Você está na página 1de 84

Viajar

www.embalagemmarca.com.br

EDIÇÃO DE
ANIVERSÁRIO

impreciso
Embalagens
compactas de
9ANOS
produtos de higiene
pessoal e beleza têm
amplo espaço para
crescer no Brasil

DOCUMENTO ESP
ECIAL
Embalagens
Flexíveis

As tendências do mercado de impressão de embalagens na maior feira gráfica do mundo


EDITORIAL  A ESSÊNCIA DA EDIÇÃO DO MÊS, NAS PALAVRAS DO EDITOR

Além de nossos próprios limites


om esta edição, EMBALA- gente e isenta com que homenageia a

C
GEMMARCA comemora seu cadeia brasileira de embalagem. As ins-
nono aniversário de lança- crições estão abertas, e a premiação tem
mento. Fiéis a nossa tra- data e local marcados: 1º de outubro, no
dição, festejamos a data Espaço Fecomercio, em São Paulo.
oferecendo ao nosso público, como nos Naturalmente continuamos tocando
oito anteriores meses de junho, alguma EMBALAGEMMARCA com redobrado empe-
ação que torne a revista um pouco mais nho, procurando sempre aperfeiçoá-la e
especial do que habitualmente. Desta vez, ampliá-la. Nesta edição de aniversário,
a edição traz encartado um Documento por exemplo, estamos inaugurando uma
Especial de dezesseis páginas com a sín- nova seção (“5 Perguntas para”), na qual
tese do conteúdo do SEMINÁRIO ESTRATÉ- todos os meses uma personalidade do
GICO DE EMBALAGENS FLEXÍVEIS: DA MATÉ- universo do packaging opinará sobre
RIA-PRIMA AO PONTO-DE-VENDA, iniciativa temas pertinentes. A entrevista inaugural
inaugural do CICLO DE CONHECIMENTO. é com Lincoln Seragini, um profissio-
Marcamos sempre, como já disse- nal da embalagem que dispensa maiores
mos em incontáveis oportunidades, nos- apresentações.
sas comemorações com trabalho. Assim, Ao revermos a trajetória de EMBALA-
enquanto o evento de embalagens flexí- GEMMARCA nestes nove anos, reforça-se
veis se aprofunda e se desdobra em prol de maneira mais enfática o sentimento “Festejamos os nove
do fortalecimento daquela cadeia, já se
encontram em fase adiantada os prepa-
de gratidão e reconhecimento que temos
presente todos os dias para com nossos
anos de EMBALAGEMMARCA
rativos para o SEMINÁRIO ESTRATÉGICO DE leitores e anunciantes. É graças a eles que oferecendo ao nosso
SUSTENTABILIDADE, que se realizará dia 26 conseguimos ir sempre além de nossos
de agosto próximo. Os leitores podem ter próprios limites. Esse inestimável apoio público, como nos oito
presente que, como em tudo que fazemos,
não será apenas “mais um” evento sobre
nos permite fazer aquela que, deixados
de lado pudores que soariam postiços, é
anteriores meses de
esse importantíssimo tema. hoje não apenas uma “revista de embala- junho, alguma coisa que
Nessa linha, avançam os trabalhos da gem”, ou ainda uma simples “revista de
segunda edição do PRÊMIO EMBALAGEM- negócios de embalagem”, mas a principal torna a revista um pouco
MARCA – GRANDES CASES DE EMBALAGEM, revista de negócios de embalagem do mais especial do que
que já em seu lançamento, no ano pas- Brasil. Obrigado a todos.
sado, se consolidou como referencial na habitualmente”
área, dada a forma diferenciada, abran- Wilson Palhares

Diretor de Redação:
EMBALAGEMMARCA é Wilson Palhares | palhares@embalagemmarca.com.br Público-Alvo
uma publicação mensal da Reportagem: redacao@embalagemmarca.com.br EMBALAGEMMARCA é dirigida a profissionais que
Bloco de Comunicação Ltda. Flávio Palhares | flavio@embalagemmarca.com.br
Rua Arcílio Martins, 53 ocupam cargos de direção, gerência e super-
Guilherme Kamio | guma@embalagemmarca.com.br
CEP 04718-040 Marcella Freitas | marcella@embalagemmarca.com.br visão em empresas integrantes da cadeia de
São Paulo, SP Departamento de arte: arte@embalagemmarca.com.br
embalagem. São profissionais envolvidos com
Tel.: (11) 5181-6533 Diretor de arte: Carlos Gustavo Curado | carlos@embalagemmarca.com.br o desenvolvimento de embalagens e com poder
Fax: (11) 5182-9463 Assistente de arte: José Hiroshi Taniguti | hiroshi@embalagemmarca.com.br de decisão colocados principalmente nas indús-
www.embalagemmarca.com.br Administração: trias de bens de consumo, tais como alimentos,
Eunice Fruet | eunice@embalagemmarca.com.br bebidas, cosméticos e medicamentos.
Filiada ao
FOTO DE CAPA: STUDIO AG – ANDRÉ GODOY

Marcos Palhares | marcos@embalagemmarca.com.br


Departamento Comercial: comercial@embalagemmarca.com.br
O conteúdo editorial de EMBALAGEMMARCA é
João Tichauer | tichauer@embalagemmarca.com.br
Juliana Lenz | juliana@embalagemmarca.com.br resguardado por direitos autorais. Não é
Karin Trojan | comercial@embalagemmarca.com.br permitida a reprodução de matérias editoriais
Filiada à Wagner Ferreira | wagner@embalagemmarca.com.br publicadas nesta revista sem autorização
Circulação e Assinaturas (Assinatura anual: R$ 99,00): da Bloco de Comunicação Ltda. Opiniões
assinaturas@embalagemmarca.com.br expressas em matérias assinadas não refletem
Ciclo de Conhecimento: necessariamente a opinião da revista.
Ivan Darghan | ivan@embalagemmarca.com.br
SUMÁRIO  Nº 106  JUNHO 2008

8 Cinco perguntas para


O designer Lincoln Seragini fala dos seus quarenta
anos de carreira e do nível dos projetos nacionais
10 Prêmio
de embalagem na seção que estréia na revista DuPont Innovation Award condecora embalagens

18
com propostas consistentes em sustentabilidade

Home care
Embalagem tem um papel decisivo na variante
concentrada do amaciante Comfort, da Unilever Sondagem GNPD 28
Mintel analisa o mercado internacional de produtos
de higiene pessoal com apelo para viagens
Reportagem de capa:
Embalagens Portatéis 22
Mercado brasileiro ainda tem
longo caminho para evoluir
em produtos compactos de
Prêmio 30
higiene pessoal e beleza, As embalagens laureadas na
práticos para serem levados edição 2008 de tradicional
nos nécessaires concurso da associação das
vidrarias americanas

Fispal Tecnologia 36
Algumas das novidades da feira de embalagens,

40
que neste ano foi realizada sob nova batuta

Codificação
PRÊMIO EMBALAGEMMARCA 42 Enquanto a Videojet lança inovadora impressora,
Markem-Imaje mostra sua nova cara aos brasileiros
Solenidade terá novo sorteio de viagem a Paris. O
prazo para as inscrições é 22 de agosto

Internacional 43
Entrevista:
48
Empresa franco-americana apresenta sistema
redundante para rastreamento de vinhos de luxo
Paulo Carramenha
CEO da empresa de pesquisas GfK Indicator

64
comenta os resultados de pesquisa inédita sobre
o perfil dos gestores nacionais de embalagem
Especial: Drupa

58
As novas necessidades e as novas fronteiras para

Perfumes a impressão de embalagens, captadas in loco no


principal evento da indústria gráfica mundial

74
Com pesquisas, ingredientes exóticos e
frascos em forma de jarra, Natura quer
explorar sentimento latino Logística
Polpa moldada quer avançar no mercado de calços
técnicos, dominado pelo poliestireno expandido

4 EmbalagemMarca junho 2008


Especial: CICLO DE CONHECIMENTO
Um resumo das apresentações e dos debates
ocorridos na primeira ação do CICLO DE CONHECIMENTO
EMBALAGEMMARCA, o SEMINÁRIO ESTRATÉGICO DE EMBALAGENS
FLEXÍVEIS: “DA MATÉRIA-PRIMA AO PONTO-DE-VENDA”, realizado
em São Paulo no dia 12 de maio

Editorial 3
A essência da edição do mês, nas palavras do editor

Na web 6
O que a seção de notícias de www.embalagemmarca.com.br
e a e-newsletter semanal levam aos internautas

Panorama 44
Movimentação do mundo das embalagens e das marcas

Equipamentos 56
Bens de capital para linhas de embalagem

Painel gráfico 60
Produtos e processos da área gráfica para a produção de
rótulos e embalagens

Display 76
Lançamentos e novidades – e seus sistemas de embalagens

Almanaque 82
Fatos e curiosidades do mundo das marcas e das embalagens

www.embalagemmarca.com.br
NA WEB
Uma amostra do que a seção diária de notícias de www.embalagemmarca.com.br e a e-newsletter semanal da
revista levam aos internautas

Display

Vodca Kovak estréia


novas embalagens
Garrafa de vidro com linhas
retas levemente afuniladas na
base e ombro definido: esta
é a nova apresentação da
vodca Kovak. As embalagens,
fornecidas pela Owens-Illinois,
são decoradas em ACL (Apllied cannes
Ceramic Label). As tampas são
da Guala Closures. O design é Embalagens da
da Packaging Brands. Coca-Cola premiadas
Leia mais em O Grand Prix na nova categoria Design no
www.embalagemmarca.com.br/ Festival de Publicidade de Cannes, na França,
vodcakovaknova foi para a agência inglesa Turner Duckworth,
pela criação da nova identidade das latas e
outras embalagens da Coca-Cola. A reestili-
zação aproximou as embalagens de seu estilo
clássico, mais simples e limpas.
Panorama
Leia mais em
Braskem produzirá www.embalagemmarca.com.br/grandprix
plástico verde em Triunfo
A Braskem anunciou um novo ciclo de investimento no Pólo
Petroquímico de Triunfo, com aporte de recursos de mais de
um bilhão de reais programado para os próximos três anos
e a decisão de produzir polietileno verde, à base de etanol,
no Rio Grande do Sul. O destaque do novo compromisso de
Promoção
investimento é a decisão da Braskem de instalar o projeto de
polietileno verde em Triunfo, com investimentos estimados Sagatiba lança
entre 400 e 500 milhões de reais. embalagem promocional
Leia mais em www.embalagemmarca.com.br/ A Sagatiba lança neste inverno uma
braskemtriunfo embalagem promocional de Sagatiba
Velha, com dois copos de shot pelo pre-
ço de uma garrafa individual. O objetivo
da empresa é divulgar novas formas de
consumir a cachaça.
RECEBA A E-NEWSLETTER Leia mais em www.embalagem-
SEMANAL DE EMBALAGEMMARCA marca.com.br/sagatibavelha
Visite www.embalagemmarca.com.br/newsletter
e cadastre seu e-mail.
Nosso boletim eletrônico, gratuito, é
publicado todas as quintas-feiras.

6 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


perguntas
para Lincoln Seragini
omo já se tornou tradição, em todas as edições de

C
comemoração de aniversário EMBALAGEMMARCA
oferece a seus leitores alguma inovação. Neste
mês de junho, para marcar sua chegada aos nove
anos de vida, a revista criou esta seção, destinada a
doravante captar, todos os meses, a visão e o pensamento de uma
personalidade de projeção no mundo dos negócios sobre temas
relacionados à cadeia produtiva de embalagem. No momento em
que o Festival Internacional de Publicidade, que se realiza todos
os anos em Cannes, na França, decide homenagear o uso inova-
dor da embalagem, criando uma categoria para esse fim, entrevis-
tamos Lincoln Seragini, o profissional do design que praticamen-
te instaurou no Brasil o debate da condição da embalagem como
adicional de valor aos produtos e alavanca de negócios. Aqui ele
fala sobre esse tema e sobre sua rica experiência em quarenta
anos de carreira, que completará em julho próximo.

Dia 15 de julho próximo o senhor completará

1
quarenta anos de carreira na área de embala-
gem. Por favor, fale um pouco de sua trajetó-
ria e do que mudou no campo da embalagem
no Brasil desde então.

Meu amor por embalagem é de nascença. Meus brinquedos


na infância foram as caixinhas, os sacos e as latas do arma-
zém de meu pai. Comecei a colecionar embalagens aos oito
anos de idade. Tenho até hoje a coleção de maços de cigarros
dessa época. Profissionalmente, ingressei em 1968
na Colgate-Palmolive na área de Desenvolvimento
Técnico de Embalagem, após a conclusão de um
curso de Química Industrial. Na seqüência cursei
Engenharia Quimica, Pós-graduação em Tecnologia
dos Polímeros e Administração de Empresas. Já na
Nestlé passei a me interessar por design. Em 1972
participei em São Paulo de um seminário de Design
de Embalagem pela New York University e desde
então comecei a estudar, escrever e dar aulas sobre o
assunto. Fui um dos pioneiros no Brasil a sistematizar
o conhecimento na área, apresentando a embalagem
como uma disciplina independente. Como marca dessa
trajetória foi fixado o conceito do “design científico” e
eira
gistro na cart a visão de que bom design é bom negócio. Falando de
O primeiro re gini: de lá para
de Se ra mudanças nesses 40 anos, acredito que as atividades de
profissional anos dedicado
s ao
cá, quarenta io do packaging embalagem evoluíram muito, crescendo de importância
of íc
tanto em nível empresarial quanto em nível acadêmico e

8 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


institucional. Observou-se uma profissionalização maior, com a Tenho apresentado uma conferência chamada “Design – a
criação de cursos em vários níveis, institutos de pesquisa com Nova Alma do Negócio”. Acredito que demorou muito para o
estruturas melhores e pesquisadores mais experientes, organi- mundo publicitário reconhecer a importância do design como
zações de classe mais organizadas e atuantes, premiações de fator estratégico e de sucesso nos negócios, isso porque iden-
nível internacional e melhores publicações especializadas. tifico essa situação como a do filme Dormindo Com o Inimigo.
Por outro lado, do ponto de vista de mercado, devido ao O design (de produto, embalagem, marca, ambientes comer-
aumento da concorrência e à pressão dos custos, mudaram ciais...), quando bem feito e inovador, possui valor intrínseco,
muito o relacionamento e a fidelidade entre as indústrias. Em dispensando até a propaganda massiva, como foi o caso do
meu início, mesmo tendo a tecnologia como base, o fator lançamento do iPhone da Apple, que após ser apresentado
humano predominava. Existiam mais pessoas especiais que em uma conferência por Steve Jobs, estava no ar pela internet
faziam a diferença. Hoje, como está aumentando a demanda em todo o mundo, gratuitamente. O enorme sucesso, tanto
por inovação, vejo como inevitável a volta da importância dos desse como do iPod, se deveu claramente ao design inovador
talentos criativos liderando o processo. e sedutor dos aparelhos. Incluir design no Festival Publicitário
de Cannes é portanto reconhecer essa evidência. Certamente,
O Festival Internacional de Publicidade que pelo prestígio da premiação, vai ajudar a promover ainda mais o

2 transcorre todos os anos em Cannes, na


França, passa a ter a partir de sua 55ª edição,
neste mês de junho, a categoria Design Lions.
design a nível empresarial. Quanto à embalagem que é a “cara”
da marca, as embalagens premiadas ganharão muita visibilida-
de e prestígio.
Com essa medida, o festival pretende homena-
gear o uso inovador do design no desenvolvimento e na A afirmação de que a embalagem brasileira

3
comunicação de marcas e produtos, incluindo embalagens. tem nível comparável ao que há de melhor
Atendo-nos somente ao aspecto das embalagens, que no no mundo vale tanto para o aspecto técnico
caso de produtos de largo consumo e dentro do conceito quanto ao da criatividade, mais especifica-
da premiação interessam mais diretamente ao público desta mente no tocante ao design?
revista, qual a importância da inovação introduzida pelo
Festival de Cannes? Sim. O Brasil apresenta um padrão de embalagem comparável
ao dos paises mais desenvolvidos, em todos os aspectos. Isso
porque tanto os equipamentos, que em sua maioria são impor-
tados de última geração, como os recursos da informática e
“Existiam mais pessoas processamento de imagens, matérias-primas e a criatividade
dos designers brasileiros, nos coloca em nível de igualdade. A

especiais que faziam a maior prova disso é a presença brasileira com sucesso nos prê-
mios internacionais da área.

diferença. Hoje, como De que o senhor mais se

está aumentando a 4 orgulha em sua carreira?

De ter contribuído para uma maior profissiona-

demanda por inovação, lização e para a valorização da embalagem como atividade, e


ainda, através da Seragini Design, ter criado um padrão interna-
cional de design para o país.
vejo como inevitável a Existe o que se possa chamar de

volta da importância 5 design brasileiro de embalagem?

dos talentos criativos


As únicas características que vale ressaltar são
a sensibilidade às cores, mais luminosas e alegres no geral, e
a leveza das formas e dos grafismos. Essas qualidades são o
liderando o processo” reflexo da “alma” brasileira, muito valorizadas no exterior.

www.embalagemmarca.com.br junho 2008 EmbalagemMarca 9


 PRÊMIO

Sustentabilidade na prática
Concurso destaca inovações globais em embalagens menos danosas ao ambiente

N
unca houve tantos desen- quis contribuir para amainar tal ceti- te de relações públicas da DuPont na
volvimentos de soluções cismo. Europa.
ambientalmente mais ami- Os vencedores do concurso, revela- De quase oitenta inscrições, originá-
gáveis para acondicionar dos no fim de abril, não foram reconhe- rias das Américas, da Europa e da Ásia,
bens de consumo como cidos unicamente por virtudes ambien- um júri independente (a utilização de
nos últimos dez anos. Só que, até agora, tais, mas sim pela combinação delas materiais da DuPont não era requisi-
muitas dessas tecnologias e idéias anun- com qualidades sempre exigidas das to) escolheu dez premiados. Três deles
ciadas com alarde ainda não engrena- embalagens – proteção, conveniência ganharam destaque como “conquistas
ram, municiando aqueles críticos con- e beleza. “A intenção foi mostrar que notáveis” e um outro, vale destacar, é
victos de que desenvolvimento sustenta- muitas possibilidades já estão à mão brasileiro: o bag-in-box da água mine-
do e embalagens são como água e óleo: das indústrias, e que elas são tecno- ral Lindóya Vida. EMBALAGEMMARCA
não combinam. A vigésima edição do logicamente convincentes, unindo alí- detalha a seguir as “inovações ver-
Prêmio para Inovação em Embalagem vio à natureza com boa performance”, des” do DuPont Awards for Packaging
da DuPont, focada na sustentabilidade, comenta Horst Ulrich-Heimer, geren- Innovation.

Kraft Salad Dressings Marks & Spencer


Redesenho de um recipiente tradicional com Swiss Chocolate Assortment
quase 19% de redução de peso, avanços em Substituição de berços de plástico convencional
eficiência no transporte e conservação de por uma alternativa biodegradável, produzida
energia, porém mantendo o apelo da marca com recursos renováveis
Ao redesenhar os frascos de peso da embalagem em 19%,
Ao promover a troca do berço e compostável. O verso da
PET de seus molhos para sala- eliminando um consumo anual
termoformado com plástico embalagem comunica com cla-
das, a Kraft Foods americana de 136 toneladas de plásticos.
convencional por um produzido reza instruções para o descarte
conseguiu unir aperfeiçoamen- O design do frasco aumenta
com bioplástico para acopla- da embalagem, destacando
tos em transporte, consumo em 18% a eficiência no trans-
mento no estojo cartonado de que, além de compostável
energético e conveniência ao porte, permitindo o despacho
seu sortimento de bombons de em aterros domésticos, ela
consumidor sem modificações consideravelmente maior de
chocolate, a cadeia varejista também é reciclável. O berço
nos materiais empregados. unidades por caminhão. O
britânica Marks & Spencer é moldado a partir de chapas
Com apoio da fornecedora consumo é facilitado pela
alcançou uma embalagem baseadas no biopolímero de
de preformas Plastipak, a tampa flip top de fácil abertura
totalmente biodegradável amido de milho da australiana
empresa conseguiu reduzir o e pelo formato mais fácil de
Plantic Technologies.
manusear e armazenar que o
da embalagem original.

Estados Unidos Reino Unido


Plastipak Plantic Technologies
No Brasil: +61 (3) 9353-7900
FOTOS: DIVULGAÇÃO

(19) 3844-2100 www.plantic.com.au


www.plastipak.com

10 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


EarthCycle-Natureflex Organic Kiwi Package
Nova embalagem para item hortifrutigranjeiro que utiliza
somente materiais renováveis e biodegradáveis em apoio a
fontes responsáveis, produção limpa e recuperação efetiva
Um novo conceito em embalagem para kiwis orgânicos base-
ado em três componentes que derivam numa alternativa reno- Estados Unidos
vável e compostável para alimentos frescos. A bandeja, da EarthCycle
canadense EarthCycle, é confeccionada com fibra de palma, +1 (604) 899-0928
obtida como subproduto de outras aplicações do vegetal. O www.earthcycle.com
filme NatureFlex da Innovia Films, utilizado como envoltório da
bandeja, é obtido da celulose. O rótulo, de papel, também é Innovia Films
certificado como compostável em aterro sanitário. Segundo o No Brasil:
(11) 5053-9945
júri, a embalagem simplifica o descarte responsável e também
www.innoviafilms.com
apóia o “branding verde” do produto orgânico.

Water Bag-in-Box AMPET Single


Uma alternativa mais limpa Serve Danish Seafood
aos sistemas de embala- Embalagens retortable para refeições prontas
gens rígidas retornáveis na que economizam energia e reduzem o
distribuição de água mineral desperdício de alimentos
em grandes volumes
As embalagens AMPET, da perdício de alimentos, comum
Acondicionada no sistema bag-in- dinamarquesa Faerch Plast, nas porções maiores de pratos
box, em que uma bolsa plástica é abiscoitaram recentes prêmios prontos, e pelas otimizações
acomodada numa caixa de papelão internacionais de embalagem nos consumos de energia e
ondulado, a Life in Box, água da pau- ao adaptar competentemente matéria-prima, que resultam
lista Lindóya Vida, amealhou um dos o PET ao acondicionamento de em vantagens competitivas
troféus do 1º PRÊMIO EMBALAGEMMARCA alimentos sensíveis esteriliza- frente ao vidro e ao aço, mate-
– GRANDES CASES DE EMBALAGEM, em dos por autoclave convencio- riais retortable tradicionais. Os
2007. Agora, ganha reconhecimento nal. Aplicada em refeições com recipientes têm formatos que
internacional com o DuPont Awards. pescados da também escan- facilitam encaixes e possibilitam
A embalagem é uma alternativa aos dinava Larsen grande aproveita-
garrafões, que, segundo a Klabin e a Danish Seafood, mento de espaços
DuPont, parceiras no projeto, implicam
num preço médio 40% maior por litro
a linha AMPET
Dinamarca nos processos
foi reconhecida Faerch Plast logísticos, e, no
de água mineral, são mais custosos, pelo júri do pós-consumo, são
+45 9910-1010
têm produção mais energeticamente DuPont Awards www.faerchplast.com passíveis de reci-
intensiva e são suscetíveis a con- como solução clagem mecânica
Brasil taminações. O papelão ondulado efetiva para ou recuperação
DuPont empregado na embalagem exterior
0800 17 1715 combater o des- energética.
deriva de florestas certificadas pelo
www.dupont.com.br
bom manejo e é reciclável. A bolsa
Klabin interna, além de reciclável em outros
(11) 3046-5800 componentes plásticos, pode ser
FOTOS: DIVULGAÇÃO

www.klabin.com.br utilizada com fins de geração de


energia.

12 EmbalagemMarca junho 2008


CONQUISTA NOTÁVEL CONQUISTA NOTÁVEL

UniPak Eco
O primeiro recipiente 100% feito de
polipropileno pós-consumo reciclado
Brandido como o primeiro similares com PP virgem, a
recipiente totalmente produzido produção com material reci-
com polipropileno (PP) pós- clado, considerando-se que as
consumo reciclado, o UniPak peças originadas continuam
Eco começa a ser oferecido por recicláveis, reduz a emissão de
sua fabricante, a dinamarquesa CO2 do processo industrial em
Superfos, para o acondiciona- até 90%.

PlantLove Lipstick mento de diversos produtos,


de alimentos a tintas e outros
Um novo aplicador cosmético feito inteiramente de produtos químicos. O material

um único material, para reciclagem mais fácil empregado é de fontes com- Dinamarca
provadamente sócio-respon- Superfos
Tipicamente, materiais diferen- cartuchos de papel cartão em sáveis, e a embalagem pode +45 5911-1110
tes são utilizados na fabrica- que os batons são comercia- ser novamente reciclada. A www.superfos.dk
ção de aplicadores de batons. lizados também inovam. Eles Superfos calcula que, compara-
O novo projeto de embalagem possuem sementes de flores da à fabricação de embalagens
para os batons PlantLove da incrustadas, para que o consu-
canadense Cargo Cosmetics, midor possa plantá-la.
mostrado na edição anterior
de EmbalagemMarca, utiliza
apenas um material, e de
fonte renovável: o PLA (ácido Canadá
polilactídeo) – “resina verde” NatureWorks LLC
produzida pela americana +52 (55) 5259-1953
NatureWorks LLC a partir de www.natureworksllc.com
amido de milho. A construção
com um único material facilita
a reciclagem do aplicador. Os

CONQUISTA NOTÁVEL

DuPont Cyrel FAST Thermal Process


Um novo processo térmico para pré-impressão de embalagens que
elimina o uso de solventes, contribuindo para a produção limpa
Utilizando a tecnologia DuPont Cyrel FAST de
gravação de chapas fotopoliméricas para fle-
xografia, a britânica Promopack, especialista
Reino Unido
em pré-impressão de embalagens, conseguiu Dupont
eliminar completamente o tradicional uso de (11) 4166-8842
solventes no processo. Além de obter um pro- www.dupont.com
cesso solvent-free, a empresa viu o consumo
energético baixar significativamente. Segundo Promopack
a Promopack, a tecnologia Cyrel FAST também +44 (01773) 533-600
www.promopack.co.uk
FOTOS: DIVULGAÇÃO

resulta em matrizes de impressão mais confiá-


veis e duráveis, e reduz o tempo total dos traba-
lhos de impressão.

14 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


FOTOS: DIVULGAÇÃO
AirLEssMotion
Bag-in-Bottle System
Redução de energia consumida no processo de
manufatura em mais de 50% por meio de uma nova
tecnologia que permite a substituição de quatro
etapas produtivas por um processo único

A alemã Gaplast desenvolveu uma tecnologia que, em


comparação a projetos anteriores, reduz mais que pela
metade o consumo energético na produção de garrafas
Jordans spray para desinfetantes. A solução consiste numa bolsa

Organic Cereals Reino Unido moldada por co-extrusão-sopro com a resina Surlyn, da
Alcan Packaging DuPont, que é acomodada numa garrafa rígida. O con-
No Brasil: ceito bag-in-bottle, baseado na única ação de junção dos
Uma nova flexível compostável e (11) 4512-7170
biodegradável que apóia o caráter dois componentes, substitui uma anterior baseada em
www.alcan.com
quatro etapas. A recu-
natural do produto e assegura a
Innovia Films peração da embalagem
efetiva recuperação pós-consumo
No Brasil: após o descarte é facili-
Abordada na edição anterior de (11) 4512-7170 tada pelo fato de bolsa e
EMBALAGEMMARCA, a bolsa plástica www.innoviafilms.com garrafa serem produzidas
do cereal matinal britânico Jordans com a mesma família de
Cereals é produzida pela Alcan Novamont polímeros.
Packaging européia a partir de maté- +39 (0) 321-6996
rias-primas renováveis, compostáveis
www.novamont.com
e biodegradáveis. Sua estrutura é
composta por uma combinação
de filmes derivados de bioplásticos – o NatureFlex, filme de celulose da Alemanha
inglesa Innovia Films, e o Mater-Bi, filme de blendas de amidos da italiana Gaplast
Novamont –, sendo a primeira aplicação do gênero no mundo para um +49 (0) 8845-74130
produto seco e de longa vida-de-prateleira. As propriedades dos filmes www.gaplast.de
se combinam para conferir barreiras e processabilidade à embalagem,
que pode ser descartada pelos consumidores com fins de compostagem
doméstica ou industrial.

Não é de hoje
Ao longo dos anos, o DuPont Awards premiou significativas conquistas
ambientais em embalagens. Veja algumas das mais significativas
1989 – Garrafas e bandejas para ovos 100% feitos de PET reciclado
1990 – Programas de reciclagem de sacolas plásticas
1991 – Embalagens flexíveis compactas do tipo brick-pack (tijolos),
para redução de consumo na fonte e conveniência ao consumidor
1992 – Bandejas de plástico expandido produzidas com metade do material utilizado por bandejas rígidas
Primeira bandeja de alimentos com PET reciclado pós-consumo
1993 – Redução do consumo de material por meio da introdução de produtos concentrados/refis
1995 – Redesenho de embalagens para eliminação de componentes, reduzindo o consumo de materiais em mais de 50%
1997 – Recipiente 100% de PET reciclado para sucos prontos
2004 – Embalagens compostáveis feitas de materiais renováveis (PLA, polímero de amido de milho)

16 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


 HOME CARE

Compacto e
econômico
Versão concentrada de Comfort
gera economia de resina plástica,
de embalagens secundárias e de
matérias-primas na produção

C
om a crescente onda do consumo responsável, ou,
usando a palavra mais em voga, da sustentabili-
dade, acentua-se no mundo inteiro a tendência de
lançamento de produtos concentrados, acondicio-
nados em embalagens mais reduzidas. Nos Estados
Unidos, sempre um destaque nas ondas em que as empresas sur-
ÃO
UNICAÇ

fam para estar na vanguarda de mercado, um exemplo eloqüente


E COM

é o da entrada do detergente líquido concentrado All Small &


Might, comercializado pela Unilever: em um ano de lançamento,
LOCO D

segundo a empresa, foi obtida uma economia de 11 milhões de


DO – B

litros de água, de 30 000 litros de diesel, de 4,5 milhões de tone-


S CURA

ladas de resina plástica e de 1 milhão de caixas de papelão, além


CARLO

de 1 000 horas em descarregamento de caminhões.


Esses ganhos incentivaram a Unilever a apostar no desen-
FOTO:

volvimento de um produto com a mesma finalidade no Brasil. O


primeiro item a chegar ao mercado é o amaciante de roupas líder
de mercado, Comfort, na versão concentrada, acondicionado em
embalagens de 500 mililitros. A quantidade de produto tem o
mesmo rendimento da embalagem de 2 litros e, ao que afirma
o fabricante, custará cerca de 20% menos no ponto-de-venda.
De acordo com a Unilever, o lançamento é uma iniciativa favo-
rável ao meio ambiente, já que foi desenvolvido dentro de uma
plataforma de sustentabilidade, atendendo aos três pilares desse
conceito: as ações nele contidas devem ser socialmente justas,
economicamente viáveis e ambientalmente corretas.
A Unilever argumenta que o Comfort Concentrado, quando
REPRODUÇÃO

Unilever usa rótulos e “bula” para tentar mudar hábito da consumidora, que antes precisava usar a medida de duas tampas e agora só precisa de meia

18 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


comparado com o Comfort diluído, apresenta
vantagens para o meio ambiente, do início da
cadeia produtiva até a casa da consumidora.
Considerando que todo volume de Comfort dilu-
ído fosse convertido em concentrado, em número
de lavagens a inovação geraria benefícios como
economia de 79% de água na sua fórmula – o
equivalente a 30,5 piscinas olímpicas ao ano. A
embalagem é menor, gerando economia de 58%
de plástico (polietileno de alta densidade – PEAD),
ou cerca de 1 600 toneladas ao ano. No transporte,
há redução de 52% no uso de caixas de papelão e
67% de caminhões a menos nas estradas. “Com
o novo Comfort Concentrado, vamos promover
uma migração dos amaciantes diluídos para os
concentrados e, conseqüentemente, uma grande
mudança de hábito entre as consumidoras, assim
como ocorreu nos Estados Unidos, na Europa e na Com embalagens menores, Unilever alardeia economia de matérias-primas
Ásia”, afirma Priya Patel, diretora de marketing da
área de Higiene e Limpeza da Unilever. “As con-
sumidoras, até agora acostumadas com a versão Comparativo entre
de 2 litros, passarão a encontrar nas prateleiras as embalagens Comfort
um amaciante concentrado em embalagem de 500 Concentrado
mililitros, o que ajuda a minimizar os impactos na
natureza”, diz Priya. Redução de
O grande desafio, como ressalta a executiva,
é que o novo produto demanda mudanças nos
hábitos de consumo. Isso envolverá um trabalho
de educação das consumidoras, para que entendam
79% de água na
como fazer as novas dosagens do produto. Hoje,
fórmula do produto
a recomendação de uso do Comfort de 2 litros
diluídos é de duas tampas para uma máquina de Altura 33,3cm 15,5cm
lavar de 5 quilos de roupas. Com o novo Comfort Economia de
Concentrado, meia tampa é suficiente para lavar 12,3cm 9,5cm

58%
Largura
esta mesma quantidade de roupa.
As tampas das novas embalagens – assim Profundidade 9,5cm 5,8cm
como os frascos, produzidos pela Brasalpla – são de resina plástica
as mesmas dos recipientes de 2 litros. Além de Frasco Frasco (cerca de 1 600
dispensar novo molde, ela serve como referência 2 litros 500 ml
para a medida de amaciante a ser utilizada. As toneladas/ano)

Redução de

52%
no uso de caixas
FOTOS: DIVULGAÇÃO

Na gôndola, display
FONTE: UNILEVER

deixa embalagem
de 500 mililitros na de papelão
mesma altura do
frasco de 2 litros

20 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


tampas, aliás, estão presentes em ilustrações no um fator importante, porque, segundo a empresa,
contra-rótulo e num folheto preso ao gargalo da 70% das compras no Brasil são realizadas a pé ou
embalagem com as instruções de uso. Para educar de ônibus, e o frasco mais leve é mais fácil de ser
a consumidora sobre a nova dosagem de Comfort carregado. O volume menor da embalagem tam-
Concentrado, a marca vai divulgar instruções em bém traz benefícios, pois ocupa menos espaço em
televisão, rádio e mídia impressa. casa. “Para o comércio, o Comfort Concentrado
Os pontos-de-venda também terão ações para rentabiliza o metro quadrado no estoque e nas
explicar a utilização do novo produto. O novo gôndolas, com incremento de 60% de produtos nas
Comfort fica em exposição na mesma gôndola prateleiras”, ressalta Adriana. Segundo a executi-
da embalagem de 2 litros, evitando que seja con- va, o produto pretende atender à preocupação dos
fundido com as embalagens de 500 mililitros já consumidores com o meio ambiente. Ela lembra
existentes no mercado. Displays diferenciados que no início dos anos 1990 a Unilever testou o
desenvolvidos pela Unilever deixam as duas ver- Comfort Concentrado no mercado brasileiro, mas
sões de Comfort na mesma altura nas prateleiras. o produto não vingou. “O momento era outro e o
“A nova embalagem vai ficar lado a lado com o conceito do produto era diferente: o consumidor Brasalpla
(11) 2104-1400
Comfort de 2 litros, por isso o display que ‘levan- precisava diluir o amaciante em água, e para isso www.brasalpla.com.br
ta’ o produto”, revela Adriana Muratore, diretora precisava da embalagem de 2 litros, o que não
CCL Label
de Higiene e Limpeza de Customer Marketing e trazia grandes vantagens.” (19) 3876-9300
Gerenciamento por Categoria da Unilever Brasil e Os rótulos de Comfort Concentrado foram www.ccllabel.com.br
do Instituto Unilever. desenvolvidos pela Rex Design e são produzidos
Rex Design
Outra vantagem citada pela Unilever com a pela CCL Label. O amaciante tem três variantes: (11) 3862-5121
embalagem menor é a redução de peso. Esse é Original, Vibrant e Ellegance. (FP) www.rexnet.com.br
 REPORTAGEM DE CAPA

Cabe aqui?
Oferta de produtos
de higiene
pessoal e beleza
com embalagens
pequenas, sob
medida para
viajar no

ANDRÉ GODOY
nécessaire, ainda
tem grandes espaços
para crescer no Brasil
Por Denise Bobadilha

N
unca os brasileiros viajaram tanto, curtas. As apostas iniciais de certas marcas de per-
seja a lazer, aproveitando o bom sonal care mostram que o filão “on-the-go”, apesar
momento econômico, ou a negó- de engatinhar no Brasil, pode ser proveitoso.
cios. De acordo com um recente Em 2000, a Johnson &
estudo bancado por entidades de Johnson lançou uma cam-
classe atreladas à indústria do turismo, os presta- panha para os cosméticos
dores nacionais de hospedagem, transporte aéreo Clean & Clear chamada “1,
e locação de veículos faturaram 27,52 bilhões de 2, 3 e pronto”, baseada em
reais em 2007, número que, em projeção, deve kits de produtos para o rosto
fechar este ano cerca de 6% maior. As viagens apresentados em pequenas
pulsam forte, mas, enquanto a oferta de alimentos bisnagas plásticas de 60
e de bebidas para o consumo em movimento já é mililitros, produzidas pela
generosa, o mesmo não acontece com os produtos C-Pack. Mesclando produ-
para cuidados pessoais. O brasileiro ainda sua tos como sabonete líquido,
para encontrar itens de toucador e cosméticos sob hidratante, adstringente e
DIVULGAÇÃO

medida para o nécessaire. gel secativo para acne, a


Xampus, dentifrícios, cremes e desodorantes idéia, concebida no Brasil, se
“para viagem” possuem até prateleiras próprias em espraiou para toda a América
supermercados e farmácias na Europa, na América Latina. “O sucesso foi tão
do Norte e no Japão. Como as porções menores grande que hoje a linha repre-
desses produtos ainda rareiam por aqui, muitas senta 15% do volume total de vendas da Clean & Kit com miniprodutos fez
tanto sucesso que, hoje,
vezes o público acaba recorrendo às versões para Clear”, conta Carolina Lyra, gerente da marca na representa 15% das vendas
consumo doméstico, exageradas para as viagens J&J. Segundo a executiva, a portabilidade foi a da marca Clean & Clear

22 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


chave para o êxito comercial dos kits. que precisam se locomover constantemente, as
Também na forma de um kit, chamado apresentações menores de produto ajudam na A indústria do
Terapeutics e composto por xampu, condiciona- fidelização às marcas, ocupam menos espaços e turismo no
dor, hidratante e sabonete líquido acondicionados representam uma opção a mais nas prateleiras”, Brasil faturou,

FONTE: INSTITUTO DE ESTUDOS DE


HOSPITALIDADE, LAZER E TURISMO
em 2007,
em bisnagas plásticas de 50 mililitros da Impacta resume o profissional.
e da C-Pack, a tradicionalíssima Casa Granado
decidiu atender o consumo fora do lar. Assim
Yassuda lembra que as novas normas inter-
nacionais de vôo limitam o transporte, na baga- R$ 27,5
como os kits da Johnson & Johnson, os produtos gem de mão, de produtos líquidos ou géis em
são agrupados numa bolsa plástica que pode fazer bilhões

STUDIO AG – ANDRÉ GODOY


as vezes de nécessaire. A Granado evita detalhar o
desempenho do produto no mercado, mas informa
que os produtos tiveram ótima aceitação.
A empresa já trabalhava embalagens com
as mesmas dimensões numa outra linha, feita
exclusivamente para distribuição na rede hotelei-
ra, canal já bem-municiado com pequenas apre-
sentações de itens de toucador. Fábio Yassuda,
diretor comercial da C-Pack, entende que a oferta
de embalagens miniaturizadas no varejo é uma
oportunidade fértil a ser ainda assimilada tanto
Granado: apesar de
pelos fabricantes de cosméticos quanto pelos de tradicional, marca aposta
embalagens. “Além de facilitar a vida daqueles em apelo moderno
cerca de 100 mililitros, quantidade que varia
dependendo do produto e do país para o qual se
viaja. “Recentemente estava embarcando para a
Argentina e tive que me livrar do meu gel para
cabelo”, conta o diretor da C-Pack. “Cabe a nós,
da indústria, criarmos modelos diferentes, que
atendam às novas necessidades de consumo.”
Contribuindo nessa direção, a C-Pack está lançan-
do duas tampas com diâmetro de 19 milímetros,
adequadas a bisnagas menores. Uma é de rosca, e
a outra, flip top.

Para os cabelos, quase nada


A escassez de apresentações menores salta aos
olhos principalmente na seção de xampus e con-
dicionadores, produtos de uso freqüente, mas
muitas vezes não oferecidos por hotéis. Remando o frasco único para os dois itens, moldado pela
contra a maré, um exemplar de preocupação com Igaratiba, garantiu apelo econômico. “O produto
o consumidor viajante abocanhou um dos troféus foi muito bem-recebido pelo público”, diz Sergio
do PRÊMIO EMBALAGEMMARCA 2007 – GRANDES Driuzzo, fundador da Swiss Vital. De modo a
CASES DE EMBALAGEM: o dois em um miniatura, ampliar o apelo de recompra do produto, a fabri-
conjugando xampu e condicionador num único cante, em parceria com a Igaratiba, adotou recen-
frasco compartimentado, da linha Energia Vital, temente uma nova blenda de polietilenos de baixa
da Swiss Vital. e alta densidade para o corpo do frasco, a fim de
O produto, composto por 35 mililitros de facilitar sua compressão e, conseqüentemente, a
xampu e 25 mililitros de condicionador, surgiu saída do xampu e do condicionador.
como opção à variante para consumo doméstico, Embora os fornecedores demonstrem que têm
com 200 mililitros de xampu e 150 mililitros de expertise para atender projetos de embalagens
condicionador. Além de facilitar o transporte, portáteis, o interesse do mercado é pequeno.
Procuradas por EMBALAGEMMARCA para comentar
os motivos da inexistência de versões para viagem
FOTOS: DIVULGAÇÃO

de produtos capilares, grandes fabricantes como


Unilever e Colgate-Palmolive preferiram não se
manifestar. Por meio de seu departamento de
comunicação, a Procter & Gamble informou que
suas embalagens de 200 mililitros dos xampus
Pert Plus, Pantene e Head & Shoulders “atendem
às necessidades dos consumidores que viajam
muito”.
Para cuidado extra com os cabelos durante via-
gens, a P&G aponta soluções em sua linha Wella
Professionals. Ela consiste no Gloss Serum de 75
mililitros e os reparadores Lifetex Extra Rich Hair
Oil, de 50 mililitros, e o Ends Express, de 25 mili-
litros. A linha é internacional e as embalagens não
são produzidas no Brasil. “Tais produtos são bons
para viagens, pois, além de pequenos, servem para
tratar o cabelo rapidamente, sem precisar ir ao
Swiss Vital inovou com pequenos frascos compartimentados
salão”, diz Gabriela Athayde, relações-públicas da
para xampu e condicionador. Idéia foi até premiada Wella Professionals.

24 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


Fora do varejo, nas vendas diretas, a Natura
acondiciona cosméticos em embalagens peque-
nas, embora em lançamentos especiais e sazonais
não alardeados propriamente como especiais para
viajantes. O forte, nessa área, é a linha de produtos
para o rosto – casos dos hidratantes, sabonetes e
removedores de oleosidade da
linha Faces. Há também pro-
dutos para as mãos (em bisna-
gas de 50 gramas) e óleos de
banho.
Nos casos dos protetores
solares e dos repelentes de inse-
tos, produtos bastante requisi-
tados nas viagens, o cenário
é um pouco mais alentador.
No último verão, o protetor
Coppertone, da Mantecorp, foi
No canal porta a porta,
Natura tem produtos com comercializado num kit com
apelo de portabilidade três bisnagas de 60 mililitros
cada, da C-Pack (loção, gel e Coppertone: bisnaga
facilita transporte do
protetor para atividades espor- protetor solar
Sachês da Artpack:
demanda aumentou
de um ano para cá

tivas). Para a proteção do rosto, a


Mantecorp lançou uma versão do
Coppertone Noskote FPS 15 em bis-
naga com 12,4 gramas, e a J&J, um
Sundown em bisnaga de 45 gramas,
ambas da C-Pack. A Natura lançou um
protetor da linha Fotoequilíbrio Ultra
num frasco com 50 mililitros (cujo for-
necedor não foi informado).
Sundown: Já o repelente para crianças Repelex
versão com
45 gramas
Kids, da Reckitt Benckiser, foi lança-
do no ano passado em bisnaga plástica
Uma saída: pôr no envelope
da C-Pack com 30 mililitros, e tampa dosadora da Sachês podem auxiliar lançamentos de produtos portáteis
Seaquist Closures com a membrana de silicone Adequados para o acondicionamento de grande fabricante de sachês, a Artpack,
SimpliSqueeze, especialmente desenvolvida para pequenas doses, os sachês laminados diz que o consumo dessa embalagem
evitar vazamentos. O produto, que também é ven- podem ser uma solução proveitosa para aumentou bastante de um ano para cá.
dido em versão de 150 mililitros, foi outro a figurar as indústrias que quiserem lançar produ- Motivo: a segmentação do mercado de
entre os vencedores do PRÊMIO EMBALAGEMMARCA tos portáteis de higiene pessoal e beleza, cosméticos, nela incluídos alguns pro-
2007 – GRANDES CASES DE EMBALAGEM. ideais para viagens. De acordo com a dutos “para viagem”. “O sachê facilita o
Mappel, referência na fabricação dessas transporte do produto em viagens, tanto

Sorriso contido embalagens e também envasadora de devido às regras de aviação, que limitam
cosméticos, a procura maior por sachês volumes, quanto ao risco de um produto
A área de higiene bucal é outra que tem grande
ainda é para o mercado de amostras abrir na mala, coisa que todo mundo já
espaço para crescer em termos de produtos prá-
grátis. “O mercado para venda direta experimentou alguma vez na vida”, diz o
ticos para o transporte. “Fabricamos tubos para está aumentando, mas ainda tem muito executivo.
creme dental com 35 ou 45 gramas normalmente, para crescer, principalmente quando Segundo Souza, um “destravamento”
mas sem dúvida os tubos de 90 gramas dominam comparado com o da Argentina ou o da industrial também concorre à populari-
o mercado”, conta Ângelo Brero, gerente de negó- Europa”, relata Maurici Marques, gerente zação dos sachês em produtos de vare-
cios da Dixie Toga, grande fabricante de bisnagas comercial e técnico da empresa. jo. Antigamente, só era possível pro-
laminadas. Em diversos supermercados é difícil De tamanhos variados, os sachês são duzir uma tonelada de filme para cada
encontrar os tubos menores, e Brero acredita que feitos em laminados de três camadas item, o que causava um custo inicial
dificilmente a oferta desses produtos possa cres- (poliéster, alumínio e polietileno). A muito alto. “Hoje”, ele conta, “é possível
cer, ou melhor, diminuir, “até pelo fato de uma Mappel faz sachês individuais para fazer 10 000 embalagens, cerca de 35
dose única ou conjuntos de dois, três quilos de filme, graças aos avanços
embalagem de 90 gramas poder ser facilmente
ou quatro unidades, destacáveis por um da flexografia e de outros métodos de
carregada”.
serrilhado. Antes da comercialização, o impressão”. Como potenciais produ-
Segundo o executivo da Dixie Toga, os tubos,
produto passa por um teste de estabi- tos usuários de sachês, o diretor da
lidade para comprovar a adequação do Artpack vê, além dos lubrificantes ínti-
STUDIO AG – ANDRÉ GODOY

Cremes dentais de 90
gramas (à esq.) ainda cosmético ao laminado. mos, cremes para massagem, vitaminas
eclipsam os menores Um produto lançado em janeiro em para cabelo e repelentes de insetos.
sachê da Mappel e ideal para viagens é Gel KY em
FOTOS: DIVULGAÇÃO

uma versão portátil do lubrificante íntimo sachê, nova


idéia da
KY, da Johnson & Johnson, com cinco Jonhson &
gramas. “Ainda é cedo para avaliar, mas Johnson
acreditamos que o retorno será ótimo,
pois esse é um produto de baixo desem-
bolso e prático, tanto pelo tamanho
quanto pela quantidade”, diz Ricardo
Wolff, gerente da divisão Women’s Health
e Intimacy Care da J&J.
Carlos Signei de Souza, diretor de outra

26 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


com estrutura e impressão flexíveis sob
STUDIO AG – ANDRÉ GODOY

Anti-séptico bucal Plax o ponto de vista industrial, têm grande


com 60 mililitros cabe na
bolsa ou no nécessaire potencial como embalagens com quan-
tidades menores que os frascos tradicio-
nais. Para mostrar que tais embalagens
podem contar com um repertório de apli-
cações que vai além dos cremes dentais,
a Dixie Toga desenvolveu, nos últimos
meses, laminados especiais para merca-
dos como o alimentício, o farmacêutico, o
de hair care, o de body care e o industrial.
“Nos Estados Unidos, os tubos aboca-
nham 11% do mercado de hair care”, diz
Brero.

DIVULGAÇÃO
No segmento de enxaguatórios bucais,
a Colgate-Palmolive foi pioneira em lan-
çar, há cerca de três anos, versões de Plax em Apelo de portabilidade já
é trabalhado pela Bitufo
frascos de 60 mililitros, projetados para caber na em fio dental compacto
bolsa ou no nécessaire (os fornecedores não são
revelados pela empresa). A área de fios dentais
também começa a se mexer. A Bitufo, de Jundiaí
(SP), lançou uma embalagem compacta para
Sanifill aposta 20 metros de fio dental, fabricada pela própria
em pedaço de
fio dental em empresa, decorada com rótulo auto-adesivo da
sachê Vilac e propagandeada como ideal para viagens.
Indo além, a Sanifill lançou recentemente o
Sanifill One Way. Consiste num pedaço único de
fio dental, de 40 centímetros, acondicionado em
sachê de polipropileno biorientado da Majpel. O
produto é apresentado em caixas de papel cartão
com 1 000 unidades, da Embalplan – destinadas
à distribuição em congressos de dentistas, far-
mácias, supermercados e para amostragem em
pontos-de-venda – e com 50 unidades, da Gráfica
Estrela. Esta última possui furação para gancheira,

Sondagem GNPD*: Higiene pessoal


Todos os meses, EMBALAGEMMARCA seleciona alguns cases internacionais de um dos mercados
analisados por nossa reportagem, para que os leitores possam compará-los com o que se produz no Brasil

Refresh Grooming Basics To Go


País: Estados Unidos
País: Estados Unidos
Conjunto de produtos de cuidados pessoais – xampu, condiciona-
Um estojo de papel cartão
dor, sabonete líquido e loção corporal – da rede de varejo Trader
impresso em offset com três
Joe’s voltado para viagens. Os itens são aconcicionados em garra-
itens da Clarins voltados para
fas de PET moldadas por extrusão e sopro com capacidade para 2
o público masculino: um tubo
onças fluidas (cerca de 60ml) decoradas com rótulos auto-adesivos
de alumínio com 50 mililitros
de papel impressos em offset. Os produtos vêm agrupados num
de creme de barbear e duas
estojo plástico com zíper para refechamento, que serve como
bisnagas plásticas extrusadas –
nécéssaire.
uma com 30 mililitros de creme
de limpeza facial, a outra com
Mini Hydrating Bar Soaps 12 mililitros de gel hidratante
País: Estados Unidos – com tampa injetada em pare-
Mais no site: www.embalagemmarca.com.br/106mintel

Cinco variedades de mini sabonetes da linha de dupla.


JequitiVida Banho são oferecidas pela Higident
num elegante estojo de papel cartão impresso
em offset. Cada barra pesa 25 gramas.

Burt’s Bees
País: Estados Unidos

Creme de barbear (14g), loção pós-barba (14,8ml), sabone-


te líquido (29,6ml), sabonete em barra (23g), colônia (9ml)
FOTOS: DIVULGAÇÃO

e hidratante labial (4g) são os produtos que compõem o kit


de viagens da Burt’s Bees focado no mercado masculino.
Uma embalagem de papel cartão reciclado agrupa os itens
no ponto-de-venda.

AS INFORMAÇÕES APRESENTADAS NESTA SEÇÃO SÃO PROVENIENTES DE LEVANTAMENTOS E ANÁLISES DA MINTEL E SÃO PROTEGIDAS POR DIREITOS AUTORAIS. EMBALAGEMMARCA NÃO SE RESPONSABILIZA PELO CONTEÚDO.
O Global New Products Database (GNPD) da Mintel acompanha lançamentos de produtos, tendências e inovações.
Para mais informações, visite www.gnpd.com ou ligue para a Mintel Internacional (+ 1 312 932-0600)

28 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


o que abre perspectivas para exploração de canais Artpack Sachês Igaratiba
Especiais (19) 3821-8000
de varejo, segundo Salomão Stemberg, diretor
(11) 2783-6118 www.igaratiba.com.br
comercial e sócio da Sanifill. www.artpacksaches.com.br
Contrastando com o que acontece com outros Impacta
Box Print (11) 4447-7300
produtos de personal care, os desodorantes já ofe- (51) 2111-1311 www.impacta-brazil.com.br
recem muitas extensões de linha adequadas para www.boxprint.com.br
figurar no nécessaire. Em spray ou roll-on, são Majpel
C-Pack (11) 2954-4611
muitas as marcas que optaram por embalagens (11) 5547-1299 majpel@uol.com.br
reduzidas, de 60 gramas ou 50 mililitros, respec- www.c-pack.com.br
tivamente. Mappel
Dixie-Toga (11) 4055-4457
A versão Mini do desodorante masculino Axe (11) 5516-2000 www.mappel.com.br
é um exemplo. Contudo, a Unilever Brasil informa www.dixietoga.com.br
Rhotoplás
que a intenção inicial desse produto, bem como de Embalplan (11) 4199-2555
outros desodorantes menores, não era propria- (41) 3018-0270 www.rhotoplas.com.br
mente funcionar como produto de viagem, mas www.embalplan.com.br
Seaquist Closures
sim uma opção atraente para o mercado popular. Versões compactas de desodorantes, Gráfica Estrela (11) 4143-8900
Parece que, em muitos casos, o consumidor ainda como as de Axe, são oficialmente (49) 3441-0200 www.seaquistclosures.com
lançadas com apelo de custo – mas
terá que torcer para que os atendimentos à baixa acabam atendendo ao viajante www.graficaestrela.com.br
Vilac Rótulos
renda e ao público que mora só (single), aos quais Ibratec Adesivos
o mercado de higiene pessoal e beleza está mais (11) 4772-8277 (19) 3741-3300
www.ibratecgrafica.com.br www.vilac.com.br
antenado, acabem, por linhas tortas, contribuindo
para tornar suas viagens mais confortáveis.
 PRÊMIO

Fronteiras expandidas
Associação de embalagens de vidro dos Estados Unidos premia inovações em design

O
Glass Packaging Institute de consumo de empresas que “colabora-
(GPI), a associação dos fabri- ram para expandir as fronteiras do design
cantes de embalagens de vidro de embalagens de vidro”. Também foi
dos Estados Unidos, anun- homenageado o Condado Orange (Orange
ciou os vencedores do Clear County), na Califórnia, por seu programa
Choice Awards 2008, prêmio que reconhe- de reciclagem.
ce as melhores embalagens feitas com o A seguir, EMBALAGEMMARCA traz os
material e que está em sua oitava edição. vencedores do principal prêmio da indústria
Neste ano foram premiados doze produtos norte-americana de embalagens de vidro.

CATEGORIA CERVEJAS
Vencedor: Miller Chill
Empresa: Miller Brewing Company
Fornecedor da embalagem: Owens-Illinois
FOTOS: WWW.BURWELLPHOTOGRAPHY.COM/WWW.GPI.ORG

CATEGORIA VINHOS
Vencedor: Tin Roof Chardonnay e Cabernet Sauvignon
Empresa: White Rocket Wine Company
Fornecedor da embalagem: Saint-Gobain Containers

30 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


CATEGORIA
ALIMENTOS
Vencedor: On the
Border Salsa
Empresa: Truco
Enterprises
Fornecedor da
embalagem: Vitro
Packaging (design
da garrafa e do
rótulo desenvolvidos
pela Flow-Design)

CATEGORIA BEBIDAS
CARBONATADAS
Vencedor: Q Tonic
Empresa: Q Tonic
Fornecedor da
embalagem: Vitro
Packaging

CATEGORIA
BEBIDAS NÃO
CARBONATADAS
Vencedor: XanGo
Empresa: XanGo
Fornecedor da
embalagem:
Anchor Glass
(design da gar-
rafa e do rótulo
desenvolvidos
pela Flow-Design) CATEGORIA
BEBIDAS
DESTILADAS
Vencedor: UV
Vodka
Empresa:
Phillips Distilling
Company
Fornecedor da
embalagem:
Anchor Glass

32 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


CATEGORIA BEBIDAS ALCOÓLICAS SABORIZADAS
Vencedor: Saké2me • Empresa: Saké2me
Fornecedor da embalagem: Vitro Packaging

CATEGORIA
ALIMENTOS
ORGÂNICOS
Vencedor: Del
Monte Organic
Pickles
Empresa: M. A.
Gedney Company
Fornecedor da
embalagem:
Saint-Gobain
Containers

CATEGORIA CATEGORIA BEBIDAS ORGÂNICAS


DESIGN Vencedor: Tizane Beverages • Empresa: Tizane Beverages
GERAL DE Fornecedor da embalagem: Leone Industries
EMBALAGEM
Vencedor:
Rose’s Mojito
Empresa:
Cadbury
Schweppes
Beverages
Americas
Fornecedor da
embalagem:
Vitro Packaging

34 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


CATEGORIA RECONHECIMENTO EM CONVERSÃO
CATEGORIA
Vencedor: Red Gold Salsa
COSMÉTICOS E
Empresa: Red Gold
FRAGRÂNCIAS
Fornecedor da embalagem: Saint-Gobain Containers
Vencedor: Avon Anew
Clinical (15ml e 30ml)
Empresa: Avon
Fornecedor da
embalagem: Vitro
Packaging

CATEGORIA
RECONHECIMENTO
POR PRÁTICAS DE
SUSTENTABILIDADE
Vencedor: Divisão de
Reciclagem do Depar-
tamento de Gestão de
Resíduos Sólidos de

FOTO: AVON
Orange County
 FEIRA

Foco internacional
Fispal Tecnologia quer se consolidar como
“flagship” em feiras de embalagem na América Latina

DIIVULGAÇÃO
D
epois de se firmar como maior exi- Fispal Tecnologia: estréia de turismo para facilitar o afluxo de estrangeiros
concorrida sob nova gestão à feira. Parece ter dado certo. A Markem-Imaje,
bição de soluções em acondicio-
namento de alimentos do Brasil, por exemplo, anunciou ter fechado negócio com
a Fispal Tecnologia agora quer clientes de países vizinhos (veja a pág. 40) e, antes
emplacar, definitivamente, como do balanço, esperava-se uma visitação superior a
um “must” no calendário internacional desse tipo de cerca de 58 000 visitantes registrada em 2007.
de evento. Gerida pela primeira vez pela Brazil “Mais importante que o número, porém, é o fato
Trade Shows Partners (BTSP) – companhia for- de que, do México para o Sul, recebemos executi-
mada pelo fundo de investimentos DLJ South vos e empresários de praticamente todos os países
American Partners e pelo empresário e publici- da América Latina, reforçando nossa percepção de
tário Flávio Corrêa, que já vinha atuando como que a Fispal Tecnologia se tornou a porta de entra-
CEO da Fispal desde 2005 –, a edição de 2008 da da para quem quer fazer negócios no continente”,
feira de negócios, realizada de 4 a 7 de junho no afirma Marco Antonio Mastrandonakis, diretor de
Anhembi, em São Paulo, deixou claras suas trilhas feiras da BTSP.
rumo à internacionalização. A equipe de EMBALAGEMMARCA presente à
Seguindo o que vem acontecendo em feiras Fispal Tecnologia destaca, a seguir, algumas das
internacionais de embalagem, a Fispal dedicou principais novidades anunciadas durante a feira.
uma área específica para as soluções sustentáveis Outros lançamentos e produtos de destaque do
e organizou espaços próprios para estandes “temá- evento integrarão futuras reportagens, sob con-
ticos” de países como China e Itália. Além disso, textos tecnológicos ou de mercado, já a partir da
estabeleceu parcerias com operadores logísticos e próxima edição. (GK)

36 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


Produtividade e responsabilidade
Tetra Pak anuncia uma nova plataforma
tecnológica e a certificação ambiental de suas embalagens

Nova linha de envase


iLine promete ganho de
produtividade de até 40%

FOTOS: DIIVULGAÇÃO
D
ois anúncios marcaram a parti- Klabin Tudo com FSC
cipação da Tetra Pak na Fispal (11) 3046-5800
www.klabin.com.br Em outra frente, a Tetra Pak anunciou que todas
Tecnologia, feira de negócios rea- as embalagens produzidas em suas duas fábri-
lizada em São Paulo no início de SIG Combibloc
cas no Brasil, localizadas em Monte Mor (SP)
junho. Em termos de tecnologia, (11) 2107-6744
www.sig.biz/brasil e Ponta Grossa (PR), passam a ser certificadas
a multinacional sueca apresentou a plataforma com o selo do FSC – Forest Stewardship Council
iLine. Trata-se de uma nova geração de solu- Tetra Pak
(Conselho de Manejo Florestal), organização que
(11) 5501-3200
ções de embalagens cartonadas assépticas de www.tetrapak.com.br estabelece padrões para gerenciamento respon-
alto desempenho, que eleva a integração de sável das florestas e rastreabilidade do material
linhas e a tecnologia de automação, graças a produzido.
um sistema de gerenciamento de informação e A certificação atesta que toda a cadeia de
controle de processo. “A integração resulta em fornecimento do papel utilizado na produção das
custos operacionais mais baixos, e este é um embalagens da empresa no país – das florestas
fator de diferenciação importantíssimo”, afirma até o varejo – obedece a um manejo responsável,
Paulo Nigro, presidente da Tetra Pak no Brasil. fontes controladas e práticas sócio-responsáveis,
De acordo com a empresa, a nova linha de vem de florestas bem manejadas e fontes con-
envase permite que os clientes aumentem
a capacidade e reduzam os custos opera-
cionais em até 40%, dependendo da confi-
guração. O primeiro cliente da Tetra Pak a
instalar a nova Tetra Pak A3/Speed iLine foi
a holandesa Refresco Menken Drinks, uma
das maiores produtoras de suco de fruta da
Europa. A máquina foi instalada para produ-
zir refrescos e sucos em embalagens Tetra
Brik Aseptic de 200 mililitros. A Tetra Pak
diz já ter um usuário ativo da iLine no Brasil,
Todas as embalagens
mas não revela o nome. da Tetra Pak produzidas
no Brasil agora são
certificadas com o selo FSC

38 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


troladas, certificadas pelo FSC. “Nossos clientes
poderão optar pela utilização desse símbolo de
sustentabilidade em suas embalagens, e ficará
evidente ao consumidor o posicionamento socio-
ambiental das marcas que ele usa”, diz Nigro.
A parceira da Tetra Pak no processo de certifi-
cação é a Klabin, fornecedora do papel cartão que
compõe suas caixinhas longa vida. Desde 2007,
a Klabin conta com toda sua produção certifica-
da pelo FSC. “As embalagens produzidas pela
Tetra Pak passam a integrar uma cadeia produtiva
em que é privilegiado o uso de matérias-primas
florestais provenientes de sistemas socialmente
benéficos, ambientalmente adequados e econo-
micamente viáveis” ressalta o diretor-geral da
Klabin, Reinoldo Poernbacher. (FP)

Giro rápido
SIG Combibloc festeja adesão crescente
e apresenta máquinas de alta velocidade
Outra grande fornecedora de embalagens cartonadas
e máquinas de envasamento asséptico para alimentos
e bebidas, a SIG Combibloc, elegeu a clientela como
principal destaque na Fispal Tecnologia. Pudera. Tendo
fechado recentes contratos com indústrias como Cemil,
Piá e Siol (todas noticiadas em edições anteriores de
EMBALAGEMMARCA), a empresa suíço-alemã já conta com
sete clientes nacionais. Com ímpeto para fechar novas
parcerias, a SIG Combibloc buscou realçar em seu
estande as novas envasadoras CFA 124 e CFA 724,
ambas de altíssima velocidade. Elas são capazes de
processar 24 000 unidades/hora de embalagens combi-
blocSmall e combiblocMini, com volumes que variam de
125 a 350 mililitros. “Essas máquinas são fundamentais
para as indústrias que trabalham em mercados que
movimentam altos volumes de vendas, mas que também
são altamente competitivos”, afirma Luciana Galvão,
gerente de marketing da SIG Combibloc para a América
do Sul. A primeira CFA 124 foi instalada na Friesland
Foods Foremost, na Tailândia. Já a CFA 724 fez sua
estréia na indústria chinesa Lácteos Mongólia Mengniu.

SIG Combibloc destaca envasadoras de alta velocidade

www.embalagemmarca.com.br
 CODIFICAÇÃO

Ponto de convergência
Nova codificadora busca um novo patamar de união
entre qualidade de impressão e facilidade de operação

D
epois de conduzir uma pesquisa com 200 clien-
tes ao redor do mundo perguntando-lhes o que
poderia ser melhorado na tecnologia de codifi-
cação de embalagens por jato de tinta (inkjet), a Inkjet 1510: o
próprio cliente pode
americana Videojet, referência em equipamen- substituir peças
tos dessa área, teve reforçada a percepção de que qualidade de
impressão já não é mais anseio, e sim condição sine qua non.
O mercado, na verdade, quer alta qualidade combinada com
simplicidade. Essa conclusão fez a empresa desenvolver uma
nova série de equipamentos, chamada 1000, com máquinas Markem-Imaje
alicerçadas como nunca em construção simplificada, operação (11) 3305-9455
inteligente e interface intuitiva. O primeiro modelo dessa série, www.markem-imaje.com
o 1510, foi destacado pela empresa na Fispal Tecnologia. Videojet
O coração da novidade é o Núcleo. “Trata-se de uma (11) 4869-8800
inovadora integração de válvulas e peças mecânicas desgastá- www.videojet.com/1000line

veis, tipicamente separadas nas máquinas convencionais, num


Um olá ao mercado único cassete”, explica André Santos, gerente de vendas da
Depois de consolidada a fusão, Markem-Imaje Videojet. O Núcleo elimina, por exemplo, as constantes trocas
estréia em mostras nacionais de embalagem de filtro, feitas geralmente a cada 2 000 horas, dependendo de
manutenção preventiva a cada 9 000 horas – uma autonomia
Resultante da união entre dois pesos-pesados da área de codifica-
doras industriais, a americana Markem e a francesa Imaje, conso-
de 18 meses em aplicações típicas do segmento de média uti-
lidada no fim de 2007, a Markem-Imaje utilizou a Fispal Tecnologia lização (dois turnos diários, totalizando 16 horas, seis dias por
como um cartão de visitas. Em primeira mão no Brasil, os visitantes semana). “Caso ocorra algum problema, o cliente não precisa
do evento puderam conferir máquinas já embarcadas com a nova chamar a assistência técnica e gastar tempo com diagnósticos,
identidade visual da empresa, dominada pela cor púrpura. Entre deixando a produção parada”, diz Santos. “Com um Núcleo
os destaques da Markem-Imaje na Fispal estavam a Série 9000 sobressalente, ele pode, sem ajuda, trocar o cassete em 30
FOTOS: DIVULGAÇÃO

de codificadoras a jato de tinta, de uso amigável e capazes de minutos”.


imprimir dados variáveis em até 8 linhas, e a SmartDate 5, codifi- O sistema de alimentação da 1510 também é um desta-
cadora por transferência térmica de alta versatilidade, que. Ele é baseado no que a Videojet batizou de Cartuchos
indicada para a marcação de embalagens
Inteligentes, unidades de tinta e solvente dotados de um micro-
flexíveis, chapas e rótulos. Esta última,
chip que permite ao equipamento “ler” erros como cartuchos
aliás, protagonizou o primeiro negócio
trocados ou mal-colocados. O sistema garante esvaziamento
fechado pela Markem-Imaje na Fispal.
Cinco unidades da SmartDate 5 foram
total dos cartuchos, evitando desperdícios, e gerencia sozinho
adquiridas pela Indústria Alimentícia ajustes de viscosidade, eliminando a necessidade de se verter
Fagal SRL, fabricante boliviana de uma fluidos na máquina (calibração dinâmica). “Isso resulta em
variada linha de biscoitos. qualidade contínua de impressão”, diz Santos.
A 1510 tem conectividade USB e Ethernet e, segundo a
SmartDate 5: cinco Videojet, a previsão é de disponibilidade de entrega já no fim
unidades vendidas de junho. Três unidades encontram-se instaladas no Brasil, em
na Fispal
fase de testes. (GK)

40 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


 PRÊMIO

A passos firmes
Cresce o número de inscrições e de empresas interessadas no PRÊMIO EMBALAGEMMARCA

A
segunda edição do PRÊMIO há bom número de inscrições efetivadas. seus premiados, tais como convertedores,
EMBALAGEMMARCA – GRAN- No campo dos patrocínios, registra- prestadores de serviços e usuários de
DES CASES DE EMBALAGEM, mos o fechamento de contrato com a embalagens. Somente podem patrocinar
que culminará dia 1º de Tupahe Tintas, que acaba de adquirir cotas empresas situadas no início da
outubro próximo nas insta- uma cota especial, ampliando assim o cadeia, como fornecedores de máquinas,
lações do moderno Espaço Fecomercio, aval da cadeia de embalagens à iniciativa. matérias-primas, insumos básicos. O veto
em São Paulo, caminha firmemente para Nessa área, muito honra os organizadores a patrocínios de concorrentes diretos ao
a ampliação do êxito da primeira, ocor- o interesse de empresas fabricantes de Prêmio tem o sentido de manifestação
rida no ano passado. À medida que se embalagens em apoiar o Prêmio, adqui- expressa de clareza e imparcialidade no
aproxima o prazo final de inscrições rindo cotas de patrocínio. No entanto, julgamento. Não que se possa suspeitar
(22/8/2008), vem aumentando a quanti- declinamos desse suporte, em atendimen- de que os jurados eventualmente se dei-
dade de consultas de empresas interessa- to à norma estabelecida no Regulamento xariam influenciar, sentindo-se na “obri-
das em submeter cases de embalagem ao do Prêmio de não permitir patrocínios de gação” de laurear patrocinadores. O que
julgamento dos jurados. Melhor ainda, já empresas que possam vir a ter produtos buscamos é transparência.

Patrocínio Master Patrocínio Especial Organização

Apoio Operacional

Viagem a Paris
Jantar terá novamente o sorteio de uma passagem aérea para Paris, oferecido pelo salão Emballage
Como foi amplamente divulgado, os cases inteiro. O sorteio será feito durante o jantar sobre o mercado brasileiro de embalagem.
ganhadores do PRÊMIO EMBALAGEMMARCA que acompanhará a cerimônia de entrega de Quanto aos preparativos da festa de premia-
– GRANDES CASES DE EMBALAGEM concorrerão troféus aos cases eleitos. ção, as equipes da Bloco de Comunicação
ao sorteio de uma passagem aérea e estadia O ganhador do sorteio na primeira edição do e da SPR International, organizadores do
de quatro noites em Paris. Trata-se de um Prêmio foi a Amazon Comércio Importação evento, analisaram detidamente cada deta-
brinde oferecido por um dos patrocinadores e Exportação, pelo uso de inovadora tampa lhe da edição anterior, com vistas a corrigir
master do Prêmio, o salão Emballage, que mista (plástico e aço) da Massucato para eventuais falhas e aperfeiçoar o que deu
se realizará de 17 a 21 de novembro na potes de vidro de palmito da marca Equador. certo. O objetivo é garantir aos participantes
capital francesa. O sorteado terá direito a José Carlos Massucato e Antonio José a realização de uma festa ainda mais sofis-
apresentar o case ganhador no fórum Pack. Teixeira Rede, da Massucato, farão a apre- ticada e ao mesmo tempo breve e descon-
Vision, que ocorre no âmbito daquela feira sentação. Serão precedidos de palestra do traída, com boa comida, boa bebida e boa
e congrega profissionais e empresários da Publisher de EMBALAGEMMARCA e presidente companhia – a nata da cadeia produtiva de
cadeia produtiva de embalagem do mundo da Bloco de Comunicação, Wilson Palhares, embalagem no Brasil.

42 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


 INTERNACIONAL

FOTOS: DIIVULGAÇÃO
1 2 3

Original, sem dúvida


Codificação tripla quer garantir autenticidade e bom manejo de vinhos de luxo

A
preciadores de vinhos de luxo pre- um código exclusivo, acoplada à base das gar-
zam demais o que lá fora se chama rafas de vinho, para automatizar o rastreamento
provenance. Ao pé da letra, a tra- e o gerenciamento de estoques – além de inibir
dução do termo seria procedência, furtos (foto 2);
mas ele envolve, além da garantia - E um lacre para gargalo especial, desen-
de origem, rastreabilidade e condições adequa- volvido pela própria empresa, com um código
das de armazenamento. Ocorre que, no modelo secreto aplicado à base da cápsula para autenticar
tradicional de distribuição, o consumidor não o conteúdo e combater a pirataria (foto 3).
tem como saber se o produto foi manejado Os códigos dos três elementos são integrados
impecavelmente até sua adega. Além disso, o eProvenance num banco de dados on-line, de alta velocidade
mercado de vinhos de prestígio também se vê, +1 (617) 484-2515 e todo criptografado, criando, para cada unida-
www.eprovenance.com
cada vez mais, às voltas com falsificações. Em de de vinho, o que a eProvenance batizou de
resposta a tais problemas, uma empresa fran- “ePedigree”. A empresa já fechou contratos com
co-americana, a eProvenance, criou nove vinícolas da região de Bordeaux
aquilo que patenteou, para o mercado e, nos últimos meses, despachou mais
de vinhos, como “Garrafa Inteligente” de 200 caixas equipadas com RFID
(Intelligent Bottle). para Estados Unidos, Reino Unido e
De forma resumida, a solução da Japão, a fim de obter parâmetros das
eProvenance consiste na adoção de condições de temperatura nas distri-
três componentes: buições para tais países. “Assim como
- Uma etiqueta RFID (de identifi- a indústria automotiva japonesa, que
cação por radiofreqüência) semi-ativa nos anos 80 começou a controles
na caixa de despacho, para monitora- estatísticos de processo para atingir
mento e gravação das temperaturas melhoras contínuas, nossa tecnologia
e aprimoramento das operações de Leitor verifica se a aspira iniciar uma tendência positiva
cápsula é autêntica.
remessa e recebimento ao longo da Cruzamento de dados para vinhos finos”, comenta o enó-
cadeia de distribuição (foto 1); cria “blindagem” logo Eric Vogt, fundador e principal
contra falsificações
- Uma etiqueta RFID passiva, com executivo da eProvenance. (GK)

www.embalagemmarca.com.br junho 2008 EmbalagemMarca 43


PANORAMA  MOVIMENTAÇÃO NO MUNDO DAS EMBALAGENS E DAS MARCAS

FOTOS: DIVULGAÇÃO
BIOPLÁSTICOS

Vem aí uma “associação verde”


Fabricantes nacionais de plásticos biodegradáveis planejam se unir em entidade de classe
Os bioplásticos pulsam forte mundo Quais as razões da criação da associação destinação final para produtos ao fim de
afora. Ainda nem tanto no Brasil, mas os dos fabricantes nacionais de plásticos de seus ciclos de vida. A tendência é a ado-
fabricantes locais desses plásticos biode- fontes renováveis? ção do logotipo de compostabilidade uti-
gradáveis e compostáveis, derivados de O setor é emergente lizado na Europa, bem-diagra-
fontes renováveis como milho, cana-de- por aqui, mas já temos mado e recentemente adotado
açúcar, mandioca e batata, já planejam empresas razoavelmente por países como Austrália,
fundar uma entidade de classe. João desenvolvidas, e aplicações Nova Zelândia e Tailândia.
Carlos de Godoy Moreira, diretor de tec- irrompem no mercado. A
nologia e inovação da Biomater, empresa entidade de classe formal Quais indústrias poderão par-
que produz polímeros a partir de batata buscará, junto ao governo, ticipar da associação e qual a
e mandioca, explicou a EMBALAGEMMARCA subsídios ou incentivos situação do mercado nacional
os pretextos da iminente associação tributários para desenvolver Logotipo europeu de de bioplásticos?
entre as empresas da área. a atividade no Brasil, nos compostabilidade: As conversas para a forma-
provável adoção aqui
moldes das políticas da ção da entidade estão fortes
Europa e do Japão. Nesses mercados, entre produtores de matérias-primas
os bioplásticos, capazes de serem reva- e transformadores aqui já instalados.
lorizados como material orgânico, são Entre eles, posso citar empresas como
isentos de uma série de tributos, como Biomater, Rodenburg Biopolymers, BASF,
o chamado disposal cost (tributação por Corn Products, PHB Industrial – Biocycle,
impacto como resíduo). Para se ter idéia, Naturtec, Khel, CB Pack, Mamaplast e
Moreira: hoje, na Alemanha, essa taxação é de 1,4 Canguru Embalagens. Quanto ao estado
busca de
apoio do euro por quilo de resina convencional uti- do mercado, já passamos da fase de
governo lizado para a produção de embalagens. testes de uma série de aplicações. Na
área de embalagens, as perspectivas em
A entidade pretende criar uma rotulagem curto prazo são especialmente boas para
para os produtos de bioplásticos? sacolas e bandejas. Naturalmente, o mer-
Sim. A identificação é meta prioritária. cado local não teria condição de aten-
Como os bioplásticos geram produtos der a uma explosão de demanda, pois
muito parecidos com aqueles derivados ainda está se consolidando. A criação
de petróleo, o público deve poder distin- da associação poderá estimular grande
gui-los, para decidir a melhor forma de crescimento.

METÁLICAS

Como talagada de copo


Nos EUA, novo bocal para latinhas promete melhorar vazão
Em vez do “glug, glug, glug” dos goles intermitentes, fluxo contínuo e
suave. É essa a promessa de um novo bocal para latinhas de bebidas
desenvolvido numa parceria entre a Alcoa, a Ball Corporation e a cerveja-
ria americana Coors. A Vented Wide Mouth Can consiste num bocal mais
largo, cujo desenho facilita a vazão da bebida ao promover a entrada de
ar na embalagem. “Com a redução do vácuo, a latinha se torna um copo”,
diz Ann Whitty, gerente da divisão de embalagens rígidas da Alcoa. O novo
bocal, fabricado pela Rocky Mountain Metal Container, joint venture entre
a Coors e a Ball, estreou nos Estados Unidos no dia 15 de abril último nas
latinhas das cervejas Coors Light e Coors Banquet.

44 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


Edição: GUILHERME KAMIO  guma@embalagemmarca.com.br

VIDRO

Dança da garrafa
Casco customizado da AmBev continua a fazer barulho
Perdura a polêmica em de Janeiro. De acordo com
torno da garrafa de vidro o Cade, a liberação só
de 630 mililitros para para a praça fluminense
cerveja, lançado recente- visa facilitar um eventual
mente pela AmBev (veja recolhimento das garrafas
EMBALAGEMMARCA nº 104, caso elas voltem a ser
abril de 2008). Proibida em proscritas. As concorrentes
maio pela Secretaria de da AmBev vêem o casco
Direito Econômico (SDE), com 30 mililitros a mais que
a embalagem ganhou do o padrão de 600 mililitros
Conselho Administrativo de como reserva de mercado,
Defesa Econômica (Cade), pois ela impede que outras
no início de junho, anistia cervejarias a utilizem.
para ser comercializada Garrafa de 630 mililitros:
com a marca Skol no Rio banida, depois anistiada

FLEXÍVEIS

BOPP, o novo filme da Videolar


Referência em CDs e DVDs investe em material de embalagem
Nome forte do mercado de mídias gravadas
e virgens, a Videolar anunciou, em maio, o
seu ingresso na área de filmes de poli-
propileno biorientado (BOPP)
para embalagens. Com inves-
timento de 100 milhões de
dólares, a empresa está mon-
tando duas linhas para produzir
75 000 toneladas do material por
ano. Localizada em Manaus, a
fábrica deve iniciar operações no
segundo semestre de 2009.
O objetivo é direcionar parte da pro-
dução para embalar os próprios pro-
dutos da Videolar (mídias virgens e
gravadas), para ganhar escala,
e colocar o excedente à dis-
posição do mercado de emba-
lagens flexíveis. “O consumo
cativo depende muito do cenário
do mercado de entretenimento, cujo
comportamento nos próximos anos é
incerto até mesmo para nós”, diz Claudio Filmes de BOPP serão
Rocha Filho, gerente de divisão resinas utilizados como
envoltórios para os
plásticas da Videolar. “Mas o nosso consu- próprios produtos de
mo não deve superar 20% da capacidade varejo da Videolar
da planta de BOPP.”

www.embalagemmarca.com.br
PANORAMA  MOVIMENTAÇÃO NO MUNDO DAS EMBALAGENS E DAS MARCAS

GENTE RECICLAGEM

Presidente da produtora Menos garrafas ao acaso


de filmes de BOPP Vito- Reciclagem de PET no Brasil dá um salto significativo em 2007
pel, José Ricardo Roriz Segundo estudos preliminares realizados promovam a coleta seletiva do lixo nas
Coelho (foto) é o novo pela Associação Brasileira da Indústria cidades”, lembra Alfredo Sette, presiden-
presidente da Associa- do PET (Abipet), o volume de reciclagem te da entidade. Segundo ele, o parque
ção Brasileira da Indústria de Filmes Bio- das garrafas do material atingiu 230 000 nacional de reciclagem de PET trabalha
rientados (Abrafilme). Ele ocupa o lugar toneladas em 2007 – uma evolução de com ociosidade de 30%. “Ao contrário
de Mauro Kernkraut, da Terphane. 18,6% em relação às 194 000 tonela- do que pode parecer, existe falta de PET
das recuperadas em 2006. O índice, para ser reciclado no mercado”, comenta
Edson Konioshi deixou o cargo de di- que corresponde a 53,2% das 432 000 o executivo. A recente autorização da
retor de design da Packing para montar toneladas de novas embalagens pro- Anvisa para o uso do material reciclado
sua própria agência, a Ikoni Design. duzidas no ano passado, depende de em novas embalagens para alimentos
confirmação na quarta edição do Censo (veja EMBALAGEMMARCA nº 104, abril de
Após ocupar por três da Reciclagem de PET no Brasil, a ser 2008) promete impulsionar a atividade.
anos o cargo de diretor realizada em agosto. Apesar do bom Mas ainda é promessa: até o fechamento
de marketing da Nova desempenho, a Abipet entende que a desta edição, nenhuma empresa havia
Petroquímica (ex-Suza- atividade pode melhorar. “Ainda faltam protocolado pedido de certificação de
no Petroquímica), Sin- políticas públicas consistentes que material no órgão de vigilância sanitária.
clair Fittipaldi está de mudança para a
Alemanha, onde integrará os quadros
da produtora de poliolefinas Lyondell-
Basell.

Maurício Médici saiu da produtora de


materiais auto-adesivos Flexcoat para
assumir a operação nacional da distri-
buidora de papéis e materiais adesiva-

ILUSTRAÇÃO: TOM-B
dos UPM Raflatac.

A produtora francesa de
equipamentos de emba-
lagem Sidel apontou o
engenheiro Luc Desout- LIVROS
ter como vice-presidente
global em desenvolvimento sustentável.
Marcas em jogo
Livro traz mix de conceitos e de ferramentas práticas sobre branding
A distribuidora de filmes plásticos Tiv Tornou-se corriqueira a definição de mento estratégico da McCann Erickson
Plásticos confirmou Erik Cantinho como que a chave para criar marcas fortes é a Rio, reúnem experiências próprias e de
seu novo diretor comercial. administração holística, atenta a todos outras empresas em O Jogo das Marcas
os componentes que promovem sua – Inspiração e Ação (Editora Cultrix, 224
O alemão Klaus Klein- relação com o consumidor. No entanto, págs.). O livro busca definir conceitos
feld (foto), ex-presiden- como aplicar, de forma consistente, essa essenciais de branding e é farto em
te mundial da Siemens, noção? Fernando Jucá, professor e dire- ilustrações. “A marca é um conjunto
foi eleito presidente tor associado da Troiano Consultoria de de percepções”, lembram os autores.
mundial e CEO da Alcoa. Marca, e Francisco Tortorelli, “Mesmo para uma empresa
Ele ocupa o cargo que nos últimos oi- com passagens pelos que vende máquinas de
to anos foi do marroquino naturalizado departamentos de marke- embalagem a vácuo e acre-
brasileiro Alain Belda – que continuará ting de empresas como dita que esse assunto de
na Presidência do Conselho de Adminis- Unilever e Pepsico e pelo marca é para quem vende
tração da gigante em alumínio. departamento de planeja- detergente ou bolacha.”

46 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


ENTREVISTA  PAULO CARRAMENHA

Competentes e carentes

FOTO: DIVULGAÇÃO
Estudo inédito no Brasil
mostra que indústrias
contam com gestores de
embalagem capacitados,
mas que esperam dos
fornecedores apoio para
alcançar e justificar
inovações. Paulo
Carramenha, da GfK
Indicator, comenta
a operação e os
resultados da pesquisa

Q
uem é e o que pensa o A pesquisa revela que o gestor de De forma resumida, qual o perfil dos
profissional encarregado embalagem brasileiro é tarimbado, tem gestores de embalagem das indústrias
dos processos de emba- em média quase sete anos de carreira nacionais, de acordo com os resultados
lagem dos grandes fabri- e quase seis anos na mesma empresa, da pesquisa?
cantes de bens de consu- possui elevado grau de instrução, atua A formação chamou a atenção. Esses
mo de massa no Brasil? Sob encomenda na maioria das vezes no departamento profissionais, na maior parte, trabalham
do Núcleo de Estudos Estratégicos de de compras e mostra satisfação quanto em compras, mas têm um alto nível de
Embalagens da Associação Brasileira aos serviços prestados pelos seus for- formação acadêmica. Um grande per-
de Embalagem (Abre), a GfK Indicator necedores. No entanto, ele sente falta centual tem nível superior completo, e
realizou um estudo inédito no Brasil. A de apoio dos provedores em projetos muitos têm MBA ou pós-graduação. De
partir de vinte longas entrevistas e 150 de inovação que reforcem não só ao forma geral, os profissionais das indús-
consultas, divididas entre indústrias de público, mas também à direção de sua trias usuárias de embalagem trabalham
pequeno, médio e grande portes de empresa, o papel da embalagem como muito tempo na mesma empresa e mui-
setores como os de alimentos, bebidas, diferencial de produto e de marca. tos anos na mesma área. Ou seja, são
cosméticos, de itens de limpeza e de Paulo Carramenha, CEO da GfK Indi- profissionais com bastante experiência
higiene pessoal, o instituto de pesquisas cator, fala a seguir da metodologia e no mesmo setor, com know-how, dife-
esmiuçou o perfil, as necessidades e as das principais conclusões verificadas rente do que percebemos em pesquisas
expectativas desse profissional. pelo estudo. que fizemos sobre outras atividades,

48 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


nas quais verificamos que as pessoas podemos dizer é que a grande função volvimento de embalagens de diversas
ficam pouco tempo numa mesma área do profissional da área de compras é áreas, entre as quais não estariam
ou empresa. Os profissionais de marke- comprar pelo melhor preço. Ele sempre incluídos os da área industrial. Ou os
ting, por exemplo, param muito pouco vai pensar que o que ele precisa fazer 19% que responderam atuar em desen-
tempo na mesma função e na mesma é conseguir regatear, negociar e trazer volvimento de produto se situariam
empresa. Eles mudam muito, estão a as melhores condições para a empresa nesse campo?
cada hora num lugar. Os profissionais dele. Isso é inerente ao profissional de Não podemos afirmar isso, pois foi uma
de embalagem não. Estes tendem a compras. Nem sempre ele põe o preço à menção espontânea dos entrevistados.
ficar mais tempo. Em resumo, os ges- frente de tudo. Dependendo do caso, se Eles disseram a área de atuação deles,
tores de embalagem são profissionais ele sabe que está comprando para uma mas obviamente não íamos confirmar
com sólida formação acadêmica e com marca específica ou para um produto se ele atuava na área ou não. Veja,
profunda especialização, mas acabam que está num momento específico de não dá para afirmar que os 19% que
fazendo um trabalho mais operacional. vida, ele vai alternando e pensando que afirmaram trabalhar com desenvolvi-
Há uma dissonância entre o que eles o preço muitas vezes não é o fundamen- mento de produto são da área industrial
poderiam fazer e o que eles fazem. tal. Mas, pela origem do profissional de ou não. Mesmo que uma parte desses
embalagem ser compras, o preço acaba seja da área industrial, é muito pouco.
Essa desarmonia decorre do fato de tendo um peso muito grande, maior do Digamos que 10%, 8% ou 5% deles
as decisões sobre embalagens gira- que eu acredito que ele deveria ter e sejam. Temos muito pouca gente da
rem por várias partes, mas acabarem maior do que eles próprios acham que área industrial envolvida no desenvol-
geralmente centradas no departamento deveria. Hoje, eles vivem nesse dilema, vimento ou nas decisões de embalagens
de compras, como a pesquisa leva de entender que a embalagem tem um das empresas.
a crer? Como 45% dos pesquisados papel estratégico, porém, ao mesmo
atuam nessa área, o senhor ficou com a tempo, são cobrados para trabalhar para Foi possível identificar nas empresas
sensação de que o preço é o eixo básico ter preços mais baixos. alguma tendência da instituição de um
de decisão do profissional de emba- profissional sobre o qual venha estar
lagem, prevalecendo sobre atributos O público pesquisado nesse trabalho a decisão sobre embalagem nos ter-
como inovação, segurança, proteção e da GfK para o Núcleo de Estudos mos de um Gestor Estratégico, como é
qualidade? Estratégicos de Embalagens da Abre é proposto pelo curso criado pela Escola
Não, não é possível dizermos que sem- composto por profissionais envolvidos Superior de Propaganda e Marketing
pre o preço é o que decide. O que com o processo de escolha e desen- (ESPM), do qual o senhor é um dos

Mecânica da pesquisa O perfil do gestor de Departamento


FONTE: GFK/ABRE
• Etapa 1: entre outubro e dezembro de 2007
embalagem no Brasil em que atua

60%
foram realizadas entrevistas presenciais de Compras 45%
cerca de 2 horas com 20 profissionais (13 do
setor alimentício, 3 de higiene pessoal e limpe-
Desenvolvimento 19%
za, 2 de cosméticos, 1 de bebidas e 1 da área possuem formação superior de produto
química)
Gerência
Trabalha com embalagens, em média, há de produto 15%
• Etapa 2: entre 14 de março e 2 de abril de
2008 foram realizadas entrevistas telefônicas
com profissionais de 150 indústrias (47 do setor
alimentício, 39 de bebidas, 38 de cosméticos e
6,86 anos Marketing 8%

cuidados pessoais e 26 de produtos de limpeza) Qualidade 7%


Em média, trabalha na mesma empresa há
(Os profissionais e as empresas foram indicados
pela Associação Brasileira de Embalagem) 6,36 anos Embalagem 6%

50 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


professores? tões mercadológicas, o pessoal de com- um custo mais alto por uma embalagem
Ainda não percebemos que as empresas pras vai pensar as questões de custos, com mais valor agregado?”. Seria por
já estão preocupadas ou atentas para ter de especificação e assim por diante. que os fornecedores não estão suprindo
um gestor estratégico de embalagens esses decisores com informações ade-
ou uma área de gestão estratégica de Mas não há uma interatividade entre quadas e convincentes?
embalagens. O que percebemos, sim, eles? O que concluímos é que os comprado-
é essa preocupação dos profissionais Eles acabam se falando, mas não exis- res não estão totalmente satisfeitos com
de embalagens. Eles já reconhecem te um profissional ou uma área que esse serviço adicional, esse valor agre-
a necessidade de ter um preparo, um gerencia tudo isso. É justamente essa a gado que eles esperam. Existe uma alta
envolvimento em todo o processo, proposta do curso da ESPM. satisfação com o que é entregue no que
de serem profissionais que pensam a é, digamos, mais tangível. Os clientes
embalagem de forma mais estratégica. Nas conclusões da pesquisa existe a sabem o que querem, eles precisam de
Eles se vêem como gestores de parte do informação de que o gestor de embala- preço e prazo. Precisam de entregas no
processo, a grande parte deles na área gem “sabe o que quer: redução de cus- prazo, porque vai acabar o estoque, vai
de compras, como nós vimos. Mas já tos e bons prazos” e a ponderação de entrar produto em linha e eles precisam
percebem que precisam e acham que que “também quer algo que não conse- ter a embalagem em um preço bom, no
podem ter uma atuação maior, mas gue articular com clareza ainda: parce- preço que está planejado. Só que eles
ainda não têm. As empresas segmentam ria, tendências, inovação”. As conclu- precisam ter algo a mais, que muitas
e dão funções diferentes para diferentes sões apontam também para um dilema, vezes eles não sabem explicar ainda.
áreas. O marketing vai pensar as ques- entre vários outros: “Como justificar Eles não sabem se querem um parceiro,
se querem alguém que entregue inova- para entendermos esse dilema vivido Não aparece essa percepção de que
ção ou se querem alguém que os ajude pelo profissional que gerencia embala- deveria existir um colegiado ou um
a convencer a organização de que eles gens. Nós não temos uma pesquisa de grupo de pessoas. Eu diria que os pro-
podem fazer um papel mais estratégico, cinco ou dez anos atrás, mas eu arrisco fissionais se sentem preparados para
que eles podem trazer embalagens mais a dizer que, se a tivéssemos, essa preo- tomar essas decisões e com esse conhe-
diferenciadas, ainda que com preços cupação permaneceria. O profissional cimento. Eles não sentem que têm esse
maiores... É nessa parte que os forne- de dez anos atrás diria: “O meu papel poder, vamos dizer, essa autonomia
cedores estão falhando. Eles sentem aqui é comprar pelo melhor preço, o dentro da empresa, mas eles reconhe-
falta de fornecedores que os ajudem a melhor produto, com a melhor quali- cem que já podem tomar decisão pen-
convencer a organização desses outros dade, entregue no prazo certo e ponto sando na embalagem como elemento
aspectos que eles não conseguem, e final. O fornecedor que me entregar de marketing, de finanças, como um
eles acabam tendo que fazer o papel isso continuará trabalhando para mim”. dos aspectos de comunicação da marca,
do comprador que busca preço, prazo e Hoje, eles já percebem que isso não mas ele divide as atribuições com a
especificação técnica o tempo todo. basta, eles já percebem que o papel área financeira, com o marketing,
deles próprios como gestores de emba- com a área de produção. Em nenhum
Em tese, a partir daí poderia ser cria- lagens deve ir além e o papel do seu momento eles dizem: “deveríamos ter
da, como o senhor disse na apresen- fornecedor deve ir além. Só que, como um colegiado ou um grupo de pessoas
tação dos resultados do estudo (N. da isso é novo, eles não sabem articular, decidindo”. Eles dizem: “Eu me sinto
R.: feita em São Paulo no fim de abril), não sabem falar exatamente o que eles preparado para fazer. Mas eu sinto falta
“uma cultura que tenha na embalagem precisam. Como os fornecedores, na de apoio externo, de apoio dos meus
um ativo estratégico para a constru- maior parte, não entregam isso, não há fornecedores para suportar as minhas
ção da marca e não somente um custo padrão de comparação. orientações e sugestões”.
na produção de seus produtos”. Na
pesquisa foi detectada a percepção da Algum dos entrevistados se referiu à Então os fornecedores precisam fazer a
necessidade de se criar essa cultura prática ou à necessidade de decisão “lição de casa” mais bem feita...
internamente nas empresas? colegiada, com a interação entre todas Vale a pena citar um ponto que acaba-
Foi. Isso foi uma das partes mais inte- as áreas em que a embalagem influi, mos não falando na pesquisa, mas eu
ressantes da pesquisa, especialmente da como produção, marketing, finanças, acho que comentei no dia da apresen-
fase qualitativa, na qual aprofundamos distribuição e até comunicação, já que tação. Sabemos que quase 75% dos
mais a percepção e foi a principal fonte embalagem é mídia? produtos que estão no mercado não têm

“Quanto a embalagem representa A importância dada a certos atributos da embalagem

FONTE: GFK/ABRE
no custo dos seus produtos?”
Total Pequena Média Grande
Base: entrevistas telefônicas com 150 empresas 150 41 59 50

É importantíssimo na construção da imagem da marca 9,27 9,48 9,53 8,83


28% 28%
É vista pela sua empresa como um aspecto muito importante 9,19 9,36 9,25 9,00
Não sabe
Ajuda explicar do que se trata o produto 9,12 9,34 9,29 8,75
Prefere não dizer
Tem como principal função a conservação do produto 9,11 9,04 9,14 9,11
Acima de 50%
Até 50% Precisa combinar com a marca 9,08 9,48 9,34 8,51

Até 20% É uma das ferramentas de marketing e comunicação 9,01 9,13 9,15 8,75
19% 13% É um dos elementos do marketing mix 8,81 9,26 8,95 8,36

12% É um fator estratégico para a empresa 8,75 8,91 8,94 8,41


Tem um peso muito grande na composição do preço do produto 7,55 8,22 7,51 7,17

Duas curiosidades: 28% dos gestores não sabem o custo relativo das embalagens e as grandes indústrias se importam menos com seus atributos

52 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


apoio de mídia, ou seja, a única forma colocar o produto dentro do carrinho e de-venda, promoção, eventos, e aí a
de comunicação desses produtos é a levar para casa. Nem todas as empresas embalagem passa meio despercebida.
embalagem. Ela é a única forma que o têm consciência disso. O pequeno fabricante, a maioria das
fabricante tem para contar ao consumi- vezes, percebe que aquela é a única
dor o que está dentro daquele invólucro, A propósito, as indústrias de gran- forma de comunicação que ele tem, e
é a única forma de comunicação. Eu de porte mostraram-se, na pesquisa, acaba dando maior atenção e usando
sempre gosto de contar uma coisa que as menos sensibilizadas em relação à a embalagem como sua única forma
eu ouvi de uma dona de casa numa importância da embalagem como fer- de comunicação. Há empresas em que
discussão em grupo, para uma pesquisa ramenta de comunicação e de constru- o gestor de embalagens é um profis-
de mercado. Ela disse assim: “Quando ção de marca. Na verdade, as pequenas sional de compras puro, aquele que só
vamos à feira quem grita para nós é o e médias empresas revelaram-se mais vai olhar especificação, preço e prazo.
feirante, ele fica lá ‘Dona Maria, olha a sensíveis a todas as características Essas são as que dão menos importân-
laranja, fresquinha, dois reais a dúzia’. arroladas na sondagem quantitativa. cia para a embalagem fazendo papéis
Quando vamos ao supermercado, não Como o senhor interpreta isso? diferentes, além dos de proteção e de
tem quem grite. Quem grita para nós é a A percepção do poder da embalagem transporte para os produtos.
embalagem. Ela precisa dizer ‘Olha eu como forma de comunicação, como
aqui, eu sou fresquinho, me leva para a mídia para as marcas varia. As gran- O senhor concorda com a interpretação
casa’”. A embalagem tem essa função des empresas costumam ter outras for- de que embora manifestem o desejo
de comunicar, de atrair a atenção do mas de comunicação, propaganda em de receber sugestões de inovação de
consumidor, de fazê-lo esticar o braço e televisão, revistas, material em ponto- embalagens por parte de fornecedores,
porém subordinando sua aceitação a
preços, os gestores inibem ou frustram
iniciativas nesse sentido?
Entender para agir
“O objetivo do estudo foi tirar uma radiografia Comitê de Educação
Essa é picante (risos). Acredito que de
bastante detalhada dos gestores de emba- poderá oferecer
alguma forma sim, porque é inevitável
lagem para entender o setor e estimular o cursos complemen-
que qualquer valor que se agregue em
desenvolvimento da cadeia como um todo”, tares. Por sua vez, o
qualquer processo, na maior parte das explica Luciana Pellegrino, diretora executiva Comitê de Meio Ambiente e Sustentabilidade
vezes, agregue também custos. Creio da Associação Brasileira de Embalagem poderá dialogar com os fornecedores sobre
que se a postura de uma empresa, se a (Abre), a contratante da pesquisa realizada as expectativas das indústrias quanto a
postura de um gestor de embalagens é pela GfK Indicator. O plano da Abre é esmiu- embalagens mais amigáveis à natureza”,
só voltada aos preços, ela acaba inibin- çar os dados colhidos no levantamento e exemplifica Luciana. No plano conjuntural,
do seus fornecedores de poder apresen- utilizá-los em diferentes frentes, nos âmbitos o Comitê de Estudos Estratégicos da Abre
tar inovações. Eu concordo. dos Comitês da entidade. “O Comitê de somará os dados do estudo da GfK a outros
Design saberá das necessidades das indús- levantados em duas pesquisas anteriores,
A pesquisa apurou qual a porcentagem trias e o que elas consideram relevante na sobre as percepções das embalagens pelos
relação com as agências, podendo criar ativi- consumidores finais e pelo varejo. A entidade
de empresas que assinam cláusulas de
dades para melhorar seus serviços. Com os ainda discutirá a possibilidade de uma futura
confidencialidade em caso de sugestões
dados sobre a formação dos profissionais, o atualização da pesquisa.
de inovação? Essa questão foi aborda-
da no primeiro evento de nosso Ciclo de
Conhecimento (Seminário Estratégico A pesquisa apurou em que eles se uma outra pesquisa que fizemos para a
de Embalagens Flexíveis: “Da baseiam então para discutir preços ESPM no ano passado.
Matéria-Prima ao Ponto-de-Venda”, com fornecedores?
realizado em 12 de maio último em São São coisas diferentes. Eles não sabem Além da dificuldade de justificar inter-
Paulo). Muitos fornecedores têm receio qual é a representatividade da emba- namente uma embalagem com mais
de levar inovações aos clientes e eles as lagem no custo final do produto. Eles valor agregado, que outras necessida-
desenvolver com outros parceiros... sabem que eles têm uma meta para des dos compradores de embalagens
Não. Nós perguntamos quantas empre- chegar ao preço daquela embalagem, não são atendidas?
sas tinham acordos e parcerias para no preço que eles pagarão por aque- Há o dilema de qual o número ideal
desenvolvimento de inovações, mas la embalagem. Agora, o quanto isso de fornecedores que eles, como com-
cláusulas de confidencialidade, não. representará no custo total do produto pradores, devem ter hoje. Essa é uma
eles não sabem, o que é estranho, é necessidade que eles não têm clara,
Uma informação preocupante na pes- até assustador. Porque, se pensarmos, se eles devem ter muitos ou poucos
quisa é a de que 28% dos entrevista- quase um em cada três desses profissio- fornecedores para cada tipo de emba-
dos não sabem quanto a embalagem nais não sabe dizer qual é esse impacto. lagem que compram. Outra questão:
representa no custo de seus produtos. Esse número é muito próximo ao de trabalhar com diferenciais de fun-
cionalidade, design, por exemplo, ou
trabalhar com foco em preço e prazo,
A política de seleção de fornecedores de
FONTE: GFK/ABRE

que é o que eles sempre fizeram? Tra-


embalagem repousa sobre dois pilares balhar mais focado em especificações
Pilar estrutural técnicas ou em inovação? Vemos que
Capacidade de produção  cumprir com as quantidades acordadas há maior oportunidade para os forne-
Capacidade de expansão  capacidade de atender a picos de demanda cedores de embalagens desenvolve-
Capacidade de desenvolvimento  tecnologia, laboratórios e pessoal rem parcerias proveitosas para os dois
Suporte técnico  corpo técnico focado em dar suporte aos clientes lados – claro, do contrário não seriam
parcerias –, mas os gestores precisam
Pilar comercial de apoio para que suas empresas reco-
Preço competitivo  custos que representem diferencial em relação a concorrência
Flexibilidade de negociação  abertura para negociação de preço e prazos de pagamento
nheçam a importância que eles podem
ter em todo o processo.

54 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


EQUIPAMENTOS  BENS DE CAPITAL PARA LINHAS DE EMBALAGEM
Edição: Guilherme Kamio

Duas soluções, um fim
Uma enchedora asséptica que manece completamente controlado.
pode ser comprada como módulo Na versão combinada, o rinser
individual ou como parte de uma pode ser substituído pelo Predis,
solução combinada, que inclui ainda processo patenteado pela Sidel para
sopradora e tampadora. Essa é a a descontaminação seca com uso
logica da Sensofill FMa, apresentada de vapor de peróxido de hidrogê-
pela Sidel na Interpack 2008, feira de nio (H2O2). O processo garante a
embalagem realizada em Düsseldorf, descontaminação sem o consumo
Alemanha, no fim de abril. de água, e utiliza apenas pequenas
Se vendida no sistema Combi, a quantidades de produtos químicos.
máquina pode ser configurada com Inicialmente usada para bebidas
dois processos alternativos de des- distribuídas no canal frio, o Predis
contaminação: úmida ou seca. Tanto sofreu reformulações para atender
a solução combinada quanto a iso- o mercado de bebidas comerciali-

FOTOS: DIVULGAÇÃO
lada podem ser configuradas com o zadas à temperatura ambiente. Um
sistema úmido, dotado de um rinser alimentador de preforma ultralimpo,
(misturador). Por esse processo, a equipado com um aparato para
descontaminação interna e externa remover poeira por ionização e des-
das garrafas é feita com um jato de contaminação UV foi desenvolvido Enchedora Sensofill FMa
alta pressão de ácido peracético. para esse fim. O processo de sopro permite duas vias de
envasamento asséptico
Essa configuração confere flexibili- com 0,01 mícron de ar filtrado e
dade para quem produz uma ampla a transferência das garrafas pelo
variedade de bebidas e garrafas, gargalo, tudo numa atmosfera con-
pois as mudanças de serviço – pro- trolada, mantêm o ambiente estéril
dutos ou formatos – são efetuadas durante o processo de enchimento.
fora da área estéril. A produção pode
continuar por períodos de 72 a 120
Sidel
horas, sem necessidade de nova (11) 4668-7000
esterilização, pois o ambiente per- www.sidel.com

Encolhimento uniforme
Na Interpack 2008, mostra de embalagens realizada no fim de abril
em Düsseldorf, na Alemanha, sua terra natal, a Krones apresentou
uma nova versão da Variopac Pro, máquina para agrupamento de
garrafas com filmes termoencolhíveis (shrinks). Ela traz uma novidade:
um túnel de encolhimento desenhado com divisória. Uma parede
com formato côncavo e perfurado distribui de forma mais homogê-
nea o ar quente aplicado sobre o filme de envolvimento, de modo a
garantir um encolhimento de alta qualidade. Segundo a Krones, tal
construção pode reduzir o consumo de energia em até 20% em rela-
ção aos modelos convencionais. A Variopac Pro trabalha com servoa-
cionamento em todos os componentes e pode processar embalagens
com bandejas ou placas de papel cartão. Na Interpack, a Krones
destacou a máquina num projeto ambientalmente mais amigável: ela
envolvia garrafas de PET ultraleves de 500 mililitros (com peso de 8,8
gramas) por meio de um filme bastante fino – 25 micra de espessura.

Krones
(11) 4075-9500
Nova Variopac: raias com dutos laterais para o ar quente aprimoram o processo www.krones.com.br

56 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


 PERFUMES

De regiões emblemáticas
Costumes da América Latina inspiram produtos e embalagens da Natura

A
Natura foi buscar na biodiversidade versidade latino-americana expressam as riquezas e
daquilo que sua área de comuni- culturas daquelas regiões emblemáticas”.
cação denomina “regiões emble- As fontes culturais em que se baseou a criação
máticas” da América Latina a das embalagens foram as mesmas. Os frascos foram
inspiração para criar as carac- inspirados nos potes e jarros dos povos da região,
terísticas dos produtos e as embalagens “aliando tecnologia e inovação cosmética em
de sua recém-lançada linha Natura Amor suas aplicações”, na descrição de Ponte. Um
América. Após cinco viagens a diversas exemplo citado de inovação é a aplicação
regiões da Patagônia e dos Andes, um especial de verniz nas embalagens plásti-
jornalista, um fotógrafo e duas especia- cas, a fim de remeter à textura das cerâ-
listas em perfumaria e criação de marcas micas que inspiraram as suas formas.
trouxeram para a empresa óleos essenciais As embalagens foram desenvolvi-
exclusivos dos pontos visitados. das pela designer Filomena Padrón,
De cada um deles nasceram três novos pro- em parceria com a Dezign com Z e
dutos. Baseados na paramela, um arbusto per- com a Nó Design. As essências vêm
fumado que nasce na Patagônia, foram criados em frascos de vidro da Wheaton, com
a Essência Paramela, o óleo corporal Misqui ombro de plástico e exclusiva válvula
(“mel”, no idioma dos índios mapuche) e a abre-e-fecha da Rexam Beauty. São da
emulsão Paine (“celeste”). Wheaton também os frascos de Los Misterios, e da
Do palo santo, uma variedade andina de Frascos e potes de Bristol e Pivaudran, as tampas de alumínio. O Misqui
madeira, nasceram a Essência Palo Santo, o sal de Natura Amor América e o Kachi têm embalagem de polipropileno, da MBF,
homenageiam povos
banho Kachi (“sal” em quíchua) e Los Mistérios, latinoamericanos com verniz da Solev e tampa de alumínio também da
um conjunto de óleo aromático e pastilhas ao qual Bristol e Pivaudran. O prato e as pastlhas cerâmicas de
o produto é aplicado para perfumar ambientes. A Los Misterios são fornecidos pela Porcelana Teixeira.
designação vem da tradição dos montanheses de A Igel fornece os cartuchos de toda a linha. (WP)
queimar lascas de palo santo com pastilhas coloridas
– decoradas com desenhos variados e Bristol e Pivaudran Igel Porcelana Teixeira Rexam Beauty
conhecidas como misterios – como forma (11) 6465-7000 (11) 4071-9999 (11) 4224-2333 (11) 2152-9800
de agradecimento à natureza. www.bristolepivaudran.com.br www.igel.com.br www.porcelanateixeira.com.br www.rexam.com.br
Segundo o diretor de marketing de ino- Dezign com Z MBF Embalagens Nó Design Solev
vação da Natura, Joel Ponte, “os ativos (11) 2184-8100 (44) 3220-6617 (11) 3814-8939 (19) 3935-6993
escolhidos para representar a biodi- www.dezigncomz.com.br www.augros.com.br www.nodesign.com.br
Wheaton
(11) 4355-1800
www.wheatonbrasil.com.br

58 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


 COSMÉTICOS

Com travas móveis


Creme da Natura tem refil exclusivo

C
oerente com sua filosofia de incorporar
em seus produtos ativos da biodiversidade
brasileira obtidos de forma sustentável, para
colocar no mercado um novo item de sua
linha antiidade Chronos, o Flavonóides de
Passiflora, a Natura utilizou um recipiente que entende ter
vindo “para mudar o conceito de refilagem de potes”.
Produzido pela Incom com resina Eastar AN014 – o
Glass Polymer da Eastman –, o pote apresenta um sistema
exclusivo de refil, encaixado por baixo da embalagem e
preso por travas móveis, descreve Roberto Ribeiro, geren-
te de negócios Brasil da Eastman. O pote antigo tinha uma
borda no entorno, que servia para prender o refil por cima
e exigia maior espaço entre o pote e o refil. “O resultado,
além da redução da quantidade de resina utilizada, foi um
elegante efeito estético, consequëncia da união da super-
fície opaca do refil com a parede transparente do pote, e
a garantia de eficiência pertinente às embalagens dos pro-
dutos do mercado de cosméticos high end, como é o caso
da linha Chronos”, considera Pedro Fortes, diretor geral
da Eastman no Brasil e de vendas da divisão de Plásticos
Especiais para o Mercosul. O projeto da embalagem foi
criado pela Nó Design em conjunto com a Natura.
Romulo Zamberlan, coordenador de inovação em
embalagens da Natura, fundamenta a escolha do material
com argumentos mercadológicos, sem prejuízo do que
considera um ajuste ao credo da empresa em relação à
questão ambiental. “Nos últimos anos se consolidou uma
tendência curiosa: a busca por embalagens que revelam
simplicidade e leveza em suas formas”, ele diz. “O aspec-
to clean realça o produto contido na embalagem e os plás-
ticos especiais, como o utilizado agora, exploram muito
bem brilho e transparência”.

Chronos: novo pote usa menos resina

Incom Packing Eastman do Brasil Nó Design


(11) 4173-9937 (11) 4605-1000 (11) 3814-8939
www.incom.com.br www.br.eastman.com www.nodesign.com.br

www.embalagemmarca.com.br
PAINEL GRÁFICO  MERCADO DE CONVERSÃO E IMPRESSÃO DE RÓTULOS E EMBALAGENS
Edição:
Edição:Guilherme
Leandro Haberli
Kamio
Edição: FLÁVIO PALHARES  flavio@embalagemmarca.com.br

No jubileu de prata, entrada em auto-adesivos


Completando 25 anos, Converplast, força em embalagens flexíveis, investe em divisão de rótulos
Uma das maiores fabricantes nacionais de embalagens plásti- 25 anos de atividades da empresa, realizado no início de junho
cas flexíveis, a Converplast anunciou a abertura de uma nova no Jockey Club de São Paulo. Contando com a presença de
unidade de negócios voltada a rótulos auto-adesivos. A empre- clientes, fornecedores, colaboradores e imprensa, a festa trazia
sa produzirá os rótulos em letterpress de alta definição, e esta- como decoração painéis com fotos dos investimentos e da
rá apta a fornecer embalagens flexíveis com figurinhas (stickers) operação da Converplast ao longo dos anos, de modo a justifi-
já aplicadas. O anúncio foi feito em evento comemorativo aos car seu slogan “Uma empresa em constante evolução”.

FOTOS: DIVULGAÇÃO
Abigraf faz 43 anos Para alunos e profissionais
Tupahue reproduz casa de tintas de indústria de embalagens no Senai
Associação congrega 20 000 empresas
A Tupahue, empresa especializada monopigmentadas ou pastas.
A Associação Brasileira da Indústria Gráfica
em tintas para impressão, apresen- O objetivo da parceria com o Senai,
(Abigraf) completou no dia 18 de junho
tou, no dia 19 de junho, o espaço de segundo Nércio de Tomazo Filho, dire-
43 anos de existência. Criada em 1965,
capacitação na gestão da tinta dentro tor industrial da Tupahue, é colaborar
durante o I Congresso Brasileiro da Indústria
da Escola Senai de Artes Gráficas na formação de mão-de-obra capaz
Gráfica, realizado em Águas de Lindóia
Theobaldo De Nigris, em São Paulo. de lidar com as tintas de forma corre-
(SP), a associação representa cerca de
No evento foi apresentada a palestra ta e produtiva. “Hoje, o processo de
20 000 empresas que
“Como vencer o desafio da qualifi- impressão é muito mais técnico, exige
compõem o parque grá-
cação da mão-de-obra no Brasil”, controles rígidos, visando redução de
fico nacional. A missão
ministrada por Eudes Scarpeta, espe- setup e alta produtividade. A gestão
da Abigraf é representar
cialista em processos gráficos. O correta da tinta pode ajudar muito tanto
oficialmente os empresá-
espaço da Tupahue reproduz o que na redução do desperdício e otimiza-
rios do setor de impressão
é uma casa de tintas dentro de uma ção do processo, quanto na agilidade
perante o poder público
indústria de embalagens. Nele, alunos no desenvolvimento de novos produ-
e a sociedade, buscando
da Theobaldo De Nigris, funcionários tos.” Para Manoel Manteigas, diretor
seu fortalecimento e expansão mundial. “A
e profissionais da área podem apren- da Escola Senai Theobaldo De Nigris,
Abigraf é o centro nervoso de um sistema
der na prática como fazer a gestão da a parceria com a Tupahue reforça as
associativo que atua no sentido de promo-
tinta, desde o controle do estoque e ações que a escola vem desenvolvendo
ver o aporte e o intercâmbio tecnológicos,
a recuperação adequada das tintas já para melhorar o atendimento ao setor
o acesso de empresários e trabalhadores à
utilizadas até a formulação controlada de embalagens flexíveis. “A instalação
formação profissional, o aperfeiçoamento
e documentada de cores. Tudo isso é que a Tupahue colocou à disposição
do mercado, a defesa da indústria gráfica, a
feito a partir de duas ferramentas bási- dos estudantes permitirá que eles
responsabilidade socioambiental e o desen-
cas: um software de gestão da tinta exercitem, na prática, como alcançar o
volvimento do Brasil”, afirma Alfried Plöger,
e uma unidade de mistura (balança setup de uma impressora mais rapida-
presidente da Abigraf.
e mexedor), trabalhando com tintas mente e com melhor qualidade.”

60 EmbalagemMarca maio 2008 www.embalagemmarca.com.br


Gráfica gaúcha aposta em
acabamento de embalagens
Cometa compra equipamentos da Heidelberg
A Gráfica Cometa, de Lajeado (RS), que em 1951
iniciou suas atividades produzindo impressos comer-
ciais, ao longo dos anos especializou-se também
na área de rótulos e embalagens. Para atender com
mais rapidez e ampliar sua capacidade de produção
com prazos de entrega mais reduzidos, a empresa
fez um planejamento para determinar os investimen-
tos em novos equipamentos. A pesquisa apontou
para a necessidade de equipamentos de acaba-
mento que dariam mais agilidade aos processos
da gráfica. A Cometa, que tem como sócios Egon
Eugênio Schwingel, Walter Friederich Hahn, Bernardo
Pedro Shwingel, Martin Hahn e Walter Robert
Shwingel, decidiu pela compra de dois equipamen-
tos Heidelberg, uma dobradeira-coladeira Easygluer
100 e uma corte e vinco Varimatrix 105 CS. Parte da
linha especialmente voltada para o acabamento de
embalagens, a Easygluer 100 é uma dobradeira-cola-
deira flexível que em sua configuração básica pro-
duz cartuchos com aplicação de cola lateral, fundo
automático e parede dupla. Trabalhando com papel
cartão de gramaturas entre 200 e 600 g/m2 e micro-
ondulado com ondas N, F e E, o equipamento pode
atingir uma velocidade de até 300 metros por minuto.
A Easygluer 100 da Cometa é a primeira no Brasil. O
investimento na corte-e-vinco Varimatrix foi feito para
substituir quatro equipamentos semi-automáticos.

www.embalagemmarca.com.br
Agfa aplica na
fábrica de Suzano
Investimento de 15 milhões de euros visa
tender demanda da América Latina
A Agfa Graphics anunciou, na Bélgica, um pro-
grama de investimento de 15 milhões de euros
para sua fábrica brasileira em Suzano (SP). A
empresa expandirá a planta para produzir o
portfólio completo de chapas digitais, incluindo
:Azura, :Energy Elite e :N92 Violet. O objetivo é
atender à crescente demanda na América Latina.
A planta brasileira da Agfa produz chapas de
impressão offset e substâncias químicas usadas
em impressão para empresas brasileiras e de
outros países da região.

Suzano é eleita
a melhor em agronegócio
Empresa é citada no Anuário Exame

A Suzano Papel e Celulose foi eleita a campeã


em desempenho no setor de madeira e celulose
pelo ranking do Anuário de Agronegócios da
revista Exame, da Editora Abril. Com fatura-
mento 15,9% superior ao ano 2006, chegando
a 3,9 bilhões de reais em 2007, a Suzano vem
se destacando pela atenção que dá à formação
de novas florestas e ao treinamento de mão-de-
obra. Para ganhar ainda mais competitividade, a
empresa planeja, para 2008, investimentos ainda
maiores em sua base florestal. Devem ser aporta-
dos 170 milhões de reais neste ano na formação
de florestas, ante 114 milhões de reais, no ano
passado. Com isso, a Suzano viabilizará o plantio
de 42 000 hectares próprios e 15 000 hectares
de fomento. Segundo João Comério, diretor da
Unidade de Negócio Florestal da Suzano, a área
de Pesquisa e Desenvolvimento da unidade tam-
bém terá investimentos 57% maiores, atingindo a
marca dos 11 milhões de reais.
Os investimentos em biotecnologia têm trazido
importantes resultados de produtividade para a
empresa. Em 2001, a Suzano obtinha 36 m³ de
madeira por hectare ao ano. No ano passado, a
média foi de 45,4 m³ e, em alguns locais, atingiu
49 m³. Para 2008, a previsão é que a média fique
em 47 m³.

www.embalagemmarca.com.br
 ESPECIAL: DRUPA

A Copa do Mundo
das artes gráficas
Drupa mostra o que há de melhor no setor gráfico e
atrai os olhares de profissionais de todo o globo
Por Marcos Palhares, de Düsseldorf

A
multiplicação e a periodicidade cada vez mais curta
têm contribuído para extinguir o potencial das feiras
setoriais como plataformas para lançamentos e como
prenunciadoras de grandes tendências. Pelo menos
para o mercado gráfico, a Drupa, maior feira da área,
realizada a cada quatro anos em Düsseldorf, Alemanha, resiste a tal
enfraquecimento. Some-se à espaçada freqüência um compromis-
so com inovação e fica claro por que a Drupa é aguardada pelos
profissionais em impressão com a mesma expectativa com que os
aficionados por futebol esperam pela Copa do Mundo.
Realizada entre 29 de maio e 11 de junho, a Drupa 2008 contou
com um grande afluxo de visitantes. No balanço dos catorze dias
de feira, um total de 391 000 pessoas, originárias de 138 países,
passou pelos corredores dos dezenove pavilhões da Messe
Düsseldorf para ver o que os 1 971 expositores, de 52 diferen-
tes nacionalidades, tinham a mostrar. Falando-se em indústria
gráfica, o público pôde, na verdade, conferir quais as respos-
tas dos fornecedores às demandas dos chamados print buyers
– os usuários finais dos produtos impressos.
No universo abordado por esta publicação, o das emba-
lagens, as pressões impostas já são bastante conhecidas. O
mercado cada vez mais segmentado exige tiragens meno-
res. A velocidade com que o consumidor muda impõe
tempos cada vez mais curtos aos lançamentos de produtos.
FOTOS: MESSE DÜSSELDORF

A concorrência acirrada e a multiplicação de marcas nas


prateleiras pressionam os custos para baixo, ao mesmo
tempo em que exigem apresentações diferenciadas, exclu-
sivas. Finalmente, a sofisticação do “mercado negro” requer
dos fabricantes de bens de consumo a incorporação de itens de
segurança em suas embalagens como forma de impedir os danos
que produtos piratas podem trazer a marcas consolidadas.
EMBALAGEMMARCA analisa, nas próximas páginas, as principais
soluções apresentadas pela indústria gráfica, e os impactos espera-
dos, em particular, nos elos seguintes da cadeia de embalagens.

64 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


 ESPECIAL: DRUPA

Mudanças de foco
FOTO: HEIDELBERG

Embalagem ganha força, e expositores miram end-user

A
área de embalagens cres- diz Philipp Fries, gerente de produto
ceu em importância, e Aplicações, Equipamentos Especiais &
está ocupando mais espa- Speedmaster XL 145/162 da Heidelberg,
ço que há quatro anos”, explicando que a empresa procura estar
constata Monika Kissing, antenada às tendências de consumo na
gerente do departamento de imprensa hora de pensar em seus desenvolvimen-
da Messe Düsseldorf, organizadora da tos. “O cliente dos nossos clientes está
Drupa. Ocupando 7 800 metros quadra- procurando soluções para chamar mais
dos (dos 170 000 metros quadrados da a atenção para o produto nas prate-
feira) distribuídos em dois pavilhões, a leiras, e nossos clientes precisam ter
Heidelberg, gigante alemã conhecida por meios para suprir essa demanda.” Não
suas impressoras offset, é exemplo claro à toa, a Heidelberg mostrou produtos
desse movimento. A fabricante mostrou de altíssimo apelo visual, impressos em
uma linha integrada dedicada à impres- suas máquinas. De efeitos metalizados à
são de embalagens, colocando-se como impressão sobre plásticos lenticulares, o
provedora de soluções que se estendem alto valor agregado deu o tom das amos- Alto valor agregado para mostrar possibilidades
de diferenciação das embalagens nas gôndolas
da pré-impressão ao acabamento. Vitor tras. “Nossa atenção está voltada para o
Dragone, gerente de divisão Soluções mercado de consumo, e desenvolvemos tes deles, pois perceberam que podem
Rotativas Planas e de Acabamento da nossos produtos para atender as neces- vender melhor a tecnologia se consegui-
empresa, confirma. “Embalagem, eu sidades da indústria usuária em diferen- rem explicar a idéia de marketing que está
diria, é o nosso foco.” Atuando mais for- ciação e qualidade, sempre pensando em por trás”, diagnostica Monika Kissing, da
temente nesse segmento desde a compra, como manter nossos clientes, os gráficos, Messe Düsseldorf. Essa foi, aliás, a razão
no início de 2003, da Jagenberg (fabri- competitivos”, completa Dragone. por trás de uma das novidades da Drupa
cante de equipamentos de pós-impres- Essa mudança de foco na comuni- 2008: o Drupacube, espaço dedicado a
são), a Heidelberg capitaneia também cação dos fabricantes de equipamentos palestras direcionadas exclusivamente
uma outra tendência forte no setor: a foi objeto de atenção dos organizadores aos print buyers (ver quadro abaixo).
aproximação com os end-users. da feira. “Constatamos que, nos últimos
Heidelberg
“Na minha opinião, a embala- anos, nossos expositores estão se aproxi- www.br.heidelberg.com
gem virou parte do próprio produto”, mando cada vez mais do cliente dos clien- (11) 5525-4500

Drupacube, um passo em direção aos usuários finais


Pela primeira vez na Drupa, um espaço dedicado aos compradores de produtos impressos
As especificações de uma embalagem significar a migração do trabalho de uma O espaço em questão trazia a exposição
podem causar mudanças significativas na impressora offset plana para uma flexo de “Impressos de excelência do mundo todo”, e
cadeia produtiva. Trocar um cartucho de banda larga, por exemplo. um simpósio onde foram discutidos temas de
papel cartão por um stand-up pouch pode Aproximar-se da indústria usuária, portanto, é a marketing, mostrando o viés de mercado que
mais nova tarefa a que se dedicam fabricantes está por trás da tecnologia. Os temas discu-
de equipamentos, insumos e serviços da indús- tidos no Drupacube foram divididos por seg-
tria gráfica. “Por isso criamos o Drupacube, mentos de mercado, com um dia tendo sido
especialmente direcionado ao print buyer”, dedicado às embalagens. Após as palestras,
explica Monika Kissing, gerente do departa- os end-users visitavam os pavilhões da feira
mento de imprensa da Messe Düsseldorf. para ver, na prática, a tecnologia disponível.

66 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


 ESPECIAL: DRUPA

Paradigmas a quebrar
Pensar em sistemas alternativos de impressão pode ser benéfico para convertedor

S
e, por um lado, os forne-
cedores da indústria grá-
fica tentam atrair os print
buyers, por outro precisam
convencer os convertedo-
res, que são seus clientes diretos, a con-
siderar formas alternativas de produção.
Há, hoje, uma enorme movimentação
que torna menos claras as fronteiras
entre gráficos que produzem cartuchos
de papel cartão, embalagens flexíveis e
rótulos termoencolhíveis, wrap-around e
até auto-adesivos.
De máquinas flexográficas em mer-
cados antes cativos das impressoras off-
set planas a equipamentos offset rotativos
investindo sobre territórios antes ampla- Avanços tecnológicos acirram a competição entre
sistemas de impressão, mas permitem que os gráficos ofereçam
mente dominados pela flexografia e pela diferentes tipos de impressos à indústria usuária de embalagens
rotogravura, as idéias não são novas. E,
verdade seja dita, pouca migração se viu no modelo lançado na feira, a impressora tradição das offset planas e dos acaba-
até hoje. Uma parte da lentidão nessas ICS 670, com o uso de uma ferramenta mentos offline, a Gallus aposta no seg-
mudanças se deve, sem sombra de dúvi- rotativa que simultaneamente faz o relevo mento de embalagens com requisitos de
das, à resistência dos convertedores em e aplica o hot stamping. Também podem sofisiticação. Ou seja, o de maior valor.
se aventurar por universos de impressão ser incorporados ao equipamento proces- Tradicional fabricante de impressoras
diferentes daquele com que estão habi- sos de rotogravura, serigrafia, cold foil, offset rotativas voltadas ao mercado de
tuados. Mas também é inegável que as laminação e corte. A máquina trabalha rótulos, marcadamente os termoencolhí-
tecnologias oferecidas talvez não fossem com bobinas de até 690 milímetros (670 veis, a Drent Goebel também vislumbra
convincentes o bastante. Esse segundo milímetros de impressão). nas cartonadas uma boa oportunidade.
fator, pelo que se viu na Drupa, é um De olho no mercado de cartuchos de Mas a empresa ambiciona mesmo o mer-
obstáculo que se esfacela rapidamente. papel cartão, no qual predomina a sólida cado gigantesco das embalagens flexíveis
“Nós não estamos oferecendo uma
Flexografia de alta definição
impressora flexográfica, mas um sistema com acabamentos em linha
de impressão em linha capaz de transfor- para o mercado de
embalagens sofisticadas.
mar, num espaço de 30m, uma bobina de No destaque, grande
papel cartão em embalagens com altís- nível de detalhes no
relevo com hot
simo valor agregado, com aplicação de stamping
relevo e hot stamping com níveis de deta-
lhe não alcançáveis com ferramentas pla-
nas”, define Stefan Hagn, gerente-sênior
de marketing da Gallus. “Impressão fle-
CA DO
O
NI RA
ÇÃ

xográfica com alta definição é apenas um


MU CU
CO OS
DE RL

dos processos.” As sutilezas do acabamen-


O CA
OC S:

to a que Hagn se refere são conseguidas


BL TO
FO

68 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


em pequenas tiragens (hoje um problema

FOTOS: DRENT GOEBEL


para os convertedores que usam banda
larga), turbinado pela fragmentação do
mercado de consumo e pelo apelo de
marketing das embalagens promocionais.
Para isso, aposta na equação formada
pela alta qualidade de impressão somada
à agilidade e aos baixos custos da pré-
impressão em offset, mercado em que se
posiciona a VSOP – Mark II, impressora
mostrada na Drupa. “A rotogravura e a
flexografia têm mercados em que são
mais apropriadas”, reconhece Rob Meij,
gerente de marketing da empresa. “Mas
os custos de gravação de cilindros, no
caso da rotogravura, e de clichês, no caso
da flexo com melhor qualidade, tornam-
se inviáveis em lotes menores”, defende.
A adoção de camisas, como as usa-
das mais rotineiramente em impressoras
flexográficas, é outro ponto favorável, na
opinião de Meij. “As trocas são fáceis e Cartuchos, rótulos e embalagens flexíveis já podem ser impressos numa mesma máquina

www.embalagemmarca.com.br junho 2008 EmbalagemMarca 69


 ESPECIAL: DRUPA

rápidas, e o tempo de setup é muito curto,

FOTOS: CARLOS CURADO – BLOCO DE COMUNICAÇÃO


já que o arquivo de pré-impressão faz
um pré-acerto na máquina, cabendo ao
impressor efetuar o ajuste fino, que pode
ser memorizado para as reimpressões.” A
máquina pode utilizar camisas de diferen-
tes diâmetros, viabilizando a impressão
de formatos continuamente variáveis.
Mais um player da área de offset
que aposta suas fichas no mercado de
embalagens flexíveis (sem tirar os olhos
do filão dos rótulos termoencolhíveis)
com uma impressora offset rotativa que
não sofre com as limitações de formatos
(também continuamente variáveis) é a
Müller Martini. “Um dos grandes atri-
Embalagens promocionais aumentam pressão por menores lotes, num já fragmentado mercado de consumo
butos da Alprinta V é a flexibilidade”,
diz José Carlos Barone, diretor execu- Para tiragens realmente pequenas de 4 000 metros lineares, e pela veloci-
tivo da Müller Martini no Brasil, sobre (como embalagens para mercados-teste, dade com que roda, que é de 30 metros
o equipamento em exibição na Drupa. ou mesmo para pesquisas de aceitação por minuto, enxergamos possibilidades
Disponível nas larguras de 52 centíme- entre os consumidores, por exemplo), as para ela no mercado de embalagens flexí-
tros e 74 centímetros, a Alprinta V pode impressoras digitais mostram-se cada vez veis”, afirma o gerente de vendas indus-
incorporar outros processos de impressão mais viáveis, dados os avanços na quali- triais América Latina e Caribe da HP,
e acabamentos em linha. dade de impressão. Nome forte nessa Alexander Mercon. “É a máquina offset
“Mas como a máquina é dimensiona- área, a HP Indigo apresentou, durante digital mais rápida do mundo.”
da para trabalhar bobina a bobina em até a Drupa, a ws6000, que completa o Entre as impressoras digitais que
450 metros por minuto, processos como portfólio da empresa para o mercado de sonham com nacos do mercado de emba-
cold foil podem se tornar um gargalo, rótulos. Inclusive os termoencolhíveis lagens flexíveis, a Dotrix, da Agfa – uma
pois são mais lentos”, alerta Barone. em grandes formatos. Segundo Fernando jato de tinta UV – também mostrou evo-
“Então, recomendamos que sejam feitos Roso, da área de desenvolvimento de lução. Rodando bobina a bobina (com
em máquinas menores ou off-line.” negócios e suprimentos de clientes, “o largura máxima de 630mm) em até 24
O mercado de embalagens flexíveis fato de a máquina imprimir em compri- metros por minuto, a Dotrix permite
parece ser mesmo a menina dos olhos mentos de 1 metro contínuo permite a a impressão sobre diferentes tipos de
dos fabricantes de banda estreita e média. aplicação em baldes de tinta, por exem- substrato. Com isso, atende um nicho
Este é o foco, por exemplo, da Universal, plo”. Alinhado à Digilam, uma lamina- de mercado de tiragens curtas também
offset rotativa da Rotatek lançada na dora da ABG, o modelo mira também a em aplicações como displays e outros
Drupa. “A gente fala que esta é a ‘máqui- conversão de embalagens flexíveis. “A materiais de ponto-de-venda, etiquetas
na dos 500 quilos’, lote economicamente ws6000 tem ponto de equilíbrio em torno industriais e sinalização.
ruim para as máquinas de banda larga
ABG HP Indigo
e foco deste desenvolvimento”, explica www.abgint.com www.hp.com.br
Antonio Dalama, da Rotatek no Brasil. (11) 3371-3371 (11) 3371-3371
“Mas o resultado é tão bom que esta- Agfa Müller Martini
mos brincando que fizemos a ‘máquina www.agfa.com.br www.mullermartini.com.br
(11) 5188-6440 (11) 3613-1000
dos 250 quilos’, pois o baixo tempo de
setup e as baixas perdas de material Impressão
Drent Goebel Rotatek
www.drent-goebel.com www.rotatek.com.br
nos ajustes permitem trabalhar com digital cada vez
(11) 3371-3371 (11) 3215-9999
mais rápida e com
pequenos lotes, hoje um pesadelo mais qualidade
no mercado de embalagens fle- pode ser viável para Gallus
tiragens muito curtas www.gallus-group.com
xíveis”, continua Dalama. de embalagens flexíveis (11) 5525-4484

70 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


Resposta rápida
Produtividade é a palavra-chave para impressoras convencionais
enfrentarem mercado fragmentado e avanço das digitais

A
constante migração do vas que nós mostramos na Drupa é a mudanças no equipamento. Em um dos
mercado para tiragens aplicação de cold foil in-line, na pró- castelos de impressão a folha recebe um
menores e o fortalecimen- pria máquina”, conta Philipp Fries, da adesivo, na área em que o cold foil será
to da impressão digital, Heidelberg. “Com uma única passagem, aplicado. A película adere no castelo
fenômenos irreversíveis, o produto sai impresso, pronto, com seguinte, em velocidades entre 15 000 e
colocaram imensa pressão sobre os grande apelo visual.” A aplicação da 18 000 folhas por hora.
ombros dos fabricantes de máquinas película metalizada – na feira, feita em Sempre em busca de impulsionar a
convencionais, que se viram obrigados a uma Speedmaster 105 XL – não requer produtividade dos convertedores, outros
dar um salto tecnológico para continuar
competitivos. E a resposta vem sendo
uma busca incansável pela máxima efi-
ciência, com a racionalização de proces-
sos onde for possível.
“Uma das coisas mais chamati- Speedmaster 105 XL, da Heidelberg: altas velocidades e acabamento em linha

www.embalagemmarca.com.br junho 2008 EmbalagemMarca 71


 ESPECIAL: DRUPA

fabricantes de equipamentos convencio-


nais mostraram avanços em suas impres-
soras. Um exemplo é a Windmöller &
Hölscher (W&H), que fabrica máquinas
flexográficas e de rotogravura de banda
larga, e que apresentou soluções de alto
desempenho na Drupa, com a utilização
de sistemas baseados em softwares de
controle de processo. A Miraflex C, uma
flexo que trabalha com camisas, rodou Heliostar S, rotográfica da W&H,
incorpora sistema que agiliza registro
na feira com uma configuração de oito
cores (pode ter dez) e largura de impres-
são de 1270 milímetros (pode variar de ma que inspeciona 100% da produção, permitirem o pré-ajuste de máquinas
1000 milímetros a 1450 milímetros) à batizado de QualiTronic Professional. de corte-e-vinco, por exemplo. Além de
velocidade de 500 metros por minuto. Pequenas variações em qualquer parte agilizarem o processo, esses softwares
Três minutos, em média, foi o tempo da folha são detectadas, com a possibi- auxiliam na redução de perdas. O uso de
usado pelos operadores que faziam a lidade de que apenas a área defeituosa um mesmo arquivo ao longo de todo o
demonstração para ajustar um novo tra- seja eliminada. processo permite, ainda, a minimização
balho, com consumo de cerca de 300 As novas máquinas, em todos os de erros.
metros lineares de material, graças ao sistemas de impressão, tornaram-se Nesse contexto, integrar pré-impres-
sistema Easy-Set, incorporado ao equi- não apenas mais rápidas e controla- são, impressão e pós-impressão é um
pamento, que faz os acertos automatica- das, mas mais eficientes nas tiragens desafio que começa a ser encarado
mente. Na área de rotogravura, a W&H menores, graças a avanços nos siste- por grandes fabricantes de equipamen-
mostrou o modelo Heliostar S, que pode mas de trocas de serviços e de ajuste tos, muitos dos quais disponibilizam a
ser configurado com até doze cores. O de máquina. E, nesse tipo de trabalho, seus clientes softwares proprietários.
sistema Easy-Sync, opcional, agiliza a ter boa produtividade nos processos de Proprietário, contudo, não é sinônimo
sincronização de registro lateral e lon- pós-impressão, tais como corte-e-vinco de “incomunicável”, já que boa parte
gitudinal, garantindo precisão mesmo e colagem, no caso de cartuchos, é um dos programas oferecidos é baseada em
rodando a velocidades de até 400 metros ponto crítico para a saúde econômica arquivos JDF (Job Definiftion Format),
por minuto. do convertedor. espécie de língua franca nessa área.
Em voga está também o controle Softwares de gerenciamento do Nome forte em impressoras off-
de qualidade automatizado. A KBA, fluxo de trabalhos, ou workflow, e de set planas, a Manroland foi uma das
por exemplo, mostrou sua offset plana integração das linhas produtivas têm empresas a seguir esse caminho. Na
Rapida 162 equipada com um siste- ajudado sobremaneira nessa tarefa, ao Drupa, a empresa mostrou o case de
um cliente suíço que utiliza o workflow
contínuo para impressão de embala-
gens, uma colaboração entre as empre-
sas Dr. Lauterbach & Partner (SAP),
EskoArtwork (pré-impresão) e Bobst
(corte-e-vinco). Todo o trabalho e con-
trole de processos, do desenvolvimento
de produto à entrega ao cliente, são
baseados em arquivos JDF.
Heidelberg KBA
www.br.heidelberg.com www.kba.com.br
FOTOS: DIVULGAÇÃO

(11) 5525-4500 (11) 6121-5277

Windmöller & Hölscher Manroland


www.whcorp.com www.manferrostaal.com
Inspeção de 100% da produção cada vez mais presente em impressoras como a Rapida 162, da KBA (11) 4066-8600 (11) 5522-5999

72 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


Contra a contrafação
Fabricantes de equipamentos apostam na segurança

U
m segmento que mostrou embalagens, pois esse é um mercado em
avanço significativo nesta que a pirataria pode trazer graves riscos à
Drupa foi o de proteção saúde dos consumidores.”
de marcas. A cada dia que Hoje também já é possível encontrar
passa, multiplicam-se as soluções contra falsificações nas impres-
notícias sobre a proliferação de produtos soras digitais. Alexander Mercon, da HP,
piratas. Algumas vezes, as imitações são explica que a ws6000, apresentada na
grosseiras. Em outros casos, contudo, as Drupa, tem soluções proprietárias da HP
réplicas são tão fiéis (ao menos na apa- para dificultar o trabalho dos falsários. “O
rência) que mesmo especialistas ficam Color Tiles, por exemplo, é um tipo de
em dúvida sobre a legiti- código de barras colorido
Textos
midade das mercadorias. escondidos, que só pode ser produzido
Com isso, donos de mar- hologramas e em máquinas digitais com
outros recursos
cas fortes, tradicionais e de segurança muitas cores, e que é gera-
com boa reputação, ficam estão em alta do a partir de um banco de
expostos aos riscos que o dados”, ele explica. “Sem
produto contrafeito pode acesso ao database, as fal-
acarretar à sua imagem. sificações tornam-se prati-
“As aplicações de camente inviáveis.”
impressão de segurança Na praia dos acaba-
ligadas a embalagens apa- mentos de segurança, a
receram com muita força alemã Kurz, referência
nesta Drupa, coisa que em películas metalizadas,
não ocorreu em 2004”, anunciou três novos efei-
afirma a gerente do depar- tos para sua linha de selos
tamento de imprensa da Trustseal OVD (Optical
organização da feira, Variable Device, ou dis-
Monika Kissing. De fato, positivo variável óptico,
soluções voltadas para vertendo-se ao português),
mercados que sofrem com baseados na difração da
a má-fé do “mercado negro”, tais como o luz. O Nanopic possibilita colocar, nos
farmacêutico, viram avanços importantes selos de segurança, imagens com reso-
nessa área. lução altíssima, de mais de 50 000 dpi.
“Temos máquinas que permitem rea- O Overlapping DynaKey é um elemento
lizar alguns tipos de impressão muito oculto sob o motivo principal do selo
FOTOS: HEIDELBERGER DRUCKMASCHINEN AG

difíceis de copiar, efeitos como textos Trustseal, e é somente visível com a


e imagens escondidos”, explica Philipp ajuda de um filtro especial. Por sua vez, o
Fries, da Heidelberg. O executivo afirma Latent ConTrust é um elemento que exibe
que, para o gráfico, considerar esse tipo uma inversão de contraste quando o selo
de solução pode abrir um filão de bons é girado em 90 graus.
negócios. “As indústrias farmacêuticas,
Heidelberg HP Kurz
por exemplo, estão muito interessadas www.br.heidelberg.com www.hp.com.br www.kurz.com.br
em agregar itens de segurança às suas (11) 5525-4500 (11) 3371-3371 (11) 3871-7340

www.embalagemmarca.com.br junho 2008 EmbalagemMarca 73


 LOGÍSTICA

“Isopor” celulósico FO
TO
S: D
IIVU
LG

ÃO

Polpa moldada quer balançar reinado do EPS


no mercado de calços técnicos para proteção
Por Luiz de França

M
ais conhecida pelo emprego
naqueles berços azuis, rosados
ou cinzas largamente utilizados a Paraibuna dispõe de tecnologia francesa,
no varejo para acomodar ovos e a Bioembalagens possui equipamentos da
frutas como maçãs e pêras, a polpa Coréia do Sul e chama a matéria-prima de
moldada de celulose quer mostrar suas qualida- polpa termoformada.
des também na forma de calços técnicos – os Assim como o de plástico, o calço de polpa
elementos que protegem bens de consumo moldada é maleável, podendo se amoldar aos
duráveis como eletrodomésticos e eletroe- produtos. A aplicação de resinas de colagem e
letrônicos durante a distribuição. A missão é de resistência à umidade na receita de massa
árdua, uma vez que essa aplicação é ampla- permitem aos calços suportar intempéries. Para
mente dominada pelo poliestireno expandido seus defensores, a polpa moldada possui carac-
(EPS), popularmente conhecido como “isopor.” terísticas funcionais tão boas ou até melhores que
Calços de polpa moldada da
Embora sejam oferecidos no Brasil há dez Paraibuna Embalagens para
as do EPS, mas conta com um trunfo ambiental:
anos, os calços de polpa moldada, ao contrário aparelho eletrônico (no topo) ela é fabricada a partir de aparas de papel, jornais
e para móveis
do que ocorre em países da Europa e da Ásia, e revistas velhos e papelão, sendo biodegradável e
têm aqui produção restrita e destinada a poucos também reciclável. “A polpa moldada vem viabi-
grandes clientes. Entre os escassos produtores, lizar a sustentabilidade do cliente que tenha algu-
dois se destacam: a Paraibuna Embalagens, que ma política ambiental que coíba ou desestimule o
Bioembalagens uso de embalagem que não seja biodegradável”,
brande ser a precursora do produto no país,
(27) 2124-4150
e a Bioembalagens, com pouco mais de dois www.bioembalagens.com.br defende Mário Henrique Santos, gerente comer-
anos de existência. Juntos, eles atendem clien- cial da Paraibuna Embalagens.
Paraibuna Embalagens Entre os projetos desenvolvidos pela Parai-
tes como Philips, Britânia, HP e outros nomes (32) 2102-4000
importantes em produtos eletrônicos. Enquanto www.paraibuna.com.br buna estão as bandejas de acondicionamento

Não é ameaça
Setor plástico alega que polpa moldada não rivaliza com o reciclável EPS
A indústria do plástico diz não se alarmar com aspectos como absorção de umidade, capa- clável, ao contrário do que muitos pensam,
o avanço da polpa moldada sobre o mercado cidade de compressão e consumo de energia devido ao que setor encara como factóide.
de calços técnicos, dominado pelo poliesti- na produção. “Por um momento chegamos a A Plastivida (Instituto Sócio-Ambiental dos
reno expandido (EPS). “Do ponto de vista da pensar que a polpa moldada realmente repre- Plásticos), por exemplo, instituiu há dois anos
competitividade, a polpa não oferece nenhum sentasse uma solução de produto alternativo o projeto Repensar, para divulgar possibili-
risco ao uso do EPS em embalagens, até de menor impacto ambiental, mas logo vimos dades de reutilização do EPS pós-consumo
porque ela pode ser utilizada para algumas que a questão de reciclagem da polpa é rela- – como material para construção civil, produ-
aplicações, mas não em todas”, diz Paulo tiva e questionável, como para qualquer outro ção de gabinetes de TVs, réguas escolares,
Roberto Moreira, vice-coordenador da comis- produto oriundo do papel”, afirma Moreira. brinquedos e outros produtos. “Nosso obje-
são setorial de EPS da Associação Brasileira A propósito, a Abiquim, ao lado de outras tivo é desmistificar a idéia de que o isopor é
da Indústria Química (Abiquim). Ele afirma entidades de classe do setor de plásticos, um produto poluente”, afirma o coordenador
que a polpa não fica a par do isopor quanto a se empenha para mostrar que o EPS é reci- do projeto, Geraldo Luis de Lorena Pires.

74 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


para exportação de lâmpadas para carro, A barreira a ser vencida para a decolagem
fabricadas na planta da Philips em Recife, do calço de polpa moldada no mercado
e as cantoneiras para móveis de aço da interno, apontam os fabricantes, é a escala
Itatiaia. “Freqüentemente as cantonei- ainda baixa, que afeta a competitividade
ras de isopor quebravam e era muito do produto em relação ao EPS – cuja
comum o cliente asssociar o problema produção em 2007 foi de 59 400 toneladas
à qualidade do produto”, conta o coor- (32 200 toneladas escoadas para a transfor-
Impressoras multifuncionais
denador de desenvolvimento de produto da HP são as principais mação de embalagens). Os fornecedores de
da Itatiaia Móveis, Marco Túlio. “Desde que usuárias dos calços de calços não têm estatísticas sobre sua atividade.
polpa da Bioembalagens,
adotamos a polpa moldada, há quatro anos, não que aposta no mercado de Para Sergio Peitl, esse problema será contornado
registramos mais reclamações”. cosméticos (abaixo) gradualmente. “Não estamos avançando como
Por sua vez, a Bioembalagens, que tem na moda ou tendência, mas como um produto que
linha de impressoras multifuncionais da HP um justifica sua aplicação”, ele afirma. Segundo o
dos principais escoadouros, decidiu dar um passo executivo da Bioembalagens, as aparas de papel
além, oferecendo o calço de polpa moldada para a absorvem os custos de reciclagem
indústria de cosméticos. Os pri- na cadeia do produto. “O que
meiros produtos devem estre- não ocorre com o EPS, que
ar no segundo semestre deste vai para os aterros sanitários
ano, prevê Sergio Peitl, diretor municipais sem custo para as
comercial da empresa. “Já esta- empresas que o utilizam, con-
mos na fase de confecção das tribuindo para o problema do
ferramentas”, ele informa. lixo urbano”, dispara.

www.embalagemmarca.com.br junho 2008 EmbalagemMarca 75


DISPLAY  LANÇAMENTOS E NOVIDADES – E SEUS SISTEMAS DE EMBALAGEM

Parceria doce e festiva


Kraft Foods Brasil contribui para O Boticário lançar perfume comemorativo

Comemorando o 23° aniversário do perfume


ArtOffice
Thaty, O Boticário, em parceria com a Kraft (41) 3338-9219
Foods Brasil (Lacta), lança uma edição limitada www.artoffice.com.br
de Thaty Confeti. As tradicionais ânforas de vidro Baumgarten
dos perfumes Thaty, fornecidas pela SGD Brasil, (47) 3036-3636
www.baumgarten.com.br
são ornamentadas por rótulos termoencolhíveis
de PET-G (PET com glicol) da Baumgarten. As Injectpoli
(19) 3886-2766
tampas de polipropileno (PP) são produzidas pela inject.poli@uol.com.br
Injectpoli. A embalagem secundária do Thaty
Confeti é uma lata de aço impres- Hills
www.hills.com.br
sa em flexografia, fabricada pela
Meister. Dentro da lata também há Meister
(47) 3433-3133
uma edição limitada do brilho labial Cel www.meister.com.br
Gloss Thaty, acondicionado em
SGD Brasil
frascos de PET com tampas de (11) 3883-4300
PP, importados de Hong Kong pela Hills. O www.sgdbrasil.com
layout das embalagens foi criado pela ArtOffice.

Investida vibrante em hair care


Frascos coloridos modernizam apresentações dos produtos para cabelo da Albany

Engratech
Os xampus, condicionadores e cremes para A decoração dos frascos do xampu e do con-
(19) 3837-8100 pentear e de tratamento da Albany chegam aos dicionador é feita por rótulos auto-adesivos de
www.grupoengra.com.br pontos-de-venda com novas fórmulas e emba- polipropileno biorientado (BOPP) fornecidos pela
Igaratiba lagens. A empresa apostou nas cores vivas para Indexflex. Os cremes para pentear e de trata-
(19) 3821-8000 atrair o público feminino e no azul para o mas- mento contam com rótulos termoencolhíveis de
www.igaratiba.com.br
culino. Os frascos e tampas de polietileno (PE) PVC da Uniflexo. A Pande Design assina o pro-
Indexflex são supridos pela Igaratiba e pela Engratech. jeto gráfico das embalagens.
(11) 3918-7100
www.indexflex.com.br

Pande Design
(11) 3849-9099
www.pande.com.br

Uniflexo
(11) 4789-5946.
FOTOS: DIVULGAÇÃO

www.uniflexo.com.br

76 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


Edição: FLÁVIO PALHARES  flavio@embalagemmarca.com.br

Novo leite no mercado


Produto da Bela Vista chega na caixa

A Laticínios Bela
Seragini Farné Guardado
(11) 2101-4300 Vista apresen-
www.seraginifarne.com.br ta o novo leite
Tetra Pak Piracanjuba em
(62) 4005-4700 embalagens car-
www.tetrapak.com.br
tonadas assép-
ticas Tetra Brik
Aseptic, com
tampas de rosca
StreamCap,
da Tetra Pak.
O design das
embalagens foi
desenvolvido pela
Seragini Farné
Guardado.

Três não é demais


Flow pack abriga três unidades de Paçoquita

A Santa Helena, detentora da marca Paçoquita, lança uma nova apre-


sentação para sua tradicional paçoca. Trata-se de uma flow pack de
polipropileno biorientado (BOPP) mais polipropileno (PP) produzida
pela Plaszom e que acondiciona três unidades da paçoca. A arte da
embalagem foi criada pela Labcom.

Labcom Plaszom
(16) 3967-8009 (48) 3466-6200
www.labcom.ppg.br www.plaszom.com.br

www.embalagemmarca.com.br junho 2008 EmbalagemMarca 77


DISPLAY  LANÇAMENTOS E NOVIDADES – E SEUS SISTEMAS DE EMBALAGEM

Uma alternativa prática ao delivery


Perdigão lança, em cartucho, versão congelada de macarrão oriental

Chega ao mercado o Yakisoba Rigesa


congelado da Perdigão. (19) 3881-8800
Acondicionado em cartuchos de www.rigesa.com.br

papel cartão da Rigesa contendo Young & Rubicam


porção de 500 gramas, o lança- (11) 3026-4479
www.yr.updateordie.com
mento é uma homenagem aos
100 anos da imigração japonesa.
O projeto gráfico da embalagem,
que apresenta relevo no logotipo
da empresa e verniz especial,
leva a assinatura da agência
Young & Rubicam.

Hora do chá
“Multipops”
Bebida da Guararapes é
acondicionada em garrafas de vidro Biscoito da Adria ganha
embalagem agrupadora
O mercado nordestino recebe o
Solup Tea, nova aposta da Laticínios Os biscoitos recheados Pop (barrinhas de Converplast
Guararapes. O chá é acondicionado frutas), da Adria, agora são comercializa- (11) 6462-1177
www.converplast.com.br
CIV em garrafas de vidro de 300 mililitros dos também em multipacks de polipropi-
(81) 3272-4484 da CIV com tampas de aço da Silgan leno biorientado (BOPP), fornecidos pela Itap Bemis
www.civ.com.br (11) 5516-2000
White Cap. A decoração das emba- Converplast e pela Itap Bemis. O frontal www.dixietoga.com.br
Gráfica Santa Marta lagens é feita com rótulos de papel das embalagens é transparente, deixando
(81) 2122-9700
www.graficasantamarta.com.br couché com cola, as flow packs das barrinhas à mostra. O
que ganharam multipack tem
Prisma 4 Ventos o apelo econô-
aplicação de ver-
Comunicação
(81) 3343-9120 niz UV, impressos mico das pro-
www.prismapublicidade.com.br pela Gráfica Santa moções “leve
Silgan White Cap Marta. O design cinco e pague
(11) 5585-0723 das embalagens quatro” desta-
www.silganwhitecap.com
é assinado pela cado por uma
Prisma 4 Ventos inscrição nas
Comunicação. embalagens,
Solup Tea está cujo design foi
disponível nas ver- criado pela M.
sões light e tradi- Dias Branco,
cional nos sabores detentora da
Preto com Limão marca.
e Preto com
Pêssego.

78 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


Novo formato para nova bebida
Lata sleek é decorada com rótulo termoencolhível

Chega ao mercado OZ,


vodca com néctar de fru-
tas. A bebida, da Ultrapan,
é acondicionada em latas
de alumínio sleek, mais
delgadas, de 340 mililitros,
produzidas pela Ball nos
Estados Unidos – e impor-
tadas pela Latapack-Ball,
subsidiária brasileira da
empresa americana. A lata
sleek, lançada pela Ball
Europe em 2004, é inédita no Brasil. A rotulagem de OZ é feita com um
termoencolhível impresso em offset UV com acabamento fosco e verniz
de reserva pela Metrolabel Indústria de Rótulos e Embalagens. O design
é da Garagem 57.

Metrolabel Garagem 57 Latapack-Ball (no Brasil)


(11) 3603-3888 (19) 9118-6887 (11) 2171-2400
www.metrolabel.com.br www.garagem57.com www.latapack.com.br

Depilação com nova fragrância


Cera da Depil Bella tem opção roll-on

A linha de produtos voltados ao


mercado profissional de
depilação da Bioclean
ganha um novo integrante:
a cera Depil Bella versão
frutas vermelhas, acondi-
cionada em frascos de poli-
propileno (PP) com tampas de
resina ABS. Os rótulos auto-
adesivos de papel couché e poli-
propileno biorientado (BOPP) são
impressos pela Gráfica Covaza.
FOTOS: DIVULGAÇÃO

Frasco e tampa são produzidos em


molde próprio da Bioclean. A identi-
dade visual é da Pande Design.

Gráfica Covaza Pande Design


(11) 2268-3120 (11) 3849-9099
www.covaza.com.br www.pande.com.br

www.embalagemmarca.com.br junho 2008 EmbalagemMarca 79


 ÍNDICE DE ANUNCIANTES

Anunciante Página Telefone Site


Adegraf 73 (11) 2067-9999 www.adegraf.com.br
Amazon Coding 29 (11) 3133-7666 www.amazoncoding.com.br
Antilhas 3ª capa (11) 4152-1100 www.antilhas.com.br
Arco Convert 15 (caderno especial) e 17 (11) 2061-8099 www.arco.ind.br
Armor 13 (92) 4009-3555 www.armor-brasil.com
BauchCampos 39 (11) 4785-2500 www.bauchcampos.com.br
Betim Química 53 (31) 3358-8500 www.betimquimica.com.br
BIC Label 35 0800 260 434 www.biclabel.com.br
BP Filmes 3 (caderno especial) (11) 3616-3402 www.bpfilmes.com.br
Braga 41 (19) 3897-9720 www.braga.com.br
Braskem 5 (caderno especial) (11) 3576-9000 www.braskem.com.br
CCL Label 7 (19) 3876-9300 www.ccllabel.com.br
Cliart 17 (11) 2942-8133 www.cliart.com.br
Cobrirel 77 (11) 6291-3155 www.cobrirel.com.br
Comprint 2ª capa (11) 3371-3371 www.comprint.com.br
Congraf 61 (11) 3103-0300 www.congraf.com.br
Du Pont 13 (caderno especial) e 57 0800 171715 www.dupont.com.br
EMCR 73 (11) 5934-3183 www.emcrinducao.com.br
Emibra 51 (11) 4748-2199 www.emibra.com.br
Frasquim 79 (11) 6412-8261 www.frasquim.com.br
Rami 21 (11) 4587-1100 www.ramiprint.com.br
Greenfield 62 e 63 (11) 3567-1890 www.embalaweb.com.br
Henkel 8 e 9 (caderno especial) (11) 3205-8892 www.henkel.com.br
iiMak 39 (11) 3737-4000 www.iimak.com.br
Indemetal 25 (11) 4013-9600 www.indemetal.com.br
Indexflex 37 (11) 3618-7100 www.indexflex.com.br
Innovia Films 11 (caderno especial) (11) 5053-9948 www.innoviafilms.com.br
Kromos 45 (19) 3879-9500 www.kromos.com.br
Loop 79 (19) 3404-6700 www.loop.ind.br
Markem-Imaje 11 (11) 5641-8949 www.markem-imaje.com
Metrolabel 23 (11) 3603-3888 www.metrolabel.com.br
Moltec 77 (11) 5693-4600 www.moltec.com.br
Müller Martini 71 (11) 3613-1000 www.mullermartini.com.br
Nilpeter 49 (11) 5071-7721 www.nilpeter.com.br
Novelprint 77 (11) 3760-1500 www.novelprint.com.br
Owens-Illinois 31 (11) 6542-8084 www.oidobrasil.com.br
Paraibuna 27 (32) 2102-4000 www.paraibuna.com.br
Prakolar 75 (11) 2291-6033 www.prakolar.com.br
Propack 59 (11) 4785-3700 www.propack.com.br
Rio Polímeros 19 0800 707 8898 www.riopol.com.br
Sampafi 73 (11) 4221-6106 www.sampafi.com.br
Setprint 73 (11) 2133-0007 www.setprint.com.br
SIG Combibloc 47 (11) 2107-6744 www.sig.biz/brasil
Simbios-Pack 79 (11) 5687-1781 www.simbios-pack.com.br
Sonoco For-Plas 5 (11) 5097-2750 www.sonocoforplas.com.br
Soproval 59 (19) 3881-8111 www.soproval.com.br
Suzano 65 0800 722 7008 www.suzano.com.br
TD Color 79 (19) 3271-7146 www.tdcolor.com.br
Tetra Pak 55 (11) 5501-3205 www.tetrapak.com.br
Tom-B 67 (11) 3255-7214 www.tom-b.eu
Tyrex 15 (11) 3612-4255 www.tyrex.com.br
Union Pack 69 0800 707 9533 www.unionpack.com.br
Vitopel 16 (caderno especial) (11) 3883-7700 www.vitopel.com
Wheaton 33 (11) 4355-1800 www.wheatonbrasil.com.br

80 EmbalagemMarca junho 2008 www.embalagemmarca.com.br


EmbalagemMarca é muito importante para o setor de embalagem
no Brasil, não só pelo volume e pela qualidade de informações que
oferece. A revista é importante também por abrir oportunidades
de ampliação de negócios e de discutir caminhos para o futuro.
Cito como exemplo, especificamente, o recente seminário sobre
embalagens flexíveis, do qual participamos e que se constituiu
em oportuna ocasião de colocar toda a cadeia produtiva frente a
frente para discutir problemas que a atingem e propor soluções.
EmbalagemMarca foi muito útil em minha vinda para a Vitopel, quando
consultei a coleção e me abasteci de preciosas informações.

José Ricardo Roriz Coelho, Presidente

(11) 3089-5333 É LIDA PORQUE É BOA. É BOA PORQUE É LIDA.


www.vitopel.com.br www.embalagemmarca.com.br • (11) 5181-6533
Almanaque
Licores de especiarias que ganharam o mundo
A mais antiga destilaria do mundo que tinham sabores totalmente novos, empresa, mas com a condição de que
foi fundada em 1575 em Amsterdã, como cravo-da-índia, canela, baunilha, o nome Bols fosse mantido. As garra-
Holanda, pelo mercador Lucas Bols. óleo de rosa, café e casca de curaçao, fas, que no início eram de porcelana,
As bebidas produzidas no pequeno uma espécie de laranja muito ácida. foram evoluindo e hoje, de vidro,
estabelecimento Quando o último descenden- têm formas modernas. Atualmente a
eram feitas a partir te direto de Lucas morreu, Lucas Bols produz 35 bebidas e está
de especiarias que em 1816, a família vendeu a presente em 110 países.
chegavam em navios
holandeses provenien-
tes de várias partes
do mundo. Utilizando
ingredientes até então
desconhecidos, Bols criou,

FOTOS: DIVULGAÇÃO
entre outros, vários licores
Acima, Lucas Bols, fundador da
empresa. À direita, evolução das
embalagens dos licores Bols

Há quase 80 anos regulando Sepultado no tubo


Criador da embalagem de sua invenção que,
O Regulador Xavier, preparado como um remédio moderno da batata frita Pringles, manifestou o desejo de,
à base de extratos vegetais e usado em duas versões: núme- da Procter & Gamble, ao morrer, ser sepulta-
plantas medicinais, foi desen- ro 1 para excesso, número 2 o americano Fredric do dentro de um dos
volvido em São Paulo pelo far- para a escassez. Nas embala- Baur morreu dia 4 de tubos que consagraram
macêutico João Gomes Xavier. gens, os números sempre tive- maio último, aos 89 a marca. Foi cremado
Registrado nos órgãos de ram destaque, para evitar enga- anos de idade. Quando e suas cinzas colocadas
saúde desde 1930, o fitoterápi- nos na hora do consumo. O trabalhava no centro de numa embalagem de
co é indicado para distúrbios jingle do produto fazia sucesso: pesquisa da empresa, Pringles que foi enter-
da menstruação. Na época, os “1, 2... 1, 2... Regulador Xavier: em 1966, o engenheiro rada no cemitério de
“males femininos” eram tra- o remédio de confiança da entrou com o pedido Cincinnati, Ohio.
tados com chás caseiros, que mulher”. Em 1957, a marca de patente para
tinham as receitas passadas foi adquirida pelo Laboratório a técnica de
de mãe para filha, sempre Hepacholan, empilhar as
em clima de mistério. O que ainda batatas fritas
Regulador Xavier surgiu comercializa as numa embala-
duas versões. gem em forma
Confira o jingle de tubo, feita
gravado nos de papel cartão
anos 1980, e folhas de alu-
no site www. mínio. Ele tinha
embalagem- tanto orgulho
marca.com.br

82 EmbalagemMarca www.embalagemmarca.com.br/almanaque junho 2008


S S
TA ÕE
ER IÇ Uma boa
AB C R

embalagem
S
IN

é aquela que
traz resultados
positivos.
E prêmios.
Se entre 1/7/2007 e 30/6/2006 a sua
empresa colocou no mercado embalagens
que fizeram a diferença, inscreva-as no
Prêmio EmbalagemMarca 2008 – Grandes
Cases de Embalagem. Afinal, o seu sucesso
merece ser contado para todo o mercado.

Reconhecimento e divulgação para quem ajuda a melhorar a embalagem no Brasil.


Mais informações em www.grandescases.com.br
Patrocínio Master Patrocínio Especial Organização

Apoio Operacional

Você também pode gostar