Você está na página 1de 1
"X Seminário Capixaba sobre o Ensino da Arte" POÉTICAS DO PROCESSO DE CRIAÇÃO: UMA ABORDAGEM

"X Seminário Capixaba sobre o Ensino da Arte"

POÉTICAS DO PROCESSO DE CRIAÇÃO: UMA ABORDAGEM SOCIOCULTURAL DA EMEF “LUÍZA GRIMALDI

HELETÚCIA MARIA FELHBERG DE OLIVEIRA, MARINELDA BEZERRA DA SILVA heletuciamaria@hotmail.com, marineldabs@hotmail.com

CURSO DE LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO - UFES - EAD- POLO DE SANTA TERESA

INTRODUÇÃO A arte tem o poder de gerar reflexão e inquietação além de propiciar o
INTRODUÇÃO
A arte tem o poder de gerar reflexão e inquietação além de propiciar o
desenvolvimento crítico à criança e ao adolescente. Aproximar o aluno da arte
possibilitando interação é fundamental para sua formação como cidadão
consciente de seu papel perante a sociedade. Assim, trabalhar com projetos
voltados para o cotidiano do aluno potencializa tais características, bem como
aproximar-se de sua realidade, através de atividades que o envolva em seu
processo de criação.

A fim de aprofundar conhecimentos relativos ao Processo de criação, foram feitas análises de narrativas realizadas durante o projeto: “Artes e Valores no Meu Cotidiano com Mestre Vitalino”, na EMEF “Luíza Grimaldi” em Itarana – ES, com alunos de 5ª à 8ª séries. Fundamenta-se nas teorias de Cirilo e Rodrigues (2010), Ostrower (1977), Dayrell (1996), Benjamin (1987) e Salles (2007).

METODOLOGIA
METODOLOGIA

• Pesquisa etnográfica, que teve entre os diversos objetivos, estudar o processo de criação dos alunos levando em consideração as influências cotidianas, através de leituras de imagens de obras de Mestre Vitalino e seus discípulos, tendo como critérios: descrição, interpretação e análise. • Produções voltadas para a arte da cerâmica focando valores no cotidiano do aluno (escola e sociedade), através de narrativas visuais. •Análise dos resultados do projeto Artes e Valores no meu cotidiano com Mestre Vitalino:

Que valores existem em minha comunidade, meu cotidiano, que não gosto?

existem em minha comunidade, meu cotidiano, que não gosto? 35% 30% 25% 20% 15% 10% 5%
existem em minha comunidade, meu cotidiano, que não gosto? 35% 30% 25% 20% 15% 10% 5%
existem em minha comunidade, meu cotidiano, que não gosto? 35% 30% 25% 20% 15% 10% 5%

35%

30%

25%

20%

15%

10%

5%

0%

Temas abordados pelos alunos Cigarro Bebida alcoólica Violência Valores (moral/social) Meio ambiente
Temas abordados pelos alunos
Cigarro
Bebida alcoólica
Violência
Valores (moral/social)
Meio ambiente

As relações socioculturais, demonstradas nas narrativas dos alunos acontecem na escola por meio de estímulos (questionamentos, reflexões críticas aliando as obras de Mestre Vitalino à realidade local) que “levam” o aluno a pensar em si como ser integrante de um mundo que reage mediante sua atuação frente aos problemas (sociais, culturais, morais, éticos, ambientais, entre outros). As lembranças/memórias são fatores de relevância na produção artística. Experiências e trocas são realizadas no meio escolar refletindo-se fortemente no processo de criação do aluno da mesma forma que o faz no processo criativo do artista. A produção artística encontra-se alienada ao contexto em que foi criada influenciando o processo criativo.

Que valores eu gostaria que existissem em minha sociedade, meu cotidiano?

gostaria que existissem em minha sociedade, meu cotidiano? Valores abordados pelos alunos (%) Amor 30% Amizade
gostaria que existissem em minha sociedade, meu cotidiano? Valores abordados pelos alunos (%) Amor 30% Amizade
Valores abordados pelos alunos (%) Amor 30% Amizade 25% Felicidade 20% 15% Respeito ao Meio
Valores abordados pelos alunos (%)
Amor
30%
Amizade
25%
Felicidade
20%
15%
Respeito ao Meio
Ambiente
10%
Paz
5%
0%
Múltiplos
Respeito ao Meio Ambiente 10% Paz 5% 0% Múltiplos As narrativas se apresentam como objetos estéticos
Respeito ao Meio Ambiente 10% Paz 5% 0% Múltiplos As narrativas se apresentam como objetos estéticos
Respeito ao Meio Ambiente 10% Paz 5% 0% Múltiplos As narrativas se apresentam como objetos estéticos

As narrativas se apresentam como objetos estéticos repletos de valores morais, sociais e culturais e nele estão embutidos sentidos intrínsecos e sensíveis. Além disso, as mudanças que ocorrem na adolescência e na sociedade (fatores emocionais, crise de identidade), influenciam, comprometem e alteram o processo criativo. Daí a importância do educador conhecer as experiências de seus alunos a fim de propiciar uma aprendizagem eficaz, pois suas vivências influenciarão o processo de formação.

CONSIDERAÇÕES FINAIS
CONSIDERAÇÕES FINAIS

O processo de criação é algo que gera curiosidade, pois possui em sua estrutura registros da prática artística; • São as relações socioculturais que influenciarão na identidade do indivíduo, e por consequência, em sua criatividade; • As obras de Mestre Vitalino e de seus discípulos são repletas de valores morais e sociais, da mesma forma, as narrativas dos alunos, apresentam valores (respeito, amizade, amor, paz, não violência, responsabilidades) que permeiam seu cotidiano, influenciando suas ações; • Os resultados obtidos foram satisfatórios e relevantes, para todos os envolvidos. Portanto, desenvolver pesquisas voltadas para o processo de criação, nos possibilitou desdobramentos da arte, relacionando as obras estudadas do artista brasileiro Mestre Vitalino, com o cotidiano local, e principalmente, conhecer melhor o aluno como sujeito de uma história. Pois, é importante que todo arte educador conheça o modo como o processo criativo é influenciado pelas experiências socioculturais.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

BENJAMIN, Walter. Obras escolhidas. Editora Brasiliense, 3ª Edição. 1987. p. 257. CIRILO, José; RODRIGUES, Maria Regina. Processo de criação/Reflexões sobre a Gênese na Arte. Vitória, ES: Universidade Federal do Espírito Santo, Núcleo de Educação Aberta e a Distância, 2010. 127 p.: il. DAYRELL, Juarez. Cap.: "A escola como espaço sócio-cultural". Múltiplos olhares sobre educação e cultura. Belo Horizonte: UFMG, 1996. RODRIGUES, Maria Regina et.al. Cerâmica. Vitória : UFES, Núcleo de Educação Aberta e a Distância, 2011. 108 p.: il.