Você está na página 1de 36

EVAPORAÇÃO E EVAPOTRANSPIRAÇÃO

 Fenômenos naturais de mudança de fase que exigem suprimento de energia
EVAPORAÇÃO ( EV )
Def. → Processo pelo qual se transfere água (do solo e massas líquidas) para a
atmosfera.
Massas líquidas → Mares, lagos, rios, poças.
Superfícies úmidas → Plantas e solos.
Importância → Projetos de dimensionamento de reservatórios de água.
Fatores que afetam a EV:
- umidade do ar - tipo de solo (argiloso, arenoso, franco, etc)
- temperatura - vento
Equivalente de Evaporação
 1 g ≈ 1 cm
3
≈ 1 cubo com altura de 1 cm (10 mm)
 A 20°C → L = 2450 J.g
-1
= 2450 J.cm
3
= 245 J/1 mm
 L = calor latente de EV da água ≈ constante
 L = é função fraca da temperatura em condições naturais (10°C < t < 30°C)
Poder Evaporante do Ar (E
a
)
 A atmosfera está em contínuo movimento, misturando e renovando o ar em
volta de superfícies cobertas de água ou vegetação.
 Esta renovação dificulta a saturação do ar, mantendo um déficit de
saturação e a evaporação.
 Déficit de saturação ou déficit psicrométrico (∆e) → ∆e = e
s
– e
 A movimentação atmosférica mantém um poder evaporante do ar acima da
superfície.
 Ou:
E
a
= f(u). ∆e
f(u) = função relativa à velocidade do vento.
MEDIDAS DO PODER EVAPORANTE DO AR
Medida direta → Evaporímetro de Pichè
Tubo de vidro com água
Presilha com papel poroso (papel-filtro)
MEDIDAS DA EVAPORAÇÃO
Medida direta → Exige a utilização de um reservatório ou tanque.
Tanque Classe A
● Desenvolvido pelo USWB (US Weather Bureau).
● Uso generalizado no BR e no mundo.
● Tanque cilíndrico em chapa de Fe galvanizado, # 22 (ou aço inox).
● Possui Ø de 1,21 m e 0,255 de profundidade.
● Pintado interna e externamente com tinta aluminizada.
● Instalado sobre estrado de madeira a 0,15 m da superfície do solo.
● Nível da água medido em poço tranquilizador.
● A água deve ser mantida sempre entre 0,05 e 0,075 m da borda do tanque.
Termômetro
Estrado de madeira
Pluviômetro
Tela de proteção
Poço tranquilizador
TANQUE USWB – CLASSE A
Poço tranqüilizador
Anemômetro
TANQUE USWB – CLASSE A
EVAPOTRANSPIRAÇÃO (ET)
 Ocorrência simultânea de evaporação e transpiração.
 Anteriormente: “uso consuntivo”, que considerava a água retida na planta.
 Entretanto, na maioria das plantas cultivadas a quantidade de água retida é
insignificante quando comparada com a ET.
 Fundamento → Maximização da produção com a aplicação de uma quantidade
correta de água por turno de irrigação.
 Aplicação insuficiente de água:
* Deficit hídrico
* Quebra de produção/produtividade
 Aplicação de água excedente:
* Lixiviação de nutrientes e insumos
* Elevação do lençol freático
* Aumento do consumo de energia (R$).
* Redução da vida útil dos equipamentos.
* Redução da disponibilidade de recursos hídricos de uma região.
A ET é controlada por:
 Disponibilidade de energia:
* Balanço de energia (R
n
)
 Demanda atmosférica (Poder evaporante do ar - E
a
)
* Quanto mais seco o ar maior a demanda atmosférica
 Suprimento de água no solo às plantas.
O estresse poderá ocorrer em duas situações:
1. Quando o solo não contém água para as plantas;
2. Quando contém, mas a planta não é capaz de absorvê-la em
velocidade e quantidade suficientes para atender à demanda.
EVAPOTRANSPIRAÇÃO POTENCIAL (ET
p
)
Quantidade de água transferida para a atmosfera por evaporação e transpiração,
em uma unidade de tempo, de uma superfície extensa, completamente coberta de
vegetação de porte baixo e bem suprida de água.
EVAPOTRANSPIRAÇÃO DE REFERÊNCIA OU DO
CULTIVO DE REFERÊNCIA (ET
O
)
 É o limite superior da ET ou é a evapotranspiração máxima em uma cultura
hipotética com altura e albedo definidos.
 Normalmente um gramado verde, de altura uniforme, em fase de crescimento
ativo, cobrindo totalmente o solo e sem restrição hídrica.
EVAPOTRANSPIRAÇÃO DA CULTURA (ET
C
)
Quando a cultura não for a grama, mas respeitadas todas as demais condições
anteriores para a ET
p
.
Coeficiente de Cultura (K
c
)
É a razão entre a ET
c
e a ET
p
.
ETp
ETc
K
c
=
Em nenhum momento a demanda atmosférica é restringida por falta de água no solo.
Estimativa da ETc
ET
c
= ET
p
. K
c
K
c
= Coeficiente de cultura que é função da espécie e do estádio vegetativo.
K
c
B
C
A
I
II III
IV
dias
VARIAÇÃO DO K
c
CONFORME A IDADE DA CULTURA
Algodão
0.00
0.40
0.80
1.20
1.60
Kc
I II III IV
Fases
0,45 (A)
1,15 (B)
0,65 (C)
A duração de cada estádio dependerá de:
1. Cultura
2. Temperatura diária
3. Fotoperíodo
4. Disponibilidade de água no solo
A duração de cada estádio aumentará se:
1. A espécie e a cultivar/variedade for de ciclo longo.
2. As temperaturas forem baixas.
3. Menor fotoperíodo.
4. Houver restrição de água no solo.
EVAPOTRANSPIRAÇÃO REAL (ET
R
)
 Quantidade de água transferida para a atmosfera por EV e T, nas
condições reais (existentes) quanto aos fatores atmosféricos e quanto à
umidade do solo. A ET
R
será sempre menor ou, no máximo, igual à ET
p
.
 Ocorre em qualquer circunstância, sem imposição de condições de contorno.
 Portanto, a ET
R
pode ser limitada pela radiação solar e pela umidade do solo.
MEDIDAS DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO
 A medida direta é difícil e onerosa.
 Feita nos evapotranspirômetros ou lisímetros.
 Tipos de lisímetros:
1. Lisímetros de Pesagem Mecânica
2. Lisímetros de Flutuação
3. Lisímetros de Percolação
LISÍMETRO DE PERCOLAÇÃO
Tubos de cobre
para extração
de gases
Camadas de
drenagem (brita
e areia)
Água de
drenagem
EVAPOTRANSPIRÔMETRO DE THORNTHWAITE & MATHER
Poço de coleta
(C)
Reservatório de cimento-amianto
Camada de drenagem
Brita
Areia
Irrigação
(I)
Precipitação (P)
Evapotranspiração (ET)
Poço de coleta
(C)
Reservatório de cimento-amianto
Camada de drenagem
Brita
Areia
Irrigação
(I)
Precipitação (P)
Evapotranspiração (ET)
E – S = ΔA
Se ΔA = 0 ; E = S
P + I = ET + C
ET = P + I - C
ESTIMATIVAS DA EVAPOTRANSPIRAÇÃO
Pode ser feita por métodos evaporimétricos ou por meio de equações empíricas
MÉTODOS EVAPORIMÉTRICOS
1. Método do Tanque Classe A
ET
p
= EV
c
x K
t
Em que:
EV
c
= Medida da água evaporada no tanque, mm
K
t
= Coeficiente do tanque Classe A, adimensional
Velocidade do vento
Grama com albedo conhecido
Evaporação
Evaporação
Evapotranspiração
Velocidade do
Vento Raio da Tanque circundado por grama Tanque circundado por solo nu
a 2 m de
altura Área Tampão Umidade Relativa (%) Umidade Relativa (%)

<
40 40-70 > 70
<
40 40-70 > 70
1 0.55 0.65 0.75 0.70 0.80 0.85
< 2,0 m/s 10 0.65 0.75 0.85 0.60 0.70 0.80
100 0.70 0.80 0.85 0.55 0.65 0.75
1000 0.75 0.85 0.85 0.50 0.60 0.70
1 0.50 0.60 0.65 0.65 0.75 0.80
2,0 a 4,9 m/s 10 0.60 0.70 0.75 0.55 0.65 0.70
100 0.65 0.75 0.80 0.50 0.60 0.65
1000 0.70 0.80 0.80 0.45 0.55 0.60
1 0.45 0.50 0.60 0.60 0.65 0.70
4,9 a 8,1 m/s 10 0.55 0.60 0.65 0.50 0.55 0.60
100 0.60 0.65 0.75 0.45 0.50 0.60
1000 0.65 0.70 0.75 0.40 0.45 0.55
1 0.40 0.45 0.50 0.50 0.60 0.65
10 0.45 0.55 0.60 0.45 0.50 0.55
> 8,1 m/s 100 0.50 0.60 0.65 0.40 0.45 0.50
1000 0.55 0.60 0.65 0.35 0.40 0.45
Coeficiente para Conversão da EV do Tanque Classe A em ETp
Fonte: DOOREMBOS, J. & PRUITT, W.O. (1976), citados por COSTA, M.H. (1994)
2. Método de Thornthwaite
 Foi formulado para a parte central e leste dos EUA, com base em dados de
precipitação e escoamento superficial em bacias hidrográficas. É empírica e
caracterizada somente pela temperatura média. Foi desenvolvida para climas
temperados (inverno úmido e verão seco).
 Estima a Evapotranspiração Potencial (ET
p
) mensal para um gramado.
 Deve ser utilizada em regiões onde estejam disponíveis SOMENTE dados
mensais de temperatura.
ET
p
= 16
|
.
|

\
|
I
Ti
10
a
a = 6,75x10
-7
.I
3
– 7,71x10
-5
.I
2
+ 1,7912x10
-2
.I + 0,49239
I =
514 . 1
) 2 , 0 ( Ti E para T
i
> 0°C
I = Indice de calor ou índice térmico da região ou localidade.
T
i
= Temperaturas médias mensais do local (°C).
A expressão acima para estimativa da ET
p
pressupõe uma condição de 12 horas
de brilho solar e meses de 30 dias.
Mês T média mensal
(°C)
I
i
ET
p

(mm/mês)
Jan 25,3
Fev 24,7
Mar 22,5
Abr 19,9
Mai 17,1
Jun 14,6
Jul 15,0
Ago 15,9
Set 17,4
Out 20,1
Nov 22,4
Dez 24,6
Média anual 20,0
Somatório -
Estimar a ET
p
pelo método de Thornthwaite, para São Luiz Gonzaga, RS (Lat = 28°24’ S).
Mês T média mensal
(°C)
I
i
ET
p

(mm/mês)
Jan 25,3 11,64 122
Fev 24,7 11,22 116
Mar 22,5 9,74 95
Abr 19,9 8,09 73
Mai 17,1 6,43 52
Jun 14,6 5,06 37
Jul 15,0 5,27 39
Ago 15,9 5,76 45
Set 17,4 6,61 54
Out 20,1 8,22 74
Nov 22,4 9,68 94
Dez 24,6 11,16 115
Média anual 20,0 - -
Somatório - 98,78 916
Estimar a ET
p
pelo método de Thornthwaite, para São Luiz Gonzaga, RS (Lat = 28°24’ S).
 Para estimar a ETp mensal para um mês e fotoperíodos quaisquer há
a necessidade de ajustar a equação anterior por fatores de correção.
Assim:
ET
pcor
= ET
p
x F
c
F
c
= Fator de correção tabelado
LAT JAN FEV MAR ABR MAI JUN JUL AGO SET OUT NOV DEZ
5 1,06 0,95 1,04 1,00 1,02 0,99 1,02 1,03 1,00 1,05 1,03 1,06
10 1,08 0,97 1,05 0,99 1,01 0,96 1,00 1,01 1,00 1,06 1,05 1,10
15 1,12 0,98 1,05 0,98 0,98 0,94 0,97 1,00 1,00 1,07 1,07 1,12
20 1,14 1,00 1,05 0,97 0,96 0,91 0,95 0,99 1,00 1,08 1,09 1,15
22 1,14 1,00 1,05 0,97 0,95 0,90 0,94 0,99 1,00 1,09 1,10 1,16
23 1,15 1,00 1,05 0,97 0,95 0,89 0,94 0,98 1,00 1,09 1,10 1,17
24 1,16 1,01 1,05 0,96 0,94 0,89 0,93 0,98 1,00 1,10 1,11 1,17
25 1,17 1,01 1,05 0,96 0,94 0,88 0,93 0,98 1,00 1,10 1,11 1,18
26 1,17 1,01 1,05 0,96 0,94 0,87 0,92 0,98 1,00 1,10 1,11 1,18
27 1,18 1,02 1,05 0,96 0,93 0,87 0,92 0,97 1,00 1,11 1,12 1,19
28 1,19 1,02 1,06 0,95 0,93 0,86 0,91 0,97 1,00 1,11 1,13 1,20
29 1,19 1,03 1,06 0,95 0,92 0,86 0,90 0,96 1,00 1,12 1,13 1,20
30 1,20 1,03 1,06 0,95 0,92 0,85 0,90 0,96 1,00 1,12 1,14 1,21
31 1,20 1,03 1,06 0,95 0,91 0,84 0,89 0,96 1,00 1,12 1,14 1,22
32 1,21 1,03 1,06 0,95 0,91 0,84 0,89 0,95 1,00 1,12 1,15 1,23
Duração média possível da insolação no HS expressa em unidades de 30 dias de 12 horas
Mês T média mensal
(°C)
I
i
ET
p
(mm/mês)
F
c
ETp
c
(mm/mês)
Jan 25,3 11,64 122 1,19 145
Fev 24,7 11,22 116 1,02 116
Mar 22,5 9,74 95 1,06 100
Abr 19,9 8,09 73 0,95 69
Mai 17,1 6,43 52 0,93 48
Jun 14,6 5,06 37 0,86 32
Jul 15,0 5,27 39 0,91 35
Ago 15,9 5,76 45 0,97 44
Set 17,4 6,61 54 1,00 54
Out 20,1 8,22 74 1,11 82
Nov 22,4 9,68 94 1,13 106
Dez 24,6 11,16 115 1,20 138
Média anual 20,0 - - - -
Somatório - 98,78 916 - 999
EXERCÍCIO

Estimar a ETp mensal para Porto Nacional (TO) (Latitude = 10°43’ S), pelo método de
Thornthwaite., dadas as seguintes condições:
Mês Temperatura
média mensal
I
(Parcial)
ETp
(mm/mês)
JAN 25,5
FEV 25,5
MAR 25,6
ABR 26,0
MAI 26,2
JUN 25,5
JUL 25,4
AGO 27,0
SET 28,0
OUT 26,8
NOV 26,2
DEZ 25,8
Média Anual 26,1 -
Somatório -
Fonte: Normais Climatológicas (1961-1990) – INMET - MA
Método do Balanço de Energia
 Representa contabilidade das interações dos diversos fluxos de energia
com a superfície.
● Método da Razão de Bowen ( β )
β =
E
H
ì
 Representa a razão entre os calores sensível (H) e latente (λ.E)
Métodos Combinados
 Combinam os efeitos do balanço de energia com aqueles do poder evaporante do ar.
● Método de Slatyer & McIlroy
● Método de Penman-Monteith
● Método de Penman Simplificado
Método de Penman
 Recomendado para períodos de cinco ou mais dias.
 Pode ser utilizado também para períodos diários.
ET
p
=
59
1
1 ) / (
). / (
+ A
+ A
¸
¸ Ea Rn
) / ( ¸ A =
Valor tabelado em função da temperatura e da pressão (altitude).
R
n
= Saldo ou balanço de radiação (cal.cm
-2
.dia
-1
)
E
a
= Capacidade evaporativa do ar (cal.cm
-2
.dia
-1
)
∆ = déficit psicrométrico (e
s
– e)
γ = constante psicrométrica (γ = 0,063 kPa °C
-1
)
Temperatura Altitude [m]
[ºC]
0 500 1000 1500 2000
0 0,678 0,716 0,757 0,804 0,858
1 0,722 0,762 0,807 0,857 0,913
2 0,769 0,811 0,859 0,912 0,972
3 0,818 0,863 0,913 0,970 1,034
4 0,869 0,917 0,971 1,031 1,100
5 0,924 0,975 1,032 1,096 1,169
6 0,981 1,035 1,096 1,164 1,241
7 1,041 1,099 1,163 1,236 1,317
8 1,105 1,166 1,234 1,311 1,398
9 1,172 1,236 1,309 1,390 1,482
10 1,242 1,310 1,387 1,473 1,571
11 1,315 1,388 1,469 1,560 1,664
12 1,393 1,470 1,556 1,652 1,762
13 1,474 1,555 1,646 1,748 1,864
14 1,559 1,645 1,741 1,849 1,972
15 1,648 1,739 1,841 1,955 2,085
16 1,742 1,838 1,946 2,066 2,203
17 1,840 1,942 2,055 2,183 2,327
18 1,943 2,050 2,170 2,305 2,457
19 2,050 2,164 2,290 2,432 2,594
20 2,163 2,282 2,416 2,566 2,736
21 2,281 2,407 2,548 2,706 2,885
22 2,404 2,537 2,685 2,852 3,041
23 2,533 2,673 2,829 3,005 3,204
24 2,668 2,815 2,980 3,165 3,375
25 2,809 2,964 3,137 3,332 3,553
26 2,956 3,119 3,302 3,507 3,739
27 3,109 3,281 3,473 3,689 3,933
28 3,270 3,451 3,652 3,879 4,136
29 3,437 3,627 3,839 4,078 4,348
TEMPERATURA ALTITUDE (m)
(ºC) 0 500 1000 1500 2000
15 1,648 1,739 1,841 1,955 2,085
16 1,742 1,838 1,946 2,066 2,203
17 1,840 1,942 2,055 2,183 2,327
18 1,943 2,050 2,170 2,305 2,457
19 2,050 2,164 2,290 2,432 2,594
20 2,163 2,282 2,416 2,566 2,736
21 2,281 2,407 2,548 2,706 2,885
22 2,404 2,537 2,685 2,852 3,041
23 2,533 2,673 2,829 3,005 3,204
24 2,668 2,815 2,980 3,165 3,375
25 2,809 2,964 3,137 3,332 3,553
26 2,956 3,119 3,302 3,507 3,739
27 3,109 3,281 3,473 3,689 3,933
28 3,270 3,451 3,652 3,879 4,136
29 3,437 3,627 3,839 4,078 4,348
E
a
= 15,36 (W
1
+ W
2
U
2
).∆e
U
2
= Velocidade do vento a 2,0 metros de altura.
Nota: Caso não se tenha U
2
, utiliza-se a seguinte relação:
Uz
U2
=
7
1
2
|
.
|

\
|
z
Em que z é a altura de medida da velocidade do vento.
W
1
= Depende da superfície evaporante:
W
1
= 0,5 para água livre
W
1
= 1,0 para vegetação
W
2
= Depende da unidade de U
2
Se U
2
em km/dia; W
2
= 0,00625
Se U
2
em milhas/dia; W
2
= 0,01
Se U2 em m/s; W
2
= 0,54
Determinar a evapotranspiração potencial (mm dia
-1
) pelo método de Penman
simplificado, para o dia 15 de julho a localidade de Areias Brancas-MG (Latitude
= 20,45º S, Altitude = 680 m), com base nos seguintes dados:



Temperatura média do ar = 18,5 º C

Umidade relativa média = 47%

Vento medido a 15 m = 4,5 m s
-1

Brilho solar observado = 8,9 h

Albedo da grama = 23%

Irradiância solar global (Rg) = ?