Você está na página 1de 20

1

Introdução e Guia da Sessão: O Modelo de Auto-Avaliação


das Bibliotecas Escolares: metodologias de
operacionalização (Parte II)

No texto da sessão anterior debruçámo-nos sobre a planificação da


Avaliação da Bibliotecas Escolar, a implementar em cada ano lectivo,
de forma a poder responder às questões que, de modo simples e
esquemático, foram colocadas por David Streafield na sua
apresentação no Encontro em Lisboa no ano transacto sobre a Auto-
avaliação das Bibliotecas Escolares.

1. Witch question should I address?


2. Witch section do I want to work on?
3. What evidence do I need to collect to see how the library is doing?
4. How can I collect evidence for each of the indicators within the
section?
5. How good is the evidence I’ve collected?
6. At what level is the library performing according to the evidence?
7. What can I do to improve the work of the library in this area (what
should I put in the summary sheet)?
8. How else can I use the findings of this self-evaluation?

Ao longo das unidades anteriores, foi ainda largamente demonstrada


a necessidade dos responsáveis pela condução do processo de
avaliação das Bibliotecas Escolares se munirem de um conjunto de
evidências que lhes permitam conhecer, de forma fundamentada, o
nível de desempenho e impacto da Biblioteca Escolar em relação com
diferentes indicadores de qualidade _ variáveis consoante o Domínio
em apreciação _ e agir no sentido da sua progressiva melhoria.

Uma das actividades mais importantes da aplicação do Modelo de


Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares consiste, deste modo, em
saber identificar os instrumentos de recolha de evidências adequados
e extrair desses instrumentos as informações (evidências) que melhor
esclarecem o trabalho e os resultados alcançados pela Biblioteca em
relação com este ou aquele indicador ou conjunto de indicadores.

Na presente sessão, ocupar-nos-emos deste aspecto, usando como


base principal de trabalho, os Relatórios de Auto-Avaliação das
Bibliotecas Escolares, nos quais se identificam estes instrumentos,
evidências e propostas de melhoria.

Já sabemos que os instrumentos de recolha de evidências podem


incluir, entre outros:

• Documentos já existentes e que regulam a actividade da escola


(PEE, RI, PCE, PCT’s, etc.) ou da BE (Plano de Actividades,
Regimento, etc.);
2

• Registos diversos (actas de reuniões, relatórios de actividades,


etc.);
• Materiais produzidos pela BE ou em colaboração (planos de
trabalho, planificações para sessões na BE, documentos de
apoio, materiais de difusão e de promoção, etc.);
• Estatísticas produzidas pelo sistema da BE (empréstimos,
consultas, requisições, etc.);
• Trabalhos realizados pelos alunos (no âmbito de actividades na
BE, em trabalho colaborativo, em trabalho autónomo, etc.),
recolhidos e analisados, sempre que necessário, em conjunto
com os docentes;
• Dados obtidos a partir dos instrumentos especificamente
construídos para recolher informação no âmbito da avaliação da
BE: Registos de Observação, Grelhas de Análise, Questionários,
Checklists, etc.

No documento de apoio à elaboração do Relatório de Auto-avaliação,


distribuído o ano transacto pelo Gabinete RBE às escolas que
estavam a testar o Modelo, foram, a título de exemplo, dadas
indicações sobre o tipo de evidências que podiam ser extraídas dos
diferentes instrumentos propostos no âmbito da avaliação do
Subdomínio A.1. (Articulação Curricular da BE com as Estruturas
Pedagógicas e os Docentes), e que deviam, nesse sentido, ser
invocadas no referido Relatório.
Analisemos mais em profundidade o exemplo dado, sobre o Indicador
A.1.2: Parceria da BE com os docentes responsáveis pelas novas
áreas curriculares não disciplinares (NAC):
3

A. Apoio ao desenvolvimento Curricular


A.1. Articulação Curricular com as Estruturas Pedagógicas e os Docentes
Indicadores Factores Críticos de Instrumentos de Recolha Evidências extraídas dos
Sucesso de Evidências sugeridos Instrumentos, a integrar no
Relatório de Auto-avaliação
A.1.2. Parceria da BE • A BE programa com • Planificações das Áreas de • A BE planeou... com os docentes da
com os docentes os docentes Projecto, de Formação Cívica e Área…/ do Projecto...
responsáveis pelas responsáveis o apoio às de Estudo • A BE reuniu com os docentes da Área…/
novas áreas Áreas de Projecto. Acompanhado/Apoio ao do Projecto...
curriculares não • A BE colabora com os Estudo • A BE trabalhou com grupos de alunos
disciplinares (NAC). docentes das turmas que vieram pesquisar sobre…, no âmbito
e/ou Directores de • Projectos Curriculares das da Área…/ do Projecto…
Turma na concepção e Turmas • A BE direccionou acções formativas
realização de iniciativas
(número de acções) a docentes/ alunos
no âmbito da • Registos de das Áreas…/ Projectos...
Formação Cívica. Reuniões/Contactos/ Acções • As turmas (nº de turmas)...
• A BE contribui para o conjuntas
desenvolveram trabalho articulado
enriquecimento do
na BE no âmbito de ....
trabalho de Estudo • Questionário aos
• Resultados do Questionário QP1. Por
Acompanhado/Apoio Professores (QP1)
ao Estudo, ex:...% professores afirmou usar
assegurando a inclusão diariamente a BE (ou nunca usar a BE); %
• Estatísticas de utilização da professores (não) participou em sessões
da biblioteca e dos
BE pelos docentes e/ou alunos de formação; % professores articulou
seus recursos nas suas
sob a sua orientação, em Área actividades com a BE; % professores
actividades.
de Projecto/ Estudo avaliou positivamente (ou
• A utilização da BE é Acompanhado, … negativamente) o trabalho da BE; %
rentabilizada pelos
professores indicou experiências de
docentes em • Outros Instrumentos trabalho com a BE muito/pouco positivas;
actividades
considerados importantes… % professores atribui um grande/pequeno
relacionadas com as
nível de influência à BE a nível da sua
NAC ou outros
4

projectos de carácter formação cívica, etc.…


multidisciplinar. • ... % professores usou a BE para
determinada Área (Área de Projecto;
Estudo Acompanhado; Formação Cívica;
outra);
• Outras evidências consideradas
importantes.

Explorando outros exemplos que elucidem a forma como foram usados os instrumentos de recolha de informação e
comunicadas as evidências extraídas a partir da análise dessa informação, vejamos agora o exemplo de um
Relatório de Auto-Avaliação sobre o Subdomínio C.1 : Apoio a Actividades livres, Extra-Curriculares e de
Enriquecimento Curricular, testado pela Coordenadora Zélia Delgado Delgado na ES de Odemira:

C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade

C.1 Apoio a Actividades Livres, Extra-Curriculares e de Enriquecimento Curricular

Indicadores Evidências recolhidas Pontos Fortes Identificados Pontos Fracos Identificados


C.1.1. Apoio à
aquisição e desenvol-
vimento de métodos 1- Horários da BE (9.00h – 17.30h) - as - O horário da BE é contínuo e coincide com a - Os alunos não tinham, no início do
de trabalho e de actividades lectivas decorrem das 9.30h às permanência dos alunos na escola. processo de avaliação, acesso livre ao
18.20h, sendo o último intervalo das 17.20h catálogo da BE.
estudo autónomos. às 17.25h. Não existiu no ano transacto
ensino nocturno.
- A BE é um espaço privilegiado à realização de
trabalhos fora dos contextos formais de - Em determinadas alturas da semana o
2- Questionário aos alunos (QA3)1, de que aprendizagem. número de computadores mostrou-se
resultaram as seguintes evidências:
- 72% dos alunos considera que a BE tem um
1
O questionário QA3 foi aplicado numa amostra de 11% dos alunos de cada ano lectivo. A amostra foi escolhida aleatoriamente e de modo que variáveis como o sexo e o curso frequentado
tivessem representatividade proporcional à existente na população em estudo.
5

C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade

C.1 Apoio a Actividades Livres, Extra-Curriculares e de Enriquecimento Curricular

Indicadores Evidências recolhidas Pontos Fortes Identificados Pontos Fracos Identificados


ambiente favorável à utilização simultânea por insuficiente.
alunos e grupos em actividades diferentes.
- Dentro das possibilidades, o horário da equipa
- 67% dos alunos utiliza a BE para a execução de da BE, encontra-se distribuído ao longo de todo o
trabalhos escolares. dia.

- Aproximadamente 80% dos alunos considera - A BE proporciona condições para o


que é fácil encontrar os documentos que procura desenvolvimento, em simultâneo, de actividades
de diferente natureza.
3- Grelha de observação (O3)2 , de que
resultaram as seguintes evidências:
- cerca de 70% dos visitantes da BE fazem-no
quer individualmente quer em grupo (os restantes - Os alunos praticam técnicas de estudo variadas:
30% fazem-no apenas individualmente ou apenas exploram informação de diferentes tipos de
em grupo) . documentos, produzem e editam trabalhos
escritos recorrendo ao uso do computador.
- cerca de 50% dos frequentadores da BE
desenvolvem actividades livres de leitura.

- cerca de 70% dos frequentadores da BE - Grande parte dos alunos demonstrou autonomia
realizam actividades de pesquisa e de trabalho. na pesquisa de informação nos diferentes suportes
e na execução das tarefas a que se propõem.
- cerca de 80% dos utilizadores da BE fazem
pesquisa diversificada autonomamente.

4- Materiais de apoio produzidos pela BE: - O material produzido pela BE tem interesse

2
A grelha de observação O3 (Grelha de observação da utilização da BE pelos alunos em contexto livre) foi aplicada no 3º período a alunos e grupos de alunos.
6

C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade

C.1 Apoio a Actividades Livres, Extra-Curriculares e de Enriquecimento Curricular

Indicadores Evidências recolhidas Pontos Fortes Identificados Pontos Fracos Identificados


Foram elaborados 4 folhetos diferentes de apoio para os alunos, apoiando estes na pesquisa
à pesquisa bibliográfica na BE, à redacção e bibliográfica na BE, na redacção e apresentação
apresentação de trabalhos escritos e à de trabalhos escritos e na apresentação oral
apresentação oral desses trabalhos. desses trabalhos

Cerca de 200 alunos recolheram, por iniciativa


própria, os folhetos elaborados pela equipa da
BE. - Os alunos têm à sua disposição, para uso livre,
grande diversidade de serviços e equipamentos.
5- Resultado da avaliação do equipamento
existente e dos serviços prestados pela BE,
de resultam as seguintes evidências:
- 8 computadores na BE, todos com internet. - Os alunos fazem um intensivo uso dos
equipamentos e serviços disponibilizados.
- 2 leitores de DVD

- serviço de impressão (a cores e a preto e


branco) - Verifica-se uma elevada taxa de utilização dos
meios informáticos.
-serviço de fotocópias

6- Estatísticas de utilização da BE,


nomeadamente da utilização dos - A taxa de utilização dos computadores para a
computadores e da leitura de presença3 com realização de trabalhos é boa (acima das
as seguintes evidências: expectativas).
- registo de cerca de 60 inscrições diárias

3
A leitura de presença aqui referida diz respeito a documentação utilizada na realização de trabalhos.
7

C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade

C.1 Apoio a Actividades Livres, Extra-Curriculares e de Enriquecimento Curricular

Indicadores Evidências recolhidas Pontos Fortes Identificados Pontos Fracos Identificados


(individuais ou a pares) para a utilização dos
computadores fora do contexto de aula.
- O número de livros consultados para a
- Cerca de 40% das inscrições para utilização dos realização de trabalhos foi considerado bom.
computadores dão indicação de actividades
relacionadas com a produção de trabalhos
(pesquisa, redacção e impressão).
- A BE proporciona condições para o
- Por dia, cerca de 20 livros são consultados, em desenvolvimento, em simultâneo, de actividades
média, na BE para a execução de trabalhos fora de diferente natureza.
do contexto de aula.4

C.1.2. Dinamização
de actividades livres,
de carácter lúdico e 1- Plano de Actividades da BE - foi proposto um - As actividades previstas no plano de actividades - A avaliação das actividades foi feita de
cultural. conjunto de actividades a realizar ao longo do ano foram genericamente realizadas. forma informal e oralmente, não havendo
que visavam desenvolver o gosto e interesse pela registos escritos da mesma.
arte, ciência, história e literatura.

2- Registos sobre a preparação, desenrolar e - As iniciativas foram variadas e tiveram bastante


avaliação das actividades – através destes registos público. - As iniciativas, apesar de interessantes,
é possível constatar a realização das seguintes são pouco numerosas.
iniciativas previstas no Plano de Actividades:
- Em algumas iniciativas (dia dos namorados e o
- Exposições (banda desenhada, de trabalhos

4
Esta evidência foi recolhida a partir do registo dos livros que os alunos deixam em cima das mesas de leitura, podendo estar aquém da real utilização. Apesar de instruídos para não o fazer,
verifica-se, ainda, que alguns alunos continuam a arrumar, nas estantes, os livros que consultam, nomeadamente os dicionários e outras obras de referência.
8

C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade

C.1 Apoio a Actividades Livres, Extra-Curriculares e de Enriquecimento Curricular

Indicadores Evidências recolhidas Pontos Fortes Identificados Pontos Fracos Identificados


manuais, de pintura e de jogos matemáticos); dia mundial das bibliotecas escolares) os alunos - A divulgação das iniciativas não chega a
tiveram participação activa no desenvolvimento todos os alunos da escola.
- Espectáculos (teatro); da actividade, com a produção e/ou recolha de
textos de uma forma livre e autónoma, fora do
- Palestras (sobre o 25 de Abril);
contexto das actividades lectivas.
- Feira do livro;

- Apresentação de livro pelo respectivo autor,


- As iniciativas desenvolvidas são classificadas
integrada na feira do livro;
pelos alunos como interessantes.
- Celebração de efemérides relacionadas com
escritores e outras;

- Destaque de obras e autores;

- Actividade de promoção do livro e da leitura,


dirigida por um profissional;

- Clube de xadrez;

- Comemoração de dias especiais como o dia da


escola, o dia das BE e o dia dos namorados.

3- Questionário aos alunos (QA3) – foi recolhida


informação sobre a opinião dos alunos acerca das
actividades culturais dinamizadas pela BE
9

C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade

C.1 Apoio a Actividades Livres, Extra-Curriculares e de Enriquecimento Curricular

Indicadores Evidências recolhidas Pontos Fortes Identificados Pontos Fracos Identificados


(quantidade e qualidade que revelaram):

- 72% dos alunos considera que a BE tem um


ambiente favorável à utilização simultânea por
alunos e grupos em actividades diferentes.

- 61% dos alunos inquiridos consideraram as


iniciativas promovidas pela BE interessantes.

- 44% dos alunos consideraram que as iniciativas,


apesar de interessantes, são pouco numerosas.

- 39% dos alunos inquiridos afirmaram não terem


tido conhecimento das actividades da BE.

C.1.3. Apoio à utili- 1- Horário da BE – A BE permanece aberta das - O horário coincide com a permanência dos
zação autónoma e 9.00h às 17.30h, durante os dias úteis dos alunos na escola.
voluntária da BE períodos lectivos e não lectivos.
como espaço de lazer
e livre fruição dos 2- Grelha de observação (O3) - usada para
observação e registo da forma como os alunos - Os alunos e outros utilizadores podem utilizar a
recursos.
(individualmente ou em pequenos grupos) fazem BE nas interrupções lectivas.
uso da BE.

- cerca de 80% dos utilizadores da BE fazem


- Duas auxiliares estão afectas à BE, o que
pesquisa de forma autónoma.
permite um acompanhamento próximo dos
- a zona de leitura informal tem uma ocupação alunos.
10

C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade

C.1 Apoio a Actividades Livres, Extra-Curriculares e de Enriquecimento Curricular

Indicadores Evidências recolhidas Pontos Fortes Identificados Pontos Fracos Identificados


permanente (por um ou mais alunos) durante os
intervalos.

- genericamente, os alunos cultivam um clima de


boa convivência e de respeito mútuo, acatando as - Observa-se que os alunos acedem e utilizam
ordens dos professores e auxiliares que livremente a BE, quer individualmente, quer em
desempenham funções na BE. pequenos grupos.

3- Estatísticas de utilização da BE, - Constata-se que os alunos desenvolvem


nomeadamente as relativas aos empréstimos actividades livres de leitura, de pesquisa e de
domiciliários, com os seguintes resultados: estudo, num clima de liberdade, respeito e
descontracção.
- durante o ano lectivo efectuaram-se cerca de
700 empréstimos domiciliários. - Os alunos dispõem de condições favoráveis à
utilização individual e em pequenos grupos da
4- Resultados de avaliação da colecção – análise BE.
do catálogo e dos registos manuais, com os
seguintes resultados: - A zona de leitura informal á acolhedora.

- existência de um acervo de cerca de 1000 - O facto de ser possível fazer requisição


exemplares de filmes de ficção (de todos os domiciliária de material não livro.
géneros).
- O elevado número de requisições, considerando
- existência de cerca de 50 jogos lúdicos e o número de alunos da escola.
didácticos e de puzzles.
- A BE dispõe de uma vasta, diversificada e
- A BE adquiriu durante o ano lectivo actualizada colecção de filmes de ficção de todos
11

C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade

C.1 Apoio a Actividades Livres, Extra-Curriculares e de Enriquecimento Curricular

Indicadores Evidências recolhidas Pontos Fortes Identificados Pontos Fracos Identificados


aproximadamente 500 documentos. os géneros.

- A BE recebe 2 jornais diários (um de


informação generalista e outro desportivo) e 4
revistas (de diferente periodicidade) de diferentes - Existe ainda um conjunto significativo de
temáticas puzzles, jogos lúdicos e didácticos, aos quais os
alunos têm acesso livre.
5- Questionários aos alunos (QA3) – os alunos
foram questionados sobre a sua satisfação - A BE fez aquisição de modo a actualizar e
relativamente ao fundo documental (livro e não diversificar o seu acervo, seguindo a política de
livro) que podem encontrar na BE e facilidade aquisição definida em sede de regulamento
com que esses documentos podem ser interno. Na aquisição foram consideradas as
encontrados, verificando-se que: sugestões dos alunos e de outros utilizadores e
aos pedidos dos professores, tendo em vista as
- 72% dos alunos considera que a BE tem um necessidades de carácter pedagógico e/ou lúdico
ambiente favorável à utilização simultânea por dos utilizadores.
alunos e grupos em actividades diferentes.
- A zona de leitura informal está razoavelmente
- 20% dos alunos afirma desenvolver actividade apetrechada.
de leitura livre (lúdica e cultural) na BE.
- Um número apreciável de alunos frequenta a
- cerca de 75% dos alunos inquiridos dizem zona de leitura informal.
gostar dos DVDs ao seu dispor na BE e
consideram que os livros da BE são actuais e - O acervo de DVDs e de livros vão de encontro
respondem aos seus interesses. aos interesses dos alunos.
12

C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à Comunidade

C.1 Apoio a Actividades Livres, Extra-Curriculares e de Enriquecimento Curricular

Indicadores Evidências recolhidas Pontos Fortes Identificados Pontos Fracos Identificados


- Aproximadamente 80% dos alunos considera - A arrumação dos documentos na BE é
que é fácil encontrar os documentos que procura. funcional.

C.1.4. Disponibiliza-
ção de espaços,
tempos e recursos 1- Registo sobre as Actividades da BE – Os - A BE apoia os clubes existentes na escola. - Não houve adesão por parte dos alunos (é
para a iniciativa e alunos foram convidados, através de cartazes de de lembrar que na escola apenas existe
contacto pessoal, a colaborar com a BE na - Os alunos são incentivados a dar sugestões e a ensino secundário).
intervenção livre dos
organização de actividades e a desempenharem opinião, sendo dada resposta sempre que
alunos.
funções de monitor ou outras. possível.

A BE apoia a realização de projectos e iniciativas


de clubes existentes na escola

2- Livro de opinião e caixa de sugestões que


recolheram inúmeras sugestões e opiniões.

C.1.5. Apoio às
Actividades de
Enriquecimento
Curricular (AEC),
Não se aplica: A escola tem apenas ensino secundário, para o qual não estão previstas Actividades de Enriquecimento Curricular.
conciliando-as com a
utilização livre da
BE.
13

No sentido de fornecer mais exemplos diversificados de Relatórios de Auto-Avaliação onde se identificam uma série de
evidências obtidas a partir dos diferentes utensílios sugeridos, vejamos agora um exemplo de um Relatório incidente na
avaliação do Domínio B. (Leitura e Literacia) numa Escola do 1º Ciclo e Pré-Escolar, elaborado pela coordenadora da EB1/JI de
Ferreira do Alentejo, Helena Carapuça.

B. Leitura e Literacia

Indicadores Evidências recolhidas Pontos Fortes Identificados Pontos Fracos Identificados

- Realizaram-se actividades de promoção da - A BE realiza um trabalho articulado - Alguma dificuldade na difusão da informação
leitura e literacia propostas pela biblioteca e que na promoção da leitura com a sobre o trabalho desenvolvido.
B.1 Trabalho da BE ao tiveram um somatório de participações de 3918 dinamização de projectos e actividades
serviço da promoção da alunos. para as crianças/alunos onde o livro e
leitura leitura são apresentados utilizando
- Fizeram-se 900 empréstimos domiciliários a - Pouco trabalho no âmbito da criação/
suportes diversificados e explorando a
alunos e 367 para as salas de aula. exploração de novos ambientes digitais (blogs,
leitura de forma transversal.
Wikis, e-mail… ).
- A BE participou activamente na realização de - Realiza regularmente actividades de
5 actividades/projectos do P.A.A da Escola, em animação da leitura e actividades de
que participou toda a Comunidade Educativa. articulação curricular com as turmas. - Não realização de encontros com escritores
- Todos os docentes referiram em reuniões de ou pessoas ligadas aos livros.
- Tem um serviço de empréstimo
avaliação trimestral o trabalho em parceria com domiciliário de documentos para todos
a BE na realização de actividades. os seus utilizadores.

- 100% dos alunos responderam que já - Tem serviço de empréstimo de


realizaram actividades e projectos de leitura na fundos, materiais e equipamentos para
BE. toda a escola.

- 100% dos alunos disseram que a BE os -Tem guia do utilizador, grelhas de


motivou a ler mais e 90% que realiza registo da actividade, de planificação e
actividades que os motivam a ler. avaliação.

- 90% dos professores responderam que


14

B. Leitura e Literacia

Indicadores Evidências recolhidas Pontos Fortes Identificados Pontos Fracos Identificados

participam com a turma em actividades de - Mantém um fundo documental


leitura organizadas pela BE e em actividades no actualizado e de acordo com gosto e
âmbito do P.N.L. necessidades dos seus utilizadores.

- 90% dos professores referiram que utilizam a - Participa regularmente em actividades


BE para requisitar fundo documental e do Plano Anual de Actividades da
materiais para as salas. Escola e Agrupamento.

- 80% dos docentes referiram que muito - Mantém-se em funcionamento para


frequentemente planificam projectos e livre acesso durante os intervalos e
actividades conjuntas. parte do período de almoço.

- Apoia os utilizadores em trabalhos de


pesquisa ( guião de pesquisa)

- Realizaram-se actividades de Articulação - A BE realiza actividades de - Alguma dificuldade na articulação das


Curricular com os docentes, envolvendo a articulação curricular com planificação actividades realizadas em conjunto com a
B.2 Trabalho articulado da utilização da biblioteca por todos os docentes e conjunta entre professor da turma e Biblioteca Municipal e Museu.
BE com departamentos e por 1719 alunos pertencentes a todas as turmas responsável pela BE.
docentes e com o exterior, no da escola. Cada turma da escola deslocou-se à
âmbito da leitura biblioteca para trabalho curricular - A BE realiza actividades destinadas à
educação pré-escolar e 1º ciclo. - Não se terem realizado sessões de
quinzenalmente.
informação/formação para os departamentos
- Realizaram-se 3 Projectos com actividades - A BE apoia projectos e actividades curriculares.
desenvolvidas em articulação com o realizadas no âmbito das actividades
departamento da Educação Pré-Escolar e 4 com extracurriculares.
o departamento do 1º Ciclo.
- A BE dinamiza e organiza actividades
- O P.A.A da BE contemplou várias actividades do P.N.L.
de articulação com departamentos e parceiros
15

B. Leitura e Literacia

Indicadores Evidências recolhidas Pontos Fortes Identificados Pontos Fracos Identificados

educativos ( dia das bibliotecas escolares, festa - A BE articula actividades com a


de natal, dia da mãe, dia do ambiente…) . Biblioteca Municipal e o Museu.

-Foi realizada em parceria com a Educação pré-


escolar a exploração de 3 obras sugeridas pelo
P.N.L e 7 com o 1º ciclo. Também a BE
colaborou em actividades dos formandos do
PNEP.

- Realizou-se uma actividade para toda a Escola


em parceria com o Museu Municipal e
Comemorou-se o Dia das Bibliotecas com uma
actividade que teve a participação da Biblioteca
Municipal.

B.3 Impacto do trabalho da -Deu-se um acréscimo no número de - Desenvolveram-se actividades de - Não se terem pensado outras estratégias,
BE nas atitudes e utilizadores em regime de livre acesso que promoção do P.N.L ; leitura- a- pares, como por exemplo, um concurso literário,
competências dos alunos, no fizeram leituras no espaço da BE. guiões de leitura, partilha de gostos e que poderia estimular as actividades de
âmbito da leitura e das opiniões sobre leitura entre os alunos. leitura e a escrita entre os alunos
literacias. - Os alunos recorreram mais à BE para realizar
pesquisas e trabalhos de grupo. - Realizaram-se actividades com
dinamização de vários tipos de leitura.
- 90% dos alunos responderam que as suas
competências de leitura eram excelentes e 10% - Fizeram-se Exercícios de exploração
boas. da leitura com recursos às novas
tecnologias: Hotpotatoes, filmes,
- 100% dos alunos disseram que tinham feito diapositivos, Movie Maker,etc.
progressos ao nível da leitura em comparação
com o início do ano. - Foram feitos trabalhos de escrita
criativa e trabalhos de ilustração e
16

B. Leitura e Literacia

Indicadores Evidências recolhidas Pontos Fortes Identificados Pontos Fracos Identificados

- 100% dos alunos referiram que ler é fácil. dinamização do livro e leitura
(fantoches, livros com reconto e
- 90% dos alunos disseram que a BE contribuiu ilustração das histórias, culinária…).
muito para as suas competências de leitura e
melhoria dos resultados escolares.

- 90% dos docentes assinalaram que o trabalho


da BE contribuiu para desenvolver o gosto pela
leitura, ao nível da compreensão, oralidade e
escrita.

As grelhas de observação mostraram:

- disponibilidade e atenção nas actividades de


leitura propostas;

- competências de nível médio ou bom na


leitura e compreensão de texto e na
interpretação e narração sobre acontecimentos e
personagens.
17

Mas não basta avaliar os frutos do trabalho realizado. É preciso perspectivar


as acções que permitam continuar e melhorar esse trabalho,
independentemente dos resultados já alcançados, informando por esta via,
os objectivos e iniciativas a integrar no Plano de Actividades do ano
seguinte.

No primeiro exemplo dado (ES de Odemira), desenvolveram-se e


perspectivaram-se como possíveis acções de melhoria do Subdomínio
analisado (C.1.):

- Visando o aumento do número de alunos que desenvolvem actividades de


leitura livre na BE, pondera-se a subscrição de mais uma revista de
interesse para os utilizadores;

- Procedeu-se, em Maio de 2008, à disponibilização on-line do catálogo da


BE, embora este ainda se encontre incompleto;

- Reequipou-se (no início do presente ano lectivo) a BE com novos


computadores, aumentando-se o seu número de oito para dez:

- Querendo melhorar os mecanismos de promoção e marketing da BE, está


em preparação uma página da BE na internet, onde, entre outros
conteúdos, se faça a divulgação das iniciativas.

- Aumentar a participação da biblioteca na dinamização de actividades


culturais na escola.

- Produzir instrumentos que permitam melhorar os registos do


planeamento, execução e avaliação das actividades e respectiva avaliação.

No segundo exemplo (EB1/JI de Ferreira do Alentejo), definiram-se, de


acordo com os diferentes indicadores do Domínio B., as seguintes acções de
melhoria:

-Lançar um concurso literário.

- Criar o Blog das BEs.

- Lançar trimestralmente uma Newsletter.

- Actualizar a Página WEB da BE.

- Continuar a dotar a BE de fundos actualizados e de acordo com o gosto


dos utilizadores.

- Criar um Quadro com os + leitores e os 10 livros + requisitados.

- Realizar mais actividades de exploração de ambientes digitais.


18

- Realizar uma exposição no Espaço da BE com os livros existentes e que


são sugeridos pelo P.N.L para os vários anos e elaboração de uma brochura
com as recomendações para a exploração de obras; entrega da listagem do
P.N.L e dos livros existentes nas bibliotecas do Agrupamento aos
professores.

- Tentar, em parceria com Biblioteca Municipal e Departamento Informático


da C.M disponibilizar o Catálogo das BEs.

- Continuar a realizar, em parceria com as turmas, actividades de leitura


para toda a Comunidade (“Encontros ao Serão”, “Semana da leitura”,
“Conversas sobre Abril”).

- Lançar o projecto LER+a2, para envolver os pais e encarregados de


Educação na aquisição de competências de leitura dos nossos alunos.

- Continuar a realizar com regularidade actividades de articulação curricular


e de promoção da leitura para todos os alunos.

Dispensamo-nos de divulgar o nível de desempenho que estas duas


bibliotecas se atribuíram nos aspectos considerados. Este poderia ser,
porventura, um curioso exercício prático, procurando comparar as
descrições feitas com os níveis de desempenho dados pelo Modelo,
situando-as nos níveis 1, 2, 3 ou 4. Dada a qualidade do trabalho
apresentado nos dois exemplos, não seria, contudo, muito difícil
desembaraçarem-se neste caso de mais esta eventual tarefa.

ACTIVIDADE A REALIZAR NO ÂMBITO DESTA SESSÃO

O exercício que vos propomos nesta segunda parte da unidade sobre


a operacionalização do Modelo procura responder a este objectivo, de
estabelecer nexos coerentes entre, por um lado, os indicadores e
respectivos factores críticos, e por outro, os instrumentos, evidências
e acções de melhoria que viabilizam, traduzem e permitem melhorar
a avaliação desses indicadores em cada Domínio ou Subdomínio.

A actividade a realizar consiste no seguinte:

1) Escolha, à sua vontade, um qualquer Subdomínio do Domínio D


do Modelo: Gestão da BE. Se já testou este Domínio o ano
transacto na sua escola (caso seja coordenador/a da BE),
escolha outro que não tenha avaliado.

2) Construa uma tabela idêntica à do exemplo produzido neste


Guia da Sessão (Página 3), copiando:
19

a. para a primeira coluna, os indicadores que integram o


Subdomínio que escolheu;
b. para a segunda coluna, os factores críticos respeitantes a
cada indicador;
c. para a terceira coluna, os instrumentos de recolha de
evidências propostos pelo modelo, ou outros que
considere relevantes.

3) De seguida, aprecie o tipo de instrumentos que indicou e


analise detalhadamente o teor ou tipo de conteúdo desses
instrumentos;

4) Com base nessa análise dos instrumentos, construa na


quarta coluna “frases – tipo” que exemplifiquem as
evidências passíveis de serem obtidas a partir daqueles
instrumentos, para cada um dos indicadores do Subdomínio
escolhido, à semelhança do realizado no exemplo dado na
Página 3.

5) Tendo por base a sua prática empírica de acompanhamento às BES


e/ou o conhecimento directo da BE da Escola a que está afecto ou de
que é o/a coordenador/a, e tendo por objectivo a melhoria dessa/s
BE/s, sugira acerca do Subdomínio por que optou, justificando as suas
sugestões:

• Duas Coisas que considere que a/s BE/s devessem deixar de fazer;

• Duas Coisas que considere que a/s BE/s devessem continuar a fazer;

• Duas Coisas que considere que a/s BE/s devessem começar a fazer.

Coloque até ao final da sessão, os seus trabalhos nos fóruns criados para o
efeito para que todos os colegas possam vê-los, e vice-versa.

Para o efeito, faça dois Posts:

O primeiro, no Fórum 1, para a colocação da Tabela, escrevendo no assunto


do Post apenas a palavra “Tabela” e a indicação do Subdomínio sobre que
se debruçou. Por exemplo: Tabela D.1; Tabela D.2 ou Tabela D.3

O segundo, no Fórum 2, para a colocação das suas propostas, conforme


descrito em 5), escrevendo no assunto do Post apenas a expressão “Acções
Futuras” e a indicação do Subdomínio sobre que se debruçou. Por exemplo:
Acções Futuras D.1; Acções Futuras D.2 ou Acções Futuras D.3

Para que não exista o risco de todos se orientaram para um dado


Subdomínio em detrimento dos outros, solicita-se que, mais uma vez, à
semelhança do que fizeram na sessão anterior, façam uma inscrição prévia
no Fórum 0, que funcionará apenas para este fim, escrevendo no assunto do
Post: Inscrição D.1; Inscrição D.2 ou Inscrição D.3.
20

Na TURMA 1, só são admitidos até um máximo de 8 inscrições por


Subdomínio.

Na TURMA 2, só são admitidos até um máximo de 7 inscrições por


Subdomínio.

Desejamos a todos de continuação de um bom trabalho!

As formadoras