Você está na página 1de 26

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUI-UESPI

CURSOS DE LICENCIATURA PLENA-REGIME


ESPECIAL
CURSO: LICENCIATURA PLENA EM
GEOGRAFIA

CRESCIMENTO POPULACIONAL DE BOM JESUS-PI


Altair de oliveira do ó

Bom Jesus (PI), julho de 2006.


UNIVERSIDADE ESTADUAL DO PIAUI-UESPI
CURSOS DE LICENCIATURA PLENA-REGIME
ESPECIAL
CURSO: LICENCIATURA PLENA EM
GEOGRAFIA

CRESCIMENTO DA CIDADE DE BOMJESUS-PI


Altair de oliveira do ó

Monografia exigida como trabalho final de


Conclusão do curso de licenciatura plena em
Geografia-regime especial, da Universidade.
Estadual do Piauí, sob a orientação do Profº.
Reginaldo Muniz Soares.

Bom Jesus (PI), julho de 2006.


CRESCIMENTO POPULACIONAL BOM JESUS
Altair de Oliveira do Ó

Aprovado em____/____/____

BANCA EXAMINADORA

______________________________
Reginaldo Muniz Soares
Graduado em geografia
Presidente

_________________________________
Aldina de Figueiredo Cunha
Pedagoga
Membro

__________________________________
Jose Orlando Piauilino Ferreira
Agrônomo
Membro
Dedicatória

A Deus por ter me iluminado e ter me


dado os pais e irmãos que tenho a
todos os meus amigos, que sempre
estiveram presentes na minha vida.
Epígrafe

“Procurar algo que possa lembrar-te é


admitir que algum dia eu possa
esquecer - te”.
William Sheakspeare
AGRADECIMENTOS

Agradeço a Deus por ter me concedido a graça de ter concluído meu curso
com êxito.

A Universidade Estadual do Piauí por ter proporcionado a oportunidade de


realizar o curso.

As pessoas que, estiveram sempre presentes me apoiando para a conclusão


deste curso.

Aos meus pais que me deram total apoio durante esta jornada.

Aos meus colegas de classe que estiveram presentes nas dificuldades para a
conclusão deste curso.

Aos meus colegas que sempre me incentivaram à nunca desistir de meus


propósitos.
APRESENTACÃO

A cidade de Bom Jesus que tem tendência a se desenvolver mas no


decorrer dos tempos, no inicio de sua historia o mercado consumidor era a
partir da agricultura de subsistência, ou seja, predominava a maioria da
população rural do que a urbana.

Bom Jesus tem passado por um período de rápido crescimento


populacional e econômico em função da expansão na área agrícola. Já na
década de 90, quando alguns produtores de soja vindo da região sul do país
começaram a chegar e cultivar as terras do cerrado sul piauiense, hoje
aproximadamente 220 mil hectares de terra são cultivados nessa região.

Este trabalho tem de como finalidade mostrar como ocorreu esse


desenvolvimento ocorrido na cidade de Bom Jesus levando em conta assim o
consciente do papel histórico reservado à nossa região no desenvolvimento de
nosso Piauí e de nossa região.
RESUMO

O crescimento populacional do mundo pode ser absoluto, que é o numero total


dos moradores de um lugar também chamado de efetivo populacional ou
efetivo demográfico e população relativa., e esse fator que é o crescimento
populacional ocorre também em Bom Jesus – PI, desde o inicio do século
XVIII; localizada no sul do Piauí, Bom Jesus é uma das cidades que mais se
desenvolve nos últimos anos nesta região. Todo este ciclo de crescimento
ocorre desde 1805 quando o velho negro Nicolau Barrense construiu uma
capela de palha onde havia comemorações que atraiam grandes números de
pessoas, onde aos poucos o lugar foi se organizando em um pequeno
povoado, que em conseqüência dessas comemorações esse crescimento
intensificou-se ao ponto de elevar-se à categoria de vila em vinte de dezembro
de 1855 com mais de quatro mil habitantes passando a ser cidade em quinze
de dezembro de 1938 sendo instalada em 1939. O desenvolvimento
populacional e econômico da cidade intensificou-se já na década de 90 com a
expansão da área agrícola hoje aproximadamente 220 mil hectares são
cultivados com soja, arroz, algodão e feijão nessa região, considerada a última
fronteira agrícola do Brasil. No período de 2000 até os dias atuais o índice de
desenvolvimento humano municipal de Bom Jesus é 0,684 segundo a
classificação do PNUD, (Programa das Nações Unidas para o
desenvolvimento) o município está entre as regiões de médio desenvolvimento
humano IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) entre 0,5 e 0,8. As elevadas
taxas de expansão urbana resultam de um movimento migratório positivo nas
zonas rurais para a sede municipal, causando assim a diminuição do índice de
ruralização e acelerando o crescimento urbano.
ABSTRACT

El crescimiento poblacional del mondo se resume en absoluto o relativo.


Absoluto es el numero total de los viventes de un sítio y también es llamado de
efectivo demográfico o efectivo poblacional. Población relativa es también
llamada de densidade demográfica. Ese factor llamado crescimiento
poblacional ocurre en “Bom Jesus” desde el comiezo de siglo XVIII. Bom Jesus
que se encuentra localizado al sul del Piauí es uma ciudad que más se
desarrollo em los últimos años na región. Todo este ciclo de crescimiento viene
desde 1805 cuando um viejo negro Nicolau Barrense que hizo una tiendo de
palla donde havian comemoraciones que atrayan grandes números de
personas. Com el tiempo el sítio fue se organizando en um pequeno poblado.
Em 20 de deciembre de 1855 el poblado de Bom Jesus se fue elevado a villa
com más de 4 mil habitantes, cambiando a ciudad em 15 de deciembre de
1938 y se quedando lista en 1939. El desorrollo poblacional y econômico de
Bom Jesus se cambió más fuerte em la década de 90 com lá expansion de la
área agrícola. Hoy cerca de 220 mil hac. son cultivados com soja arroz y fejón,
nesa region considerada la ultima frontera agrícola del Brasil. En el período de
2000 hasta los dias atuales el índice de desrrollo hummano municipal es 0,684
segun la classificacion del PNUD (Programa de las Nacione Unidas para el
Desarrollo) la ciudad esta entre las regiones consideradas de médio desarrollo
hummano, IDH (Índice de Desarrollo Humano) entre 0,5 e 0,8. Las elevadas
tajas de expansion urbano resultam em um movimiento migratório positivo de
las zonas rurales para la Sede Municipal, causado así la reducion del índice de
ruralizacion y acelerado el crescimiento urbano.
SUMÁRIO

LISTRA DE ILUSTRACOES ......................................... 11

LISTA DE ABREVIATURAS ......................................... 12

LISTA DE ANEXOS .......................................... 13

INTRODUCAO .......................................... 14

1- ASPECTO HISTORICO .......................................... 15

2- ASPECTOS DEMOGRAFICOS.........................................18

2.1- EVOLUCAO 1991-2000 .......................................... 19

2.2- SITUACAO EM 2000 .......................................... 21

3- INFRA EXTRUTURA FISICA .......................................... 22

3.1- ENERGIA .......................................... 22

3.2- ABASTECIMENTO DE AGUA ....................................... 22

3.3- TELECOMUNICACAO .......................................... 23

4- SAUDE-DIMENSAO SOCIAL .......................................... 24

CONCLUSAO .......................................... 25

BIBLIOGRAFIA .......................................... 26

ANEXOS .......................................... 27
LISTA DE ILUSTRAÇÕES

Figura 1: Unidade Escolar Joaquim Parente;

Figura 2: Unidade Escolar Franklin Doria;

Figura 3: Fórum Municipal;

Figura 4: Terminal Rodoviário;

Figura 5: Banco do Brasil;

Figura 6: Escola Normal Helvidio Nunes de Barros;

Figura 7: Correios;

Figura 8: UESPI;

Tabela 1: População por situação de domicilio, 1991 e 2000;

Tabela 2: Distribuição da população de Bom Jesus.


LISTA DE SIGLAS

CEPISA - Centrais Elétricas do Piauí

IDH - Índice de Desenvolvimento Humano

PNUD - Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento

,
LISTA DE ANEXOS

População por situação de domicilio, 1991 e 2000.


Ano 1991 2000
População total 13.912 15.924
Urbana 8.489 10.961
Rural 5.414 4.963
Taxa de urbanização 61,08% 68,83%

Distribuição da população (Dados: 1998).


Localidades N.º de famílias %
Zona urbana 2.251 68,5
Zona rural 1.035 31,5
Total 3.386 100,00
O crescimento populacional do mundo pode ser absoluto ou relativo.
Absoluto é o número total dos moradores do lugar e chamado também de
efetivo populacional ou efetivo demográfico. População relativa é também
chamada de densidade demográfica. Este fator que é o crescimento
populacional ocorre em Bom Jesus desde o inicio do século XVIII. Bom Jesus
que se localiza no sul do Piauí é uma das cidades do estado que mais se
desenvolve nos últimos anos e um dos principais fatores, foi a natureza que
dotou nossa região de riquezas abundantes, que se sobressaem. Hoje, não
apenas em relação ao estado mas ate mesmo em relação ao país e chama a
atenção do mundo desenvolvido.

As características do Vale do Gurguéia, a fertilidade do seu solo, a


abundancia dos recursos hídricos existentes, são potencialidades inatas e que
vem somar-se a sua privilegiada localização no cenário geográfico do país.
Adicionando-se a tudo isso vem o cerrado de acesso extraordinariamente fácil,
pela sua localização e de excepcional qualidade por suas características
topográficas e fertilidade.

Este trabalho e de suma importância para aqueles que não conhecem


como veio este crescimento populacional ocorrido nos últimos anos e vem
crescendo cada vez mais, analisando os principais fatores que influenciaram
diretamente no crescimento e desenvolvimento da cidade de Bom Jesus
mencionando os fatores históricos que ajudaram no desenvolvimento da
cidade; para que tudo isso ficasse claro foi feito um levantamento bibliográfico
da cidade utilizando-se de fontes disponíveis, coletando-se depoimentos de
moradores mais idosos.
1. ASPECTO HISTÓRICO

De acordo com a tradição, Bom Jesus existe como núcleo de


habitação desde o inicio do século XVIII, com o nome de buritizinho. Dizem que
no ano de 1805 residiu aqui um velho negro Nicolau Barrense, que construiu
uma capela de palha, onde o católico convicto fazia novenas em homenagem
ao Senhor Bom Jesus da Boa Sentença.

Com a importância dessas comemorações, atraiu grande numero de


pessoas havendo conseqüentemente um desenvolvimento no setor comercial.
Antes morrer Nicolau fez doação das terras ao santo de sua devoção e a
outras pessoas que aqui vieram residir.

Aos poucos no lugar foi-se organizando um pequeno povoado, em


torno da capelinha construída pelo preto lendário.
“As sociedades humanas criam ou
constrói espaços para viver
garantir a sua existência”.
Adas (2003, pág.33).

Dado o progresso da localidade, conselho geral da província,em 1883,


solicitou ao governo imperial de Lisboa a criação da paróquia de bom Jesus da
boa sentença, que só foi efetivada em 1838, trocando-se o nome da paróquia
para Bom Jesus. Cinco anos depois era expedida portaria para execução da
resolução – fixação dos limites entre a nova freguesia e a de Nossa Senhora
do Livramento de Parnaguá, da qual fora desmembrada, tendo como seu
primeiro vigário o Frei José da Conceição Jorge. Como a vila foi crescendo o
Governo do Piauí trouxe à localidade uma usina movida a madeira e a água
(vapor), esta usina era uma fonte de energia; gerava energia para o povoado
mais não era suficiente para todos, nem todos podiam obter esse energia e os
que podiam o limite era de uma lâmpada por casa. A usina foi um meio de
geração de empregos e muitos moradores do local que por sua vez só viviam
de garimpo e da pecuária. No passar dos anos a usina se fechou, e depois
desta foram criadas mais duas usinas que foi fundada por Cristino Castro
beneficiadas voltadas para o algodão onde trouxe um maior desenvolvimento
desta vila gerando mais emprego e renda.

Em 1853 a Jurisdição paroquial de Bom Jesus já contava com 4.186


habitantes. Pela Resolução nº 897, de 20 de dezembro de 1855, foi o povoado
elevado à categoria de Vila, com os mesmo limites da Paróquia, a qual só foi
instalada a 25 de março de 1859.

A 15 de junho de 1875 foi criada a Comarca de Bom Jesus, decisão


expressa na Lei nº 897, sendo extinta em 1902. em 1908, foi restaurada
novamente. O primeiro Centenário da criação dessa Comarca foi celebrado em
15 de junho de 1975.

Em 20 de junho de 1920, Sua Santidade o Papa Bento XV criou a


Prelazia de Bom Jesus do Gurguéia, subordinada à Província Eclesiástica do
Maranhão, tendo como 1º Bispo Prelado D. Frei Pedro Pascal Miguel, da
Ordem Mercedária.

Com data de 15 de dezembro de1938, o Decreto Estadual nº 147


eleva o povoado de Bom Jesus à categoria de cidade, sendo instalada em
1939. Onde vieram residir o senhor chamado Odilon Parente junto com sua
família vinda do Rio de Janeiro, era uma família com grande poderio de terras
na localidade, onde fundou o ginásio “Odilon Parente”, hoje Joaquim Parente
representado na figura 1 que foi uma homenagem dada pela morte de um de
seus irmãos com tal nome. Daí então Odilon resolveu ir embora deixando todas
as suas terras à Igreja, onde o primeiro Bispo Prelado D. Frei Pedro Pascoal
Miguel vendeu praticamente todos esses terrenos e uma grande parte destes é
hoje o centro da cidade.

Em 1957 chegava aqui o Bispo Dom José Vasquez Dias, que, graças
ao seu especial tato político e à sua extraordinária visão do futuro, trouxe ao sul
do Estado do Piauí (especialmente a região de bom Jesus), um enorme
crescimento, considerado o marasmo em que vivia a região. Seus esforços
foram voltados, especialmente, para a educação, onde cuidou para a
educação, onde para que paróquia alguma ficasse sem a sua rede de ensino.
Durante a administração da cidade o prefeito Davi Martins Araújo Costa
(1938/1974) instalou uma usina de pilar arroz na cidade; logo após José
Lustosa Elvas Filho (1951/1955) fez um posto de saúde onde se localizava na
saída da cidade em sentido a Floriano; veio Albérico da Costa Rosal
(1963/1967) foi o fundador da Unidade Escolar Franklin Dória ilustrado na
figura 2 nos anos de (1967/1969) Josué Parente Lustosa em sua
administração inaugurou o mercado de Bom Jesus no Natal de 1969 onde hoje
se encontra o Fórum Municipal ilustrado na figura 3 No ano de 1973, Adelmar
Moreno Benvindo iniciou a pavimentação da cidade e em 1992 construiu o
Terminal Rodoviário ilustrado na figura 4 no ano de 2000/2004, Marcos
Antonio Elvas Coelho revolucionou a agricultura local apoiando a exploração do
cerrado bom-jesuense gerando centenas de emprego direto e indireto. Essas
foram algumas das importantes participações políticas que contribuíram para o
desenvolvimento de Bom Jesus.
2. ASPECTOS DEMOGRÁFICOS

Bom Jesus

Área → 5709,1km2
Densidade Demográfica → 2,8hab/Km2

No período 1991-2000, a população de bom Jesus teve uma taxa


média de crescimento anual de 1,57%, passando de 13.912 em 1991 para
15.924 em 2000 representados na tabela 1.

A taxa de urbanização cresceu 12,69%, passando de 61,08% em 1991


para 68,83% em 2000. Em 2000, a população do município representara 0,56%
da população do estado e 0,01% da população do país.

A renda per-capita média do município cresceu 34,60%, passando de


R$ 98,18 em 1991 para R$ 132,15 em 2000. a pobreza (medida pela proporção
de pessoas com renda domiciliar per capitã inferior a R$ 75,50 equivalente à
metade do salário mínimo vigente em agosto de 2000) diminuiu 19,19%,
passando de 78,0% em 1991 para 63,0% em 2000. A desigualdade diminuiu: o
índice de Gini passou de 0,74% em 1991 para 0,65% em 2000.
2.1. EVOLUÇÃO 1991 – 2000.

No período 1991 – 2000, o índice de desenvolvimento humano (IDH –


M) de Bom Jesus cresceu 14,57%, passando de 0,597 em 1991 para 0,684 em
2000.

A dimensão que mais contribuiu para este crescimento foi a educação,


com 50,4% seguida de longevidade com 30,4% e pela renda, com 19,2%.

Neste período, o hiato de desenvolvimento humano(a distância entre o


IDH do município e o limite máximo do IDH, ou seja, 1 – IDH) foi reduzido em
21,6%.

Se mantivesse essa taxa de crescimento do IDH-M, o município levaria


18,8 anos para alcançar São Caetano do Sul(SP), o município com o melhor
IDH-M do Brasil (0,919) e 7,2 anos para alcançar Teresina(PI) o município com
o melhor IDH do estado (0,766).

Segundo o senso de 1998, o município de bom Jesus tinha 14.484


habitantes sendo 9.373 na zona urbana e 5.111na zona rural.

Mesmo tendo sofrido desmembramento recente, Bom Jesus continua


sendo o principal núcleo urbano da sua micro região.

A população de bom Jesus apresentou um crescimento continuou


progressivo atravéz dos últimos anos. No decênio de 1.950/1.960, a taxa media
geométrica anual correspondeu a 1,1% elevando-se para 1,8% no decênio
seguinte, de 1.960/1.970.

“De acordo com o Banco do Nordeste, as elevadas


taxas de expansão urbana resulta em um movimento
migratório positivo das zonas rurais para a sede
municipal, acusando assim a diminuição do índice de
ruralização acelerado urbano”
(1996, Pág.14)
Esse crescimento progressivo se verificou mas na população urbana,
que apresentou incremento anual de 4,9% no período intercensitário de 1.950 a
1.960, registrando-se o aumento de 6,1% ao ano no decênio seguinte,
1.960/1.970. o ritmo de evolução da população rural não foi tão acentuado
quanto ao crescimento do quadro urbano. O incremento de 1.950/1.960 foi de
apenas 0,5%ao ano, elevando-se a 0,7% em 1.960/1.970; na década de 70/80,
crescem 3,7% sendo que, segundo dados de 1.980, 33,88% correspondia, à
época, a população com menos de 10 anos enquanto 28,8% era de adultos
economicamente ativos a ruralizacão, à época, correspondia a 62,72% da
população. Já no período de 80/91, a população cresceu a uma taxa de 2,1% e
assou a representar 0,70% da população estadual. Apesar do movimento
emigratório característicos dos municípios do interior nordestino em direção as
grandes cidades, mormente Brasília e são Paulo, desde a década de 70/80 a
taxa de migração foi positiva quando os registros apontam 8,38% positivos no
movimento migratório do município (saída de 1.171 e entrada de 2.002)
pessoas tendências que se vem acentuado a „olhos vistos‟, após a
redescoberta do cerrado.

As elevadas taxas de expansão urbana resultam em um movimento


migratório positivo das zonas rurais para a sede municipal, causando assim a
diminuição do índice de ruralizacao e acelerando o crescimento urbano.

Uma parte da população rural agrupa-se em pequenas povoações,


cuja população varia entre 100 e 600 habitantes. As precárias condições de
comunicação w circulação levam essas populações a uma situação de
isolamento involuntário, a qual, no entanto, vem sendo aliviada nos últimos
anos, graça s a um esforço da municipalidade

Essa distribuição de população da cidade segundo os dados de 1998,


diz que na zona urbana havia 2.251 famílias que correspondiam a 68,5% da
população bomjesuense, e na zona rural 1.035 que correspondiam a 31,5% da
população como podemos ver na tabela 2.
2.2. SITUAÇÃO EM 2000.

Em 2000, o índice de desenvolvimento humano municipal de Bom


Jesus é 0,684. segundo a classificação do PNUD, o município está entre as
regiões consideradas de médio desenvolvimento humano (IDH entre 0,5 e 0,8).

Em relação aos outros municípios do Brasil, Bom Jesus apresenta uma


situação intermediária: ocupa a 3.239ª posição, sendo que 3.238 municípios
(58,8%) estão em situação melhor e 22,68 municípios (41,2%) estão em
situação pior ou igual.

Em relação aos outros municípios do estado, Bom Jesus apresenta


uma situação boa: ocupa a 4ª posição, senado que 3 municípios (1,4%) estão
em situação melhor e 217 municípios (98,6%) estão em situação pior ou igual.

Bom Jesus, no Piauí, esta situada entre o grau 2,40” e 11,25” de


longitude ocidental de Greenwich, esta situada no sul do estado do Piauí, ao
norte limita-se com Cristino Castro e o município de Santa Luz; ao sul com
Redenção e Monte Alegre e ao leste com a Bahia na Serra do Gurguéia, e a
oeste com Santa Filomena e o município de Baixa Grande do Ribeiro.

O município de Bom Jesus, apos a emancipação de um distrito


(currais) envolve uma área de 5.709 km², estando integrado à microrregião do
Médio Gurguéia.
3. INFRA-ESTRUTURAS FÍSICAS

O município de Bom Jesus é cortado pela rodovia federal BR-135, que


faz a ligação no sentido sul do país e demais estados do nordeste, com as
mais variadas opções.

Aos municípios de Currais e Baixa Grande do Ribeiro, no sentido


oeste, liga-se através da rodovia PI-084.

Devido ao asfalto da BR 135, que liga o Piauí e todo o nordeste


brasileiro aos estados do centro sul e a capital federal (através de sua malha
rodoviária), Bom Jesus desfruta da invejável situação de servir-se de varias
empresas de transportes rodoviário de grande porte (Transpiauí Princesa do
Sul, Guanabara, Itapemirim, Transbrasiliana e outras, além de várias outras de
registro transporte de cargas)..

3.1. ENERGIA

Bom Jesus é servido pela rede da CEPISA, centrais elétricas do Piauí,


embora de forma precária, como, de restos, todo sul do estado do Piauí.

3.2. ABASTECIMENTO DE ÁGUA

O sistema existente no município atende a 9.000 habitantes na zona


urbana, com ligação de água em 2.289 domicílios e numa rede de 16.603m.

A água se origina em 4 poços tubulares, contando com 3 reservatórios


com capacidade de 409m3 de água, servida sem tratamento.

O município não possui sistema de esgoto, o qual é armazenado em


fossas ou jogado na sarjeta e corre pelo riacho grotão.
3.3. TELECOMUNICAÇÃO

O município e servido pela rede da TELEMAR (inclusive celular), sendo


que as localidades interioranas de Corrente dos Matões, e Piripiri, possuem
postos telefônicos ligados ao sistema da TELEMAR.
4. SAÚDE - DIMENSÃO SOCIAL

Tomando por base os dados da secretaria municipal da saúde, de


novembro de 1998, o município de Bom Jesus registra uma população de
15.775 habitantes, sendo que no ano de 1997 nasceram 349 crianças vivas (e
12 mortes, das quais 9 no interior e 3 na área urbana). O sistema de saúde é
precário e poucos médicos residem no local, não havendo especialistas em
muitas áreas, como cardiologista, oftalmologistas, pediatra etc.
5- BIBLIOGRAFIA

ADAS, Melhem Construção do espaço geográfico brasileiro. 2003

DAMIANI, Amélia. População e geografia. São Paulo contexto. 1991

MOURA, IRACILDE, M. editora FTD.1995

RAPOSO, Fernando Cascón / História da Paróquia de Bom Jesus da Boa


Sentença. 142 P. ilustradas. 2004.

http://pt.wikidipeia.org/wiki/Bom_Jesus_(Piaui%C3%AD)
CONCLUSÃO

Ao concluirmos este trabalho, e notável que o desenvolvimento de bom


Jesus, se encaixa no hall dos melhores do Piauí pois o seu IDH(índice de
desenvolvimento humano) ocupa a 4ª posição no nosso estado. Percebemos
também que os cerrados e de grande influencia nesse desenvolvimento,
apesar do mal uso do meio ambiente, traz emprego e renda aos municípios e
aos imigrantes que ultimamente aqui residem.