PAZ GUERREIRA

1ª Pétala: HUMILDADE O Sol, querendo conhecer a escuridão, pergunta aos sábios da montanha onde poderia encontrá-la. Estes respondem: "Vai até ao íntimo da caverna mais profunda e lá seguramente encontrarás a escuridão". O Sol partiu na sua busca e, encontrando a caverna mais profunda, procurou a escuridão com entusiasmo. Depois de algum tempo, já dececionado, voltou ao encontro dos sábios e disse: "Procurei intensamente, mas, para a minha infelicidade, não pude encontrar o que desejava". Os sábios, já preocupados, responderam: "Vai, então, até ao oceano das esperanças e lá, na mais abissal das profundezas marinhas, sem dúvida encontrarás a mais poderosa escuridão". Depois da sua busca em vão, o Sol voltou aos sábios e disse: "Procurei com toda a força da minha alma, procurei no mais profundo dos oceanos e fui onde mais ninguém jamais fora, no entanto, não pude conhecer a escuridão, pois nos mares ela não se encontrava". Os sábios, depois de algum tempo, trouxeram uma resposta para o Sol: "Caro Sol, nunca conhecerás a escuridão, nem nas cavernas, nem nos oceanos, nem em lugar algum no mundo, pois como és Sol, carregas a LUZ contigo para onde quer que seja e iluminas tudo à tua passagem. Portanto, jamais conhecerás a escuridão". 2ª Pétala: ADMIRAÇÃO "- O meu avô foi um homem precoce na vida e na morte. Foi um soldado no período das guerras incessantes que assolaram o nosso país. Por coincidência, por destino ou por arranjos do Universo, numa batalha decisiva, todos os oficiais superiores da sua unidade sucumbiram. De forma natural, assumiu a liderança dos soldados. Foi um daqueles instantes que só acontecem em combate. Ninguém precisou de dizer uma palavra, ele sabia que devia liderar e todos sabiam que ele devia ser o líder. De uma situação de inferioridade, ele obteve uma vitória estrondosa. Era um militar nato. Quando isso aconteceu, tinha apenas 18 anos de idade. O Imperador nomeou-o General de Campo. No período de 1 ano, tornou favorável a nossa situação na guerra, o que àquela altura parecia impossível. Esta é uma característica dos grandes homens: conquistar o impossível. Mesmo aqueles que, por convicção ou por inveja, se tenham manifestado contrários à sua nomeação tiveram de reconhecer a sua capacidade. Foi então que o Imperador o surpreendeu ainda mais, nomeandoo seu sucessor e afastou-se do trono ainda em vida. Inicialmente meu avô ficou relutante, dizia-se um soldado e não um governante, mas o Imperador, com a visão que só os grandes dirigentes têm, mostrou-lhe que esse era o caminho e demoveu-o das suas resistências... O meu avô foi então um grande Imperador... Somente quem não deseja o poder para si saberá usá-lo em benefício da justiça."

3ª Pétala: FORÇA A FORÇA é a virtude que compartilham todos os guerreiros de um clã (família/grupo...), não é uma questão pessoal, mas sim um poder COLETIVO. Os antigos diziam que um homem sem cidade não é nada, pois carece de força para lutar como um guerreiro. A FORÇA e o ESPÍRITO quem emanam da companhia vêm da união dos cavaleiros diante de um ideal superior. Quando tentamos quebrar um galho isolado, facilmente o fazemos. Mas um feixe de galhos é muito difícil mesmo com muita força empregue. Por trás de cada galho existe uma linha de força que os une e justifica, é como uma linha luminosa que se manifesta quando as partes descobrem que na realidade são unas em essência. Tudo no Universo está interligado e interconectado, o ser humano, quando desliza pelo aroma do mistério da UNIÃO, encontra a FORÇA que vem do ideal, e através da técnica o guerreiro é capaz de explorar com eficácia tudo o que a FORÇA do ideal lhe oferece. ESPÍRITO, FORÇA e TÉCNICA compõem as 3 armas do verdadeiro guerreiro.

4ª Pétala: LIDERANÇA O guerreiro que canaliza o poder torna-se representante desse atributo divino na terra. A isso chamamos LIDERANÇA. Um líder é um canal do poder. Como numa espécie de "aura mágica", faz com que todos que estão em seu redor voltem a sonhar e a ter esperanças. Faz com que as pessoas se sintam seguras e protegidas, motivadas e valorizadas, sintam que as suas vidas podem tocar o incomum, se vejam capazes de romper as limitações e de rasgar a mediocridade. Um líder encontra as respostas para todas as perguntas na sua própria alma, nada está para além dele, sabe que a realidade do poder está dentro do seu círculo interno. Um líder toma sempre a iniciativa e sabe que rumo seguir. Utiliza sempre o elemento surpresa e com carisma garante o êxito. O líder é como o Sol, quando surge, o caos e as sombras abrem espaço para a sua passagem.

5ª Pétala: OBEDIÊNCIA A OBEDIÊNCIA é o grau de consciência que permite ao guerreiro ver de forma clara e direta os homens e mulheres de condição superior e servi-los. Essa consciência livre e voluntária outorga ao guerreiro dignidade e nobreza, dois elementos importantes para se gerar um laço de confiança incondicional entre o Mestre e o discípulo que levará a cabo a missão consignada, com fidelidade absoluta. Esse pacto dá sentido à vida, uma causa pela qual lutar. Sem esse pacto, seu ser ver-se-ia destroçado espiritualmente e facilmente se corromperia perante a cristalização da vida. A OBEDIÊNCIA é a virtude daquele que ouve os seus sonhos, que nada mais são do que o seu destino oculto fazendo-se presente diante dos olhos dos imortais, diante dos olhos daqueles que coroam a eternidade, quando o Universo ainda repousava no seio infinito da duração. A OBEDIÊNCIA é o pacto que ficou registado através da história pelos símbolos dos clãs guerreiros que, pelo serviço heróico que professam, recebem a graça de pertencer a uma família espiritual. 6ª Pétala: NOBREZA NOBREZA não é uma característica, mas um estado, um espírito. Tu és nobre enquanto cultivares esse espírito no teu coração. Quando ele o deixar, não passarás de um homem comum. É como o ouro, o que lhe dá essa condição é uma energia cósmica que, vinda do espaço, o perpassa, dando-lhe a condição de ouro. É o que o vulgo chama "mãe do ouro". Quando esse espírito não cruza mais uma mina, o ouro torna-se simples pedra. Da mesma forma, quando a NOBREZA vinda dos deuses deixa de impregnar o coração de um homem, ele torna-se pedra. Deixa de ter atitudes altruístas e passa a ser um homem comum, que pensa apenas em si mesmo... 7ª Pétala: HONRA A CORAGEM e VALOR, qualidades imprescindíveis a um guerreiro, não são suficientes. Além disso é necessário ter boa índole, ser civilizado e respeitar códigos morais, sob quaisquer circunstâncias. Comportar-se de forma honrada é não permitir que as necessidades da matéria, os seus impulsos ou os seus baixos instintos prevaleçam sobre a superioridade do espírito. Temos que ter a a HONRA de manter a espada embainhada quando muitos a usariam. Temos que ter a HONRA necessária para sacar a espada diante da morte certa, mantendo-nos fiéis aos nossos principios e ao nosso Mestre, quando muitos se deixariam tomar pela Natureza inferior e pelo terror, que é campo fértil para a traição.

8 Pétala: CAVALARIA Um cavaleiro é um homem especial, eleito entre mil homens, com o coração de ouro, é alguém que consegue ver as coisas de um patamar diferente daquele dos homens comuns. Nada, para o cavaleiro, é comum. O homem comum pensa antes em si do que nos outros, enquanto o cavaleiro pensa antes nos outros e nada em si. O homem comum perdese nas culpas e arrependimentos do passado e desespera-se diante das incertezas do futuro, esquecendo-se de estar presente naquilo que está a fazer. O cavaleiro só vive o momento presente, pois sabe que tudo o resto é ilusão. Sabe que cada aurora é única e especial, como cada folha que viaja embalada pelo vento e cada flor que se apresenta no seu caminho, cada copo de água ou de vinho que lhe chega aos lábios e cada conversa que tem com um amigo ou com a sua dama. Enfim, o cavaleiro vive cada momento pois anda de braços dados com a morte e sabe que cada um pode ser o seu último momento. Mas isso não o assusta, como assustaria um homem comum, pelo contrário, dá-lhe força e coragem para viver a vida com toda a intensidade, porque quem não tem medo de morrer também não tem medo de viver! O cavaleiro é a ligação entre os homens e os deuses!

9ª Pétala: RETIDÃO RETIDÃO é para o guerreiro uma força silenciosa, mas sempre presente, transmitida pelos antepassados e pelos Mestres. É um toque de sobriedade e de seriedade, que permite discernir e seleccionar conscientemente e com disciplina os instintos animais das faculdades da inteligência do homem superior.

10ª Pétala: CORAGEM CORAGEM é um impulso interno que se manifesta como valor. É agir com o coração. Denota a personalidade que sabe tomar decisões difíceis nos momentos difíceis. É um ato de nobreza e, ao mesmo tempo, um atuar com determinação, força e honra. Qual o caminho que se deve tomar para que o coração se inflame de sabedoria? O treino e o combate são as ferramentas pelas quais o guerreiro toma contacto com essa virtude. Quando o guerreiro é submetido a provas de cansaço, dor e temor, quando o hálito da morte ameaça instaurar-se em roxos lábios, o sangue já não reconhece o caminho das próprias veias, o peso do corpo é o peso do mundo, e a dor e o temor tomam conta do seu ser, floresce a CORAGEM do seu abismo oculto. Ela é a virtude que permite ao guerreiro vencer um dos maiores predadores do homem: a impotência. O caminho é o caminho do coração, a impotência pode chegar à mente, não ao coração. 11ª Pétala: RESPEITO "... com muita solenidade, tinha retirado da saya o seu sabre (...). Começou a limpar a lâmina com muita calma, olhando o fio, passando sobre ele um óleo vegetal apropriado, vendo e vivendo toda a história que ele carregava. (...) manuseava o sabre como se fosse um objeto sagrado o que, de facto, era. Podia-se perceber uma relação de respeito entre ele e aquela arma mágica. A certa altura, (...) levantou os olhos, para se deparar com o seu Mestre, que o observava em silêncio. O Mestre sorriu, satisfeito em ver a postura do seu discípulo. Sentou-se à sua frente e fez sinal para que continuasse o que estava a fazer, já que (...) ameaçou levantar-se para o receber. Enquanto o jovem prosseguia com o sabre, o Mestre começou a falar: - É bom ver a forma RESPEITOSA com que estás a agir neste momento, pois o RESPEITO é uma virtude cidadã. Não é possível construir uma civilização sem dedicar muito RESPEITO aos valores e à convivência, sem o devido reconhecimento e a devida aceitação das tradições, dos valores do estado, dos valores morais e dos conselhos dos sábios. Esse sabre representa e sintetiza isso tudo, e a forma como o tratas e manuseias denota que tens esse sentido de RESPEITO dentro de ti."

12ª Pétala: REGULAMENTO Uma cidade sem leis está fadada ao caos e ao perecimento. Ao Caos primordial, Deus criador empregou Inteligência para gerar o Universo. Fê-lo segundo a Lei, que estava presente desde a criação e antes dela, e agora rege e ordena todo o Universo. Essa Lei, manifestada entre os homens, é o que permite a tudo que é dual operar de forma ordenada neste mundo concreto. Uma sociedade precisa de um REGULAMENTO de acordo com essa Lei. E o bom dirigente deve conduzir os demais em harmonia com esse REGULAMENTO, pois onde ele não está presente, eclode a violência. 13ª Pétala: PACIÊNCIA Na vida em geral, mas especialmente na guerra, é imprescindível ter muita PACIÊNCIA, e ela compõe-se de dois aspetos, um dirigido àqueles que o guerreiro comanda e pelos quais é responsável, e outro dirigido ao inimigo a quem deve vencer, se possível sem luta. A PACIÊNCIA é uma das mais importantes armas para se estruturar a estratégia de aproximação indireta e para o guerreiro exercer controlo sobre a sua própria natureza e a sua força. Os seus fundamentos são mais internos do que externos e têm relação direta com um grau profundo de compreensão da natureza de todas as coisas e de todos os seres. A PACIÊNCIA manifesta-se como uma força consciente e inteligente, que permite ao homem ou à mulher de condição guerreira vencer um dos maiores problemas humanos: a impotência. Mas essa impotência jamais seá vencida com ansiedade! Pelo contrário, mais do que nunca precisa de PACIÊNCIA, muita PACIÊNCIA, esta virtude que é o umbral da sabedoria, pois prevê a existência das leis de ação da natureza e ao mesmo tempo é o veículo através do qual se expressa a prudência. O DESTINO NÃO É UM MERGULHO DIRETO E RASANTE, MAS UMA LARGA ESPIRAL, ATÉ UM POUSO SUAVE...

14ª Pétala: VALOR O VALOR é filho da coragem. O VALOR é movido por princípios e não por interesses. OVALOR é a virtude mais importante para um guerreiro. Ele pode carecer de quaisquer outras virtudes, mas não desta, sob pena de cair em dois pecados mortais: a traição e a covardia. Ser valente não é sinónimo de não ter medo, nem de ser temerário. Ser valente está intimamente relacionado com o amor ou respeito próprio que prima nos momentos em que se deve cumprir uma ação, apesar de todas as consequências pessoais, apesar da dor, apesar da perda, apesar do fracasso... Ao mesmo tempo, o VALOR não se deixa arrastar pelo prazer, nem pela paixão, quando o dever chama. Mesmo assim, o VALOR não é uma virtude solitária, pois necessita de um corpo forte para se expressar, e esse corpo é o coração do guerreiro! O VALOR está sempre junto da coragem. Ser valente significa ser útil nos momentos difíceis, ter iniciativa para ajudar, ser capaz de receber feridas protegendo algo ou alguém. Ao mesmo tempo, é um poder, capaz de arrastar e conduzir, capaz de causar admiração, respeito e temor. Por tudo isso, o VALOR é a máxima virtude de um guerreiro. 15ª Pétala: DETERMINAÇÃO A DETERMINAÇÃO é uma questão tática que canaliza a energia e a energia para a mesma direção, gerando movimentos positivos que permitem ver soluções de forma inteligente. A energia dá sustentação ao que deve ser feito, a iniciativa dá o impulso. Mas é a DETERMINAÇÃO que provém da vontade e permite colocar em marcha o processo e chegar a bom termo. A DETERMINAÇÃO rompe a inércia, sendo importante para começar mas também para parar. 16ª Pétala: DESTINO O DESTINO é como um rio, que no seu nascimento tem algo de celeste, nas águas da chuva que se acumularam sobre a terra, e algo de terrestre, nos relevos e caminhos que dão vazão às águas, formando o seu leito. Nas águas do rio DESTINO, cada um escolhe como quer navegar, se para os lados, se contra a corrente, se pelas bordas parando a cada curva e, muitas vezes, detendo-se nelas por demasiado tempo, ou se pelo centro onde há mais fluidez, onde o caminho para o oceano é certo, apesar de todos os obstáculos que possam aparecer. Em termos práticos, o DESTINO é construído com cada obstáculo, com cada

prova surgida no caminho e superada. A superação de limites eleva a pessoa a um patamar superior, a um maior domínio dos seus poderes latentes, permitindo que novas e mais difíceis provas apareçam, a fim de que o processo de crescimento possa continuar. Com isso, vamos descobrindo cada vez mais quem verdadeiramente somos. O que é que se aprende com aquilo que é fácil, com o que já está dominado? Afinal, por planos terrenos não se chega ao cume. As provas são sempre do tamanho da capacidade de cada um, e cada oportunidade dada e aproveitada é parte da construção do DESTINO que sempre foi do próprio. Qual não será a sua glória quando, a cada instante da sua vida, a superação, o levar ao impossível e às mais belas obras, construindo assim o seu próprio império interior, a sua própria unidade, o seu coração celeste? O MAIS TEMÍVEL NÃO É MIRAR AS ESTRELAS E ERRAR, MAS MIRAR O LODO E ACERTAR.

OS EIXOS Os quatro eixos que governam o mundo: o eixo do PODER, o eixo da REALEZA, o eixo do SENADO e o eixo do IMPÉRIO. O eixo do PODER é constituído por HUMILDADE, FORÇA, ADMIRAÇÃO e LIDERANÇA que, juntos, geram CARISMA. O eixo da REALEZA, por OBEDIÊNCIA, HONRA, NOBREZA e CAVALARIA, que geram a GENEALOGIA. O eixo do SENADO por RETIDÃO, CORAGEM, RESPEITO e LEI, que geram as INSTITUIÇÕES. O eixo do IMPÉRIO é constituído por PACIÊNCIA, VALOR, DETERMINAÇÃO e DESTINO, e estas geram a MAGIA do ESTADO. Quando o CARISMA, a GENEALOGIA, as INSTITUIÇÕES e a MAGIA do ESTADO se unificam, esses quatro eixos são integrados e surge no centro a PRUDÊNCIA, que traz consigo a AUTORIDADE e o BOM GOVERNO. O império das dezasseis pétalas constrói o mundo da civilização com os quatro eixos, e quando estes começam a girar geram a JUSTIÇA. A JUSTIÇA é uma ideia de natureza espiritual e não é diferente do modelo do próprio universo. A PAZ GUERREIRA consiste, em primeiro lugar, no domínio sobre si mesmo, que nada mais é do que, nas situações de maior tensão, manter a calma tanto dentro quanto fora e um estado em que a consciência não se afaste da união com o que há de mais luminoso dentro de nós. Perante o perigo, essa atitude torna-se uma visão lúcida do que é necessário fazer para vencer. Em segundo lugar, da ação consciente, que é a substituição dos reflexos e reações instintivas por uma iniciativa inteligente. E, por último, conquistar, sem produzir reação no adversário, anulando-o sem luta e sem violência. O resultado desse processo é a criação de um vácuo no centro de nós mesmos, que se manifesta como um silêncio intuitivo que permite ouvir o ser interior, que corresponde ao espírito mágico e que transmite um conhecimento relacionado com a visão estratégica, que permite vencer sem lutar, onde não existe a violência e onde a GUERRA e o AMOR se encontram, gerando o ser mais mágico: a PAZ GUERREIRA!

Nos últimos tempos têm vindo a ser divulgadas diversas PÉTALAS. Mais especificamente, 16 pétalas. Estas pétalas são a representação pictórica das VIRTUDES de um guerreiro. Nos dias que correm, todos temos que ser guerreiros e enfrentar diversas situações adversas. Mas estas pétalas dão-nos a via do guerreiro através da PAZ... Todos os dias, no nosso emprego, com amigos, em casa (...) somos confrontados com episódios em que somos levados a reagir como verdadeiros guerreiros. E porque não utilizar todas as virtudes das pétalas em nosso favor? Porque não usar o amor existente dentro de nós e reagir com verdadeira paz? Talvez assim nos tornemos pessoas melhores, tornando quem nos rodeia mais feliz . Pensemos mais nas nossas virtudes e no que elas podem contribuir para a resolução dos nossos problemas... Bruno dos Santos

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful