Você está na página 1de 21
Março/2013 Apostila de Química Inorgânica – Parte 01 Elaborada por: Profº Danilo Coelho I –

Março/2013

Apostila de Química Inorgânica Parte 01 Elaborada por: Profº Danilo Coelho

I Conceitos básicos:

1) Química - É a ciência que estuda os fenômenos, as reações existentes na natureza.

2) Matéria - É tudo aquilo que possui massa e ocupa lugar no espaço.

3) Energia - É tudo que pode transformar a matéria, causar sensações, anular ou provocar movimento.

Ex.1:

Ex.2:

sensações, anular ou provocar movimento. Ex.1: Ex.2: 4) Átomo - É uma partícula da matéria onde

4) Átomo - É uma partícula da matéria onde podemos analisar as suas propriedades.

Obs: Cobalto => Co

Césio => Cs

5) Molécula - É um conjunto de átomos.

6) As substâncias - podem ser:

Substâncias Puras Simples (S.P.S.) - São aquelas que apresentam um único elemento químico;

Substâncias Puras Compostas (S.P.C.) - São aquelas que apresentam vários elementos químicos.

6.1) S.P.S. - Classificação -> Atomicidade (quantidade de átomos)

Monoatômica - 1 átomo, Ex: O, Na, Cl, etc

Diatômica - 2 átomos, Ex: N 2 , Cl 2 , O 2 , etc

Triatômica - 3 átomos, Ex: O 3

Poliatômica - Mais de 3 átomos, Ex: P 4 , S 8 , etc

6.2) S.P.C. - Classificação - Quantidade de elementos

Binária - 2 elementos

- Quantidade de elementos Binária - 2 elementos APOSTILA DE QUÍMICA – PARTE 01 ELABORADO POR:

APOSTILA DE QUÍMICA PARTE 01

ELABORADO POR: DANILO COELHO

1

Ternária - 3 elementos

Quaternária - 4 elementos

Ex.: H 2 O - binária ( 3 átomos)

H 2 So 4 - ternária (poliatômico, 7 átomos)

HOCN - quaternária (4 átomos)

7) Fenômeno - É todo e qualquer acontecimento na natureza, os fenômenos podem ser:

7.1) Físicos - Não existe alteração na constituição íntima da matéria.

7.2) Químicos - Existe alteração na constituição íntima da matéria.

Ex 1 Quebra de um objeto. Físico

Ex 2 Derretimento de um iceberg. Físico

Ex 3 Ferro virando ferrugem. Químico : 4Fe + 3O 2 2Fe 2 O 3

Ex 4 : Evaporação do álcool Físico

Ex 5 Queima da madeira. Químico

Ex 6 Combustão da gasolina. Químico

Ex 7 Digestão de uma banana. Químico

Ex 8 Crescimento de uma planta. Químico

8) Os Estados Físicos

Sólidos

Líquidos

F. atração >> F. repulsão; Forma e volume = Constantes;

>> F. repulsão; Forma e volume = Constantes; F. atração  F. repulsão; Forma = Variável,

F. atração F. repulsão; Forma = Variável, Volume = Constante;

 F. repulsão; Forma = Variável, Volume = Constante; APOSTILA DE QUÍMICA – PARTE 01 ELABORADO
 F. repulsão; Forma = Variável, Volume = Constante; APOSTILA DE QUÍMICA – PARTE 01 ELABORADO

APOSTILA DE QUÍMICA PARTE 01

ELABORADO POR: DANILO COELHO

2

Gasosos

F. atração << F. repulsão; Forma e volume = Variáveis.

<< F. repulsão; Forma e volume = Variáveis. 9) Mudanças de estados físicos Influenciados por 2

9) Mudanças de estados físicos

Influenciados por 2 fatores : Temperatura e Pressão.

Influenciados por 2 fatores : Temperatura e Pressão. Ex. Sublimação: Iodo, cânfora, Naftaleno, Gelo seco (CO

Ex. Sublimação: Iodo, cânfora, Naftaleno, Gelo seco (CO 2 ), etc.

10) Alotropia

I Conceito - É o fenômeno onde 2 ou mais substâncias puras simples, diferentes, que são formadas por átomos de um mesmo elemento químico. Essas substâncias apresentam propriedades químicas semelhantes e diferentes propriedades físicas.

II- Alotropia do oxigênio

Variedades alotrópicas do oxigênio

O 2 (Gás oxigênio) e O 3 (Gás ozone [ozônio]). Diferentes atomicidades.

III- Alotropia do carbono

a) Carbono grafite C n , Carbono diamante C n , Fulereno C 60 variedades alotrópicas de diferentes estruturas.

0 → variedades alotrópicas de diferentes estruturas. →C arbono grafite APOSTILA DE QUÍMICA – PARTE 01

→Carbono grafite

alotrópicas de diferentes estruturas. →C arbono grafite APOSTILA DE QUÍMICA – PARTE 01 → Carbono diamante

APOSTILA DE QUÍMICA PARTE 01

estruturas. →C arbono grafite APOSTILA DE QUÍMICA – PARTE 01 → Carbono diamante ELABORADO POR: DANILO

Carbono diamante

ELABORADO POR: DANILO COELHO

3

b) Fulereno ou Futeboleno

Estrutura semelhante a uma bola de futebol apresentando hexágonos e pentágonos entrelaçados.

futebol apresentando hexágonos e pentágonos entrelaçados. c) Fósforo Branco (4 átomos) e Fósforo Vermelho (vários

c) Fósforo Branco (4 átomos) e Fósforo Vermelho (vários átomos) Possuem

diferentes atomicidades.

d) Enxofre Rômbico (cristais transparentes) e Enxofre Monoclínico (cristais opacos)

Possuem diferentes estruturas

.
.

Propriedades da matéria

1)

Propriedades gerais;

2)

Propriedades funcionais;

3)

Propriedades específicas.

Organolépticas

Físicas

Químicas

1) Propriedades Gerais

São aquelas que estão presentes em todos os tipos de matéria.

Massa - Analisa a quantidade de um corpo;

Volume - Ocupar lugar no espaço;

Impenetrabilidade - 2 corpos não podem ocupar o mesmo lugar no espaço simultaneamente;

Divisibilidade - Toda matéria pode ser dividida em partes menores;

- Toda matéria pode ser dividida em partes menores; APOSTILA DE QUÍMICA – PARTE 01 ELABORADO

APOSTILA DE QUÍMICA PARTE 01

ELABORADO POR: DANILO COELHO

4

Compressibilidade - Toda matéria pode ser comprimida, desde que submetida por uma força de compressão. Sólido ↔Líquido↔Gasoso.

Elasticidade - Toda matéria aumenta de volume quando existe uma força sendo aplicada, com o término dessa força a tendência é que a matéria volte ao seu tamanho natural.

2) Propriedades Funcionais

São aquelas que estão relacionadas com certos grupos de substâncias.

Ex: Ácidos, bases, sais, óxidos, hidrocarbonetos, alcoóis, cetonas, aldeídos, etc.

3) Propriedades específicas

3.1) Propriedades organolépticas - São aquelas que impressionam os órgãos dos sentidos.

A) Estado de agregação (Tato)

Sólido => Pó e compacto

Líquido => Fluido e “pastoso”

Gasoso => Vapor e gás

B) Sabor (Paladar)

Sípida ou insípida

C) Odor ( Olfato)

Odorífica x Inodora

D) Cor (Visão)

Colorida x Incolor

E) Brilho (Visão)

Brilhante x Baça

3.2) Propriedades físicas - São aquelas que estão relacionadas com os fenômenos físicos.

A)

Ponto de fusão

É

a temperatura sobre pressão constante, onde um sólido torna-se líquido.

B)

Ponto de ebulição

É

a temperatura sobre pressão constante, onde um líquido torna-se vapor.

sobre pressão constante, onde um líquido torna-se vapor. APOSTILA DE QUÍMICA – PARTE 01 ELABORADO POR:

APOSTILA DE QUÍMICA PARTE 01

ELABORADO POR: DANILO COELHO

5

C)

Ponto de solidificação

É a temperatura sobre pressão constante, onde um líquido torna-se sólido.

D) Ponto de condensação

É a temperatura sobre pressão constante, onde um vapor torna-se líquido.

Observe: P.F. (ponto de fusão) = P.S. (ponto de solidificação).

P.E. (ponto de ebulição) = P.C. (ponto de condensação).

Gráfico 1: Aquecimento de uma substância pura.

Gráfico 1: Aquecimento de uma substância pura. Observação: As misturas podem apresentar pontos de fusão

Observação: As misturas podem apresentar pontos de fusão e/ou de ebulição variáveis.

Misturas Azeotrópicas

fusão e/ou de ebulição variáveis. Misturas Azeotrópicas Misturas Eutéticas E) Dureza É a capacidade de

Misturas Eutéticas

variáveis. Misturas Azeotrópicas Misturas Eutéticas E) Dureza É a capacidade de resistência ao risco. Riscos =

E) Dureza

É a capacidade de resistência ao risco.

Riscos = Retirar partículas

Ex.: Giz x Quadro negro.

Traços = Deixar partículas.

Obs.: O diamante é a substância mais dura que existe e o talco é a mais mole.

a substância mais dura que existe e o talco é a mais mole. APOSTILA DE QUÍMICA

APOSTILA DE QUÍMICA PARTE 01

ELABORADO POR: DANILO COELHO

6

F) Tenacidade

É a capacidade de resistência ao choque mecânico (impacto).

G) Ductilidade

É a capacidade que as substâncias apresentam de formar fios.

Obs.: O ouro é a substância mais dúctil que existe.

H) Maleabilidade

É a capacidade que as substâncias apresentam de formar lâminas.

Obs.: O ouro é a substância mais maleável que existe.

I) Capacidade de Solubilidade

É a quantidade máxima de soluto que pode ser dissolvido em uma quantidade padrão

de solvente. (1 litro ou 100 gramas)

Obs: Soluto - É a substância que vai ser dissolvida;

Solvente - É a substância que dissolve (H 2 O é o solvente universal).

Obs.: Coeficiente de solubilidade = capacidade de saturação de um solvente.

Ex.: A 50 °C é possível dissolver no máximo 80g de Ba(NO3)2 em 100g de água. Logo, este é o coeficiente de solubilidade desse sal, nessa temperatura.

Cs=80g/100g de H2O.

Obs.: A maior parte das substâncias tem sua solubilidade aumentada com o aumento de temperatura. Os gases, porém, tem sua solubilidade diminuída.

Gráfico 2: Variação do coeficiente de solubilidade com a temperatura.

Variação do coeficiente de solubilidade com a temperatura. APOSTILA DE QUÍMICA – PARTE 01 ELABORADO POR:
Variação do coeficiente de solubilidade com a temperatura. APOSTILA DE QUÍMICA – PARTE 01 ELABORADO POR:

APOSTILA DE QUÍMICA PARTE 01

ELABORADO POR: DANILO COELHO

7

J)

Densidade (d)

É a razão entre a massa em gramas de uma substância pelo seu volume em ml.

Obs: 1L = 1000ml

1dm 3 = 1000cm 3

1L = 1dm 3

1ml = 1cm 3

Ex.1: Qual é a densidade em g/ml de uma solução de 200g e volume de 0,002m 3 ?

Ex.2: Qual é massa em g de uma substância que apresenta densidade de 0,78 g/ml e volume de 0,003L?

3.3) Propriedades químicas - São aquelas que estão relacionadas com os fenômenos químicos.

São as reações químicas, ou seja: Reações de adição, simples troca, dupla troca, redução, oxidação, análise, entre outras.

Sistemas e análise imediata

1) Sistema - É uma porção limitada do universo que pode apresentar e está sendo

analisada.

2) Tipos de Sistemas:

Homogêneo - Apresenta apenas um único aspecto visual;

Heterogêneo - Apresenta vários aspectos visuais.

3)

Fase - São os diferentes aspectos visuais.

4)

Misturas - É a união de duas ou mais substâncias diferentes. É todo sistema cuja

temperatura sofre variação (temperatura de fusão ou de ebulição).

5)

Componentes - São as substâncias que formam um determinado sistema.

6)

Tipos de misturas:

6.1) Misturas homogêneas = Apresentam uma única fase.

6.2) Misturas heterogêneas = Apresentam várias fases.

Obs: Fases

Monofásica (1 fase); Bifásica (2 fases); Trifásica (3 fases); Polifásica (Mais de 3 fases).

Trifásica (3 fases); Polifásica (Mais de 3 fases). APOSTILA DE QUÍMICA – PARTE 01 ELABORADO POR:

APOSTILA DE QUÍMICA PARTE 01

ELABORADO POR: DANILO COELHO

8

Ex.1: Água + Sal

Ex.2: Água + Sal + Areia

Ex.3: Água + Sal + Areia + Gelo

Ex.2: Água + Sal + Areia Ex.3: Água + Sal + Areia + Gelo Ex.4: Água
Ex.2: Água + Sal + Areia Ex.3: Água + Sal + Areia + Gelo Ex.4: Água

Ex.4: Água + Sal + Areia + Gelo + Óleo

Sal + Areia + Gelo Ex.4: Água + Sal + Areia + Gelo + Óleo Ex.5:

Ex.5: Água + Sal

Ex.4: Água + Sal + Areia + Gelo + Óleo Ex.5: Água + Sal Ex.6: Água
Ex.4: Água + Sal + Areia + Gelo + Óleo Ex.5: Água + Sal Ex.6: Água

Ex.6: Água + Gelo

+ Areia + Gelo + Óleo Ex.5: Água + Sal Ex.6: Água + Gelo Análise Imediata

Análise Imediata

São processos utilizados para separar os componentes de uma mistura. Podendo ser físico ou mecânico.

Físico - É o tipo de análise que apresenta uma mudança de estado.

Mecânico - São processos simples e rudimentares.

Misturas heterogêneas

Caso 1 ( Sólido Sólido)

A) Catação: É um processo rudimentar utilizado para separar impurezas de uma

determinada mistura. Ex: Catar as impurezas do feijão.

B) Ventilação: É um processo rudimentar que utiliza uma corrente de ar para separar

o componente menos denso de uma mistura. Ex: Separar as cascas do amendoim.

C) Peneiração: Utiliza-se uma peneira para separar o componente que apresenta um

pequeno tamanho. Ex: Separar areia de brita.

D) Levigação: Processo utilizado nos garimpos para separar o ouro através de uma

corrente de água.

E) Separação magnética: Processo utilizado para separar metal de um não metal

(existe uso de um imã). Ex: Limalha de ferro + enxofre.

F) Sublimação: É um processo físico onde a substância passa direto do estado sólido

para o gasoso (Naftaleno, Iodo, “Gelo” seco e Cânfora). Ex: Areia + Iodo.

G) Flotação: (Flutuar) É utilizado para separar sólidos que apresentam tamanhos

semelhantes e densidades diferentes. Ex: Isopor (menos denso) + Polietileno (mais denso).

Ex: Isopor (menos denso) + Polietileno (mais denso). APOSTILA DE QUÍMICA – PARTE 01 ELABORADO POR:

APOSTILA DE QUÍMICA PARTE 01

ELABORADO POR: DANILO COELHO

9

H) Dissolução fracionada: (mais importante) É um processo utilizado para separar

um componente sólido que seja solúvel em água. Ex: Areia + Sal.

Caso 2 (Sólido Líquido)

A) Decantação: (uso da “gravidade” e da sifonação). Ex: Água + Barro (Água

barrenta)

B) Filtração: (Uso de um filtro). Ex: Água + Areia.

B) Filtração: (Uso de um filtro). Ex: Água + Areia. C) Centrifugação: É um processo muito

C) Centrifugação: É um processo muito utilizado para separar os componentes

sólidos do leite ou do sangue, por exemplo. Acelera a decantação.

Caso 3 (Líquido Líquido)

A) Funil de Decantação (Uso da gravidade). Ex: Água + Óleo.

.
.

Caso 4 (Sólido Ar [Gás])

A) Filtração (Uso de um filtro). Ex: Aspirador de Pó.

A) Filtração (Uso de um filtro). Ex: Aspirador de Pó. APOSTILA DE QUÍMICA – PARTE 01

APOSTILA DE QUÍMICA PARTE 01

ELABORADO POR: DANILO COELHO

10

Misturas Homogêneas

Caso 1 (Sólido Sólido)

A) Fusão fracionada - É um processo muito utilizado nas siderúrgicas para separar

os componentes de uma liga metálica. Ex.: Tungstênio + Cobre.

Caso 2 (Sólido Líquido)

A) Evaporação - É um processo natural e espontâneo. Ex.: Sol + Poça de lama.

B) Destilação simples - É um processo industrial utilizado para separar um sólido de

um líquido em uma mistura homogênea.

separar um sólido de um líquido em uma mistura homogênea. Caso 3 (Líquido – Líquido) A)

Caso 3 (Líquido Líquido)

A) Destilação Fracionada - Aparelhagem semelhante a da destilação simples, sendo

que seu uso serve para separar dois líquidos de uma mistura homogênea. Ex: Água e Álcool.

Obs: A destilação fracionada é muito utilizada nos alambiques (destilação da cachaça) e para a separação das frações do petróleo nas refinarias.

Caso 4 (Líquido Gás)

1) Agitar

2) Diminuição da Pressão

3) Aquecimento

Caso 5 (Gás Gás)

A) Liquefação e destilação fracionada

1º Passo Liquefazer (aumentar a pressão e diminuir a temperatura);

Liquefazer (aumentar a pressão e diminuir a temperatura); APOSTILA DE QUÍMICA – PARTE 01 ELABORADO POR:

APOSTILA DE QUÍMICA PARTE 01

ELABORADO POR: DANILO COELHO

11

2º Passo Destilação do componente de menor temperatura de ebilição.

do componente de menor temperatura de ebilição. Estudo do Átomo Prótons = Carga Positiva Nêutrons =

Estudo do Átomo

Prótons = Carga Positiva

Nêutrons = Carga Neutra

do Átomo Prótons = Carga Positiva Nêutrons = Carga Neutra Elétrons = Carga Negativa → mais

Elétrons = Carga Negativa → mais externo do átomo → Eletrosfera

Observe:

Partículas

Carga Relativa

Massa relativa

Prótons

+1

1

Nêutrons

0

1

Elétrons

-1

1/1840

Conclusão: Um átomo é uma estrutura estável, ou seja, as quantidades de cargas positivas devem ser iguais as das cargas negativas. Considerando-se que a massa de um elétron é desprezível, podemos concluir que a massa de um átomo está concentrada em seu núcleo.

Nº Atômico (Z) - É a carga nuclear de um átomo, e isso corresponde à quantidade de prótons, logo Z = P = E

Nº de Massa (A) - É a soma da quantidade de prótons e nêutrons, logo A = P + N

Simbologia

1) Na tabela periódica: X Z A . Ex.: O 8 16,

Obs.: Sempre A > P.

Ex. Calcule A, Z, P, E, N.

a) Cl 17 35,5 .

P. Ex. Calcule A, Z, P, E, N. a) Cl 1 7 3 5 , 5

b) Al 13 27

APOSTILA DE QUÍMICA PARTE 01

c) Fe 26 56

ELABORADO POR: DANILO COELHO

12

ÍONS: São estruturas que apresentam um desequilíbrio elétrico, ou seja, a quantidade de prótons (P) será diferente da quantidade de elétrons (E), logo Z = P ≠ E.

Tipos de Íons:

Cátions - São íons que apresentam cargas positivas = Doam E.

Ex.: Calcule A, Z, P, E, N.

a) Al +3

b) Na +1

Ânions - São íons que apresentam cargas negativas = Recebem E

Ex.: Calcule A, Z, P, E, N.

a) S -2

b) F -1

Espécies Isoeletrônicas

São espécies que apresentam a mesma quantidade de elétrons (E).

Ex.: Calcule E para as espécies abaixo.

a) Ne

b) Na +1

c) O -2

Espécies Isotopas

São espécies que apresentam a mesma quantidade de prótons (P) e diferentes massas (A).

Ex.: H 1 1 (Hidrogênio leve ou prótio)

H 1 2 (Hidrogênio pesado ou deutério)

H 1 3 (Hidrogênio trítio ou tritério)

Espécies Isóbaros

São substâncias, ou seja, átomos que apresentam a mesma massa (A) e diferentes números de prótons (P).

Ex.: K 19 40 e Ca 20 40

Espécies Isotonas

São átomos que apresentam a mesma quantidade de nêutrons (N) e diferentes massa (A) e prótons (P).

Ex.: F 9 19 e Ne 10 20

(A) e prótons (P). Ex.: F 9 1 9 e Ne 1 0 2 0 APOSTILA

APOSTILA DE QUÍMICA PARTE 01

ELABORADO POR: DANILO COELHO

13

Modelos Atômicos

Introdução: Antes de Cristo (AC), dois filósofos Leucipo e Demócrito conceituaram a menor estrutura existente para estudos da época.

Átomo → A = “não” + tonos = “partes, ou seja, INDIVISÍVEL.

1) Primeiro Modelo Atômico → DALTON (1803)

O átomo era: Uma esfera, maciça, indivisível, indestrutível e homogênea.

esfera, maciça, indivisível, indestrutível e homogênea. 2) Segund o Modelo Atômico → THOMSON (1889+/-) 

2) Segundo Modelo Atômico → THOMSON (1889+/-)

Conhecido como modelo de “PUDIM de PASSAS”;

O átomo era: Uma esfera, maciça, divisível, indestrutível e positivo com cargas negativas em alto relevo.

e positivo com cargas negativas em alto relevo. . 3) Terceiro Modelo Atômico → RUTHERFORD (1911+/-)

. 3) Terceiro Modelo Atômico → RUTHERFORD (1911+/-)

Conhecido como modelo do “SISTEMA PLANETÁRIO;

Considerava que o átomo era uma esfera semelhante ao sistema solar, ou seja, o sol era o núcleo e os planetas que rodeavam o sol eram os elétrons.

Bombardeou uma placa de ouro com partículas alfa e verificou que os elétrons se moviam em torno do núcleo atômico.

que os elétrons se moviam em torno do núcleo atômico. 3) Terceiro Modelo Atômico → RUTHERFORD-BOHR

3) Terceiro Modelo Atômico → RUTHERFORD-BOHR (1911+/-)

Comentou que no modelo de Rutherford os elétrons giravam ao redor do núcleo atômico em altíssimas velocidades sem demonstrar a origem da energia

altíssimas velocidades sem demonstrar a origem da energia APOSTILA DE QUÍMICA – PARTE 01 ELABORADO POR:

APOSTILA DE QUÍMICA PARTE 01

ELABORADO POR: DANILO COELHO

14

cinética que provocavam o movimento dos elétrons, dizendo apenas que essa energia era retirada da natureza (Energia Quantizada).

Bohr descobriu que a eletrosfera era dividida em sete partes ou sete camadas.

Estudo da Eletrosfera

1) Camadas ou níveis eletrônicos

Nível

Camada

K

L

M

N

O

P

Q

2) Subníveis ou subcamadas

Subnível

Maximo de elétrons

s

2

p

6

d

10

f

14

3) Principio da Incerteza de Heinsemberg

É impossível determinar simultaneamente a posição e a velocidade de um elétron, ou

seja, não podemos determinar com precisão e simultaneamente a posição e o momento de uma partícula.

4) Orbital

É a região do espaço ao redor do núcleo onde existe a maior probabilidade de se encontrar um elétron.

5) Principio da Exclusão de Pauli

Um orbital pode conter no máximo 2 elétrons de com spins (rotação) contrários.

Conclusão:

Subníveis

Máximo de Elétrons

Orbital

s

2

1

p

6

3

d

10

5

f

14

7

2 1 p 6 3 d 10 5 f 14 7 APOSTILA DE QUÍMICA – PARTE

APOSTILA DE QUÍMICA PARTE 01

ELABORADO POR: DANILO COELHO

15

6) Diagrama de Pauling

6) Diagrama de Pauling Exercício. 1) Faça a distribuição eletrônica de: a) Na (Z=11) → b)

Exercício.

1)

Faça a distribuição eletrônica de:

a)

Na (Z=11) →

b)

S (Z=16) →

c)

Fe (Z=26) →

d)

La (Z=57)

2)

Em relação a questão anterior, determine:

a)

A quantidade de Elétrons (E) no subnível mais energético.

Obs.1: Subnível mais energético = o último que aparece na distribuição eletrônica.

b) A quantidade de Elétrons (E) na camada mais energética.

Obs.2: Camada mais energética = aquela que possui o subnível mais energético.

c) A quantidade de Elétrons (E) na última camada.

Obs.3: Última Camada = é a última camada na distribuição eletrônica, ou seja, a que apresenta maior número na distribuição eletrônica.

3) Faça a distribuição eletrônica dos Íons abaixo:

a) F - (Z=9) →

b) Mg +2 (Z=12)

c) Zn +2 (Z=30)

) → b) Mg + 2 (Z=12) → c) Zn + 2 (Z=30) → APOSTILA DE

APOSTILA DE QUÍMICA PARTE 01

ELABORADO POR: DANILO COELHO

16

Estudo da Tabela Periódica (T.P.)

1) Mendeleev Construiu a tabela periódica em função da massa atômica crescente.

2) Moseley Construiu a tabela periódica em função do numero atômico crescente.

3) Constituição da Tabela Periódica: Períodos e Famílias

Períodos são as colunas horizontais (7 colunas).

Famílias ou Grupos são as colunas verticais (18 colunas).

Obs.4. Nas Famílias ou Grupos, os elementos possuem as mesmas propriedades químicas.

4) Divisão da T.P.

Família A e Família 0 (zero) Elementos representativos.

Família B Elementos de Transição.

4.1) Família A (7 colunas).

Família

Grupo

Nome da Família

1 A

1

Metais Alcalinos, Exceto o H

2 A

2

Metais Alcalinos Terrosos

3 A

13

Família do Boro ou Aluminóides

4 A

14

Família do Carbono ou Carbonóides

5 A

15

Família do Nitrogênio ou Nitronóides

6 A

16

Família dos Calcogênios

7 A

17

Família dos Halogênios

4.2) Família B Elementos de Transição

Externa 1 B a 8 B ou Grupo 3 a 12.

Interna Série dos Lantanídeos (terras raras) e Actinídeos.

Obs.5: A Família 8 B, também é conhecida como a Tríade do Ferro.

4.3) Família 0 (zero) ou Grupo 18 Gases Nobres.

5) Classificação dos elementos em função de suas características.

a) Metais

b) Amatais

c) Semi-metais

d) Gases Nobres

e) Hidrogênio.

b) Amatais c) Semi-metais d) Gases Nobres e) Hidrogênio. APOSTILA DE QUÍMICA – PARTE 01 ELABORADO

APOSTILA DE QUÍMICA PARTE 01

ELABORADO POR: DANILO COELHO

17

Estudo dos Metais

São bons condutores de calor e eletricidade;

Geralmente apresentam brilho intenso;

São maleáveis (formam lâminas);

São dúcteis (formam fios).

Estudo dos Ametais

Apresentam propriedades opostas a dos metais.

Estudo dos Semi-metais

Apresentam propriedades intermediarias entre os metais e os ametais.

Estudo dos Gases Nobres

Conhecidos como raros ou inertes;

São os únicos elementos da tabela periódica que não precisam realizar ligações químicas. Isso ocorre porque os gases nobres são estáveis.

São utilizados em lâmpadas fluorescentes e incandescentes, em tubos de imagem, etc.

Estudo do Hidrogênio

É um elemento “Sui Generes(o único de sua espécie);

Isso acontece porque o hidrogênio é o único elemento da T.P. que não possui nêutrons;

O Hidrogênio molecular é inflamável e pode ser utilizado como combustíveis de foguetes e elaboração de bombas de destruição em massa.

6) Estudo da T.P. em função da agregação dos Elementos.

Estado Gasoso H, Ametais (F, Cl, N e O) e gases nobres (He, Ne, Ar, Xe, Kr

e Rn);

Estado Líquido Metal (Hg) e Ametal (Br);

Estado Sólido Os demais.

7) Estudo Da T.P. em função da Natureza dos Elementos.

Artificiais Elementos sintetizados por manipulação.

Cisurânicos Antes do Urânio → Tc(7B), At (7A), Fr (1A) e Pm

(Lantanídeos);

Transurânicos Depois do Urânio → Todos com “Z” > 92.

Naturais Todos os outros.

com “Z” > 92.  Naturais – Todos os outros. APOSTILA DE QUÍMICA – PARTE 01

APOSTILA DE QUÍMICA PARTE 01

ELABORADO POR: DANILO COELHO

18

Propriedades da Tabela Periódica (T.P.)

1) Tipos:

Propriedades Aperiódicas;

Propriedades Periódicas

Propriedades Aperiódicas

São aquelas que estão relacionadas com o número atômico crescente.

Ex.1: Massa Atômica Cresce em função do número atômico crescente;

Ex.2: Calor Específico Decresce em função do número atômico crescente.

Propriedades Periódicas

São aquelas que estão relacionadas com as Famílias (ou Grupos) e com os Períodos.

Ex.: Raio Atômico, Potencial de Ionização, Eletroafinidade, Eletropositividade, Eletronegatividade, Caráter Metálico e Ametálico, Densidade, Volume Específico, Ponto de Fusão e de Ebulição.

I) Raio Atômico (R.A.) depende da quantidade de camadas e da força de atração entre prótons e elétrons.

camadas e da força de atração entre prótons e elétrons. Obs.6: O Frâncio(Fr) é o elemento

Obs.6: O Frâncio(Fr) é o elemento que possui maior R.A.

II) Potencial de Ionização ou energia de Ionização (P.I.) é a energia necessária

para retirar o elétron de um átomo no estado gasoso (quanto maior o átomo, mais fácil de se retirar um elétron).

maior o átomo, mais fácil de se retirar um elétron). Obs.7: O Hélio(He) é o elemento

Obs.7: O Hélio(He) é o elemento que possui maior P.I.

III) Eletroafinidade ou Afinidade Eletrônica (A.F.) É a energia mínima necessária para introduzir um elétron em um átomo no estado gasoso.

para introduzir um elétron em um átomo no estado gasoso. APOSTILA DE QUÍMICA – PARTE 01

APOSTILA DE QUÍMICA PARTE 01

ELABORADO POR: DANILO COELHO

19

Obs.8: O Flúor(F) é o elemento que possui maior A.F. Obs.9: Não existe Eletroafinidade para

Obs.8: O Flúor(F) é o elemento que possui maior A.F.

Obs.9: Não existe Eletroafinidade para os Gases Nobres.

iV) Eletronegatividade ou Caráter Ametálico É a tendência que os átomos

apresentam de receber (atrair) elétrons.

que os átomos apresentam de receber (atrair) elétrons. Obs.10: O Flúor(F) é o elemento que possui

Obs.10: O Flúor(F) é o elemento que possui maior Eletronegatividade.

Obs.11: Não existe Eletronegatividade para os Gases Nobres.

V) Eletropositividade ou Caráter Metálico É a tendência que os átomos apresentam de repelir elétrons.

a tendência que os átomos apresentam de repelir elétrons. Obs.12: O Frâncio(Fr) é o elemento que

Obs.12: O Frâncio(Fr) é o elemento que possui maior Eletropositividade.

VI) Densidade É a razão entre a massa e o volume de uma substância ou elemento

químico.

a massa e o volume de uma substância ou elemento químico. Obs.13: O Ósmio(Os) é o

Obs.13: O Ósmio(Os) é o elemento mais denso da Tabela Periódica.

VII) Volume Específico É o volume ocupado por um mol de uma substância gasosa.

É o volume ocupado por um mol de uma substância gasosa. APOSTILA DE QUÍMICA – PARTE

APOSTILA DE QUÍMICA PARTE 01

ELABORADO POR: DANILO COELHO

20

Obs.14: O Frâncio(Fr) é o elemento mais volumoso da Tabela Periódica, enquanto que o Hélio

Obs.14: O Frâncio(Fr) é o elemento mais volumoso da Tabela Periódica, enquanto que

o Hélio é o menos volumoso.

VIII) Ponto de Fusão e Ponto de Ebulição:

Ponto de Fusão (P.F.) è a temperatura sobre pressão constante onde um sólido passo para o estado líquido.

Ponto de Ebulição (P.E.) è a temperatura sobre pressão constante onde um líquido passo para o estado gasoso.

constante onde um líquido passo para o estado gasoso. Obs.15: O Tungstênio(W) é o elemento de

Obs.15: O Tungstênio(W) é o elemento de maior P.E. e P.F. da Tabela Periódica

Obs.16: As variações alotrópicas do carbono (fulerenos) também apresentam elevados P.E. e P.F.

VIII) Reatividade

A reatividade consiste na tendência que um átomo possui para captar ou perder

elétrons.

que um átomo possui para captar ou perder elétrons. Bibliografia  Feltre, Ricardo A. Fundamentos da

Bibliografia

Feltre, Ricardo A. Fundamentos da Química, 4ª ed., São Paulo, 2005

Imagens, www.google.com.br/imagens, acessado em 16/03/2013.

www.google.com.br/imagens , acessado em 16/03/2013. APOSTILA DE QUÍMICA – PARTE 01 ELABORADO POR: DANILO

APOSTILA DE QUÍMICA PARTE 01

ELABORADO POR: DANILO COELHO

21