Dra.

Adriana Vidal Schmidt Especialista em Alergia e Imunologia Mestre pela UFPR Médica do Serviço de Alergia do Hospital Universitário Cajurú da PUC – PR Presidente do Departamento Científico de Alergia da Sociedade Paranaense de Pediatria
www.adrianaschmidt.com

Rinite
Introdução
As doenças alérgicas tem aumentado consideravelmente no último século A Rinite Alérgica é a doença atópica mais prevalente Problema de saúde global
Afeta ¼ da população ocidental

É frequentemente acompanhada por comorbidades
Conjuntivite, Otite média Asma

Classificação de acordo com a gravidade pelo ARIA (Allergid Rhinitis and Its Impact on Asthma) Impacto econômico (custos diretos e indiretos) Impacto na qualidade de vida

www.adrianaschmidt.com

Rinite alérgica no Brasil
A prevalência de sintomas relacionados à rinite alérgica foi 29,6% entre adolescentes e 25,7% entre escolares (ISAAC) Temos uma das maiores taxas de prevalência de asma e de rinite alérgica no mundo Doença de maior prevalência entre as doenças respiratórias crônicas Apesar de não estar entre aquelas de maior gravidade, é um problema global de saúde pública A prevalência tem aumentado É subestimada - muitos indivíduos não a reconhecem como uma doença e não procuram atendimento médico. Subdiagnosticada – ainda assim, a rinite alérgica encontra-se entre as dez razões mais frequentes para a procura de atendimento primário à saúde
Ibiapina C., Sarinho E., Camargo P, Andrade C, Cruz A. J Bras Pneumol. 2008;34(4):230-240 www.adrianaschmidt.com

com .adrianaschmidt. www. 7th ed .Rinite Definição Inflamação da mucosa de revestimento nasal. caracterizada pela presença de um ou mais dos seguintes fatores: Congestão nasal Rinorréia Espirros Prurido Sintomas durante 2 ou mais dias consecutivos por mais de 1 hora na maioria dos dias Adkinson: Middleton's Allergy: Principles and Practice.

2008 www.Rinite Fisiopatologia Adkinson: Middleton's Allergy: Principles and Practice. 7th ed.adrianaschmidt.com .

com .Rinite alérgica Fatores de risco História familiar positiva para atopia Padrão socioeconômico elevado Testes alérgicos positivos Influência da exposição precoce a ? Infecções Animais Fumo passivo Poluição www.adrianaschmidt.

Rinite alérgica Desencadeantes .com .adrianaschmidt.alérgenos Ácaros Pólens Animais Gato Cão Fungos www.

2008 www.Rinite não alérgica Causas Não Alérgica Inflamatória Ocupacional Induzida por medicamentos Infecciosa Alergia a AINH Rinte não alérgica eosinofílica Não Alérgica.adrianaschmidt. não Inflamatória Emocional Idiopática Atrófica Gustatória Vasomotora Rhinite medicamentosa Hormonal Gestação Hipotireoidismo Adkinson: Middleton's Allergy: Principles and Practice. 7th ed.com .

etc. Beta-bloqueadores Psicotrópicos Risperidona. Amitriptilina Inibidores da fosfodiesterase tipo 5 Sildenafil. Gabapentina Adkinson: Middleton's Allergy: Principles and Practice.com . 7th ed. 2008 www. Tadalafil. Amilorida. Verdenafil Outros Cocaina. Clorpromazina. Anti hipertensivos Inibidores da ECA.adrianaschmidt.Rinite Causada por medicamentos Analgésicos AINH: aspirina.

Rinite Diagnóstico Diferencial Pólipos nasais Fatores mecânicos Desvio de septo Hipertrofia de adenóides Corpo estranho Atresia de coanas Doenças granulomatosas Sarcoidose Granulomatose de Wegener Granuloma maligno de linha média Defeitos de função cilar. fúngica. Discinesia ciliar primária (Kartagener) Doença neoplásica Benigna ou maligna Rinorréia cerebroespinhal Infecciosa Viral. bacteriana.adrianaschmidt.com . por parasitas www.

Rinite alérgica Afecções concomitantes Dermatite atópica 10 .com .adrianaschmidt.80% Asma 25% .70% www.40% Conjuntivite alérgica 10% Rinossinusite 30 .

com . com o apoio da Organização Mundial de Saúde. especialistas de diversos países.Rinite e Asma Mesma enfermidade Baseando-se em evidências de que a asma e a rinite são manifestações de uma mesma enfermidade. elaboraram uma extensa revisão sobre rinite alérgica e seu impacto na asma Allergic Rhinitis and its Impact on Asthma (ARIA). A publicação tem como objetivo Atualizar os profissionais de saúde nos conhecimentos sobre rinite alérgica Destacar o impacto da rinite alérgica sobre a asma Fornecer resultados baseados em evidências sobre os métodos diagnósticos e terapêuticos disponíveis Avaliar a magnitude do problema em países em desenvolvimento Implementar linhas de tratamento Sugerir que pacientes com rinite alérgica persistente devem ser avaliados para asma e vice-versa www.adrianaschmidt.

com .adrianaschmidt.Allergy 2011: 63 (Suppl. 86): 8–160 www.Rinite alérgica Classificação pelo ARIA INTERMITENTE sintomas <4 dias por semana ou < 4 semanas PERSISTENTE sintomas >4 dias por semana e >4 semanas LEVE Sono normal Atividades diárias normais sem sintomas debilitantes MODERADA/GRAVE Um ou mais ítens: Distúrbio do sono Diminuição de atividades diárias Esporte/ lazer Problemas escola/ trabalho Sintomas debilitantes ARIA .

cigarro . duração. lacrimejamento.Rinite Anamnese Sintomas principais Coriza. etc Sintomas associados Congestão e prurido ocular. cefaléia História pessoal e familiar de asma. frequencia . prurido faríngeo. hobbies. roncos. ocupacional.com . espirros. duração. alergia Exposição a aeroalérgenos Domiciliar . obstrução nasal.adrianaschmidt. dermatite atópica. mofo. alteralções climáticas. aderência e eficácia Impacto na qualidade de vida www. prurido.intermitente/persistente. com ou sem exacerbações agudas Fatores desencadeantes Pó. odinofagia. esportes Medicações utilizadas: classe. redução do olfato Idade de início.

adrianaschmidt. palato ogivóide.com www.com www.adrianaschmidt.com .exame físico Fascies atópica Sulco nasal transverso.adrianaschmidt.Rinite . olheiras www. respiração bucal. congestão ocular.

com www.adrianaschmidt.adrianaschmidt.exame físico Exame Físico completo Secreção no ouvido médio Disfunção de trompa de Eustáquio Sibilos ou tosse persistente (asma) ad w.Rinite .adrianaschmidt.com . c om www.com Exame minucioso da cavidade nasal Aspecto e coloração da mucosa e secreções www. w w c as n a ri id hm t.

com www.adrianaschmidt.com www.com .adrianaschmidt.Rinite Técnicas diagnósticas Testes alérgicos Videoendoscopia nasal (rígida/flexível) Esfregaço nasal (citologia/bacteriologia) Radiologia www.com www.adrianaschmidt.adrianaschmidt.

. and Bennett's Principles and Practice of Infectious Diseases. Douglas. 7th ed. 7 th ed. 2009 .adrianaschmidt.com Mandell: Mandell.Infindíbulo Processo uncinato Meato médio Óstio do seio maxilar Tomografia computadorizada Anatomia nasal Seio Etmoidal Unidade osteomeatal Sistema de drenagem do seio maxilar Corneto Médio Antro maxilar Adkinson: Middleton's Allergy: Principles and Practice. Corneto Inferior www.

com . 2008 www.adrianaschmidt.Rinite Tratamento Rinite não Alérgica Rinite Alérgica Adkinson: Middleton's Allergy: Principles and Practice. 7th ed.

Allergy 2008: 63 (Suppl.Consensos.com .Anti-histamínicos de segunda geração Primeira opção de tratamento na rinite leve intermitente PRIMEIRA GERAÇÃO: NÃO RECOMENDADOS (SEDAÇÃO) ARIA .adrianaschmidt. 86): 8–160 www.

Alektos® www.adrianaschmidt.Desalex® Levocetirizina .com .Allegra® Desloratadina .Anti histamínicos não sedantes Loratadina .Claritin® Cetirizina .Zyxen® Ebastina .Zyrtec® Fexofenadina .Rupafin® Bilastina .Ebastel® Epinastina Talerc® Rupatadina .

com . 3% excr leite) > 6 meses (FDA cat C) > 6 meses (FDA cat C) > 6 anos (FDA cat C) > 2 anos > 6 anos > 12 anos > 12 anos www.03% excr leite) > 6m (FDA cat C.Anti histamínicos não sedantes Anti H1 no Brasil Loratadina Cetirizina Fexofenadina Desloratadina Levocetirizina Ebastina Epinastina Rupatadina Bilastina Idade mínima /Cat. FDA (gestação) > 2 a (FDA cat B.adrianaschmidt. 0.

Corticóides tópicos nasais Tratamento farmacológico mais efetivo da rinite RA intermitente moderada e grave RA persistente leve.com .manutenção a longo prazo Efetivos em todos os sintomas (principalmente obstrução) Mínimos efeitos colaterais locais (irritação local. sangramento) Seguros www. moderada e grave Potente ação anti-inflamatória local Uso regular .adrianaschmidt.

adrianaschmidt.60 ou 120 doses Propionato de Fluticasona Flixonase 50 mcg .120 doses Plurair 50 mcg . 50 e 100mcg 120 ou 200 doses/50 mcg Acetonido deTriancinolona Nasacort 55 mcg .5 mcg -120 doses Ciclesonida Omnaris.120 doses Furoato de Fluticasona Avamys 27.Corticóides tópicos nasais Disponíveis no Brasil Budesonida Budecort 32 e 64mcg -120 doses Busonid 32.120 doses Furoato de Mometasona Nasonex 50 mcg .com . 50 mcg -120 doses www.

122:S1-84.com .FDA Wallace et al.adrianaschmidt.Rinite Corticóides tópicos nasais . J Allergy Clin Immunol 2008. www.

Corticóides tópicos Doses GINA 2011 www.com .adrianaschmidt.

Immunol Alllergy Clin N Am 31 (2011) 545-560 www.O.Corticosteróides nasais No que eles diferem? Afinidade pelo receptor Furoato de mometasona >Propionato de Fluticasona> Triancinolona> Budesonida> Dexametasona Índice de absorção sistêmica Meltzer.com .adrianaschmidt.

com .adrianaschmidt. 2008 www.Rinite alérgica Imunoterapia A Imunoterapia (IT) para alérgenos inalantes é eficiente no tratamento da RA (evidência A) IT deve ser considerada em pacientes com Rinite alérgica Evidência demonstrável de Ac IgE específicos contra alérgenos relevantes Sintomas podem ser reduzidos com o controle do ambiente e das medicações necessárias para controlar os sintomas Efeitos adversos das medicações (evidência A) The diagnosis and management of rhinitis: An updated practice parameter J Allergy Clin Immunol: 122:S1-84.

particularidades IT – eficiente para tto de RINITE (principalmente) e ASMA.com . 7th ed. www.Imunoterapia . reservas no ao tratamento da asma Adkinson: Middleton's Allergy: Principles and Practice.adrianaschmidt. Benefícios imunológicos e clínicos persistem após o tto ser descontinuado Inconvenientes: Tratamento longo e possibilidade de reações alérgicas. controversa na Dermatite atópica. sem indicação na urticária A eficácia clínica depende de dose adequadas Induz células regulatórias T que reduzem a resposta aos alérgenos Respota imune em um paciente tratado é semelhante a resposta de um nãoalérgico ao alérgeno.

Alérgenos . animais).com . Samuel C. não é indicado o uso de filtros de ar para sua redução (ineficientes) – medidas clássicas de higiene ambiental Richard F. 2th edition www. tabaco. não constituem alérgenos e não é justificado seu uso para testes alérgicos ou vacinas Ácaros intradomiciliares. etc. madeira. fungos. então: Piretro. Bucatnz.particularidades Para suscitar resposta imunológica específica. Ag pesados. fumaça. devem ser antígenos proteicos ( ácaros. depositam-se rapidamente. lã. Allergens and Allergen Immunotherapy. paina.Lockey.adrianaschmidt. baratas.

ou uso abusivo de umidificadores de ar Evitar o uso de carpetes.com . especialmente no quarto Evitar móveis estofados ou objetos que acumulem pó .fora de casa e principalmente fora do quarto.Ácaros Medidas de Controle ambiental Manter a casa arejada e ensolarada. nunca na cama www. aspirar os colchões semanalmente Colocar capas impermeáveis no colchão e travesseiro Lavar roupas de cama semanalmente com água quente Evitar cobertores de lã e cortinas pesadas Animais de pelos . evitar umidades.retirar bichos de pelúcia expostos e objetos amontoados Retirar o pó com pano úmido. vazamentos.adrianaschmidt. tapetes ou forrações.

sendo intra e extradomiciliares. enquanto tempo quente e seco promove a polinização Antígenos grandes porém muito leves e aerados. períodos de baixas temperaturas suprimem a polinização e chuvas retiram os pólens do ar.Alérgenos .particularidades Fungos Grande número de espécies. Pólens Extradomiciliares. difíceis de quantificar e identificar. recomendáveis filtros HEPA (alta eficiência) www. Penicilium e Aspergilus (conídios) estão no ar Alérgicos a Cladosporium deve evitar parques e florestas em dias secos e com vento. longos períodos sem precipitação. Alternária e Cladorporium (ascomicetos) vivem na superfície de folhas ( e paredes de banheiros).adrianaschmidt.com . Alérgicos a Aspergilus ou Penicilium deveriam evitar manusear jardins.

adrianaschmidt.Lolium perenne Perrenial Ryegrass Azevém Pólens gramíneas mais sensibilizantes Lolium multiflorum Ryegrass www.com .

Paspalum notatum grama dos batatais grama forquilha Bahia grass não tem reatividade cruzada com outros pólens Pólens gramíneas mais sensibilizantes Cynodon dactilon grama rasteira Bermuda grass sem reatividade cruzada Phelum pratense capim rabo-de gato Timothy grass www.com .adrianaschmidt.

capim rabo de junho Kentucky ou June grass Holcus lanatus capim lanudo Velvet grass Dactilis glomerata Panasco Orchard grass Pólens gramíneas mais sensibilizantes www.Poa Pratensis grama azul.adrianaschmidt.com .

Os corticosteróides intranasais ficam reservados para as formas persistentes .com . quando necessário. e muitas vezes necessitam de tratamento adjuvante com anti-histamínicos. evidenciada em recentes estudos epidemiológicos. O diagnóstico clínico é suficiente na maioria dos casos. www. podendo ser confirmado por testes alérgicos A utilização de anti-histamínicos.adrianaschmidt. preferencialmente não sedantes.Conclusões A rinite alérgica apresenta elevada prevalência no Brasil. A relação com a asma é estreita e a abordagem deve ser integrada. é uma alternativa nas formas intermitente e leve de rinite alérgica.

A educação continuada e suporte são complementos indispensáveis a estas intervenções. e deve ser de responsabilidade do Alergista. A Imunoterapia é reservada a casos nos quais a resposta terapêutica é insatisfatória ou dependente do uso contínuo de medicações. Por ora. melhorando as chances de diagnóstico e tratamento.Rinite x Alergia Papel do Alergista "Nossa compreensão sobre a fisiopatologia da rinite alérgica avança. evitar os alérgenos e o uso de corticoides tópicos por longos períodos ainda é a base do tratamento." Adriana Schmidt www.adrianaschmidt.com .

Departamento Científico de Alergia da SPP www.adrianaschmidt.com .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful