Você está na página 1de 84
 

 
 

 

ATOS E DESPACHOS DO GOVERNADOR

GABINETE CIVIL

GABINETE MILITAR

PROCURADORIA GERAL DO ESTADO

DEFENSORIA PÚBLICA GERAL DO ESTADO

EDITAL DE CONVOCAÇÃO

O Defensor Público Geral do Estado, Dr. Daniel Coêlho

Alcoforado Costa, convoca os estudantes do Curso de Direito das seguintes instituições de ensino superior: Fundação Educacional Jaime de Altavila – FEJAL/CESMAC, da Faculdade Estácio – FAL, da Universidade Federal de Alagoas – UFAL, da Sociedade

de Ensino Universitário do Nordeste – SEUNE, da Faculdade da

Cidade de Maceió – FACIMA, Faculdade Integrada Tiradentes - FITS, Faculdade Maurício de Nassau - FMN, instituições de ensino já conveniadas com a Defensoria Pública do Estado, para seleção de ingresso no Corpo de Estagiários da Defensoria Pública. A seleção e execução do estágio ocorrerão segundo os seguintes critérios:

INSTRUÇÕES

I – DISPOSIÇÕES PRELIMINARES:

1. O Processo Seletivo será realizado sob a responsabilidade da

Comissão, composta por cinco membros, designados neste edital

no item VII, e terá validade de 01 (um) ano, a contar da data da

homologação do resultado, podendo ser renovado uma única vez,

informações

www.defensoria.al.gov.br.

pelo

telefone

3315-2785

ou

através

do

site

-

2. HORÁRIO: das 13h00h às 17h00 (Segunda à Quinta-feira) e

das 08h00 às 12h00 (Sexta-feira).

3. São condições de inscrição:

a) ser o candidato aluno do curso de Direito regularmente

matriculado nas instituições superiores de ensino

supramencionadas – CESMAC, SEUNE, UFAL, FAL, FACIMA, FITS, FMN (a partir do 5º período ou 3º ano).

b) conhecer e estar de acordo com as exigências contidas neste

edital.

4. O aluno deverá anexar à inscrição cópia de seu comprovante de

matrícula ou encaminhamento, do CPF e da Carteira de Identidade,

preenchendo na ficha seu nome e endereço completos, bem com prestar compromisso de poder estagiar nos horários exigidos.

III – DAS PROVAS:

1. O Processo Seletivo constará de uma prova de conhecimentos

específicos, conforme conteúdo programático descrito no Anexo I deste Edital.

2. A prova será composta de 40 (quarenta) questões objetivas, cada

uma valendo 0,1 (um décimo) e conterá 04 (quatro) questões subjetivas, podendo consistir em casos práticos ou perguntas subjetivas, cada uma valendo 1,5 (um vírgula cinco) pontos, totalizando 10 (dez) pontos, de acordo com a divisão constante do quadro abaixo:

por

igual período.

Grupo

 

Matérias

Questões

Objetivas

Questões

Subjetivas

2.

áreas cível, fazenda pública, consumidor e criminal, apenas para

A seleção será para o preenchimento de vagas de estágio nas

 

cadastro de reserva.

I

Constitucional

e

10

01

3.

Todas as vagas serão remuneradas.

Administrativo.

4. Os estudantes selecionados atuarão no desempenho de atividades correlatas à Defensoria Pública.

II

Direito

Civil:

Família,

10

01

Sucessões;

Estatuto

da

5.

A inscrição é gratuita e os estagiários aprovados e classificados

Criança e do Adolescente.

dentro do número das vagas ofertadas, perceberão uma Bolsa de Complementação Educacional no valor mensal de 01 (um) salário-

III

Direito Civil: Parte Obrigações, Responsabilidade

Geral,

10

01

mínimo, durante o período de estágio.

Civil,

6.

O turno de atividades é de 30 (trinta) horas semanais, no horário

Contratos,

Direito

das

de

funcionamento onde for lotado o estagiário, caso seja na Sede

Coisas; Processo

Civil;

da Defensoria Pública do Estado ou no Fórum do Barro Duro: de

Consumidor

segunda a quinta-feira no período da tarde e, na sexta-feira, no período matutino; nos demais locais, de segunda a sexta, pela manhã, tudo em conformidade com a conveniência da Instituição.

IV

Penal; Processo Penal; Execução Penal; Legislação Penal Especial.

10

01

7.

O resultado final da seleção será publicado no Diário Oficial do

Estado e afixado na Sede da Defensoria Pública em Maceió.

8. O estágio terá duração de até 01 (um) ano, podendo ser

prorrogado uma vez por igual período.

9. O estágio será regulamentado pelas cláusulas dos convênios

celebrados entre a Defensoria Pública e as respectivas instituições

de ensino e, subsidiariamente, pela legislação atinente à matéria.

II – DAS INSCRIÇÕES:

1. LOCAL: As inscrições serão realizadas na Sede da Defensoria

Pública do Estado, situada à Av. Comendador Leão, nº 555, Poço, nesta Capital, em dias úteis, no período compreendido entre 15 e

19 de abril de 2013. Os candidatos poderão obter maiores

3. A prova terá duração de 04 (quatro) horas.

4. A prova se realizará na Faculdade FITS, localizada na Av.

Gustavo Paiva, s/n, Cruz das Almas, Maceió-AL, no dia 26 de

abril de 2013, às 14 horas. Todas as informações quanto à prova serão divulgadas no Diário Oficial do Estado, na Sede desta Defensoria Pública e através do site www.defensoria.al.gov.br.

5. Os candidatos deverão chegar ao local de prova com, no

mínimo, 30 (trinta) minutos de antecedência.

6. Somente será admitido à sala de provas o candidato que estiver

munido de Cédula de Identidade ou documento equivalente com

foto.

7. Não será admitido na sala de provas o candidato que se

apresentar após o horário estabelecido.

8. Será excluído do Processo Seletivo o candidato que:

a) for surpreendido, durante a realização da prova, em

comunicação com outros candidatos, bem como utilizando-se de

livros, notas ou impressos, bem como utilizando qualquer eletrônico (celular, tablet, entre outros);

b) ausentar-se do local da prova sem autorização ou

acompanhamento do fiscal.

9. Durante a realização da prova não será permitida consulta à

legislação, doutrina ou qualquer outro impresso.

IV – DO JULGAMENTO DAS PROVAS E CLASSIFICAÇÃO

DOS CANDIDATOS:

1. A prova terá pontuação de 0 (zero) a 10 (dez) pontos, sendo que

cada questão objetiva valerá 0,1 (um décimo) pontos e as questões

subjetivas valerão, no máximo, 1,5 (um vírgula cinco) pontos.

2. Apenas serão corrigidas as questões subjetivas dos candidatos

que acertarem no mínimo 50% (cinquenta por cento) das questões

objetivas de cada grupo de matérias constantes do quadro acima.

3. Serão considerados aprovados os candidatos que, respeitado o

critério anterior (item 2), obtiverem o mínimo de 0,75 (setenta e cinco décimos) de pontos em cada questão subjetiva e nota mínima final de 06 (seis) pontos na prova de conhecimentos.

4. Serão descontados, nas questões subjetivas, 0,05 (cinco

centésimos) por cada erro de Português.

5. Os candidatos serão convocados por ordem decrescente de

classificação.

6. Na hipótese de igualdade na nota final, terá preferência, o

candidato que tiver obtido a maior nota na prova subjetiva. Caso

persista o empate, aquele que obtiver a maior nota na prova objetiva. Persistindo o empate, aquele que tiver a maior graduação.

E,

por fim, o mais idoso.

7.

O resultado será divulgado em até dez dias úteis, no Diário

Oficial do Estado, na Sede desta Defensoria Pública ou através do

site - www.defensoria.al.gov.br.

V – DOS RECURSOS:

1. O prazo para interposição de recursos será de 48 (quarenta e

oito) horas após a divulgação do resultado, tendo como termo inicial o 1º (primeiro) dia útil subseqüente à referida divulgação no

Diário Oficial do Estado.

2. Os recursos deverão ser encaminhados à Comissão,

exclusivamente através da Seção de Protocolo, com endereço na

sede da Defensoria Pública do Estado, devendo estar fundamentados, constando o nome do candidato, número da identidade e endereço para correspondência.

3. O recurso interposto fora do respectivo prazo não será

conhecido, sendo considerada, para tanto, a data da entrada na Seção de Protocolo.

VI

– DOS REQUISITOS PARA A CELEBRAÇÃO DO TERMO

DE

COMPROMISSO:

1. Ser aprovado e classificado no Processo Seletivo conforme as

regras deste edital;

2. Estar cursando, no mínimo, o quinto período do curso de Direito

das instituições UFAL, SEUNE, CESMAC, FAL, FACIMA, FITS

e FMN, ou outra instituição de ensino superior posteriormente

conveniada;

3. Apresentar os documentos comprobatórios das condições

constantes deste edital.

4. Estar apto a cumprir a carga horária exigida, no horário de

funcionamento do órgão (matutino/vespertino), portanto, haverá

preferência por estudantes do curso noturno.

VII – DA COMISSÃO EXAMINADORA

1. Dr. João Fiorillo Souza, Defensor Público – Presidente da

Comissão.

2. Dra. Poliana de Andrade Souza, Defensora Pública – Membro

da Comissão.

3. Dra. Thaís da Silva Cruz Moreira, Defensora Pública – Membro

da Comissão.

4. Eugênio Andrade Silva Filho, Coordenador de Estágio –

Membro da Comissão. 5. Nathalie Uchoa de Melo, Assessora Técnica – Membro da Comissão.

VIII – DAS DISPOSIÇÕES FINAIS:

1. Todas as convocações, avisos, resultados e comunicações serão

feitas através do Diário Oficial do Estado, com a conseqüente afixação no Quadro Mural da Sede da Defensoria Pública do

Estado.

2. Não será fornecido ao candidato qualquer documento

comprobatório de classificação no Processo Seletivo, valendo, para

esse fim, a homologação, publicada no Diário Oficial do Estado.

3. O Processo Seletivo destina-se à formação de cadastro reserva

para as áreas: cível, consumidor e criminal, atendidos os requisitos

deste edital.

4. O candidato classificado será convocado pela Defensoria

Pública do Estado para firmar Termo de Compromisso.

5. O termo inicial do estágio dar-se-á imediatamente após a

celebração do Termo de Compromisso.

6. Será excluído do Processo Seletivo o candidato que:

a) fizer, em qualquer momento, declaração falsa ou inexata;

b) deixar de apresentar quaisquer dos documentos que comprovem

o atendimento dos requisitos deste edital;

c) não atender às determinações quanto à aplicação da prova, acima mencionadas, entre outras

7. A inscrição do candidato implicará no conhecimento e aceitação

das condições estabelecidas neste edital, das quais não poderá

alegar desconhecimento.

8. Os casos omissos serão resolvidos pela Comissão.

Maceió, 10 de abril de 2013.

DANIEL COÊLHO ALCOFORADO COSTA Defensor Público Geral do Estado

Anexo I - Conteúdo Programático

DIREITO CONSTITUCIONAL Princípios fundamentais do Direito Constitucional Brasileiro. Direitos e garantias fundamentais: direitos e deveres individuais e coletivos, generalidades. Direitos e garantias fundamentais: direito de ação e devido processo; mandado de segurança; mandado de injunção; “habeas corpus”; “habeas data”; direitos políticos. As funções essenciais à Justiça: Advocacia, Ministério Público e Defensoria Pública.

DIREITO ADMINISTRATIVO Ato administrativo. Lei Complementar Federal n.º 80/94 Poderes da Administração. Processo e Recurso Administrativo

DIREITO CIVIL DAS PESSOAS. Da pessoa natural: conceito; personalidade; capacidade. conseqüências da incapacidade, espécies de incapacidades, psicopatas, toxicômanos, tutela, curatela; início; nome; estado; extinção; ausência; direitos da personalidade. DO DOMICÍLIO. DOS BENS. Das diferentes classes de bens. DOS FATOS E ATOS JURÍDICOS. Dos negócios jurídicos. Das declarações unilaterais de vontade. Classificação. Defeitos. Inexistência. Modalidades. Forma. Prova dos atos jurídicos. Atos ilícitos. Conseqüências dos atos ilícitos. Caso Fortuito. Força Maior. Da nulidade e da anulabilidade dos atos jurídicos. PRESCRIÇÃO E DECADÊNCIA. Conceito, efeitos, causas impeditivas, interruptivas e suspensiva dos prazos. Prescrição aquisitiva e extintiva. Imprescritibilidade. Prazos decadenciais e prescricionais no Código Civil. DIREITO DAS COISAS: Proteção possessória; Posse e Propriedade; Aquisição de propriedade imóvel. TEORIA GERAL DOS CONTRATOS. Classificação dos contratos. Contratos inominados. Contratos bilaterais. Contratos aleatórios. Arras. Estipulações em favor de terceiro. Vícios Redibitórios. Evicção. Inexecução contratual voluntária e involuntária. Distrato. Denúncia. Resolução. Resilição. Rescisão. Revogação. Renúncia. Proteção contratual no Código de Defesa do Consumidor. RESPONSABILIDADE CIVIL. Responsabilidade contratual e extracontratual. Responsabilidade subjetiva e objetiva. Indenização. Nexo causal. Excludentes. Reparação do dano patrimonial e do dano moral.

DIREITO DE FAMÍLIA:

Do direito pessoal: Do casamento. Disposições gerais. Da capacidade para o casamento. Da eficácia do casamento. Da dissolução da sociedade do vínculo conjugal. Da proteção da pessoa dos filhos; Das relações de parentesco. Do direito patrimonial: Do regime de bens entre os cônjuges; Do uso fruto e da administração de bens de filhos menores; Dos alimentos; Investigação de Paternidade; Separação e Divórcio; Do bem de família; Da união estável; Da tutela e da curatela; Leis: 5.478/68 (lei de alimentos); 6.515/77 (lei de divórcio); 9.278/96 (lei de

união estável); 8.560/92 (lei de investigação de paternidade); Estatuto da criança e do adolescente (lei 8.069/90); Livro I, parte geral. Título I. Das disposições preliminares. Título II. Dos direitos fundamentais.

DIREITO DAS SUCESSÕES:

Da Sucessão em Geral. Da Sucessão Legítima. Da Sucessão

TEORIA GERAL

DOS CONTRATOS. Classificação dos contratos. Contratos inominados. Contratos bilaterais. Contratos aleatórios. Arras. Estipulações em favor de terceiro. Vícios Redibitórios. Evicção. Inexecução contratual voluntária e involuntária. Distrato. Denúncia. Resolução. Resilição. Rescisão. Revogação. Renúncia. Proteção contratual no Código de Defesa do Consumidor. RESPONSABILIDADE CIVIL. Responsabilidade contratual e extracontratual. Responsabilidade subjetiva e objetiva. Indenização. Nexo causal. Excludentes. Reparação do dano patrimonial e do dano moral.

Testamentária. Do Inventário e da Partilha

DIREITO PROCESSUAL CIVIL Da Jurisdição. Da ação. Da capacidade processual. Da competência interna. Das comunicações dos atos. Da petição inicial. Do processo e do procedimento. Procedimento Ordinário:

da petição inicial, da resposta do réu e da revelia). Da sentença e da coisa julgada. Teoria geral dos recursos. Dos recursos em espécie: agravo e apelação. Do procedimento cautelar: das medidas cautelares (disposições gerais). Dos procedimentos cautelares específicos: da busca e apreensão, da exibição, dos protestos, notificações e interpelações. Dos procedimentos especiais de jurisdição contenciosa: do inventário e da partilha; da ação de alimentos. Do procedimento especial de jurisdição voluntária: da curatela dos interditos. Do divórcio (judicial e extrajudicial).

DIREITO DO CONSUMIDOR Do direito das relações de consumo; a natureza jurídica do Código de Defesa do Consumidor. A relação de consumo; o consumidor e suas formas equiparadas; o fornecedor. O Estado e as relações de consumo; a vulnerabilidade do consumidor. A assistência judiciária e o consumidor carente. Os princípios e os direitos básicos do consumidor. Da qualidade dos produtos e dos serviços. Da responsabilidade Civil do fornecedor pelos danos causados ao consumidor. Do vício e do fato do produto ou serviço; da prevenção e reparação dos danos materiais e morais. Das excludentes de responsabilidade. Da garantia de adequação do produto; da garantia legal e contratual. Da oferta; da publicidade. Da venda fora do estabelecimento. Práticas abusivas do fornecedor; banco de dados e cadastro de consumidor. Da proteção contratual no CDC; da regra de interpretação contratual no CDC; das cláusulas abusivas; do direito de modificação de cláusulas contratuais e a teoria da imprevisão. Direito do consumidor fora do CDC; dos planos provados de assistência à saúde; dos empréstimos consignados. Dos serviços públicos essenciais.

DIREITO PENAL

01 Da aplicação da lei penal no tempo e no espaço. Dos princípios do Direito Penal. 02. O fato típico e seus elementos. 03. Relação de causalidade. Culpabilidade. 04. Superveniência de causa independente. 05. Do crime consumado, tentado e impossível. 06. Do crime doloso, culposo e preterdoloso. 07. Do concurso de pessoas. 08. Do concurso de crimes. 09. Das penas: espécies, cominação e aplicação. 10. Das medidas de segurança. 11. Da ação penal pública e privada. 12. Da extinção da punibilidade. 13. Dos crimes contra a pessoa. 14. Dos crimes contra o patrimônio. 15. Dos crimes contra a dignidade sexual. 16. Dos crimes contra a paz pública.

DIREITO PROCESSUAL PENAL E EXECUÇÃO PENAL

01. Dos princípios do processo penal. Lei processual penal no

tempo e no espaço. Sistemas Processuais. Prisão (em flagrante,

preventiva e temporária), liberdade provisória e medidas cautelares diversas da prisão. 02. Inquérito Policial. 03. Ação penal.

04. Sujeitos processuais. 05. Procedimentos: ordinário, sumário e

crimes de competência do tribunal do júri. 06. Nulidades. 07. Teoria geral dos recursos. Recursos em espécie: recurso em sentido estrito, apelação, embargos de declaração, recurso extraordinário e recurso especial. 08. Habeas Corpus e revisão criminal. 09. Execução Penal: Do Trabalho. Dos Deveres, dos Direitos e da Disciplina dos condenados e internados. Das faltas disciplinares, das sanções e do procedimento disciplinar. Da Defensoria Pública na execução penal. Da execução das penas em espécie. Da execução provisória da pena.

LEGISLAÇÃO PENAL ESPECIAL Aspectos penais e processuais penais das seguintes leis: 01. Lei 8.072/90 (Crimes Hediondos). 02. Lei 9.099/95 (Juizados Especiais Criminais). 03. Lei 9.503/97 (Código de Trânsito Brasileiro). 04. Lei 10.826/03 (Estatuto do Desarmamento). 05. Lei 11.340/03 (Lei Maria da Penha). 06. Lei 11.343/03 (Lei de Drogas).

PORTARIA DPE N° 113, DE 10 DE ABRIL DE 2013.

O DEFENSOR PÚBLICO GERAL DO ESTADO, no uso de suas

atribuições, conferidas pela Lei Complementar 29, de 01 de

dezembro de 2011, RESOLVE designar a Defensora Pública RONIVALDA DE ANDRADE para atuar nas audiências da 14ª

Vara Criminal da Capital, que serão realizadas no dia 10 de abril

de 2013, a partir das 14h.

DANIEL COÊLHO ALCOFORADO COSTA

Defensor Público Geral do Estado

PORTARIA DPE N° 114, DE 10 DE ABRIL DE 2013.

O DEFENSOR PÚBLICO GERAL DO ESTADO, no uso de suas

atribuições, conferidas pela Lei Complementar 29, de 01 de dezembro de 2011, RESOLVE designar o Defensor Público RYLDSON MARTINS FERREIRA para atuar nas audiências da 14ª Vara Criminal da Capital, que serão realizadas no dia 11 de abril de 2013, a partir das 14h.

DANIEL COÊLHO ALCOFORADO COSTA

Defensor Público Geral do Estado

PORTARIA DPE Nº 115, DE 10 DE ABRIL DE 2013.

O DEFENSOR PÚBLICO-GERAL DO ESTADO, no uso de suas

atribuições, conferidas pela Lei Complementar de 29, de 01 de dezembro de 2011 e ainda no que consta no Processo nº 12070- 339/2013, RESOLVE conceder em favor de DANIELA PROTÁSIO DOS SANTOS, Defensora Pública, CPF/MF sob nº 020.413.995-38, RG nº 30588634 – SSP/SE, o pagamento de 04 (quatro) meias diárias referentes aos deslocamentos realizados nos dias 07, 14, 21 e 26 de março de 2013, ao Município de Porto Real do Colégio/AL, com objetivo de exercer suas atribuições institucionais na referida localidade, totalizando o valor de R$ 300,16 (trezentos reais e dezesseis centavos), para cobrir despesas com locomoção e hospedagem, vinculadas ao elemento 3.3.90.14, ao Plano Interno 002246, à fonte de recursos 0100, do Orçamento vigente.

DANIEL COÊLHO ALCOFORADO COSTA

Defensor Público Geral do Estado

PORTARIA DPE Nº 116, DE 10 DE ABRIL DE 2013.

O DEFENSOR PÚBLICO GERAL DO ESTADO, no uso de suas

atribuições, conferidas pela Lei Complementar 29, de 01 de dezembro de 2011, RESOLVE revogar parcialmente a Portaria nº 250, de 19 de setembro de 2013, relativamente à parte que designou o Defensor Público FABRÍCIO LEÃO SOUTO para exercer, excepcionalmente, as atribuições definidas na Portaria nº 248, de 19 de setembro de 2012.

DANIEL COÊLHO ALCOFORADO COSTA

Defensor Público Geral do Estado

PORTARIA DPE Nº 117, DE 10 DE ABRIL DE 2013.

O DEFENSOR PÚBLICO GERAL DO ESTADO, no uso de suas

atribuições, conferidas pela Lei Complementar nº 29, de 01 de

dezembro de 2011, e ainda no que consta no Processo nº 12070- 341/2013, RESOLVE conceder em favor de MARCOS CÉSAR MARTINIANO LEITE, no exercício das funções de motorista, matrícula nº 6689-3, CPF/MF sob nº 384.184.954-72, RG nº 490.180 – SSP/AL, o pagamento de ½ (meia) diária referente ao deslocamento realizado no dia 09 de abril de 2013 ao Município de Joaquim Gomes/AL, com o objetivo de devolver processos, totalizando o valor de R$ 30,00 (trinta reais), para cobrir despesas com alimentação, vinculadas ao elemento 3.3.90.14, ao Plano Interno 002246, à fonte de recursos 0100, do Orçamento vigente.

D ANIEL C OÊLHO A LCOFORADO C OSTA

Defensor Público Geral do Estado

O DEFENSOR PÚBLICO GERAL DO ESTADO, DR. DANIEL

COÊLHO ALCOFORADO COSTA, EM 10 DE ABRIL DE 2013, DESPACHOU OS SEGUINTES PROCESSOS:

Proc. 12070-217/2013. Int: Arthur César Cavalcante Loureiro. Ass: solicitação de férias. DESP: Tendo em vista o despacho da

Coordenadoria Setorial de Pessoal às fls. 08/09, autorizo a fruição

de férias pelo interessado no período de 01 a 30 de abril de 2013,

com efeitos retroativos. Vão os autos à Coordenadoria Setorial de

Pessoal para anotações e arquivamento.

Proc. 12070-339/2013. Int: Daniela Protásio dos Santos. Ass:

solicitação de pagamento de diária. DESP: Tendo em vista o despacho da Gerência Setorial de Planejamento e Orçamento confirmando a existência de dotação orçamentária, autorizo o pagamento. Vão os autos à Diretoria Administrativa e Financeira

para tomar ciência do deferimento e, logo após, para o SETOR DE

C ONTABILIDADE E FINANÇAS DESTA INSTITUIÇÃO, para que sejam

tomadas as medidas pertinentes para efetuar o pagamento. Lavre-

se

a portaria.

Proc. 12070-341/2013. Int: Marcos César Martiniano Leite. Ass:

solicitação de pagamento de diária. DESP: Tendo em vista o despacho da Gerência Setorial de Planejamento e Orçamento confirmando a existência de dotação orçamentária, autorizo o pagamento. Vão os autos à Diretoria Administrativa e Financeira para tomar ciência do deferimento e, logo após, para o SETOR DE

C ONTABILIDADE E FINANÇAS DESTA INSTITUIÇÃO, para que sejam

tomadas as medidas pertinentes para efetuar o pagamento. Lavre-

se a portaria.

Proc. 12070-265/2013. Int: Rômulo Santa Rosa Alves. Ass:

solicitação de férias. DESP: Tendo em vista o despacho da Coordenadoria Setorial de Pessoal às fls. 03, autorizo a fruição de férias pelo interessado nos períodos de 01 a 30 de julho de 2013 e 02 a 31 de janeiro de 2014, condicionada a fruição de férias à obediência tempestiva da juntada dos documentos exigidos na resolução pertinente (declaração da inexistência de processos em carga e pauta das audiências agendadas para o período). Vão os

autos

arquivamento.

à

Coordenadoria

Setorial

de

Pessoal

para

Maceió, 10 de abril de 2013.

Mariana Soares Braga Chefe de Gabinete (Responsável pela Resenha)

anotações

e

SECRETARIA DE ESTADO DA ARTICULAÇÃO POLÍTICA

SECRETARIA DE ESTADO DA CIÊNCIA, DA TEC. E DA INOVAÇÃO

.SECRETARIA DE ESTADO DA DEFESA SOCIAL

SECRETARIA DE ESTADO DA ASSISTÊNCIA E DESENV. SOCIAL

INSTRUÇÃO NORMATIVA - SEDS Nº 001/2013 - GS

DISPÕE SOBRE DIRETRIZES OPERACIONAIS PARA O EMPREGO DE EFETIVO E AERONAVES DOS ÓRGÃOS DO SISTEMA ESTADUAL DE SEGURANÇA PÚBLICA.

O Secretário de Estado da Defesa Social, no uso de

suas atribuições e prerrogativas legais que lhe confere o art.

4°, parágrafo Único, inciso IX do Regimento interno desta

Secretaria, aprovado pelo Decreto nº 5.483, de 24 de março de 2010,

Considerando a existência de legislação aeronáutica federal, em especial o Regulamento Brasileiro de Homologação Aeronáutica de número 91 (RBHA 91) subparte K, que trata das operações aéreas de Segurança Pública e Defesa Civil e defini as atribuições dos órgãos de segurança pública em âmbito nacional;

Considerando

a

recente

aquisição

do

helicóptero

AS350

B2

Esquilo

por

meio

do

convênio

433/2008-

SENASP/MJ,

a

ser

utilizado

em

ações

exclusivas

de

segurança pública e defesa civil;

Considerando que a Polícia Militar de Alagoas, órgão integrante da SEDS, tem sob sua gestão uma aeronave configurada para ações policiais;

a responsabilidade a pessoas capacitadas em gestão administrativa e operacional das aeronaves; e

atribuir

Considerando

necessidade

de

Considerando finalmente a necessidade de normatizar

o emprego e cessão do efetivo especializado em

policiamento aéreo, oriundo dos órgãos integrantes da SEDS, bem como a disponibilização das aeronaves para pronto emprego sob a coordenação operacional da Comissão Provisória de Gestão de Aeronaves Operacionais – CPGAO/SEDS, nomeada através da Portaria n.º 056/2013- GS, publicada no Diário Oficial do Estado em 29 de janeiro de 2013,

RESOLVE:

Art. 1º. Fica instituída, no âmbito da Secretaria de Estado da Defesa Social, a presente Instrução Normativa, a qual estabelece, em caráter geral, diretrizes operacionais para o emprego do efetivo e aeronaves dos órgãos que integram a Secretaria de Estado da Defesa Social de Alagoas.

Art. 2º. Ficam todos os pilotos de helicóptero, tripulantes operacionais e técnicos, mecânicos, apoio solo e aeronaves lotadas nos órgãos integrantes do sistema de segurança pública do Estado de Alagoas, sujeitos à irrestrita observância e cumprimento da presente instrução normativa e em atendimento aos demais preceitos normativos vigentes;

Art. 3º. Os servidores mencionados no artigo anterior permanecerão lotados em seus órgãos de origem, sem prejuízo de suas funções, e vinculados operacionalmente à Comissão Provisória de Gestão de Aeronaves Operacionais

– CPGAO/SEDS, para efeito de escalas de serviço;

§ 1º. A estrutura básica de pessoal para operacionalização das aeronaves do sistema de segurança pública do Estado de Alagoas, denominadas Falcão 03 e Falcão 04, encontra-se definida no anexo I desta Instrução Normativa.

§ 2º. Os órgãos integrantes da SEDS que possuírem servidores concorrendo à escala de serviço de patrulhamento aéreo deverão viabilizar o armamento e equipamentos para as operações e a condução (ida e volta) até o Hangar do Estado, em caráter provisório.

Art. 4º. O Diretor Geral da Polícia Civil, O Comandante Geral da Polícia Militar e o Comandante Geral do Corpo de Bombeiros deverão apresentar mensalmente o seu efetivo especializado em operações aéreas ao presidente da Comissão Provisória de Gestão de Aeronaves Operacionais – CPGAO, que deverá manter o controle deste efetivo para que possam atender prontamente às necessidades de rotina e emergenciais que surgirem;

Art. 5º A escala de serviço do efetivo especializado de pilotos, tripulantes operacionais, mecânicos aeronáuticos e apoio solo será elaborada pela Comissão Provisória de Gestão de Aeronaves Operacionais (CPGAO);

Art. 6º. A Comissão Provisória de Gestão de Aeronaves Operacionais – CPGAO adotará medidas que visem à padronização de procedimentos, doutrinamento, treinamento e requalificação do efetivo especializado em atividades aéreas de segurança pública;

Art. 7º. O plano de emprego operacional das aeronaves deverá ser elaborado pela Comissão Provisória de Gestão de Aeronaves Operacionais – CPGAO, que informará com antecedência de 72 (setenta e duas) horas à SEDS e aos seus órgãos vinculados;

Parágrafo Único: A área de cobertura das aeronaves e horários de emprego serão definidos semanalmente e divulgados em tempo hábil aos órgãos vinculados;

Art. 8º. O Comando Geral da Polícia Militar juntamente com o presidente da Comissão Provisória de Gestão de Aeronaves Operacionais – CPGAO deverão disponibilizar diariamente as aeronaves sob sua responsabilidade para a atividade operacional, a fim de que sejam feitos os ajustes necessários de modo a não chocarem

a área e horário de emprego das referidas aeronaves.

Art. 9º. O Secretário de Estado da Defesa Social e o Comandante Geral da Polícia Militar, gestor da aeronave FALCÃO 04, são os responsáveis diretos para determinarem ao Presidente da Comissão Provisória de Gestão de

Aeronaves Operacionais – CPGAO o acionamento das aeronaves para missões específicas e ordinárias.

Art. 10º. Fica o Presidente da Comissão Provisória de Gestão de Aeronaves Operacionais (CPGAO), no âmbito de sua competência, também incumbido de difundir o conteúdo versado na presente Instrução. Art. 11º. Eventuais omissões ou incompatibilidades com outras diretrizes normativas serão sanadas pelo Secretário de Estado da Defesa Social.

Art. 12º. Esta Instrução Normativa entra em vigor na data da sua publicação.

PUBLIQUE-SE e CUMPRA-SE.

Maceió-AL, 05 de abril de 2013

DÁRIO CESAR BARROS CAVALCANTE - CEL PM R/R Secretário

ANEXO I

QUADRO DO EFETIVO NECESSÁRIO A OPERACIONALIZAÇÃO DOS HELICÓPTEROS:

Efetivo

Falcão 03

Falcão 04

Comandantes

3

--

Copilotos

3

3

Tripulantes

9

6

Mecânicos Aeronáuticos

2

--

Despachantes

 

3

Controle Técnico de Manutenção

2

--

Condutores do Microônibus

2

--

Condutores das duas caminhonetes 4x4

4

--

Condutores do Caminhão Tanque

2

--

Total

28

9

Total Geral

 

37

O SECRETÁRIO DE ESTADO DA DEFESA SOCIAL,

DÁRIO CESAR BARROS CAVALCANTE, DESPACHOU EM 08/04/2013 A SEGUINTE PORTARIA:

PORTARIA Nº 342/GS/2013

O Secretário de Estado da Defesa Social, no uso de suas atribuições e prerrogativas legais que lhe confere o art. 4°, parágrafo Único, inciso IX do Regimento interno desta Secretaria, aprovado pelo Decreto nº 5.483, de 24 de março

de 2010, e

Considerando a necessidade de alterar a Comissão Provisória de Gestão de Aeronaves Operacionais – CPGAO, instituída através da portaria nº.056/GS/2013, publicada no Diário Oficial do Estado em 29 de janeiro do corrente ano, RESOLVE:

DISPENSAR o Cap PMAL Mário Henrique de Oliveira Assunção, Matrícula nº 8179-5, CPF 515.857.074- 49, da função de 1º Membro da CPGAO, e NOMEAR, em substituição, o Agente de Policia Civil, Aldair dos Santos, Matrícula: 300576-3, CPF 677.096.644-15;

DISPENSAR o Cap CBMAL Diego Mendonça dos Anjos, Matrícula nº 80827-0, CPF 008.865.535-04, da função de 2º Membro da CPGAO, e NOMEAR, em substituição, o Agente de Policia Civil Márcio José Costa de Albuquerque Lima, Matrícula: 300662-0, CPF 000.978.514-

00;

DISPENSAR o Agente de Policia Civil Aldair dos Santos, Matrícula: 300576-3, CPF 677.096.644-15, da função de 3º Membro da CPGAO, e NOMEAR, em substituição, o Cap CBMAL Diego Mendonça dos Anjos, Matrícula nº 80827-0, CPF 008.865.535-04.

Dê-se Ciência, Publique-se e Cumpra-se. Gabinete do Secretário, em Maceió-AL, 08 de abril de 2013.

DÁRIO CÉSAR BARROS CAVALCANTE – CEL PM/RR Secretário de Estado da Defesa Social

O SECRETÁRIO DE ESTADO DA DEFESA SOCIAL,

DÁRIO CESAR BARROS CAVALCANTE, DESPACHOU

EM 08/04/2013 O SEGUINTE PROCESSO:

PROC.: 2100 – 1547/2011 da Secretaria de Estado da Defesa Social. Encaminhe-se o Processo a Secretaria de Estado da Defesa Social para providências.

O CHEFE DE GABINETE DA SECRETARIA DE

ESTADO DA DEFESA SOCIAL, HERLÍ CARLOS SOARES DO NASCIMENTO, DESPACHOU EM 09/04/2013 OS SEGUINTES PROCESSOS:

PROC.: 2100 – 670/2013 do Núcleo de Transportes/SEDS.

Encaminhem-se os autos à Delegacia Geral da Polícia Civil

para providências.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO E DO ESPORTE

2ª CONVOCAÇÃO

O Secretário de Estado da Educação e o do Esporte, no uso de suas atribuições

legais, emconformidade como disposto no edital SEE nº 10/2012, do Processo de Seleção Simplificado para Contratação Temporária de Monitor para a Educação Especial da Secretaria de Estado da Educação e do Esporte de Alagoas, publicado no D.O.E. do dia 29 de outubro de 2012, e considerando a homologação do resultado da seleção de monitores, publicado no D.O.E. do dia 06 de dezembro 2012, convoca os candidatos abaixo relacionados a comparecerem às Coordenadorias Regionais de Ensino, no prazo de 10 dias úteis, a partir da data desta publicação, a qual optou no ato de inscrição, munidos dos documentos pessoais: Documento de Identidade, CPF, Título de Eleitor, Quitação Eleitoral, PIS/PASEP/NIT, Comprovante de Residência (originais e cópias) e Comprovante de Conta Bancária junto a CEF OP: 001 ou 037, esta vinculada ao CNPJ da Secretaria de Estado da Educação e do Espote, para formalização dos contratos de trabalho por tempo determinado, nos termos da Lei Estadual nº 6.018/1998 e suas alterações.

1ª CRE – MACEIÓ

MONITORES: Auxiliar de Sala

CLAS.

NOME

CPF

21º

AGDALINE GOMES DOS SANTOS

053.827.144-28

22º

DANIELLE SANTOS DE OLIVEIRA

033.556.484-42

23º

FABIANA BEZERRA DA SILVA

012.113.714-76

24º

LUCIANA DOS SANTOS CAVALCANTE

028.114.574-10

25º

CASSIA FRANÇA SILVA MAIOLO

007.492.254-83

26º

ANA LUCIA FERREIRA DA SILVA

028.512.944-90

27º

MARIA LUCIA FRANCISCO PAES

724.356.074-15

28º

SIMONE FERREIRA GOMES

729.544.344-49

29º

GLAUCIA MARIA EMIDIO LIMA DUARTE