Você está na página 1de 42

Contacto e cuidados com o paciente

Objetivos do exame
História clínica
UNCISAL
4º Período
2009-1
Recebendo o paciente
• Ser agradável, educado,sorrir
• Ajudar o paciente se for o caso
• Nome completo
– Sempre “senhor”, “senhora”
– Não utilizar nunca “tio”, “tia”,”vôzinho”,”vózinha”
• Confirmar sexo e idade
– Nomes comuns aos dois sexos
– Homônimos
Trocar a roupa
• Utilizar roupas fornecidas pelo serviço
– Materiais que causam artefatos (zíper, colchetes
metálicos, moedas, isqueiro nos bolsos)
– Confôrto
– Segurança (cabelos)
– Acesso para procedimentos
• Touca, jaqueta, calça, avental aberto, sapatilha
Ler o pedido médico atentamente

• Região a ser examinada


• Preparo
– Jejum (NPO= nada por via oral)
– Utilização de contraste
– Anestesia geral / sedação
História Clinica
• Sempre necessária junto com o pedido
médico
• Evitar “interpretar”
– Em caso de dúvida:
• Discutir com o radiologista
• Ligar para o médico solicitante
Mais importante
• História de alergia e possíveis contra-
indicações ao uso de contraste iodado
Reações Adversas
• A maioria das reações são leves ou
moderadas e de curta duração, e se resolvem
espontaneamente sem tratamento médico
• A maioria das raras reações graves apresenta
sinais imediatamente após a injeção, o que
permite o diagnóstico precoce e o início
imediato de medidas terapêuticas eficientes.
Fatôres de risco para alergia ao
contraste
• Antecedentes de reação adversa
– Alergia a iodo não contra-indica a administração
do contraste iodado – mas aumenta o risco
• Alérgia prévia qualquer que seja a causa
• Doenças subjacentes
– Cardiopatias, pneumopatias, diab, doença auto-
imune, anemia falciforme, hipertireoidismo,
doença hepática, renal, neurológica e
gastrintestinal
Resumo fatores de risco
• Hipersensibilidade ao agente de contraste iodado
• Alergia
• Hipertireoidismo
• Desidratação
• Insuficiência cardiovascular severa
• Insuficiência pulmonar e asma
• Insuficiência renal
• Nefropatia em pacientes diabéticos
• Paraproteínemia
• Doença autoimune
• Idade avançada
• Ansiedade
Risco/Benefício

• Utilizar agentes não-iônicos


• Usar contrastes de baixa osmolalidade
• Hidratar o paciente
• Estabilizar as condições psicológicas do
paciente
• Uso de pré-medicação
• Otimizar a utilização dos equipamentos
• Em caso de RA, estar preparado para iniciar
medidas terapêuticas imediatamente.
Prevenção
O uso de pré-medicação é bastante controverso.

Esquema mais utilizado:


Prednisona 50mg
• 13, 7 e 1 hora pré-exame)
Fexofenadina (Allegra ) 180mg
• 1 hora pré-exame

( PACIENTES DE RISCO MODERADO)


TERMO DE ESCLARECIMENTOS, CIÊNCIA E CONSENTIMENTO PARA EXAME
RADIOLÓGICO COM INJEÇÃO DE CONTRASTE IODADO

Eu .................nº de identidade - Paciente / Responsável (Grau de Parentesco:): ........................................ autorizo a


realização do exame (RX / CT) denominado .............................que foi solicitado por meu médico e declaro que:
1º) Recebi todas as explicações necessárias quanto à importância, riscos e benefícios do exame solicitado. O meio de
contraste iodado utilizado durante o exame será injetado em uma veia do corpo, ou intra-tecal no caso de mielografia.A
maioria dos pacientes não apresenta efeitos colaterais ou complicações a essa injeção de contraste;
2º) Estou ciente entretanto que existe certo risco, como em qualquer procedimento médico. Durante a injeção o paciente
pode experimentar uma sensação de calor, náusea ou vômito. Alguns poucos pacientes têm uma reação do tipo alérgica
que pode incluir coceira e/ou urticária, inchaço dos olhos ou lábios, espirros, ou, raramente,dificuldade para respirar.
Nesses casos, se necessário, poderá ser administrada medicação para o tratamento dessas reações. Excepcionalmente,
podem ocorrer complicações mais sérias como choque, insuficiência renal e problemas cardio-respiratórios. Ocasiões em
que serão tomadas condutas imediatas, como atendimento médico administração dos medicamentos necessários.
Complicações fatais são extremamente raras (01 caso em 250.000-400.000 procedimentos);
3º) Estou ciente de que em pacientes com diabetes, mieloma múltiplo, alergia severa, ou que tiveram reação prévia com
uso de contraste iodado, o risco pode ser um pouco maior;
4º) Li e compreendi todas as informações deste documento e, antes de sua assinatura, tive a oportunidade de esclarecer
todas as minhas dúvidas relativas ao(s) procedimento(s).
Observação: Favor preencher o questionário anexo, que contém informações importantes para a realização do exame e laudo
médico, bem como avaliação de risco.
Local, ...../........../..........
Assinatura ________________________________________
TESTEMUNHAS ____________________________________
1) Nome completo _________________________________
Nº de Identidade ___________________________________
Assinatura _________________________________________
.
DEVE SER PREENCHIDO PELO MÉDICO
Confirmo que expliquei detalhadamente para o paciente e/ou seu(s) familiar(es), ou responsável(eis), o propósito,
os riscos, os benefícios e as alternativas para o tratamento(s)/procedimento(s) acima descritos.
São Paulo, ......../........./...........
Nome do médico
Assinatura
CRM
Contraste iodado
• Via oral
– Contrastação do tubo digestivo
• Via intravenosa
– Contrastação de vísceras e estruturas vasculares
• Outras vias:
– Radiologia Intervencionista:
• Contrastação de cavidades (abscessos, fístulas)
• Contrastação de ductos/canais dilatados
Punção venosa
Garrote Contraste
Esparadrapo
Baritado
Contraste Sonda
Iodado

Algodão

Contraste
Iodado

Gaze
Jelco Seringa
Êmbolo da
Bomba
Bandeja de Injetora
Materiais
Punção venosa
 Veia periférica de grande calibre
– Maior fluxo sangüíneo
–  efeitos adversos locais 2ários. à osmolalidade alta
 Punção com assepsia
 Traumatizar o mínimo possível
 Evitar punções consecutivas = desconforto,
ansiedade e dor = podem desencadear reações do
tipo vasomotor = graves conseqüências
 Elevar o braço do paciente durante infusão para
evitar estase do agente (pode levar a flebite)
 Pacientes mastectomizadas – evitar puncionar a
veia ipsilateral a cirurgia
Formas de injetar o contraste
Bomba injetora

Fluxo ml/s
Tempo
Fase de aquisição
Capacidade da Bomba

Retardo Vol. do Meio Contraste


Bomba injetora
•Injeção contínua
•Velocidade programada
•Adequada via de acesso
 Veia antecubital calibrosa
 Gelco 20 – 22 G
 Monitorização no início da injeção
Cuidados

 NÃO usar veia já cateterizada há mais de 24


horas
 NÃO usar “butterfly”
 NÃO usar intracath ou portocath
 NÃO usar veia da mão, pé ou tornozelo
Injeção Manual

 Injeção descontínua
 Velocidade oscilante
 Velocidade máxima de 2 ml/seg.

• Utilizar quando não for possível o uso da bomba


injetora
• Injetar em “bolus” com a maior velocidade possível
• Não fazer a fase arterial
Rins

Fase córtico-medular

Fase nefrográfica

Fase excretora
Contrastação do tubo digestivo
Contraste por via oral
Contraste iodado iônico 60 %:
• 30 ml diluído em 1L de água
• Solução de Sulfato de bário
Contraste por via retal
• Contraste iodado iônico a 60% : 50 ml diluído em 1L
de soro fisiológico
• Solução baritada
Conforto e segurança
• Indivíduo sadio /doente
• Claustrofobia
• Mêdo
• Dor
• Frio
• Apoiar os membros
• Medicações em uso
• Esvaziar a bexiga se o exame não exigir bexiga
cheia
EXPLICAR O PROCEDIMENTO ANTES DE
ENTRAR NA SALA
Muito carinho e paciência dentro da sala
O paciente está ansioso e pode estar sofrendo
muito – tudo é desconhecido para ele

Avaliar a necessidade de um acompanhante


permanecer junto ao paciente
Checar se o paciente fez corretamente
o preparo para o exame
Diabéticos
• Se o paciente fizer tratamento é a base de cloridrato de
metformina (Glucoformin, Glifage, Glucophage,
Dimefor, Metformina) - suspender o hipoglicemiante
oral por 24 horas antes do exame
• O meio de contraste pode provocar um
comprometimento temporário da função renal,
causando um acúmulo de metformina no organismo e
indiretamente levando à acidose
• O uso de metformina deve ser retomado após não
menos de 48 horas a não ser que a função renal esteja
normal
JEJUM

Reduzir a motilidade do tubo digestivo


Manter a vesícula biliar em repleção
Manter estômago vazio em caso de náuseas pós-
contraste
Pré-requisito básico para anestesia geral

CUIDADOS:
– Medicações em uso – manter
– Cuidado para não desidratar idosos
– Cuidado com pacientes diabéticos
JEJUM PARA EXAMES CONTRASTADOS
• VO - Necessitam de 4 horas:
– abdômen total, abdômen superior, trato digestivo
e urinário
• EV - Necessitam de 6 horas.
Jejum para anestesia (NPO)
• Sedação/ Analgesia - 8 horas para adultos
• Crianças, o período de jejum varia de acordo
com a idade:
RN prematuro.............................. 2 hs
RN normal................................... 3 hs
Lactantes (1 à 4 meses que só tomam leite
materno) .................................... 4 hs
Crianças maiores ........................ 6 hs
Amamentação
– Agentes de contraste presentes no leite
podem determinar reações adversas:
 Condições hiperosmolares e
reações anafilactóides no bebê

– Nas primeiras 24horas após o exame,


apenas cerca de 0,2% da dose será
absorvida pela criança

– Não há risco significativo de toxicidade