Você está na página 1de 17

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS AMBIENTAIS

1 – APRESENTAÇÃO DO PROJETO

NOME DO PROJETO

Utilize nomes curtos e objetivos com até 20 caracteres – que facilitem a comunicação do projeto.

LINHAS DE ATUAÇÃO – Indique a linha de atuação, de acordo com o objetivo geral do projeto. Embora os temas sejam interligados, é preciso escolher apenas a linha de atuação principal, como forma de viabilizar o acompanhamento dos indicadores estabelecidos para cada uma delas.

A. Gestão de corpos hídricos superficiais e subterrâneos:

Reversão de processos de degradação dos recursos hídricos;

Promoção e práticas de uso racional de recursos hídricos.

B. Recuperação ou conservação de espécies e ambientes costeiros, marinhos e de água doce.

C. Fixação de carbono e emissões evitadas com base na:

Reconversão produtiva de áreas;

Recuperação de áreas degradadas;

Conservação de florestas e áreas naturais

Essas 03 linhas permitem a execução de ações como:

A. Gestão de corpos hídricos superficiais e subterrâneos:

Reversão de processos de degradação de recursos hídricos, tais como: recuperação e preservação de nascentes, mananciais e cursos d’água; desassoreamento e controle de erosão; uso e ocupação do solo visando à proteção de mananciais; recomposição de rede de

drenagem natural; recomposição de vegetação ciliar; preservação e recuperação da capacidade de carga de aqüíferos subterrâneos; ações de melhoria da qualidade da água.

Promoção e práticas de uso racional de recursos hídricos, tais como: ações de racionalização do uso da água; promoção dos instrumentos de gestão de bacias; mobilização, planejamento e viabilização de usos múltiplos.

B. Recuperação ou conservação de espécies e ambientes costeiros, marinhos e de água doce: ampliação do conhecimento técnico sobre as espécies; uso não letal das espécies; atenuação e adaptação às pressões ambientais; conservação e gestão sustentável dos recursos naturais; atuação integrada de projetos de conservação da biodiversidade marinha.

C. Fixação de carbono e emissões evitadas com base na:

Conservação de florestas e áreas naturais, tais como: manejo sustentável de ambientes naturais com vistas à exploração de recursos não- madeireiros que evitem o desmatamento; sistemas alternativos de uso da terra; sistemas agropastoris; sistemas agroflorestais; agroextrativismo e práticas tradicionais.

Recuperação de áreas degradadas: reflorestamento; recuperação de ambientes naturais com vistas à oferta de serviços ambientais, tais como proteção da biodiversidade, proteção do solo e recursos hídricos; retenção de carbono; banco de sementes e produção de mudas; sistemas de recuperação.

Reconversão produtiva de áreas (uso de áreas degradadas para o estabelecimento de sistemas produtivos sustentáveis): por exemplo:

agrofloresta e permacultura.

TEMA TRANSVERSAL

A Educação Ambiental é um tema transversal obrigatório no projeto. Indique o foco a ser trabalhado:

a. Consumo consciente

b. Eficiência energética

c. Conservação de recursos naturais.

PERÍODO DE REALIZAÇÃO

O projeto deve ser realizado em 24 meses, considerando as etapas de pré-implantação, contratações e sazonalidade regional.

LOCAL DE REALIZAÇÃO

Informe o(s) estado(s), o(s) principal(is) município(s), localidades e microbacia – quando se aplicar - sujeito(s) à ação e aos resultados do projeto, indicando o município-sede de atuação.

ABRANGÊNCIA DO PROJETO

Informe em qual bioma (Amazônia, Cerrado, Caatinga, Mata Atlântica, Pantanal, Campos Sulinos) ou Ambientes Costeiros o projeto atua.

Descreva a população da área em que o projeto está inserido, indique o perfil da população que vive no local (urbana, rural, extrativista, ribeirinha, quilombola, indígena, outras) e informe quantas pessoas serão atendidas direta* e indiretamente** pelo projeto. Essas informações deverão ser apresentadas em uma tabela, conforme exemplo abaixo

     

População da área do projeto

Perfil da

Pessoas atendidas diretamente*

Pessoas atendidas indiretamente**

Município

Localidade

Bioma

população

Atenção

* Pessoas atendidas diretamente aquelas que trabalham e/ou participam diretamente das atividades do projeto.

 

** Pessoas atendidas indiretamente aquelas que recebem influência e/ou benefícios indiretos das atividades do projeto

RESUMO (1 página)

É uma síntese das ações a serem executadas e uma das partes mais importantes na elaboração de um projeto. Seja claro e objetivo, incluindo apenas

as informações essenciais ao entendimento do projeto.

Descreva o projeto, considerando os principais objetivos, a metodologia a ser aplicada, as principais ações, a participação da comunidade, as ações de sustentabilidade organizacional, o foco da comunicação, os resultados esperados e o valor do investimento solicitado.

2 - JUSTIFICATIVA – (até 3 páginas)

A justificativa deve considerar e fundamentar a escolha da linha de atuação do projeto. Responda, de maneira clara e objetiva, às seguintes questões:

por que e para quê executar o projeto? Para tanto, é fundamental descrever a situação atual do contexto a ser trabalhado e as mudanças que se espera promover. Caso o projeto seja desenvolvido em localidade que possua Agenda 21, é importante destacar se a proposta do projeto se alinha às demandas prioritárias apontadas pelo plano de ação da Agenda 21.

Caso o projeto seja desenvolvido em área de influência do COMPERJ, a proposta deve ser apresentada ao Fórum Local de Agenda 21 dos municípios antes da inscrição na Seleção Pública de Projetos do Programa Petrobras Ambiental.

Devem-se incluir dados quantitativos e qualitativos com as fontes utilizadas (como por exemplo: pesquisas e dados estatísticos disponíveis em livros e sites, conhecimento tradicional, observação empírica, entre outros). É importante que o projeto reflita uma demanda ambiental da realidade a ser trabalhada, incluindo a participação da comunidade.

3 – OBJETIVOS

OBJETIVO GERAL

O objetivo geral deve estar diretamente relacionado à linha de atuação e demonstrar o resultado concreto que se pretende alcançar com a realização

do projeto.

Atenção:

O objetivo geral deve demonstrar que a intenção é sair de uma situação inicial para outra melhor. Não deve conter números ou descrição de atividades. Deve ser passível de ser alcançado por meio dos objetivos específicos e das atividades propostas.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Os objetivos específicos são os passos fundamentais para se alcançar o objetivo geral. Eles devem ser agrupados em torno da linha de atuação e do tema transversal e ter relação direta com os indicadores que serão apresentados no item 5 Devem ser viáveis, hierarquizados, mensuráveis e bem delimitados, isto é, estar sob o controle direto da gestão do projeto.

Atenção:

Embora um objetivo específico possa demandar várias atividades para ser alcançado, essas atividades deverão ser descritas somente na Matriz Lógica.

4 - METODOLOGIA

A metodologia descreve como o projeto será realizado na prática. Relate a forma como as atividades serão implementadas para atingir os objetivos específicos, incluindo os principais procedimentos, técnicas e instrumentos a serem empregados e os mecanismos de participação comunitária.

É necessário descrever com precisão de que forma o projeto será desenvolvido, ou seja, o como fazer.

Ao descrever a metodologia, considere ainda que ela deva ser:

- reaplicável; sistematizada; participativa; multi-institucional e multidisciplinar.

5 - INDICADORES

Indicadores são informações objetivas que permitem medir qualitativa e quantitativamente os resultados alcançados. O Programa Petrobras Ambiental define um conjunto de indicadores a serem aplicados para cada linha de atuação e para as atividades de Educação Ambiental, Planejamento para a Sustentabilidade e Comunicação e Reaplicabilidade.

Os indicadores devem ser numéricos e estar necessariamente associados aos objetivos específicos e às atividades descritas na Matriz Lógica (item

6).

Abaixo, estão listados os indicadores obrigatórios para cada Linha de Atuação.

COLUNA A

COLUNA B

COLUNA C

INDICADOR ABSOLUTO

INDICADOR RELATIVO

PERCENTUAL

Linha de Atuação: Gestão de Corpos Hídricos Superficiais e Subterrâneos

Área (em ha) das margens dos corpos hídricos que será protegida ou recuperada

Área total (em ha) das margens dos corpos hídricos (da microbacia 1 , do aqüífero etc)

% (percentual da área trabalhada em relação à área total)

Número de nascentes, mananciais, aguadas, fontes e olhos d’água que serão protegidos (se aplicável)

Número total de nascentes, mananciais, fontes e olhos d’água da microbacia.

% (percentual do número de nascentes, mananciais, fontes e olhos d’água trabalhada em relação ao número total da microbacia)

Linha de Atuação: Recuperação ou conservação de espécies e ambientes costeiros, marinhos e de água doce

Área (em ha) natural que será protegida, recuperada ou com uso controlado; ou área trabalhada (em ha) de distribuição da espécie (para projetos de conservação de espécie)

Área total (em ha) do habitat da espécie ou área total da ecorregião 2 .

% (percentual da área trabalhada em relação à área total)

Número de indivíduos da espécie ameaçada que serão

Número da população total estimada

% (percentual do número de indivíduos da espécie que será protegido em

1 Microbacia: subdivisão da unidade adotada para gerenciamento dos recursos hídricos pela Política Nacional de Recursos Hídricos.

(Fonte:http://www.cnrh.gov.br/sitio/index.php?option=com_docman&task=doc_download&gid=73)

2 Ecorregião: conjunto de comunidades naturais, geograficamente distintas, que compartilham a maioria das suas espécies, dinâmicas e processos ecológicos, e condições ambientais similares, que são fatores críticos para a manutenção de sua viabilidade a longo prazo. (Fonte: http://www.ibama.gov.br/ecossistemas/ecoregioes.htm)

protegidos (se aplicável)

 

relação à população total estimada)

Linha de Atuação: Fixação de Carbono e Emissões Evitadas

 

Área (em ha) degradada que será reconvertida em área produtiva

 

%

(percentual da área trabalhada em

Área total

(em

ha)

relação à área total)

degradada da ecorregião.

Área (em ha) degradada que será recuperada

Área total

(em

ha)

%

(percentual da área trabalhada em

degradada da ecorregião.

relação à área total)

Área (em ha) com vegetação natural que será protegida ou manejada

Área

total

(em

ha)

da

%

(percentual da área trabalhada em

ecorregião.

relação à área total)

PARA TODAS AS LINHAS DE ATUAÇÃO

 
 

COLUNA A

COLUNA B

PERCENTUAL

 

TEMA

INDICADOR ABSOLUTO

INDICADOR RELATIVO

 
 

Informar número total de pessoas que serão abrangidas em ações de educação ambiental

população da área de abrangência do projeto (considerando o(s) município(s) de atuação)

% (percentual do número de pessoas abrangidas em relação à população total)

Do número total de pessoas que serão abrangidas em ações de educação ambiental, quantas são consideradas multiplicadores de informação (EX.: professores, gestores ambientais, lideranças comunitárias, crianças/jovens, jornalistas, membros de

-

%

(percentual

do

número

de

Educação Ambiental

 

multiplicadores

em

relação

ao

 

número

total

de

pessoas

abrangidas)

comitês de bacia, outros

)

Geração

e

Disseminação

de

 

-

-

Informações

para

o

Número de publicações (técnicas e científicas

que serão produzidas

Desenvolvimento Sustentável

 

Número de banco de dados ou sistemas de informações que serão gerados

-

-

Planejamento

para

a

Número de parcerias firmadas no momento da inscrição

-

-

Sustentabilidade

Número de redes que o projeto participa

-

-

Gestão

Iniciativas ecoeficientes adotadas na gestão do projeto.

-

-

6 - MATRIZ LÓGICA DE PLANEJAMENTO, EXECUÇÃO E AVALIAÇÃO

O planejamento e o acompanhamento das ações a serem empreendidas são fundamentais para garantir o cumprimento dos objetivos propostos e a obtenção dos resultados esperados. Neste sentido, a Matriz Lógica é uma ferramenta que propicia a visualização clara do planejamento do projeto, incluindo os mecanismos de avaliação de resultados.

Preencha a Matriz Lógica (conforme tabela a seguir) com os objetivos e as principais atividades indispensáveis para atingir o objetivo geral.

Não considere, nesta planilha, as atividades de apoio administrativo como, por exemplo, compra de material e contratação de serviços e de pessoas, nem ações de comunicação e divulgação do projeto

Como a educação ambiental é um tema transversal obrigatório, suas atividades também devem ser descritas na Matriz Lógica.

A Matriz Lógica não será preenchida na ficha de inscrição da Seleção Pública na Internet, mas é um item obrigatório na apresentação do projeto impresso.

 

Principais

     

Objetivo Específico

Atividades

Resultados Esperados

Meios de Verificação

Trimestre (s)

7 - PLANEJAMENTO PARA SUSTENTABILIDADE E PARCERIAS

Descreva os elementos abaixo e outros que demonstrem as iniciativas para alcance da sustentabilidade econômica e organizacional da instituição proponente, a continuidade dos benefícios gerados pelas ações do projeto após o encerramento do contrato de patrocínio e de seus resultados em longo prazo, considerando as seguintes possibilidades:

financeira;

política;

técnica;

comunitária;

No que se refere à sustentabilidade do projeto, destaque na tabela abaixo todas as parcerias previstas para o desenvolvimento de suas atividades. Classifique a natureza da instituição parceira (poder público, empresa, universidades e institutos de pesquisa, terceiro setor, outros) e o tipo de parceria (financeira, técnica, de recursos humanos, materiais, outros). Na última coluna, faça a valoração financeira independente do tipo de parceira

Exemplo:

Tipo Parceria já Valor Parceiro firmada ou Natureza Estimado Recursos prevista? Financeira Técnica Materiais
Tipo
Parceria já
Valor
Parceiro
firmada ou
Natureza
Estimado
Recursos
prevista?
Financeira
Técnica
Materiais
(R$)
humanos
( ) Governo ( ) Terceiro setor ( ) Universidades ( ) Empresas ( )
(
) Governo
(
) Terceiro setor
(
) Universidades
(
) Empresas
(
) Outros
Participação em redes: entende-se por rede um conjunto de relações regulares e sistemática entre pessoas e/ou instituições que visam objetivos
comuns de interesse socioambiental.
Nome da rede
Tema trabalhado
Políticas Públicas: Há intenção de o projeto se integrar e/ou interferir na formulação e implementação de políticas públicas? Como?

Atenção

Todas as parcerias deverão ser comprovadas por documentação específica, encaminhada à Petrobras junto com o projeto impresso. Essa comprovação deve ser assinada pelos responsáveis legais de cada entidade envolvida.

8 - EQUIPE TÉCNICA

Relacione a equipe técnica do projeto, incluindo formação e qualificação profissional, a função ou cargo e a experiência profissional coerente com o objetivo do projeto e com a função que irá desempenhar.

Formação

e/ou

qualificação

profissional

Carga

horária

semanal

Função* no

Projeto

Natureza do

vínculo

Tempo de

Experiência

Nome

* Funções como coordenação e pesquisa só poderão ter profissionais substituídos sob a condição de equivalência curricular, sendo necessária comunicação prévia à Petrobras.

9 – PLANEJAMENTO DA COMUNICAÇÃO DO PROJETO

Os projetos ambientais trabalham para transformar uma realidade. Nesse processo de transformação, a comunicação é ferramenta fundamental para a mobilização social, porque é através dela que os projetos conseguem envolver as pessoas, criando o sentimento de participação e co- responsabilidade. A comunicação deve ser utilizada não só para divulgar os resultados do projeto, mas para subsidiar todo o processo de mobilização social. Não se esqueça que muitas atividades de educação ambiental demandam um esforço de comunicação, inclua no seu planejamento.

   

PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO Objetivos de

         

comunicação (Para quê?)

Públicos (Para

Atividade

Quantidade

Trimestre

quem?)

(O quê?)

Produto de comunicação e Mídias

(Quantos?)

(Quando?)

- Objetivo é o que se pretende alcançar com o planejamento de comunicação.

- Público é para quem a comunicação se destina. Considere sempre a realidade local e as características dos seus públicos.

- Atividade é a ação que será implementada para o alcance do objetivo de comunicação proposto.

- Produto de comunicação: materiais produzidos para viabilizar o alcance dos objetivos propostos, gerando elos entre a instituição e seus públicos. Exemplo: vídeo, folder, revista, site, material promocional, cartilhas, eventos (incluindo cursos, palestras, inaugurações), entre outros.

- Mídia: são os veículos utilizados para a divulgação de conteúdos de comunicação (Ex: rádio, TV, jornal, revista, internet, outdoors, mobiliários urbanos, entre outros).

- Quantidade: informar quanto será produzido de cada produto e suas possíveis edições.

Caso o projeto seja contratado, a marca da Petrobras, do Governo Federal e o selo do Programa Petrobras Ambiental deverão ser aplicados de forma padronizada e previamente aprovada pela Companhia em todas as peças de comunicação do projeto, independentemente do meio e do formato utilizados, em conformidade com as cláusulas estipuladas em contrato. A Petrobras deverá, ainda, ser mencionada como patrocinadora em eventos, entrevistas, artigos e outras peças de difusão e promoção do projeto.

10 - CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO

Utilize a planilha para relacionar as ações - de acordo com os objetivos específicos do projeto - indicando os prazos estimados para a realização de cada uma, conforme especificado na Matriz Lógica.

O Cronograma de Execução não será preenchido na ficha de inscrição da Seleção Pública na internet, mas é imprescindível na apresentação do projeto impresso.

Cronograma

Título do Projeto:

CNPJ do Proponente:

Objetivo Geral:

TRIMESTRES

Objetivos Específicos

Principais Atividades

1

2

3

4

5

6

7

8

1

                 
2
2

11 - ORÇAMENTO

Preencha a planilha com o valor do investimento solicitado a Petrobras, alocando os recursos aportados direta ou indiretamente pela instituição proponente e os recursos provenientes de outras parcerias. Se a parceria não for financeira, é preciso valorar financeiramente cada participação. A contratação do projeto será condicionada à comprovação do efetivo aporte dessas contribuições.

ORÇAMENTO RESUMIDO

PARCEIROS

VALOR

DO

INVESTIMENTO

NO

PROJETO (R$)

 

Petrobras

 

Instituição Proponente

 

Parceiro A

 

Parceiro B

 

Parceiro C

 

Total

Total

Para detalhar o orçamento do projeto, utilize o modelo de planilha de Orçamento Físico-Financeiro.

O modelo apresentao a seguir é apenas um exemplo. As rubricas e itens apresentados poderão não ser os mesmos previstos no seu projeto. Ajuste à realidade do seu projeto, acrescentando, removendo ou modificando itens e rubricas conforme a necessidade. As rubricas “PESSOAL”; “EQUIPAMENTOS PERMANENTES E INSTALAÇÕES FÍSICAS” devem ser quantificados e especificados na memória de cálculo 3 .

3 Memória de cálculo é o detalhamento de todas as despesas (incluindo preços, parcelas, insumos, custos, impostos etc.) que se fez para chegar ao orçamento final de um determinado item.

ORÇAMENTO FÍSICO-FINANCEIRO CRONOGRAMA DE PAGAMENTO Itens de SOMENTE PETROBRAS – Coluna “a” COMPOSIÇÃO DO
ORÇAMENTO FÍSICO-FINANCEIRO
CRONOGRAMA DE PAGAMENTO
Itens de
SOMENTE PETROBRAS – Coluna “a”
COMPOSIÇÃO DO ORÇAMENTO
Despesa
ANO 1 (d)
ANO 2 (e)
TOTAL
GERA
Descrição
INSTITU
L (d+e)
Detalhada
PETROBR
IÇÃO
PARCER
TOTAL
AS
PROPO
IA
SUBTOT
SUBTOT
1º T
2º T
3º T
4º T
1º T
2º T
3º T
4º T
NENTE
AL
AL
(a)
(b)
(c)
(a+b+c)
Custos Fixos
SUBTOTAL
Pessoal
SUBTOTAL
Encargos
Sociais
SUBTOTAL
Equipamentos
SUBTOTAL
Despesas com
deslocamento
s (viagens)
SUBTOTAL Despesas Básicas SUBTOTAL Comunicação (incluindo eventos) SUBTOTAL TOTAL GERAL ANEXO 1
SUBTOTAL
Despesas
Básicas
SUBTOTAL
Comunicação
(incluindo
eventos)
SUBTOTAL
TOTAL GERAL
ANEXO 1

O preenchimento da tabela na página seguinte é obrigatório para os projetos da linha de fixação de carbono e emissão evitadas e para os projetos de

outras linhas de atuação que contribuam para formação ou manutenção de estoque de carbono pela biomassa.

Lembre-se que os dados apresentados na página seguinte devem estar de acordo com as informações da tabela de indicadores (item 5 do roteiro) e da Matriz Lógica de Planejamento, Execução e Avaliação (item 6 do roteiro).

A área a ser reportada deve necessariamente ser a área envolvida diretamente nas atividades do projeto, não devendo considerar áreas adjacentes

que recebam impactos positivos indiretos. Tenha cuidado para não duplicar uma mesma área de atuação em ações diferentes, o que poderá induzir à

compreensão de que o projeto atua em uma extensão maior do que o real.

FORMA DE ATUAÇÃO

 

ÁREA ENVOLVIDA (HECTARE)

MUDAS PLANTADAS/ÁREA (QUANTIDADE DE MUDAS/HECTARE)

BIOMA

Recuperação e Proteção

 

Reflorestamento/Revegetação

     

Cercamento de áreas

       

Proteção com uso controlado

       

Sistema

de

indução

da

     

recuperação

 

Controle de erosão

       

Outros (especifique)

       

Reconversão produtiva

 

Sistema Agroflorestais

       

Permacultura

       

Controle de Erosão

       

Outros (especifique)

       

Veja o documento completo e baixe os modelos de tabelas em http://www.petrobras.com.br/ppa2012