Você está na página 1de 6

Escola Secundária c/ 3º ciclo do Ensino Básico de Ponte de Sôr

Curso EFA – Educação e Formação de Adultos - Tipo B


Cultura, Língua e comunicação

Unidade de competência: 6

Domínio de Referência: DR4

Núcleo: Urbanismo e Mobilidade (UM)

Tema: Mobilidades Locais e Globais

Ponte de Sôr, 10 de Março 2009 1


Escola Secundária c/ 3º ciclo do Ensino Básico de Ponte de Sôr
Curso EFA – Educação e Formação de Adultos - Tipo B
Cultura, Língua e comunicação

Diferentes comunidades de imigrantes em Portugal

Até aos anos 90 do século XX, a maioria da imigração em Portugal era oriunda de
países lusófonos. No entanto, a partir de 1999, começou-se a moldar um tipo de
imigração diferente e em massa proveniente da Europa de Leste.

Este grande fluxo migratório deveu-se à abertura das fronteiras da União Europeia por
parte da Alemanha, em 1999. No entanto, devido à escassez de empregos
indiferenciados nesse país, fez com que estes migrassem para sul, para a Península
Ibérica, onde existiam grandes necessidades de mão-de-obra para a construção civil e
agricultura nos dois países ibéricos.

A maioria desses imigrantes estava dividida em dois grupos, os eslavos: ucranianos,


russos e búlgaros, e os latinos de leste: romenos e moldavos.

Um dos maiores grupos, que se fixou nas regiões de Lisboa, Setúbal, Faro e Porto são
os ucranianos, e ninguém sabe ao certo o seu número total. O número de imigrantes
legais é de cerca de 70 000, sendo que este número é muitas vezes inferior à realidade.
O grupo é de tal forma numeroso que fez com que a Ucrânia, de país distante e
desconhecido, passasse a familiar. A imigração de leste tornou-se de difícil controlo.

Em 2003, a imigração em massa proveniente do leste europeu estacou, surgindo assim a


imigração mais significativa de brasileiros e asiáticos de várias origens (nomeadamente
indianos e chineses).

Ponte de Sôr, 10 de Março 2009 2


Escola Secundária c/ 3º ciclo do Ensino Básico de Ponte de Sôr
Curso EFA – Educação e Formação de Adultos - Tipo B
Cultura, Língua e comunicação

Importância da Língua Portuguesa para as comunidades de


emigrantes e para os Países de Língua Oficial Portuguesa

A língua portuguesa, com mais de 240 milhões de falantes, é, como língua nativa, a
quinta língua mais falada no mundo e a terceira mais falada no mundo ocidental. É o
idioma oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Macau,
Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste, sendo também falada nos
antigos territórios da Índia Portuguesa (Goa, Damão, Diu e Dadrá e Nagar-Aveli), além
de ter também estatuto oficial na União Europeia, no Mercosul e na União Africana.

A língua portuguesa é uma língua românica (do grupo ibero-românico), tal como o
castelhano, catalão, italiano, francês, romeno e outros.

Ponte de Sôr, 10 de Março 2009 3


Escola Secundária c/ 3º ciclo do Ensino Básico de Ponte de Sôr
Curso EFA – Educação e Formação de Adultos - Tipo B
Cultura, Língua e comunicação

Motivos que levam os Portugueses à imigração e emigração


A imigração e emigração em geral ocorrem por iniciativa pessoal, pela busca de
melhores condições de vida e de trabalho por parte dos que imigram, ou ainda para fugir
de perseguições ou discriminações por motivos religiosos, políticos ou guerras. Foi o
principal motivo dos movimentos migratórios ocorridos da Europa e da Ásia para as
Américas no século XIX e também no início do século XX (muito embora houvesse
também o interesse na entrada de imigrantes, por razões demográficas ou para o
"branqueamento" da sua população, por parte dos países de acolhimento). Esse processo
também pode ser incentivado por governos de países que queiram aumentar o tamanho
e/ou a qualificação da sua população, como ainda fazem, por exemplo, o Canadá e
Austrália desde o século XX.

Ponte de Sôr, 10 de Março 2009 4


Escola Secundária c/ 3º ciclo do Ensino Básico de Ponte de Sôr
Curso EFA – Educação e Formação de Adultos - Tipo B
Cultura, Língua e comunicação

Resumo

Neste trabalho abordei as diferentes comunidades de emigrantes em Portugal,


Importância da Língua Portuguesa para as comunidades de emigrantes e para os Países
de Língua Oficial Portuguesa, motivos que levam os portugueses à imigração e
emigração.

As pessoas vão para outros países à procura de melhores condições de vida, de melhorar
o futuro.

Devido às dificuldades da legislação, existem milhares de imigrantes clandestinos


espalhados por todo o mundo, essas pessoas saem dos seus países de origem à procura
de melhores condições de vida. Mas nem sempre isso acontece. Muitas vezes acabam
por ser explorados por entidades patronais, que se aproveitam dos imigrantes.

A língua Portuguesa tem uma grande importância na vida dos emigrantes

Ponte de Sôr, 10 de Março 2009 5


Escola Secundária c/ 3º ciclo do Ensino Básico de Ponte de Sôr
Curso EFA – Educação e Formação de Adultos - Tipo B
Cultura, Língua e comunicação

In this study I addressed the different communities of


immigrants in Portugal, the importance of Portuguese for
the Portuguese communities of immigrants and the countries
of Portuguese official language and the reasons for the
Portuguese immigration and emigration.
People go to other countries in search of better living
conditions, to improve their future.
Due to the difficulties of the legislation, there are
thousands of illegal immigrants spread throughout the
world. These people leave their countries of origin in
search of better living conditions. But it doesn’t always
happen; they often end up being exploited by employers who
take advantage of immigrants.
The Portuguese language has a great importance in the lives
of migrants.

Ponte de Sôr, 10 de Março 2009 6