Você está na página 1de 6

Prática de

Processo
Civil I

competente; tratando-se de incompetência relativa, não poderá o restrições previstas no art. 38, conforme seu parágrafo único.
PETIÇÃO INICIAL juiz pronunciar-se de ofício (STJ, 33), com exceção da hipótese do Entre o advogado e a parte, há um contrato de prestação de
Art. 112, parágrafo único, do CPC (foro de eleição), no mais, a não serviços profissionais.
1. Conceito: a petição inicial é a peça inaugural do processo argüição pelo interessado, por meio de exceção de incompetência 2.5. Procuração: do latim “procurare”, significa cuidar, ad-
pela qual o autor provoca a atividade jurisdicional que é inerte (CPC, 112), ou, omisso o réu, acarretará a prorrogação da compe- ministrar. A procuração é o instrumento do contrato de man-
(Vide artigos 2º e 262 do CPC). É peça processual técnica e tência (CPC, 114). dato. Por seu intermédio comprova-se a celebração de um
formal, pelo qual é nela que se fixam os limites da lide (CPC 2.2. Nome e Qualificação das partes: CPC, 282, II – A fim de que pacto. A procuração judicial ou “ad judicia” passou a ter nova
128 e 460), devendo o autor deduzir toda a pretensão neste a sentença possa obrigar pessoa(s) certa(s), a individualização das denominação com o advento do vigente CPC, qual seja,
momento. partes se faz necessária na petição inicial. Entretanto, quando não procuração geral para o foro. Há, contudo, certos atos que
Possível, no entanto, o aditamento ou alteração do pedido for possível a qualificação completa das partes, é suficiente que as fogem do âmbito da cláusula “ad judicia” e que devem ser
(Art. 264 CPC) desde que não tenha havido a citação do réu se individuem, ou seja, que se identifiquem os envolvidos. Devem referidos expressamente no instrumento do mandato. Com
e em havendo, que ele consinta com as alterações ou inser- constar da petição inicial: Nome completo do Autor, nacionalidade, a procuração dotada de cláusula “ad judicia” fica o advogado
ções no pedido inicial. Adota a petição inicial a forma escrita, profissão, estado civil, Cédula de Identidade [nº] e do CPF [nº], habilitado a praticar todos os atos judiciais, em qualquer foro
obrigatoriamente. residência e domicílio [endereço completo], Cidade. E do Réu, o ou instância, com ressalva dos poderes previstos no CPC; a
ATENÇÃO: Pode alterar o pedido nas circunstâncias supra, seu nome completo, nacionalidade, profissão, estado civil, Cédula procuração com a cláusula “ad judicia et extra” autoriza o pro-
mas, jamais a causa de pedir. de Identidade nº. e do CPF [nº.], residente e domiciliado [endereço curador a praticar todos os atos extrajudiciais de representa-
completo] e Cidade. ção e defesa, perante pessoas de direito público, seus ór-
2. Requisitos da Petição Inicial: o Código de Processo Civil 2.3. Representação Processual: embora a necessidade de in- gãos, ministérios, desdobramentos e repartições de qualquer
enumera, didaticamente, todos os requisitos técnicos que dicação do Réu seja obrigatória, ela não afasta a possibilidade de natureza, incluídas as autarquias e entidades paraestatais,
devem ser observados ao se redigir a petição inicial, deven- qualificação incompleta do mesmo, sob pena de ofensa ao prin- bem como quaisquer, pessoas de direito privado, sociedade
do estar, cumulativamente, presentes na peça, sob pena de cípio constitucional de acesso ao Poder Judiciário (art. 5º XXXV de economia mista ou pessoas físicas em geral.
inépcia o que poderá acarretar o impedimento do prossegui- da CF), haja vista os casos de esbulho nas ações possessórias 2.6. Fatos e Fundamentos do Pedido: art. 282 – III. Causa
mento do processo. ou de réus desconhecidos. Importante mencionar que o requisi- de pedir. A petição inicial deverá indicar os fundamentos
2.1. Endereçamento (Competência): art. 282, I, CPC. Re- to da qualificação das partes está intimamente ligado a uma das de fato (causa de pedir próxima) e os fundamentos de
ferido inciso determina a indicação da Autoridade Judiciária condições da ação, legitimidade ativa e passiva, vez que, na sua direito (causa de pedir remota) do pedido. O autor dever
competente a que é dirigida a petição inicial, devendo obser- ausência o juiz poderá, liminarmente, indeferir a petição inicial, vide indicar o porquê de seu pedido. A causa de pedir se tra-
var os critérios legais para tanto. art. 295, I CPC. duz em fundamentos de fato e de direito do pedido. É a
Em primeiro lugar, deve ser verificada se a competência é Parte é que pede a tutela jurisdicional e em face de quem se pede. razão pela qual se pede. Para identificação do pedido, se
da Justiça Brasileira(competência interna) art. 91 do CPC. a) A partir da caracterização da legitimidade dos envolvidos, mister exige a dedução dos fundamentos de fato e de direito da
Em seguida verificar se a competência é originária de tribunal se faz a averiguação da capacidade destes para a prática dos pretensão. Divide-se em: a) causa de pedir remota: é o
ou de órgão jurisdicional atípico (Senado Federal: CF 52 I e II; atos da vida civil, incluindo aí os atos processuais que lhe serão direito (material) que embasa o pedido do autor; o título
Câmara dos Deputados: CF art. 1º, I; Assembléia Legislativa exigidos ao longo do desenvolvimento processual. Neste sentido jurídico que fundamenta o pedido. É a razão mediata do
estadual para julgar governador do estado: v.g., CE-SP 49); temos que as pessoas enumeradas no artigo 3º. e 4º. do CC, pedido; b) causa de pedir próxima: caracteriza-se pelo
b) em não sendo caso de competência originária de tribunal embora tenham capacidade para ser parte não detém capacidade inadimplemento do negócio jurídico pela lesão ou ameaça
ou de órgão especial, verificar se a questão é da esfera da processual para estar em juízo, necessitando de representação de lesão a direito. É a razão imediata do pedido. Os fun-
justiça especial (eleitoral, militar ou trabalhista) ou comum; c) que, no caso, é pressuposto processual de validade da relação damentos de fato compõem a causa de pedir próxima. É
se competência da justiça comum, verificar se do âmbito fe- jurídica processual. Se ausente, acarretará a inviabilidade do de- a ameaça ou a violação do direito (fatos) que caracteriza
deral, se negativa, aplica-se a competência estadual; d) dian- senvolvimento da ação proposta pelo Autor, no entanto, passível o interesse processual imediato, quer dizer, aquele que
te de hipótese de competência da justiça comum estadual, de correção e suprimento do defeito (art. 301, VIII CPC). autoriza o autor a deduzir pedido em juízo. Daí porque a
se deve buscar o foro competente, segundo os critérios defi- 2.4. Capacidade Postulatória: presença do Advogado. Pressu- causa de pedir próxima, imediata, é a violação do direito
nidos pelo CPC (classificando-a a competência em absoluta posto Processual de Validade e Regularidade da Relação Jurídica. que se pretende proteger em juízo, isto é, os fundamentos
e relativa, segundo o critério de ordem material, funcional, O advogado representa a parte no processo, não só levando sua de fato do pedido.
valor da causa e territorial); e) com a determinação do foro pretensão a Juízo. Ao mesmo tempo em que presta assistência Os fundamentos jurídicos compõem a causa de pedir
competente (local), há que ser identificado o juízo compe- técnica ao cliente, o advogado exerce um munus público como remota. É o que, após a ocorrência de um “fato”, autoriza
tente, mediante sistema processual brasileiro, pelas regras servidor ou auxiliar da Justiça à parte, que por lhe faltar capacidade o pedido. O direito, o título, não pode ser a causa de pedir
de prevenção, distribuição e propositura da ação; além das postulatória, necessita supri-la outorgando mandato ao advogado, próxima porque enquanto não ameaçados ou violados
normas estaduais de organização judiciária. o qual, ainda que, representando seu cliente, atua também para não ensejam ao seu titular o ingresso em juízo, ou seja,
Considerando a regra da competência territorial, o Art. 94 do que a tutela jurisdicional seja prestada com acerto e justiça. não caracterizam o interesse processual primário e ime-
CPC determina que, se a ação versar sobre direitos pessoais Sua presença, portanto, na relação processual, não é somente a diato, que motiva o pedido.
ou direitos reais sobre bens móveis a regra geral é de que a do representante da parte, mas igualmente a de sujeito colocado 2.7. Pedido: art.282 - IV: O pedido e suas especificações.
ação seja proposta perante o foro do domicílio do Réu. Tra- entre a parte e o juiz, para tratar com este e expor-lhe os pedi- Uma vez indicado o juízo competente, apontamento das par-
zendo nos artigos subseqüentes as exceções que excluem a dos e deduções de seu constituinte. Sua legitimação postulatória tes, causa de pedir, fundamentos jurídicos há que se formu-
regra geral do artigo mencionado quais sejam: a) Se tratar de advém do mandato judicial, razão pela qual assim dispõe o art. lar o pedido. No sistema do CPC, o termo pedido tem como
direitos reais sobre bens imóveis, foro da situação da coisa. 37 do CPC. A habilitação é conferida somente aos inscritos nos sinônimas as expressões lide, pretensão, objeto, mérito. É o
ATENÇÃO: Regra de competência absoluta na primeira quadros da Ordem dos Advogados do Brasil, como diz o art. 67 bem da vida pretendido pelo autor: a indenização, os alimen-
parte do art. 95 do CPC, o autor somente poderá optar pelo do Estatuto da Ordem dos Advogados do Brasil. Para Humberto tos, a posse, a propriedade, a anulação do contrato, etc.
foro de eleição ou do domicílio do réu desde que a lide não Theodoro Júnior, para que o advogado possa exercer o “jus pos- O regime jurídico do pedido está no CPC, art. 286 a 294.
trate de direito de propriedade, vizinhança, servidão, posse, tulandi”, isto é, para que possa, em nome e no interesse da parte, Divide-se em pedido imediato que é a prestação jurisdicional
divisão e demarcação de terras e nunciação de obra nova; tratar diretamente com o juiz e expor-lhe seus pedidos e deduções, (sentença) que se invoca (condenatória, (des) constitutiva e
b) para processamento de inventário, três regras segundo será necessário que ele a represente no processo. declaratória) e pedido mediato (bem da vida tutelado). As-
o art. 96 do CPC: b.1) domicílio do Autor da herança, b.2) A representação se formalizará por meio de mandato escrito, sim, concluímos que ao autor compete formular o pedido de
situação dos bens, se o falecido não tiver domicílio certo, b.3) conferido a advogado legalmente habilitado. O art. 254 do CPC prolação de uma sentença (pedido imediato) que garanta ao
local do óbito se, bem sem diversos locais e sem domicílio dispõe que é defeso distribuir a petição inicial desacompanhada autor o bem da vida pretendido (pedido mediato).
certo; c) Incapacidade do Réu, art. 98 combinado com o Art. da procuração. O mandato pode ser por instrumento público ou De acordo com a sistemática processualística temos os
76 do CC, domicílio do representante; d) Art. 100 do CPC, particular. O mandato “ad judicia” com mais precisão e técnica, seguintes pedidos: cumulados, alternativos, sucessivo, co-
competência relativa e prerrogativa do Autor que poderá denominado de “procuração geral para foro”, confere “jus pos- minatório, além da possibilidade de pleitear a antecipação
renunciá-la ajuizando a demanda conforme regra do art. 94 tulandi” ao advogado, habilitando-o a praticar todos os atos do de tutela vide art. 273 do CPC que visa o adiantamento dos
– domicílio do réu. processo, salvo para receber citação inicial, confessar, reconhecer efeitos da tutela jurisdicional pretendida na inicial e que, em
Tratando-se de incompetência absoluta (material ou funcio- a procedência do pedido, transigir, receber, dar quitação e firmar tese, seriam concedidos apenas quando do momento de
nal), o juízo destinatário deverá remeter os autos ao juízo compromisso. Não havendo exigência expressa de poderes es- prolatação da sentença. ATENÇÃO: A antecipação da tutela
peciais, em texto legal, a procuração “ad judicia” somente sofre as não é uma modalidade de pedido, tanto que não classificada

1
pelo CPC quando trata do pedido e suas especificações. É Para se achar o valor da causa, ver o art. 259 do CPC, que traz bem como a análise do cumprimento ou não do ônus da
uma faculdade concedida ao interessado em pedir sejam um rol meramente exemplificativo, já que não exaure o assunto, prova cabível a cada uma.
antecipados os efeitos da sentença que se pretende seja uma vez que, em legislações extravagantes existirão critérios Destaquemos aqui a possibilidade de convocação de
prolatada ao final da demanda. definidores do valor a ser atribuído a demanda fora dos casos ofício, pelo juiz da causa, para depoimento pessoal, se
Há de se considerar ainda o pedido implícito, embora a rigor expressos no CPC. Pro ex.: Lei do Inquilinato (Lei 8245/91) que tratarmos de questões relativas a direitos indisponíveis
do art. 293 do CPC o juiz deva interpretar restritivamente os estima o valor da causa nas ações de despejo por falta de paga- ou em sendo de interesse do julgador, em atenção ao
pedidos, não há como olvidar daqueles pedidos que já estão mento em 12 vezes o valor do aluguel contratado. princípio da livre apreciação das provas e da persuasão
inseridos no bojo do processo, mesmo sem pedido expresso 3.4.1. Impugnação ao valor da causa: nos termos do art. 261 racional que nesta hipótese se configura interrogatório
da parte como: os juros e correção monetária, honorários é possível que o réu insurja-se em relação ao valor atribuído à da parte.
advocatícios, bem como, quando a ação tratar de prestações causa pelo autor, de forma que, em separado, deverá promover II) Prova Testemunhal: a oitiva de testemunha é a prova
periódicas, por exemplo, parcelas de prestação alimentícia o que se chama de Impugnação ao Valor da Causa, mas de- mais comumente utilizada em processos, não impedindo
estas estão consideradas incluídas no pedido, vide art. 290 talhadamente trabalhado quando da abordagem das respostas o seu uso. Não será admitida, entretanto, quando for a
do CPC. do Réu. exclusiva forma de prova em casos de contrato ou ne-
Inobstante isso, é sempre prudente que o autor especifique LINK ACADÊMICO 1 gócio jurídico que exceda o décuplo do salário mínimo
todos os pedidos e pretensões que entende fazer jus na pe- vigente, isto aliado com o art. 227 do CC, contratos estes
tição inicial. PROVAS que não tenha forma estabelecida em lei inobstante a lei
2.7.1. Requisitos do Pedido: previsão do art. 286. O pedido excepcionar tal regra. Admite-se, no entanto, a produção
deve ser certo e determinado. A certeza diz respeito à clareza da prova testemunhal caso haja início de prova escrita
do pedido, não se admitindo pedido implícito, tanto no que 1. Provas: CPC, art. 282, VI - o autor deverá, desde logo, na (documental) ou na hipótese de ao credor não ser pos-
se refere ao tipo de provimento almejado (pedido imediato), inicial, requerer as provas com que pretende demonstrar os fa- sível a obtenção nem a exigência da prova escrita, nas
como a qual bem da vida se espera obter (pedido mediato). tos constitutivos de seu direito (CPC art. 333). É sabido que, ao situações que o inc. II 402 do CPC chama de impossibili-
No tocante à determinação, esta se refere aos limites daquilo autor é dado o ônus da prova do fato constitutivo de seu direito, dade por motivo moral ou material.
que o autor pretende, demonstrando sua extensão (assim, enquanto que ao réu cabe o ônus de provar os fatos impediti- Para a produção da prova testemunhal há que se cum-
o pedido deve ser determinado ou ao menos determinável) vos, extintivos e modificativos do direito do autor. É pacífico que prir o prazo para requerimento da mesma, ou seja, a lei
com relação ao seu “quantum”. as provas são produzidas desde a instauração da ação, sendo processual fixa prazo para arrolamento das testemunhas
2.7.2. Exceções à regra do artigo 286: a certeza é condição que com a petição inicial o autor deverá anexar todas as provas cabendo aqui a distinção entre os procedimentos Ordi-
tanto do pedido imediato, quanto do pedido mediato, sendo documentais que lhe estejam ao seu alcance, especialmente em nário, Sumário, e o dos Juizados Especiais Cíveis (Lei
impossível admitir-se pedido incerto. Quanto à determinação atenção ao disposto no art. 283 do CPC, que se refere à juntada 9099/95).
sempre deverá ser determinado, expressamente esclarecido de documento essencial à propositura da ação. Por fim, na prá- ATENÇÃO: Assim temos que, no procedimento ordinário,
já no início do processo (tipo de provimento almejado).Quan- tica redacional das petições iniciais é muito comum a indicação após a fase de saneamento do processo e verificando-se
to ao pedido mediato (que deve ser certo, quanto ao bem da de requerimento genérico, sob a forma padrão de protestar pelos a necessidade de dilação probatória caberá às partes,
vida almejado), deve ser determinado quando a extensão do meios de prova admitidos em Direito, de certo que, no momento após despacho, especificar as provas que pretendem
bem da vida postulado puder (“quantum”), desde logo, ser oportuno, de acordo com a necessidade do caso, ser-lhe-á dada produzir; neste momento o juiz pode fixar prazo para as
delimitada. oportunidade para especificação das provas que as partes pre- partes arrolarem as testemunhas, as quais pretendem
Todavia pode o pedido mediato, quando não determinado tenderão produzir na fase instrutória. sejam ouvidas em juízo, ou designando audiência de ins-
ser determinável, se tal fixação do “quantum” for impossível trução e julgamento sem assinalar prazo para oferta de
no momento da propositura da ação.   A isso o Código cha- 2. Espécies de Provas: rol de testemunhas. Quando então prevalecerá o prazo
mou de pedido genérico e se dá quando o pedido mediato 2.1. Prova Documental (art. 355 a 399 CPC): tal prova, em de dez dias da norma processual (art. 407 CPC).
(bem da vida), a despeito de certo (claro/expresso) não puder tese e pela leitura do art. 283, deve estar presente nos autos Desta feita, cabe salientarmos que estaremos diante de
ser determinado (“quantum”) no momento da propositura da já na fase postulatória, de modo que, compete ao autor instruir prazo judicial no primeiro caso e de prazo legal na segun-
ação. Neste caso poderá haver uma sentença ilíquida, no a petição inicial com os documentos que farão prova de seu da situação. Em ambos os casos, a parte não ofertando
tocante à quantificação. São hipóteses de pedido genérico, alegado e ao réu, juntá-los na contestação. Vale lembrar a fa- o rol de testemunhas no tempo assinalado gerará preclu-
segundo art. 286, I a III do CPC. culdade de juntar documento preexistente à época dos fatos e são do direito de produzir a prova.
da propositura ada demanda, porém, não se teve acesso ou ATENÇÃO: Audiência que não se realiza, como por
3. Da antecipação de tutela (art. 273 e seguintes): conhecimento em tempo. Costumamos vulgarmente nos referir exemplo, em caso de adiamento, gera novo prazo para
3.1. Objetivo: ao autor na inicial e ao réu em sede de recon- ao documento novo como sendo o documento “velho”, daí a exi- arrolamento de testemunhas, em virtude de ato proces-
venção é possível pedir a antecipação total ou parcialmente gência da característica de preexistência. Quanto à eficácia e sual não existente até então, posto que, não se realizou.
dos efeitos que somente a sentença, quando for proferida e o valor probante de documentos há que estabelecer distinções III) Número de Testemunha: segundo a norma que dis-
naquele momento oportuno (fase decisória) entregaria ao entre o documento particular e o documento público, de forma ciplina o assunto a parte pode, para a prova de cada fato,
jurisdicionado. Tal modificação visa à celeridade na entrega que aos documentos públicos se aplica a presunção absoluta arrolar até três testemunhas num total de 10 (dez) (art.
daquilo que ofereça ao julgador plausibilidade de certeza e de veracidade por deterem fé pública o escrivão, cartorário ou 407 § único CPC).
por isso quase certo seja ratificado pela sentença ao final da tabelião. No que tange ao documento particular a lei processual 2.3 Prova Pericial: toda vez que o fato a ser provado
demanda. atribui presunção relativa, é o que depreendemos do art. 368 exigir conhecimento técnico ou científico, estaremos
3.2. Requisitos para Pedido da Tutela Antecipada: os do CPC, de forma que, a não autenticidade ou eventual ataque diante da necessidade da prova técnica pericial, que
requisitos, para a concessão da entrega antecipada da pres- à veracidade do conteúdo do documento caberá a parte contra também podemos chamar de “olhos técnicos” do juiz.
tação jurisdicional pretendida, são os tidos como obrigatórios qual o documento foi produzido alegar. Serão periciados objetos, pessoas ou coisas nos termos
pela norma em comento: verossimilhança das alegações a.1) Incidente de Falsidade: procedimento a ser praticado si- da lei processual. Será mediante vistoria quando se pre-
e prova inequívoca do alegado, pela leitura do caput do multaneamente com a defesa pelo réu, se já ciente do fato em tende observação analítica de bens imóveis, exames
art. 273 e devem concorrer para que haja a prestação ante- tal oportunidade, e pelo autor quando lhe couber se pronunciar que podem ser médicos/clínicos em pessoas, ou de
cipada pretendida. acerca de documentos juntados aos autos ou ainda a qualquer outra ordem em coisas, p.ex. o exame topográfico numa
Além dos acima mencionados como obrigatórios, temos os tempo. A argüição da falsidade deve ser oferecida em petição determinada área rural e avaliação que tem finalidade de
requisitos facultativos, para concorrerem ainda com os re- inicial separada, equiparando-se a ação declaratória incidental apuração econômica, pecuniária de determinada coisa.
quisitos acima apontados como indispensáveis quando do e determinará a suspensão do processo até que se decida o Para que ela seja realizada, mister se faz a necessidade
pedido da antecipação da tutela jurisdicional, quais sejam: referido incidente. Haverá contraditório para que a parte contrária de prová-la por meio de conhecimento de profissional
fundado receio de dano irreparável ou de difícil reparação ou se manifeste acerca do incidente ofertado, no prazo de 10 dias. especializado porque de outro modo não será possível
a caracterização do abuso do direito de defesa com manifes- Importante destacarmos que a esta é possível limitar-se a con- a obtenção da prova ou verificação de fatos.
to propósito protelatório. cordância da extração do documento dos autos, extinguindo-se Se deferida, porque imprescindível a prova pericial nos
3.3. Procedimento: seja na petição inicial, na reconvenção aí o incidente de falsidade pela perda do objeto; caso contrário autos, o juiz nomeará perito judicial e às partes ficará de-
do réu ou a qualquer tempo, desde que preenchidos os prossegue-se até final decisão após a realização de perícia téc- ferido o direito de indicar assistente técnico de confiança
requisitos ensejadores de tal prestação antecipada, devem nica esclarecedora, por fim, da autenticidade ou não do docu- para acompanhamento dos trabalhos e elaboração de
as partes criar um capítulo próprio na petição, indicando o mento impugnado. A decisão proferida nos autos de incidente de
laudo paralelo no prazo de 05 dias sob pena de preclu-
pleito da antecipação da tutela, expondo suas razões que falsidade em apartado é sentença os termos do art. 269 do CPC,
são do direito de fazê-lo.
fundamentam o pedido e que dão azo a concessão anteci- com nítido caráter de ação declaratória incidental, impugnada,
Ao juiz caberá a fixação de prazo para entrega do laudo,
patória da tutela jurisdicional pretendida, juntando provas que portanto, mediante o recurso de Apelação (512 e segs. do CPC),
robusteçam e corroboram os fatos alegados, e convençam se proferida incidentalmente, assume caráter de decisão interlo- arbitramento de honorários periciais após intimação e
o julgado da impossibilidade da espera da sentença, e da cutória. Questão discutida na doutrina e na jurisprudência, sendo manifestação prévia do perito nomeado de modo que,
necessidade de imediata entrega de um ou mais efeitos pre- para alguns, aplicável o princípio da fungibilidade recursal. na prática há arbitramento dos chamados honorários
tendidos com o julgamento final da lide. 2.2 Depoimento Pessoal e Prova testemunhal: são duas provisórios para início dos trabalhos e com a conclusão
3.4. Valor da causa: art. 282, V - Indicativo econômico. Com espécies do que chamamos de prova oral. do laudo, a fixação dos honorários definitivos que, com
a finalidade principal de fixação do valor das custas proces- I) Depoimento pessoal: é ônus de cada parte requerer o de- exceção da hipótese de parte beneficiada pela gratuida-
suais e verbas de sucumbência, é necessário dar-se valor à poimento pessoal da outra (sempre a parte contrária), pois, de da justiça, suportará a parte que requerer tal prova
causa, ainda que ela não tenha conteúdo econômico imedia- visa a obtenção da confissão de fatos, que pode acontecer ex- as despesas fixadas. A prova pericial, em decorrência
to (CPC, 258), portanto, ainda que não se apure de imediato pressa ou tacitamente, dependendo da coleta de informações da ausência de hierarquia entre as provas não torna o
um valor a ser atribuído à causa, o autor deverá indicar ao no curso do depoimento, mostrando ser bastante comum a juiz vinculado ao seu resultado, devendo aplicar ao julga-
final da petição inicial um valor meramente estimatório. evasiva de o depoente ser caracterizada como confissão ficta. mento da lide o princípio do livre convencimento motiva-
Tal regra de fixação de valor pecuniário à causa está ligada Tudo aliado ao restante de provas já produzidas no bojo dos do e persuasão racional ao proferir a sentença.
à definição de competência, procedimento, base de cálculo autos, considerando que o destinatário da prova é o julgador, 2.4 Depoimento Pessoal e Prova testemunhal:
para eventual multa a ser aplicada pelo juízo, etc. a ele cabe a valoração das provas apresentadas pelas partes, Artigo 275 e seguintes CPC: importante frisar nesta ocasião que,

2
apesar das regras técnicas da petição inicial serem aplicadas a que independem do pedido, quais sejam: 1.Requerimento embora alegadas em caráter preliminar, não tem o mesmo
todo e qualquer procedimento previsto na legislação brasileira, há de citação e modalidade, 2. Intervenção do Ministério Pú- condão daquelas defesas meramente processuais, porque
de se considerar que, no que se refere ao Procedimento Sumá- blico nos casos do art. 82 do CPC, 3. Requerimento do be- acarretarão se acolhidas, a extinção do processo com reso-
rio, bem como, aos processos que tramitam perante os Juizados nefício da justiça gratuita (se for o caso) 4. Protesto padrão lução do mérito, art. 269 do CPC. Vale dizer, são defesas
Especiais (Lei 9099/95), as partes deverão especificar as provas pelas provas que deverão ser produzidas (no caso de proce- indiretas (extintivas do direito do autor).
em ocasiões específicas, sob pena de preclusão. Para o autor, na dimento ordinário, como já tratado) 5.Apontamento do valor 3.6 Ação Declaratória Incidental: o réu impugna o direito
petição inicial e para o réu, na peça de contestação. Assim, tere- atribuído à causa. em que se funda a ação, nos termos do art. 325 do CPC.
mos que, na hipótese de necessidade das provas testemunhais Termos em que, Pede Deferimento. São Paulo, dia, mês e Ataca, portanto, a causa de pedir (a remota), porque se fala
e periciais as partes interessadas deverão, obrigatoriamente, nos ano. Advogado/OAB em direito no artigo e não em fatos. Lembrando que causa
termos do artigo 276, 277do CPC, apresentar o rol de testemu- de pedir remota é o fundamento jurídico da ação e não o fato
nhas e qualificação das mesmas na petição inicial, no caso da RESPOSTA DO RÉU sobre o qual ela se funda. Ex: Ação de despejo, réu alega
prova testemunhal e, na hipótese da prova pericial, indicar assis- ser relação de comodato, não há relação locatícia, não há,
tente técnico e ofertar quesitos para os peritos. 1. Espécies: o réu pode se manifestar de diversas formas no portanto, que se falar em despejo, nunca houve cobrança
LINK ACADÊMICO 2 processo, seja por meio da contestação, que é a defesa clássica; de alugueis, não há inadimplência. Outro ex.: Em uma ação
contra-atacar a pretensão do autor pleiteando em seu favor tutela de cobrança, há uma cláusula nula no contrato que impede
CITAÇÃO jurisdicional por meio da reconvenção (art. 315 do CPC); discu- dita cobrança. A alegação de nulidade da cláusula faz com
tir o direito sobre o qual se funda a ação do Autor provocando a que inexista o direito A declaratória incidental, nesta hipótese,
1. Citação do réu: 282, VII: requerimento e modalidade. A abrangência da providência jurisdicional, por meio da Ação Decla- visa à declaração da nulidade da cláusula para afastamento
relação processual (triangular) só se aperfeiçoa com a cita- ratória Incidental, art. 5º CPC; ofertar Exceções para impugnação do direito de cobrar do Autor, que passa a configurar questão
ção do réu, motivo pelo qual o autor deverá requerer essa da competência do juízo (competência relativa) ou imparcialidade prejudicial – antecedente lógico e necessário para resolução
providência já na inicial. O autor, portanto, é obrigado a dirigir do juiz (suspeição e impedimento). Ou ainda, refutar o valor da da questão subseqüente. Daí a faculdade atribuída ao réu do
sua ação contra determinado réu que ele deva especificar. causa e a concessão da justiça gratuita eventualmente concedida pedido de declaração incidente em favor do Réu. Convém
Daí a necessidade de a citação ser requerida para poder ser em despacho inicial. Além destas formas técnicas e processuais ressaltarmos que a Ação Declaratória Incidental é pertinen-
deferida pelo juiz. previstas no ordenamento processual, há a possibilidade de reco- te também ao autor, através do que se extraí do art. 4º do
1.1 Custas e Despesas processuais: art. 19 a 35 CPC. A nhecimento jurídico do pedido que é a submissão total ou parcial CPC.
legislação pátria determina à parte que tenha que praticar à pretensão do Autor, sujeitando-se ao réu as conseqüências do 3.7 Reconvenção: é verdadeira ação do réu contra o autor,
determinado ato processual que arque com as despesas do alegado pelo autor na inicial, assumindo-as, como ex. tomemos desde que a defesa seja conexa ou vinculada com a matéria
mesmo. A prestação da atividade jurisdicional é remunerada, a ação de cobrança em que o réu admite o débito do valor pre- de defesa, não pode ser estranha à matéria da demanda do
estará isento dos pagamentos dos encargos processuais e tendido. O reconhecimento jurídico do pedido pode ser parcial ou autor. Não tem caráter de defesa (espécie), mas, de verda-
da custas apenas o beneficiário da justiça gratuita, nos ter- integral. deiro exercício do direito de ação, sob a forma de resposta
mos da Lei, a saber, Lei nº. 1060/50 no artigo 2º, em atenção do réu (gênero) em razão da pretensão do réu ofertada nos
ao disposto no artigo 5º, inciso LXXIV da CF que determina 2. Prazo e Forma: a legislação processual, nos procedimentos autos do processo da ação do Autor, observando o princípio
a assistência judiciária gratuita em cumprimento ao princípio ordinários outorga o prazo de 15 dias para oferta da contestação da economia processual.
do acesso à Justiça. Ambos são garantias fundamentais e outras modalidades de defesa pelo réu nos autos. Devendo ser Exigências: processo pendente, identidade de procedimen-
do cidadão. Para o pedido de concessão da gratuidade da apresentada em peça escrita. Nos demais ritos, a contestação há tos, conexidade, competência do juízo. É possível o ajuiza-
justiça, mister se faz a juntada de declaração de condição de ser apresentada em audiência. mento de reconvenção contra apenas um dos litisconsortes,
de hipossuficiência firmada pelo requerente (parte) nos ter- No rito sumário, o réu tem o dever de comparecer à audiência pre- ou seja, há possibilidade de diminuição do pólo passivo na
mos do artigo 4º, § 1º da Lei 1060/50. Em São Paulo e em liminar art. 277, 278 do CPC; nas ações de procedimento especial, reconvenção, no entanto, não será possível a ampliação do
alguns estados da Federação há a Defensoria Pública que consideradas estas as previstas no Livro IV do CPC (Procedimen- pólo, de modo que, apenas quem já é parte no processo
presta assistência judiciária gratuita aos comprovadamente tos especiais) e aquelas regradas por lei própria, o réu apresentará poderá reconvir. Por outro lado, o reconvinte (réu da recon-
carentes, mediante critérios definidos pelo ente mencionado, a sua resposta, dentro das espécies já previstas e aceitas pelo venção) será quem já faz parte da demanda, não podendo
atualmente definido o teto de até três salários mínimos de procedimento da ação, algumas em audiência de conciliação ou inovar nos pólos da ação.
renda familiar. em audiência considerada una, na qual se promoverá a tentativa 3.7.1 . Procedimento: a Reconvenção, assim como qual-
LINK ACADÊMICO 3 de conciliação, instrução e julgamento. Com o é o caso, por ex. da quer outra ação que se propõe, exige o recolhimento de cus-
ação de alimentos promovida pelo rito da Lei 5478/68. tas processuais, capacidade postulatória; tendo como único
ESTRUTURA DA PETIÇÃO diferencial do procedimento da ação principal, a dispensa de
3. Espécies de Respostas citação do Autor que passará a ser denominado de reconvin-
INICIAL 3.1 Contestação: a contestação é ônus do Réu, de modo que, do, já que este será intimado na pessoa de seu advogado
em não oferecendo em tempo hábil, poderão ser aplicados os (art. 316 CPC) já constituído na ação principal, enquanto o
EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO efeitos da Revelia, que é a ausência de contestação, conforme art. Réu passa a receber o tratamento de reconvinte.
DA____VARA CÍVEL DO FORO (região da Comarca se sub- 319 e seguintes do CPC. O julgamento da reconvenção será feito na mesma oportu-
dividida em foros regionais ou foros distritais, por exemplo) 3.2 Conteúdo da Contestação: o princípio da Eventualidade nidade da ação principal, sendo julgados, ambos, por uma
(OU APENAS) COMARCA DE. previsto no artigo 302 do CPC exige (determina) que o réu apre- única sentença já que elementos derivados de um único
(Espaçamento 10 a 12 linhas) sente, na oportunidade da contestação, toda a matéria de defesa procedimento.
(Nome do (a) Autor (a), brasileiro (a), estado civil, profissão, que lhe caiba falar (deduzir) na oportunidade, sob pena de pre-
portador (a) da Cédula de Identidade RG nº.). ____________ clusão consumativa, salvo nos casos do art. 303 do CPC (direito 4.Exceções: ao lado da contestação e da reconvenção,
inscrito (a) no CPF/MF sob o nº._____________ , residente e superveniente) e as matérias tratadas no art. 301, § 4º do CPC, existem ainda as exceções, também denominadas de ritu-
domiciliado (a) na Rua_________ n, Bairro, Cidade, por seu matérias que o julgador poderá conhecer de ofício sem provoca- ais, pois dependem de rito apropriado e forma específica de
advogado constituído, mediante instrumento de procuração ção da parte. oferecimento.
em anexo (Doc. 01) vem, respeitosamente, à presença de 3.3 Defesas processuais: as chamadas preliminares ou ques- São elas: exceções de impedimento e suspeição, estas
Vossa Excelência, propor AÇÃO DE ________________, tões processuais que podem acarretar a extinção do processo, de caráter subjetivo porque atacam a figura do julgador,
pelo rito ......................, em face de (Nome do (a) Réu), obstando o conhecimento da ação, produzindo tão somente coisa no quesito da imparcialidade, sendo que o impedimento é
nacionalidade, estado civil, profissão, portador da Cédu- julgada formal. Estão elencadas no art. 301 do CPC. São clas- decorre da literalidade da norma processual (art. 134 CPC),
la de Identidade RG nº. ____________inscrito no CPF/ sificadas em defesas dilatórias e peremptórias.As primeiras não figurando como verdadeira objeção ao processo, podendo
MF sob o nº._____________ , residente e domiciliada na ensejam de imediato a extinção do processo, mas apenas a sua inclusive, ser causa de ação rescisória (art. 485, V CPC) e
Rua_________ n, Bairro, Cidade, pelos motivos de fato e de dilação, enquanto que, as segundas poderão provocar a extinção neste sentido, não produz preclusão, já que se trata de cir-
direito adiante expostos: do feito como, por exemplo, se caracterizada a carência de ação, cunstância em que o julgador está proibido de atuar, e que de
DOS FATOS art. 301, X combinado com o artigo 267, VII todos do CPC. tão grave o vício, é passível sua argüição em sede preliminar
1.Narrativa dos fatos: Causa de Pedir Remota e Próxima de 3.4 Defesa Direta –Resistência ao Mérito: o réu apenas nega de defesa. Já a suspeição é verdadeira causa subjetiva, pois
acordo com os apontamentos anteriores. o direito do autor, não traz outro fato, ex.: se o réu nega o fato, exige a suspeita do envolvimento pessoal do julgador com a
2.Consubstanciado nas provas que pretende provar o quanto impugna diretamente o pedido do autor. Deve se evitar a simples demanda sob seu crivo (art. 135 CPC), dependendo sempre
alegado no corpo da argumentação, as quais deverão estar negativa por parte do réu. de argüição do interessado, concluindo que, poderá gerar
anexadas à petição inicial. 3.5 Defesa de Mérito indireta: na contestação que traz tal conte- preclusão a não argüição nos 15 dias seguintes ao conhe-
údo de defesa, o réu não se limita a negar os fatos alegados como cimento do fato provocador da suspeita de parcialidade do
1. Do direito na defesa direta de mérito, mas argüi fatos extintivos, modificativos magistrado.
1.1. Apontamento dos fundamentos jurídicos, bem ou impeditivos dos fatos alegados pelo autor. O ônus da prova é Importante destacarmos aqui que, estas modalidades de
como indicação dos dispositivos legais atinentes à es- do réu, conforme art. 333, II do CPC. Nesta forma de defesa o réu resposta podem ser manejadas tanto pelo autor como réu,
pécie. Argumentação jurídica a desenvolver de acordo reconhece o direito do autor, mas traz fato que impeça, modifique já que se apuradas a sua existência podem comprometer o
com as normas que amparam os fatos narrados, a si- ou extinga o direito do autor. Ex.: a) reconhece a dívida, mas alega resultado do julgamento para qualquer das partes.
tuação do cliente e o direito que afirma existir em favor ter havido transação, é fato extintivo do direito do autor. O réu traz 4.1 Procedimento: a) exceção de Incompetência discute
deste fatos novos, inclusive junta documentos. b) exemplo de fato impe- (questiona) a competência do juízo, do órgão julgador. Nela é
2. Pedido: pedido imediato, tutela jurisdicional: “diante ditivo: prescrição. Esta não corre contra o menor: numa ação de possível argüir apenas a incompetência relativa (critérios ter-
do exposto pede-se que seja julgado procedente o pe- usucapião um dos réus é menor não pode correr os anos de perda ritorial ou valor), devendo ser promovida exclusivamente pelo
dido (é o pedido que deve ser julgado procedente e não da posse contra este, portanto, impede o direito de usucapir do réu, no prazo de 15 dias, sob pena de preclusão e conse-
a ação!) a fim de declarar ou condenar, constituir, etc.” autor. c) se houve compensação de créditos pode ser argüido fato qüente prorrogação da competência. O réu elaborará em pe-
(que é o pedido imediato correspondente exatamente modificativo do direito do Autor. Algumas defesas prévias ou pre- tição separada a exceção, na modalidade que lhe aprouver,
ao que se pretende com a demanda). liminares processuais apontam para a ocorrência da decadência mediante os argumentos de fato e direito, passando a adotar
3. Requerimento: autor apresenta os requerimentos, e prescrição e são consideradas defesas preliminares de mérito, a terminologia de excipiente – para quem oferta a exceção e

3
excepto – para aquele que sofre a exceção – seja juízo ou do réu, outra fase toma forma, a das providências preliminares, não detém mais tal terminologia, por questões conceituais e
juiz (suspeição e impedimento). Com a introdução do pará- antigo despacho saneador, que dependerá de quais foram os ata- técnicas e que adiante trataremos quando da identificação
grafo único ao artigo 305 do CPC, é possível a interposição ques e impugnações apresentados pelo réu, de forma que tere- dos recursos. Desta feita, tal audiência apenas acontecerá
da exceção de incompetência no juízo do domicílio do réu e mos o seguinte: excluindo-se a hipótese de julgamento antecipado nos casos que tratem de direitos transacionáveis, onde, em
não necessariamente perante o juízo em que tramita a ação da lide, julgamento conforme o estado do processo segundo o art. hipótese contrária será aplicado o §3º do artigo 331 do CPC.
do autor; em decorrência da aplicação do princípio da eco- 330 do CPC, dá-se ao autor a oportunidade para manifestação O legislador atribui ao magistrado a análise de percepção da
nomia processual, bem como, para evitar maiores despesas sobre o conteúdo defensivo do réu, comumente chamada de ré- possibilidade ou não de transação entre as partes, de modo
como a locomoção do réu até o juízo em que se processa a plica, de modo que, o autor deverá manifestar-se sobre eventuais que, há inúmeras formas de verificação de tal impossibilida-
ação, apenas para excepcionar a competência do juízo, que, preliminares argüidas pelo réu ou matérias elencadas no art. 327 de ou não, muitas vezes, na prática, os juízes têm intimado
no mais das vezes, é distante razoavelmente do domicílio do do CPC e ainda sobre eventuais documentos relevantes juntados as partes para que se manifestem se há conciliação, em ou-
réu. Consagrando-se ainda a regra geral de que o réu deve pelo réu (art. 398 CPC), uma vez que, a jurisprudência dominante tros casos o magistrado poderá apurar tal impossibilidade de
ser demandando nos limites de seu domicílio. ATENÇÃO: O perfilha o entendimento de que, não havendo relevância para o acordo mediante o próprio conteúdo defensivo, uma vez que,
oferecimento das exceções suspende o processo, nos mol- deslinde da questão, dispensável será a réplica do autor, não acar- o caráter incisivo da defesa do réu, mediante as provas que
des do artigo 265 do CPC, podendo sobrestar o prazo para retando nulidade a não intimação do autor para tal ato, aliando- produziu e produzirá, pode levar a aferição da impossibilida-
o ofertamento das demais formas de resposta, contestação se ainda a teoria do prejuízo, de modo que, apenas promovendo de de acordo entre as partes.
e reconvenção, caso estas não tenham sido apresentadas, eventual prejuízo a parte, o ato será decretado nulo. Somente 2.3 Procedimento na Audiência Preliminar: em não sendo
aplicando nesta hipótese o artigo 297 do CPC. após tais procedimentos terem sido adotados é que, se falará em possível a transação das partes, haverá o saneamento do
Importante destacarmos aqui que, em se tratando de ex- designação de possível audiência entre as partes e o juízo. processo (§2º art. 331) momento em que o juiz deverá decidir
ceções, o legislador dá dois tratamentos para contagem as questões processuais ainda pendentes, como por exem-
do prazo para oferta de tais modalidades, um conforme o 2. Forma e Prazo: no procedimento ordinário, a réplica é apresen- plo, alguma preliminar de carência de ação, fixar os pontos
mencionado supra: a. hipótese de o réu ter conhecimento de tada sob a forma escrita em cinco dias se para manifestação sobre controvertidos sob os quais as provas deverão versar, deferir
fatos que fundamentem as exceções no momento de sua documentos e em dez dias se para manifestação sobre prelimina- as provas pertinentes. Na hipótese de necessidade de prova
citação e b) outro momento, conforme o disposto no artigo res suscitadas na contestação. No procedimento sumário e no rito pericial e da prova oral, açambarcando esta última a prova
305 do CPC, uma vez somente contar-se-á o prazo para da Lei 9099/95 (Juizados Especiais) as manifestações podem ser testemunhal e o depoimento pessoal, nomeará o perito ju-
interposição das exceções a partir da data em que qual- orais, no entanto, feitas na oportunidade da audiência de instrução dicial, definirá prazo para conclusão do laudo, concederá
quer das partes tomarem ciência de fato que comprometa e julgamento que é o momento do oferecimento da contestação prazo de 05 dias para as partes indicarem assistente técnico
a imparcialidade do magistrado ou a incompetência do juízo. nestes ritos mais abreviados. e quesitos (art. 421 CPC) e designará data para audiência
Cria-se com isso verdadeiro incidente processual que exigirá de instrução e julgamento para colheita da prova oral supra
decisão em separado acerca da questão. FASE DO SANEAMENTO DO mencionada.
A incompetência absoluta não depende de argüição por meio
de exceção, por se tratar de matéria de ordem pública (crité- PROCESSO – JULGAMENTO FASE DE INSTRUÇÃO
rio material e funcional), sob pena de nulidade absoluta, não CONFORME O ESTADO
gerando preclusão e também podendo ser objeto de ação 1. Audiência de Instrução de Julgamento: ato complexo,
rescisória tamanha a mácula produzida no processo. 1. Providências Preliminares: após a apresentação da réplica, em que se realizarão nela outros demais atos seriais. Mo-
se for o caso desta, o processo seguirá um caminho dentre os mento em que as provas orais, especificadas e pretendidas
5. Outras modalidades de resposta do Réu: possível ain- seguintes. pelas partes no momento oportuno – pós-saneamento do fei-
da considerarmos outras maneiras de defesa do réu, estas 1.1 Julgamento Antecipado da lide: prolatação imediata da sen- to, deverão ser produzidas, no entanto, dá-se lugar primeira-
também consideradas indiretas processuais como a Impug- tença pós-fase postulatória, ou seja, suprimida a fase de instrução mente à tentativa de composição das partes, haja vista que,
nação ao Valor da Causa e a Impugnação à concessão da de uma porque, dispensável em virtude da desnecessidade pro- esta deverá sempre ser obtida em qualquer tempo (art. 448
Justiça Gratuita. va em audiência, nos termos do inciso II, art. 330 CPC, de duas CPC). 1.1.Procedimento e Ordem dos Atos em Audiência.
5.1 Da impugnação ao valor da causa: como já tratado porque houve a revelia. Atenção! Não confundir a revelia que é Art. 450 e segs. CPC. Há uma ordem rígida pré-estabelecida
quando da análise dos requisitos da petição inicial deve ser ausência de resposta com a aplicação de seu efeito, presunção pela legislação processual que determina a abertura, com o
pregão das partes e seus respectivos advogados, em segui-
atribuído a toda causa um valor ainda que a demanda não da veracidade, haja vista que ausência de resposta deve ser ana- da, o juiz buscará a conciliação das partes (frise-se: é feita na
tenha conteúdo econômico imediato. lisada com reservas, já que o magistrado deve ater-se ao todo “audiência preliminar” e no início da “audiência de instrução e
Visto também que para o apontamento do valor da causa há (processo é macro e não micro) apurando a verossimilhança das julgamento”, ou em qualquer outro momento); em não tendo
regras norteadoras o Código de processo civil e até mesmo alegações e as provas carreadas pelo autor. Assim, em não sendo havido êxito na tentativa de transação passa-se ao momento
em leis extravagantes, como é ocaso da Lei do Inquilinato hipótese de julgamento antecipado da lide, o processo se mostra seguinte que se dará com os esclarecimentos do perito e dos
que determina o equivalente 12 vezes o valor do aluguel nas dependente de provas que, se negadas, podem acarretar nulidade assistentes técnicos, se necessário; após haverá a oitiva do
ações de despejo por falta de pagamento (Lei 8245/91) e do julgado por cerceamento de defesa. Passamos a enumerar a autor e do réu (depoimento pessoal quando requerido em
outras. segunda providência. tempo); e depois oitiva das testemunhas. É nesta oportunida-
Caso o réu se depare com irregularidades no apontamento 1.2 Extinção do processo sem resolução do Mérito: incidência de que os advogados devem contraditar as testemunhas que
do valor da causa porque ínfimo, ou porque não correspon- do art. 267 do CPC, porque se acolhida eventual preliminar de ca- sejam impedidas ou suspeitas (art. 405 CPC).
dente ao definidor legal deverá impugnar por meio do inci- ráter peremptório ou se de caráter dilatório, como por exemplo,
dente supra o valor atribuído à causa pelo autor no prazo da irregularidade de representação e neste caso, intimado para suprir, 2. Contradita: é procedimento oral que visa impedir a co-
contestação. Esta será realizada por meio de petição escrita, deixa o interessado escoar o prazo sem atendimento, caberá se- leta do depoimento de testemunha impossibilitada de depor
dirigida ao juiz da causa principal, porém sem acarretar a não a extinção do feito sem resolução do mérito. por comprometer o julgamento da causa, em virtude de cla-
suspensão do processo e muito menos suspender o prazo 1.3 Saneamento do Processo: preparação para a fase instru- ro interesse no resultado em favor de uma ou outra parte.
de defesa, como ocorre nas exceções de impedimento, sus- tória. A despeito do que possa sugerir da leitura do artigo 331 do Tal atitude por parte do advogado deve ser feita logo após
peição ou impedimento. CPC, muitos dos passos traçados acima, ocorrem, na prática, a a realização da qualificação das testemunhas nos autos,
Amparando-se no art. 261 do CPC o réu e apenas este no partir da audiência preliminar, antes denominada de audiência de fundamentando e em sendo possível, comprovando a ra-
tocante a inicial do autor, embora ao autor seja facultado o tentativa de conciliação quando somente então, o julgador efeti- zão da contradita ofertada contra a testemunha, sob pena
mesmo direito na ocasião de oferta de Reconvenção pelo vamente trava contato com os autos e as alegações que deles de preclusão (art. 414, §1º CPC). Salutar a ressalva de que
aquele que prestará depoimento não poderá participar do de-
réu, onde este, eventualmente aponte valor também indevido constam, onde finalmente há o saneamento do processo. Consi-
poimento do outro, assim como a testemunha que foi ouvida
à causa (reconvenção). derando que não houve possibilidade de julgamento antecipado não deixa a sala de audiência até que todas sejam ouvidas
5.2 Procedimento da Impugnação: processar-se-á da seguin- da lide e entrega imediata da prestação jurisdicional, tampouco, para não comprometer ou induzir o depoimento do seguinte.
te forma: apresentação da petição de impugnação em (peça) não se tratou de extinção do feito sem resolução do mérito porque,
separado, distribuindo-a por dependência já que autuada em como se diz na prática forense, ultrapassadas as preliminares ar- 3. Oitiva das testemunhas: tem procedimento rígido e tam-
apenso, pois, incidente se forma; intima-se o impugnado para güidas ou porque não existiam ou porque sanadas em tempo há- bém formal, da seguinte maneira: As perguntas são feitas
manifestação em 05 dias, possível, caso necessário, há determi- bil, estaremos diante da possibilidade de designação de audiência
diretamente pelo juiz, elaboradas pelos patronos das partes
nação pelo juízo de perícia e, incontinenti, decisão após o laudo, compelindo o processo a fase instrutória.
que, ao final, podem reperguntar, a fim de obter maiores es-
se for o caso no prazo de 10 dias proferindo decisão de natureza
interlocutória, que poderá rechaçada por meio do recurso de 2. Audiência: o processo de conhecimento traça a possibilidade clarecimentos ou ainda, complementação dos depoimentos
Agravo em virtude do tipo de decisão proferida neste incidente. de audiências até a prolatação da sentença. O ordenamento pro- das testemunhas - de acordo com a prática e rotina temos
5.2.1. Impugnação ao benefício da gratuidade da Justiça. Em cessual aponta três tipos delas, a conciliatória que pode ocorrer a que, ao advogado incumbe a formulação da repergunta
sendo este benefício concedido, pode ser impugnado por qual- qualquer tempo vide 125, IV e 342 do CPC, a audiência preliminar dirigindo esta ao juiz, e este então interroga a testemunha
quer dar partes em face da beneficiada. constante do artigo 331 e, a de instrução de julgamento dos artigos para obter o esclarecimento; o depoimento da testemunha
5.2.2. Procedimento. A impugnação à Justiça gratuita se proces- 447 e seguintes do CPC. será tomado por termo, mediante ditado resumido do juiz ao
sará do mesmo modo que a impugnação ao valor da causa: há 2.1 Conceito: a audiência é ato judicial solene, público e deve ser escrevente; em seguida, há o momento dos Debates.
petição escrita dirigida ao juiz da causa a ser processada em realizado às portas abertas, apenas com exceção dos casos que
apenso aos autos da ação principal, intimando-se a parte con- se encaixam no artigo 155 do CPC que serão processadas sob 4. Debates ou razões finais: encerrada a coleta das provas
trária para manifestação e em seguida devendo ser decidida no segredo de justiça. A audiência deve ser vista como um dos atos orais na audiência de instrução e julgamento o juiz dará a pala-
prazo de 10 dias pelo juiz. Também não acarreta a suspensão da fase de saneamento do processo e não como o saneamento vra aos advogados das partes para apresentação dos memo-
do processo. em si. riais ou também das denominadas de razões finais, pelo prazo
LINK ACADÊMICO 4 2.2 Audiência Preliminar: artigo 331. Tal audiência não tem sucessivo de 20 minutos para cada um, prorrogável por mais
como objetivo principal a conciliação das partes que, como se dez a critério do juiz. Se estiver intervindo o Ministério Público
RÉPLICA sabe, deve ser buscada a qualquer tempo. Ela está na lei para como fiscal da lei, falará após as partes em igual prazo.
que, em não sendo possível a transação na oportunidade de sua Havendo litisconsorte ou terceiro (assistente, litisdenunciado,
1. Generalidades: após a fase de oferecimento de resposta realização, o juiz profira o chamado “despacho saneador” que hoje chamados ao processo, etc.), o prazo mais a prorrogação

4
serão somados e divididos entre os dos mesmos grupos de praticados, adaptando-a ao procedimento correto; carência explí- substanciado nos mesmos fatos, daí a limitação e a distinção
partes plúrimas, salvo se entre elas houver acordo diferente. cita de condições da ação, tais como, legitimidade ou interesse de clara havida entre o instituto da reconvenção e o do pedido
Se houver opoente (art. 56), este sustentará suas razões an- agir já trabalhado; a verificação da prescrição ou decadência de contraposto.
teriormente às das partes, em primeiro lugar, porque a opo- imediato. Veja que nesta hipótese o juiz extingue o processo com Após o ato de oferecimento de defesa, o juiz avaliará os au-
sição, já tratada, é uma ação prejudicial que coloca o autor e resolução de mérito, pelo acolhimento da prescrição e decadência. tos, para espancar os vícios e decidir nos autos acerca das
réus primitivos na oposição de co-réus. Por fim, a hipótese de não atendimento das prescrições referentes preliminares. ATENÇÃO: Poderá o juiz poderá converter o
Se a causa apresentar questões complexas de fato e de à representatividade da parte por profissional técnico (capacidade rito do processo de sumário, para ordinário, em face do que
direito, o debate oral poderá ser substituído por memoriais postulatória) ou descumprimento do prazo para sanar irregularida- foi alegado pelas partes – artigo 277, parágrafo 4º do CPC,
(embora, hodiernamente, seja regra e não exceção), caso des formais (conforme arts. 39, parágrafo único e 284). necessidade de prova complexa, ou adequação do rito mal
em que o juiz designará dia e hora para seu oferecimen- LINK ACADÊMICO 5 empregado inicialmente pelo autor da demanda.
to – §3º do art. 454. ATENÇÃO: alegações finais não são LINK ACADÊMICO 6
obrigatórias. Após entrega dos memoriais ou encerrados os PROCEDIMENTO SUMÁRIO
debates orais em audiência de instrução e julgamento passa- JUIZADOS ESPECIAIS
remos à fase decisória, em que o juiz proferirá sentença no 1. Generalidades: o procedimento sumário está localizado no
ato ou em 10 (dez) dias. Livro I, Capítulo III, Título VII – art. 275 a 281 do CPC. Segundo CÍVEIS – LEI 9099/95
o rito sumário, há uma abreviação no desenvolvimento de deter- 1. Generalidades: foram criados com o objetivo de criar
FASE DECISÓRIA minadas fases, sendo certo afirmarmos que o legislador cuidou de meios mais céleres ágeis para diminuir os conflitos que não
excluir do rito sumário algumas providências visando à celeridade chegam ao Poder Judiciário e que por isso constituem fato-
1. Fase Decisória: no que concerne ao momento da fase da efetiva prestação jurisdicional, diante de circunstâncias eleitas res de crescente insatisfação pessoal das pessoas e possí-
decisória já vista alhures, não necessariamente será reali- pela legislação processual como sendo de menor complexidade vel deterioração de suas relações. O intuito do legislador está
zada após a instrução, é possível que o julgador, diante de fática e jurídica. ATENÇÃO: Não se observará o procedimento estampado na legislação, quando prevê aplicação de uma
situações que lhe permitam oferecer sentença (julgar-decidir) sumário nas causas que versarem sobre estado da pessoa ou justiça bem mais informal, na qual a observância dos prin-
e por fim ao processo, o faça. Com exceção das situações capacidade. cípios da oralidade, simplicidade, informalidade, economia
em que o julgador poderá julgar a lide antecipadamente, (art. processual e celeridade (artigo 2º da Lei 9099/95).
330 do CPC), o processo somente receberá julgamento final 2. Hipóteses de adoção do procedimento sumário: o artigo 275
- mediante sentença - após instrução do feito que permitirá a do CPC impõe o procedimento sumário, por parte do autor, para 2. Competência de Julgamento dos juizados especiais
formação do livre convencimento motivado do julgador aliado o ajuizamento de determinadas ações e segundo o mencionado cíveis estaduais (JECs) e Federais (JEFs): a competência
à persuasão racional do mesmo. dispositivo legal, com os seguintes critérios. de referidos órgãos autônomos de jurisdição é definida de
Após a sentença não poderá mais o julgador inovar o teor 2.1 Em razão do valor (art. 275, I, do CPC: causa que não ultra- acordo com critérios relacionados à matéria objeto de discus-
da decisão, competindo a ele, desde que não tenha havido passem 60 salários mínimos), como para as demais causas cujas são na lide, com o valor e com as pessoas envolvidas. Assim,
recurso que impeça os efeitos da sentença, atuar na cha- matérias o CPC versa, consoante o artigo 275, II, do CPC. Critério há que se evidenciar o seguinte.
mada fase de Cumprimento de Sentença, antigamente de- Econômico; e o decorrente da matéria versada. E aí independen- a) Quanto à matéria são atribuídas à competência dos juiza-
nominada de Execução de Titulo Judicial. Obviamente após temente dos valores que às referidas causas serão atribuídos. dos estaduais as causas que, segundo o Código de Proces-
requerimento do interessado, vencedor da causa em virtude 2.2 Em razão da matéria: temos indicadas pelo legislador as se- so Civil, comportam também o procedimento sumário, nos
dos princípios da inércia da jurisdição, aliado ao princípio dis- guintes: a) arrendamento rural e parceria agrícola, b)cobrança ao exatos termos do artigo 275, inciso II do Código de Processo
positivo das partes. condômino de quantias devidas ao condomínio; c) ressarcimento Civil. (Vide art. 3, II da Lei 9099/95). Não será objeto de julga-
por danos em prédio urbano ou rústico. Expressão que deve ser mento pelos Juizados Especiais Cíveis: ações de natureza
2. Sentença. Conceito: sentença é o ato do juiz que põe compreendida num sentido amplo, compreendendo aí o solo, as alimentar, falimentar, fiscal e do interesse da Fazenda Pú-
termo ao processo, decidindo, ou não, o mérito da causa. construções, as plantações, as pertenças, acessões. Destacando- blica, além das causas que envolvam acidentes do trabalho
Sentença é o ato terminativo que decide a lide ou não. Se se aqui que a ação mencionada é a que se referir à indenização e resíduos, bem como, causas que discutam o estado e
a sentença julga o mérito, dá-se a classificação de sentença decorrente de ato ilícito, ou seja, a responsabilidade objetiva ou capacidade das pessoas, ainda que de cunho meramente
definitiva, que define a lide, nos casos em que, o juiz senten- subjetiva, nos termos da lei civil. d) ressarcimento por danos cau- patrimonial.
cia extinguindo o processo sem que tenha se manifestado sados em acidente de trânsito de veículo de via terrestre. Não b) Com relação ao valor da causa, os Juizados estaduais
acerca da pretensão das partes, do mérito da lide é conside- compreendendo, portanto, os acidentes ocorridos com navios, terão competência limitada ao limite máximo equivalente a
rada a sentença meramente terminativa. aviões, e outras embarcações, que se movimentam pelo ar ou 40 salários mínimos, i.e., causas cujo valor não exceda a tal
A sentença é, acima de tudo, um ato processual racional e pela água; e) de cobrança de seguro, relativamente aos danos limite. Por fim, o juizado especial cível estadual (JEC) pos-
de inteligência do magistrado, posto que por meio dela o juiz causados em acidente de veículo (...). Esta modalidade aplica-se sui ainda competência para processar a execução de seus
realizará verdadeiro exercício de lógica, partindo do exame para os seguros de automóveis apenas, posto que, quanto aos próprios julgados e dos títulos executivos extrajudiciais cujos
da pretensão do autor, da defesa apresentada pelo réu, dos seguros para danos pessoais, de que resulte morte, ou incapaci- valores, não extrapolem os limites legais.
fatos alegados e provados, para enfim, considerar qual Direi- dade, o segurado poderá usar a execução forçada nos termos do ATENÇÃO: Os juizados especiais foram criados para pos-
to aplicável para dar a solução à controvérsia. artigo 585, III, do CPC com base na apólice ou contrato que tenha sibilitar o acesso à Justiça a todo cidadão, dispensando, in-
2.1.Requisitos da Sentença: bem indicados no artigo 458 força executiva; f) cobrança de honorários dos profissionais libe- clusive a presença de advogado para intentar ação perante
do CPC, temos que a sentença como ato processual técnico, rais, com as ressalvas legais ATENÇÃO! No caso dos honorários tal órgão julgador, no entanto, fundamental deixar ressalvado
solene e formal; deverá conter ao ser lavrada, a indicação de advocatícios, dispõe o artigo 24 da Lei n. 8.906/94 (Estatuto da que a dispensa de participação do advogado está permitida
relatório ou histórico, em que cabe ao juiz a narrativa resu- Ordem dos Advogados e Código de ética e Disciplina) é possível a em causas de até 20 salários mínimos. Todavia, obrigatória
mida da demanda, desde a inicial, resposta do réu, inciden- via executiva, posto que a decisão judicial que fixar ou arbitrar ho- a presença do profissional habilitado nas causas de maior
tes, resoluções, provas produzidas, etc.; A falta do relatório norários e o contrato escrito que os estipule são títulos executivos, valor.
acarreta nulidade da sentença. Se existente o relatório, ainda g) nos demais casos previstos em lei, como por exemplo: Lei n. c) Em relação às pessoas somente as consideradas capa-
que muito sucinto, é válida a sentença. . Fundamentação: A 8.213/91 – artigo 129, II acidente de trabalho; Lei n. 8.245/91 – zes (que possuam idade mínima de 18 anos) é que podem
fundamentação é garantia prevista no artigo 93, inciso IX, da artigo 68 – ação revisional de aluguel; Decreto-lei n. 58/37 – artigo reclamar perante o Juizado Especial Estadual. As empresas
CF. Toda decisão, aqui açambarcando todas as manifesta- 16 – ação de adjudicação compulsória; Lei n. 6.969/81 – ação de (pessoas jurídicas), regra geral, não podem reclamar nos
usucapião especial; Juizados Especiais Cíveis, salvo as microempresas (art. 38
ções judiciais complexas (exclui-se aqui despachos de mero
Lei 9841/99) e as de pequeno porte (art. 74 da LC 123/2006)
expediente ou decisões que não tenham cunho decisório) 3. Processamento da Ação no Procedimento Sumário: ao au- ATENÇÃO: Não poderão ser partes: o incapaz, preso, as
deverá apontar em seu arrazoado, o porquê do “decisum”. tor caberá a redação da petição sob a forma escrita, nos termos já pessoas jurídicas de direito público, as empresas públicas da
Quais as razões levaram o julgador a decidir de ou de outro estudados e explicitados acima, com verificação dos artigos 276 c/c União, a massa falida e o insolvente civil. (art. 8.º lei 9099/95).
modo a lide levada a efeito. 282 e 283 do CPC. Deferida a petição inicial, o juiz ordenará que Vedada ainda a intervenção de terceiros, sendo permitido,
A fundamentação é indispensável para a validade e eficácia se proceda à citação do réu para comparecer à audiência de conci- apenas litisconsórcio (art. 10 Lei 9099/95).
do ato processual sentença, sob pena de nulidade absoluta, liação, sob pena de revelia. Tal audiência será designada para que
até porque, em virtude da necessidade de eventual apelo ou ocorra no prazo de 30 dias, após o deferimento da inicial – artigo 3. Os atos Processuais no Juizado especial Cível Esta-
recurso da parte prejudicada se tenha razões para argüir a 277 do CPC. A citação deverá ser feita com antecedência mínima da dual (JEC) e a Fase Recursal: estando em termos a peti-
reforma ou modificação do julgado. Na fundamentação, o audiência de conciliação, no prazo de 10 dias. Sendo ré a Fazenda ção inicial, ou o requerimento da parte oralmente realizado
juiz deverá expor minuciosamente os motivos de fato e direi- Pública, o prazo para defesa contar-se-á em dobro. Se houver acor- na secretaria dos Juizados, perante funcionário ou quem de
to que o levaram a decidir a causa, bem como, quais provas do na audiência, o juiz reduzirá a termo as condições ajustadas e ho- direito, nas causas de valor de até 20 salários mínimos, o
firmaram seu convencimento, o que obriga o julgador a anali- mologará a referida composição para que produza seus jurídicos e juiz determinará a citação do réu. A citação será feita apenas
sar o processo sob o prisma fático e jurídico que demonstrará legais efeitos. O juiz poderá receber ajuda de um conciliador – artigo pelo correio (AR) ou por oficial de Justiça. (art. 18 lei 9099/95)
sua motivação para o julgamento do feito. Por fim, a parte 277, parágrafo primeiro do CPC devidamente citado e não ocorren- Excepcionalmente na fase de execução poderá ser utilizada
chamada de Dispositiva, em que o juiz efetivamente presta do transação entre as partes, o réu na mesma audiência conciliatória a citação por edital, como, por exemplo, se engendrado na
a tutela jurisdicional, parte esta que transita em julgado, pro- oferecerá defesa escrita ou oral, acompanhada dos documentos e hipótese de medida cautelar de arresto do CPC. A citação
duzindo a coisa julgada material que falaremos mais adiante. rol de testemunhas e requerer perícias, se entender necessária, com determinará o comparecimento das partes a uma audiência
Na referida parte dispositiva o juiz entrega não só a prestação quesitos e indicação de assistente técnico – artigo 278 do CPC. preliminar de tentativa de conciliação, obrigatório o compare-
jurisdicional (sentença) bem como, o pretendido bem da vida cimento, sob pena de extinção e arquivamento (se ausência
desejado ou disputado na lide (direito material). 4. Resposta do Réu: a resposta do réu consistirá em contestação do autor) ou revelia (se a ausência for do réu). Não restan-
e exceção. Não cabe intervenção de terceiros, como denuncia- do êxito na tentativa de transação das partes (conciliação),
Indeferimento da Inicial: será indeferida a petição inicial
ção da lide. Não cabe ação declaratória incidental. – artigo 280 do designar-se-á nova audiência de instrução e julgamento,
quando não apresentar condições técnicas para sua viabi-
CPC. Não cabe reconvenção. Cabe apenas pedido contraposto – momento em que será ofertada contestação oral ou escrita
lidade como por exemplo: má escolha do procedimento pelo
artigo 278, parágrafo 1º do CPC, ocasião em que na própria peça com toda a matéria de defesa bem como eventual pedido
autor, desde que não possam ser aproveitados os atos já
de defesa o réu deduzirá pedido em desfavor do Autor, desde con- contraposto (nos moldes do procedimento sumário) sendo

5
permitido a realização de todas as provas em direito admi- 4 Preparo: envolve custas judiciais e despesas com o encaminha- EXEMPLO DE ARGUMENTAÇÃO: A pretensão da APE-
tidas. mento do recurso de apelação, denominadas de porte de remessa LANTE é fazer justiça no sentido de ver os seus direitos reco-
No tocante ao procedimento probatório serão apresentados e de retorno, que deverão ser recolhidas em guia própria e ser nhecidos pelos Ilustres Julgadores desta respeitável corte.
todos os documentos pertinentes que corroboram as alega- comprovado já com a interposição da apelação. Constata-se que a r. sentença não menciona qual dispositivo
ções da parte, bem como serão ouvidas as testemunhas, ATENÇÃO: Evidente que, salvo nos casos de partes que são legal adotado para o caso. O que é fundamental para que a
podendo cada parte levar, no máximo, 3 (três) testemunhas, beneficiárias da justiça gratuita ou estão, por lei (MP, Fazenda Na- parte saiba, dentro do ordenamento jurídico, por qual dispo-
independente de prévia intimação para comparecimento. cional) dispensadas de preparo, a sua falta levará ao indeferimen- sitivo legal fora tingida, assim aferindo o grau de justeza, ou
É ônus da parte, obviamente que, em sendo necessária é to da apelação, dessa decisão cabendo agravo de instrumento. não, da decisão que lhe atinge.
possível o pleito de intimação para regular comparecimento Se a parte alegar e demonstrar justo motivo para não ter feito o Vale lembrar que a r. sentença conclui que, etc.
de testemunha, sendo que esse pedido só pode ser feito até, preparo, o juiz pode relevar a pena de deserção. Esta última de- Data venia, a r. decisão há ser reformada, na verdade a exor-
pelo menos, 5 (cinco) dias antes da audiência de instrução cisão é irrecorrível, cabendo, todavia, ao tribunal o exame de sua dial de fls. é robusta na narrativa dos fatos e danos, além de
e julgamento. Aplica-se a Lei 9099/95 não a regra geral do legitimidade. A deserção é a pena ou sanção civil aplicada àquele amparada por forte produção probatória etc. .... e ...., é per-
CPC (art. 407). obrigado a realizar o pagamento integral do preparo supra ou se feitamente possível, pois são invioláveis a intimidade, a vida
Não é permitida prova pericial nos Juizados Especiais Cíveis, realizado, o fez parcialmente, sem ter complementado em tempo privada, a honra e imagem do Autor, ora apelante, devendo
entretanto, o Juiz poderá, se for o caso, ouvir técnico de sua hábil, tampouco provou o impedimento justo do não recolhimento. a recorrida ser responsável pelo dano moral e material que
confiança sobre os fatos, asseverando ainda que as partes A deserção implica no não conhecimento do recurso. causou a recorrente.
possam apresentar parecer técnico ou mesmo, levar o técni- 4.1 Pedido da Apelação: considerando o recurso de apelação E, na situação concreta dos autos, o processo não atingiu
co para depor como testemunha. Analisada as provas o juiz como o mais amplo de todos, como já afirmado outrora, bem “integralmente” sua função sócio política e jurídica frente à
profere sentença, geralmente em audiência. como, sabendo-se que ele devolverá, na medida da pretensão posição do indivíduo perante a força ou a violação de algum
do recorrente (apelante) as questões para reexame integral pelo direito próprio ou alheio do qual esteja legitimada a exigir-lhe
4. Terminologia no âmbito recursal: a terminologia em- tribunal (“ad quem”) mister se faz a distinção entre o que se pre- a observância.
pregada para a realização de tais julgamentos é a seguinte: tende e a elaboração do pedido do recurso, ao final da petição Isto posto, requer seja o presente recurso recebido, conhe-
Para o juízo de admissibilidade se o recurso estiver em per- recursal. Sob este prisma, temos que avaliar qual o objeto do re- cido e provido no sentido de reformar a r. sentença a fim
feitas condições, diz-se que o recurso é conhecido, no caso curso. Se para invalidar ou anular sentença dada em decorrência de que ...... quais as pretensões?? Por ser medida da mais
do juízo de admissibilidade não ter sido aprovado diz-se que de inobservância do procedimento pelo julgador, haverá erro de lídima justiça.
o recurso não foi conhecido o que implica em afirmarmos que procedimento, o que a doutrina denomina de “error in proceden- Nestes termos, Pede Deferimento.
tal recurso sequer será processado, pois teve seu encami- do”, motivo pelo qual ao tribunal é dado o reexame da questão e Cidade, data e ano. Advogado OAB
nhamento para análise meritória impedido. em se anulando a sentença, remeterá os autos ao primeiro grau LINK ACADÊMICO 8
Uma vez ultrapassado, positivamente, o juízo de admissibili- para regularização do defeito. Com exclusão de casos em que o
dade e, portanto, o recurso foi conhecido, passa-se a analisar próprio Tribunal não puder sanar o vício e adentrar no mérito da
o mérito do mesmo quando então a terminologia empregada questão. A outra hipótese é a que chamamos de erro de julgamen-
será a seguinte: Dá-se provimento ao recurso – na hipóte- to, também conhecida como “error in judicando”, onde o eventual
se de êxito do recorrente; Nega-se provimento ao recurso, erro do julgado reside na má aplicação do direito sobre o fato, o
quando não assistir razão ao recorrente. julgamento de fato.
LINK ACADÊMICO 7 4.2. Resposta do Apelado e Prazo: o prazo para responder sob a
forma de contra-razões é também de quinze dias, a ausência des-
tas não se constitui em óbice para o encaminhamento do recurso
APELAÇÃO para o órgão “ad quem”.
4.3 Processamento no Tribunal: no tribunal, o processo é re-
1 Generalidades: a apelação é o recurso ordinário cabível metido ao relator sorteado, passando, em seguida, ao revisor que
A coleção Guia Acadêmico é o ponto de partida dos estudos
contra as sentenças em primeiro grau de jurisdição. Nos ter- o coloca pauta para julgamento. No tribunal, caberá ao relator a das disciplinas dos cursos de graduação, devendo ser com-
mos do art. 162, § 1º, sentença é o ato do juiz que põe fim providência relativa à preparação do processo para julgamento da plementada com o material disponível nos Links e com a lei-
ao processo, com ou sem julgamento de mérito. Para fins de Câmara. Na sessão de julgamento, votam três desembargadores: tura de livros didáticos.
apelação, portanto, a sentença é o ato terminativo do proces- o relator, o revisor e, o terceiro o desembargador. A parte que pre-
so, independentemente de seu conteúdo, seja a sentença tender realizar sustentação oral poderá requerer, e o fará antes da Prática de Processo Civil I – 1ª edição - 2009
enquadrável nas hipóteses do art. 267 ou nas hipóteses do votação, no prazo de 15 minutos (art. 554).
art. 269. 1.1 Prazo. 15 dias da intimação da sentença ou, se Coordenador:
proferida em audiência, contados da data da realização des- MODELO DE PETIÇÃO DE INTERPOSIÇÃO Carlos Eduardo Brocanella Witter, Professor universitário e
ta, posto que, as partes saem intimadas do ato. E RAZÕES DE APELAÇÃO de cursos preparatórios há mais de 10 anos, Especialista em
Direito Educacional; Mestre em Educação e Semiótica Jurí-
dica; Membro da Associação Brasileira para o Progresso da
2 Efeitos da Apelação: nesta espécie de recurso, o qual PEÇA DE INTERPOSIÇÃO Ciência; Palestrante; Advogado e Autor de obras jurídicas.
tem sido caracterizado como o mais abrangente de todos EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA ....ª Autora:
os recursos previstos, é permitida a rediscussão de todas as VARA CÍVEL DA COMARCA DE ... Daniela Moraes Perez. Advogada em São Paulo. Pós gradu-
questões discutidas em primeiro grau, tanto as de fato quanto ENDEREÇAMENTO AO JUÍZO “A QUO” ada em Direito Processual Civil pela PUC/SP. Pós Graduada
de direito, promovendo novo exame da causa, excluindo-se, Espaçamento 12 linhas ou mais em Direito Público. Professora das disciplinas de Prática Jurí-
apenas, questões decididas antes da sentença, em relação ....................................., já qualificada nos autos .... da AÇÃO DE .........., dica e Processo Civil da Universidade Cidade de São Paulo e
às quais tenha se operado o efeito preclusivo. A apelação de- movida contra ...., por seu advogado, que esta subscreve, vem respei- Cursos Preparatórios.
volverá (daí o efeito devolutivo) ao tribunal o exame das ques- tosamente à presença de Vossa Excelência, não tendo se conforma-
tões anteriores à sentença, ainda que não decididas. Tais do com a r. sentença de fls. .... interpor com base no artigo 496, I e 513 A coleção Guia Acadêmico é uma publicação da Memes Tec-
nologia Educacional Ltda. São Paulo-SP.
questões, entendidas estas como os pontos controvertidos e seguintes do Código de Processo Civil, o presente recurso de
Endereço eletrônico: www.memesjuridico.com.br
de fato e de direito, que não tenham sido decididas, porque, APELAÇÃO Todos os direitos reservados. É terminantemente proibida a
se foram, contra a decisão que as resolveu no curso da de- consubstanciado nas anexas razões de apelação, as quais requer reprodução total ou parcial desta publicação, por qualquer
manda caberia o recurso de agravo. Se este que era o cabível sejam recebidas, processadas e encaminhadas à superior instância, meio ou processo, sem a expressa autorização do autor e da
não foi manejado gerou a preclusão. ATENÇÃO: casos não pagas as custas, na forma da lei. editora. A violação dos direitos autorais caracteriza crime, sem
previstos em leis extravagantes, tampouco, expressamente Termos em que, Pede Deferimento. prejuízo das sanções civis cabíveis.
determinados no Código que a apelação não terá efeito sus- São Paulo dia, mês e ano. Advogado OAB.
pensivo, a regra é de que seja ela recebida no duplo efeito. PETIÇÃO SEQUENCIAL COM APRESENTANDO RAZÕES DA
APELAÇÃO
3 Processamento e Forma: a apelação será ser interposta EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO ...
por meio de petição escrita dirigida ao juiz que proferiu a sen- APELANTE:
tença (“a quo”). Tal petição deverá conter: os nomes e qualifi- APELADO:
cação das partes, os fundamentos de fato e de direito e o pe- VARA DE ORIGEM: ....
dido de nova decisão. É costume forense oferecer em peças PROCESSO Nº:
separadas a petição dirigida ao juiz (petição de interposição
do recurso de apelação) das razões nas quais estão contidos RAZÕES DA APELAÇÃO
os fundamentos de fato e de direito e o pedido de nova deci-
www.memesjuridico.com.br
são. Essa prática pode ser utilizada, desde que se forme um Colenda Câmara,
conjunto único apresentado de uma só vez. Quando houver a Ínclitos Julgadores,
interposição da apelação perante o juízo “a quo”, é plenamen-
te aceitável que se redija uma peça onde se dá a notícia da 1º) Em que pese a cultura jurídica do digno juiz prolator da sentença
insatisfação com a sentença proferida, interpondo o recurso de primeira instância, a suplicada, ora apelante, não se pode confor-
de apelação e em página seguinte se redijam as razões, que mar com os termos da decisão.
serão direcionadas ao juízo “ad quem”. Tudo se apresen- ATENÇÃO: fundamentos do recurso mais razões para mudança:
tando em peça formalmente una. Interposta a apelação, se Hipótese de “error in judicando” – pedido de provimento para reforma
tempestiva (veja que o julgador de primeiro grau faz um pré- do julgado; “error in procedendo” – pedido de provimento para anu-
vio juízo de admissibilidade), o juiz a receberá declarando os lação do julgado (casos de Vícios de processo, etc.); Apontamento
seus efeitos e dará vista ao apelado para responder. dos dispositivos legais e fundamentação jurídica (doutrina, jurispru-
dência).

Você também pode gostar