Você está na página 1de 4

PRODUÇÃO DE BIODIESEL ATRAVÉS DA TRANSESTERIFICAÇÃO DE ÓLEO DE CASTANHA-DO-PÁRA

INTRODUÇÃO A maior parte de toda a energia consumida no mundo provém do petróleo, do carvão e do gás natural. Essas fontes são limitadas e com previsão de esgotamento no futuro, portanto, a busca por fontes alternativas de energia é de suma importância. Neste contexto, os óleos vegetais aparecem como uma alternativa para substituição ao óleo diesel em motores de ignição sem a necessidade de nenhuma adaptação, sendo o seu uso testado já em fins do século XIX, produzindo resultados satisfatórios. Esta possibilidade de emprego de combustíveis de origem agrícola em motores do ciclo diesel é bastante atrativa tendo em vista o aspecto ambiental, por ser uma fonte renovável de energia e pelo fato do seu desenvolvimento permitir a redução da dependência de importação de petróleo. A maior parte do biodiesel atualmente produzido no mundo deriva do óleo de soja, utilizando metanol e catalisador alcalino, porém, todos os óleos vegetais, enquadrados na categoria de óleos fixos ou triglicerídeos, podem ser transformados em biodiesel. A produção de biocombustível alternativo ao óleo diesel, a partir de óleos vegetais brutos, tem sido alvo de diversos estudos na ultimas décadas. No Brasil, a instituição do Programa Nacional de óleos vegetais (OVEG I) permitiu a realização de testes com óleos vegetais de composição química e grau de instauração variados. Foi constatado, porém, que a aplicação direta dos óleos vegetais nos motores é limitada por algumas propriedades físicas dos mesmos, principalmente sua alta viscosidade, sua baixa volatilidade e seu caráter poliinsaturado, que implicam em alguns problemas nos motores, bem como em uma combustão incompleta. Assim, visando reduzir a viscosidade dos óleos vegetais, diferentes alternativas têm sido consideradas, tais como diluição, microemulsão com metanol ou etanol, craqueamento catalítico e reação de transesterificação com etanol ou metanol. Entre essas alternativas, a transesterificação tem se apresentado como a melhor opção, visto que o processo é relativamente simples promovendo a obtenção de um combustível, denominado biodiesel, cujas propriedades são similares às do óleo diesel. Como combustível o biodiesel possui algumas características que representam vantagem sobre os combustíveis derivados do petróleo, tais como virtualmente livre de enxofre e de compostos aromáticos, alto número de cetano, teor médio de oxigênio, maior ponto de fulgor, menor emissão de partículas HC, CO e CO2, caráter não tóxico e biodegradável, além de ser proveniente de fontes renováveis. .

e. proveniente de fontes renováveis como óleos vegetais ou gordura animal. o excesso de agente transesterificante (álcool primário) faz-se necessário devido ao caráter reversível da reação. (e) possui nicho de mercado específico diretamente associado a atividades agrícolas. finalmente. aquele verificado nas bombas dos postos de abastecimento. a reação de transesterificação de óleos vegetais com álcoois primários pode ser realizada tanto em meio ácido quanto em meio básico.4% de hidróxido de sódio ou de potássio. (b) tem alto número de cetano. Por outro lado. ou seja. a produção de biodiesel pode ser obtida a um custo competitivo com o preço comercial do óleo diesel. cuja utilização está associada à substituição de combustíveis fósseis em motores de ignição por compressão (motores do ciclo Diesel). . se o processo de recuperação e aproveitamento dos subprodutos (glicerina e catalisador) for otimizado. porque o meio básico apresenta melhor rendimento e menor tempo de reação do que o meio ácido. Entretanto. (d) possui maior viscosidade e maior ponto de fulgor que o diesel convencional. se caracteriza por um grande apelo ambiental. conforme demonstrado no Esquema 2.Biodiesel De um modo geral. biodiesel foi definido pela “National Biodiesel Board” dos Estados Unidos como o derivado monoalquil éster de ácidos graxos de cadeia longa. geralmente empregada a nível industrial. Enquanto produto pode-se dizer que o biodiesel tem as seguintes características: (a) é virtualmente livre de enxofre e aromáticos. Para a obtenção de biodiesel. (c) possui teor médio de oxigênio em torno de 11%. A reação de síntese. (g) tem preço de mercado relativamente superior ao diesel comercial. utiliza uma razão molar óleo: álcool de 1:6 na presença de 0. (f) no caso do biodiesel de óleo de fritura.

foi adicionada a solução de metóxido de potássio recentemente preparada. a mistura reacional foi transferida para um funil de separação para permitir a decantação e separação das fases: superior contendo biodiesel e inferior composta de glicerol. em seguida. Este material foi submetido à destilação a 80 oC para recuperar o álcool que não reagiu. sob agitação com o auxílio de uma barra magnética. até atingir a temperatura de 45oC. O volume de metanol e a massa de KOH para a reação de transesterificação têm por finalidade alcançar um melhor rendimento da produção do éster. A fase inferior foi recolhida em uma proveta de 50 mL e o volume obtido foi anotado. Para remoção dos traços de umidade o biodiesel foi filtrado utilizando-se sulfato de sódio anidro e transferido para uma proveta de 250 mL para medição do volume. A ausência do catalisador básico no biodiesel pode ser confirmada através da medida do pH da última água de lavagem. Em seguida. METODOLOGIA A solução de metóxido de potássio foi preparada dissolvendo 1. e a mistura reacional permaneceu 10 min a 45oC sob agitação. com 50 mL de água destilada. O volume de biodiesel (fase superior) foi medido utilizando-se uma proveta de 250 mL e então retornado ao funil de separação para os procedimentos de lavagem: inicialmente com 50 mL da solução aquosa de ácido clorídrico a 0. O tempo gasto para os procedimentos de lavagem foi de 1h30min. a qual deve estar neutra. Elaboração do biodiesel Posteriormente. a mesma foi desfeita com auxílio de um bastão de vidro. A reação de transesterificação Em um balão de fundo chato (500 mL) foram adicionados 100 mL do óleo de castanha-do-pará. finalmente. Esse material foi aquecido em banho-maria. excesso de base e álcool (tempo de espera para separação das fases: 15 min).5g de hidróxido de potássio (KOH) em 35mL de metanol com o auxílio de agitação e controle de temperatura (45oC) até a completa dissolução de KOH. agitando-se lentamente a camada emulsificada. Nos casos em que houve a formação de emulsão.OBJETIVO Obtenção de biodiesel a partir de óleo de castanha-do-pará. O biodiesel aparece como um líquido límpido de coloração amarela. uma lavagem com 50 mL de solução saturada de NaCl e.5% (v/v). Análise do biodiesel . sabões.

Biodiesel de soja. foram analisados por RMN1H. E. REFERENCIA 1-GAMA. SANTOS. Produção de biocombustível alternativo ao óleo diesel através de transesterificação de óleo de soja usado em fritura. S. A.1369-1373. biodiesel.O produto final da reação foi analisado qualitativamente através de cromatografia em camada delgada (CCD). n. V. . F. 3-NETO. CARVALHO. 1859-1862. . densidade. L. M.. AMARAL. R. R. 2-GERIS. B. MAIA. . 30. Curitiba. N. 2007. Química Nova. 2010. óleo de soja e produto final.850 – 0.900. Como fonte de calor para promoção da combustão foi usado um palito de fósforo. Química nova. A densidade dos produtos aferida utilizou-se um densímetro (Arba) de faixa 0. n. S. R. 33. pág. A . Utilizou-se clorofórmio deuterado como solvente e tetrametilsilano como padrão interno de referência. Produção de biodiesel através da transesterificação in situ de sementes de girassol via catálise homogênea e heterogênea. ROSSI.. 1999. RMN1H e teste de combustão. p.Reação de transesterificação para aulas de química orgânica. C. R. C. Química Nova. vol. vol. CASTRO. D. J. Sinais correspondentes à presença de triacilglicerídeos no material de partida e a ausência dos mesmos no produto. P. juntamente com o aparecimento do sinal que caracteriza os ésteres metílicos confirmam a obtenção do biodiesel. Salvador. I.S.5. A. O teste de combustão foi realizado utilizando cadinhos de porcelana contendo chumaços de algodão embebidos com óleo de soja.9. Rio de janeiro.E. Ambos. P. LACHTER. metanol e glicerina. SAN GIL..R.