Você está na página 1de 33

DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado

Aula dia: 21/02 LEGISLAÇÃO: CF/88; Lei 8212/91 – Plano de custeio da seguridade social Lei 8213/91 – Plano de benefícios da previdência social Decreto 3048/99 – Regulamento da Previdencia Social

A ORIGEM DA PROTEÇÃO SOCIAL:  Preocupação com os infortúnios da vida (morte, invalidez...)  Teve início no Império Romano, onde os Grupos de mútuo se cotizavam em razão da preocupação com a vida futura. Se um deles morresse a viúva receberia uma “indenização”.  Estado liberal – dizia: cada um por si. Se trabalhar muito, terá muito. O Estado não tinha comprometimento com o indivíduo. O Estado Social – era um Estado de cidadania. O Estado tinha o dever de dar essa proteção social (saúde, condição digna de vida...)  CF/88 – a proteção social é uma obrigação do Estado. Direitos de 3ª geração.

Períodos: No mundo: 1. Formação (1883 – 1918): o Estado não tinha participação / obrigaçao. Otto von Bismarck (Alemanha), trouxe a necessidade de amparo aos trabalhadores das indústrias – o empregador custeava tudo sozinho (lei do acid. Trabalho). 2. Universalização (1919 – 1941): os EUA (1935) criaram a Lei da Seguridade Social – por conta da crise de 29. Foi um momento transformador. 3. Seguridade Social (1941...) – Carta do Atlântico – 1941 – Bem-estar social: todo País deve garantir aos seus cidadãos o bem-estar social. No Brasil: 1. Constituição 1891 – art. 75 – garantia aposentadoria por invalidez para os trabalhadores públicos. 2. Lei Eloy Chaves (Dec. Legislativo n. 4.682/23) – os ferroviários começaram a impor ao Estado que financiasse o seu grupo de mútuo. Houve uma regulamentação desses grupos e a contribuição era só do empregado. Através dessa lei, houve uma expansão para as outras

Elaine Gianotto

DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado

profissões. Apesar de não ser a primeira lei a tratar desse assunto, é considerada como um marco da Previdência Social no Brasil. 3. Constituição de 1934 – tríplice forma de custeio – Estado, empresa e segurado que devem custear os benefícios de aposentadoria. 4. Constituição de 1946 – unificou a LOPS – Lei orgânica da previdência social – Lei 3.807/60 – INPS – instituto nacional da previdência social. Note: era somente previdência. 5. Constituição de 1967 – FUNRURAL – Lei 4.214.63 – Fundo de Assist. e Previd. Do Trabalhador Rural Lei complementar n. 11/71 – garantia a aposentadoria velhice aos trabalhadores rurais com 65 anos e se aposentavam com 50% Sal./Mín. Tanto homem como mulher. SINPAS: Sistema Nacional Prev. Assist. Socail – órgão centralizador / controlador dos órgãos abaixo - era ligado ao MPAS: Ministério da Prev. Assist. Social. INPS: Instituto Nacional de Previdência Social. INAMPS: Inst. Nac. Assist. Médica da Prev. Social – ligado à saúde. LBA: Fundação da Legião Brasileira de Assist. – cuidava da assist. social. FUNABEM: Fundação do bem-estar do menor. DATAPREV: Serviço de Processamento de Dados da Previdência. IAPAS: Inst. Administrativo e Financeiro da Prev. E Assist. Social. CEME: Central de Medicamentos. 6. Constituição de 1988: Seguridade Social (Saúde, assistência social e previdência social) SINPAS foi extinto INSS foi criado em 1990, vinculado ao MPS (Ministério da Prev. Social) – é uma autarquia federal. 24/07/91 foram editadas: Lei 8212 (Trata do CUSTEIO da Segur. Social) e Lei 8213 (trata dos BENEFÍCIOS da Previd. Social) Dec. 3.048/99 – Regulamento da Previdência Social.

CONCEITO DE SEGURIDADE SOCIAL: Art. 194, CF/88 1. SAÚDE: é para todos. Independe de contribuição. Art. 196/CF: saúde, direito de todos, dever do Estado.
Elaine Gianotto

DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado

Lei 8080/90: regulamenta o SUS SUS – art. 200/CF: objetivos do SUS 2. ASSISTÊNCIA SOCIAL: não são só os benefícios, também têm programas, etc (bolsa família) Lei 8742/93 - LOAS Art. 203 CF/88: previsão de um benefício assistencial. Independe de contribuição. Benefício Assistencial: sua lei regulamentadora é a 8742. Este benefício não é para todos. Tem como requisito a hipossuficiência do cidadão. - bolsa família: (10.836/04) – R$ 70,00/mês/família – adolescentes e crianças regularmente vacinadas e escolares (sob pena de suspensão do benefício) recebem R$ 34,00 por cabeça. Gestante: R$ 34,00. 1 sal. Min. Para o portador de deficiência e idoso acima de 65 anos (H e M). Requisito: ter renda per capita familiar de ¼ sal. Min. A jurisprudência da 3ª região e STJ entendem que há que se relativizar esse requisito – devese avaliar outros fatores pelo juiz. Obs: esse benefício tem natureza personalíssima. Não se transmite com a morte. Também não tem 13º. 3. PREVIDÊNCIA SOCIAL – art. 201/CF “é filiado ao INSS aquele que exerce atividade remunerada. Tem que contribuir.” Seguro coletivo: caráter contributivo compulsório para o segurado. Repartição simples: art. 201/CF – equilíbrio financeiro e atuarial: é um estudo realizado com a finalidade de alcançar / permanecer esse equilíbrio financeiro. Aula Dia: 28/02

SISTEMAS DE REPARTIÇÃO:  Sistema não-contributivo – custeado pelo Estado (tributos) – países como p.ex. a Dinamarca – o cidadão não contribui diretamente. O orçamento é do Estado.  Sistema contributivo – depende diretamente de contribuições. 1. Reserva ou conta individualizada: sistema de capitalização. As contribuição vão para a conta de cada um individualmente. 2. Fundo único – sistema contributivo de repartição: é o nosso! As contribuições vão para uma conta única onde quem precisa 1º se ocupa dos valores.

Elaine Gianotto

Uniformidade e equivalência dos benefícios e serviços às populações urbanas e rurais... 2. Irredutibilidade do valor dos benefícios: Essa irredutibilidade é do valor nominal do benefício (é aquele concedido de acordo com a moeda corrente na data da concessão do benefício). Ex. I ao V e 194 CF) e do atendimento (pessoas) Falamos dos eventos objetivos determinados pela lei. Equidade na forma de participação no custeio: Relacionado à capacidade contributiva do segurado e das empresas. portanto. Elaine Gianotto . 6.666/03 diz que se uma pessoa (rural ou urbano) quiser aposentadoria por idade – tem que ter no mínimo 15 anos de contribuições mensais – contribuiu 10 anos e tem 5 anos que não contribui – pode aposentar. Há empresas optantes do simples. 201. 3º. tem que ser para quem precisa. 194/CF: 1.. Tem que atender esses requisitos. III. Art. tem que estar com as contribuições em dia – no caso da previdência. ex. O segurado especial que quiser uma aposentadoria (60H e 55M) tem que comprovar o desenvolvimento da atividade rural imediatamente anterior à data do requerimento. contribuem menos. Quem ganha mais contribui mais e vice-versa.. 4. 39. (art. A lei 10. as pensões por morte. O atendimento deve ser entendido de forma subjetiva.. mas o INSS não concede aos rurais por conta do art. I. A CF/88 proibiu a indexação de valores ao salário mínimo. CF) PRINCÍPIOS – art.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado Obs: o seguro desemprego é um benefício trabalhista e não previdenciário. comprovar o exercício da atividade rural. Universalidade da cobertura (eventos-art. No caso da saúde. CF) Fundamenta o fundo único. (baixa renda). 5. Fundamenta também. lei 8213 – para segurados especiais. p. é para todos! 3. Sendo assistência social. A seletividade é selecionar os eventos destinados especificamente a esse tipo de pessoa. Solidariedade (art. Seletividade e distribuitividade na prestação dos benefícios e serviços: Justifica os dois benefícios: auxílio reclusão e salário-família. p.ex. 201. 39 da lei 8213 (comprovar a atividade rural imediatamente anterior à data do requerimento).

3 aposentados e 3 empresas (representantes). para ter sempre dinheiro. Se ele vender para pessoa física a obrigatoriedade de contribuir é do segurado. sendo: 6 integrantes do governo federal. Caráter democrático e descentralizado da Adm. Isso é relativizado. parág. 5º Não posso criar. parág. 2. Elaine Gianotto . para não caracterizar o bis in idem. 8º É o chamado segurado especial. 9 do povo. Aula dia: 07/03 PRINCIPAIS DISPOSITIVOS CONSTITUCIONAIS: 1. TRÍPLICE FORMA DE CUSTEIO – ART. mas com modalidade diferenciada na forma de contribuição. 3. empregadores e governo federal.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado 7. 195. sendo 3 trabalhadores. 4. se ele vende para pessoa jurídica a empresa o paga retendo 2. PREEXISTÊNCIA DO CUSTEIO EM RELAÇÃO AO BENEFÍCIO – ART. . 195. 6º A lei que instituir ou modificar contribuição social deve obedecer ao princípio da anterioridade nonagesimal (90 dias). 4º Mediante lei complementar. A contribuição direta é vertida pelas empregadas e empregadores. impostos não-cumulativos. É considerado segurado especial aquele que tem uma propriedade até 4 módulos rurais. parág. 5. Social. 195. 8. A contribuição deve ser uma novidade. É um segurado obrigatório. onde não existia limite de módulo. CRIAÇÃO DE NOVAS CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS (espécie de tributo) – ART. Da Gestão quadripartite: Na gestão quadripartite a sociedade participa na elaboração e modificação das leis. PEQUENO PRODUTOR RURAL E O PESCADOR ARTESANAL – ART. parág. 195. ou estender um benefício sem saber de onde vou tirar a fonte de custeio (lei complementar). pois foi inserido em 2004. VACATIO LEGIS – art. relacionado com o princípio da equidade na forma de participação de custeio (conforme a capacidade contributiva do segurado).1% referente à contribuição social. é para lei que instituir ou modificar contribuição social. majorar. Não é para qualquer lei previdenciária. Existem várias fontes que contribuem para a previdência.CNPS – conselho nacional de prev. Diversidade da base de financiamento: Estabelece que o custeio da seguridade tem que ser o mais amplo possível. 195/CF Fontes de custeio: empregados.

prova testemunhal). porém. e não tem teto. Art. As empresas pagam 20%. Terão essa imunidade no tocante às contribuições sociais. 195. mas é dispensado o pagamento. deve estar inserida em vários critérios (utilidade pública. A imunidade está prevista na CF/88 e a isenção está prevista em lei federal. que é de 11%. 9º Também tem relação com o princípio da equidade na forma de custeio. Elaine Gianotto . ALÍQUOTAS E BASES DE CÁLCULO DIFERENCIADAS.51 a 4159. filhos. 7.70 – 8% 1247. Poderá haver empregado no período de 120 dias. mas não pode ser algo permanente.00 – 11% A alíquota é progressiva. A alíquota do segurado especial é de 2. mas o segurado paga a sua parte. fazer um cadastro. A entidade não paga os 20% em relação à contribuição. 195.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado Os cônjuges. conforme a capacidade de custeio. Quem tem a imunidade constitucional é somente a entidade. Tabela para os trabalhadores urbanos. e não uma isenção do pagamento. A imunidade não há incidência de tributo para a entidade.1% sobre o que ele vender. Para ser considerada como tal (beneficente de assistência social). Deve levar algum documento que comprove o exercício da atividade laboral (certidão de nascimento que contenha “lavrador”. e é de 20% a alíquota. também receberão esses privilégios (LEI 8213/91 – LEI DOS BENEFÍCIOS). Paga o mínimo sobre o mínimo ou o máximo sobre o máximo. Para os contribuintes individuais (autônomos) é diferente. parág. IMUNIDADE DAS ENTIDADES BENEFICENTES DE ASSISTÊNCIA SOCIAL – ART. existe o plano diferenciado. senão descaracteriza o pequeno produtor.50 – 9% 2079. 28. ART. independente do valor. ter uma fiscalização). Até R$ 1247. 7º Há uma imunidade. lei 8212 define o que são os salários de contribuição. 6. parág. A lei diz que essas pessoas não precisam comprovar o recolhimento. trabalhador avulso e doméstico. Essas entidades beneficentes tem que estar atendendo aos critérios da lei. É a base de cálculo para se incidir a alíquota para a contribuição previdenciária. A isenção há a incidência.71 a 2079. mas não o isenta desse pagamento.

ressalvados os casos especiais. é demitida. parág. A seguridade social tem seu próprio orçamento. Elaine Gianotto . ORÇAMENTO DA SEGURIDADE SOCIAL. pensão por morte. Vai ter que negociar. 1º É dissociado ao orçamento da União. 2º Todos os benefícios que substituem o salário de contribuição do segurado não poderão ser menores que 1 salário mínimo. 195. para os professores cai em 5 anos no tempo de contribuição mas a idade mantém (professor universitário não se inclui). a pessoa trabalha 20 anos. parág. com o fim de impedir qualquer abuso ou vilipendio dos valores (embora haja a corrupção. Após essa data. ART. Não vai ter remissão nem anistia. 9. aux. Doença. REQUISITOS DIFERENCIADOS PARA A APOSENTADORIA. não precisando comprovar valores. Esses benefícios são as aposentadores. que prejudiquem a saúde ou a integridade física e quando se tratar de portadores de deficiência. 1º De início. ART. 201. mas é prova relativa. é necessário comprovar os valores recolhidos. A CF veda a remissão e a anistia das contribuições previdenciárias em relação à empresa para débitos em montante superior ao fixado por lei complementar. pode acontecer alíquotas e bases de cálculo diferenciadas. os requisitos são para todos: 65 e 60 anos (H xM) 30 e 35 anos (H x M) Mas. CONTRATAÇÃO COM O PODER PÚBLICO. parág. parág. 195. 201. Daí sim. ART. 195. Reclusão. e a empresa está inadimplente. Vai ao INSS verificar suas contribuições (no CNIS – cadastro nacional de informação do segurado). mas os requisitos de idade e tempo de contribuição deverão ser os mesmos. 10. 11 Remissão seria o perdão da dívida. GARANTIA DO SALÁRIO-MÍNIMO. o desvio de finalidade). parcelar e pagar para poder contratar. para preservar o equilíbrio atuarial e financeiro.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado 8. Há diferenciação: para os rurais cai a idade em 5 anos. ART. aux. A pessoa tem a CTPS. 11. ART. parág. A anistia é a exclusão das penalidades. REMISSÃO E ANISTIA DAS CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS. 3º Uma empresa que está em débito com o poder público não pode contratar com ele. Se for até julho/94 é importante demonstrar sua qualidade de empregado. salário maternidade. 12. Ex.

CONTAGEM RECÍPROCA E AVERBAÇÃO DO TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO. parág. ART. segurado especial só pode verter para o regime geral de previdência social.00. ART. Algumas espécies de tempo de serviço não poderão ser vertidas. Ações previdenciárias: é da justiça federal. 195 I. DESTINAÇÃO EXCLUSIVA DAS CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS. CF.000. parág. a empresa deve recolher sobre os 10mil. VIII. 195 As contribuições do art. 201. Por toda a sociedade. A competência da JT pode cobrar as contribuições sociais decorrentes da sentença que proferir. 11 Ex. 201. 13. não é possível verter para o regime público. Essas contribuições são destinadas exclusivamente para a previdência social. Existem acordos internacionais em que o Brasil e outro país possa fazer essa contagem recíproca também. 9º É possível que uma pessoa que trabalhou em dois regimes diferentes possa jogar com esse tempo de serviço e averbar no regime que está enquadrada atualmente. mas tem caráter indenizatório esse benefício. De contribuição. ART. Acidente e o sal. e II incidem sobre as folhas de salários dos trabalhadores e que a empresa também deve pagar. a pessoa ganha R$ 10. 16. Min. Há uma compensação financeira. Há a reciprocidade entre os regimes (reciprocidade financeira). uma vez que esses trabalhadores continuam trabalhando. em regra. Aula Dia: 14/03 FINANCIAMENTO DA SEGURIDADE SOCIAL – art.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado O aux. acidente pode não trabalhar). 14. 195. Pois esses benefícios não visam substituir o sal. Ex. HABITUALIDADE DOS GANHOS E SUA REPERCUSSÃO NO BENEFÍCIO. COMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO PARA COBRANÇA DAS CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS. Isso recebe-se até a aposentadoria ou até morrer. A partir de EC 45/2004. 114. O percentual é de 50% sobre os valores calculados para contribuição. 15. Família são menores que 1 sal.”a”. ART. Receitas provenientes: Elaine Gianotto . (No caso de aux.

Essa tabela serve para essas figuras: empregado. que é o limite que receberá em caso de aposentadoria.Recursos adicionais do orçamento Fiscal .00 – 11% Obs.50 – 9% 2079. Receitas das contribuições sociais I – das empresas. doméstico e avulso: incide sobre seus salários. incidentes sobre remuneração dos seus trabalhadores.Lei orçamentária anual 2. a sociedade. Receitas das contribuições dos segurados * Definição de salário-de-contribuição: é a base de cálculo que vai incidir a alíquota.70 – 8% 1247. 3. Receitas da União . Porque desta forma. Atua quando houver insuficiência financeira. II – dos trabalhadores incide sobre sua folha de pagamento.71 – 2079.: se o segurado tem mais de um emprego.União: ingressa nesse orçamento através de seu orçamento fiscal.1 Segurado empregado.2 Contribuição do individual e facultativo Elaine Gianotto . III – associações desportivas IV. 3.art.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado . (equidade na forma de contribuição).outras fontes 1.receita e o faturamento V – receitas de concursos de prognósticos: jogos autorizados. lei 8212/91 3. informa a um dos empregadores que já ocorre o desconto da alíquota no outro emprego. e a soma dos seus salários ultrapassar o teto do INSS. não entra na base de cálculo para fins de aposentadoria. . Passou do teto. . 28. E atua de forma indireta. De forma direta.51 – 4159. quando houver. Até 1247.Contribuições sociais . doméstico e avulso. o segurado contribui até o limite do teto. para não descontar em dobro.

(ex. 20% do total do ganho no mês é o valor que deverá ser repassado para a previdência. 20% também para o facultativo. mas quer pagar a previdência para se resguardar). enquanto que o segurado especial não precisa desta comprovação. Ver! São segurados obrigatórios por desenvolver atividade remunerada.1% (SAT) Segurado especial: pescador artesanal e pequeno produtor rural e produtor rural em regime de economia familiar. Se ela quiser aposentar por tempo de contribuição deve recolher a diferença do período devido. essa dona de casa poderá se aposentar apenas por idade. mas precisa comprovar que é atividade rural em regime de economia familiar.  Aqui eles não têm como receber acidente de trabalho. e não mais por tempo de contribuição.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado O mínimo e o máximo da tabela acima seguem para o segurado individual (o autônomo) e facultativo (ex. A lei também incluiu esse plano simplificado de 11% para esta categoria. CASO o contribuinte individual preste serviço para pessoa jurídica.0% + 0.3 Produtor rural pessoa física e segurado especial: 2. Ser cadastrada no programa bolsa família e. advogado) Há o plano simplificado de 11% para o segurado. costureira. Se ele vender para PF quem repassa para a previdência é o segurado. não desenvolve atividade remunerada. Elaine Gianotto . Se for PJ entra na mesma modalidade acima: retém e repassa para a previdência. 195. Daí. nesse caso.1% a titulo de SAT (para custear os acidentes de trabalho). Parag. A alíquota é a mesma. MEI – micro empreendedor individual: tem capacidade contributiva pequena. 8º art. Para a dona de casa ainda existe a redução a 5% de recolhimento do mínimo. só não vai poder ter aposentadoria por tempo de contribuição. Condição: ser hipossuficiente. 3. A pessoa jurídica (empresa) que o individual presta serviço deve reter esses 11% e efetuar o repasse. se enquadram na figura de empregado individual. A lei diz que a alíquota será de 2% da previdência + 0. ex: pipoqueiro. Quem retém isso é o adquirente da produção.  O produtor rural tem que comprovar o recolhimento. dona de casa. a lei os limita a 11% sobre um salário mínimo. o recolhimento é sobre o mínimo. quem for maior de 18 anos. Eles pagarão o incidente sobre a venda da comercialização dos seus produtos. Desenvolvem atividade remunerada.

individual). A empresa deve pagar para esse funcionário contribuições nos percentuais de 20% + 1% + 12%. físico ou biológico. Esses percentuais não são incidentes sobre o limite do teto. LUCRO LÍQUIDO: incide sobre o lucro líquido. Receita das contribuições das empresas a. . e ele se aposenta em 15 anos. além dos 20% a empresa vai pagar mais 1. As entidades beneficentes de assistencial social e sociedades civis. Tem uma tabela que diz quais são todos os agentes nocivos – decreto 3. efetivamente. A TARCEIROS: 3.20 anos 6% .048.15 anos 9% . 2 ou 3%. Elaine Gianotto . portanto.risco leve: 2% . trabalhador direto em contato com o chumbo. c. pois está relacionada com a exposição a um agente nocivo. a empresa contrata o advogado (cont.acréscimo para a empresa de: 12% . poderão ultrapassa-lo. cooperativas de trabalho não pagam cofins. COFINS: incide sobre o faturamento da empresa.5% do que arrecadar é destinado para a seguridade. a empresa paga 20% sobre o seu salário e ele paga mais 11%.25 anos Ex: risco leve.risco médio: 3% . seja químico. 3% faturamento d. Ex. 9% e. ADICIONAL para a empresa de: 1% . Quem aufere o grau de risco é um perito através de um laudo técnico. Configura aposentadoria especial. b.risco máximo: Conforme o risco. Cai para 15% para a empresa quando a prestação de serviço é feito por um cooperado de uma coorporativa de trabalho. BÁSICA – 20% 15% (coorporativas) A empresa paga 20% de todos os seus empregados.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado 4.

Mesmas condições do produtor rural pessoa física. SENAI.1 Empregador doméstico 12% 4. II – Regimes Próprios de Previdência Social dos servidores públicos e dos militares (Federal. Concurso de prognósticos – renda líquida (jogos autorizados – loteria.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado (INCRA. 201.5% + 0. relacionados às atividades do setor privado. 5. Estadual e Municipal). SEBRAE. Receita das contribuições do clube de futebol – 5% da receita bruta Da receita total. Outras fontes: I – multas. Grande produtor rural.Seguro DPVAT – 50% do total do prêmio recolhido vai para o SUS. SENAR)  Quando uma empresa é optante do simples nacional ela vai pagar só a contribuição previdenciária. As cidades que não tem constituído seu regime próprio seguem o regime geral.. SEST. Beneficiários Segurados Dependentes Elaine Gianotto .) 7. CF. 4. (INSS) A Previdência Social compreende: I – Regime Geral de Previdência Social (INSS).2 Produtor rural pessoa jurídica 2. Pagarão o incidente sobre a venda da comercialização dos seus produtos.. SESC. II – 40% dos resultados dos leiloes dos bens apreendidos pela Receita – Secretaria Receita Federal . SESI.. SENAT.1% (SAT) Já é a empresa rural. 6.. Aula Dia: 21/03 REGIME GERAL DE PREVIDÊNCIA SOCIAL.art.

Sempre observar que deve haver um vínculo com o Brasil.. Elaine Gianotto . será segurado obrigatório. pelo princípio da territorialidade é segurado obrigatório do regime geral de previdência. “contratado por empresa de trabalho temporário”. Agora alguém que desenvolve atividade no setor privado. c. h. a União é equiparada à empresa.. obrigatoriamente. d. e recentemente. Segurados Obrigatórios: devem. “Presta serviço. só não serão obrigatórios quando vinculados a algum regime próprio. não fazem jus ao benefício. “empregado organismos internacionais”. conforme sua capacidade contributiva (tabela progressiva).9 ou 11%.. contribuir para a previdência social.. trabalha aqui no Brasil. “brasileiro ou estrangeiro domiciliado e contratado no Brasil. i. Municípios são equiparados à empresas. j. quando fala “aquele”. b. brasileiro que trabalha para União nesta condição. os brasileiros que vão trabalhar na Alemanha... 11. professor de uma rede pública e se transformou em um vereador eleito. a não ser que for coberto pelo regime de previdência daquele país... Ex. não fala se brasileiro ou estrangeiro. as contribuições de lá são vertidas para o Brasil. “servidor comissionado”..DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado 1. vereador. “o brasileiro civil”. não se enquadra em nenhumas das hipóteses acima. mas a maioria do capital votante seja nacional. 1. é a figura clássica do emprega do no conceito trabalhista... “Presta serviço de natureza urbana ou empresa”.. sem vínculo com o Brasil. então ele é vinculado ao regime geral de previdência..I Lei 8213/91) a. como é o caso do Mercosul. salvo vinculado a regime próprio daquele país. Se trabalha numa empresa estrangeira. exceções: quando o não brasileiro não tenha residência permanente no Brasil. porém se o país tem acordo internacional aqui com o Brasil. e nessas circunstancias a União. deputado. “brasileiro ou estrangeiro contratado para trabalhar numa empresa estrangeira. e. Ele recolhe com as alíquotas de 8. Outra circunstancia é do brasileiro vinculado ao regime dessa repartição consular ou na missão diplomática.. g. Estados. “servidor mandato eletivo”. ainda é vinculado ao regime de previdência social. é segurado obrigatório. então ele será segurado obrigatório. para trabalhar numa sucursal (agencia do Brasil) e trabalhar no exterior.1 Segurado Empregado (art. Não contribuindo..excluídos não brasileiro”. f..

Facultativo). O recolhimento é da alíquota progressiva... c... são contribuintes individuais.3048/99) Presta serviços a uma ou mais pessoas. qualquer tipo de atividade autônoma que tenha uma renda. recolhe 11% (pipoqueiro. Os empresários recolhem como CI em um percentual sobre seu pró-labore.. Brasileiro civil trabalha no exterior. f. Trabalhadores de porto. e. embarcação. mas existem outras figuras: a.. RPS – dec. então o empregador é o órgão gestor ou sindicato.dec..RPS . contador. b. não é segurado especial pois não vive em regime de atividade de economia familiar. o OI desconta 11% para a sua contribuição. mas tem uma intermediação por um sindicato ou órgão gestor de mão-de-obra... Ministro confissão religiosa. por conta da ausência da atividade lucrativa. 9º VIII.4 Trabalhador Avulso (art. Como se fosse um serviço terceirizado..2 Segurando Empregado Doméstico (art.. 1. Elaine Gianotto . e o empregador doméstico paga 12%. 9º V...1%). Se ele não recolher não faz jus ao benefício. PF.. Seria o pequeno produtor rural de PJ (alíquota 2. profissional liberal. pastor. recolhendo 20% sobre a sua renda mensal....VI Lei 8213/91 / art. Recolhimento da alíquota progressiva. padre. A PJ que ele está prestando serviço retém 11% dele.. é a atividade autônoma... se passar de 4 módulos e tem empregados. sem fins lucrativos.5% sobre o valor da produção + 0. e sim individual. para ele É exigido a comprovação do recolhimento. causam duvidas em algumas categorias. é um contribuinte individual. garimpo. Titular de firma.. e seu recolhimento é em 20% que ele deveria fazer. se contratado pelo organismo internacional deve recolher como contribuinte individual. é o trabalhador autônomo... sem vínculo empregatício.. Individual) se não recebe é CF (contrib. costureira. PF exerce atividade econômica por conta própria: advogado. que não se enquadra nas outras questões acima. o garimpeiro não é contribuinte especial.. d.V Lei 8213/91 / art. profissional liberal. seu trabalho é diferenciado.. Em regra.. 11. Alíquota de 20% reduzida para 11 quando MEI ou presta serviço pra pessoa jurídica.II Lei 8213/91) Desenvolve atividade remunerada em uma família. estiva. vai nas fazendas fazer cercas. 11. Ele não é um empregado. Não recolhendo não faz jus. Serviços natureza urbana ou rural. Tem a figura do CIRural. bem como sindico de condomínio: o sindico se recebe remuneração é CI (contrib. 1. 11.) g. Daqui saiu a figura do Micro Empreendedor Individual. PF proprietária ou não que explora atividade agropecuária. organismos internacionais.. 3048/99) Essa figura.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado 1. medico.3 Contribuinte Individual (art.

. em regime de economia familiar. Participação em plano de previdência privada. Alíquota do segurado facultativo: 20% sobre o valor declarado por ele. Não recebe remuneração. Atividade não artesanal: tem uma argila e faz lá o seu vazinho.. 3. 4.. 9º VII. Deve haver comprovação do desenvolvimento dessa atividade no período imediatamente anterior ao requerimento. RPS) PF residente no imóvel.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado 1. Associado de cooperativa agropecuária. Estudante.2..RPS – dec. Todos precisam do NIT.. Esta se reverte para o grupo familiar. exploração de atividade turística com hospedagem não ultrapassadas em 120 dias ao ano. VII Lei 8213/91 / art. Não descaracteriza a condição de segurado especial: 1..: Não precisa obrigatoriamente morar na zona rural (ex. b. 11. O intuito da lei ao abrir para o segurado facultativo foi dar oportunidade para que essas pessoas possam entrar nesse sistema de previdência social.5 Segurado Especial (art.. Lei 8213/91 / art. Elaine Gianotto . Sindico de condomínio não remunerado: se este for um militar da reserva. Já é participante de um regime próprio. (8%.. Tudo isso está no art. O decreto é quem diz quem são essas pessoas: a. filho maior de 16 anos ou equiparado que comprovadamente trabalhe no grupo familiar: deve haver a comprovação do trabalho.. Dona de casa – tem NIT: número de identificação do trabalhador. 9º RPS!! 2 Segurado Facultativo (art. Outorga por meio de contrato escrito parceria ou comodato.auxílio eventual de terceiros (não pode ter fins lucrativos). ele não pode se cadastrar como segurado facultativo: ver § 2º. Mutua colaboração e dependência: sem auxílio de empregados. 13. Não existe atividade lucrativa de grande porte. c. ser beneficiário por ex. 3048/99) Não desenvolve atividade remunerada. e 5. 4. A lei abriu a possibilidade de essas pessoas aderirem e se cadastrarem nessa condição. Deve seguir o mínimo e o máximo da tabela progressiva.. que seria como o PIS/PASEP. Agropecuária em ate 4 módulos fiscais Pescador artesanal Cônjuge ou companheiro.. do bolsa família.. 9% e 11% sobre os valores mínimos e máximos). O regime de economia familiar: atividade trabalho indispensável para sua própria subsistência. boias frias). 11.

. f. se for considerada hipossuficiência e for cadastrada no Bolsa Família. Para o segurado facultativo primeiro se inscreve (faz o NIT) e depois se filia com o pagamento da primeira contribuição. Ela so não vai ter aposentadoria por tempo de contribuição. exterior. d. Filiação e Inscrição: Filiação é algo abstrato.. e. saiu de uma das condições acima. com fins lucrativos ou não.. e que passam a recolher suas contribuições. o segurado se inscreve na previdência social e passa a existir neste regime geral. *Equiparados: à empresa para fins previdenciários.. Qualquer um de nós que já fomos vinculados à previdência social temos o CNIS – Cadastro Nacional Individual de Segurado. empregado que teve a CTPS assinada. Se ela quiser assim terá que pagar a diferença de todo o período. Com fins lucrativos ou não: p.. Brasileiro residente. pois ele exerce atividade remunerada e automaticamente se filia.. bolsista em tempo integral (ex. A inscrição já é um ato de cadastro. Presidiário que não exerce atividade remunerada e não esteja vinculado a nenhum outro regime. Para o segurado obrigatório primeiro se filia e depois ele se inscreve. ex. g. i.. urbana ou rural. Membro de conselho tutelar não vinculado a regime próprio. Desempregado. indireta e fundacional. Empresa e Empregador Doméstico Conceito de Empresa: é a firma individual ou a sociedade que assume o risco de atividade econômica. Ex. estagiários. Bolsista. médico residente) h. bem como. com o qual o Brasil mantenha acordo internacional.. pois decorre automaticamente da atividade remunerada. Elaine Gianotto . os órgãos e as entidades de administração pública direta.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado A dona de casa pode pagar 5% sobre o salário mínimo. Brasileiro que vai acompanhar o cônjuge para fora do Brasil pode continuar vertendo contribuição como SF. uma ONG...

advogado que tenha uma secretária. 20% e as contribuições da secretaria.Cooperativa.: Os dependentes da classe I concorrem entre sim. exercem atividade remunerada. menor de 21 anos ou inválido. então o empreiteiro se responsabiliza com todos os pedreiros em relação à obra. . missão diplomática de repartição consular . No TJ daqui é concedido o benefício para este menor. 16 e 17 – decreto 3048/99 I – cônjuge. e isso não dá condição de equiparação a filho para este menor sob guarda. deve passar por perícia médica do INSS) II – Pais.: Filha deixa a criança com os pais para que o criem. os dependentes da classe I têm uma dependência presumida. III – Irmãos. **Obs. hierarquicamente são maiores que os das classes I e II.Proprietário ou dono de obra de construção civil: deve pagar a previdência dos pedreiros. Só não paga se p.: O menor tutelado é equiparado à filho. Elaine Gianotto . Esses avós criam a criança somente com ação de guarda judicial. companheiro (a) e filho menor de 21 anos ou inválido: (Tb casais homoafetivos!) (Inválido em qualquer idade. Beneficiários e segurados facultativos) Dependentes (rol taxativo) Rol taxativo de dependentes: Art. fazer um contrato de empreita. e. senão não consigo “habite-se” e nem consigo registrar a nova edificação no meu lote. MATÉRIA PARA N2: 18/04 PLANO DE BENEFÍCIOS DA PREVIDÊNCIA SOCIAL: Segurados (recolhem.Operador portuário e órgão gestor de mão-de-obra fazem a intermediação obrigatória dos trabalhadores avulsos. Para os dependentes da classe II e III deve ser comprovada a dependência econômica..ex. Ex. O advogado deve verter contribuições em seu favor. e não com tutela.Contribuinte individual que tenha um trabalhador a seu serviço. . Ex. segurados obrigatórios. **Obs. único tribunal do país que concede.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado .

e fica comprovado. com o divórcio perde-se a qualidade de dependente.00 dele será dividido entre os outros 3 dependentes restantes. ficando R$ 333. Nesse divórcio ficou estabelecida a prestação de alimentos para Margarida. Os pais têm direito. quem cuida do filho era a mãe. desde que comprovando a superveniência. As duas têm direito à pensão por morte.6: José é filho de Joao e Maria.000. Sofre acidente e aposenta com os R$ 3 mil. Se ele tivesse filhos ou cônjuge não teriam direito. *Se aparece uma investigação de paternidade. Pensão seria de R$1000. o filho passa a perceber o benefício e o benefício dos pais é cancelado.3: A pensão por morte é integral. renunciou aos alimentos. 22. 336 STJ. Não tem filhos nem cônjuge. senão não recebe o benefício. não tem aplicação do fator quando a pessoa está trabalhando e morre. Zezinho e Luizinho) – Pato morre. Tio Patinhas morre. e os R$ 250. e estes dependentes concorrem entre si. pois recebia alimentos dele. pois Margarida manteve a posição de dependente. A comprovação da Elaine Gianotto .00. não perde o benefício da pensão por morte do Pato Donaldo.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado Ex.1: Pato Donald casou-se com Margarida. Alimentos são irrenunciáveis e imprescritíveis. Margarida pode optar por receber a pensão do Tio Patinhas ou do Pato Donald. com Tio Patinhas. A pensão dele é de R$ 3. diz que a dependência econômica superveniente poderá dar direito à buscar na autarquia previdenciária o benefício. § 3º RPS. mesmo que continue estudando. Ex. Quando Huguinho atingir 21 anos cessa a sua condição de dependente. Passou a conviver em união estável com Florisbela.5: Quando Margarida divorciou-se de Pato Donald. Em regra.00 para cada um). a viúva recebe o valor da aposentadoria. o pai que não mora com ele também deve comprovar a dependência econômica. A lei não fala em comprovação de união estável. Mas há jurisprudência que a prova da união estável poderá ser realizada por prova testemunhal. Ex.00 para cada um e assim sucessivamente. Trabalha e ganha R$ 3 mil. Ela não terá direito devido à renúncia.2: Margarida então casa-se novamente. Ex. mas o INSS utiliza esse mesmo rol de exigências para comprová-la. e morreu em 2013. Agora se morre quando aposentado. A mãe e pai cuidam dele. Ex. *Comprovar dependência econômica – art. alegando o principio da dignidade humana por exemplo. Porém a súm. que tem o fator previdenciário aplicado. Ex. pois os pais não concorrem com os dependentes da classe I. Poderá neste caso ajuizar ação em favor dos pais.00 (R$ 250. Tem 3 filhos (Huguinho. exclusivamente.4: Pato Donald divorciou-se de Margarida no ano de 2000. Se os pais forem divorciados.

tem 12 meses (+45 dias) de período de graça para voltar a recolher. para férias. conta para futura aposentadoria. RPS.. Se parar de pagar perde a condição de segurado. automaticamente estaria desfiliado da Prev. O pagamento da contribuição previdenciária vence todo 15º dia do mês subsequente. Social.. Não perde a condição de dependente: **sem limite de prazo que está em gozo de benefício: João. sofrer acidente de transito.  Manutenção e Perda da Qualidade de Segurado – art. O art. II) se o segurado já tiver pago mais de 120 contribuições mensais (10 anos): Joao já tinha 120 contribuições. 01/03/14. deverá efetuar o pagamento em 16/04/13. Para salário-maternidade. Semana passada houve uma liminar que derrubou essa decisão. Elaine Gianotto . Se ele morrer em 15/04 os dependentes dele têm direito à pensão por morte. isso se chama Período de Graça. Salário-maternidade é salário de contribuição. pois a mãe não estaria em contrapartida com a prestação de serviço. CF protege o desemprego involuntário. Se ele morrer nesse período de graça. contribuinte individual.. ela continua recebendo e recolhendo ao INSS. e. O segurado se mantém vinculado a Prev. A condição de dependente deles já presume a dependência econômica. ou seja. 13. §2º : acrescido no prazo 12 meses para segurando desempregado desde comprovado no SINE (órgão do MTE). Neste período parou de recolher. § 1º : prorrogação de 24 meses (inc. recebeu auxíliodoença de 01/01/13 a 01/03/13. pois ele deveria ter recolhido neste dia. Isso não acontece com os dependentes da classe II e III.. há direito aos benefícios respectivos. mantendo a condição de segurado. 194. 17. então pode se utilizar da prorrogação do §1º. se não houvesse essa lei. Se ele morrer em 16/04 já não o terão. ou seja.: ** até 12 meses após o livramento de segurado detido ou recluso: seus dependentes estavam recebendo o auxílio-reclusão. **até 3 meses (+45 dias) após o licenciamento o segurado incorporado às forças armadas. Social através das contribuições.  Manutenção e Perda da Qualidade de Dependente – art. RPS. porém em fev/13 o STJ lançou uma jurisprudência declarando a inconstitucionalidade dessa contribuição. e ele tem 12 meses (+45 dias) para dar um rumo na vida dele. **até 12 meses após a cessação das contribuições: cessou a incapacidade em 01/03/13. **até 12 meses até cessar a segregação.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado dependência econômica não precisa ser realizada para os dependentes da classe I.

câncer. Se a criança nascer de 7 meses.. Não importa que tenha um único recolhimento.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado Obs. facultativa e segurada especial. (a carência é reduzida se o parto é antecipada. salário-família e auxilio-acidente. etc. aids. A súmula 27 da TNU diz que esta condição de desemprego pode ser comprovada por outros meios de prova. Mas deve ajuizar ação. auxilio-reclusão. idade. 26 RPS. Esse tempo de carência é taxativo. CI também tem direito. cegueira total. hanseníase. III-aposentadoria por Invalidez. 12 CM 180 CM 10 CM auxílio-doença. É o número de contribuições mensais mínimas que o segurado deve efetivar para ter direito a benefício. individual. *Independe de carência (art. Elaine Gianotto . (essa doença tem que ser no decurso da filiação). especial a carência dela equivale ao tempo de trabalho rural. Para Seg. A pessoa no 1º dia de trabalho pode fazer jus ao benefício.auxílio-doença e aposentadoria por invalidez – quando decorrentes/relacionados a acidentes de qualquer natureza e pela lista de doenças do Ministério da Saúde.: Joao não pagou e morreu no dia 16/04 (dia do pagamento).Pensão por morte. pois o INSS não o considera como desempregado. aposentadoria invalidez aposentadoria tempo de contribuição. auxílio-doença. antecipa 2 meses de carência). 30). II. ex. 10 meses de trabalho rural no período imediatamente anterior ao benefício. Ex. hepatite. ex. alienação mental. auxilio-reclusão ou pensão por morte aos segurados especiais. Mande a viúva pagar um recolhimento dele atrasado para que ela tenha direito à pensão por morte! O INSS não aceita. consideradas a partir do transcurso do 1º dia dos meses de suas contribuições. prova testemunhal.: desemprego não é só para os segurados obrigatórios.  Carência – art. deverá ser aberto um processo ou um procedimento administrativo para isso. Cada benefício tem uma carência. idade e especial (15 anos) salário-maternidade para contrib. I.

recolhendo sobre isso. É a base de cálculo para se auferir a renda mensal. 142 da lei 8213/91 Ex. Ex.. 142 tem uma tabela progressiva estabelecendo ano/tempo de contribuição. Salário-de-benefício (SB)– art. Regra de transição para os segurados que estavam na expectativa de direito. No art. ou seja. 28/29 Lei 8213/91. Perdeu a qualidade de segurado. Se quisesse auxílio-doença pagaria 1/3 de 12 meses que é a carência para esse tipo de benefício.: fiz 60 anos no ano de 2000. Carência.: Completei 60 anos hoje.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado Ex. São 114 meses de contribuição necessários para se aposentar (tabela) = divide 114/12= 9. A tabela progressiva começa em 1991 – 60 meses e vai até 2011 – 120 meses Para as pessoas que eram filiadas antes de 24/7/91 estavam na expectativa de direito de aposentadoria. tempo de contribuição (essa possibilidade veio com o advento da lei 10666/2003). em março mudou de emprego e passou a ganhar 1 sal. Tenho no meu CNIS 180 CM. 4 meses.5 anos comprovados de contribuição. pois eu pertencia a uma filiação que é anterior à lei 8213/91. regidos pela LOPS. Desde 2000 não trabalho. pois entra na baixa-renda. e estava na expectativa de direito. pela tabela são 168 CM (14 anos). antes de aposentava com menos idade e menos tempo de contribuição. Não precisa comprovar uma carência de 180 meses mas sim de 114 meses. **A regra geral diz que a partir do momento que perdi a qualidade de segurado. Em abril foi preso. Mas ela vai receber sobre 80% dos maiores salários de contribuição.min. ou seja. sobre o que ele sempre recolheu. tem direito.  REGRA DE TRANSIÇÃO – art.: se eu tivesse feito 60 anos em 2009.: Lucas. 9. a esposa vai pedir o auxílio-reclusão. era filiada antes de 24/07/91. 142 – Lei 8213/91 – filiados até 24/07/91. 02/05  Regra de Transição art. Elaine Gianotto . a vida inteira recolheu sobre o teto. Ex.5. Para as pessoas que estavam na expectativa de direito. deveria pagar 1/3 do equivalente à carência exigida para o benefício que se requer. Posso pedir aposentadoria por idade. nem recolho.

(valores anteriores servem como tempo de contribuição. Seja R$ 2.. Chega a um número X. vamos supor que esse num. PRIMEIRO o INSS menospreza os menores salários. que é uma renuncia de aposentadoria para incluir uma aposentadoria mais vantajosa.500. Elaine Gianotto . com o fim específico de trazer uma redução proporcional às rendas mensais conforme menor for a idade do segurado e maior a expectativa. é só os R$ 2. Se for pedir AP.00.valor efetivamente pago ao segurado Reajustamento do valor dos benefícios – INPC/IBGE Índice Nacional de Preços ao Consumidor.31%) x (1 + (Id (idade) + Tc x a)) ES (expectativa de sobrevida IBGE) 100 O fator previdenciário foi criado em 99 com a EC 20/98.INVAL. (média aritmética X fator). Renda Mensal do Benefício . que é a chamada a DESAPOSENTAÇÃO.TC (100%) além desse valor terá um multiplicador que é o fator previdenciário.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado FATOR PREVIDENCIÁRIO (aplicável desde novembro/99) F= tc x a x (1 + (Id + Tc x a)) Es 100 EXPLICANDO: F= tc (tempo de contribuição) x a (alíquota 0. O SB é só a base de cálculo do que ele vai receber. Ex: vou pedir AP. Esse será o SD do cidadão.TC. Isso significa que quanto mais nova for a pessoa. . Pede a Aposentadoria e continua trabalhando.500. não tem o fator previdenciário. (está às vias de virar lei). Média aritmética simples de 80% dos maiores salários de contribuição (SC).00. Se for AP. terá uma redução significativa ao ponto de diminuir 50 ou 60% da sua renda mensal. pega os maiores SC e pega 80% desses maiores SC e faz uma média aritmética simples = soma tudo e divide pelo numero de contribuições correspondentes.é o valor efetivamente pago ao segurado. O Reajuste é no benefício. Tem um efeito contrário. *CNIS – a partir de julho/94.TC.) de julho/94 para cá pega 80% dos SC multiplica pelo fator previdenciário para AP.

*Concedida ao segurado. se for empregado.. 43 a 50 RPS. DIP: 15 primeiros dias. tipo de alienação mental. pode converter por AP. *Data do início do benefício – art. de 2 em 2 anos o INSS chama para fazer a perícia. for considerado incapaz para o trabalho e insuscetível de reabilitação. Se por acaso atingir a idade estando em gozo de benefício. sem fator previdenciário. *Ele não pode ser reabilitado. 49 – RPS). O contrato de trabalho do cidadão fica SUSPENSO.).ID. mas fica subentendida que sim! *Incapaz para a atividade que lhe garanta a subsistência. Em tese.INV: existe essa possibilidade quando essa pessoa comprovar que necessita de auxílio de terceiros (ex. Como se procede essa AP. RMI – renda mensal inicial DIP – data de início do benefício Elaine Gianotto . em gozo ou não de auxílio-doença. 42 a 47 – Lei 8213/91 e arts. a cargo da empresa. *Possibilidade de uma Redução gradativa do valor da aposentadoria no caso de recuperação total ou parcial (art.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado  Prestações Previdenciárias 1) Aposentadoria por Invalidez – arts. *Depende de perícia médica do INSS. mas nem sempre compensa. *RMB = 100% do SB – Renda Mensal do Benefício é de 100% do valor apurado no SB. conforme a proporção da sua invalidade. A lei não diz se a incapacidade é permanente ou não. E a cargo do INSS.INV. e não é ilegal. tetraplegia. A partir do 16º dia é a cargo do INSS. Pode acontecer de elevar a mais que o teto quando recebe junto esse acréscimo. 43. § 1º “a” e “b” – Lei 8213/91 *Acréscimo de 25% da sua AP.. posso levar um médico da minha confiança como assistente técnico.

Médio) . Elaine Gianotto . 56 a 63 .H ( Reduzidos 5 anos p/ Prof. .art. Inf.RPS  IDADE AVANÇADA 65 anos . 49 .art.35 ANOS de cont . . Fund.H (reduzidos 5 anos para trab.00 .00 + 1% = 850.filiados APOS 24/07/91 aos demais . Obs. É mais vantajosa.00 (não se aplica fator previdenciário se for igual ou o mínimo não e absoluta e relativa) Data do inicio do beneficio (art.art.Lei 8213/91 .M  Carência . Já era filiado antes de 98. limite de idade mínima – 53ANOS H e 48ANOS M. Apresentando o tempo já pode requerer.  RMB(renda mensal do beneficio) = 70% do valor do benefício + 1% DO SB a cada grupo de 12 Cont. Tem na regra de transição.180 (15 anos) CM . 51 a 55 . 48 a 51 . Mensais com fator previdenciário x = 1000. é desde o início a cargo do INSS. de origem acidentária.INV.art.M Não tem limite de idade. havia regra.700.L rps . rurais) 60 anos .: No INSS chama-se de ESPÉCIE 91 (benefício originário de acidente).art. 8213/ 91 .da Lei 8213/91) Rompe o vinculo empregatício    APOSENTADORIA POR TEMPO DE CONTRIBUIÇÃO. 52 a 56 L.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado Doméstico não entra nessa circunstância. 142 Regra de transição (tabela progressiva do referido artigo). Estabilidade no emprego: somente quando se tratar de auxílio-doença ou AP.30 anos de cont. 09/05  APOSENTADORIA POR IDADE .

CARENCIA . vigilante e aposentadoria especial.documentos contemporâneos no momento da prova. 70 RPS     O tempo de contribuição não pode sofrer interrupção. Com a emenda retirou a chamada aposentadoria especial mas manteve o benefício de redução. 57 a 58 Lei 8213/91 . em condições especiais.PPP (perfil prociografico previdenciário. excluídos os de graduação. termo de rescisão.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado Há redução de 5 anos de contribuição para professores de ENSINO INFANTIL. comprovar a exposição a agente nocivo. A lei admite a prova exclusivamente testemunhal.art.art. incêndio. Hoje existe jurisprudência em que não se aplica o FP ao professor por ser atividade penosa e especial. Elaine Gianotto .ex. Empregado e trabalhador avulso. 20. decreto 3049/99. Ex. 64 a 70 . São 15 anos sendo exposto. Exceção – motivo de força maior que justifique a perda dos documentos: p. tem 12% a + a empresa contrata avaliação técnica do agente do trabalho.RPS  Segurado que tenha trabalho durante 15. a jurisprudência entende que não é admitida para comprovar o tempo de contribuição. holerite..Prova do Tempo de contribuição .180 CM RMB = 100% do SB x FP art. físico.     = Prova testemunhal???? Quando exclusiva. FUNDAMENTAL E MÉDIO. O agente nocivo pode ser químico.art.  APOSENTADORIA ESPECIAL .art. houve apenas mudança na nomenclatura. Comprovação por laudo técnico emitido pela empresa .  Professores: havia uma aposentadoria especial para eles. A lei 3048/99 coloca as situações que expõem a risco (rol exemplificativo). Justificação administrativa: frente ao INSS – que faz entrevista para comprovar o TC. 25 anos. Regra de Transição para filiados ate 16/ 12/98 (EC 20/98) . 66 RPS Conversão de tempo Especial p/ comum . RPM = 100% do SB Conversão de tempo Especial para Especial .limite de idade. biológico ou psicológico. 60 . Deve provar que desenvolvia atividade insalubre: RX. Ruído Muito alto. pois era tida como atividade penosa.

passados os 15 dias de afastamento. Mensais – à época da solicitação do auxílio-doença. a partir do 16º dia fica a cargo do INSS. -carência – 12 Contrib.4 – então 10 anos viraria 14 anos de contribuição. empregado doméstico). converte para o tempo comum. Se o segurado recebe por 3 meses o AD. Ex. Não é a licença que você fica uma semana de atestado. pois no agendamento prévio não existe aposentadoria por invalidez. só que há um aumento. ou 10 dias. A sua alta já sai com uma data certa e determinada.: Pede auxílio-doença e no curso de um processo administrativo pode pedir aposentadoria por invalidez. Muito se discute ferir o princípio da dignidade humana. 59 a 63 Lei 8213/91 -arts. vai direto ao INSS que fica desde o primeiro dia a cargo do INSS (ex. com novo atestado médico. Depende do caso o INSS defere ou não. 71 a 80 RPS -decorre da incapacidade temporária para a atividade habitual que o segurado desempenha – superior a 15 dias. os 10 anos – um ano equivale a 1. Obs. pois como o médico pode saber se. p. Elaine Gianotto . Segurado empregado = primeiros 15 dias são pagos pela empresa. O pagamento das 12 CM de uma só vez não enseja carência cumprida. conforme a tabela. Alta programada = o INSS estabelece um prazo para o segurado retornar à sua atividade. Não pode ter perdido a qualidade de segurado. Aos demais segurados. 15 dias antes de extinguir o benefício ele deve pedir sua prorrogação pois sua incapacidade permanece. ESTUDAR OS DECRETOS 3048/99 E RPS 16/05/13  AUXÍLIO-DOENÇA -arts.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado Se trabalhou 10 anos apenas em ambiente nocivo. Depende de perícia médica a cargo do INSS. Exceções: Auxílio-Doença decorrente de Acidente de Trabalho – não há carência.ex. daqui a 3 meses o segurado está apto para o cargo? Mas é isso que acontece.

São duas atividades concomitantes. A outra atividade não me gerou incapacidade.16 (recebe) 23. 71 a 73 Lei 8213/91 -arts. mas a minha incapacidade está relacionada apenas a uma delas. -baixa renda = 971.  SALÁRIO-MATERNIDADE -arts. pois não perdi a qualidade do segurado ((período de graça (12 meses) esse intervalo de 5 meses sem trabalhar)). Tenho os 12 meses de CM.  SALÁRIO-FAMÍLIA -arts. De dia sou digitadora. Entregar na empresa. há a possibilidade. -Renda Mensal do Benefício = 91% do Salário de Benefício: não haverá fator previdenciário. Esse fator é só na aposentadoria ((idade (relativa – só se for benéfica) e tempo de contribuição)). Obs. Desenvolvi uma tendinite. volto a trabalhar em 01-03-2013 e estou até hoje. -Casos de 2 atividades concomitantes: é possível receber AD e continuar trabalhando? Sim. mas pode desenvolver outra. 151 da Lei 8213. o INSS entende como rol taxativo.56 a 971. 65 a 70 Lei 8213/91 -arts.55 De 646. trabalho de 0101-2012 a 01-10-2012.36 (recebe) Segurado com filhos menores de 14 anos ou inválido. Posso continuar cantando à noite. 81 a 92 RPS -devido ao empregado e avulso: devido ao segurado de baixa renda que tenha filho menor de 14 anos ou inválido. Ex. Comprovar carteira de vacinação e frequência escolar das crianças.78 até 646. Ex. a jurisprudência já o entendeu como rol exemplificativo. (não precisa ser igual ou superior ao salario mínimo. No INSS fico afastada para tratar a tendinite. à noite sou cantora. Se você está afastada para determinada atividade. pois não substitui o salário de contribuição do servidor).DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado Doenças enumeradas no art. 93 a 103 RPS Elaine Gianotto .78 33.: mantém-se a qualidade de segurado pelos 12 meses do período de graça.

.  PENSÃO POR MORTE -arts. 105 a 115 Elaine Gianotto . O SEGURADO TEM 12 MESES DE ESTABILIDADE.ex. 104 – RPS -natureza indenizatória em razão de uma sequela que ele teve em razão de acidente de trabalho.  AUXÍLIO-ACIDENTE -arts. 71-A da lei 8213/91). -120 dias (até 28 dias antes do parto e 91 depois): conta-se o dia do parto para dar 120 dias. QUANDO HOUVER BENEFÍCIO ORIUNDO DE ACIDENTE DE TRABALHO. facultativa etc: ART. 73 da lei 8213. AUXÍLIO-ACIDENTE não tem mais doença. tem sequela ou redução da capacidade. em caso de união homoafetiva p. -para empregada = RMB = igual sua remuneração -para as contribuintes avulsas. OBS. sempre! Recursos do SAT (seguro acidente de trabalho). -carência de 10 CM APENAS para contribuinte individual. -Inicia no dia seguinte à cessação do auxílio-doença (se ficou com sequela OU houve redução de sua capacidade) e se extingue com a morte e com a aposentadoria. pois não substitui o salário de contribuição do servidor). -sem carência -RMB = 50% do SB (não precisa ser igual ou superior ao salario mínimo.: O VALOR DO SALÁRIO DOS BENEFÍCIOS É 80% DOS MAIORES SALÁRIOS DE CONTRIBUIÇÃO. individual. e não a contribuição). -mãe adotante também tem o mesmo prazo de 120 dias: a lei previdenciária ainda prevê o fator de idade da criança para o prazo de 120 dias (art. 74 a 79 Lei 8213/91 -arts. ou se a mãe morrer (analogia para atender o bem-estar da família e do menor).DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado -todos às seguradas: homem pode receber Sal. facultativa (comprovar o pagamento das contribuições)e especial (a especial só comprova o tempo da atividade rural imediatamente anterior ao requerimento. 86 Lei 8213/91 -arts. Maternidade. A empregada doméstica e a contribuinte avulsa não tem carência para Salário Maternidade. Se o bebê nasce prematuro a carência é reduzida proporcionalmente aos meses antecipados. Ele continua trabalhando.

-Vale tanto para regime fechado como para regime aberto. Elaine Gianotto . e passei a receber 1 salário-mínimo. e não qualquer pessoa que vai presa. aquele que tem qualidade de segurado. Bandido que é bandido não paga previdência!! -segurados de baixa renda = ganha até R$ 971. morre. A viúva vai receber uma pensão por morte. 1º dia de emprego. -A família deve levar o comprovante de que o segurado continua preso. 194 da CF. Equiparado ao cálculo da aposentadoria por invalidez. ganhando R$ 5mil. Ex. No caso em que o segurado morreu “trabalhando” – contribuindo. ela vai ter o benefício no valor do teto estipulado pelo INSS. é devida a todas as espécies de segurados. e regulamentado pela Lei 8213. senão ele não é segurado. 116 a 119 RPS -dependentes do segurado preso: previsto no art.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado -dependentes por morte do segurado: é muito vantajoso principalmente se a pessoa morreu trabalhando. A viúva pode se casar novamente.art. -NÃO tem CARÊNCIA.: contribui a vida inteira no teto. A sumula 416 STJ diz que caso fique constatado que o segurado fazia jus a alguma aposentadoria quando morreu.  AUXÍLIO-RECLUSÃO . -ex. orçamento da seguridade.78 -Essa previsão legal auxilia quem tem a baixa renda na ocasião da prisão. ou seja. poderá pleitear a pensão por morte. conseguindo a família comprovar. Se na ocasião do óbito o segurado não estava trabalhando e nem aposentado. No caso. -Se o segurado fugir. -a família não faz jus ao benefício. -RMB = 100% do Salário de Benefício – sem fator. O cálculo será em 80% dos maiores salários de contribuição. 80 da Lei 8213/91 -art. Ele tem que estar contribuindo para a previdência. É devido aos dependentes do segurado preso. não estava contribuindo. Em março fui demitida. salvo se estiver no período de graça. suspende o benefício. Quando recapturado. se perdeu a qualidade de segurado. -Não vale para prisão civil. A família não tem direito a pensão por morte. NÃO TEM CARÊNCIA.

pois existe custeio (DO SAT. 2.1%). pois a Justiça Estadual está mais próxima das grandes massas. doença endêmica (ex. Os nativos de lá já estão acostumados.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado 23/05/2013  ACIDENTE DE TRABALHO . agora p. da capacidade para o trabalho. Ele faz jus ao benefício do mesmo jeito. seus dependentes. Segurados atingidos por um beneficio por ACT: os empregados a serviço da empresa e os segurados especias. o segurado pode fazer. não estava acostumado a pegar isso.ex. não o frentista). ele erra e sofre uma lesão gravíssima. para efeito de benefício previdenciário nada muda. Tem que haver a redução ou perda da capacidade. Lei 8213/91 Acidente ligado ao trabalho que embora não seja causa única contribuiu para a morte ou redução ou perda da capacidade. é da Justiça Estadual. 21. ele pega malária. . Ex: o que abastece o posto de gasolina (do caminhão. um engenheiro de outro Estado é transferido para a Amazônia. provocando lesão corporal ou perturbação funcional que cause morte ou perda ou redução. inerente a grupo etário (determinada idade). A competência para as ações de acidente de trabalho.Perícia médica INSS: . 11 desta lei.CAT: Comunicação do Acidente de Trabalho – a empresa que faz. Se a empresa não fizer. MP. 20. Elaine Gianotto . . no 1º dia útil subsequente à data do evento. permanente ou temporária. 19 da Lei 8213/91: é o que ocorre pelo exercício do trabalho a serviço da empresa ou pelo exercício do trabalho aos segurados referidos no inciso VII do art.Eventos equiparados: art. § 1º Doença degenerativa. até mesmo a morte. que não produza incapacidade laborativa. malária. . é uma doença que existe muito na região norte. e autoridade judiciária. então ela será ACT) – exposição constante em razão do tipo de trabalho.art. Ler todo o artigo. mesmo sem culpa da empresa (responsabilidade objetiva).Não são consideradas – art.

quanto menor for o fator. a manutenção do seu contrato de trabalho na empresa. 103 parágrafo único da Lei 8213/91 – 5 anos Prescreve em 5 anos. pelo prazo mínimo de 12 meses. 103 da Lei 8213/91 MP. . .. PRESCRIÇÃO: em ação judicial. entram contra o motorista que foi culpado pelo acidente.. Só se recebe os últimos 5 anos. 103. etc. .Estabilidade no emprego: art. FAP= FATOR ACIDENTÁRIO DE PREVENÇAO = para as empresas. casos de DPVAT. a Previdência Social proporá ação regressiva contra os responsáveis. 1523-9/97 = prazo decadencial de 10 anos PARA REVISAO DE BENEFÍCIO – súmula 64 + NU BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS SÃO IMPRESCRITÍVEIS! Por isso o prazo é para revisão. . O FAP evita que as empresas façam a CAT para não subir seu número de acidentes de trabalho e terem benefícios fiscais. 118 O empregado que sofreu acidente de trabalho tem garantido. incapazes e ausentes.  PRESCRIÇÃO E DECADÊNCIA  Posso propor ação revisional ou de pedido de benefício. na esfera administrativa. melhor os benefícios fiscais. apurada e comprovadamente. independentemente de percepção de auxilio-acidente. **Os benefícios anteriores a 2007 não são recepcionados pelo prazo do art. a contar da data em que deveriam ter sido pagas.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado . após a cessação do auxílio-doença acidentário..Ação Regressiva – art. salvo o direito dos menores. DECADÊNCIA: direito de reclamar o benefício.NO CUSTEIO: 5 + 5 = CTN Elaine Gianotto . Empresa foi culposa.art.art. 120 Nos casos de negligencia quanto às normas padrão de segurança e higiene do trabalho indicados para a proteção individual e coletiva. toda e qualquer ação para haver prestações vencidas ou quaisquer restituições ou diferenças devidas pela Previdência Social.

Intima o INSS para em 60 dias pagar o valor sob pena de sequestro de bens.  ACÚMULO DE BENEFÍCIOS Art.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado 5 anos para constituir o crédito e 5 anos para cobrar o tributo. Parágrafo único: é vedado o recebimento conjunto do seguro-desemprego com qualquer benefício de prestação continuada da previdência social. exceto pensão por morte ou auxílioacidente. Prazo utilizado de 2007 para frente. se ele renunciar vai para o INSS pagar em 60 dias. b. recebe no ano seguinte.259/01 – 60 SM Traz especificidades com relação ao juizado federal. e. Requisição de pequeno valor = RPV. Mais de uma aposentadoria. pois contribuição previdenciária é tributo. 3º Lei 10.ex.. Se entrar até 30 de junho (no precatório). Após transitado em julgado. Aposentadoria e abono de permanência em serviço. p. c. Não é permitido o recebimento conjuntos dos seguintes benefícios (dentro do mesmo regime): a. Aposentadoria e auxílio-doença. Mais de uma pensão deixada por cônjuge ou companheiro. d. Se ele não renunciar vai para o precatório (federal). apresenta-se o cálculo dos valores (ex 42 mil). nessa caso compensa renunciar porque é diferença pouca. A partir da lei 8213 não pode mais. f. Acidentes antes da lei até recebe os dois. deste que seja uma de cônjuge. Quando os valores forem até 60 SM o pagamento será feito pelo RPV.. Mais de um auxílio-acidente.  PAGAMENTOS DE CONDENAÇÕES JUDICIAIS – RPV: art. e uma de filho. se ultrapassar o teto o juiz vai intimar a parte sobre a renúncia do valor. ressalvada o direito de opção pela mais vantajosa. Salário-maternidade e auxílio-doença. 124 Antes da lei 8213 existiam alguns benefícios que poderiam ser acumulados. pois antes não era vedado.  DESISTÊNCIA E TRANSIGÊNCIA JUDICIAIS Elaine Gianotto . Eu posso receber 2 pensões.

Entrava com a ação o INSS nem recorria.DIREITO PREVIDENCIÁRIO Professora: Juliane Penteado . As aposentadorias desse período foram calculadas de forma errada. foi definitivo o Real. 131 – ministro pode autorizar que algumas ações sejam extintas. Houve revisão de benefícios.259/01 – procuradores podem transigir. Teve redução na renda mensal do segurado.art.art. Elaine Gianotto . Consolidou a matéria. . Em abril de 94. Ex. a não interposição de recursos ou desistência de algumas ações quando a matéria estiver consolidada em tribunais superiores. 10 da Lei 10. fazer os acordos. em 94 mudou moeda.