Você está na página 1de 21
Avaliação e Intervenção no Autismo Raquel Carreto, Rosa Santos, Carla Almeida e Patrícia Dâmaso Núcleo
Avaliação e Intervenção no Autismo Raquel Carreto, Rosa Santos, Carla Almeida e Patrícia Dâmaso Núcleo

Avaliação e Intervenção no Autismo

Raquel Carreto, Rosa Santos, Carla Almeida e Patrícia Dâmaso

Núcleo das Perturbações do Espectro do Autismo

Outubro de 2004

1. Critérios de Diagnóstico 2. Avaliação – Protocolo CADIn 3. Estratégias gerais de intervenção
1. Critérios de Diagnóstico 2. Avaliação – Protocolo CADIn 3. Estratégias gerais de intervenção

1. Critérios de Diagnóstico

2. Avaliação – Protocolo CADIn

1. Critérios de Diagnóstico 2. Avaliação – Protocolo CADIn 3. Estratégias gerais de intervenção
1. Critérios de Diagnóstico 2. Avaliação – Protocolo CADIn 3. Estratégias gerais de intervenção
1. Critérios de Diagnóstico 2. Avaliação – Protocolo CADIn 3. Estratégias gerais de intervenção
1. Critérios de Diagnóstico 2. Avaliação – Protocolo CADIn 3. Estratégias gerais de intervenção

3. Estratégias gerais de intervenção

1. Critérios de Diagnóstico 2. Avaliação – Protocolo CADIn 3. Estratégias gerais de intervenção

A criança com Autismo – Critérios de Diagnóstico

DificuldadesDificuldades nana InteracçãoInteracção SocialSocial

na na Interacção Interacção Social Social • Acentuado défice no uso de comportamentos não verbais

• Acentuado défice no uso de comportamentos não verbais (contacto ocular, expressão facial, postura corporal e gestos reguladores da interacção social).

• Incapacidade para desenvolver relações com os companheiros.

• Ausência de tendência espontânea para partilhar com os outros prazeres, interesses ou objectivos (por exemplo, não mostrar, trazer ou indicar objectos de interesse).

• Falta de reciprocidade social ou emocional.

A criança com Autismo – Critérios de Diagnóstico • Atraso ou ausência total de desenvolvimento
A criança com Autismo – Critérios de Diagnóstico • Atraso ou ausência total de desenvolvimento
A criança com Autismo – Critérios de Diagnóstico • Atraso ou ausência total de desenvolvimento

A criança com Autismo – Critérios de Diagnóstico

• Atraso ou ausência total de desenvolvimento da linguagem oral (não acompanhada de tentativas de compensação através de modos alternativos de comunicação, tais como gestos ou mímica).

• Incapacidade na competência para iniciar ou manter uma conversação com os outros.

• Uso estereotipado ou repetitivo da linguagem ou linguagem idiossincrática.

• Ausência de jogo realista, espontâneo, variado, ou de jogo social imitativo.

LimitaçõesLimitações nana ComunicaçãoComunicação

espontâneo, variado, ou de jogo social imitativo. Limitações Limitações na na Comunicação Comunicação

A criança com Autismo – Critérios de Diagnóstico

• Preocupação absorvente por um ou mais padrões estereotipados e restritivos de interesses que resultam anormais, quer na intensidade quer no seu objectivo.

• Adesão, aparentemente inflexível, a rotinas ou rituais específicos, não funcionais.

• Maneirismos motores estereotipados e repetitivos (por exemplo, sacudir ou rodar as mãos ou dedos ou movimentos complexos de todo o corpo).

• Preocupações persistentes com partes de objectos.

• Preocupações persistentes com partes de objectos. Padrões Padrões de de comportamento, comportamento,

PadrõesPadrões dede comportamento,comportamento, interessesinteresses ee actividadesactividades restritos,restritos, repetitivosrepetitivos ee estereotipadosestereotipados

Avaliação – Protocolo CADIn

Entrevista com os pais

Avaliação – Protocolo CADIn Entrevista com os pais ADI-R Autism Diagnostic Interview Orientação geral História

ADI-R Autism Diagnostic Interview

Orientação geral História do desenvolvimento Comunicação e Linguagem Desenvolvimento Social Interesses e condutas atípicos Condutas não especificadas

Avaliação – Protocolo CADIn Avaliação da criança ADOS Autism Diagnostic Observation Schedule
Avaliação – Protocolo CADIn Avaliação da criança ADOS Autism Diagnostic Observation Schedule

Avaliação – Protocolo CADIn

Avaliação da criança

Avaliação – Protocolo CADIn Avaliação da criança ADOS Autism Diagnostic Observation Schedule

ADOS Autism Diagnostic Observation Schedule

Avaliação – Protocolo CADIn Avaliação da criança ADOS Autism Diagnostic Observation Schedule

Avaliação – Protocolo CADIn

Avaliação da criança

Avaliação – Protocolo CADIn Avaliação da criança CARS Childhood Autism Rating Scale Relação com as pessoas

CARS Childhood Autism Rating Scale

Relação com as pessoas Resposta emocional Utilização de objectos Resposta visual Resposta ao paladar, cheiro e tacto Comunicação verbal Nível de actividade Impressão geral

Imitação Movimentos do corpo Adaptação à mudança Resposta auditiva Medo ou ansiedade Comunicação não verbal Nível de consistência da resposta intelectual

Avaliação – Protocolo CADIn

Entrevista com os pais e observação da criança

CADIn Entrevista com os pais e observação da criança CHAT Checklist for Autism Toddlers Sim/Não Sim/Não

CHAT Checklist for Autism Toddlers

Sim/Não Sim/Não 2. Sim/Não Sim/Não 3. Sim/Não Sim/Não 4. Sim/Não Sim/Não Sim/Não
Sim/Não
Sim/Não
2.
Sim/Não
Sim/Não
3.
Sim/Não
Sim/Não
4.
Sim/Não
Sim/Não
Sim/Não

1. O seu filho(a) gosta de ser balanceado, de se sentar no seu joelho e se balançar?

1. Durante a consulta, a criança realizou contacto ocular consigo?

2. . O seu filho(a) interessa-se por outras crianças?

* Chame a atenção da criança, depois aponte para um

objecto interessante e diga “Olha! É um (nomeie o objecto)!” Observe a cara da criança. Ela olha para ver o que está a apontar? Para anotar sim, certifique-se que a criança olha para o objecto e não para a sua mão.

3. O seu filho(a) gosta de subir escadas ou objectos?

4. O seu filho(a) gosta de brincar ao esconde-esconde?

* Chame a atenção da criança, depois ofereça-lhe uma

5. * O seu filho(a) alguma vez brinca ao faz-de-conta,

miniatura de uma chávena e um bule e diga “Consegues fazer um chá?” A criança faz de conta que serve o chá, bebe, etc.? Pode registar sim se a criança brincou ao faz-de-conta em qualquer jogo imaginativo propdsto por si.

por exemplo, fingindo colocar chá de um bule para uma chávena?

O seu filho(a) costuma pedir coisas, apontando com o

6.

dedo indicador

* Diga à criança “Onde está a luz?” ou “Mostra-me a luz.”

A criança aponta para a luz usando o dedo indicador? Se a criança não sabe o que é luz, repita o mesmo tipo de instrução para “Onde está o urso?” ou algum objecto conhecido da criança que está fora do seu alcance. Aponte sim se a criança olhou para si enquanto apontou.

* O seu filho(a) costuma apontar coisas com o dedo

7.

indicador para demonstrar interesse nelas?

8.

objectos pequenos (por exemplo, carrinhos) sem apenas ou morder ou atirar?

O seu filho(a) consegue brincar adequadamente com

5. A criança consegue empilhar cubos? (Se sim, quantos?)

O seu filho(a) leva, por vezes, objectos até si para os

9.

mostrar?

Sim/Não

Sim/Não

Sim/Não

Sim/Não

Sim/Não

Avaliação – Protocolo CADIn

Avaliação Psicoeducacional

Imitação Percepção Motricidade global Desenvolvimento Motricidade fina Funcional Coordenação óculo-manual Realização Verbal

Funcional Coordenação óculo-manual Realização Verbal PEP- R Psychoeducational Profile Relação e afecto Jogo e

PEP- R Psychoeducational Profile

Relação e afecto Jogo e interesse em materiais Comportamento Patológico Modalidades sensoriais Linguagem

Da avaliação à intervenção Avaliação Autismo – Nível de funcionalidade Características comportamentais
Da avaliação à intervenção Avaliação Autismo – Nível de funcionalidade Características comportamentais
Da avaliação à intervenção Avaliação Autismo – Nível de funcionalidade Características comportamentais

Da avaliação à intervenção

Da avaliação à intervenção Avaliação Autismo – Nível de funcionalidade Características comportamentais
Da avaliação à intervenção Avaliação Autismo – Nível de funcionalidade Características comportamentais

Avaliação

Da avaliação à intervenção Avaliação Autismo – Nível de funcionalidade Características comportamentais
Da avaliação à intervenção Avaliação Autismo – Nível de funcionalidade Características comportamentais
Da avaliação à intervenção Avaliação Autismo – Nível de funcionalidade Características comportamentais
Da avaliação à intervenção Avaliação Autismo – Nível de funcionalidade Características comportamentais

Autismo – Nível de funcionalidade

Características comportamentais

Perfil – Competências e Necessidades

Autismo – Nível de funcionalidade Características comportamentais Perfil – Competências e Necessidades
Autismo – Nível de funcionalidade Características comportamentais Perfil – Competências e Necessidades
Intervenção Família Criança Escola Apoio Directo
Intervenção Família Criança Escola Apoio Directo

Intervenção

Família
Família
Criança Escola
Criança
Escola
Apoio Directo
Apoio
Directo

Aplicação de um Sistema de Ensino Estruturado

Est. Visual Rotinas Sistema de Trabalho Horário Individual Estrutura Física
Est. Visual
Rotinas
Sistema de Trabalho
Horário Individual
Estrutura Física

Aplicação de um Sistema deEnsino Estruturado

Estrutura Física

Como me organizo na sala? Onde decorrem as diferentes actividades? Onde se encontram os diferentes
Como me organizo na sala?
Onde decorrem as diferentes actividades?
Onde se encontram os diferentes materiais?
actividades? Onde se encontram os diferentes materiais? Estabelecer zonas Minimizar distracções visuais e

Estabelecer zonas Minimizar distracções visuais e auditivas

Aplicação de um Sistema de Ensino Estruturado Horário Individual O que vou fazer? Onde vou
Aplicação de um Sistema de Ensino Estruturado Horário Individual O que vou fazer? Onde vou

Aplicação de um Sistema de Ensino Estruturado

Horário Individual

O que vou fazer? Onde vou estar? Quando vou fazer?
O que vou fazer?
Onde vou estar?
Quando vou fazer?
O que vou fazer? Onde vou estar? Quando vou fazer? Transição com objectos ou imagens Sequência
O que vou fazer? Onde vou estar? Quando vou fazer? Transição com objectos ou imagens Sequência
O que vou fazer? Onde vou estar? Quando vou fazer? Transição com objectos ou imagens Sequência
O que vou fazer? Onde vou estar? Quando vou fazer? Transição com objectos ou imagens Sequência
O que vou fazer? Onde vou estar? Quando vou fazer? Transição com objectos ou imagens Sequência
O que vou fazer? Onde vou estar? Quando vou fazer? Transição com objectos ou imagens Sequência

Transição com objectos ou imagens Sequência primeiro… depois… Sequência de partes do dia Sequência de todo o dia Cartões com imagens/palavras Imagens ou palavras, em livro

Aplicação de um Sistema de Ensino Estruturado

Sistema de Trabalho

de um Sistema de Ensino Estruturado Sistema de Trabalho O que vou fazer? Quanto tenho para
de um Sistema de Ensino Estruturado Sistema de Trabalho O que vou fazer? Quanto tenho para
O que vou fazer? Quanto tenho para fazer? Quando sei que já terminei? O que
O que vou fazer?
Quanto tenho para fazer?
Quando sei que já terminei?
O que faço depois de terminar?

Código de trabalho Tarefas por fazer – Tarefas cumpridas Articulação com o horário

Aplicação de um Sistema de Ensino Estruturado

Rotinas

Manutenção de uma rotina diária

•Consultar o horário

•Seguir o sistema de trabalho

Estrutura Visual

Favorecer o processamento visual e não o auditivo

o horário •Seguir o sistema de trabalho Estrutura Visual Favorecer o processamento visual e não o

Aplicação de um Sistema de Ensino Estruturado

• Promover a compreensão de situações;

• Gerir expectativas;

• Utilizar as áreas fortes da criança (processamento visual);

• Individualizar as actividades;

• Promover a independência;

• Reduzir os problemas de comportamento;

Aplicação de um Sistema de Ensino Estruturado

- Providenciar um ambiente

• Seguro

• Calmo

• Organizado

• Previsível

- Oferecer rotinas diárias;

• Criando horários

• Introduzindo escolhas

- Promover mudanças

• Preparando a criança

• Gradualmente

diárias; • Criando horários • Introduzindo escolhas - Promover mudanças • Preparando a criança • Gradualmente

Aplicação de um Sistema de Ensino Estruturado

- Oferecer actividades

• De modo a que a criança entenda o que se pretende da tarefa, quando esta começa e quando acaba;

• Modificadas para irem ao encontro dos interesses e necessidades da criança.

-

Comunicar

• Através de uma linguagem simples;

• Utilizando instruções correctas, directas e explícitas, suportadas por pistas visuais;

• Oferecendo tempo para a criança responder;

• Sendo sensível às tentativas da criança de comunicar

As As PEA PEA envolvem envolvem problemas problemas complexos complexos que que afectam afectam as

AsAs PEAPEA envolvemenvolvem problemasproblemas complexoscomplexos queque afectamafectam asas criançascrianças ee asas suassuas famíliasfamílias dede variadasvariadas formasformas

afectam as as crianças crianças e e as as suas suas famílias famílias de de variadas
afectam as as crianças crianças e e as as suas suas famílias famílias de de variadas