Você está na página 1de 33

DIREITO COMERCIAL

elisabete@cursoprima.com.br
elisabetevido@gmail.com

O Código Comercial foi parcialmente revogado.


o Contratos marítimos continuam em vigor.
o Leis especiais também continuam em vigor.

EMPRESA
o Não era tratada no Código revogado.
o A partir do Código Civil que se encontra esse instituto na legislação.

1.) Hot! hot! Atividade Empresarial = observa-se primeiro a sua finalidade:


o Circulação de bens.
o Prestação de serviços.
o Produção (atividade industrial).
o Objetivo: LUCRO (exclui-se a fundação e Associação)
o É exercida com HABITUALIDADE.
o A atividade tem que ser ORGANIZADA (detalhes da atividade)

2.) Atividades não empresariais – Art. 966 e Art. 982 – É aquela exercida
por um profissional liberal

Artigo 966: “Considera-se empresário quem exerce profissionalmente atividade


econômica organizada para a produção ou a circulação de bens ou serviços.”

Parágrafo único: “Não se considera empresário quem exerce profissão


intelectual, de natureza científica, literária ou artística, ainda com o concurso
de auxiliares ou colaboradores, salvo se o exercício da profissão constituir
elemento de empresa.”

Artigo 982:

Parágrafo único

[1]
o Profissional Liberal = dentista, médico (vínculo de pessoalidade).
Se perder essa ligação de pessoalidade (Ex: clínicas) isso pode ou
não ser uma empresa, dependendo do registro.

o Profissional Intelectual = músico...(relação pessoal).

o Cooperativa (Art. 1093 e ss) = é uma sociedade simples. Não é


atividade empresarial. Não tem direito a recuperação judicial, embora
tenha capital social.

o Artigo 1094, incisos IV, VII, CC – Ler, Ler, Ler, Ler.

3 - Atividade Empresarial Regular


Deve-se primeiro providenciar o registro.
Lei 8934/94- trata dos registros das empresas.

A SINREM (Sistema Nacional de Registro de Empresa Mercantil), diz


que necessita de dois órgãos:
o DNRC (Departamento Nacional de Registro Comercial) que é
responsável pela fiscalização e normatização, ou seja, diz como
vai funcionar a Junta Comercial.

o JUNTA COMERCIAL – tem atuação Estadual e se relaciona com


o Empresário, tem 03 atividades:

o I – Arquivamento – diz respeito ao registro da empresa; só se


considera empresário quando todos os documentos forem

[2]
arquivados; só adquire personalidade jurídica quando for
arquivado;
o Vicio Sanável: na falta de algum documento dá-se prazo
de 30 dias para sanar tal falta.
o Vicio Insanável – pedido é indeferido; quando há erro no
contrato.

o II – Autenticação – livros; Livro diário é obrigatório. Só pode ser


utilizado contra o empresário se este for registrado. É um meio de
prova
o Ausência de livro – é crime falimentar

o III – Matrícula – ex: leiloeiro, interprete, tradutor, trapicheiro


(mesmo que administrador de armazém só que dentro da região
portuária), administrador de armazém é um depositário de
mercadoria.
Hot!hot!
Lei – registro – Junta comercial
- Arquivamento
- Livros – Autenticação

4 – Estabelecimento Comercial ou Universalidade de fato


o Art. 1142 a 1147 do Código Civil
o Art. 1164
o Art. 129 da Lei de Falências 11.101/05

Conceito: É o conjunto de bens coletivos, bens corpóreos e


incorpóreos; organizados para destinação (exercício) da empresa; ou
universalidade de fato.

o Bens corpóreos – ex: mesa,cadeira...


o Bens Incorpóreos – Não existe materialidade: ex. marca patente..
o 1) Ponto comercial protegido pela Lei do Inquilinato
o 2) Clientela protegida pelo art.1127 CC,

[3]
o Hot!hot! TÍTULO DO ESTABELECIMENTO: Nome
empresarial da Empresa; Firma Social ou Denominação
Social aparece no contrato empresarial. (nome, placa). Ex.
A Joia Esporte e Som Ltda.

Estes bens posso vender bens separadamente, com exceção:


o Hot!hot! Nome empresarial, não pode ser objeto alienado
separadamente (art. 1164) é vendido como um todo.
TRESSPASSE – É o nome do contrato de Alienação do estabelecimento
comercial.. Hot!hot!

a) FORMALIDADE – indispensável para que trepasse seja eficaz


perante TERCEIRO.

A) Deve-se fazer averbação do contrato na Junta Comercial


B) Publicação da averbação no Diário Oficial do Estado - DOE
C) Alienante (vendedor do Estabelecimento)
Se tiver bens suficientes Se não tiver bens suficiente para saldar
para saldar dívidas que dívidas que esta deixando na empresa,,
esta deixando na ou faz notificação dos credores ou faz
empresa, não precisa da pagamento antecipado. (art 1148, CC).
notificação; É indispensável.

• Atenção hot! hot!


Não notifica Não notifica
Tem dinheiro para saldar as NÃO Tem dinheiro para saldar as
dívidas dívidas
Trespasse é EFICAZ Trespasse é INEFICAZ
Lei da falência, art. 129

b) RESPONSABILIDADE: quando ocorre trespasse quem responde


pelas dívidas contraídas antes do trespasse (da transferência do
negócio) (art 1146)

o Adquirente (compra) – responde desde que as dívidas foram


CONTABILIZADAS

Ressalvas – EXCEÇÕES Dívidas não contabilizadas


Créditos trabalhistas Créditos tributários
(art 448 CLT) – até 2 anos, (art 133 CTN).

[4]
após este prazo entra com uma
ação até 5 anos.

o Alienante (vendedor) – Continua a responsabilidade


SOLIDARIAMENTE ao adquirente, por 1 ano.
o Dívidas vencida - 01 ano a partir da publicação no DOE do
trespasse;
o Dívidas vincendas (vão vencer) – conta do vencimento das
obrigações.
Trepasse a responsabilidade dura
 1 ano para quem esta vendendo toda a empresa
 2 anos para quem esta vendendo só a sua parte na empresa (quotas)

c) Clausula de não restabelecimento – art 1147 CC – hot! hot!


 Quando vendo negócio não posso explorar a mesma atividade, mesmo
se no contrato for OMISSO o prazo é de 5 anos, previsto no CC;
 Contrato pode limitar a atividade, prazo, localização, cidade...

5 – AÇÃO RENOVATÓRIA
 Ë o instrumento que protege ponto comercial art 51 e 52 da Lei
8245/91.
 Locatário se tem duvida que locador irá renovar, ele busca a
renovação compulsória do contrato de locação. Renova pelo mesmo
tempo do contrato anterior.

 Para que ingresse com ação renovatória deve demonstrar certos


requisitos:
a) contrato escrito – prazo determinado
b) mesmo imóvel pelo prazo ininterrupto por 5 anos (juntando
contratos)
c) explorar mesmo ramo atividade por 3 anos.

 Prazo – entrar com ação, 6 primeiros meses do ultimo ano do contrato.


 Ex: dez de 2008 – 1 ano antes dez 2007, até julho de 2008 posso entrar.
o Prazo é decadencial

 Legitimidade ativa para a renovatória – locatário; qualquer sucessor


pode entrar com ação; sucessor deve continuar o mesmo ramo.

 Locador / proprietário do imóvel – pode pedir a retomada; ele vai ser


citado e no prazo para defesa ele entra com uma “exceção”. ;

[5]
Pode pedir imóvel de volta quando:
- houver melhor proposta de terceiro (devo oferecer primeiro
para o inquilino), devo respeitar o termino do contrato;
- para reformar o imóvel, descrever qual a reforma e iniciar no
máximo 3 meses após o termino do contrato de locação;
- retomada para uso próprio, mas não o mesmo ramo de
atividade;
- para uso de ascendente, descendente ou cônjuge, provando
que exercem atividade empresarial há mais de 1 ano, (efeito
de transferência ou ampliação do negocio).
 Shopping Center – espaço alugado, tem liberdade maior para contratar;
pode se aplicar a ação renovatória, com requisitos, prazos e
letigimidade.
o Exceção : retomada só pode ser feita quando tiver melhor
proposta ou para reformar.

6 – Propriedade Industrial – Lei 9279/96 – hot! hot!


 Órgão que regulamenta é o INPI – Instituto Nacional de Propriedade
Industrial; é uma autarquia Federal, corre na Justiça Federal.

Tem como objetivo proteger dois institutos (pilares) que são


Patente – O objetivo é proteger o produto em si Registro Industrial –
explorado pela empresa, exclusividade de proteger forma/ sinal,
exploração; Alguém inventou e pode ser pelo que é
produzido em série conhecido.

Patente - Requisitos para pedir:


- aplicação industrial, possibilidade Atividade inventiva (diferente de
aplicação em serie; referente ao ser estado de técnica, não é
vivo não pode ser patenteado com requisito)
exceção dos transgênicos industriais.

 Novidade - Entro com pedido (está em sigilo) no INPI – hot! hot!


o Deposito (momento que deposito a idéia) tudo sobre o
produto – INPI demora 18 meses para observar os
requisitos para depois ser feita a concessão da patente.

o Se for DESENHO INDUSTRIAL – demora 180 dias,


previsto no art.106, parágrafo primeiro, Lei da Propriedade
Industrial.

[6]
o Nulidade PI – Titular + INPI e tem o prazo em dobro para
contestar

Espécies de Patente que se pode requerer:


INVENÇÃO – algo MODELO DE UTILIDADE – melhoria do
absolutamente novo; não produto, ou requerimento de algo que já
existe no mercado, dura 20 existe, prazo de 15 anos contados do
anos contados do deposito deposito para a exploração

o Os prazos 20 / 15 anos são improrrogáveis; quando terminado


qualquer um pode explorar, cai em domínio publico.

o Não pode vender patente é inalienável;

o Posso fazer cessão de direitos por meio de uma Licença. Leva 18


meses para conceder. Esta pode ser:

 Voluntária – que é o acordo de vontades ; ou

 Compulsória – INPI que concede, quando houver interesse


publico; “quebra de patente”; não há ressarcimento. (art. 68
Lei 9279/96)

o Também pode conceder licença compulsória quando houver abuso; não


exploração seguida pela não autorização de uso “monopólio da idéia”. Um
terceiro interessado pede patente e ressarci, o INPI dita a quantia a ser
paga.

A PATENTEN PODE SER EXTINTA


Não pagamento da taxa
Se terminou o prazo de 15 / 20 anos
Caducudade – quando deixar de utilizar a patente por 3
anos
Pessoa Jurídica, domiciliada no exterior desde que
tenha constituído procurador para responder
judicialmente e administrativamente.

b) REGISTRO INDUSTRIAL
Registro Industrial
FORMATO SINAL
(QUERO PRESERVAR O FORMATO)

[7]
Desenho Industrial (formato) – prazo Marca ou Sinal: Como é conhecido -
de 10 anos contados do deposito logotipo, nome, mascote; serve para
prorrogáveis por 3 períodos de 5 anos distinguir um serviço ou um produto;
(máximo de 25 anos). marca de certificação (ISO, IMETRO),
passou por qualificação, um teste.

o A proteção da marca é de 10 anos, contados da concessão, cabe


prorrogação por igual período sucessivamente. Pode ser cedido uso da
marca, ex: franquia.
SOCIEDADES PERSONALIZADAS, PERSONIFICADAS

A) Sociedade em nome coletivo:


o Sociedade registrada na JC, todos os sócios respondem
ILIMITADAMENTE ainda que SOLIDARIAMENTE. Art. 1039, CC

B) Sociedade – em comandita simples:

o Regra: Pessoa Jurídica – RESPONSABILIDADE ILIMITADA

o Sociedade registrada na JC, o contrato deve discriminar os sócios


comanditados e os comanditários.

02 tipos de sócios:
Sócios comanditados – PF – Sócios comanditários – PJ / PF –
entram com o capital e o trabalho – responsabilidade Limitada
responsabilidade ilimitada

SOCIEDADES NÃO PERSONALIZADAS

I) Sociedade Comum – Art. 986 A 990


o É a sociedade que não foi registrada, portanto, não tem
personalidade jurídica.

o Responsabilidade dos sócios: Todos os sócios respondem


ILIMITADAMENTE E SOLIDARIAMENTE.

o Hot! Hot! No contrato firmado por 01 sócio (que assinou o


contrato), o credor cobra direto do patrimônio deste 1 Sócio e
depois dos demais.

[8]
II) Sociedade em conta de participação – Art. 991 a 996
• É a sociedade que não foi registrada, portanto, não tem
personalidade jurídica.

02 tipos de sócios:
Sócios ostensivos é aquele que Sócio participante ou oculto:
aparece para o terceiro, negocia e Não aparece, não responde
responde de forma ILIMITADAMENTE perante o terceiro.
perante terceiros.
SOCIEDADE LIMITADA (LTDA)

o Sociedade personificada, registrada na JC.

A) Fonte:

o Contrato Social – é a primeira fonte, pode inclusive contrariar o CC; se o

o CS for misto a fonte a partir do artigo 1052 e ss.

o 3 fonte subsidiária: CC usando as regras para sociedades simples ( 997 e


ss).

B) Nome empresarial
o Tem que ter o ramo da atividade e por extenso ou abreviado – LTDA.

 O nome empresarial não pode ser vendido sozinho.

Firma Social Denominação


Nome dos sócios Nome inventado ou + Ramo + LTDA
Art. 1164, CC fantasia

C) Capital social

o O CS é composto por dinheiro $-moeda corrente no País e bens - art.


1055,CC.

o Toda vez que for entregue “bens” é necessário fazer avaliação. Os


sócios respondem pela exata avaliação do bem de forma SOLIDÁRIA
no prazo de..

o Prazo: 5 anos a contar do momento que registra.

[9]
o Parágrafo 2: é vedada a entrada de sócios que consista apenas com a
contribuição de prestação de serviços.

o CS é a soma redigida no Contrato Social de $ e bens.

D) Obrigações dos sócios – REPOSNSABILIDADE DOS SÓCIOS hot!hot!

o Na sociedade LTDA, cada sócio responde pela INTEGRALIZAÇÃO


da parte que subscreveu.

o Em relação as cotas que foram subscritas mas ainda não


integralizadas os sócios respondem SOLIDARIAMENTE ATÉ O
LIMITE DO QUE FALTA INTEGRALIZAR.

o Sócio remisso é o sócio que deve para empresa. Art. 1052,CC

“X “ LTDA - Capital Social de $ 100


Os sócios se comprometeram
a colocar colocou Deve para a
empresa
Sócio “A” 70 50 20
Sócio “B” 30 30 .x.
Subscreveram Integralizou
RESPONDE
Promessa Responde SOLIDARIAMEN
TE ATÉ O
LIMITE NÃO
INTEGRALIZAD
O

E) Decisões são tomadas – art. 1071 e SS.


o Se a sociedade tiver 10 sócios as decisões são tomadas por meio de
reunião.

o Se + de 10 sócios = Assembléia com todas as formalidades e


convocações.

 Convocações:
• Edital

[10]
• 03 publicações em 02 veículos (Diário Oficial e jornal)
• Primeira publicação: 8 dias antes da data da assembléia.
• Segunda publicação: verifica o quórum mínimo que é de ¾ do
capital social.
• Terceira publicação: o prazo é de 5 dias em relação a data da
assembléia, não tem quorum específico.

F) Administrador hot! hot!


 Pessoa que substitui a figura do sócio-gerente, que não
existe mais, artigo 1010 a 1015. CC. Pode ser sócio e não
sócio.

o Documento
 Qualificar o administrador – Se não quero omissão tenho que
qualificar quais os poderes do administrador no Contrato Social ou
em documento em separado.

 Indicar os poderes dele (registrado ou averbado na Junta


Comercial).

 Se o contrato for omisso todos os sócios são administradores


individualmente, de forma isolada

o Responsabilidade do administrador: O administrador é responsabilizado


patrimonialmente:

 Responde SOLIDARIAMENTE a empresa – Acontece quando o


administrador deixa de registrar o documento que o qualifica.

 1) CULPA – PERDAS E DANOS - Quando o administrador


responde POR PERDAS E DANOS – quando agir com CULPA.
• Contrariou a vontade dos sócios
• Terceiro não tem CONHECIMENTO se o administrador agiu
com culpa.

Teoria “ULTRA VIRES” – responsabilidade Ultra vires é a


responsabilidade do administrador que age com excesso de poderes.

 2) EXCESSO DE PODERES – RESPONDE ISOLADAMENTE - O


administrador responde isoladamente ou responsabilidade oposta
a terceiro

[11]
• Quando o administrador age com excesso de poderes. Hot!
hot!

• Quando o administrador age além do ramo, ato diferente do


ramo de atividade da empresa que administra.

• Quando terceiro tinha como saber que ele contrariou os


sócios.

G) Como ocorre a DISSOLUÇÃO DA SOCIEDADE


 Se vendo a minha parte eu respondo por 2 anos contados da averbação

02 formas de dissolução

Dissolução TOTAL – A empresa deixou de existir, falência, vontade dos


sócios, prazo determinado, etc...

I) INEXEQUIBILIDADE DO OBJETO SOCIAL (causa de


dissolução judicial). O ramo de atividade não pode mais ser
realizado // executado. Quando?
• Ocorre quando o mercado não quiser mais ou se
não tenho mais capital.

II) UNIPESSOALIDADE ou FALTA DE PLURATLIDADE DE


SÓCIOS (+ DE 180 DIAS) que todo o capital fique na mão
de uma única pessoa não podendo ultrapassar 180 dias
para regularizar a sociedade.

Hipóteses de dissolução total:


a) Falência
b) Vontade dos sócios registrada com prazo determinado
c) Unipessoalidade
d) Inexequibilidade do objeto social
• Ex. Empresa que explora o jogo “BINGO”, devido a
decisão judicial não pode funcionar mais, para haver
a dissolução TODOS os sócios tem que concordar.

Dissolução PARCIAL – Resolução da sociedade em relação a um único


sócio. Continua a existir, mas uma parte fica sem dono.

[12]
• Morte do sócio: Os herdeiros foram ressarcidos e não irão ocupar o
lugar do “de cujos”.

• Retirada do sócio: Quando o sócio se retira da sociedade por não


concordar com decisão que altere o Contrato Social.

• Exclusão do sócio, artigo 1085, 1030, CC – Quando um sócio pode


ser excluído da sociedade faz-se necessário:

o Cláusula da exclusão prevista no Contrato Social


o Concordância da maioria dos sócios e que
ESTES representem a maioria do Capital Social
da empresa.

SOCIEDADE POR AÇÕES – Lei 6404/76 e não o CC hot! hot!

Características:
A) Capital social : O CS pode ser composto por “$ e bens”, e estes serão
dividido em ações:

SA aberta SA fechada
Seus títulos negociados na
• bolsa de valores (para qualquer ramo de
atividades) ou Só negocia
• bolsa de balcão (mercado – NASDAC), estas só dentro da
consigo negociar na própria empresa e empresa
• precisa de autorização da CVM – Comissão de
Valores Mobiliados.

B) Ações da SA – art. 11 e ss
o Ações não é a mesma coisa de cota, as ações conferem direitos
diferenciados.

Ações podem ser diferenciadas:


a) Quanto aos direitos que conferem aos seus titulares ou
natureza ou espécie
Ações Ação Preferencial: Ação de Gozo
Ordinárias: É aquela que tem privilégio econômico ou fruição
($), quem tem estas ações recebe pelo (Amortização)
É aquela menos 10% a mais do que quem tem – fica
que confere ações ordinárias. guardado é

[13]
direito de usada para
voto • Privilégio, pode ser quantitativo e pagamento ou
também de ordem amortização
de dívidas.
Com direito a voto e sem direito a voto:
Porém o direito de voto limitado, restrito a
eleger administrador, aprovar balanços..
b) Quanto aos valores, estes podem Sr diferentes
Valor Valor patrimonial: Valor de
nominal: É tirado do patrimônio líquido dividido negociação
Éo pelo número de ações – ou valor de
resultado toda vez que tiver que fazer mercado:
do Capital flutua de
ressarcimento.
social acordo com
dividido a cotação da
pelo bolsa ou
número mercado de
de ações balcão.

ÓRGÃOS QUE COMPÕEM A ESTRUTURA DA SA (como funcionam)

• São os órgãos que pedem prestação de conta e elegem as Assembléias


e Conselhos.

elege elege
ASSEMBLÉIA CONSELHO ADMINISTRATIVO
DIRETORIA
GERAL CONSELHO FISCAL

I) ASSEMBLÉIA GERAL – é composta de acionistas e é onde as


decisões são votadas

Ordinária Extraordinária
Ocorre nos 4 primeiros meses do Acontece a qualquer tempo
exercício e elegem o Conselho
Administrativo

HOT! HOT!
Obs. 1: Quando o Conselho de Administração é obrigatório?
• Cia Aberta
• Sociedade de Economia Mista
• Capital autorizado
Obs. 2:

[14]
Assembléia Geral Ordinária – Só pode tratar dos assuntos expressos
na lei, art. 32 da LSA – Assuntos típicos da administração da empresa.

Assembléia Geral Extraordinária – Outros assuntos


O que é necessário para a convocação? Como é?
Edital de convocação – São necessárias 03 publicações no
Diário Oficial e Jornal de grande circulação. Sendo que:

Primeira publicação Antecipação mínima de:


• S/A ABERTA 15 dias
• S/A FECHADA 8 dias
• Quórum: ¼ do Capital social votante, se este
quórum não for atingido, 2 convocação.

Segunda Convocação: Idem antecipação mínima


• NÃO HÁ Quórum mínimo de instalação

II) CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO

• Fixa as diretrizes da sociedade (05 pessoas no mínimo,


necessariamente ACIONISTAS e fixam as diretrizes da S/A.

• Elege a DIRETORIA, 02 pessoas no mínimo, ACIONISTA OU


NÃO ACIONISTA, cuja função de executar as decisões e
representar a S/A.

• Administrador é acionista, presta conta para a Assembléia.

Obrigatório – S/A Aberta (Bolsa de Mercado)


Nas sociedades de economia mista
Capital autorizado

III) DIRETORIA

• Representação e execução das decisões tomadas pela


Assembléia.

• Mínimo 02 pessoas, pode ser acionista ou não

[15]
IV) CONSELHO DE FISCALIZAÇÃO

• Composto de 3 pessoas, acionistas ou não, presta conta ao


órgão que o elegeu.

• Fiscaliza os negócios da SA, a existência desse órgão é


obrigatória.

• O funcionamento é facultativo, depende da convocação da


Assembléia Geral.

• Exceção: Sociedade de Economia Mista – a existência e


funcionamento é obrigatório

V) VALORES MOBILIARIOS

• Tem que ter Capital de giro para movimentar a empresa. E


pode aumentar o capital de giro no mercado de capitais –
lançando TÍTULOS que pode emitir:
Títulos que se pode emitir
Papéis mais importantes
DEBENTURES PARTES BENEFICIÁRIAS (parte do
São títulos estranhos ao benefício, só recebe se a empresa
capital social, mas tem oteve lucro): São títulos estranhos ao
vencimento certo. capital social tem vencimento eventual
= participação nos lucros da AS

• Bônus de subscrição: confere o direito, a quem comprou esse


título na subscrição (compra) quem tem preferência são os
acionistas.

TÍTULOS DE CRÉDITOS – Parte Geral


(CAPITULO VI)

1) FONTES
o Lei especial omissão
o CC artigo 897

2) CARACTERÍSTICAS

[16]
o Catularidade = documento original
o Liberalidade = conteúdo
o Autonomia = relação jurídica
Causa

o “não causais” abstrato


o Exceção:
 DM = TÍTULO CAUSAL
 NP = VINCULAÇÃO A UM CONTRATO

3) TRANSMISSÃO
o Lei 8021/90 – Proibe a circulação de títulos ao portador

o Resolução BACEN – Os cheques cujo valor seja até R$ 100,00


podem circular ao portador.

o Título de crédito nominativo

o Precisa da “TRANSMISSÃO” – Tradição + solene

R$______

PRIMA

o Titulo de crédito ao portador – podem seguir pela simples


tradição.

CHEQUE NOMINATIVO

A) Ato solene de tradição

POR ENDOSSO À ORDEM CESSÃO CIVIL DE


Sinônimo de endosso CRÉDITO
Serve para garantir e Serve apenas para
transmitir o TC transmitir o título
No verso do CH o
No verso do CH o endossante assina e No verso do CH o
endossante assina e escreve À ORDEM. endossante assina e
não escreve nada. escreve NÃO À
ORDEM.

B) Endosso – simples assinatura no verso do título.

[17]
o Sinônimo de endosso: à ordem; transmissão à ordem.

o Serve para TRANSMITIR e para GARANTIR o título. Esta


garantia é SOLIDÁRIA (não existe benefício à ordem) pode
o credor cobrar: do ENDOSSANTE ou do ENDOSSANTE
E DO DEVEDOR.

o Endosso é sempre TOTAL, é vedado, proibido o endosso


parcial

o Não precisa da vênia conjugal

Tipos de endosso:

 ENDOSSO EM PRETO: Identifica a figura do endossatário.

 ENDOSSO EM BRANCO: Não há identificação do


endossatário (e para quem eu transmito, novo credor)

 ENDOSSO IMPRÓPRIO – Não serve para transmitir, 02


espécies:
 ENDOSSO CAUÇÃO: Além da assinatura do credor /
emitente, existe a seguinte informação: valor dado como
garantia. Ex. Cheque pós datado

 ENDOSSO MANDATO: É utilizado para que passe uma


procuração no próprio título.

4) AVAL – art. 897 – hot! hot!


o Tem a finalidade de GARANTIA, é uma garantia pessoal (o
avalista diz que garante com seu patrimônio) e solidária (todos
são responsáveis).
o O avalista não tem benefício de ordem, responde junto
com o devedor principal.

o Lei Especial diz que o aval pode ser:

AVAL TOTAL AVAL PARCIAL


 Nas Leis especiais: CHEQUE, NOTA PROMISSÓRIA,
DUPLICATA – pode ser total ou parcial.

 Art. 903, CC – Se não disser qual, prevalece a Lei


Especial.

[18]
 CC – Dispõe que o aval é SEMPRE TOTAL, veda o
parcial.

o AVALISTA CASADO
o Segundo o art. 1647, CC, precisa da vênia do cônjuge
(concordância).

o Não será necessária a venia se for casado em “separação


total de bens”. (aval e fiança)

5) ACEITE
É o reconhecimento expresso do devedor principal. Tem 10 dias para
dar o aceite. Ex. Duplicata – assina na alterar da duplicata se aceita.

o CH e NP não tem aceite CHEQUE e NOTA PROMISSÓRIA


porque a assinatura fez parte da emissão.

o Se a pessoa que assina não é a devedora – Não será aceite.

o O canhoto da NF é essencial para a execução da duplicata.


6) PROTESTO

o É essencial / obrigatório quando preciso:


o Suprir o aceite de TC (DM, NC), com exceção (não tem
aceite) de CH e NP.

o Acionar os co-obrigados (pessoas que se obrigam juntas –


endossantes, avalista). É necessário protestar o devedor
para poder acionar os co-obrigados.

o Falência ou impontualidade – É obrigado a protestar para


pedir a falência por impontualidade, o valor do TC tem que
ser maior que 40 salários mínimos, pode ser um título,
mais de um título ou vários credores. Art. 94 (11.101/05 –
Lei da Falência).

 É obrigatório o protesto quando quero usar o TC


como causa de falência.

o Posso protestar por quais motivos?

[19]
o Por falta de pagamento
o Por falta de aceite
o Na duplicata mercantil – DM, tem um terceiro motivo que é
por FALTA DE DEVOLUÇÃO. Hot! hot!

o Caso seja motivado o protesto de forma errada no


Cartório poderá ser questionado por Embargo à
Execução para que seja anulado o protesto.

o Súmula 153 – STF – O protesto cambial não


interrompe a prescrição.

• Não prevalece devido ao esclarecimento da


lei, veja o artigo 202, III, CC – O protesto
cambial interrompe a prescrição.

7) AÇÃO CAMBIAL
Prazos prescricionais
LETRA DE NOTA DUPLICATA
CAMBIO PROMISSÓRIA MERCANTIL
Credor aciona 03 anos do 03 anos do 03 anos do
o Devedor vencimento vencimento vencimento
principal e
avalista
Credor aciona 01 ano 01 ano do 01 ano do
Endossante e do protesto protesto protesto

avalista
AÇÃO 06 MESES DO 06 MESES DO 01 ANO DO
REGRESSIVA PAGAMENTO PAGAMENTO PAGAMETNTO

8) NOTA PROMISSÓRIA – decreto 57.663/66


o É o único título que é uma promessa de pagamento. Não tem
aceite.

o Direito Civil

[20]
o Dívida quesível – Credor que tem que ir atrás do devedor
(buscar o pagamento), manda boleto... informa...

o Dívida portátil – O devedor que busca o credor para fazer o


pagamento. Ex. Contrato de locação.

9) CHEQUE – hot! hot!


o Lei 7357/85
o O CH é uma ordem de pagamento A VISTA
o Cheque pré-datado ou pós-datado não existe para o
ordenamento jurídico, nem para o Direito Comercial nem
para o Direito Civil. (pode existir na relação de consumo).

o Prazo de apresentação (serve para contar a prescrição)


 30 dias contados da emissão para mesmas praças

 60 dias contados da emissão para praças diferentes

o Prazo prescricional – É 06 meses contados do prazo de


apresentação, ou seja, depois dos 30 ou 60 dias. (data da
emissão – somar 30/60 dias MAIS 6 meses.

 Após o prazo posso cobrar através de AÇÃO


MONITÓRIA; AÇÃO DE ENRIQUECIMENTO
ILÍCITO – 02 ANOS

10) DUPLICATA MERCANTIL – Lei 5474/68


o É um direito causal, porque tem origem prevista na lei, ou seja,
existência de Nota Fiscal (compra e venda ou prestação de
serviços) ou Fatura que causa a DM.

o Profissional Liberal pode emitir NF de Prestação de serviços, mas


ADV não pode.

o DM tem prazo para protestar, 30 dias do vencimento, se não


cumprir tem como conseqüência PERDA DO DIREITO DE AÇÃO
CONTRA ENDOSSANTE E AVALISTA.

CONTRATOS

[21]
1) REPRESENTAÇÃO COMERCIAL – Lei 4886/65
o É um tipo de contrato para que a Empresa possa negociar seu
produto em todo País

REPRESENTADO REPRESENTANTE - RC
Exerce uma Pessoa Física ou Jurídica
atividade Tem que ser registrado no Conselho Regional de
empresarial, pode Representante Comercial - CRRC
ser individual
Art. 4 da Lei – Quem estiver IMPEDIDO de ser
É vedada a RC:
Cláusula “Del - Não pode exercer atividade empresarial (falido,
credere” (risco magistrado)
quanto a solvência - Não pode ser RC aquele que recebeu SANÇÃO
é dividida entre do CRRC.
partes. - Não pode Sr RC aquele que foi condenado por
(qq outro contrato é crimes (que questiona confiança Calunia,
permitido) difamação e gestão de negócios)

Na falência a ordem Não tem vínculo empregatício, ou seja não tem


de recebimento do subordinação hierárquica.
representante é
junto com créditos Área determinada no contrato, porque na
trabalhistas representação existe a EXCLUSIVIDADE
TERRITORIAL.
O representado Função do representante:
pode recusar o - obtém pedidos de compra e venda, não distribui
pedido porque é ele o produto. - Envia o pedido para o representado,
que assume o risco, que pode RECUSAR O PEDIDO, MAS TEM O
responde pela PRAZO DE:
solvencia • 15 DIAS MESMA PRAÇA
• 30 DIAS PRAÇAS DIFERENTES
• 60 DIAS ESTADOS DIFERENTES
• 120 DIAS PAÍSES DIFERENTES

2) CONTRATO DE FRANQUIA – Lei 8955/94

o Contrato de franquia: Existe o COF – Circular de oferta de


franquias
o Dá todos os detalhes do negócio, para que se possa
decidir se quer ou não ser franqueado.

[22]
o Tem que ser entregue o COF 10 dias antes do Contrato de
Franquia
o Se este prazo não for cumprido o franqueado tem a
possibilidade cobrar do contrato, propor uma AÇÃO DE
PERDAS E DANOS e a ANULAÇÃO DA FRANQUIA..

FRANQUEADOR FRANQUEADO
Cede para o franqueado: Master franqueado: É o
- uso da marca primeiro franqueado de um
- eventualmente uso da patente determinado lugar. Tem a
- a organização empresarial preferência para abrir outra
-relação de exclusividade de franquia, caso não queira
fornecedores (para ter controle de pode outro explorar.
qualidade)

3) ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA

o Direito Comercial
o Direito Civil
o Direito Processual Civil

CONTRATO DE MÚTUO
Principal
Bco emprestou bem fungível -
dinheiro
BANCO Pessoa
Física/part
Pessoa Jurídica
ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA
Acessório (sempre)
PF ou PJ deu como garantia
Bem móvel (carro)
Bem imóvel
MUTUANTE Contrato de Mútuo MUTUÁRIO
Credor fiduciário Alienação fiduciária Fiduciante
Propriedade resolúvel Tem a
Posse direta do
Posse indireta bem

Deixa de pagar o Contrato de Mútuo: Instrumento processual

[23]
- Ação de busca e apreensão – É uma ação satisfativa cujo
objetivo é pegar o bem, vende em hasta pública (leilão) para
liquidar o contrato. Se não der para liquidar tudo o que faltar
entra...

- Ação de execução por quantia certa

- Pedido de restituição – art. 85, Lei 11.101/05 – falência PJ

4) CONTRATO DE FACTORING / FATURIZAÇÃO / FOMENTO


MERCANTIL

• Faz uma aquisição de faturamento (compra os TC a vencer), o


objetivo é tem o giro (dinheiro) hoje.

• Factoring antecipa os recursos, entrega o dinheiro hoje, cobra


juros, descontos ou deságios.

• A transmissão só poderá ocorrer por Cessão Civil de Crédito –


CCC.

• Não tem direito de regresso contra Empresário que vendeu o TC.

• MATURITY FACTORING
o Esta factoring apenas presta serviços de cobrança; não
compra o faturamento, não cobra juros, não adianta o dinheiro.

FALÊNCIA E RECUPERAÇÃO DE EMPRESA – hot!hot!


Lei 11.101/05

1) Legitimidade Passiva – artigo 1 e 2.

• O devedor que sofre falência que venha exercer atividade


empresarial – 02 tipos de Empresas excluídas da lei:

o A) EXCLUSÃO TOTAL – Empresa Pública e Sociedade de


Economia Mista. (Não sofrem falência e não terão
recuperação)

[24]
B) EXCLUSÃO PARCIAL – Banco, Seguradora, operadora
de plano de saúde, operadora de seguradora –
Procedimento que sofre: Liquidação Extrajudicial -
FALÊNCIA

2) Quais são os créditos não atraídos


• Obrigações (créditos) ilíquidos
• Obrigações gratuitas
• Dispensa que os credores tiveram para participar da massa,
SALVO as custas judiciais.

3) Órgãos que vão participar da falência e na recuperação judicial


além do juiz

• ADMINISTRADOR JUDICIAL, art. 21 e ss. – Será PF ou PJ, de


preferência Advogado; economista; administrador ou contabilista.

 O administrador tem autonomia para contratar pessoas a


pedido do JUIZ
 Assumir obrigações, conceder abatimento
 Autor é o JUIZ , ouvir comitê e devedor

• Na RECUPERAÇÃO JUDICIAL o ADMINISTRADOR tem a função


de: FISCALIZAÇÃO e pode pedir a CONVOLAÇÃO (que é a
transferência da RJ em Falência).

• O Administrador Judicial recebe:


• 5% do valor dos créditos, (na falência do valor da venda dos
bens).

 Função da RJ na falência
o É o centro de informações, tudo que o Juiz, credor quiser
saber sobre a falência o administrador é responsável
o Arrecadação dos bens
o Avaliação de bens – valor mínimo
o É responsável por elaborar o Quadro Geral dos Credores

• COMITE DE CREDORES – Artigo 26 – tem na Falência e na RJ

[25]
 É órgão Facultativo, se irá existir ou não, quem decide são os
credores e o juiz.
 Fiscalizar – Esta função é exercida em relação ao que o
administrador faz
 Composição – 03 pessoas no máximo – caso exista o CC,
qual a composição:
 1° pessoa – Eleita – Créditos trabalhistas e Acidente de
Trabalho (um dos credores ou o sindicato)
 2° pessoa – Eleita entre os credores com garantia real
e privilégio especial
 3° pessoa – Escolhida entre os credores quirografários
junto com os de créditos de privilégio geral.
• 02 suplentes
• Quem paga as despesas são os credores.

• ASSEMBLEIA DE CREDORES – Artigo 35 e ss

 Convocação – Para que ocorra a convocação é necessário um


EDITAL com 15 dias de antecedência

 AC votam de acordo com o seu CRÉDITO (voto proporcional


ao valor do crédito)

• EXCETO: Na aprovação do plano de recuperação,


algumas classes irão votar por cabeça.

4) Falência
• Causas ou motivos da falência – art. 94
 Impontualidade – A impontualidade pode ter origem a um
Título Judicial (sentença), quando não houve penhora (passou
o prazo na sentença que não foi cumprida a obrigação).

Origem Título Extrajudicial- requisitos:


1. Protesto (obrigatório)
2. Valor mínimo superior a 40 salários mínimos

 Atos de suspeita – Atitude suspeita provada que foi realizada


para lesar credor

Classificação dos Créditos da falência - art. 84 e 83 - hot! hot!

[26]
A) CREDITOS OU CREDORES EXTRA-CONCURSAIS
- Este crédito SURGE após a decretação de falência
- É pago em PRIMEIRO LUGAR, inclusive no crédito trabalhista.

B) CREDITOS CONCURSAIS
- Créditos que surgiram ANTES da falência.

Classificação dos Créditos concursais

• CREDITO TRABALHISTA E ACIDENTE DE TRABALHO


• CT – Tem a limitação do valor - até 150 salários mínimos
• AT – não tem limitação
• Ex. Se for 200 sm? Será habilitado inteiro o CT, ocorre que
o administrador fará primeiro os 150 sm; e a outra parte
será paga junto ao credor quirografário.

• O Representante Comercial recebe junto com o CT, sem


limitação de valor, conforme diz a lei.

• CRÉDITO CREDOR COM GARANTIA REAL (penhor, hipoteca


e anticrese) ATÉ O LIMITE DO BEM DADO COMO GARANTIA
• Ex. Dívida de R$ 200.000,00, hipoteca uma casa no valor de
R$ 100.000,00, este é o crédito, porque é uma garantia real, o
saldo é crédito quirografário (quanto a natureza, quanto ao
voto e valor)

• CRÉDITO TRIBUTÁRIO – hot! hot!


• SALVO/ EXCETO as multas tributárias que serão pagas junto
com o crédito quirografário.

• CRÉDITO COM PRIVILÉGIO ESPECIAL


• É um crédito, uma obrigação que tem vinculação com UMA
COISA (direito sobre a coisa, garantia de lei – DIREITO DE
RETENÇÃO SOBRE A COISA, até o crédito ser cumprido)
• Ex. Estaciono o veículo num estacionamento e não pago, este
pode reter o veículo.

• CRÉDITO COM PRIVILÉGIO GERAL


• É aquele crédito que alguma lei conferiu que ele é crédito com
privilegio geral. Ex. Debêntures – Leis de Direito Material.

[27]
• Dado pela lei que dá preferência de ordem.

• CRÉDITO QUIROGRAFÁRIO – não tem nenhuma preferência.


• “SOBRA”crédito trabalhista
• “SOBRA”crédito com garantia real
• Multas administrativas, contratuais e tributárias

• CRÉDITO SUBORDINADO – hot! hot!


• É o caso de pró-labores devido aos administradores, sócios.

Atos ineficazes na falência – hot! hot!


 São atos que quando acontecem são declarados pelo juiz de ofício
que são ineficazes

 Para que seja declarado INEFICAZ:


• NÃO PRECISA DE MÁ-FÉ
• NÃO INTERESSA CONCLUIO FRAUDULENTO
• Basta que os atos aconteçam, quais atos? São 03 grandes
grupos.

1. Dentro do termo legal, que é um período que veio antes


de 90 dias, da declaração de falência ou protesto.
• Pagamento antecipado, neste termo legal o ato é
ineficaz.
• Pagamento de forma diferente da forma
contratada.
• Garantia real concedida no termo legal é ineficaz
(hipoteca, penhor, anticrese...)

2. 02 anos antes da falência


• Atos gratuitos
• Perdão de dívidas
• Renúncia a herança ou a legado

3. Trespasse – Alienação de estabelecimento comercial –


negócio ineficaz
• Trespasse sem notificação
• Alienante não tinha bens suficientes para salvar
dívidas.

[28]
• Ação revocatória – art. 130 e ss
 Neste caso tem que provar a MÁ-FÉ do devedor e o conluio
fraudulento (acordo para lesar alguém desde que provado).

 Legitimidade ativa: Qualquer credor, MP ou Administrador


Judicial.

 Hot! Hot!Prazo 03 anos para ingressar AR contados da


declaração da falência.

 Serve para tornar ineficaz ato, na falência única forma “AÇÃO


REVOCATÓRIA”

• Pedido de restituição – art. 85 e ss

 Será usado toda vez que o bem “pertencente a terceiro”for


arrecadado na massa.
 Terá que provar que pertence a ele entra com uma Ação de
Restituição.

• Ex.1 Alienação fiduciária – Banco é o proprietário do bem,


não entra com busca e apreensão porque a Empresa
faliu, entra com o PEDIDO DE RESTITUIÇÃO.

• Ex.2 Fornecedor que entrega mercadorias até “15 dias


antes”do Pedido de falência, para receber depois, será
credor quirografário, mas terá direito a PEDIDO DE
RESTITUIÇÃO.

• Procedimento

1) Petição Inicial
2) Citação
3) Contestação
Momento máximo em que o devedor poderá pedir recuperação
judicial.
• No prazo de 10 dias, pode contestar ou elidir a falência –
pagar depósito elisivo
4) Juiz profere a sentença
Depende do conteúdo da sentença tem recurso cabível diferente.
 Agravo de instrumento – se o conteúdo for declaração

[29]
de falência.
 Apelação – Improcedência da falência.
 Termo legal – 90 dias antes – é neste momento que o
juiz fixa.
 Juiz manda lacrar a empresa.
5) Publicação do Edital para convocação do EDITAL
Até agora quem pediu a falência, a partir deste momento abro a
oportunidade para os outros credores.
6) Prazo de 15 dias para fazer a HABILITAÇÃO dos CREDITOS
Não precisa de advogado neste prazo.
• Ler art. 10 – Credor retardatário (este pode entrar q qualquer
momento, mas precisa de advogado).
7) O Administrador tem 45 dias para ELABORAR O QUADRO
GERAL DE CREDORES - art. 84 e 83.
• Juiz criminal que analisa crime falimentar
8) Ocorre a LIQUIDAÇÃO
Momento processual em que os ATIVOS/BENS serão vendidos e
os credores serão pagos.
9) Encerramento da falência
Encerra a falência porque entende-se que vendeu tudo que foi
possível e paguei tudo quanto pude.

• Se após a falência pedir REABILITAÇÃO – art. 158, LF – terá que ter


um dos requisitos abaixo:
o Pagou 50% dos credores quirografários
o 5 anos - Espera um intervalo de tempo de 5 anos, não houve
condenação em crime falimentar
o 10 anos – Espera 10 anos se houve condenação CF

5) Recuperação de Empresa

a) Espécies de RE
 Recuperação Judicial Ordinária
 Recuperação Judicial baseada no plano especial
 Recuperação extrajudicial.

b) RECUPERAÇÃO JUDICIAL ORDINÁRIA – RJO

• Preservar a Empresa (sua função social), as pessoas direta ou


indiretamente ligadas a empresa.

[30]
• Requisitos do art. 48, para qualquer tipo de RJO

1) Indispensável ser ATIVIDADE EMPRESARIAL, EMPRESA


REGULAR
• Empresa aérea tem direito a RJO, sendo regular e
funcionar à 2 anos na Junta Comercial.
• Não pode ser falido – Não existe RJO suspensiva
• Não pode ter sido condenado em Crime Falimentar

2) Prazo: 5 anos entre a RJ e a nova RJ

3) Procedimento RJ: hot! hot!

Petição Inicial Demonstra os requisitos do art. 48


Não é homologação, quando deferido ocorre (art.
6, LF)

• SUSPENÇÃO DOS PRAZOS


PRESCRICIONAIS e
Juiz defere o
processamento da RJO • SUSPENÇÃO DAS AÇOES E
EXECUÇÕES - Dura 180 dias

Exceção: Não será SUSPENSO O EFEITO


• Execução Tributária
• Ação trabalhista
Limitações da Proposta de Recuperação.
Apresentar proposta de - Não pode propor o atraso em mais de 30 dias
recuperação em 60 dias para o pagamento de salário, quando este for de
até 05 salários mínimos.
art. 50
(exemplos de proposta) Não pode propor atraso em mais de 01 ano para o
pagamento de salários quando este for acima de 5
salários mínimos.
HOUVE OBJEÇÃO NÃO
HOUVE
Credores no prazo de ASSEMBLÉIA DE CREDORES OBJEÇÃO
30 dias para (pode) a) Credor Trabalhista e Acidente de
propor a objeção trabalho (Votação por cabeça,
maioria dos credores presentes)
(individualmente)
Juiz
b) Demais credores (votação maioria homologa

[31]
dos credores e créditos presentes)

APROVADO pela AC

JUIZ HOMOLOGA
Cabe Agravo

c) RECUPERAÇÃO JUDICIAL BASEADA NO PLANO ESPECIAL

• Além dos requisitos do art. 48, preciso também da


LEGITIMIDADE ATIVA – ME e EPP.

• Lei complementar 123/2006 (vigor em Julho) – definiu ME e EPP

• Conceito: ME possui valor bruto anual de até R$ 240.000,00


EPP possui valor bruto anual – R$ 240.000,01 até 2.400.000,00.

• Procedimento: Os credores que se sujeitam a RJ baseada no


plano especial tem que dever APENAS PARA CREDOR
QUIROGRAFÁRIO, uso a proposta que está pronta na Lei
o Parcelamento em até 36 meses
o Juros de 12%
o Primeira parcela a ser paga após 180 dias

• Prazo: 8 anos entre a RJ esp e a nova RJ esp

• Efeitos: Suspensivos de 180 dias

• Juiz pode homologar direto, não precisa da aprovação dos


credores.

d) RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL – art. 161 e ss – Todo o


acordo e proposta é feito fora do judiciário

• Não podem participar : CRÉDITO TRABALHISTA e nem


CRÉDITOS TRIBUTÁRIOS.

• Prazo: 2 anos entre a RJ extra e a nova RJ extra

• Leva para ser homologada pelo JUIZ, precisa?

[32]
o 1° homologação é facultativa – Quando todos os
credores concordam com a homologação. Art. 162.

o 2° homologação obrigatória, art. 163 nem todos os


credores concordaram, mas tem que ter a aprovação
(concordância) de 3/5 dos créditos aprovados

• SIM, precisa da homologação para que esta decisão seja


TÍTULO EXECUTIVO EXTRA JUDICIAL.

[33]