Você está na página 1de 122

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO
SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO 01285

MUNICIPIO DE CABIXI - RO

27º Sorteio do Projeto de Fiscalização a Partir de Sorteios Públicos


Sorteio de Unidades Municipais

29/Outubro/2008

RELATÓRIO DE FISCALIZAÇÃO 01285

MUNICIPIO DE CABIXI - RO

Trata o presente Relatório dos resultados dos exames


realizados sobre as 032 Ações de Governo executados na base municipal
de CABIXI - RO em decorrência
do 27º Evento do Projeto de Fiscalização a partir de Sorteios
Públicos.

2. Os trabalhos foram realizados no período de 02Nov2008 a


18Dez2008, e tiveram como objetivo analisar a aplicação dos recursos
federais no Município sob a responsabilidade de órgãos federais,
estaduais, municipais ou entidades legalmente habilitadas.

3. As Ações Governamentais que foram objeto das ações de


fiscalização estão apresentadas a seguir, por Ministério Supervisor,
discriminando, a quantidade de fiscalizações realizadas e os recursos
aproximados aplicados:

20125 CONTROLADORIA-GERAL DA UNIAO


PROGRAMA:
GESTÃO DE REC. FEDERAIS PELOS MUNICÍPIOS E CONTROLE SOCIAL
AÇÃO:
GESTÃO DE REC. FEDERAIS PELOS MUNICÍPIOS E CONTROLE SOCIAL
QUANTIDADE DE O.S.: 1 VALOR: Não se aplica

22000 MINIST. DA AGRICUL.,PECUARIA E ABASTECIMENTO


Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 1
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
PROGRAMA:
APOIO AO DESENVOLVIMENTO DO SETOR AGROPECUARIO
AÇÃO:
APOIO A PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO DO SETOR AGROPECUAR
IO - EM MUNICIPIOS DO - ESTADO DE R
QUANTIDADE DE O.S.: 2 VALOR: R$ 30.250,00

PROGRAMA:
APOIO AO DESENVOLVIMENTO DO SETOR AGROPECUARIO
AÇÃO:
ESTIMULO A PRODUCAO AGROPECUARIA-CABIXI
QUANTIDADE DE O.S.: 1 VALOR: R$ 30.000,00

26000 MINISTERIO DA EDUCACAO


PROGRAMA:
BRASIL ESCOLARIZADO
AÇÃO:
APOIO A ALIMENTACAO ESCOLAR NA EDUCACAO BASICA - NO EST
ADO DE RONDONIA
QUANTIDADE DE O.S.: 1 VALOR: R$ 55.255,20
AÇÃO:
CENSO ESCOLAR DA EDUCACAO BASICA - NACIONAL
QUANTIDADE DE O.S.: 1 VALOR: Não se aplica

PROGRAMA:
DESENVOLVIMENTO DO ENSINO FUNDAMENTAL
AÇÃO:
DINHEIRO DIRETO NA ESCOLA PARA A EDUCACAO BASICA - NA R
EGIAO NORTE
QUANTIDADE DE O.S.: 1 VALOR: R$ 14.783,00
AÇÃO:
APOIO AO TRANSPORTE ESCOLAR NA EDUCACAO BASICA - NACION
AL
QUANTIDADE DE O.S.: 1 VALOR: R$ 46.494,39

PROGRAMA:
DESENVOLVIMENTO DO ENSINO MEDIO
AÇÃO:
EXPANSAO E MELHORIA DA REDE ESCOLAR ESTADUAL DO ENSINO
MEDIO
QUANTIDADE DE O.S.: 1 VALOR: R$ 461.162,96

28000 MINISTERIO DO DESENV,IND. E COMERCIO EXTERIOR


PROGRAMA:
INTERIORIZACAO DO DESENVOLVIMENTO DA AMAZONIA OCIDENTAL
AÇÃO:
APOIO A PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO EM MUNICIPIOS - NO
ESTADO DE RONDONIA
QUANTIDADE DE O.S.: 2 VALOR: R$ 575.000,00

33000 MINISTERIO DA PREVIDENCIA SOCIAL


PROGRAMA:
PREVIDENCIA SOCIAL BASICA
AÇÃO:
PAGAMENTO DE APOSENTADORIAS - AREA URBANA - NACIONAL
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 2
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
QUANTIDADE DE O.S.: 2 VALOR: Não se aplica

36000 MINISTERIO DA SAUDE


PROGRAMA:
ASSISTENCIA FARMACEUTICA E INSUMOS ESTRATEGICOS
AÇÃO:
PROMOCAO DA ASSISTENCIA FARMACEUTICA E INSUMOS ESTRATEG
ICOS NA ATENCAO BASICA EM SAUDE - NO ESTADO DE RONDONIA
QUANTIDADE DE O.S.: 1 VALOR: Não se aplica

PROGRAMA:
ATENCAO BASICA EM SAUDE
AÇÃO:
ATENDIMENTO ASSISTENCIAL BaSICO NOS MUNICiPIOS BRASILEI
ROS
QUANTIDADE DE O.S.: 1 VALOR: R$ 235.700,72
AÇÃO:
PAGAMENTO DO SEGURO-DESEMPREGO AO PESCADOR ARTESANAL -
NACIONAL
QUANTIDADE DE O.S.: 1 VALOR: R$ 645.084,00
AÇÃO:
ESTRUTURACAO DA REDE DE SERVICOS DE ATENCAO BASICA DE S
AUDE - NACIONAL
QUANTIDADE DE O.S.: 3 VALOR: R$ 260.508,24

PROGRAMA:
VIGILANCIA, PREVENCAO E CONTROLE DE DOENCAS E AGRAVOS
AÇÃO:
INCENTIVO FINANCEIRO AOS ESTADOS, DISTRITO FEDERAL E MU
NICIPIOS CERTIFICADOS PARA A VIGILANCIA EM SAUDE - NACI
ONAL
QUANTIDADE DE O.S.: 1 VALOR: R$ 93.521,96

41000 MINISTERIO DAS COMUNICACOES


PROGRAMA:
INCLUSAO DIGITAL
AÇÃO:
IMPLANTACAO DE TELECENTROS PARA ACESSO A SERVICOS PUBLI
COS - NACIONAL
QUANTIDADE DE O.S.: 1 VALOR: Não se aplica

PROGRAMA:
OFERTA DOS SERVICOS DE TELECOMUNICACOES
AÇÃO:
RELACOES COM OS USUARIOS DE SERVICOS DE TELECOMUNICACOE
S - NACIONAL
QUANTIDADE DE O.S.: 1 VALOR: Não se aplica
AÇÃO:
FISCALIZACAO EM TELECOMUNICACOES - NACIONAL
QUANTIDADE DE O.S.: 1 VALOR: Não se aplica

49000 MINISTERIO DO DESENVOLVIMENTO AGRARIO


PROGRAMA:
DESENVOLVIMENTO SUSTENTAVEL DE TERRITORIOS RURAIS
AÇÃO:
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 3
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
Apoio a Projetos de Infra-Estrutura e Servicos em Terri
torios Rurais em Municipios - Estado de Rondonia
QUANTIDADE DE O.S.: 1 VALOR: R$ 100.000,00

51000 MINISTERIO DO ESPORTE


PROGRAMA:
ESPORTE E LAZER NA CIDADE
AÇÃO:
IMPLANTACAO E MODERNIZACAO DE INFRA-ESTRUTURA PARA ESPO
RTE RECREATIVO E DE LAZER - NACIONAL (CREDITO EXTRAORDI
NAR
QUANTIDADE DE O.S.: 2 VALOR: R$ 210.000,00

53000 MINISTERIO DA INTEGRACAO NACIONAL


PROGRAMA:
DESENVOLVIMENTO DA FAIXA DE FRONTEIRA
AÇÃO:
APOIO A IMPLANTACAO DA INFRA-ESTRUTURA SOCIAL E ECONOMI
CA NOS MUNICIPIOS DA FAIXA DE FRONTEIRA - IMPLANTACAO D
A INFRA-ESTRUTURA
QUANTIDADE DE O.S.: 1 VALOR: R$ 140.000,00

PROGRAMA:
GESTAO DA POLITICA DE INTEGRACAO NACIONAL
AÇÃO:
GESTAO DE PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTAVEL LOCAL
INTEGRADO-RONDONIA
QUANTIDADE DE O.S.: 1 VALOR: R$ 946.399,85

PROGRAMA:
OPERACOES ESPECIAIS: FINANCIAMENTOS COM RETORNO
AÇÃO:
FINANCIAMENTO AOS SETORES PRODUTIVOS DA REGIAO NORTE-NO
RTE
QUANTIDADE DE O.S.: 1 VALOR: R$ 357.480,00

54000 MINISTERIO DO TURISMO


PROGRAMA:
TURISMO NO BRASIL: UMA VIAGEM PARA TODOS
AÇÃO:
APOIO A PROJETOS DE INFRA-ESTRUTURA TURISTICA EM MUNICI
PIOS - NO ESTADO DE RONDONIA
QUANTIDADE DE O.S.: 1 VALOR: R$ 40.000,00

55000 MINISTERIO DO DESENV. SOCIAL E COMBATE A FOME


PROGRAMA:
ERRADICACAO DO TRABALHO INFANTIL
AÇÃO:
ACOES SOCIOEDUCATIVAS E DE CONVIVENCIA PARA CRIANCAS E
ADOLESCENTES EM SITUACAO DE TRABALHO
QUANTIDADE DE O.S.: 1 VALOR: R$ 91.620,00

PROGRAMA:
GESTAO DA POLITICA DE SEGURANCA ALIMENTAR E NUTRICIONAL
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 4
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
AÇÃO:
APOIO A ORGANIZACAO DO SISTEMA UNICO DE ASSISTENCIA SOC
IAL - SUAS - NACIONAL
QUANTIDADE DE O.S.: 1 VALOR: Não se aplica
AÇÃO:
FUNCIONAMENTO DOS CONSELHOS DE ASSISTENCIA SOCIAL - NAC
IONAL
QUANTIDADE DE O.S.: 1 VALOR: Não se aplica

PROGRAMA:
PROTECAO SOCIAL BASICA
AÇÃO:
SERVICOS DE PROTECAO SOCIAL BASICA AS FAMILIAS - NACION
AL
QUANTIDADE DE O.S.: 1 VALOR: R$ 90.000,00
AÇÃO:
SERVICOS ESPECIFICOS DE PROTECAO SOCIAL BASICA - NACION
AL
QUANTIDADE DE O.S.: 1 VALOR: R$ 62.428,60

PROGRAMA:
TRANSFERENCIA DE RENDA COM CONDICIONALIDADES
AÇÃO:
TRANSFERENCIA DE RENDA DIRETAMENTE AS FAMILIAS EM CONDI
CAO DE POBREZA E EXTREMA POBREZA (LEI Nº 10.836, DE 200
4) - NA REGIAO NORTE
QUANTIDADE DE O.S.: 1 VALOR: R$ 800.657,00

TOTAL DE O.S.: 36 VALOR TOTAL: R$ 5.286.345,92

4. Este relatório, destinado aos órgãos e entidades da


Administração Pública Federal, gestores centrais dos programas de
execução descentralizada, contempla, em princípio, constatações de
campo que apontam para o possível descumprimento de dispositivos
legais e contratuais estabelecidos para esse tipo de execução.

5. Esclarecemos que os Executores Municipais dos Programas,


quanto àqueles sob sua responsabilidade, já foram previamente
informados sobre os fatos relatados, tendo se manifestado em
08Jan2009, cabendo ao Ministério supervisor, nos casos pertinentes,
adotar as providências corretivas visando à consecução das políticas
públicas, bem como à apuração das responsabilidades.

6. Nesse sentido, os resultados das fiscalizações realizadas,


sempre que os trabalhos tenham evidenciado fatos relevantes que
indiquem impropriedades/irregularidades na aplicação dos recursos
federais examinados estão demonstrados a seguir, por Ministério:

SUMÁRIO DAS CONSTATAÇÕES DA FISCALIZAÇÃO

22000 MINIST. DA AGRICUL.,PECUARIA E ABASTECIMENTO


1.1.1 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE COMPROVAÇÃO DE REALIZAÇÃO DE COMUNICAÇÃO AOS PARTIDOS
POLÍTICOS E OURAS ENTIDADES SOBRE O RECEBIMENTO DE RECURSOS FEDERAIS
1.1.2 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE CLÁUSULA DE VIGÊNCIA CONTRATUAL E CLAÚSULA PREVENDO
PENALIDADES POR INADIMPLÊNCIA NA EXECUÇÃO DO OBJETO.
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 5
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
1.1.3 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE CRITÉRIOS DE ACEITABILIDADE DE PREÇO GLOBAL E UNITÁRIO NO
EDITAL DE LICITAÇÃO

26000 MINISTERIO DA EDUCACAO


2.1.1 CONSTATAÇÃO:
FALHAS NA EXECUÇÃO DA OBRA/REFORMA.
2.2.1 CONSTATAÇÃO:
FALHAS NOS CONTROLES INTERNOS.
2.2.2 CONSTATAÇÃO:
FRACIONAMENTO INDEVIDO DE DESPESAS.
2.2.3 CONSTATAÇÃO:
INEXISTÊNCIA DE TRÊS COTAÇÕES DE PREÇOS VÁLIDAS EM PROCESSOS DE
COMPRAS DO PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR.
2.2.4 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE NUTRICIONISTA NO MUNICÍPIO.
2.2.5 CONSTATAÇÃO:
PAGAMENTO ANTECIPADO DE DESPESAS.
2.2.6 CONSTATAÇÃO:
FALTA DE ATUAÇÃO DO CONSELHO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR A PARTIR DE ABRIL
DE 2008.
2.3.1 CONSTATAÇÃO:
NOTAS FISCAIS SEM IDENTIFICAÇÃO DO PROGRAMA.
2.3.2 CONSTATAÇÃO:
NÃO UTILIZAÇÃO DE BENS ADQUIRIDOS.
2.3.3 CONSTATAÇÃO:
PAGAMENTOS DE DESPESAS INELEGÍVEIS PARA O PROGRAMA
2.3.4 CONSTATAÇÃO:
FALTA DE IDENTIFICAÇÃO DO PROGRAMA NAS NOTAS FISCAIS
2.3.5 CONSTATAÇÃO:
TRANSPORTES DE ALUNOS EM ÔNIBUS COM PROBLEMAS NA ESTRUTURA
COMPROMETENDO A SEGURANÇA.
2.3.6 CONSTATAÇÃO:
Transporte de alunos acima do número permitido e de pessoas não atendi
das pelo programa.

28000 MINISTERIO DO DESENV,IND. E COMERCIO EXTERIOR


3.1.1 CONSTATAÇÃO:
Identificação de Vínculo Societário entre Participantes do Convite n.º
015/2007
3.1.2 CONSTATAÇÃO:
Sobrepreço na Aquisição de Tanques de Resfriamento de Leite

36000 MINISTERIO DA SAUDE


4.1.1 CONSTATAÇÃO:
INEXISTÊNCIA DE PLANO MUNICIPAL DE SAÚDE E DE RELATÓRIO DE GESTÃO
4.1.2 CONSTATAÇÃO:
PAGAMENTOS DE MULTAS E JUROS DE MORA COM RECURSOS DO PROGRAMA
4.1.3 CONSTATAÇÃO:
EXISTÊNCIA DE VÍNCULO ENTRE OS LICITANTES EM CONVITE
4.1.4 CONSTATAÇÃO:
IMPROPRIEDADES NOS PROCEDIMENTOS DE RECEBIMENTO DE GÊNEROS
ALIMENTÍCIOS
4.1.5 CONSTATAÇÃO:
INCONSISTÊNCIAS EM PROCESSOS DE DISPENSA DE LICITAÇÃO NO TOCANTE À
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 6
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
COTAÇÃO
4.1.6 CONSTATAÇÃO:
IMPROPRIEDADES EM PROCESSOS DE DISPENSA RELATIVOS À EFETIVIDADE DAS
COTAÇÕES
4.1.7 CONSTATAÇÃO:
INEXISTÊNCIA DE UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE PARA USO EXCLUSIVO DO PROGRAMA
SAÚDE DA FAMÍLIA
4.1.8 CONSTATAÇÃO:
INADEQUAÇÕES DE INFRA-ESTRUTURA NOS LOCAIS DE ATENDIMENTO DO PROGRAMA
SAÚDE DA FAMÍLIA
4.1.9 CONSTATAÇÃO:
EQUIPES DO PSF NÃO REALIZAM PALESTRAS/REUNIÕES COMUNITÁRIAS
4.1.10 CONSTATAÇÃO:
COBERTURA ODONTOLÓGICA DO PSF NÃO CUMPRE A CARGA HORÁRIA SEMANAL
PREVISTA NA LEGISLAÇÃO
4.1.11 CONSTATAÇÃO:
FALHAS NA UTILIZAÇÃO DE VEÍCULO ADQUIRIDO COM RECURSOS DO PSF
4.1.12 CONSTATAÇÃO:
DESCUMPRIMENTO DA CARGA HORÁRIA SEMANAL MÍNIMA POR MÉDICO DO PSF
4.1.13 CONSTATAÇÃO:
PROFISSIONAIS DO PSF POSSUEM VÍNCULOS COM OUTROS MUNICÍPIOS
4.1.14 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE COMPROVAÇÃO DE REALIZAÇÃO DE COMUNICAÇÃO Á CÂMARA
MUNICIPAL, PARTIDOS POLÍTICOS E OURAS ENTIDADES SOBRE O RECEBIMENTO DE
RECURSOS FEDERAIS
4.1.15 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE CLÁUSULA DE VIGÊNCIA CONTRATUAL
4.1.16 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE INDICAÇÃO DO BDI NA PROPOSTA COMERCIAL DA LICITANTE
4.1.17 CONSTATAÇÃO:
EQUIPAMENTOS SEM UTILIZAÇÃO
4.1.18 CONSTATAÇÃO:
EQUIPAMENTOS ADQUIRIDOS A PREÇOS SUPERIORES AOS PRATICADOS PELA
ADMINISTRAÇÃO EM ATÉ 109%
4.1.19 CONSTATAÇÃO:
EMPRESAS PARTICIPANTES NÃO LOCALIZADAS
4.2.1 CONSTATAÇÃO:
INEXISTÊNCIA DE PLANO MUNICIPAL DE ASSITÊNCIA FARMACEÛTICA
4.2.2 CONSTATAÇÃO:
INEXISTÊNCIA DE PLANO ESTADUAL DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA
4.2.3 CONSTATAÇÃO:
ALMOXARIFADO DE MEDICAMENTOS NÃO UTILIZA MÉTODOS EFICAZES DE CONTROLE
DE ESTOQUES
4.2.4 CONSTATAÇÃO:
DISTRIBUIÇÃO DEFICITÁRIA DE MEDICAMENTOS PARA A POPULAÇÃO
4.2.5 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE CONTRAPARTIDA ESTADUAL RELATIVA AO EXERCÍCIO DE 2008
4.2.6 CONSTATAÇÃO:
INADEQUAÇÕES NA INFRA-ESTRUTURA DO ALMOXARIFADO E NA ARMAZENAGEM DOS
MEDICAMENTOS
4.2.7 CONSTATAÇÃO:
DESCARTE DE GRANDE QUANTIDADE DE MEDICAMENTOS DEVIDO À FALTA DE
CONTROLE DA VALIDADE
4.2.8 CONSTATAÇÃO:
AQUISIÇÃO DE MEDICAMENTOS A PREÇOS SUPERIORES AOS PRATICADOS PELA
ADMINISTRAÇÃO EM ATÉ 141%
4.3.1 CONSTATAÇÃO:
EXISTÊNCIA DE VÍNCULO ENTRE EMPRESAS COTADAS EM PROCESSO DE DISPENSA
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 7
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
DE LICITAÇÃO
4.3.2 CONSTATAÇÃO:
PAGAMENTOS DE MULTAS E JUROS DE MORA COM RECURSOS DO PROGRAMA
4.3.3 CONSTATAÇÃO:
MÓVEIS ADQUIRIDOS COM RECURSOS DO PROGRAMA NÃO UTILIZADOS NAS
INSTALAÇÕES DA ECD
4.3.4 CONSTATAÇÃO:
IMPROPRIEDADES EM PROCESSOS DE DISPENSA RELATIVOS À EFETIVIDADE DAS
COTAÇÕES
4.3.5 CONSTATAÇÃO:
OBJETO RECEBIDO DIVERGENTE DO INFORMADO NA NOTA FISCAL.

41000 MINISTERIO DAS COMUNICACOES


5.1.1 CONSTATAÇÃO:
TELECENTRO NÃO SE ENCONTRA EM FUNCIONAMENTO: AS INSTALAÇÕES CARECEM DE
ADEQUAÇÕES PARA O ATENDIMENTO ÀS RECOMENDAÇÕES DO MINISTÉRIO DAS
COMUNICAÇÕES
5.1.2 CONSTATAÇÃO:
PREFEITURA NÃO CONSTITUIU O CONSELHO GESTOR.
5.1.3 CONSTATAÇÃO:
PREFEITURA NÃO CAPACITOU INSTRUTORES E MONITORES.
5.2.1 CONSTATAÇÃO:
Posto de Atendimento Telefônico não Localizado em Cabixi

49000 MINISTERIO DO DESENVOLVIMENTO AGRARIO


6.1.1 CONSTATAÇÃO:
Desvio de Finalidade: Prefeitura Utiliza Carreta do Convênio.
6.1.2 CONSTATAÇÃO:
Recebimento de carretas agrícolas com pneus recauchutados.

51000 MINISTERIO DO ESPORTE


7.1.1 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE COMPROVAÇÃO DA ANOTAÇÃO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA
REFERENTE À EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA.
7.1.2 CONSTATAÇÃO:
INÍCIO DA EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS SEM APROVAÇÃO DA CAIXA E ATESTO DO
RECEBIMENTO DOS MATERIAIS PELA PREFEITURA SEM O EFETIVO FORNECIMENTO
DOS MATERIAIS.
7.1.3 CONSTATAÇÃO:
DEFICIÊNCIAS NA EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS

53000 MINISTERIO DA INTEGRACAO NACIONAL


8.1.1 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE COMPROVAÇÃO DE REALIZAÇÃO DE COMUNICAÇÃO À CÂMARA
MUNICIPAL, PARTIDOS POLÍTICOS E OUTRAS ENTIDADES SOBRE O RECEBIMENTO
DE
RECURSOS FEDERAIS
8.1.2 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE COMPROVAÇÃO DA ANOTAÇÃO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA
REFERENTE À EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA.
8.2.1 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE COMPROVAÇÃO DE REALIZAÇÃO DE COMUNICAÇÃO À CÂMARA
MUNICIPAL, PARTIDOS POLÍTICOS E OUTRAS ENTIDADES SOBRE O RECEBIMENTO
DE RECURSOS FEDERAIS
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 8
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
8.2.2 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE CLÁUSULA DE VIGÊNCIA CONTRATUAL
8.2.3 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE INDICAÇÃO DO BDI NA PROPOSTA COMERCIAL DA LICITANTE
8.2.4 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE CRITÉRIOS DE ACEITABILIDADE DE PREÇO GLOBAL E UNITÁRIO NO
EDITAL DE LICITAÇÃO
8.2.5 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE JUSTIFICATIVA PARA UTILIZAÇÃO DE DISTÂNCIA MÉDIA DE
TRANSPORTE NA PLANILHA ORÇAMENTÁRIA
8.2.6 CONSTATAÇÃO:
INSUFICIÊNCIA DE RELATÓRIOS TÉCNICOS QUE ATESTEM A QUALIDADE DOS
SERVIÇOS EXECUTADOS

54000 MINISTERIO DO TURISMO


9.1.1 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE COMPROVAÇÃO DE REALIZAÇÃO DE COMUNICAÇÃO À CÂMARA
MUNICIPAL, PARTIDOS POLÍTICOS E OUTRAS ENTIDADES SOBRE O RECEBIMENTO
DE
RECURSOS FEDERAIS
9.1.2 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE REALIZAÇÃO DE AÇÕES NECESSÁRIAS A GARANTIR A DURABILIDADE
DO OBJETO DO CONTRATO DE REPASSE
9.1.3 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE INDICAÇÃO DO BDI NA PROPOSTA COMERCIAL DA LICITANTE

55000 MINISTERIO DO DESENV. SOCIAL E COMBATE A FOME


10.1.1 CONSTATAÇÃO:
96% DOS BENEFICIÁRIOS DO PROGRAMA NÃO EXERCIAM ATIVIDADES LABORAIS
10.1.2 CONSTATAÇÃO:
NÃO ATENDIMENTOS ÀS CONDICIONALIDADES DO PROGRAMA.
10.1.3 CONSTATAÇÃO:
AQUISIÇÃO DE BENS DE CONSUMO COM RECURSO DESTINADO À BOLSA DO PETI.
10.1.4 CONSTATAÇÃO:
PAGAMENTO ANTECIPADO DE COMPRAS PARA O PROGRAMA PETI.
10.1.5 CONSTATAÇÃO:
DISPENSA DE LICITAÇÃO COM MENOS DE TRÊS COTAÇÕES DE PREÇO.
10.1.6 CONSTATAÇÃO:
LICITAÇÃO NA MODALIDADE CONVITE COM MENOS DE TRÊS PROPOSTAS VÁLIDAS.
10.1.7 CONSTATAÇÃO:
FUGA AO PROCEDIMENTO LICITATÓRIO POR FRACIONAMENTO DO OBJETO.
10.2.1 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE DIAGNÓSTICO DAS ÁREAS DE RISCO E VULNERABILIDADE SOCIAL
10.2.2 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE CONTA ESPECÍFICA PARA ALOCAÇÃO DE RECURSOS PRÓPRIOS NO
FMAS
10.2.3 CONSTATAÇÃO:
O CMAS NÃO SUPERVISIONA A EXECUÇÃO DOS PROGRAMAS ASSISTENCIAIS.
10.2.4 CONSTATAÇÃO:
O CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL NÃO TEM ACESSO AO SUAS WEB.
10.2.5 CONSTATAÇÃO:
A COMISSÃO MUNICIPAL DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL - CMETI, NÃO
FISCALIZA A EXECUÇÃO DO PETI NO MUNICÍPIO.
10.3.1 CONSTATAÇÃO:
CONSELHO MUNICIPAL DE ACOMPANHENTO E CONTROLE SOCIAL DO PROGRAMA BOLSA
FAMÍLIA NÃO ESTÁ ATUANDO.
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 9
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
10.3.2 CONSTATAÇÃO:
CADASTRO DESATUALIZADO: ALUNOS NÃO LOCALIZADOS NAS ESCOLAS CONSTANTES
DA AMOSTRA, ALUNOS TRANSFERIDOS AINDA PRESENTES NA AMOSTRA.
10.3.3 CONSTATAÇÃO:
BENEFICIÁRIOS COM INDÍCIOS DE RENDA PER CAPITA SUPERIOR À ESTABELECIDA
NA LEGISLAÇÃO DO PROGRAMA
10.3.4 CONSTATAÇÃO:
NÃO HÁ EVIDÊNCIAS DE ATUAÇÃO DA COORDENAÇÃO MUNICIPAL DO PROGRAMA
BOLSA FAMÍLIA
10.4.1 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE TRES COTAÇÕES EM PROCESSO DE DISPENSA
10.4.2 CONSTATAÇÃO:
EMPRESA NÃO LOCALIZADA NO ENDEREÇO INFORMADO NA LICITAÇÃO.
10.4.3 CONSTATAÇÃO:
EXISTÊNCIA DE VÍNCULO ENTRE EMPRESAS COTADAS EM PROCESSO DE LICITAÇÃO
NA MODALIDADE CONVITE
10.4.4 CONSTATAÇÃO:
ATIVIDADES DO CENTRO DE CONVIVÊNCIA DE IDOSOS EXECUTADAS EM FREQUÊNCIA
INFERIOR À DEFINIDA NAS NORMAS DO PROGRAMA.
10.4.5 CONSTATAÇÃO:
A META PREVISTA NÃO É EXECUTADA.
10.4.6 CONSTATAÇÃO:
DEFICIÊNCIA NA INSTALAÇÃO FÍSICA DA CRECHE DO PBT INFÂNCIA.
10.4.7 CONSTATAÇÃO:
DEFICIÊNCIAS NO ATENDIMENTO OFERECIDO AOS BENEFICIÁRIOS DO PBT.
10.4.8 CONSTATAÇÃO:
FUGA AO PROCEDIMENTO LICITATÓRIO POR FRACIONAMENTO DO OBJETO.
10.4.9 CONSTATAÇÃO:
DISPENSA DE LICITAÇÃO COM MENOS DE TRÊS COTAÇÕES DE PREÇOS.

DETALHAMENTO DAS CONSTATAÇÕES DA FISCALIZAÇÃO

1 - 22000 MINIST. DA AGRICUL.,PECUARIA E ABASTECIMENTO

1.1 - PROGRAMA
0806
APOIO AO DESENVOLVIMENTO DO SETOR AGROPECUARIO
AÇÃO :
1494
ESTIMULO A PRODUCAO AGROPECUARIA-CABIXI
OBJETIVO DA AÇÃO :
Apoio financeiro às prefeituras municipais visando à implementação,
modernização, ampliação, racionalização e realocação da infra-estru-
tura necessária ao desenvolvimento da agricultura familiar no municí-
pio.
ORDEM DE SERVIÇO : 218563
OBJETO FISCALIZAÇÃO:
Execução/acompanhamento do contrato de repasse.
Contratos executados de acordo com a legislação e conforme plano de
trabalho.
AGENTE EXECUTOR :
PREFEITURA MUNICIPAL DE CABIXI
ORGAO PUBLICO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL
QUALIF. DO INSTRUMENTO DE TRANSF.:
CONTRATO DE REPASSE
MONTANTE DE RECURSOS FINANCEIROS: R$ 30.000,00

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 10


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
1.1.1 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE COMPROVAÇÃO DE REALIZAÇÃO DE COMUNICAÇÃO AOS PARTIDOS
POLÍTICOS E OURAS ENTIDADES SOBRE O RECEBIMENTO DE RECURSOS FEDERAIS

FATO:
Com o intuito de se certificar se a Prefeitura de Cabixi- RO cumpriu
com a determinação contida no artigo 2o da Lei no 9.452, que diz
respeito sobre a necessidade de notificar os partidos políticos, os
sindicatos de trabalhadores e as entidades empresariais sobre a
liberação de recursos financeiros federais a qualquer título,
realizou-se análise dos processos referentes ao contratos do Contrato
de Repasse no 106.56562/2000/MA/CAIXA, cujo objeto é a Construção da
Casa do Agricultor no valor de R$ 30.000,00(trinta mil reais).
Em face do exposto, constatou-se que a Prefeitura Municipal
de
Cabixi (RO) não comprovou a realização de notificação aos partidos
políticos, aos sindicatos de trabalhadores e as entidades
empresariais sobre o recebimento de créditos referentes aos recursos
federais, o que contraria o artigo 2º da Lei nº 9.452, de 20.03.1997.

EVIDÊNCIA:
Ausência de documentação comprobatória nos processos relativos ao
convênio ora analisado.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

1.1.2 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE CLÁUSULA DE VIGÊNCIA CONTRATUAL E CLAÚSULA PREVENDO
PENALIDADES POR INADIMPLÊNCIA NA EXECUÇÃO DO OBJETO.

FATO:
Da análise do Contrato no 041/2003, verificou-se não haver cláusula de
vigência contratual, bem como a de estabelecimento das penalidades a
que a contrata está submetida por falta injustificada na execução do
objeto.
Entende-se por duração ou prazo de vigência o período em que os
contratos firmados produzem direitos e obrigações para as partes
contratantes. A vigência é cláusula obrigatória e deve constar de todo
contrato, que só terá validade e eficácia após assinado pelas partes
contratantes e publicado seu extrato na imprensa oficial.
Assim, vigência do Contrato deve compreender o tempo necessário para
a execução do objeto, acrescentado de prazo para avaliação e
recebimento do objeto contratual e outros procedimentos julgados
necessários para o fiel cumprimento do objeto do contrato.
Sobre o assunto, assim tem se manifestado o Tribunal de Contas da
União, Acórdão 1393/04 - Plenário:
"(...), o Tribunal tem firmado entendimento de que a ausência de
cláusulas definidoras de termo final dos ajustes caracteriza prazo de
vigência indeterminado, infringindo o disposto nos arts. 57, §§ 2º e
3º, e 60, todos da Lei 8.666/93 (vide Decisão 999/2002 e Acórdão
1.130/2003, ambos do Plenário).
(...)
ACORDAM os Ministros do Tribunal de Contas da União, reunidos em
sessão Plenária, ante as razões expostas pelo Relator e com espeque no
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 11
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
art. 43 da Lei 8.443/92, em:
(...)
9.2. determinar à Centrais Elétricas do Norte do Brasil S.A -
Eletronorte que:
(...)
9.2.2. formalize termo aditivo aos contratos em andamento, para
incluir cláusula específica de delimitação temporal da avença,
evitando que o fornecimento de bens e a prestação de serviços fiquem
sem cobertura contratual, em contrariedade às prescrições contidas nos
arts. 57, §§ 2º e 3º, e 60, da Lei 8.666/93;"
São também cláusulas essenciais dos Contratos Administrativos, de
acordo com art. 55 da Lei de Licitações e Contratos:
"Art. 55. São cláusulas necessárias em todo contrato as que
estabeleçam:
(...)
IV - os prazos de início de etapas de execução, de conclusão, de
entrega, de observação e de recebimento definitivo, conforme o caso;
(...)
VII - os direitos e as responsabilidades das partes, as penalidades
cabíveis e os valores das multas;"
Dessa forma, verifica-se que o contrato ora analisado tem prazo de
vigência indeterminado e não prevê as penalidades cabíveis às partes,
contrariando dispositivos da Lei de Licitações e Contratos.

EVIDÊNCIA:
Contrato no 041/2003

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

1.1.3 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE CRITÉRIOS DE ACEITABILIDADE DE PREÇO GLOBAL E UNITÁRIO NO
EDITAL DE LICITAÇÃO

FATO:
Da análise do Edital de Licitação Carta-Convite no 045/2003, verifica-
se a ausência de critérios de aceitabilidade dos preços unitários e
globais.
O fato de os processos licitatórios terem sido realizados em regime de
preço global não exclui a necessidade de controle dos preços de cada
item. É preciso ter em mente que, mesmo nas contratações por valor
global, o preço unitário servirá de base no caso de eventuais
acréscimos contratuais, admitidos nos limites estabelecidos no
Estatuto das Licitações. Dessa forma, se não houver a devida cautela
com o controle de preços unitários, uma proposta aparentemente
vantajosa para a administração pode se tornar um mau contrato.
Esse controle deve ser objetivo e se dar por meio da prévia fixação de
critérios de aceitabilidade dos preços unitário e global, tendo como
referência os valores praticados no mercado e as características do
objeto licitado.
Esses critérios, preços unitários e globais, previnem assim a
ocorrência do chamado "jogo de preços" ou "jogo de planilha".
O inciso X do artigo 40 da lei 8.666/93 faz exigência quanto a
existência de tais critérios, conforme disposto a seguir:
"Art. 40. O edital conterá no preâmbulo o número de ordem em série
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 12
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
anual, o nome da repartição interessada e de seu setor, a modalidade,
o regime de execução e o tipo da licitação, a menção de que será
regida por esta Lei, o local, dia e hora para recebimento da
documentação e proposta, bem como para início da abertura dos
envelopes, e indicará, obrigatoriamente, o seguinte:
X - critério de aceitabilidade dos preços unitários e global, conforme
o caso, vedada a fixação de preços mínimos, critérios estatísticos ou
faixas de variação em relação a preços de referência; (Redação dada
pela Lei nº 8.883, de 1994)"
Dessa forma, verificamos a existência de incompatibilidade do Edital
de licitação com os ditames do Estatuto de Licitações e Contratos.

EVIDÊNCIA:
Edital de licitação Carta-Convite no 045/2003.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

2 - 26000 MINISTERIO DA EDUCACAO

2.1 - PROGRAMA
0045
DESENVOLVIMENTO DO ENSINO MEDIO
AÇÃO :
1327
EXPANSAO E MELHORIA DA REDE ESCOLAR ESTADUAL DO ENSINO
MEDIO
OBJETIVO DA AÇÃO :
Apoiar projetos estaduais de expansão e melhoria da qualidade do aten-
dimento da rede escolar pública estadual de ensino médio, de forma a
garantir o atendimento integral aos egressos do ensino fundamental.
ORDEM DE SERVIÇO : 219056
OBJETO FISCALIZAÇÃO:
Implementação no estado de Rondônia do programa de desenvolvimento
do ensino médio - Projeto Alvorada, incrementar ações pedagógicas e
melhoria da qualidade do ensino médio, conforme plano de trabalho.
AGENTE EXECUTOR :
PREFEITURA MUNICIPAL DE CABIXI
ORGAO PUBLICO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL
QUALIF. DO INSTRUMENTO DE TRANSF.:
CONVÊNIO SIAFI 429048
MONTANTE DE RECURSOS FINANCEIROS: R$ 461.162,96

2.1.1 CONSTATAÇÃO:
FALHAS NA EXECUÇÃO DA OBRA/REFORMA.

FATO:
Por meio do procedimento licitatório Tomada de Preços no 0002/02-
CPLO/SUPEL, foi contratada empresa para realizar os serviços de
engenharia referentes à adequação física da EEEFM José de Anchieta. A
vencedora do certame foi a empresa de CNPJ no 01.145.726/0001-85, cuja
proposta comercial ofereceu o valor global de R$ 195.738,84.
Dentre os serviços de adequação da Escola houve o de construção de
banheiros para os alunos da escola. Em visita a essas instalações,
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 13
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
verificou-se que tais instalações não foram utilizadas até o presente
momento porque, de acordo com uma das professoras do colégio, que não
quis se identificar, a obra apresentou problemas com descolamento
interno dos azulejos desde a sua entrega, o que, para não agravar a
situação, as instalações foram interditadas desde a entrega para que
os problemas fossem resolvidos, o que não ocorreu,já decorridos quase
4 (quatro) anos.
As falhas no revestimento interno dos banheiros estão evidenciadas nas
fotos n.º 10 e 11 do campo evidência desta constatação.
A situação encontrada evidencia que parte do objeto do convênio não
está atendendo às finalidades previstas.

EVIDÊNCIA:
Fotos 10 e 11 tiradas a partir de inspeção física no local da obra a
seguir apresentadas:

Foto 10 Foto 11

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação da prefeitura.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

2.2 - PROGRAMA
1061
BRASIL ESCOLARIZADO
AÇÃO :
0513
APOIO A ALIMENTACAO ESCOLAR NA EDUCACAO BASICA - NO EST
ADO DE RONDONIA
OBJETIVO DA AÇÃO :
Garantir a oferta da alimentação escolar, de forma a suprir, no míni-
mo, 15% das necessidades nutricionais dos alunos matriculados em esta-
belecimentos públicos nos Estados, Municípios e Distrito Federal, nos
estabelecimentos mantidos pela União e excepcionalmente, nas entidades
filantrópicas, com a oferta de, no mínimo uma refeição diária, durante
o período de permanência na escola. Essa ação visa a contribuir para o
crescimento do aluno, para a melhoria da sua aprendizagem e para a
formação de bons hábitos alimentares.
ORDEM DE SERVIÇO : 219334
OBJETO FISCALIZAÇÃO:
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 14
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
Aquisição, armazenagem e distribuição dos gêneros alimentícios pela
Prefeitura Municipal/SEDUC/Escolas Executoras/Empresas Terceirizadas;
- Recebimento e armazenagem dos gêneros, elaboração da merenda e ofer-
ta da refeição aos alunos pelas escolas e empresas terceirizadas;
- Atuação do Conselho de Alimentação Escolar - CAE.
AGENTE EXECUTOR :
PREFEITURA MUNICIPAL DE CABIXI
ORGAO PUBLICO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL
QUALIF. DO INSTRUMENTO DE TRANSF.:
FUNDO A FUNDO OU CONCESSãO
MONTANTE DE RECURSOS FINANCEIROS: R$ 55.255,20

2.2.1 CONSTATAÇÃO:
FALHAS NOS CONTROLES INTERNOS.

FATO:
Este procedimento tem por finalidade aferir a consistência dos
controles exercidos sobre o processo de entrega/recebimento dos
produtos da merenda escolar entre a Secretaria de Educação e as
escolas.
Na verificação "in loco" realizada por esta equipe em todas as escolas
da amostra, constatou-se, por meio das entrevistas com professores e
merendeiras, que não existe uma 2ª via das requisições ou algum outro
documento que ateste o recebimento dos produtos enviados pela
prefeitura para atender ao programa de alimentação escolar nas
escolas. Todas as vias das requisições ficam arquivadas na
prefeitura, o que caracteriza falhas nos controles internos, pois uma
via deveria estar na escola em caso de fiscalização dos órgãos de
controle (CGU, TCU TCE) ou o MEC, para possibilitar às equipes à
confirmação de que realmente os professores ou merendeiras receberam
esses alimentos.
Essa prática deverá ser revista pelo gestor visando o aprimoramento
dos seus mecanismos de controles internos, contribuindo para o
fortalecimento de rotinas internas preventivas na execução deste
programa.

EVIDÊNCIA:
Cópias das Requisições arquivadas na prefeitura.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica

2.2.2 CONSTATAÇÃO:
FRACIONAMENTO INDEVIDO DE DESPESAS.

FATO:
O Ministério da Educação repassou para o Município de Cabixi,
durante o exercício de 2007, o valor de R$ 31.988,00 (trinta e um
mil, novecentos e oitenta e oito reais) referentes ao Programa
Nacional de Alimentação Escolar - PNAE e PNAE - CRECHE. Em 2008, até
o mês de outubro, foram repassados R$ 23.267,20(vinte e três mil,
duzentos e sessenta e sete reais e vinte centavos), referentes aos
programas PNAE, PNAE - CRECHE e PNAE - PRÉ-ESCOLA.
Com esses recursos foram adquiridos merenda para alunos do ensino
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 15
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
infantil (creche e pré-escola) e fundamental da rede municipal. Para
tanto, foram formalizados 34 processos licitatórios, na sua maioria
dispensas de licitação.
Conforme informações prestadas pela Secretária de Educação, na medida
em que os recursos das parcelas foram liberados pelo FNDE, a
Prefeitura foi abrindo os processos, de forma que não houve um
planejamento para as compras de 2007 e 2008.
Esse conjunto de procedimentos caracteriza o fracionamento indevido de
despesas, uma prática vedada pela Lei n.º 8.666/93, em seu artigo 23,
§ 5.º.
Nesse sentido, o TCU, em seu Manual de Licitações, 3ª edição, página
43, cita que tal procedimento surge da ausência de um bom
planejamento:
"Muitas vezes o fracionamento ocorre pela ausência de planejamento do
quanto vai ser efetivamente gasto no exercício para a execução de
determinada obra, ou a contratação de determinado serviço ou ainda a
compra de determinado produto. O planejamento do exercício deve
observar o princípio da anualidade do orçamento. Logo, não pode o
agente público justificar o fracionamento da despesa com várias
aquisições ou contratações no mesmo exercício, sob modalidade de
licitação inferior àquela exigida para o total da despesa no ano,
quando decorrente da falta de planejamento."
As tabelas de números 1 e 2 a seguir evidenciam o fracionamento
ocorrido no PNAE.
Tabela 1 - Parte das dispensas do PNAE em 2007
PROGRAMA N º DO PROCESSO VALOR MODALIDADE MODALIDADE
CORRETA
PNAE 208/2007 2867,29 Dispensa
267/2007 2869,12 Dispensa
310/2007 2872,99 Dispensa
401/2007 2867,43 Dispensa
437/2007 2850,80 Dispensa
479/2007 2845,55 Dispensa
510/207 2872,11 Dispensa
543/2007 2867,19 Dispensa
582/2007 2847,54 Dispensa
Total 25.760,02 Convite

Tabela 2 - Parte das dispensas do PNAE em 2008


PROGRAMA Nº DO PROCESSO VALOR MODALIDADE MODALIDADE
CORRETA
PNAE/PNAE- 204/2008 2.579,35 Dispensa
PRE
250/2008 2.565,14 Dispensa
272/2008 2.605,11 Dispensa
295/2008 2.579,34 Dispensa
335/2008 2.593,93 Dispensa
364/2008 2.600,40 Dispensa
450/2008 2.458,31 Dispensa
426/2008 2.599,22 Dispensa
Total 20.580,80 Convite

A Egrégia Corte de Contas também já se manifestou por meio de


diversos Acórdãos:
a) Acórdão 1386/2005 - Segunda Câmara
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 16
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
" Evite a fragmentação de despesas, caracterizada por aquisições
freqüentes dos mesmos produtos ou realização sistemática de serviços
da mesma natureza em processos distintos, cujos valores globais
excedam o limite previsto para dispensa de licitação a que se referem
os inciso I e II do art. 24 da Lei 8.666/1993."
b) Acórdão 667/2005 - Plenário
"(...) a realização de vários procedimentos em um exercício não
caracteriza, por si só, o fracionamento indevido da despesa, o qual
somente ocorre quando não se preserva a modalidade pertinente para o
total de aquisições do exercício (§ 2º do art. 23 da Lei 8.666/1993)."
c) Acórdão 740/2004 - Plenário
" Evite o fracionamento de despesas como mecanismo de fuga à
modalidade de licitação adequada (art. 23, § 5º)."
Ainda durante os trabalhos em campo, a Secretária de Educação
perguntou à equipe de fiscalização como licitar esse recurso,
considerando que o repasse é de apenas R$ 2.700,00 (dois mil e
setecentos reais) por mês. Na ocasião, foi orientado que o Município
providencie um Registro de Preços com validade de 01 (um) ano, de
forma a evitar o fracionamento indevido dessa despesa.

EVIDÊNCIA:
Evidencias: Análise dos processos: 208, 267, 310, 401, 437, 479, 510,
543, 582, todos de 2007 e dos processos 204, 250, 272, 295, 335, 364,
450, 426, todos de 2008.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

2.2.3 CONSTATAÇÃO:
INEXISTÊNCIA DE TRÊS COTAÇÕES DE PREÇOS VÁLIDAS EM PROCESSOS DE
COMPRAS DO PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR.

FATO:
Analisando-se as dispensas de licitação realizadas pela Prefeitura de
Cabixi para aquisição de merenda escolar nos exercícios de 2007
e 2008, identificou-se a inexistência do mínimo de três cotações de
preço válidas nos respectivos processos.
Esse fato foi verificado nos processos do PNAC, PNAE - CRECHE e PNAE -
PRE. Consta, em todos os processos, os orçamentos de apenas dois
supermercados, que são os titulares de CNPJ n.º 03.591.303/0001-14 e
n.º 05.303.495/0001-41, ambos de Cabixi.
Tabela 1 - Processos PNAE de 2007 com apenas duas propostas
PROGRAMA N º DO VALOR MODALIDADE
PROCESSO
PNAE 208/2007 2867,29 Dispensa
267/2007 2869,12 Dispensa
310/2007 2872,99 Dispensa
401/2007 2867,43 Dispensa
437/2007 2850,80 Dispensa
479/2007 2845,55 Dispensa
510/207 2872,11 Dispensa
543/2007 2867,19 Dispensa
582/2007 2847,54 Dispensa
Total 25.760,02

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 17


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
Tabela - 2 Processos PNAE 2008 com apenas duas propostas
PROGRAMA Nº DO PROCESSO VALOR MODALIDADE
PNAE/PNAE- 204/2008 2.579,35 Dispensa
PRE
250/2008 2.565,14 Dispensa
272/2008 2.605,11 Dispensa
295/2008 2.579,34 Dispensa
335/2008 2.593,93 Dispensa
364/2008 2.600,40 Dispensa
450/2008 2.458,31 Dispensa
426/2008 2.599,22 Dispensa
Total 20.580,80

Os fatos supracitados configuram falhas na condução dos


processos,comprometendo a competitividade e a do melhor resultado e
de economia para a Administração.
Também resta prejudicado o cumprimento ao que determina o Acórdão
1584/2005 - Segunda Câmara, conforme transcrição a seguir:
TCU - Acórdão 1584/2005 - Segunda Câmara
Determinações:
36.1. Ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional para:
36.1.1. proceder, quando da realização de licitação ou dispensa, à
consulta de preços correntes no mercado ou fixados por órgão oficial
competente ou, ainda, constantes do sistema de registro de preços, em
cumprimento ao disposto no art. 43, inc. IV, e no art. 26, parágrafo
único, inc. III, da Lei 8.666/93, consubstanciando-a em, pelo menos,
três orçamentos de fornecedores distintos, os quais devem ser anexados
aos processos de contratação.

EVIDÊNCIA:
Análise dos processos 208, 267, 310, 401, 437, 479, 510, 543, 582,
todos de 2007 e os processos 204, 250, 272, 295, 335, 364, 450, 426,
todos de 2008.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

2.2.4 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE NUTRICIONISTA NO MUNICÍPIO.

FATO:
A Secretária de Educação do Município de Cabixi informou, por meio de
entrevista, que ainda não tem em seu quadro de servidores um
nutricionista para fazer o acompanhamento da merenda escolar.
Mesmo na ausência de nutricionista no município, nas visitas às
escolas da amostra, verificou-se que os professores ou merendeiras
estão fazendo as refeições, seguindo um cardápio baseado nas
informações da escola estadual e por experiência das merendeiras, mas
sem os conhecimentos técnicos de um profissional do ramo.
A elaboração de cardápio por um nutricionista é exigência da
legislação do programa, conforme dispõe o art. 14, da
RESOLUÇÃO/FNDE/DC/ n.º 32, de 10 de agosto de 2006, descrito abaixo:
Art. 14 O cardápio da alimentação escolar, sob a responsabilidade dos
Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, será elaborado por
nutricionista habilitado, que deverá assumir a responsabilidade
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 18
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
técnica do programa, com o acompanhamento do CAE, e ser programado, de
modo a suprir, no mínimo, 30% (trinta por cento) das necessidades
nutricionais diárias dos alunos das creches e escolas indígenas e das
localizadas em áreas remanescentes de quilombos, e 15% (quinze por
cento) para os demais alunos matriculados em creches, pré-escolas e
escolas do ensino fundamental, durante sua permanência em sala de
aula.

EVIDÊNCIA:
Entrevista com a Secretária de Educação e merendeiras e vistas às
escolas.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

2.2.5 CONSTATAÇÃO:
PAGAMENTO ANTECIPADO DE DESPESAS.

FATO:
A Prefeitura Municipal de Cabixi realizou diversas licitações na
modalidade Dispensa, para aquisição de gêneros alimentícios do
Programa Nacional de Alimentação Escolar - PNAE.
Analisado-se esses processos contatou-se que em alguns casos a
Prefeitura não recebeu alguns dos produtos adquiridos, conforme a data
de atesto da nota fiscal.
Tal fato ocorreu nos seguintes processos conforme discriminado na
tabela abaixo:
Processo Nota fiscal Data do atesto Data do termo
450/2008 946 31/10/2008 03/11/2008
1016 03/11/2008
451/2008 956 04/11/2008 31/10/2008
1015 04/11/2008 03/11/2008
427/2008 1009 22/10/2008 22/10/2008
426/2008 1008 22/10/2008 22/10/2008
0933 22/10/2008 22/10/2008

Apesar de a prefeitura ter atestado as notas como se tivesse recebido


todos os produtos na mesma data, os alimentos ficaram no supermercado
fornecedor, sendo que este assinou vários termos de compromisso como
fiel depositário.
Entretanto, os pagamentos das notas fiscais foram integrais e o atesto
do recebimento é da totalidade dos produtos, caracterizando o
pagamento de despesas antecipadas, tendo em vista que não há a devida
liquidação da despesa, conforme previsto no inciso III, § 2º, do art.
63 da Lei 4.320/64, conforme transcrição a seguir:
Art. 63. A liquidação da despesa consiste na verificação do direito
adquirido pelo credor tendo por base os títulos e documentos
comprobatórios do respectivo crédito.
§ 2º A liquidação da despesa por fornecimentos feitos ou serviços
prestados terá por base: III - os comprovantes da entrega de material
ou da prestação efetiva do serviço.

EVIDÊNCIA:
Análise dos processos 450, 451, 427 e 426, todos de 2008 e cópia dos
termos de compromisso.
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 19
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:
Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

2.2.6 CONSTATAÇÃO:
FALTA DE ATUAÇÃO DO CONSELHO DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR A PARTIR DE ABRIL
DE 2008.

FATO:
O Conselho de Alimentação Escolar foi criado por meio do Decreto
Municipal n.º 012/2007, de 10 de fevereiro de 2007, conforme
documentação em nosso poder.
Constatou-se, porém, que o Conselho não vem atuando desde abril de
2008, conforme constatado na sua última ata, ocorrida em
04/04/2008.
Esse fato foi confirmado pelo Presidente do Conselho durante
questionário aplicado pela equipe de fiscalização. O mesmo afirmou que
desde aquela data o Conselho não vem atuando na fiscalização e
acompanhamento do programa, descumprindo o que determina o artigo 17
da RESOLUÇÃO/FNDE/CD/ n.º 32, de 10 de agosto de 2006, que trata das
normas do programa, conforme abaixo:
"Art. 17. São atribuições do CAE:
I - acompanhar a aplicação dos recursos federais transferidos à conta
do PNAE;
II - acompanhar e monitorar a aquisição dos produtos adquiridos para o
PNAE, zelando pela qualidade dos produtos, em todos os níveis, até o
recebimento da refeição pelos escolares;
III - orientar sobre o armazenamento dos gêneros alimentícios, seja em
depósitos da Entidade Executora e/ou das escolas;
IV - comunicar à EE a ocorrência de irregularidades em relação aos
gêneros alimentícios, tais como: vencimento do prazo de validade,
deterioração, desvios e furtos, dentre outros, para que sejam tomadas
as devidas providências;
V - divulgar em locais públicos os recursos financeiros do PNAE
transferidos à EE;
VI - acompanhar a execução físico-financeira do Programa, zelando pela
sua melhor aplicabilidade;
VII - comunicar ao FNDE e ao Ministério Público Federal qualquer
irregularidade identificada na execução do PNAE, em especial aquelas
de que tratam os incisos II a IV do artigo 25 desta Resolução, sob
pena de responsabilidade solidária de seus membros;
VIII - receber e analisar a prestação de contas do PNAE enviada pela
Entidade Executora, remetendo ao FNDE, posteriormente, apenas o
Demonstrativo Sintético Anual da Execução Físico- Financeira com
parecer conclusivo (Anexo I desta Resolução) o qual deverá ser
elaborado, observando o "Roteiro para Elaboração do Parecer Conclusivo
do CAE", acompanhado do extrato bancário da conta específica do
programa;
IX - fornecer informações e apresentar relatórios acerca do
acompanhamento da execução do PNAE, sempre que solicitado."
Também durante as visitas as escolas rurais Marcos Iris e Cecília
Meireles os diretores e merendeiras responderam à entrevista, por meio
de questionário, aplicado pela equipe de fiscalização, que não
ocorreram visitas do CAE nos exercícios de 2007 e 2008, período dos
nossos exames.

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 20


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
EVIDÊNCIA:
Entrevista com o Presidente do Conselho, Entrevistas com os
professores e análise da ata da reunião ocorrida em 04/04/2008.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

2.3 - PROGRAMA
1376
DESENVOLVIMENTO DO ENSINO FUNDAMENTAL
AÇÃO :
0515
DINHEIRO DIRETO NA ESCOLA PARA A EDUCACAO BASICA - NA R
EGIAO NORTE
OBJETIVO DA AÇÃO :
Garantir recursos para possibilitar às escolas condições mínimas
de funcionamento para manter o aluno do Ensino Fundamental, buscando a
participação da sociedade e autonomia gerencial dos recursos, culminan
do na melhoria das condições físicas e pedagógicas das unidades educa-
cionais.
ORDEM DE SERVIÇO : 219095
OBJETO FISCALIZAÇÃO:
- Aquisição de materiais de consumo e permanente pela Unidade Executo-
ra Própria - UEx, necessários ao funcionamento da escola e de serviços
para manutenção, conservação e pequenos reparos na unidade escolar.
AGENTE EXECUTOR :
PREFEITURA MUNICIPAL DE CABIXI
ORGAO PUBLICO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL
QUALIF. DO INSTRUMENTO DE TRANSF.:
FUNDO A FUNDO OU CONCESSãO
MONTANTE DE RECURSOS FINANCEIROS: R$ 14.783,00

2.3.1 CONSTATAÇÃO:
NOTAS FISCAIS SEM IDENTIFICAÇÃO DO PROGRAMA.

FATO:
O Programa Dinheiro Direto na Escola - PDDE tem como objetivo dar
assistência financeira para a melhoria da infra-estrutura física e
pedagógica, o reforço da autogestão escolar nos planos financeiro,
administrativo e didático e a elevação dos índices de desempenho da
educação básica.
Para cumprir tal objetivo o Fundo Nacional de Desenvolvimento da
Educação - FNDE repassa recursos financeiros para as prefeituras ou
diretamente para escolas que possuem unidade executora própria.
Então, para se verificar a execução das ações do PDDE no município de
Cabixi, solicitamos da Prefeitura a documentação referente às
despesas realizadas no exercício de 2007, ou seja notas fiscais,
cheques, cotações dentre outros.
Analisando-se essa documentação, constatou-se que a maioria das
notas fiscais do Programa Dinheiro Direto na Escola - PDDE,
utilizados no Município de Cabixi durante o exercício de 2007, não
possui identificação.
A falta de identificação nas Notas Fiscais contraria o disposto no
artigo 21.º da RESOLUÇÃO/FNDE/CD/ n.º 009, de 24 de abril DE 2007,
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 21
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
vigente à época da aquisição:
"Art. 21 As despesas realizadas na execução do PDDE serão comprovadas
mediante documentos fiscais originais ou equivalentes, na forma da
legislação à qual a entidade responsável pela despesa estiver sujeita,
devendo os recibos, faturas, notas fiscais e quaisquer outros
documentos comprobatórios ser emitidos em nome da EEx, UEx ou da EM,
identificados com os nomes do FNDE e da ação do programa e ser
arquivados em sua sede, ainda que utilize serviços de contabilidade de
terceiros, juntamente com os documentos de prestação de contas na
forma definida nos incisos I a III do art. 22, pelo prazo de 05
(cinco) anos, contados da data da aprovação da prestação de contas
anual do FNDE pelo Tribunal de Contas da União (TCU), referente ao
exercício do repasse dos recursos, a qual será divulgada no site
www.fnde.gov.br, para disponibilização ao FNDE, aos órgãos de controle
interno e externo e ao Ministério Público."

EVIDÊNCIA:
Cópias das notas fiscais.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

2.3.2 CONSTATAÇÃO:
NÃO UTILIZAÇÃO DE BENS ADQUIRIDOS.

FATO:
Constatou-se que um bem de capital adquirido com os recursos do
Programa estava,até a data de nossa fiscalização, sem
utilização, em vistoria "in loco" detectamos que havia na APP da
Escola Chico Soldado um tanque de lavar roupas no valor de R$ 69,00,
adquirido com recursos do Programa, que ainda não tinha sido
instalado.
O bem foi adquirido por meio da Nota Fiscal 6870 da empresa CNPJ
03.098.041/0001-50, datada de 14/11/2007.

EVIDÊNCIA:
Visita a escola Chico Soldado e Cópia da Nota Fiscal 6870 da empresa
CNPJ 0.098.041/0001-50.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação do Prefeito.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.
AÇÃO :
0969
APOIO AO TRANSPORTE ESCOLAR NA EDUCACAO BASICA - NACION
AL
OBJETIVO DA AÇÃO :
Garantir a oferta de transporte escolar aos alunos do ensino públi-
co, residentes em área rural, por meio de assistência financeira, em
caráter suplementar, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municí-
pios, de modo a garantir-lhes o acesso e a permanência na escola.
ORDEM DE SERVIÇO : 219025
OBJETO FISCALIZAÇÃO:
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 22
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
- Aquisição, Prefeitura Municipal/SEDUC, de combustível para os veícu-
los escolares e de serviços contratados junto a terceiros para o trans
porte dos alunos; Pagamento de despesas com impostos e taxas, peças e
serviços mecânicos.
- Atuação do Conselho de Acompanhamento e Controle Social.
AGENTE EXECUTOR :
PREFEITURA MUNICIPAL DE CABIXI
ORGAO PUBLICO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL
QUALIF. DO INSTRUMENTO DE TRANSF.:
FUNDO A FUNDO OU CONCESSãO
MONTANTE DE RECURSOS FINANCEIROS: R$ 46.494,39

2.3.3 CONSTATAÇÃO:
PAGAMENTOS DE DESPESAS INELEGÍVEIS PARA O PROGRAMA

FATO:
Mediante análise dos processos de despesas da Prefeitura de Cabixi
referente a utilização dos recursos do Programa Nacional de Apoio ao
Transporte Escolar - PNATE, no exercício de 2008, foram identificadas
despesas que não são amparadas pela legislação do Programa.
Nos processos de números 306/2007 e 305/2008, a Prefeitura realizou
pagamentos dos licenciamentos e seguros obrigatórios dos veículos
utilizados no transporte escolar.
Em relação ao processo 306/2007, a Prefeitura pagou licenciamento de
12 veículos, sendo que para o veículo de placas BWP 4574 houve o
pagamento de R$ 50,77 a título de multa de licenciamento atrasado por
exercício vencido, conforme boleto do DETRAN/RO constante no processo.
No processo 305/2008 foi paga a quantia de R$ 2.523,58 (dois mil
quinhentos e vinte e três reais e cinqüenta e oito centavos),
referente aos veículos de placas BXA 7029, CGS 8288, NBP 7557, LNE
9916, NEL 2767, NBZ 2138, NBF 3680, NBP 7554 que atendem às
necessidades da Secretaria de Educação.
Nesse processo, especificamente quanto ao veículo de placas NBP 7554,
foi identificado um boleto bancário expedido pelo DETRAN/RO no valor
de R$ 604,25, dos quais R$ 270,55 referem-se à multa de licenciamento
atrasado.
Sobre esse ponto, a Resolução FNDE n.º 10, de 07 de abril de 2008,
dispõe, em seu artigo 15, inciso I, alínea "d", que:
(...) não poderão ser apresentadas despesas com tarifas bancárias,
multas, pessoal, tributos federais, estaduais, distritais ou
municipais quando não incidentes sobre materiais adquiridos e serviços
contratados para consecução dos objetivos do Programa. (Grifamos).
Portanto, as despesas relativas a multas e juros por atraso no
licenciamento de veículos são inelegíveis para o PNATE.

EVIDÊNCIA:
Análise dos processos 306/2007 e 305/2008 e boletos do DETRAN/RO.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

2.3.4 CONSTATAÇÃO:
FALTA DE IDENTIFICAÇÃO DO PROGRAMA NAS NOTAS FISCAIS

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 23


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
FATO:
Constatou-se que nas notas fiscais apensas aos processos,
referentes às despesas do Programa Nacional de Apoio ao Transporte
Escolar - PNTE do exercício de 2008, no município de Cabixi, não
trazem a identificação do Programa, conforme descrevemos na tabela
abaixo:
Processo Fornecedor Nota Fiscal Valor
1373 360,50
1374 404,05
Pakau Materiais 1375 428,12
315/2008
de Construção 1452 636,90
1453 490,20
1454 114,50
Auto Elétrica
273/2008 0043 1754,00
Versailles
0044 1303,00
0045 1781,50
0046 2116,00
Processo Fornecedor Nota Fiscal Valor
Auto Elétrica
273/2008 0049 1454,00
Versailles
0051 684,00
0052 1938,00
0430 200,00
0431 220,00
0432 235,00

tab1

A falta de identificação nas Notas Fiscais contraria o art. 19 da


Resolução FNDE n. º 010 de 24 de abril de 2007, que diz:
Art. 19 As despesas realizadas pelo Eex serão comprovadas mediante
documentos fiscais originais ou equivalentes, na forma da legislação
regulamentar, a qual o Eex estiver vinculado, devendo os recibos,
faturas, notas fiscais e quaisquer outros documentos comprobatórios
serem emitidos em nome do Eex, devidamente identificados com o nome do
FNDE e o nome do Programa e arquivados no Eex, juntamente com os
demonstrativos e o extrato da conta corrente, pelo prazo de 05 (cinco)
anos, contados da data da aprovação da prestação de contas anual do
FNDE pelo órgão de controle externo, referente ao exercício da
liberação dos recursos, ficando à disposição do Tribunal de Contas da
União - TCU, do FNDE, do Sistema de Controle Interno do Poder
Executivo Federal. (Grifamos)

EVIDÊNCIA:
Cópias das notas fiscais:
1373,1374,135,1452,1453,1454,0043,0044,0045,0046,0049,0051,0052
0053,00430,00431,00432.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

2.3.5 CONSTATAÇÃO:
TRANSPORTES DE ALUNOS EM ÔNIBUS COM PROBLEMAS NA ESTRUTURA

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 24


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
COMPROMETENDO A SEGURANÇA.

FATO:
No exercício de 2007, foram repassados para a Prefeitura do Município
de Cabixi recursos para o Programa Nacional de Apoio ao Transporte
Escolar - PNATE no valor de R$ 29.745,08 (vinte e nove mil,
setecentos e quarenta e cinco reais e oito centavos), divididos em 09
(nove) parcelas de R$ 3.305,00 (três mil trezentos e cinco reais ).
Em 2008, o FNDE repassou 08 (oito) parcelas, totalizando R$
18.777,14 (dezoito mil setecentos e setenta e sete reais e quatorze
centavos.
A prefeitura realizou 04 processos licitatórios específicos para
utilizar os recursos do Programa. São eles: Processos de dispensa
n.º 242/2008 e 305/2008, para pagamentos de taxas e licenciamentos do
DETRAN; e os processos de dispensa n.º 315/2008, reparos de pintura e
funilaria e n.º 273/2008, para aquisição de peças e serviços de mão-
de-obra da parte elétrica.
Apesar da aplicação de recursos para manutenção dos ônibus,
constatamos que os veículos próprios utilizados para o transporte de
alunos do Município estão com problemas na sua estrutura para
transportar com segurança, conforme relatados abaixo:
a) BXA 7029 - sem lanternas dianteiras, banco trazeiro sem acento
ou encosto; parte elétrica exposta e o tacógrafo não funciona.
b) LAF 5815: vários bancos completamente estragados; a cabine não
possui Tacógrafo.
c) LBZ 3244 - para brisa com fissuras; cabine com tacógrafo mais não
funciona; bancos rasgados e sem cinto de segurança;
d) KCN 1894 - cabine sem tacógrafo;
e) BWP 4574 - pára-brisa com fissuras, bancos estragados e cabine com
tacógrafo, mas não funciona.
f) CGS 8288 - cabine sem extintor de incêndio, uma janela quebrada.
g) LNE 9916: cabine sem tacógrafo, bancos rasgados.
Verificou-se também que a frota de propriedade do Município é composta
de ônibus antigos, com mais de 15 anos em média, e que já saíram da
linha de produção, ocasionando problemas de falta de peças para
reposição.
Também foi constatado que nos veículos utilizados no transporte
escolar o equipamento registrador de velocidade e tempo, chamado de
tacógrafo, não está funcionando. Esta situação dificulta uma
fiscalização mais rigorosa por parte do gestor, além de contrariar o
disposto no artigo 136, alínea IV, do Código de Trânsito Brasileiro:
Art. 136. Os veículos especialmente destinados à condução coletiva
de escolares somente poderão circular nas vias com
autorização emitida pelo órgão ou entidade executivos de trânsito dos
Estados e do Distrito Federal, exigindo-se, para tanto:
IV - equipamento registrador instantâneo inalterável de velocidade e
tempo.

EVIDÊNCIA:
Entrevistas com os motoristas e verificação "in loco" do estado geral
dos ônibus escolares e fotos abaixo:

fot1

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 25


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
KCN 1894: Cabine sem tacógrafo CGS 8288: Cabine sem extintor de incêndio

BWP: 4574: Bancos estragados LNE 9916: Bancos rasgados

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

2.3.6 CONSTATAÇÃO:
Transporte de alunos acima do número permitido e de pessoas não atendi
das pelo programa.

FATO:
A Prefeitura de Cabixi conta com 14 veículos para atender à demanda
pelo transporte escolar, sendo dez Ônibus, três Kombis e um Gol.
Segundo demonstrativo fornecido pela Secretaria de Educação local, 295
alunos de escolas municipais são usuários desse serviço. Para
certificar as condições de trafegabilidade e demais situações
percebidas pelos motoristas desses veículos no cotidiano, a equipe
decidiu entrevistá-los.
Conforme entrevistas com 06 (seis) motoristas dos ônibus escolares do
Município de Cabixi, sob a situação do transporte escolar, sendo que
03 (três) indicaram que em seus veículos está ocorrendo casos de
lotação maior que a sugerida pelo fabricante (superlotação). A equipe
então realizou a contagem de assentos em três ônibus e confrontou com
os quantitativos informados pelos motoristas, ficando evidenciado o
que segue.
a) Ônibus de placa KTW 2067 - existem 52 lugares, mas conforme
informações do motorista ele carrega em média 72 alunos, além de uma
quantidade não determinada de caroneiros;
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 26
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
b) Ônibus de placa KCN 1894 - existem lugares para 47 alunos
sentados, e sua carga normal é de 52, além de uma quantidade não
determinada de caroneiros;
c) Ônibus de placa BWP 4574 - a situação é ainda mais grave, pois
existem apenas 45 assentos, mas sua carga normal é de 72 alunos, além
de transportar os caroneiros.
As pessoas referidas pelos motoristas como caroneiros são sitiantes
que utilizam o transporte escolar para se deslocarem entre as zonas
rural e urbana do município, sob a alegação de que não há outra
modalidade de transporte para atendê-los. Como andam sem pagar
passagem, são denominados caroneiros. De fato, a equipe CGU confirmou
a inexistência de transporte coletivo na área rural de Cabixi.
Essa situação de transporte de caroneiros, que agrava o problema da
superlotação dos ônibus, já foi objeto de questionamento por parte do
Conselho Tutelar e do Ministério Público Estadual. Após receber um
relatório da Polícia Militar sobre a questão, a Promotoria de Justiça
expediu o Ofício n.º 163/2007, em que requisitou ao Prefeito que adote
as providências cabíveis.
Em resposta, o Prefeito emitiu o Ofício n.º 091/2007/GP, propondo-se a
aumentar a frota de veículos para amenizar esse problema, mas conforme
relato dos próprios motoristas e após a fiscalização da CGU nos
ônibus, pode-se concluir que o problema da superlotação perdura até os
dias atuais.

EVIDÊNCIA:
Entrevistas com os motoristas, verificação "in loco" dos ônibus, cópia
do Ofício n.º 163/2007, cópia do Ofício n.º 091/2007/GP da Prefeitura
e cópia do relatório da Polícia Militar de Rondônia.
QUADRO DEMONSTRATIVO DE ALUNOS DA REDE MUNICIPAL PARA O TRANSPORTE
ESCOLAR/2008.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

3 - 28000 MINISTERIO DO DESENV,IND. E COMERCIO EXTERIOR

3.1 - PROGRAMA
1020
INTERIORIZACAO DO DESENVOLVIMENTO DA AMAZONIA OCIDENTAL
AÇÃO :
0506
APOIO A PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO EM MUNICIPIOS - NO
ESTADO DE RONDONIA
OBJETIVO DA AÇÃO :
Projetos de desenvolvimento da pecuária leiteira; da piscicultura; tec
nificação da cultura do café, da fruticultura do cacau e outras poten-
cialidades a serem identificadas.
ORDEM DE SERVIÇO : 218966
OBJETO FISCALIZAÇÃO:
Apoiar projetos de infra-estrutura econômica e social que possibilitem
atrair investidores para a Amazônia Ocidental e estimular projetos de
de desenvolvimentovinculados às potencialidades identificadas nessa
Região.
AGENTE EXECUTOR :
PREFEITURA MUNICIPAL DE CABIXI
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 27
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
ORGAO PUBLICO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL
QUALIF. DO INSTRUMENTO DE TRANSF.:
CONVÊNIO SIAFI 538343
MONTANTE DE RECURSOS FINANCEIROS: R$ 75.000,00

3.1.1 CONSTATAÇÃO:
Identificação de Vínculo Societário entre Participantes do Convite n.º
015/2007

FATO:
Trata-se do Convênio nº 029/2005 celebrado entre a SUFRAMA e a
Prefeitura Municipal de Cabixi/RO, que tem como objeto a aquisição
de tanques de resfriamento de leite
para os produtores rurais. Para tanto, foram realizadas duas
licitações,
ambas na modalidade Convite (036/2006 e 015/2007).
As pesquisas no cadastro CNPJ revelaram a existência de vínculo entre
sócios de duas empresas participantes do Convite nº 015/2007. Assim,
as licitantes de CNPJ 03.651.923/0001-00 e 84.632.454/0001-75 têm
como sócios os portadores de CPFs 297.772.599-72 e 084.967.812-91 -
sendo que os mesmos tem parentescos de segundo grau (irmãos) e ambos
são sócios administradores nas duas empresas.
Portanto, não houve a competitividade mínima requerida pela Lei nº
8.666/93 e jurisprudência do Tribunal de Contas da União-TCU, conforme
Súmula n.º 248, a seguir:
SÚMULA N.º 248:
"Não se obtendo o número legal mínimo de três propostas aptas
à seleção, na licitação sob a modalidade Convite, impõe-se a
repetição do ato, com a convocação de outros possíveis interessados,
ressalvadas as hipóteses previstas no parágrafo 7º, do art. 22,
da Lei n.º 8.666/1993".
Cabe destacar que no jultamento da licitação (Convite n° 015/2007), a
comissão de licitação registra em Ata o nome de apenas duas empresas,
ou seja, repete o nome de uma delas tando no corpo da Ata como no seu
final para assinatura dos participantes, assim, a empresa de CNPJ nº
84.632.454/0001-75, assina duas vezes a referida Ata. Portanto as duas
empresas são consideradas pela comissão de licitação como uma só,
tendo em vista não haver concorrência entre elas.

EVIDÊNCIA:
Extratos dos quadros societários das empresas 03.651.923/0001-00 e
84.632.454/0001-75 tirados do sistema CNPJ.
Cópias termos do Convites.
Cópia da Ata de Abertura e Julgamento do Convite nº 015/2007.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

3.1.2 CONSTATAÇÃO:
Sobrepreço na Aquisição de Tanques de Resfriamento de Leite

FATO:
Trata-se do Convênio nº 029/2005 celebrado entre a SUFRAMA e a
Prefeitura Municipal de Cabixi/RO, cujo objeto foi a aquisição de
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 28
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
tanques de resfriamento de leite para
produtores rurais de Cabixi.
Os equipamentos foram comprados por meio dos Convites de nºs 038/2006
e 015/2007, sendo que os exames efetuados no Processo n.º 135/2007,
referente ao Convite n.º 015/2007, indicaram a ocorrência de
sobrepreço.
Os preços apresentados pela vencedora (R$ 15.245,00) são superiores
aos praticados tanto pela concorrência como pela própria vencedora em
outras licitações realizadas pela Prefeitura de Cabixi/RO,
considerando os períodos e os objetos.
Segue tabela comparativa de preços obtidos pela Prefeitura local para
o mesmo objeto em 2007.
Tabela 1 - Valores das Licitações Realizadas pela Prefeitura de Cabixi
CONTRATO/ MODALIDADE
NÚMERO DATA VALOR VENCEDOR
CONVÊNIO LICITAÇÃO
029/2006 Convite 38/2006 08/08/06 12.049 Guaporé
029/2006 Convite 15/2007 19/02/07 15.245 Guaporé
198.827.57/0 Convite 24/2007 28/03/07 12.800 Guaporé
6
197.342.70/0 Pregão 02/2007 18/09/07 9.500 Mayer Motores e
6 Resfriadores
LTDA.

Tabela 2 - Média de Três Certames


NÚMERO VALOR MÉDIA
38/2006 12.049,00 11.449,00
24/2007 12.800,00 11.449,00
02/2007 9.500,00 11.449,00

Comparando a média dos preços pagos nos certames acima citados com os
praticados no Convite nº 15, todos para aquisição de objetos
similares, chegamos a um sobrepreço de 33,15%, tendo em vista que foi
pago o valor unitário de R$ 15.245,00 nos tanques adquiridos neste
certame.
Reforçando as evidências, foram identificadas licitações para o mesmo
objeto no Município de Cacoal/RO, realizado pela prefeitura municipal
para aquisição de tanques de resfriamento, também na região
centro-sul do Estado de Rondônia. Diante da consulta feita no site da
CEF, levantamos os seguintes dados:
Pregão Eletrônico nº 035/2007 - Preço unitário do tanque R$ 9.289,00;
Pregão Eletrônico nº 008/2006 - Preço unitário do tanque R$ 10.100,00.

EVIDÊNCIA:
Tabela comparativa dos preços orçados pelas empresas vencedoras em
processos licitatórios com o mesmo objeto.
Cópia das propostas.
Cópia dos dados do site da Caixa com os valores dos Pregões nºs
008/2006 e 035/2007 realizados pela Prefeitura de Cacoal/RO.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4 - 36000 MINISTERIO DA SAUDE

4.1 - PROGRAMA
1214
ATENCAO BASICA EM SAUDE
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 29
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
AÇÃO :
0587
ATENDIMENTO ASSISTENCIAL BaSICO NOS MUNICiPIOS BRASILEI
ROS
OBJETIVO DA AÇÃO :
Ampliar o acesso da população rural e urbana à atenção básica, por
meio da transferência de recursos federais, com base em um valor
per capita, para a prestação da assistência básica, de caráter
individual ou coletivo, para a prevenção de agravos, tratamento
e reabilitação, levando em consideração as disparidades regionais.
ORDEM DE SERVIÇO : 218750
OBJETO FISCALIZAÇÃO:
Os municípios e o Distrito Federal, como gestores dos sistemas locais
de saúde, são responsáveis pelo cumprimento dos princípios da Atenção
Básica, pela organização e execução das ações em seu território, compe
tindo-lhes, entre outros:
I-organizar,executar e gerenciar os serviços e ações de Atenção Básica
dentro do seu território;
II-Incluir a proposta de organização da Atenção Básica e da forma de
utilização dos recursos do PAB Fixo e Variável, nos Planos de Saúde;
III-Inserir preferencialmente a estratégia de Saúde da Família em sua
rede de serviços, visando à organização sistêmica da atenção à saúde;
IV-Organizar o fluxo de usuários;
V-Garantir infra-estrutura necessária ao funcionamento das Unidades Bá
sicas de Saúde (recursos materiais, equipamentos e insumos);
VI-Selecionar, contratar e remunerar os profissionais de saúde.
(As demais competências dos municípios constam da Portaria 648/2006).
AGENTE EXECUTOR :
PREFEITURA MUNICIPAL DE CABIXI
ORGAO PUBLICO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL
QUALIF. DO INSTRUMENTO DE TRANSF.:
FUNDO A FUNDO OU CONCESSãO
MONTANTE DE RECURSOS FINANCEIROS: R$ 235.700,72

4.1.1 CONSTATAÇÃO:
INEXISTÊNCIA DE PLANO MUNICIPAL DE SAÚDE E DE RELATÓRIO DE GESTÃO

FATO:
Em resposta à Solicitação de Fiscalização nº 001/2008, enviada a
Prefeitura Municipal de Cabixi/RO, a Secretaria Municipal de Saúde,
emitiu o Relatório das Solicitações de Fiscalização, no qual informou
que não possui Plano Municipal de Saúde referente aos exercícios de
2007 e 2008. Também informou que não há Relatório de Atividades do
Gestor da Saúde relativo ao exercício de 2007.
Destaca-se que a necessidade da elaboração de tais documentos está
prevista na Portaria GM/MS nº 3.925/1998 no que tange às
responsabilidades dos Municípios na Gestão da Atenção Básica.
A Portaria GM/MS nº 648/2006, também define, no que tange ao Relatório
de Gestão, em seu Capítulo 2 "DO PISO DE ATENÇÃO BÁSICA" o seguinte:
"De acordo com o artigo 6º, do Decreto nº 1.651/95, a comprovação da
aplicação dos recursos transferidos do Fundo Nacional de Saúde para os
Fundos Estaduais e Municipais de Saúde, na forma do Decreto nº
1.232/94, que trata das transferências, fundo a fundo, deve ser
apresentada ao Ministério da Saúde e ao Estado, por meio de relatório
de gestão, aprovado pelo respectivo Conselho de Saúde."
Referente a 2007, a Portaria GM/NS nº 204/2007, em seu Capítulo III,
cita:
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 30
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
"Art. 32. A comprovação da aplicação dos recursos repassados pelo
Fundo Nacional de Saúde aos fundos de saúde dos Estados, do Distrito
Federal e dos Municípios, far-se-á para o Ministério da Saúde,
mediante relatório de gestão, que deve ser elaborado anualmente e
aprovado pelo respectivo Conselho de Saúde.
§ 1º A regulamentação do Relatório de Gestão encontra-se na Portaria
nº 3.332/GM, de 28 de dezembro de 2006."

EVIDÊNCIA:
Relatório das Solicitações de Fiscalização.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4.1.2 CONSTATAÇÃO:
PAGAMENTOS DE MULTAS E JUROS DE MORA COM RECURSOS DO PROGRAMA

FATO:
Constatou-se, dentre as despesas efetuadas com recursos do programa
sob análise, o pagamento de juros de mora e multas referentes a
faturas de água e luz. Tais despesas não se enquadram no Bloco de
Atenção Básica como elegíveis.
O processo nº 092/2007 trata do pagamento das faturas de água à
Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia - CAERD, referente aos meses
de fevereiro a novembro de 2007.
Os processos nºs 128/2007 e 110/2008 se referem a faturas relativas ao
fornecimento de energia elétrica aos Postos e Unidades de Saúde
municipais pagas às Centrais Elétricas de Rondônia- CERON. As faturas
de março e maio de 2007, bem como as de março, abril, junho, julho,
agosto e setembro de 2008, evidenciaram o pagamento de juros de mora e
multas por atraso.
Já o processo nº 130/2007 se refere a um parcelamento de débitos junto
a CERON, consoante Termo de Confissão de Dívida, no qual
constatou-se a incidência de juros. O parcelamento de débitos
constante das faturas de fevereiro e março de 2007, no valor de R$
6.708,53 (seis mil, setecentos e oito reais e cinqüenta e três
centavos) cada, foi pago com recursos do PAB-Fixo.
A tabela a seguir ilustra a situação:
Processo Objeto Multas Juros Total
092/2007 CAERD R$ 27,25 R$ 4,42 R$ 31,67
128/2007 CERON R$ 8,45 R$ 2,45 R$ 10,90
130/2007 CERON-Dívida N/C R$ 264,36 R$ 264,36
110/2008 CERON R$ 46,00 R$ 37,41 R$ 83,41
Total R$ 81,70 R$ 308,64 R$ 390,34

Não obstante o pagamento de despesas inelegíveis ter baixa


materialidade no caso sob tela (R$ 390,34), resta configurada a falta
de planejamento no pagamento das despesas da Secretaria Municipal de
Saúde, o que permitiu que diversas faturas fossem pagas com atraso.

EVIDÊNCIA:
Análise dos processos nº. 092/2007, 128/2007, 130/2007 e 110/2008.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 31
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:
Não se aplica.

4.1.3 CONSTATAÇÃO:
EXISTÊNCIA DE VÍNCULO ENTRE OS LICITANTES EM CONVITE

FATO:
Por meio de análise aos processos de aquisição efetuados com recursos
do programa, identificou-se falhas na condução do processo nº 223/2007
no que tange à existência de vínculo entre os participantes.
O convite nº 32/2007 foi realizado visando à aquisição de material de
expediente para os serviços de saúde do município. Desta forma, foram
convidadas 4 (quatro) empresas, das quais, apenas 3 (três) foram
habilitadas e apresentaram propostas.
Dentre estas, constatou-se haver vínculo entre as de CNPJ nºs
02.251.365/0001-14 e 05.741.277/0001-99. Conforme consultas aos
documentos das empresas e aos sistemas CPF e CNPJ, evidenciou-se o
seguinte:
Empresa 1: 02.251.365/0001-14
Sócia da empresa 1: 584.364.802-87
Empresa 2: 05.741.277/0001-99
Procuradora da empresa 2: 315.595.812-04
O sistema CPF comprovou que a sócia da empresa 1 é filha da
procuradora da empresa 2.
Tal fato configura falha no processo, comprometendo o princípio de
sigilo entre as propostas, a competitividade do certame e a busca pela
melhor proposta para a Administração.
Tendo em vista o caracterizado vínculo entre as empresas citadas,
também resta caracterizado descumprimento à reiterada exigência do
mínimo de três propostas válidas, conforme Súmula nº 248 da Egrégia
Corte de Contas.
Cumpre destacar que duas empresas se lograram vencedores neste
certame, sendo dispendido um total de R$ 9.239,88 (nove mil, duzentos
e trinta e nove reais e oitenta e oito centavos) sendo que a empresa 1
recebeu R$ 4.618,20 (quatro mil, seiscentos e dezoito reais e vinte
centavos).

EVIDÊNCIA:
Análise do processo nº. 223/2007.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4.1.4 CONSTATAÇÃO:
IMPROPRIEDADES NOS PROCEDIMENTOS DE RECEBIMENTO DE GÊNEROS
ALIMENTÍCIOS

FATO:
Por meio de análise ao processo nº148/2007 (Convite nº 19/2007),
relativo à aquisição de gêneros alimentícios e material de limpeza,
efetuados com recursos do programa, identificou-se falhas nos
procedimentos de recebimento do material.
Consoante inspeção junto ao almoxarifado municipal e entrevistas com
servidores do município, averiguou-se que os gêneros alimentícios,
quando adquiridos em grandes quantidades são recebidos de forma
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 32
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
parcelada, conforme necessidade, e sem as devidas garantias legais.
No caso em tela, identificou-se aquisições em quantidades que
impossibilitavam o recebimento integral, conforme exemplos a seguir:
- Leite "in natura" - 720 litros - R$ 576,00
- Arroz "soltinho" - 300 quilos - R$ 540,00
- Frango congelado - 360 quilos - R$ 1.504,80
- Abóbora Verde - 200 quilos - R$ 398,00
- Batata inglesa - 150 quilos - R$ 202,50
- Água Sanitária - 432 litros - R$ 864,00
- Açúcar Cristal - 15 fardos - R$ 573,75
Em atenção à questão, este Controle Interno exarou no
Parecer/Audin/MPU nº 1451/2001, o seguinte entendimento:
"Relativamente à questão, informamos que à luz do art. 62 e 63 da Lei
nº 4320/64 e da alínea 'c' do inc. II do art. 65 da Lei 8.666/93 é
vedado o pagamento antecipado de despesas.
Algumas exceções são possíveis devido as suas particularidades que
requerem que sejam dessa maneira procedido. É o caso dos pagamentos
referentes à assinatura de jornais e revistas que por tradição assim é
efetuado. Também o pagamento referente a seguro que pela própria
essência paga-se antecipadamente. Outra exceção encontra-se no art. 38
do Decreto nº 93.872/86, 'verbis':
"Art. 38. Não será permitido o pagamento antecipado de fornecimento de
materiais, execução de obra ou prestação de serviço, inclusive de
utilidade pública, admitindo-se, todavia, mediante as indispensáveis
cautelas ou garantias, o pagamento de parcela contratual na vigência
do respectivo contrato, convênio, acordo ou ajuste, segundo a forma de
pagamento nele estabelecida, prevista no edital de licitação ou nos
instrumentos formais de adjudicação direta."
Com relação ao artigo supra, o Egrégio Tribunal de Contas da União tem
admitido o pagamento antecipado em casos excepcionais desde que
existam garantias contratuais suficientes ao ressarcimento ao Erário,
em caso de possível inadimplência do contratado. E, ainda, quando
resultar em considerável economia de recursos. (...)"
No caso sob análise, não se identificou a existência de contrato ou
qualquer outra garantia, sendo que, a Comissão de Recebimento de
Material de Consumo e Permanente atestou o recebimento dos materiais
descritos nas notas fiscais sem qualquer menção de que a entrega seria
parcelada.
Sobre o assunto em comento, vale trazer à luz o comentário do Prof.
Marçal Justen Filho:
"O pagamento antecipado não pode representar benesse injustificada da
Administração para os particulares. A defesa ao interesse público
conduz a que, como regra, o pagamento se faça após comprovada a
execução da prestação a cargo do particular.
O pagamento antecipado depende da existência de dois requisitos.
Primeiramente, só poderá ocorrer quando previsto no ato convocatório.
Desse modo, amplia-se o universo de competidores, especialmente
aqueles que não disporiam de recursos para custear a prestação. Todos
competidores terão reduzidos seus custos e, desse modo, a
Administração será beneficiada.
Porém, a Administração não poderá sofrer qualquer risco de prejuízo.
Por isso, o pagamento antecipado deverá ser condicionado à prestação
de garantias efetivas e idôneas destinadas a evitar prejuízos à
Administração."
Cumpre salientar que, conforme notas fiscais constantes do processo,
foram despendidos R$ 16.635,11 (dezesseis mil, seiscentos e trinta e
cinco reais e onze centavos) no processo em tela.
Portanto, resta configurada a falha no que diz respeito à liquidação
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 33
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
da despesa e à atuação da supracitada comissão, resultando no
pagamento antecipado sem as devidas garantias.

EVIDÊNCIA:
Análise do processo nº. 148/2007.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4.1.5 CONSTATAÇÃO:
INCONSISTÊNCIAS EM PROCESSOS DE DISPENSA DE LICITAÇÃO NO TOCANTE À
COTAÇÃO

FATO:
No processo nº 147/2007, relativo à aquisição de material de
expediente, mediante dispensa de licitação, constatou-se uma
inconsistência no que tange a uma das empresas beneficiadas.
A empresa de CNPJ nº 04.551.821/0001-77 forneceu R$ 729,08 (setecentos
e vinte e nove reais e oito centavos) em materiais de escritório para
as atividades de atenção básica em saúde. Todavia, esta não foi
encontrada no endereço constante em seu carimbo e no sistema CNPJ. As
fotos nº 1 e 2 constantes na evidência desta constatação ilustram a
situação.
A mesma inconsistência ocorreu no processo nº 167/2008, no qual a
empresa citada forneceu, mediante contratação direta, R$ 452,00
(quatrocentos e cinqüenta e dois reais) em suprimentos de informática.
Com relação ao processo nº 417/2007, referente à aquisição de peças de
informática e à contratação dos serviços de instalação, também
efetuados por meio de contratação direta, constatou-se falhas no
tocante às cotações efetuadas.
Foram cotadas as empresas de CNPJ nº 05.011.908/0001-14, empresa 1,
04.371.790/0001-72, empresa 2 e 08.942.169/0001-72, empresa 3, sendo
que foram identificadas inconsistências nos dados relativos a estas
empresas.
A empresa contratada, empresa 1, foi a de CNPJ nº 05.011.908/0001-14,
a qual recebeu R$ 1.656,00 (mil, seiscentos e cinqüenta e seis reais)
pelos serviços e materiais fornecidos.
Foram efetuadas consulta ao sistema CNPJ, visitas aos endereços das
empresas e ligações telefônicas, sendo que se identificou os seguintes
fatos:
A empresa 1 apresenta, em sua fachada, o mesmo telefone que a empresa
3 apresenta em seu cadastro no sistema CNPJ.
Quando realizado contato telefônico com empresa 3, o atendente se
apresentou como pertencente à empresa 1.
A empresa 3 não foi encontrada no endereço constante de seu carimbo.
As fotos nº 3 e 4 constante na evidência desta constatação ilustram a
situação.
Tais fatos configuram falha no processo, comprometendo o princípio de
sigilo entre as propostas, a competitividade do certame e a busca pela
melhor proposta para a Administração.
Tendo em vista a coincidência de informações entre as empresas
citadas, também resta caracterizado descumprimento à reiterada
exigência do mínimo de três propostas válidas, conforme Súmula nº 248
da Egrégia Corte de Contas.
Cumpre informar que parte das despesas desta contratação foi arcada
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 34
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
com recursos do programa Epidemiologia e Controle de Doenças - ECD,
consoante cheque nº 850638, no valor de R$ 815,00 (oitocentos e quinze
reais).

EVIDÊNCIA:
Análise dos processos nº 147/2007; 417/2007 e 167/2008, além das fotos
nº 1,2,3 e 4 a seguir:

Foto 1: Instalação rústica. Foto 2: Imóvel existente no


mesmo endereço da empresa.

Foto 3: Empresa 1 apresenta o Foto 4: Ausência da empresa 3 no


mesmo telefone da empresa 3. endereço informado.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4.1.6 CONSTATAÇÃO:
IMPROPRIEDADES EM PROCESSOS DE DISPENSA RELATIVOS À EFETIVIDADE DAS
COTAÇÕES

FATO:
Mediante análise dos processos de aquisição efetuados mediante compra
direta com recursos do programa, constatou-se fragilidades no que
tange às cotações realizadas e à conseqüente competitividade
conferida.
No processo nº 241/2008, visando à aquisição de itens de vestuário e
outros equipamentos para os servidores das equipes do PSF e PACS,
foram efetuadas cotações junto a 3 (três) fornecedores, todavia, se
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 35
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
conseguiu apenas 1 (uma) proposta de preços para a maioria dos itens,
conforme tabela a seguir ilustra:
Nº Item Empresas que Empresa Contratada
cotaram
1 Jalecos de Brim 06.148.387/0001-04 06.148.387/0001-04
2 Balança tipo mola 02.176.223/0001-30 02.176.223/0001-30
25 kg
3 Mochila com bolso 06.148.387/0001-04 04.104.754/0001-42
especial 02.176.223/0001-30
04.104.754/0001-42
4 Balança com lupa 02.176.223/0001-30 02.176.223/0001-30
130 kg

Consoante a tabela anterior mostra, a maioria dos itens teve apenas


uma proposta de preço, cabendo destacar que foram gastos R$ 4.573,00
(quatro mil quinhentos e setenta e três reais) nesta compra.
Desta forma, conforme as evidências citadas comprovam, a seleção de
fornecedores sem considerar à relação entre o objeto pretendido e a
área de atuação das empresas cotadas, prejudicou a efetividade do
procedimento no que tange ao número de cotações válidas.
Cabe salientar que o Tribunal de Contas da União emitiu manifestação
sobre o assunto, conforme transcrição a seguir:
"TCU - Acórdão 1584/2005 - Segunda Câmara
...
Determinações:
...
36.1. Ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional para:
36.1.1. proceder, quando da realização de licitação ou dispensa, à
consulta de preços correntes no mercado ou fixados por órgão oficial
competente ou, ainda, constantes do sistema de registro de preços, em
cumprimento ao disposto no art. 43, inc. IV, e no art. 26, parágrafo
único, inc. III, da Lei 8.666/93, consubstanciando-a em, pelo menos,
três orçamentos de fornecedores distintos, os quais devem ser anexados
aos processos de contratação."

EVIDÊNCIA:
Análise dos processos nº 241/2008.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.
AÇÃO :
0589
PAGAMENTO DO SEGURO-DESEMPREGO AO PESCADOR ARTESANAL -
NACIONAL
OBJETIVO DA AÇÃO :
Verificar a atuação das equipes do psf, a participação do gestor muni
cipal na implementação e desenvolvimento do programa e o controle
realizado pelo gestor federal quanto à observância de critérios e
requisitos.
ORDEM DE SERVIÇO : 218880
OBJETO FISCALIZAÇÃO:
Propostas de implantação de equipes do PSF inseridas no Plano
Municipal de Saúde, propostas analisadas pelos conselhos municipais
de saúde, unidades básicas de saúde adequadamente estruturadas,
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 36
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
materiais e equipamentos disponibilizados aos profissionais,
profissionais selecionados e contratados conforme a legislação,
contrapartida municipal efetivada, dados inseridos corretamente no
SIAB, equipes capacitadas, prestação de contas analisada pelo conselho
municipal de saúde, atendimento prestado adequadamente às famílias,
carga horária semanal cumprida pelos profissionais do PSF/PACS.
AGENTE EXECUTOR :
PREFEITURA MUNICIPAL DE CABIXI
ORGAO PUBLICO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL
QUALIF. DO INSTRUMENTO DE TRANSF.:
FUNDO A FUNDO OU CONCESSãO
MONTANTE DE RECURSOS FINANCEIROS: R$ 645.084,00

4.1.7 CONSTATAÇÃO:
INEXISTÊNCIA DE UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE PARA USO EXCLUSIVO DO PROGRAMA
SAÚDE DA FAMÍLIA

FATO:
Mediante inspeção física efetuada junto a amostra de unidades de saúde
do Município de Cabixi, constatou-se problemas na infra-estrutura de
algumas destas.
A Prefeitura Municipal de Cabixi informou que o Posto de Saúde São
Francisco, local onde a supracitada equipe atuava, não apresentava
condições adequadas, portanto, o atendimento relativo à Saúde da
Família foi transferido para o Hospital Municipal. Desta forma, os
atendimentos relativos à saúde da família são realizados junto com
todos os outros atendimentos que ocorrem no Hospital Municipal.
Segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde, existe um
convênio para a reforma do Posto São Francisco, o qual elidirá a
questão.
Cabe destacar que a supracitada equipe do PSF é composta por 11 (onze)
agentes de saúde, um médico, uma enfermeira, uma auxiliar de
enfermagem, um dentista e uma auxiliar de consultório dentário.
O município também possui uma equipe para atuação na zona rural, a
qual atua em diferentes unidades de saúde e pontos de apoio, não
atuando em uma única unidade.

EVIDÊNCIA:
Inspeção física junto a amostra de unidades de saúde e pontos de apoio
do município, bem como entrevistas com servidores da saúde municipal.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4.1.8 CONSTATAÇÃO:
INADEQUAÇÕES DE INFRA-ESTRUTURA NOS LOCAIS DE ATENDIMENTO DO PROGRAMA
SAÚDE DA FAMÍLIA

FATO:
Mediante inspeção física efetuada junto a amostra de unidades de saúde
do Município de Cabixi, constatou-se problemas na infra-estrutura de
algumas destas.
A Unidade de Saúde São Francisco, por não apresentar condições
adequadas, deixou de servir como local de atendimento da equipe do
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 37
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
PSF, funcionando, no presente momento, como escritório da
Epidemiologia e Controle de Doenças (FUNASA). Ressalta-se que o PSF
funcionou nesta unidade em boa parte do exercício de 2007, sendo que o
telhado não possui forro em boa parte da edificação e algumas das
salas são pequenas. As fotos nº 1 e 2, constantes na evidência desta
constatação, ilustram o fato.
Averiguou-se fragilidades na infra-estrutura do Ponto de Apoio da
linha 9. A estrutura do posto é basicamente de madeira, não havendo
aparelho de ar-condicionado. As fotos nº 3 e 4 constantes na evidência
ilustram a situação.
Também se constatou, com relação à Unidade Básica de Saúde Planalto,
inadequações no tocante à sua cozinha e a eliminação de resíduos
biológicos. Mediante inspeção "in loco" junto à Unidade, bem como
entrevistas realizadas com servidores da saúde, constatou-se que não
há separação entre os resíduos comuns e biológicos. Tal falha infringe
o disposto no Manual Técnico para Estruturação Física de Unidades de
Saúde da Família, item 20. No que tange à cozinha, conforme as fotos
nº 5 e 6 constantes na evidência ilustram, identificou-se que esta
não apresenta condições adequadas, bem como não há divisão de
ambientes entre a cozinha e a área de serviço.
Cumpre destacar que, conforme RDC ANVISA nº 50, as Unidades Básicas de
Saúde para funcionamento do PSF devem possuir: sala de recepção e de
espera; sala de cuidados básicos, consultório com sanitário anexo;
abrigo para resíduos sólidos; e água potável encanada.
Desta forma, não obstante o funcionamento do PSF no interior do Estado
ter de atentar para certas peculiaridades inerentes às características
da região, a inadequação dos locais de atendimento dificulta a atuação
da equipe e o atendimento à população.

EVIDÊNCIA:
Inspeção física junto a amostra de unidades de saúde e pontos de apoio
do município, entrevistas com servidores da saúde municipal e fotos nº
1,2,3,4,5 e 6 a seguir:
PSF – CONSTATAÇÕES – OS 218880

DESCRIÇÃO SUMÁRIA: INEXISTÊNCIA DE UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE PARA USO


EXCLUSIVO DO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA

PROCEDIMENTO: 17 05 02 0004

FATO: Mediante inspeção física efetuada junto a amostra unidades de saúde


do Município de Cabixi/RO utilizadas para o funcionamento do programa,
constatou-se que a equipe de Saúde da Família - PSF São Francisco atua no
Hospital Municipal de Cabixi.

A Prefeitura Municipal de Cabixi informou que o Posto de Saúde São


Francisco, local onde a supracitada equipe atuava, não apresentava
condições adequadas, portanto, o atendimento relativo à Saúde da Família
foi transferido para o Hospital Municipal. Desta forma, os atendimentos
relativos à saúde da família são realizados junto com todos os outros
atendimentos que ocorrem no Hospital Municipal.

Segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde, existe um convênio


para a reforma do Posto São Francisco, o qual elidirá a questão.

Cabe destacar que a supracitada equipe do PSF é composta por 11 (onze)


agentes de saúde, um médico, uma enfermeira, uma auxiliar de enfermagem,
um dentista e uma auxiliar de consultório dentário.
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 38
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
O município também possui uma equipe para atuação na zona rural, a qual
atua em diferentes unidades de saúde e pontos de apoio, não atuando em
uma única unidade.

RESPONSÁVEL:
31568572204 JOSE ROZARIO BARROSO PREFEITO MUNICIPAL
86584758915 ANTONIO ARGEU LOPES SECRETÁRIO MUN DE SAÚDE

ATITUDE DO GESTOR: O Gestor não garantiu que o programa de saúde da


família da zona urbana funcionasse uma unidade de saúde exclusiva.

CAUSA: Falta de infra-estrutura nas unidades de saúde do município,


resultando na instalação do programa PSF no Hospital Municipal.

EVIDÊNCIA: Inspeção física junto a amostra de unidades de saúde e pontos


de apoio do município, bem como entrevistas com servidores da saúde
municipal.

ESCOPO: Análise referente ao funcionamento do programa Saúde da Família


no município.

DESCRIÇÃO SUMÁRIA: INADEQUAÇÕES DE INFRA-ESTRUTURA NOS LOCAIS DE


ATENDIMENTO DO PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA

PROCEDIMENTO: 17 05 02 0004

FATO: Mediante inspeção física efetuada junto a amostra de unidades de


saúde do Município de Cabixi, constatou-se problemas na infra-estrutura
de algumas destas.

A Unidade de Saúde São Francisco, por não apresentar condições adequadas,


deixou de servir como local de atendimento da equipe do PSF, funcionando,
no presente momento, como escritório da Epidemiologia e Controle de
Doenças (FUNASA). Ressalta-se que o PSF funcionou nesta unidade em boa
parte do exercício de 2007, sendo que o telhado não possui forro em boa
parte da edificação e algumas das salas são pequenas. As fotos nº 1 e 2,
constantes na evidência desta constatações, ilustram o fato.

Averiguou-se fragilidades na infra-estrutura do Ponto de Apoio da linha


9. A estrutura do posto é basicamente de madeira, não havendo aparelho de
ar-condicionado. As fotos nº 3 e 4 constantes na evidência ilustram a
situação.

Também se constatou, com relação à Unidade Básica de Saúde Planalto,


inadequações no tocante à sua cozinha e a eliminação de resíduos
biológicos. Mediante inspeção “in loco” junto à Unidade, bem como
entrevistas realizadas com servidores da saúde, constatou-se que não há
separação entre os resíduos comuns e biológicos. Tal falha infringe o
disposto no Manual Técnico para Estruturação Física de Unidades de Saúde
da Família, item 20. No que tange à cozinha, conforme as fotos nº 5 e 6,
constantes na evidência ilustram, identificou-se que esta não apresenta
condições adequadas, bem como não há divisão de ambientes entre a cozinha
e a área de serviço.

Cumpre destacar que, conforme RDC ANVISA nº 50, as Unidades Básicas de


Saúde para funcionamento do PSF devem possuir: sala de recepção e de
espera; sala de cuidados básicos, consultório com sanitário anexo; abrigo
para resíduos sólidos; e água potável encanada.
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 39
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
Desta forma, não obstante o funcionamento do PSF no interior do Estado
ter de atentar para certas peculiaridades inerentes às características da
região, a inadequação dos locais de atendimento dificulta a atuação da
equipe e o atendimento à população.

RESPONSÁVEL:
31568572204 JOSE ROZARIO BARROSO PREFEITO MUNICIPAL
86584758915 ANTONIO ARGEU LOPES SECRETÁRIO MUN DE SAÚDE

ATITUDE DO GESTOR: O Gestor não garantiu que os locais de atendimento do


PSF apresentassem condições adequadas para a atuação das equipes e o
atendimento da população.

CAUSA: Falta de infra-estrutura nas unidades de saúde do município.

EVIDÊNCIA: Inspeção física junto a amostra de unidades de saúde e pontos


de apoio do município, entrevistas com servidores da saúde municipal e
fotos nº 1,2,3,4,5 e 6 a seguir:

Foto 1: Corredores. Foto 2: Telhado.

Foto 3: Sala de atendimento. Foto 4: Posto da linha 9.

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 40


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
Foto 5: Cozinha e tanque. Foto 6: Pia da cozinha.

ESCOPO: Análise referente ao funcionamento do programa Saúde da Família


no município.

DESCRIÇÃO SUMÁRIA: EQUIPES DO PSF NÃO REALIZAM PALESTRAS/REUNIÕES


COMUNITÁRIAS

PROCEDIMENTO: 17 05 02 0003

FATO: Mediante entrevistas realizadas com a população de Cabixi/RO,


verificou-se que há falhas na atuação da equipe do PSF no que tange à
realização de palestras e reuniões junto à comunidade para orientação
sobre os cuidados com a saúde.

Foram entrevistadas 27 (vinte e sete) pessoas dentre a população das


zonas rural e urbana, sendo que 16 (dezesseis) relataram que não recordam
de terem sido convidados para participação em
reuniões/palestras/encontros realizadas pelas equipes de saúde da família
para orientações sobre os cuidados com a saúde.

Desta forma, constata-se que, aproximadamente, 60% (sessenta por cento)


dos entrevistados, apesar de serem sido regularmente visitados pelos ACS,
não foram convidados para qualquer reuniões sobre cuidados com saúde.

Tal fato configura falha na atuação da equipe do PSF, seja no que tange à
realização das palestras, seja no tocante à comunicação.

RESPONSÁVEL:
86584758915 ANTONIO ARGEU LOPES SECRETÁRIO MUN DE SAÚDE

ATITUDE DO GESTOR: Os Gestores do programa não garantiram acesso à maior


parte da população a reuniões sobre saúde.

CAUSA: Fragilidades na atuação das equipes de saúde da família.

EVIDÊNCIA: Entrevistas realizadas com 27 (vinte e sete) pessoas dentre a


população das zonas rural e urbana.

ESCOPO: Análise referente ao funcionamento do programa Saúde da Família


no município.

DESCRIÇÃO SUMÁRIA: COBERTURA ODONTOLÓGICA DO PSF NÃO CUMPRE A CARGA


HORÁRIA SEMANAL PREVISTA NA LEGISLAÇÃO

PROCEDIMENTO: 17 05 02 0003
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 41
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
FATO: Mediante entrevistas realizadas com a população da zona urbana de
Cabixi/RO, a qual é atendida pela Equipe do PSF São Francisco,
classificada como equipe com saúde bucal na modalidade “I”, constatou-se
que o atendimento odontológico disponibilizado não tem a cobertura
adequada.

Dos entrevistados, 9 (nove) relataram que têm dificuldade para conseguir


atendimento ou que não tem conhecimento do período que o profissional
atende. As informações obtidas junto à comunidade variam, conforme tabela
a seguir:

Respostas Qtde
Não precisaram de atendimento. 4
Dentista atende uma vez por semana. 2
Dentista atende duas vezes por semana. 1
Têm dificuldade para conseguir atendimento. 3
Foram atendidos, mas não sabem quando o dentista atua. 7
Total 17

Conforme se pode visualizar, há evidências de que o atendimento da saúde


bucal não cobre toda a semana, havendo relatos de que há grande
dificuldade para se conseguir atendimento, inclusive identificou-se caso
de paciente que ainda não o conseguiu, apesar das tentativas.

Cumpre salientar que dois profissionais atuaram na supracitada equipe, no


período escopo desta fiscalização (exercícios de 2007 e 2008).

Segundo consta no processo nº 001/2207, relativo à execução do Convite nº


008/2007, no qual foi contratado o profissional de CPF nº 605.802.249-53,
a carga horária exigida foi a de 20 (vinte) horas semanais, conforme o
edital, em seu item 1.1 e contrato nº 13/2007, em sua cláusula quarta,
comprovam.

Tal contrato foi aditivado, permanecendo vigente de janeiro de 2007 a


junho de 2008. Desta forma, restou configurado o descumprimento ao que
rege a Portaria nº 648/2006/GM/MS, conforme excertos a seguir:

“2 - DAS RESPONSABILIDADES DE CADA NÍVEL DE GOVERNO


Além das responsabilidades propostas para a Atenção Básica, em relação à
estratégia Saúde da Família, os diversos entes federados têm as seguintes
responsabilidades:

2.1 Compete às Secretarias Municipais de Saúde e ao Distrito Federal:


(...)

IV - assegurar o cumprimento de horário integral – jornada de 40 horas


semanais – de todos os profissionais nas equipes de saúde da família, de
saúde bucal e de agentes comunitários de saúde, com exceção daqueles que
devem dedicar ao menos 32 horas de sua carga horária para atividades na
equipe de SF e até 8 horas do total de sua carga horária para atividades
de residência multiprofissional e/ou de medicina de família e de
comunidade, ou trabalho em hospitais de pequeno porte, conforme
regulamentação específica da Política Nacional dos Hospitais de Pequeno
Porte;”

No exercício de 2008 foi realizado concurso público, conforme Edital nº


04/2008 indica, tendo sido contratado o profissional de CPF nº
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 42
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
829.162.502-63, sendo que, neste instrumento convocatório, resta definida
a carga horária de 40 (quarenta) horas semanais.

Desta forma, além do descumprimento do previsto na Portaria nº 648/2006


no que tange à carga horária semanal, também resta configurada a falha na
atuação da equipe de saúde bucal no período de 2008, pois a concentração
do atendimento em apenas alguns dias da semana gera prejuízos no
atendimento à população, como, por exemplo, a formação de grandes filas e
a dificuldade em se conseguir atendimento.

RESPONSÁVEL:
86584758915 ANTONIO ARGEU LOPES SECRETÁRIO MUN DE SAÚDE

ATITUDE DO GESTOR: Os Gestores do programa não garantiram que o


atendimento da saúde bucal tivesse a cobertura adequada, permitindo o
descumprimento às normas e a formação de filas e dificultando o acesso da
população à atenção à saúde bucal.

CAUSA: Fragilidades na atuação das equipes de saúde da família.

EVIDÊNCIA: Processo nº 001/2007; Edital do concurso nº 04/2008; e


Entrevistas realizadas com 27 (vinte e sete) pessoas dentre a população
das zonas rural e urbana.

ESCOPO: Análise referente ao funcionamento do programa Saúde da Família


no município.

DESCRIÇÃO SUMÁRIA: PROFISSIONAIS DO PSF POSSUEM VÍNCULOS COM OUTROS


MUNICÍPIOS

PROCEDIMENTO: 17 05 02 0002

FATO: Constatou-se que ocorreu acúmulo de vínculos com outras


municipalidades dos profissionais que atuaram no programa Saúde da
Família nos exercícios de 2007 e 2008.

Durante os exercícios citados, profissionais atuaram como profissionais


do PSF em Cabixi/RO. A tabela a seguir detalha melhor os vínculos
empregatícios e os períodos em que ocorreu o acúmulo.

Médico CPF 426.877.641-91 PSF Rural CS Samaritano


Município Período de Jornada Dias em que
atuação atua
Corumbiara (1) 24mai2006 a 20hs N/C
fev2008
Corumbiara (2) Fev2008 até o 40hs Terças e
presente quartas feiras
Colorado do Oeste
Cabixi 01fev2005 até o Plantões Variados
presente de 12hs
Médico CPF 249.632.247-04 PSF Urbano São Francisco
Município Período de Jornada Dias em que
atuação atua
Cerejeiras
Cabixi 01set2005 até o Plantões Semana toda.
presente de 12hs e
24hs

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 43


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
As informações foram obtidas mediante consultas ao sítio
www.cnes.datasus.gov.br e aos documentos fornecidos pela Secretaria
Municipal de Saúde de Cabixi/RO.

A confirmação das informações supracitadas foi efetuada por meio de


circularizações junto às Prefeituras Municipais de Cerejeiras, Corumbiara
e Colorado do Oeste.

Destacamos que, não obstante existirem dificuldades na contratação de


profissionais da saúde no interior de Estado de Rondônia, especialmente
médicos, permitir acúmulos de vínculos somente contribui para um
atendimento deficiente nos municípios envolvidos.

RESPONSÁVEL:
31568572204 JOSE ROZARIO BARROSO PREFEITO MUNICIPAL
86584758915 ANTONIO ARGEU LOPES SECRETÁRIO MUN DE SAÚDE

ATITUDE DO GESTOR: O Gestor não providenciou para que os profissionais da


saúde da família trabalhassem durante a semana toda, permitindo,
inclusive que estes mantivessem vínculos com outras municipalidades.

CAUSA: Acúmulo de vínculos dos médicos que atuam no PSF no município.

EVIDÊNCIA: Consulta ao sítio www.cnes.datasus.gov.br e aos documentos


fornecidos pela Prefeitura.
Circularizações junto às Prefeituras Municipais de Cerejeiras, Corumbiara
e Colorado do Oeste.
Entrevistas efetuadas junto aos servidores da saúde do município.

ESCOPO: Verificação da atuação dos profissionais da saúde no município.

DESCRIÇÃO SUMÁRIA: FALHAS NA UTILIZAÇÃO DE VEÍCULO ADQUIRIDO COM RECURSOS


DO PSF

PROCEDIMENTO: 17 05 02 0002

FATO: O processo nº 256/2007 tratou da aquisição de veículo com recursos


do PSF, tendo sido adquirida uma unidade da empresa de CNPJ nº
07.595.449/0001-99, em 22.05.2007 pelo valor de R$ 37.300,00 (trinta e
sete mil e trezentos reais).

Conforme o memorando de solicitação do objeto, emitido em 09.04.2007, o


veículo serviria para atender as necessidades da Secretaria Municipal de
Saúde de Cabixi/RO, não havendo menção de que seria utilizado nas
atividades específicas do programa Saúde da Família.

Desta forma, esta equipe procedeu à inspeção física junto ao veículo e à


avaliação das atividades desenvolvidas por este, tendo se constatado,
durante o período de campo da fiscalização, que sua utilização não se dá
somente nas atividades do programa.

Cabe destacar que não há registros de utilização do veículo os quais


indicassem as atividades desenvolvidas por este nos períodos anteriores.

Conforme foto nº 1 constante na evidência desta constatação ilustra, o


veículo foi danificado em acidente recente, sem que houvesse, contudo,
sido aberto procedimento específico para apuração de responsabilidades e
o subseqüente ressarcimento aos cofres públicos.
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 44
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
Tendo em vista a materialidade da despesa em tela, compete à
Administração Municipal implementar controles mais eficazes com relação à
utilização do veículo, visando, dentre outros objetivos, garantir que seu
uso ocorra nas atividades específicas do programa Saúde da Família.

RESPONSÁVEL:
31568572204 JOSE ROZARIO BARROSO PREFEITO MUNICIPAL
86584758915 ANTONIO ARGEU LOPES SECRETÁRIO MUN DE SAÚDE

ATITUDE DO GESTOR: O Gestor não implementou métodos eficazes de controle,


permitindo que o veículo venha sendo utilizado em ações diversas dos
objetivos do PSF.

CAUSA: Falta de controles internos e utilização inadequada.

EVIDÊNCIA: Processo nº 256/2007; inspeção “in loco”; entrevistas junto a


servidores da Saúde Municipal e foto nº 1 a seguir:

ESCOPO: Verificação da atuação dos profissionais da saúde no município.

DESCRIÇÃO SUMÁRIA: DESCUMPRIMENTO DA CARGA HORÁRIA SEMANAL MÍNIMA POR


MÉDICO DO PSF

PROCEDIMENTO: 17 05 02 0002

FATO: Mediante análise do processo nº 121/2007, referente à contratação


de médico para atuação na equipe do Programa Saúde da Família (Posto de
Saúde Samaritano), identificou-se que o profissional foi contratado para
trabalhar sob o regime de plantões de 12 (doze) horas, conforme Convite
nº 003/2007 e Contrato nº 002/2007 comprovam.

Por meio de análise dos Mapas Mensais de Informação sobre Plantão e


Relatórios de Produtividade emitidos de janeiro de 2007 a julho de 2008,
constatou-se que a atuação do profissional de CPF nº 426.877.641-91 não
está ocorrendo de acordo com o que preceitua a Portaria nº
648/2006/GM/MS.

Mês Quantidade Horas Carga Diferença


de trabalhadas Horária para as
Plantões no mês Semanal 40hs
Fev/2007 11 132hs 33hs 7hs
Mar/2007 12 144hs 36hs 4hs
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 45
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
Mês Quantidade Horas Carga Diferença
de trabalhadas Horária para as
Plantões no mês Semanal 40hs
Abr/2007 11 132hs 33hs 7hs
Mai/2007 12 144hs 36hs 4hs
Jun/2007 11 132hs 33hs 7hs
Jul/2007 11 132hs 33hs 7hs
Ago/2007 11 132hs 33hs 7hs
Set/2007 12 144hs 36hs 4hs
Out/2007 11 132hs 33hs 7hs
Nov/2007 12 144hs 36hs 4hs
Dez/2007 11 132hs 33hs 7hs
Jan/2008 11 132hs 33hs 7hs
Fev/2008 12 144hs 36hs 4hs
Mar/2008 12 144hs 36hs 4hs
Abr/2008 10 120hs 30hs 10hs
Mai/2008 12 144hs 36hs 4hs
TOTAL 2.184hs 546hs 94hs

Obs. Foram excluídos os meses de janeiro de 2007 e junho de 2008.

Conforme se pode visualizar na tabela anterior, no período sob análise,


houve uma diferença de 94 (noventa e quatro) horas entre o preconizado na
legislação e o efetivamente executado pelo profissional.

Cumpre salientar que é exigido o cumprimento de 40 (quarenta) horas


semanais para os médicos do Programa Saúde da Família, conforme excertos
da norma supracitada seguir:

“2 - DAS RESPONSABILIDADES DE CADA NÍVEL DE GOVERNO


Além das responsabilidades propostas para a Atenção Básica, em relação à
estratégia Saúde da Família, os diversos entes federados têm as seguintes
responsabilidades:

2.1 Compete às Secretarias Municipais de Saúde e ao Distrito Federal:


(...)

IV - assegurar o cumprimento de horário integral – jornada de 40 horas


semanais – de todos os profissionais nas equipes de saúde da família, de
saúde bucal e de agentes comunitários de saúde, com exceção daqueles que
devem dedicar ao menos 32 horas de sua carga horária para atividades na
equipe de SF e até 8 horas do total de sua carga horária para atividades
de residência multiprofissional e/ou de medicina de família e de
comunidade, ou trabalho em hospitais de pequeno porte, conforme
regulamentação específica da Política Nacional dos Hospitais de Pequeno
Porte;”

RESPONSÁVEL:
86584758915 ANTONIO ARGEU LOPES SECRETÁRIO MUN DE SAÚDE

ATITUDE DO GESTOR: Os Gestores do programa não garantiram que o


profissional do PSF cumprisse a carga horária preconizada pela
legislação.

CAUSA: Fragilidades na atuação das equipes de saúde da família.

EVIDÊNCIA: Processo nº 121/2007; entrevistas realizadas com a população.

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 46


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
ESCOPO: Análise referente ao funcionamento do programa Saúde da Família
no município.

Foto 3: Sala de atendimento. Foto 4: Posto da linha 9.

Foto 5: Cozinha e tanque. Foto 6: Pia da cozinha.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4.1.9 CONSTATAÇÃO:
EQUIPES DO PSF NÃO REALIZAM PALESTRAS/REUNIÕES COMUNITÁRIAS

FATO:
Mediante entrevistas realizadas com a população de Cabixi/RO,
verificou-se que há falhas na atuação da equipe do PSF no que tange à
realização de palestras e reuniões junto à comunidade para orientação
sobre os cuidados com a saúde.
Foram entrevistadas 27 (vinte e sete) pessoas dentre a população das
zonas rural e urbana, sendo que 16 (dezesseis) relataram que não
recordam de terem sido convidados para participação em
reuniões/palestras/encontros realizadas pelas equipes de saúde da
família para orientações sobre os cuidados com a saúde.
Desta forma, constata-se que, aproximadamente, 60% (sessenta por
cento) dos entrevistados, apesar de serem sido regularmente visitados
pelos ACS, não foram convidados para qualquer reuniões sobre cuidados
com saúde.
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 47
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
Tal fato configura falha na atuação da equipe do PSF, seja no que
tange à realização das palestras, seja no tocante à comunicação.

EVIDÊNCIA:
Entrevistas realizadas com 27 (vinte e sete) pessoas dentre a
população das zonas rural e urbana.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4.1.10 CONSTATAÇÃO:
COBERTURA ODONTOLÓGICA DO PSF NÃO CUMPRE A CARGA HORÁRIA SEMANAL
PREVISTA NA LEGISLAÇÃO

FATO:
Mediante entrevistas realizadas com a população da zona urbana de
Cabixi/RO, a qual é atendida pela Equipe do PSF São Francisco,
classificada como equipe com saúde bucal na modalidade "I", constatou-
se que o atendimento odontológico disponibilizado não tem a cobertura
adequada.
Dos entrevistados, 9 (nove) relataram que têm dificuldade para
conseguir atendimento ou que não tem conhecimento do período que o
profissional atende. As informações obtidas junto à comunidade variam,
conforme tabela a seguir:
Respostas Qtde
Não precisaram de atendimento. 4
Dentista atende uma vez por semana. 2
Dentista atende duas vezes por semana. 1
Têm dificuldade para conseguir atendimento. 3
Foram atendidos, mas não sabem quando o dentista atua. 7
Total 17

Conforme se pode visualizar, há evidências de que o atendimento da


saúde bucal não cobre toda a semana, havendo relatos de que há grande
dificuldade para se conseguir atendimento, inclusive identificou-se
caso de paciente que ainda não o conseguiu, apesar das tentativas.
Cumpre salientar que dois profissionais atuaram na supracitada equipe,
no período escopo desta fiscalização (exercícios de 2007 e 2008).
Segundo consta no processo nº 001/2207, relativo à execução do Convite
nº 008/2007, no qual foi contratado o profissional de CPF nº
605.802.249-53, a carga horária exigida foi a de 20 (vinte) horas
semanais, conforme o edital, em seu item 1.1 e contrato nº 13/2007, em
sua cláusula quarta, comprovam.
Tal contrato foi aditivado, permanecendo vigente de janeiro de 2007 a
junho de 2008. Desta forma, restou configurado o descumprimento ao que
rege a Portaria nº 648/2006/GM/MS, conforme excertos a seguir:
"2 - DAS RESPONSABILIDADES DE CADA NÍVEL DE GOVERNO
Além das responsabilidades propostas para a Atenção Básica, em relação
à estratégia Saúde da Família, os diversos entes federados têm as
seguintes responsabilidades:
2.1 Compete às Secretarias Municipais de Saúde e ao Distrito Federal:
(...)
IV - assegurar o cumprimento de horário integral - jornada de 40 horas
semanais - de todos os profissionais nas equipes de saúde da família,
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 48
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
de saúde bucal e de agentes comunitários de saúde, com exceção
daqueles que devem dedicar ao menos 32 horas de sua carga horária para
atividades na equipe de SF e até 8 horas do total de sua carga horária
para atividades de residência multiprofissional e/ou de medicina de
família e de comunidade, ou trabalho em hospitais de pequeno porte,
conforme regulamentação específica da Política Nacional dos Hospitais
de Pequeno Porte;"
No exercício de 2008 foi realizado concurso público, conforme Edital
nº 04/2008 indica, tendo sido contratado o profissional de CPF nº
829.162.502-63, sendo que, neste instrumento convocatório, resta
definida a carga horária de 40 (quarenta) horas semanais.
Desta forma, além do descumprimento do previsto na Portaria nº
648/2006 no que tange à carga horária semanal, também resta
configurada a falha na atuação da equipe de saúde bucal no período de
2008, pois a concentração do atendimento em apenas alguns dias da
semana gera prejuízos no atendimento à população, como, por exemplo, a
formação de grandes filas e a dificuldade em se conseguir atendimento.

EVIDÊNCIA:
Processo nº 001/2007; Edital do concurso nº 04/2008; e Entrevistas
realizadas com 27 (vinte e sete) pessoas dentre a população das zonas
rural e urbana.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4.1.11 CONSTATAÇÃO:
FALHAS NA UTILIZAÇÃO DE VEÍCULO ADQUIRIDO COM RECURSOS DO PSF

FATO:
O processo nº 256/2007 tratou da aquisição de veículo com recursos do
PSF, tendo sido adquirida uma unidade da empresa de CNPJ nº
07.595.449/0001-99, em 22.05.2007 pelo valor de R$ 37.300,00 (trinta e
sete mil e trezentos reais).
Conforme o memorando de solicitação do objeto, emitido em 09.04.2007,
o veículo serviria para atender as necessidades da Secretaria
Municipal de Saúde de Cabixi/RO, não havendo menção de que seria
utilizado nas atividades específicas do programa Saúde da Família.
Desta forma, esta equipe procedeu à inspeção física junto ao veículo e
à avaliação das atividades desenvolvidas por este, tendo se
constatado, durante o período de campo da fiscalização, que sua
utilização não se dá somente nas atividades do programa.
Cabe destacar que não há registros de utilização do veículo os quais
indicassem as atividades desenvolvidas por este nos períodos
anteriores.
Conforme foto nº 1 constante na evidência desta constatação ilustra, o
veículo foi danificado em acidente recente, sem que houvesse, contudo,
sido aberto procedimento específico para apuração de responsabilidades
e o subseqüente ressarcimento aos cofres públicos.
Tendo em vista a materialidade da despesa em tela, compete à
Administração Municipal implementar controles mais eficazes com
relação à utilização do veículo, visando, dentre outros objetivos,
garantir que seu uso ocorra nas atividades específicas do programa
Saúde da Família.

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 49


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
EVIDÊNCIA:
Processo nº 256/2007; inspeção "in loco"; entrevistas junto a
servidores da Saúde Municipal e foto nº 1 a seguir:

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4.1.12 CONSTATAÇÃO:
DESCUMPRIMENTO DA CARGA HORÁRIA SEMANAL MÍNIMA POR MÉDICO DO PSF

FATO:
Mediante análise do processo nº 121/2007, referente à contratação de
médico para atuação na equipe do Programa Saúde da Família (Posto de
Saúde Samaritano), identificou-se que o profissional foi contratado
para trabalhar sob o regime de plantões de 12 (doze) horas, conforme
Convite nº 003/2007 e Contrato nº 002/2007 comprovam.
Por meio de análise dos Mapas Mensais de Informação sobre Plantão e
Relatórios de Produtividade emitidos de janeiro de 2007 a julho de
2008, constatou-se que a atuação do profissional de CPF nº
426.877.641-91 não está ocorrendo de acordo com o que preceitua a
Portaria nº 648/2006/GM/MS. A tabela a seguir detalha o fato:
Mês Quantidade Horas Carga Diferença
de trabalhadas Horária para as
Plantões no mês Semanal 40hs
Fev/2007 11 132hs 33hs 7hs
Mar/2007 12 144hs 36hs 4hs
Abr/2007 11 132hs 33hs 7hs
Mai/2007 12 144hs 36hs 4hs
Jun/2007 11 132hs 33hs 7hs
Jul/2007 11 132hs 33hs 7hs
Ago/2007 11 132hs 33hs 7hs
Set/2007 12 144hs 36hs 4hs
Out/2007 11 132hs 33hs 7hs
Nov/2007 12 144hs 36hs 4hs
Dez/2007 11 132hs 33hs 7hs
Jan/2008 11 132hs 33hs 7hs
Fev/2008 12 144hs 36hs 4hs
Mar/2008 12 144hs 36hs 4hs
Abr/2008 10 120hs 30hs 10hs
Mai/2008 12 144hs 36hs 4hs

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 50


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
TOTAL 2.184hs 546hs 94hs

Obs. Foram excluídos os meses de janeiro de 2007 e junho de 2008.


Conforme se pode visualizar na tabela anterior, no período sob
análise, houve uma diferença de 94 (noventa e quatro) horas entre o
preconizado na legislação e o efetivamente executado pelo
profissional.
Cumpre salientar que é exigido o cumprimento de 40 (quarenta) horas
semanais para os médicos do Programa Saúde da Família, conforme
excertos da norma supracitada a seguir:
"2 - DAS RESPONSABILIDADES DE CADA NÍVEL DE GOVERNO
Além das responsabilidades propostas para a Atenção Básica, em relação
à estratégia Saúde da Família, os diversos entes federados têm as
seguintes responsabilidades:
2.1 Compete às Secretarias Municipais de Saúde e ao Distrito Federal:
(...)
IV - assegurar o cumprimento de horário integral - jornada de 40 horas
semanais - de todos os profissionais nas equipes de saúde da família,
de saúde bucal e de agentes comunitários de saúde, com exceção
daqueles que devem dedicar ao menos 32 horas de sua carga horária para
atividades na equipe de SF e até 8 horas do total de sua carga horária
para atividades de residência multiprofissional e/ou de medicina de
família e de comunidade, ou trabalho em hospitais de pequeno porte,
conforme regulamentação específica da Política Nacional dos Hospitais
de Pequeno Porte;"

EVIDÊNCIA:
Processo nº 121/2007; entrevistas realizadas com a população.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4.1.13 CONSTATAÇÃO:
PROFISSIONAIS DO PSF POSSUEM VÍNCULOS COM OUTROS MUNICÍPIOS

FATO:
Constatou-se que ocorreu acúmulo de vínculos com outros municípios dos
profissionais que atuaram no programa Saúde da Família nos exercícios
de 2007 e 2008.
Durante os exercícios citados, profissionais atuaram como
profissionais do PSF em Cabixi/RO. A tabela a seguir detalha melhor os
vínculos empregatícios e os períodos em que ocorreu o acúmulo.

Médico CPF 426.877.641-91 PSF Rural CS Samaritano


Município Período de Jornada Dias em que
atuação atua
Corumbiara (1) 24mai2006 a 20hs N/C
fev2008
Corumbiara (2) Fev2008 até o 40hs Terças e
presente quartas feiras
Cabixi 01fev2005 até o Plantões de Variados
presente 12hs
Médico CPF 249.632.247-04 PSF Urbano São Francisco
Município Período de Jornada Dias em que
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 51
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
Médico CPF 426.877.641-91 PSF Rural CS Samaritano
Município Período de Jornada Dias em que
atuação atua
atuação atua
Cerejeiras 02/01/2001 até 7 (sete) Variados.
31/12/2008 Plantões de
24hs mensais
(média de
42hs/semana)
Cabixi 01set2005 até o Plantões de Semana toda.
presente 12hs e 24hs

As informações foram obtidas mediante consultas ao sítio


www.cnes.datasus.gov.br <http://www.cnes.datasus.gov.br> e aos
documentos fornecidos pela Secretaria Municipal de Saúde de Cabixi/RO.
A confirmação das informações supracitadas foi efetuada por meio de
circularizações junto às Prefeituras Municipais de Cerejeiras,
Corumbiara e Colorado do Oeste.
Destacamos que, não obstante existirem dificuldades na contratação de
profissionais da saúde no interior de Estado de Rondônia,
especialmente médicos, permitir acúmulos de vínculos somente contribui
para um atendimento deficiente nos municípios envolvidos.

EVIDÊNCIA:
Consulta ao sítio www.cnes.datasus.gov.br
<http://www.cnes.datasus.gov.br> e aos documentos fornecidos pela
Prefeitura.
Circularizações junto às Prefeituras Municipais de Cerejeiras,
Corumbiara e Colorado do Oeste.
Entrevistas efetuadas junto aos servidores da saúde do município.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.
AÇÃO :
8581
ESTRUTURACAO DA REDE DE SERVICOS DE ATENCAO BASICA DE S
AUDE - NACIONAL
OBJETIVO DA AÇÃO :
Financiamento para a adequação e ampliação da rede de serviços de a-
tenção básica de saúde; apoio técnico e financiamento para melhoria a-
dequação da rede de serviços caracterizada como de primeira referência
para a atenção básica.
ORDEM DE SERVIÇO : 218768
OBJETO FISCALIZAÇÃO:
Construção/Reforma de Unidade de saúde.
AGENTE EXECUTOR :
PREFEITURA MUNICIPAL DE CABIXI
ORGAO PUBLICO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL
QUALIF. DO INSTRUMENTO DE TRANSF.:
CONVÊNIO SIAFI 547946
MONTANTE DE RECURSOS FINANCEIROS: R$ 200.000,00

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 52


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
4.1.14 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE COMPROVAÇÃO DE REALIZAÇÃO DE COMUNICAÇÃO Á CÂMARA
MUNICIPAL, PARTIDOS POLÍTICOS E OURAS ENTIDADES SOBRE O RECEBIMENTO DE
RECURSOS FEDERAIS

FATO:
Com o intuito de se certificar se a Prefeitura de Cabixi- RO cumpriu
com a determinação contida no artigo 2º da Lei no 9.452/97, que diz
respeito à necessidade de notificar a Câmara Municipal, os partidos
políticos, os sindicatos de trabalhadores e as entidades empresariais
sobre a liberação de recursos financeiros federais a qualquer título,
realizou-se análise dos processos referentes aos contratos do convênio
no 4448/2005 - Ministério da Saúde, cujo objeto é a Reforma da Unidade
de Saúde no valor de R$ 200.000,00 (duzentos mil reais). Todavia não
foi identificada a existência de documentos que evidenciassem tal
comunicação.
Em face do exposto, constata-se que a Prefeitura Municipal de Cabixi
(RO) não comprovou a realização de notificação aos partidos políticos,
aos sindicatos de trabalhadores e as entidades empresariais sobre o
recebimento de créditos referentes aos recursos federais, o que
contraria o artigo 2º da Lei nº 9.452, de 20.03.1997.

EVIDÊNCIA:
Processos nº 122/2007, 432/2007 e 25000.190397/2005-66.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4.1.15 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE CLÁUSULA DE VIGÊNCIA CONTRATUAL

FATO:
Da análise do Contrato nº 018/2007, verifica-se não haver cláusula de
vigência contratual.
Verifica-se apenas a existência de prazo para a conclusão do objeto, o
que não se confunde com prazo de vigência contratual. No referido
contrato a Cláusula do Prazo especifica apenas como de 90 (noventa
dias) o prazo de execução do objeto, sem estabelecer, no entanto, a
data inicial e final de vigência do contrato. Mesmo sendo de se
esperar que a data inicial de vigência do contrato seja a data da
assinatura do instrumento contratual, tal fato não significa, por
exemplo que a data de expiração de vigência seria 90 (noventa) dias
depois, tendo em vista que nem sempre a execução do objeto se inicia
no mesmo dia da assinatura do contrato. Na verdade, são raras as vezes
em que a obra se inicia nesse mesmo dia.
Entende-se por duração ou prazo de vigência o período em que os
contratos firmados produzem direitos e obrigações para as partes
contratantes. A vigência é cláusula obrigatória e deve constar de todo
contrato, que só terá validade e eficácia após assinado pelas partes
contratantes e publicado seu extrato na imprensa oficial.
Assim, a vigência do Contrato deve compreender o tempo necessário para
a execução do objeto, acrescentado de prazo para avaliação e
recebimento do objeto contratual e outros procedimentos julgados
necessários para o fiel cumprimento do objeto do contrato.
Sobre o assunto, assim tem se manifestado o Tribunal de Contas da
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 53
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
União, Acórdão 1393/04 - Plenário:
"(...), o Tribunal tem firmado entendimento de que a ausência de
cláusulas definidoras de termo final dos ajustes caracteriza prazo de
vigência indeterminado, infringindo o disposto nos arts. 57, §§ 2º e
3º, e 60, todos da Lei 8.666/93 (vide Decisão 999/2002 e Acórdão
1.130/2003, ambos do Plenário).
(...)
ACORDAM os Ministros do Tribunal de Contas da União, reunidos em
sessão Plenária, ante as razões expostas pelo Relator e com espeque no
art. 43 da Lei 8.443/92, em:
(...)
9.2. determinar à Centrais Elétricas do Norte do Brasil S.A -
Eletronorte que:
(...)
9.2.2. formalize termo aditivo aos contratos em andamento, para
incluir cláusula específica de delimitação temporal da avença,
evitando que o fornecimento de bens e a prestação de serviços fiquem
sem cobertura contratual, em contrariedade às prescrições contidas nos
arts. 57, §§ 2º e 3º, e 60, da Lei 8.666/93;"
Dessa forma, verifica-se que os contratos analisados têm prazo de
vigência indeterminado, contrariando dispositivos da Lei de Licitações
e Contratos.

EVIDÊNCIA:
Processos nº 122/2007, 432/2007 e 25000.190397/2005-66.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4.1.16 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE INDICAÇÃO DO BDI NA PROPOSTA COMERCIAL DA LICITANTE

FATO:
Da análise da proposta comercial da licitante vencedora do Certame
Licitatório Tomada de Preços no 007/2007, verificou-se a ausência de
indicação do percentual de LDI (Lucro e Despesas Indiretas) na
proposta comercial da licitante vencedora, o que está em desacordo com
determinações recentes do Tribunal de Contas da União, conforme está
descrito no Acórdão no 2262/06 - Plenário.
3. Entretanto, registro que, no âmbito do TC 005.570/2005-6, relativo
a Representação formulada por aquela Unidade Técnica acerca de
licitação, realizada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e
Defesa Social do Distrito Federal, para a contratação de empresa para
construção de outras obras do mesmo complexo penitenciário ora em
foco, relatada pelo Senhor Ministro Marcos Vilaça na sessão 13/06/2005
(Relação 1º C nº 29 - Acórdão nº 1046 - Ata 18), foram feitas, entre
outras, as determinações sugeridas pela 6ª Secex descritas no
Relatório antecedente, a saber:
a) à Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa do Distrito
Federal que:
a.1) abstenha-se de fixar percentual para o BDI (Bonificações e
Despesas Indiretas) nas próximas licitações pela falta de amparo legal
para tanto e porque tal procedimento impede os licitantes de
desigualarem-se em itens relevantes, como taxa de administração e
lucro;
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 54
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
a.2) explicite, nos próximos certames licitatórios, quando da
elaboração das planilhas de referência para suas contratações, a
composição do BDI que está sendo utilizado na formação dos preços e
exija que os licitantes façam o mesmo em relação às suas propostas;
(...).
Vale registrar que a ausência de indicação de BDI por parte da
Contratada cria dificuldades para se avaliar os preços unitários do
orçamento quanto à sua adequação aos preços de mercado.
Além dos empecilhos no caso de reajuste de preços ou reequilíbrio
econômico financeiro dos contratos, motivados por fatores
imprevisíveis, tendo em vista a impossibilidade de conhecimento prévio
dos custos de cada elemento do orçamento sem o LDI, nos quais incidem
o percentual do reequilibro ou reajuste específico.
Em face do exposto considera-se inapropriado aceitar proposta
comercial sem indicação do índice de BDI utilizado e sua composição.

EVIDÊNCIA:
Processos nº 122/2007, 432/2007 e 25000.190397/2005-66.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.
AÇÃO :
8581
ESTRUTURACAO DA REDE DE SERVICOS DE ATENCAO BASICA DE S
AUDE - NACIONAL
OBJETIVO DA AÇÃO :
Financiamento para a adequação e ampliação da rede de serviços de a-
tenção básica de saúde; apoio técnico e financiamento para melhoria a-
dequação da rede de serviços caracterizada como de primeira referência
para a atenção básica.
ORDEM DE SERVIÇO : 218797
OBJETO FISCALIZAÇÃO:
Aquisição de Equipamentos Médico-Hospitalares.
AGENTE EXECUTOR :
PREFEITURA MUNICIPAL DE CABIXI
ORGAO PUBLICO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL
QUALIF. DO INSTRUMENTO DE TRANSF.:
CONVÊNIO SIAFI 504866
MONTANTE DE RECURSOS FINANCEIROS: R$ 48.000,00

4.1.17 CONSTATAÇÃO:
EQUIPAMENTOS SEM UTILIZAÇÃO

FATO:
O convênio nº 2726/2004 foi firmado entre o Ministério da Saúde e a
Prefeitura Municipal de Cabixi/RO visando à aquisição de equipamentos
médicos para o Laboratório, o Centro Cirúrgico, o Pronto Socorro e a
Sala de Exames do Hospital Municipal. O valor do acordo foi de R$
51.840,00 (cinqüenta e um mil oitocentos e quarenta reais), sendo R$
3.840,00 (três mil e oitocentos e quarenta reais) a título de
contrapartida.
Foi realizado o Convite nº 33/2005, sendo que apresentaram proposta
para os itens e se lograram vencedoras as empresas de CNPJ nº
04.257.578/0001-89; 22.855.159/0001-20 e 05.350.433/0001-90.
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 55
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
Levando-se em conta a materialidade dos equipamentos adquiridos, foi
selecionada uma amostra de itens para inspeção física, sendo que
identificou-se bens que não estão sendo utilizados, conforme tabela a
seguir:
Equipamento Estado do Bem Tombamento Valor de
Aquisição
Autoclave Vertical Bom estado e 1875 R$ 2.977,00
sem utilização
Autoclave Vertical Bom estado e 1876 R$ 2.977,00
sem utilização
Destruidor de Quebrado Não consta R$ 275,90
Agulhas
Negatoscópio Bom estado e 1870 R$ 386,90
sem utilização
Conj. de Bom estado e 1860 R$ 805,50
Emergência com sem utilização
cilindro de O2 e
máscara
Conj. de Emerg. Bom estado e 1861 R$ 805,50
com cilindro de O2 sem utilização
e máscara
Nebulizador Avariado e sem 1865 R$ 1.595,50
utilização
Laringoscópio com Bom estado e Não consta R$ 548,20
lâminas curvas sem utilização
Unidade de Mal conservado 1877 R$ 2.978,00
Emergência e sem uso
Mesa de Parto e Quebrada 1876 R$ 5.462,00
Exames
Total de Bens não utilizados R$ 18.811,50

Conforme se pode constatar, aproximadamente 36% (trinta e seis por


cento) do que foi adquirido com recursos do convênio sob análise estão
sem utilização.
No caso das autoclaves, se averiguou que estas não são utilizadas por
que há outras no hospital que permitem que os materiais esterilizados
já saiam secos, enquanto que os materiais esterilizados nas adquiridas
saem úmidos.
O negatoscópio foi encontrado no depósito e o nebulizador não está em
uso devido a problemas no seu compressor.
O laringoscópio com lâminas curvas estava dentro de uma das gavetas da
Unidade de Emergência, misturado a diversos papéis e documentos, sem
indicações de que venha sendo utilizado.
A unidade de emergência citada estava em condições inadequadas de
conservação, as quais dificultariam a atuação dos profissionais em
caso de emergências, como a existência de diversos papéis em meio aos
materiais. As fotos nº 1 e 2 constantes na evidência desta constatação
ilustram o fato.
Com relação aos bens avariados, as fotos nº 3 e 4, constantes na
evidência desta constatação, detalham a situação de alguns.
Cumpre salientar que, com relação aos os bens avariados, não foram
adotadas medidas para que estes fossem reparados, ou, no caso de anti-
economicidade, formalização do devido processo de baixa patrimonial.
No tocante aos bens ociosos, tendo em vista que foram recebidos em
novembro de 2005, conforme atestes de recebimento nas notas fiscais
indicam, alguns permanecem sem uso há mais de dois anos e meio,
ocorrendo, inclusive, perda da garantia antes mesmo de terem sido
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 56
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
utilizados.
Os fatos supracitados indicam falha na gestão por parte da
Administração Municipal, sendo que a ociosidade e avaria de bens caros
como o sob análise representa prejuízo à Administração Pública e à
comunidade, além de comprometer o atingimento dos objetivos do
convênio.
Desta forma, compete à Administração Municipal, em seus futuros
convênios, avaliar de forma mais realista as necessidades da saúde
municipal, formulando adequadamente seus planos de trabalho, de modo a
incluir nestes objetos que possam, efetivamente, ser utilizados nos
objetivos propostos, bem como fornecer o devido treinamento para que
seus servidores possam utilizá-los.

EVIDÊNCIA:
Processo nº 337/2006; processo nº 25000.069405/2004-25, inspeção "in
loco", entrevistas com servidores da saúde e fotos a seguir:

Foto 1: Unidade de Emergência. Foto 2: Gaveta desorganizada.

Foto 3: Mesa de Parto. Foto 4: Destruidor de Agulhas.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4.1.18 CONSTATAÇÃO:
EQUIPAMENTOS ADQUIRIDOS A PREÇOS SUPERIORES AOS PRATICADOS PELA
ADMINISTRAÇÃO EM ATÉ 109%

FATO:
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 57
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
Por meio de análise do objeto do Convênio nº 2726/2004, verificou-se a
realização do Convite nº 33/2005 (Ata de 24.08.2005), visando à
aquisição de equipamentos hospitalares.
Mediante seleção de amostra de bens adquiridos com recursos do
convênio sob análise, constatou-se que por estes foram pagos valores
acima da média de mercado. Para se estabelecer a média de mercado,
foram consultadas licitações efetuadas no mesmo período, com itens e
quantidades similares à licitação sob análise.
Foi efetuada pesquisa junto ao sítio www.comprasnet.gov.br
<http://www.comprasnet.gov.br> <http://www.comprasnet.gov.br>, bem
como outras consultas, sendo constatadas divergências de preços,
conforme a tabela a seguir demonstra:
Equipamento Valor Pago Média das Diferença Diferença
Cotações R$ %
Autoclave Vertical R$ 2977,00 R$ 1995,75 R$ 981,25 49,16
Unidade de Emergência R$ 2978,00 R$ 1800,00 R$ 1178,00 65,44
Cardíaca
Mesa Auxiliar de Mayo R$ 441,00 R$ 210,50 R$ 230,50 109,50
Laringoscópio R$ 548,20 R$ 294,00 R$ 254,00 86,39

Com relação ao item Autoclave Vertical, foram adquiridas duas unidades


com capacidade de 30 (trinta) litros, sendo que foi identificada
aquisição de item similar nos seguintes certames:
Cotação 1: Secretaria de Estado da Gestão Administrativa/AC; Pregão nº
03/2006; quantidade adquirida: 1 unidade; valor unitário: R$ 1.799,00.
Cotação 2: Fundação Centro Tecnológico de Teresina/PI; Pregão nº
01/2006; quantidade adquirida: 2 (duas) unidades; valor unitário: R$
2.192,00.
No tocante ao Laringoscópio, foram adquiridas duas unidades do tipo
Adulto, cada um com 3 lâminas (retas e curvas), tendo sido
identificada aquisição de itens similares nos certames:
Cotação 1: 14º Batalhão Logístico (Recife-PE); Pregão nº 002/2005;
quantidade adquirida: 1 (uma) unidade; valor unitário: R$ 151,00.
Cotação 2: Comando do 2º Grupamento de Engenharia CNST/MEX/AM
(Amazonas); Pregão nº 006/2006; quantidade adquirida: 1 (uma) unidade;
valor unitário: R$ 270,00.
Cotação 3: Hospital Geral de Fortaleza MEX; Pregão nº 013/2005;
quantidade adquirida: 3 (três) unidades; valor unitário: R$ 461,00.
Cumpre destacar que os itens (laringoscópios) adquiridos nos certames
supra incluíam 8 (oito) lâminas cada, enquanto que os adquiridos pela
Prefeitura possuíam apenas 3 (três) cada.
Com relação ao Carro para Emergência Cardíaca, a Prefeitura Municipal
de Cabixi/RO adquiriu uma unidade, sendo que por meio de consulta ao
sítio www.comprasnet.gov.br <http://www.comprasnet.gov.br>,
identificou-se o seguinte:
A Universidade Federal da Bahia, mediante realização do Pregão nº
62/2006, adquiriu 9 (nove) unidades, pelo valor unitário de R$
1.800,00 (mil e oitocentos reais).
Com relação ao item Mesa Auxiliar de Mayo, averiguou-se que a
Administração Municipal adquiriu uma unidade, sendo que constatou-se
aquisição de item similar nos seguintes certames:
Cotação 1: 10º Batalhão de Engenharia de Construção/RS; Pregão nº
75/2006 (vigência: dez/2007 até dez/2008); quantidade adquirida: 3
unidades; valor unitário: R$ 220,00.
Cotação 2: Hospital da UFBA/BA; Pregão nº 39/2007 (vigência: dez/2007
até fev/2008); quantidade adquirida: 30 unidades; valor unitário: R$
237,00.
Cotação 3: Polícia Federal/MG; Pregão nº 13/2007 (vigência: dez/2007
até fev/2008); quantidade adquirida: 1 unidade; valor unitário: R$
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 58
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
215,00.
Cotação 4: Ministério da Saúde/RJ; Pregão nº 150/2007 (vigência:
maio/2008 até maio/2009); quantidade adquirida: 90 unidades; valor
unitário: R$ 170,00.
Cumpre salientar que não se identificou, no processo, comprovação de
ter ocorrido pesquisa de preços, conforme preceitua a Lei nº 8.666/93,
em seus artigos 15, inciso V e 43, inciso IV.
Desta forma, considerando as quantidades adquiridas pela Administração
Municipal, se esta tivesse adquirido os equipamentos citados a preços
similares aos praticados pela Administração Pública no mesmo período,
teria ocorrido uma economia de, aproximadamente, R$ 3.890,00 (três mil
oitocentos e noventa reais).

EVIDÊNCIA:
Processo nº 337/2006; processo nº 25000.069405/2004-25 e consulta ao
sítio eletrônico "htps.www.comprasnet.gov.br".

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.
AÇÃO :
8581
ESTRUTURACAO DA REDE DE SERVICOS DE ATENCAO BASICA DE S
AUDE - NACIONAL
OBJETIVO DA AÇÃO :
Financiamento para a adequação e ampliação da rede de serviços de a-
tenção básica de saúde; apoio técnico e financiamento para melhoria a-
dequação da rede de serviços caracterizada como de primeira referência
para a atenção básica.
ORDEM DE SERVIÇO : 218798
OBJETO FISCALIZAÇÃO:
Aquisição de Equipamentos Médico-Hospitalares.
AGENTE EXECUTOR :
PREFEITURA MUNICIPAL DE CABIXI
ORGAO PUBLICO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL
QUALIF. DO INSTRUMENTO DE TRANSF.:
CONVÊNIO SIAFI 521208
MONTANTE DE RECURSOS FINANCEIROS: R$ 12.508,24

4.1.19 CONSTATAÇÃO:
EMPRESAS PARTICIPANTES NÃO LOCALIZADAS

FATO:
O convênio nº 1905/2004 foi firmado entre o Ministério da Saúde e a
Prefeitura Municipal de Cabixi/RO visando à aquisição de equipamentos
médicos para o Consultório de Clínica Geral e para o Setor de Apoio
Logístico do Hospital Municipal. O valor do acordo foi de R$ 12.883,44
(doze mil oitocentos e oitenta e três reais e quarenta e quatro
centavos),
sendo R$ 375,20 (trezentos e setecentos e cinco reais e vinte
centavos) a título de contrapartida.
Foi realizado o Convite nº 13/2006, sendo que foram convidadas as
empresas de CNPJ nº 02.724.634/0001-12; 04.852.152/0001-73; e
15.840.002/0001-66.
Em visita aos endereços das empresas constantes dos seus carimbos,
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 59
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
notas fiscais e do sistema CNPJ, não foi possível encontrar duas das
empresas convidadas e que apresentaram propostas.
No endereço onde a empresa de CNPJ nº 04.852.152/0001-73 deveria
existir, se encontrou outra empresa, conforme foto nº 1 constante na
evidência desta constatação ilustra. Segundo informações de
funcionário desta última, a suposta empresa não chegou a funcionar
naquele local.
Com relação à empresa de CNPJ nº 15.840.002/0001-66, em seu endereço,
constante do sistema CNPJ, se encontrou imóvel vazio, conforme foto nº
2 constante na evidência desta constatação ilustra, sendo que o
proprietário do imóvel, o qual trabalha próximo e estava no local,
informou que o imóvel chegou a ser alugado por esta empresa, mas essa
nunca chegou a se instalar.
Também foi visitado o endereço constante do carimbo da empresa, o qual
divergia do anterior, sendo que também deparou-se com imóvel vazio. A
foto nº 3 constante na evidência desta constatação detalha o fato.
Cabe ressaltar que a empresa de CNPJ nº 04.852.152/0001-73 foi uma das
vencedoras do certame, tendo fornecido R$ 10.853,40 (dez mil
oitocentos e cinqüenta e três reais e quarenta centavos) em
equipamentos.
Desta forma, resta caracterizada inconsistência na execução do convite
em tela, pois a seleção e a participação de empresas que não podem ser
localizadas fisicamente são fatos que comprometem a competitividade e
lisura do certame.

EVIDÊNCIA:
Processo nº 173/2006; processo nº 25000.069404/2004-81, inspeção "in
loco" junto aos endereços das empresas, entrevistas e fotos a seguir:

Foto 1: Outra empresa existe no Foto 2: Imóvel vazio no endereço


endereço informado. da empresa.

Foto 3: Imóvel vazio no


endereço da empresa.

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 60


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:
Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4.2 - PROGRAMA
1293
ASSISTENCIA FARMACEUTICA E INSUMOS ESTRATEGICOS
AÇÃO :
20AE
PROMOCAO DA ASSISTENCIA FARMACEUTICA E INSUMOS ESTRATEG
ICOS NA ATENCAO BASICA EM SAUDE - NO ESTADO DE RONDONIA
OBJETIVO DA AÇÃO :
Visa garantir o acesso dos pacientes aos medicamentos básicos por in-
termedio da racionalização e otimização da programação, armazenamento,
controle de estoques e distribuição em todos os níveis de gestão.
ORDEM DE SERVIÇO : 218928
OBJETO FISCALIZAÇÃO:
Medicamentos pactuados no Plano Estadual de Assistência Farmacêutica-
PEAF para atendimento à Farmácia básica.
AGENTE EXECUTOR :
PREFEITURA MUNICIPAL DE CABIXI
ORGAO PUBLICO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL
QUALIF. DO INSTRUMENTO DE TRANSF.:
FUNDO A FUNDO OU CONCESSãO
MONTANTE DE RECURSOS FINANCEIROS: Não se aplica

4.2.1 CONSTATAÇÃO:
INEXISTÊNCIA DE PLANO MUNICIPAL DE ASSITÊNCIA FARMACEÛTICA

FATO:
Em resposta à Solicitação de Fiscalização nº 001/2008, enviada a
Prefeitura Municipal de Cabixi/RO, a Secretaria Municipal de Saúde,
emitiu o Relatório das Solicitações de Fiscalização, no qual informou
que não possui Plano Municipal de Assistência Farmacêutica referente
aos exercícios de 2007 e 2008.
Consoante a Portaria nº 1.105/GM/MS cita em seu texto, tal documento
possui relevante importância no monitoramento e avaliação das ações
referentes à Assistência Farmacêutica, sendo que sua ausência traz
prejuízos à gestão do programa.

EVIDÊNCIA:
Relatório das Solicitações de Fiscalização.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4.2.2 CONSTATAÇÃO:
INEXISTÊNCIA DE PLANO ESTADUAL DE ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA

FATO:
Em resposta à Solicitação de Fiscalização nº 001/2008, enviada a
Prefeitura Municipal de Cabixi/RO, a Secretaria Municipal de Saúde,
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 61
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
emitiu o Relatório das Solicitações de Fiscalização, no qual informou
que não possui Plano Municipal de Assistência Farmacêutica referente
aos exercícios de 2007 e 2008.
Consoante a Portaria nº 1.105/GM/MS cita em seu texto, tal documento
possui relevante importância no monitoramento e avaliação das ações
referentes à Assistência Farmacêutica, sendo que sua ausência traz
prejuízos à gestão do programa.

EVIDÊNCIA:
Ofício nº 890/2008/GM.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4.2.3 CONSTATAÇÃO:
ALMOXARIFADO DE MEDICAMENTOS NÃO UTILIZA MÉTODOS EFICAZES DE CONTROLE
DE ESTOQUES

FATO:
Por meio de inspeção "in loco" efetuada junto ao Almoxarifado de
medicamentos do Hospital Municipal de Cabixi, local onde são
armazenados os medicamentos adquiridos com recursos do programa
Farmácia Básica, constatou-se falhas no tocante aos controles.
Os servidores responsáveis pelo controle e distribuição não dispõem de
micro-computador, não possuindo, portanto, softwares de administração
de materiais. Também constatou-se que não utilizam fichas de
prateleira ou outro método de controle quantitativo dos estoques. É
utilizado apenas um livro de registro das saídas (disponibilizações
aos pacientes).
Tais fragilidades no controle impossibilitam a obtenção de informações
referentes aos quantitativos atualizados dos medicamentos, o que não
permite à Administração Municipal se planejar adequadamente e
tempestivamente quanto às necessidades de aquisições.

EVIDÊNCIA:
Inspeção física e entrevistas com servidores da saúde municipal.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4.2.4 CONSTATAÇÃO:
DISTRIBUIÇÃO DEFICITÁRIA DE MEDICAMENTOS PARA A POPULAÇÃO

FATO:
Mediante entrevista efetuada junto à amostra da população do Município
de Cabixi/RO, constatou-se que a distribuição de medicamentos por
parte da Prefeitura é deficiente, não atendendo às necessidades dos
munícipes quanto à medicação básica prescrita pelos médicos.
Foram entrevistadas 27 (vinte e sete) pessoas dentre a população das
zonas rural e urbana, sendo que 24 (vinte e quatro) relataram que
recordam da falta de algum medicamento, necessitando adquiri-lo com
recursos próprios.
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 62
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
Segundo relatos, cerca de 89% (oitenta e nove por cento) dos
entrevistados não receberam, nos exercícios de 2007 e 2008, todos os
medicamentos básicos prescritos pelos médicos. As ausências ocorrem
com relação a diversos tipos de remédios, dentre estes: antibióticos,
anti-hipertensivos, analgésicos, antiinflamatórios e bronco-
dilatadores.
Cumpre destacar que a ausência dos Planos Estadual e Municipal de
Assistência Farmacêutica, bem como a falta de controles de estoque no
almoxarifado de medicamentos, falhas também citadas neste relatório,
contribuem para a constatação sob tela, pois prejudicam um
planejamento adequado no tocante às aquisições.

EVIDÊNCIA:
Entrevistas realizadas com amostra da população do município.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4.2.5 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE CONTRAPARTIDA ESTADUAL RELATIVA AO EXERCÍCIO DE 2008

FATO:
Em resposta à Solicitação de Fiscalização nº 001/2008, enviada a
Secretaria de Estado da Saúde de Rondônia, esta emitiu o Ofício nº
890/2008/GM, de 17.11.2008, no qual informou que não foi efetivado o
repasse referente ao exercício de 2008.
Segundo informações da Secretaria supra, tal fato ocorreu devido à
ausência da disponibilização, por parte da Administração Municipal de
Cabixi/RO, do Termo de Compromisso assinado pelo Prefeito Municipal e
Secretário de Saúde Municipal.
Cumpre ressaltar que, segundo a Portaria nº 3.237/GM/MS/2007, a
responsabilidade pelo aporte de recursos ao programa é tripartite,
conforme transcrição a seguir:
"Art. 4º O financiamento da assistência farmacêutica básica é
responsabilidade das três esferas de gestão, devendo ser aplicados os
valores mínimos definidos nesta Portaria.
Parágrafo único. Valores mínimos aplicados para Medicamentos do
Elenco de Referência:
I - União: R$ 4,10 por habitante/ano;
II - Estados e Distrito Federal: R$ 1,50 por habitante/ano; e
III - Municípios: R$ 1,50 por habitante/ano"

EVIDÊNCIA:
Ofício nº 890/2008/GM, da Secretaria de Estado da Saúde de Rondônia,
emitido em 17.11.2008.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4.2.6 CONSTATAÇÃO:
INADEQUAÇÕES NA INFRA-ESTRUTURA DO ALMOXARIFADO E NA ARMAZENAGEM DOS
MEDICAMENTOS
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 63
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
FATO:
Mediante inspeção "in loco" efetuada junto ao Almoxarifado de
medicamentos do Hospital Municipal de Cabixi/RO, identificou-se
inadequações em alguns pontos referentes à estrutura e às condições de
armazenagem.
Conforme as fotos nº 1,2 e 3 constantes na evidência desta
constatação, o local disponibilizado não oferece as condições ideais
de segurança e espaço para a armazenagem.
A foto nº 1 ilustra a falta de segurança constante no local, pois a
janela interna do almoxarifado, a qual dá acesso ao corredor do
hospital, está provisoriamente lacrada com um pedaço de papelão e
fitas adesivas, bem atrás do armário dos remédios controlados.
Com a ausência de local adequado para a dispensa dos medicamentos aos
pacientes, estes, quando necessitam retirar algum remédio, entram no
almoxarifado, comprometendo substancialmente a segurança do local e
expondo os servidores ao contato direto com os pacientes.
O local onde funciona o almoxarifado surgiu de uma adaptação de outra
área do hospital, sendo que não apresenta espaço suficiente para a
armazenagem de todos os materiais que lá estão, conforme fotos nº 2 e
3 indicam. A foto nº 2 indica a aglomeração de materiais e a foto nº 3
ilustra a falta de espaçamento entre as caixas dos remédios.
Também não se identificou a existência de termômetro no local,
instrumento importante para avaliação das condições exigidas no
armazenamento dos medicamentos.

EVIDÊNCIA:
Inspeção física realizada junto ao Almoxarifado de medicamentos do
Hospital Municipal de Cabixi/RO; e fotos nº 1,2 e 3 a seguir:

Foto 1: Pedaço de papelão Foto 2: Materiais amontoados.


selando a janela.

Foto 3: Falta de espaçamento


entre as caixas de remédios.

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 64


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:
Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4.2.7 CONSTATAÇÃO:
DESCARTE DE GRANDE QUANTIDADE DE MEDICAMENTOS DEVIDO À FALTA DE
CONTROLE DA VALIDADE

FATO:
Mediante análise aos Autos de Apreensão emitidos pelo Departamento de
Fiscalização de Saúde nos exercícios de 2007 e 2008, referentes ao
Município de Cabixi/RO, constatou-se a ocorrência de perda de grande
quantidade de medicamentos devido à expiração do prazo de validade.
A tabela a seguir apresenta alguns exemplos de medicamentos
descartados:
Medicamento Quantidade Data do
Descarte
Aminofilina (ampolas de 10ml) 790 ampolas 27.08.08
Nitrofuzarona (pomada) 45 unidades 27.08.08
Succinato sódico de Hidrocortisona 100 frascos 27.08.08
(100mg)
Decanoato de haloperidol 2 caixas 27.08.08
Furosemida (2ml) 66 unidades 27.08.08
Metronidazol (50g) 9 bisnagas 02.09.08
Diclofenaco Sódico (3ml) 115 ampolas 08.10.08
Succinato sódico de Hidrocortisona 66 frascos 08.10.08
(500mg)
Gentamicina (ampolas de 1ml) 95 ampolas 08.10.08
Clorpromazina (compr. de 125mg) 449 compr. 08.10.08
Albendazol 12 frascos 15.10.08
Metronidazol 8 bisnagas 15.10.08
Clorpromazina (compr. de 100mg) 6600 compr. 19.11.08
Haloperidol (ampolas de 5mg) 13 caixas 19.11.08
Sulfato Ferroso (xarope 60ml) 9 frascos 12.04.07
Sulfato Ferroso (solução 30ml) 6 frascos 12.04.07

A falta de controles eficazes, falha também citada neste relatório,


contribui para a falha supra, a qual gera prejuízos para a
Administração e para a população. Cabe destacar que a tabela supra
identifica apenas uma amostra, havendo uma grande variedade de
medicamentos descartados.

EVIDÊNCIA:
11 (onze) Autos de Apreensão emitidos pelo Departamento de
Fiscalização de Saúde nos exercícios de 2007 e 2008, referentes ao
Município de Cabixi/RO.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4.2.8 CONSTATAÇÃO:
AQUISIÇÃO DE MEDICAMENTOS A PREÇOS SUPERIORES AOS PRATICADOS PELA
ADMINISTRAÇÃO EM ATÉ 141%
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 65
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
FATO:
Por meio de análise ao processo nº 160/2008, referente ao convite nº
20/2008 (Ata de 24.03.2008), identificou-se a aquisição de diversos
medicamentos com recursos do programa, cujos preços pagos se mostraram
superiores aos praticados pela Administração Pública no mesmo período.
As empresas de CNPJ nº 04.141.713/0001-26 e 02.176.223/0001-30 se
lograram vencedoras e forneceram neste certame.
Mediante consulta ao sítio eletrônico "https.www.comprasnet.gov.br"
identificou-se licitações efetuadas por órgãos da Administração
Pública da região norte, efetuadas em período similar à sob tela, em
quantidades similares e a preços consideravelmente inferiores. A
tabela a seguir detalha a situação:
Processo nº 160/2008 – Convite nº 20/2008
Medicamento V. Un. Média das Dif. p/ Dif. %
Pago Cotações un em R$
Dexametasona creme 0,1% R$ 1,06 R$ 0,64 R$ 0,42 64,63
Digoxina 0,25mg R$ 0,08 R$ 0,04 R$ 0,04 100,00
Mebendazol 100mg R$ 0,06 R$ 0,03 R$ 0,02 72,35
Dipirona 500mg frascos de 10ml R$ 0,65 R$ 0,43 R$ 0,22 52,34
Ampicilina 500mg cápsulas R$ 0,25 R$ 0,10 R$ 0,15 141,94
Neomicina 5mg + 250UI/g pomada R$ 2,48 R$ 1,16 R$ 1,32 113,76
Metoclopramida 4mg/ml frascos de 10ml R$ 0,54 R$ 0,35 R$ 0,19 55,77
Eritromicina 250mg comprimidos R$ 0,22 R$ 0,14 R$ 0,08 62,95

Dexametasona: A Prefeitura adquiriu 200 (duzentas) caixas com 100


(cem) bisnagas de 10 (dez) gramas cada de acetato de dexametasona,
tipo creme, 0,1%, sendo que, mediante consulta, se obteve as seguintes
referências:
Cotação 1: O Hospital de Guarnição de São Gabriel da Cachoeira
(Amazonas), por meio do Pregão nº 001/2008, adquiriu 500 (quinhentas)
bisnagas a R$ 0,69 (sessenta centavos) cada.
Cotação 2: O Hospital de Guarnição de Marabá (Pará), mediante o Pregão
nº 004/2007, adquiriu 40 (quarenta) bisnagas a R$ 0,62 (sessenta e
dois centavos) cada.
Cotação 3: A 1ª Brigada de Infantaria de Selva (Roraima), por meio do
Pregão nº 005/2007, adquiriu 2000 (duas mil) bisnagas a R$ 0,62
(sessenta e dois centavos) cada.
Digoxina: A Prefeitura adquiriu 3000 (três mil) comprimidos de
digoxina 0,25 mg, sendo que, mediante consulta, se obteve as seguintes
referências:
Cotação 1: O Hospital de Guarnição de Marabá (Pará), por meio do
Pregão nº 004/2007, adquiriu 100 (cem) comprimidos a R$ 0,04 (quatro
centavos) cada.
Cotação 2: O Hospital Universitário João de Barros Barreto/UFPA -
Belém (Pará), mediante o Pregão nº 053/2006, adquiriu 3500 (três mil e
quinhentos) comprimidos a R$ 0,04 (quatro centavos) cada.
Cotação 3: O Depósito Naval de Manaus (Amazonas), mediante o Pregão nº
055/2007, adquiriu 350 (trezentas e cinquenta) comprimidos a R$ 0,04
(quatro centavos) cada.
Mebendazol: A Prefeitura adquiriu 4000 (quatro mil) comprimidos de
mebendazol 100mg, sendo que, mediante consulta, se obteve as seguintes
referências:
Cotação 1: O Comando de Fronteira de Rondônia/6ºBIS/MEX/RO, por meio
do Pregão nº 003/2008, adquiriu 200 (duzentos) comprimidos a R$ 0,03
(três centavos) cada.
Cotação 2: O Hospital Geral de Belém (Pará), mediante o Pregão nº
006/2007, adquiriu 360 (trezentos e sessenta) comprimidos a R$ 0,03
(três centavos) cada.
Cotação 3: O 7º Batalhão de Engenharia de Construção - MEX/AC (Acre),
mediante o Pregão nº 023/2007, adquiriu 10 (dez) comprimidos a R$ 0,04
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 66
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
(quatro centavos) cada.
Dipirona: A Prefeitura adquiriu 300 (trezentos) frascos de dipirona
500mg, 10ml, sendo que, mediante consulta, se obteve as seguintes
referências:
Cotação 1: O Hospital de Guarnição de São Gabriel da Cachoeira
(Amazonas), por meio do Pregão nº 001/2008, adquiriu 500 (quinhentos)
frascos a R$ 0,53 (cinqüenta e três centavos) cada.
Cotação 2: O Hospital Universitário João de Barros Barreto/UFPA -
Belém (Pará), mediante o Pregão nº 053/2006, adquiriu 2600 (dois mil e
seiscentos) frascos R$ 0,35 (trinta e cinco centavos) cada.
Cotação 3: A 1ª Brigada de Infantaria de Selva (Roraima), por meio do
Pregão nº 005/2007, adquiriu 1200 (mil e duzentos) frascos a R$ 0,40
(quarenta centavos) cada.
Ampicilina: A Prefeitura adquiriu 10.000 (dez mil) comprimidos de
ampicilina 500mg, sendo que, mediante consulta, se obteve as seguintes
referências:
Cotação 1: O Hospital de Guarnição de São Gabriel da Cachoeira
(Amazonas), por meio do Pregão nº 001/2008, adquiriu 3000 (três mil)
comprimidos a R$ 0,11 (onze centavos) cada.
Cotação 2: : O Hospital Geral de Belém (Pará), mediante o Pregão nº
006/2007, adquiriu 480 (quatrocentos e oitenta) comprimidos a R$ 0,11
(onze centavos) cada.
Cotação 3: O Hospital de Guarnição de Marabá (Pará), por meio do
Pregão nº 004/2007, adquiriu 400 (quatrocentos) comprimidos a R$ 0,09
(quatro centavos) cada.
Neomicina: A Prefeitura adquiriu 400 (quatrocentas) pomadas de sulfato
de neomicina 5mg + 250UI/g, tipo pomada, sendo que, mediante consulta,
se obteve as seguintes referências:
Cotação 1: A 1ª Brigada de Infantaria de Selva (Roraima), por meio do
Pregão nº 005/2007, adquiriu 250 (duzentos e cinqüenta) bisnagas a R$
1,34 (um real e trinta e quatro centavos) cada.
Cotação 2: O Depósito Naval de Manaus (Amazonas), mediante o Pregão nº
055/2007, adquiriu 1000 (mil) bisnagas a R$ 0,95 (noventa e cinco
centavos) cada.
Cotação 3: O Hospital de Guarnição de Marabá (Pará), por meio do
Pregão nº 004/2007, adquiriu 200 (duzentas) bisnagas a R$ 1,19 (um
real e dezenove centavos) cada.
Metoclopramida: A Prefeitura adquiriu 100 (cem) frascos de cloridrato
de metoclopramida, 4mg/ml, solução oral, sendo que, mediante consulta,
se obteve as seguintes referências:
Cotação 1: O 7º Batalhão de Engenharia de Construção - MEX/AC (Acre),
mediante o Pregão nº 023/2007, adquiriu 15 (quinze) frascos a R$ 0,39
(trinta e nove centavos) cada.
Cotação 2: O Comando da 16ª Brigada de Infantaria de Selva/MEX/AM, por
meio do Pregão nº 007/2008, adquiriu 300 (trezentos) frascos a R$ 0,29
(vinte e nove centavos) cada.
Cotação 3: : O Hospital Geral de Belém (Pará), mediante o Pregão nº
006/2007, adquiriu 200 (duzentos) frascos a R$ 0,36 (trinta e seis
centavos) cada.
Eritromicina: A Prefeitura adquiriu 5000 (cinco mil) comprimidos de
eritromicina, 250mg, sendo que, mediante consulta, se obteve as
seguintes referências:
Cotação 1: O Depósito Naval de Manaus (Amazonas), mediante o Pregão nº
055/2007, adquiriu 1000 (mil) comprimidos a R$ 0,15 (quinze centavos)
cada.
Cotação 2: : A Fundação Nacional da Saúde de Roraima, mediante o
Pregão nº 003/2008, adquiriu 13.000 (treze mil) comprimidos a R$ 0,12
(doze centavos) cada.
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 67
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
Também foram constatadas divergências de preços no processo nº
472/2007, relativo ao Convite nº 50/2007 (Ata de 05.10.2007), no qual
também se lograram vencedoras as empresas citadas no processo
anterior. A tabela a seguir ilustra as diferenças encontradas:
Processo nº 472/2007 – Convite nº 50/2007
Medicamento V. Un. Média das Dif. p/ Dif. %
Pago Cotações un em R$
Dexametasona creme 0,1% R$ 1,27 R$ 0,62 R$ 0,65 104,84
Dipirona 500mg frascos de 10ml R$ 0,54 R$ 0,38 R$ 0,17 44,00
Mebendazol 100mg R$ 0,06 R$ 0,04 R$ 0,02 65,71
Metoclopramida 4mg/ml frascos de 10ml R$ 0,54 R$ 0,38 R$ 0,17 44,75

Dexametasona: A Prefeitura adquiriu 10 (dez) caixas com 50 (cinqüenta)


bisnagas de 10 (dez) gramas cada de acetato de dexametasona, tipo
creme, 0,1%, sendo que utilizou-se como referência as seguintes
cotações:
Cotação 1: O Hospital de Guarnição de Marabá (Pará), mediante o Pregão
nº 004/2007, adquiriu 40 (quarenta) bisnagas a R$ 0,62 (sessenta e
dois centavos) cada.
Cotação 2: A 1ª Brigada de Infantaria de Selva (Roraima), por meio do
Pregão nº 005/2007, adquiriu 2000 (duas mil) bisnagas a R$ 0,62
(sessenta e dois centavos) cada.
Dipirona: A Prefeitura adquiriu 2000 (dois mil) frascos de dipirona
500mg, 10ml, sendo que utilizou-se como referência as seguintes
cotações:
Cotação 1: O Hospital Universitário João de Barros Barreto/UFPA -
Belém (Pará), mediante o Pregão nº 053/2006, adquiriu 2600 (dois mil e
seiscentos) frascos R$ 0,35 (trinta e cinco centavos) cada.
Cotação 2: A 1ª Brigada de Infantaria de Selva (Roraima), por meio do
Pregão nº 005/2007, adquiriu 1200 (mil e duzentos) frascos a R$ 0,40
(quarenta centavos) cada.
Mebendazol: A Prefeitura adquiriu 2.400 (dois mil e quatrocentos)
comprimidos de mebendazol 100mg, sendo que utilizou-se como referência
as seguintes cotações:
Cotação 1: O Hospital Geral de Belém (Pará), mediante o Pregão nº
006/2007, adquiriu 360 (trezentos e sessenta) comprimidos a R$ 0,03
(três centavos) cada.
Cotação 2: O 7º Batalhão de Engenharia de Construção - MEX/AC (Acre),
mediante o Pregão nº 023/2007, adquiriu 10 (dez) comprimidos a R$ 0,04
(quatro centavos) cada.
Metoclopramida: A Prefeitura adquiriu 1.200 (mil e duzentos) frascos
de cloridrato de metoclopramida, 4mg/ml, solução oral, sendo que
utilizou-se como referência as seguintes cotações:
Cotação 1: O 7º Batalhão de Engenharia de Construção - MEX/AC (Acre),
mediante o Pregão nº 023/2007, adquiriu 15 (quinze) frascos a R$ 0,39
(trinta e nove centavos) cada.
Cotação 2: : O Hospital Geral de Belém (Pará), mediante o Pregão nº
006/2007, adquiriu 200 (duzentos) frascos a R$ 0,36 (trinta e seis
centavos) cada.
As análises supracitadas foram realizadas por meio de amostragem no
que tange aos medicamentos selecionados.
Cabe ressaltar que as licitações citadas acima como referência foram
efetuadas na região norte, em período similar aos realizados pelo
município de Cabixi/RO e, na grande maioria, em quantidades similares
ou ainda menores que as adquiridas pela municipalidade.
Cumpre salientar também que, os processos para aquisição de
medicamentos nº 164/2007 (Convite nº 023/2007) e 186/2007 (Convite nº
186/2007), pagos com recursos da contrapartida estadual do programa,
apresentam preços bem similares aos praticados pela Administração,
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 68
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
restando caracterizado o sobrepreço apenas nas aquisições efetuadas
com os recursos federais.
Desta forma, considerando as quantidades adquiridas, caso a Prefeitura
Municipal de Cabixi/RO tivesse efetuado suas aquisições a preços
similares aos praticados pela Administração Pública, no mesmo período,
teria economizado, aproximadamente, R$ 3.716,92 (três mil setecentos e
dezesseis reais e noventa e dois centavos).

EVIDÊNCIA:
Processos nº 472/2007 e 160/2008; consulta ao sítio eletrônico
"https.www.comprasnet.gov.br".

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4.3 - PROGRAMA
1444
VIGILANCIA, PREVENCAO E CONTROLE DE DOENCAS E AGRAVOS
AÇÃO :
20AL
INCENTIVO FINANCEIRO AOS ESTADOS, DISTRITO FEDERAL E MU
NICIPIOS CERTIFICADOS PARA A VIGILANCIA EM SAUDE - NACI
ONAL
OBJETIVO DA AÇÃO :
Promover ações de notificação, investigação, vigilância ambiental,
controle de doenças, imunizações, sistemas de informação, supervisão,
educação em saúde, comunicação e mobilização social na área de epide-
miologia e controle de doenças.
ORDEM DE SERVIÇO : 218664
OBJETO FISCALIZAÇÃO:
Execução das diversas ações do programa, pactuadas na Programação Pac-
tuada Integrada de Vigilância em Saúde - PPI/VS.
AGENTE EXECUTOR :
PREFEITURA MUNICIPAL DE CABIXI
ORGAO PUBLICO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL
QUALIF. DO INSTRUMENTO DE TRANSF.:
FUNDO A FUNDO OU CONCESSãO
MONTANTE DE RECURSOS FINANCEIROS: R$ 93.521,96

4.3.1 CONSTATAÇÃO:
EXISTÊNCIA DE VÍNCULO ENTRE EMPRESAS COTADAS EM PROCESSO DE DISPENSA
DE LICITAÇÃO

FATO:
Por meio de análise aos processos de aquisição efetuados com recursos
do programa, identificou-se falhas na condução dos processos nº
224/2007, 433/2007 e 379/2008 no que tange à existência de vínculo
entre os participantes.
O processo nº 224/2007 foi realizado visando à aquisição de material
de expediente, mediante dispensa de licitação, para os serviços de
saúde do município. Desta forma, foi efetuada cotação junto a 3 (três)
empresas, das quais 2 (duas) forneceram para a Administração
Municipal.
A empresa de CNPJ nº 05.741.277/0001-99 forneceu R$ 159,03 (cento e
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 69
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
cinqüenta e nove reais) e a empresa de CNPJ nº 02.251.365/0001-14, R$
667,88 (seiscentos e sessenta e sete reais e oitenta e oito centavos)
em materiais.
Dentre estas, constatou-se haver vínculo, conforme consulta aos
documentos das empresas e aos sistemas CPF e CNPJ evidenciou:
Empresa 1: 02.251.365/0001-14
Sócia da empresa 1: 584.364.802-87
Empresa 2: 05.741.277/0001-99
Procuradora da empresa 2: 315.595.812-04
O sistema CPF comprovou que a sócia da empresa 1 é filha da
procuradora da empresa 2.
Já, no processo nº 433/2007, evidenciou-se a realização de outra
dispensa de licitação, também para aquisição de material de
expediente. Neste caso, foram cotadas 3 (três) empresas, sendo duas
destas as mesmas citadas anteriormente (CNPJ nº 02.251.365/0001-14 e
05.741.277/0001-99), as quais já mostraram evidências de vínculo. A
empresa contratada a fornecer nesta aquisição foi a de CNPJ nº
02.251.365/0001-14, no valor de R$ 1.464,05 (mil quatrocentos e
sessenta e quatro reais e cinco centavos).
Cabe salientar que a outra empresa convidada, a de CNPJ nº
04.551.821/0001-77, não foi encontrada no endereço constante em seu
carimbo e no sistema CNPJ. As fotos nº 1 e 2 constantes na evidência
desta constatação ilustram a situação.
Também se identificou falhas no tocante ao processo nº 379/2008, cujo
objeto foi a aquisição de equipamentos de informática mediante
contratação direta.
Foram cotadas as empresas de CNPJ nº 05.011.908/0001-14, empresa 1,
04.371.790/0001-72, empresa 2 e 08.942.169/0001-72, empresa 3, sendo
que foram identificadas inconsistências nos dados relativos a estas
empresas.
A empresa contratada foi a nº 3, a qual recebeu R$ 1.910,00 (mil
novecentos e dez reais) pelos equipamentos fornecidos.
Foram efetuadas consulta ao sistema CNPJ, visitas aos endereços das
empresas e ligações telefônicas, sendo que se identificou os seguintes
fatos:
A empresa 1 apresenta, em sua fachada, o mesmo telefone que a empresa
3 apresenta em seu cadastro no sistema CNPJ.
Quando realizado contato telefônico com empresa 3, o atendente se
apresentou como se pertencesse à empresa 1.
A empresa 3 não foi encontrada no endereço constante de seu carimbo.
As fotos nº 3 e 4 constantes na evidência desta constatação ilustram a
situação.
Os fatos supracitados configuram falhas na condução dos processos,
comprometendo a competitividade e a busca pela melhor proposta para a
Administração.
Tendo em vista o vínculo entre as empresas cotadas, também resta
prejudicado o cumprimento ao que determina o Acórdão 1584/2005 -
Segunda Câmara, conforme transcrição a seguir:
"TCU - Acórdão 1584/2005 - Segunda Câmara
...
Determinações:
...
36.1. Ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional para:
36.1.1. proceder, quando da realização de licitação ou dispensa, à
consulta de preços correntes no mercado ou fixados por órgão oficial
competente ou, ainda, constantes do sistema de registro de preços, em
cumprimento ao disposto no art. 43, inc. IV, e no art. 26, parágrafo
único, inc. III, da Lei 8.666/93, consubstanciando-a em, pelo menos,
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 70
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
três orçamentos de fornecedores distintos, os quais devem ser anexados
aos processos de contratação."

EVIDÊNCIA:
Análise dos processos nº. 224/2007, 433/2007 e 379/2008, consulta aos
sistemas CNPJ e CPF e inspeção física junto às empresas cotadas e
fotos nº 1, 2,3 e 4 a seguir:

Foto 1: Instalação rústica. Foto 2: Imóvel existente no


mesmo endereço da empresa.

Foto 3: Empresa 1 apresenta o Foto 4: Ausência da empresa 3 no


mesmo telefone da empresa 3. endereço informado.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4.3.2 CONSTATAÇÃO:
PAGAMENTOS DE MULTAS E JUROS DE MORA COM RECURSOS DO PROGRAMA

FATO:
Constatou-se, dentre as despesas efetuadas com recursos do programa
Epidemiologia e Controle de Doenças - ECD, o pagamento de juros de
mora e multas referentes a faturas de água e a taxas pagas ao
DETRAN/RO.
O processo nº 109/2008 trata do pagamento das faturas de água à
Companhia de Águas e Esgotos de Rondônia - CAERD, referente aos meses
de dezembro de 2007 a junho de 2008. Constatou-se o pagamento de
multas e juros de mora nas faturas dos meses de dezembro de 2007 e
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 71
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
março a junho de 2008.
Já, no processo nº 176/2008, identificou-se o pagamento de taxas ao
DETRAN/RO, relativas aos veículos utilizados para as ações de combate
a endemias. Constatou-se o pagamento de multas e juros de mora
referentes aos veículos: moto NKH9462; caminhonete JFQ9465; e veículo
NCS5720. Tais valores foram originados por atrasos no licenciamento
dos veículos.
A tabela a seguir ilustra a situação:
Processo Objeto Multas Juros Total
109/2008 CAERD R$ 34,79 R$ 13,99 R$ 48,78
176/2008 DETRAN/RO R$ 244,09 R$ 8,42 R$ 252,51
Total R$ 278,88 R$ 22,41 R$ 301,29

Não obstante o pagamento das despesas supracitadas ter baixa


materialidade (R$ 301,29), resta configurada a falta de planejamento
no pagamento das despesas da Secretaria Municipal de Saúde, o que
permitiu que faturas e taxas obrigatórias fossem pagas com atraso.

EVIDÊNCIA:
Análise dos processos nº. 109/2008 e 176/2008.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4.3.3 CONSTATAÇÃO:
MÓVEIS ADQUIRIDOS COM RECURSOS DO PROGRAMA NÃO UTILIZADOS NAS
INSTALAÇÕES DA ECD

FATO:
Mediante verificação realizada junto às unidades de saúde do
município, averiguou-se que as ações de epidemiologia e controle de
doenças são executadas no Posto de Saúde São Francisco. Todavia,
constatou-se que itens adquiridos com recursos do programa estavam
instalados na Secretaria Municipal de Saúde do município.
O processo nº 349/2007 foi realizado para a aquisição de móveis para
escritório, tendo sido realizada uma dispensa de licitação, mediante a
qual foi contratada a empresa de CNPJ nº 03.098.041/0001-50, a um
custo de R$ 2.314,00 (dois mil trezentos e quatorze reais). Por meio
de inspeção física efetuada junto à Secretaria supra mencionada,
verificou-se que os bens, os quais incluíam mesas, suportes para
computador, gaveteiros e cadeiras, estavam instalados nesta ao invés
do Posto de Saúde onde funciona o programa ECD. As fotos nº 1 e 2
constantes na evidência desta constatação ilustram a falha.
Desta forma, resta configurada a falha na gestão do programa, pois as
aquisições efetuadas com recursos do ECD devem visar o aparelhamento
das unidades envolvidas nas ações de epidemiologia e vigilância em
saúde, como é o caso do Posto onde está funcionando a FUNASA, o qual,
conforme a foto nº 3 constante da evidência desta constatação, carece
de infra-estrutura mais apropriada para o desenvolvimento dos
objetivos do programa.

EVIDÊNCIA:
Análise dos processos nº. 349/2007 e fotos nº 1, 2 e 3 a seguir:

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 72


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
Foto 1: Suporte para Foto 2: Cadeiras instaladas na
computador. Secretaria Municipal de Saúde.

Foto 3: Instalações do ECD.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4.3.4 CONSTATAÇÃO:
IMPROPRIEDADES EM PROCESSOS DE DISPENSA RELATIVOS À EFETIVIDADE DAS
COTAÇÕES

FATO:
Mediante análise dos processos de aquisição efetuados mediante compra
direta com recursos do programa, constatou-se fragilidades no que
tange às cotações realizadas e a conseqüente competitividade
conferida.
No processo nº 276/2007, visando à aquisição de peças de vestuário
para os servidores envolvidos nas ações de combate às endemias, foram
efetuadas cotações junto a 4 (quatro) fornecedores, todavia, não foram
apresentadas) mais do que 2 (duas) propostas de preços para cada item,
conforme tabela a seguir ilustra:
Nº Item Empresas que Empresa Contratada
cotaram
1 Bolsa de lona 04.104.754/0001-42 04.104.754/0001-42
2 Butina 05.754.692/0001-87 05.754.692/0001-87
3 Calça Jeans 06.148.387/0001-04 06.148.387/0001-04
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 73
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
Nº Item Empresas que Empresa Contratada
cotaram
84.556.935/0001-49
4 Camisetas 06.148.387/0001-04 06.148.387/0001-04
masculinas gola
Pólo (Tam. M)
5 Camisetas 06.148.387/0001-04 06.148.387/0001-04
masculinas gola
Pólo (Tam. G)
6 Camisetas 06.148.387/0001-04 06.148.387/0001-04
masculinas gola
Pólo (Tam. GG)
7 Camisetas femininas 06.148.387/0001-04 06.148.387/0001-04
gola Pólo (Tam. M)

Consoante a tabela anterior mostra, a maioria dos itens teve apenas


uma proposta de preço, cabendo destacar que foram gastos R$ 1.733,48
(mil, setecentos e trinta e três reais e quarenta e oito centavos)
nesta compra.
Já no processo nº 180/2008, outra compra direta por dispensa de
licitação, evidencia-se a aquisição de três gêneros de produtos
distintos: material de expediente; gêneros alimentícios; e material de
limpeza. Neste caso, também foram efetuadas cotações junto a 4
(quatro) empresas, contudo, para a grande maioria dos produtos, não
foram apresentadas mais do que 2 (duas) propostas.
Para os materiais de expediente, dos 25 (vinte e cinco) itens
adquiridos, apenas 5 (cinco) obtiveram 3 (três) orçamentos distintos,
sendo que um item não recebeu proposta e, para os gêneros alimentícios
e materiais de limpeza, os quais totalizaram 26 (vinte e seis) itens,
foram conseguidos apenas 2 (dois) orçamentos para todos os itens. A
tabela a seguir detalha melhor o fato:
Tipo de Produto Total Qtde de itens Qtde de itens
de com 2 orçamentos com apenas 1
Itens orçamento
Material de Expediente 25 2 18
Gêneros Alimentícios e 26 26 0
Material de Limpeza

Cumpre destacar que, mediante consulta ao sistema CNPJ, identificou-se


a área de atuação das empresas cotadas, as quais são: 05.303.495/0001-
41 (Supermercado do Município de Cabixi/RO); 02.251.365/0001-14
(Gráfica do Município de Colorado do Oeste/RO); 08.942.169/0001-72
(Loja de suprimentos de informática do Município de Colorado do
Oeste/RO); e 03.591.303/0001-14 (Supermercado do Município de
Cabixi/RO).
Ressalta-se também que não se encontrou a empresa de CNPJ nº
08.942.169/0001-72 no endereço constante do seu carimbo.
Desta forma, conforme as evidências citadas comprovam, a seleção de
fornecedores sem considerar à relação entre o objeto pretendido e a
área de atuação das empresas cotadas, prejudicou a efetividade do
procedimento no que tange ao número de cotações válidas.
Cabe salientar que o Tribunal de Contas da União emitiu manifestação
sobre o assunto, conforme transcrição a seguir:
"TCU - Acórdão 1584/2005 - Segunda Câmara
...
Determinações:
...
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 74
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
36.1. Ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional para:
36.1.1. proceder, quando da realização de licitação ou dispensa, à
consulta de preços correntes no mercado ou fixados por órgão oficial
competente ou, ainda, constantes do sistema de registro de preços, em
cumprimento ao disposto no art. 43, inc. IV, e no art. 26, parágrafo
único, inc. III, da Lei 8.666/93, consubstanciando-a em, pelo menos,
três orçamentos de fornecedores distintos, os quais devem ser anexados
aos processos de contratação."

EVIDÊNCIA:
Análise dos processos nº. 276/2007 e 180/2008.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

4.3.5 CONSTATAÇÃO:
OBJETO RECEBIDO DIVERGENTE DO INFORMADO NA NOTA FISCAL.

FATO:
Por meio de análise ao processo nº 379/2008, identificou-se falhas no
que tange ao recebimento do objeto.
O processo tratou de uma dispensa de licitação para a aquisição de um
micro-computador e um no-break para o escritório da FUNASA. Consoante
as cotações das empresas comprovam, todas estas ofertaram máquinas com
processadores de 1.8 Ghz, inclusive a proposta da empresa contratada.
Conforme nota fiscal nº 197, emitida em 15.09.208 pela empresa de CNPJ
nº 08.942.169/0001-72, foi adquirido um equipamento com processador de
1.8 Ghz, todavia, mediante inspeção física, esta equipe constatou que
o processador instalado possuía apenas 1.6 Ghz.
Resta caracterizada impropriedade no recebimento do equipamento, o que
resultou no aceite de item que não conferia com o informado. Desta
forma, não obstante a baixa materialidade resultante da divergência
apontada, cumpre à Administração Municipal atentar para o procedimento
de recebimento, evitando falhas que possam trazer prejuízos maiores ao
município.

EVIDÊNCIA:
Análise do processo nº. 379/2008.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

5 - 41000 MINISTERIO DAS COMUNICACOES

5.1 - PROGRAMA
1008
INCLUSAO DIGITAL
AÇÃO :
11T7
IMPLANTACAO DE TELECENTROS PARA ACESSO A SERVICOS PUBLI
COS - NACIONAL
OBJETIVO DA AÇÃO :
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 75
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
Inclusão Digital.
- Implantação de instalações para Acesso a Serviços Públicos.
ORDEM DE SERVIÇO : 219714
OBJETO FISCALIZAÇÃO:
OBJETO FISCALIZADO:
1. Telecentros Instalados (ou não) abrangendo:
a) Inspeção do espaço físico (dimensões mínimas, infra-estrutura, segu
rança, acessibilidade, água potável, telefone e condições ambientais);
b) Inspeção do mobiliário;
c) Inspeção dos acessórios;
d) Inspeção dos equipamentos de informática;
e) Inspeção das instalações elétricas;
f) Verificação da existência de Conselho Gestor;
g) Inspeção da conectividade;
h) Inspeção das atividades desenvolvidas nos Telecentros.
AGENTE EXECUTOR :
PID
ADMINISTRACAO DIRETA
MONTANTE DE RECURSOS FINANCEIROS: Não se aplica

5.1.1 CONSTATAÇÃO:
TELECENTRO NÃO SE ENCONTRA EM FUNCIONAMENTO: AS INSTALAÇÕES CARECEM DE
ADEQUAÇÕES PARA O ATENDIMENTO ÀS RECOMENDAÇÕES DO MINISTÉRIO DAS
COMUNICAÇÕES

FATO:
A implantação de Telecentros Comunitários é uma ação do programa
Inclusão Digital, patrocinada pelo Ministério das Comunicações, em
parceria com as prefeituras, que tem por finalidade promover a
inclusão digital e social das populações atendidas (fonte: MPOG).
No caso da prefeitura de Cabixi, o Ministério repassou um conjunto de
equipamentos e mobiliários, denominado KIT TELECENTRO, contendo:
1 - Equipamentos de Informática: 1 (um) servidor de telecentro; 10
(dez) estações de trabalho; 11 (onze) estabilizadores; 1 (um) roteador
wireless; 1 (uma) impressora a laser; 1 (uma) câmera de monitoramento
remoto.
2 - Equipamento Audiovisual: 1 (um) projetor de multimídia.
3 - Mobiliários: 21 (vinte e uma) cadeiras; 1 (uma) mesa do professor;
1 (um) armário baixo; 11 (onze) mesas para computador; 1 (uma) mesa
para impressora.
O Termo de Doação com Encargos, celebrado entre o Ministério das
Comunicações e a Prefeitura de Cabixi deu-se em 26 de março de 2008,
conforme registro do Tabelionato Figueiredo de Vilhena aposto neste
documento.
Esse Termo fixa o prazo de 30 (trinta) dias, contados do recebimento
do material, para a Prefeitura providenciasse a instalação dos
equipamentos (itens 2.2 e 4.1), sob pena de ter que ressarcir o
doador.
O Termo de Recebimento, assinado pela Secretária de Educação,
encontra-se com data de 02 de agosto de 2008. Somente em 15 de outubro
do corrente ano, portanto mais de dois meses depois, a Prefeitura
lavrou o Termo de Aceitação, comunicando ao Ministério supervisor a
instalação das máquinas.
Os equipamentos foram, então, instalados na Avenida Tamoios, n.º 4.183
- centro, numa edificação pertencente ao chefe do Poder Executivo de
Cabixi, que lavrou um Termo de Cedência em 30/05/2008, garantindo a
gratuidade da ocupação até o final do corrente ano. Entretanto, o
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 76
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
Telecentro ainda não foi aberto à comunidade porque as instalações
estão sendo reformadas.
A citada cessão, vale dizer, não constitui objeto de exame por parte
da CGU-R/RO, tendo em vista que a responsabilidade pelas instalações
estão afetas à Prefeitura, mediante a utilização de recursos próprios.
Não obstante, o Ministério faz exigências mínimas de padronização
dessas instalações e, nesse sentido, a equipe de fiscalização observou
a necessidade das adequações comentadas a seguir (item 2.2):
a) Segurança: Portas e janelas são de vidros e não possuem grades de
aço externas, providência considerada necessária pelo ministério
gestor do Programa, com o objetivo de aumentar a segurança contra
roubos e furtos;
b) Acessibilidade: A entrada principal possui uma rampa para facilitar
o acesso de portadores de necessidades especiais; contudo, os dois
sanitários (ainda em obras) não estão adaptados para receber pessoas
com esse tipo de necessidade (porta larga, espaço interno suficiente
para manobrar uma cadeira de rodas e barras de apoio nas paredes
internas próximas aos vasos, por exemplos);
c) Água potável e telefone: São condições ambientais consideradas
necessárias dentro do Programa Inclusão Digital para o funcionamento
dos Telecentros. Não há, pelo menos por enquanto, o atendimento de
tais exigências.
Diante do exposto, cabe ao gestor adotar providências para colocar o
Tecentro de Cabixi em funcionamento.

EVIDÊNCIA:
Fotografias e entrevistas (Secretária da Educação e coordenador do
Telecentro).

Porta lateral sem grades de segurança. Instalações em reforma; porta principal sem
grades.

Computadores desligados. Banheiro sem adaptação para deficientes.

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 77


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:
Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

5.1.2 CONSTATAÇÃO:
PREFEITURA NÃO CONSTITUIU O CONSELHO GESTOR.

FATO:
As regras do Programa Inclusão Digital estabelecem que cabe ao
município beneficiário de um telecentro instituir um Conselho Gestor
"(...) para assegurar que a política pública implementada pelo
convênio celebrado entre as parte contribua, efetivamente, à inclusão
digital de qualidade no município." (Ministério das Comunicações).
Em Cabixi, conforme informações prestadas pela Secretaria Municipal de
Educação, até o momento não ocorreu a criação desse Conselho. Cabe, de
forma específica, ao Conselho, a deliberação sobre questões como:
normas técnicas, horário e dias de funcionamento, uso do espaço do
Telecentro, proceder ao controle social, bem como identificar as
necessidades de informação e comunicação da comunidade e designar
instrutores monitores, dentre outras deliberações.
Portanto, para que o Programa funcione com o desenho formulado pelo
Ministério, torna-se imprescindível que a Prefeitura de Cabixi promova
a criação e instalação desse Conselho. Para tanto, consta do sítio do
Ministério das Comunicações, na página da Inclusão Digital, um modelo
de projeto de lei que pode ser utilizado pelo município.

EVIDÊNCIA:
Entrevista com a Secretária de Educação de Cabixi.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

5.1.3 CONSTATAÇÃO:
PREFEITURA NÃO CAPACITOU INSTRUTORES E MONITORES.

FATO:
O Termo de Doação com Encargos firmado entre o Ministério das
Comunicações e a Prefeitura de Cabixi dispõe, dentre outras
obrigações, que ao município donatário compete (item 2.2):
(...)
g) selecionar e disponibilizar, no mínimo, dois assistentes/monitores
para prestar atendimento no Telecentro Comunitário, com perfil
profissional definido pelo Ministério das Comunicações;
h) designar um coordenador, que será responsável pela administração do
Telecentro Comunitário, recepção e encaminhamento dos usuários.
A equipe realizou inspeção no Telecentro e constatou que há apenas um
técnico designado para cuidar desse assunto. A própria Secretaria de
Educação local confirmou que somente uma pessoa está contratada para
trabalhar no Telecentro.
O quantitativo de profissionais exigido pelo Ministério se justifica
pela gama de atividades que deverão ser desenvolvidas no Telecentro,
conforme indicam as normas do Programa de Inclusão Digital. São
exemplos dessas atividades:
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 78
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
ØCursos de informática básica;
ØCurso de navegação básica;
ØRealização de oficinas de capacitação e oficinas diversas que
possam utilizar as TIC's disponíveis no Telecentro;
ØRealização de atividades sócio-culturais para mobilização social
e/ou divulgação do conhecimento;
ØOficinas de alfabetização digital.
Em outras palavras, a existência de apenas um técnico para atuar no
Telecentro não será suficiente para cobrir todas essas atividades.

EVIDÊNCIA:
Entrevista com a Secretária de Educação de Cabixi.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

5.2 - PROGRAMA
1157
OFERTA DOS SERVICOS DE TELECOMUNICACOES
AÇÃO :
2424
FISCALIZACAO EM TELECOMUNICACOES - NACIONAL
OBJETIVO DA AÇÃO :
Detalhamento, definição, preparação e execução do Plano de Ação da Fis
calização. Atendimento das solicitações recebidas de outros processos,
por meio de ações de fiscalização, de averiguação e de auditoria de p
rocessos das prestadoras, adotando os desdobramentos pertinentes.
ORDEM DE SERVIÇO : 219422
OBJETO FISCALIZAÇÃO:
Realizar atividades de fiscalização para o controle das obrigações leg
ais e contratuais, da conformidade dos produtos de telecomunicações, d
os bens reversíveis, do uso dos recursos escassos, da arrecadação das
receitas, da universalização e da qualidade dos serviços prestados ana
lisando informações, apurando indícios de descumprimento de obrigações
e aplicando sanções quando necessário.
AGENTE EXECUTOR :
ANATEL
AUTARQUIA
MONTANTE DE RECURSOS FINANCEIROS: Não se aplica

5.2.1 CONSTATAÇÃO:
Posto de Atendimento Telefônico não Localizado em Cabixi

FATO:
A EQUIPE DE FISCALIZAçãO NãO LOCALIZOU, EM CABIXI,
POSTO DE ATENDIMENTO DA COMPANHIA TELEFôNICA QUE A
TENDE NO ESTADO DE RONDôNIA. INFORMAçõES LEVANTADA
S JUNTO à COMUNIDADE CONFIRMAM QUE NãO Há ESSA PRE
STAçãO DE SERVIçOS NO MUNICíPIO FISCALIZADO.

EVIDÊNCIA:
Não há registro de evidências. A equipe andou pela cidade e conversou
com moradores a fim de se certificar da não existência do posto.

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 79


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:
Não se aplica.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

6 - 49000 MINISTERIO DO DESENVOLVIMENTO AGRARIO

6.1 - PROGRAMA
1334
DESENVOLVIMENTO SUSTENTAVEL DE TERRITORIOS RURAIS
AÇÃO :
0620
Apoio a Projetos de Infra-Estrutura e Servicos em Terri
torios Rurais em Municipios - Estado de Rondonia
OBJETIVO DA AÇÃO :
Viabilizar, priorizando a articulação com programas e políticas públi-
cas, investimentos na implantação, ampliação e modernização de infra-
estrutura e serviços necessários à dinamização econômica dos territóri
os rurais, ao fortalecimento da gestão social de seu processo de desen
volvimento e de redes sociais de cooperação e à melhoria da qualidade
de vida dos agricultores familiares.
ORDEM DE SERVIÇO : 219547
OBJETO FISCALIZAÇÃO:
Apoio a projetos territoriais para implementação e expansão dos inves-
timentos em obras de infra-estrutura que beneficiem coletivamente os a
agricultorese familiares, tais como construção ou ampliação de unidade
de beneficiamento e armazenagem, estruturas de comercialização, cons-
trução e recuperação de centros de treinamentos, centros comunitários,
apoio na estruturação de cooperativas de crédito e de produção da agri
cultura familiar, assistência técnica, etc.O MDA transfere aos Agentes
Operadores (CEF ou BNB) os recursos necessários ao cumprimento das
obrigações assumidas, decorrentes da formalização dos contratos de re-
passe, individualmente com cada município, com os governos estaduais
ou outras institucionalidades definidas na LDO.
AGENTE EXECUTOR :
PREFEITURA MUNICIPAL DE CABIXI
ORGAO PUBLICO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL
QUALIF. DO INSTRUMENTO DE TRANSF.:
CONTRATO DE REPASSE
MONTANTE DE RECURSOS FINANCEIROS: R$ 100.000,00

6.1.1 CONSTATAÇÃO:
Desvio de Finalidade: Prefeitura Utiliza Carreta do Convênio.

FATO:
Trata-se do convênio 186.564-39/2005 entre o Ministério do
Desenvolvimento Agrário e a Prefeitura de Cabixi para a aquisição de
implementos agrícolas novos, com vistas à distribuição a Associação ou
Grupo de produtores rurais.
Nas inspeções realizadas pela equipe de fiscalização, ficou constatado
que a carreta de tombamento n.º 2229 está sendo utilizada pela
Secretaria de Obras da Prefeitura na limpeza da cidade, constituindo-
se em desvio de finalidade.
Conforme entendimento do Tribunal de Contas da União, explicitado no
Acórdão 3865-43/07-01, a aplicação de recursos de convênios deve ser
efetuada nas áreas e objetos específicos. Assim:
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 80
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
"O convênio destinava-se a atender necessidades da área de saúde, o
que deve ser interpretado restritivamente. Admitir interpretação
extensiva a esse respeito importaria a descaracterização dos
instrumentos de convênio, de forma que, qualquer avença poderia servir
s aquisições de qualquer natureza, o que é inadmissível. Houve, sim,ao
contrário do que alega o responsável, o desvio de finalidade no uso
dos recursos federais que lhe foram confiados". (AC-3865-43/07-1)

EVIDÊNCIA:
Fotos que encontram-se anexas, que demostram o estado da
carreta agrícola, bem como realizando trabalhos ao lado da prefeitura.

Foto 1: Visão frontal da carreta encontrada Foto 2: Visão traseira da carreta encontrada
na prefeitura. na prefeitura.

Foto 3: Visão lateral da carreta encontrada Foto 4: Carreta estacionada ao lado da


na prefeitura. prefeitura.

Foto 5: Carreta estacionada ao lado da Foto 6: Carreta encontrada na Associação


prefeitura. ASCRIPOFOL
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 81
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
Foto 7: Carreta encontrada na Associação
ASBELO.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

6.1.2 CONSTATAÇÃO:
Recebimento de carretas agrícolas com pneus recauchutados.

FATO:
Trata-se do convênio 186.564-39/2005 entre o PRONAT e a prefeitura
de Cabixi, que tem como objeto a aquisição de implementos agrícolas
novos.
Para aquisição desses equipamentos foram realizadas duas licitações,
sendo uma tomada de preço (003/2006) e um pregão (001/2007). Durante a
fiscalização para verificar a existência e a aplicação dada aos
equipamentos, adquiridos observou-se o mal estado dos pneus dos
bens de tombamentos 2226, 2227, 2228 e 2229.
Entrevistas realizadas com servidores da Prefeitura indicam que as
carretas foram entregues pela empresa CNPJ 04.779.617/0001-08 com
pneus recauchutados.

EVIDÊNCIA:
Fotos.

Foto 1: Pneu da carreta que se encontra na Foto 2: Pneu da carreta que se encontra na
responsabilidade da prefeitura responsabilidade da prefeitura.

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 82


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
Foto 3: Carreta encontrada na Associação Foto 4: Carreta encontrada na Associação
ASPRONOVE. ASBELO.

Foto 5: Carreta encontrada na Associação


ASCRIPOFOL

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

7 - 51000 MINISTERIO DO ESPORTE

7.1 - PROGRAMA
1250
ESPORTE E LAZER NA CIDADE
AÇÃO :
5450
IMPLANTACAO E MODERNIZACAO DE INFRA-ESTRUTURA PARA ESPO
RTE RECREATIVO E DE LAZER - NACIONAL (CREDITO EXTRAORDI
NAR
OBJETIVO DA AÇÃO :
Implantação de infra-estrutura esportiva em localidades que tenham com
o característica serem áreas residenciais de famílias de baixa renda.
ORDEM DE SERVIÇO : 219357
OBJETO FISCALIZAÇÃO:
Construção de arquibancada coberta e iluminação do campo suíço.
AGENTE EXECUTOR :
PREFEITURA MUNICIPAL DE CABIXI
ORGAO PUBLICO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 83
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
QUALIF. DO INSTRUMENTO DE TRANSF.:
CONTRATO DE REPASSE
MONTANTE DE RECURSOS FINANCEIROS: R$ 60.000,00

7.1.1 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE COMPROVAÇÃO DA ANOTAÇÃO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA
REFERENTE À EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA.

FATO:
O total dos recursos federais oriundos do Contrato de Repasse no
244499-67/2007, cujo objeto é a construção de arquibancada coberta e
iluminação de campo de futebol suíço com alambrado, no valor de R
$ 60.000,00 (sessenta mil reais), foi usado na contratação de
diversas empresas para fornecer materiais e equipamentos a serem
utilizados na referida implantação.
Assim, resta evidenciado que não houve contratação de empresa
especializada para execução dos serviços de instalação da mencionada
rede de iluminação pública com recursos federais.
Todavia, este fato não exime a Prefeitura de apresentar documentação
que comprove que a execução dos serviços, mesmo que realizados pela
administração municipal por seus próprios meios, foram realizados
dentro dos padrões técnicos exigidos pela legislação em vigor.
A exigência de tal comprovação se fundamenta no ônus legal que suporta
o convenente de oferecer ao Governo Federal as garantias necessárias
e suficientes de que o objeto do convênio foi executado de
forma tecnicamente adequada à sua natureza, garantindo, assim, a
certeza da qualidade e durabilidade.
Ademais, o conhecimento sobre os responsáveis pela execução da
obra, é importante para que o Concedente identifique e possa cobrar
dos responsáveis, eventuais danos ocorridos ao objeto durante a
execução, ou ainda, por causa da existência da responsabilidade civil
do executor, de acordo com o código civil em vigor.
Vale registrar que serviços de instalação de iluminação do campo suíço
e de instalação de subestação abaixadora de tensão exigem capacidade
técnica dos executores, inclusive com registro no CREA local, assim,
necessário se faz que a Prefeitura forneça a Anotação de
Responsabilidade Técnica de execução dos serviços, as quais não
foram localizadas no referido processo.
Em face de todo o exposto, concluí-se que a Prefeitura deixou de
apresentar, juntamente com os demais documentos do convênio
apresentados, aqueles relativos à execução dos serviços de engenharia
ora em análise.

EVIDÊNCIA:
Ausência de documentação comprobatória nos processos disponibilizados.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

7.1.2 CONSTATAÇÃO:
INÍCIO DA EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS SEM APROVAÇÃO DA CAIXA E ATESTO DO
RECEBIMENTO DOS MATERIAIS PELA PREFEITURA SEM O EFETIVO FORNECIMENTO
DOS MATERIAIS.

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 84


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
FATO:
De acordo com a Cláusula Quinta do Contrato de Repasse no
244.499/2007, o Contratado, a Prefeitura de Cabixi, deve aguardar a
autorização escrita da CONTRATANTE para início das obras ou serviços.
Todavia, em vistoria realizada no local previsto para a execução da
obras, em 10 de novembro de 2008, verificamos que os serviços já se
encontravam em andamento, conforme pode se atestar nas fotos
apresentadas na seção de evidências deste relatório, sem no entanto,
constar dos autos do referido ajuste autorização, expedida pela CAIXA,
para início das obras.
Da análise do Processo no 310/2008, referente à contratação dos
materiais a serem utilizados na realização do objeto do Contrato de
Repasse ora em análise, verificamos a existência das notas fiscais
listadas na tabela, a seguir, com atesto de recebimento de materiais.
Todavia, não foram identificados no local da obra nem no almoxarifado
da Prefeitura os materiais constantes das referidas notas, em especial
o transformador de 45 kVA a ser utilizado na Subestação do complexo
esportivo.

CNPJ Empresa No Nota Fiscal


03.153.674/0001-14 013170
03.153.674/0001-14 031171
03.153.674/0001-14 013172
03.153.674/0001-14 013173
03.153.674/0001-14 031373
Tabela 05

O atesto de notas fiscais sem o efetivo recebimento dos materiais


descritos contraria dispositivos constantes da Lei no 4320/64 no que
se refere à fase de liquidação da despesa, conforme dispositivos da
precitada Lei transcritos a seguir:
"Art. 62 - O pagamento da despesa só será efetuado quando ordenado
após sua regular liquidação.
Art. 63 - A liquidação da despesa consiste na verificação do direito
adquirido pelo credor tendo por base os títulos e documentos
comprobatórios do respectivo crédito.
§ 1º - Essa verificação tem por fim apurar:
I - a origem e o objeto do que se deve pagar;
II - a importância exata a pagar;
III - a quem se deve pagar a importância, para extinguir a obrigação.
§ 2º - A liquidação da despesa por fornecimentos feitos ou serviços
prestados terá por base:
I - o contrato, ajuste ou acordo respectivo;
II - a nota de empenho;
III - os comprovantes da entrega de material ou da prestação efetiva
do serviço."
Dessa forma, verificamos descumprimento dos termos do Contrato de
Repasse ora analisado pela Prefeitura Municipal de Cabixi-RO, bem como
de dispositivos da Lei n.º 4320/64.

EVIDÊNCIA:
Fotos retiradas do local:

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 85


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
Foto 04 Foto 05

Foto 06

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

7.1.3 CONSTATAÇÃO:
DEFICIÊNCIAS NA EXECUÇÃO DOS SERVIÇOS

FATO:
Em vistoria realizada ao local designado pelo Plano de Trabalho do
Contrato de Repasse para realização da obra, verificamos que os
serviços já realizados, em detrimento da necessidade de se aguardar a
autorização da CAIXA, apresentavam baixa qualidade na sua execução,
conforme pode-se verificar das fotos tiradas do local.
Entre os problemas identificados, verificamos a existência de fiação
exposta, sem a utilização de eletrodutos em PVC em um dos postes da
iluminação; instalação de disjuntores em caixa com inadequado nível de
proteção à umidade ou sem nenhuma proteção; instalação de comando de
iluminação individual em cada poste, em vez de um único local de
comando, conforme previsto no projeto básico e instalação de apenas
duas lâmpadas de vapor de mercúrio por poste, em vez de três, conforme
previsto no projeto básico.
A qualidade dos serviços executados estão registradas nas fotos 05, 06
e 07, constantes do campo evidência desta constatação.
Em face do exposto, concluí-se que os serviços já executados não estão
compatíveis com os padrões técnicos de qualidade e segurança
aceitáveis, bem como não estão de acordo com o previsto nos projetos
básicos inerentes à contratação ora analisada.
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 86
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
EVIDÊNCIA:
Fotos a seguir apresentadas e o projeto básico.

Foto 07 Foto 08

Foto 09

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

8 - 53000 MINISTERIO DA INTEGRACAO NACIONAL

8.1 - PROGRAMA
0120
DESENVOLVIMENTO DA FAIXA DE FRONTEIRA
AÇÃO :
004D
APOIO A IMPLANTACAO DA INFRA-ESTRUTURA SOCIAL E ECONOMI
CA NOS MUNICIPIOS DA FAIXA DE FRONTEIRA - IMPLANTACAO D
A INFRA-ESTRUTURA
OBJETIVO DA AÇÃO :
Apoio a Implantacao da Infra-Estrutura Social e Economica nos Municipi
ios da Faixa de Fronteira
ORDEM DE SERVIÇO : 218502
OBJETO FISCALIZAÇÃO:
Iluminação pública no perímetro urbano de Cabixi, nas avenidas Tamois
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 87
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
e Tupinambás.
AGENTE EXECUTOR :
PREFEITURA MUNICIPAL DE CABIXI
ORGAO PUBLICO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL
QUALIF. DO INSTRUMENTO DE TRANSF.:
CONVÊNIO SIAFI 521608
MONTANTE DE RECURSOS FINANCEIROS: R$ 140.000,00

8.1.1 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE COMPROVAÇÃO DE REALIZAÇÃO DE COMUNICAÇÃO À CÂMARA
MUNICIPAL, PARTIDOS POLÍTICOS E OUTRAS ENTIDADES SOBRE O RECEBIMENTO
DE
RECURSOS FEDERAIS

FATO:
Com o intuito de se certificar se a Prefeitura de Cabixi- RO cumpriu
com a determinação contida no artigo 2.º da Lei no 9.452/97, que diz
respeito à necessidade de notificar a Câmara Municipal, os
partidos políticos, os sindicatos de trabalhadores e as entidades
empresariais sobre a liberação de recursos financeiros federais a
qualquer título, realizou-se análise dos processos referentes ao
contratos do Convênio no 104/2004 - MI, cujo objeto é a Iluminação
pública no perímetro urbano de cabixi, nas avenidas Tamoios e
Tupinambás, no valor de R$ 140.000,00 (cento e quarenta mil reais) .
Em face do exposto, constata-se que a Prefeitura Municipal de
Cabixi (RO) não comprovou a realização de notificação aos partidos
políticos, aos sindicatos de trabalhadores e as entidades
empresariais sobre o recebimento de créditos referentes aos recursos
recebidos pelo Município, o que contraria o artigo 2º da Lei
nº 9.452, de 20.03.1997.

EVIDÊNCIA:
Ausência de documentação comprobatória das comunicações à Câmara
municipal, aos partidos políticos e outras entidades sobre o
recebimento de recursos federais.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

8.1.2 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE COMPROVAÇÃO DA ANOTAÇÃO DE RESPONSABILIDADE TÉCNICA
REFERENTE À EXECUÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA.

FATO:
O total dos recursos federais oriundos do Convênio no 104/2004, cujo
objeto é a implantação da Iluminação pública no perímetro urbano de
cabixi, nas avenidas Tamoios e Tupinambás, no valor de R$ 140.000,00,
foram usados na contratação de diversas empresas para fornecer
materiais e equipamentos a serem utilizados na referida implantação.
Assim, resta evidenciado que não houve contratação de empresa
especializada para execução dos serviços de instalação da mencionada
rede de iluminação pública com recursos federais.
Todavia, este fato não exime a Prefeitura de apresentar documentação
que comprove que os serviços, mesmo que realizados pela
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 88
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
administração municipal por seus próprios meios, foram realizados
dentro dos padrões técnicos exigidos pela legislação em vigor. A
exigência de tal comprovação se fundamenta no ônus legal que suporta o
convenente de oferecer ao Governo Federal as garantias necessárias e
suficientes de que o objeto do convênio foi executado de forma
tecnicamente adequada à sua natureza, garantindo, assim, a certeza da
qualidade e durabilidade do objeto do convênio.
Ademais, o conhecimento sobre os responsáveis pela execução da obra
são importantes para que o Concedente identifique e possa cobrar dos
responsáveis eventuais danos ocorridos ao objeto durante a
execução ou, ainda, por causa da existência da responsabilidade civil
do executor, de acordo com o código civil em vigor.
Vale registrar que serviços de instalação de rede de iluminação exigem
capacidade técnica dos executores, inclusive com registro no CREA
local, assim, necessário se faz que a Prefeitura forneça as Anotações
de Responsabilidade Técnica de execução dos serviços,
obrigatória para os referidos serviços, as quais não foram localizadas
no referido processo.
Em face de todo o exposto, conclui-se que a Prefeitura deixou de
apresentar junto com os demais documentos do convênio apresentados,
aqueles relativos à execução dos serviços de engenharia ora em
análise.

EVIDÊNCIA:
Ausência de documentação comprobatória nos processos relativos ao
contrato de repasse ora analisado.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

8.2 - PROGRAMA
0757
GESTAO DA POLITICA DE INTEGRACAO NACIONAL
AÇÃO :
3821
GESTAO DE PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTAVEL LOCAL
INTEGRADO-RONDONIA
OBJETIVO DA AÇÃO :
Gestão de Projetos de desenvolvimento local integrado - em municípios
do Estado de Rondônia
ORDEM DE SERVIÇO : 218518
OBJETO FISCALIZAÇÃO:
Pavimentação asfáltica e drenagem superficial de águas pluviais em via
as urbanas no município de Cabixi-RO.
AGENTE EXECUTOR :
PREFEITURA MUNICIPAL DE CABIXI
ORGAO PUBLICO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL
QUALIF. DO INSTRUMENTO DE TRANSF.:
CONVÊNIO SIAFI 497112
MONTANTE DE RECURSOS FINANCEIROS: R$ 946.399,85

8.2.1 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE COMPROVAÇÃO DE REALIZAÇÃO DE COMUNICAÇÃO À CÂMARA
MUNICIPAL, PARTIDOS POLÍTICOS E OUTRAS ENTIDADES SOBRE O RECEBIMENTO
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 89
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
DE RECURSOS FEDERAIS

FATO:
Com o intuito de se certificar se a Prefeitura de Cabixi- RO cumpriu
com a determinação contida no artigo 2.º da Lei no 9.452/97, que diz
respeito sobre a necessidade de notificar a Câmara Municipal, os
partidos políticos, os sindicatos de trabalhadores e as entidades
empresariais sobre a liberação de recursos financeiros federais a
qualquer título, realizou-se análise dos processos referentes ao
contratos do Convênio no 005/2003, cujo objeto é a Pavimentação
Asfáltica e drenagem superficial de vias urbanas no valor de R$ R$
946.399,85 (novecentos e quarenta e seis mil, trezentos e noventa e
nove reais e oitenta e cinco centavos).
Em face do exposto, constata-se que a Prefeitura Municipal de
Cabixi (RO) não comprovou a realização de notificação aos partidos
políticos, aos sindicatos de trabalhadores e as entidades
empresariais sobre o recebimento de créditos referentes aos recursos
recebidos pelo Município, o que contraria o artigo 2º da Lei
nº 9.452, de 20.03.1997.

EVIDÊNCIA:
Ausência de documentação comprobatórios nos processos disponibilizados
pela Prefeitura referente ao Convênio analisado.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

8.2.2 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE CLÁUSULA DE VIGÊNCIA CONTRATUAL

FATO:
Da análise do Contrato no 021/2004, verifica-se não haver cláusula de
vigência contratual.
Verifica-se apenas a existência de prazo para a conclusão do objeto, o
que não se confunde com prazo de vigência contratual.
Assim, a vigência do Contrato deve compreender o tempo necessário para
a execução do objeto, acrescentado de prazo para avaliação e
recebimento do objeto contratual e outros procedimentos julgados
necessários para o fiel cumprimento do objeto do contrato.A exigência
de tais cláusulas ocorre em conformidade com o inciso IV, art. 55 da
Lei N.° 8666, de 21 de junho de 1993:
"Art.55 São cláusulas necessárias em todo contrato as que estabeleçam:
IV - os prazos de início de etapas de execução, de conclusão, de
entrega, de observação e de recebimento definitivo, conforme o caso"
Sobre o assunto, assim tem se manifestado o Tribunal de Contas da
União, Acórdão 1393/04 - Plenário:
"(...), o Tribunal tem firmado entendimento de que a ausência de
cláusulas definidoras de termo final dos ajustes caracteriza prazo de
vigência indeterminado, infringindo o disposto nos arts. 57, §§ 2º e
3º, e 60, todos da Lei 8.666/93 (vide Decisão 999/2002 e Acórdão
1.130/2003, ambos do Plenário).
(...)
ACORDAM os Ministros do Tribunal de Contas da União, reunidos em
sessão Plenária, ante as razões expostas pelo Relator e com espeque no
art. 43 da Lei 8.443/92, em:
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 90
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
(...)
9.2. determinar à Centrais Elétricas do Norte do Brasil S.A -
Eletronorte que:
(...)
9.2.2. formalize termo aditivo aos contratos em andamento, para
incluir cláusula específica de delimitação temporal da avença,
evitando que o fornecimento de bens e a prestação de serviços fiquem
sem cobertura contratual, em contrariedade às prescrições contidas nos
arts. 57, §§ 2º e 3º, e 60, da Lei 8.666/93;"
Dessa forma, verifica-se que o contrato ora analisado tem prazo de
vigência indeterminado,contrariando dispositivos da Lei de Licitações
e Contratos.

EVIDÊNCIA:
Contrato no 021/2004.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

8.2.3 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE INDICAÇÃO DO BDI NA PROPOSTA COMERCIAL DA LICITANTE

FATO:
Da análise da proposta comercial da licitante vencedora do Certame
Licitatório Tomada de Preços no 003/2004, verificou-se a ausência de
indicação do percentual de LDI (Lucro e Despesas Indiretas) na
proposta comercial da licitante vencedora, o que está em desacordo com
determinações recentes do Tribunal de Contas da União, conforme
descrito no voto do Ministro relator no Acórdão nº 2262/06 - Plenário
em referência ao Acórdão 1046/2005 - Primeira Câmara:
"3. Entretanto, registro que, no âmbito do TC 005.570/2005-6, relativo
a Representação formulada por aquela Unidade Técnica acerca de
licitação, realizada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e
Defesa Social do Distrito Federal, para a contratação de empresa para
construção de outras obras do mesmo complexo penitenciário ora em
foco, relatada pelo Senhor Ministro Marcos Vilaça na sessão 13/06/2005
(Relação 1º C nº 29 - Acórdão nº 1046 - Ata 18), foram feitas, entre
outras, as determinações sugeridas pela 6ª Secex descritas no
Relatório antecedente, a saber:
a) à Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa do Distrito
Federal que:
a.1) abstenha-se de fixar percentual para o BDI (Bonificações e
Despesas Indiretas) nas próximas licitações pela falta de amparo legal
para tanto e porque tal procedimento impede os licitantes de
desigualarem-se em itens relevantes, como taxa de administração e
lucro;
a.2) explicite, nos próximos certames licitatórios, quando da
elaboração das planilhas de referência para suas contratações, a
composição do BDI que está sendo utilizado na formação dos preços e
exija que os licitantes façam o mesmo em relação às suas propostas."
Vale registrar que a ausência de indicação de BDI por parte da
Contratada cria dificuldades para se avaliar os preços unitários
do
orçamento quanto à sua adequação aos preços de mercado, sem mencionar
a dificuldade que se cria no caso de reajuste de preços ou reequilibro
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 91
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
econômico financeiro dos contratos, motivados por fatores
imprevisíveis, tendo em vista a impossibilidade de conhecimento prévio
dos custos de cada elemento do orçamento sem o LDI, nos quais incidem
o percentual do reequilibro ou reajuste específico.
Em face do exposto considera-se inapropriado aceitar proposta
comercial sem indicação do índice de BDI utilizado e sua composição.

EVIDÊNCIA:
Proposta Comercial da vencedora do Certame Licitatório Tomada de
Preços no 003/2004.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

8.2.4 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE CRITÉRIOS DE ACEITABILIDADE DE PREÇO GLOBAL E UNITÁRIO NO
EDITAL DE LICITAÇÃO

FATO:
Da análise do Edital de Licitação Tomada de Preços no 003/2004,
verifica-se a ausência de critérios de aceitabilidade dos preços
unitários e globais.
O fato de os processos licitatórios terem sido realizados em regime de
preço global não exclui a necessidade de controle dos preços de cada
item. É preciso ter em mente que, mesmo nas contratações por valor
global, o preço unitário servirá de base no caso de eventuais
acréscimos contratuais, admitidos nos limites estabelecidos no
Estatuto das Licitações. Dessa forma, se não houver a devida cautela
com o controle de preços unitários, uma proposta aparentemente
vantajosa para a administração pode se tornar um mau contrato.
Esse controle deve ser objetivo e se dar por meio da prévia fixação de
critérios de aceitabilidade dos preços unitário e global, tendo como
referência os valores praticados no mercado e as características do
objeto licitado.
Esses critérios, preços unitários e globais, previnem assim a
ocorrência do chamado "jogo de preços" ou "jogo de planilha".
O inciso X do artigo 40 da lei 8.666/93 faz exigência quanto a
existência de tais critérios, conforme disposto a seguir:
"Art. 40. O edital conterá no preâmbulo o número de ordem em série
anual, o nome da repartição interessada e de seu setor, a modalidade,
o regime de execução e o tipo da licitação, a menção de que será
regida por esta Lei, o local, dia e hora para recebimento da
documentação e proposta, bem como para início da abertura dos
envelopes, e indicará, obrigatoriamente, o seguinte:
X - critério de aceitabilidade dos preços unitários e global, conforme
o caso, vedada a fixação de preços mínimos, critérios estatísticos ou
faixas de variação em relação a preços de referência; (Redação dada
pela Lei nº 8.883, de 1994)"
Dessa forma, verificamos a existência de incompatibilidade do Edital
de licitação com os ditames do Estatuto de Licitações e Contratos.

EVIDÊNCIA:
Edital de Licitação Tomada de Preços no 003/2004.

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 92


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:
Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

8.2.5 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE JUSTIFICATIVA PARA UTILIZAÇÃO DE DISTÂNCIA MÉDIA DE
TRANSPORTE NA PLANILHA ORÇAMENTÁRIA

FATO:
Da análise dos custos da referida obra, verificou-se que o item 3.8 da
planilha orçamentária, referente ao Transporte comercial de agregado
duplo foi definido com base em uma Distância Média de Transporte (DMT)
igual a 443 km. Esse item de orçamento é o segundo item mais relevante
do orçamento em termos de valores financeiros, correspondendo a R$
142.606,80 de um total global de R$ 1.106.584,80. Em que pese tal
representatividade no valor global da obra, tais valores não estão
fundamentados e evidenciados no processo por meio de memória de
cálculo que justifique o DMT de 443 km. Também não foram identificadas
nas prestações de contas notas fiscais que indiquem qual o fornecedor
do material utilizado, o que permitiria identificar sua localização e,
consequentemente, aferir se o DMT de 443 km está adequado.
Em face do exposto, verifica-se que as características dos serviços
previstos no item 3.8 da planilha orçamentária e, consequentemente, os
preços unitários correspondentes carecem de fundamentação para serem
utilizados.

EVIDÊNCIA:
Planilha Orçamentária da Contratada.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

8.2.6 CONSTATAÇÃO:
INSUFICIÊNCIA DE RELATÓRIOS TÉCNICOS QUE ATESTEM A QUALIDADE DOS
SERVIÇOS EXECUTADOS

FATO:
No que se refere a qualidade dos serviços executados, tem-se a relatar
que, tendo em vista a natureza da obra fiscalizada e o momento no
qual tal fiscalização foi realizada, após a conclusão da mesma, esta
Equipe fica impossibilitada de atestar a qualidade e quantidade de
determinados serviços previstos na execução do objeto do Convênio. É o
que ocorre, por exemplo, no que diz respeito aos serviços de
realização da camada de base, a qual está especificada para possuir um
espessura de 25 cm. Uma vez que tal camada fica abaixo da camada de
asfalto e que não há relatórios fotográficos demonstrando a espessura
de tal camada, esta Equipe não pode atestar a execução na espessura
prevista.
A respeito do tema relatórios de acompanhamento/fiscalização da
execução da obra, tem-se a relatar que foram localizados 3 (três)
relatórios de fiscalização do objeto, sendo que um deles antes do
início da execução. Todos os relatórios foram produzidos pela Agência
de Desenvolvimento da Amazônia. O teor de tais relatórios apenas
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 93
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
atestam a quantidade de serviços proporcionais ao comprimento de
asfalto já pronto, não evidenciando nenhuma fiscalização em relação à
execução das várias etapas de construção do pavimento, os quais tem
grande importância na qualidade do produto final.
Os Relatórios de Fiscalização produzidos foram os a seguir listados:
Relatório de Acompanhamento Físico de Transferências Voluntárias n.º
001/2005, de 21 de outubro de 2005;
Inspeção Prévia ao objeto do Convênio no 05/2003 - Cabixi, referente
ao processo no 59431/0747/2003-91, de 31/05/2004;
Relatório de Inspeção 015/2004, de 09 de dezembro de 2004.
A presença de relatórios de fiscalização freqüentes e detalhados são
essenciais para o controle e fiscalização do objeto, mormente quando
se trata de obra de pavimentação asfáltica, onde os registros de
execução de cada etapa devem ser feitos no momento de sua execução,
caso contrário não poderá mais ser realizada adequadamente, por
impossibilidade física de se observar o resultado de cada etapa pois
estará coberta pelo resultado de etapa posterior.
Ademais, a fiscalização exercida pelo Executivo Federal não é
permanente no local de realização da obra. Assim, torna-se, essencial,
nas obras de pavimentação, que os relatórios de fiscalização ocorram
na freqüência necessária para que os órgãos de controle possam emitir
opinião balizada sobre a qualidade e quantidade dos serviços de
pavimentação asfáltica.
Em face de todo o exposto, verificamos que a quantidade de relatórios
de acompanhamento da execução da obra realizados e sua natureza é
insuficiente para demonstrar a regularidade na execução dos serviços.

EVIDÊNCIA:
Ausências de relatórios fotográficos durante a etapa de realização da
camada de base.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

9 - 54000 MINISTERIO DO TURISMO

9.1 - PROGRAMA
1166
TURISMO NO BRASIL: UMA VIAGEM PARA TODOS
AÇÃO :
0564
APOIO A PROJETOS DE INFRA-ESTRUTURA TURISTICA EM MUNICI
PIOS - NO ESTADO DE RONDONIA
OBJETIVO DA AÇÃO :
Desenvolver o turismo nos municipios brasileiros, principalmente por
meio de adequacao da infra-estrutura de forma que permita a expansao
das atividades turisticas e a melhoria da qualidade do produto para o
turista.
ORDEM DE SERVIÇO : 218586
OBJETO FISCALIZAÇÃO:
Operacionalizacao do Contrato de Repasse.
Evidencias relativas ao acompanhamento, pela Caixa, das obras de
infra-estrutura turistica definida no respectivo contrato de repasse.
Execucao das obras.
AGENTE EXECUTOR :
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 94
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
PREFEITURA MUNICIPAL DE CABIXI
ORGAO PUBLICO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL
QUALIF. DO INSTRUMENTO DE TRANSF.:
CONTRATO DE REPASSE
MONTANTE DE RECURSOS FINANCEIROS: R$ 40.000,00

9.1.1 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE COMPROVAÇÃO DE REALIZAÇÃO DE COMUNICAÇÃO À CÂMARA
MUNICIPAL, PARTIDOS POLÍTICOS E OUTRAS ENTIDADES SOBRE O RECEBIMENTO
DE
RECURSOS FEDERAIS

FATO:
Com o intuito de se certificar se a Prefeitura de Cabixi- RO cumpriu
com a determinação contida no artigo 2.º da Lei no 9.452/97, que diz
respeito à necessidade de notificar a Câmara Municipal, os
partidos políticos, os sindicatos de trabalhadores e as entidades
empresariais sobre a liberação de recursos financeiros federais a
qualquer título, realizou-se análise dos processos referentes ao
contratos do Contrato de Repasse no 01779784-48 - Ministério do
Turismo, cujo objeto é a construção de uma praça no município de
Cabixi - RO, no valor de R$ 40.000,00 (quarenta mil reais). Todavia
não se identificou a presença de documentação comprobatória.
Em face do exposto, constata-se que a Prefeitura Municipal de
Cabixi (RO) não comprovou a realização de notificação aos partidos
políticos, aos sindicatos de trabalhadores e as entidades
empresariais sobre o recebimento de créditos referentes aos recursos
recebidos pelo Município, o que contraria o artigo 2º da Lei
nº 9.452, de 20.03.1997.

EVIDÊNCIA:
Ausência de documentação comprobatória nos processos referentes ao
contrato de repasse ora analisado.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

9.1.2 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE REALIZAÇÃO DE AÇÕES NECESSÁRIAS A GARANTIR A DURABILIDADE
DO OBJETO DO CONTRATO DE REPASSE

FATO:
O Contrato de Repasse no 0179784-48/2005 - Ministério do Turismo tem
como objeto a construção de Praça Municipal do município de Cabixi, no
valor de R$ 40.000,00.
A planilha orçamentária apresentada que serviu de referência de preços
e quantitativos dos serviços e materiais a serem fornecidos traz no
seu item 4.3 a quantidade de 1847,26 m2 de plantio de grama em blocos
tipo esmeralda, incluindo fornecimento e transporte e excluindo
preparo do terreno e material para este, o que correspondeu em termos
financeiros a R$ 29.408,38, de acordo com a proposta comercial da
Contratada. Esse valor corresponde a 71,38% do valor global de
contratação, o qual foi de R$ 41.196,98.
Com base nos valores e percentuais apresentados acima, verifica-se a
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 95
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
relevância material do serviço de plantio de grama entre os demais
serviços de construção da praça. Em que pese tal relevância, foi
constatado, em inspeção física realizada pela Equipe de Fiscalização
da CGU, a má conservação da área gramada da referida praça, denotando
ausência de serviços de manutenção do gramado por parte da Prefeitura
de Cabixi. O estado de conservação da praça pode ser aferido por meio
das fotografias n.º 01, 02 e 03 inseridas no campo evidência desta
constatação.
Em face de todo o exposto, verificamos que a manutenção da área
gramada da praça não tem sido realizada de forma adequada pela
Prefeitura de Cabixi, o que compromete a efetividade da aplicação dos
recursos federais no objeto contratado.

EVIDÊNCIA:
Fotos retiradas do local:

Foto 01 Foto 02

Foto 03

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

9.1.3 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE INDICAÇÃO DO BDI NA PROPOSTA COMERCIAL DA LICITANTE

FATO:
Da análise da proposta comercial da licitante vencedora do Certame
Licitatório Carta-Convite no 012/2007, verificou-se a ausência de
indicação do percentual de LDI (Lucro e Despesas Indiretas) na
proposta comercial da licitante vencedora, o que está em desacordo com
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 96
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
determinações recentes do Tribunal de Contas da União, conforme está
descrito no Acórdão no 2262/06 - Plenário.
3. Entretanto, registro que, no âmbito do TC 005.570/2005-6, relativo
a Representação formulada por aquela Unidade Técnica acerca de
licitação, realizada pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e
Defesa Social do Distrito Federal, para a contratação de empresa para
construção de outras obras do mesmo complexo penitenciário ora em
foco, relatada pelo Senhor Ministro Marcos Vilaça na sessão 13/06/2005
(Relação 1º C nº 29 - Acórdão nº 1046 - Ata 18), foram feitas, entre
outras, as determinações sugeridas pela 6ª Secex descritas no
Relatório antecedente, a saber:
a) à Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa do Distrito
Federal que:
a.1) abstenha-se de fixar percentual para o BDI (Bonificações e
Despesas Indiretas) nas próximas licitações pela falta de amparo legal
para tanto e porque tal procedimento impede os licitantes de
desigualarem-se em itens relevantes, como taxa de administração e
lucro;
a.2) explicite, nos próximos certames licitatórios, quando da
elaboração das planilhas de referência para suas contratações, a
composição do BDI que está sendo utilizado na formação dos preços e
exija que os licitantes façam o mesmo em relação às suas propostas.
Vale registrar que a ausência de indicação de BDI por parte da
Contratada cria dificuldades para se avaliar os preços unitários do
orçamento quanto à sua adequação aos preços de mercado, sem mencionar
a dificuldade que se cria no caso de reajuste de preços ou reequilibro
econômico financeiro dos contratos, motivados por fatores
imprevisíveis, tendo em vista a impossibilidade de conhecimento prévio
dos custos de cada elemento do orçamento sem o LDI, nos quais incidem
o percentual do reequilibro ou reajuste específico para a natureza
específica.
Em face do exposto considera-se inapropriado aceitar proposta
comercial sem indicação do índice de BDI utilizado e sua composição.

EVIDÊNCIA:
Proposta Comercial da vencedora da Carta-Convite no 012/2007.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

10 - - 55000 MINISTERIO DO DESENV. SOCIAL E COMBATE A FOME

10.1 - PROGRAMA
0068
ERRADICACAO DO TRABALHO INFANTIL
AÇÃO :
2060
ACOES SOCIOEDUCATIVAS E DE CONVIVENCIA PARA CRIANCAS E
ADOLESCENTES EM SITUACAO DE TRABALHO
OBJETIVO DA AÇÃO :
Programa de transferência direta de renda do Governo Federal para fa-
mílias de crianças e adolescentes em situação de trabalho, adicionado
à oferta de Ações Sócioeducativas e de Convivência, manutenção da
criança/adolescente na escola e articulação dos demais serviços da re-
de de proteção básica e especial.
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 97
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
ORDEM DE SERVIÇO : 219902
OBJETO FISCALIZAÇÃO:
Atuação do gestor municipal no planejamento, execução e acompanhamento
do programa PETI, em especial no tocante a planejamento das ações/ser-
viços a serem executados; execução das metas previstas; eficiência e
legalidade na aplicação dos recursos; critérios de seleção dos benefi-
ciários e controle das condicionalidades exigidas pelas normas do pro-
grama.
AGENTE EXECUTOR :
PREFEITURA MUNICIPAL DE CABIXI
ORGAO PUBLICO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL
QUALIF. DO INSTRUMENTO DE TRANSF.:
FUNDO A FUNDO OU CONCESSãO
MONTANTE DE RECURSOS FINANCEIROS: R$ 91.620,00

10.1.1 CONSTATAÇÃO:
96% DOS BENEFICIÁRIOS DO PROGRAMA NÃO EXERCIAM ATIVIDADES LABORAIS

FATO:
Foram realizadas entrevistas com 26 (vinte e seis) famílias,
responsáveis por 49 (quarenta e nove) crianças e adolescentes
beneficiárias do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil - PETI.
Entre eles, identificou-se que apenas uma criança (MASS - NIS
16410109041) e um adolescente (EC - NIS não informado) trabalhavam
antes de ingressar no programa, recolhendo latas de alumínio e tirando
leite, respectivamente.
Sendo assim, apenas 4,1% da amostra entrevistada atendiam os pré-
requisitos para participar do programa, conforme definido na Portaria
nº 458/MDS, de 04 de outubro de 2001, que estabelece as Diretrizes e
Normas do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil - PETI.

EVIDÊNCIA:
Entrevista às seguintes famílias:
NOME NIS
1 MA Não informado
2 MASS 16410109041
3 EBA 2102895942901
4 MBPR 1641989905301
5 MLGK 1646724913601
6 MAMC 1646711828701
7 SNCS 2101069559401
8 RS 1664443072501
9 EC Não informado
10 TMR 1654359732202
11 MGAN 1642471342602
12 SMA Não informado
13 EQR Não informado
14 FDA Não informado
15 IDA Não informado
16 MG 1646941912801
17 MJBR 1641990078701
18 JSS Não informado
19 MDSB Não informado
20 IS 1625163034601
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 98
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
NOME NIS
21 OAJ Não informado
22 MAS 1646717101301
23 MGC Não informado
24 JRA Não informado
25 MS 1641992638701
26 OBS 1658560292801

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

10.1.2 CONSTATAÇÃO:
NÃO ATENDIMENTOS ÀS CONDICIONALIDADES DO PROGRAMA.

FATO:
Em entrevista com 26 (vinte e seis) famílias identificou-se que dois
dos quarenta e nove adolescentes pertencentes à amostra analisada
realizam atividades laborais, mesmo participando do PETI. Um deles,
filho de EC (NIS não informado), já trabalhava antes de participar do
Programa e, segundo informações da mãe, raramente comparece à Jornada
Ampliada, pois trabalha no mercado, organizando as prateleiras.
O segundo adolescente (FBO), filho de OBS (NIS 1658560292801), tem 13
(treze) anos e está trabalhando, mas a mãe não quis informar qual a
atividade desempenhada por ele. Analisando-se a lista de freqüência da
Jornada/PETI, observa-se que, nos meses de agosto a outubro de 2008, o
beneficiário esteve presente, em média, em 71% (setenta e um por
cento) dos dias, sendo essa freqüência inferior àquela estabelecida
como mínima para as atividades da Jornada, a qual é de 85% (oitenta e
cinco por cento).
Na Solicitação de Fiscalização PETI/PBT, de 24/11/2008, foi demandada
a relação mensal dos beneficiários da bolsa/PETI em 2008. No entanto,
até o momento, não recebemos essa relação, o que impede que se avalie
se o adolescente citado acima (FBO), mesmo com freqüência abaixo da
mínima (85%), continua ou não recebendo a bolsa do PETI.

EVIDÊNCIA:
Entrevistas com as famílias beneficiadas pelo PETI.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

10.1.3 CONSTATAÇÃO:
AQUISIÇÃO DE BENS DE CONSUMO COM RECURSO DESTINADO À BOLSA DO PETI.

FATO:
Em análise dos processos de despesas do PETI, evidenciou-se a
aquisição de bens de consumo, no valor de R$ 3.113,68 (três mil cento
e treze reais e sessenta e oito centavos), com recurso destinado às
bolsas para as famílias beneficiárias do Programa.
Conforme documentação anexada ao Processo nº 278/2007, parte da Nota
de Empenho nº 383/2007, cujo valor total foi de R$ 5.015,69 (cinco mil
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 99
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
e quinze reais e sessenta e nove centavos), foi paga com recurso da
conta corrente 10.314-4, que se destina ao pagamento das bolsas do
PETI. Essa transação foi efetivada com o cheque de número 100274,
destinado ao fornecedor de CNPJ 05.303.495/0001-41, que emitiu as
notas fiscais n.º 645, 646 e 647, no valor total de R$ 5.015,69 (cinco
mil e quinze reais e sessenta e nove centavos). Segundo informação
constante no verso do cheque, o referido recurso seria correspondente
ao "restante do saldo do ano de 2006 da bolsa/PETI".
O restante do valor (R$ 1.902,01 - mil novecentos e dois reais e um
centavo), correspondente à diferença entre R$ 5.015,69 e R$ 3.113,68,
foi pago com o recurso destinado à Jornada, com o cheque nº 850083, da
conta corrente 10.313-6.
Cabe destacar que esses recursos são vinculados ao repasse de bolsas
às famílias beneficiárias, não cabendo dar-lhes outra destinação.
Nesta licitação foram adquiridos alimentos, material de higiene e de
limpeza. Entre os produtos vendidos pela empresa citada acima estão:
Abóbora (50 kg);
Alho (10 kg);
Banana maçã (100 kg);
Batata inglesa (120 kg);
Carne de frango (250 kg);
Cebola (50 kg);
Achocolatado em pó (50 kg);
Margarina vegetal (50 kg);
Ovos (80 dúzias);
Polpas de frutas (50 kg);
Sal refinado (40 kg);
Fermento em pó químico (30 latas);
Creme para cabelo 350ml (8 un);
Desinfetante sanitário (4 caixas)
Apesar da grande quantidade de mercadorias adquiridas, como 100 kg de
banana ou 120 kg de batata, na nota fiscal foi atestado o recebimento
integral de todos os produtos em uma mesma data.
É importante salientar que, como essa compra foi realizada em maio de
2007, não foi possível verificar se os produtos adquiridos foram
efetivamente utilizados pelos beneficiários do PETI, na Jornada
Ampliada.

EVIDÊNCIA:
Extratos bancários da conta corrente 10314-4 e Processo nº 278/2007,
referentes ao PETI.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

10.1.4 CONSTATAÇÃO:
PAGAMENTO ANTECIPADO DE COMPRAS PARA O PROGRAMA PETI.

FATO:
Analisando-se os nove processos referentes a compras de alimentos para
a Jornada Ampliada do PETI, observou-se que em sete deles (77,8%) foi
realizado pagamento antecipado. Em diversas notas fiscais foi atestado
o recebimento de toda a mercadoria em um único momento. No entanto,
nos referidos processos foram adquiridas grandes quantidades de
produtos perecíveis, cujo consumo imediato pelas crianças e
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 100
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
adolescentes do PETI seria inviável, o que impossibilita seu
recebimento integral em uma mesma data.
Esta constatação foi identificada nos Processos n.º 110/2007,
111/2007, 278/2007, 445/2007, 93/2008, 131/2008, 260/2008. Segue
abaixo a tabela exemplificativa de algumas das notas fiscais cujos
produtos foram recebidos integralmente na mesma data.
Tabela - Produtos recebidos antecipadamente
Nº Nota
Fornecedor Produtos
Processo Fiscal
110/2007 01.253.577/0001-78 0338 2.060 pães
50 kg de repolho
111/2007 03.591.303/0001-14 0459
50 kg de mortadela
60 kg de beterraba
03.591.303/0001-14 0503
100 kg de maçã
278/2007
100 kg de banana
05.303.495/0001-41 0645
120 kg de batata
05.303.495/0001-41 0718 20 kg de pimentão
445/2007 160 kg de repolho
03.591.303/0001-14 0572
60 kg de beterraba
93/2008 01.253.577/0001-78 1246 1716 pães
03.591.303/0001-14 0717 50 kg de laranja
131/2008
05.303.495/0001-41 0889 60 kg de repolho
80 kg de banana
01.561.511/0001-45 0610
260/2008 25 kg de alho
05.303.495/0001-41 0960 60 dúzias de ovos

Os pagamentos adiantados foram em benefício dos fornecedores de CNPJ


03.591.303/001-14, 01.253.577/0001-78, 05.303.495/0001-41 e
01.561.511/0001-45. Cabe destacar que tal procedimento é vedado pela
Lei nº 4.320/64, Art. 68.

EVIDÊNCIA:
Análise dos processos nº 110/2007, 111/2007, 278/2007, 445/2007,
504/2007, 93/2008, 131/2008, 260/2008 e 429/2008.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

10.1.5 CONSTATAÇÃO:
DISPENSA DE LICITAÇÃO COM MENOS DE TRÊS COTAÇÕES DE PREÇO.

FATO:
Mediante análise dos quatro processos de dispensa de licitação para
aquisição de alimentos, conduzidos em 2007 e 2008, constatou-se que em
todos foi realizada cotação de preços com apenas dois fornecedores.
Nesses processos (nº 111/2007, 445/2007, 504/2007, e 429/2008), os
fornecedores que apresentaram propostas foram os de CNPJ
05.303.495/0001-41 e 03.591.303/001-14.
Constatou-se problema semelhante no processo n.º 230/2007, também de
dispensa de licitação. Neste caso, foram adquiridos materiais de
costura para artesanato (tecidos, linhas, agulhas, etc), além de
material esportivo como bolas, redes e raquetes. Como são objetos
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 101
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
bastante distintos, as empresas apresentaram cotações de preço apenas
para um tipo de material. Assim, apesar da participação de cinco
fornecedores, ocorreram fatos como: a) apresentação de apenas dois
orçamentos para produtos esportivos em geral; b) existência de apenas
uma cotação para o item bolinha para jogo de betis.
No Processo n.º 429/2008 foram convidados três fornecedores. No
entanto, apenas dois apresentaram propostas (CNPJ 05.303.495/0001-41 e
03.591.303/001-14), sem que fosse solicitada a cotação de um quarto
fornecedor para completar o mínimo de três propostas no processo.
Ressalta-se que nas situações de dispensa de licitação é necessária a
obtenção da proposta de preços de pelos menos três fornecedores
distintos, no intuito de fomentar a concorrência, conforme o Acórdão
1584/2005 do Tribunal de Contas da União - TCU, cujo trecho está
reproduzido abaixo:
"36.1.1. proceder, quando da realização de licitação ou dispensa, à
consulta de preços correntes no mercado ou fixados por órgão oficial
competente ou, ainda, constantes do sistema de registro de preços, em
cumprimento ao disposto no art. 43, inc. IV, e no art. 26, parágrafo
único, inc. III, da Lei 8.666/93, consubstanciando-a em, pelo menos,
três orçamentos de fornecedores distintos, os quais devem ser anexados
aos processos de contratação. "

EVIDÊNCIA:
Análise dos Processos nº 111/2007, 230/2007, 445/2007, 504/2007, e
429/2008.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

10.1.6 CONSTATAÇÃO:
LICITAÇÃO NA MODALIDADE CONVITE COM MENOS DE TRÊS PROPOSTAS VÁLIDAS.

FATO:
Em análise aos processos de licitação do PETI, na modalidade convite,
observou-se que no processo n.º 278/2007, referente ao Convite n.º
35/2007, há propostas de apenas dois fornecedores (CNPJ 05.303.495/
0001-41 e 03.591.303/001-14). Há, também, uma cópia da declaração
da empresa de CNPJ 02.317.207/0001-10, datado de 03/01/2007,
comunicando a ausência de interesse em participar do certame. Essa
mesma cópia da declaração foi encontrada em outros processos de
compras do PETI.
Cabe destacar que a solicitação de abertura do processo de compras
ocorreu no mês de abril/2007, ou seja, em data posterior à da
declaração citada acima. Além disso, na Ata de Abertura e Julgamento
do processo, estão relacionados como convidados apenas as duas
empresas que apresentaram propostas de preços, não tendo sido citado
um terceiro fornecedor convidado, nem mesmo a empresa de CNPJ
02.317.207/0001-10, que teria enviado uma declaração de desinteresse
em participar do processo.
Com base na documentação integrante do processo, observou-se que
durante o andamento do certame houve alteração da composição dos
membros da Comissão de Licitação, contudo, não foi encontrada no
processo a documentação que respalde tal alteração.
Assim, a Comissão de Licitação deu andamento ao processo contando com
apenas duas propostas válidas, o que não é permitido, conforme
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 102
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
estabelecido no Art. 22 § 3º da Lei 8666/93:
Convite é a modalidade de licitação entre interessados do ramo
pertinente ao seu objeto, cadastrados ou não, escolhidos e convidados
em número mínimo de 3 (três) pela unidade administrativa, a qual
afixará, em local apropriado, cópia do instrumento convocatório e o
estenderá aos demais cadastrados na correspondente especialidade que
manifestarem seu interesse com antecedência de até 24 (vinte e quatro)
horas da apresentação das propostas.
No Processo nº 93/2008, referente ao Convite n.º 22/2008, foi
realizada licitação na modalidade convite para a aquisição de pão,
leite, carne bovina e gás de cozinha. Inicialmente foram convidados
cinco fornecedores, com os seguintes CNPJ:
Empresa 1: 01.253.577/0001-78
Empresa 2: 05.303.495/0001-41
Empresa 3: 03.591.303/0001-14
Empresa 4: 07.529.812/0001-78
Empresa 5: 08.815.020/0001-22
No entanto, para nenhum dos quatro produtos licitados houve três
propostas de preços, tendo sido apresentadas as cotações das seguintes
empresas:
Pão: empresas 1 e 2
Gás: empresas 4 e 5
Leite: empresa 2
Carne bovina: empresas 2 e 3.
Foi anexada ao processo uma Declaração de Exclusividade emitida pela
Associação Comercial e Industrial de Cabixi, informando quanto à
existência de apenas duas empresas habilitadas ao fornecimento de gás
GLP no município. Essa situação, entretanto, não exime a Prefeitura de
realizar o convite a empresas de municípios vizinhos, assim como é
feito em outros processos nos quais o objeto de licitação não é
fornecido por empresas de Cabixi.
Sendo assim, conforme o Acórdão 1375/2003 do TCU, para licitação na
modalidade convite é necessário o mínimo de três propostas de preços
válidas:
(...) nas hipóteses de licitação na modalidade convite, observe a
jurisprudência firmada pelo TCU quanto à necessidade de se obter o
mínimo de três propostas válidas para o prosseguimento do certame,
repetindo o procedimento quando não alcançado esse número, conforme
dispõe o art. 22, § 7º, da Lei n. 8.666/1993.
Na Súmula 248/2005, o TCU define que:
Não se obtendo o número legal mínimo de três propostas aptas à
seleção, na licitação sob a modalidade Convite, impõe-se a
repetição do ato, com a convocação de outros possíveis interessados,
ressalvadas as hipóteses previstas no parágrafo 7º, do art. 22, da Lei
nº 8.666/1993.

EVIDÊNCIA:
Análise dos Processos nº 278/2007 e 93/2008.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

10.1.7 CONSTATAÇÃO:
FUGA AO PROCEDIMENTO LICITATÓRIO POR FRACIONAMENTO DO OBJETO.

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 103


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
FATO:
Em análise das despesas do PETI foram identificados quatro processos
para compra de alimentos e material de limpeza, relativos ao ano de
2007. Em dois deles a compra foi realizada por licitação na modalidade
convite (n.º 110/2007 e 278/2007) e, nos outros dois, por dispensa de
licitação (n.º 111/2007 e 445/2007).
Entretanto, uma vez que a soma dos valores das compras citados acima é
de R$ 30.152,64 (trinta mil cento e cinqüenta e dois reais e sessenta
e quatro centavos), a aquisição dos produtos não poderia ter sido
realizada por dispensa de licitação, já que o enquadramento da
licitação deve ser feito em função das despesas anuais.
Conforme estabelecido nos Arts. 23 e 24 da Lei n.º 8.666/93, é
dispensável de licitação a compra de valor até R$ 8.000,00 (oito mil
reais). Sendo assim, as compras referentes aos Processos n.º 111/2007
e 445/2007 deveriam ter sido realizadas por licitação, a qual,
considerando as maiores quantidades envolvidas, permitiria ao
Município a obtenção de propostas mais vantajosas.
Ademais, o TCU vem determinando, em recentes acórdãos, a exemplo do
Acórdão n.º 314/2004, que o enquadramento da licitação deve considerar
o volume anual de compras, conforme texto transcrito abaixo:
"9.3.2 - programe as despesas com a merenda escolar, de forma global e
anual, e realize o certame licitatório pertinente, de maneira a dar
cumprimento aos princípios da legalidade, impessoalidade, publicidade,
igualdade, moralidade e probidade administrativa, previstos no art. 3º
da Lei n.º 8.666/93".

EVIDÊNCIA:
Análise dos Processos Nº 110/2007, 111/2007, 445/2007, 504/2007,
278/2007.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

10.2 - PROGRAMA
1006
GESTAO DA POLITICA DE SEGURANCA ALIMENTAR E NUTRICIONAL
AÇÃO :
0A28
APOIO A ORGANIZACAO DO SISTEMA UNICO DE ASSISTENCIA SOC
IAL - SUAS - NACIONAL
OBJETIVO DA AÇÃO :
Contribuir para a efetivação da Assistência Social como política pú-
blica garantidora de direitos de cidadania e promotora de desenvolvi-
mento social,na perspectiva da prevenção e superação das desigualdades
e exclusão social, tendo a família como unidade de atenção.
ORDEM DE SERVIÇO : 220019
OBJETO FISCALIZAÇÃO:
Atuação do gestor municipal no tocante ao cumprimento das condicionali
dades previstas pela NOB - Norma Operacional Básica da Assistência So-
cial com relacao ao níveis de gestao dos recursos assistenciais.
AGENTE EXECUTOR :
PREFEITURA MUNICIPAL DE CABIXI
ORGAO PUBLICO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL
QUALIF. DO INSTRUMENTO DE TRANSF.:
FUNDO A FUNDO OU CONCESSãO
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 104
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
MONTANTE DE RECURSOS FINANCEIROS: Não se aplica

10.2.1 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE DIAGNÓSTICO DAS ÁREAS DE RISCO E VULNERABILIDADE SOCIAL

FATO:
Com o objetivo de avaliar o cumprimento dos requisitos fixados pela
Norma Operacional Básica da Assistência Social, para que o município
pleiteie sua habilitação a um dos níveis de gestão assistencial no
Sistema Único de Assistência Social - SUAS: Inicial, Básica e Plena,
foi solicitado da Prefeitura de Cabixi, por meio da Solicitação de
Fiscalização n.º 001/2008, o diagnóstico atualizado das áreas de
vulnerabilidade e risco social.
A Secretaria de Ação Social, respondeu, por meio da Resposta de
Fiscalização 001/2008, emitida durante os trabalhos de campo, que não
foi possível efetuar esse diagnóstico em virtude da sua zona rural ser
muito extensa e pelo fato de não dispor de nenhum veículo para fazer
esse trabalho.
Entretanto, conforme informações repassadas à equipe pela Assistente
Social da citada Secretaria, o município de Cabixi apresenta baixa
vulnerabilidade social, tendo em vista o tamanho de sua população
(pequeno) e as características econômicas da região, que sobrevive
basicamente das atividades agropecuárias e de agricultura familiar.
O estudo de vulnerabilidade é requisito para que o município seja
incluído na Gestão Básicado SUAS.

EVIDÊNCIA:
Resposta de fiscalização 001/2008 emitida pela Secretaria de ação
social.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

10.2.2 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE CONTA ESPECÍFICA PARA ALOCAÇÃO DE RECURSOS PRÓPRIOS NO
FMAS

FATO:
A Secretaria de Ação Social do Município de Cabixi informou por meio
da Resposta de Fiscalização n.º 001/2008, emitida durante os trabalhos
de campo, que o Fundo Municipal de Assistência Social local não possui
conta específica. Assim, os pagamentos da ação social estão sendo
processados por meio de contas gerais da Prefeitura, tais como: FPM,
ICMS e IPTU .
Esse fato ocorre porque a Secretaria de Ação Social não tem
contabilidade própria e seu orçamento encontra-se vinculado ao da
Prefeitura, contrariando o que determina o Parágrafo único da Lei
8742/93, incluído pela lei n°9720/98:
Art.30 (omissis):
Parágrafo único. É, ainda, condição para transferência de recursos do
FNAS aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios a comprovação
orçamentária dos recursos próprios destinados à Assistência Social,
alocados em seus respectivos Fundos de Assistência Social, a partir do
exercício de 1999.
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 105
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
Há, pois, necessidade de que a Secretaria de Ação Social de Cabixi
promova a abertura de conta corrente específica para executar o
orçamento do Sistema Único de Assistência Social.

EVIDÊNCIA:
Resposta de fiscalização 001/2008 emitida durante os trabalhos de
campo pela Secretaria de Ação Social.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.
AÇÃO :
8249
FUNCIONAMENTO DOS CONSELHOS DE ASSISTENCIA SOCIAL - NAC
IONAL
OBJETIVO DA AÇÃO :
Estimular, qualificar e fortalecer o exercício do controle social por
meio da criação e funcionamento de suas instâncias, em especial as li-
gadas à área do Desenvolvimento Social.
ORDEM DE SERVIÇO : 219964
OBJETO FISCALIZAÇÃO:
Avaliar as instâncias de controle social relacionadas à área de assis-
tência social, com relação à criação, composição, funcionamento e com-
petências.
AGENTE EXECUTOR :
PREFEITURA MUNICIPAL DE CABIXI
ORGAO PUBLICO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL
QUALIF. DO INSTRUMENTO DE TRANSF.:
FUNDO A FUNDO OU CONCESSãO
MONTANTE DE RECURSOS FINANCEIROS: Não se aplica

10.2.3 CONSTATAÇÃO:
O CMAS NÃO SUPERVISIONA A EXECUÇÃO DOS PROGRAMAS ASSISTENCIAIS.

FATO:
Em entrevista com um representante (CPF 690.974.022-04) do Conselho
Municipal de Assistência Social - CMAS, fomos informados que, em
Cabixi, o CMAS foi criado e está em funcionamento. É composto por oito
conselheiros, com representação paritária do governo e da sociedade
civil (CPF nº 241.948.242-53, 638.760.352-87, 459.234.261-53,
162.977.172-49, 422.577.272-15, 690.974.022-04, 649.711.802-06,
117.345.681-49) e realiza reuniões mensais.
O CMAS, entretanto, não fiscaliza o Fundo Municipal de Assistência
Social - FMAS, nem acompanha todos os programas assistenciais do
município, o que impossibilita que Conselho tome alguma medida ao
constatar possíveis irregularidades na execução dos programas. O
entrevistado não soube informar quais programas não são acompanhados.
Contudo, é importante ressaltar que conforme estabelecido na Norma
Operacional Básica - NOB/SUAS, de julho de 2005, cabe ao CMAS aprovar,
acompanhar e controlar a execução da Política Municipal de Assistência
Social.
Além disso, em sua cartilha "Orientações para Conselhos da Área de
Assistência Social" - 2007, o Tribunal de Contas da União reforça,
como atribuição do CMAS:
"regular a prestação de serviços de natureza pública e privada no
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 106
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
campo da assistência social, no âmbito do município (NOB/SUAS, item
4.3).
definir os programas de assistência social (ações integradas e
complementares com objetivos, tempo e área de abrangência definidos
para qualificar, incentivar e melhorar os benefícios e os serviços
assistenciais), obedecendo aos objetivos e os princípios estabelecidos
na Lei 8.742, de 1993, com prioridade para a inserção profissional e
social; (Lei 8.742, de 1993 - LOAS, art. 24, § 1º)."

EVIDÊNCIA:
Entrevista com representante do Conselho Municipal de Assistência
Social - CMAS; Lei nº 240/1996 - Criação do CMAS de Cabixi.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

10.2.4 CONSTATAÇÃO:
O CONSELHO MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL NÃO TEM ACESSO AO SUAS WEB.

FATO:
Em entrevista com um representante (CPF 690.974.022-04) do Conselho
Municipal de Assistência Social - CMAS, fomos informados que os
conselheiros não têm acesso ao Sistema de Informação do Sistema Único
de Assistência Social (SUAS-Web).
Contudo, para o efetivo exercício de suas atribuições, o CMAS deve
solicitar ao Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome a
senha do SUAS-WEB, de forma a ter acesso aos dados do sistema para
verificar sua compatibilidade com o plano municipal de assistência
social.
O Tribunal de Contas da União, em sua cartilha "Orientações para
Conselhos da Área de Assistência Social" - 2007, ratifica que, para a
orientar e controlar o Fundo Municipal de Assistência Social, o CMAS
"verifique, mediante acesso ao SUAS Web, se o plano de ação está em
conformidade com o plano municipal de assistência social, aprovado
pelo próprio conselho; (Portaria 459, de 2005, arts. 2º e 3º;
MDS/Manual de Procedimentos Operacionais)."

EVIDÊNCIA:
Entrevista com representante do Conselho Municipal de Assistência
Social - CMAS.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

10.2.5 CONSTATAÇÃO:
A COMISSÃO MUNICIPAL DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL - CMETI, NÃO
FISCALIZA A EXECUÇÃO DO PETI NO MUNICÍPIO.

FATO:
Em entrevista com a Secretária da Promoção Social de Cabixi fomos
informados que, apesar de a Comissão Municipal de Erradicação do
Trabalho Infantil - CMETI ter sido criada, ela não está em
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 107
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
funcionamento.
Segundo informou a Secretária, os integrantes da CMETI não comparecem
às reuniões agendadas para a Comissão, o que os impossibilita de
supervisionar a execução do Programa de Erradicação do Trabalho
Infantil - PETI.
Contudo, a criação e o funcionamento da CMETI são uma exigência para
implantação do Programa. Essa comissão, de caráter consultivo e
propositivo, objetiva contribuir para a implantação e implementação do
PETI, devendo ser constituída por membros do governo e da sociedade.
Ainda, conforme a "Cartilha do PETI", publicada em 2004 pelo
Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, recomenda-se a
participação das seguintes representações nas Comissões: órgãos
gestores das áreas de assistência social, trabalho, educação e saúde,
Conselhos de Assistência Social, de Defesa dos Direitos da Criança e
do Adolescente, Conselho Tutelar, Ministério Público, Delegacia
Regional do Trabalho ou Postos, sindicatos patronais e de
trabalhadores, instituições formadoras e de pesquisa, organizações
não-governamentais, fóruns ou outros organismos de prevenção e
erradicação do trabalho infantil, operadores do Programa e as famílias
beneficiárias.

EVIDÊNCIA:
Entrevista com a Secretária da Promoção Social de Cabixi; Ata de
reunião da CMETI.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

10.3 - PROGRAMA
1335
TRANSFERENCIA DE RENDA COM CONDICIONALIDADES
AÇÃO :
8442
TRANSFERENCIA DE RENDA DIRETAMENTE AS FAMILIAS EM CONDI
CAO DE POBREZA E EXTREMA POBREZA (LEI Nº 10.836, DE 200
4) - NA REGIAO NORTE
OBJETIVO DA AÇÃO :
Melhorar as condições socioeconômicas das famílias pobres e extrema-
mente pobres por meio de transferência direta de renda. O benefício
é condicionado ao cumprimento de agenda de compromissos nas áreas de
saúde e educação, bem como por atividades de desenvolvimento das fa-
mílias,inclusive ações sócio-educativas e de acompanhamento familiar
nos casos de incidência de trabalho infantil e de não cumprimento de
condicionalidades.
ORDEM DE SERVIÇO : 219818
OBJETO FISCALIZAÇÃO:
O objetivo do programa, no que tange ao produto esperado, está assim
definido: A)Realização das atividades de gestão de benefício (cadas-
tramento, bloqueio, cancelamento, suspensão etc); manter em boa guar-
da as informações cadastrais, bem como manter atualizados os dados
constantes no cadúnico; acompanhamento, conforme calendário, do cum-
primento das condicionalidades nas áreas da educação e saúde; B)Aten-
dimento pelas famílias beneficiárias do critério de elegibilidade da
renda per capita e cumprimento das condicionalidades das áreas da edu-
cação e saúde;e C)Atuação do órgão de controle social: acompanhamento,
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 108
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
avaliação e fiscalização da execução do programa; visitas às escolas e
aos postos de saúde para verificar a oferta de serviços nas áreas da
saúde e educação e o cumprimento das condicionalidades pelos benefi-
ciários.
AGENTE EXECUTOR :
PREFEITURA MUNICIPAL DE CABIXI
ORGAO PUBLICO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL
QUALIF. DO INSTRUMENTO DE TRANSF.:
FUNDO A FUNDO OU CONCESSãO
MONTANTE DE RECURSOS FINANCEIROS: R$ 800.657,00

10.3.1 CONSTATAÇÃO:
CONSELHO MUNICIPAL DE ACOMPANHENTO E CONTROLE SOCIAL DO PROGRAMA BOLSA
FAMÍLIA NÃO ESTÁ ATUANDO.

FATO:
Conforme informações prestadas pela Secretária de Promoção Social do
Município de Cabixi o Conselho de Instância foi criado porém não atua
ou acompanha o Programa. A Secretária relatou também que enviou
convite para formar o conselho e os convidados o aceitaram.
Entretanto, quando realizada a primeira reunião, a maioria dos
conselheiros não apareceu. Repetiu o convite mas a situação continuou.
Portanto o conselho, embora formalizado, não tem acompanhado as ações
do Programa.

EVIDÊNCIA:
Entrevista com a Secretária por meio de questionário.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

10.3.2 CONSTATAÇÃO:
CADASTRO DESATUALIZADO: ALUNOS NÃO LOCALIZADOS NAS ESCOLAS CONSTANTES
DA AMOSTRA, ALUNOS TRANSFERIDOS AINDA PRESENTES NA AMOSTRA.

FATO:
Para verificar a freqüência dos alunos nas salas de aula solicitamos
à Secretária de Educação a lista dos alunos que recebem o beneficio
Bolsa Família. A mesma disponibilizou relação de freqüência por meio
do Sistema de Acompanhamento da Freqüência Escolar do Programa Bolsa
Família - PROJETO PRESENÇA. Neste sistema obteve-se a freqüência dos
alunos de acordo com o encontrado nos diários de classe.
Analisadas as informações do sistema e comparadas com os dados da
amostra enviada pela CGU foi constatado que:
Alguns alunos da amostra não foram encontrados;
Determinados alunos presentes na amostra com registro em determinada
escola já se encontravam transferidos;
Seguem quadros que demonstram as constatações acima enumeradas:
Quadro 1 - Alunos que não foram localizados

ESCOLA NIS-CRIANÇA
CECÍLIA MEIRELES -
EEEF CHICO MENDES 16425763818
EMEF MARCO ÍRIS 16292819494
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 109
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
ESCOLA NIS-CRIANÇA
21010692315
EMEF CHICO 16301309031
SOLDADO 20158405980

Quadro 2 - Alunos transferidos


TRANFERIDOS
ESCOLA NIS-CRIANÇA Escola de destino
16409669373 ESCOLA PLANALTO
16410196483 ESCOLA GODOY MOREIRA
EMEF CECÍLIA
16464022483 ESCOLA PLANALTO
MEIRELES
16585800126 ESCOLA PLANALTO
21023045879 ESCOLA PLANALTO
EEEF CHICO
16205578396 ESCOLA MUNICIPAL BOM JESUS
MENDES
16107707337 ESCOLA MUNICIPAL BOM JESUS
16117700793 EEEF CHICO MENDES
16252277542 EEEF CHICO MENDES
EMEF MARCO ÍRIS
16292848842 EMEF CHICO SOLDADO
16292888275 EEEF CHICO MENDES
16405585302 EEEF CHICO MENDES
EMEF CHICO 16195388077 EEEFM JOSÉ DE ANCHIETA
SOLDADO 20158406081 EMEF CECÍLIA MEIRELES

EVIDÊNCIA:
Relatório do Sistema de Acompanhamento da Freqüência Escolar do
Programa Bolsa Família - PROJETO PRESENÇA E DIÁRIOS ESCOLARES

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

10.3.3 CONSTATAÇÃO:
BENEFICIÁRIOS COM INDÍCIOS DE RENDA PER CAPITA SUPERIOR À ESTABELECIDA
NA LEGISLAÇÃO DO PROGRAMA

FATO:
A CGU enviou amostra de 30 famílias beneficiárias para conferir se as
mesmas possuem as condicionalidades previstas na legislação do
Programa, quais sejam: a renda per capita é inferior a R$ 120,00, se
os filhos estão estudando e se a vacinação das crianças menores de 6
anos encontra-se atualizada.
Das famílias entrevistadas foram encontradas 03 (três) que recebem o
benefício mas com indícios de que não se enquadram nas diretrizes do
programa:

NIS MOTIVO
16379775537 Possui renda de R$ 519,00 para 4 membros da família, com isso a renda
per capita é de R$ 129,75 além de possuir uma casa de bom padrão.
16500945426 Possui moto e é proprietária de um sítio.
16168384031 Possui moto e é proprietária de um sítio.

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 110


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
Durante os trabalhos de campo, foi apresentada a equipe, denúncia de
beneficiários que recebem o benefício mas não se enquadram nas
diretrizes do Programa. Diante da denúncia, realizou-se inspeção "in
loco" nos endereços informados pelo denunciante, e verificou-se que 03
famílias possuem indícios de Renda per capita superior ao estipulado
para o programa.
Abaixo estão relacionados os 03 (três) beneficiários do Programa Bolsa
Família, onde procedemos as visitas:
NIS INDÍCIOS DE RENDA SUPERIOR
20429747637 A família possui um automóvel e renda de venda de leite no valor de
R$350,00 e casa de alvenaria.
16555315467 A família possui uma grande casa de alvenaria e outra de madeira.
16555148374 Possui moto e é proprietária de um sítio.

EVIDÊNCIA:
Visitas às famílias da amostra e fotos abaixo:

Beneficiário NIS 16379775537 Beneficiário NIS 204974637

Beneficiária NIS 16555315467

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

10.3.4 CONSTATAÇÃO:
NÃO HÁ EVIDÊNCIAS DE ATUAÇÃO DA COORDENAÇÃO MUNICIPAL DO PROGRAMA
BOLSA FAMÍLIA

FATO:
O Programa Transferência de Renda Diretamente as Famílias em
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 111
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
Condiçãode Pobreza e Extrema Pobreza - Bolsa Família objetiva melhorar
as condições socioeconômicas das famílias pobres e extremamente pobres
por meio de transferência direta de renda.
Em conformidade com o Programa, efetivou-se fiscalização das
atividades de gestão com a Prefeitura por meio de solicitação de
documentos, resposta a questionários e entrevistas com os
responsáveis.
Em resposta a questão 01 do questionário Bolsa Família - Prefeitura, a
Secretária de Promoção Social informou que a coordenação municipal do
programa foi formalmente constituída por meio do Decreto Municipal
nº143/2008. Contudo não tem atuado no município. A informação conflita
com o determinado na legislação que regula o Programa, Decreto nº 5209
de 17 de setembro de 2004:
Art. 14. Cabe aos Municípios:
I - constituir coordenação composta por representantes das suas áreas
de saúde, educação, assistência social e segurança alimentar, quando
existentes, responsável pelas ações do Programa Bolsa Família, no
âmbito municipal.

EVIDÊNCIA:
Entrevista com a Secretária de Promoção Social.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

10.4 - PROGRAMA
1384
PROTECAO SOCIAL BASICA
AÇÃO :
2A60
SERVICOS DE PROTECAO SOCIAL BASICA AS FAMILIAS - NACION
AL
OBJETIVO DA AÇÃO :
CRAS-Centro de Referência da Assistência Social:
Unidade pública estatal responsável pela oferta de serviços continua-
dos de assistências social às famílias em situação de vulnerabilidade
social, constituindo-se na "porta de entrada" dos usuários à rede de
serviços da proteção social básica do município.
ORDEM DE SERVIÇO : 220066
OBJETO FISCALIZAÇÃO:
Avaliar a atuação do gestor no planejamento, execução e acompanhamento
dos serviços oferecidos no CRAS-Centro de Referência da Assistência So
cial, em especial no tocante a oferta dos serviços; eficiência e lega-
lidade na execução dos recursos e acompanhamento/supervisão das ativi-
des desenvolvidas.
AGENTE EXECUTOR :
PREFEITURA MUNICIPAL DE CABIXI
ORGAO PUBLICO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL
QUALIF. DO INSTRUMENTO DE TRANSF.:
FUNDO A FUNDO OU CONCESSãO
MONTANTE DE RECURSOS FINANCEIROS: R$ 90.000,00

10.4.1 CONSTATAÇÃO:
AUSÊNCIA DE TRES COTAÇÕES EM PROCESSO DE DISPENSA
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 112
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
FATO:
No Programa de Atenção Integral à Família - PAIF foram analisados os
processos para aquisição de material de consumo por dispensa de
licitação, deflagrados pela Prefeitura de Cabixi. Constatou-se que não
existem nos mesmos o mínimo de três cotações, como exige a Lei n.º
8.666/93, artigos 43, IV e 26, parágrafo único.
Exemplificativamente, no processo 207/2008 de dispensa de licitação
para aquisição de materiais para confecções de ovos de páscoa, a
Secretaria de Ação Social só realizou cotação em duas empresas
diferentes. O valor adquirido foi de R$ 2.461,00 (dois mil
quatrocentos e sessenta e um reais). Participaram somente as empresas
de CNPJ 03.591.303/0001-14 e 05.303.495/0001-41.
Nesse sentido, vale citar a jurisprudência do Tribunal de Contas da
União (TCU) sobre o assunto:
"TCU - Acórdão 1584/2005 - Segunda Câmara...
Determinações:
...
36.1. Ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional para:
36.1.1. proceder, quando da realização de licitação ou dispensa, à
consulta de preços correntes no mercado ou fixados por órgão oficial
competente ou, ainda, constantes do sistema de registro de preços, em
cumprimento ao disposto no art. 43, inc. IV, e no art. 26, parágrafo
único, inc. III, da Lei 8.666/93, consubstanciando-a em, pelo menos,
três orçamentos de fornecedores distintos, os quais devem ser anexados
aos processos de contratação."

EVIDÊNCIA:
Análise do processo 207/2008 .

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

10.4.2 CONSTATAÇÃO:
EMPRESA NÃO LOCALIZADA NO ENDEREÇO INFORMADO NA LICITAÇÃO.

FATO:
No processo 559/2007 para aquisição de material de consumo, no valor
de R$ 3.306,00 (três mil trezentos e seis reais ), participaram as
empresas de CNPJ's 02.251.365/0001-14, 63.771.018/0001-07 e
04.551821/0001-77. Entretanto, durante os trabalhos de campo, foi
realizada vistoria nos endereços dessas empresas, com vistas à
confirmação (ou não) de sua existência física.
Como resultado, verificou-se que a empresa titular do CNPJ
04551821/0001-77 não foi localizada no endereço citado na sua
proposta, qual seja Rua Humaitá, 3641, Centro de Colorado do Oeste,
município vizinho a Cabixi.
Esse fato configura, no mínimo, falha no processo de compras,
comprometendo a competitividade e a busca pela melhor proposta para a
Administração, tendo em vista que uma empresa sem existência física,
nesse ramo de negócio, pode indicar conluio entre licitantes,
utilizando-se um terceiro CNPJ para validar o procedimento (mínimo de
três participantes).

EVIDÊNCIA:
Análise do processo 559/2007 , visitas aos endereços das empresas e as
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 113
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
fotos abaixo:

Foto 1: Instalação rústica. Foto 2: Imóvel existente no


mesmo endereço da empresa CNPJ
04551821/0001-77.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

10.4.3 CONSTATAÇÃO:
EXISTÊNCIA DE VÍNCULO ENTRE EMPRESAS COTADAS EM PROCESSO DE LICITAÇÃO
NA MODALIDADE CONVITE

FATO:
Por meio de análise aos processos de aquisição efetuados com recursos
do programa, identificaram-se falhas na condução do processo n.º
274/2007 no que tange à existência de vínculo entre os participantes.
O processo n.º 274/2007 foi realizado visando à aquisição de material
de consumo, material para artesanato e gêneros alimentícios mediante
convite, com o objetivo de atender as necessidades do Programa de
Atenção Integral à Família - PAIF.
A licitação realizou-se com divisão em três lotes de acordo com o
gênero dos produtos:
Lote 1, gêneros alimentícios, teve somente duas cotações entre as
empresas convidadas: CNPJ 05.303.495/0001-41 e CNPJ 03.591.303/0001-
14. Ambas foram homologadas e passaram a fornecer produtos para o
Município.
Lote 2, material de expediente, teve como participantes três empresas:
CNPJ 04551821/0001-77, CNPJ 02.251.365/0001-14 e CNPJ 05.741.277/0001-
99.
Lote 3, material de artesanato, teve como participantes três empresas:
CNPJ 63.771.018/0001-07, CNPJ 02.251.365/0001-14 e CNPJ
05.741.277/0001-99.
Conforme o processo licitatório, houve propostas de somente duas
empresas no Lote 1, o que é vedado na modalidade convite conforme o
parágrafo 3º do art. 22 da Lei Federal 8.666/93, que diz:
§ 3o Convite é a modalidade de licitação entre interessados
do ramo pertinente ao seu objeto, cadastrados ou não, escolhidos e
convidados em número mínimo de 3 (três) pela unidade administrativa, a
qual afixará, em local apropriado, cópia do instrumento convocatório e
o estenderá aos demais cadastrados na correspondente especialidade que
manifestarem seu interesse com antecedência de até 24 (vinte e quatro)
horas da apresentação das propostas.
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 114
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
A apresentação de três propostas também já foi objeto de Súmula do
TCU:
Na Súmula 248/2005, o TCU define que:
Não se obtendo o número legal mínimo de três propostas aptas à
seleção, na licitação sob a modalidade Convite, impõe-se a
repetição do ato, com a convocação de outros possíveis interessados,
ressalvadas as hipóteses previstas no parágrafo 7º, do art. 22, da Lei
nº 8.666/1993.
Constatou-se, ainda, que nos lotes 2 e 3 há vínculo entre empresas,
conforme consulta aos documentos das mesmas e aos sistemas CPF e CNPJ:
Empresa 1: 02.251.365/0001-14
Sócia da empresa 1: 584.364.802-87
Empresa 2: 05.741.277/0001-99
Procuradora da empresa 2: 315.595.812-04
O sistema CPF comprovou que a sócia da empresa 1 é filha da
procuradora da empresa 2.
Os fatos supracitados configuram falhas na condução dos processos,
comprometendo a competitividade e a busca pela melhor proposta para a
Administração.

EVIDÊNCIA:
Análise do processo nº. 274/2007, consulta aos sistemas CNPJ e CPF.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.
AÇÃO :
2A61
SERVICOS ESPECIFICOS DE PROTECAO SOCIAL BASICA - NACION
AL
OBJETIVO DA AÇÃO :
PROGRAMA PROTEÇÃO SOCIAL BÁSICA/PSB - PISO BÁSICO DE TRANSIÇÃO/PBT
A proteção social básica tem como objetivos prevenir situações de ris-
co por meio do desenvolvimento de potencialidades e aquisições, e o
fortalecimento de vínculos familiares e comunitários. Prevê a oferta
de serviços, programas e projetos locais de acolhimento, convivência e
socialização de famílias e de indivíduos. O PBT-Piso Básico de Transi-
ção financia os serviços de ação continuada da proteção social básica
destinados ao atendimento de crianças de 0 a 6 anos, da pessoa idosa
e de suas famílias.
ORDEM DE SERVIÇO : 220097
OBJETO FISCALIZAÇÃO:
Avaliar a atuação do gestor no planejamento, execução e acompanhamento
dos serviços financiados pelo Piso Básico de Transição, em especial no
tocante a planejamento das ações/serviços a serem executados; execução
das metas previstas; eficiência e legalidade da aplicação dos recursos
e critérios de seleção de beneficiários.
AGENTE EXECUTOR :
PREFEITURA MUNICIPAL DE CABIXI
ORGAO PUBLICO DO PODER EXECUTIVO MUNICIPAL
QUALIF. DO INSTRUMENTO DE TRANSF.:
FUNDO A FUNDO OU CONCESSãO
MONTANTE DE RECURSOS FINANCEIROS: R$ 62.428,60

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 115


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
10.4.4 CONSTATAÇÃO:
ATIVIDADES DO CENTRO DE CONVIVÊNCIA DE IDOSOS EXECUTADAS EM FREQUÊNCIA
INFERIOR À DEFINIDA NAS NORMAS DO PROGRAMA.

FATO:
Em resposta à Solicitação de Fiscalização 001/2008, foi informado pela
Secretaria de Promoção Social de Cabixi que atualmente 77 idosos estão
cadastrados no Programa Social Básico-Piso Básico de Transição (PBT).
Esse número está acima do informado na meta que foi de atender em
2007, cinqüenta idosos.
No entanto, a média mensal de comparecimento às últimas três reuniões
foi de 83 idosos. Segundo a Secretária de Promoção Social, esse número
é superior ao número de idosos registrados (77)na prefeitura, uma vez
que está sendo realizada uma atualização do cadastro e nem todos eles
se recadastraram, não constando, então, na relação citada acima.
Estão cadastradas no programa nove pessoas com idade inferior a 60
anos, sendo três com 55, uma com 56, uma com 57 e quatro com 58 anos.
A renda familiar não é considerada como critério de seleção para
participação no programa.
As reuniões dos idosos ocorrem no mesmo local onde é realizada a
Jornada Ampliada do Programa de Erradicação de Trabalho Infantil,
sendo chamado de Centro de Convivência dos Idosos. No Centro há um
espaço amplo, com mesas e cadeiras, onde são realizados almoços e
reuniões dançantes.
Analisando-se a lista de presença do Centro de Convivência dos Idosos,
observou-se que esse grupo se reúne apenas uma vez ao mês, freqüência
inferior àquela recomendada pelo Programa. Segundo relato verbal da
Secretária de Promoção Social, o recurso recebido não é suficiente
para a realização de mais que uma reunião por mês.
É necessário, contudo, que a programação das atividades do PBT Idoso
seja reavaliada, de forma a ampliar a freqüência de reuniões e a
atingir os objetivos do programa, conforme estabelecido no "Manual da
Pessoa Idosa", elaborado pelo Ministério de Desenvolvimento Social e
Combate à Fome.
Ressalta-se, também, a importância do monitoramento e da fiscalização
das atividades de assistência ao idoso, pelos conselhos e comissões
criadas para esse fim. O Tribunal de Contas da União, em sua cartilha
"Orientações para Conselhos da Área de Assistência Social" - 2007,
orienta:
"A assistência social aos idosos deve ser prestada, de forma
articulada, conforme os princípios e diretrizes previstos na Lei
Orgânica da Assistência Social, na Política Nacional do Idoso, no
Sistema Único de Saúde e demais normas pertinentes. Na implementação
da política nacional do idoso, são competências dos órgãos e entidades
públicos, na área de promoção e assistência social: estimular a
criação de incentivos e de alternativas de atendimento ao idoso, como
centros de convivência, centros de cuidados diurnos, casas-lares,
oficinas abrigadas de trabalho, atendimentos domiciliares e outros.
(...)
O Centro de Convivência do Idoso deve ser fiscalizado pelo Conselho
Municipal de Assistência Social (e/ou o Conselho Municipal do Idoso).
(...)
São atribuições do Conselho Municipal do Idoso (ou Conselho Municipal
da Pessoa Idosa):
• exercer a supervisão, o acompanhamento, a fiscalização e a avaliação
da política nacional do idoso, no âmbito das respectivas instâncias
político-administrativas; (Lei 8.842, de 1994, art. 7º com redação da
Lei 10.741, de 2003, art. 53)
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 116
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
exercer a fiscalização das entidades governamentais e não
governamentais de atendimento ao idoso (a fiscalização compete também
ao Ministério Público, à Vigilância Sanitária, aos conselhos
municipais de assistência social); (Lei 10.741, de 2003, art. 52)."

EVIDÊNCIA:
Entrevista com a Secretária Promoção Social e avaliação das listas de
presença do Centro de Convivência dos Idosos e fotos abaixo:

Foto 1: Centro de Convivência Foto 2: Centro de Convivência


dos Idosos dos Idosos

Foto 3: Centro de Convivência Foto 4: Centro de Convivência


dos Idosos dos Idosos

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

10.4.5 CONSTATAÇÃO:
A META PREVISTA NÃO É EXECUTADA.

FATO:
As atividades relacionadas ao PBT Infância são desenvolvidas das
06:00h às 18:00h, na Creche Municipal Cebolinha, à Av. Tapajós, nº
4.800.
Nesse local são atendidas, atualmente, 80 crianças de zero a três anos
e onze meses. Considerando-se que a meta prevista para o município é
de 248 crianças, a execução física do programa foi de 32,26%.
No entanto, em resposta à Solicitação de Fiscalização 001/2008, a
Secretaria de Promoção Social informou que o não cumprimento da meta

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 117


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
de atendimento de 248 deve-se à mudança nas idades do ensino
fundamental, que passou a atender as crianças de 4 a 6 anos. Segue
abaixo a transcrição da resposta:
"Quanto ao cadastro dos beneficiários ter sido reduzido de 248 para 80
em relação ao exercício 2007. Foi em razão do atendimento do PBT que
era atendido dentro da faixa etária de 0 a 6 anos de idade, devido à
mudança do Ensino Fundamental de 9 anos, o atendimento das crianças da
faixa etária de 4 a 6 anos passou a ser atendido pelo ensino
Fundamental de 9 anos."
Sendo assim, é necessário que a meta seja revista, de forma a adequá-
la às novas condições do município.

EVIDÊNCIA:
Entrevista à Secretária Municipal de Promoção Social, documento
Resposta de Fiscalização 0001/2008, de 25/11/2008 e fotos abaixo:

Foto 1: Creche Municipal Foto 2: Creche Municipal -


cozinha

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

10.4.6 CONSTATAÇÃO:
DEFICIÊNCIA NA INSTALAÇÃO FÍSICA DA CRECHE DO PBT INFÂNCIA.

FATO:
Em inspeção física realizada na Creche Municipal Cebolinha, local onde
são desenvolvidas as atividades do PBT Infância, verificou-se que as
instalações não são adequadas para receber todas as crianças
cadastradas no programa.
A creche é composta por duas salas, dois banheiros, uma cozinha, uma
dispensa/almoxarifado, área de serviço, onde são lavadas e passadas
roupas e toalhas, e um quintal. Na sala que se destina ao atendimento
das crianças de zero a dois anos há dois armários, dois berços, uma
cama e alguns colchões, em um espaço reduzido, não suficiente para
receber diariamente cerca de vinte crianças.
Na sala principal, onde ficam as crianças de 2 a 4 anos, não há
qualquer mobiliário. São utilizados apenas colchões, colocados
diretamente no chão, para as crianças dormirem. O local é mal
ventilado e em geral é muito quente e abafado, conforme informação das
monitoras da creche. Esse ambiente, segundo elas, não é satisfatório
para que as crianças sejam dividas em grupos por idade.
Desta forma, é importante que sejam viabilizadas condições adequadas
de atendimento às crianças, com melhoria da estrutura física da
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 118
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
creche, incluindo maior ventilação e iluminação do local, além de
ampliação da sala para os menores de dois anos. É necessária, também,
a aquisição do mobiliário apropriado para a sala principal.

EVIDÊNCIA:
Inspeção física da creche e entrevista das monitoras, com aplicação do
questionário PBT Infância e fotos.

Foto 1: Sala das crianças < 2 Foto 2: Sala das crianças < 2
anos anos

Foto 3: Sala principal Foto 2: Sala principal


(crianças > 2 anos) (crianças > 2 anos)

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

10.4.7 CONSTATAÇÃO:
DEFICIÊNCIAS NO ATENDIMENTO OFERECIDO AOS BENEFICIÁRIOS DO PBT.

FATO:
Na Creche Municipal Cebolinha, conforme relato das funcionárias, o
número de monitoras não é suficiente para atender adequadamente a
todas as crianças, uma vez que chegam a ter até 30 crianças sob a
supervisão integral (alimentação, banho, brincadeiras e cuidados em
geral) de apenas uma pessoa.
A creche dispõe de brinquedos, como bonecas e jogos de montar, em
quantidade suficiente para atender as crianças. No entanto, há
deficiências na quantidade de material para desenhar e fazer colagens,
conforme informaram as monitoras.
Segundo elas, a alimentação oferecida é adequada, em quantidade e
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 119
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
variedade, dentro das possibilidades da prefeitura. No café da manhã e
nos lanches são servidos pães, frutas, suco, leite etc. Há crianças
que também almoçam na creche.
Não há grandes deficiências na higiene do local. Contudo, todas as
crianças, doentes ou não, ao tomarem banho, são enxugadas com a mesma
toalha, o que é inadequado do ponto de vista sanitário, uma vez que
facilita a transmissão de doenças infecciosas.
O aumento do número de funcionários poderia possibilitar um cuidado
diferenciado paras as crianças de cada grupo de idade, estimulando-as
de maneira distinta. Além disso, permitiria maior atenção às crianças
que apresentassem alguma patologia infecciosa, reduzindo o risco de
transmissão de doenças e de surtos na creche.

EVIDÊNCIA:
Inspeção física da creche e entrevista das monitoras, com aplicação do
questionário PBT Infância.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

10.4.8 CONSTATAÇÃO:
FUGA AO PROCEDIMENTO LICITATÓRIO POR FRACIONAMENTO DO OBJETO.

FATO:
Em análise das despesas do PBT, foram identificados nove processos
para a aquisição de materiais de consumo (alimentos e material de
higiene e limpeza e material de escritório), sendo sete de 2007 e dois
de 2008.
Em 2007, a compra desses produtos foi realizada por dispensa de
licitação (Processos nº 127/2007, 304/2007, 444/2007, 248/2007,
447/2007) e por licitação na modalidade convite (Processos nº 113/2007
e 558/2007), totalizando o valor de R$ 29.082,73 (vinte e nove mil e
oitenta e dois reais e setenta e três centavos).
Entretanto, uma vez que o enquadramento da licitação deve ser feito em
função das despesas anuais e que o valor das compras é superior a R$
8.000,00 (oito mil reais), a aquisição dos produtos não poderia ter
sido realizada por dispensa de licitação, pois o procedimento
licitatório seria obrigatório.
Conforme o Acórdão n.º 314/2004 do Tribunal de Contas da União (texto
transcrito abaixo), o enquadramento da licitação deve considerar o
volume anual de compras:
"9.3.2 - programe as despesas com a merenda escolar, de forma global e
anual, e realize o certame licitatório pertinente, de maneira a dar
cumprimento aos princípios da legalidade, impessoalidade, publicidade,
igualdade, moralidade e probidade administrativa, previstos no art. 3º
da Lei n.º 8.666/93".
Conforme estabelecido nos Art. 23 e 24 da Lei n.º 8.666/93, é
dispensável de licitação a compra de valor até R$ 8.000,00 (oito mil
reais). Sendo assim, as compras referentes aos Processos nº 127/2007,
304/2007, 444/2007, 248/2007, 447/2007 deveriam ter sido realizadas
por licitação, o que permitiria a ampliação da concorrência e a
escolha da melhor proposta pela administração pública.

EVIDÊNCIA:
Análise dos Processos nº 127/2007, 304/2007, 444/2007, 248/2007,
Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 120
Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
447/2007
113/2007 e 558/2007.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

10.4.9 CONSTATAÇÃO:
DISPENSA DE LICITAÇÃO COM MENOS DE TRÊS COTAÇÕES DE PREÇOS.

FATO:
Mediante análise das despesas do programa em 2007 e 2008, constatou-se
que foram conduzidos nove processos para aquisição de alimentos, sendo
seis por dispensa de licitação e três por licitação na modalidade
convite.
Identificou-se, porém, que em todos os processos de compra por
dispensa de licitação (Processos nº 127/2007, 248/2007, 304/2007,
444/2007, 447/2007, 129/2008) foram realizadas cotações de preço dos
alimentos com apenas dois fornecedores (CNPJ 05.303.495/0001-41 e
03.591.303/001-14).
Ressalta-se que nas situações de dispensa de licitação é necessária a
obtenção da proposta de preços de pelo menos três fornecedores
distintos, no intuito de fomentar a concorrência, conforme o Acórdão
1584/2005 do Tribunal de Contas da União - TCU, cujo trecho está
reproduzido abaixo:
"36.1.1. proceder, quando da realização de licitação ou dispensa, à
consulta de preços correntes no mercado ou fixados por órgão oficial
competente ou, ainda, constantes do sistema de registro de preços, em
cumprimento ao disposto no art. 43, inc. IV, e no art. 26, parágrafo
único, inc. III, da Lei 8.666/93, consubstanciando-a em, pelo menos,
três orçamentos de fornecedores distintos, os quais devem ser anexados
aos processos de contratação."

EVIDÊNCIA:
Análise dos Processos nº 127/2007, 248/2007, 304/2007, 444/2007,
447/2007, 129/2008.

MANIFESTAÇÃO DA UNIDADE EXAMINADA:


Não houve manifestação.

ANÁLISE DO CONTROLE INTERNO:


Não se aplica.

CONCLUSÃO

Concluídos os trabalhos, dentre as constatações registradas, destacamos


as seguintes:

22000 MINIST. DA AGRICUL.,PECUARIA E ABASTECIMENTO

ITENS:
1.1.1 1.1.2 1.1.3

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 121


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO
26000 MINISTERIO DA EDUCACAO

ITENS:
2.1.1 2.2.1 2.2.2 2.2.3 2.2.4 2.2.5 2.2.6 2.3.1
2.3.2 2.3.3 2.3.4 2.3.5 2.3.6

28000 MINISTERIO DO DESENV,IND. E COMERCIO EXTERIOR

ITENS:
3.1.1 3.1.2

36000 MINISTERIO DA SAUDE

ITENS:
4.1.1 4.1.2 4.1.3 4.1.4 4.1.5 4.1.6 4.1.7 4.1.8
4.1.9 4.1.10 4.1.11 4.1.12 4.1.13 4.1.14 4.1.15 4.1.16
4.1.17 4.1.18 4.1.19 4.2.1 4.2.2 4.2.3 4.2.4 4.2.5
4.2.6 4.2.7 4.2.8 4.3.1 4.3.2 4.3.3 4.3.4 4.3.5

41000 MINISTERIO DAS COMUNICACOES

ITENS:
5.1.1 5.1.2 5.1.3 5.2.1

49000 MINISTERIO DO DESENVOLVIMENTO AGRARIO

ITENS:
6.1.1 6.1.2

51000 MINISTERIO DO ESPORTE

ITENS:
7.1.1 7.1.2 7.1.3

53000 MINISTERIO DA INTEGRACAO NACIONAL

ITENS:
8.1.1 8.1.2 8.2.1 8.2.2 8.2.3 8.2.4 8.2.5 8.2.6

54000 MINISTERIO DO TURISMO

ITENS:
9.1.1 9.1.2 9.1.3

55000 MINISTERIO DO DESENV. SOCIAL E COMBATE A FOME

ITENS:
10.1.1 10.1.2 10.1.3 10.1.4 10.1.5 10.1.6 10.1.7 10.2.1
10.2.2 10.2.3 10.2.4 10.2.5 10.3.1 10.3.2 10.3.3 10.3.4
10.4.1 10.4.2 10.4.3 10.4.4 10.4.5 10.4.6 10.4.7 10.4.8
10.4.9

Controladoria-Geral da União Secretaria Federal de Controle Interno 122


Missão da SFC: “Zelar pela boa e regular aplicação dos recursos públicos.”
27º Sorteio de Unidades Municipais – Cabixi - RO