Você está na página 1de 5

TERÇO NA CAPELA

15.05.2008

Rezar com Maria pelo Darfur


Cântico de entrada:

Introdução
Presidente: Nesta oração vamos ter presente de um modo especial o Darfur.
Os textos que vão ser utilizados, são testemunhos reais enviados pelo P.
Feliz Martins.
Rezaremos como habitualmente em dois coros alternados.

Leitor 1
“Foi preciso chegares a uma situação tão terrível para falarem de ti ao mundo,
meu bom e querido Darfur!
A tua população já suportou a morte de centenas de milhares e a deslocação
forçada de mais de dois milhões.
Sei que estás debaixo de fogo. As tuas várias tribos estão a ser massacradas, há
pessoas queimadas vivas, raparigas violadas, morte e fome por todos os lados. É o
horror do genocídio. As milícias de Omar el Bashir, os janjawid, não vos dão
tréguas. Os interesses do petróleo saltam à vista.
Mistérios do Sudão de ontem que são os teus dolorosos mistérios de hoje, meu
querido Darfur. A tua dor é a minha. Os teus filhos são meus irmãos. Não perco a
esperança de que, num dia não muito longínquos, os homens hão-de obedecer mais
a Deus do que à crueldade dos janjawid ou ao poder do petróleo.”
(Carta do Pe. Feliz ao Darfur – Caminhos de Missão)

Leitor 2
Querida Mãe, estamos aqui hoje diante de Ti, com o Darfur no coração.
Gostaríamos de lembrar, de modo especial, os homens, mulheres e crianças do
Darfur, terra martirizada no seio do Sudão.
Mãe, assim como acompanhaste Jesus no caminho para o calvário, acompanha
também este povo do Darfur em seus caminhos. Olhando a Cruz, contemplamos a
Ressurreição. Na mesma esperança, sobre rastos de morte veremos surgir a
Vida, o nascer da Paz, o renascer de um povo. Querida Mãe, connosco intercede
por este povo do Darfur pois, como diz o Pe Feliz, “Deus é Amor e não pode senão
amar estes seus filhos e filhas.”
Leitor 3
1º Mistério: BEM AVENTURADOS OS QUE TÊM FOME E SEDE DE
JUSTIÇA: ELES SERÃO SACIADOS.

“O meu nome é Macur!... Não podemos aguentar mais. Já há muito que a nossa
gente quer fugir desta terra maldita. As razias tornaram-se coisa normal e
frequente. Em cada hora que passa há vidas que já não são. Muitas aldeias já
deixaram de existir. Não poucas vezes somos obrigados a conviver com o cheiro
fétido dos corpos que nem sempre podemos sepultar. Agora já não há longe nem
perto: os “janjawid” moram ao nosso lado. Violam as nossas mulheres e filhas;
roubam o nosso gado. A nossa vida ou a nossa morte depende somente do bel-
prazer desses malditos sanguinários…”.
(Carta do Pe. Feliz – 5 Janeiro 2007)

Oração: Neste mistério, queremos ter presente todos aqueles que


se sentem obrigados a abandonar as suas terras, percorrendo
milhares de kilómetros para fugir aos horrores da guerra.
Pai-Nosso…

Leitor 4
2º Mistério: BEM AVENTURADOS SEREIS QUANDO VOS INSULTAREM E
PERSEGUIREM E, MENTINDO, DISSEREM TODO O GÉNERO DE
CALÚNIAS CONTRA VÓS, POR MINHA CAUSA.

Chama-se Brutos e vem da prisão de Shalla. Era militar e participara em


operações em diversas zonas do Sudão, onde vira o que é «viver no meio da
morte e dos mortos», como ele contava, e fora testemunha de grandes
atrocidades. Isso levou-o ao consumo de bongo (droga). Por esse motivo fora
encarcerado na prisão de El Obeid. Mas na prisão conheceu a Cristo e decidiu
segui-l’O, recebendo o baptismo. A instrução religiosa que os missionários lhe
davam durante as visitas transmitia-a ele, por sua vez, a outros presos
muçulmanos. Quando foi descoberto, foi castigado, algemado e, depois de
torturas físicas horrorosas, foi transferido para a prisão de Nyala, Darfur.
Também aqui prosseguiu, com coragem, o mesmo trabalho de apóstolo entre os
reclusos.
(Caminhos de Missão – Pe. Feliz da Costa
Martins)

Oração: Neste mistério teremos presente, todos os perseguidos


pela fé.

Pai-Nosso…

Cântico
Leitor 5
3º Mistério: BEM AVENTURADOS OS QUE CHORAM, PORQUE SERÃO
CONSOLADOS

“Depois de ter sido raptada e feita escrava, Poni viveu doze anos em El Daein.
Para qualquer serviço e a qualquer hora: era-lhe proibido dizer que não. Os actos
de escravatura acontecem frequentemente no Sudão. Noutro dia, uma senhora
cega da tribo dinka, de nome Abuki Matiar, contava-me: «Os árabes, de noite,
pegaram fogo a um grande número de palhotas na aldeia e foi tal o pânico que se
ouviram os gritos das vítimas a longas distâncias. Cerca de trezentas mulheres e
crianças foram raptadas naquela noite e transportadas para serem vendidas no
norte do país».”
(Caminhos de Missão – Pe. Feliz da Costa
Martins)

Oração: Neste mistério lembremos todas as mulheres e crianças


que, no Sudão, são violentadas e escravizadas.

Pai-Nosso…

Leitor 6
4º Mistério: BEM AVENTURADOS OS MANSOS: O SEU QUINHÃO SERç
A TERRA.

“O terror paira no ar e estende-se a toda a juventude do Sudão, quer sulistas


quer nortistas, cristãos ou muçulmanos. Jovens apanhados à força e à traição nas
ruas ou nos transportes públicos para serem alistados na Jihad, a guerra santa.
Aconteceu há dias na minha presença, à entrada do grande mercado de Cartum
Norte. Num abrir e fechar de olhos, um grande número de jovens fugiam
correndo na mesma direcção e deixando uma clareira bem visível. Aí, três
homens, polícias à paisana, arrastavam um rapaz sulista que esperneava,
tentando, em vão, desembaraçar-se das suas mãos.”
(Caminhos de Missão – Pe. Feliz da Costa
Martins)

Oração: Neste mistério recordemos todos os jovens deste do


Sudão, muitos deles recrutados à força para esta guerra,
combatendo os próprios irmãos.

Pai-Nosso…

Cântico

Leitor 7
5º Mistério: BEM AVENTURADOS OS POBRES, DELES É O REINO DE
DEUS

“Enquanto caminho, revejo a celebração da Eucaristia de hoje na prisão de


mulheres de Omdurman. Cerca de quatrocentas presas, muitas delas com
crianças de colo. Os seus crimes? Na maioria dos casos, merissa e araki, duas
bebidas alcoólicas produzidas com a maior das facilidades em qualquer alambique
doméstico. O álcool é proibido pela charia, a lei islâmica, mas elas dizem-nos que
não têm outra alternativa para arranjar dinheiro para viver. Os consumidores
dessa bebida são, indistintamente, cristãos e muçulmanos. Porém, as vítimas da
lei são estas pobres mulheres, que continuam a sofrer os horrores da guerra. «O
meu marido não voltou da guerra e do meu filho não há notícias», diz uma delas,
com resignação.”
(Caminhos de Missão – Pe. Feliz da Costa
Martins)

Oração: Senhor, tem misericórdia deste povo. Até quando


Senhor? Esperamos em Ti.

Pai-Nosso…

Leitor 8
3 Avé-Maria’s : BEM AVENTURADOS OS CONSTRUTORES DA PAZ PORQUE
SERÃO CHAMADOS FILHOS DE DEUS

“Mais um centro cristão, um complexo de escola e igreja, foi destruído, desta


vez, em Thaura, o campo de desalojados nos arredores de Ondurman.
Os soldados continuavam de pé, atentos a qualquer movimento de quem ousasse
intrometer-se na operação devastadora do bulldozer. A gente usara de todos os
meios ao seu alcance para impedir tão sinistra operação. Alguém no meio da
multidão, lançou o grito de batalha: Pai-nosso… Avé-Maria… As vozes ecoaram no
ar, parecendo querer desafiar o barulho ensurdecedor do caterpillar. A certa
altura, entre uma Avé-Maria e outra, um par de jovens abre caminho em direcção
aos militares, nervosos e alarmados. Os jovens levavam apenas um zir, espécie de
bilha, cheio de água.
O povo rezava, o bulldozer destruía, os militares matavam a sede e exclamavam
entre tímidos e comovidos: «Shukran [Obrigado]».
O desejo de paz tinha vencido o ódio e a violência.”
(Caminhos de Missão – Pe. Feliz da Costa
Martins)

Oração: Damos graças ao Pai pelos cristãos perseguidos do


Darfur, sinais de paz no meio de seu povo, e por todos aqueles que
de algum modo prestam auxílio a este mártir Darfur.
Khamis, condenado à morte por ser cristão, exorta-nos “Quem grita
por justiça e pratica a caridade tem a vida salva em Jesus Cristo.

Salvé-Raínha…

Cântico final: