Você está na página 1de 5

Curso: Matemática e Aplicações

Unidade Curricular: Matemática Finita Código: 21082

Data: 21 a 27 de Abril de 2009 Ano Lectivo: 2008/09

Docente: Ana Luı́sa Correia

Critérios de avaliação e cotação:


• A cotação total deste e-Fólio é de 4 valores.

• Com excepção das 3 questões de escolha múltipla, terá de justificar todas as


respostas e apresentar os cálculos realizados. Não serão pontuadas respostas que
não sejam acompanhadas de uma justificação, mesmo estando correctas.

• Cada questão de escolha múltipla do grupo I tem a cotação de 0.3 valores. Por
cada resposta errada serão descontados 13 valores. É considerada errada uma
questão com mais de uma resposta. A classificação mı́nima destas 3 questões é
de 0 valores. As cotações são as seguintes:

Grupo I ERRADAS
C 0 1 2 3
E 0 0.0 0.0 0.0 0.0
R 1 0.3 0.2 0.1
T 2 0.6 0.5
AS 3 0.9

4. 5. 6.
0.3 val. 1.4 val. 1.4 val.
0.40 + 0.40 + 0.60 0.40 + 0.60 + 0.40

e-Fólio A - correcção 1
Grupo I

Grelha de Correcção
1. 2. 3.
c) a) b)

Justificação

1. • Sabemos que X = Q é enumerável (pelo exemplo da pág. 83 do manual), mas


R \ Q = Irracionais não é enumerável - porque R = Q ∪ (R \ Q) não é enumerável
(corolário da pág. 83 e exemplo 3 da pág. 80). Logo a afirmação (i) é falsa.
• Temos X ∩ (R \ Z) ⊆ X, logo também X ∩ (R \ Z) é enumerável (pelo exemplo 8
da pág. 81). Portanto a afirmação (ii) é verdadeira.
• Temos que X e Q são enumeráveis, logo X × Q é enumerável (pelo exemplo 7 da
pág. 81). Logo a afirmação (iii) é verdadeira.
Segue-se que c) é a resposta correcta.

2. Temos
n+2  
n+2
X n+2 i j k
(x + y + z) = xy z .
i,j,k=1
i, j, k
i+j+k=n+2

Como queremos o coeficiente de x2 y n−1z terá de ser i = 2, j = n − 1, z = 1, donde


 
n+2 (n + 2)! (n + 2)(n + 1)n
= 30 ⇔ = 30 ⇔ = 30
i, j, k 2!(n − 1)!1! 2
⇔ (n + 2)(n + 1)n = 60 ⇔ (n + 2)(n + 1)n = 22 × 3 × 5 ⇔ n = 3

Segue-se que a) é a resposta correcta.

3. Para cada posição fixa de A, como B não pode ocupar o lugar de A, nem se pode
sentar ao lado de A (esquerda e direita), nem em frente a A, então B tem 8 lugares
possı́veis. As restantes 10 pessoas podem sentar-se de 10! maneiras. Pelo princı́pio da
multiplicação, o número pedido é 8 × 10!. Portanto b) é a resposta correcta.

4) Por definição, [3] = {1, 2, 3} e o conjuntos das suas partes é:

P([3]) = {∅, {1}, {2}, {3}, {1, 2}, {1, 3}, {2, 3}, {1, 2, 3}}.

Se S ⊆ [3] e #S é par então S ∈ {∅, {1, 2}, {1, 3}, {2, 3}}, donde
X X X X
(−1)#(S\T ) = (−1)#(S\T ) + (−1)#(S\T )
S⊆[3] T ⊆S T ⊆∅ T ⊆{1,2}
#S par #T ı́mpar #T ı́mpar #T ı́mpar
X X
+ (−1)#(S\T ) + (−1)#(S\T ) = 0 + ((−1)#({1,2}\{1}) + (−1)#({1,2}\{2}) )
T ⊆{1,3} T ⊆{2,3}
#T ı́mpar #T ı́mpar

+ ((−1)#({1,3}\{1}) + (−1)#({1,3}\{3}) ) + ((−1)#({2,3}\{2}) + (−1)#({2,3}\{3}) ) = −6

2 21082 - Matemática Finita


Por outro lado, Se S ⊆ [3] e #S é ı́mpar então S ∈ {{1}, {2}, {3}, {1, 2, 3}}, donde
X X X X
(−1)#(S\T ) = (−1)#(S\T ) + (−1)#(S\T )
S⊆[3] T ⊆S T ⊆{1} T ⊆{2}
#S ı́mpar #T par #T par #T par
X X
+ (−1)#(S\T ) + (−1)#(S\T ) = (−1)#({1}\∅) + (−1)#({2}\∅) + (−1)#({3}\∅)
T ⊆{3} T ⊆{1,2,3}
#T par #T par

+ ((−1)#({1,2,3}\∅) + (−1)#({1,2,3}\{1,2}) + (−1)#({1,2,3}\{1,3}) + (−1)#({1,2,3}\{2,3}) ) = −7


Portanto a afirmação é falsa.
Grupo II

5. a) Existem 83 maneiras de escolher 3 lugares de entre 8 para as 3 vogais. Para cada
escolha fixa temos 53 = 5 × 4 × 3 maneiras de colocar 3 vogais distintas. Como as
consoantes podem repetir e, são em número de 18 = 23 − 5, temos 185 maneiras das
colocar nos outros 5 = 8 − 3 lugares. Assim, pelo princı́pio da multiplicação, o número
pedido é  
8
× 53 × 185 .
3
b) O número de palavras com i ≤ 8 vogais e 8 letras é:
 
8 8−i
× 5i × |18{z } .
i |{z}
|{z} cada lugar para uma os 8 − i lugares para
reserva de i vogal pode ser preen- as consoantes podem
lugares para chido por qualquer ser preenchidos por qq
i vogais uma das 5 vogais uma das 18 consoantes

8  
X 8
Portanto, pelo princı́pio da adição, o número pedido é × 5i × 188−i.
i=3
i

c) Designemos por X o conjunto das palavras com 8 letras que se podem formar a partir
de 23. Consideremos os subconjuntos de X:
A1 = {x ∈ X : “ai” ocorre em x} , A2 = {x ∈ X : “eu” ocorre em x} ,
A3 = {x ∈ X : “ou” ocorre em x} , A4 = {x ∈ X : “au” ocorre em x}.
O número pedido é dado por
#(X \ (A1 ∪ A2 ∪ A3 ∪ A4 ) = #X − #(A1 ∪ A2 ∪ A3 ∪ A4 ).
Vamos calcular este número recorrendo à fórmula da inclusão/exclusão:
4
X X X
#(A1 ∪ A2 ∪ A3 ∪ A4 ) = #Ai − #(Ai ∩ Aj ) + #(Ai ∩ Aj ∩ Ak )
i=1 1≤i<j≤4 1≤i<j<k≤4

−#(A1 ∩ A2 ∩ A3 ∩ A4 ).
Ora      
7 6 6 4 5
#A1 = × 23 − × 23 − × 232 − 1
1 2 3
- porque “ai” funciona como um bloco que ocupa 2 posições e que pode ocorrer 1, 2, 3,
ou 4 vezes - na contagem inicial já estão contadas as repetições que estamos a retirar.
Por exemplo, as palavras seguintes vão sendo contadas várias vezes consoante o bloco
“ai” seja fixado na posição assinalada pelo “ ”:

e-Fólio A - correcção 3
a i a i ⋆ ⋆ ⋆ ⋆ , a i a i ⋆ ⋆ ⋆ ⋆ , ⋆ a i a i ⋆ ⋆ ⋆ , ⋆ a i a i ⋆ ⋆ ⋆ ...
a i a i a i ⋆ ⋆ , a i a i a i ⋆ ⋆ , a i a i a i ⋆ ⋆ ...

Analogamente
     
7 6 6 4 5
#A2 = #A3 = #A4 = × 23 − × 23 − × 232 − 1.
1 2 3
Para as intersecções de 2 conjuntos temos:
             
6 4 5 3 3 2 4 4 4
#(A1 ∩ A2 ) = × 2! × 23 − × + × 23 − + +
2 3 2 1 1 2 3
- porque “ai” e “eu” funcionam como 2 blocos que podem ocorrer 1, 2 ou 3 vezes -
neste caso, temos de retirar palavras da forma: “ai ai eu ⋆⋆”, “ai eu ai ⋆⋆”,..., “ai eu
eu ⋆⋆”,... “⋆ ai eu ai ⋆”,... e palavras da forma “ai eu eu eu”, “ai ai eu eu”, “eu ai
eu ai”,... “ai ai eu ai”,... , que já estão contadas várias vezes na primeira parcela.
Analogamente para quaisquer i < j,
             
6 4 5 3 3 2 4 4 4
#(Ai ∩ Aj ) = × 2! × 23 − × + × 23 − + + .
2 3 2 1 1 2 3
Para as intersecções de 3 conjuntos temos:
     
5 2 4 5 4!
#(A1 ∩ A2 ∩ A3 ) = × 3! × 23 − 3 × × 2! = × 3! × 232 − 3 ×
3 2 3 2!
- porque “ai”, “eu” e “ou” funcionam como 3 blocos que podem ocorrer 1 ou 2 vezes -
neste caso temos que retirar contagens de palavras do tipo “ai eu ou ai”, “ai ai ou eu”,
“eu eu ou ai”,...., que foram contadas várias vezes na primeira parcela. Analogamente
 
5 4!
#(A1 ∩ A2 ∩ A4 ) = #(A1 ∩ A3 ∩ A4 ) = #(A2 ∩ A3 ∩ A4 ) = × 3! × 232 − 3 × .
3 2!
Por último
#(A1 ∩ A2 ∩ A3 ∩ A4 ) = 4!
- os blocos “ai”, “eu”, “ou”, “au” podem ser permutados de 4! maneiras. Como
#X = 238 , uma vez que não há restrições, então
      
8 7 6 6 4 5 2
#X − #(A1 ∪ A2 ∪ A3 ∪ A4 ) = 23 − 4 × × 23 − × 23 − × 23 − 1
1 2 3
             
6 4 5 3 3 2 4 4 4
+6 × 2! × 23 − × + × 23 − + +
2 3 2 1 1 2 3
  
5 4!
−4 × 3! × 232 − 3 × + 4!
3 2!
= 238 − 28 × 236 + 240 × 234 − 560 × 232 + 88.

6. a) O caso base n = 0 vale porque ambos os membros dão 0:


0
X (−1)0 (2 · 0 + 1) − 1 1−1
(−1)k k = (−1)0 0 = 0 , = = 0.
k=0
4 4
Admitindo n
X (−1)n (2n + 1) − 1
(−1)k k = (Hipótese de Indução)
k=0
4

4 21082 - Matemática Finita


queremos provar
n+1
X (−1)n+1 (2(n + 1) + 1) − 1
(−1)k k = . (Tese de Indução)
k=0
4
Tem-se
n+1 n
X
k
X (−1)n (2n + 1) − 1
(−1) k = (−1)k k + (−1)n+1 (n + 1) = + (−1)n+1 (n + 1)
k=0 k=0
hip. ind. 4
(−1)n (2n + 1) − 1 − (−1)n (4n + 4) (−1)n (−2n − 3) − 1
= =
4 4
(−1)n+1 (2(n + 1) + 1) − 1
= .
4
Portanto, pelo método de indução matemática está provada a igualdade pedida.
P
b) Façamos Sn = nk=0 (−1)k k 2 . Vamos perturbar esta soma calculando Sn+1 de duas
maneiras diferentes. Temos, por um lado,
n+1
X n
X
k 2
Sn+1 = (−1) k = (−1)k k 2 + (−1)n+1 (n + 1)2 = Sn + (−1)n+1 (n + 1)2 .
k=0 k=0

Por outro lado,


n+1
X n+1
X n
X
k 2 0 2 k 2
Sn+1 = (−1) k = (−1) 0 + (−1) k = 0+ (−1)k+1 (k + 1)2
mud. var.
k=0 k=1 k k+1 k=0
" n # " n n n
#
X X X X
=− (−1)k (k 2 + 2k + 1) = − (−1)k k 2 + 2 (−1)k k + (−1)k
 k=0 n
k=0
n+1
 k=0 k=0
(−1) (2n + 1) − 1 (−1) −1
= − Sn + 2 +
4 (−1) − 1
(por definição de Sn + pela alı́nea a) + progressão geométrica de razão −1)
(−1)n (2n + 1) − 1 + (−1)n + 1
= −Sn − = −Sn + (−1)n+1 (n + 1) .
2
Assim, temos
Sn + (−1)n+1 (n + 1)2 = Sn+1 = −Sn + (−1)n+1 (n + 1).
e, portanto,
Sn + (−1)n+1 (n + 1)2 = −Sn + (−1)n+1 (n + 1) ⇔ 2Sn = (−1)n+1 (n + 1) − (−1)n+1 (n + 1)2
(−1)n+1 [n + 1 − (n2 + 2n + 1)] (−1)n n(n + 1)
⇔ Sn = ⇔ Sn = .
2 2

c) Temos
400
X 400
X 400
X 400
X 400
X
2 2 k 2 k 2
k − k = (−1) k + (−1) k = (−1)k k 2
k=1 k=1 k=1 k=1 k=1
k par k ı́mpar k par k ı́mpar

(−1)400 400 · 401


= = 80200.
alı́nea b) 2
FIM

e-Fólio A - correcção 5