Você está na página 1de 10

24º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental

III-016 – ÍNDICE DE QUALIDADE DE ATERRO DE RESÍDUOS DOS MUNICÍPIOS DE ACARI, JARDIM DO SERIDÓ, CAICÓ E SERRA NEGRA DO NORTE, DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE
Andressa Dantas de Lima(1) Engenheira Civil pela UFRN. Mestranda do Programa de Pós-graduação em Engenharia Sanitária da UFRN – Bolsista CAPES. Anaxsandra da Costa Lima Duarte Engenheira Civil pela UFRN. Mestranda do Programa de Pós-graduação em Engenharia Sanitária da UFRN – Bolsista CAPES. Leonete Cristina de Araújo Ferreira Tecnóloga em Meio Ambiente pelo CEFET-RN. Engenheira Civil pela UFRN. Mestranda do Programa de Pós-graduação em Engenharia Sanitária da UFRN – Bolsista CAPES. Luiz Pereira de Brito Engenheiro Civil pela UFRN. Mestre em Engenharia Química pela UFPB – Campina Grande. Doutor em Engenharia Sanitária pela UPM/Madrid/Espanha. Pós-Doutor em Engenharia Sanitária pela UPC/Barcelona/Espanha. Professor Associado da UFRN/DEC/PPGES. Endereço(1): Rua Teofilândia, 4807 – Bairro Neópolis – Natal – RN – CEP: 59.088-380 – Brasil – Tel: (84) 32071657 – e-mail: andressa@ufrnet.br RESUMO No Brasil os serviços de limpeza urbana são atribuições das administrações municipais. A maioria destas se limita a recolher os resíduos domiciliares de forma nem sempre regular, depositando-os em locais afastados da vista da população, sem maiores cuidados sanitários. Neste trabalho é apresentado um diagnóstico da situação da disposição final de resíduos sólidos dos municípios de Acari, Jardim do Seridó, Caicó e Serra Negra do Norte, localizados no estado do Rio Grande do Norte, classificando os locais em aterros que operam em condições inadequadas, controladas ou adequadas. Para cada município, foram também levantadas as características geotécnicas do local de disposição dos resíduos. Para análise da situação da disposição dos resíduos, foi utilizado o IQR – Índice de Qualidade de Aterro de Resíduos – desenvolvido pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo (IPT) e amplamente utilizado pela CETESB – Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental do Estado de São Paulo para diagnosticar as condições em que se encontram os sistemas de disposição de resíduos sólidos domiciliares em operação. A caracterização geotécnica foi pela classificação dos solos de acordo com o sistema unificado para classificação dos solos. Essa caracterização mostrou que apenas o município de Caicó não apresenta solo adequado para disposição de resíduos, o solo corresponde a uma areia bem graduada, definindo bem o estágio de decomposição da área do aterro, o qual está assentado sobre base cristalina. A avaliação mostrou que, apesar de algumas melhorias na área de disposição do município de Serra Negra do Norte, os índices de qualidade de aterro (IQR) foram muito baixos, o que significa que os resíduos estão sendo dispostos de forma inadequada. PALAVRAS-CHAVE: IQR, Disposição de Resíduos, Aterros.

INTRODUÇÃO Os resíduos sólidos gerados pela atividade cotidiana dos cidadãos, pelos seus hábitos de consumo e pela produção industrial constituem um dos principais problemas vividos pelos centros urbanos. O problema tende a se agravar à medida que a população urbana e a quantidade de resíduos per capita gerada aumentam significativamente, enquanto diminuem as alternativas de áreas para disposição dos resíduos. No Brasil os serviços de limpeza urbana são atribuições das administrações municipais. A maioria destas desconhece as variáveis ambientais correlacionadas com os resíduos sólidos urbanos, importantes para administrar com eficiência e eficácia o setor (DEUS et. al., 2004).

ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental

1

2002 apud IDEMA. ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental 2 . possuírem infra-estrutura adequada – capaz de evitar os danos procedentes desta atividade – têm seu futuro comprometido e são responsáveis pela degradação ambiental das regiões sob sua influência. Utilizando a classificação proposta por Scatena & Tanaka (2000). sendo que Acari está na Microrregião Seridó Oriental e os demais municípios na Microrregião Seridó Ocidental (IDEMA.24º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental Sendo assim. Hospitais – 02 (duas) unidades. sendo destinados ao lixão. Caicó e Serra Negra do Norte. 2004). depositando-os em locais afastados da vista da população. seletivos e hospitalares. Jardim do Seridó. Com relação às formas utilizadas para disposição final dos resíduos sólidos no Brasil. as características geotécnicas do local de disposição dos resíduos e as características sanitárias do município. Deste modo. O objetivo deste trabalho é apresentar um diagnóstico da situação da disposição final de resíduos sólidos dos municípios de Acari. Dentre os problemas oriundos da disposição inadequada de resíduos sólidos. al. pode-se destacar a poluição das águas. no entanto atualmente não está em funcionamento com seu objetivo principal. 2004). totalizando 65 (sessenta e cinco) leitos disponíveis (SESAP/SUS. através de caçambas que coleta os resíduos convencionais. Na maioria dos municípios brasileiros.999 habitantes e de grande porte os municípios com população igual ou maior do que 50.000 habitantes. Neste trabalho também serão levantadas. considera-se de pequeno porte os municípios com menos de 20 000 habitantes. entre elas destacando-se a freqüência de limpeza e coleta dos resíduos e a frota disponível para o transporte. tais como: Postos de Saúde – 10 (dez) unidades. 2006). classificando os locais em aterros que operam em condições inadequadas. Na divisão territorial adotada pelo IBGE com indicação das Mesorregiões e Microrregiões. 18. na busca da sustentabilidade ambiental.000 e 49. do ar e do solo. contudo. Ocorre no local apenas a queima de poda de árvores. O município possui uma usina de compostagem. além da proliferação de vetores. controladas ou adequadas. de pequeno porte. sem maiores cuidados sanitários. os quatro municípios se encontram na Mesorregião Central Potiguar. No município de Acari a limpeza urbana é realizada diariamente. Ao final. de médio porte aqueles com população entre 20. As áreas destinadas a receber toneladas de resíduos sólidos sem. Os resíduos hospitalares provêm dos estabelecimentos de saúde pública.3% fazem uso de aterro controlado e apenas 13. Caicó é classificado como um município de grande porte e os demais. para cada município.1% dos municípios utilizam vazadouros a céu aberto para depositarem seus resíduos. Centros de Saúde – 01 (uma) unidade. a partir de levantamento realizado na última PNSB – Pesquisa Nacional sobre Saneamento Básico.7% informaram que possuem aterros sanitários (BARROS JÚNIOR et. a questão dos resíduos sólidos urbanos se coloca hoje como um dos mais importantes desafios a serem enfrentados pelas municipalidades e pela sociedade de forma geral. localizados no estado do Rio Grande do Norte. Jardim do Seridó.. Caicó e Serra Negra do Norte (Figura 1). são feitas algumas sugestões de melhoria dos aterros tendo em vista a realidade local. realizada pelo IBGE em 2002. MATERIAIS E MÉTODOS Localização e Caracterização das Áreas de Estudo Os municípios escolhidos para a avaliação da qualidade do aterro de resíduos sólidos foram Acari. 63. a administração se limita a recolher os resíduos domiciliares de forma nem sempre regular.

sendo todos destinados ao lixão (Figura 4). foi constatada no local a ausência de recobrimento do lixo e sua queima. tais como: Postos de Saúde – 05 (cinco) unidades. coletando os resíduos convencionais e hospitalares. O local de destino final do lixo do município de Acari está localizado nas coordenadas UTM 758912 e 9284470. No município de Jardim do Seridó a limpeza urbana é realizada diariamente. Os resíduos são dispostos ao longo das laterais de uma via interna que serve com acesso a frente de trabalho (Figura 2). Figura 3: Separação de Resíduos.4 km de núcleos habitacionais.24º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental Figura 1: Localização dos municípios no Seridó norte-riograndense. Figura 2: Disposição dos Resíduos no Lixão e Acesso à Frente de Trabalho. duas vezes por dias e a frota disponível é de dois caminhões. ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental 3 . totalizando 28 (vinte e oito) leitos disponíveis (SESAP/SUS. Hospitais – 01 (uma) unidade. Os resíduos hospitalares provêm dos estabelecimentos de saúde pública. tanto na área próxima ao lixão quanto no seu pátio de disposição. As vias de acesso possuem péssimas condições de tráfego. a uma distância cerca de 4. Além disso. 2004). Centros de Saúde – 01 (uma) unidade. Não foi observada a separação de lixo domiciliar do hospitalar. A área é precária quanto à sinalização e de difícil identificação visual. No que se refere às condições operacionais foi notado a grande quantidade de urubus e moscas. 2002 apud IDEMA. Não existem estruturas de drenagem de águas pluviais e nem do chorume. A presença de catadores pode ser evidenciada pela presença de separação de lixo em sacos e em locais específicos e fezes de animais de tração de carroças (Figura 3).

mantendo contanto direto com o córrego. visto o acesso ruim (sem qualquer tipo de pavimentação ou sinalização). sendo todos destinados ao lixão. As vias de acesso possuem boas condições de tráfego. Figura 7: Acúmulo natural de água como fonte de contaminação. coletando os resíduos convencionais e hospitalares. mas sim a presença de moscas. as características locais são preocupantes. Figura 4: Aspecto Geral do Lixão de Jardim do Seridó e Recolhimento do Lixo pelos Catadores. a uma distância cerca de 1. sendo um trecho asfaltado e outro de piçarra.0 km de núcleos habitacionais. Figura 5: Queima do lixo e frente de Trabalho Figura 6: Disposição de Resíduos Hospitalares no momento da queima. servindo como um córrego poluído que é carreado e possivelmente infiltrado. Os catadores e operadores dos caminhões utilizam-no para algum tipo de lavagem. Apesar de apresentar bom isolamento visual. Além disso. A área é precária quanto à sinalização e de difícil identificação visual. No município de Caicó a limpeza urbana é realizada pela prefeitura que conta com caminhões.2 km de núcleos habitacionais. o que facilita o acúmulo de água de chuva.24º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental O local de destino final do lixo do município de Jardim do Seridó está localizado nas coordenadas UTM 747352 e 9269932. pneus. possui área de 4. O terreno natural apresenta depressões erosivas (voçoroca). imediatamente após usa chegada ao local é colocado em local separado e queimado imediatamente. Não foi observada a presença de urubus. O lixo hospitalar. sendo nenhum controle da operação (Figura 6). borrachas.0 ha e distancia-se cerca de 5. containeres e trator-esteira (com periodicidade de 3 dias) para compactação. que serve também para a proliferação de vetores (Figura 7). entre outros. ossadas de animais mortos. O local de destino final do lixo do município de Caicó está localizado nas coordenadas UTM 7065734 e 9288032. a proximidade do rio Sabugi (Figura 8) e a inexistência de material para ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental 4 . foi constatada no local a ausência de recobrimento do lixo e sua queima (Figura 5). Foram observadas as presenças de lixo convencional. Constatou-se a presença de catadores trabalhando no local sem uso de EPI´s – Equipamentos de Proteção Individual.

estes tanques não são sanitariamente seguros. apesar do acesso calçado e da distância de cursos d’água (tanto subterrâneos quanto superficiais) apresenta características bastante negativas. bandagens. sangue coagulado. restos de alimentos e outros materiais que não entravam em contato com pacientes) são considerados como domiciliares. meios de cultura. visto que o primeiro tanque. isto é devido. não foi observada presença de urubus e moscas. algodão. provavelmente. nenhum cuidado foi tomado. contudo. a uma distância cerca de 3 km de núcleos habitacionais. ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental 5 . localizado nas coordenadas UTM 675756 e 926500. O local. não se encontra lacrado (Figura 10a) e que o tanque em operação não é devidamente impermeabilizado (Figura 10b). filmes fotográficos de raios-X e outros) eram incinerados. a utilização do lixo orgânico como alimento para porcos (lavagem) resulta numa quantidade matéria-prima insuficiente para a produção do composto (SILVA. ao destino dos resíduos provenientes do matadouro ser em outro local. nem à drenagem pluvial. Além disso. agulhas. nem em relação à drenagem do chorume. A implantação desta usina. Além disso. com a vida útil já esgotada. No tocante à drenagem. O lixo hospitalar constituído por resíduos sépticos (seringas. como falta de isolamento visual e de material para recobrimento. Dentro do aterro foi instalada uma “Usina Simplificada de Compostagem de Lixo”. entre eles. gazes. promoveu a implantação de um pátio para separação e seleção do lixo reciclável (Figura 11). O local da destinação final dos resíduos sólidos do município de Serra Negra do Norte é denominado Aterro da Cova do Defunto. tendo a mesma destinação destes. No município de Serra Negra do Norte a disposição dos resíduos é feita pela própria prefeitura. provavelmente devido à falta de estudos sobre a comercialização e aceitação do produto final no mercado consumidor mais próximo. aumento da vida útil do local e geração de renda para os catadores. Já os resíduos assépticos (materiais de escritório. 2001). pode-se observar a presença de moradores (Figura 9) e animais de estimação dentro dos limites do local. 3 vezes por semana. órgãos e tecidos removidos em cirurgias. remédios com prazo de validade vencido. Figura 9: Barracões que servem de moradia permanente para catadores. Figura 8: Rio Sabugi visto do local de destinação dos resíduos sólidos de Caicó.24º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental recobrimento. luvas descartáveis. o que resulta na acumulação da água de chuva em poças. o que trás vários benefícios. Em relação às condições operacionais. cujo funcionamento está comprometido. Contudo. mas devido a reclamação dos moradores da vizinhança (fumaça e maus odores gerados) hoje este resíduo é depositado em tanques ou fossas sépticas. cuja coleta é feita em caçamba coberta com lona.

devida ao Prof.24º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental Figura 10a: Tanque (sem lacre) para resíduos hospitalares sépticos com a vida útil esgotada. de acordo com sua textura e plasticidade. Este sistema ainda baseia-se nas características que indicam qual será o comportamento do solo como material de construção. 1989). Figura 10b: Tanque (sem impermeabilização) para resíduos hospitalares sépticos (em operação). e no grupamento dos solos. Esse sistema é uma ampliação e um aperfeiçoamento na classificação de solos.foi desenvolvido pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas de São Paulo (IPT) e tem sido amplamente utilizado pela CETESB – Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental do Estado de São Paulo para diagnosticar as condições em que se encontram os sistemas de disposição de resíduos sólidos domiciliares em operação. o qual se baseia na identificação dos solos. Arthur Casagrande. de acordo com seu comportamento sob a ação das cargas e das intempéries. a partir de dados e informações ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental 6 . Figura 11: Pátio para separação e seleção do lixo reciclável. (FRAENKEL. Cálculo do IQR (Índice de Qualidade de Aterro de Resíduos) O IQR – Índice de Qualidade de Aterro de Resíduos . visando avaliar o atual estágio das condições do solo e verificando se as mesmas são satisfatórias para aterros de resíduos sólidos. Caracterização geotécnica das áreas de disposição Nas visitas realizadas aos aterros das cidades analisadas foram coletadas amostras para realização de ensaios de caracterização do solo dos respectivos aterros. A classificação dos solos foi realizada através do sistema unificado para classificação dos solos.

2006). estruturais e operacionais de cada instalação. B Æ somatório dos valores obtidos para a infra-estrutura implantada. desse modo. caracterizando-se por um solo pouco permeável. indicado para áreas de disposição de aterros. a utilização de um índice abrangente. O solo de Serra Negra do Norte é GM-GC que corresponde a um pedregulho siltoso e argiloso com areia. composto por uma série de itens com informações sobre as principais características locacionais. C Æ somatório dos valores obtidos para as condições operacionais. totalizando 41 variáveis analisadas. devidamente fundamentado. possibilitando uma avaliação objetiva e consistente das áreas de disposição final. tornando possível. Nesses inventários. de compressibilidade desprezível e apresenta boa trabalhabilidade como material de construção. Quadro 1 – Enquadramento das Instalações de Destinação Final de Resíduos Sólidos Domiciliares em função dos valores de IQR. não é um solo indicado para disposição de resíduos sólidos. de compressibilidade desprezível e apresenta excelente trabalhabilidade como material de construção. nas quais são utilizadas planilhas específicas para a avaliação do IQR. conforme indicado no Quadro 1 (CETESB. permite efetuar uma estimativa confiável das condições ambientais. Em Jardim do Seridó o solo é GM que corresponde a um pedregulho siltoso com areia. Esta caracterização define bem o estágio de decomposição da área do aterro.0 Fonte: CETESB. 2002. visto que o chorume produzido poderá infiltrar para camadas mais profundas.0 Condições Controladas 6. sendo o cálculo do índice determinado utilizando-se a equação 1 apresentada a seguir: IQR = ( A + B + C ) 13 equação (1) Onde: A Æ somatório dos valores obtidos para as características locais da área. al. sendo indicado para áreas de disposição de resíduos. todas as instalações de destinação de resíduos em operação são inspecionadas por técnicos e as informações obtidas são homogeneizadas com a aplicação de um formulário padronizado..1 ≤ IQR ≤ 8. que a metodologia adotada pela CETESB seja utilizada em quaisquer outras áreas. também.0 ≤ IQR ≤ 6. caracterizando-se por um solo pouco permeável. As informações para definição da pontuação são obtidas em vistorias.24º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental coletados em cada um dos municípios paulistas e vem sendo aplicado desde 1997 na elaboração de inventários anuais (MURTA et. que leva em consideração as condições encontradas por ocasião das inspeções. Segundo Verticinco & Coelho (2006). caracterizando-se por um solo pouco permeável. o qual está assentado sobre base cristalina.1 ≤ IQR ≤ 10. RESULTADOS E DISCUSSÕES Caracterização geotécnica das áreas de disposição O solo de Acari foi classificado como GC que corresponde a um pedregulho argiloso com areia. sendo. do tipo checklist. podendo comprometer a qualidade das águas subterrâneas. sendo. A classificação do solo de Caicó foi SW. de baixa compressibilidade e apresenta boa trabalhabilidade como material de construção.0 Condições Adequadas 8. o qual apresenta variação de 0 a 10 e é dividido em três faixas de enquadramento. indicado para áreas de disposição de aterros. Sendo permeável. As informações reunidas e devidamente confrontadas permitem apurar o IQR. de compressibilidade baixa e apresenta boa trabalhabilidade como material de construção. 2002). caracterizando-se por um solo permeável. ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental 7 . que corresponde a uma areia bem graduada. também. IQR ENQUADRAMENTO Condições Inadequadas 0.

respectivamente. cuja operação é a mais próxima da condição controlada. controle de recebimentos de carga e portaria/guarita. de Caicó e de Serra Negra do Norte se deve a presença periódica de trator de esteira. chorume ou gases). Em relação à Infra-estrutura Implantada. O aterro de Serra Negra do Norte foi o melhor classificado. portanto a pior situação de aterro. O êxito parcial dos aterros de Jardim do Seridó. Em seguida está o aterro de Caicó e depois o de Jardim do Seridó. A Figura 13 apresenta o valor do IQR para cada aterro estudado. contudo. No item Características Locais. ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental 8 . As Condições Operacionais são deficitárias em todos os aterros.24º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental Cálculo do IQR (Índice de Qualidade de Aterro de Resíduos) A relação entre os valores máximos possíveis (Condições ótimas) e os valores obtidos pelos aterros de cada município (em cada um dos três itens que compõem o IQR) está apresentada na Figura 12. Em Acari e em Jardim do Seridó. podendo-se destacar que em nenhum deles há recobrimento do lixo. CONDIÇÕES ADEQUADAS CONDIÇÕES CONTROLADAS CONDIÇÕES INADEQUADAS Figura 13: Valor do IQR para cada aterro. pode-se afirmar que os subitens Proximidade de corpo d’água e Isolamento Visual foram os principais responsáveis pelo decréscimo das barras que representam os valores obtidos pelos aterros de Caicó e Serra Negra do Norte. o baixo valor se deve principalmente a presença de urubus e moscas em grandes quantidades. Figura 12: Relação entre os valores obtidos em cada item componente do IQR. todos os aterros tiveram obtiveram valores bem próximos ao máximo possível. constituindo. todos os aterros foram avaliados negativamente. Neste item. O menor valor obtido foi em Acari. visto que nenhum deles atende aos requisitos de drenagem (águas pluviais. indicando que os quatro aterros analisados se encontram na faixa de condições inadequadas de operação (lixão). Em Caicó (menor valor obtido) a situação é mais crítica devido à constatação de que os catadores residem e criam animais no próprio aterro.

sua operacionalidade deve ser melhorada. demonstrando certo interesse pela melhoria do serviço. Serra Negra do Norte Este é o aterro que apresentou melhores condições de operação. comum no nordeste brasileiro) como isolamento visual do aterro. ao fim do dia. já que se encontram em boas condições de tráfego. com incineração destes. 5. Escavar. 3. Assim.24º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental CONCLUSÕES E RECOMENDAÇÕES A avaliação da destinação atual dos resíduos sólidos urbanos dos municípios analisados. Dotar de sinalização as vias de acesso ao aterro. 3. Dotar de sinalização as vias de acesso ao aterro. com equipamentos de proteção individual (EPI’s) como luvas. Para tal. visando atender aos requisitos de um aterro controlado: 1. controlado. evitando o contato dos catadores com esta água. são feitas as seguintes sugestões: 1. 5. trincheiras para aterramento de resíduos. Coleta e destinação diferenciada para resíduos domésticos e hospitalares. apresenta. com estudo do mercado local para a utilização do composto produzido. hidrografia) da atual área de disposição dos resíduos são apropriadas à instalação de um aterro. Reativação da Usina de Compostagem. ressaltando a necessidade de empréstimo do material para recobrimento. Criação de uma cooperativa de trabalhadores na reciclagem do lixo. 4. Coleta e destinação diferenciada para resíduos domésticos e hospitalares. para que atinja as exigências de um aterro controlado. o que significa que os resíduos estão sendo dispostos de forma inadequada. Porém. queima dos resíduos (inclusive os hospitalares) e as condições de trabalho dos catadores devem ser solucionados: 1. 2. mostrou índices de qualidade de aterro (IQR) muito baixos. coibindo a queima destes. entre os municípios estudados. apesar de algumas melhorias na área de disposição do município de Serra Negra do Norte. Controlar a quantidade de resíduos através de uma balança rodoviária para pesagem dos veículos. dando prioridade a um local no qual haja disponibilidade de material para recobrimento. Caicó Por ser considerado um município de grande porte. 4. a melhor condição econômica e a maior necessidade social e sanitária de implantação de um aterro sanitário ou pelo menos. Delimitação da área de disposição dos resíduos no aterro. 6. vestuário apropriado e máscaras. 4. Cobrir as valas ao final de vida útil. de forma sistemática. 3. Assegurar segurança e fiscalização da entrada de pessoas através da construção de guarita. Inativação imediata do lixão. Criação de uma cooperativa de trabalhadores na reciclagem do lixo. Criar condições de trabalho para os catadores. dando treinamento e apoio organizacional para os próprios catadores-moradores do atual lixão. ao fim do dia. tanto por motivos sociais (catadores que moram na área) tanto por causa da iminente contaminação do rio Sabugi. com compactação dos resíduos. com incineração destes. fazendo distinção entre esta e a área para triagem (e armazenamento) do lixo reciclável. 4. com material de empréstimo. Tratamento e destinação adequados para a água pluvial que é acumulada nas voçorocas existentes no terreno. 3. 6. ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental 9 . 2. problemas na drenagem. Recobrimento dos resíduos. 2001): 1. Contudo. 2. botas. Melhoria da frente de trabalho (infra-estrutura viária e drenagem de águas pluviais). As principais conclusões acerca do que foi observado nos locais visitados são: Acari As características físicas (solo. com material de empréstimo. relevo. 5. Recobrimento dos resíduos. Avaliação de uma área adequada para a implantação do aterro. Jardim do Seridó A atual área de disposição do lixo é a segunda utilizada pela prefeitura da cidade. 2. Implantar cerca-viva de Avelós (planta da família das euforbiáceas. Coleta e destinação diferenciada para resíduos domésticos e hospitalares. recomenda-se (SILVA.

2006. Benjamim B. Engenharia Rodoviária. 33 p. BITTENCOURT. Maringá. M. vol.prudente.. http://www. 8.1989. & TANAKA. Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental.06.gov. Disponível em <http://www. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 1. Auditoria Operacional dos Serviços de Coleta e Destinação Final de Resíduos Sólidos Urbanos.24º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 7.pdf acesso em 15. C. VENTICINCO. 9. n. MURTA. n.br/egires/artigos_pdf/IQR. A. ABES – Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental 10 . acesso em 22.gov. Diagnóstico sobre a disposição final dos resíduos sólidos urbanos da cidade de Maringá. R. Inventário Estadual de Resíduos Sólidos Domiciliares: Relatório de 2002. Estado do Paraná. CLARKE. D. Brasil.Instituto de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente. 3. S. 79-84. IDEMA .2006. Aruntho Savastano Neto.gov. 3 ed.2006. 9. L. Impermeabilizar dos tanques de destinação do lixo hospitalar séptico. Uma proposta metodológica e a experiência do TCE/RJ.. Disponível em <http://www.. FREITAS. SCATENA.2006. lacrando-os ao. 7.uem. Brazil: financing and the model of care. C. S. 11. Natal. Redação Antonio Vicente Novaes Jr..8.tce.2006. IBGE – Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística. Equipe Técnica Antonio Vicente Novaes Jr.asp> acesso em 22. V. BARROS.06. Tatiana & COELHO..br/secretarias/idema/anuario. T. OLIVEIRA. 2000.gov. p.PD F acessado em 17. Perfil do seu Município.PDF acesso em: 14. 6.2006. Dissertação de Mestrado.php> Censo demográfico de 2000. M.br/cidadesat/default. A.. Formulação de modelo de gestão integrada de resíduos sólidos urbanos para pequenos municípios da região do Seridó-RN: um estudo de caso. 2. R. 2001. 4. 2002. Disponível em <http://www. 26. [et al]. Rio de Janeiro: Guanabara Dois. J.06. 10. Decentralization of the health care system in the state of Mato Grosso.4. In: Rev Panam Salud Publica. Índice de impacto dos resíduos sólidos urbanos na saúde pública (IIRSP): metodologia e aplicação.Instituto de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente.ibge. BARROS JÚNIOR. 2. CETESB. Emilia Margareth de Melo. ao término da vida útil.br/Docs/ctf/Tecnologia/2004_2/01-385-04%20Carlos%20de%20Barros%20Jr%20%20Diagnostico%20sobre%20a%20disposicao%20Resumo. FRAENKEL.rn. v. S.06. B. Destinar a “Usina Simplificada de Compostagem de Lixo” apenas para a triagem do lixo.. C. São Paulo: CETESB.06. G. 329-334.rn.unesp.. M.asp> acesso em 22. Anuário Estatístico 2004.. João Henrique G.pe. SILVA.br/ secretarias/idema/perfil_municipio.asp?co_arquivo=11&arquivo=OFICINA01_02. Marília.br/xsinaop/adm_arquivo/acesso.. UFRN/PPgES. LUCA. C. 2004. Oswaldo Yoshimi. L. Acta Scientiarum Disponível em: Technology. 5. Revista Engenharia Sanitária e Ambiental: v. DEUS. Outubro. IDEMA . TAVARES. 9. Realizar monitoramento dos serviços executados.06. Aplicação do teste da soma das ordens: relação entre o IQR e a quantidade gerada de resíduos nos municípios do Pontal do Paranapanema. 2004. Disponível em: http://www. 4 – out/dez 2004. no. T. p.242-249. Cidades@: O Brasil município por município. 8.ppg. Manuel Cláudio de Souza. Disponível em: http://www2.

Interesses relacionados