Você está na página 1de 185
! ! A Casa do Concurseiro ! ! ! ! Direito!Constitucional ! Prof.!Otávio!Piva ! !
!
!
A Casa do Concurseiro !
!
!
!
Direito!Constitucional !
Prof.!Otávio!Piva !
!
!
2012
!
!
!
!
!
!
!
Apoio: !
!
!
!
!

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' OTÁVIO!PIVA ! ! Natural! de! Porto! Alegre,! RS,!é!

OTÁVIO!PIVA !

!
!

Natural! de! Porto! Alegre,! RS,!é! advogado!militante.!! Bacharel! em! Direito! pela! Universidade! do! Vale! do! Rio!dos!Sinos! ? ! UNISINOS,!em!1995.!Especialista!em! Educação! a! Distância.! ! Mestre! em! Ciências! Sociais! pela!PUC ? RS.!Doutorando!na!PUC ? RS. !

Professor!da!discipl ina!de!Direito!Constitucional!no !! Complexo!EAD ,! na!Escola!Superior! da!Magistratura! do!RS!(ES M! – ! AJURIS),!na!Escola!Superior!Faculdade! do!Ministério!Público!(FMP),!na!Fundação!Escola!da! Magistratura! do! Trabalho! do! RS! (FEMARGS),! na! Escola! Superior! de! Direito! Municipal! de! Porto! Alegre!!!(ESDM)!e!em!diversos!cursos!preparatórios! a!concursos!públicos! e!exame!de!ordem. !

É! autor! de! sete! livros! e! de! artigos! publicados.! !

Foi! agraciado! com! a! Cruz! do! Mérito! Cívico! e!

Cultural,!distinção!oficializada!pela!Portaria!nº!153,!

de!04!de!junho!de!1965,!do!Ministério!da!Educação!

e! Cultura! do! Brasil! ? ! MEC,! em! reconheci mento! ao! relevante! trabalho! realizado! em! defesa! dos! interesses!de!médicos!formados!no!exterior. !

Recebeu! reconhecimento! internacional,! sendo! condecorado!com!a!Cruz!da!Ordem!Internacional!do! Mérito! do! Descobridor! do! Brasil,! das! mãos! do! Embaixador! do! Brasil! e m! Portugal! ! e! do!Magnífico! Reitor! da! Universidade! de! Coimbra,! Portugal,! em! reconhecimento!aos!esforços!praticados!em!prol!do! ensino!jurídico!do!Direito!Constitucional!no!Brasil. !

Contato : ! veritas@cpovo.net ! !

 

Site!com! material!de!estudo:

www.pivaadvogados.adv.br

Facebook: ! http://www.facebook.com/pivaotavio !

!

Facebook: ! http://www.facebook.com/pivaotavio ! ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
Facebook: ! http://www.facebook.com/pivaotavio ! ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' ! NOTA!DO!AUTOR ! ! O! presente! material ! objetiva! servir! de

!

NOTA!DO!AUTOR !

!

O! presente! material ! objetiva! servir! de ! material! de!apoio! na! preparação ! de ! candidatos! que!se!preparam!aos!m ais!diversos!concursos!públicos ! do!país. !

Para! tanto, ! apresenta! os! principais! temas! objeto! de! concursos! públicos! de! forma! condensada ! e!esquematizada. !

Além! disso,! ao! finalizar! cada! capítulo,! são! oferecidas! questões! de! concursos! públicos! para! permitir! o! exercício! das! matérias! estudadas! e ,! ainda,! ! para! que! o! estudante! tenha! uma! visão!geral!de!como!esses!conteúdos!estão!sendo!objeto!e! qual! o!grau!de!exigência! em ! diversas! provas!de!todo!o!país. !

O!material!de!apoio ! está!estruturado!em! dezesseis ! capítulos:!! !

1 ! – ! Teoria!Geral!do!Direito!Constitucional

2 ! – ! Preâmbulo!e!Princípios!Fundamentais

3 ! – ! Direitos!e!Garantias! Fundamentais !

4 ! – ! Direitos!Sociais! !

5! ? ! Nacionalidade !

6

7! – ! Organização!do!Estado !

8! – ! Poder!Legislativo !

9! – ! Fiscalização!contábil!e!Tribunal!de!Contas!da!União !

10!

11! ? ! Poder!Judiciário !

– ! Direitos!Políticos !

– ! Poder!Ex ecutivo !

12

! – ! Processo!L egislativo ! Constitucional !

13

! – ! Controle!de!Constitucionalidade !

14

– ! Funções!Essenciais!à!Justiça !

15

! – ! Defesa!do!Estado!e!das!Instituições!Democráticas !

16

! – ! Eficácia!e!Aplicabilidade!da!Norma!Constitucional. !

A! ide ia,!portanto,!é! fornecer!aos!alunos !! uma!espécie!de!“livro ? texto”,!permitindo!não! ap enas!o!estudo! objetivo ! de!pontos ? c haves!que!constantemente!são!exigidos!nas!provas,!mas! também! subsídios! teóricos! para! melhor! aproveitamento! d as! aulas! da! disciplina! de! Direito! Constitucional. ! !

Finalmente,!cabe!o!agradecimento!especial!ao! Professor!Pedro!Kuhn ,!a!quem!coube!a! revisão!do!conteúdo!relativamente!aos!Direitos!Sociais.!

 

Prof.! Otávio!Piva !

  Prof.! Otávio!Piva ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
  Prof.! Otávio!Piva ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' Capítulo)1 ) Teoria)Geral)do)Direito)Constitucional) ) 1. 1!!

Capítulo)1 ) Teoria)Geral)do)Direito)Constitucional)

)

1. 1!! DIREITO! CONSTITUCIONAL.!NATUREZA.!CONCEITO.!OBJETO.!

!

O ! Direito! Constitucional! pertence! ao! ramo! do! Direito! Público ,! ! distinguindo ? se! dos! demais! ramos! do! Direito! Público! pela! natureza! específica! de! seu! objeto.! ! Para! Canotilho,! o" Direito" Constitucional" é" um" intertexto" aberto," ou" seja," deve" muito" a" experiências" constitucionais," nacionais"e"estrangeiras;" no" seu"espírito" transporta"ideias" de" filósofos," pensadores," políticos;" os" seus" mitos" pressupõem" as" profundidades" dos" arquétipos"enraizados"dos"povos. " O"Direito"Constitucional,"no"entanto,"não"se"dissolve"na" história,"é"um"direito"vigente"e"vivo"e"como"tal"deve"ser"ensinado" (CARVALHO,!2007) . ! !

!!!!!!!!Entende? se!que!o ! objeto! do!Direito!Constitucional! é!“ [ ]! estabelecer"a"estrutura"do" Estado,"a"organização"de"seus"órgãos,"o"modo"de"aquisição"do"poder"e"as"forma"de"seu" exercício,"limites"de"sua"atuação,"assegurar"os"direitos"e"garantias"dos"indivíduos,"fixar"o" regime" político" e" disciplinar" os" fins" sócioG econômicos" do" estado," bem" como" os" fundamentos"dos"di reitos"econômicos,"sociais"e"culturais"! (SILVA,!2008,!p.!43) . ! !!! !

2!! FONTES!DO!DIREITO!CONSTITUCIONAL!

. ! !!! ! 2!! FONTES!DO!DIREITO!CONSTITUCIONAL ! Constituição ; !

Constituição ; !

Leis,!decretos!e!regulamentos!de!conteúdo!constitucional ; !

Fontes imediatas

; ! Fontes imediatas c) C ostumes!e!as!convicções!sociais! vigentes ; ! d) J

c) C ostumes!e!as!convicções!sociais! vigentes ; !

d) J urisprudência; !

Fontes mediatas

e) D outrina; !

f) Princípios!gerais!de!direito . !

3! ELEMENTOS!DAS!CONSTITUIÇÕES!SEGUNDO!JOSÉ!AFONSO!DA!SILVA!! !

Elementos! orgânicos:! são! normas! reguladoras! da! est rutura! do! Estado! e! do! Poder! (Exemplo: ! Capítulo!IV,!Da!Organização!dos!Poderes). !

Elementos! limitativos:! impõe! l imites! aos! poderes! públicos! (Exemplo:! Título! II,! Dos! Direitos!e!Garantias!Fundamentais). !

Elementos!sócio\ ideológicos:! demonstram!a!ideologia!constitucional ! (Exemplo: ! Direitos! Sociais! dos!Trabalhadores). !

Elementos! de! estabilização! constitucional:! são! as! normas! d estinadas! à! defesa! do! Estado! e! à! manutenção! da! estabilidade! (Exemplo:! Intervenção! federal,! Estado! de! Defesa). ! Elementos! formais! de! aplicabilidade:! trazem! regras! d e! aplicação! da! Constituição! (Exemplo: ! art.!5. º,!§!1. º ,! ADCT).!

(Exemplo: ! art.!5. º,!§!1. º ,! ADCT). ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
(Exemplo: ! art.!5. º,!§!1. º ,! ADCT). ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' 1. 4! CONSTITUIÇÃO:! SENTIDO! SOCIOLÓGICO,! SENTIDO! POLÍTICO,!

1. 4! CONSTITUIÇÃO:! SENTIDO! SOCIOLÓGICO,! SENTIDO! POLÍTICO,! SENTIDO! JURÍDICO,! SENTIDO!CULTURALISTA. !

1.

4. 1! Sentido!sociológico! ! !

FERDINAND! LASSALLE! foi! o! representante! mais! expressivo! do! sociologismo! jurídico.! Para!ele,!a! Constituição!pode!representar!o!efetivo!pod er!social!ou!distanciar? se! dele:! na!primeira!hipótese,!!ela!é!legítima;!na!segunda,!ilegítima.!!

Segundo!a! tese! fundamental!de!Lassalle,!a!Constituição!de!um!país!expressa!as! relações!de!poder!nele!domi nantes:!o!poder!militar,!representado!pelas!forças!armadas;! o!poder!social,!representado!pelos!latifundiários;! o!poder!econômico,!representado!pela! indústria! e! pelo! grande! capital;! e,! finalmente,! o! poder! intelectual,! representado! pela! consciência!e! cultura! gerais.! !É!essa! conjugação! de! fatores! que! forma!a! “Constituição! real” ! de!um!país.! !

Assim,! a! “Constituição! escrita” ! não! passaria! de! uma! "folha! de! papel" ,! pois! a! capacidade! de! regular! e! motivar! estaria! limitada! à! sua! compatibilidade! com! a! “Constituição! real ”.! ! ! Portanto,! no! caso! de! colisão! entre! a! “Constituição! real”! e! a! “Constituição!jurídica”,!o!desfecho!seria!inevitável:!!prevaleceria!a!Constituição!real.!

1.

4.2! Sentido!político!

! que!denominou!de! decisão!política!fundamental ,!ou!seja,!decisão!concreta!de!conjunto! sobre!o!modo!e!a!forma!de!existência!da!unidade!política. !!

!! !

É!a! concepção!é! CARL!SCHMITT,! o! qual!entende! que,! Constituição,!!é! fruto! do!

Carl!Schmitt!!diferencia!!“Constituição”!das!“leis!constitucionais”.!!

Constituição! se! refere! à! decisão! política! fundamental! (estrutura! e! órgãos! do!

s!constitucionais,!por!sua!vez,! são!as!

demais! normas! inscritas! no! texto! da! Constituição,! mas! que! não! contém! matéria! de!

decisão!política!fundamental. !

Estado,!direitos!individuais,!vida!democrática

).!Lei

1.

4.3! Sentido!jurídico!

A! teoria! de! HANS! KELSEN! é! a! fonte! do! sentido! jurídico.! Segundo! o! jurista! austríaco,!para!se!buscar!o!fundamento!da!Constituição,!não!é!necessário!incursões!pela! sociologia!ou!pela!política.!Para!!ele,! portanto,!a!Constituição!é!a! norma"pura," pois!está! no!plano!no! dever G ser," e!nã o!no!mundo!do!“ser”,!que!seria!do!direito!natural. !

Kelsen!explora ! a!ideia!de!Constituição!por!meio ! de!dois!distintos!planos:! lógico\ jurídico!e!jurídico \ positivo:!

!

!

lógico \ jurídico!e!jurídico \ positivo :! ! ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
lógico \ jurídico!e!jurídico \ positivo :! ! ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' LÓGICO \ JURÍDICO ! JURÍDICO \ POSITIVO !

LÓGICO \ JURÍDICO !

JURÍDICO \ POSITIVO !

Norma!hipotética!fundamental! (suposta) !

Norma!posta!(positivada) !

Norma!que!serve!de!fundamento! hipotético!da!validade!da! Constituição!positivada. !

Norma!suprema,!fixa!no!mais!alto!patamar! hierárquico!do!sistema! jurídico !

1.

4.4!Sentido!culturalista !

! Esta! concepção! parte! do! pressuposto! de! que! todos! os! sentidos! até! agora! abordados! são! interdependentes! e,! por! isso,! o! entendimento! da! Constituição! está! dependente! de! uma! complexidade! de! fundamentos.! Essa! conjunção! leva! à! ideia! de!

Constituição!total ”,!ou!seja,!que!considera!todos!os!aspectos!econômicos,!sociológicos,! jurídicos!e!filosóficos ! (NOVELINO,!2009) . ! !

A! visão! culturalista,! então,! vê! a! Constituição! como! resultante! da! expressão! cultural! de! um! determinado! momento! histórico! e,! si multaneamente,! atua! ela! como! elemento!conformador!dessa!mesma!cultura. !

! 1.4.5!Konrad!Hesse:!a!força!normativa!da!Constituição! ! Para!
!
1.4.5!Konrad!Hesse:!a!força!normativa!da!Constituição!
!
Para! KONRAD!HESSE,!as!normas!jurídicas!e!a!realidade!devem!ser!consideradas!
em! seu! condicionamento! recíproco.! A! norma! constitucional! não! tem! existência!
autônoma!em!face!da! realidade,!e!a!C onstituição!não!configura!apenas!a!expressão!de!
um!ser,!mas!também!de!um!dever!ser.!Assim,!para!ser!aplicável,! a!C onstituição!deve!ser!
conexa!à! realidade!jurídica,! social,!política;!no!entanto,!ela!não!é!apenas!determinada!
pela!realidade!social,!mas!também!determinante!desta. !
!
!
1.
5!! CONCEITO!DE!CONSTITUIÇÃO!!
!

Constituição,! segundo! Alexandre! de!Moraes! (2008,! p.! 6),! é! a"lei" fundamental"e" suprema" de" um" Estado," que" contém" normas" referentes" à" estruturação" do" Estado," à" formação" dos" poderes" públicos," forma" de" governo" e" aquisição" do" poder" de" governar," distribuição"de"competências,"direitos," garantias"e"deveres"dos"cidadãos."Além"disso,"é"a" Constituição"que"individualiza"os"órgãos"competentes"para"a"edição"de"normas"jurídicas," legislativas"ou"administrativas."

"

!

!

!

!

!

" ! ! ! ! ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
" ! ! ! ! ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' ! ! 1. 6! CLASSIFICAÇÃO! DAS!CONSTITUIÇÕES! ! ! ! Escritas
! ! 1. 6! CLASSIFICAÇÃO! DAS!CONSTITUIÇÕES! ! ! ! Escritas (orgânicas, codificadas, sistematizadas): cujas
!
!
1.
6! CLASSIFICAÇÃO! DAS!CONSTITUIÇÕES!
!
!
!
Escritas (orgânicas, codificadas, sistematizadas): cujas regras se
!
contêm em documento solene, elaborado para fixar a organização
fundamental.
!
!
Não escritas (inorgânicas, não codificadas): não traz as normas
constitucionais em um único texto solene e codificado, mas por diversos
!
Quanto!à!forma!
textos separados (inclusive em sentido histórico), baseados nas tradições,
costumes, jurisprudência etc.
!
Legal:
seria a Constituição escrita e que se apresenta fragmentada em
!
textos esparsos. Isso se dá na medida em que o art. 5º, § 3º, da CF/88,
!
passou a aceitar que tratados de direitos humanos sejam equiparados às
!
emendas constitucionais.
!
!
!
!
Rígidas: são aquelas que só podem ser alteradas mediante
processo especial de reforma, normalmente, por meio de
!
quorum especial, diferenciado do exigido para as demais
!
normas.
!
Semirrígidas: algumas regras podem ser modificadas por
!
processo legislativo ordinário. Outras, somente por processo
!
legislativo especial.
!
Quanto!à!estabilidade !
Flexíveis: podem ser modificadas por processo legislativo
ordinário comum.
!
!
Super-rígidas: além de possuir um processo legislativo
diferenciado (emendas) para sua modificação, alguns assuntos
!
seriam imutáveis, por força das cláusulas pétreas (art. 60, §
!
4.º, CF/88).
!
Imutáveis:
seriam
inalteráveis,
pois
pretenderiam
ser
!
permanentes, eternas.
!
!
!
!
!
Material: é composta por princípios e regras que têm por objeto os
!
direitos fundamentais, a estrutura do Estado, a organização dos
!
Poderes, a distribuição de competências etc. Traz a organização
fundamental da sociedade e do Estado.
!
Quanto!ao!conteúdo!
Formal: é composta por normas estruturais de organização
fundamental da sociedade e do Estado e, além dessas, por outros
!
princípios e regras que não teriam essa natureza estruturante. Assim,
!
independentemente da matéria, todo o conteúdo que foi aprovado
!
por um processo diferenciado terá caráter constitucional.
!
!
!
diferenciado terá caráter constitucional. ! ! ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
diferenciado terá caráter constitucional. ! ! ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' ! ! ! ! Q uanto!ao!modo!! Quanto!à!origem ! ! Dogmáticas :
! ! ! ! Q uanto!ao!modo!!
!
!
!
!
Q
uanto!ao!modo!!

Quanto!à!origem ! !

Dogmáticas: são as que se apresentam como produto escrito e

sistematizado por um órgão constituinte, a partir de ideias

fundamentais da teoria política e do direito dominante.

Históricas: são constituições fruto da lenta e contínua síntese da

história e tradições de um determinado povo.

Promulgadas: são aquelas que derivam do trabalho de Assembléia

Nacional Constituinte, composta por representantes do povo, eleitos

para essa finalidade.

Cesaristas: são as referendadas pelo povo, sobre um projeto elaborado por um Imperador ou ditador.

Outorgadas: são as produzidas sem a participação popular, através

da imposição do poder.

Analíticas (dirigentes): examinam e regulamentam todos os

assuntos que entendem relevantes à formação, destinação e funcionamento do Estado.

Quanto!a!sua!extensão!! e!finalidade !! !

Sintéticas (garantias): preveem somente os princípios e as

normas gerais de regência do Estado, organizando-o e limitando

seu poder por meio de estipulação de direitos e garantias

fundamentais.

Normativas: são aquelas cujas normas dominam o processo

político, ou seja, em que o poder se adapta às normas

constitucionais e se lhes submete.

Nominais: são aquelas que não conseguem adaptar as suas normas à dinâmica do processo político, ficando sem realidade existencial. Em outras palavras: mesmo tendo a intenção de limitar o poder, não conseguem.

Semânticas: apenas formalizam a situação do poder político existente em benefício exclusivo dos detentores de fato desse

poder.

Quanto!à! ! correspondência! ! com!a!realidade ! ou!ontológica! (Karl!Loewenstein) !

com!a!realidade ! ou!ontológica ! (Karl!Loewenstein) ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
com!a!realidade ! ou!ontológica ! (Karl!Loewenstein) ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' ! ! 1.6 .1!Classificação!da!Constituição!Federal!de!1988! ! !
! ! 1.6 .1!Classificação!da!Constituição!Federal!de!1988! ! ! ! Escrita ! ou! ! Formal ! Dogmática !
!
!
1.6
.1!Classificação!da!Constituição!Federal!de!1988!
!
!
!
Escrita !
ou! !
Formal !
Dogmática !
Promulgada !
Analítica !
Legal !
Rígida !
ou !
Super \ rígida !
!
!
!
1.7
!! FUNDAMENTOS!DO!PODER!CONSTITUINTE!!
!
Poder! Constituinte! é! a!manifestação! soberana! da! suprema! vontade! política! de!
um!povo,!social!e!juridicamente!organizado ! (MORAES,!2008,!p.!26) . !
Assim,!a!titularidade!do ! Poder!Constituinte,!pela!moderna!doutrina,!pertence!ao!
povo,! pois! o! Poder! decorre! da! soberania! popular! (CF,! art.! 1. o ,! parágrafo! único).! A!
vontade!constituinte!é!a!vontade!do!povo,!expressa!por!meio!de!seus! representantes.!!
Existem,!assim,!duas!formas!bási cas!de!deflagração!do!processo!constituinte!originário:!
Assembléia!Nacional!Constituinte!e!Revolução!(outorga). !
!
!
1.7.1 Poder!Con stituinte!originário!e!derivado!
!
Poder! Constituinte! Originário! (de! primeiro! grau) :! é! aquele! que! estabelece! a!
Constituição! de! um!Estado,! organizando ? o!e! criando! os! poderes! destinados!a! reger! os!
interesses!da!comunidade.!São!características!do!Poder!Constituinte!Originário:!é! inicial!
e! anterior ,! juridicamente! ilimitado! e! incondicionado ,! autônomo! e! exclusivo,!
permanente!e!inalienável!(SARLET,!2012,!p.!91) . !
!
Adverte? se,!contudo,!que! a! ilimitação ! do!Poder!Constituinte!Originário!encontra?
se!somente!em!plano!jurídico ? formal .!! A!expressão!“incondicionado”,!portanto,!refere?
se! a! qualquer! tipo! de! limitação! imposta! pela! Constituição! anterior,! nada!mais! do! que!
isso.!
!
Poder! Constituinte! Derivado! (ou! instituído,! constituído,! reformador,! de!
segundo!grau):! é!aquele! que!está!inserido! dentro! da! própria! Constituição.! Permite!ao!
legislador! realizar! certas! modificações! no! texto! original! da! Constituição.! Possui! como!
características:!! derivado,!subordinado,!!condicionado.! É,!em!última!análise,! limitado.!!
Subdivide? se!em!dois:! !
!
!
!
!
!
!
limitado.!! Subdivide? se!em!dois:! ! ! ! ! ! ! ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
limitado.!! Subdivide? se!em!dois:! ! ! ! ! ! ! ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' ! ! ! ! ! ! ! Poder ! Constituinte !
! ! ! ! ! ! ! Poder ! Constituinte ! Derivado ! ! !
!
!
!
!
!
!
!
Poder
!
Constituinte
!
Derivado
!
!
!
!
!

Poder Constituinte derivado reformador: é a possibilidade de

alteração do texto constitucional, respeitando a regulamentação

especial prevista na própria Constituição. No Brasil, o poder reformador

dá-se através de emenda à constituição ou de revisão

constitucional;

Poder Constituinte derivado decorrente: é a possibilidade que os

Estados-Membros têm de se auto-organizarem por meio de suas

Constituições Estaduais, obedecidos, sempre, os limites impostos pela

Constituição Federal.

1.8

REFORMA!E!REVISÃO!CONSTITUCIONAL!

Segundo!Manoel!Gonçalves!Ferreira!Filho! (2001,!p.!284),! na! tradição!do!Direito!

Constitucional!brasileiro ,! não!há!qualquer!diferença!no!uso!das!duas!expressões.!!!

!

Adverte,! contudo,! utilizando!lições! de!Nélson! de!Souza!S ampaio! que,! quanto!à!! amplitude,!costuma? se!falar!em! reforma)total! e! reforma)parcial .!!!O!termo!“emenda”,! explica,! ! tem! maior! propriedade! nesta! última! hipótese,! mas! é! usado! também! em!

sentido!amplo

,!equivalente!à! revisão!ou!reforma,!como!fazem!os!escritores!ingleses!co m!

as!expressões!

amendment! e! revision!! em!referência!a!alterações!da!Constituição.!!!!!!

!

Nada! obstante,! é! importante! salientar! que! a! Constituição! Federal! de! 1988! incorporou!tratamento!diferenciado!às!duas!expressões:!

!

!

REVISÃO!CONSTITUCIONAL !

REFORMA!CONSTITUCIONAL !

Art.!3 . º,!ADCT. !

Art.!60 !

Votação!unicameral. !

Votação!bicameral! – ! art.!60,!§!2º. !

Aprovação!por!maioria!absoluta. !

Aprovação!por!3/5!do!total!de!membros!de!

cada!Casa! – ! art.!60,!§!2º. !

Não!pode!ser!reproduzido!por!Estado,!DF!e! Municípios. !

Norma!de! reprodução!obrigatória. !

Municípios. ! Norma!de! reprodução!obrigatória. ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
Municípios. ! Norma!de! reprodução!obrigatória. ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' 1.8.1 Possibilidade! de!alteração! da! Constituição!através!

1.8.1 Possibilidade! de!alteração! da! Constituição!através! de! interpretação:!mutação!

constitucional !

Mutação!constitucional!é! o! processo! informal! de!modificação!do!significado!da! Constituição! sem! que! haja! a! alteração! formal ! de! seu! texto ,! que! se! daria! por!meio! de! emenda!constitucional . !

Essa! possibilidade! pode! ocorrer! por! duas! razões ! (NOVELINO,! 2009,! p.! 148) :! a)! surgimento!de! novo!costume!! ou!b)!pela!via!interpretativa. !

A!Constituição!de!um!país!é!um!organismo!vivo!( living"Constitucion),! dinâmico!e!sujeito! a! mutações! e! uma! hermenêutica! que! acompanhe,! quanto! possível,! a! evolução! da! própria!sociedade. !

! Por!exemplo,!com! esse!fundamento,!ensina!Daniel!Sarmento ! (2001,!p.!122),! que! o!STF,!no!julgamento!do!Inquérito!687 ? SP! (Informativo!159),!entendeu!que!deveria!ser! revogada! a! Súmula! 394! (manutenção! da! prerrogativa! de! foro! por! função! após! a! cessação!do!mandato).! !

! Para! concursos,! outro! exemplo! importante! de! mutação! constitucional! teria! se! efetivado! em! relação! à! participação! do! Senado! Federal! no! co ntrole! DIFUSO! de! constitucionalidade,! prevista! no! art.! 52,! X,! da! Constituição! da! República! ( KUBLISCKAS,! 2009) . !

No ! julgamento!da!Recl amação!nº ! 4.335/ AC ! (Informativo!STF!nº!454! – ! pendente! de!julgamento!final)! os! Ministros!Gilmar!Ferreira!Mendes!e!Eros!Grau! entenderam! que! o!papel!do!Senado!no!controle!difuso! não!seria!mais!de!“suspender!a!execução!das!leis”,! mas! apenas ! dar! publicidade! às! decisões! finais! do! STF,! as! quais ,! mesmo! no! sistema! difuso,!! já!seriam,!por!si,! erga"omnes .!!!!

!

!

1.9 NEOCONSTITUCIONALISMO! (pós \ positivismo! ou! constitucionalismo! pós \

moderno)!

!

Neoconstitucionalismo!é!a ! corrente!de!pensamento ! que! busca! não!mais!atrelar!o! constitucionalismo!apenas!à!idéia! de!limitação! do! Poder! político,!mas,!acima! de! tudo,! buscar!a! real!eficácia!do!texto!constit ucional,!de!forma!a!que!este!deixe!de!possuir!um! caráter! meramente! retórico,! principalmente! no! que! diz! respeito! à! concreti zação! dos!

direitos! fundamentais:! “A" doutrina" pósG positivista" se"inspira" na" revalorização" da" razão" prática,"na"teoria"da"Justiça"e"na"legitimação"democrática .” " (BARROSO,!2009,!p.!249) . "

.” " (BARROSO,!2009,!p.!249) . " www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
.” " (BARROSO,!2009,!p.!249) . " www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' QUESTÕES!SOBRE!A!MATÉRIA ! ! 1) ! (Juiz!do!Trabalho! – ! 23 a

QUESTÕES!SOBRE!A!MATÉRIA !

!

1) ! (Juiz!do!Trabalho! – ! 23 a .!Região! – ! 2010)!Analise!as!proposições!abaixo!e!indique!a!resposta! correta: !

I! – ! No! sentido! sociológico,! a! Constituição,! segundo! a! conceituação! de! Ferdinand! Lassalle! é! a! somatória!dos!fatores!reais!de!poder!dentro!de!uma!sociedade,!e!no!sentido!político,!segundo! Carl! Schmitt,! é! a! decisão! política! fundamental,! fazendo! distinção! entr e! Constituição! e! leis! constitucionais. !

II! – ! Para! Hans! Kelsen! a! concepção! de! Constituição! tem! dois! sentidos:! lógico ? jurídico,! que! equivale!à!norma!positiva!suprema,!ou!seja,!conjunto!de!normas!que!regula!a!criação!de!outras! normas,!lei!nacional!no!seu!mais! alto!grau,!e!jurídico ? positivo,!que!significa!norma!fundamental! hipotética; !

III! – ! A!Constituição!dita!Cesarista!é!aquela!em!que!a!participação!popular!é!democrática!pois!visa!

ratificar!a!vontade!do!detentor!do!poder;

IV! – ! Os! elementos! da! Constituição! traze m! valores! distintos! caracterizando! a! natureza! polifacética! da! Constituição,!assim! pode ? se!afirmar! que! o! preâmbulo! da! Constituição! constitui! seu!elemento!formal!de!aplicabilidade. !

!

(A)

A!proposição!I!está!correta,!e!as!proposições!II,!III!e!IV!erradas; !

(B)

Todas!as! proposições!estão!erradas; !

(C)

As!proposições!II!e!IV!estão!corretas!e!as!proposições!I!e!III!estão!erradas; !

(D)

Todas!as!proposições!estão!corretas; !

(E)

As!proposições!I!e!IV!estão!corretas,!e!as!proposições!II!e!III!estão!erradas. !

2) (Defensor! Público! – ! SP! \ ! 2006)! O! termo! “Constituição”! comporta! uma! série! de! significados! e! sentidos. ! Assinale! a! alternativa! que! associa! corretamente! a! frase,! autor! e! sentido. !

(A)

Todas! as! Constituições! pretendem,! implícita! ou! explicitamente,! conformar! globalmente! o! político.!Há! uma!intenção! atuante!e! conformadora! do! direito! constitucional! que! vincula! o! legislador.!Jorge!Miranda.!Sentido!dirigente. !

(B)

Todos! os! países! possuem,! possuíram! sempre,!em! todos! os!momentos!as! sua! história! uma! constituição!real!e!efetiva.Carl!Schmitt.!Sentido!político. !

(C)

Con stituição! significa,! essencialmente,! decisão! política! fundamental,! ou! seja,! concreta! decisão! de! conjunto! sobre! o! modo! e! a! forma! de! existência! política.! Ferdinand! Lassale.! Sentido!Político. !

(D)

Constituição!é!a!norma!fundamental!hipotética!e!lei!nacional!no!seu ! mais!alto!grau!na!forma! de! documento! solene! e! que! somente! pode! ser! alterada! observando ? se! certas! prescrições! especiais.! Jean!Jacques!Rousseau.! Sentido!lógico ? jurídico. !

(E)

A!verdadeira!Constituição!de!um!país!somente!tem!por!base!os!fatores!reais!de!poder!que ! naquele!país!vigem!e!as!constituições!escritas!não!têm!valor!nem!são!duráveis!a!não!ser!que! exprimam!fielmente!os!fatores!reais!de!poder!que!imperam!na!realidade.!Ferdinand!Lassale.! Sentido!Sociológico. !

Sentido!Sociológico. ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
Sentido!Sociológico. ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' 3) ! (Procurador!do!Mun icípio!de!Sorocaba! – ! SP! – ! 2008)!!

3) ! (Procurador!do!Mun icípio!de!Sorocaba! – ! SP! – ! 2008)!! De!acordo!com!a!teoria!geral!do!direito! constitucional,!o!conceito!de!Constituição!pode!ser!concebido!em!diferentes!sentidos.!Aponte! a! alternativa! que! corresponde! aos! autores! clássicos! que! concebem! a! Constituição,! respectiv amente,!nos!sentidos!s ociológico,!político!e!jurídico. !

(A)!Hans!Kelsen,!Ferdinand!Lassalle!e!Norberto!Bobbio. !

(B)!Carl!Schmitt,!Konrad!Hesse!e!Ferdinand!Lassalle. !

(C)!Karl!Lowenstein,!Carl!Schmitt!e!Hans!kelsen. !

(D)!Ferdinand!Lassalle,!Carl!Schmitt!e!Hans! Kelsen. !

(E)!Norberto!Bobbio,!JJ.!Canotilho!e!Karl!Lowenstein. !

4 )! (Analista! MPU! – ! 2007)! Conforme! a! doutrina! dominante,! a! Constituição! da! República! Federativa!do!Brasil!de!1988!é!classificada!como! !

(A)

formal,!escrita,!outorgada!e!rígida. !

(B)

formal,!escrita,! promulgada!e!rígida. !

(C)

material,!escrita,!promulgada!e!imutável. !

(D)

f ormal,!escrita,!promulgada!e!flexível. !

(E)

Material,!escrita,!outorgada!e!semirrígida. !

5) (Analista! do! TRF! – ! 4ª! Região! – ! 2007)! ! A! Constituição! da! República! Federativa! do! Brasil! (1988),! pode! ser! clas sificada! quanto! ao! seu! conteúdo,! seu! modo! de! elaboração,! sua! origem,!sua!estabilidade!e!sua!extensão,!como! !

(A)

formal,!histórica!ou!costumeira,!promulgada, ! flexível!e!sintética. !

(B)

material,!dogmática,!outorgada,!rígida!e!sintética. !

(C)

formal,!dogmática,!promulgada ,!super ? rígida!e!analítica.

(D)

materi al,!pragmática,!outorgada,!semir rígida!e!sintética.

(E)

formal,!histórica!ou!costumeira,!outorgada,!flexível!e!analítica. !

6)! (MP/RN! – ! 2009)! A) Carta) outorgada) em) 10) de) novembro) de) 1937) é) exemplo) de) texto) constitucional) colocado)a)serviço)do)detentor)do)poder,)para)seu)uso)pessoal.)É)a)máscara)do) poder.) É) uma) Constituição) que) perde) normatividade,) salvo) nas) passagens) em) que) confere) atribuições)ao)titular)do)poder.) Numerosos)preceitos)da)Carta)de)1937)permaneceram)no)domíni o)do)puro)nominalismo,)sem) qualquer)aplicação)e)efetividade)no)mundo)das)normas)jurídicas.)

! Raul)Machado)Horta.)Direito) constitucional.) 2. a) ed.) Belo) Horizonte:) Del) Rey,) 1999,) p.) 54 V 5)
!
Raul)Machado)Horta.)Direito) constitucional.) 2. a) ed.)
Belo) Horizonte:) Del) Rey,) 1999,) p.) 54 V 5) (com)
adaptações). )
!
!
Considerando! a! classificação! ontológica! das! constituições,! assinale! a! opção! que!
apresenta!a!categoria!que!se!aplica!à!Constituição!de!1937,!conforme!a!descrição!acima. !
!
! ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
! ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' (A) constituição!semântica.! ! (B)

(A)

constituição!semântica.! !

(B)

constituição!dogmática. !

(C)

constituição!formal. !

(D)

constituição!outorgada.! !

(E)

constituição!ortodoxa. !

7)! (MP/DF! – ! 2005)! Considerando! que!a! função! normativa! da!autorização! significa! conferir!a! uma! pessoa! o! poder! de! estabelecer! e! aplicar! normas,! Kelsen! afirmava! que! uma! norma! do! Direito! autoriza! pessoas! determinadas! a! produzirem! normas! jurídicas! ou! a! aplicá \ l as.! Neste! caso,!diz \ se:!o!Direito!confere!a!pessoas!determinadas!um!poder!legal.!Já!que,!para!Kelsen,!o! Direito! regula! sua! própria! produção! e! aplicação,! a! função! normativa! da! autorização! desempenha,! particularmente,! um! importante! papel! no! direito.! Apenas! p essoas,! às! quais! o! ordenamento! jurídico! confere! este! poder! podem! produzir! ou! aplicar! normas! de! Direito.! A! respeito! do! conceito,! estrutura! e! função! da! Constituição,! segundo! Hans! Kelsen,! e! de! sua! configuração!na!Constituição!Brasileira!de!1988,!assinale!a!al ternativa! incorreta . !

 

(A)

A!Constituição!Brasileira!é!o!fundamento!de!validade!de!toda!a!ordem!jurídica!nacional. !

(B)

A! Constituição! confere! unidade! ao! ordenamento! jurídico,! tendo! em! vista! que! a! ordem! jurídica!não!é!um!sistema!de!normas!jurídicas!ordenadas!no!mesmo ! plano. !

(C)

A!ordem!jurídica!de!1988!é!uma!construção!escalonada!de!diferentes!camadas!ou!de!níveis!

 

de!normas!jurídicas. !

 

(D)

A!Constituição! de! 1988!e! o! novo!Código!Civil! são! o! ponto! comum!ao! qual! se! reconduzem! todas!as!normas!vigentes!no!âmbito!do!Estado!Brasileir o. !

(E)

A! ordem! constitucional! instituída! em! 1988! recebeu! normas! anteriores! à! sua! vigência! que! com!ela!fossem!compatíveis. !

8)!(Analista!do!MP! – ! CE! – ! 2009)!A!Constituição!brasileira!de!1824!previa,!em!seus!artigos!174!e! 178: !

“Art."174."Se"passados"quatro"anos, " depois"de"jurada"a"Constituição"do"Brasil,"se"conhecer,"que"algum"dos" seus" artigos" merece" reforma," se" fará" a" proposição" por" escrito," a" qual" deve" ter" origem" na" Câmara" dos" Deputados,"e"ser"apoiada"pela"terça"parte"deles.” " “Art."178."É"só"Constitucional"o"qu e"diz"respeito"aos"limites"e"atribuições"respectivas"dos"Poderes"Políticos"e" aos"Direitos"Políticos"e"individuais"dos"Cidadãos."Tudo"o"que"não"é"Constitucional"pode"ser"alterado"sem"as" formalidades"referidas,"pelas"Legislaturas"ordinárias.” "

!

Depreende \ se!d os!dispositivos!acima!transcritos!que!a!Constituição!brasileira!do!Império:!

(A)

Impunha! limites! temporais,! materiais! e! circunstanciais! ao! exercício! regular! do! poder! de! reforma!constitucional,!a!exemplo!do!que!se!tem!na!Constituição!vigente.!

(B)

Exigia! quorum" de! maioria! qualificada! para! propositura! de! emendas! à! Constituição! por! membros! do! Legislativo,! diferentemente! da! Constituição! vigente,! que! admite! iniciativa! isolada!de!parlamentares!para!proposta!de!emenda. !

(C)

Poderia!ser!classificada!como!sintética!e!histórica,! em!oposição!à!Constituição!vigente,!que!é! analítica!e!dogmática. !

analítica!e!dogmática. ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
analítica!e!dogmática. ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' (D) Era! do! tipo! semirrígida,! quanto! à! alterabilidade! de!

(D)

Era! do! tipo! semirrígida,! quanto! à! alterabilidade! de! suas! normas,! diferentemente! da! Constituição!vigente,!que,!sob!esse!aspecto,!é!rígida. !

(E)

Previa!hipótese!especial!de!revisão!constitucional, ! semelhante!àquela!contemplada!no!Ato! das! Disposições! Constitucionais! Transitórias! da! Constituição! vigente,! quanto! a! prazo! e! quorum!para!exercício!do!poder!de!revisão. !

9

)!(MP/MT! – ! 2008)!Segundo!a!doutrina,!as!constituições!podem!ser!classificadas!como !

(A)

dogmáticas,! quando! resultantes! de! longa! e! progressiva! formação! histórica,! fruto! da! evolução!das!tradições!e!costumes!sociais!e!culturais!de!um!povo. !

(B)

outorgadas,! quando! originárias! de! um! órgão! constituinte,! formado! por! representantes! do! povo. !

(C)

costumeiras,! q uando! elaboradas! por! um! órgão! constituinte,! sistematiza! as! idéias! políticas! ou!dogmas!fundamentais!do!momento. !

(D)

rígidas,!quando!somente!podem!ser!alteradas!por!um!processo!legislativo!mais!dificultoso!e! solene,!diferenciado!daquele!da!legislatura!ordinária. !

(E)

flexíveis,! quando! formadas! por! normas! que! estabelecem! a! estrutura! do! estado! e! normas!

que !

estabelecem!programas!governamentais!(programáticas). !

10)! (MP/SP! – ! 2010)!Quanto!ao!grau! de! sua!alterabilidade ! ou!mutabilidade,!as! Constituições! Federais!se!classificam!em: !

(A)

flexíveis,!rígidas,!semir rígidas!ou!semiflexíveis,!e!superrígidas.! !

(B)

promulgadas,!outorgadas,!cesaristas!e!pactuadas.! !

(C)

analíticas!e!sintéticas.! !

(D)

escritas!e!costumeiras. !

(E)

rígidas!e!superígidas !

GABARITO !

1 !

E

2 !

E

3 !

D

4 !

B

5 !

C

6 !

A

7 !

D

8 !

D

9 !

D

10

A

6 ! A 7 ! D 8 ! D 9 ! D 10 A www. acasadoconcurseiro.com.br
6 ! A 7 ! D 8 ! D 9 ! D 10 A www. acasadoconcurseiro.com.br

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' Capítulo)2 ) P r e âmbulo)e)Princípios)Fundamentais) 2. 1!!

Capítulo)2 )

P r e âmbulo)e)Princípios)Fundamentais)

2.

1!! PREÂMBULO!CONSTITUCIONAL!

Relativamente! à! força! jurídica! do! preâmbulo! constitucional,! o! Plenário! do! Supremo! Tribunal! Federal,! no! julgamento! da! ADI! 2.076/AC,! (Rel.! Min.! CARLOS! VELLOSO),! reconheceu!que!o! preâmbulo!da!Constituição! não! tem!valor!normativo,! apresentando\ se! desvestido! de! força! cogente. ! O! STF,! no! julgamento! plenário! em! questão,! entendeu!que:! !

! O! preâmbulo! é! parte! integrante! da! Constituição,! com! todas! as! suas! consequências.! Dela! não! se! distingue! nem! pela! origem,! nem! pelo ! sentido,! nem!pelo!instrumento!em!que!se!contém.!Distingue? se!(ou!pode!distinguir? se)! apenas!pela!sua!eficácia!ou!pelo!papel!que!desempenha.!!

! Os! preâmbulos!não!podem!assimilar? se!às!declarações!de!direitos.!!

! O! preâmbulo! não! pode! ser! invo cado! enquanto! tal,! isoladamente,! nem! cria! direitos!ou!deveres.!Não ! há!inconstitucionalidade!por!violação!do! preâmbulo! como! texto;! só! há! inconstitucionalidade! por! violação! dos! princípios! consignados!na!Constituição. !! !

Além! disso,! orienta! Ingo!W.! Sarlet! (2012,! p.! 67),! que! o! STF,! em! julgamento! de! 2009! (HC!94.163),!entendeu!que!no!âmbito!de!interpretação!e!aplicação!do!direito,! os! valores! e! objetivos! consignados! no! preâmbulo! da! Constituição! podem! ser! invocados!como! reforço! argumentativo,!de!forma!a!j ustificar!uma!decisão ,! desde!que! em!conjunção ! com!demais!preceitos!normativos!do!texto!principal!da!Constituição. !

2.

2!! PRINCÍPIOS!FUNDAMENTAIS!

Na! doutrina! brasileira! (BASTOS,! 2001),! os! Princípios! Fundamentais! são! aqueles! que! guardam! os! valores! da! ordem! jurídica ,! não! objetivando! regular! situações! específicas,! mas! para! servir! como! critério! de! interpretação! das! normas! constitucionais!para!o!legislador,!para!o!juiz!e! para ! os!próprios!cidadãos. ! Objetivam!

(BULOS,!2007,!p.!384):!

! garantir!a!unidade!da!Constituição;!

! orientar! a! ação! do! intérprete,! balizando! a! tomada! de! deci sões,! tanto! de! particulares!quanto ! dos!Legislativo,!Executivo!e!Judiciário;!

! preservar!o!Estado!democrático!de!direito. !

! preservar!o!Estado!democrático!de!direito. ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
! preservar!o!Estado!democrático!de!direito. ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' 2. 2.1! Fundamentos!da!República!Federativa!do!Brasil! (Art.!1.

2.

2.1! Fundamentos!da!República!Federativa!do!Brasil!(Art.!1. º )! !

I! \ ! SOBERANIA!

Na!acep ção!de!Marcelo!Caetano ! (1987,!p.!169),! ! trata? se!de!um!poder!político! supremo,!ou!seja,!aquele!que!não!é!limitado!por!nenhum!outro!na!ordem!interna!e! nas! relações! internacionais.! ! Consiste! no! fato! de! não! acatar! regras! que! não! sejam! vol untariamente!aceitas!e!em!igualdade!com!os!poderes!supremos!dos!outros!povos. !

!

II! \ ! CIDADANIA!

! Não!é!incomum!o!conceito!de! cidadania! como!sendo! a!condição! d o!brasileiro! nato! ou! naturalizado! de! utilizar! seus! direitos! junto! ao! poder! público! estatal,! tais! como:!ser!eleitor!ou!candidato,! ter!acesso!a!cargos!públicos!etc . ! (art.!14!da!CF/88).! Enfim,!cidadão!seria!o!resultado!do!somatório:! brasileiro!+!direitos!políticos. !

Nada! obstante,! não! parece! ser! essa! a! melhor! interpretação,! mesmo! para! quem!se!prepara!para! concursos!públicos,!especialmente!face!à!inserção!do!conceito! de!cidadão!no!rol!do!art.!1. º!da!Constituição!Federal.!!Na!medida!em!que!é!um!dos! “Princípios!Fundamentais”,!restringir!CIDADANIA!ao!fato!puro!e!simples!do!exercício! dos!Direitos!Políticos!por! brasileiros,! é! reduzir!muito!o!caráter!de!vetor!interpretativo! que! deve!ser!emprestado!a!esse!referencial!constitucional.!

Por! essa! razão,! a! doutrina! brasileira! t em! conferido! interpretação! mais! abrangente,!concluindo!que,! cidadania!seria!o! “direito!de!ter!d ireitos” ,! ligada! à!idéia! de! dignidade! da! pessoa! humana! (ARAÚJO,! 2004,! p.! 79;!NOVELINO,! 2009,! p.! 503;! ) .! Com! essa! visão,! não! apenas! os! brasileiros! estariam! alcançados,! mas! também! os ! estrangeiros ! aqui! residentes,! pois!a! cidadania!advém! da! qualidade! do! ser! humano,! que!o!faz!merecedor!da!tutela!do!Estado! (NASCIMENTO,!1997,!p.!169) . ! !

! III! \ ! DIGNIDADE!DA!PESSOA!HUMANA! Segundo! o! Supremo! Tribunal! Federal ! (HC! 85.988 ? MC)
!
III! \ ! DIGNIDADE!DA!PESSOA!HUMANA!
Segundo! o! Supremo! Tribunal! Federal ! (HC! 85.988 ? MC) ,! o! postulado! da!
dignidade! da! pessoa! humana,! que! representa! significativo! vetor! interpretativo,!
verdadeiro! valor? fonte! que! conforma! e! inspira! todo! o! ordenamento! constitucional!
vigente!no ! País!e!que! traduz,!de!modo!expressivo,!um!dos! fundamen tos!em!que!se!
assenta,! entre! os! brasileiros ,! a! ordem! republicana! e! democrática! consagrada! pelo!
sistema!de!direi to!constitucional!positivo. !
!
!
!
!
!
to!constitucional!positivo. ! ! ! ! ! ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
to!constitucional!positivo. ! ! ! ! ! ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' IV! \ ! VALORES!SOCIAIS!DO!TRABALHO!E!DA!LIVRE!INICIATIVA!

IV!\ ! VALORES!SOCIAIS!DO!TRABALHO!E!DA!LIVRE!INICIATIVA!

Os!valores!sociais!do!trabalho!defluem!diretamente!da!dignidade!da!pessoa! humana.!! ! Conjugados!em!um!único!inciso,!demonstrou!o!constituinte! de!1998!a! intenção!de!relacioná? los!para!de!que!haja!harmonia!e!cooperação!entre!a!mão!de! obra!e!os!detentores!do!capital ! ( CHIMENTI,!2005) . !

A! livre! iniciativa,! portanto,! está! ligada! diretamente! ao! regime! capitalista! de! mercado,! sobre! o! qual! repousa! a! ordem! econômica! e! social! para! a! consecução! do! desenvolvimento! nacional! e! para! a! construção! de! uma! sociedade! livre,! justa! e! solidária ! (CRETELLA!JÚNIOR,!1998) . !

Importante,! contudo,! que! a! intervenção! do! Estado! no! domínio! econômico,! sob!a!forma!de!fiscalização,! in centivo!e!planejamento,!antes!de!vedada,!é!prevista!no! art.! 174! da! Constituição! da! República.! !O! próprio!STF ! (ADI! 2163) ! se! pronunciou! no! sentido!de!que,! para!que!sejam!realizados!os!fundamentos!do!art.!1 . º!e!os!fins!do!art.! 3. º!da!CF,! é!necessário!que!o! Estado!atue!sobre!o!domínio!econômico,!sendo!essa! intervenção!não!só!adequada,!mas!indispensável!à!consolidação!e!preservação!do! sistema!capitalista!de!mercado. !

V! \ ! PLURALISMO!POLÍTICO !

O! pluralismo! político,! instituído! como! fundamento! Estado! democrático! d e! direito,! não!está!restrito!à!questão!do!pluralismo!político\ partidário. !

Na ! doutrina ! (ROZICKI,!2005) ,! pluralismo!político! liga ? se! a o!reconhecimento!de! que!a!sociedade!é!multidiversificada,!composta!pela!pluralidade!de!vários!centros!de! poder!em!diferentes! setores:! “[ ]" As"diversas"comunidades"de"pessoas"com"idênticos" interesses"que" se"constituem,"pretendendo" facilitar"a"participação"de" seus"membros" no"acompanhamento"e"deliberação"relativa"a"toda"a"ação"estatal,"conferindo"a" esta," ou" não," legitimidade," naturalmente," no" ambiente" democrático," assumem" a" representação" de" interesses" determinados," específicos" e" delimitados" através" de" sua" organização"em"distintas"associações."[ ]”. "

Para! Gilmar! Ferreira! Mendes! (2010,! p.! 220),! o! pri ncípio! fundamental! do! pluralismo!político!assume!função!de!um! direito!fundamental!à!diferença,! inerente!à! própria!dignidade!da!pessoa!humana,!compreendendo:!

! inicialmente,"tolera G se"aquilo"que"se"desaprova"as"não"se"pode"impedir; "

! a" seguir," tenta G se" compreen der" as" convicções" contrárias" às" nossas," mas" sem" aderir"a"elas; "

! finalmente,"reconhece G se"o"direito"ao"erro,"ou"seja,"o"direito"de"todo"indivíduo"de" acreditar" no" que" bem" entender" e" de" levar" a" vida" como" lhe" convier," com" a" só" condição" de" que" as" suas"escolhas" p essoais" não" causem" prejuízo" a" outrem," nem" impeçam"o"exercício"de"igual"direito"pelos"demais"integrantes"do"grupo."

www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' 2. 2.2! Separação!dos!Poderes! (Art.!2. º) ! Constitucionalmente!

2. 2.2! Separação!dos!Poderes!(Art.!2. º)!

Constitucionalmente! analisado,! PODER! é! o! princípio! unificador! da! ordem! jurídica.!Significa!dizer!que!sem!Poder!o!Estado!não!se!organiza!e,!por!isso,!não!há,! nem! pode! haver,! Estado! sem! Poder.! ! Segundo! Cretella! Júnior! (1998),! o! Poder ,! no! início ,! seria!uno.!Aos!poucos,!contudo,!foi!partilhado,!sendo!seu!exercício!distribuído! entre! vários! tipos! de! órgãos,! cada! um! com! sua! competência! graduada.! Assim,! a! separação! dos! Poderes! pressupõe! a! tripartição! das! funções! do! Estado,! ou! seja,! a! distinção!das!funções!“legislativa”,!“executiva”!e!“judiciária”.!!

Nesse! sentido,! explica,! cada! Poder! tem! o! exercício! de! funções! que! lhe! são! próprias! – ! funções!orgânicas!ou!formais! – ! além!de!outras!funções! – ! funções!materiais! – ! normalmente,! e! por! excelência,! exercidas! pelos! outros! dois! Poderes.! Trata? se,! enfim,!da!tradicional!distinção!de!funções!TÍPICAS!e!ATÍPICAS!de!cada!Poder.!!

A!divisão!do!Poder,!assim,!consiste!em! repartir!o! exercício ! do!Poder!Político! entre!vários!órgãos!diferentes!e!i ndependentes,!por!diversos!critérios,!de!modo!que! nenhum! órgão! possa! agir! livremente! sem! ser! freado! por! outro,! impedindo,! dessa! forma,!o!arbítrio!antidemocrático. !

2.2.3!!Objetivos!Fundamentais!do!Brasil! (Art.!3. º)!

Diversamente!dos!“fundamentos”! (art.!1. º),!os!objetivos!lançados!no!art.!3 . º! da! Constituição! Federal! afiguram? se! normas! de! natureza! programática! (SOUZA,! 2006) ,! fornecendo!ao!governante! vetores!da!realização!de!suas!políticas!públicas. !

São! destinatários,! assim,! dos! comandos G valores ! previstos! no ! art.! 3. º! da! Constituição!Federal,! não! diretamente! os! brasileiros!e!estrangeiros!aqui! residentes,! mas! especialmente! os! Poderes! Legislativo! e! Executivo,! a! quem! cabe,! respectivamente,! a! inovação! da! ordem! jurídica! e! a! execução! das! políticas! governamentais. !

2.

2.4 ! Princípios!do!Brasil!em!suas!Relações!Internacionais!(Art.!4. º)!

! O! art.! 4. º! da! Constituição! da! República! traça! quais! são! os! princípios! que! o! Brasil! propugna! em! suas! relações! internacionais.! " Por! relações! internacionais ! ( SEITENFUS,! 2004), ! define? se! o! conjunto! de! contratos! que! se! estabelecem! através! das! fronteiras! nacionais! entre! grupos! socialmente! organizados.! Portanto,! são! internacionais! todos! os! fenômenos! que! transcendem! as! fronteiras! de! um! Estado,! fazendo!que!os!sujeitos,!privados!ou!pú blicos,!individuais!ou!coletivos,!relacionem? se! entre!si. !

! A! constitucionalização! de! princípios! tradicionais! do! Direito! visa,! sobretudo,! permitir,!com!relação!aos!atos!decorrentes!da!política!externa!nacional,!a! fiscalização! e!o!controle! através!de!órgãos! constitucionalmente!competentes.!!

através!de!órgãos! constitucionalmente!competentes.!! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
através!de!órgãos! constitucionalmente!competentes.!! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' Em!síntese,!o!art.!4.

Em!síntese,!o!art.!4. º!da!CF/88!possibilita!o!controle!(político)!da!ação!Estatal! por!parte!do!Poder!Legislativo!que!pode,!como!exemplo,!negar!aprovação!a!Tratado! internacional!celebrado!pelo!Presidente!da!República!e,!ainda,!o!controle!repressivo! pelo! Poder! Judiciário! que! poderá,! balizado! por! tais! princípios,! censurar! qualquer! desvio!porventura!ocorrido!ness a!seara. ! !

2.

2.4.1!!Asilo!Político!

! O!instituto!do ! Asilo!Político!é!regulado!pela!Lei!6.815/80!(art.!28),!o!“Estatuto ! de! Estrangeiro”,! segundo! o! qual! o! estrangeiro! admitido! no! território! nacional! na! condição!de!asilado!político!ficará!sujeito,!além!dos!deveres!que!lhe!forem!impostos! pelo!Direito!Internacional,!a!cumprir!as!disposições!da!legislação!vigente!e!as!que!o! Gov erno!brasileiro!lhe!fixar. !

!

Não!deve! ser!confundida,!contudo,!a!condição!de!ASILADO!POLÍTICO,!com!a! de!REFUGIADO.!D iferenças:!

!

!

ASILO!POLÍTICO !

Lei!6.815/80 !

Constitui!exercício!de!um!ato!soberano!do! Estado,!sendo!decisão!política! cujo! cumprimento!não!se!sujeita!a!nenhum! organismo!internacional. !

O!asilo , ! normalmente , ! é!utilizado!em!casos!de! perseguição!política!individualizada. !

Visa!à!proteção!frente!à ! perseguição!atual!e ! efetiva. !

O!asilo!pode!ser!solicitado!no!próprio!país!de! origem!do!indivíduo!perseguido. !

origem!do!indivíduo!perseguido. ! Não!veda!extradição ! (STF, ! Ext.!524) . ! REFUGIADO !

Não!veda!extradição ! (STF, ! Ext.!524) . !

REFUGIADO !

Lei!9.474/97 !

Trata ? se!de!instituição!convencional!de!caráter! universal,!aplicando ? se ! de!maneira!apolítica,! visando!à ! proteção!de!pessoas!com!fundado! temor!de!perseguição. !

Tem!sido!aplicado!a!casos!em!que!a! necessidade!de!proteção!atinge!a!um!número! elevado!de!pessoas,!onde!a!perseguição!tem! aspecto!mais!generalizado. !

É!suficiente!o!fundado!temor!de!perseguição. !

O!refúgio,!por!sua!vez,!somente!é!admitido! quando!o!indivíduo!está!fora!de!seu!país!de! origem. !

Veda!a!extradição!do!refugiado!(art.!33!da!Lei!

9.474/97). !

!

!

!

!

!

!

9.474/97). ! ! ! ! ! ! ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
9.474/97). ! ! ! ! ! ! ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' 2. 2.4.2!!MERCOSUL! !!!!!!!!

2. 2.4.2!!MERCOSUL!

!!!!!!!!Nas!palavras!da!Comissão!do!MERCOSUL!da!Assembléia!Legislativa!do!Estado!do! Rio!Grande!do!Sul,!o!Mercado!Comum!do!Sul!constitui!! "uma" etapa" importante"nos" esforços" de" integração" econômica" da" América" Latina" e" tem" seu" marco" básico" no" Tratado" de"Assunção," firmado"em" 26" de"março" de" 1991," na" Capital" Paraguaia" [ ]” " (Cartilha!do!Mercosul! – ! ALRGS). "

!!!!!!!!!Foi! fixada,! então,! a! data! de! 31! de! dezemb ro! de! 1994! para! que! os! países! signatários! decidissem! a! estrutura! institucional! definitiva! do! MERCOSUL,! as! respectivas!atribuições!e!as!formas!de!deliberação.!Com!o!Protocolo!de!Ouro!Preto,! em! 1994,! o! MERCOSUL! adquiriu! personalidade! jurídica! internacional.! Essa! foi! a! grande!inovação. !

!!!!!!!!!Sendo! assim,! respeitando! divergências! doutrinárias! muitas,! ainda! se! está ! progredindo! em! direção! a! um! "mercado! comum".! Diversas! etapas! de! cooperação! econômica! e! de! integração! econômica! são! necessárias,! preparando! os! Esta dos! signatários!à!realidade!de!um!verdadeiro!mercado!comum. !

!!!!!!!!Importantes! ! observações! de! BASSO! (1997,! p.! 20),! ! segundo!a! qual! "Quando" o" Tratado"de"Assunção" faz" referência"expressa"à"intenção"dos" signatários"de"criar"um" ‘mercado"comum’,""deixa"cla ro" que"os"Estados,"mais"do"que"‘cooperação’"econômica," buscam"a"‘integração ’."Isto"é,""a"livre"circulação"de"pessoas,"bens,"serviços"e"capitais" (arts."1. º " e"5. º " do"Tratado"de"Assunção)."""

!!!!!!!!!Note? se!que,!estando!em!marcha!a!integração!do!mercado!comum!d o!sul,!deve ?

s e! considerá? la!como!uma!idéia!pendente!de!ser!viabilizada!em!termos!práticos.!!

!!!!!!!!!Finalmente,! cumpre!esclarecer! que! o!STF ! ( CR! 8.279? AgR) ! já! teve! oportunidade! de!se!manifestar!no!sentido!de!que,! mesmo!cuidando \ se!de!tratados!de!integração,! ainda!subsistem!os!clássicos!mecanismos!institucionais!de!recepção!das!convenções! internacionais!em!geral,!não!bastando,!para!afastá? los,!a!existência!da!norma!inscrita! no! art.! 4. º,! parágrafo! único,! da! Constituição! da! República,! que! possui! conteúdo! meram ente! programático ! e! cujo! sentido! não! torna! dispensável! a! atuação! dos! instrumentos!constitucionais!de! transposição,!para!a!ordem!jurídica!doméstica,!dos! acordos,!protocolos!e!convenções!celebrados!pelo!Brasil!no!âmbito!do!Mercosul. !

!

! ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
! ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' QUESTÕES!SOBRE!A! MATÉRIA ! ! 1) ! (Defensor!Público! – ! SP!

QUESTÕES!SOBRE!A! MATÉRIA !

!

1) ! (Defensor!Público! – ! SP! – ! 2009) ! Assinale!a!afirmativa!correta. !

(A)

Nosso!federalismo!prevê!a!atuação!do!poder!constituinte!derivado!decorrente,!por!meio! de!instituições!que!correspondam!à!idéia ! centralizadora!de!afirmação!do!estado!que!atua! em!bloco!único. !

(B)

A! teoria! da! ‘tripartição! de! poderes’! confirma! o! princípio! da! indelegabilidade! de! atribuições,! por! isso! qualquer! exceção,! mesmo! advinda! do! poder! constitucional! originário,!deve!ser!considerada! inconstitucional. !

(C)

O! princípio! do! pluralismo! político! refere ? se!à! ideologia! unitária! da! preferência! político ? partidária,!já!que!nesse!terreno!é!imperativa!a!aplicação!da!reserva!da!constituição.!

(D)

Nas! relações! internacionais! aplica ? se! o! princípio! constitucion al! da! intervenção,! com! repúdio!ao!terrorismo!e!defesa!da!paz,!além!da!solução!pacífica!dos!conflitos.!

(E)

O! princípio! republicano,! que! traduz! a! maneira! como! se! dá! a! instituição! do! poder! na! sociedade! e! a! relação! entre! governantes! e! governados,! mantém ? se! na! orde m! constitucional,!mas!hoje!não!mais!protegido!formalmente!contra!emenda!constitucional. !

2)! (MP/CE! – ! 2011)! A! invocação! à! proteção! de! Deus,! constante! do! Preâmbulo! da! Constituição!da!República!vigente , !

(A)

é!inconstitucional.! !

(B)

é!ilícita.! !

(C)

não!tem!força!normativa . !

(D)

não!foi!recepcionada!pelo!texto!constitucional. !

(E)

é!expressão!de!reprodução!obrigatória!nas!Constituições!estaduais. !

3)!! Assinale!a!alternativa!correta!(AFTN! \ ! 96): !

(A)

Entre! os! princípios! fundamentais! da! ordem! constitucional,! no! que! respeita! às! relações! internacionais,!não!se!encontra!a!concessão!de!asilo!político. !

(B)

O! texto! constitucional! reconhece! expressamente! a! possibilidade! de! transferência! de! parcela!de!soberania!a!entes!supranacionais. !

(C)

A!igualdade!entre! os!Estados!é! princípio! fundamental! da! República ! Federativa!em! suas! relações!internacionais. !

(D)

O! direito! editado! por! autoridades! supranacionais! integra! a! ordem! jurídica! brasileira! independentemente!de!qualquer!processo!de!recepção!ou!de!transformação. !

(E)

Os! princípios! gerais! de! direito! internacional! público! tem! preeminência! em! relação! ao! direito!positivo!ordinário!no!sistema!constitucional!brasileiro.!

www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' 4)! (Juiz! Federal! \ ! 4 a .! Região) ! Considerar!

4)! (Juiz! Federal! \ ! 4 a .! Região) ! Considerar! as! seguintes! afirmações! indicando,! adiante,! a! alternativa!correta: !

I! ? ! Nas! suas! relações! internacionais,! a! República! Federativa! do! Brasil! rege ? se,!entre! outros,! pelo! princípio! da! prevalência! dos! direitos! humanos!e! da!igualdade!entre! os!Estados,! sendo! objetivo!explicitamente!previsto!na!Constituição!o!da! formação!de!uma!comunidade!latino ? americana!de!nações. !

II! ? ! Constituem!valor!e!objetivo!expressamente! referidos!na!Constituição!o!estabelecimento! de!uma!“sociedade!fraterna”!e!a!construção!de!“uma!sociedade!solidária”.!

III! ? ! Constitui! valor,! objetivo! ou! fundamento! expressamente! referidos! no! preâmbulo! e! nos! princí pios!fundamentais!da!Constituição,!a!erradicação!do!!“sectarismo!ideológico”,!a!!“busca! do!pleno!emprego”!!e!a!!“solução!pacífica!dos!conflitos”!. !

(A) As ! três!afirmações!estão!inteiramente!corretas; !

(B)

Apenas ! as!afirmações!I!e!II!estão!inteiramente!corretas; !

(C)

Apen as ! a!afirmação!II!está!inteiramente!correta; !

(D)

Apenas ! a!afirmação!I!está!inteiramente!correta. !

5)! (MPU! – ! 2004) ! Sobre! os! princípios! fundamentais,! na! Constituição! de! 1988,! marque! a! única!opção!correta: !

(A)

Em!razão!do!princípio!republicano,!adotado!na!Constituiçã o!de!1988,!os!Estados!podem! instituir!seus!impostos!e!aplicar!suas!rendas. !

(B)

Como! decorrência! da! adoção! do! princípio! do! Estado! Democrático! de! Direito,! temos! o! princípio! da! independência! do! juiz,! cujo! conteúdo! relaciona ? se,! entre! outros! aspectos,! com!a!previs ão!constitucional!de!garantias!relativas!ao!exercício!da!magistratura. !

(C)

A!adoção!do!princípio!da!separação!dos!poderes,!na!Constituição!brasileira,!impõe!uma! independência! absoluta! entre! os! Poderes,! impedindo! que! haja! qualquer! tipo! de! interferência!de!um! Poder!sobre!o!outro. !

(D)

Em!decorrência!do!princípio!federativo,!há,!na!Constituição!brasileira,!a!previsão!de!que! os!Estados!possuirão!constituições!e!os!municípios,!leis!orgânicas,!por!força!de!expressa! disposição! constitucional,! após! dois! turnos! de! votação,! respectivamente,! nas! Assembléias!Legislativas!e!nas!Câmaras!municipais. !

(E)

A! concessão! de! asilo! político,! um! dos! princípios! que! rege! o! Brasil! em! suas! relações! internacionais,! tem!sua!aplicação! restringida,!nos! termos!da!Constituição,!por!questões!

d

e! ideologia!e!de!independência!nacional !

6) (AFRF! – ! 2002) ! Assinale!a!opção!correta. !

(A)

A! República! Federativa! do! Brasil! é! formada! pela! união! dos! Estados! e! Municípios! e! do! Distrito!Federal,!que!devem!ser!considerados!entidades!soberanas. !

(B)

O! desenvolvimento! nacional! é! objetivo! fundamental! da! República! Federativa! do! Brasil,! devendo! sempre! preponderar! sobre! medidas! que! tenham! por! objetivo! a! redução! das! desigualdades!regionais!brasileiras. !

(C)

O!princípio!da!independência!entre!os!Poderes!não!impede!que,!por!vezes,!o!membro! de! um!Poder!escolha!os!integrantes!de!outro!Poder. !

de! um!Poder!escolha!os!integrantes!de!outro!Poder. ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
de! um!Poder!escolha!os!integrantes!de!outro!Poder. ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' (D)

(D)

Como!o!Brasil!se!rege,!nas!relações!internacionais,!pelo!princípio!da!não ? intervenção,!é! contrária!à!Constituição!a!participação!brasileira!em!qualquer!missão!militar!promovida! pela!Organização!das!Nações! Unidas!(ONU). !

(E)

Um!Estado ? membro!da!Federação!brasileira!pode ? se!desligar!da!União!Federal!(direito!de! secessão),! invocando! o! princípio! da! autodeterminação! dos! povos,! inscrito! na! Constituição!Federal. !

7)! (Téc.!Rec.!Fed.! \ ! 2002) ! Assinale!a!alternativa! correta. !

(A)

Na! Federação! brasileira,! os! Estados ? membros! dispõem! do! direito! de! secessão,! como! expressão!do!princípio!da!autodeterminação!dos!povos. !

(B)

A!Constituição!Federal,!ao!proclamar!o!princípio!da!separação!de!Poderes,!cria!obstáculo! absoluto!a!que!um!poder ! fiscalize!o!outro. !

(C)

Lei! que! viesse! a! instituir! o! regime! de! partido! político! único! entre! nós! feriria! princípio!! fundamental!da!República!Federativa!do!Brasil. !

(D)

A!Constituição!Federal!em!vigor!é!toda!ela!voltada!para!a!defesa!de!valores!sociais!e!da! cidadania,! por! isso! mesmo,! os! valores! da! livre! iniciativa! não! são! arrolados! como! princípios!fundamentais!da!República!Federativa!do!Brasil.!

(E)

Embora!diga!que! todo!poder!emana!do!povo,!a!Constituição!estabelece!que!o!poder!é! exercido! pelos! representantes! do! p ovo,! não! admitindo! hipótese! de! exercício! do! poder! diretamente!pelo!povo. !

8)! ( MP/GO! – ! 2009)! O! preâmbulo! é! o! pórtico! da! Constituição! e! revela! a! síntese! do! pensamento!do!legislador!constituinte.! Acerca!de!sua!natureza!jurídica,!marque!a!resposta! correta: !

(A)

Par a! o! STF! o! preâmbulo! constitucional! deve! ser! contado! como! norma! constitucional,! integrando!o!articulado!constitucional,!possuindo!eficácia!jurídica!plena. !

(B)

Preâmbulo!na!CF/88!é!dotado!de!força!normativa!cogente,!fazendo!parte!da!declaração!

de!direitos!e,!por ! isso,!tomado!como!cláusula!pétrea. !

(C)

Preâmbulo,!por!expressa!disposição!constitucional,!tem!como!finalidade!a!resolução!das! chamadas!lacunas!ocultas,!que!são!aquelas!decorrentes!de!erro!do!Poder!Constituinte!ou! de!desatualização!da!Constituição. !

(D)

Para!o!STF! o!preâmbulo!constitucional!situa ? se!no!domínio!da!política!e!reflete!a!posição! ideológica! do! constituinte.! Logo,! não! contém! relevância! jurídica,! não! tem! força! normativa,! sendo! mero! vetor! interpretativo! das! normas! constitucionais,! não! servindo! como!parâmetr o!para!o!controle!de!constitucionalidade. !

9)! (Téc.!Rec.!Fed.! \ ! 2003)! Assinale!a!opção!correta,!a!respeito!das!relações!internacionais!do! Brasil!com!os!outros!países!à!luz!da!Constituição!Federal!de!1988 . !

(A)

Repúdio! à! violação! aos! direitos! humanos! para! com! países! nos! quais! o! Brasil! não! mantenha!relações!comerciais. !

(B)

Apoio! à! guerra,! quando! declarada! para! a! proteção! de! direitos! humanitários! desrespeitados!por!determinadas!autoridades!de!determinados!países. !

(C)

Busca!de!soluções!bélicas!em!repúdio!ao!terrorismo. !

Busca!de!soluções!bélicas!em!repúdio!ao!terrorismo. ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
Busca!de!soluções!bélicas!em!repúdio!ao!terrorismo. ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' (D) In

(D)

In terferência!na!escolha!de!dirigentes!de!outras!Nações!que!sejam!vinculados!a!grupos! racistas. !

(E)

Colaboração!como!árbitro!internacional!na!busca!de!solução!pacífica!de!conflitos.!

10)! (Defensor!Público! – ! RS! – ! 2011)!É!correto!afirmar: !

(A)

As!normas!do!ADCT!não! podem!ser!alteradas!por!meio!de!emendas!constitucionais,!pois! são!de!natureza!transitória. !

(B)

O!preâmbulo!da!Constituição!Federal,!ao! referir ? se!expressamente!ao!pacto! federativo,! está!a!indicar!a!intenção!do!constituinte!em!instituir!um!Estado!Democrático!e, ! por!isso,! deve!ser!considerado!quando!da!interpretação!das!normas. !

(C)

São!objetivos!fundamentais!da!República!Federativa!do!Brasil!previstos!e!assim!descritos! no! artigo! 3°.! da! Constituição! Federal,! construir! uma! sociedade! livre,! justa! e! pluralista,! garantir! o!desenvolvimento!regional,!erradicar!a!pobreza!e!a!marginalização!e!reduzir!as! desigualdades! sociais!e!locais,!promover!o!bem!de! todos,! sem!preconceitos!de!origem,! raça,!sexo,!cor,!idade!e!quaisquer!outras!formas!de!discriminação. !

(D)

São!fundamentos!da!Repúb lica!Federativa!do!Brasil!a!soberania,!a!cidadania,!a!dignidade! da!pessoa!humana,!a!livre!concorrência,!o!voto!direto!e!secreto!e!o!pluralismo!político.!

(E)

Os!direitos!sociais!estão!expressamente!referidos!no!preâmbulo!da!Constituição!Federal! de!1988,!assim! como!os!direitos!fundamentais!e!o!pluralismo!político. !

GABARITO !

1 !

E

2 !

C

3 !

C

4 !

C

5 !

B

6 !

C

7 !

C

8 !

D

9 !

E

10

E

6 ! C 7 ! C 8 ! D 9 ! E 10 E www. acasadoconcurseiro.com.br
6 ! C 7 ! C 8 ! D 9 ! E 10 E www. acasadoconcurseiro.com.br

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' Capítulo)3 ) Direitos)e)Garantias)Fundamentais ) ! 3. 1! A!

Capítulo)3 ) Direitos)e)Garantias)Fundamentais )

!

3. 1! A! QUESTÃO!TOPOGRÁFICA!DOS!DIREITOS!E!GARANTIAS!FUNDAMENTAIS!

A! Constituição! da! República! classifica! o! gênero! Direitos! e! Garantias!

F

undamentais!em!cinco!espécies,!quais!sejam! (LENZA,!2011,!p.!859):!

!

TÍTULO!II !

da !

Constituição!Federal !

!

Direitos!Individuais !

Art.!5 . º !

Direitos!Coletivos !

Art.!5 . º !

Direitos!Sociais !

Arts .!6 . º!a!11 !

Direitos!de!Nacionalidade !

Art.!12 !

Direitos!Políticos !

Arts.!14!a!17 !

!

!

3.1.1 Rompimento!da!Tradição!Constitucional!

Formalmente,! a ! Constituição! destinou! aos! Direitos! e! Garantias! Fundamentais! todo! o! “Título!II”,!que!inicia!no!art.!5 . º ! e!se!conclui!no!art.!17.! !

Ressalta? se,! contudo,! que! essa! topografia! é! inovadora! em! relação! a! todas! anteriores!Constituições.! !! Ocorre!que,!até!1988,!a! tradição!do!Direito!Constitucional! Brasileiro!era!de!inscrever!tais!direitos!na!parte!final!da!Constituição.!!

!

!

!

3.

2!A!EVO LUÇÃO!DOS!DIREITOS!E!GARANTIAS!FUNDAMENTAIS!\ ! AS!DIMENSÕES!

A! doutrina! tradicional! procura! cl assificar,! quanto! à! evolução,! os! direitos! em! gerações.! Contudo,! cada! vez!mais,!ganha! força!a! classificação!em!DIMENSÕES!e! não! em! “gerações”,! considerando ? se! que! entre! cada! dimensão! não! existe! uma! rígida! e! clara!separação!como!a!expressão!“gerações”!pode!dar!ensejo. !

De!qualquer! forma,!assim,!a!evolução!dos!direitos! fundamentais!aponta,!hoje,! para!diversos!momentos!históricos:!

Observação: ! a! literatura! aponta! advertência! ao! reconhecimento! imediato! da! 4ª!

dimensão ! (e! da! 5ª! dimensão) ! dos! direitos! fundamentais,! pois!

ainda"

aguarda" a"

consagração"na"esfera"do"direito"internacional"e"das"ordens"constitucionais"internas ”!

(entre!outros,!SARLET,!2012,!p.!263). !

” ! (entre!outros,!SARLET,!2012,!p.!263). ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
” ! (entre!outros,!SARLET,!2012,!p.!263). ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' ! DIMENSÃO ! DIREITOS!RECONHECIDOS ! DIREITO \ CHAVE ! 1 .

!

DIMENSÃO !

DIREITOS!RECONHECIDOS !

DIREITO \ CHAVE !

1 . ª !

Civis!e!políticos !

Liberdade !

2 . ª !

Econômicos,!sociais!e!culturais !

Igualdade !

3 . ª !

Difusos!e!titularidade!coletiva !

Fraternidade!ou!solidariedade !

 

Engenharia!genética ! (BOBBIO,!

 

2004)

4 . ª !

Democracia!direta

,!informação!

“Direito!dos!povos” !

e! ao!direito!ao!pluralismo ! (BONAVIDES ,! ) !

 

Direitos!ligados!à!realidade!

 

5 . ª !

virtual ! (MOTTA,!2007) !

Não!estabelecido !

Paz!mundial ! (BONAVIDES) !

!

3.

O! art.! 5. º! da! Constituição! Federal,! ! por! muitos! chamado! de! o! ! “Catálogo! de!

Direitos”,! não!tem!a!pretensão!de!ser!exaustivo,!ou!seja,!nomear!ali!todos!os!direitos! e! garantias! fundamentais.! ! ! Diz! Pinto! Ferreira! (1989,! p.! 219)! que! “O" enunciado" dos" direitos"e"garantias" fundamentais"não"é"um"catálogo"completo,"nem"se"apresenta"com" um"numerus"clausus.” ! A!condição!de!“ numerus"abertus”!do!art.!5. º!pode!ser!justificada!

3!A!CONDIÇÃO!EXEMPLIFICATIVA!DO!“CATÁLOGO!DE!DIREITOS!FUNDAMENTAIS”!

especialmente!pela!norma!do!art.!5.

º,!§§!2. º!e!3. º!da!Constituição!Federal. !

3.

4!O!PRINCÍPIO!DA!RELATIVIDAD E!

DAS!LIBERDADES!PÚBLICAS!

Os! direitos! fundamentais! não! são! absolutos! ou! ilimitáveis,! ao! contrário,! são! relativos ! e! passíveis) de) restrição ) (STF,! MS! 23.452) . !!! Nesse! sentido,! um! direito! fundamental!pode!ser!limitado!internamente!por!seu!próprio!alcance!material!ou!por! uma! norma! restritiva! infraconstitucional! (restrições! indiretamente! constitucionais),! desde!que!prevista!no!próprio!enunciado!do!dispositivo!constitucional!(reserva!legal),! obedecendo!regras!de!competência!para!edição!de! tal!ato! (OLIVEIRA,!2000) ! e,!ainda,! havendo!justificação!constitucional!para!a!restrição! ( STEINMETZ,!2001,!p.!32) .!!!

3.

5!COLISÃO!ENTRE!DIREITOS!FUNDAMENTAIS!

Segundo!José!Carlos! Vieira!de!Andrade,! [ haverá"colisão"ou"conflito"sempre"

que" se" deva" entender" que" a" Constituição" protege" simultaneamente" dois" bens" ou"

valores"em"contradição"concreta" [ ]”""" Ocorre!que!não!há!hierarquia!normativa!entre! os!preceitos!constitucionais,!poi s!que!estão! todas!inseridas!dentro!do!mesmo! corpus" constitucional" (CANOTILHO) . !! !

]"

!

constituciona l" (CANOTILHO) . !! ! ]" ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
constituciona l" (CANOTILHO) . !! ! ]" ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' !

!

Assim,!se!houver!conflito!entre!dois!direitos!fundamentais,!deverá!o!intérprete! utilizar! o! princípio! da! concordância! prática! ou! da! harmonização! que! nada! mais! significa! que! a! aplicação,! ao! caso ! prático,! dos! direitos! com! a! necessária! ponderação! (MENDES,!1998) ! de!forma!a!reduzir!o! alcance! de!um!deles,!evitando,!assim,!a!completa! destruição!de!um!ou!de!outro.!!

!

3. 6!A!CONDIÇÃO!DE!CLÁUSULA!PÉTREA!DOS!DIREITOS!E!GARANTIAS!INDIVIDUAIS!

Os! direitos! e! garantias! individuais,! por! disposição! do! art.! 60,! §! 4. º,! IV ,! da! Constituição! Federal ,! é! núcleo! essencial! imodificável! pela! vontade! do! legislador! constituinte! ! derivado. ! Gilmar! Ferreira!Mendes! (MORAES,! 2008,! p. ! 664) ,! aponta! que!! “ [ ]! tais"cláusulas"de"garantia"traduzem,"em"verdade,"um"esforço"do"constituinte"para" assegurar" a" integridade" da" constituição," obstando" a" que" eventuais" reformas" provoquem" a" destruição," o" enfraquecimento" ou" impliquem" profunda" mudança" de" identidade" [ ]”" "

Oportuna,!contudo ,! é!a!observação!de!Manoel!Gonçalves!Ferreira!Filho! (2001),! segundo! a! qual! a! proteção! das! cláusulas! pétreas! não! significa! proibição! de! toda! e! qualquer! modificação! nessas! matérias,! mas! apenas! a! proibição! de! emendas!! “tendentes! a! abolir”,! permitindo ? se,! com! a! devida! cautela! e! proporcionalidade,! e! sempre! sem! prejudic ar! o! núcleo!essencial,!!venha!a!emenda,! ! “" [ ]" reequacioná G los," modificá G los," alterar" suas" condições" ou" efeitos," pois" isso" não" é" vedado" pelo" texto" constitucional.”""

3. 7! SUJEITOS! E! O! ÂMBITO! DE! VALIDADE! DOS! DIREITOS! E! GARANTIAS! FUNDAMENTAIS!

Determina! o! art.! 5.º,! caput,! da! Constituição! Federal! que!aos! brasileiros!e! aos! estrangeiros! residentes ! no! país! são! assegurados! o! direito! à! vida,! à! liberda de,! à! igualdade,! à! segurança! e! à! propriedade. ! ! Contudo,! está! consagrado! que! o! gozo! dos! direitos! fundamentais! por! p arte! dos! brasileiros! não! depende! sequer! da! efetiva! residência! no! Brasil ,! pois! a! titularidade! dos! direitos! fundamentais! está! ligada!

exclusivamente!ao!vínculo!jurídico!da!nacionalidade!(SARLET,!2012,!p.!305).!!

E sclareça? se!que!a!expressão!constitucional!“ estrangeiros" residentes"nos"país”! deve! ser! entendida! no! sentido! de! que! a! “ [ ]" validade" e" a" fruição" dos" direitos"

fundamentais"se"exercem"dentro"do"território"brasileiro" [ " (FERREIRA,!1989,!p.!59) ,!o!

que! não! exclui! o! estrangeiro! em! trânsito! pelo! Brasil ! (BASTOS,! 1989) . !!! Quantos! aos! estrangeiros! não! residentes ,! ou! seja,! aqueles! que,! não! estão! em! trânsito! ou! temporariamente!no!Brasil,!a!doutrina!é!sensível!a!também!estender!a!titularidade!dos! direitos! fundamentais,!em!especial!invocando!o! princípio)da)universalidade) (SARLET,! 2012,!p.!307). !

]”

(SARLET,! 2012,!p.!307). ! ]” www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
(SARLET,! 2012,!p.!307). ! ]” www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' !! !!!!!! ! Nada! obstante,! assegurar! ao! estrangeiro,! mesmo! não!

!! !!!!!!! Nada! obstante,! assegurar! ao! estrangeiro,! mesmo! não! residente,! direitos! fundamentais,! não!significa!titularizar ! todos.!!Como!exemplo!de! direito ! fundamental! que! não! pode! ser! exercida! por! estrangeiro,! pode? se! citar! o! direito! ao! voto! e! a!

elegibilidade!(CF,!art.!14,!§!2º).!!!

! Relativamente!às! pessoas!jurídicas ,! é!inegável!que!são!destinatárias!de!direitos!

e!garantias!fundamentais.!!Nesse!sentido,!o!constituinte!originário!declarou,!inclusive,! direitos! que!são!próprios!dos!entes!abstratos,!como!a!propriedade!de!marcas,!signos! distintivos,! nomes! das! empresas! (CF,! art.! 5. º,! XXIX),! associações! (CF,! art.! 5 . º,! XVII! a!

XXI)

Ressal te? se,!contudo,!que!da!mesma! forma!que! alguns ! os!direitos!e!garantias! fundamentais!não!são ! assegurados!aos!estrangeiros,!a s!pessoas!jurídicas!também!não! foram! contempladas! com! a! totalidade! destes,! tais! como! os! direitos! das! presidiárias! (CF,! art.! 5. º,! L),! aqueles! relativos! à! extradição! (CF,! art.! 5. º,! LI! e! LII)! e,! ! inclusive,! da! propositura!da!ação!popular!(CF,! art.!5. º,!LXXIII) . ! ! !

.

!

!

3.

8!!PRINCÍPIO!DA!PROPORCIONALIDADE!

Nos! termos! da! doutrina ! (ÁVILA,! 2003,! p.! 101) ," o" postulado" da" proporcionalidade" pressupõe" a" relação" de" causalidade" entre" o" efeito" de" uma" ação" (meio)"e"a"promoção"de"um"estado"de"coisas"(fim).! AdotandoG se"o"meio,"promoveG se"o" fim .!!!

! Quando! se! fala! em! imposição! de! restrições! a! direitos! fundamentais,! deve? se! indagar!não!apenas!sobre!a!admissibilidade!constitucional!da!restrição,!eventualmente! fixada,!mas! também! sobre!a! compatibilidade! dessas! restrições! com! o! ! “espírito”! ! da!! própria! Constituição.! ! O! princípio! da! proporcionalidade! age,! assim,! como! um! limite! constitucional!implícito!às!leis!restritivas!de!direitos.!

Segundo! posição! majoritária! da! doutrina! constitucional! brasileira! e! do! STF,! o! princípio! da! proporcionalidade!encontra! seu! fundamento! (sede!material)! na! cláusula! do! art.!5.º,!LIV ,!ou!seja,!no!princípio!do!devido!processo!legal. !

! O! princípio! da! proporcionalidade! é! subdividido! em! princípi os! informadores! ! (princípios!parciais!da!proporcionalidade),!quais!sejam:!

! Princípio!da!adequação :!! verificação!da!utilidade!do!meio;!

! Princípio!da!necessidade :! utilização!do!meio!menos!interventivo;!

! Princípio!da!proporcionalidade!em!sentido!estrito :! exige!a! própria!ponderação! dos!bens!em!conflito. !

! exige!a ! própria!ponderação! dos!bens!em!conflito. ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
! exige!a ! própria!ponderação! dos!bens!em!conflito. ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' !

!

3.9!A!IMPOSSIBILIDADE!DE!PRISÃO!DO!DEPOSITÁRIO!INFIEL!FACE!AO!PACTO!DE!SÃO!

JOSÉ!DA!COSTA!RICA.!

Mesmo!que!a!Constituição!brasileira!de!1988!tenha,!expressamente,!admitido!a!

excepcional! prisão! do! depositário! infiel! (art.! 5º,! LXVII),! ganha! destaque! a! o! posicionamento!do!STF! no!sentido ! de!que,!considerando!a!adesão!brasileira!a!Acordos! Internacionais!de!direitos!humanos!que!proíbem!essa!modalidade!de!prisão,!que!esse! específico!ponto!da!Constituição!tenha!perdido!sua!aplicabilidade. !

São!dois!diplomas!internacionais!que!proíbem!a!prisão!d o!depositário!infiel:!

o

Convenção!Americana! sobre!Direitos!Humanos! (Pacto! de!São! José! da! Costa!Rica)! – ! Decreto!678/1992,!e!

o

Pacto!Internacional!dos!Direitos!Civis!e!Políticos! – ! Decreto!592/1992. !

Na!medida!em! que!esses!Tratados!Internacionais! não!autorizam! a! prisão! civil! do! depositário! infiel! e,! ainda,! considerando! que! esses! dois! instrumentos! foram! devidamente!aprovados!e!ratificados!pelo!direito!interno!brasileiro,!a!discussão!passou ! a! girar! em! torno! de! um! ponto:! o! status) normativo! dos! tratados! e! convenções! internacionais!sobre!direitos!humanos!no!Brasil.!! Até!o!momento,!o!STF ! (HC!90.172) ! têm! reconhecido ! o! status" SUPRALEGAL! dos! tratados! e! convenções! internacionais! sobre!direito!humanos. !

Com! isso,! em! que! pese! o! Pacto! de! São! José! da! Costa! Rica! e! o! Pacto! Internacional!sobre!Direitos!Civis!e!Políticos! não!terem!força!para!revogar!a!previsão! constitucional ! que!prevê!a!prisão!do!depositário!infiel,! essa!modalidade!de!prisão!não! pode! ser! mais! ap licada,! pois! a! força! supralegal! desses! pactos! internacionais! gerou! “efeito!paralisante”!do!Decreto? lei!911/1969!e!do!Código!Civil,! que!eram!as!legislações! internas! que! disciplinavam! a! prisão! do! depositário! infiel. ! ! Conseqüentemente,! com! esse!entendimento!d o!STF,!está!banida!a!possibilidade!de!prisão!civil!do!depositário! infiel!no!direito!brasileiro.!

Em!outras!palavras,!a!possibilidade!de!prisão!do!depositário ! infi el,!em!qualquer! modalidade! (judicial! ou! convencional)! é! vedada,! não! porque! foi! revogada! a! Constituição,! mais! porque! não! haveria! mais! nenhuma! lei! efi caz! que! regulasse! a! matéria,! face! aos! pactos ! de! direitos! humanos! citados! e! que! operam! com! força! supralegal,! paralisando!a!efi cácia!das!leis!internas!sobre!o!tema. !

Destaque? se!que ! a!tese!da! supralegalidade!do!Pacto!de!São ! José!da!Costa!Rica! foi! reafi rmada! no! julgamento! do! HC! 87.585 ! (Relator! Ministro! Marco! Aurélio,! julgamento!em! 03? 12? 2008! – ! Informativo ! 531)!e! foi! objeto! da! Súmula!Vinculante! nº!! 25! do!STF. !

foi! objeto! da! Súmula!Vinculante! nº!! 25! do!STF . ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
foi! objeto! da! Súmula!Vinculante! nº!! 25! do!STF . ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' QUESTÕES!SOBRE!A!MATÉRIA ! 1)! (Juiz!d e!Direito!Substituto! – !

QUESTÕES!SOBRE!A!MATÉRIA !

1)! (Juiz!d e!Direito!Substituto! – ! MG! – ! 2008) ! A!Constituição!da!República!estabelece!os!direitos! e!garantias!fundamentais!e!fornece!os!instrumentos!para!que!a!tutela!destes!valores!possa! ser!concretizada! Assinale!a!alternativa!CORRETA . !

 

(A)

O ! mandado! de! segurança! coletivo! somente! pode! ser! interposto! por! associação! civil! constituída!há!pelo!menos!um!ano,!na!defesa!de!interesses!de!seus!membros. !

(B)

A!ação!popular!poderá!ser!ajuizada!por!qualquer!cidadão!e!não!se!limita!somente!a!obter!a! anulação!de ! ato!lesivo!ao!patrimônio!público!ou!de!entidade!de!que!participe!o!Estado!e!à! moralidade! administrativa,! mas! também! à! defesa! do! meio! ambiente! e! do! patrimônio! histórico!e!cultural. !

(C)

O! mandado! de! segurança! será! concedido! sempre! que! a! ausência! de! norma! regulamentadora!tornar!inviável!o!exercício!dos!direitos!e!liberdades!constitucionais.!

(D)

A! concessão! do! habeas" corpus" somente! ocorrerá! quando! alguém! sofrer! violência! ou! coação!em!sua!liberdade!de!locomoção,!por!ilegalidade!ou!abuso!de!poder. !

2)! (De fensor! Pú blico! – ! RS! – ! 2011 ) ! No! que! se! refere! à! interpretação! e! à! eficácia! e! aplicabilidade!das!normas!constitucionais,!considere!as!seguintes!afirmações: !

I .! A! interpretação! constitucional! evolutiva,! também! denominada! de! mutação! constitucional,! não!implica!alteração ! no!texto!constitucional,!mas!na!interpretação!da!regra. !

II . ! As! normas! que! consubstanciam! os! direitos! fundamentais! são! sempre! de! eficácia! e! aplicabilidade!imediata. !

III . ! Os!direitos!e!garantias!fundamentais!consagrados!na!Carta!Magna!são!ilimitados,!tanto! que!

não! podem! ser! utilizados! para! se! eximir! alguém! da! responsabilização! pela! prática! de! atos! ilícitos. !

IV . !No! Direito! Constitucional! brasileiro! fala ? se! de! uma! certa! relatividade! dos! direitos! e!

garantias! individuais!e! coletivos,! bem! como! da! possibilidade! de ! haver! conflito!entre! dois! ou!

mais!deles,!oportunidade!em!que!o!intérprete!deverá!se!utilizar!do!princípio!da!concordância!

prática!ou!da!harmonização!para!coordenar!e!combinar!os!bens!tutelados,!evitando!o!sacrifício!

total! de! uns! em! relação! aos! outros,! sem pre! visando! ao! verdadeiro! significado! do! texto!

constitucional. !

Está!correto!o!que!se!afirma!APENAS!em: ! !

(A)

I! e! III . !

I

I

!

(B)

I! e! IV .! !

(C)

,! II! e! III .! !

(D) !

(E) !

,! II! e! IV .!

II ,! III! e! IV . !

3) ! (Juiz!do!Trabalho!Substituto! – ! MT! – ! 2008) ! Assinale!a!alternativa! CORRETA: !

I! ? ! A! impetração! de! mandado! de! segurança! coletivo! por! entidade! de! classe! em! favor! dos! associados!depende!da!autorização!destes. !

II! ? ! O!mandado!de!segurança!coletivo!pode!ser!impetrado!por!organização!sindical,!entidade!

de!classe!ou!associação!lega lmente!constituída!e!em! funcionamento!há!pelo!menos!um!ano,!

funcionamento!há!pelo!menos!um!ano,! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
funcionamento!há!pelo!menos!um!ano,! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' em! defesa! dos! interesses! de! seus! membros! ou! associados! e!

em! defesa! dos! interesses! de! seus! membros! ou! associados! e! também! por! qualquer! partido! político!com!representação!no!Congresso!Nacional; !

III! ? ! É! constitucional!a!lei! que! fixa! o! prazo! de! decadência! p ara!a!impetração! de!mandado! de! segurança. !

(A)

Apenas!os!itens!II!e!III!são!verdadeiros. !

(B)

Apenas!os!itens!I!e!III!são!verdadeiros. !

(C)

Todos!os!itens!são!verdadeiros. !

(D)

Apenas!os!itens!I!e!II!são!verdadeiros. !

(E)

Todos!os!itens!são!falsos. !

4)! (Advogado! do! IRB! – ! 2006) ! Sob re! direitos! e! garantias! fundamentais,! direitos! e! deveres! individuais,!difusos!e!coletivos!e!garantias!constitucionais,!assinale!a!única!opção!correta. !

(A)

A! liberdade! de! manifestação! do! pensamento,! nos! termos! em! que! foi! definida! no! texto! constitucional,!só! sofre!restrições!em!razão!de!eventual!colisão!com!o!direito!à!intimidade,! vida!privada,!honra!e!imagem. !

(B)

São!imprescritíveis!e!insuscetíveis!de!graça!ou!anistia!os!crimes!definidos!como!hediondos,! na!forma!da!lei. !

(C)

Por!ser!direito!personalíssimo,!os!indivídu os!só!têm!direito!a!receber!dos!órgãos!públicos! informações!de!seu!interesse!particular. !

(D)

Nos! termos!do! texto!constitucional,!a! todos! são!assegurados,!como!direito!individual,!os! meios!que!garantam!a!celeridade!da!tramitação!do!processo!judicial!e!administr ativo. !

(E)

Com! relação!aos!efeitos!do!mandado!de!injunção,!o!Supremo!Tribunal!Federal!adota,!de! forma!majoritária!em!suas!decisões,!a!posição!concretista!individual!intermediária. !

5)! (AGU! \ ! 99) ! Assinale!a!alternativa!correta: !

(A)

Segundo! a! jurisprudência! pacífica ! do! STF,! os! direitos! fundamentais! não! podem! ser! regulados!por!medida!provisória. !

(B)

Nos! casos! autorizados! pela! Constituição,! pode! o! legislador! ordinário! alterar! completamente!a!conformação!de!determinados!direitos!fundamentais. !

(C)

Segundo!a!jurisprudência!do!STF ,!a!limitação!aos!direitos! fundamentais!há!de!observar!o! princípio!da!proporcionalidade. !

(D)

É! pacífico! na! jurisprudência! da! STF! o! entendimento! segundo! o! qual! os! direitos! fundamentais!não!têm!aplicação!às!relações!entre!particulares. !

(E)

Em!caso!de!colisão!entre!d ireitos!fundamentais,!recomenda!a!jurisprudência!do!STF!que!se! identifique!e!se!aplique!a!norma!de!hierarquia!mais!elevada. !

6)! (AFC! – ! 2002) ! Assinale!a!opção!correta. !

(A)

Emenda!à!Constituição!pode!instituir!a!pena!de!morte!para!crimes!hediondos. !

(B)

Deve!ser! considerada!inconstitucional!toda!a!emenda!à!Constituição!que!tenha!por!objeto! dispositivo!protegido!como!cláusula!pétrea. !

dispositivo!protegido!como!cláusula!pétrea. ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
dispositivo!protegido!como!cláusula!pétrea. ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' (C) Somente! os! direitos! e! garantias! individuais! previstos!

(C)

Somente! os! direitos! e! garantias! individuais! previstos! expressamente! no! art.! 5º! da! Constituição!estão!protegidos!contra!emendas!à!Cons tituição. !

(D)

É! inconstitucional! emenda! à! Constituição! que! crie! imposto! da! União,! sujeitando! a! tal! imposto!não!somente!pessoas!físicas!e!pessoas!jurídicas!de!direito!privado,!como!também! pessoas!jurídicas!de!direito!público,!como!Estados!e!Municípios. !

(E)

Por! meio ! de! proposta! de! mais! da! metade! das! Assembléias! Legislativas! das! unidades! da! Federação,! o! Congresso! Nacional! pode! votar! e! promulgar! emenda! à! Constituição! que! transforme!o!Estado!Federal!brasileiro!em!Estado!unitário. !

7)! (Procurador!da!!!!Assembléia!Legisla tiva! – ! RS! – ! 2005) ! Assinale!a!alternativa!que!completa! corretamente!a!frase. !

Considerando! os! “subprincípios! do! princípio! da! proporcionalidade,! aplicado! este! na!

! traduz ? se!

restrição!ou!colisão!de!direitos!fundamentais,!podemos!dizer!que!a!

como!u ma!exigência!de!idoneidade!ou!aptidão!da!medida!restritiva!de!direito! fundamental!à!

impõe! seja!a!medida! restritiva!

um! balanceamento!entre! o!

meio!restritivo!proposto!e!os!fins!perseguidos!pelos!valores!ou!bens!em!colisão. !

consecução! da! finalidade! perseguida;! que!a! menos!gravosa! possível;!ao! passo! que!a!

!

!impõe!

 

(A)

necessidade,!proporcionalidade! stricto"sensu ! e!adequação; !

(B)

idoneidade,!adequação!e!proporcionalidade! stricto"sensu ; !

(C)

adequação,!necessidade!e!proporcionalidade! stricto"sensu ;! !

(D)

proporcionalidade! stricto"sensu ,!exigibilidade!e!adequação; !

(E)

exigibilidade,!adequação!e!proporcionalidade! stricto"sensu . !

8)!A!Constituição!Federal!de!1988,!no!artigo!5°,!inciso! LV ,!preconiza!que!“aos!litigantes,!em! processo!judicial!ou!administrativo,!e! aos!acusados!em!geral!são!assegurados!o!contraditório! e!ampla!defesa,!com!os!meios!e!recursos!a!ela!inerentes”.!Considerando!tal!disposição,!leia! as!afirmativas!abaixo!(Defensor!Público! – ! RS! – ! 2011! – ! FCC) !

I . !O!contraditório!e!a!ampla!defesa! referidos!no! dispositivo!supra!citado! referem ? se!somente! ao! processo! penal! e! administrativo,! tanto! que! todo! aquele! que! comparecer! a! Juízo! sem! advogado,!ser ? lhe ? á!nomeado!Defensor!Público!para!efetuar!a!defesa. !

II .! Lei!infraconstitucional! pode! condicionar! o!acesso!ao! Judiciário!ao! pr évio!exaurimento! das! vias!admi nistrativas,!como!forma!de!garantir!o!disposto!no!artigo!supra!referido. !

III . ! O!contraditório!e!a!ampla!defesa!não!podem!ser!abolidos!pelo!legislador,!pois!fazem!parte! das!cláusulas!pétreas!dispostas!no!parágra fo!4°!do!artigo!60!da!Constituição!Federal. !

Está!correto!o!que!se!afirma!APENAS!em !

(A)!I

.!

!

(B)!II .! !

(C)!III .! !

(D)!I! e! III .! !

(E)!II! e! III . !

(C)!III .! ! (D)!I! e! III .! ! (E)!II! e! III . ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
(C)!III .! ! (D)!I! e! III .! ! (E)!II! e! III . ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' 9)! (AGU! \ ! 1998) ! Assinale!a!opção!correta. ! (A)

9)! (AGU! \ ! 1998) ! Assinale!a!opção!correta. !

(A)

A!jurisprudência!do!Supremo!Tribunal!Federal!enfatiza!que!as!disposições! protegidas!pelas! cláusulas!pétreas!não!podem!sofrer!qualquer!alteração. !

(B)

Segundo!orientação!dominante!no!Supremo!Tribunal!Federal,!os!direitos!assegurados!em! tratado! internacional! firmado! pelo! Brasil! têm! hierarquia! constitucional! e! estão! ipso" jure ! protegido s!por!cláusula!pétrea. !

(C)

Os! direitos! e! garantias! individuais! protegidos! por! cláusula! pétrea! são! somente! aqueles! elencados!no!catálogo!de!direitos!individuais. !

(D)

Segundo! entendimento! dominante! na! doutrina! e! na! jurisprudência,! a! introdução! de! um! sistema!parlamen tar!de!governo!ou!do!regime!monárquico!pode!ser!realizada!por!simples! Emenda!Constitucional.! !

(E)

Segundo!o!entendimento!dominante!no!Supremo!Tribunal!Federal,!normas!constitucionais! originárias!não!podem!ser!objeto!de!controle!de!constitucionalidade !

10)! (Pre feitura!Municipal! de! Sorocaba! – ! SP! – ! 2008) ! Nos! termos! da! Constitu ição! Federal,! é! correto!afirmar! !

(A) A!prática!do!racismo!constitui!crime!inafiançável,!sujeito!à!pena!de!detenção,!nos!termos! da!lei. ! (B)
(A)
A!prática!do!racismo!constitui!crime!inafiançável,!sujeito!à!pena!de!detenção,!nos!termos!
da!lei. !
(B)
Não!haverá!penas!de!banimento!e!de!interdição!de!direitos. !
(C)
Toda!propriedade!rural,!desde!que!trabalhada!pela!família,!não!será!objeto!de!penhora. !
(D)
A!criação!de!associações!independe!de!autorização,!sendo!vedada!a!interferência!estatal!
em!seu!funcionamento. !
(E)
No!caso!de!iminente!perigo!público,!a!autoridade!competente ! poderá!usar!de!propriedade!
particular,!assegurada!sempre!a!indenização!posterior!ao!proprietário,!em!razão!do!uso!do!
bem!pelo!Estado . !
!
GABARITO !
!
!
1 !
B
!
2 !
B
!
3 !
A
!
4 !
D
!
5 !
C
!
6 !
D
!
7 !
C
!
8 !
C
!
9 !
E
!
10
!
D
!
!
!
! D ! 7 ! C ! 8 ! C ! 9 ! E ! 10
! D ! 7 ! C ! 8 ! C ! 9 ! E ! 10

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' Capítulo)4 ) Direitos)Sociais ) ! A! Constituição! Federal! de!

Capítulo)4 ) Direitos)Sociais )

!

A! Constituição! Federal! de! 1988,! em! seu! art.! 6º,! “caput”,! esclarece! que! são! direitos!sociais!a! educação ,!a! saúde,! a! alimentação,!! o! trabalho,! a! moradia ,! o! lazer ,!a! segurança,!a! previdência! social,!a! proteção!à!maternidade!e!à!infância! e!a! assistência! aos!de samparados. !

! educação ! ! saúde! ! ! alimentação ! ! trabalho ! ! moradia !
!
educação !
!
saúde!
!
!
alimentação !
!
trabalho !
!
moradia !
!
Direitos!Sociais !
lazer!
(art.!6º)!
segurança!
!
previdência!social !
!
!
proteção!à!maternidade!e!à!infância!
!
!
assistência!aos!desamparados !
!
!
4.1!DIREITOS!DO S! TRABALHADORES!
!
A!Constituição!Federal,!em!seu!art.!7º,!enumera!os!direitos!dos! trabalhadores!
urbanos!e! rurais!e!estendendo! a! sua! abrangência! a! outros! que! visem! a!melhoria! de!
suas!condições!sociais. !
!
Pode? se,!entretanto,! fazer!duas!distinções!sistemáticas!quanto!aos!d ireitos!do!
trabalhador:!a!primeira,!é!relativa!aos! direitos!individuais! do!trabalhador!que!a!CF/88!
contempla!nos! arts.!7º!e ! seus!incisos,!a!segunda,!são!os!direitos!que!os!trabalhadores!
exercem!coletivamente ,!do!art.!8º!ao!11º. !
!
!
exercem!coletivamente ,!do!art.!8º!ao!11º. ! ! ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
exercem!coletivamente ,!do!art.!8º!ao!11º. ! ! ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' 4.1.1! Direitos!individuais ! dos!trabalhadores ! 4.1.1.1 !

4.1.1! Direitos!individuais ! dos!trabalhadores!

4.1.1.1

! Fundo!de!Garantia!do!Tempo!de!Serviço!(inc.!III)!

!!!!!!!!!Segundo!Valentin!Carrion ! (1997),!a! Constituição ! de!1988,!generalizando!o!regime! de!FGTS,! revogou!a!estabilidade!definitiva!aos!dez!anos!de!serviço.!!!

Remanesce! apenas! o! direito! adquirido! dos! que! já! haviam! alcançado,! assim! como! a! estabilidade! definitiva! que! possa! ser! concedida! pela! via! contratual! ou! normativa! proferida! em! dissídio! coletivo,! além! das! "estabilidades! provisórias".! Complementa,! afirmando! que! os! trabalhadores! q ue! não! haviam! optado! pelo! FGTS! permanecem! em! regime! híbrido :! pelo! sistema! de! indenização! até! a! vigência! da! Constituição!e!pelo!FGTS,!quanto!ao!período!posterior. !

!!!!!!!!!O!FGTS!foi!criado,!ainda,!no!ano!de!1966,!através!da!Lei!5.107,!com!finalidade!de!

ser ! uma! alternativa! para! o! direito! de! indenização! e! estabilidade! do! emprego.! Foi! derradeiramente! alterada! pela! Lei! 8.036/90.! Trata ? se,! em! síntese,! de! uma! conta! bancária!que!o!trabalhador!pode!utilizar!nas!condições!estabelecidas!em!lei,!formada! por!depósitos! compulsórios!do!empregador. !

!!!!!!!!!Sua!função!principal!seria! a!formação!de!uma! espécie!de! “ poupança!compulsória ” ! para!o!trabalhador!despedido,!bem!como!gerar!recursos!para!o!Sistema!!Financeiro!de! Habitação,!gerido!pela!Caixa!Econômica!Federal. !

4.1.1.1

.1!Competência!para!julgamento!de!questões!relativas!ao!FGTS!

Compete!à!Justiça!do!Trabalho!dirimir!questões!sobre!o!FGTS,!inclusive!quando! a! Caixa! Econômica! Federal! e! o! Ministério! do! Trabalho! e! da! Previdência! Social! figurarem!como!partes!(litisconsortes). !

!

4.2.! ! Salário!(incs.!IV,V,VI,VII,!VIII,!IX!,X!e!XII)!

4. 2.1.!Remuneração!e!salário!

Amauri! Mascaro! Nascimento ! (1989)! entende! que! salário! “ é" o" conjunto" de" percepções" econômicas" devidas" pelo" empregador" ao" empregado" não" só" como" contraprestação"do"trabalho,"mas,"também,"pelos"períodos"em"que"estiver"à"disposição" do" mesmo" aguardando" ordens," pelos" descansos" remunerados," pelas" interrupções" do" contrato"de"trabalho"ou"por"força"da"lei”. !

Para! a! CLT ,! salário! é! a! quantia! paga! diretamente! pelo! empregador! ao! empregado.! Re muneração! é! o! conjunto! de! verbas! recebidas! tanto! do! empregador! como!de!terceiros,!incluindo ? se,!aí,! as!gorjetas,! os!adicionais!e!as!gratificações. !

!

!

as!gorjetas,! os!adicionais!e!as!gratificações. ! ! ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
as!gorjetas,! os!adicionais!e!as!gratificações. ! ! ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' !!!!!!!!!!!!!!!!!!!

!!!!!!!!!!!!!!!!!!!Segundo!o!art.!457,!estas!são!as!verbas!que!integram!o!salário!:!

 

comissões! :! é! a! forma! de! salário! condicionada! ao! resultado! do! trabalho! realizado!pelo!empregado,!podendo!ser!ou!não!a!única!forma!de!salário. !

Percentagens :! valor!percentual!concedido!ao!empregado!devido!a!uma!venda.!

gratificações ! :! trata? se! de! algumas! liberalidades! do! empregado r,! a! título! de! gratificação!ou!agradecimento.!Pelo!enunciado!78!do!TST,!integra!o!salário. !

abono! :! é! a! quantia! recebida! pelo! empregado! a! título! de! adiantamento! em! dinheiro,!de!forma!espontânea!e!em!caráter!transitório.!Sua!natureza!salarial!é! inconteste. !

Diárias ! que! excedam! 50%! do! valor! do! salário! :! são! quantias! pagas! pelo! empregador! para! fazer! frente! às! despesas! de! viagem! e! manutenção! do! empregado,!ocasionadas!em!ra zão!de!seu!contrato!de!trabalho . !

E!segundo!o!mesmo!artigo!457 ! da!CLT!essas!são!as!verbas!que!não!integram!o! salario:!

Diárias ! que!não!excedam!50%!do!valor!do!salário! :! (Definição!em!epígrafe). !

ajudas!de!custo! :!é!uma!indenização!que!tem!por!finalidade!cobrir!as!despesas! que! o!empregado! tem! com! sua! transferência! para! localidade! diversa! daquela! que!tenha!como!domicílio. !

4.

2.2.!Adicionais!constitucionais!

adicional!de!horas\ extras!(inc.!XVI): !! trata? se!do!chamado!adicional!de!serviço! extraordinário,! ou! seja,! quando! sua! duração! exceder! o! horário! normal.! Segundo!determin a!a!Constituição!Federal,!será!de,!no!mínimo,!50%,!incidente! sobre! o! salário.! O! Enunciado! 291! do! TST! determina! que,! caso! o! serviço!

extraordinário!seja!prestado!habitualmente!por!mais!de!1!ano,!a!supressão!de!

tal! trabalho! extraordinário! acarreta! ao! empregad o! o! direito! de! uma! indenização. !

adicional! noturno! (inc.!IX)!:! é!aquele! devido!ao!empregado! que! trabalhar! no!

período!compreendido!entre!as!22h!de!um!dia!até!as!5h!do!dia!seguinte!(para!o!

trabalhador! urbano).! O! índice! adicional! será,! neste! caso,! ! de! 20%! sobre! o! salário!contratual ! e!observa? se!o!horário!reduzida!de!52!minutos!30!segundos . !

( Para!o!trabalhador!rural!da!agricultura!o!horário!noturno!é!das!21h!às!5h!e!da!pecuária!é!das!20h!às!4h!e!em!ambos!o!

adicional!noturno!é!de!25%!sobre!o!valor!da!hora!normal!que!não!será!reduzida). !

! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional '   • adicional! de! insalubridade! (inc.! XXIII): ! ! é!
 

adicional! de! insalubridade! (inc.! XXIII):! ! é! aquele! devido! ao! empregado! que! trabalha!em!condições!ou!locais!que!ofereçam!riscos!à!saúde,!nos!percentuais! de!10,!20!ou!40%,!calculados!tendo!como!base!o!salário ? mínimo.!

adicional! de! periculosidade! (inc.! XXIII): !!! é!aquele! devido!ao!empregado! que! trabalhar!em!condições!que!ofereçam!riscos!à!vida,!em!contato!com!explosivos,!

 

inflamáveis!ou!mesmo!eletricidade,!nos!termos!da!Lei!7.369/85.!O!percentual!é!

de!30%!sobre!o!salário!contratual. !

4.

2. 3.!Salário!in)natura!

Segundo!Aluysio!Sampaio ! (1982),!é!a!parte!do!salário!paga!em!utilidade.!O!art.! 458! e! seus! parágrafos,! da! CLT,! ! dispõem! que,! além! do! pagamento! em! dinheiro,! compreende? se! no! salário,! para! todos! os! efeitos! legais,! a! alimentação,! habitação,! vestuário!ou!outras!prestações!“in!natura”!que!a! empresa,!por!força!do!contrato!ou!do! costume,!fornecer!habitualmente!ao!empregado.!!

Em!face!do!disposto!no!art.!82,!parágrafo!único!da!CLT,!o!empregador!sempre!é!

obrigado! a! pagar! ao! empregado! em! dinheiro! pelo! menos! 30%! do! valor! do! salário! estipulado,!de!fo rma!que!não!é!permitido!o!pagamento!total!do!salário!em!utilidades! e!

tampouco!o!pagamento!com!bebidas!alcoólicas!e!drogas!nocivas!(artigo!82!c/c!458!da!

CLT) . !

!

4.2.4 Décimo!terceiro!salário!(inc.!VIII) !

!!!!!!!!!Nos! termos! da! Lei! 4.749/65,!é! obrigatório! o! pagamento! da! primeira!metade! do! décimo! terceiro!entre!os!meses!de! fevereiro!e!novembro,!ou,!então,!por!ocasião!das! férias!do!empregado,!se!este!o!requerer!no!mês!de!janeiro. !

4.

2.5.!Salário!Família!(inc.!XII)!

!!!!!!!!!É! um! benefício! de! natureza! previdenciária,! na! medida! em! que! a! empresa! vinculada!ao!sistema!da!previdência!social!adianta!esses!valores!ao!beneficiário!para,! posteriormente,! ser! ressarcido! da! despesa! na! forma! de! compensação! das! contribuições!que!deixa!de!recolher. !

!

4.

3.!Duração!do!Trabalho!(incs.!XIII!e!XIV)!

!

3.1.!Jornada!de!Trabalho!!

4.

É!o!período!em!que!o!empregado!fica!à!disposição!do!empregador,!aguardando! ou!executando!ordens. !

!

ou!executando!ordens. ! ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
ou!executando!ordens. ! ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' 4. 3.2.!Limitação!da!jornada ! O!objetivo!da!

4. 3.2.!Limitação!da!jornada!

O!objetivo!da! limitação!da!jornada! é!evitar!a!fadiga!do!trabalhador,!quando!fica! mais! exposto! aos! acidentes,! assim! como! combater! o! desemprego,! entre! outros.! As! normas! que! limitam! a! jornada! de! trabalho! são! de! ordem! pública,! portanto,! irrenunciáveis!pelas!partes. !

A!Duração!máxima!de!jornada!será!de!8!horas!diárias!e!44!horas!semanais.!O!

limit e! de! 8! horas! diárias! poderá! ser! extrapolado! sem! o! pagamento! de! adicional! se! houver! a! celebração! de! jornada! compensatória! ou! regime! de! banco! de! horas! com! a! proporcional! diminuição! da! jornada! de! um! dia! compensando! o! excesso! de! outro! (máximo!de!2!horas!extras ! por!dia!nos!termos!do!artigo!59!parágrafo!2º!da!CLT). !

4.

4.!Férias!(inc.!XVII)!

4.

4.1.!Individuais!

É!direito!do!trabalhador,!após!cada!período ! aquisitivo ! de!12!meses,!o!gozo!de! um!período!de!férias,!individuais!ou!coletivas,!sem!prejuízo!de!sua!remuneração. !

4.

4.2.!Férias!coletivas!(art.!139,!CLT)!

As!férias!poderão!ser!concedidas!para!parte!dos!empregados!ou!para!todos!os! empregados,! coletivamente,! sendo! permitido,! como! se! verá! no! estudo! das! normas! atinentes! a! este! instituto,! o! fracionamento! em! dois! períodos,! desde! que! um! destes! períodos!não!seja!inferior!a!10!dias. !

O! empregador! deverá! comunicar,! com! antecedência! de! 15! dias,! ao! Sindicato! dos!Trabalhadores!e!à!Delegacia!Regional!do!Trabalho!a!concessão!de!férias!coletivas.!

!

4. 4.3.!Período!aquisitivo!de! férias !

O!período!de!doze!meses!de!trabalho!é!denominado! período!aquisitivo,!que!se! inicia!na!data!de!admissão!do!empregado. !

A!duração!do!período!de!férias!depende!da!assiduidade!do!trabalhador!durante! o! período! aquisitivo.! A! CLT,! em! seu! artigo! 130,! indica! o! número! de! dias! que! o! empregado!terá!de!férias!na!proporção!das!faltas!ocorridas. !

4.

4.4.!Abono!de!férias!

O! abono! de! férias! consiste! na! possibilidade! do! empregado! converter! 1/3! da! duração!!de!suas!férias!em!dinheiro.!Assim,!o!empregado!que!tiver!direito! a!30!dias!de!

férias,!poderá!converter!1/3!destes!dias,!ou!seja,!10!dias,!em!dinheiro!e!usufruirá!20!

dias!de!férias. !

dias!de!férias. ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
dias!de!férias. ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' 4. 4.5.!Efeitos!na!rescisão!do!contrato. ! Segundo! o! artigo! 146,!

4. 4.5.!Efeitos!na!rescisão!do!contrato.!

Segundo! o! artigo! 146,! da! CLT,! qualquer! que! seja! o! motivo! da! rescisão! do! contrato! a! remuneração! das! férias,! simples! ou! em! dobro,! deverá! ser! paga! ao! empregado. ! Trata!a!hipótese,!na!verdade,!de!férias!vencidas!(direito!adquirido)!porque! o!empregado!só!terá!direito!a!remuneração!das!férias!simples!ou!dobradas,!quando!já! tiver!ultrapassado!os!respectivos!períodos!de!aquisição!do!direito!à!remuneração.!Por! ser!direito!adquirido!não!há!nenhuma!interferência!ou!eventual!justa!causa,!pois!esta! ocorrerá!após!a!aquisição!do!direito. !

Por!outro!lado,!quanto!às! férias!proporcionais ,!o!empregado!terá!direito!a!elas! quando!for!dispensado!sem!justa!causa!ou!se!pedir!demissão,!tendo! mais!de!1!ano ! de! serviço.! Perderá! o! direito! à! sua! remuneração! das! férias! proporcionais! somente! se!

houver!dispensa! com!justa!causa ! do!empregado . ! Mesmo!que!a!dispensa!seja!anterior! a! 12! meses! (sem! ter! completado! o! período! aquisitivo)! o! trabalhado! terá! direito! à! percepção! das! férias! proporcionais! na! razão! de! 1/12! de! remuneração! por! mês! ou!

fração!superior!a!14!dias!de!trabalho,!inteligência!do!artigo!147!da!CLT.

4.

5.!Aviso\ prévio!(inc.!XXI)!

!

É!a! comunicação! que!a! parte! que! quiser! rescindir! o! contrato! de! trabalho! por! prazo!indeterminado!deve!dar!a!outra,!a! fim!de!que!o!empregador!possa!substituir!o! demissionário!e!o!empregado,!por!sua!vez,!possa!procurar!outro!emprego. !

O!aviso!prévio!é!instituto!relacionado!com!a!extinção!do!contrato!de!trabalho.!

Apresenta!três!caracteres!essenciais!:!é!comunicação,!tempo!e!pagamento.!

De!acordo!com!o!art.!7 o .,!inciso!XXI!da!Constituição!Federal,!é!de,!no!mínimo,! 30!dias!o!prazo!do!aviso!prévio. !

Talvez!o!principal!efeito!do!aviso!prévio!é!a!integração!do!respectivo!prazo!no! tempo! de! serviço! do! trabalhador,! sendo! que! a! extinção! do! contrato! de! trabalho! somente!ocorrerá!após!o!transcurso!do!prazo!do!aviso. !

Se,! durante! o! prazo! do! aviso! prévio,! o! empregado! incorrer! em! falta! grave,!

ensejadora! da! justa! causa,! nos! termos! do! art.! 482! da! CLT,! poderá! o! empregador!

dispensar!o!empregado!sem!o!pagamento!de!indenização,!forte!o!Enunciado!n.!73!do!

TST. ! Existe,!ainda,!a!possibilidade!de!redução!de!jornada,!quando,!o!empregado,!terá!a! mesma!reduzida!em!duas!horas!diárias!ou!em!sete!dias!corridos ! para!que!possa!buscar!

n ovo!emprego!(tal!redução!da!jornada!somente!ocorre!se!o!aviso!prévio!for!dado!pelo! empregador). !

Por! fim!a! Lei!12.506/2011!instituiu!o!aviso!prévio!proporcional! em!que!os!30! dias! do! primeiro! ano! de! trabalho! serão! acrescidos! 3! (três)! dias! por! ano! de! serviço!

prestado!na!mesma!empresa,!até!o!máximo!de!60!(sessenta)!dias,!perfazendo!um!total!

de!até!90!(noventa)!dias.!!

!

de!até!90!(noventa)!dias.!! ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva
de!até!90!(noventa)!dias.!! ! www. acasadoconcurseiro.com.br Prof.&Otávio&Piva

Prof. Otávio Piva

Direito'Constitucional '

Prof. Otávio Piva Direito'Constitucional ' 4.6! Normas!constitucionais!sindicais!(arts.!8 º ! a! 11) !

4.6! Normas!constitucionais!sindicais!(arts.!8 º ! a! 11)!

!!!!!!!!!No! texto! constitucional! são! encontrados,! entre! outros,! os! seguintes! direitos! coletivos!dos!trabalhadores!:!

a)

liberdade!de!criação!:!CF/88,!art.!8 º ,!I! !

b)

liberdade!de!inscrição!e!permanência!:!CF/88,!art.!8 º ,!V!

c)

direito!de!auto ? organização!:!CF/88,!art.!8 º ,!II,!VII!

d)

direito!de!exercício!da!atividade!sindical!na!empresa!:!CF/88,!art.!8 º ,!I!

e)

direito!de!proteção!aos!dirigentes!eleitos! (estabilidade!provisória)!:!CF/88,!art.!8 º ,!

VII. !

!!!!!!!!!Alexandre! de! Moraes! (p.! 190),! além! ! destes,! traz! outros! preceitos! relativos! à! atividade!sindical!:!!

a)

direito! democrático! :! os! sindicatos! devem! estabelecer! normas! internas! de! natureza!democráticas,!como!a!previsão!de!eleições!periódicas!e!com!voto!secreto! para! os! órgãos! dirigentes,! qu órum! de! votação! para! as! assembléias! gerais! e! o! controle!e!responsabilização!do!órgãos!dirigentes. !

b)

direito!de!independência!e!autonomia:!! os!sindicatos!têm!o!direito!de!possuir!sua! fonte!de! renda!independentes!do!patronato!ou!do!Poder!Público.!Existe!previsão! da!chamada!Contribuição!Confederativa!no!art.!8 º ,!IV!,!da!CF/88. !

c)

direito!de!relacionamento!ou!filiação!em!organizações!sindicais!internacionais: ! é! manifestação! do! princípio! da! solidariedade! internacional! dos! interesses! dos! trabalhadores. !

4.6.

1.!O!registro!das!entidades!representativas!!(art.!8 o ,!I)!

!!!!!!!!!Apesar! de! a! Constituição! Federal! vedar,! expressamente,! a! necessidade! de! autorização!estatal!!para!a!criação!de!sindicatos,!essa!!proibição!não!retirou!o!ônus!do! registro! dos!sindicatos!no!Ministério!do!Trabalho. !

4.6.

2.!Unicidade!sindical!(art.!8 º ,!II)!!!

!!!!!!!!!É!possível!afirmar!que!a!organização!coletiva!dos! trabalhadores!está!escalonada! em!três!níveis!representativos!:!!1 º )!sindicatos;!2 º )!federações;!!3 º )!confederações.!!