Você está na página 1de 36

1-Á Primeira Vista

Outro dia do meu ano como uma "Aluna".


Não que esta fosse a minha vez que eu era uma júnior na escola, longe disso. Isto era tudo muito chato e
repetitivo - fora da parte social - não era como se alguém se aproxime de nós .- seres humanos não eram tão
estúpidos, mas gostava de exibir minhas roupas perfeitas não que alguém compreendesse o meu talento ara
moda, mas de qualquer forma.
Nós sempre nos sentávamos na mesma mesa e tentávamos fingir ser normais e "misturar" ênfase na parte que
diz "tentar".
Hoje não era um bom dia. Eu estava desconfortável tentando encontrar qualquer indício que a teimosia
poderia de Jasper's se transformaria em uma catastrofe.
Eu não precisava uma das minhas visões anormais e nem sempre precisas Para saber que jasper estava
sentindo dor, a dor queimante da sede.
Não é a mesma que queimava na parte de trás da minha garganta, por exemplo, a qual tinhamos nos
acostomado, que nos tornava que eramos. Diferente dos outros da nossa espécie. Não é a dor com a qual nós
tinhamos de lidar no cotidiano, quando um humano passava por nós a ou algo soprava seu cheiro na nossa
direção, não era esse tipo de dor.
era uma dor escruciate que tornava impossível resistir à tentação, e ainda mais impossível de controlarmos
nossos intintos naturais que faziam parte de quem éramos, tanto quanto nossas próprias escolhas.
Odiava vê-lo assim, mas nos últimos mais ou menos cinqüenta anos, que nós estávamos juntos tivanhamos
aprendido a respeitar os limites um do outro. Esta era uma fronteira eu não podia atravessar. Orgulho. Ele
precisava de se certificar de que ele era forte, que controlava a sede como o resto de nós. Realmente não
importava para nós quanto tempo ele poderia ficar sem caçar. Não fazia nenhuma diferença, não mudava
nada. Mas parecia ser muito importante para ele.
Sabíamos que era mais difícil para ele, do que era para nós. A campaixão de Carlisle não só o fez capaz de
jamais ter se alimantado de um humano como também de na presença de sangue humano sem perder o
controle nem se quer um pouco. Esme nasceu para ser mãe e por isso ela nunca faria alguém passar pela
mesma dor que ela tinha esperimantado - Perder seu bebê recém-nascido. Rosalie não tivenha escolhido esta
vida e faria qualquer coisa para ser mais humana. Emmett amava Rosalie e nossa família. Edward podia ler os
pensamentos de suas vítimas, e entre nós era ele que acreditava nas teorias de Carlisle - Se ele pudesse ter
uma possibilidade de ter uma alma ele apostaria nela. Quanto a mim eu não queria nunca mais ver o meu
futuro da minha vítima desaparecer na minha frente ou dissapontar nosso pai. Jasper, bem ... Antes de eu ter
visto que ele estaria me procurando - e eu o encontrasse antes que ele pudesse sequer ter conhecimento do
mesmo. Ele havia levado uma vida diferente, uma vida onde a esperança não existia e ele não conhecia nada
além disso - Assim como eu antes de ter uma visão de Carlisle e da qual seria então a minha futura família.
Ele tinha escolhido esta vida, porque ele sepre me seguiria pra onde quer que eu fosse, e porque ele era capaz
de se sentir exatamente como sua presa se sentia. Ele tinha que mostrar que ele era bom nisso, ele tinha que
mostrar que ele foi feito para esta vida e, acima de tudo que ele era destinado a estar comigo. Outra fronteira
que eu não podia atravessar, mesmo para mostrar a ele o quão desnecessário isso realmente era. Ele era minha
alma gêmea; se nós realmente tivéssemos uma alma ... meu amante, amigo, atencioso marido, protetor, a
minha existência, meu futuro.
Aqui ele estava ao meu lado rígido como uma pedra, eu cotinuei acompanhando cada segundo. Tentando
encontrar algum perigo. Eu tinha que concentrar duro. Eu estava tentando predizer o que aconteceria a cada
segundo ou menos.
Tentei fingir como se eu estivesse no meu humor regular, eu não queria mostrar que eu estava acompanhando
ele. Mas eu não podia segurar minha ansiedade. Eu precisava de ajuda.
Eu olhei para meus irmãos, só para ver Edward no seu tédio habitual, eu sabia que ele odiava essa coisa de vir
para a escola secundária mais do que qualquer um de nós ... Rosalie desfrutava dos profundos suspiros, e
olhares equanto passava. Emmett, bem... ele era apenas Emmett - ele sempre estava extraordinariamente feliz
com tudo. Eu gostava de ajudar os seres humanos com a minhas penquenas previsões nem sempre exatas. Eu
não poderia interferir sempre, eu não poderia vê-los tão quanto nossa própria espécie.
Olhar para o meu irmão fez com que eu me sentise ainda pior do que eu já estava ... Edward era a carta do
baralho que sobrava. Eu queria tanto saber o que estava acontecendo na mente de Jasper. Eu também não
poderia deixá-lo apanhar-me pensando sobre a sua solidão. Eu era geralmente boa em esconder alguns dos
meus pensamentos dele,não que eu me incomodasse com o seu talento psíquico. Eu tinha me acostumado a
"falta de privacidade", como ele havia nomeado. Acontece que isso vinha a calhar em tempos como este,
quando precisávamos de ter uma "conversa particular".
Nós raramente eramos apanhados fazendo isto, e agora eu tinha de ser mais cautelosa Eu não queria magoar
os sentimentos de jasper. Então, sem olhar em sua direção e tentando parecer como se eu não estivesse
fazendo nada em particular, brincando um pouco com a minha bandeja cenográfica, eu chamei o nome dele na
minha mente. Edward? Ele manteve seus olhos na faixada e não olhou para mim mas mesmo assim eu sabia
que ele tinha me ouvido, sempre que alguém chamava o seu nome, ele tinha que tentar arduamente não virar a
cabeça de uma vez. Como ele está segurando as pontas? Ele curvou os cantos dos lábios muito pouco para
que ninguém notasse a nossa pequena conversa. Eu sabia a resposta como se tivesse sido dita em voz alta
"não muito bem".

Eu já sabia, mas eu ainda esperava que eu estivesse errada. Eu ousei olhar para Jasper do canto dos meus
olhos e vi sua expressão pesarosa. Senti um caroço na minha garganta. Sentia-me impotente. Eu não tinha tido
quaisquer visões acerca de eventuais catástrofes hoje, na verdade a única visão que tive e fora há algum tempo
era sobre uma nova aluna , filha do Chefe Swan, para ser mais precisa, que estaria se mudando para a cidade,
hoje realmente era seu primeiro dia , Isabella Swan. Eu engoli o caroço esperando que Jasper não tivesse
notado a mudança no meu humor - de horrível para pior.
Existe algum perigo? Eu pensei, outra pergunta para o meu irmão. E continuei a varredura do futuro de Jasper
por qualquer acontecimento. A expressão de Edward - mesmo que não percebida pelos outros não me
enganava ele estava incomodado. Procurei novamente, mas não havia nada, nada de importante ... Quero dizer
nada perigoso.
Tudo que eu podia ver era uma vaga imagem

de Jasper e eu caçando esta tarde. Vaga, porque ele não tinha tomado sua decisão, ainda, mas eu tinha feito a
minha; Não havia sentido em fazê-lo sofrer assim. Ele não tinha nada a provar especialmente não para mim, e
Carlisle compreenderia, como ele sempre fazia.
Edward olhou para os tijolos como se ele estivesse seguindo alguns padrões neles, mas eu sabia que ele estava
balançando a cabeça. Eu relaxei um pouco. Se Jasper perdesse o controle não sei como lidaria com isso, além
de eu não querer me mudar de Forks. Eu gostava daqui . Nós todos gostávamos.
Ele já tinha passado por muito sofrimento, mais do que ele merecia. Ele não precisava de mais, havia pago o
que "devia".
Tentei focar-me no meu humor, antes que ele pudesse sentir a minha preocupação e quase desespero.
Me conte se ficar muito ruim. Pedi a Edward em meus pensamentos.
Ele acentiu com os olhos.
E eu me permiti olhar brevemente meu amado irmão. Eu devia tanto a ele por isso. Ele não gostava de roubar
a nossa privacidade, sempre que podia. Ele tentava não se concentrar nos nossos pensamentos, para não
parece rude. Ele sempre foi um cavalheiro.
Senti-me tão feliz por ele ter feito isso para mim, mesmo não gostando. Obrigado por fazer isto. Se eu tivesse
tido um irmão na minha vida humana - o que não sabia porque eu não me lembrava de nada - Edward teria
sido exatamento o irmão que eu teria desejado.
Tentei concentrar-me nesses pensamentos, porque eles mehoraram meu humor um pouco; mas nunca parei no
montorar Jasper. Eu vi uma garota caminhando e ficando em pé perto de nós - Nenhum problema - Eu achei.
De qualquer maneira, não teríamos muito tempo. Ela já estava vindo em nossa direção. Suponho ela tinha
decidido trocar fofocas com seus amigos. Mais de um minuto depois - Os seres humanos são tão lentos! -
Aqui ela estava. Mais perto, do que eu esperava. Muito perto! Ela decidiu pentear o cabelo dela com os dedos.
oh por favor, não! Eu pedi em meus pensamentos. Eu poderia tê-la segurado e arrastado para fora do
refeitório em um piscar de olhos, mas então eu supuz que não seria muito sutil. Iria chamar a atenção a
velocidade nada humana, não havia nada que eu pudesse fazer. Seria apenas um décimo de segundo antes que
ela realmente fizeses isso. Enquanto ela corria seus dedos por seus cabelos finos o aquecedor enviou um golpe
de seu cheiro para nós.
Senti Jasper endurecer ao meu lado e uma péssima imagem me veio a mente. Não foi como uma decisão, era
mais como um desejo, a imagem ainda era fraca.
Eu levantei minha mão para colocar em seu joelho - para predê-lo ali. Edward foi mais rápido, ele chutou sua
cadeira. Jasper olhou para ele - mesmo sem poder ver seus olhos eu sabia como eles seriam - Vergonha - a
nuvem que os atravessava todas as vezes que ele se sentia fraco.
"Desculpe" ele murmurou.
Tinha que conforta-lo. Meus instintos foram mais fortes aqui, então eu me esqueci da fronteira.
"Você não ia fazer nada" Eu disse sob minha respiração. Eu não gostava de mentir, mas isto foi uma mentira
leve não faria nenhum mal. "Eu pude ver isso."
Notei uma pequena dobra no canto da boca de Edward que eu sabia que ele estava tentando esconder. Rezei
que ele não deixasse escapar.
Tinha de lhe agradecer em dobro agora, fazer alguma coisa para lhe agradecer, pagar esses dois favores esta
manhã. Talvez um presetinho. E eu empurrei o pensamento para fora antes que ele pudesse lê-lo em minha
mente.
Ele estava protegendo o meu segredo. Nós eramos parceiros.
Esperando não estar piorando as coisas. Eu virei para Japer mais uma vez. " Ajuda se você vê-los como
pessoas" eu disse muito baixo para que ninguém, além dos meus irmãos ouvisse . "O nome dela é Whitney ela
tem uma irmãzinha que ela adora. A mãe dela convidou Esme para aquela festa ao ar livre. Você se lembra? "
"Eu sei quem ela é" ele disse virando-se para o outro lado. Sim, eu tinha atravessado a fronteira.
Feliz agora, Alice? Eu pensei.
Eu não devia tê-lo precionado de qualquer forma.
A tentativa de animá-lo tinha sido uma má ideia. Foi além do que ele podia aguentar naquele momento.
Eu me levantei - fingindo colocar minha bandeja de volta no lugar - desesperada para sair de lá. Eu
normalmente me forçava a engolir, pelo menos uma mordida de alguma coisa, mas hoje eu não estava de bom
humor para a fingir ser humana; com Jasper estando assim, todos os meus esforços estavem em fugir dali.
Antes que eu arrumasse uma brig com Jasper ou antes que ele percebesse a alteração no meu humor - agora
ainda e se culpar-se por isso.
Foi muito duro manter um ritmo normal enquanto eu saía pela porta traseira. Esperava que ninguém estivesse
olhando, porque se estivessem les talvez notassem que eu era graciosa e rápida demais, mesmo pra uma
bailarina.
Enquanto eu saía pela porta traseira eu não pude evitar ouvir uma conversa sobre nós.
"Aqules são Edward e Emmett Cullen, e Rosalie e Jasper Hale. A que saiu foi Alice Cullen; todos eles vivem
com o Dr. Cullen e sua esposa. "
Eu reconheci a voz de Jessica Stanley ela estava contando a fofoca sobre os "esquisitões" para a filha do
chefe.
Eu continuei andando e até que a sua voz se tornou fraca e então desapareceu quando eu estava no meio do
estacionamento.
Eu precisava de algum ar fresco antes de minha próxima aula. Eu deixar o ar húmido entrar em meus pulmões
e, em seguida, tomei um gole para ver se ele limpava o caroço na minha garganta.
Era bom. Fechei os olhos esperando parar de pensar no que eu tinha feito. I tentei varrer o meu futuro, para ter
certeza eu nunca iria fazer com que Jasper se cansasse de mim. As mil possibilidades me faziam sentir-me
bem. Não importava o caminho que tomássemos; sempre estáriamos juntos.
Eu me me concentrei para tentar saborear cada um deles. Jasper e eu, nossa familia. todos os futuros eram
bastante gradáveis. Então, eu notei uma imagem em especial - uma possibilidade, no meu futuro eu não tinha
visto antes de hoje.
"Ah .." Eu inspiei por ar, enquanto prcurava apoio contra o carro - para impedir-me de cair de cara no chão -
um vampiro caindo? - Foi tão ruim assim. Um vampiro caindo que loucura!
Eu não tinha realmente pretado muita atenção na nova garota, mas na minha visão fraca esta menina era uma
... Eu não podia sequer pensar racionalmente. Isso simplesmente não podia ser! Estava o meu dom fazendo
piada comigo?
Pedia eu ter perdido algo tão grande a vista? Será que ela era ... Será que ela era uma ... Será que ela era um
de nós? Não! Claro que não!
Nosso cheiro era fácil de reconhecer, para além do mais se houvesse um vampiro na nossa escola - na mesma
sala nós - eu teria notado, com certeza, assim como os outros. Eu teria tido uma visão.
Aqui ela estava nesta imagem abominavelmente agradável, Tirada dos meu segredos mais obscuros e
combinando-os com os meus piores pesadelos. Ela tinha pele pálida de giz e olhos vermelhos. Não havia
enganemos, ela era uma deslumbrante vampira de tirar o fôlego. Segurando a minha mão como se fossemos
melhores amigas. Seu sorriso era tão grande e eu não podia aceditas ter visto meu sorriso recíproco, era como
... como ... isso não era possível. Essa mas não podia ser Isabella. Uma vampira. Minha melhor amiga.
Ela tinha notado alguma coisa sobre nós? Eu fuia lavada pelas emoçoes miastas que essa imagem me trouxe.
No fundo eu me sentia ...Aliviada ...por assacinar uma humana? Não! Eu não podia.
Tive de correr de lá antes Edward pudesse ler meus pensamentos, e descobrir o monstro que eu realmente era.
O mostro que esta imagem provou-me ser.
Um minuto atrás, estávamos preocupados jasper matando um humano, e eu etaria aqui quebrando o tratado e
criando um novo vampiro, tirando a sua vida fora.
Afaste-se daqui, Alice. Agora! Ordenei a mim mesma - Não completamente recuperada.
Não me preocupei o suficiente para verificar se alguém estava olhando. Eu estava na borda da floresta, de
qualquer forma. Corri passado por árvores humidas e deixei a água borrifar no meu rosto enquando eu
passava pela floresta suficientemente longe - Esperando que Edward não me ouvisse a este ponto - Forcei-me
a parar, sentei em um tronco de uma árvore procurando por apoio . Ele estaria em sua biologia aula agora.
Eu tentei fazer algum sentido da imagem na minha cabeça. Fato um: Isabella era uma vampira. Nenhuma
dúvida sobre isso.
Tentei lembrar da outra visão, a primeira que eu havia tido. Isabella chegando em Forks. A alegria do seu pai.
Isto me trouxe ao fato número dois; Ela não era um vampira. Ainda.
Fato três: Esta visão não estava muito sólida. Algumas decisões tivenham que ser feitas. Minha decisão?
Continuei a pensar. E então perceb que eu já tinha feito a minha decisão. Eu tinha certeza que nunca iria ser
egoísta o suficiente para tirar a vida dela - tão longe disso - não para cumprir algo que eu queria ter tanto nos
últimos cinquenta anos; Uma amiga.
Eu tinha Rose e Esme e Tanya, mas elas realmente não contavam. Esme era mais como uma mãe do que uma
amiga. Rose .. bem que ela era Rose .. muito auto absorvida para ser uma verdadeira amiga e Tanya ... isso
mal podia ser chamado de amizade. Ela sógrudava em mim sempre que ela visitava - ou que nos visitámos -
porque ela esperava que eu tivesse uma visão sobre ela e Edward juntos, oque era muito improvável - Eu não
precisava de um dom para isso - era carta fora do baralho.
Ele nunca teve uma dúvida sobre a sua decisão nem sequer um pequeno desejo, nem mesmo uma luxúria.
Nem mesmo indecisão, e credite, se houvesse a qualquer possibilidade por mais fraca que fosse de que meu
querido irmão, já não seria um velho amuado e desfrutaria a sua vida - ou não vida - como ele chamava, eu
teria apostado todas as minhas fichas nela. Torceria tanto o quanto eu pudesse, com tudo o que eu tenho. Mas
isso nunca cnteceria. Nem mesmo uma fraca possibilidade.
Eu queria uma amiga mais do que qualquer coisa. Ninguém sabia disto - além de Edward, é claro. Eu não
tinha memórias da minha vida eu não poderia pensar em algo que eu poderia sentir falta, como Rosalie e
Esme. Ser uma vampira era tudo o que eu conhecia.
Este era o meu segredo. Mas eu não faria isso com aquela garota. E se ela sentisse falta? Era uma coisa usar o
nosso vemeno para salvar a vida de alguém, tal como Carlisle tinha feito com Rose e Emmet e mesmo
Edward e Esme. Era outra coisa completamente diferente terminar a vida de alguém como tinha sido feito á
Jasper. Era brutal, e imperdoável, e eu não poderia fazer tal coisa para satisfazer um desejo egoísta.
Eu escaneei o futuro imediato dela para ver se poderia fazer algum sentido da imagem. Seu futuro era como a
transmissão de uma televisão horrível. Não havia nada. Ela não tinha notado nada. Isabela e Mike Newton
iriam para a sua aula de educação física em breve.
Eu suponho que ela estava segura agora - Eu estava longe dela, e devia manter a minha distância. Fazem as
chances dessa amizade mais improváveis. Eu sentia que eu tinha feito a minha decisão. Eu não iria matar
Bella. Certamente que não!
Então eu fiz um varredura de seu futuro. Talvez a imagem tivesse ido embora. Mas isso teria sido fácil
demais. Lá estava um pouco menos fraca do que antes, mas não completamente sólida ainda. Havia tempo
para impedir esta visão? Para impedir que a outra decisão, fosse tomada? E se essa decisão fosse da Isabella?
As perguntas cotinuaram saltando, fazendo minha cabeça girar. Eu deixei minha cabeça cair nas minhas mãos.
A imagem não iria desaparecer. Eu sentei lá, esperando que o chão se abrisse e me levasse para dentro dele.
Então me ocorreu. Enquanto eu estava aqui me escondendo como uma cavarde. Jasper poderia estar em
apuros. Problemas imediatamente maiores que a sua montruosa namorada - ou melhor esposa. Eu corri de
volta para a escola. Quando cheguei à borda da floresta, tentei manter um ritmo humano e, ao mesmo tempo
tentoi manter a imagem fora da minha mente.
Jasper! Talvez ele teria um lapso em seu controle e a morderia. Não! Ele não machucaria ninguém. Quero
dizer eu acho que não machucaria. não é mesmo?
Jasper não vai ferir a menina. Ele não é o montro, Alice. Você é!
Ela estava prestes a ir ao ginásio escoltada por mike newton em apenas um minuto.
Logo queo sino tocou, eu entrei na escola e fui me esconder perto do ginásio só para me certificar de que a
garota realmente tornaria a sua próxima aula. Não demorou muito tempo. Bella estava conversando com Mike
Newton, que parecia estar muito feliz a seu lado. Mas ela parecia .... tão triste que era desolador. Porque ela
estava triste? O que tinha acontecido com ela? Outra coisa que me escapou.
Este rosto era tão diferente do roso nos meus pensamentos horrendos. O belo rosto entertido. Se a decisão que
supostamente seria tomada fosse dela, então não seria assim tão mal, não é?
Mais uma vez eu tentei empurrar a imagem para longe enquanto eu fui para a minha aula. Foi o último
período. Inglês. Eu me apressei para minha aula sentei-me na minha canteira. Eu virei meu foco para Jasper.
Mais uma vez, eu sabia que ele não iria machucá-la. Mas era a melhor maneira de me manter ocupada. A aula
de Inglês certamente não me ocuparia.
Eu continuei de monitorndo Jasper cada segundo, cada movimento, cada respiração. Eu sabia que não era
certo culpar minhas falhas em alguém, ainda mais nele, mas enquanto eu não sabia quais curvas levariam
Isabella a ser uma vampira, queria manter o fato de que eu era uma mostra para mim mesma. Acompanha-lo
não era inútil, porque ele realmente não estava bem. Eu tremei quando eu vi a sua expressão triste na minha
visão. Teríamos que caçar hoje à noite. Então eu fazeria alguma coisa para compensar o incidente da fronteira
ulptrapassada no refeitório.
As horas passavam demasiadamente lentamente. E algo dentro de mim me dizia, que havia alguma mudança a
caminho. Alguma enorme mudança vindo. Pode apostar Isabella Swan - Esta garota que eu nem conhecia -
uma vampira certamente representava alguma mudanças. Quando o sinal tocou, fui direto para o
estacionamento para encontrar os outros. Eu estava muito anciosa para ver Jasper, eu não gosto quando temos
este tipo de discussão pequena, eu sabia que isto não significaria nada mas eu ainda me sentia desconfortável.
Nós raramente discutiamos, nunca discutíamos seria provavelmente uma melhor maneira de descrever isso. A
minha própria ansiedade significou quase nada quando eu vi a cara de Edward. Era ainda pior do que a de
Jasper havia sido. O que tinha acontecido com meu irmão enquanto eu estava focando Jasper? Edward tinha
ouvido que alguém sabia sobre nós? Tinha ele descoberto o que sua propria irmã realmente era? Porque
Edward estaria assim? Ele era sempre tão controlado.
"Edward?" Eu consegui perguntar quando eu estava ao lado dele.
Mas a forma como ele balançou a cabeça para mim foi o suficiente para fazer-me engolir o resto da pergunta.
Meu irmão estava uma bagunça.
Emmet certamente reparou também. "Que diabos aconteceu com você?" Ele disse quando todos nós saltamos
no carro. Emmett ia direto ao ponto na maior parte so tempo. Curto e grosso.

Edward não se incomodou em responder ele simplesmente saiu de lá, logo que Rosalie entrou no carro.
Ele acelerou pra fora do estacionamento e dirigiu como normalmente fazia quando ninguém podia ver. o que
tinha acontecido tinha sido demais para ele manter a coisa de "parecer humano".
Senti todos os olhos em mim. Todos questionando-me se eu sabia o que estava acontecendo. Eu não tinha
nenhuma resposta para eles. Absolutamente nenhuma.
Naquele momento eu invejei ele por ser um leitor de mentes. Eu não podia ler sua mente, eu não poderia
saber o levara a tudo isto. Eu estava - mais uma vez - impotente. Então o óbvio finalmente me ocorreu. Eu
não podia ler sua mente, mas eu podia ver o que ele ia fazer. Isso talvez pudesse me dar uma dica do que tinha
acontecido. Eu olhei pra ele, eu estava no banco bem atrás dele, Procurei por minhas respostas; e essas foram
ainda mais intrigantes. Uma imagem de Edward, na neve - ou sod a neve, na verdade, uma vez que ele estava
parcialmente coberto - atravessou a minha cabeça.
Meu irmão ia embora. Eu não poderia segurar a minha reação "você está partindo" Eu sussurei,
conclusivamente.
Três pares de olhos se voltaram para ele de uma vez. Eu desejei não ter dito nada.
"Estou??", ele perguntou perguntou trincando os dentes.
Eu tentei entender o que poderia levar meu irmão a uma decisão de deixar-nos. Deixar nossa família.
Pelo que eu sabia, era eu quem deveria partit, após o que eu tinha visto. Eu era uma covarde. Eu tentei
ornanizar meus pensamentos, Havia uma possibilidade que eu não tinha considerado ainda. Edward! A
possibilidade era Edward. Talvez não fosse eu quem a transformaria em uma... Não ia ser eu a machucar
Isabella. Seria Edward quem o faria.
"Oh" eu deixar sair.
Com este pedaço de informação eu pude colocar as peças juntas. A imagem surgiu em minha mente. O corpo
sem vida de Isabella, meu irmão próximo a ele, seus olhos vermelho brilhante. Os olhos do monstro que meu
irmão não era!
Não, meu irmão não faria isso. Ele não podia! Ela iria ser minha amiga. Era melhor para ela ser uma vampira,
do que morrer. Partir para todo sempre. -Eu ia amar essa garota. Algum dia.
Outra imagem atravessou a minha mente. O que eu supuz ser a casa do pai de Isabella. Ela estava, em uma
pequena cozinha amarela. E meu irmão, assistindo-lhe das sombras. Saindo vagarosamente das sombras. Ela
permanaceu imóvel enquanto o observava. Seus olhos grandes com alguma expressão inigmática. Não era
como medo ... er o mesmo olhar que eu tinha nos olhos quando eu olheva para Jasper. Deslumbre. Ela estava
deslumbrada? Em face a morte?Ela nem mesmo tentaria fugir? Ela era louca? Não ela não poderia estar. Não
se ela soubesse o que Edward estava prestes a fazer.

Ele levantou a mão e segurou seu pescoço. Se eu não soubesse eu teria pensado que ia beijá-la. Então,
extamente como eu esperava a luz refletiu seus dentes e eles desapareceram em sua delicada pele - "Oh"
veneno foi fluindo na minha boca. Senti meus próprios músculos endurecerem com a imagem quase sólida de
meu irmão assassinando a novata da nossa escola, sem qualquer senso de moda.
"Pare!" Ele rugiu. As imagens na minha mente eram explícitas demais para ele. Elas estavam o machucando
além do que ele era capaz de suportar.
"Eu sinto muito" Eu realmente sentia, por ambos. Fazendo-o sentir mal, e também por aquilo que ele era
talvez fosse fazer.
Pensei na outra imagem que eu tinha visto e lhe mostrei seu outro caminho. Ele não teria que fazer qualquer
coisa ruim. Ele tinha uma escolha. Uma rodovia a neve caindo e o vento soprando por todo o lado. O meu
alívio, não durou muito.
"Eu vou sentir saudades." Sabia que ele precisava fazer isso, mas eu não queria ficar longe do meu irmão.
"Não importa quão curto seja o tempo que você ficará afastado"

Os olhos de Jasper estavam em mim. Emmett e Rose trocavam olhares tentando encontrar algum sentido nisso
tudo.
Eu sentiria falta dele, para não mencionar o que isto faria a Esme. Eu queria que ele pensasse que não seria
por muito tempo. Mas eu não estava tão certa assim.

Estávamos quase em casa e eu não queria que ele tivesse que enfrentar Esme, e ele teria de dizer a Carlisle
que ele iria partir.
"Deixe-nos aqui" Eu disse a ele. "Você deve contar a Carlisle pessoalmente."
Ele acentiu e parou o carro de uma vez jogando meu corpo rígido um pouco pra frente.
Eu lebrei antes que de sair ", você irá fazer a coisa certa, ela é a única família de Charlie Swan isso iria matá-
lo também" Eu sabia que isto era um pouco cruel demais, eu sabia que ele já estava bastante envergonhado
com uma vida em suas mãos. Embora fosse a verdade. Chefe Swan tinha sido abandonado por sua mulher - a
mãe de Isabella - Isabella era a sua posse mais valiosa. Ele amava sua filha mais do que sua própria vida, na
verdade ela era a sua vida.
"Sim" Ele respondeu quando saía do carro.
Eu sabia que ele iria fazer a coisa certa. Carlisle também ficaria magoado se ele a matasse. Ele não culparia
Edward, mas ele seria machucado.
Edward dirigiu em direção a cidade acelerando por todo o caminho. Minhas visons não me ajudavam a ter
certeza. Eu estava muito ansiosa para ir para dentro. Eu sentei proximo ao lago tentando antecipar algo.
Talvez ele fosse precisar de mim para detê-lo ou até mesmo limpar provas depois. Eu não poderia pensar
assim. Eu sabia que ele iria fazer a coisa certa. Se qualquer um de nós tinha uma alma Edward e Carlisle eram
certamente os mais prováveis. Eu tinha me alimentado em seres humanos, mas só quando eu não conhecia
outraopção, mas logo que tive a visão de Carlisle e sua família, minha família, eu notei que tinha outra opção.
Mas havia sid eu quem tinha feito todos aqueles futuros desaparecerem bem diante dos meus olhos.
Desaparecer por causa do que eu sou.
Após dois minutos de mil visões controversas piscando em minha mente, uma sólida imagem apareceu. Meu
irmão iria, de verdade, ele ia pra Denali, mas no caminho ele teria tempo para pensar, porque ele iria ficar sem
gasolina. Tempo para pensar, mais tempo para pensar, não era uma boa idéia. Não quando Edward estava
lutando conta seus instintos.
Eu alcance o telefone na minha mochila e disquei o número, embora continuando a varedura das imagens na
minha cabeça. O telefone nem sequer tocou uma única vez.
"Carlisle, Edward está a caminho para vê-lo. Ele precisará do seu carro "
Estou certa de que ele tinha um monte de perguntas, mas pelo tom da minha voz ele reparou que não havia
tempo suficiente para elas.
A imagem ficou tão brilhante como o sol. Meu irmão enterrado em um monte de neve em Denali. Ninguém
morreria, pelo menos não nos próximos dias. Ninguém morto, pelo menos não assassinados por qualquer um
de nós.
Tanya não ficaria tão feliz com estas notícias? Ela teria tempo para dar encima do meu irmão tentando fazer
ele mudar de idéia sem obter nenhum sucesso.

Respirei fundo antes de entrar na casa para enfrentar Esme e os milhares de perguntas de minha família.

2. Livro Aberto

A casa nunca esteve tão vazia.


Depois que enfrentei as perguntas da minha família- Feliz por todos não pderem ler mentes, porque eu não
tinha dito-lhes toda a verdade.
Eu não tinha contado a eles sobre Isabella se tornar uma vampira que ainda era um futuro possível. Não
estava certa de que este seria uma boa idéia. Eu estava tendo problemas raciocinando o que eu tinha visto.
Fui para o quarto do meu irmão para captar um pouco de seu cheiro apenas para sentir-mem pouco mais a
falta dele .Eu estava sozinha lá em cima. Rose, Emmet e Jasper tinham ido em uma viagem de caça.
Esme e Carlisle decidiram ficar em caso de qualquer notícia de Edward. Eu decidi não ir, porque eu não
queria que Jasper tivesse que lidar com minhas emoções. Estava triste por meu irmão não estar aqui, confusa
com as imagens na minha cabeça, com medo do que estava por vir. Era demais para ele. Ele não precisava
lidar com isso. Até o retorno de Edward eu teria que aprender lidar com isso, teria que aprender a me
controlar um pouco melhor.
Esme estava trabalhando la embaixo em alguns projetos para a ilha Esme, um presente dado a ela por Carlisle.
Ela queria voltar a fazer algumas das decorações. Tentei me ocupar limpando todos os armários, mas isso não
demorou muito. Fui dar um mergulho no lago e eu decidi pegar o carro de Edward emprestado Edward para
algo que sempre me animava. Compras!
Eu saltei para dentro do carro e fui para Seattle eu não queria ir muito longe, ainda preferindo fazer compras
em Beverly Hills. Eu prometi a mim mesma uma visita à Milão a disneylândia dos amantes de moda. No
caminho tive uma visão um que me fez desviar cerca de 4 metros na estrada. Nenhum carro estava vindo - se
houvesse carros próximos eu obviamente não teria sequer um arranhão, eu não podia dizer o mesmo sobre as
pessoas envolvidas, ou sobre o Volvo prata.
Estacionei para pensar no que eu acabara de ver. Eu não estava procurando por algo em particular, só me
perguntava se haveria qualquer notícia de Edward esta noite, embora eu soubesse que não.
Edward estava exposto ao sol em uma abertura na floresta em minha visão. Seu peito nu brilhando sob a uz do
sol. Meu irmão estava satisfeito, diferente do velho solitário irritado que ele era. E não estava sozinho.
Próximo a ele a figura borrada de uma menina. Isabella. Ambos estavam felizes. Eles pareciam estar muito
próximos. Edward teria prazer em estar perto Isabella, algum dia. Aqui estava a fraca possibilidade que Tanya
nunca tinha tido. Aqui estava a possibilidade que tinha procurado. Edward aproveitava a presença de Isabella,
ou pelo menos ele iria um dia, em breve.
Edward! Eu não pude esconder o meu sorriso. Me escapuliu uma pequena risada. Meu contamento durou
pouco e foi substituído pelas complicações que isso iria trazer. Seu sangue era apelativo demaus para ele. Ele
teria que se afeiçoar muito a essa garota para manter-se assim perto dela.
"Ah"
Isabella estava adicionando mais vampiros a sua coleção de amigos. Virei a chave na ignição e acelerei
encantada pela nova conclusão. Isabella se tornar ou não uma vampira não já me incomadava tanto. Meu
irmão ia gostar dela. Foi o suficiente para que me senti-se esperançosa.
Eu cantava junto com a música, era um lista de musicas bem alegres, era incrível como meu humor havia sido
alterado devido a essa pouca esperança. A esperança que eu teria uma amiga, esperança que o meu irmão não
seria tão sozino. Gostaria de saber quando iria voltar. Logo conclui de uma vez. Breve.
A noite estava bonita. O céu estava bem limpo. Eu mal podia esperar para ir ao shopping. O estacionamento
não estava tão lotado. Eu estacionei em uma vaga próxima à entrada principal. Tive sorte! Eu tinha visto um
jovem casal sair dois muutos antes que o fizessem.
Que alegria! Haveria um casal feliz hoje! O cavalheiro ia propor, logo que ele pudesse levá-la para algum
lugar mais privado com velas e cheiro de flores. Eu não pude evitar, pensar em como a noite seria longa, sem
jaspe. Eu não estava acostumada a passar a noite sozinha. Eu fiz uma careta. Eu já sinta muito a falta dele.
Minha meia existência sendo que o termo alma gêmea pssivelmente não era muito adequado.
Eu entrei no shopping e notei algumas pessoas olharem fixadamente para mim. Eu estava habituada as
reaçoes dos humanos á nós. Mas senoque raramente eu estava sozinha eu não tinha notado tais reaçoes a mim.
Acho que os seres humanos são mais sutis sobre suas emoções quando senhoras estão ladeadas por um
cavalheiro bem alto - Nunca reparei que suas reacções eram tão ruins. Eu ri pra mim mesma quand pensei o
que aconteceria se vissem Rosalie - Sem Emmett naturalmente. Se jasper era intimidante, Emmett era o medo
em pessoa. Que imagens Edward iria ver em suas mentes! Rosalie teria adoraria esse tipo de coisa. Atenção,
devoção, colisões e e aguns pequenos desastres. Eu estava rindo novamente.
Minha família. Eu estava sentindo muito a falta deles. Todos elaes. Era tão estranho ter na nossa familia
espalada assim, nós tínhamos muito laços fortes . O nosso peculiar modo de viver, peculiar aos da nossa
espécie que escolheram conduzir uma vida diferente, tornava mais fácil nossas relações serem baseadas em
amor e eu amava a minha família. De modo incondicional.
Fui em várias lojas para compras coisas de garota. Todos os brilhos, detalhes, decotes e roupas extravagantes
que Rosalie amava vestir. Algumas peças "estilosas" que eu gostava de se vestir. Sapatos! Eu escolhi um
monte deles até demais. Salvatore era o melhor!
Nada aqui era muito chamativo para mim - apenas uns vestidos vestidos e um par de calças vintage. Como eu
disse, precisava de uma viagem a um lugar elegante desesperdamente. Voltei para o carro algumas vezes para
colocar as sacolas. Eu poderia carregar todas elas de uma vez só, elas não estavam pesadas de maneira
alguma. Apenas imaginei que iria chamar muita atenção.
Então eu peguei alguns acessórios para os meninos. Era mais difícil de fazer compras para eles, do que era
para Rosalie. Portanto, isso levou apenas uma viagem até o carro. Cada coisa que eu escolhi para eles fez o
meu coração ficar ainda mais pequeno. Eu estava pensando profundamente quando algo me chamou a
atenção.
Uau! Uma vitrine com algumas peças muito elegantes de clara.
Os meninos adorariam isso! Eu estava no céu, ou talvez em um hotel cinco estrelas no inferno. Pensei.
Entrei na loja, A morena caminhou e direção a mim medindo-me da cabeça aos pés. Eu imaginei que ela
achou que eu sequer tivesse dinheiro para comprar um par de meias na loja.
Ah, se ela apenas soubesse que ela tinha coisas mais graves para se preocupar em relação a mim.
Não que ela pudesse fazer qualquer comentário sobre a minha roupa. Ou devo dizer a minha arte? Preferia
novos designers ascendentes, porque era quando eles estavam em seu nível de mais alto de inpiração artística.
Eu estava usando um vestido preto feito de um tecido leve com alguns pequenos e muito detalhado desenhos
artesanais feitos de cristais brilhantes na cor cinza, jeans, uma faixa preta por cima do vestido e um par de
sapatos pretos brilhantes com um laço sobre eles. Tinha "modista" para ele. Diferente do que tinha na vitrine
que era simples, mas muito elegante.Exatamente o tipo de roupas que Emmett adora. Ela saudou-me, por
baixo da sua respiração com um toque de arrogância em seu tomga. Eu nem me ncomodei em responder a
saudação.
Eu separei cinco camisas, blusas e 4 pulôvers, 6 pares de jeans, um boné, 2 cintos e 7 camisetas, ela manteve
seus olhos em mimo nunca se preocupando em ser muito simpática. Eu não precisava ter o dom de Edward
para saber que ela ainda pensava que eu estava fazendo compras na loja errada.
Talvez eu estivesse! Eu nunca tinha comprado nada nesta loja antes. Qual era mesmo o nome dela? Alguma
coisa com tres letras que era agora polular entre os adolescentes. Eu não me importava. Eles tinham o as
roupas que Emmett gostava. Eu também encontrei alguns jeans para jasper e algumas calças cáqui.
A vendedora decidiu que ela iria falar com o gerente, porque ela estava começando a pensar que eu era louca
e ela iria quebrar loja - Eu poderia se quisesse. Se eu pressionasse os cabides um pouco mais difícil eles se
transformariam em nada sob meus dedos. Porem essa não foi a parte mais divertida, a parte que me enterteu.
Fiquei encantada quando vi a imagem do gerente em seu futuro próximo. que era a gerente nesse caso.
Angelina. Que mundo pequeno! Deixe-a falar com Angelina. Isso seria interessante. Eu sorri com o
pensamento do rosto de Angelina quando visse o alvoraceiro.
A vendedora suspirou fundo enquanto eu separava mais alguas roupas brancas para Carlisle a ainda mais
algumas para Edward, pra quando ele voltasse. Ela caminhou para a parte de traz da loja para chamar
reforços. Não demorou muito antes que Angelina saísse. Ela me fitou e a minha pilha de rupasque estava
ainda maior agora. Um sorriso sarcástico - que não iria durar muito - sobre o rosto da menina.
Angelina Quando me viu e reconheceu-me de uma só vez, evidentemente - Tina sido eu quem tinha
conseguido para ela seu primeiro trabalho na loja de vestidos para festas quando ela era uma estudante de
moda, que acabara de vir de Londres, até então, não havia mudado muito que ela não era famosa ainda, mas
um dia ela seria - Uma imagem passou através de minha mente. As vendedora em uma minúscula sala numa
casa móvel. Sete pessoas estavam todos amarrotados no pequeno espaço, um homem gordo e sem camisa
esava gritando com ela. Ela estava chorando segurando um papel azul nas mãos. A casa móvel era muito
humilde, para não dizer pior. O homem gordo levantou a mão e a acetou na face da menina. Eu aperta meus
punhos com raiva.
Esta bela garota, com todas as sua arrogacia humana e desnesesária - levava uma vida e miserble e precisava
muito do trabalho. Muito. Ela tinha pensado que eu não seria capaz de comprar uma meia naquela loja, e aqui
eu estava olhando para sua realidade. Eu não pude evitar sentir-me triste com toda a sua pobreza. Enojada
com o monstro com o qual ela tinha que conviver.

Esta bela garota humana arrogante. Seria despedida. Seu destino estava em minhas mãos.
"Alice Cullen, É uma honra ter você aqui" Angelina disse com uma voz muito animada e encantada."
"Angelina, não é bom ver você? E olhe para você! Você está ótima! Eu não sabia que você não estava mais
trabalhando com Pierre. " Eu me esforcei para manter minha voz em seu tom alto habitual.
"Sim, Pierre. Ele está bem, mas me foi oferecida uma posição melhor aqui. Estou economizando dinheiro para
abrir meu próprio atelier. É ótimo tê-la aqui, Alice. Eu ainda tive oportunidades suficientes para te agradecer o
que você fez por mim, ajudando-me a encontrar o meu primeiro trabalho quase dois anos atrás. Você estava
tão bonita quando nos conhecemos em Londres, e você... "
"Pare! Angelina, isso não é nescessário, você não tem que me agradecer. Agradeça a você mesma e ao seu
carisma" Eu olhei para a menina. Ela, também, poderia agradecer seu carisma - ou melhor a sua falta de
carisma - pelo seu próprio desastre.
"Se você acha então. Não vou mencionar. Você encontrou alguma coisa interessante? "Ela perguntou puxando
umas calças da arara. "Estas acabaram de chegar. Vai ser a tendência para a temporada" Eu não tinha interesse
nenhum no que ela estava me mostrando. Seu gosto para moda não batia com o meu.
"Pode deixar que eu ajudo a mim mesma. Muito obrigada. " eu sorri para confirmar.
"Ok, então, sinta-se em casa. Se você precisar de alguma coisa, não hesite em perguntar. Kristen um
champagne para Srta Cullen. Rápido! "Ela ordenou uma menina que estava trazendo algumas roupas dos
vestiários para colocá-las de volta nas prateleiras.
A menina tropeçou enquanto tentava se livrar das roupas para me servir o champagne.
"Isso é totalmente desnesessário. Muito obrigada, eu estou dirigindo esta noite. "não havia sentido em dizer a
ela que o champagne barato tinha gosto de lama para mim.
"Tem certeza, Alice? Água, café, chá, talvez um refrigerante? "
Eu afirmei com a cabeça e disse "Absoluta"
A menina estava tão tensa que ela parecia em choque. Ela parecia como se ela não fosse ser capaz de se
mover pela próxima década. Os seres humanos nunca ficavam tão rigidos como ela estava agora.
A imagem estava mais sólida na minha mente agora. Angelina virou-se para encara-la. "Becky podemos ter
uma conversa por favor?"
A garota parecia estar prestes a desmaiar. Eu não podia deixar isto acontecer ela precisava do trabalho. Além
disso eu achava que ela havia aprendido sua lição.
Angelina virou-se para mim novamente
"Mais uma vez, por favor deixe-nos saber se pudermos ajudá-la com qualquer coisa. Tenho certeza que você
gostaria que alguém lhe ajudasse com suas sacolas. "
Aí estava a minha chance de ajudar a garota. A menina que havia se precipitado ao me julgar. Mas quem
poderia culpar ela? Eu mal parecia ter 17 anos. Eu era tão pequena que poderia passar por uma menina de
quinze anos bem desenvolvida qualquer dia.
"Angelina, Se você não se importa, de fato, estou sozinha. Você seria tão gentil em deixar Becky me ajudar,
isso seria muito bom. Ela foi tão útil e eu realmente gostaria se ela pudesse me ajudar. "Eu podia ver confusão
através de seus olhos.
"Er .. Humn. Ótimo, então. "A imagem em minha mente ficando mais fosca. Ela não estava certa do que tinha
acontecido. No fundo da sua consiência ela ainda pensava que a menina, cujo nome eu já sabia, tinha
maltratado uma de suas melhores clientes, e também alguém a quem ela pensava que devia um favor.
"Obrigado Angelina, você tem um belo conjunto de meninas aqui. Estou muito impressionada ainda melhor
do que o grupo de Pierre " ela estava lisonjeada e a imagem desapareceu de uma vez por todas! Finalmente. A
menina com a face verde pesarosa esava a salvo. Eu sabia que Angelina nunca negara um pedido meu.
"Eu espero ver você volte com mais freqüência!"
"Certamente" Era realmente difícil encontrar roupas para Emmett. Ele era a pessoa que arruinava suas roupas
mais rápidamete.

Ela foi embora com um grande sorriso em seu rosto. A menina ainda parecia que ia vomitar. Ainda estava em
choque, mas eu não me incomodei. Eu peguei a roupa que tinha separado. Duas meninas estavam me
ajudando ao meu primeiro movimento. "Pode deixar que a gente carrega isso." Uma delas com cabelo
vermelho e curto disse sorrindo.

Entreguei meu cartão de crédito para a menina do caixa. Ela olhou o cartão de crédito e, em seguida, para
mim com a boca aberta. "Você encontrou tudo o que precisava?" Ela perguntou tentando ser útil.
"Sim, obrigada." Na verdade eu não tinha eu ainda precisava comprar um presente para Edward. Algo para
compensar dois favores especiais pelos quais me sentia muito grata. Edward era uma pessoa difícil de
presentear. Eu peguei algumas sacolas e a garota pegou o resto delas. Talvez elas fossem muito pesadas para
ela. Claro que não eram pesadas para mim. Pensei sobre o cenário por um momento. A menina arrogante
parecia uma mula agora,um burrinho de carga. Eu contei as sacolas. Havia 16 delas com. Sim isso seria muito
peso para uma humana. Eu fui para o carro com a garota muda logo atrás de mim. Eu cruzei a porta e não
pude conter meus pensamentos, pensar na situação de vida dessa menina.
E se eu tivesse uma vida indigente como a dela quando eu era um ser humano? Ela, obviamente, precisava do
emprego. Eu tinha feito a coisa certa evitando que ela fosse despedida.
Cada movimento do seu corpo revelava vergonha. Chagamos ao carro em um ritmo lento e humano. Eu abri o
portamalas arrumei as sacolas que eu carregava lá. Coloquei o resto no banco traseiro.
A menina limpou a garganta e engoliu sonoramente respirando profundamente antes de falar. "Obrigado, eu
quero dizer. Eu sinto muito por - "
"Será que sente, realmente?" Eu não estava sendo irónica Eu tinha esperança que ela tinha aprendido a sua
lição.
"Você não tem idéia. Mas, por que você fez isso? Quero dizer que eu não - "
"Não sei" Eu parei ela. Isso era realmente verdade eu não sei por que fiz isso, mas a sua vida já era miserave
demais, pergunto-me quem era o cara gordo. Ele era tão rude e violento. Não sei porque fiz isso acho que a
imagem era chocante demais para mim. "Eu nõ deveria ter-"
"Pare. Não foi grande coisa, não houve qualquer mal feito"
"Obrigada, Se eu perdesse esse emprego meu padastro ia me matar" Seu corpo inteiro tremeu quando ela
disse padastro. O monstro gordo que gostava de bater em mulheres era o seu padrasto.
Olhei para baixo para longe dos seus olhos que continham uma espressão insúpotável de dor.
"Sabe o que é, a Srta. Cullen. Eu realmente preciso deste emprego eu pago pela escola do meus tres irmãos
mais novos. Minha mãe está doente, ela bebe e fuma o tempo todo. Eu cuido da nossa casa. Eu também
trabalho como garçonete em uma Boate a noite. Não temos tanta sorte. Eu sou a unica que está empregada.
Joe foi despedida do seu emprego "seu corpo inteiro tremeu novamente. Joe com certeza era o padrasto. Que
coisas horríveis ele tiria feito a ela que fazia com que todo seu corpo estremesesse? com nojo? Ele sempre
batia nela? Eu tinha razão para pensar que ele era violento.
"Quem é Joe?" Eu perguntei mesmo tento quase certeza de quem ele era.
"Ele é meu padrasto. Eu sei que você não tem nada a ver com isso e que eu não mereço o que você fez por
mim lá atrás, mas eu realmente lhe sou muito grata. Eu sei que parece ser uma mentira, por causa do meu
comportamento indesculpável, mas eu sinto muito, eu estava tão frustrada que eu não tinha muito vendido
quase nada este mês, e aqui estava outro adolescente para-"Eu tinha fazer isso parar. Ela estava quase se
desmanchando em lágrimas agora. Eu não poderia lidar com isso. "Como eu já disse nenhum mal feito, fique
em paz. Eu entendo, eu entendo mais do que você imagina " eu entendia eu tinha visto a sua casa e todas as
pessoas amassadas nela. E o cara horrível com quem sua mãe namorava.
Confusão atravessou seu rosto. Eu suponho que ela estava tentando imaginar como uma menina rica poderia
relacionar-se com sua vida problemática. Eu vasculhei seu futuro a longo prazo esperando haver alguma
esperança para ela. Orando para que eu não encontrasse algum trágico futuro ...
Nenhum drama aqui era como uma televisão ruim não muito sólido, mas estava lá. Becky recebendo o seu
diploma universitário. Ela festaria feliz e longe daqui. A paisagem parecia california, algum lugar quente. Ela
ficaria bem.
"Você vai mudar seu próprio destino, acredite em mim. Só se apeque aos seus sonhos. Existem estrelas,
mesmo nas noites mais nubladas. " virei-me entrei no carro. Eu não estava com disposição para mais
compras. Eu bati a porta atrás de mim enquanto a garota incredula continuava a me olhar. Eu ainda podia vê-
la quando eu saí do estacionamento. Ela tinha aprendido a sua lição, mas eu também tinha aprendido minha.
Eu precisava de fazer uma paradinha no meu caminho pra casa. Eu fui para a parte pobre da cidade. Haviam
crianças na rua e todos olhavam para o carro enquanto eu dirigia. Não foi difícil encontrar o meu rapaz. Ele
estava na frente da casa móvel. Falando com alguns vizinhos. Eu abri a janela um pouco. Ele iria em um
agradável passeio.
"Ei, Joe." Gritei.
Ele levantou-se e veio até mim.
"qual é gatinha? Veio comprar bagulho?"
Como se porco nojento violento não foi suficiente ele também era um traficante.
"Não, sou uma amiga da Becky e ela me disse que você gosta de uma festinha, se é que você meentende"
Tentei soa sedutora. fiquei ainda mais enojada.
"Você encontrou o cara certo" Ele piscou e mordeu os lábios.
Eu poderia sentir o vemeno na minha boca, mas se eu ia fazer isso eu tinha que fazê-lo da maneira certa. Eu
tinha que controlar-me.
"Entre!" Eu tentei dar um sorriso falso.
Ele redeou o carro.
"que carrão você tem aqui."
Pisei fundo em direção a estrada não estaríamos indo para longe. Ele já estava com medo, agarando-se ao seu
acento.
"Uau! Devagar! Qual é a pressa? "Sua voz tremeu.
"Onde estamos indo?"
"Não a tua mãe nunca te disse para não andar em um carro com estranhos?" Ele riu nervosamente com meu
comentário.
Eu encostei em uma estrada de terra onde ninguém iria nos incomodar. Eu sai do carro na minha velocidade
normal - o que fez comque eu me materializa-se ao seu lado - Eu abri a porta.
"Que diab-" Eu não deixei que ele terminasse sua frase. Eu o arremessei pra fora do carro fazendo com que
ele voasse pel menos uns dez péz no ar. Ele caiu sobre suas costas, ouvi algumas de suas costelas quebrando.
"Então, ouvi dizer que você gosta de bater nas mulheres? Por que você não me bateu? "
"que diabos é você? O que você quer? Fica onge de mim "
"Você está ceto eu sou um tipo de diabo vindo do inferno para fazer da sua vida um pesadelo. Quero dar-lhe o
respeito que você não tem e, não vou ficar longe de você. "
Ele me bateu e eu ouvi o ossos da sua mão se quebrado. Ele xingou algumas vezes mais, e quando o fez. Eu
lhe dei pontapés nas costelas depois o focei a levantar-se.
"Vai acaba com isso logo, me mata, anda rapido. Me mata"ele estava chorando e implorando.
"Não. Isso seria muito fácil para você. Você não vai morrer hoje. Você vai voltar para casa e nunca falar de
nossa pequena festa. Tenho a certeza que você reparou que eu sou um pouco diferente. Eu vou saber se você
dizer a alguem. Se algu dia você contar, eu venho te buscar para uma festa de pelo menos três dias, uma
grande festa rave. Com alguns dos meus amigos que são tão diferentes quanto eu. Eles gostariam de conhecê-
lo, mas sabe o que é? Pode ser que eles não sejam tão bondosos qunto eu sou, Joe ".
"Eu não vou contar. não voaiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii " ele gritou enquanto eu torci o braço dele.
"Você vai machucar alguém novo?" Eu pressionei o braço um pouco mais.
"Nãaaooaaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!" Ele gritou.
Fiz uma varredura do futuro para ter certeza que ele não iria.
Eu o vi indo para casa apos o trabalho. A Família estara vivendo em uma outra casa. Humilde, mas
confortável. Todos eles se sentaria à volta da mesa. As coisas estariam normais. Fiz um scan meu futuro para
ter mais ceteza. As mesmas imagens de Jasper, nossa família e Isabella e eu. Otimo! As coisas sairam como eu
havia planejado. vamo pra casa. Levei-o para casa. Não havia ninguém na rua. Como eu não tinha previsto
sem testemunhas. "Lembre-se caso alguém pergunte, o que houve com você, você foi atrpelado por um carro
e você não se lembra do carro." Ele acentiu ao sair do carro.
Fui para casa pensando no que eu tinha feito. Não era certo, eu poderia ter exposto todos nós. Ele não iria
dizer nada. Ele não era muito corajoso, quando enfrenta um adversário leal.
Era quase uma da manhã quando eu entrei na pasagem tão familiar. Era agradável estar em casa. Eu desejava
meu refúgio.
Fui direto para cima, para o meu quarto. Me arremeissei na cama ... Não que eu dormisse na cama, mas essa
era uma parte muito conveniente de árecer Humano.
Eu separei as roupas que tinha comprado e rapidamente coloquei-as nos os armários aos quais pertenciam.
Quando eu saí do quarto de Rosalie e Emmett Senti seu cheiro fresco no ar. Ele estava de volta! Eu abri a
porta do meu quarto e lá estava ele. Meu amor. Jasper.
Ele já estava na minha frente olhando nos meus olhos como nós, normalmente, faziamos. Nosso momento
mais particular. Seus olhos eram como um rio, claro e profundo, mas quando me permitia ser tomadas por eles
Juro que quase poderia voar. Me sentia como se todo o meu peso fosse inexistente, sentia como a única coisa
que me segurasse aqui fosse este par de olhos dourados olhando de volta para mim.
"Eu sinto m-"
"Não te atrevas a terminar essa frase"
"Se você deseja, que assim seja feito"
"Senti saudades"
"Igualmente" ele tocou meu cotovelo e puxou-me em um beijo apaixonado. Envolvedo-me com seus braços.
O lugar onde ao qual eu pertencia. Desenhando linhas nas minhas costas com as pontas dos seus dedos. Eu
lacei meus braços ao seu redor trazendo-o mais pra perto. Para que jamais ficassemos separados novamente.
Ele puxou um pouco para trás. "Onde você estava?"
"Eu não estava esperando por você então eu fiz umas compras e tive algumas distrações no meu caminho até
aqui."
"Distracções"?
"Sim, uma das vendedoras na loja precisava de ajuda com o seu futuro"
Ele riu e beijou a minha testa. "Você e sua obsessão com arrumar o melhor futuro para todos."
"Ei parece ter funcionado bem para você, não é mesmo?" Eu brinquei.
"Com a maior certeza. Trouxe-me uma estrela cadente. "
"Estrela cadente" Repeti gostando de como soava.
"É, uma surpresa agradável e brilhante. Falando em supresas, fiz algo para você, mas estou certo que você já
sabe. "Eu tinha estado tão ocupada com todo o resto e como tinha certeza que ele não estaria em casa eu não
havia vasculhado o meu futuro imediato. Eu poderia vê-lo muito claramente agora. Havia velas, pétalas de
rosa e uma enorme banheira. A banheira bem do outro lado da parede. "Oh" eu sorri.
"O quê? Você não tinha visto isso? ", Mas ele não me deu nem se quer um momento para responder. Ele
puxou-me novamente naquele beijo e, depois, minha visão se tornou realidade.
Na escola o dia foi longo. Impossìvelmente longo. Isabella olhou para nossa mesa muitas vezes durante o
período do almoço e eu sabia oque ela estava olhando, o lugar vazio do meu irmão. Era tão estranho ver
aquele lugar vazio. Eu ainda não estava certa de exatamente quando meu irmão estaria de volta para casa.
Minhas visões mantidas sempre em mutação. Fiquei esperndo que fosse em breve, a escola era ainda mais
chata sem ele aqui. Isabella sintia falta do meu irmão? O que tinha acontecido que a faria olhar tantas vezes
para nossa mesa? Eles haviam ficado próximos? Não parecia ser verdade. Quando Edward partiu - por causa
dela - ele parecia tão perturbado que ele não sabia que ele se sentiria bem em estar com ela. Eu era a unica
que sabia. Fiquei um pouco irritada porque essa garota era a razão pela qual Edward não estava aqui e a razão
pela qual nossa mãe estava chateada além de qualquer definição.
Esme tinha a todos nós como seus filhos, mas não havia dúvida que ela era mais apegada à Edward. Isso não
significa que ela amava-o mais, somente que ela se preocupava mais com ele. Todo o tempo sozinho, infeliz,
incompleto.
A irritação foi embora quando eu pensei que esta menina seria em breve minha melhor amiga. Ela também
representava uma oportunidade para terminar com a solidão do meu irmão. Essa chance fez co que meu
humor melhorasse consideravelmente e Jasper percebeu rapidamente.
"O que você está vendo?" Ele perguntou enquanto nós iamos para a aula.
Eu não poderia explicar, mas eu não queria mentir e eu dei-lhe uma meia verdade.
"Apenas vendo o futuro de alguns humanos. Sinto-me feliz quando vejo alguns finais felizes que você me
conhece. " Ele olhou para mim e sorriu um sorriso largo.
"Finais felizes" ele sussurrou "nem todos são afortunados como eu sou", disse muito baixo para ninguém
ouvir, excepto talvez Emmett e Rose, mas eles não estavam prestando nenhuma atenção.

Eu o questionei com o meu olhar. Não entendi onde ele queria chegar.

"ah você sabe... uma eternidade ao seu lado mal é o suficiente. Você consegue imagnar uma vida? Fico feliz
por não ter um final feliz e sim ter um começo feliz... um começo com cada por do sol."

Ele me olhou novamente, seus olhos com um brilho diferente era nosso momento particular. Nós não
gostavamos de demonstrações públicas de afeto. Não eram necessárias nescessary. Nós não precisávamos
albsolutamente nada para nos lembrar de como nos sentiamos. Jasper era minha existência e eu era sua por
toda essa existência. Meus lábios se curvaram em um sorriso quando pensei que meu irmão poderia ter uma
existência futura. apesar de que eram duas coisas completamente diferentes sentir-se bem ao lado de alguem e
amar esse alguém. Eu não queria pensar assim. Deixei olhar rápidaente para ela.
O sinal iria tocar em três minutos. Rose ia roubar Jasper essa tarde -compras para as dificaçoes que ela daria
aos carros. O sino soou e nós fomos em direção as nossas proxima aulas.
"Alice você está realmente animada para a suas próximas duas aulas?" Emmett perguntou-me em um tom
sarcástico.
"Porquê?" Fiquei surpresa eu não tinha visto onde Emmett estava querendo chegar com isso. Odeio decisões
de última hora. Eu não posso vê-las.
"Bem, se você não se importa, gostaria de ficar a toa pela casa. Talvez pudéssemos duelar. O que você acha
anãzinha? "Ele deu me deu um largo sorriso.
"Fantástico" Eu não ia batalhar, mas eu não estava com saco para mais aulas hoje.
No caminho pra casa Emmett tentou apostar corrida comigo e eu ganhei. Ele queria uma segunda rondada. é
claro. Emmett nunca poderia perder apenas que ele tinha sempre que queixar-se sobre sua derrota.
"Você é uma pequena trapaceira! Por que você não pode competir justo, pelo menos uma vez em sua
existência? "
"Estou competindo justo" Eu argumentei.
"Está? Então eu aposto que você não vai ver isso chegando. "Ele se lançou no ar, varias vezes repetidas
tentando apanhar-me. E eu estava sempre fugindo. Fingi bocejar, quando aterrizou fazendo um bico enorme.
"Trapaceadores nunca são vencedores, sabia?." Ele saltou em cima de mim, ele foi capaz de me pegar. Tive
algumas imagens que me congelaram no lugar.
Eu suponho que isto significava Edward ainda não tinha feito sua escolha. Eu continuei em ver coisas
diferentes por causa de sua indecisão.
"Emmett, saia agora mesmo de cima da sua irmã!" Esme advertiu da casa. Quebrando o meu "sonho"
"Oh por favor. Estava ficando divertido e a gente já tem que parar? "
"Emmett, agora!" Emmett fezum bico ainda maior, mas fez como ela ordenou. "Por que vocês dois não estão
na escola?"
"Vamos lá,dá um tempo. Não é como se nós fossemos ficar notas ruins. "
"É melhor não tirarem! Mas é bom que você esteja aqui. Preciso de ajuda. Alice? O que é? "Ela preocupou-se
quando viu que eu ainda estava no chão.
"Nada, Esme. Emmett apenas me pegou desatenta. Isso é tudo. "Eu forcei um riso, entanto me colocavao
sobre meus pés. A visão não foi nada muito grave. Foi Edward em pé ao lado de uma cama estreita, assistindo
Isabella em seu sono. Ele era semelhante a um anjo da guarda na minha visão. Eu só tinha congelado no lugar
porque eu tinha medo do que podiria resultar de tal proximidade. A morte por exemplo. Na minha visão ele
nunca se aproximou, ele manteve sua distância assitindo enquanto ela sonhova.
Provavelmente ouvindo seus sonhos.
"Tem certeza?" ela Perguntou.

Eu acenei com a cabeça.


"Eu peguei a trapaceadora, eu peguei a trapaceadora".
"Ei rapazinho. Você está de castigo! "Esme informou.
Eu pude abafar minha risada.
"O que? Isso é tão injusto, você sabia? Quando eu vou parar de ficar de castigo afinal? Eu já sou um cidadão
idoso se você estiver contando em anos humanos, além do que eu não estava duelando sozinho, sabia?. Por
que a pequena trapaceadora não vai ser castigada também? "
"Você já tem uma semana. Você quer duas? "
Ele rugiu enquanto ele entrava. Tal como um adolescente teimoso. Eu ri um pouco mais. Esme estava
suprimindo um sorriso também. A situação era muito engraçada. Um homem feito sendo repreedido pela
nossa "mãe", que parecia mais como uma irmã, do que uma mãe.
"Alice, vai se juntar a nós?" Esme perguntou.
"No que vocês estão trabalhando?"
"Eu estou passando algumas fotos fotos da nossa família pro computador, vou fazer uma surpresa para
Carlisle."
"Fotos"?
"Você não sabia?" Ela perguntou espantada.
"Não, acho tenho um monte de coisas na minha cabeça."
Ela já estava do meu lado. Ela colocou as duas mãos nos meus ombros. "Tem a certeza que não há nada que
você gostaria compartilhar comigo?"
Esme estava ainda mais maternal do que o habitual -, devido a ausência de Edward.
"Não é nada muito sério, é pessoal, você sabe? Assuntos do coração. " Olhei para o chão. Eu não estava
mentindo, mas eu estava perto o suficiente. Ela alisou seus dedos finos e delicados contra minhas bochechas.
Isto fez-me perguntar como minha mãe tinha sido na minha vida humana. Isto enviou uma estranha sensação
através do meu corpo. Eu estava me sentindo mais emocional hoje, eu supuz. Olhei para cima para ver o rosto
da mulher que representava muito mais, do que, uma pessoa que carregava um bebê por nove meses. Esme
ainda nos carregava de alguma forma, e nós nem sequer eramos seus filhos biológicos. Quem quer que a
minha mãe humana tenha sido ela nunca poderia chagar aos pés dessa mulher na minha frente. Eu sentia o
desejo de segurá-la junto a mim. Então eu enterrei meu rosto no seu peito e colocado meus braços em torno da
cintura dela. Ela beijou a minha cabeça e me segurou forte, alisando meus cabelos com os dedos.
Este momento foi tão mágico. Era como se meu coração pudesse sentir-se quente, devido a esta onda de
emoções. A ausência de Edward havia feito om que eu mudase também. Eu queria mostrar a todos como me
sentia. Algo que nem sempre fazia.
"Tudo bem, tudo bem" ela disse como se estvesse ninando um bebê. Percebi que estava soluçando. "Se você
não quer me dizer, vou respeitar a sua privacidade. Mas saiba que estou aqui, caso você mude de idéia. Eu
estou sempre aqui "Ela beijou a minha cabeça mais uma vez. Se eu pudesse produzir lágrimas a blusa dela
estaria encharcada. Eu me afastei para olhar para ela mais uma vez. "Obrigado, muito obrigado, Esme. Por
tudo o que você tem feito por todos nós. Por mim principalmente. Obrigada por tudo o que você e Carlisle
representam para mim. "
"Vocês são meus filhos, Alice. Você e Edward são meus bebês. Emmett é o meu garoto. Jasper e Rosalie são
meus adolescentes, que exigem menos atenção. Não tenho feito nada para você minha menina. Talvez eu
tenha feito muito pouco em comparação com o que você tem feito por mim. "
"Esme ..."
"Deixe-me explicar. Eu pensava que a minha vida tinha acabado porque o meu filho tinha sido tirado de mim.
A criança que eu perdi nunca pode ser substituída. Essa ferida terei enquanto eu viver. Eu não posso me
queixar do que me foi dado no entanto. A escuridão estavame tomando quando o fogo veio me buscar, em vez
de ser arrastada para as trevas, me foi dada outra chance. Eu fui resenteada um marido amoroso, e um grande
filho. Mais tarde, uma linda filha e um outro filho. Mas eu fui escolhida por eles. Mas você ,Alice, quando
você apareceu aqui trazendo Jasper com você. Se eu soube que se eu tivesse uma filha em minha vida eu
queria que ela fosse exatamente como você. Eu sabia que não iria deixá-la partir, antes mesmo que você
dissesse que tinha vindo pra ficar. Eu escolhi você, Alice. Eu escolhi amar você. E eu amo muito. Não me
interprete mal, eu amo todos vocês. Acho que você e seu irmão, me mantem de cabelos em pé. Mas você é
minha menininha. "
Eu beijei suas mãos. "Esto é mais do que eu poderia jamais ter pedido ... Mamãe " Nós rimos juntas.
"Vamos para dentro?" Ela perguntou a sorrir para mim.
"Você se importa se eu te ajudar com as imagens mais tarde?"
"Claro que não."
Fui para o meu quarto e coloquei uma musica . Estava quase na hora da escola terminar. A indecisão de
Edward fazia com que imagens continuassem aparecendo e desaparecendo, me dando dor de cabeça.
Com ele eu longe também era responsável por captar qualquer coisa que pudesse ser uma ameaça para nossa
família. Isto me fazia usar o meu dom mais frequentemente, que que eu já usava normalmente. Oque
significava a cada um octagésimo de segundo ao invés de a cada segundo. A mente de Edward estava uma
bagunça agora.
Eu decidi fazer uma investigação. Eu pulei pela janela, sem pensar no que eu ia fazer. E fui voando pela
floresta. Foi fácil encontrar o meu caminho.
Levei cerca de dois minutos para chegar lá. A casa era humilde, mas aconchegante. Era a casa do chefe Swan.
Eu tinha que ter cuidado Isabella estaria em casa em breve. Eu só estava curiosa para saber mais sobre esta
garota. O minha futura melhor amiga. Eu verifiquei e a porta estava trancada, é claro. Uma porta quebrada
chamaria muito a atenção. Então procurei outro caminho para entrar. Achei uma janela aberta. Eu vasculhei o
quarto para ver qual seria. Bingo! Era o mesmo da minha visão. Foi fácil entrar.
Seu pequeno quarto estava bagunçado. Havia livros e cds empilhados. Eu olhei para o CD, era do linkin park.
Eu comecei a rir. Eu chequei os livros. Romeu e Julieta e uma copia muito desgastada do orro dos ventos
huivantes; Nosso trabalho de Inglês. Leteratura Clássica definitivaente não era um passatenpo meu. Dedusi
que ela era uma menina romântica, embora Morro dos ventos huivantes poderia ser considerado um romance.

Porem se você realmente quiser conhecer uma pessoa que você tem que ver o seu armário. Abri as suas portas
desejei não tê-lo feito. Eu havia a descrito como não tendo qualquer sentido para a moda, mas isso era
inacreditável! A primeira peça de vestuário na qual coloquei meus olhos era uma Suéter absurdaente pesada e
horrenda na cor verde. Se ela algum dia fosse ser minha amiga ela precisaria urgentemente de uma imensa
transformação. Imensa! Tudo neste armário gritava "me ajude" Eu sou um pesadelo da moda! Oh isabella o
que você faria sem mim? Eu senti uma vontade de rasgar, não na verdade queimar para que não fossem
deixadas provasda existência de tais catástrofes. Ela iria provavelmente notar se eu refizesse seu armário,
certo? Que droguinha! Eu teria que esperar. Quando pensei nisso fiz um bico. Eu teria que esperar pelas lições
de estilo e também esperar para ser sua amiga.
Ouvi o barulho estrndoso do motor da camionete na estrada. E corri para me esconder em seu armário. Então,
eu pensei. E se ela precisasse de algo dele? E me pegasse lá? Isso iria nos expor, não é? Fiz um scan no futuro
por qualquer sinal de perigo, mas tudo que eu pude ver foi Isabella conversando com seu pai. Portanto, seria
seguro eu ficar no armário. Isabella chegou e eu pude ouvir seus passos no andar de baixo e muito barulho
vindo da cozinha. Então eu a escutei enquanto subia as escadas e jogava sua mochila no canto oposto do
quarto.
Havia outra coisa que eu não tinha planejado. Uma decisão de última hora. Suas roupas estavam úmidas por
causa da chuva. Ela teria que se trocar. Eu fiquei muito rígida enquanto esperava no armário. A imagem de
Isabella o abrindo começou a se formar em minha mente. É isso ai, Alice! Que bacana! Que diabos você vai
fazer agora? Comprimenta-la e dizer que ela estáno TRL? Eu pensei para mim mesma esperndo a gritar
começar. Ela olhou para a cama por um momento. A imagem se tornou fracca ela tinha mudado de ideia. Ela
viu ua calça de moletom em cima da cama. Foi por pouco! Muito pouco, eu estava nos arriscando muito
fazendo isso. Ela desizou pra dentro deles, Coloco seu cabelo pra cima num rabo de cavalo, enviando o doce
cheiro do seu sangue, mais forte por causa da chuva na minha direção.
Ela cheirava mais doce que os outros humanos, mas isso não me incomoda em nada. Ela sentou-se diante do
computador. E ouvi o barulho que ele fez, ao iniciar. O computador nem era mais um computador mais. Era
um equipamento Jurassico que deveria estar em um museu. Eu cobri minha boca para não rir. Ela digitou
algo. Quando terminou, ela se acomodou em sua cama para ler O morro dosventos uivantes, com uma
expressão divertida em seu rosto. O tedioso projeto de Inglês era prazeiroso pra ela. Esta menina era, no
mínimo louca" Assiti enquanto ela ficou lendo por um bom tempo.
Fiquei feliz quando ouvi o carro do chefe Swan na estrada. Eu não queria ficar presa em seu armário o dia
todo. E se ela mudasse de ideia e decidisse procurar alguma coisa nele? Quando ela ouviu o seu pai
estacinando ela correu tropeçando algumas vezes sobre o caminho até o andar debaixo. Eu tive que me
segurar para não rir de novo. Como poderia um unico humano ser tão desastrada? Um desastre da Moda não
tinha sido um bom termo ... Pesadelo ambulante era melhor.
"Bella?" Ele chamou enquanto abria a porta.
Então as pessoas não a chamavam de Isabella como eu tinha pensado. Ela era chamada como Bella.
"Ei pai, Bem-vindo ao lar".
Mais barulhos da cozinha. "O que tem para o jantar?" Seu tom era um pouco preocupado. Me perguntei se ela
cozinhaa tão mal assim. Em seguida, a imagem de seu pai comendo o bife e batatas que ela faria Passou pela
minha cabeça e eu soube que ela era uma boa cozinheira.
"Bife e batatas" ela respondeu.
Eu saí do armário. Notei que ela tinha deixado o seu e-mail aberto. Eu li a mensagem que ela tinha acabado de
digitar. Era para a mãe dela. Ela estava tentando acalmar a sua mãe muito preocupada. Certificar-lhe de que
tudo estava absolutamente bem. Ela estava contando ao pai sobre o seu dia na escola e citando seus novos
amigos. Foi quando ouvi o nosso nome.
"Você conhece a família Cullen?" Perguntou em um tom mais baixo, como se ela estivesse envergonhada por
alguma razão. Ela tinha notado alguma coisa sobre nós? Ela tinha adivinhado que meu irmão estava fora por
causa dela? Fiquei rígida ao lado da porta.
" A familia do Dr. Cullen? Claro, o Dr. Cullen é um grande homem. "Seu pai estava certo, mas ele sabia muito
pouco de como verdadeiramente espantosamente inacreditavel meu pai realmente era.
"... As crianças ... Eles são um pouco diferentes. Eles não parecem se encaixar na muito bem na escola"
Ela tinha prestado atenção em nós. De quanto ela suspeitava? Não muito, eu supuz. Se ela suspeitasse,
Edward teria visto isso em seu pensamento.
"As pessoas nesta cidade." Ele parecia chateado. "O Dr. Cullen é um brilhante cirurgião que provavelmente
poderia trabalhar em qualquer hospital do mundo, ganhar dez vezes o salário que ele recebe aqui. Temos sorte
de ter ele - sorte que sua esposa queria viver em uma cidade pequena. Ele é um trunfo para a comunidade, e
todas as crianças são bem comportados e educadas. Eu tinha minhas dúvidas, De primeiro, quando ele se
mudaram, com todas aqueles adolecentes adotadas. Eu pensei que poderíamos ter alguns problemas com eles.
Mas eles são todos muito maduros- Não nem sequer um pequeno problema com qualquer um deles. É mais do
que eu posso dizer sobre as crianças de algumas pessoas que tem vivido nesta cidade há gerações. E eles
ficam juntos da forma como uma família deve ser - viagens para acampar semana sim semana não... Só
porque eles são recém-chegados, as pessoas têm de falar. "

Ele tinha acertado na mosca novamente, e ao mesmo tempo estava tão errado. Forks era um local muito
agradável para nós, todos nós gostavamos daqui. As toneladas de chuva e raros dias de sol com certeza eram
um aspecto positivo. Podiamos ser quase normais. Não foi Esme escolheu, foi Carlisle. Rosalie e Edward
gostavam muito aqui também - Esme ficariam feliz em estar em qualquer lugar onde Carlisle estivesse. Ele
estava certo, porque Carlisle - o meu pai, em qualquer sentido que a palavra pudesse representar. - era
exatamente como ele pensava que fosse.Embora bem mais compassivo. Se ele soubesse que Carlisle tinha
que lutar contra seus instintos para fazer o que ele amava. Salvar a vida das pessoas.
"Eles pareciam suficientemente agradáveis para mim. Eu só reparei que eles se mantiveram mais reservados.
Eles estão todos muito atraentes ",
Eramos bonitos para os humanos, Embora a maioria ficassem intimidados por nós. Ela não parecia estar nem
um pouquinho. Eu dei um sorriso largo porque eu sabia exatamene quem era o mais atraente de todos para
ela.

"Você deveria ver o médico," Seu pai estava rindo "É uma coisa boa que ele é bem casado. Muitas das
enfermeiras do hospital tem uma problema para se concentrar no seu trabalho com ele por perto." Eu deixei
uma pequena risada baixinha escapar.
Se Esme visse isso ela provavelmente iria prestar mais visitas ao hospital. Não era como se ela tivesse que se
preocupar com qualquer coisa, Carlisle a amava com todas as células do seu corpo. A nossa espécie era muito
intensa em suas relações, a maioria de nós passava toda a sua existência com apenas um companheiro. Como
Carlisle e Esme, Rosalie e Emmett, Jasper e eu. Se eu tivesse sorte talvez Edward e quem ele escolhesse.
Talvez a bela vampira das minhas visões. Se eu tivesse sorte Edward e Bella seriam parte da lista. Esta
hipótese me parecia magnífica! Eu não só teria uma amiga, mas uma irmã também. Eu não podia parar de
sorrir.
Amar-te-ei um dia, Bella. Eu pensei e de um profundo suspiro para memorizar o seu cheiro. Foi tão
prazeiroso com cheiro de fores. Meu irmão também vai gostar de você, Se ele voltar em casa. Contanto esse
momnete nada estava decidido. As mil imagens ainda cruzavam minha mente. Volta pra casa Edward. Eu
imporei em meus pensamentos enquanto eu pulei para fora da janela, sem fazer qualquer som e corri pela
floresta.

Alguns dias se passaram e as coisas pioraram. Meu humor não estava no seu nível mais brilhante porque eu
queria que o meu irmão de volta. Jasper ficava tentando fazer com que eu me sentisse melhor. Hoje as minhas
visões pareciam estar mudando um pouco menos. Ele estava quase tomando a sua decisão. Ele queria voltar
para casa, mas ele continuava lutando contra si mesmo. Por quê?
" Você pode enfrentá isso Edward" eu disse sob a minha respiração, como se ele pudesse me ouvir. Eu percebi
que estava na minha classe espanhol e espera que ninguém tivesse me ouvido. Olhei ao redor só para ter
certeza.
Nós tivemos um teste surpresa, que não uma surpresa para mim, eu sabia desde segunda-feira, quando a
professora havia decidido sobre isso. Me sai bem, evidentemente - Nós poderíamos todos ensinar espanhol.
Eu nem sequer era um especialista em línguas como o Edward e Carlisle. Durante meu último período, a
visão de uma conversa entre Tanya e Edward me ocorreu. Ela não desistia facilmente eu tinha que reconhecer
pelo menos isso. Ela não teria sucesso novamente e novamente se decepcionaria. Como todas as outras vezes
antes.
Como estávamos dirigindo para casa quando uma das minhas visões tornou-se sólida. E eu não pude me
controlar.

"Ah!" Eu gritei. E começei a rir.


Os pares de olhos estavam questionando se eu tinha perdido a cabeça. "Pisa fundo, Rose. Edward está vindo
para casa! " Rosalie rolou os olhos, mas fez como eu disse. Eu queria falar com todos, e pedir-lhes para não o
incomodarem muito. Para que o deixassem em paz.

Pelo menos, por enquanto. Especialmente, eu mesma. O que não seria tão difícil pois Jasper tinha planos
especiais para esta noite.

O carro virou na esrada de forma muito rápida. Esme já estava à beira da escada. Eu sabia que ela não iria
fazer o que eu tinha pedido. Assim que ele abriu a porta, eu a ouvi chamar.

"Edward!" Enaquanto voava escadaria baixo jogando seus braços em volta dele.

"Meu filho, nunca mais faça isso comigo" se ela pudesse produzir lágrimas seu casaco estaria molhado.
"Eu também senti sua falta." Ele disse enquanto abraçava nossa mãe.

Eu estava na beira da escada. Ele levantou o rosto para olhar para mim. "Você não pôde manter a boca
fechada, não é?" Perguntou-me arreliando.
Voei pelas escadas e joguei meus braços em volta dele.

"Eu comprei roupas novas para você, estão no seu armário. As coisas tem sido chatas sem você por perto.
Todo mundo se recusa a jogar qualquer coisa comigo. " fiz bico.
Ele deu uma pequena risada.
"Bem-vindo ao lar filho, Bem-vindo ao lar" A voz de Carlisle estava abalada.
"Obrigado." Edward disse olhando nos olhos dele. Ele estava agradecendo Carlisle por mais do que suas
palavras. Havia algo muito mais significativo por trás daquele "obrigado".
"Finalmente o trapaceador menos irritante está aqui. Leve seu traseiro lá pra fora e vamos nos divertir. Ele
deu um soco em seu braço. Edward o puxou, e eles abraçaram.

Meu irmão tinha sentido falta de todos nós, da mesma forma que tínhamos sentido saudades dele. Nossa casa
era um lar de novo.
"Emmett ..." Esme repreendeu.
"Preciso caçar hoje à noite quer juntar-se a mim?" Edward perguntou a Emmett.
"Pode apostar" Emmett estava feliz com a possibilidade de o seu tipo de diversão hoje. Longe de Esme
poderiam batalhar o quanto eles quisessem.

Emmett foi em direção a porta.


"Onde você pensa que vai?" Esme questionou.
"Ah fala serio." Emmett reclamou.
"Uma semana se lembra? Isso inclui caçar longe de casa. "
"O que é isto?" Edward me perguntou.
"Bem ... Emmett está de castigo. "Eu dei uma risadinha.
Edward estava rindo. Todo mundo virou-se para olhar para ele.
"Esme, se você permitir que ele que ele vá eu mesmo cuidarei dele"
Emmett ficou enfurecido com a ideia de ter uma babá.

"Ok ele pode ir. Estamos comemorando afinal. "


"Estou esperando por você lá fora." Emmett disse. "Bem-vindo ao lar, aberração" Rosalie disse com um
sorriso largo cubrindo seu rosto.

"Tamm senti sua falta, Rosalie! Vocês vem? ", ele Perguntou ao resto de nós.
"Já fomos ontem." Carlisle respondeu.
Ele virou-se para Jasper e eu. "e vocês?"
"Edward, eu gostaria de ganhar contra você hoje. Mas acontece que Jasper preparou cuidadosamente uma
surpresa para mim. "
"O que evidentemente não é mais uma surpresa. Aconselho a você Edward quando você escolher sua parceira.
Certifique-se de que ela não pode ver o futuro. Pois isso acaba com toda a diverção."

Todos nós rimos juntos e eles se foram.


Chegamos em casa com o sol nascer. A Surpresa -Não surpresa de Jasper foi demais. Nós caçamos, e depois
fomos nadar no lago e ficamos olhando as estrelas - passando tempo juntos. Eu nunca poderia ter o suficiente
dele. Uma existência não era suficiente para compartilhar estes momentos incríveis ao lado de Jasper.
Eu precisava disso porque eu teria dia atordoado e teria que me concentrar para manter os meus pensamento
secretos para Edward. Mas eu tinha uma coisa em mente. Algo com oque eu estava realmente preocupada.
Tentar fazer com que Edward não matasse Bella. Com uma verdadeira questão em mente isto não devaria ser
tão difícil.
Hora da escola! Nós todos entramos no carro. Emmett estava ainda satisfeito com sua vitória sobre Edward
em uma luta na noite passada. Eu sabia que Edward tinha o deixado ganhar. Ele tinha muito em sua mente e
ele não queria se preocupar com ua revanche com Emmett.
Hoje estava nevando. Escola estaria muito fora da rotina. Nenhum de nós poderia queixa-se de tédio desde
que Bella chegou. Eu monitorei o meu irmão para certificar-se de tudo ficaria ok.
" Edward, Você nunca me responde. A novata esta com medo de nós? "Eu podia ver Edward apertando as
mãos no volante. Quando Emmett disse que sua pergunta em voz alta.
O que foi isto tudo? Ela estava? Ela não parecia estar.
"Não sei" Ele disse tão baixo que era quase um sussurro como se estivesse com vergonha de alguma coisa.
"O que quer dizer com não sabe?" A voz de Emmett estava alta ele também foi surpreendido.
"Eu não fui capaz de ler sua mente, ainda." Ele explicou suas mãos ainda mais apertadar agora. Era uma boa
coisa esse volante ser especial - a prova de vampiros - se não fosse teria virado massinha de modelar.
Eu nunca tinha visto alguém cuja mente Edward não podia ler. Quem era essa menina e por que ela tinha que
ser tão irritante para o meu irmão? Um sangue doce, um mente particular. conhecendo ele, isto o deixaria
muito frustrado. Edward nunca deixava um enigma inacabado.
"Isto é uma novidade" Rosalie deixou sair um risada sarcástica "Como ela é sortuda", Ela prosseguiu. Senti
meu irmão queimar com a frustração.
"Isto não é nem ao menos um pouco Engraçado Rosalie, seria melhor se ele pudesse ler sua mente não acha?"
Eu não estava disposta a aguentar seu sarcasmo.
"Eu não me importo, ele vai matá-la mesmo assim. É melhor para ele não ser capaz de ler sua mente "Eu tige
ganas de rasgar a cara dela. Jasper percebeu, naturalmente, e tentou acalmar os nervos, sem muito sucesso.
Eu não ia deixar que ela fizesse com que Edward se sentisse ainda mais miseravel. Ele já se sentia culpado -
ele não precisa dessas besteiras - Eu deixei sair um rugido enquanto eu falava.
"Nada vai acontecer. Rosalie. Edward teve a coragem de voltar, e ele é o mais centrado de todos nós. Se
alguém pode lidar com isso ele é o-"
"Alice não perca seu tempo. A ignore. Quando ela se tornou imortal sua células cerebrais morream com seu
ventre "
Tudo ficou silencioso. Eu congelei no lugar. Esperando a imagem de uma guerra, mas ela nunca veio.

Isto foi muito mediocre de Edward. Atacar o ponto mais fraco da Rosalie como ela tinha fito com o dele.

Este não se parecia com o meu irmão, na verdade, não era igual a ele em nada. Eles estavam empatados agora.

Ela tinha o machucado, ele estava só igualando as coisas. De onde vinha ese compotameto tão irracional? tão
Passional? Não demorou muito eu já sabia a resposta.
Ao descer do carro todos fecaram as portas com mais força que o necessario - sabia que a porta da Rosalie
tinha ficado enterrada pela força, e tive uma visão que Emmett a consertando no proximo horário numa
tentativa de manter a paz - Nos dirigimos a escola completamente mudos.

Minha primeira aula foi com Edward - história americana. Eu sentei ao lado dele acompanhando o seu futuro.
Ele estava muito calado, Ele também achava que ele não tinha sido justo.

Rose tinha mercido, mas ele sabia que os fins não justificavam os meios.

Fiz um "scan" do horário do almoço, para saber se teriamos uma briga muito feia, mas tudo parecia bem.
Supreendentemente bem. Estariamos rindo e Emmett ia tentar me acertar com uma bola de neve. Ele ia tentar!
Tentar e acertar eram palavras completamente diferentes. Que idiota ele realmente pensava que eu não iria
saber se ele finjisse jogar a bola pro outro lado? Emmett sempre subestimava nossas anormalias.

Não ele não teria sucesso. Mas seria Punido por tentar. Eu iria dar o troco com toda certeza.
Edward! Chamei na minha cabeça.
Tudo vai ficar bem, até mesmo a Rosalie, ela sabe que fez por onde.

Ele fez uma carranca.

"Não, eu não deveria ter perdido a cabeça." Ele disse muito baixo para os seres humanos ouvirem. E abaixou
a cabeça. "Eu enfiei um ferro quente direto na sua ferida não há perdão para isto"
Pára com isso, Edward! Ela teve o que merceceu além do mais tudo ficará bem, eu sei eu posso ver isso.
Tudo até mesmo a Rosalie, eu prometo.
Ele não disse mais nada. Ele só acentiu com a cabeça.

Ele provavelmente sabia que ela não tinha levado tão a serio. Ele provavelmente tinha ouvido nos
pensamentos dela.

Ela sabia que ela tinha abusado da paciencia dele, que tinha ido longe demais.

Ele acentiu mais uma vez em resposta aos meus pensamentos.

Então ela realmente não tinha guardado recentimentos.

Estou orgulhosa de você, sabia? Eu sei o quão difícil isso é para você. Mas vai ficar tudo bem. Você não vai
fazer nada. Se alguém pode lidar com isso, Você é o único que pode, e você pode contar comigo. Estou do seu
lado nisso tudo. Eu vou lhe dar força. Eu te amo. Estarei sempre aqui. Você pode contar comigo.
Ele balançou a cabeça novamente me assugurando de que ele já sabia.
Ainda bem que nenhum dos professores se incomodava em nos questionar mais, eles teriam me pego distraída
se o fizessem hoje.

No final de cada aula eu me apressei para escoltar Edward para sua próxima sala. Ele continuou dizendo que
isso era riduculamente desnecessario mas eu - a praga irritante que sou - cntinuei fazendo ele querendo ou
não.

O nosso grande teste estava prestes a vir.


Estamos reunidos no corredor. Rose estava quieta, mas não hostil. Emmett ficou em guarda a espera de
qualquer perigo. Como uma amigavel briguinha entre inrmãos - que para os humanos pareceria como uma
cena tirada eu e livro de ficção científica - isso se pudessem ver é claro, humanos eram quase cegos - ou em
caso ele precisasse segurar Edward para que ele não matasse a humana na frente de todos. O primeiro caso
não seria necessario, uma vez que o assunto nunca jamais seria trazido a tona novamente. Quanto ao segundo
- embora eu não tinha visto nada, os minha visões nem sempre eram precisas - Eu estava feliz por ele estar
em guarda.

Jasper estava orientando-me, porque eu estava centrada nos detalhes, como saber se pudiamos sentar na nossa
mesa de sempre, se nada iria enviar o seu cheiro na nossa direção, se ela não se aproximaria demais.
Ela iria chegar depois de nós e aguardar na fila do refeitório com seus amigos, comprar um refrigerante e
depois sentar em sua mesa. Sem problemas até então. Ninguém morto hoje.
"Vai ficar tudo bem. Ela ainda não chegou, mas a forma como ela vai entrar .. ela não estará na direção do
vento se nos sentarmos no nosso local habitual. "Eu disse baixinho a todos. E segurei a mão de Jasper.
"Evidentemente nós vamos sentar no nosso local de sempre. Pára Alice Você está e dando nos nervos. Vai
ficar tudo inteiramente bem. "
Eu tinha passado dos limites. Ele não gostava de ser cuidado. Eu pisquei uma vez. Eu não esperava essa
reação.

Jasper puxou a cadeira para que eu pudesse sentar. Eu olhei para a cara dele. Falei tendo o cuidado de não
deixar minha cabeça trair-me "Humm acho que você está certo."
"Claro que eu estou"
Voltei para o futuro da Bella, ela estava a caminho, eu não queria ser apanhada desatenta. Queria avisá-los
antes que ela viesse.
"Nada de novo?" Jasper perguntou Edward.
Ele devia estar procurando nos pensamentos das pessoas algo que a garota tivesse dito sobre a aula desastrosa
de biologia que haviam compartilhado.
"Nada ... ela não deve ter dito coisa alguma. "
Eu não devia ter estar tão surpresa. Eu acho que eu não estava surpresa, intrigada era melhor.

Notei que todos tinham a mesma expressão em seus rostos.

Eu realmente não entendo essa menina. mas os meus motivos eram diferentes dos deles.
"Talvez você não seja tão assustador quanto você pensa que é. Eu aposto que poderia te-la assustado mais do
que isso. "Emmett disse rindo. Ele falava da boca pra fora, ele estava apenas tentando quebrar aquele clima
horrível, como ele sempre costumava fazer.
".. me pergunto porque será que...?" Ele continuou e foi interrompido.
"Já passamos por isso. Eu não sei ".
ele não quis trazer esse assunto a tona novamente como eu previ.
Ela estava perto agora dois minutos talvez, eu tinha que dar a Emmett tempo para o seu pequeno show.
"Ela está vindo tente parecer humano." Eu avisei.
"Humano, você disse?" Ele mostrou a neve bola que ele tinha guardado e, em seguida, a tranformou em um
bloco de gelo.

Ele finjiu mirar para Jasper mas eu sabia que ele ia jogar em mim.

E o fez. Eu simplismente acenei com as pontas dos meus dedos e ela voou por toda a cafereria rápido demais
para o humanos verem. Todos os alunos na outra extremidade do refeitório virara para ver de onde o ruído era
proveniente quando o gelo bateu na parede. E quebrou-se se espalhando por todo o lugar. Eles nunca teriam
imaginado e olhar aqui tão loge. Os seres humanos nunca advinhavam esse tipo de coisas.
"Muito humano, Emmett. Por que você não vai perfurar através de uma parede enquanto já está nisso?
"Rosalie repreendeu Emmett.
Isso não pareceu alterar o Humor dele.

"Seria mais impressionante se você fizesse isso, meu bem." Eu ri com eles. Até mesmo Rosalie estava rindo.
Eu percebi que Jasper devia estar usando o seu talento. Mas eu não podia evitar questionar se Emmett estava
como que costume sendo o bobo da corte ou se estava se esforçado, tentando arduamente fingir que nada
estava o incomadando.

Edward esava sorrido mas esse sorriso era estranho. Ele não estava realmente sorrindo mas sim se
concentrando em sorrir. Ele nunca olhou para fila de pessoas em pé onde ela estava com alguns amigos -
Jessica e Mike Newton. Ela iria comprar apenas um refrigerante. Será que ela estava em alguma espécie dieta
maluca que só se bebe refrigerante? Os seres humanos essas coisas que dietas malucas. Eu pensei que era
pouco provável uma vez que ela parecia bem. Talvez ela simplesmente não estava com fome. Até mesmo eu
não estava - de novo - no humor para fingir ser humana, uma maçã permaneceu intocada na minha frente.
Emmett ainda estava fazendo gracinhas. Rosalie estava rindo com eles, mas eu não estava prestando atenção a
eles. Jasper ria também, mas eu também sabia que ele estava tentando melhorar o humon de Edward.

"Não está funcionando" ele sussurrou no meu ouvido. Eu fiquei triste ao olhar para a rigide do meu irmão.
"A se anime Edward, Honestamente. Então, você mata um humano. Isso dificilmente seria o fim do mundo ".
Emmett brincou.
"Você iria saber" A resposta de Edward teria chateado qualquer um de nós mas Emmett estava tentando duro
fazer piada de tudo.
"Você tem que aprender superar as coisas. Como eu. Eternidade é muito tempo para se remoer em culpa. "
Ele não estava ajudando. Ele precisava se calar.
Hora para o meu próprio show. O que eu tinha planejado quando vi que Emmett ia atirar neve em mim.
Como dizem a vingança é um prato que se come frio. Também seria bom que a menina pudesse ver a nossa
família brincando juntos e nunca imaginasse o que realmente sentiamos.

Eu joguei o bloco de Gelo bem no rosto dele. Que demais! Acertei bem em cheio! Como já sabia que eu faria.

Ele riu e eu sabia que isto não seria o fim de tudo.


"Você pediu por isso" Ele disse se inclinado na minha direção e sacudiu o cabelo parecendo um cachorro.
Espirrando gotas de agua e gelo em cima de Rosalie e eu
"Ew" Rose reclamou gauando não consegui se esquivar da chuva.

O meu plano funcionou como eu queria.

Eu ri e todos riram junto comigo. Bella estava nos assistindo.

Para ela nós pareciamos estar nos divertindo, entretidos, despreocupados, brincalhoes.

Ah se ela apenas imaginasse.


Me cobri com a minha bandeja só pro caso de mais uma chuva vinda de Emmett. Bella ainda estava nos
observando. Edward a observava enquanto ela falavaa com seu amigo. Eu tive que lutar contra as imagens na
minha mente.

Concentre-se, Alice! Eu pensei.

E fiz uma pesquisa no futuro da menina, minuto a minuto.

Ela iria conversar com os amigos dela ir as suas aulas - o proximo horário era com Edward, sendo assim eu
imaginei que ele já havia tomado sua decisão que ele realmente iria a aula

. "Pare de olhar para ele" Eu ouvi Bella instruir Jessica.


Jessica lançou u ultmo olhar rapido mas fez como Bella Havia pedido. Bela iria - em menos de um segundo-
verificar se Jessica realmente não estava olhando. Se ela não tivesse atendido seu pedido, Isabella tomaria
medidas mais drasticas. Ela levantou a cabeça para verificar.
Isso e lembrava de uma cena em um filme ou algo assim, menininas no coegigal com dez ou onze anos rindo
e morrendo de vergonha de olhar pro garoto o qual cobiçavam. Era assim que humanos eram quando
amavam? Infantis? Nuca havia prestado muita atenção. Era o fim do mundo pra mim. Uma cilvilizaão muito
primitiva. Tive que segurar o riso.

O menino - Mike - Ia convidá-la para uma guerra de neve no estacionamento depois da escola, que não
aconteceria primeiro devido ao clia que já estava mudando coo eu havia previsto hoje iria chover, e Bella não
teria tomado parte nisso, nem mesmo se o tempo não fosse mudar.
Ela manteve seu olhar pra baixo pelo resto do período. Ela parecia tímida. A imagem da sua próxima aula se
tornou mais clara em meus pensamentos enquanto ela fixava seu olhar na mesa. E isso me pegou de surpresa.
Edward não era o único que se perguntava se ir á aula de biologia era ou não uma boa ideia. Bella estava
pensando a mesma coisa. Por quê? O que ela tinha a ver com isso? A menos que ... Não me atrevi a começar
esse pensamento. Era muito arriscado minha mente poderia trair-me.
No nosso grupo, todos continuavam Observando, Emmett continuou fazendo piada e Jasper continuou
tentando manter os nervos sob controle. Mas o mais importante é que todos nós estavamos concentrados em
parecer humanos, exceto Edward que estaa tão rigido como anteriomente ele não estava excessivamente
preocupado em manter gestos humanos.
A sino iria tocar em dois minutos eu decidi que seria melhor permanecer sentada e esperar pela decisão final
de Edward. Eu sabia que ele tinha escolido que ele iria para a aula. Mas nunca era tarde demais para tentar
persuadi-lo do contrário.
Até onde ele aguentaria hoje? Ele já estava chateado por ter sido tratado como um bebe, mas eu não queria
que ele ferisse a minha ... que ferisse Bella.
Concentrse-se, Alice!

Essa tinha passado perto.

A campainha tocou, e eu notei que todos na nossa família haviam feito a mesma decisão. Todos
permaneceram sentados.

Vi quando Bella foi para a sua próxima aula com Mike Newton.
Aqui estava o momento mais difícil do dia.
Edward teria de ir e sentar-se ao lado de Isabella. E se ele não fosse suficientemente forte? E se ele
escorregasse? talvez ele já tivesse no seu limite por hoje. Eu esperava que ele fosse razoável e forjase um
bihete para a infermeira ou para a secretaria.

Mas ele não iria.

Ele tinha feito a sua decisão. Ele sofreria durante a aula de Biologia que tinha visto, e tudo iria ficar bem. E
se ele não aguentasse?
Ele tinha decidido que não queria machuca-la que não queria ser um montro.

Eu não tinha visto nada, além do mais tinhamos que sair dali antes que chamassemos a atenção de alguém.

"Acho que vai estar tudo bem" Eu esperava que eu estivesse dizendo era verdade. Pareceu-me verdadeiro o
suficiente para mim.

"Acho que ele vai conseguir segurar as pontas por uma hora. "
"Por que abusar Edward? Vá para casa, vá com calma "Jasper disse as palavras que ele sempre escutava.
"Qual é o problema? Ele vai ou não ele não vai matá-la. Mehor acabar co isso logo de uma maneira ou de
outra." Emmett sempre prático ao resolver um problema.

E eu senti, um desejo incontrolável de ter a sua força pra poder socar ele.

"Eu não quero me mudar ainda. Estamos quase fora do colégio, Emmett. Finalmente "Rosalie pensava apenas
em si mesma como sempre.
A imagem de Edward e bella piscou na minha mente, ele não estava completamente decidido. O que Rosalie
havia dito o fez reconsiderar.
Era com isso que ele estava preocupado? Nós?
Então, o seu próximo pensamento - qualquer que tenha sido - fez com que a minha visão tremesse um pouco
menos. Eu não tinha tanta certeza, mas ele precisava de apoio, precisava de se sentir forte. Eu não queria que
ela partisse novamente.

"Não, Rose, eu acho que vai ficar tudo bem. Está ficando mais nítido. Estou noventa e três por cento certa de
que nada ruim vai acontecer se ele for para a aula " Eu não poderia dizer cem porcento Edward perceberia a
minha mentira.
Eu olhei para ele me concentrando em ler seu rosto e prestei atenção na imagem da próxima aula com cuidado
pra não perder o controle dos meus pensamnetos.

Eu estava muito curiosa para saber o que ele havia pensado que tinha feito a minha visão ficar mais solida. A
visão estava muito mais sólida.
"Vão para a aula"ele nos ordenou, então virou-se e caminhou para a sua próxima aula.

Eu não pude evitar me preocupar. Eu pude perceber que Jasper e Rosalie não aprovavam sua decisão. Rosalie
estava prestes a rasgar sua própria pele com suas unhas.
Jasper tocou meu ombro e me escoltou para a minha aula de Inglês.

Nada para se preocupar. Outra palestra sobre literatura.

Imagens continuavam a saltar na inha mente e eu continuei tentando tira-las de lá. Isoo e deu uma dor de
cabeça insuportável. Eu tentei me focar em Edward e que ele estaria fazendo minuto a minuto . Eu vi Edward
e Bella conersando. Bella parecia envergonhada, Edward entertido.

Outra imagem saltou na minha mente. Eu tentei empurra-la e lá.

Eles estavam conversando enquanto espiavam através de um microscópio nenhum dano feito até então.
Edward era forte o suficiente.

Estou tão orgulhosa de você! . Eu pensei. Embora eu soubesse que era longe demais para ele me ouvir.
Com toda a sua concentração em se cmportar como humano, e não matar Bella.

Pobre Edward. Eu suponho que ele estava segunrando a respiração. utando contra seus nstintos. Isso seria
bem semlhante ao inferno, não seria?
"Miss Cullen?"
Droga! O professor decidiu a me perguntar alguma coisa.
"Desculpe, Sr. Mason?"
"Estou apenas perguntando que escritor que você escolheu para fazer o seu projeto."
Sim é verdade! Ele provavelmente estava dizendo aos alunos sobre o projeto iria nos pedir para fazer. Eu
tinha visto isso duas semanas atrás, eu tinha escolhido Shakespeare, sendo que Anne Rice Dificilmente seria
adequado - Anne Rice tinha uma boa ideia sobre vampiros, Imagino se ea continuaria escrevendo se soubesse
que estava tão realmente proxma da realidade ou se entraria em choque - mas seria pelo menos engraçado,
ironico na verdade.
"Shakespeare"
"Boa escolha, Alice. Aguardo com expectativa. "
Não seria muito difícil escrever sobre a vida de Shakespeare e fazer um resumo de cinco de suas obras.
Othello, Macbeth, comédia de erros, Sonho de uma noite de verão e Hamlet, estavam na minha curta lista de
leitura considerada suportável.
Ele contunuo a chamada para anotar o que os outros alunos tinham escolhido.

Eu olhei e percebi que supostaente deveria estar respondendo algumas perguntas.

Felizmente eu já tinha respondido. Uma tarefa fácil.


Continuei a me concentrar no meu irmão. Preparada para lutar contra qualquer imagem indesejada que eu
pudesse ter. Mas eu não pude evitar.

A imagem era muito vivida na minha mente. Uma decisão tinha sido feita, mas não por Edward, e sim por
Bella.

Suposto que a imagem tenha permanecido em meus pensamentos por um quatro de segundo antes que eu
fosse capaz de forçá-la para fora.
Minha boca caiu aberta e eu fiquei em choque por uns dois segundos tentando me recompor.
"Alice você está bem?" Senhor Mason perguntou.
Duplo erro em menos de uma hora. Era melhor eu sair da sala. Restavam ainda vinte minutos.
Vinte minutos não parecem muito para um imortal, mas desde que essa garota chegou as coisas estavam de
cabeça pra baixo.

"Lamento Sr. Mason Mas sinto-me um pouco mal poderia me dar licença?".
Eramos tão bem comportado que dificilmente ele ofereceria qualquer resistência ao meu pedido. E ele não o
fez.
"Você está bem para caminhar até a enfermaria sozinha?"
"Claro, devo ter comido algo que não me fez tão bem"

Ele fez uma cara. Eu suponho que ele não queria que ninguém vomitando em sua classe.

Eu estava rindo por dentro pelo pensamento de um vampiro vomitando. Ou sequer comendo algo que nos
desse uma dor de estômago, especialmente desde que o meu estômago não tinha capacidade para digerir
quaquer coisa há muito tempo muito menos doía.

"Você parece um pouco... bem... você não parece bem, mas vá pode ir."

Ele ia dizer 'Pálida', mas creio que tenha percebido que sempre somos palidos.

"Obrigada"
Eu levantei rapidamente, dexei o corredor cheio de armários atraz de mim enquanto fugia para o banheiro.
Sentei no canto tentei concentrar na sobrecarga que fazia minha cabeça nã só doer mais latejar.
Desejei com toda a minha alma - caso eu tivesse uma - que Edward não tivesse visto. Ele não tinha. Pos se
tivesse, ele já teria encontrado uma maneira de estar aqui.

Ele estava muito ocupado. Eu, concluiu, e escaneei seus próximos vinte minutos - dezenove agora.

Eles continuariam conversando. Tudo estava bem. A expressão do meu irmão mudava entre uma expressão
de prazer, divertimento, frustração, interesse, curiosidade eu podia perceber que ele estava tentando juntar as
peçar do quebra cabeça. Eu também poderia notar que ele segurava a respiração e apostava que se sentia
muito incomodado com isso.

Alguém estava vindo pra cá.

Eu fiquei em pé e me posicionei diante do espelho e fingi estar lavando minhas mãos. Aproveitei para arrumar
alguns fios do meu cabelo que estavam fora do lugar .

"OO - Oi, Alice"

Tahnee, uma garota do segundo ano com quem eu tinha aula de educação fisica comprimentou quase
engasgando.

"Oi"

A menina se olhou no espelho.

"Até mais." ela disse. Ela já tinha medo de falar comigo - apesar do meu tamanho, ou melhor falta dele ainda
assim eu tinha os dentes a pelo fria e tudo mais que mandavam sinais de "corra"- e eu não queria papo.

Ela saiu. Seres humanos e suas vaidades.


Eu olhei para o relógio, mas eu não podia vê-lo. A imagem rasgou o meu interior, cinco minutos antes da
tortura finalmente acabar - em menos de um segundo bella iria sacudir o cabelo.
Eu me lançei pela porta esperando o pior, pronta para ajudar o meu irmão limpar a bagunça.

Sim, eu podia ver a treula imagagem do cadaver de Bella esperando pela decisão de Edward, para se
solidificar.

Foi muito duro manter um ritmo humano. Então parei de me preocurar e andei rápido demais para a predio de
ciências.
O que eu faria? Tiraria ele de lá agora? Fiz um scan novamente quase em agonia, devido à visão e o que
aconteceria com meu irmão por causa disso.
Edward não o faça, Não faça isso! Não! Pense em quem você é. Por favor, pense em Carlisle, Edward.
Eu sabia que ele não tinha me ouvido, mas a imagem que veio à minha mente era como se ele tivesse. A
espressão de dor do meu irmão e segundos depois ele sairia correndo da sala de aula. Fugindo da tentação.

Eu respirei novamente. Essa foi por pouco.

Mas eu não parei de monitorar ele eu sei o quão rápido uma mente pode mudar.
Por mai trinta segundos ele continuaria a queimadar.
Espere, seja forte.
Vinte.
Falta pouco, aguenta firme.

Dez, quase acabando. Quase, espere, espere!


Três, dois.
Visão Sólida!.
Edward sairia em meio segundo. Eu não queria que ele me apanhasse aqui.
Corri rapidamente pra onde ele não poderia me ver esperando que ninguém tivesse me visto literalmente
desaparecer, pois eu não tive o cuidado de checar.

O sino tocou. Eu monitorei seu futuro próximo só para ter certeza que tudo estaria bem. Eu vi que Emmett
estaria esperarando por ele na porta da classe de Espanhol.

Antes que qualquer humano pudesse sair da aula e ver-me "teletransportar", como eles provavelmente
descreveriam. Eu tentei arduamente dar o eu melhor para andar em um ritmo humano e guiar-me para minha
próxima aula ao invez de fugir de lá o mais rápido possivel.
Aula de Artes. Encerrar o dia com uma aula eletiva não era tão ruim assim. Exceto que eu não queria ser pega,
novamente, vagando em Wompalandia entre arvores de chocolate e flores de sangue quentinho de cervos
afinal eu não sou de ferro - era como se fosse mas não era, e a expressão 'sou apenas humana' não faria
sentido algum- eu teria que ter mais cuidado.

Nós iriamos desenhar um sapato. Nosso sapato para ilustrar profundidade. Outra tarefa fácil.

Eu coloquei minhas coisas na minha mesa e, em seguida, esperei por intrusctions, começar assim logo de cara
seria suspeitoso.
Não havia necessidade de observar Emmett e Edward, eu tinha uma hora de descanso.
Ou assim eu pensei.
O tempo livre me traiu e as imagens vieram a vida dentro da minha cabeça. O futuro estava lá mais sólido do
que nunca os dois futuros a espera das escolhas pendentes.
Não! Não vou desistir! Eu pensei pra mim mesma e eu lutei contra as imagens.
Eu precisava manter minha mente ocupada, por isso, observei Bella, meu irmão e Jasper também. Esses três
eram suficientes para manter minha mente ocupada.
"Vocês podem começar, eu vou andar por aí para ter certeza de que todos estão indo bem"
Ouvi Sra. Potts.
Eu tirei o meu sapato.
E percebi os olhares das meninas proximas a mim. Eu amava estes sapatos. Eles seriam difíceis de desenhas,
porque tinham tantos detalhes, pelo menos para mim - É claro.

Para os seres humanos tudo que podiam ver eram padrões, riscos, estapas então eu só tinha que desenhas
alguns rabiscos.
"Alice Uau! Que lindo! É vintage? "
Senhora Potts estava certíssima, mas eu não acho que ela iria reagir muito bem se ela soubesse que estes
sapatos eram mais velhos do que ela.
Comprei, em uma loja de antiguidades em Paris, cerca de 40 yeas atrás. Será que ela acreditaria?
"Sim, eu os comprei em um antiquário."
"Essas flores e detalhes poderão ser difícil de desenhar, você pode fazê-los como se fossem simples, se você
desejar."

Ela não tinha visto os pormenores. Os sapatos tinham uma floresta traçada sobre eles. Bordada sobre eles, na
verdade. E os pequenos rabiscos que ela viu etram uma mistura de árvores, um lago e os milhares de fadas
belssimas por toda parte. Eu nunca guardava meus sapatos durante muito tempo, mas este par, era muito
especial.

Eu duvidava que tivesse sido feito por um humano. Ninguém poderia bordar detaes tão pequenos com uma
visão tão embaçada. Sra. Potes disse alguma coisa, mas ambas as suas palavras e minha visão de meus sapatos
sumiram. Eu apenas podia ver a Emmett correndo atras de Edward.

O que teria acontecido? Será que esse dia nunca terminaria? Eu estava prestes a ter um ataque de nervos.

Eu vi o rosto de meu irmão na minha mente e de uma vez só me senti envergonhada. Eu estava aqui
preocupada com a minha sobrecarga e não pensei em como Edward co certeza estaria mais sobre carregado
do que eu.
Lamento. Eu pensei.

Em poucos minutos uma outra visão: Edward sozinho em seu carro. Aguardando o fim da aula.
Os próximos minutos também se arrastaram. Terminei meu desenho, calcei novamete minha sapatilha, em
seguida, guardei o desenho no meu porfolio.
O Sino tocou, quando eu sai, de longe eu vi Edward de pé ao lado de seu carro. Bella estava em sua
Camionete, ele estava olhando para ela. Não, encarando era uma melhor descrição.

Ela dirigiu passando direto por ele olhando pra frente. Ele caiu na risada feito um retardado.

Eu perdi alguma coisa?


Primeiro: Porque no mundo que ele estaria de pé fora do carro e na chuva? Isso era estúpido! A menina
poderia tentar se aproximar e falar com ele.
Em seguida, me ocorreu.

Era isso o que ele queria?

Uma imagem tentou vir, mas eu balancei a minha cabeça como se isso fosse ajudar.
Segundo: qual foi a graça? Este segundo eu teria de perguntar com certeza.
"O que é tão engraçado?" Perguntei quando estava perto dele.
Ele só balançou a cabeça e entrou no carro.
Ele iria brincar de ser o irmão mais velho que não conta os segredos pra irmã, até onde eu sabia era sua
melhor amiga.
Entrei no carro e bati a minha porta os outros estavam todos olhando para minha carranca.
Foi o suficiente para fazer Edward gargalhar novamente.

Depois todos estavam olhando para mim como forma de interrogatório, quando tal repentino bom humor
ocorreu.
Balanceu a cabeça cerrei os punhos enquanto edward dirigia ao longo da estrada.
3.Fenomeno

Tinha sido uma longa noite. Para igualar-se o dia, eu suponho.


As palavras de Jasper cruzaram minha mente enquanto eu tentava encaixar todas as novas informações como
um engma sem solução.
"Eu não sei, o que é, mas eu sei que você está escondendo algo de mim. Também não posso me fazer entender
por que você iria manter segredos de mim, porque uma coisa continua a dizer-me que o que você está
escondendo é muito sério. "
"Jasper ... Eu não posso ... "
"Não diga que você não pode dizer, Alice, vai apenas piorar as coisas. Se você não pode confiar em mim, me
diga, por que eu devo confiar em você? Eu sinto como se eu não te conhecesse mais. Eu posso ver que algo
está acontecendo. Eu posso sentir isso. Suas emoções, são como você não as pudesse reter por muito tempo. "
Eu tive que ficar em silêncio. Ele estava com ciúmes. Sua idéia do que eu estava escondendo nada tinha a ver
como aquilo que eu realmente estava escondendo.
Eu estava tão ocupada em acompanhar tudo que essa discussão me pegou de surpresa.

Esta foi provavelmente uma das piores discussões que tívemos nos ultimos.. Não sei ... talvez cinquenta anos.

Discussões eram realmente raras entre pessoas tão desesperadamente apaixonadas.


Eu só movi meus ombros em resposta. Eu não podia discutir com ele. Eu sabia que ele não seria capaz de
controlar o seu pensamento proximo a Edward e eu não queria mentir.
"Foi isso mesmo que eu pensei." Eu senti uma leve brisa e ele saiu correndo do quarto saltando através da
janela.
Ele me deixou.

Ele precisava de tempo para pensar.

Se eu não tivesse muito em minha mente e se eu não soubesse que isso era tão tolo, eu teria ficado histérica.

Eu estava tão sobrecarregada. Eu não pude permitir a mim mesma nem esse tanto. Eu também não pude me
forçar a correr atrás dele eu estava muito cansada, por tudo que havia aconteciado durante o dia inteiro e
também inconsolável por causa do episodio dessa noite.
Eu queria dizer a ele o que estava acontecendo, isso era o que eu mais queria. Mas como ele receberia tal
noticia?

Eu respirei fundo sentindo o seu cheiro por toda parte do quarto. Me deitei na cama e senti a onda de dor no
meu peito. Ele realmente havia me deixado. Não como nas vezes que virava as costas e voltava correndo, ele
havia se cansado de mim.

Esse era meu maior medo, meu maior pesadelo, um minuto sem Jasper - não um minuto longe de jasper isso
era dificil, mas suportável já um minuto sem o amor incondicional de Jasper. Isso era demais pra eu aguentar.
Eu sentei-me novamente tentando descobrir o que fazer, tentando correr atraz dele mas eu não tinha forças.

Abracei meus joelhos sentindo-me frágil e desprotegida sem o meu anjo da guarda. Sem suas asas eu já não
podia voar, sem seu amor eu não podia viver nem mesmo um minuto. Imortalidade não tinha sentido, assim
como uma vida sem amor não tem sentido, vivemos por amor e eu o havia enontrado. Minha vida ou melhor,
imaortalidade se resumia a ele, era dele para ele fazer o que quizesse.

Será que eu tinha estragado tudo?


Corre alice, anda! Vai atraz dele! se jogue aos seus pés e implore pelo seu perdão. Eu aconselei a mim
mesma.

mas eu não conseguia sair dali, daquele quarto repleto com o se cheiro onde haviamos desfrutado tantos
momentos juntos, tantos momentos de amor e cumplicidade. Tantos momentos de desejos e caricias. Tantos
momentos inesqueciveis. A dor era insuportável. nem mesmo a morte poderia doer tanto e ser tão dificil de ser
encarada.

Eu então pensei em procurar no futuro alguma possiilidade dele me perdoar, e vi que a possibilidade de
ficarmos separados já não existia. Ele estava zangado corendo e quebrando coisas mas ele ainda me amava,
mesmo eu não sendo digna do seu amor.

Eu te amo mais que a minha propria existencia.

Eu pensei o quão forte eu pude me afundando nas almofadas da cama, ainda com o coração partido pela sua
ausencia.
Esta manhã, quando ele chegou, o sol já havia nascido, eu ainda estava deitada na cama em meus
pensamentos isso foi tudo o que tinha feito a noite toda.

Algo me disse que teríamos outro dia cheio, mas era algo intuitivo. Eu não tinha visto nada.
"Bom dia" disse ele.

Ele fico parado de pé no parapeito da janela, apenas me olhando por algum tempo. Eu tentei criar corgagem
para dizer tudo o que eu precisava.

Mas ele começou primeiro:


" Olha, Alice, eu estou arrependido. Eu lamento muito pelo que eu fiz. "
Mas, era eu quem devia estar se desculpando.
"Não Jasper, por favor, Basta! Entenda que o que eu mais queria era poder compartilhar isso com você, mas-"
"Está tudo bem, de verdade. Correr um pouco fez com que eu visse a razão, me fez ver as coisas mais
claramente. Além do mais a noite, sem você foi insuportável ".
Eu me joguei nos seus braços e senti de uma vez que eu poderia perfeitamente enfrentar a tempestade que
estava chegando. A tempestade, mas eu podia sentir mais ainda não tinha visto.

Jasper estava ao meu lado eu poderia enfrentar qualquer coisa.


"O que é isto? você não se trocou, ainda? Mal posso reconhecer você Sra. Whitlock "
Senhora Whitlock a forma como ele me chamava em particular.
Sra. Porque eu era sua esposa, é claro. Whitlock, porque esse era o seu sobrenome antes que ele abraçasse a
familia Cullen, e se tornasse Jasper Hale.

Eu ri satisfeita, ele tinha sido mais compreensivo, do que eu jamais poderia ter solicitado.
"Obrigado" eu disse e enterrei meu rosto em seu peito.
"Não, obrigado, Alice. Você sempre fez toda a diferença. " Nós rimos juntos. Isso era uma referencia a coisas
passadas, uma piada particular.
"É melhor se trocar, é hora da escola."
"Escola" Repeti enojada.
"Talvez campo de batalha fosse um nome mais apropriado."
"Talvez" eu tina certeza de que seja la o que for que estivesse por vir a qualificaria dessa forma.
"Ok!" Corri para o meu armário e escolhi uma blusa roxa escura para combinar perfeitamente com uma saia
dois tons abaixo, e uma legging para ir com ela. Eu joguei um casaco em cima de tudo e então eu estava ao
lado de Jasper, em pouquissimo tempo. Ele estava segurando uma tiara na cor prata e a escorregou no meu
cabelo.
"Perfeito" ele sussurrou e beijou a minha testa.
Alguém bateu à porta.
"Já vamos!"
"Dá pra vocês dois pararem com a ceninha de amor. Preciso de ajuda!"
Saimos do quarto e encontramos Rosalie tendo problemas.
“Alice poderia você ajudar-me?” Ela implorou segurando a sweater que eu acabara de comprar pra ela.

“Claro, ponha seus braços por aqui. Agora nós torcemos este assim, amarramos este e então faz assim, este
vai na parte superior e colocamos essa tira por cima dessa forma. Prontinho!”

“Obrigada!” Inclinou-se para olhar sua suéter

“ Você a faz parecer tão simples” ela se foi radiante com a suéter nova que era muito chamativa. A cara da
Rosalie.

Jasper e eu trocamos um olhar, sorrindo.

Rosalie era Única. Por falta de uma palavra melhor para descreve-la.

Nós estavamos todos a caminho da escola, mesmo que a noite tendo sido longa a manhã pareceu-me norma o
suficiente, quase agradável na verdade. Quase. Algo era ainda fora do lugar, algo grande estava vindo e
nenhuma das minhas visões disseram-me o que era.

Esta cegueira me deichava inquieta. Eu me mantive alerta em caso se qualquer coisa repentina. Enquanto nós
dirigiamos pra escola eu percebi que todos os humanos pareciam tensos hoje. Eu poderia detetar que tinha
algo pendente por que eu era sensitiva… mas eles? Por que estavam tão tensos? Então eu observei que
Edward diminuiu um pouco a veocidade.

O gelo! Eu pensei.

Talvez fosse isso que o meu sexto sentido tinha captado, talvez ele estivesse me enganando.

Nada estava errado, talvez fosse tudo só por causa do gelo.

Que relapsa! Afinal eu tinha visto que o pai de Bella lhe arrumaria correntes novas pra camionete. Ele se
preocupava tanto com ela.

Edward drivigiu pra dentro do estacionamento.

Eu pudia ouvir sua camionete enquanto nós saíamos.

Ela teve pouco problema pra estacionar, mas muitos problemas se mantendo em pé.

Eu prestei atenção na sua dancinha.

Ela pararia para olhar as correntes que seu pai tinha colocado nos pneus quando ainda estava dormindo. Isto a
pegaria de surpresa e traria alguma emoção a seus olhos.

Emoção por causa das correntes? Uma coisa de Bella, eu não vou fingir compreender esta menina. Edward
estava olhando fixamente pra ela como tinha feito antes.

Tive uma visão de Edward indo e lhe oferecer sua mão de modo que ela pudesse se balançar. Eu olhei
fixamente para ele deixando claro que eu pudia ver o que ele estava pensando em fazer, e que eu não
aprovava isso.

Ele simplismente ignorou-me.

É você quem está atraindo isso pra si mesmo. Ai de você se vier se queixar mais tarde.

Eu recomendei em meus pensamentos, mas ele não estava escutando outra vez.

Eu fiquei um pouco satisfeita. Eu estaria livre para pensar que qualquer coisa que eu quizesse em breve.

Sendo que Edward tinha decidido ajudar o futuro pelo qual eu torcia.
Eu tirei os olhos dele para permitir a mim mesma olhar Bella - Minha amiga- rapidamente, antes de entrar.
Porem eu não pude vê-la.

Meu fascinio foi substituído por choque.

“Não!” Eu ofeguei.

Eu estudante faria uma curva fechada e perderia controle de sua van. O veiculo iria direto na direção de
Bella.

Não havia muito tempo o menino já estava na esquina.

O que deveriamos fazer? Se ele não corresse eu iria. Eu não ia deixar que nada machucasse minha amiga.
Meus músculos já estavam rigidos para saltar mas Edward foi mais rápido do que eu.

Ele já tinha saltado, eu fiquei congelada no lugar. Tentado prever como seria o resultado disso tudo.

Então a visão mudou e eu pude ver que ele deteria a van. Espondo todos nós. Ela estaria prestando atenção
enquanto ele segurava a van com suas mãos.

A visão veio menos de um segundo antes da cena real.

Estavam seguros!

Pelo menos ela estava eu não podia dizer o mesmo do meu irmão nem do resto de nós.

Então eu tive uma outra visão. Menos que meio segundo depois que ele parou a van. O vehiculo continuaria
indo na direção deles, e esmagaria a perna dela.

Sangue!

Edward iria nos expor da pior forma se alimentando ali diante de todos.

Eu quis saltar pra junto dele para ajudar. Eu retrai meus músculos para me mover, mas eles não me
obedeceram.

Eu pioraria as coisas me juntando a eles, tentando ajudar. Ainda mais esposição pra nossa familia. Outra vez
eu o vi parando a van, levantando-na, pra que não esmagasse as pernas dela.

Muitos gritos, histerismo e fofocas seguiram.

Eu não estava preparada para as duas visões que seguiram. procurei por apoio no carro.

Duas visões sólidas tais quanto uma rocha. Na verdade não eram duas visões. Eram mais como dois possiveis
desfeichos pra uma unica visão.

O primeiro era Edward em uma clareira com seu peito descoberto exposto ao sol, brilhando. Ele não estava
sozinho. Perto dele a figura fragil de Bella o olhando completamente encantada pelos espectros refletidos por
sua pele. Ela sabia a verdade.

Então edward se inclinou na direção dela. Eu me preparei para sentir o veneno fluindo nos meus labios com a
imagem.

Edward inclinou-se não para morder Bella, mas sim para beijar Bella.

Ele estava apaixonado.

Isso sim era um motivo para Bella se tornar uma vampira. Uma de nós, parte da nossa familia e minha melhor
amiga.
Mas como nem tudo não flores. O outro final possivel não era tão agradável. Edward não coseguiria suportar
estar perto e Bella e a mataria acidentalente.

Eu estremeci ao considerar o que esse final tragico significava pra mim. Eu perderia minha amiga, antes
mesmo dela ser minha amiga, antes que eu pudesse ama-la. Minha própria dor sesumia-se a nada comparadas
ao que senti ao ver as imagens de Edward em minha mente.

Ele tinha esperado tempo demais por isso, tinha esperado por toda sua vida e mais de cem anos de sua
exixtencia por esta menina.

Asolidão tinha sido sua amiga por tempo demais. Edward perderia seu unico amor. Seu verdadeiro amor.
Edward se auto destruiria.

Eu tive vontade de gritar mas tudo que consegui, por causa do choque foi uma dor imensa no meu peito -
nossa forma de chorar. Desejei ser uma humana, por que assim eu desmaiaria de dor e não teria que infretar
isso.

Tentei imaginar como seria se o Jasper fosse um humano com um sangue doce demais pro seu proprio bem.
Isto era doloroso demais para imaginar, Por mais que nós não precisassemos de demonstraçoes publicas de
afeto, ter Jasper e não poder tocá-lo, jamais sentir seus lábios nos meus, seus dedos desenhando as curvas do
meu corpo, era viver eternamente e não encontrar sentido nenhum na vida. Pobre Edward. Minha cabeça
estava girando. Isso tinha que ter uma solução.

Mais gritos gritos quebraram minha concentração. Edward! Todos sabiam sobre nós.

Eu olhei ao redor. Não ninguem parecia estar precocupado com nada alem de Bella. Eu também não tive
nenuma visão de caçada aos vampiros. Isso era sempre um bom sinal.

Ele ainda estava com ela. Ela estava segura. Pessoas ao redor não viram muito, tudo tinha acontecido muito
rapido pros humanos prestarem atenção a detalhes.

Nós teriamos que fingir que meu irmão estava ai lado dela antes disso tudo. Talvez que tinha empurrado ela,
para tirá-la do caminho da van. Ela tinha tido simplismente sorte.

E o que ela diria eu sabia que ela tinha visto. E as outras pessoas? Minhas visões nem sempre estavam certas.
Super força e vampiros nem sempre andavam juntos. Será que tudo tinha sido rapido o suficienta pra que
ninguém tivesse visto coisa alguma?

Eu fiz a varredura tud que pude ver foi Edward falando com Carlisle no hospital e então Carlisle examinaria
Bella.

Nenhum dano feito, Ela realmente estaria bem. Nós estariamos bem, por hora. Ou assim eu pensei. Havia
mais coisas a serem consideradas.

Bella sabia demais.

Sabia mais do que devia. Bastante para começar uma caçada contra nós. Força inumana e velocidade já
assustadoras o bastante, ela não precisava de saber sobre nossa dieta nem o fato da imortalidade ou de mortos
vivos para ficar assustada.

Considerando o fato que meu irmão a tina salvo suponho que ela pensaria em Volverine e x-men mas nunca
em conde Dracula.

Pense, Alice! Pense!

O que ela ia fazer? Ela ia contar?

Eu a tinha visto apenas falando com Edward. Ambos tinham uma expressão aspera em seus rostos.
Isso era u risco em potencial?

Claro que não!

Ela estaria apaixonada por ele. Ele podia ser Frankestein que ela nem ligaria.

Mesmo se ela contasse? Alguém acreditaria? Eu soube a resposta imediatamente. Ela nunca faria tal coisa.

A primeira visão comoçou toda essa loucura - Bella como uma vampira - não estava mais tão fraca.

Eu fiz a varredura de Edward e Bella, uma mais vez. Para certificar-me que eles não foram feridos, ou melhor
certificar-me que ela não foi ferida.

Eu não estava ais tão preocupada em manter mnha visóes secretas.

Eu ouvi parte da conversa de Edward e Bella.

“Você promete me explicar tudo mais tarde?” Eu a ouvi pedindo.

Edward ão ia sair dessa sem nenhum dano. Iria?“Tudo bem” eu ouvi ele sizer asperamente.

“Tudo bem” Ela retibuiu no mesmo tom.

Eu entendi o que ela queria. Ela ia proteger nosso segredo mais ele queria saber extamente por quem estava se
apaixonando.

Eu estava menos rígida, mas mais preocupada quando soube que em alguns segundos teriamos companhia.

Como reagiriam? O que eu devo eu fazer? Ele não tinha nos exposto, tinha?

Edward tinha prometido uma explicação de extamanete, como ele tinha não só parado mas levantado do
chão, o que seria -pelo menos pra ela- uma van enorme e pesada, pra uma menina que no futuro seria parte da
familia e uma de nós. Eu poderia lidar com isso numa boa porque eu sabia as possibilidades do futuro, mas
eles ficariam furiosos com Edward.

Eu também provavelmente tiri minha parte de responsabilidade, o que era no inimo justo.

O que devo eu fazer? Eu me perguntava sem parar. Sem nenhua resposta. Eu percebi que já era tarde demais
quendo senti as mãos de Jasper protetoramente nos meus ombros.

Esse pequeno gesto fez a imagem de Bella como uma vampira desaparecer imediatamente.

Como que…????

Rosalie estava tão irritada que até sua respração estava alterada. Seus olhos muito escuros. Completamente
pretos era uma melhor descriçã deles.

Uma outra visão. Edward tentaria arrumar os amassados feitos com seas mãos e ombros mas alguns seriam
deixados para atrás. Isso causaria alguns perguntas. Eu terminaria o trabalho dele.

Foi então que tive a primeira boa notícia do dia Brett, era quem estaria ecarregado de emcaminha-los para
hospital. Meu irmão não seria examinado o que muito certamente seria um problema imenso. Mas isso mal foi
uma boa noticia quando compadada as milhos de más noticias que seguiram.

As decisões que estavam sendo feitas por nossa família, Rose e jaspe na verdade. Eu senti um calafrio pela
minha espinha ao pensar no que estas decisões significariam. Mas eu teria algum tempo para raciocinar e
previni-las.

Prioridades primeiro. Eu tinha coisas mais urgentes com que me preocupar agora. Ter certeza de que ninguém
que meu irmão se teletransportou, por exemplo.

Colocaram um daqueles colares ridiculos pra proteger a coluna dela. Edward consertou o amassado com o pé.

É isso ai!

Quano ele o fez ua outra imagem cruzou inha mente. Não estávamos sozinhos. Emmett repararia o que ele
tivesse deixado.

Eu estava contente por não ser a unica aliada de Edward. Precisariamos toda a ajuda que pudessemos reunir
quando chegassemos em casa.

Carregaram Bella na parte traseira da ambulância, Edward entrou na frente. O pai de Bella cegou e estava tão
preocupado que parecia a beira de u ataque cardíaco. Eu não pude evitar pensar que o risco de exposição era
um preço baixo a pagar quando comparado ao que esse homem teria que aguentar se Edward não tivesse sido
rápido o bastante.

Eu quiz ligar o carro e ir pro hospital, mas por outro lado eu decidi que permanecer aqui seria mais fácil para
esconder meus pensamentos de Edward, para pensar em uma solução para as decisões da nossa familia. Eu
tinha que encontrar uma maneira de evitar estes finais trágicos.

Assim, eu me deixei ser guiada por Jasper para dentro, enquanto as ambulâncias se afastavam.

Se ontem o dia parecia nunca terminar, Hoje o dia estava passando rápido demais e as horas eram minha
inimigas pois ainda não tinha solução pra coisa alguma.

Eu tinha tantas coisas na minha cabeça e não sabia qual delas resolver primeiro. Eu não sabia o que fazer,
como proceder.

Prioridades. Eu pensei. E então tentei monitorar os próximos momentos no hostital para certificar-me de que
tudo realmente estaria correndo como tinha visto antes.
Eu pude ver que dentro de instantes Carslisle estaria com Edward. Ele ficaria satisfeito com o que Edward
tinha feito. Essa reação de Carlisle foi ntrigante pra mim. Eu podia lidar com isso por que eu sabia que
Edward e Bella estavam apaixonados. Mas Carlisle... Até onde ele sabia Edward era a única coisa que
poderia prejudicar Bella. E ali bem diante dos seus olhos estava o meu irmão envergonhado por ter quase
exposto toda a nossa família por ter salvo sua vida. Imaginei que para Carlisle Edward pareceria um louco,
mas eu me enganei. Carlisle nem se quer estava surpreso.

Talvez Carlisle o conhecesse tão bem que não precisasse de um dom para saber exatamente que tipo de
transformação estara a acontecer com Edward.

Eu deixei escapar uma pequena risada ao perceber o quão tola eu havia sido. Carlisle sabia de tudo! Tavez
antes mesmo que eu soubesse. Isso sim era prever o futuro, eu ri mais uma vez.
A menina sentada ao meu lado na minha aula de calculo me lançou um olhar, e quando eu retribuí ela
rapidamente desviou.
Eu supuz que ela achava que eu estava ficando louca, mas era medrosa demais para questionar ou mesmo
continuar a olhar. Eu mordi minha língua. E ri ainda mais uma vez .
Ela não estava tão errada. Eu estava a beira da loucura. Eu estava conseguindo encontrar diversão no meio
dessa tragédia. Eu não poderia estar no meu melhor estado mental.
Eu me fiz eu concentrar novamente, então, vi que logo Carlisle estaria examinando Bella, tocando-lhe a
cabeça para ter certeza de que ela estava bem.
O rosto de Edward enquanto ele assistia estaria ... desgostoso? quase doloroso. Por que olharia para o nosso
pai assim? Tinha Bella se machucado?
Tentei encontrar uma referecia daquela expressão para tentar entender melhor. Eu nunca tinha visto isto no
rosto de Edward.
Mas a expressão era familiar... Onde eu tinha visto?
"Mas é claro! É obvio! A resposta está bem debaixo do seu nariz Alice!"
Não tinha nada a ver com o cheiro de sangue, e não era com nosso pai. Eu tinha visto essa expressão tão
frequentemente no rosto de Emmett e poucas vezes porem muito bem acentuada no rosto de Jasper.
Era estranho ver Edward assim. Sua expressão era a mesma expressão que Jasper tinha quando ele apanhava
Edward e eu tendo uma das nossas conversas particulares. Essa espressão era ciúmes.
Ciúmes? Eu contive uma nova risada.
Não era o sentimento mal e destrutivo da inveja era só uma pitadinha de um inofensivo ciume.
Jasper sentia ciumes, porque ele não podia ouvir o que eu estava dizendo a Edward. Então eu entendi que
Edward sentia ciumes porque Carlisle poderia tocar Bella e ele jamais poderia.
Edward já estava em um beco sem saída, uma estrada de mão única. Ele só não tinha percebido ainda. Ele
estava apaixonado por Bella. Irrevogavelmente. Eu teria uma amiga no final das contas.
Senti pena ao lembrar o quão difícil seria para ele, sentir-se assim por ela e como me senti quando imaginei
Jasper como um humano frágil e não durável.
"O eur eu faria?" Me perguntei.
Essa foi a resposata mais simples de todas elas. A resposta demorou menos que um batemento cardíaco. Eu
teria feito qualquer coisa na terra, no céu e até meso no inferno,para ficar com ele. Eu moveria céus, mares,
Terras, eu faria o que fosse preciso.
Eu tentei lembrar da primeira visão- Que já não estava mais em minha mente - Como foi boa a sensação de
olhar pra ela em meus pensamentos agora que ela já não me causava a dor que causou a primeira vez que a vi.
Agora Bella tinha uma razão para ser uma vampira não íamos arruinar a vida dela. Esta seria uma decisão sua,
e de Edward's.
Esta agradável visão porém tinha sido substituída por uma visão de Bella absolutamente aterrorizada e
Edward agachado defensivamente em frente a ela.
Ele a estava protegendo. Me faltou ar - mais como um instindo do que uma necessidade de respirar.
Eu não poderia raciocinar com o que eu via em minha mente.
Era muito difícil ver meu irmão e minha futura melhor amigo sendo atacados por ... Jasper.
A imagem de Jasper foi, então, substituída por Rosalie, mesmo essa imagem não sendo mais fácil para de
assistir, desta vez eu também estava lá com Edward para proteger Bella.
É isso o que iria acontecer? Nossa família seria despedaçada e destruída por causa do que aconteceu hoje?
Como eles seriam capazes de fazer algo como isso?
Eu só podia pensar em Esme e que isso faria com ela. Carlisle ... ele era o nosso modelo, ele havia recebido a
todos nós como seus filhos.
A dor no meu peito foi imensa, nem mesmo a dor de um ataque cardíaco podia ser comparada.
Não!!!!!!! Gritei em meus pensamentos. Segurei minha cabeça tentando fazer essas visões desaparecem, sem
nenhum sucesso.
o Sino tocou e eu corri para a floresta exatamente da maneira que eu fiz quando tive a visão de Bella e eu de
mãos dadas -no seu primeiro dia de aula - Sorridentes como melhores amigas, como irmãs.
Mais uma vez me lembrei de como me senti na época, e quanto tinha mudado desde então.
Eu tinha que fazer alguma coisa. Eu precisava fazer alguma coisa. Mas o quê?
Rosalie e Jasper tentariam matar Bella. Eu precisava detê-los.
O que eu faria como eu iria evitar toda essa tragédia? Quem ia me ajudar? Isso terminaria em uma luta?
As perguntas não paravam de chegar em minha mente.
Tentei organizar meus pensamentos. Um problema de cada vez.
Problema numero um: Rosalie.
Rosalie não iria fazê-lo sem aviso. Pelo menos eu imaginei que não faria.
Além do mais Edward podia ler sua mente ele iria contar a Carlisle. Carlisle jamais ppermitiria tal coisa. Nem
mesmo para nos protejer, nem mesmo pelo nosso segredo. Seus ideais iam muito além de uma consiência ou
um debate sbre ter eu não uma alma. Era respeito, respeito pela vida humana, sua frágil beleza, a chance de
uma outra vida eterna e um´paraíso. Terias muito complexas de um coração com uma bondade
inemenssurável.
O que eu preciso para deter Rosalie era Carlisle.
Tentei descobrir o que aconteceria no nosso futuro proximo, as imagens eram muito vagas, mudavam
constantemente mas todas levavam ao mesmo fim.
Isso seria muito difícil. Algo que eu não podia fazer.
Desista, Alice. Você é falha.
Meus pensamentos não eram os melhores, me deixei levar pelo desespero, e agústia. Segurei minha cabeça
entre minhas mãos como se pudesse conter explosão de pensamentos.
Seria eu capaz de precionar tanto o meu cranio a ponto dele se partir? e eu não ter que passar por isso?
Isso não iria adintar. Eu não podia figir tinha que encarar isso. Respirei fundo tentando retomar o controle. Fiz
um novo scan.
Uma imagem de todos nós ao redor da sala de jantar mesa me ocorreu.
Era isso! Essa era a minha chance. A nossa chance.
Carlisle teria que convencer Rosalie, ela não trairia a sua confiança, Carslisle nunca deixaria que alguem
tirasse a vida de uma garota inocente. Bella era inocente.
Possivel solução para o problema um. Problema dois: Jasper.
Jaspe não escutaria Carlisle. O que deteria Jasper?
Tentei achar uma resposta, Jasper era um militar ele pensava muitas vezes como um militar. Não hava nada
capaz de deter Jasper.
Rosalie admirava Carlisle e mesmo com seu aparente egocentrismo. Havia muito mais em minha irmã, ela era
muito boa, só não o sabia demostrar. Era como se apenas pudesse sentir uma emoção por vez. Rosalie pararia
pelo que ela acreditava, e por quem ela era. E Jasper?
Quem ele era? O que ele estimava? O que ele não gostaria de perder?
Ponderei essas questões por um tempo. A resposta era tão obvia que não conseguia vê-la, pois estava em mim
o tempo todo. Jasper havia mudado completamente por uma unica coisa, ele se sacrificava e aguentava a dor
do fogo queimando na sua garganta por uma unica razão. Jasper tinha algo que imaginava precioso. Havia
apenas uma coisa capaz de deter Jasper. Uma unica coisa que o faria repensar e talvez parar. Jasper tinha um
ponto fraco a razão pela qual ele precisava eliminar essa menina que sabia demais. Ele precisava protejer essa
coisa que ele acreditava ser preciosa.
Isso para mim era tão inacreditável, tão lisonjeiro que parecia algo tolo, eu nunca via isso dessa forma. O que
podia deter Jasper não era bem ua coisa mas sim uma pessoa.. uma razão.
Eu . Eu era a razão.
Se eu fizesse disso algo pessoal, algo que me envolvesse - e de fato envolvia, não tanto quanto Edward, mas
eu também amava Bella. Eu pelo menos iria. Dava na mesma. - ele não poderia tocá-la. Ele não me magoaria.
Aos poucos fui montando mina extratégia. Isso teria que acontecer na imagem da mesa reonda na sala de
jantar essa noite.
Tinha que das a Jasper uma meia verdade e também torná-la completamente impactate para mim. Eu também
tinha que ter o cuidado suficiente para que Edward não visse a imagem de Bella e ele - nem a imagem de
Bella vampira e eu - juntos.
Eu temia a reação que ele teria ao ver Bella como uma vampira. A reação dele poderia ser a mesma que eu
tinha, na verdade seria provavelmente muito pior que a minha havia sido. Ele iria pensar que eu era um
egoísta, sádica, nojenta, sem coração.
Mais importante ainda era que ele não visse os seus dois possíveis desfechos. O fascinante final feliz, nem o
pesadelo que pairava sobre sua cabeça.
I varri uma imagem da minha mente.
Eu posso dar conta disso. Eu pensei tentando me encorajar. Eu era forte eu ia coseguir. Eu tinha que
conseguir.
Eu me guiei de volta para a escola. Eu tinha passado todo o período do almoço enfiada na floresta. Eu vi que
Edward estaria no seu volto em breve, eu corri para o prédio de Inglês.
Me joguei na carteira, ainda monitorando a proxia hora.
Vi que Edward iria para sua aula de biologia. Eu estava tentando soreviver a minha. Eu já tinha um plano.
Não deveria ser tão difícil fazê-lo funcionar. Pelo menos eu tinha esperança.
Quando o último sino soou parecia uma alarme de que uma guerra estava prestes a começar. Quem sabe a
tempestade que havia sentido de manhã. Eu não estava tão errada. Meu desconforto por causa do gelo. Isso
tudo tinha sido causado pelo gelo no final das contas.
Jasper estaria esperando por mim fora da minha classe. Senti um calafrio ao ver seus olhos negros na minha
mente. Ele estava muito zangado comigo.
Quando saí apenas confirmei o que havia visto antes.
"Onde você estava no almoço hoje? Você quase me mata de preocupação. Eu ..."
"Estou bem", Foi tudo o que eu disse. Interrompendo sei discuso interminável de como eu havia sido
irresponsável. Eu devia uma a Emmett, só ele seria capaz de impedir Jasper de seguir minha trilha até a
floresta.
Ele não continuou verbalmente mas eu não precisava do seu dom para sentir como ele realmente tina ficado
desesperado com o meu desaparecimento. Isso fez com que eu me sentisse mal. Culpada.
Ele rocou meu ombro protetoramente e me levou para o carro. Rosalie já estava lá Edward e Emmett
chegariam em breve.
Eu me sentei, preocupada com o que eu estava fazendo com a relação entre Jasper e eu.
Eu não sabia o quanto mais jasper poderia aquentar disso tudo antes que ele decidisse que não valia a pena.
Eu estudei as imagens eu já tinha visto de Jasper tentando atacar Bella. Como antes Edward estava lá, sempre
a protegendo. Na briga contra Rosalie eu pudia escolher um lado, mas contra na outra eu simplesmente não
podia. Como poderia escolher entre meu verdadeiro amor e o meu amado irmão e seu futuro amor, e minha
futura irmã e amiga.
Eu não poderia estar em nenhum lado dessa briga. Isso não era uma possibilidade pra mim.
Edward entrou no carro e saiu do estacionamento em direção a nossa casa. A hora se aproximava.
Continuei estudando as visões que havia tido procurando por alguma falha no meu plano ou quem sabe uma
maneira menos arriscada de resolver isso. Minhas visões ficavam mudando, Eu podia ver Jasper atacando
Bella, só que Edward tertaria detê-lo o mais longe possivel. Ele estava monitorando meus pensamentos. Os
dois em um combate não era uma possibilidade para mim. Eu estava prestes a explodir em dor.
Pare com isso Edward! Não pode acontecer desta forma não vou deixar. Eu ordeneei em meus pensamentos.
Embora eu ficasse passando as imagens do futuro na minha mente, elas eram foscas e vagas, tudo era vago
nada estava decidido. Éramos nômandes em uma encruzihada com milhares de caminhos para escolher.
Muios caminhos perigosos e traiçoeiros e apenas um que levaria até o destino certo.
O silencio permaneceu durante todo o caminho até a nossa casa. Tal como se estivéssemos no olho de um
tornado, o segundo metade ainda estava por vir. O metade mais forte, mais devastadora.