Você está na página 1de 1
ESTADO DE MINAS - DOMINGO, 1º DE FEVEREIRO DE 2004 P Á G I N

ESTADO DE MINAS - DOMINGO, 1º DE FEVEREIRO DE 2004

PÁGINA 19

GERAIS

DEPORTADOS

CONHECIMENTO SOBRE TODAS AS OPERAÇÕES ENVOLVENDO ENTRADA ILEGAL NOS EUA E LIGAÇÕES COM TERRORISTAS INTERNACIONAIS FIZERAM DE FALSÁRIO, PRESO EM UBÁ, UMA LENDA VIVA

Um camaleão no comando da imigração clandestina

Mário Lúcio Pereira, de 58 anos, mudou de identidade duas vezes e já participou de praticamente todas as etapas do manjado esquema de imi- gração clandestina para os Es- tados Unidos, trabalhando co- mo agenciador, falsificador, coiote e distribuidor e ensinou os filhos a lucrar com o trans- porte de milhares de brasilei-

ros ilegais para território nor- te americano. A forma como enganou a polícia, mudou de visual deixando a barba cres- cer, trocou de nome e atuou na ilegalidade lembra muito os passos do terrorista vene- zuelano Ilich Ramírez Sánchez

– mais conhecido como Car-

los, o Chacal – que durante anos foi considerado a princi- pal ameaça mundial pelos Es- tados Unidos e está hoje confi-

nado na penitenciária pari- siense Santé, condenado a pri- são perpétua. Assim como Chacal, o falsi- ficador de documentos tupini- quim – que começou suas ati- vidades clandestinas em Go- vernador Valadares, Leste mi- neiro, no final da década de 80 – demorou mais de 15 anos para ser preso (atualmente cumpre pena em Ubá) e pode ter escrito seu nome na histó- ria do terrorismo internacio- nal, por manter ligações com falsários mineiros acusados

de confeccionar passaportes para criminosos estrangeiros, entre eles libaneses suspeitos de pertencerem ao grupo ex- tremista saudita Al Qaeda, de Osama bin Laden.

FORTUNA

No início dos anos 90, o falsificador de documentos Mário Lúcio fez fama e fortu- na confeccionando vistos e enviando clandestinamente imigrantes da região para os Estados Unidos. Depois de ser condenado a cumprir pena em regime semi-aberto em Governador Valadares, em 2000, fugiu para o México e

se transformou no cidadão norte americano Rafael Rouer, chefe dos melhores coiotes da capital mexicana, cotados pela quantidade de travessias bem sucedidas. Meses depois, ainda com o nome de Rafael, ele atraves- sou a fronteira para abrir uma loja de pássaros e atuar como um renomado distribui- dor de brasileiros nos Estados Unidos. No ano passado, re- tornou ao Brasil e se estabele- ceu em Ubá, onde comprou uma fazenda, dois aparta- mentos e uma casa e acabou preso em outubro por poli- ciais militares que seguiam as pistas levantadas pela Polícia Federal de Valadares.

Patrimônio acumulado supera R$ 1,5 milhão

Em mais de 15 anos de ati- vidade, o "chacal mineiro"

Mário Lúcio acumulou riqueza

– com um patrimônio que su-

pera a cifra do R$ 1,5 milhão, de acordo com a Polícia Fede- ral – e ensinou para os filhos Luciano, de 35 anos, e Chris- tiano, de 30, a arte de mudar de identidade, adulterar pas- saportes, vistos e mandar imi- grantes de forma ilegal para os EUA . Christiano Pereira seguiu praticamente os mesmos pas- sos do pai. Primeiro agenciou brasileiros e providenciou do- cumentos para os imigrantes que saíam do Braisl e para atravessar a fronteira pelas mãos de seu pai. Preso em Va-

ladares, foi companheiro de

prisão do experiente falsifica- dor Manoel "Camofão" Ferrei- ra, que também trabalha com

o filho Tiago, de acordo com

investigações policiais. Chris- tiano e Manoel, mesmo presos, continuaram fabrifcando do- cumentos falsos, de acordo com agentes da PF. "Todo dia

entrava uma sacolinha de dia e saía à noite. Esse pessoal tem muito dinheiro", observa

um policial federal, que desco- briu que Christiano estava fal- sificando passaportes portu- gueses para brasileiros. Duas semanas depois de ser condenado em regime semi- aberto, fugiu para os Estados Unidos sob o disfarce de um advogado português. Para che- gar em Miami em julho no ano passado precisou cruzar o Pa- raguai, Argentina, Peru até o México, de onde pegou um avião. Durante seu depoimen- to na PF de Valadares, ele se gabou de ter passado pela en- trevista de uma hora e meia na emigração fingindo ser portu- guês. Foi preso pela polícia americana e deportado para Valadares, onde está preso, de- pois que agentes federais ras-

trearam seu destino no Texas. Enquanto isso, o outro filho do “Chacal” mineiro, Luciano, responde em liberdade por processos e inquéritos de adul- teração de documentos. (FO)

e inquéritos de adul- teração de documentos. (FO) REPRODUÇÃO ARTIMANHAS Perito em disfarces, “Chacal”

REPRODUÇÃO

ARTIMANHAS

Perito em disfarces, “Chacal” mineiro demorou 15 anos para ser preso

PAIS E FILHOS: UM NEGÓCIO DE FAMÍLIA ❚❚ MÁRIO LÚCIO PEREIRA ●● Idade: 58 anos
PAIS E FILHOS: UM NEGÓCIO DE FAMÍLIA
❚❚ MÁRIO LÚCIO PEREIRA
●● Idade: 58 anos
●● Função no esquema: falsificar documentos, especialmente vistos e
passaportes no final da década de 80, coiote e receptador
●● Onde está: preso em Ubá, desde outubro do ano passado
CHRISTIANO PEREIRA (FILHO)
●● Idade: 30 anos
●● Função no esquema: falsificar documentos, enviar imigrantes e receptador
●● Onde está: preso em Governador Valadares, desde o final do ano passado
LUCIANO PEREIRA (FILHO)
●● Idade: 35 anos
●● Função no esquema: enviar imigrantes
●● Onde está: morando no bairro Sítio das Flores e
respondendo a processos criminais
❚❚ GERALDO COUTO DA SILVA
●● Idade: 48 anos
●● Função no esquema: falsificar documentos
●● Onde está: respondendo a processos em Valadares
ARILSON NOGUEIRA DA SILVA (FILHO)
●● Idade: 22 anos
●● Função no esquema: usar a técnica da silcagem para
falsificar documentos
●● Onde está: respondendo a processos em Valadares
❚❚ MANOEL “CAMOFÃO”FERREIRA
●● Idade: não informado
●● Função no esquema: falsificar documentos e
enviar imigrantes
●● Onde está: cumprindo pena de 11 anos em
Governador Valadares
TIAGO FERREIRA (FILHO)
●● Idade: 18 anos
●● Função no esquema: agenciar clientes do pai
●● Onde está: respondendo a processo em Governador Valadares

HOMICÍDIOS

TRAFICANTES AJUSTAM CONTAS EM DISPUTA POR CONTROLE DE PONTOS DE DROGAS, NO AGLOMERADO DA SERRA. TELEFONE CELULAR É O PIVÔ DE OUTRO ASSASSINATO, DEPOIS DE FESTA, EM CONTAGEM

Violência marca início do final de semana

O Aglomerado da Serra, na região Centro-Sul de Belo Ho- rizonte, um dos locais mais violentos da capital, deu mais uma demonstração da guerra entre os traficantes pela dis- puta de pontos de droga. Um homem identificado como “Branco” é acusado de ter matado “Repolho”, dentro da barbearia do Wemblei, na rua Doutor Camilo, às 21h de an- teontem. Ele foi assassinado com tiros de pistola calibres 380 e 9 milímetros. Segundo

a polícia, o crime foi vingança pelo assassinato de Dedê, morto três horas antes, quan- do jogava bola, na rua Coro- nel Jorge Dário. De acordo com detetives que estiveram no local, “Branco” é da gangue de

que estiveram no local, “Branco” é da gangue de “Dedê”, que foi assassinado por “Bentinho”, e

“Dedê”, que foi assassinado por “Bentinho”, e que por sua vez, é do grupo de “Re- polho”. As duas mortes fa- zem parte dos sete homicí- dios registrados na Região metropolitana de Belo Hori- zonte das 18h de sexta-feira até as 20h de ontem. Em Contagem, Damário Luiz Coutinho, de 41, foi as- sassinado por Valter da Cruz de Carvalho, depois de uma confusão durante uma festa na casa da vítima, no bairro

Granja Lempp. Segundo a po- lícia, Valter e uma turma de amigos estavam na festa, quando Damário constatou que o seu telefone celular ha- via sido roubado. Ele fechou a porta da casa e disse que as pessoas só sairiam depois

que o aparelho fosse encon- trado. Um convidado apontou a turma como suspeita do roubo. Pouco tempo depois, o telefone apareceu, no segun- do andar da casa, e o grupo foi expulso da festa. Eles saíram fazendo diver- sas ameaças de morte. Por volta das 2h da madrugada de ontem, os homens retor- naram e deram dois tiros na vítima, que morreu no local. Policiais militares fizeram rastreamento na região e lo- calizaram Valter, Samuel Ro- drigues Merces, Alexandro da Silva Pinheiro, Rodrigo Mo- reira Marcos, Viviane dos An- jos Costa e um adolescente de 16 anos. Todos foram levados para a 6ª Seccional de Conta- gem, onde Valter assumiu a

autoria do crime e foi autua- do em flagrante. No bairro Providência, o vigilante cearense José Carlos de Oliveira, de 31, foi assas- sinado no Anel Rodoviário. Segundo testemunhas, o vigi- lante passava de moto pelo local quando outro motoquei- ro se aproximou e deu um ti- ro em suas costas. A bala perfurou o pulmão e saiu pe- lo tórax. Os detetives acredi- tam que ele tenha sido vítima de uma tentativa de assalto e o criminoso tenha atirado pa- ra pará-lo. Os policiais foram até o bairro Nazaré, Norte da capital, onde o vigilante mo- rava. Vizinhos informaram que ele vivia sozinha e era uma pessoa tranqüila e tra- balhadora.

INICIATIVA

PRE VAI REALIZAR BLITZE PARA MINIMIZAR PROBLEMAS NAS PRINCIPAIS RODOVIAS DE MG

Acidentes em estradas de Minas matam sete

O final de semana come-

çou com tragédia nas estra- das mineiras. Sete pessoas morreram vítimas de aciden-

tes nos dois últimos dias. Na BR-381, quilômetro 742, no município de Três Corações, Sul de Minas, a 300 quilôme- tros de Belo Horizonte, três pessoas faleceram e duas crianças ficaram gravemente feridas. Na MG-674, Km 26, entre Ibiaí e o entroncamen-

to com a BR-365, a presença

de animais na pista provocou acidente grave na última sex- ta-feira, que resultou em três mortes. Para tentar minimizar os problemas nas rodovias neste final de sema- na de fim de

férias, a Polí- cia Rodoviária Estadual (PRE)

desenvolve

ações espe- ciais com blit- ze em todos os postos rodo- viários.

ro, de 6, e Tales Eduardo Souza Ribeiro, de 1, foram socorridas pelo Corpo de Bombeiros. Tales, foi arre- messado para fora do carro e teve traumatismo craniano. Ele foi operado e está inter- nado no CTI do Hospital São Sebastião, em Três Corações. Daiana sofreu fraturas e pas- sa bem. A tragédia foi às 7h, quando elas voltavam de São João del-Rei e iam para Var-

ginha, onde moram. O acidente na MG-674, Km 26, entre

Ibiaí e o en-

SABARÁ

Uma pessoa morreu e outras duas ficaram feridas no final da tarde de ontem, em um acidente em Sabará, na região metropolitana de Belo Horizonte. Os três passageiros estavam em um veículo que capotou na Avenida Expedicionário Romeu Gerônimo Dantas, na região central do município. Viaturas de resgate chegaram até o local poucos minutos após o acidente, mas já encontraram uma pessoa morta. Até o

fechamento desta edição, os nomes das vítimas não haviam sido

troncamento

com a BR-365

envolveu uma

ambulância,

modelo para-

ti, placa HMM

5827, da Pre- feitura de Ponto Chique,

a

metros de BH

um cami-

nhão, placa ABR 3023 de Montes Cla-

ros. Conforme

informações

da PRE, o mo-

torista da am-

bulância,

440 quilô-

e

A PRE tra-

balha com re- forço de 50 po- liciais até o próximo dia 7.

A expectativa é que as estra-

das mineiras recebam o do- bro de veículos antes da volta às aulas. Nesta época do ano

muitas pessoas viajam para aproveitar o recesso escolar e

o número de crianças envol-

vidas em acidentes aumenta. Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal

(PRF), o Gol placa GRI 517, conduzido pela comerciante Vera Lúcia de Souza, de 49 anos, saiu da pista, após uma curva, e bateu em uma pedra. A PRF ainda não sabe

a causa do acidente, mas não

descarta a possibilidade da motorista ter passado mal. Além de Vera, morreram no local a mãe dela, Maria de Ávila Souza, de 74, e Tatiana Aparecida Firmino, de 18, que era a babá. As crianças que estavam no carro, Daiana Souza Ribei-

Milton

Almeida,

28, atrope-

lou duas vacas e desgoverna- do, bateu de frente no cami- nhão. A motorista, a serven- te escolar Rosalina Ferreira dos Santos Ribeiro, de 48, e a auxiliar de saúde Juraci Al-

ves Pereira, de 49, morre- ram na hora. Na estrada de Ouro Bran- co, região central do Estado, outro acidente provocou feri- mentos graves em uma pes- soa na MG-192, próximo ao Km 72. Vicente Vítor Guima- rães, de 62 anos, perdeu o controle do Saveiro GWB

0746, que bateu em um bar- ranco e em seguida capotou. Ele foi encaminhado, em esta- do de coma ao Hospital Fun- dação Ouro Branco. Em Belo Horizonte, um caminhão car- regado de bebidas, perdeu o controle e tombou na entrada de um túnel na avenida Pedro II. Ninguém ficou ferido.

Adão

de

de

na avenida Pedro II. Ninguém ficou ferido. Adão de de EMMANUEL PINHEIRO SUSTO Apesar do estrago,

EMMANUEL PINHEIRO

SUSTO

Apesar do estrago, não houve feridos no acidente da Pedro II