DE COMPUTADORES

Unidade Central de Processamento (Cont.)

DE COMPUTADORES Unidade Central de Processamento (Cont.) Registos Os registros são para fins especiais, unidades de

Registos

Os registros são para fins especiais, unidades de memória temporária de alta velocidade. Estes são áreas de armazenamento temporário para guardar diversos tipos de informações como dados, instruções, endereços e resultados intermediários de cálculos. Essencialmente, eles contêm a informação que a CPU está processar no momento.

Os registos podem ser pensados como sendo a memória de trabalho da CPU, são locais de a da unidade de controle que aceita, mantem e transfere instruções e dados de operações de comparação, aritméticas ou lógicas em alta velocidade.

o

armazenamen o espec a , que o erece a van agem

t

i

l

f

t

d

l

a ve oc

id

a

d

O

i

t

s reg s os

t

b

ra

lh

b di

ã

reç

e.

am so

A unidade de controle utiliza registos de armazenamento de dados, de maneira semelhante, a um proprietário da loja que usa uma caixa registadora como um local conveniente para armazenar temporariamente as transações. Assim que uma instrução particular ou pedaço de dados é processado, a instrução seguinte, substitui imediatamente esta e as informações que resultam do processamento, são retornados para a memória principal.

CAPÍTULO II

ARQUITECTURA DE COMPUTADORES

Unidade Central de Processamento (Cont.)

DE COMPUTADORES Unidade Central de Processamento (Cont.) Registos Básicos da CPU Registo Função Contador de

Registos Básicos da CPU

Registo

Função

Contador de Programa ou Program Counter (PC)

Aponta para próxima instrução a ser executada

Registo de Instruções ou Instruction Register (IR)

Mantém a instrução a ser descodificada pela unidade de controle

Registo de Endereço de Memória ou Memory Address Register (MAR)

Guarda o endereço da próxima localização de memória a ser acessada

Registo de Buffuer de Memória ou Memory Buffer Register (MBR)

Este registo é usada para armazenar dados que vêm para cpu ou dados que estão sendo transferidos pelo cpu.

Acumulador ou Accumulator (ACC)

O acumulador é um registo de propósito geral, usado para armazenar resultados temporários e resultados produzidos pela ALU.

Registo de Dados ou Data Register (DR)

Usado para armazenar operandos e outros dados

Unidade Central de Processamento (Cont.)

CAPÍTULO II

ARQUITECTURA DE COMPUTADORES

OBSERVAÇÃO:

Além destes registos, um processador pode ter muitos outros registos. Os registros acima discutidos são os registros mais básicos e essenciais para qualquer CPU. Entretanto o número e tamanho dos registos, varia de processador para processador.

A dimensão ou comprimento de cada registo é determinada pela sua função. Por exemplo, o registo

de endereços de memória, que armazena o endereço da localização seguinte na memória para ser acedido, deve ter o mesmo número de bits como o endereço de memória. O registo de Instrução contém a instrução seguinte a ser executada, portanto, deve ser do mesmo número de bits que tem uma instrução.

Unidade de Controle

A unidade de controlo pode ser considerado como o coração da CPU. Esta controla os dispositivos de

E/S e transfere dados para e a partir da memória principal. Ela própria é controlada pelas instruções

individuais em programas localizados na memória principal. As instruções são recuperadas da memória principal, um de cada vez. Para isso, a unidade de controlo utiliza o registo de instruções para guardar a instrução corrente, e um ponteiro de instruções para selecionar o endereço da próxima instrução. Cada instrução é interpretada (descodificada) de modo que esta pode ser executado. Com base nas instruções, a unidade de controlo controla como as outras partes da CPU e, por sua vez, o resto do sistema do computador deve funcionar de modo a que as instruções são executadas de uma forma correta. Uma analogia pode ser considerada entre a unidade de controle e

o polícia de trânsito, a unidade de controle decide que ação irá ocorrer, assim como o polícia de

trânsito toma as decisões em quais das vias/sentido o tráfego deve passar ou parar e por quanto tempo.

Unidade Central de Processamento (Cont.)

CAPÍTULO II

ARQUITECTURA DE COMPUTADORES

Figura 1.2- Unidade de Controle e outras partes da CPU e do Computador

Unidade de Controle e outras partes da CPU e do Computador ISUTIC – Instituto Superior para

Unidade Central de Processamento (Cont.)

CAPÍTULO II

ARQUITECTURA DE COMPUTADORES

OBSERVAÇÃO:

Figura-1.2 ilustra como unidade de controle instrui as outras partes do CPU (ALU e registos) e os dispositivos de E/S sobre o que fazer e quando fazer. Além disso, determina que dados são necessários, onde eles são armazenados e onde armazenar os resultados da operação, bem como envia sinais de controlo para os dispositivos envolvidos na execução das instruções. Ela administra o movimento de grandes quantidades de instruções e dos dados utilizados pelo computador. Para manter a boa sequência de eventos necessários para qualquer tarefa de processamento, a unidade de controle utiliza entradas de clock. Assim, a unidade de controlo repete um conjunto de quatro operações básicas: busca, descodificação, execução e armazenamento.

As quatro operações básicas desencadeada pela UC, são explicadas como segue:

Fetching: É o processo de obtenção de uma instrução de programa ou item de dados a partir da memória.

Decoding: é o processo de traduzir a instrução em comandos que o computador pode executar.

Executing: É o processo de realização de comandos.

Storing: É o processo de escrever os resultados para a memória.

Unidade de Memória (RAM)

CAPÍTULO II

ARQUITECTURA DE COMPUTADORES

A memória é a parte do computador, que contém dados e instruções de processamento. Logicamente, é um componente integral da CPU, mas fisicamente é uma parte separada colocada na placa-mãe do computador. A memória armazena instruções de programas e dados somente enquanto estes tiverem em operação. A CPU acessa a memória principal de uma maneira aleatória, isto é, o processador pode aceder a qualquer localização dessa memória para ler ou armazenar informação nesta.

A memória primária é de dois tipos: a memória de acesso aleatório (RAM) e memória somente leitura (ROM).

Memória de Acesso Aleatório (RAM-Rondom Access Memory)

Memória de acesso aleatório (RAM) diretamente fornece as informações necessárias para o processador. RAM pode ser definida como um bloco de localizações de memória sequenciais, cada uma das quais tem um endereço único que determina a localização e os locais que contêm um elemento de dados. Ela armazena os programas e dados que estão em uso. Os locais de armazenamento na memória principal são endereçadas diretamente por instruções da CPU. Por natureza a memória RAM é volátil, o que significa que a informação armazenada na mesma permanece enquanto o computador manter-se ligado. Assim que a energia é desligada, as informações contidas nele desaparece. RAM pode ser classificada em duas categorias: