Você está na página 1de 13

UNIVERSIDADE DE CAXIAS DO SUL ARQUITETURA E URBANISMO CONSTRUÇÃO II ACADÊMICA RAQUEL LAGO DOCENTE: JULIANA ALVES DE LIMA SENISSE SEMESTRE

: 2013_02

AGREGADOS E AGLOMERANTES

CAXIAS DO SUL, 17 DE ABRIL DE 2013.

almejando a qualidade das argamassas e concretos e consequentemente uma boa execução da obra civil. Os ensaios indicados em norma proporcionam maior conhecimento sobre aglomerantes e agregados. nos permite o uso correto e a consequentemente uma melhor qualidade do produto final. suas propriedades e características.INTRODUÇÃO O conhecimento dos materiais. .

visando à qualidade de argamassas e concretos. a fim de complementarmos o conhecimento adquirido em sala de aula. a fim de identificar suas características e melhor aplicabilidade no preparo de misturas. Executar os ensaios indicados em norma para aglomerantes e agregados e a analise dos resultados.OBJETIVO Analise dos agregados e dos aglomerantes. .

915g MASSA UNITÁRIA SOLTA (NBR 7251) – AGREGADO GRAÚDO – BRITA 01 Peso Bruto (kg) 21. utilizar nas dosagens de argamassas e outras misturas. 2.52g/cm³ Peso Líquido (kg) 17. Pesar somente o recipiente para definir o valor Tara. = Peso líquido / (Volume+Vazios)  Resultados MASSA UNITÁRIA SOLTA (NBR 7251) – AGREGADO MIÚDO – AREIA FINA Peso Bruto (kg) 22. Cuidar para não bater no recipiente a fim de não eliminar os vazios existentes entre os grãos.41g/cm³ Peso Líquido (kg) 16.695g (somente agregado) VOLUME: 11.075g MASSA UNITÁRIA: 1. 6. Medir o recipiente e calcular o volume.915g (somente agregado) VOLUME: 11.800cm³ Peso Líquido Médio (kg) . Pesar o recipiente. (Peso bruto) 3.  Método de ensaio: 1. 4. 5. Calcular a massa unitária utilizando a fórmula Massa unit.770g (recipiente + agregado) TARA: 5.ATIVIDADES DESENVOLVIDAS Massa Unitária dos Agregados:  Importância Através deste ensaio podemos definir qual a massa unitária de um determinado volume de agregados e assim.800cm³ Peso Líquido Médio (kg) 17.075g MASSA UNITÁRIA: 1. Calcular o peso líquido (peso bruto – tara).990g (recipiente + agregado) TARA: 5. agregados e vazios. Encher o recipiente com agregado (miúdo ou graúdo) e rasar com régua de metal.

evitando a pesagem in loco do material. poderemos ter melhor noção do volume necessário em obra (de acordo com o traço de cada mistura). . devido maior adensamento ocorrido pela menor dimensão do grão. Análise dos resultados Percebemos que ao determinarmos o valor de massa unitária de um agregado. Verificamos que na pesagem. que é possível acondicionar uma maior quantidade de agregados miúdos do que graúdos no mesmo recipiente.

Adicionar querozene até a marca do frasco. Verificar se ficaram bolhas de ar.61 g/cm³ 2. Caso existam. 2. para não ficar material retido na lateral. 2. 5. 7.59 g/cm³ . Calcular a massa específica através da fórmula Massa específica = 500 / (Leitura final – 200)  Método de ensaio aglomerantes 1. 4.FRASCO DE CHAPMAN (NBR 9776) MASSA ESPECÍFICA (g/cm³) Material Leitura Final (cm³) (γ = 500 / L – 200) Areia Média Grossa Areia Fina Areia Industrial 391cm³ 2. Caso existam. Verificar se ficaram bolhas de ar. Adicionar água no frasco até a marca de 200 ml. 4.64 g/cm³ . 3. evitando que encoste nas laterais internas do vidro. Colocar o material aos poucos. com o auxílio de um funil.2.61 g/cm³ 2. ajudando com uma haste caso fique entupido. Colocar o material aos poucos. com o auxílio de um funil.Massa Específica dos Agregados e Aglomerantes  Importância Verificar a massa específica (desprezando o espaço ocupado pelos vazios) dos agregados e aglomerantes para sabermos o real volume a ser utilizado nas misturas de argamassas. Verificar a medida final. 5. Separa amostra de aglomerante e pesar.62 g/cm³ . Secar o tubo para que o aglomerante não fique retido nas laterais.2. Verificar a medida final. sacudir cuidadosamente o frasco até eliminar as bolhas. Calcular a massa específica através da fórmula Massa específica = Peso da amostra / (Leitura final – Leitura inicial)  Resultados  MASSA ESPECÍFICA DOS AGREGADOS MIÚDOS . 3. 6.  Método de ensaio agregados 1. sacudir cuidadosamente o frasco até eliminar as bolhas.

.MASSA ESPECÍFICA DOS AGLOMERANTES (NBR NM 23) Operador: Data: Tipo de amostra Cinza Volante Peso da amostra (g) 40g Temperatura ambiente: Leitura de volumes (cm³) Inicial: Final: Cal CPV CPII .74g/cm³ Massa específica (g/cm³) 1.3ml 2.368g/cm³ 2.95g/cm³ 2.88g/cm³  Análise dos resultados Verificamos que os vazios ocupam espaço significativo no volume das amostras. o que deve ser contabilizado no preparo das misturas.94g/cm³ 2.Z CP IV 0 21.

4 5. Despejar o material na primeira peneira. Resultados Análise Granulométrica de Agregados Material: BRITA 0 Massa da Amostra: 1 kg Data do ensaio: 04/04/2013 Responsável: _____________________ Resultados Finais Peneiras (abertura em mm) Massa retida da amostra (g) Médias 1ª 32 25* 19 12. tendo o cuidado de manter a sequencia onde a maior deverá estar acima e a menor próxima ao fundo. 3. 6. Separar as peneiras e pesar o material retido em cada uma delas.3* 0 4 55 631 2ª médio % retido 0 0. 2. é possível definir a dimensão máxima dos grãos dos agregados. Encaixar as peneiras.Granulometria dos Agregados  Importância Através deste exercício. Fechar a peneira e sacudir por 03 minutos.4 5.5 6.1 % retido acumulado 0 0. o que será importante ao compararmos com os espaços existentes entre as ferragens de uma estrutura a ser concretada.5 63. a fim de classificarmos o agregado e definir seu uso. 5.9 69 .5* 9. Pesar determinada quantidade de amostra. preenchendo a tabela abaixo. 4.  Método de ensaio 1. Também é importante para definirmos a curva granulométrica.

8 3.8 99.1 0 0 0 0 0.2 0.9+99.9 99.436 2ª médio % retido % retido acumulado .716 100 Análise Granulométrica de Agregados Material: AREIA MÉDIA-FINA Massa da Amostra: 0.9 99.8+99.9+99.1 96.9 100 Dimensão máxima: 12.3* 4.6 0.4+5.5* 9.18 0.5mm Módulo de Finura: 0.9+69+96.9+99.9 99.9 99.5 kg Data do ensaio: 04/04/2013 Responsável: _____________________ Resultados Finais Peneiras (abertura em mm) Massa retida da amostra (g) Médias 1ª 32 25* 19 12.3 0.8 2.436 0.4.9+99.5 6.4 1.9 = 6.15 FUNDO 278 31 0 0 0 0 1g 27.8 2.

59 1. brita 0 – dimensão máxima 12.666+3.718 1.6 0.436+1.644 29.4 1.23 1.87508 100  Análise dos resultados Verificamos que os agregados correspondem ao nível de finura correspondente.2 0.5mm (agregado graúdo) e areia fina – dimensão máxima 1.2mm (agregado miúdo).918+68. .562 98.60 8.15 FUNDO 6.562+98.37 268.72 1.282= 1.282 100 Dimensão máxima: 1.15 9.22 148.2.918 68.644+14.3 0. Também verificamos que não existe homogeneidade na dimensão dos grãos o que pode ser favorável a maior possibilidade de preenchimento de vazios da mistura.978 11.2 mm Módulo de Finura: 0.666 3.274 53.89 56.644 14.

54 0. pesar o material retido. 2.9 à 1. Calcula-se o percentual retido na peneira em relação ao valor total da amostra inicial.08 0. pois quanto mais fino.931 Finura (%) F = RC * 100 M  Análise dos resultados Verificamos que na análise do cimento aventado. Utilizar a peneira de número 200 para peneirar cuidadosamente o material com o auxílio de um pincel. a quantidade de material retido foi maior do que no cimento CPII.98 Peso retido (g) Temperatura ambiente: % retida Fator de correção 0. 5. será mais puro e terá maior eficiência nas misturas. Pesar a amostra antes do ensaio. 4. É importante sempre descontar os pesos dos recipientes em que estiverem contidas as amostras. 3. menor será a quantidade de cimento aventado ou impurezas existentes no material.026 0.FINURA DO CIMENTO  Importância Verificar o grau de finura do cimento. . Utiliza-se o valor de correção (constante de 0.  Método de ensaio 1. que apresentava menos grânulos.  Resultados FINURA DA PENEIRA ABNT Nº 200 (NBR 11579) Peneira Nº 200 Tipo de amostra Aventado CPII Z Peso Amostra(g) 50 50 0.1). portanto. Após peneirar.49 1.95 0. para determinar o percentual de finura do cimento.95 1.

elementos componentes. grãos. de diferentes porções de um mesmo agregado ou aglomerante.CONCLUSÃO Através dos testes realizados no laboratório. percebemos as diferenças entre os diferentes tipos de agregados ou ainda. visto as variabilidades de dimensões. Entendemos a importância desta análise para o bom resultado das misturas de argamassa e concreto. . que poderão influenciar no comportamento da mistura e da obra.

br/cimento/concreto/cimento_5.html .portaldoconcreto.ebah.com.com.br/content/ABAAAAI_QAH/ensaio-determinacao-massa-especifica-dosagregado-materiais-construcao-civil http://www.BIBLIOGRAFIA http://www.